Você está na página 1de 2

PASSAGEM DO MITO À FILOSOFIA: Milagre grego

1 PERÍODOS DA HISTÓRIA DA GRÉCIA ANTIGA:


1. Civilização mítica (Séc. XX a XXI a.C)
 Cidades de micenas. 1250 a.C Conquista de Tróia. (Agamenon, Aquiles e Ulisses).
2. Tempos homéricos ( Séc. XII a VIII a.C)
 Formação do mundo rural grego e enriquecimentos de senhores e aristocracia proprietária de
terras. Surgimento de Homero.
3. Período arcaico (Séc. VIII a VI a.C)
 Formação das cidades-Estado – póleis.
 Alterações sociais e políticas.
 Desenvolvimento do comércio e expansão da colonização grega. Surgimento de Hesíodo.
 Séc. VII e VI a.C – surgimento dos primeiros filósofos nas colônias gregas.
4. Período Clássico (Séc. V e IV a.C)
 Auge da civilização grega. POLÍTICA.
 Apogeu da democracia grega ateniense.
 Desenvolvimento da arte, literatura e filosofia.
 Sofistas, Sócrates, Platão e Aristóteles.
5. Período helenístico (Séc. III e II a.C)
 Domínio macedônio.
 Conquista da Grécia pelos romanos.
 Influência da civilização oriental.
 Filosofia dos estóicos e epicureus.
 Sábios do oriente. (Séc. VI a.C) China: Confúcio, Lao Tsé, Índia: Buda, Pérsia: Zaratustra.

2 FATOS QUE INFLUENCIARAM O MILAGRE GREGO


1. A invenção da escrita:
 Até o momento havia a tradição oral – mito.
 Os sacerdotes e reis usavam o caráter mágico da escrita denominada hieróglifo – sinal divino.
 Na Grécia os micênicos utilizavam a pré-escrita para funções administrativas e aristocráticas.
 Com a invasão dórica a escrita desapareceu.
 Ressurgiu com os Fenícios no Séc. IX – VIII a.C
 Utilização da escrita: poder e democracia.
 Utilizada em praças públicas, sujeitas à discussão e à crítica.
 Dessacralização da escrita – desligamento do sagrado.
 Postura de quem escreve é diferente de quem fala. Exige rigor, clareza, espírito crítico e
transcendência. Estrutura o pensamento.
2. Moeda:
 A aristocracia rural grega baseada em terras e rebanhos.
 Séc. VIII a.C desenvolvimento do comércio marítimo grego, ocasionando a colonização e
enriquecimento comercial.
 Transformou-se em mercadoria de troca.
 É uma convenção humana.
3. Lei escrita:
 Legisladores – Sólon e Clístenes (Séc. VII – VI a.C)
 A legislação divina dá lugar à legislação de reis e às normas racionais.
 Fundação da polis (cidade) e organização administrativa ideal denominada democracia,
abolindo com a aristocracia e oligarquia.
 Isonomia – igualdade de todos perante a lei.
 Isegoria – igualdade em falar em público.
4. Função da Polis:
 Promoveu alterações na vida social e relações humanas.
 A polis centra-se na ágora – lugar para debates de assuntos de interesse público e comuns.
 Novo ideal de justiça, de direito e de poder, de caráter político e moral, no âmbito do
indivíduo e social.
 O debate originou o senso político e a cidadania.
 Consolidação da democracia.

3 OS PRIMEIROS FILÓSOFOS:
 Os primeiros filósofos surgiram nas colônias gregas: Jônia e Magna Grécia – Comércio.
1 Pré-Socráticos Séc. VII e VI a.C
 Iniciaram a separação entre o pensamento mítico e a filosofia.
 Ocupavam-se com questões cosmológicas – da natureza – da racionalidade constitutiva do
universo.
 Preocupavam-se com a origem da vida e porque as coisas mudavam – com o devir.
 Como do caos – confusão geral – surge o universo, beleza e harmonia?
 Buscavam o fundamento do ser, o elemento constitutivo de todas as coisas, chamado arkhé.
 Tales – água. Pitágoras – o número é a essência de todas as coisas. Anaximandro – matéria
indeterminada –ápeiron. Anaxímenes – ar. Parmênides – o ser real é imóvel, imutável e o
movimento é uma ilusão. Heráclito tudo flui. “Não nos banhamos duas vezes no mesmo rio”.
Anaxágoras – princípio inteligente é o nous. Empédocles – os elementos terra, água, ar e fogo.
Demócrito – princípio atomista.
2 Socrático ou Clássico Séc. V e IV a.C
 Ênfase nas questões antropológicas e maior sistematização do pensamento.
 Pensadores: Sofistas, Sócrates, Platão e Aristóteles.
3 Pós-Socráticos Séc. III e II a.C
 Surgimento do helenismo. Interesses pela física e ética.
 Correntes filosóficas: estoicismo, hedonismo, ceticismo. Diferenças entre mito e filosofia:
 Enquanto o mito é uma narrativa cujo conteúdo não se questiona, a filosofia problematiza e
convida à discussão.
 No mito a inteligibilidade é dada, na filosofia ela é procurada.
 A filosofia rejeita o sobrenatural, a interferência de agentes divinos na explicação de fenômenos.
 A filosofia busca a coerência interna, a definição rigorosa dos conceitos, surgindo como
pensamento abstrato.