Você está na página 1de 40

E s p a n h o l • F r a n c ê s • I n g l ê s • P o r t u g u ê s

Quando fé e razão
estão em crise
Bom Deus,
o que fizemos de Ti?
Um dia para lembrar
A atitude de Jesus para
com as mulheres

2
Vo l u m e 1 9
REPRESENTANTES REGIONAIS
DIVISÃO AFRICANA MERIDIONAL-
OCEANO ÍNDICO
P.O. Box H.G., 100 Highlands, Harare, ZIMBÁBUE
CONTEÚDO
Ellah Kamwendo, kamwendoe@sid.adventist.org
Eugene Fransch, fransche@sid.adventist.org ARTIGOS
DIVISÃO AFRICANA OCIDENTAL
5 Quando fé e razão estão em crise
22 Boîte Postale 1764, Abidjan 22, COSTA DO
MARFIM Entendendo como a fé e a razão trabalham, os cristãos podem
Chiemela Ikonne, 110525.1700@compuserve.com conviver com ambas sem serem apologistas da primeira ou
Emmanuel Nlo Nlo, 104474.235@compuserve.
com
apaixonados pela segunda.
L. James Gibson
DIVISÃO AFRICANA ORIENTAL
P.O. Box 14756, 00800-Westlands, Nairobi,
9 Bom Deus, o que fizemos de Ti?
QUÊNIA
Hudson E. Kibuuka, kibuukah@ecd.adventist.org O tipo de Deus que servimos determina a vida que vivemos.
Mulumba Tschimanga, bresilien54@yahoo.com Randall L. Roberts
DIVISÃO ÁSIA-PACÍFICO NORTE
P.O. Box 43, Koyang Ilsan 411-600, CORÉIA 12 Um dia para lembrar
A guarda do sábado é uma declaração ao Universo de que
Chek Yat Phoon, cyphoon@nsdadventist.org
Joshua Shin, joshuashin@nsdadventist.org pertencemos a Deus, nosso Criador e Redentor.
DIVISÃO ÁSIA-PACÍFICO SUL Dan Smith
P.O. Box 040, 4118 Silang, Cavite, FILIPINAS
Stephen Guptill, sguptill@ssd.org
Jobbie Yabut, jyabut@ssd.org 14 A atitude de Jesus para com as mulheres
Por Seu exemplo, o Salvador restaurou o prestígio e a
DIVISÃO EURO-AFRICANA dignidade das mulheres perante Deus e começou uma
Schosshaldenstrasse 17, 3006 Berna, SUÍÇA
Roberto Badenas, roberto.badenas@euroafrica.org revolução silenciosa, mas duradoura.
Corrado Cozzi, corrado.cozzi@euroafrica.org Miguel Ángel Núñez
DIVISÃO EURO-ASIÁTICA
Krasnoyarskaya Street 3, 107589 Moscou, FED.
RUSSA
Guillermo Biaggi, gebiaggi@esd-sda.ru
Peter Sirotkin, psirotkin@ead-sad.ru SEÇÕES
DIVISÃO INTERAMERICANA
P.O. Box 830518, Miami, FL 33283-0518, EUA EDITORIAL PONTO DE VISTA
Moisés Velázquez, Velazquezmo@interamerica.org
3 Três certezas 24 Filosofia e educação cristã: um
Bernardo Rodríguez, bernardo@interamerica.org Humberto M. Rasi caminho ao desespero ou à
compreensão?
DIVISÃO NORTE-AMERICANA
12501 Old Columbia Pike, Silver Spring, MD
4 TRANSIÇÃO
John M. Fowler
20904-6600, EUA PERFIS
EM AÇÃO
Gerald Kovalski, Gerald.Kovalski@nad.adventist.org
James Black, james.black@nad.adventist.org 16 Birgit Philipsen
Kimberly Luste Maran 28 Onde a esperança se concretiza
Martin Feldbush, martin.feldbush@nad.adventist.org Dick Duerksen
DIVISÃO PACÍFICO SUL 18 Jordi Baget
Roberto Badenas FÓRUM ABERTO
Locked Bag 2014, Wahroonga, N.S.W. 2076,
AUSTRÁLIA LOGOS
29 Beber um pouco de vinho?
Aecio Cairus
Barry Hill, bhill@adventist.org.au
Gilbert Cangy, grcangy@adventist.org.au 20 Visão melhor para o
corpo de Cristo PRIMEIRA PESSOA
DIVISÃO SUL-AMERICANA Lisa M. Beardsley 30 Maravilhosa providência divina
Caixa Postal 02600, Brasília, 70279-970 DF, BRASIL Alberto Soriano
Carlos Mesa, carlos.mesa@dsa.org.br LIVROS
VIDA NO CAMPUS
Otimar Gonçalves, otimar.goncalves@dsa.org.br
22 Historical Dictionary of the
Seventh-day Adventists (Gary 31 Compartilhando sua fé com um
DIVISÃO SUL-ASIÁTICA amigo judeu
P.O. Box 2, HCF Hosur, 635 110 Tamil Nadu, Land)
ÍNDIA Resenha de Nancy Vyhmeister Mark A. Kellner
Nageshwara Rao, gnageshwarrao@sud-adventist. PARA SUA INFORMAÇÃO
org
Lionel Lyngdoh, lyngdoh@sud-adventist.org
22 Sea feliz: Cómo vencer la depresi-
ón y controlar la ansiedad (Mario 34 Vencendo as tentações
Pereyra y Carlos Mussi) da internet
DIVISÃO TRANS-EUROPÉIA
119 St. Peter’s St., St. Albans, Herts, AL13EY, Resenha de Nancy Carbonell 35 ET CETERA
INGLATERRA
Daniel Duda, dduda@ted-adventist.org 23 Cristología: Descubriendo al INSERÇÃO
Paul Tompkins, ptompkins@ted-adventist.org
Maestro O portifólio de Jordi Baget
(Miguel Ángel Núñez)
Resenha de Roberto Badenas

2 DIÁLOGO 19•2 2007


EDITORIAL Esta revista internacional de fé, pensamento
Três certezas e ação é publicada três vezes por ano em
quatro edições paralelas (espanhol, francês,
“Olhando fixamente para as estrelas, pela primeira vez, a primeira, abri meu cora- inglês e português) sob o patrocínio da
Comissão de Apoio a Universitários e
ção à benévola indiferença do universo.” Com estas sombrias palavras, o laureado
Profissionais Adventistas (Caupa), organismo
Nobel Albert Camus encerrou sua primeira novela, The Stranger – a envolvente histó- da Associação Geral dos Adventistas do
ria de um alienado homem convicto de assassinato, à espera da execução. Sétimo Dia.
Quase 50 anos após a prematura morte de Camus, muitos ao nosso redor com- Volume 19, Número 2
partilham dessa mesma idéia. Mas ela é verdadeira? O universo é indiferente ao que Copyright © 2007 pela Caupa.
ocorre conosco? Ou, pior ainda, habitamos em um hostil ou talvez cruel cosmo? Todos os direitos reservados.
Para expressar de outra forma: há um Deus em nosso vasto universo que se impor- Diálogo afirma as crenças fundamentais
ta com cada um de nós individualmente? De Gênesis ao Apocalipse, a resposta clara da Igreja Adventista do Sétimo Dia e apóia
da Bíblia é Sim! sua missão. Os pontos de vista publicados
na revista, entretanto, representam o
Como escrevo meu último editorial para Diálogo, quero destacar três poderosas pensamento independente dos autores.
certezas da Palavra de Deus que me têm encorajado através dos anos e continuam
Equipe Editorial
fortalecendo minha fé a cada novo dia: Editor-chefe Humberto M. Rasi
• “Quem sabe dos meus planos sobre vocês sou Eu mesmo! São planos de bem; Editor John M. Fowler
não são planos de sofrimento. Eu lhes darei aquilo que mais desejam: um futuro de Editor-Associado Martin Feldbush
paz em sua própria terra” (Jeremias 29:11–BV). Falando a Seu povo através de Seu Assistente Editorial Susana Schulz
Edições Internacionais Susana Schulz
gentil profeta em um tempo de crise nacional, Deus oferece palavras de inspiração e Secretários editoriais internacionais
segurança. Relembre essa promessa sempre que você precisar lutar contra decepções e Corinne Egasse (Francês)
dificuldades. Confie nEle. Guilherme Silva (Português)
• “Eu tenho certeza de que Deus, que começou a boa obra em vocês, continuará Susana Schulz (Espanhol)
ajudando-os a crescer em sua graça até quando sua tarefa em vocês estiver finalmen- Correspondência Editorial
te terminada naquele dia quando Jesus Cristo voltar” (Filipenses 1:6 –BV). Uma Diálogo
12501 Old Columbia Pike
vez que aceitamos Deus como Senhor de nossa vida, Ele molda nosso caráter e nos Silver Spring, MD 20904-6600; EUA.
conduz para uma única missão que está em sincronia com nossos talentos naturais. Telefone 301 680-5060
Deixe-O transformá-lo. Fax 301 622-9627
• “Eu sou o bom pastor... Minhas ovelhas reconhecem a minha voz, e Eu as conhe- E-mail schulzs@gc.adventist.org
ço, e elas Me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e elas nunca morrerão. Ninguém Comissão (CAUPA)
poderá tirar as ovelhas de mim” (João 10:14, 27, 28–BV). Jesus Cristo, o Criador e Presidente Ella Simmons
Vice-Presidentes C. Garland Dulan, Martin
Sustentador do cosmo, veio a este mundo para tornar acessível o caminho da salva- W. Feldbush, Baraka G. Muganda
ção a cada ser humano que aceita Sua graça. Quando Lhe confiamos nossa vida, Ele Secretário Humberto M. Rasi
torna-Se nosso fiel guia, e jamais nos abandonará. Acredite. Membros Lyndelle Chiomenti, Gary
Há quase 20 anos, quando lançamos Diálogo, uma revista para estudantes univer- Councell, John M. Fowler, Jonathan
Gallagher, Clifford Goldstein, Linda Koh,
sitários adventistas e jovens profissionais, o primeiro editorial expôs nosso propósito: Kathleen Kuntaraf, Vernon B. Parmenter,
ajudar nossos leitores a conhecer, viver e melhor compartilhar sua fé cristã. Gerhard Pfandl, Roy Ryan
As mensagens enviadas de grande número de países ao redor do mundo têm trazi- Correspondência sobre circulação
do a segurança de que alcançamos nossas metas e que nossos esforços têm sido apre- Deve ser dirigida ao Representante
ciados. Regional da Caupa na região em que reside
Ao passar a responsabilidade de editor-chefe da Diálogo à Lisa Beardsley, despe- o leitor. Os nomes e endereços destes
representantes encontram-se na p. 2.
ço-me de cada um de vocês afetuosamente, e oro para que você entesoure estas três
promessas bíblicas e que sua fé, conhecimento e serviço cresçam diariamente sob as Assinaturas US$13.00 por ano (três
números, via aérea). Ver cupom na p. 6 para
bênçãos de Deus. detalhes.
Até nos encontrarmos outra vez!
Website http://dialogue.adventist.org
DIÁLOGO tem recebido correspondência
de leitores de 118 países ao redor do
mundo.
Humberto M. Rasi
Editor-Chefe

DIÁLOGO 19•2 2007 3


TRANSIÇÃO
Adeus e boas-vindas!
Quando a revista Diálogo surgiu ini-
cialmente em 1989, foi uma jornada de
fé conduzida pela visão de um homem,
Humberto Rasi, então diretor associado
de Educação da Associação Geral, que
promoveu, alimentou e desenvolveu
em sua plenitude esta revista madura
com temas acadêmicos, de afirmação
da fé e de alegre serviço à humanidade.
Mesmo após aposentar-se de seu cargo
como diretor do departamento na
Associação Geral, em 2002, Rasi conti-
nuou cuidando da editoração da revista
até este número. No decorrer dessa
longa jornada, Rasi foi responsável pela
publicação de 55 números, com edições
paralelas em quatro idiomas. Enquanto
ocupou essa função, aproximadamente
1,75 milhões de cópias em quatro lín- contribuição ao mundo da educação profissionais iniciados como professora
guas foram distribuídas em 118 países. e jornalismo adventistas. Seu lugar do Ensino Fundamental até a mais
Publicada em inglês, espanhol, francês como editor-chefe está sendo ocupado recente função como vice-diretora para
e português, a revista em seu primeiro por Lisa Beardsley, diretora associada assuntos acadêmicos da Universidade
número trouxe uma declaração de visão de Educação da Associação Geral. Ela de Loma Linda, e numerosos artigos
com três pontos: “Conhecendo sua fé”, chega para assumir sua nova função e experiência editorial. Sob a sua lide-
“Vivendo sua fé” e “Partilhando sua fé.” com credenciais acadêmicas plenas: rança, a revista tem apenas um rumo
A revista Diálogo permaneceu fiel a essa graduação em Teologia, mestrado em – seguir em frente! Assim damos as
visão. Saúde Pública, MBA em Administração boas-vindas à Beardsley no cargo de
Com este número, dizemos adeus a de Negócios, Ph.D. em Psicologia editora-chefe. E que o Diálogo continue!
Rasi e muito obrigado por sua singular Educacional. São 27 anos de serviços John M. Fowler, editor

Filosofia da Ciência e das Origens


BIOLOGIA ou GEOLOGIA 475 4 unidades trimestrais.
24 de setembro - 14 de dezembro de 2007
Curso ministrado pelo Dr. Leonard Brand
Professor de Biologia e Paleontologia.
Loma Linda University
Este curso, baseado na tecnologia da Web, é uma introdução ao processo científico e uma aplicação desse
conhecimento voltado à compreensão dos conceitos da criação, evolução e história da Terra, dentro da estrutura bíblica.
O objetivo das aulas é preparar os estudantes para avaliarem as questões desse tópico e estimular sua fé nas Escrituras,
enquanto compreendem e apreciam as positivas contribuições feitas pela ciência.
O custo de instrução cobre quatro unidades de aulas, mais o livro de texto Faith, Reason and Earth History,
de Leonard Brand. Estão disponíveis bolsas de estudos para a cobertura quase total do estipêndio da LLU. Para
informações complementares sobre o curso e as bolsas de estudo oferecidas, entre em contato com o Dr. Brand através
do e-mail lbrand@llu.edu.

4 DIÁLOGO 19•2 2007


Quando fé e razão estão em crise
L. James Gibson a revelação bem como sobre a razão, ser vistas como tratando de diferentes
poderemos ver onde está a verdade. Mas esferas (“dissociação”), e o conflito é
Entendendo como a fé não fazemos isso e então ocorre o confli- resultado da má aplicação de uma ou
to. Além disso, aquilo que consideramos de outra fonte de conhecimento, para
e a razão trabalham, os conhecimento pode ser falso. Cristãos questionar exteriormente sua legítima
cristãos podem conviver sinceros freqüentemente discordam esfera. Uma variável desse argumento é a
com ambas sem serem sobre o mesmo ponto da revelação, reivindicação dos Magistérios não-inter-
não porque ela é contraditória, mas ferentes (MNI)4 proposta recentemente
apologistas da primeira ou por causa das diferentes interpretações. por Stephen Jay Gould. De acordo com
apaixonados pela segunda. Igualmente, os cientistas discordam Gould, a ciência trata do mundo mate-
sobre como interpretar os dados, e a his- rial, enquanto a Bíblia lida com idéias
tória das revoluções científicas nos lem- espirituais como Deus, valores, morali-
bra que o consenso não traz proteção dade etc. Se essa reivindicação for verda-
Experiência e revelação são maneiras contra futuras reinterpretações.2 deira, não deveríamos estar discutindo
diferentes com que os cristãos obtêm Segundo, o orgulho humano. O orgu- a temática. Tais pontos de vista são
conhecimento. A experiência leva ao lho pode manifestar-se de várias manei- obviamente equivocados; ciência e Bíblia
conhecimento através da razão, median- ras. Uma delas é o orgulho de nossa discutem claramente alguns dos mesmos
te o processo de descoberta. Tendemos opinião. Uma vez tomada certa posição, temas, talvez o mais destacado seja a ori-
a aceitar a razão como verdadeira quan- é difícil admitir que estamos errados, gem e a natureza dos seres humanos.
do podemos confirmá-la por meio da especialmente se o processo for público. Conflito admitido, mas resolução
experiência adicional. A revelação, por Tanto os cientistas quanto os estudantes negada. Outra abordagem é reconhecer
sua vez, provê conhecimento além da da Bíblia podem achar difícil se retratar o conflito entre ciência e fé, mas consi-
capacidade de descoberta, relativo a de suas convicções. O orgulho também derar inacessível o problema. Ciência e
proposições além de nossa experiência. pode tornar difícil aceitar a revelação. fé podem ser mantidas apartadas uma
Nem sempre somos capazes de testar as Preferimos aprender por nossos próprios da outra, sem que se permita sua intera-
proposições reveladas pela experiência. esforços a ter alguém a nos dar a respos- ção (“compartimentalização”). Ou uma
Em vez disso, a avaliação da revelação ta e esperar que a aceitemos tal qual ela pessoa pode reconhecer o conflito, mas
depende de nossa estimativa sobre a é dada. Isso é especialmente difícil se a adotar a atitude de que é impossível
confiabilidade da fonte da revelação. relação entre aquele que revela e o recep- saber a verdade (“agnosticismo”). Como
Essa consideração é uma aplicação da tor não for achegada. Outro problema alternativa alguns preferem aceitar uma
razão, mostrando que ela é indispensá- do orgulho é que a revelação bíblica fonte e rejeitar outra (“mutilação”).
vel mesmo para receber a revelação. A lhe é, freqüentemente, desagradável. As Muitos cristãos rejeitam a ciência,
aceitação da revelação como verdade está Escrituras mostram que os homens são tendo-a como “obra do diabo”, enquan-
baseada na confiança no Revelador, uma facilmente enganáveis, propensos ao erro to muitos secularistas rejeitam a Bíblia,
condição chamada fé. O cristão entende e incapazes de discernir a verdade sobre considerando-a ficção. Tais pontos de
tanto a razão como a revelação como Deus. Se a descrição bíblica for verda- vista podem produzir uma fuga do
dons de Deus. deira, os seres humanos podem ser, às árduo trabalho de lidar com os temas,
Considerando que razão1 e revelação vezes, perversos o bastante para rejeitar mas eles também evitam qualquer possí-
têm sua fonte primária em Deus, elas deliberadamente a revelação, a despeito vel inovação e deixam o indivíduo num
deveriam estar em completa harmonia. da força da razão (Romanos 1:18-25). limbo intelectual.
Mas parecem estar em conflito na tenta- Integração priorizada. Essa abor-
tiva de explicar o mundo ao redor. Este Respostas para dagem tenta integrar fé e ciência numa
artigo discute alguns dos fatores envol- o conflito entre fé e ciência cosmovisão abrangente. Esse é um
vidos na controvérsia entre ciência e fé, Várias respostas têm sido propostas trabalho difícil, mas no fim se revelará
e sugere maneiras pelas quais os cristãos com relação ao aparente conflito entre fé o mais satisfatório. Ele exige que se iden-
podem lidar com isso. e ciência.3 tifiquem os pontos de conflito aparente,
Negação do conflito. Alguns erudi- que se avaliem as evidências pertinentes
Por que fé e ciência tos tentam negar qualquer conflito entre tanto da ciência quanto das Escrituras,
entram em choque? ciência e Bíblia. O que parece ser um e se estime a provável verdade de cada
Pelo menos dois fatores contribuem conflito pode realmente ser verdadeiro proposta. Por exemplo, ao avaliar as
para o confronto potencial entre fé e em algum sentido ainda não compre- contrastantes reivindicações da ciência
ciência. Primeiro, a falta de informação. endido (“complementaridade”). Por e da Bíblia sobre a origem da humani-
Se tivermos todo o conhecimento sobre exemplo, a ciência e as Escrituras podem dade, o estudante pode considerar se

DIÁLOGO 19•2 2007 5


é mais plausível que os seres humanos e precisa, por vezes, ser corrigida pela Quatro pontos de conflito sobre as
tenham sido criados diretamente por revelação divina (I Coríntios 1:19, 20; origens
meio da ação de um Ente divino, ou Romanos 1:21, 22; Eclesiastes 8:17; As visões bíblicas e científicas das ori-
através de processos ordinários observa- Isaías 40:25, 26). Alguns cristãos sus- gens diferem em muitos detalhes, mas
dos na natureza. tentam que uma vez que a revelação é a maioria delas provém de alguns temas
A integração priorizada é compatível mais confiável que a razão, esta pode principais. Estes incluem os seguintes
com a razão e a revelação. É coerente ser ignorada em casos de conflito. pares de proposições contrastantes:
com a razão porque a utiliza para exa- Infelizmente a questão não é tão sim- 1. Deus e a natureza.
minar as evidências da ciência e tam- ples. Até mesmo a Bíblia pode ser mal- 1.A. Criação: Deus está ativo na nature-
bém da Bíblia, e a aplica na avaliação interpretada (II Pedro 3:16; Mateus 4:5, za. Suas atividades incluem ações regulares
da provável verdade de cada proposta. 6; João 5:39, 40). Os homens podem de manutenção que observamos como
É coerente com a revelação porque os distorcer a revelação divina, assim é leis naturais, e também leis especiais que
escritores da Bíblia se referem favoravel- preciso haver cautela. A própria razão constatamos como singularidades ou
mente, apesar de às vezes com ressalvas, precisa ser aplicada na auto-avaliação, e milagres.
a ambas as fontes de conhecimento. isso pode ser uma fonte de dificuldade 1.B. Evolução: Todos os eventos na
Numerosos autores bíblicos recomen- quanto se tenta resolver aparentes dispa- natureza acontecem em consonância com
dam a razão, a sabedoria ou conceitos ridades entre revelação e razão. leis naturais. Se Deus existe, Ele pode ou
semelhantes (Atos 18:4; Isaías 1:18; I Podemos ter que suspender o jul- não ter dado início ao Universo através do
Pedro 3:15; Provérbios 3:13-15; I João gamento em algumas situações, e em Big Bang, mas em qualquer caso Ele não
4:1). A revelação também recebe desta- todos os casos temos de reconhecer a intervém nos eventos naturais.
que nas Escrituras (João 17:17; I Pedro falibilidade de nossos próprios juízos e 2. Deus e os seres humanos.
1:25; Deuteronômio 29:29; Amós 3:7). opiniões. Porém, isso não significa que 2.A. Criação: Deus criou a vida em
Eles aceitam tanto a razão como a devemos nos refugiar no agnosticismo. sua rica diversidade desde o princípio. Os
revelação como fontes de conhecimen- Podemos usar nossa razão para tomar homens são uma criação especial e dota-
to sobre o mundo. Mas não atribuem a decisão de exercer a fé, enquanto dos de atributos descritos como a imagem
igual confiança às duas fontes. A reconhecemos que a fé é uma escolha de Deus.
Palavra de Deus é considerada como não baseada na demonstração de nossa 2.B. Evolução: A vida surgiu pela ação
absolutamente verdadeira e imperativa. crença. de leis naturais, evoluiu e se diversificou
A razão humana é facilmente iludida a partir de um ancestral comum na rica
diversidade vista no presente. Os seres
humanos formam parte desse processo e
são fundamentalmente animais com cére-
Assine Diálogo bros altamente desenvolvidos.
3. Deus e o tempo.
Você quer ser um pensador e não meramente um refletor do pensamento de outras pessoas? A
DIÁLOGO continuará a desafiá-lo a pensar criticamente, como um cristão. Fique em contato com o
3.A. Criação: A Criação não precisou
melhor da ação e do pensamento adventista ao redor do mundo. Entre na DIÁLOGO. de longos períodos de tempo. O Universo
foi criado ex-nihilo, pela Palavra de Deus.
Assinatura anual (3 exemplares – via aérea): US$13.00 As condições necessárias à vida em nosso
Números atrasados: US$4.00 cada. planeta e a própria vida foram criadas no
Gostaria de assinar DIÁLOGO em ❏ Inglês ❏ Francês ❏ Português ❏ Espanhol breve período de uma semana. A criação
Edições Iniciem minha assinatura com a próxima edição. de nosso mundo aconteceu num passado
Gostaria de receber estes números anteriores: Vol.______. No ______. medido em milhares de anos, embora
Pagamento Estou juntando um cheque internacional ou ordem de pagamento. outros mundos possam ter sido criados
Meu Mastercard ou VISA é _____________________________ em tempos anteriores.
Data de validade: ________________________
3.B. Evolução: A produção de organis-
Por favor, preencha: mos vivos e seu meio-ambiente surgiram
Nome ___________________________________________________________ mediante processos graduais e naturais,
Endereço ___________________________________________________________ que exigiram um tempo medido em cen-
___________________________________________________________ tenas de milhões a bilhões de anos. Nosso
Remeta os dados para: DIALOGUE Subscriptions, Linda Torske planeta é apropriado à vida porque, por
12501 Old Columbia Pike; Silver Spring, MD 20904-6600; EUA. casualidade, ele reuniu propriedades que
FAX 301 622 9627 permitiram que tais condições se desen-
E-mail torskel@gc.adventist.org volvessem.

