Você está na página 1de 57

Previously for Chemical Engineering sophomores...

- Conversão de unidades: uso de fatores de conversão


- Homogeneidade dimensional: consistência algébrica das
unidades de uma equação
- Grandezas Adimensionais: Grandezas sem unidades
- Trabalhando com algarismos significativos
- Variáveis de Processo:
 densidade
 volume específico
 vazão
 composição química
 volume
 composição química e concentração
 temperatura
 pressão
Análise de processos químicos (relembrando)

CALCULAR
QUANTIDADES E PROPRIEDADES DE PRODUTO
PARTINDO DAS
QUANTIDADES E PROPRIEDADE DE MATÉRIA-PRIMA
OU VICE-VERSA

- Variáveis de Processo
- Conservação de massa
- Conservação de energia
- Termodinâmica

abordagem sistemática

- Solução dos problemas (aqui e no dia-a-dia)


Balanço de massa (ou material)

- Baseado no princípio da conservação das massas (Lavoisier)

- Relaciona as quantidades de massa envolvidas em um processo


através da contabilidade das massas e de cada componente

- Uma das atribuições vitais da Engenharia Química, pois os balanços


de massa fazem parte dos modelos de todos equipamentos e de todos
processos.
Balanço de massa (ou material)
Mecanismos responsáveis pela variação da massa no interior dos
sistemas: Fluxos e Reações Químicas.

Fluxo

Fluxo Fluxo
SISTEMA
Massa Reações Químicas Massa

Fluxos ou Correntes: responsáveis pela entrada e saída de matéria


(massa) no sistema

Reações Químicas: responsáveis pela geração e consumo de


espécies químicas com ou sem variação de energia.
Balanço de massa (ou material)
Fluxo
Fluxo Fluxo
SISTEMA
Massa Reações Químicas Massa

SAI = ENTRA + REAGE – ACUMULA


qAs = qAe + rA - dmA/dt
vazão de vazão de taxa de consumo taxa de acumu-
saída de A entrada de A ou geração de A lação de A

Forma Geral do balanço da quantidade G (massa):


(Taxa: quantidade de G por unidade de tempo)

Taxa de Taxa de Taxa de Taxa de Taxa de


Acumulação = Entrada - Saída + Geração - Consumo
de G de G de G de G de G
Fluxos Reações
Classificações dos Processos

A) Regimes de Operação quanto aos Fluxos

1) Operação em batelada: sistema fechado após alimentação e aberto


para a retirada do produto.
Exemplos: cozimento em panela de pressão; autoclavação de materiais

2) Operação contínua: sistema permanentemente aberto para entrada e


saída de massa.
Exemplos: produção de vapor em caldeiras; bombeamento e retirada
de fluído num tanque a uma mesma vazão

3) Operação semi-contínua: sistema fechado para um componente e


aberto para outro
Exemplos: borbulhamento de um gás em um meio líquido;
escape de gás de um cilindro pressurizado; tanque de combustível
Classificações dos Processos
B) Regimes de Operação quanto à Acumulação ou Tempo

1) Estado transiente ou regime não-permanente (partidas, paradas e


perturbações na operação de equipamentos e processos, operação em
batelada):
Caracteriza-se pela alteração das variáveis ao longo do tempo
taxa de acumulação positiva ou negativa  equação diferencial

2) Estado estacionário, regime estacionário ou steady state (operação


contínua):
Caracteriza-se pela não-alteração das variáveis ao longo do tempo
taxa de acumulação nula  equação algébrica
Partida, Operação Normal e Parada de um Processo

 y é uma variável relevante no processo em operação

Operação
Partida Parada
normal
transiente estacionário transiente
y
dy/dt > 0 dy/dt = 0 dy/dt < 0

t1 t2 t
Fluxogramas
- A partir daqui, você irá se deparar com textos deste estilo:
A desidrogenação catalítica do propano é realizada em um reator contínuo de
leito empacotado. 1000Kg/h de propano puro são pré-aquecidos a uma
temperatura de 670o C antes de entrar no reator. O gás efluente do reator, que
inclui propano, propileno, metano e hidrogênio é resfriado de 800 a 110oC e
alimentado a uma torre de absorção onde o propano e o propileno são
dissolvidos em óleo. O óleo passa então a uma coluna de dessorção, onde é
aquecido, liberando os gases dissolvidos; estes gases são recomprimidos e
enviados a uma coluna de destilação de alta pressão na qual o propano e o
propileno são separados. A corrente de propano é reciclada de volta para se
juntar à alimentação do preaquecedor do reator.A corrente de produto da
coluna de destilação contém 98% de propileno e a corrente de reciclo contém
97% de propano. O óleo retificado é reciclado à torre de absorção.

