Você está na página 1de 22

Economia e Administração

INFLAÇÃO
INFLAÇÃO

Inflação – aumento generalizado e contínuo no


nível geral de preços.

Deflação – o conceito inverso ao de inflação.


INFLAÇÃO

Quando ocorre um aumento dos preços temos a


INFLAÇÃO.

Se a taxa de inflação mantém constante nos meses


seguintes, a inflação está estabilizada em 10%, isso
significa que os preços continuam a subir em média
10% por mês.
INFLAÇÃO

Aceleração inflacionária – quando a inflação passa


de 10% para 15% no mês seguinte, 20% no
subsequente, existe uma aceleração inflacionária.

Os preços estão subindo e subindo cada vez mais


– a inflação é cada vez mais alta.
INFLAÇÃO

Inflação Moderada - quando os aumentos de preços


são pequenos.

Hiperinflação - é uma situação em que a inflação é tão


alta que a perda do poder aquisitivo da moeda faz
com que as pessoas abandonem aquela moeda.
Tipos de INFLAÇÃO

INFLAÇÃO DE DEMANDA;

INFLAÇÃO DE CUSTOS.
INFLAÇÃO DE DEMANDA

Deve-se à existência de excesso de demanda em

relação à produção disponível.

Quando ocorre aumento da DEMANDA não

ocorre um aumento na quantidade da OFERTA.


INFLAÇÃO DE DEMANDA

FATORES DETERMINANTES

Quanto maior for o grau de utilização da


capacidade produtiva da economia – “Pleno
emprego”;
Expansão monetária decorrente de déficit público.
INFLAÇÃO DE DEMANDA

Os economistas da Corrente Monetarista –

enfatizam a política monetária;

MAIOR CONTROLE DO MEIO CIRCULANTE.


INFLAÇÃO DE DEMANDA

Os economistas da Corrente Fiscalista priorizam


políticas fiscais e de rendas.
UTILIZAM CONGELAMENTO DE PREÇOS
E SALÁRIOS.
INFLAÇÃO DE CUSTOS

Inflação de Custos – pode ser considerada uma

inflação de OFERTA, que decorre do aumento de

custos das empresas repassados para preços.


INFLAÇÃO DE CUSTOS

FATORES DETERMINANTES
• Aumento no preço das matérias primas e de insumos
básicos decorrentes de quebra de safra agrícola;
• Aumentos salariais, sem estarem ancorados em
aumentos de produtividade do trabalhador;
• Elevação nas taxas de juros, etc.
CONSEQUÊNCIAS DA INFLAÇÃO

• Provoca distorções na alocação de recursos da economia.


Perde-se a noção de preços relativos, não se sabe se as
coisas estão caras ou baratas;
• Efeito negativo sobre o incentivo a investir, uma vez que
os agentes terão dificuldades para prever o retorno dos
investimentos. Dada a instabilidade dos preços futuros.
CONSEQUÊNCIAS DA INFLAÇÃO

• Efeitos negativos sobre o Balanço de Pagamento por


obscurecer o valor da moeda nacional e da taxa de
câmbio;
• Piora na distribuição de Renda;
• A inflação tende a corroer o valor da arrecadação fiscal
do Governo (fato gerador/recolhimento), deteriorando
as finanças públicas.
CONSEQUÊNCIAS DA INFLAÇÃO

• Aumento dos custos em que as pessoas e

empresas incorrem para saber o preço relativo

dos bens e serviços;

• Gasta-se muito tempo pesquisando preços.


CONSEQUÊNCIAS DA INFLAÇÃO

• Elaboração de contratos fica bem mais

complicado;

• Maior estrutura para “remarcar” seus preços e

comparar os de fornecedores e concorrentes.


CONSEQUÊNCIAS DA INFLAÇÃO

Fonte: O GLOBO. Disponível em http://acervo.oglobo.globo.com/incoming/8999170-7bb-


238/materia/2009-291409602-2009081418219.jpg_20090814.jpg. Acesso em 08/2017
MEDIDAS DE INFLAÇÃO NO BRASIL

Índice de Preços – aparece quando se precisa saber a

variação conjunta de bens que são fisicamente

diferentes, e ou que variam a taxas diferentes.


MEDIDAS DE INFLAÇÃO NO BRASIL

Índice Geral de Preços - IGP (FGV)

ÍNDICE / PERÍODO LOCAL PESQ. SALÁRIO MÍNIMO UTILIZAÇÃO


ENTIDADE COLETA

IGP/FGV Mês completo RJ,SP e 10 1 a 33 Preços


atacado e INCC

IGP-M/FGV Dias 21 a 20 RJ,SP e 10 1 a 33 Cada 10 dias


Preços atacado e INCC

IGP-10/FGV Dias 11 a 10 RJ,SP e 10 1 a 33 Tendência


Preços e INCC
MEDIDAS DE INFLAÇÃO NO BRASIL

TIPOS DE ÍNDICES DE PREÇOS


INPC - Índice de Preços ao Consumidor – IBGE

ÍNDICE PERÍODO LOCAL SALÁRIO UTILIZAÇÃO


ENTIDADE
INPC/IBGE Mês 11 regiões 1 a 8 sm Genérico
completo
MEDIDAS DE INFLAÇÃO NO BRASIL

TIPOS DE ÍNDICES DE PREÇOS


IPC - Índice de Preços ao Consumidor – FIPE

ÍNDICE PERÍODO LOCAL SALÁRIO UTILIZAÇÃO


ENTIDADE

IPC/FIPE Mês SP 1 a 20 s.m.


completo
EVOLUÇÃO DA MOEDA
DATA MOEDA SIMBOLO PARIDADE
1500 a 10/10/1942 Real (réis) Rs
01/11/42 a 12/02/67 Cruzeiro Cr$ 1000$000=Cr$1,00
13/12/67 a 14/05/70 Cruzeiro Novo CNCr$ Cr$ 1.000,00=NCr1,00

15/05/70 a27/02/86 Cruzeiro Cr$ NCr$ 1,00 = Cr$ 1,00

28/02/86 a 15/01/89 Cruzado Cz$ Cr$1.000.00 = Cz$1,00

16/01/89 a 15/03/90 Cruzado Novo NCz$ Cz$1.000,00=NCz$1,00

16/03/90 a 31/07/93 Cruzeiro Cr$ NCz$ 1,00 = Cr$ 1,00

01/08/93 a 30/06/94 Cruzeiro Real CR$ Cr$1.000,00=CR$ 1,00

01/07/94 /dias atuais Real R$ CR$ 2.750,00 = R$ 1,00