Você está na página 1de 4

APRENDIZAGEM

As relações entre professor e aluno, família-escola deverá ser um estimulo no ato


de aprender a aprender. Qualquer que seja a construção desse nosso ideal como
psicopedagogo é um processo longo que requer perseverança de forma gradativa no
acompanhamento tanto com crianças como adolescentes com dificuldades de
aprendizagem tanto em sua estrutura cognitiva como no seu circulo social.
Segundo Cool (2007) afirma que: A atividade do aluno que está na base do
processo da construção do conhecimento está inscrita de fato no domínio da interação
ou interatividade professor aluno.
A psicopedagogia como campo que se dedica ao estudo da aprendizagem em
seus diferentes aspectos nas relações interpessoais e nas circunstancias em que a criança
ou adolescente estão inseridos na sociedade, ocupa-se do procedimento de tentar
compreender as causas como também as consequências que afeta tanto crianças como
adolescentes em seu desenvolvimento cognitivo na dinâmica do ato de aprender, da
construção de estratégias para o não aprender, na edificação do saber humano. Segundo
Fernandes (1999 apude Rezende 2011). Faz entender que a psicopedagogo mobiliza a
forma de aprender do aprendente transformando a relação da aprendizagem
promovendo-o na sua relação com o saber construído, dessa forma torna-se importante
entender os campos de atuação do psicopedagogo.
Para a autora, a psicopedagogia é responsável para identificar tais dificuldades
de aprendizagem que compromete todo o raciocínio lógico do ser humano. Do mesmo
modo a família deverá contribuir também na formação intelectual da criança ou
adolescente que por motivos do não aprender, sentirem incapaz nos desenvolvimentos
normais de suas aprendizagens, ou seja, deve ser feito um trabalho em conjunto entre o
psicopedagogo e a família da criança ou adolescente que porventura vierem a
diagnosticar o déficit de aprendizagem em sua estrutura cognitiva, física, motora e
comportamental.
Para Bossa (2007 apud REZENDE, 2011) o psicopedagogo tem muito a fazer
na escola, pois a atuação sua intervenção terá o caráter preventivo que podemos incluir
determinados fatores para a construção de um futuro aprender com qualidade, tais
como: ajudar os professores na formação de elaborar um plano de aula para os alunos
entenderem as aulas; na elaboração de projeto pedagógico; orienta-os na melhor forma
de atuar em sala de aula, com o aluno com dificuldades de aprendizagem; realizar
diagnóstico institucional que averigua os problemas pedagógicos que prejudicam o
processo de ensino-aprendizagem... Identifica sintomas de dificuldades de
aprendizagem no processo ensino-aprendizagem; organiza projetos de prevenção dos
processos por que neste contexto o psicopedagogo institucional, como profissional
preparado e mais adequado para execução desses acompanhamentos que pode ser
realizado tanto com crianças como adolescentes, está apto a trabalhar na área da
educação, assistência aos professores e a outros profissionais da instituição escolar para
a melhoria e rendimento qualificado das condições do processo de ensino-
aprendizagem bem como para a prevenção das dificuldades de aprendizagem.
Desde o nascimento o ser humano já faz parte de uma instituição social,
organizada primeiro pela família, depois a escola em seguida a sociedade e no decorrer
da existência humana integra-se a outras instituições. Por meio de uma serie de atuação
preventiva o psicopedagogo unidos aos professores, alunos, pais e a comunidade
procurará descobrir as principais causas nas dificuldades de aprendizagem nos
indivíduos que se sentem impedidos de crescer num ritmo acelerado de aprendizagem.
Aprender é construir estruturas de assimilação. A fonte da aprendizagem é a ação do
sujeito, ou seja, o individuo aprende por força das ações que ele mesmo pratica: ações
que buscam êxitos e ações que a partir do êxito obtido, buscam a verdade ao apropriar-
se das ações que obtiveram êxito. (BECKER, 2003, p.14).
Para o autor, o ato de aprender se forma também a partir do sujeito que aprende