6 DIÁLOGO 19•2 2007


4. Deus e o mal natural. a evolução teísta parece ser o pior A criação em duas fases6 é a pro-
4.A. Criação: O mal natural não exis- esquema disponível; o deus da evolu- posição de que Gênesis 1:1 se refere
tia no estado original da Criação. Adão ção parece pior do que nenhum deus. a uma criação original do Universo,
e Eva, os primeiros seres humanos, rece- Cientificamente, os modelos evolucio- a qual deixou a Terra numa condição
beram a responsabilidade de cuidar do nários são contrariados pela evidência inabitável que poderia ter durado alguns
planeta e de seus organismos vivos. Por que sugere a incapacidade dos processos momentos ou longas eras. Enquanto a
causa da queda, Satanás obteve o domí- naturais de gerarem inovações morfo- Terra estava nessa condição – escuridão,
nio do mundo. Esse domínio é a causa lógicas, ou a informação que regula seu umidade e inadequação à vida e à habi-
do mal natural, da morte, doença, des- desenvolvimento. A evolução teísta não tabilidade –, Deus criou numa semana
truição etc. Por Jesus Cristo, o domínio reconcilia ciência e Bíblia porque sujeita uma variedade de habitats suficientes e
será restaurado aos seres humanos. a Escritura a deduções científicas basea- os povoou de organismos vivos. Quando
4.B. Evolução: O mal natural é o das no naturalismo filosófico, e porque a criação foi completada, era sem falhas,
resultado desagradável da operação das falha em prover suficientes causas na mas o pecado de Adão entregou a
leis da natureza. Não existe nenhum natureza, por exemplo, para a origem de Satanás o domínio da Terra, trazendo
diabo pessoal, nenhum Adão, nenhuma vida, as novidades moleculares etc. doença e morte. Deus recriará e restabe-
queda e nenhuma futura restauração. A criação progressiva sugere que lecerá um mundo sem defeitos, mas isso
A maioria dos detalhes interpretativos Deus criou em separado muitas e dife- precisa ser realizado ao mesmo tempo
que distinguem a Criação e a Evolução é rentes espécies de organismos, principal- em que se preserva a liberdade humana
referente a esses quatro pares de propo- mente o ser humano, mas o fez ao curso de escolha. Do ponto de vista teológico,
sições contrastantes. A primeira propo- de prolongados períodos de tempo. As essa teoria é superior a qualquer outra
sição, tratando da relação de Deus com criações sucessivas foram separadas por proposta. Cientificamente, ela levanta
a natureza, forma o pressuposto funda- extensas eras, nas quais os processos questões que merecem discussão.
mento das outras proposições. O modo ordinários de seleção natural resultaram A narrativa da criação genesíaca intro-
como alguém responde a essas questões em diversificação e evolução em peque- duz uma questão na relação dos eventos
influenciará a escolha do modelo das na escala. Esse modelo está aberto à do primeiro e quarto dias da criação.
origens. Seguem alguns exemplos: possibilidade de os humanos terem sido A Terra é iluminada no primeiro dia,
criados em especial e recente criação, mas o Sol não é mencionado senão no
Tentativas de reconciliar idéias talvez a criação descrita no Gênesis. Em quarto dia. Como os primeiros três dias
sobre as origens termos científicos, tal modelo tem a cen- e noites foram produzidos? Três solu-
Foram feitas inúmeras tentativas de surável característica de imaginar uma ções possíveis são propostas: (1) A luz
combinar idéias científicas com a crença criação especial sempre que conveniente, dos primeiros três dias poderia ter sido
em Deus. Só as mais populares serão como se Deus pudesse ser invocado produzida por algo diferente do Sol. A
consideradas aqui. Uma discussão mais para preencher eventuais lacunas. Além presença de Deus pode ter sido a fonte
ampla está disponível noutros lugares.5 disso, a sucessão de eventos da criação da luz. Ou, talvez, uma supernova tenha
A evolução teísta aceita as conclusões pressuposta no registro fóssil difere da iluminado a Terra naquele momento.
da ciência baseada na filosofia natura- sucessão genesíaca. Teologicamente, o Então o Sol poderia ter sido criado no
lista, mas tenta incluir uma espécie de modelo falha em explicar a causa da quarto dia da criação. (2) O Sol estava
influência divina para justificar a idéia morte, pois afirma que ela está presente realmente presente no primeiro dia, mas
de que os seres humanos fizeram parte muito antes de os humanos existirem. não visível talvez devido a uma cobertu-
de um plano e não surgiram acidental- Ele também destrói a idéia da queda, ra nebulosa que difundia a luz. No quar-
mente. É um modelo muito popular, porquanto o registro fóssil não indica to dia, dissipou-se a cobertura e o Sol
provavelmente porque parece estar base- qualquer mudança na natureza do surgi- pôde ser visto. (3) o Sol estava presente
ado na ciência, mas não exclui Deus. mento dos fósseis humanos. Isso remove e visível do primeiro dia, mas no quarto
Porém, há uma inconsistência lógica a base lógica para a história da salvação. dia foi designado para “governar” o dia,
na tentativa de construir uma visão da A criação progressiva, conquanto seja e funcionar em sinais e estações. Nossa
atividade divina sobre o fundamento do um aprimoramento à evolução teísta, falta de certeza de qual dessas possibi-
naturalismo filosófico, que nega a ação falha em reconciliar a ciência e a Bíblia, lidades está correta não significa que a
de Deus na natureza. O conteúdo teísta porque viola as normas do pensamento questão não tenha solução. Só quer dizer
desse modelo contradiz o fundamento científico ao introduzir Deus onde quer que não sabemos qual seja.
filosófico da visão científica atual que que uma lacuna o requeira, e também O modelo de Criação em duas fases
separa Deus e natureza. O conteúdo porque extingue a lógica sobre a qual também apresenta problemas científi-
evolucionista contraria a visão bíblica o tema central da salvação bíblica está cos. Os mais conhecidos são a datação
da criação especial. Teologicamente, baseado. radioisotópica e a natureza da seqüência

DIÁLOGO 19•2 2007 7


Figure 1. Diagrama de fluxo para ilustrar o método de reduzir a tensão entre fóssil. Certas rochas contêm produtos
ciência e Escrituras, mediante a identificação de eventos impróprios à análise de decadência radioativa que exigiria
científica, por causa da ação sobrenatural. centenas de milhões de anos para se acu-
mularem mediante processos naturais.
O modelo de criação bifásica inclui a
possibilidade de algumas rochas serem
É esse fenômeno Exemplos: criação, ressurreição, fogo
antigas, mas não explica por que deveria
extraordinário ‹ Sim ‹ do céu.
identificado na Bíblia Causa: a ação direta e descontínua de
haver uma progressão de datas da mais
como um ato divino? Deus. antiga até a mais recente. A existência
Tais eventos estão além da investigação de um registro fóssil é prontamente
científica. explicada pelo modelo bifásico, como
A tensão acontece quando o resultado de uma catástrofe global
fi sobrenatural não é reconhecido. conhecida como Dilúvio. Porém, o
Não modelo não explica por que os fósseis
fi aparecem numa seqüência ordenada, na
qual se agrupam em estratos geológicos
sucessivos, tipos semelhantes de orga-
nismos, que correlacionam amplas áreas
O fenômeno parece ser Exemplos: codornizes vindas com o
do globo terrestre. Como uma catástrofe
propositado e/ou a ‹ Sim ‹ vento; ataque de vespões.
Bíblia o identifica como Causa: processos secundários
global poderia criar uma sucessão fóssil
um ato divino? resultantes da ação descontínua e ordenada em lugar de uma desordem
direta de Deus. caótica? Talvez o mundo pré-dilu-
A ciência luta com causas, mas pode viano fosse altamente organizado e a
ser capaz de explicar partes do catástrofe global tenha ocorrido numa
fi processo. altamente ordenada seqüência de fases.
Não
Conquanto essa explicação seja consis-
tente com o modelo bíblico de criação
fi bifásica, ela é um acréscimo ad hoc ao
modelo.
Embora o modelo bifásico da cria-
É extraordinário o Exemplos: supernovas; eclipses solares.
ção bíblica não ofereça uma explicação
evento, mas sem ‹ Sim ‹ Causa: processos secundários
propósito aparente e resultantes da contínua ação divina.
para todas as nossas perguntas, parece o
não mencionado na A ciência é um bom modo de melhor modelo disponível. Ele dá crédi-
Escritura? descoberta do mecanismo. to ao registro bíblico, enquanto aceita a
ciência como compatível com os ensinos
escriturísticos. Uma vantagem importan-
fi te dessa teoria sobre as outras é que ela
Não
propõe uma causa suficiente para qual-
quer fenômeno natural – um Criador
fi onipotente e onisciente. Não obstante,
o fato de que ainda há questões para as
quais o modelo não provê respostas é
É esse evento comum tanto Exemplos: gravidade; tempo;
um sinal de que temos muito a aprender
em natureza quanto em ‹ Sim ‹ metabolismo.
tempo e não ligado a Causa: processos secundários
nessa área.
ações sobrenaturais? resultantes da ação direta e
contínua de Deus. Fé e razão:
A ciência é um bom modo de convivendo com a tensão
descoberta do mecanismo. Tendo atingido a compreensão da
tensão existente entre fé e razão, qual é
a resposta apropriada para nós pessoal-
mente, e que podemos fazer por aqueles

Continua na p. 33

8 DIÁLOGO 19•2 2007


Bom Deus, o que fizemos de Ti?
Randall L. Roberts mais sobre eles do que sobre o seu continuou: – Só peço uma coisa: deixe
Deus. Eles correm e se escondem por que eu vá com as minhas amigas pelos
causa do tipo de compreensão que tive- montes e chore durante dois meses
O tipo de Deus que ram de Deus. Não interessa que Deus porque nunca chegarei a ser mãe.
os tenha amado o bastante para criá- E o pai deixou que ela fosse por
servimos determina a vida los. Eles estão arrepiados até os ossos dois meses. Então ela e as suas amigas
que vivemos. de medo dEle. saíram pelas montanhas, chorando
Bom Deus, o que fizemos de Ti? porque ela nunca chegaria a ser mãe.
Houve ainda outro homem. Ao fitá- Depois de dois meses, ela voltou para
O homem, em missão para seu deus, lo, vemo-lo desfalecendo em dor. Ele o pai. E ele fez o que havia prometido
fez seus últimos e cuidadosos prepara- fez uma promessa a Deus. Mas não era a Deus. Assim ela morreu virgem”
tivos antes do amanhecer. Levantou-se um tipo de promessa que Deus queria. (Juízes 11:34-39).
silenciosamente, barbeou-se e vestiu-se, Na verdade, tivesse aquele homem se Bom Deus, o que fizemos de Ti?
e então orou. Terminadas suas orações importado em olhar a história de seus Há ainda outra história. Você con-
– o mais importante preparativo da antepassados, veria que o seu voto segue ver três homens concentrados ao
missão de sua jornada –, reuniu seus estava absolutamente fora do desejo de redor da comovente figura no chão? O
escassos pertences. Estava pronto para Deus. Teria descoberto que de fato o que está no chão é um homem, ape-
fechar a conta no hotel e seguir para o seu Deus expressamente proibiu exata- sar de à primeira vista não se parecer
aeroporto. Conferiu sua passagem uma mente aquilo que ele prometeu fazer. muito como um homem. Mas se trata
última vez. Ali estavam a data, com- Mas não importa. Ele fez sua promessa de um homem chamado Jó, afligido
panhia aérea e número do vôo: 11 de assim mesmo; e o fez para o Deus de por profundo sofrimento. E os três
setembro de 2001. American Airlines sua compreensão. Visto que fora bem- homens ali reunidos ao seu redor vie-
Vôo 11. O que não constava era seu sucedido em sua batalha, teria agora de ram para trazer-lhe conforto. Apesar
real destino. Caso aparecesse, seria: cumprir sua promessa. disso, o que eles dizem nos faz recuar.
“Cidade de Nova Iorque. World Trade A triste saga de Jefté está gravada no Seus amigos repetem o tempo todo:
Center. Torre Norte.” livro de Juízes capítulo 11. Considere “Vamos homem. Levante-se. Você
Ele fechou a porta e saiu do hotel. uns poucos versos-chave dessa história. merece o que está lhe acontecendo.
Estava absolutamente convencido de Fez Jefté um voto ao Senhor e Como também o que aconteceu com
que o que iria fazer honraria seu deus. disse: “Se fizeres com que eu vença os seus filhos. Nada lhe acontece sem
Determinado por sua convicção, saiu amonitas, eu queimarei em sacrifício que você tenha feito algo para merecer
daquele quarto de hotel para os anais aquele que sair primeiro da minha casa isso.”
da história. O homem fez o que fez para me encontrar quando eu voltar da Por que amigos fariam uma coisa
em nome do seu deus. De fato, o que guerra. Eu o oferecerei em sacrifício a dessas a um companheiro sofrendo?
fez foi feito com precisão por causa do Ti” (Juízes 11:31–NTLH). Como puderam ser tão frios para dizer
deus que ele servia. Então Jefté liderou seu exército con- esse tipo de coisas a um homem ago-
Bom Deus, o que fizemos de Ti? tra os amonitas, e o Senhor o fez vito- niado mortalmente? A resposta é, na
Houve outro homem. Ao olharmos rioso. Ele esmagou os amonitas. verdade, bem simples. Eles fizeram isso
para ele, o vemos correndo. Correndo, “Quando Jefté voltou para a sua por causa da maneira como entendiam
acelerado, como um raio, agarrando a casa, em Mispa, a sua filha saiu ao seu seu deus.
mão da mulher. Eles correm através do encontro, dançando e tocando pan- Bom Deus, o que fizemos de Ti?
verdor exuberante e suntuoso daquele deiro. Era filha única; ele não tinha E finalmente esta história. O homem
lugar de pura e incorrupta perfeição. mais nenhuma filha ou filho. Quando anda com passos largos, firmes e rapi-
Eles fogem procurando algo para se Jefté a viu, ficou desesperado, rasgou as damente. Sua testa está franzida com
cobrir. Precisam se esconder! Deus suas roupas e disse: – Ah! Minha filha! sulcos profundos; suas narinas se infla-
está vindo! Eles já ouviram Sua voz no Você está partindo o meu coração! Por mam. Ele está bravo. Há apenas um
jardim. Seu coração pulsa forte e seus que tem de ser você quem me vai fazer objetivo em sua mente – acabar com o
olhos estão arregalados. sofrer? Eu fiz uma promessa a Deus, o grupo conhecido como “O Caminho”.
Por que Adão e Eva correm e se Senhor, e não posso voltar atrás. Ele está pronto para perseguir, prender
escondem do Deus que os criou e Ela respondeu: – Se o senhor fez e matar e completar sua meta. Ele fará
amou? A resposta é muito simples: eles uma promessa ao Senhor Deus, faça de o que for necessário. E essa jornada foi
correm e se escondem por causa da mim o que prometeu. Pois o Senhor iniciada para alcançar esse objetivo. Por
maneira como entenderam seu Deus. Deus deixou que o senhor se vingasse que ele está fazendo isso? Por causa da
De fato, seu esconderijo nos fala muito dos nossos inimigos, os amonitas. E maneira como entende seu deus.

DIÁLOGO 19•2 2007 9


Apesar disso, em sua missão de Deus iria coroá-lo com sucesso. Vemos United 93, sugere que sim.
destruição, ele é levado a cair de joe- claramente que algo na sua visão de O filme é a história daquele fatídico
lhos no chão devido a uma luz muito Deus motivou aquela vil promessa. vôo – o último a se chocar em 11 de
brilhante. Então ele faz uma pergunta Os amigos de Jó vêm para confor- Setembro de 2001– onde os passagei-
para aquela voz que ouve: “Quem tá-lo. Ele está sofrendo uma tragédia ros tomaram conhecimento do que
és tu, Senhor?” (Atos 9:5 – NVI). A do tipo que a maioria de nós jamais estava acontecendo e lutaram pelo
reposta àquela pergunta irá transformar enfrentará, portanto é de se esperar controle do avião. Aquela nave caiu no
completamente tudo na vida dele. que os amigos estejam ao seu lado. interior da Pensilvânia.
Bom Deus, o que fizemos de Ti? Mas o que não é normal é o como eles A breve cena que leva ao final do
Bem, acabamos de considerar cinco escolhem confortá-lo. Eles o fazem filme mostra os passageiros reunidos,
histórias. Cinco histórias ligadas por dizendo que ele merece o que está acon- dispostos com coragem a invadir a
uma simples verdade: o tipo de Deus que tecendo! cabine. Ao mesmo tempo os terroris-
servimos determina a vida que vivemos. Aparentemente a sua compreensão tas se dão conta de que os passagei-
de como o mundo funciona, e mais ros agora sabem seu destino e estão
Fugindo de Deus especificamente, sua compreensão de prontos também para lutar. A tensão
Sem dúvida você conhece as histó- como Deus age no mundo, é o âmago cresce enquanto os terroristas esperam
rias muito bem. Você pode inclusive do que eles dizem. “Deus dá coisas alcançar seu destino – Washington
ter parado para pensar na figura central boas para pessoas boas e coisas ruins D.C. – e os passageiros têm esperança
de cada uma delas e como a compre- para pessoas ruins. Se você esta passan- de conseguir impedi-los e talvez, nesse
ensão de Deus afetou seu comporta- do por coisas ruins, então você deve ser processo, salvarem a si mesmos e tam-
mento de modo específico. Adão e ruim.” Sua compreensão de Deus os bém a outros.
Eva pecaram. Caíram de seu estado de guiou em tudo que fizeram e disseram. O momento crucial acontece quan-
perfeição. Prontamente perceberam sua do a câmera mostra duas cenas. A
nudez e sentiram, pela primeira vez, Vivendo fora do amor de Deus primeira cena é na cabine, onde um
vergonha. Então ouvem a voz de Deus. E, finalmente, Paulo. Na verdade terrorista ora desesperadamente ao seu
Deus está fazendo a primeira e mais quando esta história aconteceu o nome deus por ajuda. A segunda cena mostra
crucial pergunta das Escrituras: “Onde dele era Saulo. Saulo está determinado os passageiros, concentrados juntos no
vocês estão?” a destruir a nova seita. Está determina- fundo do avião, orando: “Pai nosso
Adão e Eva correm e se escondem. do a proteger Deus desses seguidores que estás nos Céus, santificado seja o
Por quê? Eles conheceram a Deus de Jesus de Nazaré. Então cai de joe- Teu nome...”. Assim que terminam
como um amoroso Criador. Por que lhos por causa da luz e ouve a voz do suas orações, cada grupo se move para
então se escondem? Seria pelo medo Céu. Ele ouve a voz que força a per- fazer o que eles acreditam que seu
da morte? Por vergonha? Por medo de gunta que sai de seus lábios: “Quem és Deus deseja que façam.
Deus? Seja qual for o motivo, havia tu, Senhor?” Saulo é então transforma- O tipo de Deus que servimos determi-
claramente algo na sua compreensão de do por esta nova compreensão de Deus na a vida que vivemos.
Deus que os levou a fugir. que não apenas mudará seu nome para
Má compreensão do caráter de Deus Paulo, mas que dali em diante o guiará A necessidade crucial:
Jefté fez um voto de sacrificar qual- para sempre por uma nova motiva- compreender o caráter de Deus
quer um ou qualquer coisa – dependen- ção – o motivo do amor. De fato é o corretamente
do de qual versão bíblica você estiver mesmo homem – este fogo devorador Se isto é verdade, então compreen-
usando – que lhe saísse ao encontro e purificador da fé – que depois disso der o caráter de Deus corretamente se
caso voltasse vitorioso da batalha. Tudo dirá: “Pois o amor de Cristo nos cons- torna decisivo. Talvez por isso foi que
que ele precisava era estar mais fami- trange, julgando nós isto: um morreu Ellen White escreveu há muitos anos
liarizado com o sagrado passado de por todos; logo, todos morreram.” É as seguintes palavras: “Os homens
seu povo para saber que Deus expres- o Seu amor que guia e controla tudo estão perdendo o conhecimento de Seu
samente proibiu sacrifícios humanos. o que eu faço (veja II Coríntios 5:14). caráter. Este tem sido mal compreen-
As nações ao redor deles faziam isto. Ele tem agora uma nova visão, uma dido e mal-interpretado. Neste tempo
Mas eles não deveriam nunca fazer nova compreensão de Deus. deve ser proclamada uma mensagem
o mesmo. Conhecer o Deus de seus Seriam essas histórias antigas ainda de Deus, uma mensagem de influência
antepassados teria salvado a vida de sua aplicáveis aos dias de hoje? Teria ainda iluminante e capacidade salvadora. O
única filha. Apesar disto, sua compre- a nossa compreensão de Deus influên- caráter de Deus deve tornar-se notó-
ensão de Deus indica que se ele apenas cia direta e formativa em nossas vidas? rio. Deve ser difundida nas trevas do
sacrificasse algo grande o bastante, O recente filme de Hollywood, Vôo mundo a luz de Sua glória, a luz de

