Você está na página 1de 15

NORMAS PARA REFERÊNCIAS E CITAÇÕES

As referências bibliográficas deverão ser feitas de acordo com as normas da


ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), exemplificadas abaixo.
Conforme a ABNT NBR 6023/2002, p.2, referência é o “[...] conjunto
padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que
permite sua identificação individual” no todo ou em parte, impressos ou
registrados em diversos tipos de suporte.

Documentos bibliográficos podem ser separados de outros tipos de fonte (discos,


filmes, fitas, etc.), recebendo o título de FONTES CONSULTADAS. Pode-se incluir,
também, uma BIBLIOGRAFIA RECOMEDADA onde são indicadas outras referências
para aprofundamento do assunto.

As referências devem ser listadas em ordem alfabética única de autor(es) e/ou


título(s). São organizadas em ordem alfabética, pelo sobrenome do autor. Sempre que
for referenciada mais de uma obra de um mesmo autor, substitui-se o nome do autor
nas várias obras referenciadas seguintes e sucessivamente à primeira, por um traço
equivalente a 6 (seis) toques e ponto (______.). A ordem de apresentação de obras
de um mesmo autor segue o ano de publicação.

Em casos específicos,as referências podem ser numeradas e arranjadas por assunto,


autor ou correspondendo ao sistema numérico adotados nas citações. Deve-se incluir
na lista apenas as fontes que efetivamente foram utilizadas para a elaboração do
trabalho.

As referências devem aparecer, sempre, alinhadas somente à margem esquerda e de


forma a se identificar individualmente cada documento, em espaço simples e
separadas entre si por espaço duplo.

Os elementos da referência devem ser obtidos na folha de rosto da obra, no próprio


capítulo ou artigo e, se possível, em outras fontes equivalentes. Para mais
informações, consultar a norma da ABNT NBR 6023/2002, específica para elaboração
de referências, e a ABNT NBR 10520/2002 para citações.

Referências Bibliográficas (segundo a ABNT NBR 6023/2002)


ENTRADA EXEMPLOS
Um autor CASTRO, Cláudio de Moura.
Dois autores CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino.
Três autores ENRICONE, Délcia; GRILLO, Marlene; CALVO
HERNANDEZ, Ivone.
Mais de três autores RIBEIRO, Ângela Lage et al.
Organizador, D'ANTOLA, Arlette (Org.).
compilador, etc.
Entidade coletiva UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL.
Faculdade de Educação. Programa de Pós-
Graduação em Educação.
SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio
Ambiente.
BRASIL. Ministério da Educação.
CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO (RS).
Eventos (congressos, CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO PRÉ-
conferências, ESCOLAR, 6., 1995, Porto Alegre.
encontros...)
Referência Legislativa BRASIL. Constituição, 1988.
(leis, decretos, BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.
portarias...)
Título (autoria não AVALIAÇÃO da Universidade, Poder e Democracia.
determinada)

DOCUMENTOS CONSIDERADOS NO TODO

Livro SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo. Nota de


tradução.* Edição.** Local: Editora, ano de
publicação. nº de pág. (opcional) (Série)
(opcional)
Ex.:
WEISS, Donald. Como Escrever com
Facilidade. São Paulo: Círculo do Livro,
1992.
Periódico TÍTULO DA PUBLICAÇÃO. Local: editor, ano do
primeiro volume e do último, se a publicação
terminou. Periodicidade (opcional). Notas
especiais (títulos anteriores, ISSN etc.) (opcional).