e assimila de maneira clara e objetiva uma aprendizagem qualitativa através de êxitos
obtidos pelos alunos que apresentarem um quadro de problemas de aprendizagem. A
fonte da aprendizagem e a ação do sujeito que manifestar o desejo de aprender, e ser
participante desse processo dinâmico que poderá abrir portas para a construção de um
veiculam positivo com as demais áreas do conhecimento que os alunos necessitam
aprimorar. A aprendizagem ocorre com mais facilidade quando sentimos o prazer no ato
de aprender e quando o conteúdo possui significado simbólico ou pratico para nós.
No processo aprendizagem de qualquer individuo, coincidem um momento
histórico, um organismo, uma etapa genética da inteligência e um sujeito. Parece
impossível, pois, compreender ou explicar as dificuldades de aprendizagem sem levar
em conta os aspectos orgânicos, psicológicos ou sociais banalizando a importância de
cada um ou desconsiderando suas intricadas inter-relações. Na verdade, quaisquer que
sejam os obstáculos... o sujeito vai requerer ajuda para superar suas dificuldades.
(CARVALHO, 2007, p. 72-73.77)
A atuação do professor frente ao sujeito que aprende e o educador como
mediador desse conhecimento humano deve-se buscar na raiz do problema de
aprendizagem de cada individuo afetado a partir de seus processos históricos, orgânicos
e sociais para ajudar tanto criança como o adolescente a quebrar as barreiras da
aprendizagem. Quando surgem dificuldades toda a relação família-sujeito, aprendente-
escola encontram-se alterada. Frente ao problema de aprendizagem especifica, em
ultima analise, pode-se dizer que uma escola de boa qualidade para todos, uma escola
inclusiva, precisa estar preparada para receber e incluir todas as crianças e adolescentes
na apropriação e construção do conhecimento sem deixar de lado a história de vida de
cada ser envolvente de acordo com o seu meio de convívio e ambiente onde foi criado,
porque a criança ou adolescente já trás consigo também suas experiências de vidas.
Qualquer individuo é capaz de aprender, assimilar e crescer progressivamente rumo a
uma aprendizagem interacional, onde todos participam do saber tanto para o educador
como o educando. A aprendizagem acelera processos evolutivos internos que são
capazes de atuar quando a criança se encontra em interação com o meio ambiente e com
outras pessoas. Porém, ressalta a importância de esses processos sejam internalizados
pela criança.
O auto rendimento subtende um processo de aprendizagem, uma vez que não
decorre de um talento ou de uma predisposição inexplicável, mas da integração
sistêmica de sínteses psicomotoras, a partir do qual os fatores hereditários e
envolvimentos integram-se harmoniosamente (FONSECA, 2004, p.141).
A educação psicomotora é a base para o desenvolvimento saudável do processo
de aprendizagem da criança e do adolescente. A psicomotricidade oferece os
conhecimentos necessários para que se oportunize o desenvolvimento das capacidades
básicas integrando-as de forma harmoniosa no seu rendimento escolar. A interação em
termo de aprendizagem põe em questão a observância de componentes internos
(psíquicos e gnosias) e externos (motores e praxis), bastante diferenciados
hereditariamente, mas complementares na construção da psicomotricidade, aumentando
seu potencial motor, para que através do movimento, atinjam aquisições sistêmicas mais
elaboradas, inclusive intelectuais. Todos somos, ao mesmo tempo, aprendentes e
ensinantes, nessa dinâmica construímos significados para a vida. Quando educamos
alguém, abrimos caminho para que construa sua capacidade de sempre está aprendendo.
Como a psicopedagogia é uma área do que lida com os processos de
aprendizagem e seus desvios. A Psicopedagogia faz seu movimento em função de
minimizar as dificuldades do não aprender ao mesmo tempo que promove a estimulação
para um processo evolutivo de aprendizagem sem dificuldades, seja da leitura, da escrita
ou de outras aprendizagens. (COSTA, 2007 p.63)

Leia mais em: https://www.webartigos.com/artigos/o-psicopedagogo-e-as-intervencoes-


nas-dificuldades-de-aprendizagem/98530#ixzz5ANVI12lM