Você está na página 1de 9

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO

MARANHÃO- IFMA

CURSO TÉCNICO AUTOMOÇÃO INDUSTRIAL

FABIANO CUNHA SILVA

RELATÓRIO LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL:


CONTADORES DE NÚMEROS PRIMOS

COELHO NETO/MA
2017
FABIANO CUNHA SILVA

RELATÓRIO LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL:


CONTADORES DE NÚMEROS PRIMOS

Trabalho apresentado no Instituto Federal de


Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão,
da disciplina Laboratório de Eletrônica Digital
como requisito parcial de nota orientado pelo
professor:

Orientador: Gielson Vitor Oliveira

COELHO NETO/MA
2017
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ...................................................................................................................04

2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA .....................................................................................04

3 DESENVOLVIMENTO......................................................................................................06

3.1 Material utilizado ......................................................................................................06

3.2 Procedimentos ...........................................................................................................06

4 RESULTADOS.....................................................................................................................08

5 CONCLUSÃO .....................................................................................................................08

REFERÊNCIAS......................................................................................................................09
4

1 INTRODUÇÃO

Nos dias atuais, o conhecimento sobre as tecnologias presentes tem uma fundamental
importância até mesmo para momentos comuns do dia a dia, como por exemplo: no uso de
computadores, smartphones e até mesmo nas atuais TV’s que são digitais. A “Eletrônica
Digital”, surge com objetivo de trazer o conhecimento básico sobre o mundo digital e seus
elementos: sistemas de numeração utilizados, portas lógicas, flip-flop e posteriormente a
como elaborar um circuito, isto, de acordo com a necessidade de quem o projeta.
O presente relatório tem como finalidade descrever os procedimentos utilizados na
elaboração de um circuito digital: Contador de números primos. Para maior compreensão do
procedimento, iremos abordar conceitos fundamentais da eletrônica digital, focando
principalmente os circuitos integrados. Em seguida serão relatados os resultados obtidos,
consequentemente depois as conclusões do mesmo.
O contador de números primos tem algumas aplicações, que consideramos importante
destacar: Jogos para a aprendizagem de números primos, com várias entradas e um LED só
será aceso quando a opção correta for escolhida; Detecção de erros em algoritmos
matemáticos e seleção de números primos em um sequenciador.
Os objetivos dos experimentos deste trabalho se deram da análise do funcionamento
das funções lógicas e, por consequência, das operações aritméticas (provindas da álgebra
booleana) realizadas com estas funções. As seguintes funções lógicas foram implementadas e
analisadas: NOT, AND, OR, NAND e XOR, sendo possível confirmar a validade dos sinais,
construir as tabelas verdade, booleana e de voltagens de acordo com cada função estudada.

2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

As Portas Lógicas (ou Circuitos Lógicos) são, de maneira simplificada, abstrações de


algo mais complexo, que seria a união dos transistores usados em sua composição. Em
qualquer sistema digital, a unidade básica construtiva são as portas lógicas, encontradas desde
o nível de integração em larga escala até níveis de integração em circuitos digitais mais
simples. Dependendo do seu tipo, elas podem ter uma ou mais entradas, porém todas possuem
sempre uma única saída. E, além disso, tais entradas e saídas se satisfazem de apenas dois
valores: 0 (zero) ou 1 (um), que representam respectivamente, níveis de baixa tensão
5

(ausência de sinal) e níveis de alta tensão, sendo estes relativos aos circuitos utilizados para
representar as portas.
Para as técnicas digitais, um dos principais dispositivos utilizados eletrônica digital
são os Circuitos Integrados (CI’s) que são constituídos por um determinado número de flip-
flop do mesmo tipo ou de portas lógicas do mesmo tipo, isto para um modelo especifico,
sendo mais utilizadas as famílias TTL e CMOS.
Segundo Ronald Tocci e Neal Widmer:

“CIs digitais são uma coleção de resistores, diodo se transistores


fabricados em um a única peça de material semicondutor (geralmente
silício), chamado de substrato, que é comumente conhecido pela
denominação de chip”. (TOCCI & W IDMER, 2003, p. 86)

Em Eletrônica Digital devemos separar os circuitos lógicos sem sincronismo daqueles


que possuam algum tipo de sincronismo externo, ou seja, que usam um sinal de CLOCK.
Existem aplicações em que tudo o que importa para o circuito é fazer uma operação
com determinados níveis lógicos aplicados à sua entrada, quando eles estão presentes, não
importando quando isso ocorra. Tais circuitos não precisam de sincronismo algum e são mais
simples de serem utilizados.
No entanto, com circuitos muito complexos, como os utilizados em computadores e
em muitos outros casos, o instante em que uma operação deve ser realizada é muito
importante e isso implica em que os circuitos devam ser habilitados no instante em que os
níveis lógicos são aplicados em sua entrada.
Isso significa que tais circuitos devem ser sincronizados por algum tipo de sinal vindo
de um circuito externo.
E este circuito nada mais é do que um oscilador que produz um sinal de clock ou
relógio. Os circuitos que operam com estes sinais são denominados circuitos
com lógica sincronizada. Para os contadores temos então diversas classificações que levam
em conta estes e outros fatores, por exemplo:
a) Classificação quanto ao sincronismo:
Os contadores podem ser ASSÍNCRONOS, quando existe o sinal de clock aplicado
apenas ao primeiro estágio. Os estágios seguintes utilizam como sinal de sincronismo a saída
de cada estágio anterior. Estes contadores também são denominados Ripple Counters.
6