Ex. :
EDUCAÇÃO & REALIDADE. Porto Alegre:
UFRGS/FACED, 1975-
Entrevista ENTREVISTADO. Título. Local: data. Nota da
Entrevista.
Ex. :
CRUZ, Joaquim. A Estratégia para Vencer.
Pisa: Veja, São Paulo, v. 20, n. 37, p. 5-8, 14
set. 1988. Entrevista concedida a J.A. Dias
Lopes.
Dissertação e Tese SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo. Local:
Instituição, ano. nº de pág. ou vol. Indicação de
Dissertação ou tese, nome do curso ou programa
da faculdade e universidade, local e ano da defesa.
Ex.:
OTT, Margot Bertolucci. Tendências
Ideológicas no Ensino de Primeiro Grau.
Porto Alegre: UFRGS, 1983. 214 p. Tese
(Doutorado) – Programa de Pós-Graduação
em Educação, Faculdade de Educação,
Universidade Federal do Rio Grande do Sul,
Porto Alegre, 1983.
Evento (congresso, NOME DO EVENTO, nº do evento, ano, local. Título.
conferência, Local: Editor, ano de publicação. nº de pág.
encontro...) (opcional)
Ex. :
SEMINÁRIO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO, 3.,
1993, Brasília. Anais. Brasília: MEC, 1994.
300 p.
Documento eletrônico SOBRENOME, Prenome. Título. Edição. Local: ano.
Nº de pág. ou vol. (Série) (se houver) Disponível
em: <http://...> Acesso em: dia mês(abreviado)
ano.
Ex. :
MELLO, Luiz Antonio. A Onda Maldita: como
nasceu a Fluminense FM. Niterói: Arte &
Ofício, 1992. Disponível em:
<http://www.actech.com.br/aondamaldita
/ creditos.html> Acesso em: 13 out. 1997.
Dicionário e SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo. Edição.
Enciclopédia (se houver) Local: Editora, data. Nº de páginas ou
vol. (opcional)
Ex. :
FERREIRA, Aurélio B. de Hollanda. Novo
Dicionário da Língua Portuguesa. 2. ed. Rio
de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. 1838 p.

ou

ENCICLOPÉDIA Mirador Internacional. São


Paulo: Encyclopaedia Britannica do Brasil,
1995. 20 v.
Programa de Televisão TEMA. Nome do Programa. Cidade: nome da TV ou
e Rádio Rádio, data da apresentação do programa. Nota
especificando o tipo de programa (rádio ou TV)
Ex. :
UM MUNDO ANIMAL. Nosso Universo. Rio de
Janeiro, GNT, 4 de agosto de 2000.
Programa de TV.
CD-ROM AUTOR. Título. Edição. Local de publicação:
Editora, data. Tipo de mídia.
Ex. :
ALMANAQUE Abril: sua fonte de pesquisa.
São Paulo: Abril, 1998. 1 CD-ROM
E-MAIL (não é NOME do remetente. Assunto. [mensagem
recomendado seu uso pessoal] Mensagem recebida por <Endereço
como fonte científica ou eletrônico> em data de recebimento.
técnica de pesquisa Ex.:
pelo seu caráter BIBLIOTECA CENTRAL DA UFRGS. Alerta.
efêmero, informal e [mensagem pessoal] Mensagem recebida
interpessoal) por <bibfaced@edu.ufrgs.br> em 18 jul.
2000.
*Tradução: quando for documento traduzido, colocar a expressão ‘Tradução por’ ou
‘Tradução de’ seguida do nome do tradutor, logo após o título da obra.
**Edição: indicar, a partir da segunda edição, logo após o título da obra, em
algarismo arábico seguido de espaço e da abreviatura da palavra edição. Ex.: 2. ed.,
2. ed. rev.

