Você está na página 1de 5

Questionário (25 Questões)

1) De acordo com o RBAC 21. Qual o significado de “produto”?


Para os propósitos deste regulamento a palavra "produto" significa uma
aeronave, um motor ou uma hélice. Adicionalmente, para os propósitos somente da
Subparte L do RBAC 21, ela inclui componentes e partes de aeronaves, motores e
hélices; também peças, materiais e aparelhos aprovados segundo uma Ordem Técnica
Padrão.

2) Qual é a duração de um certificado de tipo?


A menos que a ANAC tenha estabelecido um prazo de validade, um
certificado de tipo ou uma isenção ao mesmo tem validade até ser suspenso ou
cassado pela ANAC, ou devolvido por seu detentor.

3) Quais as condições para requerimento de um certificado de tipo


provisório?
Os requerimentos para obtenção de certificados de tipo provisórios, de
emendas a tais certificados e de emendas provisórias a um certificado de tipo devem
conter todas as informações requeridas por este regulamento e devem ser submetidos
à ANAC.

4) Quais são as prerrogativas permitidas para o detentor de um certificado


de homologação suplementar de tipo?
No caso de uma aeronave, obter certificado de aeronavegabilidade para a
mesma; no caso de outros produtos, obter aprovação para instalação em aeronaves
certificadas; e obter um certificado de organização de produção para as modificações
no projeto de tipo que foram aprovadas no seu certificado suplementar de tipo.

5) Como requerer a um certificado de organização de produção?


Um requerente faz jus a um certificado de organização de produção se a
ANAC após examinar os dados básicos e, após inspecionar a organização e as
instalações de produção, considerar que o requerente atende aos requisitos dos RBAC
21.139 (demonstrar que estabeleceu e pode manter um sistema de controle da
qualidade para qualquer produto fabricado) e 21.143 (requisitos para o controle da
qualidade).
6) Qualquer proprietário de uma aeronave registrada no RAB pode requerer
um certificado de aeronavegabilidade?
Sim, qualquer proprietário de uma aeronave registrada no Registro
Aeronáutico Brasileiro pode requerer um certificado de aeronavegabilidade para essa
aeronave. O requerimento para obtenção de um certificado de aeronavegabilidade
deve ser feito conforme estabelecido pela ANAC.

7) Qual o objetivo de uma Diretriz de Aeronavegabilidade?


Diretriz de Aeronavegabilidade é o documento emitido ou adotado pela
ANAC que contém ações de segurança operacional a serem executadas em um
produto aeronáutico com o objetivo de restaurar o nível aceitável de segurança
operacional, quando evidências demonstram que este nível aceitável possa estar
comprometido.

8) Quais são as ações exigidas por uma Diretriz de Aeronavegabilidade?


Diretrizes de Aeronavegabilidade especificam inspeções e/ou modificações
que devem ser feitas, condições e/ou limitações que devem ser observadas e
quaisquer outras ações necessárias para resolver uma condição insegura.

9) Onde se localizam as marcas de nacionalidade e matrícula em aeronaves


de asa fixa?
Exceto como previsto no parágrafo 45.29 (tamanho das letras das marcas) do
RBAC 45, o operador de uma aeronave de asa fixa deve expor as marcas de
nacionalidade e de matrícula requeridas nas asas e nas laterais da fuselagem ou da
empenagem vertical.

10) Quais são as marcas de nacionalidade brasileira?


As marcas de nacionalidade são constituídas pelos grupos de letras
maiúsculas PP, PR, PS, PT ou PU.

11) Onde deve ser colocada as marcas de nacionalidade e de matrícula em


Dirigíveis?
Cada operador de um dirigível deve colocar as marcas de nacionalidade e de
matrícula, requeridas pelo RBAC 45, no bojo ou nas superfícies estabilizadoras.
12) Quando uma aeronave registrada no Brasil for vendida, o detentor do
certificado de matrícula da mesma deve remover todas as marcas brasileiras
da aeronave?
Sim, a menos que a aeronave vá continuar baseada no Brasil e o novo
proprietário seja um cidadão brasileiro, um estrangeiro com situação legalizada no
Brasil ou uma pessoa jurídica brasileira sob a égide das leis brasileiras.

13) Do que se trata o RBAC 61?


Ele estabelece as normas e procedimentos relativos à concessão de licenças,
habilitações e certificados para pilotos; os requisitos e padrões mínimos que devem
ser cumpridos para a concessão e revalidação desses documentos e as prerrogativas e
limitações relativas a cada licença, habilitação ou certificado.

14) Qual a validade do CMA (Certificado Médico Aeronáutico) para piloto


de linha aérea?
Validade de 12 (doze) meses nos exames de saúde periciais realizados ou 6
(seis) meses nas seguintes condições: (I) após o aniversário de 40 (quarenta) anos do
piloto que opere no transporte comercial de passageiros com aeronaves operadas com
apenas 1 (um) piloto; e (II) após o aniversário de 60 (sessenta) anos do piloto que
opere em transporte comercial.

