Você está na página 1de 36

HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE

INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA [1]


ELABORAÇÃO: PROFESSORES DO IETEV
REVISÃO TEOLÓGICA: BELº. CARLOS ANTÔNIO SANTOS DE NOVAIS (PÓS-GRADUANDO EM PSICOLOGIA PASTORAL)
EDITORAÇÃO: BELº. PR. CARLOS ANTÔNIO SANTOS DE NOVAIS
DIAGRAMAÇÃO: BELº. PR. GILMAR DOS SANTOS SILVA E PR. CARLOS ANTÔNIO SANTOS DE NOVAIS
REVISÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA: BELº. PR. GILMAR DOS SANTOS SILVA
DIRETOR PRESIDENTE DO IETEV: PRº. BELº. CARLOS ANTÔNIO SANTOS DE NOVAIS
O IETEV: MINISTRA OS SEGUINTES CURSOS TEOLÓGICOS:
 BÁSICO EM TEOLOGIA BÍBLICA
 MÉDIO EM TEOLOGIA BÍBLICA
 BACHARELADO EM TEOLOGIA PASTORAL
 BACHARELADO EM MISSIOLOGIA
 CURSO BÍBLICO CLÍNICA PASTORAL
 CURSO – INTRODUÇÃO A MISSÕES
 CURSO DE CUNHO LIVRE EM PSICANÁLISE CLÍNICA
 CURSO DE CUNHO LIVRE EM CAPELANIA HOSPITALAR
 CURSO DE CUNHO LIVRE JUIZ DE PAZ ECLESIÁSTICO
 CURSO AVANÇADO EM CAPELANIA CRISTÃ — ECLESIÁSTICA, HOSPITALAR, PRISIONAL, ESCOLAR,
FAMILIAR, SOCIAL, URBANA, MISSIONÁRIA E FÚNEBRE.

1 - © 2010 D IREITOS RESERVADOS PELO IETEV – I NSTITUTO E DUCACIONAL DE T EOLOGIA EVANGÉLICA . D O EDITOR , V ITÓRIA DA CONQUISTA , BA. FEVEREIRO DE 2010. TODOS OS DIREITOS
ESTÃO RESERVADOS AO IETEV. É PROIBIDA A REPRODUÇÃO DESTA OBRA , NO TODO OU EM PARTE , POR QUAISQUER MEIO , SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO POR ESCRITO DO SEU AUTOR, QUER SEJAM POR E - MAIL ,
CARTA ETC . E STE MATERIAL É DE USO EXCLUSIVO DO IETEV, E PROTEGIDO PELA LEI Nº . 9.610 DE 12.01.1998, QUE REGULA DIREITOS AUTORAIS E DE COMPILAÇÃO DE OBRAS , SENDO TAMBÉM ,
PROIBIDA A SUA UTILIZAÇÃO EM OUTRO ESTABELECIMENTO DE ENSINO MISSIOLÓGICO E / OU TEOLÓGICO. O QUE SUJEITARÁ O INFRATOR , NOS TERMOS DA LEI Nº 6.895, DE 17/12/1980, Á PENALIDADE
PREVISTA NOS ARTIGOS 184 E 186 DO CÓDIGO PENAL, SALVO EM BREVES CITAÇÕES , COM A INDICAÇÃO DA FONTE .

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELA DO -p.1
“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
PREPARANDO OS SANTOS PARA
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
ANTES DE COMEÇAR A ESTUDAR ESTA APOSTILA
ÀS VEZES ESTUDAMOS MUITO E APRENDEMOS OU RETEMOS POUCO OU NADA DO ASSUNTO ESTUDADO.
ISTO EM PARTE ACONTECE PELO FATO DE ESTUDARMOS SEM UMA ORDEM OU MÉTODOS DEFINIDOS DE ESTUDO.
EMBORA SUCINTA, A ORIENTAÇÃO QUE ORA LHES PASSAMOS A EXPOR ABAIXO , SER-LHE-Á EM MUITO ÚTIL.

SIGA AS SEGUINTES ORIENTAÇÕES:

1. BUSQUE A AJUDA DIVINA POR MEIO DA ORAÇÃO


ORE A DEUS, PARA QUE ELE, POR MEIO DO SEU ESPÍRITO SANTO POSSA ILUMINAR A SUA MENTE.
DAR-LHE GRAÇAS E SUPLIQUE HUMILDEMENTE A SUA DIREÇÃO E ILUMINAÇÃO DO ALTO. DEUS PODE VITALIZAR E CAPACITAR AS NOSSAS
FACULDADES MENTAIS QUANTO AO ESTUDO DE SUA SANTA E INERRANTE PALAVRA, BEM COMO, ASSUNTOS AFINS E LEGÍTIMOS. NUNCA
EXECUTE QUALQUER TAREFA DE ESTUDO OU TRABALHO, SEM ANTES ORAR AO DEUS ALTÍSSIMO.

2. PERSEVERANÇA
NÃO DESANIME DIANTE DAS PRIMEIRAS DIFICULDADES, CONTINUE EM FRENTE E SEJA UM VENCEDOR, POIS OS VENCEDORES NUNCA
DESISTEM; E, OS DESISTENTES, NUNCA VENCEM.

3. AUTO-DISCIPLINA, SEJA ORGANIZADO AO ESTUDAR


TENHA CONSTÂNCIA NO ESTUDO DIÁRIO DAS LIÇÕES, ARRUME SUA AGENDA SEMANAL, RESERVE TEMPO PARA O QUE VOCÊ ACHA
IMPORTANTE, E ASSIM,
A) AO PRIMEIRO CONTATO COM O TEXTO A SER ESTUDADO, PROCURE OBTER UMA VISÃO GLOBAL DA MESMA, ISTO É, COMO UM TODO.
NÃO FAÇA APONTAMENTOS, NÃO PROCURE REFERÊNCIAS BÍBLICAS. PROCURE, SIM, DESCOBRIR O PROPÓSITO DA MATÉRIA EM ESTUDO, ISTO É,
O QUE DESEJA ELA COMUNICAR-LHE.
B) PASSE ENTÃO AO ESTUDO DE CADA LIÇÃO, OBSERVANDO, A SEQUENCIA DOS TEXTOS QUE A ENGLOBAM. AGORA SIM, Á MEDIDA QUE
FOR ESTUDANDO, FAÇA ANOTAÇÕES NO CADERNO DESTINADO PARA ISSO. MAS, PRESTA ATENÇÃO: SE ESTE CADERNO FOR DESORGANIZADO,
NENHUM BENEFÍCIO PRESTARÁ.
C) AO FINAL DE CADA TEXTO, PROCURE RECOMPOR, DE MEMÓRIA SUAS DIVISÕES PRINCIPAIS, CASO TENHA ALGUMA DIFICULDADE,
VOLTE AO TEXTO . O APRENDIZADO É UM PROCESSO METÓDICO E GRADUAL. NÃO É ALGO AUTOMÁTICO EM QUE SE APERTA UM BOTÃO E A
MÁQUINA TRABALHA.