PARTES DE DOCUMENTOS

DESCRIÇÃO ELEMENTOS E EXEMPLOS


Capítulos de livro: SOBRENOME, Prenome (autor do capítulo). Título.
a) autoria diferente da In: SOBRENOME, Prenome (autor da obra no todo).
autoria do livro no todo Título. Local: Editora, ano. Pág. inicial e final.
Ex. :
SCHWARTZMAN, Simon. Como a Universidade
Está se Pensando? In: PEREIRA, Antonio
Gomes (Org.). Para Onde Vai a Universidade
Brasileira? Fortaleza: UFC, 1983. P. 29-45.
ou
CECCIM, Ricardo Burg. Exclusão e Alteridade:
de uma nota de imprensa a uma nota sobre a
deficiência mental. In: EDUCAÇÃO e
Exclusão: abordagens sócio-antropológicas
em educação especial. Porto Alegre:
Mediação, 1997. P. 21-49.
SOBRENOME, Prenome. Título (do capítulo) In:
______. Título (do livro no todo) Local: Editora,
ano. Cap nº (se houver), página inicial e final.
Ex. :
b) autoria igual à GADOTTI, Moacir. A Paixão de Conhecer o
autoria da obra no todo Mundo. In: ______. Pensamento Pedagógico
Brasileiro. São Paulo: Atlas, 1987. Cap. 5, p.
58-73.
Artigo de revista SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo do artigo.
Título do periódico, local, volume, fascículo, página
inicial e final, mês e ano.
Ex. :
SAVIANI, Demerval. A Universidade e a
Problemática da Educação e Cultura.
Educação Brasileira, Brasília, v. 1, n. 3, p. 35-
58, maio/ago. 1979.
Artigo de jornal SOBRENOME, Prenome. Título do artigo. Título do
jornal, local, dia, mês e ano. Título do caderno,
seção ou suplemento, página inical e final.
Ex. :
AZEVEDO, Dermi. Sarney Convida Igrejas
Cristãs para Diálogo sobre o Pacto. Folha de
São Paulo, São Paulo, 22 out. 1985. Caderno
econômico, p. 13.

ou
SOBRENOME, Prenome. Título do artigo. Título do
jornal, local, página inicial e final, dia, mês e ano.
LEAL, L. N. MP Fiscaliza com Autonomia Total.
Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 3, 25 abr.
1999.
Fascículo de periódico TÍTULO DO PERIÓDICO. Título do fascículo,
a) com título específico Suplemento ou nº especial. Local: Editor, nº do
volume, nº do fascículo, mês e ano. nº de pág
(opcional). Tema de fascículo: título específico
Ex. :
EDUCAÇÃO & REALIDADE. Currículo. Porto
Alegre: UFRGS/FACED, v. 26, n. 2, jul./dez.
2001. Tema do fascículo: Pedagogia,
docência e cultura.
TÍTULO DO PERÓDICO. Local: Editor, nº do Volume,
nº do fascículo, mês e ano. nº de pág (opcional).
Ex. :
b) sem título específico CIÊNCIA HOJE. São Paulo: SBPC, v. 5, n. 27,
nov./dez. 1995.
Trabalho apresentado SOBRENOME, Prenome (autor do trabalho). Título:
em congresso subtítulo. In: NOME DO CONGRESSO, nº. ano, local
de realização. Título (da obra no todo). Local de
publicação: Editora, ano. Páginas inicial e final do
trabalho.
Ex.:
MOREIRA, A. F. B. Multiculturalismo,
Currículo e Formação de Professores. In:
SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO
BÁSICA, 2., 1998, Santa Cruz do Sul. Anais...
Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 1998. P. 15-30.

ou

SOBRENOME, Prenome (autor do trabalho). Título:


subtítulo. Ano. Trabalho apresentado ao nº do
evento (se houver), nome, cidade e ano.
Ex.:
MALAGRINO, w. et al. Estudos Preliminares
sobre o Efeito... 1985. Trabalho apresentado
ao 13. Congresso Brasileiro de Engenharia
Sanitária e Ambiental, Maceió, 1985.
Legislação publicada JURISDIÇÃO. Lei nº ....., data completa. Ementa.
em Diário Oficial Nome da publicação, local, volume, fascículo e data
da publicação. Nome do caderno, página inicial e
final.
Ex.:
BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de
1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da
Educação Nacional. Diário Oficial [da
República Federativa do Brasil], Brasília, DF,
v. 134, n. 248, 23 dez. 1996. Seção 1, p.
27834-27841.

Fonte: http://www.ufrgs.br/faced/setores/biblioteca/referencias.html acessado em


15.07.2005

Citações (segundo ABNT NBR 10520/2002)

A partir da leitura da documentação existente sobre o assunto


estudado, para dar ênfase a certos aspectos abordados, o
estudioso usa citações ou pontos de vista de outros pesquisadores
ao longo do texto ou em notas de rodapé. Conforme NBR 10520:
informação e documentação: apresentação de citações em
documentos. Rio de Janeiro, 2002 p. 01, citação é uma "menção
de uma informação extraída de outra fonte."

