Você está na página 1de 5

6ª.

Lista de Exercícios de Física IV – Física Quântica I

1. O feixe produzido pelo argônio (λ = 515 nm) possui 1,5 W de potência. O feixe é
focalizado por um sistema de lentes a uma determinada distância em uma tela totalmente
absorvente onde forma uma figura de difração circular, cujo disco central concentra 84%
da energia incidente. Quantos fótons são absorvidos por segundo pela tela no disco
central da figura?

R′ = αR =αPλ/hc = (0.84) (1.5W) (515 × 10 m)/ (6.63 × 10 J·s) (2.998 × 108m/s)


−9 − 34

= 3.3 × 1018 fotons/s

R = Razão de fótons absorvidos R=P/hf


P= Potência

2. Em condições ideais, o sistema de visão humano é capaz de perceber uma luz com um
comprimento de onda de 550 nm se os fótons forem absorvidos pela retina a razão de
pelo menos 100 fótons por segundo. Qual é a potência luminosa obsorvida pela retina
nestas condições?

P = Rhc/λ = (100/s) (6.63 × 10− 34 J·s) (2.998 × 108m/s ) / 550 × 10− 9m = 3.6 × 10− 17 W
R = Razão de fótons absorvidos R=P/hf
P= Potência

3. O comprimento de onda correspondente à frequência de corte da prata é 325 nm.


Determine a energia cinética máxima dos elétrons ejetados de uma placa de prata
iluminada por luz ultravioleta com um comprimento de onda de 254 nm.

ϕ = hfcorte = hc/λcorte
hc = 1240 eV·nm (quantidade útil)
Kmax = Efoton – ϕ = hc/λ − hc/λcorte = (1240 eV·nm / 254 nm) – (1240 eV·nm/ 325 nm ) =
1.07 eV

4. Em um experimento do efeito fotoelétrico usando uma placa de sódio, é encontrado um


potencial de corte de 1,85 V para um comprimento de onda de 300 nm e um potencial de
corte de 0,82 V para um comprimento de onda de 400 nm. A partir desses dados,
determine (a) o valor da constante de Plank (compare com o valor que estamos usando)
(b) a função trabalho do sódio, e (c) o comprimento de onda de corte do sódio (ou seja, o
valor máximo de λ para que o efeito fotoelétrico exista).
eV01 + ϕ = hc/λ1 e eV02 + ϕ = hc/λ2

(a)
h = e (V1 − V2) / c(λ− 11 − λ− 12 )

= (1.85 eV − 0.820 eV)/ (3.00 × 1017 nm/s)[(300 nm)− 1 − (400 nm)− 1] = 4.12 × 10− 15 eV·s .

(b) eV01 + ϕ = hc/λ1 ; ϕ = hc/λ1 - eV01 = (1240/300 – 1,85)eV = 2,28 eV


(c)
λcorte = hc/ ϕ; λcorte = (1240/2,28 ) nm = 545nm

5. O potencial de corte para elétrons emitidos de uma superfície iluminada por uma luz de
comprimento de onda 491 nm é 0,710 V. Quando o comprimento de onda da luz
incidente é mudado para um novo valor, o potencial de corte muda para 1,43 V. (a) Qual
é o valor do comprimento de onda? (b) Qual a função trabalho da superfície?

(a) hc/λ1 = ϕ + eV01 e hc/λ2 = ϕ + eV02


λ2 = hcλ1 /[hc + λ1 (eV02 - eV02)] = (1240 eV·nm)(491 nm)/1240
eV·nm+ (491 nm)(1.43 eV − 0.710 eV) = 382 nm
(b) hc/λ1 = ϕ + eV01 ; ϕ = 1240/491 - 0,71 = 1,82 eV

6. Qual é o máximo deslocamento do comprimento de onda (∆λ) possível para um fóton e


um próton livre?

∆λmax = (hc/mpc2) (1 − cos 180◦) = (1240MeV·fm/938MeV)(1 − (− 1)) = 2.6 fm

7. Que aumento percentual do comprimento de onda leva a uma perda de 75% da energia do
fóton em uma colisão entre um fóton e um elétron livre?

hf2 = 0,25 hf1 ; hc/λ2 = 0,25 hc/λ1 ; λ2 = 4 λ1 Resposta: 300%


8. Considere uma colisão entre um fóton de raios X de energia inicial 50 keV e um elétron
em repouso na qual o fóton é espalhado para trás e o elétron é espalhado para frente. (a)
Qual é a energia do fóton espalhado? (b) Qual é a energia cinética do elétron espalhado?