- Um fluxograma organiza este tipo de informação em uma forma


apropriada para a realização de cálculos
- Caixas ou outros símbolos são usados para representar as unidades
de processo (reatores, separadores, etc) e setas para representar as
correntes de entrada e saída. (caixas são suficientes para este curso!)
Fluxogramas - Sugestões

1. Ler e entender o enunciado


2. Rotular o fluxograma – com os valores de todas variáveis de
processo e símbolos para identificar as variáveis desconhecidas
3. Utilizar como placar – escrever o valor das variáveis encontradas
com a solução do problema
4. Escrever os valores e as unidades de todas as variáveis das
correntes conhecidas na localização apropriada no diagrama.
ex: uma corrente contendo 21% molar O2 e 79% molar N2 a 320oC
e 1,4 atm fluindo a uma vazão de 400 mol/h

400 mol/h
Y O2 = 0,21
Y N2 = 0,79
T = 320oC, p = 1,4 atm

Obs: é possível substituir as fracões molares ou mássicas pelas


vazões de cada componente
Fluxogramas - Sugestões
5. Atribua símbolos algébricos às variáveis desconhecidas de cada
corrente e escreva esses nomes de variáveis e suas unidades
associadas no diagrama.
Ex: caso não se conheça a vazão total do exemplo anterior
Q corrente A ? (mol/h)
Y O2 = 0,21
Y N2 = 0,79
T = 320oC, p = 1,4 atm

Praticando: Três correntes de entrada alimentam uma câmara de


evaporação para produzir uma corrente de saída de evaporação
de composição desejada desejada.
a) Água líquida, alimentada a vazão de 20 cm3/min
b) Ar (21% molar O2 e resto N2)
c) O2, puro com vazão molra igual a 1/5 da corrente b
O gás de saída é analisado e contém 1,5% molar de água. Desenhe
o fluxograma.
Fluxogramas – Saiu algo como isto???

Água líquida (A)


Q A = 20 cm3/min Gás de saída (D)
Q D?
Ar (B)
Q B? Y H2O = 0,015
Y N2 = ?
Y O2 = 0,21
Y O2 = ?
Y N2 = 0,79
Oxigênio (C)
Q C = 1/5 Q B

- Teremos a oportunidade de praticar esta habilidade em MUITOS


exercício de agora em diante!
Equações gerais para balanço de massa

Processo Contínuo Processo Contínuo


Classificação Processo Batelada
Est. Transiente Est. Estacionário

SAI=ENTRA -ACUMULA
Balanço total SAI=ENTRA MASSA FINAL =
qAs = qAe - dmA/dt
de massa qAs = qAe MASSA INICIAL
dmA/dt = qAe - qAs

Bal. de massa SAI=ENTRA+REAGE-


SAI=ENTRA=0
componente A ACUMULA SAI=ENTRA+REAGE
ACUMULA=REAGE
com reação qAs = qAe + rA - dmA/dt qAs = qAe + rA
dmA/dt = rA
química dmA/dt = qAe - qAs + rA

Bal. de massa SAI=ENTRA-ACUMULA SAI=ENTRA


componente A qAs = qAe -dmA/dt SAI=ENTRA REAGE=0
sem reação qAs = qAe MASSA FINAL A =
dmA/dt = qAe – qAs
química MASSA INICIAL A
Exemplo de balanço de massa para vários componentes
X’1
X’2
QB
X’3
QA QC

X1 X”1
X2 X”2
X3 X”3
 Sistema contínuo, em estado estacionário, sem R.Q. ENTRA = SAI
Balanço de massa global: QA = QB + QC