4. ANOTAÇÕES
AS ANOTAÇÕES DEVEM SER FEITAS NO PRÓPRIO MANUAL (APOSTILA) OU EM UM CADERNO Á PARTE, RESERVADO ESPECIALMENTE PARA
TAL INTENTO, NÃO CONFIE NA MEMÓRIA.

5. PESQUISA
AO SE DEPARAR COM UM ASSUNTO APARENTEMENTE DIFÍCIL, NÃO PASSE POR CIMA, PESQUISE O MÁXIMO QUE PUDER SOBRE O
ASSUNTO, E SANE SUAS DÚVIDAS.

6. TENHA ESTES MATERIAIS DE AUXÍLIO SEMPRE Á MÃO


ALÉM DA MATÉRIA A SER ESTUDADA, SE POSSÍVEL, TENHA Á MÃO AS SEGUINTES FONTES DE CONSULTA E REFERÊNCIA.
► BÍBLIA. SE POSSÍVEL EM MAIS DE UMA VERSÃO OU TRADUÇÃO; (ARA, ARC, AVR, ACF, BLH, BJ, TEB, NVI, VFL, BOC).
► LÉXICOS E DICIONÁRIOS BÍBLICOS E TEOLÓGICOS (SE POSSÍVEL TAMBÉM DO TIPO HEBRAICO/PORTUGUÊS/GREGO)
► ATLAS BÍBLICA;
► CONCORDÂNCIA BÍBLICA;
► LIVROS TEOLÓGICOS, DEVOCIONAIS ETC.
► CADERNO DE APONTAMENTOS INDIVIDUAIS. HABITUE-SE A SEMPRE TOMAR NOTAS DE SUAS AULAS, ESTUDOS, MEDITAÇÕES E
ATÉ MESMO DE FRASES NA RUA QUE POSSAM TE SERVIR COMO ILUSTRAÇÃO PARA MENSAGENS.

7. CONHEÇA MAIS DA MATÉRIA


 VERIFIQUE A BIBLIOGRAFIA NO FINAL DAS APOSTILAS;
 CONSULTE NA INTERNET
 VISITE BIBLIOTECAS EVANGÉLICAS EM INSTITUIÇÕES ACADÊMICAS CRISTÃS
 VISITE MUSEUS (SE HOUVER EM SUA CIDADE)
 PARTICIPE SEMPRE DE ESCOLAS BÍBLICAS
 ADQUIRA BONS LIVROS TEOLÓGICOS

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.2

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE

BACHARELADO EM TEOLOGIA PASTORAL

HERMENÊUTICA SACRA
DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
APOSTILA COMPILADA PELO PROF. CARLOS ANTÔNIO SANTOS DE NOVAIS
[2]

EXAMINAR
PESQUISAR
ANALISAR
VERIFICAR
DUVIDAR ANTES DE ACEITAR

ESTUDAR
LER INTERPRETAR

PONDERAR

PRESCRUTAR
CUIDAR
VASCULHAR
VER

2 - CARLOS A NTONIO SANTOS DE NOVAIS É CAPELÃO PELA E SCOLA I NTERNACIONAL DE M INISTÉRIOS , ESTEM BRASIL E PELA FACULDADE DE T EOLOGIA SEPHER E LOAH – FATESE, DF E
PÓS-G RADUANDO EM CAPELANIA H OSPITALAR , T EÓLOGO , PSICANALISTA CLÍNICO , PROFESSOR DE T EOLOGIA COM FORMAÇÃO B ÁSICA EM T EOLOGIA PELO STPLM – B RASÍLIA , DF. M ÉDIO E B ACHAREL EM
T EOLOGIA B ÍBLICA PELO ITCEU – BA, B ACHAREL EM A DMINISTRAÇÃO E CLESIÁSTICA – FATEFINA (EAD) B ACHARELADO EM M I SSIOLOGIA PELO SEMINÁRIO I NTERDENOMINACIONAL K ERIGMA
D IDACHÉ , B ACHAREL EM T EOLOGIA PASTORAL – FACULDADE DE T EOLOGIA E L SHADAI , PÓS-G RADUANDO EM PSICOLOGIA E A CONSELHAMENTO CRISTÃO - FACULDADE DE T EOLOGIA E L SHADAI , PÓS-
G RADUANDO EM T EOLOGIA – I NSTITUTO DE T EOLOGIA LOGOS, LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO – I NSTITUTO DE T EOLOGIA LOGOS, CAPACITAÇÃO M ISSIONÁRIA – A MME E VANGELIZAR – POÇOS DE
CALDAS – MG, 2005, CURSOU O S 38 E STUDOS DO I NSTITUTO B ÍBLICO B ERÉIA – RJ, T EOLOGIA EM CLÍNICA PASTORAL – E SCOLA DE T EOLOGIA R HEMA – E STER E PELA T HEOLOGIA O NLINE O PEN
U NIVERSITY , I NTRODUÇÃO Á FORMAÇÃO PASTORAL – E SCOLA DE T EOLOGIA R HEMA – E STER , I NTRODUÇÃO Á M ISSÕES – E SCOLA DE T EOLOGIA R HEMA – E STER , CURSO DE E SCATOLOGIA B ÍBLICA – CPAD,
CURSO DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE OBREIROS – CFPO – A SSEMBLÉIA DE D EUS – BA, CAPACITAÇÃO PASTORAL PELA SEPAL, I GREJA B ATISTA PENIEL – BA, D IRETOR DO DEPMAD –
D EPARTAMENTO DE M ISSÕES DAS A SSEMBLÉIAS DE D EUS NA B AHIA , 2006, M EMBRO DA O RDEM DE T EÓLOGOS E PASTORES DO B RASIL E CONSELHO DE PASTORES DO B RASIL, 2010, E XPERIÊNCIA COM
R ÁDIO : A PRESENTADOR DO PROGRAMA NOVAS DE A LEGRIA – R ÁDIO CLUBE DE CONQUISTA – AM, A PRESENTADOR DOS PROGRAMAS NOVAS DE A LEGRIA E TEOLOGIA EM FOCO (CTVC) – R ÁDIO
M ELODIA CONQUISTA – 87,9 FM, PARTICIPA COMO D EBATEDOR – R ÁDIO M ELODIA CONQUISTA – 87,9 FM, PALESTRANTE NOS SEGUINTES ASSUNTOS : R ELACIONAMENTOS – NAMORO , NOIVADO ,
CASAMENTO E SEXUALIDADE Á LUZ DA B ÍBLIA , G UERRA E SPIRITUAL – “O CORAÇÃO DO H OMEM ”, O CAMPO DE B ATALHA ONDE T UDO COMEÇA . CARGOS, FUNÇÕES E A TIVIDADES D ESEMPENHADAS :
FUNDADOR DO D EPARTAMENTO DE M ISSÕES DAS A SSEMBLÉIAS DE D EUS – BA, PROFESSOR DA E SCOLA B ÍBLICA D OMINICAL – A SSEMBLÉIA DE D EUS – 1997 A 2010 – BA, PROFESSOR DO M ÉDIO E
B ACHARELADO DO I NSTITUTO T EOLÓGICO NO CENTRO E VANGELÍSTICO U RBANO – ITCEU, 2005 A 2008 – BA, PROFESSOR DA E SCOLA T EOLÓGICA E L SHADDAI – ETES, A SSEMBLÉIA DE D EUS – 2010 –
BA, SECRETÁRIO E PROFESSOR DA E SCOLA T EOLÓGICA DO M INISTÉRIO DE SANTO A MARO – ETEMISA, A SSEMBLÉIA DE D EUS – 2010 – BA, PROFESSOR DE T EOLOGIA CONTEMPORÂNEA , T EOLOGIA DO
A NTIGO T ESTAMENTO , CRISTOLOGIA E E VANGELHOS DO I NSTITUTO T EOLÓGICO Q UADRANGULAR – ITQ, BA, PROFESSOR DE H OMILÉTICA NA E SCOLA DE PROFETAS – EP, JUIZ DE PAZ E CLESIÁSTICO –
FILIADO AO CFJE – C ONSELHO FEDERAL DE J UÍZES E CLESIÁSTICOS DO B RASIL , 2 º V ICE -P RESIDENTE DO CTVC – C ONSELHO DE T EÓLOGOS DE V ITÓRIA DA CONQUISTA – 2013/2015.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.3