TIPOS DE CITAÇÕES

Citação Direta
Transcrição textual de parte da obra do autor consultado. Indicar a data
e a página.
Ex.:
"Deve-se indicar sempre, com método e precisão, toda
documentação que serve de base para a pesquisa, assim como
idéias e sugestões alheias inseridas no trabalho." (CERVO;
BERVIAN, 1978, p. 97).
Citação Indireta
Texto baseado na obra do autor consultado, consistindo em transcrição
não textual da(s) idéia(s) do autor consultado. Indicar apenas a data,
não havendo necessidade de indicação da página.
Ex.:
Barras (1979) ressalta que, apesar da importância da arte de
escrever para a ciência, inúmeros cientistas não têm recebido
treinamento neste sentido.
Citação de Citação
Transcrição direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao
original, ou seja, retirada de fonte citada pelo autor da obra consultada.
Indicar o autor da citação, seguido da data da obra original, a expressão
latina "apud", o nome do autor consultado, a data da obra consultada e
a página onde consta a citação.
Ex.:
"0 homem é precisamente o que ainda não é. O homem não se
define pelo que é, mas pelo que deseja ser." (ORTEGA Y GASSET,
1963, apud SALVADOR, 1977, p. 160).
Segundo Silva (1983 apud ABREU, 1999, p. 3) diz ser [ . . . ]

ASPECTOS EXEMPLOS

Um autor - citar o De acordo com Polke (1972), é função do


sobrenome e o ano. pesquisador conhecer o que os outros
realizaram anteriormente, a fim de evitar
duplicações, redescobertas ou acusações
de plágio.
Dois a três autores - "Documento é toda base de
citar os respectivos conhecimento fixado materialmente e
sobrenomes separados suscetível de ser atualizado para
por ponto e vírgula ‘;’, consulta, estudo ou prova." (CERVO;
data da obra e página BERVIAN, 1978, p. 52).
da citação.
Mais de três autores - Quanto ao uso de maiúsculas ao longo do
citar o sobrenome do texto, segundo Bastos et al. (1979) é
primeiro autor seguido recomendável a adoção das normas
pela expressão ‘et al.’ provenientes da Academia Brasileira de
Letras.
Sem autoria conhecida - Conforme análise feita em
citar o título e o ano. Conservacionistas ... (1980) os
ecologistas nacionais estão empenhados
no tombamento da referida montanha.
No diagnóstico das neoplasias utilizou-se
a classificação histológica internacional
de tumores dos animais domésticos,
segundo o Bulletin ... (1974).
Entidade coletiva - citar "O resumo deve ressaltar o objetivo, o
o nome da instituição e método, os resultados e as conclusões do
ano. Nas citações trabalho." (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE
subseqüentes, usar NORMAS TÉCNICAS, 1978, p. 46).
apenas a sigla.
Um autor e mais de "A hierarquia de dominância e
uma obra - citar o necessidade dos sexos alelos do loco
sobrenome e os vários p(pigmentação) é diferente nos dois
anos de publicação, em sexos." (HALKKA et al., 1973, 1975a,
ordem cronológica. 1975b).
Quando o ano também
for o mesmo,
acrescentar letras
minúsculas ao ano,
tanto no texto, quanto
nas referências.

SISTEMA DE CHAMADA

As citações devem ser indicadas no texto utilizando os sistemas


de chamada Autor-data ou Numérico. Ao se optar por um sistema
de chamada, deve-se adotá-lo até o final, para fins de
uniformidade do texto e correlação com as referências em notas
de rodapé ou no final do trabalho.
Ex. de Sistema Numérico:
Na citação por números, segundo Rey, "[ . . . ] facilita-se a leitura,
faz-se economia de espaço e de trabalho tipográfico." 11

CITAÇÕES ATÉ 3 LINHAS

Deve ser inserida no parágrafo entre aspas duplas. Caso existir


citação no interior de uma citação entre aspas duplas no texto
original, substituí-las por aspas simples. Quando iniciadas com
letra maiúscula, as citações devem ser precedidas por dois pontos
(:)

CITAÇÕES COM MAIS DE 3 LINHAS

Colocar em parágrafo distinto, a 4cm da margem esquerda, com


letra menor que a utilizada no texto e sem aspas.
As citações longas devem ser digitadas em espaço simples,
separadas dos parágrafos anterior e posterior por espaço duplo.