Balanço de massa do componente 1: Q1,A = Q1,B + Q1,C


X1  QA = X’1  QB + X”1  QC

Balanço de massa do componente 2: X2  QA = X’2  QB + X”2  QC

Balanço de massa do componente 3: X3  QA = X’3  QB + X”3  QC

Restrições: X1 + X2 + X3 = 100% = 1 = X’1 + X’2 + X’3 = X”1 + X”2 + X”3


Procedimentos para Cálculos de balanço de massa
1) Desenhe um fluxograma
2) Indique todos os valores das variáveis conhecidas
3) Indique as variáveis desconhecidas
4) Caso nenhuma quantidade ou vazão seja conhecida, escolha uma
base de cálculo (as variáveis desconhecidas serão determinadas
relativamente a este valor)
5) Converta valores de volumes e vazões volumétricas em qtddes.
mássicas ou molares
6) Se houver mistura de unidades mássicas e molares, adotar uma das
duas
7) Escrevas as equações de balanço material
 Se não há reação e n espécies estão presentes: n equações
 o número de equações tem de ser igual ao número de variáveis
desconhecidas
8) Assumir que não há incertezas associadas aos valores das variáveis
que impactem no fechamento do balanço (ao contrário da indústria)
Praticando!

Exemplo 1: Duas misturas metanol-água de composições


diferentes estão contidas em recipientes separados. A primeira
mistura contém 40% de metanol e a segunda 70% metanol em
massa. Se 200g da primeira mistura são combinados com 150g
da segunda mistura, qual a massa e a composição do produto.
Considerar que não há interação entre o metanol e a água.

Conceito envolvido: classificar o processo!


Praticando!

Exemplo 2: Uma unidade industrial de verniz tem que entregar


1000 lbm de uma solução de nitrocelulose a 8%. Eles têm em
estoque a solução a 5,5%. Quanto de nitrocelulose seca
deve ser dissolvida na solução para atender ao pedido?

Conceitos envolvidos: classificar o processo!


sistemas de equações lineares!
Praticando! – Agora é com vocês

Exemplo I - alunos: Uma unidade industrial de verniz tem que


entregar 1000 lbm de uma solução de nitrocelulose aquosa a 8%
em massa. A unidade possui uma grande quantidade de solução
aquosa com fração molar de 5,5%, que será concentrada por
evaporação para produção da solução concentrada. Pede-se
a) A massa de solução a 5,5% necessária para produzir 1000 lbm
nitrocelulose aquosa a 8% em massa por evaporação.
b) A massa de água evaporada, em toneladas.
Praticando! – Agora é com vocês

Exemplo I - alunos: Uma unidade industrial de verniz tem que


entregar 1000 lbm de uma solução de nitrocelulose aquosa a 8%
em massa. A unidade possui uma grande quantidade de solução
aquosa com fração mássica de 5,5%, que será concentrada por
evaporação para produção da solução concentrada. Pede-se
a) A massa de solução a 5,5% necessária para produzir 1000 lbm
nitrocelulose aquosa a 8% em massa por evaporação.
b) A massa de água evaporada, em toneladas.
Assuma que a evaporação se processa sem arraste de soluto.

a) 1455 lb
b) 0,206 ton
Praticando!

Exemplo 3: 1000 kg/h de uma mistura de benzeno e tolueno que


contém 50% em massa são separados em uma coluna de
destilação em duas frações.
A vazão mássica de benzeno na corrente de saída do topo é 450
kg/h e para o tolueno na corrente de saída do fundo é 475 kg/h.
A operação se desenvolve em regime permanente e se processa
com arraste de benzeno e tolueno em ambas correntes de saída.
Escreva os balanços de massa para o benzeno e o tolueno.
Calcular as vazões não conhecidas nas correntes de saída.

Conceitos envolvidos: escrever equações de balanço!


“check” de balanço
Praticando!

Exemplo 4: Considere o seguinte processo de extração:

 Determinar R, Q, W.
 Calcular a relação gHAc solução R
gHAc entrada
Conceitos envolvidos: classificar o processo!
escrever equações de balanço!
Praticando!
Exemplo 5: Uma experiência de velocidade de crescimento de
microorganismos requer o estabelecimento de um ambiente de
ar úmido enriquecido em oxigênio. Três correntes são
alimentadas à câmara de evaporação para produzir uma corrente
de saída com a composição
desejada.
A) água líquida, alimentada a vazão de 20 cm3 / min
B) ar (21% O2, 79% N2 molar)
C) oxigênio puro, com vazão molar igual a um quinto da vazão
molar da corrente B
O gás de saída é analisado em um analisador de umidade e
observa-se que ele contém 1,5% molar de água. Calcule as
variáveis desconhecidas.
Conceito envolvidos: classificar o processo!
desenhar o fluxograma
conversão de unidades
escrever equações de balanço!
Praticando!