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
SOBRE A PRESENTE OBRA TEOLÓGICA

JURÍDICO
As nossas apostilas seguem algumas orientações jurídicas especificas. As quais os nossos
estudantes, leitores e divulgadores de nossos trabalhos deverão obedecer, sob pena de prejuízo á ambos.

PLÁGIO
O plágio é o ato de assinar ou apresentar uma obra intelectual de qualquer natureza (texto, música,
obra pictórica, fotografia, obra audiovisual, etc) contendo partes de uma obra que pertença à outra
pessoa sem colocar os créditos para o autor original. No ato de plágio, o plagiador apropria-se
indevidamente da obra intelectual de outra pessoa, assumindo a autoria da mesma.

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS

Art. 46: Não constitui ofensa aos direitos autorais:

III – a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de
qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir,
indicando-se o nome do autor e a origem da obra. [3]

COMO EVITAR O PLÁGIO?


Para evitar acusação de plágio quando se utilizar parte de uma obra intelectual na criação de uma
nova obra recomenda-se colocar sempre créditos completos para o autor, seguindo as normas da ABNT,
especialmente no caso de trabalhos acadêmicos onde normalmente se utiliza a citação bibliográfica.

O PLÁGIO NO BRASIL
No Brasil o plágio é considerado crime e sua principal referência é a lei 9.610. Todavia, a lei 9.610 é
voltada para a proteção de obras comerciais. Segundo essa lei seria possível copias “pequenos trechos”, o
que é inadmissível em um trabalho acadêmico. Para fins de trabalho acadêmico é mais adequado seguir-se
as normas da ABNT, que não admitem exceções para textos copiados.

COMO UTILIZAR TRECHOS DESTE MATERIAL.


Se você quer usar alguns dos trechos de nossos materiais, você deverá escrever no final de seu
trabalho ou nas notas de rodapés o seguinte:

1) AUTOR (Nome do autor), o qual estará disponibilizado nas notas de rodapé e/ou na bibliografia no
final de cada apostila);

2) FONTE (Nome da Apostila, do Compilador e do IETEV – Instituto Educacional de Teologia


Evangélica).

Este material é de USO EXCLUSIVO do IETEV, e protegido pela Lei nº. 9.610 de 12.01.1998, que
regula direitos autorais e de compilação de obras, sendo também, proibida a sua utilização em outro
estabelecimento de ensino missiológico e/ou teológico. O que sujeitará o infrator, nos termos da lei nº
6.895, de 17/12/1980, á penalidade prevista nos artigos 184 e 186 do Código Penal, salvo em breves
citações, com a indicação da fonte, como dito acima.
3 - FONTE : B IBLIOGRAFIA CONSULTADA E ADAPTADA INTERNET: W IKIPÉDIA E WWW . PLANALTO . GOV . BR / CCIVIL _03/ LEIS /L9610. HTM

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.4

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE

EDITORAÇÃO PRÓPRIA
MC – LIVROS E PUBLICAÇÕES LTDA.
APOIO:
©2005, DE CARLOS ANTÔNIO SANTOS DE NOVAIS
©2010, CEDIDO POR CARLOS ANTÔNIO SANTOS DE NOVAIS AO
SERVIÇOS EM: BOMBAS D’ÁGUA, INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA
MOTOSSERRAS, MOTORES A DIESEL E Á
GASOLINA. COMPRESSORES E MÁQUINAS DE
TÍTULO DO ORIGINAL:
RAÇÃO. SERVIÇO DE TORNO E SOLDAS ■ HERMENÊUTICA SACRA
ELÉTRICAS EM GERAL
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS POR
MC – LIVROS E PUBLICAÇÕES LTDA
BADÚ MÁQUINAS RUA VISCONDE DE MAUÁ, 86 - GUARANI
SERVIÇOS EM : B OMBAS D ’ ÁGUA , CEP:.45002-160 – VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
M OTOSSERRAS , M OTORES A D IESEL E Á TELEFONES PARA CONTATOS:
GASOLINA , C OMPRESSORES E M ÁQUINAS DE
RAÇÃO. SERVIÇO DE TORNO E S OLDAS
(77) 98827-7591
ELÉTRICAS EM G ERAL (77) 98102-4395
RUA PRUDENTE DE M ORAIS, Nº. 279
B. SUMARÉ V ITÓRIA DA C ONQUISTA , BA. (77) 99120-7074
FONE: (77) 3421-9628
SITE: www.ietev.com.br
BADÚ
E-MAIL: bispocarlosantoniosantosdenovais@yahoo.com.br