OMISSÃO EM CITAÇÃO

As omissões de palavras ou frases nas citações são indicadas pelo


uso de elipses
[ . . . ] entre colchetes.

ACRÉSCIMO EM CITAÇÃO

Acréscimos e/ou comentários, quando necessários à compreensão


de algo dentro da citação, aparecem entre colchetes [ ].

DESTAQUE EM CITAÇÃO

Para se destacar palavras ou frases em uma citação usa-se o grifo


ou negrito ou itálico seguido da expressão grifo meu ou grifo do
autor entre colchetes, após a chamada da citação.

TRADUÇÃO EM CITAÇÃO

Quando a citação incluir texto traduzido pelo autor do texto, deve-


se incluir a expressão ‘tradução nossa’ entre parênteses, logo
após a chamada da citação.

INFORMAÇÃO VERBAL

Quando se tratar de dados obtidos através de informação verbal


(palestras, debates, comunicações, etc.), indicar entre parênteses
a expressão "informação verbal", mencionando-se os dados
disponíveis somente em nota de rodapé.

TRABALHO EM FASE DE ELABORAÇÃO

Quando se tratar de dados obtidos em trabalhos em fase de


elaboração, indicar entre parênteses a expressão "em fase de
elaboração", mencionando-se os dados disponíveis somente em
nota de rodapé.
ABREVIATURAS DE EXPRESSÕES LATINAS

Utiliza-se expressões latinas abreviadas ou não para as subseqüentes


citações do mesmo autor e/ou da mesma obra. Devem ser usadas na mesma
página ou folha onde aparece a citação a que se referem.
Ex.:
Únicas expressões latinas usadas no texto, no caso do Sistema Autor-Data:
Apud = citado por, conforme, segundo.

Et al. ou et alii = e outros


Algumas expressões latinas usadas somente em notas de rodapé, no caso do
Sistema Numérico:
Cf. = confira, confronte.
Ex.: Cf. BERNARDES, 1998.

Ibid. ou Ibidem = mesma obra.


Ex.: GADOTTI, 1992, p. 210.
Ibid., 1995, p. 190.

Id. ou Idem = mesmo autor; igual a anterior.


Ex.: FREIRE, 1990, p. 7.
Id., 1995, p. 20.

Loc. cit. ou loco citato = no lugar citado.


Ex.: CASTRO; GOMES, 1997,
p. 52-57.
CASTRO; GOMES, 1997,
loc. cit.

Op. cit ou opus citatum ou opere citato = na obra citada.


Ex.: SANTOS, 1996, p. 42.
SILVA, 1990, p. 20-24.
SANTOS, op. cit., p. 19.

Passim = aqui e ali; em vários trechos ou passagens.


Ex.: MORAES, 1991, passim

Et seq. ou sequentia =seguinte ou que se segue.


Ex.: LOCK, 2000, p. 30 et seq.

E.g. ou exempli gratia = por exemplo


Sic = assim.

Outras expressões usadas:

Apud = citado por, conforme, segundo. Pode ser usada no texto e em


nota de rodapé.
Et al. ou et alii = e outros

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

 As citações textuais devem ser destacadas com aspas (até 3 linhas) ou


graficamente (mais de 3 linhas).
 Entradas pelo sobrenome do autor, pela instituição responsável e pelo
título incluído na sentença devem ser em letras maiúsculas e
minúsculas.
 Entradas pelo sobrenome do autor, pela instituição responsável e pelo
título, quando estiverem entre parênteses, devem ser em letras
maiúsculas.