10 DIÁLOGO 19•2 2007


Sua benignidade, misericórdia e ver- muita atenção. O que eu faço é o Pai” (João 14:9 – NVI). Isto significa
dade.”1 ‘estilo voltado ao paciente’. Quero que que nosso relacionamento com os que
Trevas devido à má compreensão de a pessoa se sinta confortável perto de concordam conosco como também com
Deus. A mensagem sobre Seu caráter irá mim. Olha, por que não abrimos sua os que discordam de nós deve ser segui-
iluminar o mundo. Poderia ser então barriga para descobrirmos o problema?’ do conforme a vida de Jesus. Isto sig-
que uma correta compreensão de Deus “Não com o seu bisturi; e não na nifica que o tratamento aos pecadores
seja a mais importante questão dirigida minha barriga. deve ser misericordioso assim como Ele
ao nosso mundo hoje? Antes de você “Isto soa tão bem, não é mesmo? foi. Significa que nossa missão, como
desconsiderar tudo isso como uma Estamos dando às pessoas uma expe- a dEle, não é condenar o mundo, mas
hipérbole de um cristão procurando riência com Deus. Mas se você tiver salvá-lo (veja João 3:17). Significa que
aumentar o interesse em Deus, consi- uma fé profunda em Deus e uma teo- servimos a Deus que é amoroso e bom,
dere o mundo no qual vivemos. É um logia superficial, você estará dando a si amigo e santo, grande e humilde. E isto
mundo fraturado por causa de com- mesmo a superficialidade e a falta de significa que desde que servimos a esse
promissos extremistas feitos a deuses senso, o que pode causar grande dano tipo de Deus, cada aspecto de nossa
radicais. Pensamos no Oriente Médio e a si mesmo e aos outros.”2 teologia e mais, cada escolha concer-
no terrorismo, uma realidade que está Não estaria Robinson simplesmente nente a como vivemos, e cada ação
sempre de emboscada. Mas devemos nos relembrando que o tipo de Deus que tomamos em nosso tratamento
também pensar em locais como Waco, que servimos determina a vida que vive- com outros, deve ser examinado à luz
Texas. Podemos falar sobre Bin Laden, mos? Esta é a lição do grande teólogo, do caráter de Deus. Porque é difícil
mas devemos também falar sobre ministro e escritor A. W. Tozer: “Se escapar da verdade de que nossas vidas
Warren Jeffs. Podemos focalizar nossa fôssemos capazes de extrair de qualquer são a conseqüência do tipo de Deus
atenção nos militantes islâmicos, mas pessoa a resposta completa para a per- que adoramos, conhecemos, amamos e
também devemos focalizá-la na Irlanda gunta ‘O que lhe vem à mente quando servimos.
do Norte, na disputa entre protestantes você pensa em Deus?’ poderíamos
e católicos. Podemos até considerar predizer com certeza o futuro espiritual
realidades mais localizadas, onde daquela pessoa.”3 Randall L. Roberts (D.Min.,
mesmo assim ocorrem danos dolorosos O mesmo vem do arcebispo William Seminário Teológico Fuller) é pastor
na disputa entre liberais e conservado- Temple, que disse: “Se seu conceito da Igreja Adventista do Sétimo Dia
res nas igrejas cristãs. Seria essa uma sobre Deus for radicalmente falso, da Universidade de Loma Linda e
forma muito simplista de sugerir que então quanto mais devoto você for, ensina Teologia na Universidade de
boa parte de tudo isso é guiada, plena pior será para você. Você se está abrin- Loma Linda. Este artigo baseou-
e simplesmente, pela maneira como do para ser moldado por algo básico. se em seu sermão pregado nessa
entendemos a Deus? Em termos da vida prática, seria igreja. Seu endereço postal: 11125
Se por alguma razão ainda precisar- melhor ser ateu.”4 Campus Street, Loma Linda,
mos ser convencidos da importância Finalmente, Oswald Chambers Califórnia 92354; EUA.
de como entendemos a Deus, consi- afirmou: “É perigosamente possível
dere as palavras de Haddon Robinson: construir suas concepções sobre Deus
“Não sei se você esteve em alguma das como chumbo derretido derramado REFERÊNCIAS
assembléias que eu estive, mas ouvi em um molde especialmente dese- 1. Ellen G. White. Parábolas de Jesus. 14ª ed.
Tatuí: Casa Publicadora Brasileira. p. 415.
pessoas se levantarem e dizerem: ‘Olha, nhado, e quando estiver frio e duro, o 2. Haddon Robinson. “The Danger of A Strong
eu não prego teologia. Penso que as arremessamos nas cabeças das pessoas Faith with A Weak Theology.”Preaching Today,
pessoas precisam ter uma experiência religiosas que discordam de nós.”5 Se Nº. 276, track 12.
3. A. W. Tozer. The Knowledge of the Holy. São
com Deus. Penso que as pessoas pre- esse é o caso, então precisamos pergun- Francisco: Harper, 1992. P. 9.
cisam aprender a se relacionar. O que tar: Quem é nosso Deus? Que tipo de 4. Citado por Haddon Robinson. “The
Danger of A Strong Faith with A Weak
estou fazendo é ajudar as pessoas quan- Deus eu sirvo? Theology.”Preaching Today, Nº. 276, track 11.
do vêm à igreja a ter essa experiência. Como cristãos afirmamos que a pró- 5. Oswald Chambers. Disciples Indeed. Londres:
Não gasto muito tempo com teologia.’ pria revelação de Deus foi feita através Oswald Chambers Publications Association,
and Marshall, Morgan, & Scott, Ltd., 1955. p.
Certo, eu pensei, você vai ao médico. de Jesus Cristo. Com esta confissão 14.
Você diz a ele que está com dor de vem a realidade de que cada faceta de
estômago. O médico responde: ‘Bem, nossa compreensão de Deus deve ser
é bom você saber que eu não gasto vista através das lentes de Jesus. Isto
muito tempo com remédios. Tive essa significa que devemos levá-Lo a sério
matéria no curso, mas eu não prestei quando Ele diz: “Quem me vê, vê o

DIÁLOGO 19•2 2007 11


Um dia para lembrar
Dan Smith Sábado é prazer isso é um claro sinal de que está enfa-
Na sexta-feira da semana da Criação, dado de Deus. Se o sábado não for um
A guarda do sábado é uma Deus fez Adão. Ele despertou, olhou prazer, provavelmente é porque o delei-
ao seu redor e percebeu que estava sozi- te não faz parte de sua concepção de
declaração ao Universo de nho. Então Deus criou Eva e lhes deu Deus. “Tenho-vos chamado amigos”,
que pertencemos a Deus, o dom que chamamos de sexualidade, disse Jesus (João 15:15). A essência da
nosso Criador e Redentor. que envolve mais do que o ato físico, amizade é o prazer.
sobretudo, o apoio mútuo e o amor É claro que o sábado tem seu prazer
entre o casal. intrínseco, mesmo sem Cristo. Não tra-
Mas eis aqui o problema: todo balhar é muito bom! Sair com a família
Isso realmente importa? A observân- mundo gosta de sexo. Mas Deus deu- e os amigos é agradável. Os jantares
cia do sábado, o sétimo dia de cada lhes mais um presente naquela sexta- de sábado podem ser muito aprazíveis!
semana, tem realmente importância? feira à tarde. O sábado! Por que todo Mas o propósito do sábado é a amizade
Por que não o domingo? Por que não mundo fala sobre um dos presentes e com Cristo!
qualquer dia? Afinal de contas, o des- não do outro? O sexo foi designado O sábado é apenas uma parte do ser
canso regular, físico e espiritual, é o que para o prazer e para a família, assim cristão, um seguidor de Cristo – para
importa. Não é o espírito da lei mais como o sábado! Isaías 58:13 chama viver como Ele, amar como Ele e ser-
importante que a letra? o sábado de deleitoso! As pessoas me vir como Ele. Isso é o que deveríamos
Vamos começar com a concessão perguntam: “Temos ainda de guardar o fazer todos os dias e muito mais no
da lei. Os israelitas eram escravos sábado? O sábado ainda é obrigatório sábado. É o dia de Cristo. É um “tem-
no Egito. Se você perguntasse o que para os cristãos?” Que tipo de pergun- plo no tempo,” como Abraham Joshua
faziam, eles diriam: “Somos fabricantes tas são essas? Ninguém pergunta aos Heschel notou. Jesus o fez. É um dia
de tijolos.” Pais? Fabricantes de tijolos. pastores: “Ainda podemos ter sexo? O para estar com Ele e torná-Lo conheci-
Avós? Fabricantes de tijolos. De 14 a sexo é obrigatório?” O sábado é con- do. Ele guardou o sábado e assim tam-
16 horas por dia, sete dias por semana. siderado como uma incrível dádiva, bém devemos fazer.
Sem feriados, sem férias. Moisés per- a melhor que Deus poderia conceder
gunta a Faraó se eles podem ir para o para nosso benefício e prazer. Um gosto de Céu
deserto e adorar a Deus. Faraó respon- Jesus disse à mulher samaritana: Guardo o sábado porque ele me traz
de: “Não. E vão procurar sua própria “Quem beber desta água tornará a ter um gostinho do Céu. O sábado é o
palha.” sede; aquele, porém, que beber da água memorial da Criação: “Porque, em seis
Deus envia pragas e Faraó os deixa que Eu lhe der nunca mais terá sede” dias, fez o Senhor os céus e a terra, o
partir; eles cruzam o Mar Vermelho e (João 4:13, 14). Aquela mulher havia mar e tudo o que neles há e, ao séti-
vão parar no Monte Sinai. O Senhor tido cinco maridos e não estava satisfei- mo dia, descansou; por isso, o Senhor
proclama em voz alta Seus Dez ta; continuava à procura da felicidade. abençoou o dia de sábado e o santifi-
Mandamentos e justamente no meio E Jesus lhe disse que deveria encontrar cou” (Êxodo 20:11). O Céu oferecerá
deles está o sábado: “Lembra-te do dia satisfação somente tendo relacionamen- tudo do modo como era na Criação.
de sábado, para o santificar. Seis dias to com Ele. Eis por que guardamos o O sábado aponta para o futuro, tanto
trabalharás e farás toda a tua obra. Mas sábado. quanto ou mais que para o passado.
o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Sim, Ele o tornou um mandamento. No Céu estaremos com Deus o
Deus; não farás nenhum trabalho...” Mas também era um presente – um tempo todo. Não trabalharemos aos
(Êxodo 20:8-10). dia para desfrutar e ser lembrado pelas sábados e estaremos livres para estar
O que Deus está querendo dizer? gerações futuras. “O sábado foi feito com Deus em tempo integral. Ali
“Vocês não são simplesmente fabrican- por causa do homem” (Marcos 2:27). adoraremos a Deus. Por isso vamos à
tes de tijolos. Vocês Me pertencem. Eu Ele já era um dom centenas de anos igreja aos sábados para adorar a Deus.
os fiz e os tirei do Egito. Vocês não são antes de se tornar mandamento. Caminhamos pela natureza, descan-
mais escravos, nem mais fabricantes de samos, comemos com nossa família e
tijolos. Não permitam ser definidos por Um dia para estar com Cristo amigos, porque essas são as coisas que
aquilo que fazem – mas pelo que vocês Apocalipse 3:20 diz que Cristo está faremos no Céu. Ali o tempo passará
são.” Assim o sábado, a cada semana, batendo à porta, esperando que a abra- lentamente porque nós o teremos em
nos lembra de quem somos realmente. mos e permitamos que Ele entre. O abundância. E assim, no sábado, redu-
Um dia para ser focado em quem você sábado é, afinal, uma abertura para o zimos a velocidade de tudo, em protes-
realmente é, alguém feito à imagem de nosso relacionamento com Deus. Se to contra a loucura de nossa vida diária.
Deus, para ser Sua alma gêmea. você estiver entediado com o sábado, Isso significa que se você de fato

12 DIÁLOGO 19•2 2007


quer ter uma regra definitiva para o em que sempre fico ansioso. Depois de vando o que Daniel faria: iria ele orar
que pode fazer no sábado, aqui está: se aterrissar no aeroporto de Los Angeles dentro do armário ou abriria as janelas
é certo fazê-lo no Céu, também é pró- e passar pela alfândega, empurro o e oraria do mesmo modo que sempre
prio fazê-lo no sábado. Daí se conclui carrinho pela rampa, viro numa esqui- fizera? Deus observou como Daniel
que o sábado tem gosto de Céu. na e ali há uma longa fila de pessoas subiu os degraus, e foi até o topo, pas-
A guerra terminou! apoiadas no gradil. E há meus filhos, sou pelo armário e abriu as janelas. E
Mais uma razão para guardar o prontos a me abraçar. Esses dois rapazes Deus disse: “Sim!” Daniel recusou-se a
sábado: ele é uma celebração de que a precisam ser os mesmos que estavam mudar seu modo de adoração. Algum
guerra terminou. Em Amsterdã, certa em minha casa quando parti! Enquanto dia Deus estará observando para ver
vez, alguém foi confessar-se com o estive fora, minha esposa não teria se iremos recusar mudar nosso dia de
sacerdote. muita dificuldade em trocá-los! Não, os adoração.
“Durante a guerra, mantive no sótão rapazes naquela grade teriam de ser os Você está disposto a ser como Daniel
um judeu, um refugiado.” mesmos que ela e eu criamos há muitos e decidir que Deus é digno de irmos
“Isso não é pecado.” anos! Desse modo, quando Deus voltar, diretamente para a janela, e escancará-
“Sim, mas eu cobrei 20 florins cada o sábado tem de ser o mesmo dia que la adorando-O no sábado legítimo,
semana que ele ficou lá em cima.” Ele próprio criou há muito tempo. sem qualquer vergonha, orgulhosos de
“Isso não é bom, mas foi por uma Temos uma família iraquiana com tomar uma posição ao lado de Deus?
boa causa.” três filhos em nossa igreja. Os mais
“Certo, isso ajuda. Mas posso fazer velhos foram para o Iraque e acabaram
mais uma pergunta: Devo dizer a ele se casando com duas irmãs da igreja Dan Smith é pastor titular da Igreja
que a guerra terminou?” em Bagdá (essa é uma grande história!). da Universidade La Sierra, em
A guerra acabou. Cristo ganhou a Imagine que na primeira cerimônia, Riverside, Califórnia, EUA. E-mail:
batalha! Ele bradou: “Está consumado!” quando o irmão mais velho entrou na dsmith@lschurch.org
No sábado celebramos o fim da guerra! limusine a fim de partir para a lua-
Durante seis dias estamos em meio de-mel, a irmã mais nova entrasse no
a uma guerra. Mas cada sétimo dia carro. Ele diz: “O que pensa que está
fazemos um intervalo; temos o sábado, fazendo?”
um sinal daquilo que, um dia, será para “Indo para a lua-de-mel.”
sempre, quando todo o mal for extinto
e tudo voltar ao que deveria ser; todo o
“Não, você não. Vá buscar sua irmã.”
“Ora vamos, isso não tem importân-
Diálogo grátis
Universo estará em ordem novamente. cia, tem? Nós somos bastante seme- para você!
Mas isso realmente importa? lhantes; viemos da mesma família; não Se você é um estudante adventista do
Qual o dia que realmente importa? importa qual de nós duas vá. Por favor, sétimo dia que freqüenta faculdade ou
Vamos ver se esta ilustração ajuda: eu quero ir!” universidade não-adventista, a Igreja tem
Bandeira – você pode pegar alguns O que ele vai dizer?! “Saia do carro!” um plano que lhe permitirá receber gratui-
retalhos e limpar seus móveis ou esfre- Nos relacionamentos, isso importa. O tamente a revista Diálogo enquanto você
gar o carro com eles. Mas no momen- sábado tem aquele tipo de importân- estiver estudando (aqueles que não são mais
to em que você os costura para fazer cia simbólica para Deus. Ele faz uma estudantes podem assinar Diálogo usando o
a bandeira de seu país, algo acontece. tremenda declaração para que nos cupom da página 6). Entre em contato com
Agora você não pode polir seus sapatos importemos o suficiente com Deus, a o diretor do Departamento de Educação ou
com eles. Eles se tornaram “sagrados”. fim de adorá-Lo no próprio dia que Ele do Departamento de Jovens de sua União,
e peça que seu nome seja colocado na lista
Pessoas morreram por essa bandeira. reservou há milhares de anos.
de distribuição da revista. Forneça seu nome
Assim diz Deus: “Trabalhe nos Você está pronto para tomar uma completo, endereço, faculdade ou univer-
outros seis dias, mas o sétimo dia é o posição? sidade onde está estudando, o curso que
dia de descanso do Senhor seu Deus.” Em Daniel, capítulo 6, lemos que o está fazendo e o nome da igreja onde você
(Êxodo 20:11–BV). Deus o tornou um rei fez uma lei obrigando todos a diri- é membro. Você pode também escrever
dia santo, sagrado. Isso representa algu- girem orações somente a ele. Muitas para os nossos representantes regionais nos
ma coisa, semelhantemente ao que a pessoas foram correndo para ver se endereços indicados na página 2, anexando
bandeira significa. Ela faz uma declara- Daniel mudaria seu modo de adoração. uma cópia da carta que enviou aos diretores
ção de quem você é e de suas lealdades Cremos que algum dia alguém fará da União já mencionados. Caso os passos
supremas. outra lei e todos observarão se você ou acima não produzirem nenhum resultado,
Quando retorno das viagens de eu mudaremos nosso dia de adoração. você poderá contatar-nos via
e-mail: schulzs@gc.adventist.org
palestras no exterior, há um momento Mesmo Deus estava no céu obser-