PROIBIDA A REPRODUÇÃO POR QUAISQUER MEIOS, SALVO EM BREVES CITAÇÕES, COM INDICAÇÃO DA FONTE.
TODAS AS CITAÇÕES BÍBLICAS FORAM EXTRAÍDAS DA EDIÇÃO CONTEMPORÂNEA ALMEIDA
SERVIÇOS GRÁFICOS E (ECA), © 2010, PUBLICADA POR EDITORA VIDA, SALVO INDICAÇÃO EM CONTRÁRIO.
REPRESENTAÇÕES ■
& COORDENAÇÃO EDITORIAL: PR. CARLOS ANTONIO SANTOS DE NOVAIS
XEROX P B, COLORIDO A JATO E A LASER,
REVISÃO:PR. CARLOS ANTONIO SANTOS DE NOVAIS
PLOTAGEM, CARTAZES, BANNERS E IMPRESSÕES .
R UA ZEFERINO C ORREIA , Nº. 65 - SALA 10 -
REVISÃO DO PORTUGUÊS: PR. GILMAR DOS SANTOS SILVA
V ITÓRIA DA C ONQUISTA , BA. CAPA E DESIGNER GRÁFICO: PR. CARLOS ANTONIO SANTOS DE NOVAIS
PRÓXIMO Á G ALERIA DOM C LIMÉRIO – C ENTRO
FONE: (77) 3421-4880 – C EL: 8802-5448 INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA
WILLIAM E-mail: matriculas_ietev@yahoo.com.br
E-mail alternativo: institutodeteologiaevangelica@gmail.com

SANTOS DE NOVAIS, CARLOS


MÉTODOS DE INTERPRETAÇÃO BÍBLICA
VITÓRIA DA CONQUISTA –– BAHIA: MC – PUBLICAÇÕES LTDA. 2010.
TÍTULO DO ORIGINAL: HERMENÊUTICA SACRA
APOSTILA DE Nº 02 – © 2010/2018
ESTUDO E ENSINO TEOLÓGICO 1. TÍTULO. APOSTILA TEOLÓGICA — 000.02
SOLICITE AINDA HOJE UMA PALESTRA
PALESTRA PARA CASAIS. NAMORO, NOIVADO, CASAMENTO E SEXUALIDADE À LUZ DA BÍBLIA
NAMORO, NOIVADO, (77) 3083-0471 / 98827-7591 / 99120-7074 / 98102-4395
CASAMENTO E SEXUALIDADE ADQUIRA A APOSTILA DA PALESTRA
À LUZ DA BÍBLIA. E-mail: bispocarlosantoniosantosdenovais@yahoo.com.br
M UITOS CASAIS FORAM MUITOS
ABENÇOADOS ATRAVÉS DESTA PALESTRA E
PASSARAM A COMPREENDER DE FATO A
IMPORTÂNCIA QUE AMBOS TÊM NO
DESEMPENHO DO OUTRO . MEMBRO DA OTPB – ORDEM DE TEÓLOGOS E PASTORES DO BRASIL
C ARLOS NOVAIS CPB – CONSELHO DE PASTORES DO BRASIL

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.5

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
NISTO CREMOS
 Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: O Pai, Filho e o Espírito Santo ( Dt.
6:4; Mt. 28:19; Mc. 12:29).

 Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o
caráter cristão ( II Tm. 3:14-17).

 Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal
dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus ( Is. 7:14; Rm. 8:34 e At. 1:9).

 Na pecaminosidade do homem que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento


e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode restaurá-lo a Deus ( Rm. 3:23 e At.
3:19).

 Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito
Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus ( Jo. 3.3-8).

 No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos
gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor ( At. 10:43; Rm.
10:13; 3:24-26 e Hb. 7:25; 5:9).

 No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro uma só vez em águas, em nome do Pai,
do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo ( Mt. 28:19; Rm. 6:1-6 e Cl.
2:12).

 Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e
redentora de Jesus no Calvário, através do poder regenerador, inspirador e santificador do Espírito Santo,
que nos capacita a viver como fiéis testemunhas do poder de Cristo ( Hb. 9:14 e I Pd. 1:15).

 No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo,
com a evidência inicial de falar em outras línguas, conforme a sua vontade ( At. 1:5; 2:4; 10:44-46;
19:1-7).

 Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação,
conforme a sua soberana vontade ( I Co. 12:1-12).

 Na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira - invisível ao mundo,
para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação; segunda - visível e corporal, com sua
Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos ( l Ts. 4:16, 17; I Co. 15:51-54; Ap. 20:4;
Zc. 14:5; Jd. 14).

 Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber recompensa dos seus
feitos em favor da causa de Cristo na terra ( II Co. 5:10).

 No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis ( Ap. 20:11-15).

 E na vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis e de tristeza e tormento para os infiéis ( Mt.
25:46).
IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.6

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
ABREVIATURAS REMISSIVAS E TEOLÓGICAS[4]
A.C. - ANTES DE C RISTO . (COLOCADO APÓS O NÚMERO)

A.D. - ANUM DOMINUM (NO ANO DO SENHOR; DEPOIS DE CRISTO)


AT - ANTIGO TESTAMENTO
C. - CIRCA, CERCA DE , APROXIMADAMENTE , (CERCA DE, MAIS OU MENOS EM)

CAP. - CAPÍTULO ;

CAPS . - CAPÍTULOS,

CF. – C ONFER , CONFERE , COMPARE . (CONFIRA)

D.C. - DEPOIS DE CRISTO . (COLOCADO APÓS O NÚMERO )

ED. EDITOR
E.G. - EXEMPLI GRATIA (POR EXEMPLO ).

FIG. - FIGURADO.
FIG . - FIGURADO ; FIGURADAMENTE ,

GR. - GREGO
HB . - HEBRAICO

I. E. ID EST (ISTO É).


IBB - IMPRENSA BÍBLICA BRASILEIRA
KM - SÍMBOLO DE QUILOMETRO
LIT. - LITERAL , LITERALMENTE .
LXX - SEPTUAGINTA (VERSÃO GREGA DO ANTIGO TESTAMENTO )
M - SÍMBOLO DE METRO .

MSS - MANUSCRITOS
NT - NOVO TESTAMENTO
NVI - NOVA VERSÃO INTERNACIONAL
OP. CIT. OPUS CITATUM (OBRA CITADA)
P. - PÁGINA.
REF. - REFERÊNCIA;
REFS. - REFERÊNCIAS
S. SEGUINTE

4 - E NCONTRAM - SE AQUI AS ABREVIATURAS REMISSIVAS E TEOLÓGICAS COM AS QUAIS O ESTUDANTE DEVE SE FAMILIARIZAR.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.7

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
SS. - E OS SEGUINTES (ISTO É , OS VERSÍCULOS CONSECUTIVOS DE UM CAPÍTULO ATÉ O SEU FINAL . (POR
EXEMPLO :  I P D. 2.1SS, SIGNIFICA I P D. 2.1-25).

SÉC. - SÉCULO (S).


