Você está na página 1de 6

COLÉGIO ESTADUAL PROFº JULIO SZYMANSKI E M P N

Material de: Elaboração e Análise de Projetos – Profº Paulo Vicente Skraba 4º ano - 17/04/18

LOCALIZAÇÃO DE EMPRESAS

Objetivos

» Identificar a importância de se proceder a estudos técnicos antes de localizar uma unidade


produtora.

» Identificar fatores qualitativos e quantitativos de localização.

» Identificar os aspectos macro e micro do estudo de localização do empreendimento

A escolha do local para instalar um empreendimento deve levar em consideração aspectos que
podem contribuir para o sucesso, ou para o próprio insucesso do empreendimento. Escolhas bem
dimensionadas, levando em consideração questões como, clima da região, existência de infra-
estrutura de transportes, proximidade do mercado consumidor etc., irão minimizar custos e viabilizar
melhores resultados para a empresa. Na presente unidade, abordaremos diversos aspectos relevantes
e que devem ser considerados ao se escolher o local para a implantação de uma empresa.

A localização de qualquer empreendimento pode contribuir decisivamente para o seu sucesso.


Muitas vezes, um grande negócio, com reais possibilidades de sucesso, pode ser um fracasso comercial
por uma simples falha na escolha do ponto, cuja decisão depende pessoalmente dos proprietários. E
quando o negócio não fracassa, pode até não alcançar o sucesso tão esperado, mesmo que haja um
grande investimento e esforços direcionados para tal. Quando pensar num empreendimento, é
primordial saber escolher o ponto ideal. E isto você mesmo pode fazer sem grandes investimentos.
Assim, primeiro é necessário saber exatamente se o empreendimento será voltado ao segmento
industrial, comercial ou de prestação de serviços. Tal identificação justifica-se pelo fato de cada
segmento exigir um pensar diferente, ou seja, exatamente como ele é, dentro de suas próprias
características. Por exemplo: um empreendimento industrial não é visitado por clientes com a mesma
freqüência de um estabelecimento comercial que, por sua vez, também aponta diferenças se for
comparado a uma empresa prestadora de serviços.

Nas empresas manufatureiras, o estudo deve incluir tanto a localização das atividades
manufatureiras como das instalações de estocagem e de distribuição. Em geral, produtos que, ao
serem fabricados, reduzem o peso e o volume tendem a se instalar próximos à fonte de abastecimento
de matéria-prima. Enquanto, os que aumentam o peso e o volume durante o processamento, são
localizados próximos ao mercado consumidor.

É importante falarmos dos clusters, pois a existência deles em determinadas regiões passa a ser um
fator significante para o estudo de localização. Clusters é sinônimo da palavra tecnopolos – são
sistemas de empresas e instituições inter-relacionadas, cujo todo é maior do que a soma das partes.
Eles desempenham um papel importante na competição, com implicações na estrutura de negócios
das empresas, governo, universidades e outras instituições da economia.

1
A Localização Industrial pretende responder à pergunta “onde produzir”. Em resumo podemos
distinguir cinco etapas distintas e sucessivas, a saber: a macro-localização; a micro-localização; o
projeto do edifício; o arranjo físico dos equipamentos; e o arranjo físico do local do trabalho. Na
primeira etapa a resposta “onde produzir” é dada indicando a região ou mesmo a cidade onde deve se
localizar a indústria.

Na segunda etapa da “microlocalização” já escolhida a cidade, passa-se à escolha do terreno onde se


irá construir a fábrica.

No “projeto do edifício”, 3ª etapa, são localizados os diversos departamentos, incluindo aqueles


destinados especificamente à produção onde se distribuirão os equipamentos.

Na quarta etapa “arranjo físico dos equipamentos” é fixada a posição exata destes equipamentos
dentro de cada departamento.

Finalmente, na última etapa, no “arranjo físico do local de trabalho” dado a localização de cada
equipamento, chega-se ao detalhe da posição de ferramentas, da entrada da matéria-prima e da saída
desta após sua transformação etc.