DIÁLOGO 19•2 2007 13


A atitude de Jesus para com as mulheres
Miguel Ángel Núñez de Jesus para com as mulheres em Seus ele podia exercer baseado em considerações
ensinamentos e ministério que contras- que hoje parecem frívolas e dignas de riso.
Por Seu exemplo, o tou com as atitudes em relação à mulher Posição legal. A palavra de uma mulher,
no primeiro século da sociedade judaica. num tribunal, precisava ser confirmada
Salvador restaurou o pelo menos por três homens, de outro
prestígio e a dignidade das A posição da mulher modo, não tinha valor.
mulheres perante Deus e na sociedade judaica Educação. Não era permitido à mulher
As sinagogas do primeiro século mantêm entrar em uma sinagoga para estudar; era
começou uma revolução registros somente de homens. Homens considerado perda de tempo.
silenciosa, mas duradoura. e meninos podiam entrar nas sinagogas Religião. Não era permitido que as
para adorar, mas para as mulheres e mulheres se aproximassem do Lugar
meninas havia uma divisória separada Sagrado no templo. Na época de Jesus,
Sua vida na terra foi breve – somente onde era permitido que elas se sentassem. havia um pátio no templo para as mulhe-
33 anos e meio. Seu ministério foi ainda Salvação. A tradição afirmava que as res, localizado fora dos recintos reservados
mais breve – apenas três anos e meio. mulheres não tinham direito à salva- para sacerdotes e outros homens, e uns
Mas ninguém, com sua vida e ensina- ção por seus próprios méritos. A única 15 degraus abaixo, que indicava a posição
mentos, impactou tanto a história de esperança de salvação era se unir a um subordinada da mulher.1
uma maneira tão intensa quanto Jesus. devoto homem judeu. As prostitutas
O que Ele ensinou e o que fez alterou eram excluídas porque não tinham esse Uma revolução silenciosa
o curso da história e dramaticamente vínculo, e viúvas precisavam ter sido Jesus não começou uma revolução
mudou e continua mudando milhões casadas com um judeu piedoso para ter aberta contra o sistema que colocava as
de vidas ao redor do mundo. Seus ensi- esse privilégio. mulheres em uma posição subordinada.
namentos têm afetado cada aspecto da Associação em público. Um homem era Todavia, Sua vida fez um manifesto. “Não
vida – religião, educação, trabalho, ética, proibido de falar com uma mulher em encontramos em nenhuma de suas ações,
saúde, justiça social, desenvolvimento lugares públicos. Um rabi deveria igno- seus sermões ou suas parábolas nenhuma
econômico e as muitas artes e ciências rar uma mulher em público, mesmo se depreciação referente às mulheres, tais
do viver humano. ela pacientemente persistisse em busca como podemos facilmente encontrar em
Uma faceta da missão de Jesus que de algum urgente conselho espiritual. qualquer de seus contemporâneos.”2
é menos conhecida, mas digna de ser Responsabilidade pelo pecado. Em Considere alguns exemplos de como
recapitulada, é Sua atitude para com as um enterro, as mulheres caminhavam Jesus relacionou-Se com as mulheres.
mulheres. Isto é particularmente impor- à frente do caixão. Elas eram conside- Jesus convidou as mulheres para serem
tante à luz de como o mundo na época radas responsáveis pelo pecado e, por Suas discípulas. Contrariando as expec-
de Jesus tratava as mulheres. Romanos isso, encabeçavam a procissão, levando tativas contemporâneas, Jesus deu as
e gregos, judeus e gentios, davam às a culpa pelo que havia acontecido. Os boas-vindas às mulheres em seu círculo
mulheres nada mais que a segunda clas- homens, não se sentindo responsáveis, íntimo de discipulado (veja Lucas 8:1-3).
se, como se elas fossem prestativas ferra- caminhavam atrás do corpo. Esta atitude contradisse as especulações
mentas em uma sociedade de domínio Impureza. As mulheres eram conside- rabínicas. As mulheres que seguiram a
machista – cozinhar, dar à luz e criar as radas cerimonial e socialmente impuras Cristo desprezaram os postulados da
crianças e desempenhar qualquer função durante seu período menstrual. Durante época. Elas se tornaram cuidadosas admi-
que lhes estivesse designada dentro das sua menstruação, elas eram isoladas. Até nistradoras de seus recursos e apoiaram a
paredes de sua casa. Casos individuais mesmo aos membros da família não era missão de Cristo em momentos críticos
de liderança e valentia se destacam em permitido chegar perto para não serem (Lucas 8:13). “Uma coisa era as mulheres
vários lugares, mas muitas mulheres contaminados. serem desobrigadas de aprender o Torah
estavam sob o domínio dos homens. Gravidez como chave de valor. Aos e proibidas de associar-se com um rabi,
Elas eram consideradas uma proprieda- olhos da sociedade, o valor de uma outra totalmente diferente era viajarem
de, transferida de pai para marido. mulher estava vinculado a sua habilidade com um rabi e se responsabilizarem pelos
Em um mundo como aquele, Jesus de dar à luz. A esterilidade era um estig- assuntos financeiros.”3 Elas fizeram isso.
veio e abriu novas perspectivas de igual- ma social terrível. A responsabilidade da Simplesmente revolucionário!
dade e dignidade humanas. Ele se opôs mulher era dar à luz bebês do sexo mas- Jesus aceitou a hospitalidade das mulheres
às tradições e procurou direcionar os culino que perpetuariam, desta maneira, e ensinou-as. O mais importante exemplo
homens e as mulheres de volta ao plano o nome do pai. é aquele da associação com Maria, Marta
original de Deus para a humanidade. Divórcio. Era privilégio do homem e Lázaro. O Mestre encontrou descanso
Este artigo revê brevemente a atitude iniciar um processo de divórcio, o qual e companheirismo na casa deles (Lucas

14 DIÁLOGO 19•2 2007


10:38-42). Enquanto um rabi judeu as mulheres poderiam ser salvas somen- ungi-Lo fez uma bonita ação, mostran-
quase não olhava para uma mulher, te pela união com um devoto homem do às gerações futuras que, como ela,
Jesus não hesitou em falar com Maria e judeu, Jesus convidou tanto homens todos os pecadores podem ter a certeza
Marta em público ou em ensinar-lhes as quanto mulheres a se voltar para Deus e da salvação ao ir até o Salvador e colo-
grandes verdades sobre a morte e ressur- a aceitar o presente da salvação. car sua vida a Seus pés, em rendição
reição (veja João 11). Em outro caso, a defesa e o perdão de (Marcos 14:1-9; Lucas 7:36-50).
Para Jesus, mulheres e homens eram Cristo a uma mulher pega em adultério Jesus usou homens e mulheres para
igualmente importantes quando se revelaram que Sua definição de pecado simbolizar os atos de resgate de Deus. Em
tratava de ensinar sobre as boas-novas e provisão para salvação estabelecia tra- Lucas 15, Jesus contou três parábolas
de Seu reino. Na época em que foi tamento igual a todos. Quando alguns para ilustrar a profunda e eterna verdade
dito “é melhor queimar as palavras do líderes religiosos trouxeram perante Ele da procura de Deus pela humanidade
Torah que confiá-las ao cuidado de uma mulher pega em adultério, Cristo perdida. Ao passo que as parábolas da
uma mulher”,4 Jesus indicou que entre a defendeu. Ele sabia que os líderes ovelha perdida e do filho pródigo ilus-
as escolhas abertas às mulheres, Maria judeus, ao fazer a acusação contra a tram a procura de Deus através de figu-
“escolheu a boa parte, e esta não lhe mulher, estavam, eles mesmos, violando ras masculinas, do cuidado do pastor e
será tirada” (Lucas 10:42 – NVI). Desta as leis de Moisés. A lei levítica estipulava o amante pai, a parábola da moeda per-
forma, mostrou que a educação não era que ambos, homem e mulher, deviam dida revela a procura de Deus através da
para ser um monopólio dos homens ser submetidos a julgamento em tais cuidadosa e persistente missão de uma
e que as mulheres também tinham o casos (Levítico 20:10), mas os críticos de mulher que não sossegou até encontrar
direito de aproveitarem as oportunidades Jesus trouxeram apenas a mulher, e não a moeda e regozijar-se com seus amigos
para se educarem. os homens envolvidos no suposto ato. (Lucas 15:8-10). Para os ouvidos lega-
Outro exemplo da atitude diferente A lei também requeria pelo menos duas listas daquela época isto deve ter soado
de Jesus para com as mulheres foi a testemunhas (Deuteronômio 19:15), herético.
revelação de Sua Missão a uma mulher. mas os fariseus não levaram nenhuma. Jesus dignificou as mulheres como
Na mais longa conversa registrada nos A resposta de Cristo não somente deu primeiras testemunhas do maior evento
Evangelhos, Jesus revelou à mulher no à mulher acusada o benefício da lei, da história humana – Sua ressurreição.
poço samaritano (João 4:4-42) algumas mas também mostrou aos presentes As tradições rabínicas consideravam as
das mais profundas doutrinas do reino: que Seu evangelho de perdão, baseado mulheres como mentirosas por natureza.
a natureza do pecado, o significado da no arrependimento, estava aberto a Conceito que advinha da reação de Sara
verdadeira adoração, a disponibilidade todos. Assim Ele disse esta notável frase: ao ser dito que ela teria uma criança
de perdão para aqueles que se arre- “Aquele que dentre vós estiver sem peca- (Gênesis 18:9-15). No modo de pensar
pendem, a igualdade de todos os seres do seja o primeiro que lhe atire pedra” deles, a negação e o riso de Sara caracte-
humanos independentemente de serem (João 8:7). Em outras palavras, Jesus rizavam-se como uma mentira diante de
judeus ou samaritanos. Assim, em uma disse aos homens: se vocês têm coragem Deus que sempre diz a verdade. Assim,
simples conversa no poço samaritano, de acusá-la, primeiro olhem para vocês por causa dela, todas as mulheres des-
Jesus rompeu dois preconceitos: de mesmos em um espelho. cendentes eram consideradas mentiro-
gênero e de raça. Jesus permitiu a uma mulher pecadora sas.5 Nenhuma mulher era aceita como
Jesus reconheceu que à vista de Deus a ungi-Lo. Quando Jesus foi convidado testemunha. Todavia, Jesus rejeitou esta
família de Abraão inclui filhos e filhas. para uma festa na casa de Simão em perversa tradição e escolheu mulheres
Ao curar a mulher incapacitada por 18 Betânia, uma mulher conhecida no como as primeiras testemunhas de
anos, Jesus colocou Suas mãos sobre ela povoado por sua má reputação lançou-se Sua ressurreição (Mateus 28:8-10),
e afetuosamente a definiu como “filha aos pés de Jesus e o ungiu. Aqueles que “constituindo-as não somente como as
de Abraão” (Lucas 13:10-17). Por usar estavam reunidos na festa, incluindo primeiras receptoras da mais importante
esta designação, Jesus advertiu em públi- Seus discípulos, condenaram o inciden- mensagem do cristianismo mas as pri-
co que as mulheres seguramente, tanto te. Como era possível uma mulher peca- meiras a proclamá-la”.6 Jesus reprovou
quanto os homens, herdam os direitos dora tocar os pés do Messias, ungi-Lo e os discípulos por não crerem no tes-
prometidos a Abraão, e à vista de Deus secar Seus pés com seus cabelos? Uma temunho daquelas mulheres (Marcos
não há nem homem nem mulher. ofensa absoluta às tradições religiosas! 16:14) e desta maneira incentivou-os a
Em nenhuma parte da Bíblia está Os que estavam ao redor de Jesus não rejeitarem os preconceitos do passado e
estabelecido que os homens têm van- podiam entender, muito menos aceitar, caminharem à luz de Seu reino, no qual
tagem sobre as mulheres em termos de o ato de uma mulher ou a atitude de não há nem homem nem mulher.
acesso à salvação. Contrariamente às Jesus em permitir que ela fizesse o que
tradições rabínicas que ensinavam que fez. Mas Jesus disse que a mulher ao Continua na p. 21

DIÁLOGO 19•2 2007 15


PERFIL
Birgit Philipsen
Diálogo com a primeira mulher
vice-presidente regional da Adra

lho na Adra. Ela está particularmente ■ Em seu trabalho, a senhora tem opor-
qualificada para a posição. Além de seu tunidade de compartilhar sua fé?
entusiasmo e experiência, seus estudos Sim, quase diariamente. Trabalhar
de pós-graduação sobre desenvolvi- com filantropia propicia contatos com
mento na Universidade Andrews lhe pessoas do governo e de embaixadas
foram úteis também. Seu mestrado que são muito cultas e bem posiciona-
foi sobre o transtorno de estresse das. Encontrei muitas oportunidades
pós-traumático em funcionários de para conversar sobre o serviço da Adra
agências de desenvolvimento. A pes- e da Igreja Adventista, pois sempre
quisa revelou que esses indivíduos, me preocupei em enfatizar que a Adra
semelhantemente aos soldados, são é uma agência de desenvolvimento
Se existe alguém que pode des- expostos a altos níveis de estresse e da igreja. Geralmente as pessoas com
crever detalhadamente as atividades trauma, devido à própria natureza de quem entro em contato conhecem
da Agência de Desenvolvimento e seu trabalho nas regiões afetadas pela pouco da Igreja Adventista, e isso pro-
Recursos Assistenciais (Adra), e que guerra e pobreza. Em muitos casos, porciona boas conversas.
também compartilha o entusiasmo e eles correm riscos de estupro, assalto Quando levamos avaliadores e jorna-
comprometimento da agência em ser- e roubo. Alguns sofrem estresse por- listas que desconhecem nosso trabalho
vir à humanidade, essa pessoa é Birgit que não têm um propósito definido ou para visitar nossos projetos, eles se tor-
Philipsen. Ela é dinamarquesa, diretora uma descrição do trabalho. O estudo nam nossos melhores porta-vozes. Eles
do Escritório Regional da Adra na também mostrou que o treinamento vêem nossos programas e sistemas de
África, em Nairobi, Quênia, e é a pri- prévio dos funcionários poderia ajudá- trabalho e ficam impressionados.
meira mulher vice-presidente da Adra. los a enfrentar tais riscos, e capacitá-
O escritório supervisiona o trabalho los a voltar à “vida normal”. ■ Existem muitas agências de desenvol-
da agência em cerca de 35 países, de Philipsen cresceu falando faroese e vimento e recursos assistenciais. O que
Serra Leoa, no oeste, até a Etiópia, no é poliglota. Fala inglês, dinamarquês, faz a Adra ser especial?
leste. norueguês, francês, alemão, “se vira Sua conexão com a igreja. Já traba-
Philipsen conhece bem a Adra. Após bem” na língua creola e está aprenden- lhei muito na área filantrópica, princi-
terminar seus estudos em Collonges, do o suaíli. palmente na Dinamarca. Tivemos mui-
França, lecionou no Ensino Médio, na tas avaliações e visitas ou consultores
Noruega, por pouco tempo. A vocação ■ Quando a senhora se interessou pelo do governo e companhias estrangeiras,
em relação à agência era muito forte trabalho assistencial? e uma coisa que ouvi várias vezes foi
para ser ignorada e, em 1991, ela uniu- Aos 18 anos, durante o Ensino que eles estavam maravilhados com o
se à equipe da Adra-Dinamarca como Médio na Noruega, assisti a um filme comprometimento que viram. Somos
secretária. Durante essa fase, ela e sobre missionários e, repentinamente, uma organização firmada na fé. O ser-
seu esposo educaram suas três filhas, senti como se Deus estivesse me cha- viço da Adra não é apenas uma ocupa-
e Philipsen aprendeu sobre finanças, mando para ir à África. Tive respostas ção, mas um chamado e comprometi-
logística, desenvolvimento de projetos claras às minhas orações e, aos 19 anos, mento, e isso pode ser sentido mesmo
etc. Em 2000, ela se tornou diretora fui à África como estudante missioná- em pessoas de outras denominações
da Adra, na Dinamarca, e foi escolhida ria. Planejava trabalhar como professo- que trabalham para nós. Eles são
para a posição atual em 2006. ra na Noruega, mas fui para Serra Leoa influenciados por essa cultura cristã.
Ainda que mais de 70% de seu por um ano. Após me casar e trabalhar
tempo em 2006 tenha sido consumi- muitos anos pela Adra, na Dinamarca, ■ De que maneiras a Adra apóia a mis-
do em cansativas viagens pela África, eu e minha família nos mudamos para são da Igreja Adventista?
Philipsen está animada com seu traba- a África em 2006. Talvez o apoio mais significativo seja

16 DIÁLOGO 19•2 2007


que a ADRA encoraja os adventistas saúde e à provisão de alimentos, para cuidando da família que amo. Ter um
a ajudar os necessitados ao seu redor. atingirmos o principal objetivo do trabalho desafiante pode enriquecer a
Muitas vezes os membros da igreja, desenvolvimento comunitário. Em vida familiar, pois há muitas histórias e
especialmente os jovens, têm dificul- Ruanda, por exemplo, milhares de fotos para compartilhar.
dades em se identificar com a igreja. adultos fizeram os programas de apren- Terceiro, aprender com os outros.
Os jovens nem sempre apreciam muito dizagem funcional, aprendendo não Ao seu redor há pessoas que sabem
teologia, mas na Adra eles vêem um somente a ler e escrever, mas também se manter alegres, mesmo quando as
desafio, uma identidade, uma igreja habilidades práticas. Quando associa- coisas não estão fáceis. Há muito que
pronta a servir. mos o ensino prático à alfabetização, as aprender com os outros. Afinal, esta-
Como igreja, podemos ter a tendên- pessoas aprendem melhor. mos realizando um trabalho que Deus
cia de esperar que as pessoas venham Em Uganda, investimos muito no quer que façamos.
até nós. Convidamo-las a reuniões que treinamento de professores. Isso inclui
cremos que elas deveriam assistir. Na não apenas ensinar habilidades profis- ■ Se há leitores interessados em servir a
Adra é o contrário: ela vai aonde os sionais para a condução de uma sala de Adra, que devem fazer?
indivíduos estão. É a igreja alcançando aula, como também motivar professo- Não pense que obtendo determinada
e ajudando os necessitados. res para permanecer em escolas rurais. formação educacional você acabará
Fico feliz porque há instituições Providenciamos casas a esses professores trabalhando na Adra, pois ela necessita
adventistas com pessoas treinadas que e lhes ensinamos como manter sua de pessoas de diferentes áreas. Muitas
asseguram a qualidade do trabalho da moradia. Treinamos associações de pais vezes, os melhores indivíduos que
Adra. Essa deve ser uma das razões do e mestres para a administração da esco- temos são os que têm um diploma
sucesso da agência em alguns locais la depois que partirmos. Com o apoio universitário na área de seu interesse.
onde outras organizações fracassam. da comunidade, construímos 110 Porém, faça uma pós-graduação em
Ou seja, temos muitos indivíduos escolas, treinamos 5.500 professores e desenvolvimento. Isso lhe dará uma
comprometidos com o serviço porque estabelecemos 80 associações de pais e ampla visão da educação e competên-
freqüentaram e foram treinados nas mestres. cias apropriadas em desenvolvimento.
instituições educacionais adventistas. Como trabalhar para a Adra? Tente
Eles possuem um senso de missão e se ■ O que lhe proporciona maior prazer o trabalho voluntário por alguns
tornam obreiros eficazes. em seu trabalho? meses ou um ano, e assim você terá
Poder trabalhar com pessoas e ver uma noção de como é esse serviço
■ Quais são algumas coisas que geral- como esse trabalho está realmente no campo de trabalho. Você também
mente desconhecemos sobre a Adra? mudando a vida delas para melhor. conhecerá outras pessoas na Adra, e
Todos estão cientes de que a igre- saberá melhor que atividade na agência
ja tem instituições educacionais ao ■ Desapontamentos e frustrações acon- lhe interessa mais.
redor do mundo, mas quantos sabem tecem. Como a senhora lida com esses
que a Adra auxilia pessoas que não desafios?
conseguem freqüentar essas escolas? Primeiro, sei que nunca estou Entrevistada por Kimberly
Ministramos cursos de alfabetização sozinha. Deus está sempre comigo. Luste Maran
para adultos, programas de educa- Já enfrentei vários desafios e apenas
ção para mulheres, de educação em disse: “Senhor, preciso de sua ajuda
saúde, de conscientização da Aids etc. agora.” Ele nunca me abandonou. Esse Kimberly Luste Maran é editora-
Construímos salas de aulas e treinamos é um dos segredos para seguir avante, assistente das revistas Adventist
professores. Ajudamos instituições de mesmo quando o trabalho é difícil e Review e Adventist World (www.
saúde pública na compra de equipa- apresenta constantemente situações de adventistreview.org e www.adven-
mentos e no treinamento de educação difícil resolução. tistworld.org).
de saúde comunitária. Segundo, mantenha o equilíbrio.
No final de meu trabalho na Adra- Por exemplo, mesmo quando as coisas E-mail de Birgit Philipsen:
Dinamarca, percebemos que na África estão agitadas, decidi não comprometer birgit@adra-africa.org
é importante ajudar as comunidades o sábado. É necessário haver um equi-
a desenvolver suas próprias compe- líbrio entre trabalho e culto, e trabalho Para oportunidades de trabalho na
tências para solucionar problemas. e família. Para ser sincera, não é fácil. Adra, visite http://jobs-adra.icims.
Trabalhamos não apenas comprometi- Quando minhas filhas eram pequenas, com/adra_jobs/jobs/candidate/intro.
dos com a educação na comunidade, era uma luta manter tudo sob contro- jsp
mas também associando a educação à le, envolvida no trabalho que gostava e

DIÁLOGO 19•2 2007 17


PERFIL
Jordi Baget
Diálogo com um pintor
adventista da Espanha

■ Como o senhor tornou-se um pintor ■ Mas o senhor também pinta natureza-


em tempo integral? morta...
Ainda que meus pais tenham me É verdade. Gosto de pintar natu-
incentivado a desenhar e a pintar desde reza-morta. Tenho aprendido muito
criança, não creio que eles esperavam enquanto pinto esses tipos de quadros.
que essa seria a vocação da minha vida. Na frente de uma composição de
Como gostava da área de artes, eles me natureza-morta pode-se observar em
matricularam numa escola de artes e detalhes o jogo de luzes e sombras, os
num conservatório para estudar músi- valores artísticos de volumes, texturas
ca. Mais tarde, eles me arrumaram um e formas. Penso que essa forma de pro-
trabalho numa marcenaria de móveis funda concentração me ajuda a captar
finos esculpidos à mão. Essa foi uma melhor minhas cenas.
Nascido em uma família adventista, atividade difícil, mas muito criativa,
Jordi Baget manifestou bem cedo seu que me deu uma noção clara de volu- ■ Onde o senhor normalmente pinta?
interesse pela pintura. Quando tinha mes, saliências e formas. Mas prefiro Geralmente no meu ateliê, mas
12 anos, seus pais o incentivaram a pintar. No início, para me manter costumava pintar muito ao ar livre.
estudar arte. Suas excelentes notas lhe financeiramente, fazia muitos trabalhos Quando se retrata a natureza, a luz
permitiram ser aceito na renomada comerciais. Nem sempre gostava disso, muda constantemente. Temos de
Real Academia de Belas Artes de San mas fui ganhando experiência. observar bem e trabalhar rápido. Hoje,
Jorge, em Barcelona. Para dominar a prefiro tirar fotos e trabalhar no estú-
difícil técnica de pintar retratos, ele ■ O senhor já nasceu artista ou se tor- dio dentro do meu próprio ritmo,
freqüentou posteriormente o Real nou um? usando-as para uma referência geral.
Círculo Artístico de Barcelona. Um pouco de ambos. Mas somente Posso pintar a partir das fotos somente
Vivendo num local conhecido pela o trabalho duro e persistente conduz porque já trabalhei muito ao ar livre.
arte, o pintor, que florescia, visitava ao sucesso em qualquer área.
exposições e museus de artes de sua ■ E que técnicas prefere utilizar?
famosa cidade natal, e isso causou ■ O senhor tem alguns temas preferidos? Minhas técnicas hoje são muito
um profundo impacto na sua paixão Sinto-me atraído por cenas com pes- ecléticas e pessoais. Para meus quadros
pela pintura. Durante sua carreira, soas em movimento, como mercados, figurativos, uso principalmente óleo
os talentos artísticos de Baget foram portos, praias com pescadores, cenas e acrílico que eu mesmo preparo com
amplamente reconhecidos. Já em 1982, urbanas e crianças brincando. A razão materiais básicos. Sempre evitei aqua-
ele foi condecorado com o Prêmio é, principalmente, pelas dificuldades relas, pois me parecem muito difíceis!
Nacional de Pintura da Espanha. Seu adicionais que essas cenas apresentam Mas, para meus projetos abstratos, uti-
trabalho tem sido exibido em exposi- ao artista, a partir do ponto de vista lizo também, além do óleo e do acrí-
ções individuais e coletivas em vários técnico. Obviamente, é mais fácil lico, alguns componentes de madeira,
centros europeus. pintar uma paisagem serena, sem argamassa, vários tipos de areia e terra,
Jordi Baget é membro e organista movimento. Gosto de ambos, mas fico e até mesmo materiais sintéticos. Isso
da Igreja Adventista do Sétimo Dia de vibrando ao superar o desafio técnico me permite explorar diferentes concei-
Urgell, Barcelona. do movimento. tos criativos sobre efeitos em texturas,
que são adaptados à inspiração do

