Você está na página 1de 2

MAIO DE 1968: POLÍTICA, CULTURA E MEMÓRIAS.

PROGRAMAÇÃO:

1º DIA – 07/05/2018

ABERTURA CULTURAL: 19h00min

LOCAL: auditório da UNESPAR

Leituras performáticas: maio de 68 – política, memória e (contra) cultura. Estudantes do


curso de História. Coordenação: Marco Antônio M. L. Pereira.

CONFERÊNCIA DE ABERTURA: 20h00min

“Maio de 1968 e a emergência das novas paixões utópicas”. Prof. Clóvis Gruner
(Departamento de História/UFPR)

LOCAL: auditório da UNESPAR

2º DIA – 08/05/2018

MINICURSOS: 14h00min – 18h00min

MINICURSO 01

“A Música Popular Brasileira nos anos de chumbo”. Prof. Joacir Navarro Borges
(História/UNESPAR).

LOCAL: Palácio Mathias Bohn, Rua Benjamin Constant, Centro Histórico, Paranaguá.

MINICURSO 02

“Contracultura e literatura marginal nos anos 1970 no Brasil”. Profa. Patrícia Marcondes
(História/UNESPAR)

LOCAL: Palácio Mathias Bohn, Rua Benjamin Constant, Centro Histórico, Paranaguá.

ABERTURA CULTURAL – 19h00min

LOCAL: auditório da UNESPAR.

Performance musical: (contra) cultura e memória. Estudantes do curso de História.


Coordenação: Robson Liz Cordeiro.
CINE-DEBATE – 19h30min

“Memórias do subdesenvolvimento”. Realizado precisamente no ano 1968, Memórias


do Subdesenvolvimento, do diretor cubano Tomás Gutiérrez Alea, está entre os mais
importantes filmes latino-americanos da história do Cinema e se constitui em um dos
principais registros que o cinema cubano produziu sobre sua revolução socialista.
Inovador em sua linguagem, Alea mistura rico material documental ao enredo
ficcional, baseado em um livro homônimo de Edmundo Desnoes. Partindo da história
de Sergio, um homem de 38 anos, de classe média alta, o qual vê sua mulher e seus
amigos fugirem da ilha e do comunismo logo após a revolução, o filme fala da Cuba
pós-revolução de Fidel em uma perspectiva de ansiedade e desconforto, mostrando
as tensões de um indivíduo e de um país em plena transformação.

Profa. Beatriz Vasconcelos (Letras/UNESPAR)

3º DIA – 09/05/2018

MINICURSO 03

14h00min-18h00min

“Literatura, história e contracultura em maio de 1968”. Prof. Antônio João Galvão de


Souza (IFPR/Paranaguá)

LOCAL: Palácio Mathias Bohn, Rua Benjamin Constant, Centro Histórico, Paranaguá.

OFICINA:

14h00min-18h00min

“Maio de 1968: imaginário político e o ensino de História” (PIBID-História).

LOCAL:

ABERTURA CULTURAL: 19h00min

Leituras performáticas: literatura marginal. Estudantes do curso de História.


Coordenação: Patrícia Marcondes de Barros.

MESA REDONDA – ENCERRAMENTO – 20h00min

“Histórias e memórias da resistência à ditadura militar no Brasil: o movimento estudantil


e o papel da intelectualidade brasileira”. Narciso Pires (coordenador do grupo Tortura
Nunca Mais-PR) e Rodrigo Czajka (Departamento de Sociologia/UFPR).

LOCAL: auditório da UNESPAR.

Interesses relacionados