Exemplo 6: Uma mistura de composição mássica constituída por


benzeno (58,20%), tolueno (20,40%) e xileno (21,40%) é carga
de um processo de destilação. A recuperação de benzeno no
destilado deve ser de 98,0% e a de xileno no resíduo deve ser de
95,0%. A fração mássica de benzeno no destilado deve ser de
90,0%. Calcule a composição mássica do destilado e do resíduo.

Conceitos envolvidos: classificar o processo!


desenhar o fluxograma
definir base de cálculo
cálculos de rendimento
escrever equações de balanço!
Balanços em múltiplas unidades

- Definir fronteiras para realização de “mini-balanços” através do


conceito de volume de controle (VC)
- Todos conceitos anteriormente estudados continuam sendo válidos!
Praticando

Exemplo 7. Um fluxograma simplificado para a fabricação de açúcar. A


cana de açúcar (D) contém 16% de acúcar, 59% de polpa e 25% de
água e é espremida em um moinho. O bagaço (F) resultante contém
80% em massa de polpa, água e açúcar. O xarope (E) contendo
14% polpa, 13% de açúcar e água, é alimentado em uma peneira
que remove toda a polpa e produz xarope límpido (H), contendo
15% de açúcar e 85% de água. Da peneira, resulta uma corrente de
rejeito (G), contendo 95% de polpa, água e açúcar. O evaporador
prepara um xarope “pesado” (K) com 40% de açúcar e o cristalizador
produz 1000lb/h de cristais de açúcar 100% puro (M).

a) Calcule a água removida no evaporador (corrente L), em libras/hora;


b) Calcule a vazão de xarope límpido (corrente H), em libras/hora;
c) Calcule a vazão e frações mássicas dos componentes na corrente de
rejeito G;
Praticando

(M) Açúcar 1000 lb/h


Exemplo 7
100% açúcar
1500 lb/h
Cana (D) (L)
Cristalizador
16% açúcar Água
59% polpa
25% água (E) 2500 lb/h (K) 40% açúcar
13% açúcar (H) 60% água
14% polpa 15% açúcar Evaporador
Moinho 73% água Peneira 4167 lb/h
85% água
(J)
7819 lb/h 6667 lb/h Água

1152,7 lb/h

Bagaço (F) Sólidos (G)


80% polpa 95% polpa
açúcar ? açúcar ?
água ? água ?
Resolução – Exemplo 7
b)
a)
VC: Evaporador
VC: Cristalizador
 BM Global
 BM Global
QH= QK + QJ
QK= QL + QM
QH= 2500 + QJ
QK= QL + 1000
 BM para acúcar
 BM para água
Q açúcar,H = Q açúcar,K + Q açúcar,J
Q água,K = Q água,L + Q água,M
0,15.QH= 2500 x 0,4 + 0.QJ
0,6.QK = 1.QL + 0.Qm
QH = 6666,7 lb/h
 Sistema
 Substituindo na BM Global
QK= QL + 1000
QH= 2500 + QJ
0,6.QK = 1.QL
6666,7 = 2500 + QJ
QJ = 4166,7 lb/h
 Resolvendo
QK = 2500 lb/h
QL = 1500 lb/h
Resolução – Exemplo 7

c) VC: Peneira
 BM acúcar
VC: Peneira Q açúcar,E = Q açúcar,G + Q açúcar,H
 BM Global 0,13 x 7819 = 1152,7.X açúcar,G + 0,15 x 6666,7
QE= QG + QH 1016,5 = 1152,7 . X açúcar,G + 1000
QE= QG + 6666,7 1016,5 - 1000 = 1152,7 . X açúcar,G
16,5 = 1152,7 . X açúcar,G
 BM para polpa X açúcar,G = 16,5/1152,7 .
Q polpa,E = Q polpa, G + Q polpa,H X açúcar,G = 0,014
0,14.QE = 0,95.QG + 0.QH
Restrição
 Sistema X açúcar,G + X polpa,G + X água,G = 1
QE= QG + 6666,7 0,014 + 0,95 + X água,G = 1
0,14.QE = 0,95.QG X água,G = 0,036

