Você está na página 1de 3

Comissão Permanente de Sindicância e Inquérito

Administrativo

TERMO DE OITIVA DE TESTEMUNHA

Aos 26 dias do mês de abril do ano de 2018, às 9:30 da manhã na Comissão de


Sindicância e Inquérito Administrativo, situada na Avenida João Naves de Ávila, nº
2121, bairro Santa Mônica, na cidade de Uberlândia-MG, presentes os Srs. Marco
Antonio Nahum Machado, Pedro Ferreira e Dilmar Philippe dos Santos Crovato,
respectivamente Presidente e membros da comissão de Processo Administrativo
Disciplinar nº 99999.000000/2018 instaurado pela Portaria nº 14, de 13 de abril de
2018, do Exmo. Sr.(a) Fernando Alcântara, Isadora Araújo, e Isadora Machado,
publicada no Boletim de Serviço nº 069, de 17, de abril de 2018, compareceu para
prestar depoimento, na qualidade de testemunha, a Sra. Lorena de Oliveira Severino,
professora universitária, matrícula funcional nº 11421PROF005, lotada na Faculdade de
Direito, natural de Santo Antônio do Monte-MG, casada, Carteira de Identidade nº
15.862.814 SSP/MG, CPF nº 128.478.126-79, residente e domiciliada na Rua
Tamandaré, 70, Bairro Boa Esperança, CEP 38.400-417, Uberlândia – MG., sobre os
fatos referidos no processo administrativo acima mencionado. Presentes à audiência os
acusados Sr. André Cunha Reis, Sra. Isabella Bento Esteves Pires e Sra. Anna Gabriela
Silva Souza, acompanhados por seus advogados Caroline Oliveira Morgado, OAB/MG
nº 123.456, Camila Oliveira Giacometo, OAB/MG nº789.012 e João Pedro Omena,
OAB/MG 171.180, procuração constante à fl.____ dos autos, foram advertidos de que
lhes é vedado interferir nas perguntas feitas pelos membros da Comissão, após
promovida a inquirição por parte dos membros, com base no disposto no artigo 159,
§2º, da Lei nº 8112 de 1990. O Presidente perguntou à testemunha se, em relação ao
acusado, é amigo íntimo ou inimigo notório, se é parente até o terceiro grau, se atua ou
atuou como procurador ou perito nos presentes autos, se tem interesse direto ou indireto
na matéria objeto do processo, ou se há alguma circunstância que possa comprometer
seu depoimento, tendo respondido que não. Passando o compromisso legal, foi
advertida que, se faltar com a verdade, incorrerá no crime de falso testemunho, nos
termos do artigo 342 do Código Penal. Passando a inquirição, as perguntas feitas
pelo Presidente foram: Você estava presente na sala do ocorrido no momento em que se
passava o fato investigado por essa Comissão? A testemunha assim respondeu: que não
Comissão Permanente de Sindicância e Inquérito
Administrativo

estava presente na sala em que os professores ofenderam a Sra. Maria Aparecida, mas
que, logo após o ocorrido encontrou o docente André nas dependências da Universidade
e que este lhe relatou que havia ocorrido um desentendimento entre os professores e a
Sra. Maria Aparecida, mas não entrou em muitos detalhes, não mencionando nada que
pudesse lhe dar a ideia de que estes a tivessem ofendido de forma grave. As perguntas
feitas pelos membros da Comissão foram: Os docentes possuem histórico de problemas
com professores e funcionários da Universidade? E quanto a Sra. Maria Aparecida, esta
possui histórico de problemas com funcionários ou alunos da Universidade? A
testemunha assim respondeu: que nunca possuiu problemas com nenhum dos acusados e
nem com a Sra. Maria Aparecida. Disse que todos desempenham suas funções de forma
integra e que nunca ficou sabendo de qualquer queixa com relação aos papeis
desenvolvidos pelos envolvidos no caso. As perguntas feitas pelos advogados dos
acusados, por intermédio do Presidente foram: A Sra., ao encontrar o Sr. André
percebeu qualquer exaltação de ânimo por parte do mesmo? Consegue relatar qual dos
acusados proferiu as palavras: “Conheça-te a ti mesmo, e recolha em tua
insignificância”? A testemunha assim respondeu: que ao encontrar o Sr. André não
percebeu qualquer exaltação exacerbada em seu humor, apenas que este estava
descontente com relação à discussão que havia ocorrido. A testemunha disse que era
impossível responder qual docente proferiu as palavras, pois não estava no mesmo
ambiente em que ocorreu a discussão e que só ficou sabendo das referidas palavras no
momento da oitiva. Dada a palavra à testemunha para acrescentar mais alguma
informação ao presente depoimento, disse que não tem nada a acrescentar. A seguir,
feita a leitura do presente termo para que a testemunha, se desejasse, indicasse as
retificações que entendesse necessárias, disse não ter retificações a fazer. Determinado o
encerramento do presente termo que, lido e achado conforme, foi rubricado por todos os
presentes.

Marco Antonio Nahum Pedro Ferreira Dilmar Philippe dos Santos


Machado Crovato
Membro da Comissão PAD
Presidente da Comissão PAD Membro da Comissão PAD
Comissão:
Comissão Permanente de Sindicância e Inquérito
Administrativo

Karime Soares Buissa


Testemunha:
Secretária

Lorena de Oliveira Severino

Caroline Oliveira Morgado Camila Oliveira Giacometo João Pedro Omena


OAB/MG 123.456 OAB/MG 789.012 OAB/MG 171.180

André Cunha Reis Isabella Bento Esteves Pires Anna Gabriela Silva Souza