Você está na página 1de 20

DIETA

LOW
CARB
Saiba Como Emagrecer de Vez
com a Melhor Dieta de Todas

POR LAURA ARAUJO


Um Guia

ReceitasLightefit.com.br

Para Ter Acesso Às


Melhores Receitas Low
Carb

CLIQUE AQUI
A dieta low carb propõe reduzir a
quantidade de carboidratos
ingeridos. A orientação em uma
alimentação convencional é que
50 a 55% do que é ingerido no
dia seja carboidrato. Já nos
métodos low carb, o
macronutriente pode compor
entre 45% a 5% do que é
consumido em um dia. É
importante ressaltar que a
redução extrema de carboidratos,
algo abaixo de 40%, até
proporciona o emagrecimento,
porém ele não será saudável e
pode ter uma série de
consequências graves para a
saúde. Os carboidratos incluem
alimentos como arroz, macarrão,
pão e batata.
Além disso, este método defende
que seja priorizado o consumo de
carboidratos de baixo índice
glicêmico, aqueles cuja glicose
(açúcar) é absorvida em uma
velocidade mais lenta e por isso
não há picos de glicose e nem de
insulina no organismo. São
exemplos de alimentos de baixo
IG a batata doce e o arroz
integral.

O consumo de alimentos integrais


que são ricos em fibras também é
estimulado neste método para
emagrecer. Conversamos com
especialistas para entender quais
são os prós e os contras deste
regime.
Como a dieta low carb ajuda a
emagrecer

Este método contribui para o


emagrecimento saudável ao
sugerir que a alimentação priorize
os carboidratos de baixo índice
glicêmico. Isto porque quando um
carboidrato é ingerido ele tem a
glicose que será utilizada pela
célula para obter energia.

Caso haja excesso de glicose, ela


é estocada em forma de gordura
e se for utilizada antes da próxima
refeição não há ganho de peso.
Para que o organismo consiga
queimar a gordura estocada é
preciso liberar um hormônio chamado
glucagon que irá retirar essa energia
estocada. Quando a dieta é rica em
alimentos com alto índice glicêmico,
ocorrem muitos picos de insulina e às
vezes eles estão tão altos que o
glucagon nunca é liberado. Sem o
glucagon a gordura que está
estocada não é queimada e não há
perda de peso.

Para Ter Acesso Às


Melhores Receitas Low
Carb

CLIQUE AQUI
Assim, quando a dieta prioriza a
ingestão de alimentos de baixo índice
glicêmico há uma alteração menor da
insulina e consequentemente ocorre
a produção de glucagon. Quando há
a presença de fibras e proteínas a
liberação do hormônio também é
mais eficaz.

Quando a dieta low carb propõe uma


redução pequena de carboidratos,
algo até 40% do que é ingerido no
dia, ela também ajuda a emagrecer.
Não só o carboidrato, mas a proteína
e principalmente a gordura devem ser
bem controlados. Com uma redução
de 10% e com a melhora na
qualidade do que será consumido, a
pessoa conseguirá não só um bom
resultado, mas também uma
reeducação de hábitos.
Assim, quando a dieta prioriza a
ingestão de alimentos de baixo índice
glicêmico há uma alteração menor da
insulina e consequentemente ocorre
a produção de glucagon. Quando há
a presença de fibras e proteínas a
liberação do hormônio também é
mais eficaz.

Quando a dieta low carb propõe uma


redução pequena de carboidratos,
algo até 40% do que é ingerido no
dia, ela também ajuda a emagrecer.
Não só o carboidrato, mas a proteína
e principalmente a gordura devem ser
bem controlados. Com uma redução
de 10% e com a melhora na
qualidade do que será consumido, a
pessoa conseguirá não só um bom
resultado, mas também uma
reeducação de hábitos.
PARE DE SOFRER COM
DIETAS LOUCAS

Conheça as Melhores
121 Receitas Low Carb

CLIQUE NA IMAGEM
PARA CONHECER
Benefícios da dieta low carb

1.Previne diabetes: Como este


regime propõe ingerir apenas
carboidratos com índice glicêmico
baixo ou moderado, ele pode ajudar a
prevenir o diabetes tipo 2. Isto porque
ao ingerir carboidratos de índice
glicêmico alto, ocorre um aumento do
nível de glicose no sangue e
consequentemente o de insulina.
Quanto mais insulina no organismo,
mais ele se torna resistente a ela e é
necessária maiores quantidades
deste hormônio para transportar a
mesma quantia de glicose,
aumentando o risco do quadro de
resistência à insulina que pode
evoluir para o diabetes tipo 2
2. Proporciona saciedade: As
melhores fontes de carboidratos são
aquelas que também possuem fibras,
como o pão e o arroz integral. A
substância prolonga o tempo que o
alimento fica no estômago e quando
chega no intestino diminui a
velocidade de absorção de glicose e
assim não há picos de insulina. Desta
forma as fibras proporcionam
saciedade

3. Auxilia na perda de peso: Os


carboidratos podem ser aliados na
perda de peso quando consumidos de
forma correta. É importante optar
pelas versões com índice glicêmico
baixo ou moderado, pois, como já foi
mencionado, elas contribuem para a
queima do estoque de gordura do
corpo
Alimentos permitidos

Os alimentos permitidos na dieta Low


Carb são:

Frutas, verduras e legumes;


Carne, frango e peixes;
Queijos;
Ovos;
Azeite, óleo de coco e manteiga;
Nozes, amêndoas, avelãs, castanha-
do-pará;
Sementes em geral, como chia,
linhaça, girassol e gergelim;
Café e chás sem açúcar;
Água, de 2 a 3 litros por dia.