15) Tripulantes de voo de aeronaves civis brasileiras podem atuar sem CMA?
Não, ninguém pode atuar como membro de tripulação de voo de aeronaves
civis brasileiras, de acordo com os preceitos estabelecidos por este Regulamento, a
menos que seja titular de um CMA válido, expedido em conformidade com o RBAC
67 e apropriado à respectiva licença ou certificado.

16) A licença e o certificado de piloto podem ser cassados?


Quaisquer das licenças ou certificados de pilotos de que trata no RBAC 61,
podem ser cassados pela ANAC se comprovado, em processo administrativo, que o
respectivo titular não possui idoneidade para o exercício das prerrogativas
especificadas em sua licença ou certificado.

17) Pilotos que querem operar aeronave civil brasileira fora da jurisdição do
espaço aéreo brasileiro devem submeter-se à exame de proficiência linguística?
Sim, somente podem operar aeronave civil brasileira fora da jurisdição do
espaço aéreo brasileiro os pilotos de avião, helicóptero, aeronave de decolagem
vertical ou dirigível que tiverem averbado em suas licenças o nível de proficiência na
língua inglesa 4, 5 ou 6.

18) Qual o período de reavaliação do nível de proficiência 4 e 5 na língua


inglesa para o piloto de avião?
Pelo menos uma vez em cada três anos os pilotos que tiverem averbado o
nível 4; e pelo menos uma vez em cada seis anos os pilotos que tiverem averbado o
nível 5.

19) Quais documentos são aceitos para fins de comprovação de experiência de


voo?
CIV (caderneta individual de voo), Declaração de Horas de Voo (constando os
dados extraídos de relatório de registro individual de horas de voo) ou Relatório ou
extrato gerado a partir do Sistema Eletrônico de Registro de Voo.

20) Dentro da aeronave quem possui a autoridade final e pode ainda desviar-
se de qualquer regra?
É chamado piloto em comando o responsável pela operação da aeronave e
tem a autoridade final para tanto. Em uma emergência requerendo ação imediata, o
piloto em comando pode desviar-se de qualquer regra na extensão requerida para
fazer face à emergência, e posteriormente deve enviar um relatório escrito à ANAC
descrevendo o desvio e o motivo do desvio.

21) Podem ser jogados objetos de uma aeronave em voo?


De acordo com o RBHA 91 (Art. 91.15), nenhum piloto em comando de uma
aeronave civil pode permitir que qualquer objeto seja jogado de uma aeronave em
voo, criando perigo para pessoas ou propriedades. Entretanto, esta seção não proíbe
que objetos sejam jogados se razoáveis precauções forem tomadas para evitar
ferimentos ou danos a pessoas e propriedades.

22) O tripulante pode atuar em aeronave civil estando sob efeitos do álcool ou
drogas?
Não, nenhuma pessoa pode atuar ou tentar atuar como tripulante de uma
aeronave civil dentro de 8 horas após ter consumido qualquer bebida alcoólica,
enquanto sob a influência de álcool, enquanto usando qualquer droga que afete, de
qualquer maneira contrária à segurança, as faculdades dessa pessoa, e enquanto
possuir no sangue quantidade igual ou superior a 0,04% (em peso) de álcool.
23) Quais são as altitudes mínimas para a aeronave sobrevoar sobre áreas não
densamente povoadas?
Uma altitude de 500 pés (150 m) acima da superfície, exceto sobre águas
abertas ou áreas escassamente povoadas. Nesses casos, a aeronave não pode ser
operada a menos de 500 pés (150 m) de qualquer pessoa, embarcação, veículo ou
estrutura.

24) Os voos acrobáticos podem ser realizados em qualquer lugar?


Não, nenhuma pessoa pode operar uma aeronave em voos acrobáticos sobre
qualquer área densamente povoada de uma cidade, vila ou lugarejo; sobre um
conjunto de pessoas ao ar livre; dentro de 4 milhas marítimas da linha central de uma
aerovia federal; abaixo de 1500 pés de altura; ou quando a visibilidade em voo for
menor que 5 km.

25) De acordo com RBHA 91, é obrigatório gravadores de dados de voo e de


voz na cabine?
Sim, nenhum detentor de certificado de homologação de operador regular ou não-
regular pode conduzir qualquer operação segundo este regulamento com uma
aeronave listada em suas especificações operativas ou em listagem atualizada de
aeronaves usadas em transporte aéreo, a menos que esta aeronave cumpra os
requisitos aplicáveis, no que diz respeito a gravador de dados de voo e gravador de
voz na cabine.