Você está na página 1de 4

PRÁTICA SIMULADA IV (CÍVEL) - CCJ0150

Título
SEMANA 8

X Exame da OAB D. Civil adaptado


Descrição
José Afonso, engenheiro, solteiro, adquiriu de Lúcia Maria, enfermeira,
solteira, residente na Avenida dos Bandeirantes, 555, São Paulo/SP, pelo valor de R$
300.000,00 (trezentos mil reais), uma casa para sua moradia, situada na cidade de
Mucurici/ES, Rua Central, nº 123, bairro Funcionários. O instrumento particular de
compromisso de compra e venda, sem cláusula de arrependimento, foi assinado pelas partes
em 10/01/2015. O valor ajustado foi quitado por meio de depósito bancário em uma única
parcela. Sete meses após a aquisição do imóvel onde passou a residir, ao fazer o
levantamento de certidões necessárias à lavratura de escritura pública de compra e venda e
respectivo registro, José Afonso toma ciência da existência de penhora sobre o imóvel,
determinada pelo Juízo da 4ª Vara Cível de Itaperuna / RJ, nos autos da execução de título
extrajudicial nº 6002/2015, ajuizada por Carlos Batista, contador, solteiro, residente à Rua
Rio Branco, 600, Itaperuna/RJ, em face de Lúcia Maria, visando receber valor representado
por cheque emitido e vencido três meses após a venda do imóvel. A determinação de
penhora do imóvel ocorreu em razão de expresso requerimento formulado na inicial da
execução por Carlos Batista, tendo o credor desprezado a existência de outros imóveis
livres e desimpedidos de titularidade de Lúcia Maria, cidadã de posses na cidade onde
reside. Elabore a peça processual prevista pela legislação processual, apta a afastar a
constrição judicial invasiva sobre o imóvel adquirido por José Afonso.
EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA 4ª
VARA CÍVEL DA COMARCA ITAPERUNA/RJ

Embargos de Terceiro por dependência ao processo n° 6002/2015

JOSÉ AFONSO, brasileiro, solteiro, engenheiro civil, portador da carteira de


identidade n.... e inscrito no CPF n...., endereço eletrônico ..., residente e domiciliado na
Rua Central, n° 123, no bairro Funcionários, CEP ..., Mucurici/ES, vem por seu advogado
(doc. 01) que está subscreve, com endereço profissional na ..., n° ..., bairro ..., CEP ...,
cidade ..., Estado ..., que indica para os fins do artigo 106, inciso I do CPC, com
fundamento no artigo 674 e seguintes do CPC, opor:

EMBARGOS DE TERCEIROS

pelo rito especial, em face do CARLOS BATISTA, brasileiro, solteiro, contador,


portadora do RG n°.... e inscrita no CPF n°...., endereço eletrônico ..., residente e
domiciliado na Rua Rio Branco, n° 600, bairro ..., CEP ..., Itaperuna/RJ, pelos fatos e
fundamentos a seguir:

I – DOS FATOS
O embargante adquiriu de Lúcia Maria, pelo valor de R$300.000,00 (trezentos
mil reais), uma casa para sua moradia, situada na cidade de Mucurici/ES, Rua Central, nº
123, bairro Funcionários. O instrumento particular de compromisso de compra e venda,
sem cláusula de arrependimento, foi assinado pelas partes em 10 de janeiro de 2015. O
valor ajustado foi quitado pelo embargante por depósito bancário em uma única parcela.
Sete meses após a aquisição do imóvel onde passou a residir, ao fazer o
levantamento de certidões necessárias à lavratura de escritura pública de compra e venda
e respectivo registro, o embargante tomou ciência da existência de penhora sobre o seu
bem, determinada por este juízo, ajuizada pelo embargado em face de Lúcia Maria, visando
receber valor representado por cheque emitido e vencido três meses após a venda do
imóvel.
A determinação de penhora do imóvel ocorreu em razão de expresso
requerimento formulado na inicial da execução pelo embargado, tendo o credor desprezado
a existência de outros imóveis livres e desimpedidos de titularidade de Lúcia Maria, cidadã
de posses na cidade onde reside.

II – DOS FUNDAMENTOS
Conforme a redação do artigo 674, do CPC, aquele que não é parte no processo,
mas sofrer constrição sobre seus bens poderá requerer seu desfazimento por meio de
Embargos de Terceiro. No caso em tela, o embargante adquiriu o bem imóvel que foi
penhorado pelo embargado para pagamento de uma dívida que não deu causa.
Art. 674. Quem, não sendo parte no processo, sofrer constrição
ou ameaça de constrição sobre bens que possua ou sobre os quais
tenha direito incompatível com o ato constritivo, poderá requerer
seu desfazimento ou sua inibição por meio de embargos de
terceiro.
(...)
O STJ, através da Súmula 84, dispõe que “é admissível a oposição de Embargos
de Terceiro fundada em alegação de posse advinda do compromisso de compra e venda de
imóvel, ainda que desprovido de registro.”

III – DOS PEDIDOS


Diante do exposto, requer:
1) Que seja suspendida a penhora que incide sobre o bem imóvel do
embargante.
2) Citação do embargado para contestar os embargos no prazo de 15 (quinze)
dias.
3) Julgar procedente o pedido para cancelar a penhora que incide sobre o
imóvel do embargante, reconhecendo o domínio definitivo do mesmo sobre o bem.
4) Condenação do embargado aos ônus da sucumbência.

IV – DAS PROVAS
Requer a produção de provas, especialmente documental.

V – DO VALOR DA CAUSA
Dá-se à causa o valor de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais)

Espera deferimento.
Itaperuna/RJ, data....

Advogado OAB/UF n....