V. - VERSÍCULO ;
VV. - VERSÍCULOS,
VER – VEJA
VIZ. VIDELICET (A SABER)
VOL. VOLUME
VOLS. VOLUMES
BV - BÍBLIA VIVA
BLH - BÍBLIA NA LINGUAGEM DE HOJE
ARC - ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA
BLH - A BÍBLIA NA LINGUAGEM DE HOJE
BVN - BÍBLIA V IDA NOVA
BOC - BÍBLIA EM ORDEM CRONOLÓGICA
NDITNT - NOVO DICIONÁRIO INTERNACIONAL DE TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO
PMS - EDIÇÃO IMPRENSA BÍBLICA BRASILEIRA
ENT - EXPOSIÇÃO DO NOVO TESTAMENTO
ARA - EDIÇÃO ALMEIDA REVISTA E ATUALIZADA
ARC - EDIÇÃO ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA
GED - F. W. GINGRICH E F. W. DANKER, LÉXICO DO NOVO TESTAMENTO GREGO-PORTUGUÊS
LRS - LIÇÕES DE RETÓRICA SAGRADA
MDC - MANUAL DO CULTO
NCB - O NOVO COMENTÁRIO DA BÍBLIA
NDB - O NOVO DICIONÁRIO DA BÍBLIA
NTI - O NOVO TESTAMENTO INTERPRETADO VERSÍCULO POR VERSÍCULO
PB - A PREGAÇÃO BÍBLICA
PEB - PEQUENA ENCICLOPÉDIA BÍBLICA
PES - O PREPARO E ENTREGA DE SERMÕES
EIBB - P. MOREIRA DA SILVA, HOMILÉTICA – A ARTE DE PREGAR O EVANGELHO
IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.8

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE

MINHAS DESCULPAS E CONSIDERAÇÕES

Alguns assuntos desta apostila de HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE,


repetem algumas informações e argumentos encontrados talvez em trechos (capítulos anteriores e/ou
posteriores), pois acredito que nem todo leitor irá ler a apostila do início ao fim de forma contínua, o que
certamente, será uma grande perca.

Se esta repetição ocasional irritar aqueles que lerem este material por inteiro, a estes eu peço
desculpas por antecedência.

Meu objetivo é fazer deste manual teológico-acadêmico o mais acessível e fácil de ler possível,
apesar do assunto, às vezes, apresentar-se de forma muito complexa nalgumas partes.

Alguns críticos eruditos podem se sentir repelidos por isto.

Meu objetivo, entretanto, é alcançar o máximo de leitores possível, de maneira que esta apostila não
é [foi] escrito, em primeiro lugar, para especialistas (embora eu espere que estes se beneficiem e gostem
da leitura).

Optei propositalmente por não seguir assuntos paralelos que se distanciem por demais das principais
discussões deste material.

Os leitores que esperam mais discussão de conhecimento profundo, por exemplo, ficarão
indubitavelmente desapontados, mas este manual tem um propósito principal: conduzir-nos aos cuidados
ao próximo.

E eu intencionalmente mantive o assunto relativamente sucinto no intuito de torná-lo acessível a um


público maior.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.9

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
APRESENTAÇÃO
Esta Apostila Teológica de HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE, é parte
integrante de uma série de outras apostilas que compõem a GRADE CURRICULAR do curso da nossa
Instituição de ENSINO TEOLÓGICO PRESENCIAL e DIGITAL DISTANCE LEARNING (EAD).

Este riquíssimo material se propõe a ser um instrumento de pesquisas e estudos. Embora de forma
concisa, ela objetiva fornecer informações contundentes, nos vários aspectos, quer sejam, teológicos,
científicos, históricos, antropológicos, sociológicos etc.

Esta obra teológica destina-se a pastores, evangelistas, pregadores, professores da escola bíblica
dominical, obreiros, cristãos em geral e aos alunos dos nossos cursos – BACHARELADO EM TEOLOGIA
PASTORAL / MISSIOLÓGICA /PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICANÁLISE CLÍNICA / PÓS-GRADUAÇÃO EM
CAPELANIA HOSPITALAR / CAPELANIA CRISTÃ AVANÇADA / JUIZ DE PAZ ECLESIÁSTICO E OUTROS do
Instituto Educacional de Teologia Evangélica – IETEV, podendo, outrossim, ser utilizado com grande
préstimo por pessoas interessadas numa formação de qualidade teológica.
Finalmente, exprimo meu reconhecimento e gratidão aos professores que participaram de minha
formação, que me expuseram a teologia bíblica enquanto discípulo e aos meus alunos que contribuíram
estimulando debates e pesquisas. Não posso deixar de agradecer também àqueles que executaram serviços
dos mais diversos e tarefas congêneres, colaborando, assim, para a concretização desta obra.

PROFº. PR. CARLOS ANTONIO SANTOS DE NOVAIS


DIRETOR PRESIDENTE DO IETEV
2º VICE-PRESIDENTE DO CTVC – 2012/2015

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.10

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE

TEXTO COMPILADO
A presente apostila foi compilada por mim apartir de
(Algumas partes desta apostila outras apostilas, sempre seguindo as normas da
foram negritadas por este compilador,
ABNT – Associação Brasileira de Normas e Técnicas,
mas, não fazem parte na obra original
quer no todo ou em partes). citando no decorrer deste material a autoria e fontes
pesquisadas, quando possível.

BACHARELADO EM TEOLOGIA PASTORAL


CURSO SEMIPRESENCIA OU EAD:

(Apostilado em formato PDF)

INSTITUIÇÃO: INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA — IETEV

PROFESSORES: CARLOS ANTONIO SANTOS DE NOVAIS E GILMAR DOS SANTOS SILVA

MATÉRIAS OBRIGATÓRAS O CURSO É COMPOSTO DE 45 (QUARENTA E CINCO) DISCIPLINAS

TEMPO PARA CONCLUIR: DEPENDE DA DISPONIBILIDADE DE TEMPO DO ALUNO


DURAÇÃO ESTIMADA: 2.600 H/A (HORAS AULA)
CATEGORIA: CURSO DE CUNHO LIVRE RELIGIOSO

Capacitar o aluno (pastor/ministro/obreiros em Geral) para trabalhar


com pessoas, diagnosticando quais desmotivações estes enfrentam,
OBJETIVO: atuando como conselheiro conjugal e familiar. Realizando palestras,
simpósios, encontros, congressos etc.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.11

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE

ORIENTAÇÕES SOBRE AS MATÉRIAS DE BACHARELADO EM TEOLOGIA PASTORAL

Este Curso de Bacharelado em Teologia Pastoral tem suas características próprias, no que diz
respeito às exigências para cursos de Graduação “lato sensu”, (ISSO COMO CURSO LIVRE: Pesquisas
Orientadas, Disciplinas Curriculares, Projetos de Aconselhamentos, Práticas ou Residência Pastoral de
Gabinete, Casos Específicos, etc.), porém, com semelhanças às de uma residência em aconselhamento,
como se fosse num campus universitário, isso pelas atividades a ser desenvolvidas pelo aluno.

Cada vez que encontre este sinal () deverá prestar atenção, pois se trata de uma pesquisa orientada,
onde para facilitar a formação de conceitos, o professor dará exemplos, incluirá sub-títulos, fará perguntas
e orientará sobre como inserir nessa parte do texto seu pesquisa.

Portanto, esta disciplina deverá ser trabalhada no Word, para ir salvando o desenvolvimento de seu
trabalho final.