Entre os aspectos comuns na resposta a pergunta “onde produzir” em suas diferentes etapas,
devemos destacar que as soluções adotadas, muitas vezes, diferem apenas quanto a escala das
distâncias envolvidas, e emprega os mesmos métodos e raciocínios.

Assim, consideramos o transporte, a movimentação e o manuseio, fatores que definem o


deslocamento de materiais respectivamente fora da fábrica e entre equipamentos, e, finalmente,
dentro do próprio local de trabalho que cerca um equipamento.

3.1 A Macrolocalização

O estudo da macrolocalização consiste em definir a região ou cidade onde deverá ser implantada a
empresa. Provavelmente, haverá um local onde os custos totais de implantação sejam igualmente
mínimos. Este é um problema que geralmente se enfrenta nesse estudo, porque a unidade produtiva
via de regra terá que abastecer vários mercados, buscando o custo mínimo de movimentação até eles.

Para se determinar a minimização dos custos é preciso analisar a orientação locacional do produto,
isto porque, é necessário saber se a unidade produtora deve situar-se mais perto da fonte do insumo
ou em definir a região do mercado consumidor. Outro fator inerente ao estudo da macrolocalização
que merece uma análise profunda é o insumo, até porque, é importante estudar sua disponibilidade,
as características e as particularidades do seu transporte. A disponibilidade e classificação da mão-de-
obra também são de fundamental importância, porque para a localização ótima e viável, a oferta
abundante e salários baixos, devem ser considerados. Entretanto, é preciso saber que tipo de mão-de-
obra a unidade produtora necessita para sua maior lucratividade.

Outro fator a considerar neste estudo da macrolocalização é a disponibilidade dos serviços básicos,
haja vista que o seu custo influenciará no custo do produto final.

2
A política locacional é outro fator inerente e importante na escolha da localização da unidade
produtora. O governo com objetivo de acabar com as desigualdades regionais, oferece incentivo e
vantagens para instalações de empresas em regiões menos favorecidas. Essa lógica, embora
secundária, pode ser um ponto de justificativa para uma ótima localização.

3.2 A Microlocalização

É a investigação do lugar específico, recomendado para a instalação definitiva de um projeto. O


segundo passo após a definição da zona de localização.Para efetuar a seleção do lugar, serão
necessárias informações básicas a respeito das características da engenharia a ser utilizada: descrição
física do prédio; área atual e futura a ser adquirida; necessidades de linhas férreas, estradas etc.;
quantidade de água, energia, gás etc.; volume e características de águas residuais; leis sobre poluição
do meio ambiente e volume estimado que o projeto gerará; instalações de equipamentos e
construções especiais; layout (distribuição dos equipamentos e fluxo do transporte dentro da
empresa).

Além disso, para efeito de segurança no estudo da microlocalização, é imprescindível levar em conta
o tipo de terreno em disponibilidade, no qual está se viabilizando a construção de uma unidade
produtora, no sentido de saber qual a sua topografia, superfície disponível, característica do solo,
custo do terreno, imposto atual e futuro sobre o mesmo, vias de comunicações e serviços públicos,
como transporte urbano ou suburbano, serviços de esgoto, luz, água, gás, escola e hospitais para os
trabalhadores e suas famílias.

Como se pode verificar, na prática é difícil de conseguir uma localização com todas essas
características, o que seria chamada de ótima, mas é importante, comparar todas essas alternativas
para uma escolha bem dimensionada.

Um dos objetivos econômicos do setor empresarial é a obtenção do máximo lucro, que é calculado
pela diferença entre a receita e o custo. O objetivo corresponde a procurar aumentar a primeira
(receita) e diminuir o último (custo).

Assim, por exemplo, o comerciante que pesquisa uma localização por onde passem muitas pessoas,
pretende maximizar a receita. Já o setor industrial, se localiza junto da energia elétrica barata, pois
está procurando diminuir o custo. Se o mercado consumidor da indústria for pré-fixado, e não
depender da localização, a receita é fixa e o objetivo será a minimização do custo. Um
empreendimento fabril deve, basicamente, levar em conta a logística, considerando os melhores
meios de distribuição e as condições de acesso, e a proximidade dos seus fornecedores. Nesse caso,
deve-se ponderar a infra-estrutura do local.