18 DIÁLOGO 19•2 2007


momento, do tema e do meu tem- ■ Gostaria de compartilhar uma histó- ■ Como o fato de ser um cristão com-
peramento. Atualmente, estou muito ria pessoal? prometido afetou sua vida artística?
empenhado nesse tipo de exploração Como artista, prefiro não repetir Ser cristão ajuda muito o artista,
artística, buscando novas maneiras de quadros porque me lembra o lado pois Deus nos motiva e nos inspira a
representar abstrações estéticas. comercial da arte. Em uma de minhas realizar um trabalho melhor. Uni-me
melhores exposições em Barcelona, um à Igreja Adventista através do batismo
■ Numa retrospectiva, o senhor poderia senhor me disse que queria comprar aos 17 anos, e considero um grande
identificar períodos específicos em sua um de meus quadros, mas saiu sem privilégio ser um cristão que crê na
carreira? adquiri-lo. Pouco depois, outra pessoa Bíblia. Olhando ao redor, posso dis-
Fico surpreso ao observar que minha veio e comprou-o. No dia seguinte, o cernir a Deus como um artista com
trajetória é bastante consistente. primeiro cliente veio comprar a obra, extraordinária e fascinante criatividade.
Entretanto, ao redor do ano 2000, mas já tinha sido vendida. Ele ficou Quando penso que Ele nos criou à
comecei a explorar novas formas de muito decepcionado e até bravo. “Por sua imagem, fico maravilhado e grato.
expressão abstrata. Pode-se dizer que favor”, suplicou-me, “pinte outro Aprendo de Deus a cada dia e, ainda
o “Baget clássico” é mais figurati- igualzinho para mim!”. Aceitei fazer que me sinta muito pequeno em Sua
vo, enquanto o “Baget atual” é mais outro semelhante, mas não idêntico presença, compartilho da alegria de
impressionista e abstrato. ao primeiro. Esse cliente era o famoso criar algo através dos talentos que Ele
escritor espanhol Manuel Vázquez me deu.
■ O que lhe dá maior satisfação em seu Montalbán.
trabalho? ■ Que conselhos daria a um jovem
Gosto muito do sentimento de liber- ■ E o que o deixa frustrado no trabalho? interessado em tornar-se um pintor pro-
dade diante da tela, sabendo que estou Fico um pouco triste quando não fissional?
criando algo novo. Com o devido consigo alcançar meus objetivos numa Trabalhe duro. Aprenda bem as
respeito à imensa diferença, acho que pintura. Por essa razão, não gosto de técnicas. Observe muito. Estude as
entendo o texto do relato da criação pegar encomendas. Também evito o obras-primas. Não se esqueça que seus
quando “Deus viu que tudo o que máximo possível pintar retratos. Não melhores professores são a vida e a
havia feito era muito bom” (Gênesis apenas porque raramente é apreciado natureza. Peça a Deus para dirigir sua
1:31–NTLH). Não há maior alegria pela pessoa retratada, mas também vida e fazer você feliz em Seu serviço.
que esse sentimento de satisfação, de porque esses quadros parecem restrin-
realização, quando você completa um gir minha liberdade.
trabalho que se tornou um sucesso. Entrevistado por
Quando decido criar algo, não tenho ■ O que faz quando não gosta do qua- Roberto Badenas
uma idéia específica. Fico diante da dro que pintou?
tela, totalmente aberto à inspiração. Apago todo o projeto e começo
Então trabalho bastante, seguindo novamente. Sou bastante paciente e Jordi Baget pode ser contatado
minhas intuições. Não paro de pintar resiliente, qualidades importantes para através do e-mail: jordibaget@gmail.
até estar satisfeito e gostar do resulta- os pintores. Raramente desisto. com. Seus telefones são: (+34) 93
do. 871 29 03 ou (+34) 61 774 29 89.
■ O senhor também é músico! Vi-o tocar
■ Há algum quadro favorito entre todos órgão na igreja. Roberto Badenas é diretor de
os outros? Desde criança gosto de música. educação da Divisão Euro-Africana
Sim, guardo em casa dois quadros Estudei piano e composição no con- e representante da Diálogo. E-mail:
que penso que não os venderia. Um servatório com excelentes professores. roberto.badenas@euroafrica.org
de natureza-morta, com cebolas, Freqüentemente toco órgão na Igreja
e o outro, um cenário urbano em Adventista Central de Barcelona.
Budapeste. Essas duas obras, até agora, Apesar de ser um amador, toco na
foram as que me trouxeram maior igreja como meu humilde serviço ao
satisfação. Mas minha família, meus Senhor. O que mais gosto é de compor
clientes e a maioria dos amigos prefe- músicas para coral e piano usando o
rem outros quadros. computador.

DIÁLOGO 19•2 2007 19


LOGOS Presbiopia organizacional
As organizações também podem desen-

Visão melhor para o volver a presbiopia. Com a experiência


vem a capacidade de enxergar melhor o
quadro todo, a verdade. Mas as organiza-
corpo de Cristo ções envelhecem e podem perder a visão
de detalhes importantes. A IBM caiu na
Lisa M. Beardsley emboscada da Apple, que foi fundada por
Steve Job, com apenas 20 e poucos anos,
e Steve Wozniak, somente cinco anos
Como o cego de nascença, Grega e os textos no PDA, meu compu- mais velho. A IBM investiu nos main-
tador de mão, começaram a ficar impre- frames, computadores de grande porte,
precisamos que Jesus toque cisos. Não demorou muito, e passei a e ignorou a tendência do mercado para
nossos olhos para que usar óculos para leitura no escritório, os micros computadores. A IBM ficou
nossa visão seja perfeita, escondidos por todos os cantos da casa atravancada por níveis de burocracia que
e no porta-luvas do carro. Parecia que isolaram aqueles com poder de decisão
para enxergar de perto e nunca conseguia achar um par quando das informações atualizadas sobre o mer-
de longe. precisava. Havia desenvolvido a “sín- cado consumidor. As despesas gerais e
drome do braço curto” ou presbiopia. tradições resultaram numa organização
Literalmente presbi significa “velho” e indolente, dispendiosa para dirigir e lenta
Quão boa é a sua visão? Alguém com opia, “visão” – olho de velho ou “vista para responder às mudanças culturais e
visão 20/20 é considerado como tendo cansada”. Presbiopia é o processo normal do consumidor.
uma visão 100% eficiente. Em outras que ocorre com todos nós quando as A Igreja Adventista precisa de ambos,
palavras, parada a seis metros de distân- lentes dos olhos começam a ficar menos idosos e jovens. Precisa de jovens porque
cia de um objeto, essa pessoa enxerga-o flexíveis e a habilidade de focalizar com eles vêem o que é relevante para sua gera-
como alguém cuja visão é considerada nitidez é perdida. ção. Eles têm idéias novas e criativas. E
normal, capaz de ver um objeto a seis Felizmente, ouvi sobre a monovisão a igreja precisa de olhos azuis, castanhos,
metros. Os que possuem alguma defi- (compensação monocular), a técnica de que trabalham sozinhos, e em duplas
ciência visual têm o segundo número usar uma única lente de contato ajustada – muitos olhos para enxergar melhor.
maior que 20. Uma pessoa com visão ao olho para a visão de perto. A lente de Diferentes idades, culturas e etnias que
20/40 tem 85% de acuidade visual e contato para leitura é colocada no olho enxergam detalhes específicos, relevantes
precisa estar a seis metros de distância não dominante, e se você tiver sorte, o para aquele grupo. Diversidade genética
para enxergar o que uma pessoa com cérebro se adaptará. A monovisão pode é a melhor garantia para a sobrevivência
visão normal enxergaria a 12 metros de também ser conseguida por meio de dos organismos em um mundo incerto.
distância. Visão 20/40 em pelo menos cirurgia a laser, mas para isso é preciso Isto também é crucial para a vitalidade
um olho é exigida para obter carteira ter mais idade, quando finalmente a da igreja, capaz de adaptar-se a diversas
de motorista nos Estados Unidos. Visão presbiopia se estabiliza. Como ocorre mudanças e desafios.
20/200 ou mais é a definição para com os canhotos, temos a tendência de A homogeneidade na igreja contribui
cegueira. favorecer um ou outro olho, e isto é que para as relações interpessoais mais tran-
Os que possuem o segundo núme- nos dá a percepção de profundidade ou qüilas, mas inibe a habilidade de adap-
ro menor têm uma visão melhor que visão binocular. O olho dominante é o tar-se com criatividade, com formas cul-
a média. Sempre tive uma boa visão usado para focalizar a câmera ou mirar turalmente apropriadas em um mundo
durante toda a vida e à distância minha o alvo ao atirar a flecha. Com a mono- diverso. Olhos jovens ajudam a ver que
visão é 20/15. Isto significa que a seis visão, o olho dominante ou mestre é devemos enfrentar os desafios de hoje de
metros de distância, posso ver o que usado para visão à distância e o olho não novas maneiras e não com os métodos
outros precisam de uma aproximação de dominante ou secundário é então usado de ontem. O tipo de chapéu usado por
4.5 metros para enxergar. Quando crian- para a visão de perto e intermediária. Albert Schweitzer e outros missionários
ça, invariavelmente ganhava os concur- Levou algumas semanas para que meu de ontem é inadequado para os desafios
sos da leitura de placas de carros e sinais cérebro se reprogramasse, e até que eu do pós-modernismo, da selva urbana
de estrada enquanto viajávamos. pudesse me ajustar, tive de dirigir com deste século.
Por causa da minha boa visão, você um olho fechado, ou descer as escadas
pode imaginar meu estresse há poucos como uma idosa, porque minha percep- Visão de perto e de longe
anos quando as palavras na minha Bíblia ção de profundidade estava “desligada”. A igreja pode também ser beneficia-

20 DIÁLOGO 19•2 2007


da pelo uso de óculos corretivos e que distância – é o que nos dá a profundi- Atitude...
isto, eu proponho, seja a nossa teologia, dade e definição de nossa rotina diária Continuação da p. 15
sucintamente encapsulada em nosso de comer, dormir, trabalhar e viver em
nome: Adventistas do Sétimo Dia. O relação com outros e com este mundo. Conclusão
livro de Eclesiastes discute sobre qual O panorama maior do grande conflito No relato bíblico da vida de Cristo
é a visão dominante – a de perto ou a entre Deus e Satanás, o qual acaba com “as mulheres nunca são discriminadas”.7
de longe. Para que alguém melhore sua o mal e a morte, é o que nos dá a visão Não há nada que respalde a visão cul-
perspectiva, o sábio aconselha a ponde- binocular. Isto nos ajuda a ver ainda tural e religiosa da Sua época que via a
rar sobre funerais e não festas, choro e melhor o que está ao alcance das mãos. mulher como inferior. Pelo contrário,
não risos, e acima de tudo lembrar que, É muito fácil que o comum e imedia- “a atitude e a mensagem de Jesus signi-
no final, teremos que responder a Deus to dominem toda nossa atenção. Para ficaram uma ruptura com a dominante
por nossas escolhas (Eclesiastes 7:1-3). ter a perspectiva correta, a pessoa precisa visão mundial”.8
Ao mesmo tempo o Pregador aconselha ver o que está ao alcance das mãos como Jesus “não identificou as mulheres em
a aproveitar as alegrias do viver diário: parte do panorama maior. Percepção harmonia com as normas do sistema
trabalho, família e mesmo o alimento. da profundidade e visão binocular são patriarcal de seu tempo nem tomou
Visitei o Colégio da União do necessárias para atravessar a rotina com parte no sistema como era, por defi-
Pacífico, na Califórnia, nessa primavera. sucesso como também para as decisões nição, repressivo para as mulheres”.9
As colzas de amarelo brilhante estavam maiores, tais como qual carreira esco- Abertamente mas sem fanfarra, Jesus
desabrochando nos parreirais, as cerejei- lher, com quem casar, o correto grau de proferiu um golpe mortal na praga da
ras eram de um rosa frívolo. Apesar dos adaptação cultural e contextualização no tradição que negava dignidade às mulhe-
restaurantes e hotéis caros, milhares visi- evangelismo, quando se posicionar em res. Através de Seu exemplo e ensino,
tam Napa Valley por sua beleza, vinhos questões sociais tais como guerra, pobre- Jesus reclamou para Seu novo reino as
para saborear, jantares finos, pelos za ou Aids, e qual deveria ser nosso por- bênçãos de Sua criação original, a igual-
mimos dos spas e hotéis cinco estrelas tfólio de ministérios como igreja hoje. dade dos dois gêneros à vista de Deus.
e para comprar obras de arte e artigos Nenhum desses é fácil de ver, por isso a
luxuosos. Perguntei aos estudantes uni- visão clara é tão essencial. Miguel Ángel Núñez (Ph.D.,
versitários na classe da Escola Sabatina “Ora, vocês são o corpo de Cristo, e Universidade Adventista del Plata)
como eles vivem na linda Napa Valley, o cada um de vocês, individualmente, é leciona Teologia na Universidade
puro centro de Baco – o deus grego do membro desse corpo”, escreveu Paulo União Peruana, onde também dirige
vinho – sendo adventistas do sétimo dia, (I Coríntios 12:27–NVI). Esse corpo é o programa em Teologia e Psicologia
os quais crêem no segundo advento de beneficiado por olhos que são jovens, Pastoral e Teologia e Filosofia.
Cristo. Um deles gracejou: “tudo isso e o velhos, de diferentes formatos e cores, Núñez é autor de muitos artigos e
Céu também!” para de forma criativa responder aos que de mais de 30 livros. Este trabalho
Podemos ter ambos: a alegria de estão perto, aspectos culturais específicos está baseado em uma seção de
hoje e a alegria do porvir – e o sábado e assuntos contemporâneos em nossos seu livro Cristología: En las Huellas
é mediador dos dois. Ele nos convida dias. Como lentes corretivas, a visão se del Maestro (3ª ed., 2007). E-mail:
a viver o dia-a-dia de nossas vidas para torna mais nítida com o efeito dessa miguelanp@hotmail.com
celebrar a generosidade e beleza da teologia que nos dá uma visão binocular.
criação. Visto que o sábado é parte do Assim como o homem cego de nascen- Referências
padrão recorrente da vida, centralizada ça, também precisamos que Jesus toque 1. Joachim Jeremias. Jerusalén en Tiempos de Jesús:
Estudio Económico y Social del Mundo del Nuevo
no aqui e no agora, o sábado é a nova nossos olhos para que nossa visão seja Testamento. Madrid: Cristiandad, 1977. p.97.
visão que está presente nas alegrias completa e vejamos claramente o que 2. Marga Muñiz. Femenino Plural: Lãs Mujeres en la
comuns da vida, sendo em si uma parte deveríamos ver. Exégesis Bíblica. Barcelona: Clie, 2000. p.183.
3. Alcion Westphal Wilson. “Los discípulos olvi-
do ciclo semanal. O sábado provê uma dados: La habilitación del amor vs. el amor al
visão de que podemos desfrutar a cria- poder”, en Bienvenida a la mesap. Langley Park,
ção, a companhia de outros e do nosso Lisa M. Beardsley (Ph.D., Universidade Maryland: TEAMPress,1998. p.185.
4. Wilson. p.180.
Criador. do Havaí em Manoa) é diretora 5. Wilson. p.386.
A segunda parte do nosso nome, associada de Educação da Associação 6. Muñiz. p.187.
adventistas, conduz o olhar além do Geral dos Adventistas do Sétimo Dia 7. Leonardo Boff. El Rostro Materno de Dios: Ensayo
Interdiciplinar sobre lo Femenino y sus Formas
ciclo semanal para um evento futuro e editora-chefe da Diálogo. Endereço Religiosas. Madri: Paulinas, 1988. p. 83. (Em
definido que terminará com o dia-a-dia postal: 12501 Old Columbia Pike; português: O Rosto Materno de Deus. 9ª ed. Rio de
Janeiro: Vozes, 2003).
de nossas vidas como o conhecemos. Silver Spring, Maryland 20904; EUA. 8. Boff. p. 84.
Esse aspecto de nossa teologia – visão à 9. Muñiz. p.18.

DIÁLOGO 19•2 2007 21


LIVROS nas pessoas e nos aspectos mais liberais no adventismo possa
se tornar confusa para alguns. Por exemplo, Land aponta o
Historical Dictionary of the Reing of God de Richard Rice como “o melhor panorama da
Seventh-day Adventists teologia adventista” (p. 344), quando partes deste são con-
Gary Land (Lanham, Maryland: sideradas por alguns como não representando o verdadeiro
Scarecrow Press, 2005, 419 + xx pp.; ensino adventista. O artigo “Seventh-day Adventist Kinship
encadernado). International” (p. 267) pode levar alguns a pensar que essa
organização gay é aceita. O artigo “Doutrina do Santuário”
Resenha de Nancy Vyhmeister (p. 260) é principalmente a história da doutrina e das con-
trovérsias adjacentes a ela; pouco é dito sobre o sentido teo-
lógico e o significado da doutrina para os crentes adventistas.
A omissão de Origins: Linking Science and Scripture (Review
and Herald, 1998) de Ariel Roth, e a inclusão Creation
Reconsidered (p. 347), que não é aceito pelo adventismo, pode
Gary Land é diretor do Departamento de História e indicar as simpatias de Land.
Ciências Políticas da Universidade Andrews, em Berrien A riqueza de informação confiável dessa obra, de fácil con-
Springs, Michigan, onde é professor desde 1970. Além de sulta, excede seus poucos problemas, os quais são compreensí-
seu livro Teaching History: An Adventist Approach (2000), seus veis para um livro dessa natureza. A seção do dicionário abre
volumosos artigos estão centralizados na história do adventis- janelas para o leitor não familiarizado com pessoas e termos
mo, especialmente na América do Norte. próprios do adventismo. Talvez a melhor parte do livro seja a
O Historical Dictionary of the Seventh-day Adventists de bibliografia sobre o adventismo, uma proveitosa ferramenta
Land é o número 56 da série Scarecrow de Dicionários para aqueles que desejam estudar sobre esse tópico.
Históricos das Religiões, Filosofias e Movimentos. Como
dicionário histórico, o trabalho de Land é um tesouro de
informação. O livro começa com uma cronologia de seis Nancy Vyhmeister (Ed.D., Universidade Andrews) é ainda a
páginas sobre os eventos que moldaram e marcaram o adven- revisora de monografias de estudantes mesmo durante sua
tismo, desde 1818 com os ensinos de Guilherme Miller de aposentadoria, após 40 anos ajudando a preparar pastores
que Cristo retornaria em algum momento do ano de 1844 e missionários adventistas em vários países do mundo.
até a primeira assembléia de Fé e Ciência em 2002. A intro-
dução de nove páginas dá um breve panorama da história da
igreja. Mas a maior parte do livro (pp. 11-337) na forma de
A a Z, Academia até Zimbábue, apresenta termos, pessoas, Sea Feliz: Cómo Vencer la
lugares, instituições e assuntos relativos ao adventismo atra- Depresión y Controlar la
vés dos tempos. A “Bibliografia” (pp.339-419) é introduzida Ansiedad
por uma monografia bibliográfica de 12 páginas que tenta Mario Pereyra e Carlos Mussi
apresentar artigos-chave de adventistas e sobre adventismo em (Montemorelos, Nuevo León,
seus apropriados contextos históricos. A bibliografia é dividi- México: Publicaciones Universidad
da em sessões sobre formação, história, biografias, crenças e de Montemorelos, 2005; 169 p.;
práticas, movimentos discidentes e interpretações. brochura).
Em seu esforço por reunir e compilar uma vasta quantida-
de de informações sobre uma igreja em expansão global, Land Resenha de Nancy Carbonell
evidentemente utilizou a Seventh-day Adventist Encylopedia.
Isto pode ter contribuído para alguma imprecisão, tal como
a errônea informação de que a primeira escola secundária do A depressão tem se tornado de modo crescente um risco
Chile iniciou em 1963, ou ainda a incompleta descrição do perigoso para a saúde. Ela não conhece fronteira geográfica,
Seminário Adventista Latino-Americano de Teologia. O uso gênero, idade, cultura, religião ou posição econômica. Pessoas
da Encyclopedia por Land explica também a escassa informa- de todas as camadas sociais caem vítimas dessa doença da
ção sobre campos fora do território norte-americano durante Idade Moderna e a pergunta que todos enfrentam é: como
as décadas de 1980 e 1990. Por isso a Universidade Solusi, superar a depressão e a ansiedade? Como ser feliz em um
aprovada pelo governo de Zimbábue nos anos 1990, ainda meio-ambiente saturado por depressão? Mario Pereyra e
aparece como “Missão Solusi”. Carlos Mussi discutem o problema a partir das perspectivas
A escolha dos artigos parece responder à formação e inte- psicológica, física e espiritual. O livro é fácil de ler, tem inte-
resses de Land. Isto é compreensível, apesar de que a ênfase ressantes histórias, exemplos, listas de atividades e ferramentas