No espaço em que encontra este sinal  corresponde a seu trabalho para avaliar o aproveitamento
desta disciplina (primeira parte) deverá separar as pesquisas () desde as alternativas e trabalhos
solicitados pelo professor da respectiva matéria e nos ENVIAR PARA DAR A NOTA FINAL da DISCIPLINA.

Agostinho observou com sabedoria: “Se estamos perplexos por causa de qualquer aparente
contradição nas Escrituras, não nos é permitido dizer que o autor desse livro tenha errado; mas ou o
manuscrito utilizado tinha falhas, ou a tradução está errada, ou nós não entendemos o que está
escrito”[5]. Os erros não se acham na revelação de Deus, mas nas falhas interpretações dos homens.

5 - A GOSTINHO , R EPLY TO FAUSTUS THE M ANICHAEAN 11.5, EM PHILIP SCHAFF , A SELECT LIBRARY OF THE NICENE AND A NTE -NICENE FATHERS OF THE C HRISTIAN C HURCH, G RAND R APIDS:
E ERDMANS, 1956, VOL. 4.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.12

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
VERDADE DE DEUS REVELADA AO HOMEM

Estágios da VERDADE DIVINA, como a VERDADE chegou até nós.

A VERDADE ABSOLUTA existe na mente de Deus


REVELAÇÃO


INSPIRAÇÃO


PRESERVAÇÃO


TRADUÇÃO


INTERPRETAÇÃO


POVO DE DEUS HOJE

Pela  REVELAÇÃO a verdade vem à mente do escritor numa forma antropomórfica.

Pela  INSPIRAÇÃO essa revelação se torna Escritura que é infalível e inerrante.

Pela  PRESERVAÇÃO temos os presentes textos que devem ser comparados para serem exatos em
sua essência.

Pela  TRADUÇÃO obtemos nossas versões no vernáculo que nós tentamos tornar essencialmente
fiéis.

Pela  INTERPRETAÇÃO a revelação vem à mente dos leitores apresentando a verdade original que
veio da mente de Deus.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.13

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
Abaixo faremos citação do livro “A Interpretação Bíblica” de Roy B. Zuck[6], onde o mesmo nos
diz, que há pelo menos “seis abismos” entre nós e o texto sagrado, porém, acrescentei mais dois que acho
serem também de suma importância na interpretação.

LER E ENTENDER O QUE DIZ O AUTOR

COMPREENDER

TEXTO
TEXTO

Imaginemos uma cena: A Igreja onde foi convidado usava a Versão chamada: NVI (Nova Versão
Internacional), sabendo disso, e como a palestra tratava justamente sobre Versões, para iniciar pedi que
abrissem a NVI em  At. 8:37, então eu li a passagem na minha versão: “Disse Filipe: Você pode, se crê
de todo o coração. O eunuco respondeu: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus”  At. 8:37.

Os irmãos ficaram procurando o texto na NVI e para supressa comprovaram que  Atos 8 tem o
 versículo 36 e então pula para o  38, omitindo o verso  37! A NVI não tem o  verso 37 de 
Atos 8. Você estudante de teologia pode também fazer essa comprovação em qualquer livraria evangélica
que venda a NVI. Isso ilustra o que estamos tentando ensinar.

As Versões apresentam diferenças, e elas devem ser consideradas com


cuidado a fim de não sair por ai pregando o que não é original e “adulterando[7]
a Palavra de Deus”  II Co. 4:2, como a exemplo de uma “Testemunha de
Jeová” (errados na doutrina da Trindade) que estava visitando as pessoas de casa
em casa para tentar provar a malfadada teoria antitrinitária fazendo com que os
mesmos lessem  I Jo. 5:7-8 e apelando para o argumento de que esse texto é
uma interpolação (comentários feitos pelos copistas como notas de rodapé nos
manuscritos, que acidentalmente ou intencionalmente, foram acrescidos nos manuscritos posteriores
como sendo parte do texto) e assim, confundindo o pobre irmão dizendo que todos os outros textos que
falam da Trindade na Bíblia também foram acrescentados. O que é falso.

6 - ZUCK, R OY B. A I NTERPRETAÇÃO B ÍBLICA, E DITORA VIDA NOVA , SÃO PAULO


7 - “A DULTERAR ”, NO ORIGINAL GREGO É “ DOLOS” QUE SIGNIFICA “ PEGAR COM ISCA ”, TENDO O SENTIDO DE FALSIFICAR E CORROMPER .

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.14

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
Outro exemplo que podemos citar está em certos versículos de  Marcos 16,  João 8 que são
interpolações, e ainda assim nenhum deles, se omitidos, mudaria qualquer doutrina bíblica. E ainda há o
fato de que algumas dessas interpolações são altamente discutíveis se são ou não interpolações mesmos.

 PIEDADE: Aqui significa (conforme o uso dos autores do Novo Testamento), temor a Deus,
respeito e reverência em relação a Deus. Ou seja, piedade é o que devemos ter em nosso
relacionamento com Deus, um adjetivo derivado explica melhor este sentido: Piedoso, piedosamente.

Secularmente, entretanto, o sentido moderno da palavra é bem diferente, significando


demonstração de compaixão, dó, pena dos males alheios, comiseração, compaixão.[8] Basta
estudarmos, para compreendermos que entre os dois Testamentos (AT e NT), essa mesma palavra
“piedade”, já possui diferença no seu uso. Se você consulta um dicionário verá a explicação dos dois
sentidos, porém o mais conhecido é o sentido que expressa um sentimento de dó e pena por outros.

No Novo Testamento não ocorre este uso, mas apenas aquele em que “piedade” é o modo certo de
relacionar-se com Deus. Este exemplo ilustra a necessidade de fazer um bom estudo de palavras na
pesquisa e relação entre Texto, Contexto e Palavra.

No Antigo Testamento, este termo está vinculado com a misericórdia, onde é comum encontrarmos
com a frase:

 “tem piedade de mim, ó SENHOR”.  Sl. 6:2 (KJA)


 “tem compaixão de mim, SENHOR”.  Sl. 6:2 (ARA)
 “tem misericórdia de mim, ó SENHOR”.  Sl. 6:2 (ACF)
Quando você encontra a palavra “piedade” ou “piedoso” na leitura do Novo Testamento, pense
primeiro no sentido de devoção, culto a Deus (temente a Deus) ou às coisas religiosas, e na santidade.
Na maioria dos casos, essas definições vão comunicar melhor o sentido do original. Vamos ver alguns
exemplos:

 “mulheres que professam ser piedosas”  I Tm. 2:10. A palavra grega aqui é theosebeia, que
obviamente inclui Deus (theos) como o objeto do louvor, reverência ou devoção.

 “Teme a Deus”  Jo. 9:31. Usa uma forma da mesma palavra, onde é traduzido “piedade”.