*** Reflita, agora, sobre empresas que você conheceu e que não deram certo. Seriam aspectos de
sua localização determinantes de seus insucessos? E, por outro lado, pense em empresas bem
sucedidas e procure avaliá-las de acordo com o estudo de localização. ***

As empresas prestadoras de serviços devem ter outra preocupação, quanto à definição de sua
localização. Devem observar as facilidades de contato para se integrar ao cliente, como linhas

3
telefônicas suficientes para atender às chamadas, secretária eletrônica para chamadas fora do horário
de expediente, telefones móveis, e-mail, fax e site na internet. Afinal, por ser prestador de serviços,
muitas vezes você vai trabalhar na empresa do cliente.

Com empreendimentos comerciais a atenção deve ser ampliada a uma série de mínimos detalhes.
Como a presença de clientes vai ser constante, o acesso deve ser facilitado. Aqui se deve considerar a
alternativa da loja estar localizada num Shopping Center, aproveitando-se algumas das tendências do
mercado, ou no comércio de rua, central ou de bairro. O ambiente deve ser climatizado e aromatizado
de acordo com o produto e o perfil dos clientes. Cada segmento tem suas vantagens e desvantagens,
que devem ser analisadas a partir de suas características próprias.

Dentro da análise do segmento em que você atuar é preciso considerar agentes estratégicos como
clientes (tendências de consumo do público-alvo), fornecedores (tempo e custo de entrega) e, até
mesmo, concorrentes (nível de saturação, tipo da concorrência e tendências de crescimento). Cada um
exige atenção integrada na tomada de sua decisão. Procure, portanto, compreender a situação como
um todo, não apenas por partes. Não se esqueça que a localização pretendida depende também, e
muito, de aspectos legais envolvendo, por exemplo, impostos, licenças de operação, questões de
zoneamento e um conjunto de leis, particulares de cada município.

Além dos apontamentos legais é preciso se preocupar com os fatores mercadológicos, dentro das
características do seu segmento e dos agentes clientes, fornecedores e concorrentes: fluxo de
pedestres e tráfego de veículos (faça uma combinação de horários e dias distintos); facilidades de
acesso; tipos de mídia para investimento; opções de estacionamento no próprio local escolhido ou em
suas proximidades; pessoal qualificado; visibilidade; infra-estrutura e seus custos; características sócio-
econômicas e demográficas da região; perfil dos vizinhos; características do ambiente externo como
segurança e nível de ruídos. Procure nortear suas decisões sob a percepção do cliente. Coloque-se no
lugar dele e comece a destacar os pontos fortes e fracos que encontraria na localização pretendida.
Aliás, em muitos casos não só pense, como vá e conheça a situação na prática.

E, se houver a possibilidade, converse com os vizinhos que já estão instalados há algum tempo na
localidade ou em suas imediações. Busque informações. Experiências acumuladas por outras pessoas
podem contar muito para você evitar erros comuns.

*** Nesta proposta, pense no seu negócio hoje e como ele será no futuro. Tente aproximar a realidade
presente (o que seu empreendimento é hoje) com percepção futura (o que você pretende que ele
seja). O desenho dessa visão dá outras dimensões para você orientar suas decisões quanto ao melhor
caminho a ser trilhado por seu empreendimento. ***

SÍNTESE DA UNIDADE

Ao final da unidade podemos claramente deduzir a grande importância do estudo de localização


quando se pretende implantar um projeto empresarial. A escolha de região que apresente condições
mais favoráveis ao empreendimento, sem dúvida alguma irá contribuir grandemente para o êxito do
projeto. Negar a relevância do estudo para o êxito do negócio é assumir um risco muito elevado e
comprometer o sucesso dos investimentos.

4
5
6