Fonte: http://www.ufrgs.br/faced/setores/biblioteca/referencias.html acessado em


15.07.2005

Abreviaturas conforme o idioma


A tabela a seguir facilita a identificação
correta dos meses em outros idiomas. Junho
jun.
Devido à grande quantidade de caracteres,
jun.
alguns meses são abreviados e sempre deverá giugno
aparecer o ponto “.” indicando ser juin
uma palavra abreviada. Quando o nome do June
Juni
mês não for abreviado, não deverá ser
usado o ponto. A letra inicial do nome do mês Julho
poderá ser minúscula ou maiúscula, de acordo jul.
com a língua do texto. jul.
luglio
juil.
Mês July
Português Juli
Espanhol
Italiano Agosto
Francês ago.
Inglês agosto
Alemão ag.
août
Janeiro Aug.
jan. Aug.
enero
genn. Setembro
janv. set.
Jan. sept.
Jan. sett.
sept.
Fevereiro Sept.
fev. Sept.
feb.
febbr. Outubro
févr. out.
Feb. oct.
Feb. ott.
oct.
Março Oct.
mar. Okt.
marzo
mar. Novembro
mars nov.
Mar. nov.
März nov.
nov.
Abril Nov.
abr. Nov.
abr.
apr. Dezembro
avril dez.
Apr. dic.
Apr. dic.
déc.
Maio Dec.
maio Dez.
mayo
magg.
mai Fonte: http://www.univap.br/cultura/abnt.htm
May acessado em 15.07.2005
Mai
Normas para ilustrações1

As ilustrações constituem-se em parte integrante do Trabalho Científico


e desempenham papel significativo no seu desenvolvimento.

A ABNT (NBR - 6823) chama de ilustrações as figuras, tabelas e


gráficos que, eventualmente, poderão ser utilizadas num Trabalho Científico
para ilustrá-lo e completá-lo. As ilustrações podem figurar no corpo do
trabalho ou anexadas ao seu final. Quando forem utilizadas no corpo do
trabalho, deverão constituir-se num auxiliar para o esclarecimento e apoio
das idéias que estão sendo apresentadas. Devem ser um elemento a mais e
não uma mera repetição do que foi dito2.

Quando as ilustrações forem localizadas em anexo, devem ser auto-


explicativas, isto é, elas próprias deverão conter os dados e informações de
modo que não obriguem o leitor a consultar o texto constantemente. Caso
sejam utilizadas ilustrações de outros documentos, é necessária a prévia
autorização do autor, bem como a indicação da respectiva fonte.

Figuras
As fotografias, quadros, lâminas, plantas, gráficos, organogramas, esquemas,
desenhos e outros (com exceção de tabelas e quadros) são designadas e
mencionadas no texto, sempre como “figuras”. O título deve ser breve, porém
explicativo, digitado abaixo da ilustração (no caso da revista as figuras devem
seguir em arquivo anexo, com indicação de onde devem ser inseridas no
texto, o mais próximo possível do trecho a que se referem e é importante que
sejam observadas as condições mínimas necessárias para que,
posteriormente, seja possível a obtenção de cópias do Trabalho. Em vista
disso, também é importante que quaisquer ilustrações obedeçam às
dimensões do trabalho. As figuras devem ser geradas no formato .jpg, .png
ou .tif – preto e branco ou tons de cinza, com 300 dpi de resolução. Arquivos
das figuras também devem ser fornecidos em arquivos separados.

1
A maior parte do texto é transcrição literal da bibliografia citada.
2
Todos os grifos do texto foram atribuídos pelo autor.
Tabelas e Quadros
As tabelas constituem um tipo específico de ilustração e se constituem
numa unidade autônoma. Devem ser numerada consecutivamente com
algarismos arábicos que segue a palavra Tabela, escrita em letras minúsculas.
Ex.: Tabela 1, Tabela 2, Tabela 3...

Se a largura da tabela exigir, pode-se colocá-la no sentido longitudinal


da folha, mas de maneira que, para sua leitura, a rotação do volume se efetue
no sentido dos ponteiros do relógio (NBR - 10719).