Veja como este entendimento esclarece alguns versículos.


 II Tm. 3:12 diz que: “Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão
perseguidos.” Ora, o sentido de mostrar compaixão para com outras pessoas não se encaixa aqui nesse

8 - NOVO D ICIONÁRIO A URÉLIO, 2 ª EDIÇÃO

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.15

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
texto, afinal de contas, não seremos perseguidos por mostrar compaixão. Antes, os que demonstram
reverência a Deus serão perseguidos.

 I Tm. 3:16 diz que: “grande é o mistério da piedade”. Que quer dizer “ministério da piedade?”
Aqui o versículo não fala de sentir “demonstração de compaixão, dó, pena dos males alheios,
comiseração, compaixão” para os outros. Fala, sim, dos motivos que temos para adorar a Jesus.

 DEIXAR A BÍBLIA INTERPRETAR A SI MESMA.


A pressuposição básica é a inspiração das ESCRITURAS  Jo. 10:35; Hb. 1:1-2. Nestes textos
transparece unidade e harmonia. Mesmo aqueles textos e livros que não contém uma referência imediata
a Jesus, contribuem para a execução do Plano de Salvação de Deus. Há unidade de propósito em toda a
Bíblia. Um texto explica outro, um fato é entendido à luz de outro, um discurso é cumprido pela vida
de algum personagem.

O estudo das ideias ajuda na percepção desta unidade e harmonia mais do que qualquer outra forma
de estudo, mesmo quando os autores apresentam diferentes ênfases sobre o mesmo assunto e faz com que
interpretemos o texto conforme o pensamento de homens inspirados por Deus.[9] Os próprios escritores
do Novo Testamento usam muitas vezes o Velho Testamento para explicar uma verdade que realça uma
prática cristã.

 PAULO usa ABRAÃO em  Romanos 4 para expor a Justificação pela fé.

 O autor dos  Hebreus apropria-se de muitas ideias do judaísmo para contrastar o Cristianismo
como caminho melhor (mais excelente).
 Os textos veterotestamentários
Textos paralelos e correlatos que encontramos são utilizados como base de raciocínio
em algumas referências bíblicas, demonstram que a para expressarem seus pensamentos com
Bíblia interpreta a si mesma. base no que Deus já revelara.

 Por exemplo:

 I Tm. 6:1-2; Ef. 6:5-9; Cl. 3:22, 4:1 e Tt. 2:9-10  Estes textos tratam da relação existente entre
SENHOR — ESCRAVO. O propósito é fazer comparação de  I Timóteo com outros textos para entender a
mensagem específica contida nele.

O estudo das idéias é próprio para nos auxiliar a descobrir qual é exatamente a mensagem específica
de cada texto em seu contexto.

 Por exemplo:

9 - A QUI REFERIMO - NOS AOS ESCRITORES SACROS QUE FORAM MOVIDOS POR D EUS A ESCREVER O TEXTO B ÍBLICO .

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.16

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
 Mc. 12:30  Aqui trata do mandamento de amar a Deus. Para que esse tema fique mais claro,
torna-se necessário estudar o tipo de aplicação e implicação do ato de amar. Aqui na verdade, estudo das
ideias é diferente do estudo das palavras, uma vez que, a ênfase do estudo das idéias é mais abrangente
do que o estudo das palavras.

 PERMITIR CONTRASTE DE TEMAS PARALELOS.


O estudo de uma idéia abrange mais largamente o pensamento do escritor do que uma palavra,
porque o mesmo é feito depois do estudo das palavras, tendo em vista que muitas vezes o escritor
centraliza seu pensamento muna idéia e não no vocábulo.

 Exemplo:

 Lc. 7:11-15  No estudo das ideias, percebemos aqui o paralelo entre este MILAGRE e os
narrados em  I Rs. 17:23 e II Rs. 4:36.

 Mt. 27:5  Nesta metodologia, verificamos que Aitofel também se enforcou  II Sm. 17:23.
Este quadro nos fornece um triste paralelo com Judas.

Todo esse paralelismo textual neo-vétero-testamentário fornece uma série de informações que
nos capacita a melhor entender e explicar o texto. “O alvo do estudo das ideias é ficar com a verdade
que o texto ensina e encontrar outros locais onde a mesma ideia pode ser ilustrada, explicada”, etc.
este tipo de estudo faz-nos, também, ver os vínculos existentes entre várias declarações.

 Por exemplo:

 “N
NASCER DE NOVO”  “N
NASCER DA ÁGUA E DO ESPÍRITO”  Jo. 3:3-5.  “B BATISMO”  At.
2:38.  “LLAVAR REGENERADOR E RENOVADOR DO ESPÍRITO SANTO”  Tt. 3:5  “C CONVERTER-SE E
TORNAR-SE COMO CRIANÇA”  Mt. 18:4. Qual a ligação entre essas declarações?

Embora a terminologia aqui não seja idêntica, mostra, no entanto, que os vários escritores falavam
da mesma ideia básica, porém, com expressões diferentes. A terminologia dos escritores do Novo
Testamento sobre o inferno, por exemplo, difere bastante em suas descriçõs.

 “GGEENNA”[10]  Este termo, embora já citado mais acima (ao menos em si tratando da
terminologia “fogo e verme”) aqui usado aparece nos Evangelhos Sinóticos[11] (no original), e não ocorre
mais em nenhum outro lugar, exceto na carta de  Tg. 3:6, o que não quer dizer que os outros nada
tenham a dizer sobre o assunto.

10 - SOBRE ESTE ASSUNTO , TRATAMOS COM MAIS DETALHES NAS PAGS . 109 À 114.
11 - E VANGELHOS SINÓTICOS É UM TERMO QUE DESIGNA OS E VANGELHOS DE M ATEUS, M ARCOS, LUCAS POR CONTEREM UMA GRANDE QUANTIDADE DE HISTÓRIAS EM COMUM , NA MESMA
SEQUÊNCIA , E ALGUMAS VEZES , UTILIZANDO EXATAMENTE A MESMA ESTRUTURA DE PALAVRAS . TAL GRAU DE PARALELISMO RELATIVO AO CONTEÚDO , NARRATIVA, LINGUAGEM E ESTRUTURAS DAS FRASES ,
SOMENTE PODE OCORRER EM UMA LITERATURA INTERDEPENDENTE . M UITOS ESTUDIOSOS ACREDITAM QUE ESSES EVANGELHOS COMPARTILHAM O MESMO PONTO DE VISTA E SÃO CLARAMENTE LIGADOS
ENTRE SI . - F.L. C ROSS AND E.A. LIVINGSTON , T HE O XFORD DICTIONARY OF THE C HRISTIAN C HURCH , O XFORD U NIVERSITY P RESS , 1989 P . 1333

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.17

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
Embora ao seu modo, cada escritor fala da mesma ideia. Atribui-se a  II Ts. 1:8-9 a melhor
definição de “inferno”.