22 DIÁLOGO 19•2 2007


de autodeterminação para medir seu nível de depressão e/ou Cristología: Descubriendo al
ansiedade. Maestro
O primeiro capítulo identifica padrões de pensamento e Miguel Ángel Núñez (Lima, Peru.
traços de personalidade que podem nos ajudar ou nos ferir. Os Edições Fortaleza, 2006; 149 pp.;
autores apresentam o último estudo em psicologia positiva e brochura).
discutem meios para fortalecer a “robustez” psicológica.
Os capítulos 2 e 3 analisam a depressão clínica, seus sinto- Resenha de Roberto Badenas
mas, opções de tratamento e sugestões sobre o que as vítimas e
familiares podem fazer para superar o problema. Os capítulos
4 e 5 discutem os vários tipos de tratamento para a ansiedade
e descrevem estratégias usadas em seu controle. O capítulo
6 direciona o significado da felicidade passada, presente e Miguel Ángel Núñez é um autor versátil. Escreve já fami-
futura e dá sugestões de como aprender a “reprogramar” as liarizado tanto com a Psicologia e Teologia quanto com a
próprias palavras negativas em expressões positivas e otimistas Educação e vida familiar. Em seus escritos, dois fatos sobres-
– carimbos das pessoas felizes. “Felicidade”, dizem os autores, saem: texto agradável de ler e compromisso com a essência
“não é uma área de descanso em uma rodovia, é uma forma dos valores e princípios bíblicos vistos de uma perspectiva
de viajar através da vida” (p. 126). A conclusão do capítulo adventista. O autor de pelo menos 30 livros e numerosos
gira em torno da história de Elias – clássico caso de ansiedade artigos traz agora uma versão atualizada de seu livro em
e depressão – e delineia princípios e critérios que podem ser Cristologia.
benéficos na compreensão da ansiedade e depressão. Embora seu público-alvo seja os estudantes de Teologia, o
O livro tem uma abordagem positiva. Ele avança discutindo estilo do livro e sua essência alcançam mais que os compene-
os problemas e estabelece os fundamentos de como tornar a trados estudantes, abrangendo cristãos comuns, levando todos
amargura em alegria e de como viajar ao longo da estrada da para mais perto de “Jesus de Nazaré, quem caminhou entre
felicidade. Os tópicos de tratamento sobre “depressão e ansie- nós e vive hoje por nós” (p.9). “É intencional”, diz o autor,
dade”, “desenvolvendo persistência” e “encontrando felicidade” superando o academicismo. O livro “é essencialmente devo-
poderiam resultar em outros livros; mas os autores tiveram cional” (p.12).
sucesso ao abordarem todos esses tópicos de maneira didática, Núñez, sendo um teólogo, aproxima a doutrina de Cristo
com uma narrativa fluente, fundamentada em descobertas da perspectiva da teologia sistemática e trata de assuntos da
científicas e lições espirituais. pré-existência de Cristo, divindade, encarnação, morte vicá-
Útil como é o livro, uma pessoa não deve esperar lê-lo do ria, ressurreição e glorificação. O autor coloca informações
início ao fim numa sentada e sair caminhando curada. Os bíblicas no contexto do desenvolvimento histórico da doutri-
autores não oferecem um auto-diagnóstico, muito menos na e dedica um capítulo inteiro para sumarizar a história das
um auto-tratamento. A tarefa deles é ajudar a compreender o controvérsias em Cristologia, incluindo algumas dentro do
problema da depressão e como descobrir o meio para a recu- adventismo. A terceira edição (a primeira é de 2000) tem dois
peração. Eles apresentam um acurado quadro de como alguém novos capítulos: um sobre a ressurreição de Cristo, e outro
pode se beneficiar, procurando um conselheiro profissional que discute sobre o “Jesus histórico”. Este último – que é
e obtendo formas apropriadas de tratamento, que poderiam também o mais longo – questiona o Jesus histórico e é com-
incluir: saber o que está acontecendo e lidar pessoalmente com posto principalmente de um comentário bibliográfico sobre o
a doença (intervenções psicoeducacionais), procurar a orienta- tópico.
ção de um terapeuta que pode guiar e explorar um modo mais Os quatro apêndices lidam com assuntos não encontrados
funcional para confrontar os desafios da vida (psicoterapia) e com freqüência em outros livros de Cristologia, tais como
a necessidade de direcionar as causas biológicas da doença (à “A data do nascimento de Jesus”, “Jesus e as mulheres”, “O
medida do possível usar medicações psicotrópicas). segundo Adão” e “A Encarnação de Deus”. O leitor também
O livro é um bom recurso para conselheiros, pastores e apreciará a inclusão de alguns gráficos e índices práticos,
professores que trabalham com pessoas que lutam contra a como um que compara os textos bíblicos onde Cristo é
depressão e ansiedade. apresentado como divino e aqueles que O apresentam como
humano (pp.38 e 39) e o índice das profecias messiânicas no
Velho Testamento e seus cumprimentos no Novo Testamento
Nancy J. Carbonell (Ph.D., Universidade Andrews) é (p.56).
psicóloga e professora associada no Departamento de Uma interessante bibliografia e 17 páginas de notas com-
Aconselhamento Psicológico da Universidade Andrews, pletam a fonte deste manual. Para ligar a lacuna entre a aridez
Berrien Springs, Michigan. E-mail: carbonel@andrews.edu
Continua na p. 27

DIÁLOGO 19•2 2007 23


PONTO DE VISTA
Filosofia e educação cristã: um caminho
ao desespero ou à compreensão?
John M. Fowler

O mito que alguns cordo com a perspectiva cristã. Diante racional. O raciocínio humano pode
de tal desacordo, tanto professores com freqüência mostrar-se falho ou
cristãos acariciam é que degenerado, mas isso não significa
quanto estudantes não podem se dar
o crescimento intelectual ao luxo de esconder-se como avestruz. que não tenha função na vida cristã.
prejudica a fé cristã. Na verdade, a escola cristã tem uma Certamente, mesmo a vida religiosa de
obrigação para com seus alunos e com um cristão deve ser vivida, explicada
a comunidade em que está inserida, na e partilhada com um mundo que usa
busca do resultado mais positivo possí- ferramentas fabricadas por meio do
“Cuidado que ninguém vos venha a vel no processo de aprendizado, a fim raciocínio. Parte do propósito da edu-
enredar com sua filosofia” (Colossenses de preparar os alunos para enfrentarem cação cristã é desenvolver ao máximo
2:8). O conselho de Paulo tem feito tanto as questões sutis como as óbvias a capacidade racional. Ellen White
com que muitos cristãos, incluindo que a filosofia suscita na vida e apren- escreveu: “Todos quantos se empe-
os adventistas do sétimo dia, abri- dizado diários. Já o aluno, por sua vez, nham na aquisição do conhecimento,
guem um temor anormal da filosofia. é parte ativa nesse processo, no qual devem esforçar-se por atingir o mais
Quando um teólogo do segundo sécu- deve participar conscientemente. elevado lance da escada. Avancem os
lo perguntou “Que tem Atenas a ver Será possível cumprir essa obrigação? alunos o mais rápido e vão o mais
com Jerusalém?”1 ou quando a pioneira Eu acredito que sim, desde que (1) longe que lhes seja possível; seja o seu
adventista Ellen White advertiu contra dispensemos alguns mitos tradicionais campo de estudo tão vasto quanto
vaguear “nos labirintos da filosofia”,2 sobre a filosofia, (2) compreendamos possam alcançar suas faculdades.”3 Esta
eles podem ter desejado transmitir um a natureza e função da filosofia, e (3) elevada meta, no entanto, vem com
alerta contra os movimentos emer- desenvolvamos uma visão de mundo uma advertência: “Façam, porém, eles,
gentes na história da igreja. O próprio cristã dentro da qual possamos prosse- de Deus a sua sabedoria, apeguem-se
Paulo faz alusão a um motivo impor- guir nesta jornada intelectual. Àquele que é infinito em conhecimen-
tante para sua preocupação. Em seus to que pode revelar segredos ocultos
dias, os gregos apologistas e partidários Livre-se dos mitos por séculos, e solver, para a mente dos
da filosofia representavam verdadeira Um dos mitos tradicionais que que nEle crêem, os mais intrincados
ameaça ao desenvolvimento do cristia- alguns cristãos desenvolveram quanto à problemas.”4
nismo. O apóstolo teve de emitir uma filosofia é que a fé e a razão são incom- Portanto, há uma ligação entre razão
advertência espiritual e teológica à igre- patíveis. Mas tanto a fé como a razão e fé – ambas são dádivas de Deus, e
ja em Colossos: Cristo não é negociá- são dádivas de Deus ao ser humano e devem ser exercidas na educação cristã.
vel, “porquanto, nEle, habita, corporal- qualquer incompatibilidade percebida As Escrituras ordenam que desenvol-
mente, toda a plenitude da Divindade. entre elas não está fundamentada na vamos nossa mente – naturalmente,
Também, nEle, estais aperfeiçoados. revelação bíblica. O Criador convida: crescer em conhecimento faz parte
Ele é o cabeça de todo principado e “Vinde, pois, e arrazoemos” (Isaías do processo de santificação (II Pedro
potestade” (Colossenses 2:9 e 10). 1:18) e o próprio Deus também des- 1:5-7). Sendo que a fé cristã requer
Ao mesmo tempo em que a edu- creve a fé nEle como essencial para a transformação da mente (Romanos
cação cristã, incluindo educadores e nosso relacionamento com Ele (ver 12:2), então ela não anula a mente
educandos, deva estar fundamentada e Hebreus 11:6 e Romanos 1:17). nem a razão, mas as transforma de
arraigada em um compromisso cristo- A fé cristã ressalta o fato de que modo que a mente humana funcione
cêntrico, não deve deixar de reconhe- quando Deus criou os seres humanos com o auxílio da iluminação divina.
cer que funciona em um mundo cujo à Sua imagem (Gênesis 1:16), Ele par- Esta é uma tarefa que unicamente a fé
comprometimento filosófico e ativi- tilhou com eles Sua criatividade, que pode realizar e alcançar.
dade acadêmica podem estar em desa- logicamente implica uma capacidade O segundo mito, que alguns cristãos

24 DIÁLOGO 19•2 2007


acariciam, é que o crescimento inte- O mundo é tanto nossa moradia como do conhecimento? Como seres huma-
lectual prejudica a fé cristã. Mas, na nossa missão. nos somos responsáveis pela criação,
realidade, um cristão culto pode ser A íntima relação entre fé e razão é certificação e verificação da verdade? A
um indivíduo mais bem informado e muito bem resumida por Ellen White: verdade é relativa ou absoluta?
um eficiente comunicador. Embora “Conhecimento é poder, mas só o é A terceira área de preocupação da
a maior parte dos discípulos de Jesus para o bem, quando unido à verda- filosofia é a ética. O que é bom? O
fossem incultos, mostrando que Deus deira piedade. Para servir aos mais que define a conduta adequada? Existe
pode usar qualquer pessoa que desejar; nobres fins, ele deve ser vivificado pelo uma norma para o comportamento?
homens como Moisés, Daniel e Paulo Espírito de Deus. Quanto mais íntima Esta é objetiva, subjetiva, relativa ou
ilustram o poder das pessoas cultas for nossa ligação com Deus, tanto mais absoluta, universal ou particular? Qual
que se submetem às reivindicações plenamente poderemos compreender é a origem desta norma – a tradição,
da fé. Ser santificado não significa ser o valor da verdadeira ciência; pois os costumes sociais, práticas atuais, a von-
ignorante. Mais uma vez, Ellen White atributos de Deus, tais como se mos- tade do poder, situação, ou religião em
afirma: “A ignorância não aumenta tram nas obras que criou, serão melhor vigor? Ela está valorizando um proces-
a humildade ou a espiritualidade de apreciados por aquele que tem conhe- so condicional?
qualquer professo seguidor de Cristo. cimento do Criador de todas as coisas, A resposta da filosofia a estas per-
As verdades da Palavra divina podem o Autor de toda a verdade.”6 guntas depende da visão de mundo
ser melhor apreciadas pelo cristão que a pessoa adota. Se você fosse um
intelectual. Cristo pode ser melhor Entenda o que a filosofia faz seguidor de Platão, por exemplo, sua
glorificado por aqueles que O servem Questionar é a ocupação da filosofia cosmovisão estaria relacionada ao ide-
inteligentemente. O grande objetivo e também sua ferramenta. A filoso- alismo – a crença de que a realidade
da educação é habilitar-nos a usar as fia aproveita toda oportunidade para consiste no “mundo de idéias”. Usando
faculdades que Deus nos deu, de tal esquadrinhar, instigar, duvidar, analisar este conceito, um idealista seria capaz
maneira que exponha melhor a reli- e buscar. O alvo de seu questionamen- de definir o que constitui a realidade,
gião da Bíblia e promova a glória de to é buscar significado e coerência. a verdade e a ética. Mas se a sua visão
Deus.”5 Morris observa: “A função do filósofo é de mundo for a de um materialista,
Um terceiro mito é a percepção de fazer perguntas que sejam relevantes ao evolucionista ou existencialista, sua
que há uma distinção entre o que é tópico em estudo, que realmente exi- percepção da realidade e da verdade
sagrado e o que é secular, e que deve- jam respostas, não meras reflexões, per- seria bem diferente.
mos viver essa distinção. Uma compre- guntas cujas respostas realmente façam Por isso, como deve um cristão rela-
ensão mais ampla da fé cristã requer diferença no modo em que vivemos e cionar-se com a filosofia? Em primeiro
que embora vivamos em meio ao que trabalhamos.”7 lugar, é sempre vantajoso para um
é secular, devemos servir de mediado- Toda filosofia se preocupa com três cristão compreender as complexidades
res do sagrado ao povo secular, a fim perguntas básicas: o que é a realidade? das várias filosofias, seus pontos de
de podermos melhor compreender, O que é a verdade? O que é bom? vista, sua metodologia, suas conclusões
apreciar e captar a dinâmica e o senso A primeira se relaciona à ontologia e seu desafio para a vida cristã intelec-
de realização encontrados no sagrado. e metafísica, o estudo da realidade e tual e religiosa. Paulo descobriu que o
Deus é o Deus tanto do altar como do existência. O que constitui a realidade? Areópago não foi um empecilho, mas
laboratório, e o cristão não deve subes- A existência humana é real? A árvore um motivador para a melhor com-
timar o primeiro, nem superestimar o que vemos faz parte da realidade? Ou preensão e proclamação de sua fé (ver
segundo. a idéia característica da árvore ou do Atos 17:22-34; I Coríntios 2:1-7). Em
Não devemos separar o sagrado do ser humano tem precedência sobre a segundo lugar, o cristão deve desenvol-
secular a ponto de restringir a religião compreensão da realidade? Como diz ver uma cosmovisão que lhe proverá
ao coração e ao sábado, e a educação Schaeffer: “Nada que seja digno de um fundamento adequado sobre a qual
à mente e ao restante da semana. O ser chamado filosofia pode deixar de se firmar, para estabelecer um diálogo
perigo oculto do secular é pensar e lado o fato de que as coisas existem e significativo e assim testemunhar ao
viver como se Deus não existisse. A fé existem em sua presente forma e com- mundo secular.
ordena enfrentar esse perigo em seu plexidade.”8
próprio território e vencer seus ardis. A segunda área de interesse na filo- Desenvolva uma
Para fazer isso, a fé precisa manter em sofia é a epistemologia. Como sabemos visão cristã de mundo
seu foco mais nítido a habilidade de se uma coisa é verdadeira ou não? Ao lidar com filosofia, os cristãos
raciocinar, doada por Deus. Vivemos Aquilo que é verdade é sempre verda- devem evitar os perigos gêmeos: capi-
no mundo, mas não somos parte dele. de? Quais são as condições e limitações tulação e indiferença. Por um lado,

DIÁLOGO 19•2 2007 25


poderão ser tentados a ceder aos ata- unidade de pensamento em seu pre- Faltando a perspectiva que ela nos
ques filosóficos e sentir-se compelidos ferido ponto de partida – a mente, a dá, as coisas do mundo são simples-
a reinterpretar ou rejeitar as reivindi- matéria, a existência, o materialismo, a mente objetos separados, os eventos
cações de sua fé religiosa. Por outro linguagem, a classe etc. – aonde vamos do mundo são meras coincidências
lado, poderão esquivar-se de fazer para desenvolver uma visão cristã de não inter-relacionadas, e a vida é uni-
ou de responder perguntas críticas. mundo? Sem pretender ser exclusivo camente uma frustrante tentativa de
Embora a capitulação possa destruir nem exaustivo, permita-me sugerir obter o máximo significado em triviali-
o compromisso religioso da pessoa, o três úteis afirmações básicas sobre a fé. dades insignificantes.”11
pânico torna ineficaz o seu testemunho Estas afirmações são integrais quanto à Aceitar a Palavra de Deus como uma
religioso. Em vez disso, o cristão tem natureza, universais quanto ao âmbito, fonte epistemológica não significa que
a responsabilidade de lidar de modo bíblicas quanto à origem, e não nego- consideramos a Bíblia como uma espé-
eficaz com as perguntas que a filosofia ciáveis quanto ao compromisso. cie de enciclopédia divina. Significa,
sugere e prover respostas dignas de 1. Deus é a realidade suprema. no entanto, que cremos que ela aborda
crédito da perspectiva de uma visão “No princípio Deus...” (Gênesis 1:1 – as importantes questões da vida: quem
cristã de mundo. Schaeffer coloca isso NVI). Nisso se encontra o fundamento sou eu? De onde venho? Para onde
de forma objetiva: “O cristianismo da visão cristã de mundo. Porque Deus vou? Qual é o significado da história?
tem a oportunidade... de expor cla- é Eu sou. Sem Ele, nada existe. “‘NEle Qual é minha função na sociedade? A
ramente o fato de que sua resposta vivemos, nos movemos e existimos’” Bíblia tem alguma coisa a dizer sobre
contém exatamente o elemento que (Atos 17:28 – NVI). Para o cristão, estas e outras questões decisivas da
tem desanimado o homem moderno: Deus, como Pessoa, é o que constitui existência e do destino, e por isso a
a unidade de pensamento. Ele provê a realidade suprema. Ele é a causa e o visão cristã de mundo deve levar em
uma resposta unificada para a vida em projetista da Criação. Suas atividades consideração o que ela diz, mesmo ao
sua totalidade. É bem verdade que o têm estrutura, propósito, e ordem. se deparar com a posição de outros
homem terá de renunciar seu raciona- Como afirma Schaeffer: “A força do sistemas.
lismo, mas então, baseado no que pode sistema cristão – seu teste decisivo – é 3. Deus se relaciona com os seres
ser debatido, ele tem a possibilidade de que todas as coisas se encaixam sob humanos. A visão cristã de mundo
recuperar sua racionalidade.”9 o ápice do Deus existente, pessoal e aceita uma antropologia que reconhece
Enquanto os filósofos encontram sua infinito, e este é o único sistema no uma íntima afinidade entre Deus e os
mundo inteiro onde isso é verdade. seres humanos. A afinidade pode ser
Nenhum outro sistema tem um ápice resumida em três declarações princi-
sob o qual tudo se encaixa... Sem per- pais:
Atenção, der sua própria integridade, o cristão
pode ver todas as coisas se encaixando
a. Deus criou o ser humano à Sua
própria imagem (Gênesis 1:26 e 27),
profissionais no lugar abaixo do ápice cristão da e assim sendo, ele não é resultado de
adventistas! existência do Deus pessoal e infinito.”10
2. Sabemos porque Ele nos reve-
algum acidente cósmico ou ápice de
algum paradigma evolucionário, limi-
Se você possui e-mail e um título lou. Uma segunda dimensão da visão tado e controlado por um complexo
ou diploma pós-secundário em qual- de mundo cristã é que o conhecimento sistema de leis mecânicas. A afinidade
quer campo acadêmico ou profissional, humano está baseado na revelação com Deus torna possível que os seres
nós o convidamos para fazer parte da de Deus através da natureza e das humanos ajam de maneira criativa,
Rede de Profissionais Adventistas (RPA). Escrituras Sagradas. Por esta razão, se relacionem de modo significativo e
Patrocinado pela Igreja Adventista, esse
estudamos a natureza e seu curso na sejam responsáveis por seus atos.
registro global eletrônico assiste institui-
ções e agências participantes a fim de
história e na experiência dentro do b. Por causa dessa afinidade, o cris-
localizar candidatos para posições no contexto da criação da natureza por tão considera o mal como resultado de
ensino, administração, área de saúde e Deus e de Sua ação na mesma. A um rompimento na relação entre Deus
pesquisa, e consultores especializados mente crédula discerne as obras de e o ser humano, o que a Bíblia chama
e voluntários para tarefas missionárias Deus na beleza e mistério da natureza, de pecado. Pecado, ou afastamento de
breves. Coloque gratuitamente sua sondando este e louvando aquela. O Deus, é a raiz de percepções, relaciona-
informação profissional diretamente no cristão também aceita a Bíblia como o mentos e valores distorcidos. Isso, con-
website da RPA: http://apn.adventist.org. alicerce epistemológico de sua visão de forme a visão cristã de mundo, explica
Anime outros profissionais adventistas a mundo. Isso significa que “nenhuma a situação caótica, confusa e sem espe-
registrar-se! interpretação de significado máximo rança que desvirtua a vida, transfor-
pode ser feita sem revelação bíblica. mando-a em um dilema existencial.

