Você está na página 1de 17

Jornada Internacional Online: Educação, Tecnologias e Inovação

Jornada Internacional Online: Educación, Tecnologías e Innovación

As áreas vocacionais no currículo de turmas de


Percursos Curriculares Alternativos – um estudo de caso

Maria da Glória Santos


Universidade Aberta

5 a 10 de maio de 2014
https://sites.google.com/site/grupouabpeti/home/jio
Índice

Objeto de estudo
Questões de investigação
Objetivos
Enquadramento teórico
Metodologia de investigação
Estudo empírico – Caracterização dos participantes
Estudo empírico - análise de dados
Considerações finais
Objeto de estudo

Esta investigação, realizada ao longo


do ano letivo de 2010/2011, centrou-
se no plano de estudos de duas turmas
de 3.º Ciclo de Percursos Curriculares
Alternativos e teve como foco
determinante as áreas vocacionais que
fazem parte desse currículo.
Questões de investigação

Como se apresentam as áreas vocacionais


neste contexto institucional educativo?

As áreas vocacionais influenciam o interesse


dos alunos pela frequência escolar?
Objetivos

Evidenciar o significado de “percurso curricular alternativo”

Identificar a(s) problemática(s) que se encontra(m) subjacente(s)


à criação de turmas de Percurso Curricular Alternativo

Caracterizar o perfil dos alunos em estudo

Enquadrar as áreas vocacionais no currículo das turmas de


Percursos Curriculares Alternativos

Conhecer a opinião dos intervenientes diretos neste processo –


alunos e docentes – sobre a introdução das áreas vocacionais no
currículo destas turmas

Analisar de que forma as áreas vocacionais são (ou não)


relevantes no desempenho escolar e nas atitudes destes alunos
Enquadramento teórico

Sendo considerado um conceito polissémico, o


currículo constitui-se num fundamento do
sistema educativo, é um caracterizador da
tipologia de escola e, muitas vezes, atribui-se-lhe
a responsabilidade pelo modelo pedagógico
seguido.
Com base nestes pressupostos, assumimos o
currículo na dimensão de plano, regulador e
legitimador da prática educativa, a que se associa
a dimensão de projeto, desenvolvido a partir do
conjunto de experiências que a escola oferece,
num processo contínuo de construção e
reconstrução da práxis pedagógica.
Enquadramento teórico

A diferenciação curricular é um princípio


orientador que decorre do vetor
‘homogeneidade’ e que expressa a necessidade
de resposta adequada a um universo escolar cada
vez mais heterogéneo, na fidelidade ao direito à
igualdade de oportunidades.
Nesta base, a diferenciação curricular reflete a
capacidade em captar e incorporar as
experiências de todos os alunos como um
potencial a integrar e mobilizar em formatos
concorrentes dentro do currículo formal.
Enquadramento teórico

Os Percursos Curriculares Alternativos


consubstanciam-se em turmas com currículos
alternativos aos do ensino básico regular, tendo
como referência os planos curriculares do ensino
regular, mas introduzindo novas áreas
disciplinares, nomeadamente através de uma
formação artística, vocacional, ou pré-
profissional.
Estes percursos curriculares alternativos implicam
o desenvolvimento de atividades práticas e a
implementação de estratégias de diferenciação
pedagógica, assumindo o princípio básico da
igualdade de oportunidades.
Enquadramento teórico

As áreas vocacionais, através de aprendizagens


práticas e dado o seu carácter transdisciplinar,
permitem despertar o interesse e a criatividade
dos alunos, possibilitando a implementação de
metodologias diversificadas e constituindo-se
como uma ponte para uma futura vivência
profissional, facilitando a sua integração na vida
ativa.
Metodologia de investigação

A opção por uma investigação qualitativa implicou uma


abordagem interpretativa e naturalista em relação ao assunto da
investigação, tentando dar sentido e interpretando o fenómeno
em estudo.

O design de
investigação recaiu
sobre

Procurámos descobrir as particularidades de um


contexto – as áreas vocacionais – tornámo-las no
Estudo
objeto de estudo que tentámos conhecer em
de profundidade, no seu ambiente natural – a sala de
caso aula, compreendendo e descrevendo o caso – como se
apresentam essas áreas vocacionais.
Metodologia de investigação

Entrevistas 22 alunos
semiestruturadas
realizadas a partir de
um guião 5 professores

Documentos orientadores da
Técnicas de escola
Pesquisa
recolha de
documental
dados Registos biográficos dos alunos

Observação
participante
Sete áreas vocacionais - 54
estruturada, através horas
de uma grelha, e não-
estruturada
Estudo empírico – Caracterização dos
participantes

Idade – entre os 40 e os 56 anos


Género feminino – 3
Género masculino - 2

Professores Habilitações académicas – 4


com licenciatura; 1 com mestrado.
Tempo de serviço – entre 17 e
Participantes 36 anos.

Idades – entre os 13 e os 16 anos.


Alunos Género feminino – 6
Género masculino - 16
Estudo empírico – análise de dados

A escola é encarada de uma forma


muito positiva;
 Ligação afetiva aos professores;
 Aceitação do plano de estudos;
 Reconhecimento da importância da
frequência de uma turma de Percursos
Curriculares Alternativos;
Entrevistas Alunos
 Compreensão das suas dificuldades e
das vantagens que a frequência desta
turma lhes trouxe;
 Opinião muito positiva das áreas
vocacionais frequentadas e da
importância destas áreas para o seu
futuro.
Estudo empírico – análise de dados

 O espaço físico da escola é encarado


de uma forma negativa e impeditivo do
desenvolvimento de atividades;
 Os níveis de motivação e satisfação
são elevados;
 Necessidade de mais autonomia da
escola e dos professores na elaboração
Entrevistas Professores de projetos curriculares;
 Opinião positiva sobre as áreas
vocacionais e o trabalho realizado pelos
alunos;
 Reconhecimento da importância das
turmas de percursos curriculares
alternativos para o sucesso educativo
destes alunos.
Estudo empírico – análise de dados

Predominam os conteúdos experimentais,


dado o carácter mais prático das áreas
Conteúdos vocacionais.

O carácter experimental destas áreas leva a


que os materiais impressos ou digitalizados
não se encontrem presentes em nenhuma
Materiais delas.

Observação O trabalho é realizado maioritariamente de


Atividades forma individual;
estruturada
Trabalho em tutoria é frequente;
Orientação do aluno na autoaprendizagem.

Tarefas
Predominam as tarefas orais.

Professores capazes de criar relações


Estilo do
empáticas com os alunos, levando a que se
professor crie um ambiente de sala de aula menos
formal.
Considerações finais

As áreas vocacionais, para estes alunos e docentes, constituem-se


como uma mais-valia na integração de alunos com dificuldades em
terminarem a escolaridade obrigatória.

A inclusão das áreas vocacionais no plano de estudos destas turmas


abre possibilidades de novas aprendizagens aos alunos, tornando-se,
por isso, uma forma de aprendizagem ativa e motivadora.

As turmas de Percursos Curriculares Alternativos são encaradas como


uma forma de facilitar a transição dos alunos para turmas com
currículo regular.

A autonomia das escolas e dos professores surge como uma condição


fundamental na elaboração de ofertas curriculares diversificadas.
Jornada Internacional Online: Educação, Tecnologias e Inovação
Jornada Internacional Online: Educación, Tecnologías e Innovación

Muito obrigada,
pela vossa atenção!

Maria da Glória Santos


mariagloriasls@gmail.com
Universidade Aberta