Os contadores também podem ser SÍNCRONOS, quando existe um sinal de clock único
externo aplicado a todos os estágios ao mesmo tempo.
b) Classificação quanto ao modo de contagem:
Os contadores podem ser PROGRESSIVOS ou CRESCENTES, quando contam numa
sequência de números crescentes, ou seja, dos valores mais baixos para os mais altos, como
(1,2,3,4...). São também chamados pelo termo inglês de UP COUNTERS.
Os contadores podem ser REGRESSIVOS ou DECRESCENTES, quando a contagem é feita
dos valores mais altos para os mais baixos como (4,3,2,1...). O termo inglês é DOWN
COUNTERS. Se bem que possamos fazer contadores usando funções lógicas comuns e
mesmo flip-flops discretos, podemos contar na prática com circuitos integrado sem lógica
TTL ou CMOS que já possuam contadores completos implementados.

3 DESENVOLVIMENTO

3.1 Materiais:
A base do experimento foi o simulador TINKERCAD.
Os componentes da pesquisa foram: LED; slideswitch; hex Inverter; Power supply;
Protoboard; Portas lógicas: Quad Or Gate, Triple - 3 input AND gate e Quad AND gate.

3.2 Procedimento

Um circuito combinacional é projetado cuja entrada é um número de 0 a 15 (4 bits de


entrada) e cuja saída deve ligar um led se a entrada for um número primo. O circuito será
projetado por Mapas de Karnaugh.
Primeiro passo será a construção da tabela verdade, isso facilitará a visualização e
compreensão do funcionamento do circuito.
Pode ver-se que a função F na tabela verdade, representa a saída da lógica 1 na
combinação de entrada desejada.
Importante destacar que consideramos no experimento o algarismo 1 como número
primo para efeito de cálculo, embora ele não seja, mas essa informação não altera o resultado
final do experimento.
7

N A B C D F LED
(ON / OFF)
0 0 0 0 0 0 OFF
1 0 0 0 1 0 ON
2 0 0 1 0 0 ON
3 0 0 1 1 0 ON
4 0 1 0 0 0 OFF
5 0 1 0 1 1 ON
6 0 1 1 0 0 OFF
7 0 1 1 1 1 ON
8 1 0 0 0 0 OFF
9 1 0 0 1 0 OFF
10 1 0 1 0 0 OFF
11 1 0 1 1 1 ON
12 1 1 0 0 0 OFF
13 1 1 0 1 1 ON
14 1 1 1 0 0 OFF
15 1 1 1 1 0 OFF
Figura 1- Tabela Verdade

CD / AB D CD C
0 1 1 1
B 0 1 1 0

AB 0 1 0 0
A 0 0 1 0
Figura 2 – Mapa de Karnaugh

Simplificação por álgebra booleana.

S= D+ C + B D + CD

Simulação do circuito no TINKERCAD


8

4 RESULTADOS
O resultado saiu como o esperado, pois o contador seguiu como estava planejado. Ao
fazer a simulação no TINKERCAD, o circuito combinatório respondeu fielmente a hipótese
dos números primos. Em todos os números primos, o LED acendeu e permaneceu desligado
nos demais números não primos.

5 CONCLUSÕES

Existem várias alternativas para a implementação de portões que fornecem o resultado


equivalente, mas o objetivo é encontrar o circuito que contém o menor número de portões
lógicos. É por isso que o conhecimento da simplificação da álgebra booleana é indispensável.
A atividade teve fundamental importância no aprendizado de como elaborar um
projeto prático, destaca-se assim importância dos ensinamentos adquiridos na maneira com
que se deve obedecer o procedimento correto como: testar o material a ser utilizado, criar um
passo a passo, realizar as ligações sempre estando atento a possíveis falhas de conexão e por
fim, conferir toda a montagem.
Ao final de cada experimento, o aluno vai formando bagagens para realizar qualquer
atividade prática, seja na instituição ou principalmente quando estiver no mercado de
trabalho.
9

REFERÊNCIAS

Datapool. Módulo 8810. Fonte: Site da Datapool: Acesso 09.Out.2017

http://eletronica.datapool.com.br/produtos/eletrônica/modulo -8810/ Acesso 09.Out.2017

Tocci, R. J., & Widmer, N. S. (2003). Sistemas Digitais - Princípios e Aplicações (8ª ed.).
Brasil: Prentice Hall.

Wikipédia. Contador (eletrônica). Fonte: Site de Wikipédia.org:


https://pt.wikipedia.org/wiki/Contador_(eletr%C3%B4nica)/ Acesso 05.Out.2017

https://www.passeidireto.com/arquivo/24036574/relatorio-de-atividade-pratica-em-
laboratorio. Acesso 09.Out.2017

https://www.tinkercad.com/#/

Você também pode gostar