Além de ser usada para emagrecer,


esta dieta também é indicada para
tratar problemas como colesterol alto,
diabetes, triglicerídeos elevados e
pressão alta.
CONTAGEM DE CARBOIDRATOS

Se você está iniciando uma dieta low-


carb visando principalmente à perda
de peso, pode ser muito interessante
fazer uma contagem de carboidratos.

Isso porque o mecanismo por trás de


uma dieta low-carb, conforme
explicado anteriormente, é justamente
consumir gorduras como fonte
principal de energia, ou seja, você vai
querer evitar fornecer uma fonte de
energia alternativa (carboidratos) para
seu corpo.

Inclusive os benefícios relacionados à


insulina estão diretamente
relacionados com a quantidade de
carboidratos ingeridos em um dia.
Dessa forma, podemos citar algumas
divisões relacionadas a essa
quantidade diária de carbs:
PARE DE SOFRER COM
DIETAS LOUCAS

Conheça as Melhores
121 Receitas Low Carb

CLIQUE NA IMAGEM
PARA CONHECER
CONTAGEM DE CARBOIDRATOS

Se você está iniciando uma dieta low-


carb visando principalmente à perda
de peso, pode ser muito interessante
fazer uma contagem de carboidratos.

Isso porque o mecanismo por trás de


uma dieta low-carb, conforme
explicado anteriormente, é justamente
consumir gorduras como fonte
principal de energia, ou seja, você vai
querer evitar fornecer uma fonte de
energia alternativa (carboidratos) para
seu corpo.

Inclusive os benefícios relacionados à


insulina estão diretamente
relacionados com a quantidade de
carboidratos ingeridos em um dia.
Dessa forma, podemos citar algumas
divisões relacionadas a essa
quantidade diária de carbs:
Very Low-Carb: baixíssimo consumo
de carboidratos, normalmente não
ultrapassando os 20-30 gramas diários,
o que pode acabar por induzir a
cetose. Tal prática é mais adotada por
pessoas com bastante peso a perder
e/ou grandes distúrbios de insulina,
como por exemplo diabéticos do tipo 2.
Para maiores detalhes, recomendo que
leia o texto sobre Cetose que
escrevemos.

Low-Carb: consumo baixo de


carboidratos (até uns 50-100
gramas/dia). Cenário menos drástico
que o citado acima mas que também
proporciona enormes benefícios para a
resposta insulinogênica e perda de
gordura corporal. Foi nessa variação
que pensamos para criar o nosso
Lower-Carb: nesse caso temos uma
dieta com um média restrição de
carboidratos, como a Slow Carb, que
aceita carboidratos provenientes das
leguminosas – e que possuem
baixíssimo índice glicêmico. No caso,
mesmo tendo mais carboidratos que as
low-carb e very low-carb, ela ainda
possui muito menos do que a dieta
padrão ocidental.

SAD (standard american diet): para fins


de comparação, na dieta padrão que nos
é imposta desde que nascemos (e
incrivelmente apresentada como
saudável), os carboidratos constituem a
base de sua famigerada pirâmide
alimentar. Nesse caso, o consumo de
carboidratos é responsável por 60% ou
mais das calorias ingeridas, o que
representa cerca de 300 gramas de
carbs líquidos diariamente, em média.
Cardápio low carb
O cardápio desta dieta pode ser
facilmente montado com os alimentos
permitidos dentro da necessidade
individual de cada pessoa. Vamos deixar
um cardápio como sugestão para vocês
iniciarem e irem adaptando.

Desjejum: um copo de água morna, um


ovo (cozido, omelete ou poche), uma
fatia de presunto e uma fatia de queijo.
Uma xícara de chá ou café sem açúcar.

Lanche da manhã: meio abacate com


algumas gotas de adoçante ou uma taça
de morangos.
Almoço: 1/3 do prato de vegetais
folhosos (alface, rúcula, agrião,
espinafre, brócolis, couve ou couve flor),
1/3 do prato de vegetais do grupo B
(cenoura, vagem ou abóbora) e 1/3 do
prato de proteína (bifes, carne assada,
peixes, frango, etc). Um copo de suco
das frutas permitidas ou um copo de
refrigerante zero.

Café da tarde: um omelete com 1 ou 2


ovos recheado com vegetais e frios, um
copo de chá ou café sem açúcar.

Jantar: um prato de sopa de carne e


vegetais ou um prato de strogonoff ou
alguma variação do almoço.

Sobremesa / ceia: uma taça de gelatina


zero com creme de leite ou uma porção
das frutas permitidas.
PARE DE SOFRER COM
DIETAS LOUCAS

Conheça as Melhores
121 Receitas Low Carb

CLIQUE NA IMAGEM

Você também pode gostar