Você está na página 1de 14

17/02/2017

Mecânica dos Solos e Fundações

Dilma Bowen
2017

Você deve estar se perguntando:


• Por que motivo vamos estudar mecânica dos solos e
Fundações?

• Qual a relação dessa ciência (Geofísica) com a


Engenharia e Arquitetura?

• Qual a relação dessas ciências com a Engenharia Civil


ou a gestão de uma obra?

[...] O Projetista deve ter sempre presente que está


tratando com um material extremamente complexo, que
varia de lugar para lugar e que, em geral, não pode ser observado em
sua totalidade, mas, tão somente, através de amostras (ainda assim
suscetíveis a alterações quando de sua extração do maciço) ou de
ensaios in loco [...] (CAPUTO, 1923, p. 7).

1
17/02/2017

Prefiro ser essa metamorfose ambulante


Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
[...] Sobre o que é o amor
Sobre o que eu nem sei quem sou
Hoje eu sou estrela amanhã já se apagou [...]
(RAUL SEIXAS, 1973)

2
17/02/2017

3
17/02/2017

Por quê?

Conhecimento dos aspectos ambientais:


 meio físico
 biótico
 antrópico

fundamental para que


efetuar uma previsão
se possa entender os
quanto a prevenção,
processos que
controle e
interferem na
recuperação
paisagem

4
17/02/2017

Quanto a sua composição e formação

 em termos de material inconsolidado (solo)


substrato rochoso
 águas superficiais e subterrâneas
 geomorfologia (em termos de forma)
 processos geodinâmicos presentes

o material inconsolidado deve ser muito bem


caracterizado, uma vez que é esse material quem sofrerá
a ação do processo erosivo.

Correlações

o substrato rochoso é um importante condicionante dos


processos erosivos, e se torna ainda mais importante
quando passa a ultrapassar a camada pedogenética e
atingir os horizontes saprolíticos.

[...] Eu quero dizer agora o oposto do que eu disse antes


Prefiro ser essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
É chato chegar a um objetivo num instante
Eu quero viver essa metamorfose ambulante
(RAUL SEIXAS, 1973)

5
17/02/2017

Entre os três grupos de rochas, as sedimentares são as mais


favoráveis à acumulação de água subterrânea, uma vez que
seus processos genéticos possibilitaram a formação de
porosidade primária onde as águas subterrâneas podem se
acumular.

6
17/02/2017

NOÇÕES DE PEDOLOGIA
ELEMENTOS FORMADORES

Formação do Solo
Tipos de Intemperismo

 Físico – Dilatação Térmica (ação do gelo)

[...] O tempo não para


Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
(CAZUZA,1988)

7
17/02/2017

Formação do Solo
Tipos de Intemperismo

Biológico

Ação

Biológica

Formação do Solo

Tipos de Intemperismo

 Químico

• O principal agente é a água da chuva, que infliltra e


percola nas rochas
• rica em O2, em interação com o CO2 da
atmosfera, adquire caráter ácido (H2CO3)
• Em contato com o solo, a respiração das
plantas pelas raízes e a oxidação da matéria
orgânica enriquecem o ambiente em CO2, esta
água tem seu pH ainda mais diminuído

Horizontes e Perfis de Solo


 Horizontes – camadas distintas dentro do solo.

• Distinguem-se pela coloração, além de apresentarem diferenças texturais


e de conteúdo de matéria orgânica.

 Perfis - compreendem a sucessão vertical dos seus diferentes horizontes.

A presença ou ausência de certos horizontes, bem como o seu desenvolvimento,


refletem as condições ambientais pretéritas, além de fornecer subsídios sobre o
clima, vegetação, material-mãe e drenagem.
Mudanças no perfil original do solo indicam a ação de processos erosivos ou a
interferência antrópica.

8
17/02/2017

HORIZONTES DESCRIÇÃO

O1 Detritos orgânicos não decompostos

O2 Detritos orgânicos decompostos

S A1 Horizonte escuro rico em matéria orgânica


O A2 Horizonte claro de máxima eluviação
L A3 Transição A/B - mais próxima do A
U B1 Transição B/A - mais próxima do B
Máxima expressão de cor; estruturas em blocos ou
M B2
prismáticas

B3 Transição B/C - mais próxima do B

C1 Material intemperizado

Máxima expressão do C; descontinuidade litológica


C2
+ gleyzação

R Rocha consolidada

Perfil de Solo:
Características
Pedológicas dos
Horizontes

NOÇÕES DE PEDOLOGIA
INFLUÊNCIA DO RELEVO

9
17/02/2017

NOÇÕES DE PEDOLOGIA
ÁGUA NO SOLO

Eluviação – movimento descendente de soluções


várias ou suspensões coloidais, num solo
Iluviação - concentração de argilas, sesquióxidos,
carbonatos, matéria orgânica, etc, em uma certa
camada do solo.

NOÇÕES DE PEDOLOGIA
PERFIL DE SOLO

C
29

Fonte: Ricardo Fernandes (2014)

10
17/02/2017

NOÇÕES DE PEDOLOGIA
ESTRUTURA

11
17/02/2017

Você deve estar se perguntando:


• Por que motivo estamos estudando as estruturas
geológicas?

• Qual a relação dessas estruturas com a gestão do


ambiente e dos recursos hídricos?

Degradação do Solo

Ação antrópica:

 Desmatamentos;

 Agricultura;

 Uso indiscriminado de agroquímicos;

 Exploração mineral;

 Crescimento descontrolado das cidades;

 Falta de políticas efetivas para controle e uso do solo.

Históricos de Acidentes
Geológicos

12
17/02/2017

Acidentes em Minas Gerais

Fonte: DNIT, 2012. Disponível em: http://www.dnit.gov.br/rodovias/operacoes-


rodoviarias/estatisticas-de-acidentes/quadro-0107-numero-de-acidentes-por-uso-do-solo-
e-tipo-de-localidade-ano-de-2011.pdf_. Acesso em: 4 agos.2012.

Fonte: http://professormarcianodantas.blogspot.com.br/2011_10_01_archive.html

13
17/02/2017

Fonte: http://www.geologiadobrasil.com.br/barreiras_al.htm

Fonte: http://www.cprm.gov.br/gestao/ppga_valedoribeira/Registros%20fotogr%E1ficos/setebarras.htm

Observação

O conteúdo apresentado serve


apenar como orientação de
estudos.

14