Se a extensão da tabela for superior à página, pode-se continuar na


seguinte. Neste caso, não se delimita a tabela e, na folha seguinte, repete-se
seu título e cabeçalho, acrescentando a palavra “continuação” ou
abreviadamente “cont.”. No caso de uma tabela ser extensa com poucas
colunas, ela pode ser dividida verticalmente em duas partes iguais, colocadas
lado a lado, separadas por um traço vertical duplo.
Coluna indicadora: a primeira coluna e
Exemplo de Tabela: a que indica o conteúdo de cada linha
Tabela 5
Distribuição dos ocupados por setor de atividade
econômica na Grande São Paulo de 1989 a 92
Cabeçalho:
Índices do nível de ocupação
conjunto de
Setor de atividade econômica títulos de
Períodos
indústri comérci serviços( outros Tota cada coluna.
a o 1) (2) l
jan./dez./
89 33,0 14,8 41,3 10,9 100
Corpo da tabela: jan./dez./
composto de linhas e 90 31,2 16,0 42,5 10,3 100
colunas, separados jan./dez./
por linhas verticais.
91 32,4 17,3 39,4 11,0 100
jan./dez./
92 30,9 18,4 38,1 12,6 100
Fonte: ABCDE/SP
Nota: Os dados dessa tabela são fictícios.
(1) Excluídos os empregados domésticos.
(2) Englobam: construção civil, serviços domésticos, etc.

Rodapé: localizado imediatamente após o fechamento da tabela, contém a


indicação da fonte e dados necessários para a explicação de alguns de seus
aspectos. Pode-se utilizar “Nota” para um esclarecimento de ordem geral –
quando houver mais de uma podem ser numeradas; ou “Chamadas” para
explicitação de dados relativos às linhas ou colunas. As chamadas serão feitas
sempre em algarismos arábicos colocados entre parênteses.

É necessário diferenciar Tabelas de Quadros:


Segundo a NBR – 6029 as tabelas apresentam informações tratadas
estatisticamente enquanto que os quadros contêm informações textuais
agrupadas em colunas (FRANÇA, 2001, p. 93).

Exemplo de Quadro (op.cit., p.95):

Quadro 1
Síntese das respostas dos participantes e não-
participantes
quinta pergunta do questionário de avaliação final
Participantes Não-participantes
Os alunos sentem-se mais Os alunos sentem-se à
seguros vontade
ao discutir o texto com o
colega. trabalhando com o colega
Os alunos podem aprender Os alunos podem aprender
com os com os
erros erros
Os alunos sentem-se Os alunos sentem-se
importantes importantes
quando reconhecem que quando reconhecem que
sabem algo sabem algo
Os alunos podem
Os alunos têm a chance de desenvolver o seu
compartilhar
conhecimentos. lado crítico.
Há uma maior interação Os alunos podem ajudar-se
entre os a superar
alunos. dificuldades

O quadro e a tabela não devem ser fechados na lateral, e segundo


França (2001, p.95) (...) tampouco se colocam traços horizontais separando
os dados numéricos.
Gráficos

Os gráficos são desenhos constituídos de traços e pontos, numerados


com algarismos arábicos. Seu título é precedido da palavra “gráfico” em
letras maiúsculas. Os gráficos devem conter no título, da mesma forma que as
tabelas, informações referentes a “o quê”, “onde” e “quando”. Ainda deve
estar expresso abaixo do gráfico a fonte de onde os dados foram extraídos.

Veja a seguir um exemplo de um gráfico gerado a partir da Tabela 5:


O título informa “o quê”,
“onde” e “quando”.

A legenda facilita a
“leitura” dos dados

Fonte: Tabela 5
A fonte explicita de
onde foram extraídos
os dados.

Referências bibliográficas
ABNT NBR 6023/2002. FRANÇA, Júnia Lessa, Manual para normalização de
publicações técnico-científicas. Colaboração: Ana Cristina de Vasconcelos,
Maria Helena de Andrade Magalhães, Stella Maris Borges. – 5. ed. – rev. –
Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001, p. 88-97.
FURASTÉ, Pedro Augusto. Normas Técnicas para o Trabalho Científico:
explicitação das normas da ABNT. 12 ed. – Porto Alegre: s.n., 2003. p.67-71.

Você também pode gostar