26 DIÁLOGO 19•2 2007


c. Por causa da afinidade entre Deus John M. Fowler é diretor associado Cristología:
e o ser humano, a divindade não do Departamento de Educação Continuação da pág. 23
deixou a humanidade sem esperan- da Associação Geral da Igreja
ça. A visão cristã de mundo é tanto Adventista do Sétimo Dia, em Silver
redentora como cirúrgica. É redentora Spring, Maryland, EUA. da teologia dogmática e a atualidade
porque Deus salvou a humanidade do viva, o autor faz algumas inesperadas
pecado e a reconciliou consigo através Este artigo é uma adaptação do referências a documentos que estão
da cruz de Cristo (II Coríntios 5:19). texto “Philosophy and Christian longe de serem teológicos, como os
É cirúrgica pelo fato de que aguarda Education” publicado no The Journal estudos de W. D. Edwards, W.G. Gabel
um tempo do fim quando o pecado of Adventist Education em dezem- e F.E.Hosmer em uma análise médica
e seus resultados serão totalmente eli- bro/2006-janeiro/2007. Publicado da morte de Jesus, com ilustrações
minados, preparando o caminho para com permissão dos editores. úteis (pp. 47–52), algumas referências
a criação de “novos céus e nova terra” do filme de Mel Gibson, A Paixão de
(Isaías 65:17). Ambos os aspectos de Cristo (pp.49 e 136), e alguns pequenos
restauração estão baseados na vida e REFERÊNCIAS comentários do romance O Código Da
morte de Cristo. Deste modo, conhe- 1. Tertullian, de praescriptione haereticorum, cap. Vinci, de Dan Brown.
7.
cê-Lo e relacionar-se com Ele se torna 2. Ellen G. White. Patriarcas e Profetas. 16ª ed. No geral, o livro é uma introdução
fundamental tanto para a vida cristã Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 1993. p. necessária a um difícil, mas importante,
como para o aprendizado cristão. Sem 432. assunto.
3. ___________. Conselhos aos Pais, Professores
Ele, não pode haver uma visão cristã e Estudantes. 14ª ed. Tatuí: Casa Publicadora
de mundo. Brasileira, 2000. p. 394.
4.Ibidem. pp. 394 e 395.
5. ___________. Fundamentos da Educação
Roberto Badenas (Ph.D.,
Conclusão Cristã. 2ª ed.Tatuí: Casa Publicadora Universidade Andrews) é diretor
Com essas afirmações básicas, atu- Brasileira,1996.p. 45. de Educação e representante
6. ___________. Conselhos aos Pais, Professores
ando dentro de uma cosmovisão cristã e Estudantes. 14ª ed. Tatuí: Casa Publicadora de Diálogo para a Divisão Euro-
fundamentada na fé, a educação cristã Brasileira, 2000. p. 38. Africana. Ele vive em Berna, Suíça.
pode funcionar sem comprometer a 7. Van Cleve Morris. Philosophy and the American E-mail: roberto.badenas@euroafrica.
School. Boston: Houghton Mifflin, 1961. p.
fé religiosa ou sacrificar a integridade 19. org
intelectual. Nosso ensino se tornará, 8. Francis A. Schaeffer. He Is There and He Is
então, integral, centrado em Deus, Not Silent. Wheaton, Ill.: Tyndale House
Publishers, 1972. p. 1.
redentor, e voltado ao serviço. Ele se 9. ___________. Escape From Reason. Downers
transformará em uma busca jubilosa, Grove, Ill.: InterVarsity Press, 1973. p. 82.
na qual a fé e a razão se abraçarão, à 10. ___________. He Is There and He Is Not
Silent. p. 81.
medida que o coração adorador e a 11. Richard H. Buber. The Human Quest: A New
mente inquiridora estejam integrados e Look at Science and the Christian Faith. Waco,
em paz um com o outro. Texas: World Books, 1976. p. 52.
Assim sendo, a filosofia não precisa
ser a avenida rumo ao desespero, mas a
estrada que conduz à melhor compre-
ensão.

DIÁLOGO 19•2 2007 27


EM AÇÃO fazer o trabalho, com recursos financei- tariam naquele dia. Nossos voluntá-
ros de patrocinadores. A ajuda da enti- rios, incluindo os da Maranatha, do

Onde a dade é sempre adaptada para atender


ao apelo dos líderes adventistas locais.
Amazing Facts, e os médicos especia-
listas da Amen, ouviam os pacientes,
examinavam seu coração e geralmente
esperança se
“Nossa igreja está crescendo rapi-
damente”, afirmou o pastor Paul traziam soluções para seus problemas
Ratsara, presidente da Divisão Africana de saúde.

concretiza Meridional-Oceano Índico, “e somos


incapazes de atender a todas as necessi-
dades de construção. A Maranatha foi
A Maranatha espalha esperança ao
redor do mundo. A necessidade de
voluntários é imensa. Os projetos atu-
enviada por Deus para nos auxiliar no ais, junto às comunidades, incluem a
“São as coisas mais simples que crescimento de nossas congregações!”. construção de escolas, clínicas e igrejas
provocam os maiores impactos.” Ouvi “O pastor Ratsara nos falou que eles na Noruega, Índia, Equador, Peru,
essa frase há vários anos, falada por precisavam da construção de dez mil Chile, Moçambique e Estados Unidos.
Don Noble, presidente da Maranatha igrejas”, relembra Don Noble, “e então Para mais informações sobre os proje-
Volunteers International. Na época, nos perguntou quanto tempo levaría- tos ou para se inscrever como partici-
não tinha idéia do seu significado, mas mos para construí-las!”. Para atender pante, visite o site www.maranatha.org.
cada vez que participo de um projeto ao pedido somente dessa divisão, pre-
Maranatha, conscientizo-me da verda- cisamos de milhares de voluntários e
de dessa afirmação. milhões de dólares, mas a Maranatha Dick Duerksen é assessor do pre-
Aproximadamente por 30 anos, a respondeu positivamente! sidente da Maranatha Volunteers
Maranatha tem ajudado a igreja em Trabalhando mais pela fé que pelos International.
projetos de construções. Essa assis- recursos financeiros, a entidade for-
tência, geralmente, inclui grupos de mou uma equipe em Moçambique e Fotos ©2007 Dick Duerksen
voluntários ao redor do mundo que começou a construir o primeiro de
vão ao lugar necessitado e levantam 1.001 novos prédios nesse país. As
paredes. Outras vezes, a Maranatha instalações serão usadas como escolas,
contrata pessoas do próprio local para igrejas e clínicas, e serão o centro da
vida comunitária em cada vilarejo. Para
cada igreja, a denominação enviará um
pastor e um professor para ampliar o
evangelismo no local.
Avançar pela fé não é novidade para
a Maranatha. Seus projetos incluem
mais de 1.400 novas igrejas para a
Igreja Adventista do Sétimo Dia na
Índia, assim como dois grandes campi
educacionais. A escola para cegos em Médicos da Amen uniram-se aos estudantes
Bobbli foi construída para atender dos EUA e da Índia para essa viagem.
mais de 200 estudantes. Outro projeto,
em Jeypore, proverá instalações para a
educação de quase mil alunos da região
montanhosa de Orissa.
Recentemente, durante uma viagem
da Maranatha na Índia, eu estava den-
tro de uma clínica móvel e observava
os pacientes, com a esperança da cura,
numa interminável fila. A cada manhã,
mini-vans levavam equipes para três
povoados. Médicos e enfermeiras viaja-
Anke Smit, universitária de Pretória, participou vam ao lado de universitários, traduto-
do grupo de voluntários do projeto Maranatha res, pastores e farmacêuticos; cada um Projeto do Colégio Adventista do Equador:
que saiu da África do Sul para Moçambique. imaginando os desafios que enfren- construção para 600 estudantes.

28 DIÁLOGO 19•2 2007


FÓRUM ABERTO
Beber um pouco de vinho?
Meus amigos e eu temos estudado o o suco de uva, um líquido açucarado, Paulo era para não beber água apenas,
assunto do vinho na Bíblia e ficamos um pode ser fermentado através de leve- mas usar “um pouco de vinho, por
tanto confusos. Em muitas passagens as duras encontradas naturalmente na causa do teu estômago e das tuas fre-
Escrituras condenam o consumo de vinho casca da fruta. Nesse processo podem qüentes enfermidades”.
por causa de seus efeitos prejudiciais. ser produzidos até 12% de álcool por A água potável no passado era muito
Todavia, Paulo aconselhou Timóteo a volume. O excesso de açúcar per- insegura. Poucos tinham acesso aos
usar “um pouco de vinho, por causa do manece sem modificação e produz o mananciais. A maioria das pessoas
teu estômago e das tuas freqüentes enfer- vinho “doce”. Menos açúcar produzia bebia água pluvial estagnada, coletada
midades” (I Timóteo 5:23). Como deve- o vinho “seco”, que era evitado nos de seus próprios telhados em cisternas
ríamos entender esse texto? tempos antigos. A razão é que líqui- (Provérbios 5:15), onde as bactérias se
dos alcoólicos tais como o vinho são multiplicavam facilmente. Isso produ-
Antigamente, alguns costumes tais responsáveis por outro tipo de fermen- zia “doenças freqüentes” do “estômago”
como a poligamia e a escravidão foram tação na qual o álcool é transformado ou disenteria. Porém, a adição de um
tolerados entre o povo de Deus, pelo em ácido acético (vinagre). Embora “pouco de vinho” – como o clássico
menos durante um tempo. Isso certa- um pouco de vinagre possa ser útil, vinho doce e espesso – na água era
mente não desculpa a sua continuidade você não vai querer ver a safra inteira suficiente para eliminar as bactérias.
hoje. Muitas passagens mencionando de uvas se tornar ácida. Hoje isso é A passagem pressupõe que Timóteo
o vinho na Bíblia advertem contra seu evitado pela pasteurização e engarrafa- havia sido instruído a evitar o vinho
uso. Porém, também havia alguma jus- mento cuidadoso do vinho, um pro- e estaria disposto a sofrer freqüentes
tificação para o uso restrito de suco de cesso que os antigos não conheciam. episódios diarréicos a fim de ser fiel a
uva fermentado em tempos passados. Por causa disso, os vinhos greco-roma- tal instrução, não fosse a recomenda-
Os povos antigos não conheciam a nos eram produzidos com um suco ção oportuna de Paulo. Mas da mesma
técnica da esterilização. O único modo extra doce, obtido pela desidratação maneira que a consciência moderna
que conheciam para preservar o suco parcial das uvas ao sol antes de espre- não toleraria a posse de escravos ou a
de uva, além da fermentação, era pro- mê-las. O açúcar excedente evitava a poligamia, o fato de que no passado o
duzir xaropes que tinham gosto e valor fermentação acética. Esse vinho extra álcool era usado como anti-séptico a
nutricional alterados. Considerando doce era tão espesso que há referências fim de tornar a água da mesa própria
que as uvas eram um dos poucos pro- na literatura clássica acerca de sua ras- para se beber, não pode ser usado para
dutos que podiam ser cultivados nas pagem nos recipientes antes de servi-lo. desculpar seu consumo hoje. A recusa
regiões semi-áridas das terras bíblicas, Raspado ou não, o vinho clássico ao álcool implícita nessa passagem
havia grande necessidade de preservar sempre foi servido à mesa após mistu- mostra que, se o vinho for consumido
o suco de uva. Vinho fermentado era rá-lo com água em poncheiras especiais pelos cristãos, ele tem de ser o “suco de
uma solução prática. (crateras). Na Bíblia, vinho “mistura- uva não-fermentado” (Ellen G. White,
Todavia, a viticultura é bastante do” ou “combinado” (Provérbios 9:2) Signs of the Times, 6 de setembro de
complicada. O princípio geral é que significa vinho servido (ver Apocalipse 1899).
14:10 na tradução literal). A diluição
normal era de uma parte de vinho para
quatro a seis partes de água, proporcio- Aecio Cairus (Ph.D. pela
Diálogo on-line nando uma mistura de 2 a 3% de álco-
ol (hoje, a cerveja não-alcoólica apre-
Universidade Andrews) é pro-
fessor de Teologia no Instituto
Agora você pode ler on-line os melhores senta tolerância de até dois por cento Internacional de Estudos Avançados
artigos e entrevistas das edições passadas de álcool). Um quartilho (665ml) à das Filipinas. E-mail: cairus@aiias.
da Diálogo. mesa teria tanto álcool quanto meio edu.
Visite mosso website: copo de vinho comum hoje.
Esse contexto esclarece a passagem
http://dialogue.adventist.org de I Timóteo 5:23. O conselho de

DIÁLOGO 19•2 2007 29


PRIMEIRA PESSOA forma e extensão dos exames. Sabia
que membros de várias igrejas adven-

Maravilhosa tistas estavam orando por mim. Apesar


disso, não fui capaz de entender plena-
mente a nova cordialidade do professor
providência divina titular e seus assistentes.
Fui fazer os exames confiante em
Alberto Soriano Deus. Fiz a prova escrita, depois a
prova de laboratório, e finalmente
enfrentei o exame oral, que foi mais
Nascido num lar adventista, apren- nem o professor e nem a universidade curto do que se esperava. O presidente
di desde a infância alguns princípios queriam me ajudar. Embora tenha me da banca examinadora me disse: “Você
básicos de vida. Meus pais foram preparado bem e estudado febrilmente, conhece bem a matéria. Por favor,
meus primeiros professores e ensina- não pude responder a todas as pergun- espere lá fora.” Um minuto depois,
vam tanto com palavras como pelo tas no tempo dado. estava com o cartão da universidade
exemplo. Aprendi a amar e a obedecer Já era casado e enfrentava um dile- com o curso Animais de Granja mar-
a Deus, independente das conseqüên- ma muito difícil. Poderia abandonar cado “aprovado”. Louvado seja Deus!
cias. Mais tarde, na escola adventista, minha carreira, tendo completado Então outro membro da comissão me
essas primeiras lições foram reforçadas praticamente quatro anos do curso pediu que fosse vê-lo mais tarde, por-
por professores também exemplares. ou tentar novamente fazer as provas que queria me dizer algo importante.
Durante o serviço militar obrigatório, ainda pendentes. Com muita oração e Ele contou:
minhas convicções bíblicas com relação temor enfrentei o desafio, mas falhei. “Certa manhã de sábado, umas
à observância do sábado foram pro- Era evidente que o professor titular e poucas semanas antes do exame, o
vadas, mas Deus sempre me ajudou a seus assistentes não queriam abrir um catedrático Eloy Caos dirigia seu carro
encontrar uma solução. precedente sobre tal requisito do curso, para atender a um compromisso no
Matriculei-me depois numa univer- de modo que esse pudesse ser violado sul do distrito. No meio do caminho,
sidade pública do norte da Argentina, pelo não comparecimento às aulas de o carro começou a ratear e então
para obter formação em Ciência classe e de laboratório. O que eu não parou na cidade de Bella Vista. O
Veterinária, o que envolvia cinco anos sabia naqueles tempos de dificuldades Dr. Caos perguntou sobre uma boa
de estudo. Passei meus primeiros dois era que Deus estava prestes a dar uma oficina mecânica, e lhe foi dito que o
anos de estudo sem qualquer aula aos inesperada e providencial solução ao melhor mecânico da cidade fechava
sábados. No início do terceiro ano, um problema. seu estabelecimento aos sábados, mas
plano de aulas de certa matéria entrou Como minhas notas foram boas morava próximo à oficina. O professor
em choque com minha fé no sábado, em todas as outras matérias, solicitei seguiu as instruções e foi até a casa do
mas segui adiante para completar e me foi concedida a oportunidade de mecânico. Ali chegando, viu que ele
minha graduação profissional. matricular-me como estudante espe- estava bem vestido e prestes a sair com
No quarto ano, eu tinha a opção de cial no quinto e último ano do curso. sua família. Para surpresa do doutor,
assistir às aulas às terças-feiras ou aos Esperava que no meio do ano pudesse o mecânico voltou para casa, mudou
sábados. Mas na época da matrícula fazer os exames e ser aprovado nas pro- suas roupas e rapidamente resolveu o
soube, para meu desapontamento, que vas pendentes do quarto ano. A essa problema. Quando o Dr. Caos per-
as aulas de terça haviam sido cance- altura, poderia ser reintegrado na con- guntou-lhe sobre o quanto devia pelo
ladas. Perguntei a Deus por que Ele dição regular. Despendi tempo tentan- serviço especial, o mecânico lhe deu
permitiu que isso acontecesse! Falei do estabelecer um relacionamento cor- uma resposta que o fez pensar durante
com os diretores acadêmicos e com o dial com o professor titular do curso e o restante de sua viagem: “O senhor
professor titular explicando minhas seus assistentes. Sua reação, entretanto, não me deve nada.” E acrescentou:
razões para não assistir às aulas aos foi muito fria e desinteressada; eles me “Sou um adventista do sétimo dia e
sábados e requeri dispensa. Nesse meio viam como um estudante problemático estava indo à igreja com minha família.
tempo, continuei assistindo as outras com estranhas idéias religiosas. O senhor precisava de assistência e
aulas. A resposta oficial ao meu pro- Repentinamente, um mês antes fiquei feliz em ajudar. Procure comprar
blema veio quase ao final do ano aca- do dia do exame, constatei notável uma nova peça para o carro na segun-
dêmico. Deveria fazer todos os testes, mudança de atitude. Eles se tornaram da-feira.”
exames, aulas de laboratório e o exame amistosos e com um sorriso respon-
final… em apenas três horas. Senti que deram às perguntas que fiz sobre a Continua na p. 35

30 DIÁLOGO 19•2 2007


VIDA NO CAMPUS “conservadores”, mas cujos membros
estão dispostos a assumir compromisso

Compartilhando sua fé com e em uma sociedade moderna,


diferente de alguns dos hassídicos, cujas
interações com o “mundo moderno” são
com um amigo judeu freqüentemente limitadas. Muitos judeus
ortodoxos vão a instituições seculares
Mark A. Kellner de Ensino Superior, dedicam-se a várias
ocupações e têm um relacionamento cor-
dial com colegas de ambos os sexos e de
A população mundial dos judeus fé é considerado judeu o suficiente para todas as religiões. Um destacado exemplo
está em torno de 13,1 a 14 milhões. qualificá-lo para imigração a Israel. A de um judeu ortodoxo, engajado no
Diferente dos adventistas do sétimo dia, cláusula de não-profissão foi colocada na mundo moderno nos Estados Unidos, é
que têm uma série de crenças fundamen- década de 1980 após os judeus crentes o senador Joseph Lieberman do estado
tais, entre os judeus há desde ateístas até em Jesus tentarem imigrar para Israel de Connecticut. Ele é um guardador do
ultra-ortodoxos. Não há um “padrão” no reivindicando o seu direito. sábado e observador judeu.
judaísmo de forma que seja uma única Minha definição é mais simples: se Ao você estabelecer um relacionamen-
religião. Assim também não há “uma você diz ser um judeu, eu o considerarei to com judeus, é uma boa idéia apren-
forma única” para o evangelismo entre como tal. A qualidade de ser judeu não der, tão cortesmente quanto possível,
os judeus. é necessariamente cobiçada em muitos onde eles se situam dentro do judaísmo
De fato, eu, um judeu crente em Jesus lugares. Imagine viver como um judeu atual. A maior parte pertence a grupos
e adventista do sétimo dia, não sugeriria em um país onde os militantes muçul- definidos, mas há aqueles cuja verten-
usar a palavra evangelismo completo ou manos mantêm hoje o poder. Alguém te não é tão facilmente identificável.
o conceito de “conversão” à fé em Cristo disposto a identificar-se como um judeu, Naturalmente, se alguém responde a suas
com um outro judeu. Tais palavras têm então, merece este privilégio. Mas é sábio perguntas sobre religião com desdém ou
um peso emocional tão forte para muitos saber que há muitas variações. Um gran- rejeição, é relativamente seguro afirmar
judeus que eles poderiam não enxergar o de número de judeus ortodoxos que fre- que ele não é altamente religioso!
essencial, a imutável mensagem: as pes- qüentemente dizia ser membro da seita
soas, até mesmo as judias, necessitam do hassídica tais como os de Lubavitcher ou O que os judeus procuram
Senhor Jesus Cristo. os de Satmar não se unirá, por exemplo, Não fiz um estudo científico, mas no
à mulher fora de sua família imediata. decorrer dos anos, falando com muitos
Não há um “judaísmo” Deste modo, se você é uma jovem que judeus que aceitaram o cristianismo e
Na vida judaica pós-diáspora (“diás- conhece um homem hassídico em uma lendo os testemunhos de outros, creio
pora” significa o exílio dos judeus de faculdade, provavelmente não terá a que cada judeu que vem para a fé em
Israel após a destruição do Templo em chance de testemunhar. Um homem Cristo está procurando preencher uma
70 d.C.) não há uma só forma de juda- jovem poderia ter uma chance melhor. necessidade do coração.
ísmo que seria reconhecida por todos os Em relação às mulheres hassídicas, como Isaac Kleimans, que vive em Riga,
judeus. O pensamento e a prática judaica pode supor, ocorre o mesmo, mas poucas Letônia, vivenciou uma situação seme-
variam de ultra-ultra-liberal à ultra- delas saem da comunidade para obter lhante. Durante a II Guerra Mundial, o
ultra-conservador. Em alguns círculos educação universitária. jovem Isaac foi separado do resto de sua
judaicos, alguém pode ser agnóstico ou Entre os grupos judeus mais teologi- família judaica, e se escondeu no lar de
mesmo ateísta e permanecer um judeu, camente liberais – “conservador”, “refor- duas irmãs adventistas do sétimo dia. O
até que seja “identificado” com o povo mista” e “reconstrutivista”, em ordem de amor e sacrifício delas o impressionaram.
judeu. Para a maioria dos ortodoxos, a flexibilidade teológica ascendente – você Ele assistiu a cultos adventistas, leu a
menos que você adore no seu padrão de encontrará menos restrições de gênero Bíblia e as publicações adventistas. Após
vestimenta e admita suas interpretações, e menor ênfase nas tradições judaicas e a guerra, uniu-se à igreja e finalmente
seu judaísmo pode ser suspeito. até nas regras dietéticas. Nesses grupos, tornou-se um pastor adventista, servindo
Quem é um judeu? Tradicionalmente, muitos são mais abertos a conceitos por mais de 50 anos.
alguém nascido de uma mãe judia. Hoje, teológicos que seus irmãos ortodoxos e Isaac esteve à procura da paz interior
alguns grupos judeus e mesmo as leis hassídicos. durante aquele tempo de tumulto. Os
de retorno de Israel são mais liberais nas O judaísmo ortodoxo é especialmente nazistas e seus aliados mataram o resto de
definições: alguém com um dos avós uma distinção americana para aque- sua família. Jesus deu-lhe paz e segurança
judeu que não tenha professado outra les grupos mais conservadores que os durante o tempo mais difícil de sua vida.