 Resolvendo
QG = 1152,3 lb/h A composição da corrente G será de
QL = 7819 lb/h 3,6% água; 1,4% açúcar e 95% polpa.
Praticando
Exemplo 8. A figura a seguir apresenta um fluxograma rotulado de um
processo contínuo no estado estacionário. Cada corrente contém dois
componentes, A e B, em diferentes proporções. Três correntes cujas
composições não são conhecidas são rotuladas 5, 6 e 7.
Calcule as vazões e composições desconhecidas das correntes 5, 6 e 7.
2 3

40 kg/h 90% A 30 kg/h 60% A


10% B 40% B
1
100 kg/h 5 6 7
Eq.  Eq. 
50% A
50% B
30 kg/h 30% A
70% B
4
Correntes Especiais de um Processo

1) Reciclo

- No mundo real, poucas reações ocorre com 100% de rendimento!

- Através de um reciclo, o(s) regente(s) retorna(m) para reação

VC I
Correntes Especiais de um Processo
2) By-pass

- Desvio de parte de alimentação de uma unidade e posterior


combinação com nova corrente

- Via de regra, possui a mesma composição da corrente original (pois


dela se origina como uma ramificação)

VC I VC II
Correntes Especiais de um Processo
3) Purga

- Parte de uma corrente indesejável é separada de uma corrente de


interesse
- Objetivo de promover a retirada de substâncias que, sem a purga,
iriam se acumular, principalmente em circuitos de reciclo.
Purga

VC II

VC I
Correntes Especiais de um Processo

4) Make-up
- Corrente para reposição de perdas em sistemas que operam em
circuito fechado (pois perdas são inevitáveis)

Efluente
Make-up Solvente
Solvente

Produto
Mistura Purificado

Solvente Recuperado
Praticando!
Exemplo 9: Água do mar é dessalinizada por osmose inversa segundo
o esquema a seguir.
Utilizando os dados da figura, determine: a) a taxa de remoção de
salmoura (B); a taxa de produção de água dessalinizada (água potável)
(D); c) a fração de reciclo da corrente de saída da célula de osmose.
reciclo
Balanço de massa (ou material)
Mecanismos responsáveis pela variação da massa no interior dos
sistemas: Fluxos e Reações Químicas.

Fluxo

Fluxo Fluxo
SISTEMA
Massa Reações Químicas Massa

Fluxos ou Correntes: responsáveis pela entrada e saída de matéria


(massa) no sistema

Reações Químicas: responsáveis pela geração e consumo de


espécies químicas.

Principal diferença em relação aos balanços vistos até aqui!!


Balanço de massa (ou material)
Fluxo
Fluxo Fluxo
SISTEMA
Massa Reações Químicas Massa

SAI = ENTRA + REAGE – ACUMULA


qAs = qAe + rA - dmA/dt
vazão de vazão de taxa de consumo taxa de acumu-
saída de A entrada de A ou geração de A lação de A

Forma Geral do balanço da quantidade G (massa):


(Taxa: quantidade de G por unidade de tempo)

Taxa de Taxa de Taxa de Taxa de Taxa de


Acumulação = Entrada - Saída + Geração - Consumo
de G de G de G de G de G
Fluxos Reações
Equações gerais para balanço de massa

Processo Contínuo Processo Contínuo


Classificação Processo Batelada
Est. Transiente Est. Estacionário

SAI=ENTRA -ACUMULA
Balanço total SAI=ENTRA MASSA FINAL =
qAs = qAe - dmA/dt
de massa qAs = qAe MASSA INICIAL
dmA/dt = qAe - qAs

SAI=ENTRA+REAGE
Bal. de massa SAI=ENTRA+REAGE- qAs = qAe + rA SAI=ENTRA=0
componente A ACUMULA
ACUMULA=REAGE
com reação qAs = qAe + rA - dmA/dt Reage: + se gerado
dmA/dt = rA
química dmA/dt = qAe - qAs + rA
Reage: - se consumido

Bal. de massa SAI=ENTRA-ACUMULA SAI=ENTRA


componente A qAs = qAe -dmA/dt SAI=ENTRA REAGE=0
sem reação qAs = qAe MASSA FINAL A =
dmA/dt = qAe – qAs
química MASSA INICIAL A
Conceitos
1. Reação Química

