Você está na página 1de 19

Claudivan C.

Lopes
claudivan@ifpb.edu.br
 Sobre a arquitetura Ethernet

 Camadas da arquitetura Ethernet

 Topologias para redes Ethernet

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2


 É a arquitetura mais comum em redes locais

 O modo de transmissão tradicional é o half-duplex

 Funcionam também em modo full-duplex, mas para isso:


1. Transmissor/receptor devem ser full-duplex
2. O periférico concentrador também deve ser full-duplex

 A arquitetura está disponível em 4 velocidades de transmissão:


◦ 10Mbps, ou Ethernet padrão
◦ 100Mbps, ou Fast Ethernet
◦ 1Gbps, ou Gigabit Ethernet
◦ 10Gbps, ou 10G Ethernet → funciona somente em modo full-duplex

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 3


 A arquitetura opera nas camadas 1 e 2 do modelo OSI

 Portanto, é responsável por:


◦ Transformar os pacotes em quadros de dados
◦ Converter os bits dos quadros em sinais compatíveis com o
meio de transmissão

CONTROLE DO LINK LÓGICO (LLC)


2 LINK DE DADOS
CONTROLE DE ACESSO AO MEIO (MAC)
1 FÍSICA
FÍSICA
Modelo OSI
Ethernet

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 4


 As camadas de 3 a 7 do modelo OSI são substituídas pela pilha
de protocolos que estiver sendo usada

 P. ex., uma rede local baseada no protocolo TCP/IP usando a


arquitetura Ethernet (cenário mais comum)

PILHA DE PROTOCOLOS TCP/IP

CONTROLE DO LINK LÓGICO (LLC)


CONTROLE DE ACESSO AO MEIO (MAC)
Ethernet
FÍSICA

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 5


 Outro exemplo comum é uma rede local baseada no
protocolo NetBEUI usando a arquitetura Ethernet

PILHA DE PROTOCOLOS NetBEUI

CONTROLE DO LINK LÓGICO (LLC)


CONTROLE DE ACESSO AO MEIO (MAC) Ethernet
FÍSICA

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 6


 Controle do link lógico

◦ LLC (Logical Link Control), padrão IEEE 802.2

◦ LLC tem a responsabilidade de incluir no quadro de dados,


as informações sobre o protocolo do nível acima que lhe
entregou o pacote a ser transmitido

 Essas informações permitem que a LLC no receptor saiba qual é


o protocolo no nível acima para o qual deve entregar o quadro
que foi recebido

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 7


 Controle de acesso ao meio

◦ MAC (Media Access Control), padrão IEEE 802.3

1. É responsável por gerar os quadros de dados (chamado


quadro Ethernet) para serem enviados a camada física

 Nesses quadros são incluídos os endereços das placas de rede


dos dispositivos transmissor e receptor

 Toda placa de rede possui um endereço físico e único


que é gravado numa memória ROM dentro da placa.
Este endereço é chamado de MAC

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 8


 Controle de acesso ao meio (continuação)

2. Também é responsável por verificar se o cabo está livre


para o uso, através do protocolo de detecção de colisão
chamado CSMA/CD (Carrier Sense Multiple Access with
Collision Detection)

 Uma colisão ocorre quando duas ou mais placas de rede tentam


enviar os seus quadros de dados pelo mesmo cabo no mesmo
instante de tempo

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 9


 Controle de acesso ao meio (continuação)

◦ Funcionamento do protocolo CSMA/CD:


1. A placa de rede verifica se o cabo está livre
2. Se livre, ela inicia a transmissão do quadro de dados
3. Se ocupado, ela aguarda por um tempo aleatório
4. Ao final desse tempo, volta-se ao passo 1

◦ O tempo de espera é diferente para cada placa de rede

◦ Uma placa de rede tenta retransmitir o mesmo quadro


de dados 16 vezes. Se não conseguir, ela gera um erro

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 10


 Controle de acesso ao meio (continuação)

◦ Quanto mais computadores na rede, maior a probabilidade


de ocorrerem colisões

◦ Quanto mais colisões, pior é o desempenho da rede

 Redes locais com hub → probabilidade de muitas colisões


 Redes locais com switch → pouquíssimas colisões

◦ O protocolo CSMA/CD é desabilitado em redes locais com


transmissão full-duplex

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 11


 Controle de acesso ao meio (continuação)

◦ Quanto ao endereço MAC


 Toda porta de rede Ethernet (ou simplesmente porta Ethernet)
recebe um endereço MAC

 Isso significa que não só as placas de rede possuem MAC, mas


toda porta Ethernet presente em qualquer periférico, p. ex., os
roteadores

 Endereços MAC podem também identificar um grupo de placas


de rede
 MAC de um único dispositivo → endereço unicast
 MAC p/ grupo de dispositivos da rede → endereço multicast
 MAC p/ todos os dispositivos da rede → endereço broadcast

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 12


 Camada física

◦ É implementada na placa de rede dos dispositivos da rede

◦ Responsável por codificar (ou modular) os dados para a


transmissão no meio físico (cabo metálico ou fibra óptica)

◦ As taxas de transferência disponíveis para redes Ethernet


têm padrões de codificação diferentes

 10Mbps → codificação Manchester (todos os cabos)


 100Mbps → codificação 4B/5B (todos os cabos)
 1Gbps → codificação 4D-PAM-5 (cabo par trançado) e 8B/10B (fibra óptica)
 10Gbps → codificação DSQ128/PAM-16 (par trançado) e 64B/66B (fibra)

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 13


 Camada física (continuação)

◦ Quanto a placa de rede Ethernet:

 Tipos de cabeamento suportado:


 Cabo coaxial fixo
 Cabo coaxial grosso
 Cabo par trançado
 Fibra óptica

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 14


 Camada física (continuação)

◦ Quanto a placa de rede Ethernet (continuação):

 Tipos de conectores utilizados:


 BNC → para cabo coaxial fino
 AUI → para cabo coaxial grosso
 RJ-45 → para cabo par trançado
 MT-RJ (mais comum) → para fibra óptica

 O cenário mais recente:


 Os computadores vem com uma placa de rede Ethernet embutida na placa -mãe
 Normalmente é uma placa Fast Ethernet ou uma placa Gigabit Ethernet

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 15


 Topologia linear

◦ Os computadores da rede são ligados ao mesmo cabo


◦ Esta topologia pode ser implementada usando:
1. Cabo coaxial
 Se o cabo partir, todos os computadores deixam de ter acesso a rede
2. Cabo par trançado + hub
 Se o cabo partir, somente o computador ligado ao cabo rompido não
terá acesso a rede

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 16


 Topologia em estrela

◦ Topologia implementada utilizando


cabo par trançado + switch

◦ Vantagens:
◦ A rede não pára se um cabo se romper
◦ O uso do switch melhora o desempenho da
rede, pois permite transmissões simultâneas
entre computadores diferentes
◦ Permite o uso de cabeamento estruturado
(facilita a organização e expansão da rede)

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 17


Gabriel Torres. Redes de Computadores – Versão
Revisada e Atualizada. Editora Nova Terra, 2009

Wikipédia. IEEE 802.2.


http://en.wikipedia.org/wiki/IEEE_802.2

Wikipédia. IEEE 802.3.


http://pt.wikipedia.org/wiki/IEEE_802.3

IFPB/Patos - Prof. Claudivan 18


Claudivan C. Lopes
claudivan@ifpb.edu.br