DIÁLOGO 19•2 2007 31


Tais necessidades são comuns para tanto quanto qualquer outra pessoa. mente transmitida. Deus escolheu agir
muitos judeus hoje. Mas tão bem sucedi- Aprendendo quais são suas necessidades, de forma diferente; primeiro veio e mor-
da ou tão rica quanto uma pessoa possa você pode alcançá-los com a mensagem reu pelos pecados de todos e então deu
ser, ela ainda tem que lidar com “grandes do evangelho de uma maneira mais efe- ao mundo a chance do arrependimento
questões” da vida: quem eu sou? Por que tiva. antes de voltar para fazer o julgamento.
estou aqui? O que acontecerá após eu Eles ficarão alegres em conhecer essas Não são más notícias ou uma rejeição
morrer? Há um Deus justo no universo? maravilhas sobre justiça e integridade. do período dourado, mas sim boas novas
A mensagem adventista tem respostas No fim da Grande Controvérsia, que comunicadas da melhor forma: temos a
singulares a essas questões. E há algo agora envolve o universo, não apenas chance de escolher a retidão e a salvação.
mais: o sábado. Até os judeus que não Deus será vitorioso como também escla- Olhe por este lado: Jesus era um
observam regularmente o sábado e não recerá Sua justiça para que todos a enten- judeu. Seus discípulos eram judeus como
se envolvem em debates religiosos, em dam e a reconheçam, inclusive Satanás. eram seus “biógrafos”, exceto Lucas. O
geral, serão rápidos em admitir um Aqueles que têm dúvidas sobre a vida rabino Paulo de Tarso, conhecido como
antigo truísmo: “O sábado tem mantido pós-morte ficarão felizes em saber que Paulo, chamou a atenção para si mesmo
os judeus tanto quanto os judeus têm um parente amado não está “queiman- como um “fariseu dos fariseus”, um
conservado o sábado através dos anos.” do” no tormento eterno e que ninguém judeu cujo fervor pela verdade era notá-
Diferente de qualquer outra tendência será punido sem um julgamento. De vel. Todos esses judeus observavam os
atual de uma igreja protestante, nós fato, nossa compreensão do santuário e costumes judaicos, guardavam o sábado
não pedimos aos judeus para desistir do do juízo pré-advento poderia nos levar a bíblico e reverenciavam as Escrituras.
símbolo de sua consciência: o sábado. concluir que Jesus, nascido de um povo e Adoravam nas sinagogas e no templo.
Em vez disso, nós o celebramos, deleita- uma crença judaica, está buscando meios Os discípulos ansiavam pelo Messias
mos-nos nele e o proclamamos porque para incluir tantos quanto possível em Judaico, quem criam ser Jesus. E, na
foi instituído pelo Criador e confirmado Seu reino. igreja dos primeiros tempos, eles manti-
pelo próprio Jesus Cristo! Além disso, a mensagem do advento veram tais posições.
Outra clara vantagem é o nosso a serviço de outros, adoração a Deus e a Se esta não é uma fé “judaica” então
conhecimento da mensagem de saúde, o formação de famílias estruturadas podem eu não sei o que é! Jesus e Seus primeiros
qual inclui uma descrição dos alimentos repercutir com aqueles judeus que estão seguidores não estavam em oposição ao
limpos e imundos conforme revelado maravilhados com o propósito da vida e genuíno judaísmo. Desejaram refinar,
nas Escrituras. Essa mensagem também com o que eles “realmente” são. Muitos intensificar e expandir as práticas judai-
atrairá o judeu atento que está aceitando judeus têm adotado o tikkun olam – frase cas com um maior entendimento do
o chamado de Cristo. Freqüentemente, hebraica cuja tradução é “reparando o plano de Deus, satisfazendo, assim, as
se bem que na paródia, um judeu con- mundo” –, como uma razão para pro- mais profundas necessidades das pessoas
vertido ao cristianismo é retratado como curar justiça social. Com este conceito em todos os lugares. Isto, eu admitiria, é
obrigatoriamente tendo um sanduíche de de justiça, o trabalho dos adventistas em algo que você pode utilizar ao partilhar
presunto e um copo de leite para ajudar defesa da liberdade religiosa e do minis- sua fé com seus amigos judeus. Se há
a “selar o negócio”. O adventismo não tério humanitário através da Adra é um alguma frustração no mundo hoje, é por
faz tais demandas, o que representa algo bom ele de ligação. causa da religião que não é verdadeira. O
mais para compartilharmos o evangelho. cristianismo adventista, com sua crença
Não significa, porém, que alguém deva Mas o que dizer sobre Jesus? no sábado e confiança em Jesus como a
sair alardeando com ímpeto. O mais difícil conceito para muitos melhor esperança para a humanidade, é
judeus é aceitar não somente que Deus uma alternativa viável e que você pode,
Dicas para compartilhar teve um filho, mas que seu Filho é tam- com segurança, oferecer ao povo judeu
Como disse, a chave é averiguar bém Deus, como é Ruach HaKodesh, como um modo de concretizar seus mais
onde seu amigo se situa teologicamente o Espírito Santo. Os judeus ortodoxos profundos anseios e aspirações.
e qual a necessidade de seu coração. podem acusar você de politeísta, alegan-
Os judeus são abençoados por Deus e do que os cristãos adoram “três deuses”.
muitos sentem orgulho da qualificação Aqui, um perfeito entendimento da Mark Kellner é editor de notícias da
“povo escolhido”, ao passo que outros, Trindade ajudará seus amigos judeus a Adventist Review e Adventist
olhando para as perseguições passadas, entenderem este importante conceito. World na Associação Geral dos
desejariam que Deus tivesse “escolhido” Outra pergunta que preocupa os Adventistas do Sétimo Dia em
outro grupo! Mas apesar da história e judeus é: se Jesus era o Messias, por que Silver Spring, Maryland, EUA.
da teologia, os judeus hoje necessitam Ele não profetizou a Era Messiânica? A E-mail : mkellner@gmail.com
responder a essas questões fundamentais resposta é simples e necessita ser gentil-

32 DIÁLOGO 19•2 2007


Quando fé… maus argumentos. Por exemplo, os cria- cristã de modo geral, e especificamente
Continuação da p. 8 cionistas uma vez afirmaram que pega- de uma perspectiva criacionista. Isso
das humanas e de dinossauros foram exige disciplina mental e vigilância para
vistas juntas nas rochas sedimentares reconhecer as implicações das várias
que nos procuram pedindo ajuda para do Rio Paluxy, no Texas. A informação idéias e a necessidade de sua reinterpre-
lidar com tais questões?7 foi repetida centenas de vezes, embora tação. Também requer o reconhecimen-
Primeiro, podemos contribuir para aqueles que a afirmaram originalmente to da diferença entre dados e interpre-
a melhor compreensão da natureza e tenham se retratado depois. tação, e a necessidade de iniciar com
das limitações da ciência. O sucesso da Outra alegação sem base é a de que a cuidadosa coleta e revisão dos dados,
tecnologia e da ciência experimental é Terra não pode ser muito antiga, porque análise crítica e a colaboração de colegas,
tão amplo, que muitos são grandemente a população humana se expandiu muito a fim de desenvolver interpretações base-
influenciados pelos pronunciamentos rapidamente. Levaria apenas alguns adas nas concepções cristãs.
dos cientistas, mesmo em áreas além milhares de anos para produzir um
da ciência. As diferenças entre a ciência número de pessoas que agora vivem na
histórica e a ciência experimental deve- Terra. A população humana não poderia L. James Gibson (Ph.D. pela
riam ser explicadas. As dificuldades em se expandir segundo sua taxa atual, até o Universidade Loma Linda) é diretor
lidar com singularidades e questões das desenvolvimento da agricultura, a inven- do Geoscience Research Institute.
origens podem não ser óbvias para os ção da escrita, a produção de metais Endereço: 11060 Campus Street;
não-iniciados, mas elas são cruciais na e os melhoramentos na saúde e na Loma Linda, Califórnia 92350, EUA.
compreensão do porquê da ciência ser mecanização. Tais invenções proveram Site: www.grisda.org.
tão bem-sucedida em algumas áreas e meios de apoio às populações maiores e
tão incompleta e especulativa em outras. ampliaram a capacidade do ambiente de
A figura 1 apresenta um esquema que sustentar o homem. Sem essas e outras REFERÊNCIAS
pode ser útil no caso. invenções, a América do Norte poderia 1. Aqui e no restante do documento, “razão” é
utilizada significando a razão humana baseada na
Segundo, podemos partilhar o enten- ainda ter uma população de apenas uns experiência e observação, independente da revela-
dimento de que provar nossas con- poucos milhões, como há 500 anos.8 ção divina, especialmente na ciência.
vicções não é possível. Não podemos Os evolucionistas também apresentam 2. T. S. Kuhn. A Estrutura das Revoluções Científicas.
Perspectiva: São Paulo, 2000.
provar coisa alguma sem suposições; e argumentos ruins. Por exemplo, às vezes 3. Por exemplo, ver Ian G.Barbour. Religion and
nossas suposições determinam o que eles sustentam que a história da arca de Science: Historical and Contemporary Issues. São
somos capazes de provar. É apenas quan- Francisco: Harper, 1997; J. F. Haught. Science
Noé não pode ser verdadeira, porque and Religion: From Conflict to Conversation.
do as suposições são partilhadas, que não teria como abrigar todas as espécies Mahwah, NJ: Paulist Press, 1995; L. R. Brand.
alguém pode provar um ponto a outros. hoje conhecidas, inclusive milhões de “A biblical perspective on the philosophy of
Os secularistas freqüentemente fazem science”. Origins, 59, 2006:6-42.
tipos de insetos. Mas os criacionistas não 4. S. J. Gould. Pilares do Tempo – Ciência e Religião
suposições incompatíveis com as con- acreditam nisso. A arca foi construída na Plenitude da Vida. Editora Rocco: Rio de
cepções cristãs. Não surpreende que os para vertebrados terrestres e a diversifica- Janeiro, 2002. Outro biólogo evolucionista
conflitos permaneçam sem solução. Não notou a “duplicidade” da proposta de Gould; ver
ção tem ocorrido desde o Dilúvio. K. R. Miller. Finding Darwin’s God. Nova Iorque:
podemos provar que a Criação é verda- Quarto, podemos permitir que os Harper Collins Perennial edition, 1999, 2002. p.
deira e nem podemos usar argumentos outros nos vejam modelando uma 170.
5. J. Gibson. “Issues in ‘Intermediate’ models of
baseados na ciência naturalista para atitude de fé, mesmo sabendo das difi- origins”. Journal of the Adventist Theological
provar a falsa evolução, embora possa- culdades encontradas na integração da Society, 14, 2004, 2:71-92.
mos certamente mostrar que ela tem fé com a razão. Nossa fé não precisa ser 6. Esta idéia básica é aceita amplamente entre os
criacionistas, com diferenças sobre a extensão
problemas. Precisamos aprender a viver perturbada pela compreensão de que de tempo em que a Terra permaneceu em con-
tranqüilamente sem provas, enquanto há questões para as quais não podemos dição de inabitabilidade.
continuamos a buscar uma compreensão dar respostas empíricas. Podemos extrair 7. Ver A. Plantinga. “When faith and reason
clash: Evolution and the Bible”. Christian
mais profunda da verdade. coragem de outros que estejam bem Scholar’s Review, 21, 1991:8-32.
Terceiro, podemos colaborar no familiarizados com os problemas, e fazer 8. Jared Diamond informa uma recente estima-
desenvolvimento do pensamento crítico. tiva mais alta, em torno de vinte milhões. J.
a decisão consciente de aceitar o registro Diamond. Guns, Gems, and Steel: The Fates of
Deveríamos encorajar outros a serem bíblico como um ato de fé. A fé não é Human Societies. Nova Iorque: W.W. Norton,
cautelosos a respeito das afirmações oposta à razão, mas é escolhida por um 1997, 1999.
que ouvem e a aprenderem a distinguir ato da razão.
entre dados e interpretações e entre Finalmente, e talvez o mais importan-
bons e maus argumentos. Os crentes te: deveríamos desenvolver a capacidade
na Criação parecem propensos a aceitar de pensar e agir a partir da perspectiva

DIÁLOGO 19•2 2007 33


PARA SUA INFORMAÇÃO
Vencendo as tentações Ainda melhor, peça a Deus que instale
filtros em seu coração e construa um
muro de proteção ao redor da sua von-
da internet tade. Cole uma notinha em seu com-
putador para lembrá-lo de não poluir
sua mente com material que desonre a
Deus (Veja Salmo 32:8; 101:3; 119:37;
Como cristãos, freqüentemente não disse para os cristãos ficarem longe Provérbios 23:26). Lembre-se que você
enfrentamos decisões difíceis. Essa é dos centros de aprendizado/centros pode deletar imagens pornográficas do
uma das razões porque Deus nos deu culturais, mas aconselhou-os a não seu e-mail ou do hard drive do seu com-
Sua Palavra, a Bíblia. Nela podemos permitir que idéias erradas dominassem putador, mas sua mente não tem uma
encontrar princípios que nos guiam suas mentes. A internet oferece acesso tecla “apagar”. O que entrar, ficará lá
ao usar as inovações tecnológicas sem a vastas fontes de informação, as quais por muito, muito tempo.
deixar que elas nos controlem ou nos podem ser usadas em muitos projetos de Em Corinto havia praças públicas
induzam ao erro. pesquisa. No entanto, essas fontes não onde as pessoas se encontravam para
A internet é uma ferramenta. Deus são nem filtradas nem verificadas. Você conversar sobre muitos assuntos. As
assim o permitiu para que, com o uso mesmo deve selecionar as fontes com discussões em grupo eram ao vivo e
dos computadores, pudéssemos nos cuidado e avaliar sua validade. Você fascinantes. Podemos então dizer que
comunicar, entreter de maneira saudá- precisa também ser honesto ao usar Paulo conhecia algo sobre os chats. Salas
vel, aprender e contribuir com a Sua material que foi preparado por outros, de bate-papo podem se tornar os locais
missão ao redor do mundo. mostrando respeito por tais trabalhos online favoritos para alguns. Você pode
Você provavelmente entende muito que exigiram tanta pesquisa. entrar nesses espaços virtuais e simples-
mais de tecnologia que seus pais. Se você entrasse numa escola em mente observar o que está acontecendo
Portanto sua responsabilidade é ainda Corinto, seria possível passar por edifí- por lá ou participar ocultando sua
maior ao usar os recursos tecnológicos cios onde aconteciam atividades ques- verdadeira identidade. Ninguém sabe o
de forma a não prejudicar sua mente, tionáveis e imorais. Da mesma forma que você está lendo ou escrevendo. Mas
corpo e relacionamentos. hoje, quando você acessa a internet é seu amigo Jesus está perto quando você
Em sua primeira carta aos cristãos possível que algo corrupto ou imoral participa desse bate-papo eletrônico.
de Corinto, o apóstolo Paulo escreveu: apareça – pop-up na sua tela. Você pre- Algumas garotas são fisgadas nos bate-
“‘Tudo me é permitido’, mas nem tudo cisa pedir a Deus que o ajude a resistir papos na internet por jovens da mesma
convém. ‘Tudo me é permitido’, mas à tentação de explorar sites que lhe são idade que se dizem ótimos nos esportes,
eu não deixarei que nada me domine” prejudiciais. que têm dinheiro e que viajam ao redor
(I Coríntios 6:12 – NVI). No tempo Corinto também possuía as melhores do mundo. Elas podem até mesmo
em que Paulo escreveu essas palavras, casas de banho da Antiguidade. Ambos, receber fotos desse novo e lindo amigo.
Corinto era para os crentes assim como idosos e jovens iam lá tão somente para No entanto, pela própria natureza das
a internet o é para nós, cristãos moder- se divertirem. Na verdade eram casas de salas de bate-papo, tal “amigo” pode ser
nos. Dentro dos limites da cidade de imoralidade e prostituição disfarçadas, na realidade um homem passando dos
Corinto você poderia encontrar vários com a vantagem adicional da privaci- 50, com excesso de peso, absolutamente
lugares para visitar – alguns decentes, dade. preguiçoso nos esportes, que não viajou
alguns importantes e alguns realmente Uma das características da internet é para lugar nenhum além da própria vizi-
horríveis. a privacidade. Você pode ficar sozinho nhança, que é socialmente desajustado
Havia áreas em Corinto onde você e acessar websites imorais sem que nin- e tem intenções questionáveis e mesmo
poderia entrar com segurança sem ser guém saiba, mas esse exercício lhe trará perigosas para esse relacionamento.
abordado por vendedores ambulantes grande dano. Você receberá convites Acorde! Sua vida é muito valiosa
oferecendo mercadorias prejudiciais para visitar sites misteriosos e ainda para correr tais riscos. Se você estiver
– assim como na internet. Você pode ofertas atrevidas para pornografia gratui- lutando com as tentações da internet ou
visitar sites que são seguros e onde ta. Para que você resista melhor à tenta- talvez com a tendência de gastar muito
ninguém irá atraí-lo com propostas ção de visitar tais sites pervertidos, não tempo com jogos no computador, peça
arriscadas. mantenha seu computador em locais a Deus ajuda para proteger sua mente e
Corinto era uma cidade progressista, isolados, mas em locais públicos onde suas emoções, bem como para usar seu
com escolas e uma universidade. Paulo outros possam ver o que está na sua tela. tempo sabiamente. Ele o ajudará.

34 DIÁLOGO 19•2 2007


Lembre-se do sábio conselho de Providência Assim, na maravilhosa providência
Paulo. Você é livre para visitar qualquer Continuação da p. 30 de Deus, fui capaz de completar meus
lugar na moderna Corinto, mas nem estudos, obter minha graduação e ini-
tudo é benéfico. De fato você corre o ciar minha profissão como veterinário.
risco de ser manipulado por imagens O professor-assistente então me con- Agora moro na província de La Pampa,
e dominado por tentações que podem tou que quando o catedrático voltou na Argentina Central, e sou o primei-
arruinar sua vida. Então, cuidado! para a universidade, ele descreveu o ro ancião de uma nova congregação
incidente e disse que durante aquele adventista. Minha esposa é secretária
Adaptado de um release da Agência fim de semana aprendeu muito sobre da igreja e nossas filhas são ativas nos
Orbita. que pessoas os cristãos guardadores do departamentos jovem e infantil.
sábado são. Deus é fiel.

ET CETERA © Humberto Valenzuela


Sidney, Austrália

Creio que nós, como “homo Com o nosso conhecimento da Capaz de decodificar os mistérios
sapiens”, atingimos o pico ciência e da mente humana, somos do universo. Com as nossas
de nossa evolução uma super-raça... tecnologias ..

Então... eu posso
.Podemos chegar a galáxias estar errado!
Ai! Zap!
distantes e ir além, somos os
donos do nosso destino!

DIÁLOGO 19•2 2007 35


O portifólio de Jordi Baget
(Todas as pinturas foram feitas em óleo sobre tela)

“Pescadores de
Barcelona” (97 x 130 cm).
Descarregar a pescaria deve
ser rápido. Senti-me atraído
pelos vários movimentos das
figuras, difíceis de reproduzir.

“A Igreja de Pollença, Mallorca”


(73 x 60 cm). Passei vários verões
pintando ao ar livre em Mallorca. Luzes
e sombras compõem a fachada dessa
igreja sob o sol da tarde.
“Campos de Trigo” (73 x 92 cm).
O interior da Catalúnia, perto das
montanhas dos Pirineus, inspirou
vários dos meus primeiros quadros.

DIÁLOGO 19•2 2007 Inserção A


“Porto de Valletta, Malta” (73 x
92 cm). O intenso sol mediterrâneo
incide sobre a água e o velho edifício,
que guarda as memórias da turbulenta “Natureza-
história da ilha. morta” (65 x
54 cm). Pintar
um buquê de
flores frescas é
sempre um desa-
fio. Essa imagem
contém a parte
“Consertando as redes” (54 x de trás de uma
65 cm). Antes de zarpar, os pescado- cadeira que escul-
res asseguram-se que suas redes estão pi quando jovem.
prontas para a pescaria. Tenho uma
simpatia especial pelas pessoas simples
e trabalhadoras.

“Barcos-Esportivos em Malta“ (54 x 81 cm). As marinas “Torroja del Priorat” (65 x 92 cm). Esse antigo vilarejo
provêem uma diversidade de elementos – água, barcos, mastros, na Catalúnia está localizado perigosamente em uma monta-
lonas, imagens de fundo – que sempre estimularam minha nha rochosa.
criatividade.
Inserção B DIÁLOGO 19•2 2007
“Frias, Castilla” (65 x 81 cm). A
estação de outono inicia-se nessa cida-
de, que é ancorada nas rochas.

“Albarracín, Teruel” (50 x 61 cm).


A curva da estrada conduz a essa
colorida cidade, que pintei ao ar livre.

“Arranha-céus” (73 x 100 cm). Durante a segunda fase da minha carreira, comecei a pintar temas
abstratos, combinando e contrastando cores, formas e texturas.

DIÁLOGO 19•2 2007 Inserção C


“Um Canal em Amsterdam” (73 x 92 cm). Os raios
de sol refletidos nas águas produzem juntos um efeito de
vida. Procurei obter o máximo de resultado com um núme-
“Pôr-do-sol em Budapeste” (60 x 81 cm). Primeiro ro limitado de pinceladas.
pintei a tela com uma cor amarronzada, depois apliquei
várias pinceladas curtas para criar uma impressão. Esta é
uma das minhas obras favoritas.

“O Porto de Pollença” (45 x 54 cm).


A ilha de Mallorca é um ancoradouro
favorito para barcos de vários países.

“Dia de Mercado em Praga”


(61 x 50 cm). Estava encantado com
a cidade de Praga, seus edifícios e seu
povo. Nessa tela, os fregueses movem-
se sob a chuva, em animados movi-
mentos de vida.

Inserção D DIÁLOGO 19•2 2007

Você também pode gostar