 Exemplo: 1 N2 + 3 H2  2 NH3

 Informa que: 1 kg.mol de N2 reage com 3 kg.mols de H2 gerando 2


kg.mols de NH3 (estequiometria)

 Para expressarmos esta relação em termos de massa, devemos


multiplicar pelas massas molares (N2 = 28; H2 = 2; NH3 = 17)

28 Kg de N2 reagem com 6 Kg de N2 gerando 34 Kg de NH3

 Observe que, quando houver reações químicas:

 Massa Inicial = Massa Final (34 Kg = 34 Kg)


 Número de mols inicial  Número de mols final
(4 Kg.mols  2 Kg.mols)  cuidado ao fazer balanços de massa
globais quando houver reações químicas!!!
Conceitos

2. Reagentes em proporção estequiométrica

Exemplo: 2 SO2 + O2  2 SO3

Relação estequiométrica n SO2/n O2 = 2/1 = 2

Caso um reator seja alimentado com 200 Kg.mols de SO2 e


100Kg.mols de SO2 , a relação fica

Relação alimentação n SO2/n O2 = 200/100 = 2

 Como as relações de alimentação e estequiométrica são iguais,


pode-se dizer que os reagentes estão em proporção estequiométrica
(não há excesso, nem falta, de nenhum reagente)

Obs: n = número de mols (kg.mol; lb.mol; etc)


Conceitos

3. Reagente limitante (em EQ, normalmente o mais caro).

Exemplo: 80,4 Kg.mols de FeSO4; 35,1 Kg.mols de KMnO4 e 135,7


Kg.mols de H2SO4 são alimentados num reator. Qual é o reagente
limitante?
10 FeSO4 + 2 KMnO4 + 8 H2SO4  5 Fe2(SO4)3 +2 MnSO4 + K2SO4 + 8H2O
Reagentes
Parâmetro
KMnO4 H2SO4 FeSO4
n est 2 8 10
n Al 35,1 135,7 80,4
n Al/ n est 17,6 17,0 8,04

A menor relação entre número de mols alimentados e número de mols


estequiométricos (nAl/nest) define o reagente limitante, ou seja, FeSO4.
O reagente limitante define a extensão da reação.
Conceitos
4. Porcentagem em excesso de um reagente A
% excesso A = n alimentação A – n reage A x 100
n reage A

“n reage A” é dado a partir da estequiometria e do reagente limitante


nest . A
nreage A  nreagente lim i tan te 
nest . reag lim i tan te
10 FeSO4 + 2 KMnO4 + 8 H2SO4  5 Fe2(SO4)3 +2 MnSO4 + K2SO4 + 8H2O
 Exemplo: Qual a % em excesso do FeSO4 e H2SO4 no exemplo anterior?
Reagentes
Parâmetro
KMnO4 H2SO4 FeSO4
n est 2 8 10
n Al 35,1 135,7 80,4
n Al/ n est 17,6 17,0 8,04
n reage 16,1 64,3 80,4
% excesso 118 111 0
Conceitos - Estequiometria

Exemplo: Quanto será a composição dos produtos, considerando


exemplo anterior?

10 FeSO4 + 2 KMnO4 + 8 H2SO4  5 Fe2(SO4)3 +2 MnSO4 + K2SO4 + 8H2O

Reagentes Produtos
Parâmetro
KMnO4 H2SO4 FeSO4 Fe2(SO4)3 MnSO4 K2SO4 H2O
n est 2 8 10 5 2 1 8
n Al 35,1 135,7 80,4 0,0 0,0 0,0 0,0
n est/nAl 17,6 17,0 8,04 0,0 0,0 0,0 0,0
n reage/forma 16,1 64,3 80,4 40,2 16,1 8,0 64,3
n produtos
final 19,0 71,4 0,0 40,2 16,1 8,0 64,3

Para os Reagentes: SAI = ENTRA - REAGE(CONSUMIDO)

Para os Produtos: SAI = ENTRA + REAGE(GERADO)


Praticando! – Tarefa!!

Exemplo II: Um reator é alimentado com 105 Kg.mols de H2O2,


37 kg.mols de KMnO4 e 500 Kg.mols de H2SO4.

a) Determine qual o reagente limitante.


b) Determine a porcentagem em excesso dos demais reagentes.
c) Calcule quantos Kg.mols de O2 serão produzidos.