(a) ∆λ = (2hc/mc2); 1/Ef – 1/Ei = 2 / mc2

Ef = Ei/(1 + 2 Ei/ mc2) = (50.0 keV)/[1 + 2(50.0 keV)/(511keV)]


= 41.8 keV

(b) Por conservação de energia Ee = 50 - 41,8 = 8,2 kev

9. Mostre que se um fóton de energia E for espalhado por um elétron livre em repouso, a
energia cinética máxima do elétron espalhado será

𝐸2
𝐾𝑚á𝑥 =
𝐸 + 𝑚𝑐 2 /2

1/Ef – 1/E = 2 / mc2


1/(E-Kmax) – 1/E = 2 / mc2

10. A função ψ(x) = A 𝑒 𝑖𝑘𝑥 , que usamos como solução da equação de Schrödinger para a
partícula livre, foi obtida quando usamos potencial nulo (U(x) = 0) diretamente na
equação. Suponha agora que U(x) = Uo , onde Uo é uma constante. Mostre que ψ(x) = A
𝑒 𝑖𝑘𝑥 continua a ser uma solução da equação de Schrödinger, mas o valor do número de
onda angular k da partícula passa a ser dado por

2𝜋
𝑘= √2𝑚 (𝐸 − 𝑈𝑜)

ħ2 ′′ 2m
− 𝜓 + 𝑈𝑜 𝜓 = 𝐸 𝜓 → 𝜓′′ + (𝐸 − 𝑈𝑜) 𝜓 = 0
2𝑚 ħ2

𝜓′′ + 𝑘 2 𝜓 = 0 → ψ(x) = A 𝑒 𝑖𝑘𝑥


11. Suponha que na solução da equação de Schrödinger para a partícula livre:
𝛹 = 𝐴𝑒 𝑖(𝑘𝑥−𝜔𝑡) + 𝐵𝑒 −𝑖(𝑘𝑥+𝜔𝑡) , A = B = ψo. Nesse caso, a solução representa a soma
de duas ondas de mesma amplitude propagando-se em sentidos opostos. Mostre que, para
esses valores de A e B, a densidade de probabilidade é dada pela seguinte expressão:
2 ψo (1 + cos 2kx).
|𝛹|2 = 𝜓𝑜2 (𝑒 𝑖(𝑘𝑥−𝜔𝑡) + 𝑒 −𝑖(𝑘𝑥+𝜔𝑡) ) (𝑒 −𝑖(𝑘𝑥−𝜔𝑡) + 𝑒 +𝑖(𝑘𝑥−𝜔𝑡) )
= 𝜓𝑜2 (2 + 𝑒 𝑖2𝑘𝑥 + 𝑒 −𝑖2𝑘𝑥 ) = 2 𝜓𝑜2 (1 + cos 2kx)

12. Um elétron está se movendo ao longo do eixo x com uma velocidade de 2 106 m/s
medida com uma precisão de 0,5%. Qual é a menor indeterminação que pode existir na
medida da sua posição em relação ao eixo x?

∆𝑥 ∆𝑝 ≥ ħ ; m ∆𝑥 ∆𝑣 = ħ → ∆𝑥 = ħ /(m ∆𝑣) =

h 4,14 10−15 eV . s 9 1016 m2 /s 2


∆𝑥 = = = 11,6 nm
2 π m ∆𝑣 2 3,14 0,511 106 eV 5 10−3 2 106 m/s

13. Considere um caso no qual a posição de uma partícula é medida com uma indeterminação
da ordem de λ/2𝜋, onde λ é o comprimento de onda de de Broglie da partícula. Mostre
que, nesse caso, a indeterminação do momento p é igual ao próprio momento, isto é, que
∆p = p. Nessa situação, quais dos valores abaixo não são possíveis de serem encontrados
para a partícula? (a) zero; (b) 0,5p; (c) 2p; (d) 10p.

𝝀 𝐡
∆𝒙 ∆𝒑 ≥ ħ ; ( ) ∆𝒑 ≥ ħ → ∆𝒑 ≥ =𝐩
𝟐𝝅 𝝀
Se a indeterminação é p, a partícula estará entre zero e 2p. Assim, o único valor que
não poderá ser encontrado para a partícula é 10p, letra (d).

14. Se o comprimento de onda de de Broglie de um próton é 100 fm (1 f m = 10-15m) , (a)


qual deve ser a sua velocidade? (b) A que diferença de potencial deve ser submetido o
próton para chegar a essa velocidade?

(a)

𝒎𝟐
𝐡 𝐡 𝟒, 𝟏𝟒 𝟏𝟎−𝟏𝟓 𝒆𝑽 𝒔 𝟗 𝟏𝟎𝟏𝟔 𝟐
𝝀= = = 𝒔 = 𝟑, 𝟗𝟕 𝟏𝟎𝟔 𝒎/𝒔
𝒑 𝒎𝒗 𝟔
𝟗𝟑𝟖 𝟏𝟎 𝒆𝑽 𝟏𝟎𝟎 𝟏𝟎 −𝟏𝟓 𝒎
(c)
𝟏
𝑬𝒌 = 𝟐 𝒎 𝒗𝟐 = 𝟖𝟐, 𝟏𝟑 𝑲𝒆𝑽 ;
Logo, preciso de um potencial de 82,13 kV