5 H2O2 + 2 KMnO4 + 3 H2SO4  5 O2 + 2 MnSO4 + K2SO4 + 8H2O


Conceitos
5. Conversão

- Reações químicas normalmente são lentas, portanto não é prático


projetar um reator para conversão completa do reagente limitante.

- Então, a saída do reator contém reagentes não convertidos, que


serão separados dos produtos e re-alimentam o reator (para
processos em fluxo contínuo $$ viáveis).

Conversão de um reagente = n reage = n entra - n sai


n alimentado n sai
Conceitos
6. Conversão Global e por Passe
Conversão global = n entra no processo - n sai do processo
de um reagente n entra no processo

Conversão por passe = n entra no reator - n sai do reator


de um reagente n entra no reator

 Exemplo, para o processo abaixo no qual A  B

75 kg.mol A 100 kg.mol A 25 kg.mol A 0 kg.mol A


Reator Separ.
75 kg.mol B 75 kg.mol B

25 kg.mol A

Conversão global de A = (75 – 0)/75 = 1 = 100%

Conversão por passe de A = (100 – 25)/100 = 0,75 = 75%


Conceitos
7. Rendimento
 Descreve o grau em que uma reação de interesse predomina sobre
as reações secundárias.

• Ex.: Considere o processo de produção do eteno


C2H6  C2H4 + H2

• São reações secundárias (indesejáveis)


C2H6 + H2  CH4 e C2H4 + C2H6  C3H6 + CH4

Rendimento (base alimentação) = n produto desejado


n reagente limitante alimentado

Rendimento (base consumo reagente) = n produto desejado


n reagente limitante consumido

 Observe que as equações para rendimento envolvem produto e


reagente!!
Conceitos
8. Seletividade
 Também descreve o grau em que uma reação de interesse
predomina sobre as reações secundárias
• Ex.: Considere o processo de produção do eteno
C2H6  C2H4 + H2

• São reações secundárias (indesejáveis)


C2H6 + H2  CH4 e C2H4 + C2H6  C3H6 + CH4

Seletividade = n produto desejado


n produto indesejado formado

No exemplo acima, é possível calcular a seletividade do produto


desejado (C2H4) em relação a CH4 ou em relação a C3H6

 Observe que as equações para seletividade envolvem apenas os


produtos!
Praticando!

Exemplo 10: Acrilonitrila (C3H3N) é produzida pela reação de


propileno, amônia e oxigênio:

C3H6 + NH3 + 3/2 O2 → C3H3N + 3 H2O

A alimentação molar contém 10% de propileno, 12% de amônia e


78% de ar.

a) Qual é o reagente limitante?


b) Qual a porcentagem em excesso dos demais reagentes?
c) Calcule os kg-mol de C3H3N produzidos para uma conversão
de 30% do reagente limitante.
d) Calcule os kg-mol de O2 restantes para uma conversão de
30% do reagente limitante.
Praticando! – Tarefa!!

Exemplo III: Produção do eteno (C2H4). As reações :


C2H6 → C2H4 + H2 (reação principal) e
C2H6 + H2 → 2 CH4 (reação indesejada)
se desenvolvem em um reator contínuo em estado estacionário. A
vazão molar de alimentação é 100,0 kg.mol/h. A composição dos
gases é dada pela tabela a seguir:
Composição Molar (%)
Corrente
C2H6 C2H4 H2 CH4 inertes
Alimentação 85 0 0 0 15
Produto 30,3 28,6 26,8 3,6 10,7

a) Calcule a vazão de saída


b) Calcule a conversão do etano (C2H6) baseado na alimentação.
c) Calcule o rendimento do eteno baseado no consumo.
d) Calcule a seletividade do eteno relativa ao metano.
Exemplo IV: Propano é desidrogenado para formar propeno em um reator
catalítico: C3H8 → C3H6 + H2.
As correntes de produto e de saída do reator contêm H2, C3H6 e C3H8.
A corrente de reciclo contém apenas C3H6 e C3H8.
A vazão de C3H6 na corrente de reciclo equivale a 5% da vazão de C3H6 na
corrente de saída do reator.
A vazão de C3H8 no produto equivale a 0,555% da vazão de C3H8 na saída do
reator.
O processo é projetado para uma conversão global de 95% do propano.
Calcule
a) a composição molar do produto
b) a razão entre as vazões de reciclo e de alimentação
c) a conversão por passe de C3H8

Reator Separador
Y C3H8 = 1 ? C3H8 ? C3H8 ? C3H8
? C3H6 ? C3H6 ? C3H6
? H2 ? H2

? C3H8
? C3H6
Balanço de massa em reatores de combustão
1. Combustão

 Processo industrial em que um combustível é queimado com um comburente.


 Combustível: normalmente uma mistura de hidrocarbonetos, com
contaminação de compostos de enxofre.
 Comburente: normalmente oxigênio do ar, em excesso em relação ao
combustível.
 Reações.
C + O2 → CO2 (combustão completa)
2H2 + O2 → 2 H2O
S + O2 → SO2
C + ½ O2 → CO (combustão incompleta)
 Gera-se uma mistura gasosa conhecida como gás de combustão ou
gás de chaminé. Seus principais componentes serão CO2, CO, SO2, N2 (inerte)
e CO (combustão incompleta).
 Por razões econômicas óbvias, o ar é fonte de oxigênio. Sua composição
molar é de 79% de N2 e 21% de O2.
Balanço de massa em reatores de combustão
2. Composição em base seca e base úmida

 Composição em base úmida considera a água presente em uma dada


mistura.
Exemplo, composição molar de um gás em base úmida: 20% CO, 50% CO2
e 30% H2O (base úmida)

 Composição em base seca NÃO considera a água presente na mistura.


Exemplo, a composição molar do mesmo gás acima em base seca é 28,6%
CO e 71,4% CO2.

 Base de cálculo: 100 g-mol de gás úmido


20 g-mol de CO
50 g-mol de CO2 70 g.mol total em base seca (desconsiderando H2O)
30 g-mol de H2O

Y CO = 20/70 = 0,286 em base seca


Y CO2 = 50/70 = 0,714 em base seca
Terminologia

 Oxigênio teórico: o número de mols ou vazão molar de O2 necessários para


a combustão completa de todo o combustível do reator, assumindo-se que
todo C se converta a CO2 e todo H se converta a H2O.
 Ar teórico: a quantidade de ar que contém o oxigênio teórico.
 Excesso de ar: a quantidade de ar alimentado que excede a quantidade
teórica.

 n ar a lim entação  n ar teórico 


% excesso de ar     100
 n ar teórico 

 Conhecendo-se a estequiometria de reação completa, determina-se o O2


teórico.
Balanço de massa em reatores de combustão

1. não esquecer de incluir o N2 na entrada e na saída do fluxograma.

1. não esquecer do combustível e do O2 não reagidos na saída, além dos


produtos de combustão (CO2, H2O. Quando combustão é incompleta,
lembrar do CO).

3. se é dada uma porcentagem em excesso de ar, o O2 realmente alimentado


pode ser calculado utilizando-se a equação
 n ar a lim entação  n ar teórico 
% excesso de ar     100
 n ar teórico 
4. O ar teórico é calculado como sendo a quantidade necessária para queimar
todo o combustível e formar exclusivamente CO2, e independe da
quantidade de combustível queimado na prática (conversão).

5. O valor da porcentagem de excesso de ar depende somente do ar teórico e


do ar alimentado, e não quanto do O2 é consumido no reator, ou se a
combustão é completa ou parcial.
Praticando!

Exemplo 12:

100 kg.mol/h de butano (C4H10) e 5000 kg.mol/h de ar são alimentados


a um reator de combustão. Calcular:
a) o oxigênio teórico
b) o ar teórico
c) a porcentagem de ar em excesso.

C4H10 + 13/2 O2 → 4 CO2 + 5 H2O


Praticando!

Exemplo 13:

150,0 kg/h de C8H18 reage com 55,0% de ar em excesso, numa reação


de combustão total, com conversão de 68,5%.
a) Determine o O2 teórico.
b) Determine o ar teórico.
c) Determine a vazão de ar na entrada.
d) Determine a composição da corrente de entrada.
e) Determine a vazão de C8H18 na saída.
f) Determine quantos Kg.mol/h de C8H18 reagem.
g) Determine a composição da corrente de saída.