João em termos de “morte”, “permanecer sob a ira de Deus”, “juízo ou condenação”. Paulo, por
sua vez, usa termos como “morte”, “condenação”, “ser anátema”, etc.

Outro exemplo de semelhanças:

 “U ULTRAPASSAR A DOUTRINA DE CRISTO”  II Jo. 9  “E EVANGELHO QUE VÁ ALÉM”  Gl.


1:8-9. São declarações muito parecidas contra heresias. Interessante, porém, nestes textos, que o contexto
histórico, as heresias, os leitores, etc., são diferentes, mas o objetivo da advertência é o mesmo: “não
aceitar ensinos falsos” não importando quem os ensine.

Uma questão obrigatória é o estudo dos sinônimos, antônimos e das expressões que têm relação
com o assunto tratado no texto. Quanto às traduções, a chave é utilizar aquelas que transmitem com
exatidão “as ideias originais do escritor”, não as que traduzem “palavras por palavras”.

O estudo das ideias visa primordialmente ajudar no entendimento da mensagem dos escritores,
ainda que transmitida de vários modos, através de várias expressões; por isso, é importante evitar preder-
se a uma forma de expressão de um assunto, mas procurar descobrir todas as formas nas quais esta
determinada expressão ou declaração é apresentada.

 DAR ATENÇÃO A VOCÁBULOS OU CONCEITOS CENTRAIS EXPRESSOS NO TEXTO EM ESTUDO.


Pode ocorrer de uma palavra num texto não ser chave para se entender o tema central que ali é
tratado. A ideia principal desse texto pode ser descrita por um outro termo ou afirmação que esteja em
outro lugar.

 Por exemplo:

 “AA OFERTA DE BARNABÉ”  At. 4:36-37  Pode suscitar a ideia de “deixar tudo” para seguir a
Jesus, inclusive a ideia dos tesouros no céus  Lc. 12:31-34, etc. literalmente não se acha estes termos
aqui neste texto, mas a ideia está ali.

 “P PERSERVERANÇA”  Lc. 11:5-8  Pelo contexto sabemos que este texto trata claramente da
oração, ainda que o termo “perserverança” não aparece nem no texto nem no contexto. A lição, porém,
da parábolo está ali explicita “perserverança na oração”, cuja ideia está presente em outros textos, e o
estudo da mesma leva à compreensão do referido tema e ao entendimento da parábola.

Muitas vezes, como disse alguém, corre o risco de “olhar tanto para a árvore que acaba
esquecendo-se de notar toda a floresta”. Podemos nos prender numa palavra ou numa única ideia (a
árvore) que deixamos de ver o resta (a floresta) no trecho bíblico em estudo.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.18

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE

O estudo das ideias nos leva a fazer ao texto algumas perguntas:

 Qual a ideia central do texto?


 Qual são as outras ideias igualmente importantes?
 Que temas são tratados, por acaso, no trecho?

O objetivo delas é faze-nos pesquisar no intuito de descobrir qual a


mensagem principal do texto, sem deixar de analisar outros temas
coadjuvantes.[12] Deve-se, entretanto, cuidar para não enveredar-se para um assunto que não seja a lição
principal do texto, cuidando assim, em não transformar uma ideia secundária numa mensagem principal
da passagem bíblica, evitando, desse modo, a distorção do sentido original do autor.
 Por exemplo:

 Rm. 1:18-32  A “ideia principal” deste trecho é a “degradação do homem” no pecado e sua
iminente condenação. Portanto, o texto traz a ideia da “condenação da homossexualidade”, assunto
presente no texto; mas não é a ideia principal, sendo, porém, um “tema secundário”. A atenção deve estar
centralizada no principal; contudo, atento, também, aos temas secundários, mantendo a ideia do autor
original.

 PERCEBER A INTENÇÃO DOS TEMAS BÍBLICOS.


Muitas vezes, há diversas ligações de um mesmo assunto que nos são mostrados por diferentes
contextos, cada um deles dando uma conotação diferente a uma mesma doutrina ou ensino, ou uma nova
aplicação.

 Por exemplo:

 “B
BATISMO”  Romanos 6  Diferentemente do que já abordamos na página 108, a respeito do
“batismo”, aqui o termo “batismo”, diferentemente de lá é tratado em relação à “santificação”.

 Em  I Co. 12:13  como argumento para a unidade orgânica e espiritual da igreja, justamente
num contexto cuja abordagem são dons espirituais.

  I Pd. 3:21  está em paralelo com a salvação de Noé e sua família.


 Já em  Gl. 3:27-28  como, digamos assim, uma exortação à unidade cristã, rompendo com a
discriminação (todos são um com Cristo pelo batismo). Por aqui já percebemos como um único tema está
ligado a muitos outros, consequentemente com suas inúmeras implicações. Este é o papel do estudo das
ideias, através do qual descobrimos as várias interligações temáticas; e, na medida em que se entendeu um
assunto, tem-se a possibilidade de avançar na compreensão de outros.

12 - Q UEM OU QUE ESTÁ EM SEGUNDO PLANO , SECUNDÁRIO . Q UE AUXILIA.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.19

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
As narrativas[13] também apresentam fatores importantes como ensinamentos morais e espirituais,
que não são mandamentos, mas que demonstram obediência ou desobediência aos mesmos.

O gênero mais comum encontrado na Bíblia é a narrativa, consistindo bem mais de um terço de
toda a Bíblia nesta forma. A narrativa em seu sentido mais amplo é um relato de acontecimentos
específicos no tempo e no espaço com participantes cujas histórias são registradas com um começo,
meio e fim.[14]

 Por exemplo:

  II Samuel 11  relata sobre o pecado de Davi com Bate-Seba, resultado da sua falta de
propósito, da sua ociosidade, da falta de pudor de uma mulher, da falta de fidelidade dos servos de
Davi, deixando de exortarem-no quando mandou chamar a mulher de Urias. São lições que ficam com o
intuito de advertir as gerações posteriores.

  Gênesis 39  Esta narrativa, objetiva, com base no exemplo de José, definir o que é um jovem
puro e, que, por tabela, pode explicar a exortação por “pureza” que Paulo faz a Timóteo  I Tm. 5:2. A
observação aqui é que devemos ter cuidado para não ver demais nas narrativas bem como não ver de
menos, e assim, acabando por desprezá-las.

Temos também as biografias, as quais, por sua vez, são por si mesmas definições de atitudes e
virtudes.

 Por exemplo:

 BARNABÉ  At. 4:36; Rm. 12:8  Tinha o “o dom de exortar”.

 JÓ  Tg. 5:11  É exemplo de paciência.

 ACABE  I Rs. 21:7-15  É exemplo de homem fraco, controlado por outros.

 JESUS  Paulo exorta aos Corintos para ser seu imitador, tendo como princípio fundamental
Cristo como digno de ser imitado  I Co. 11:1  Nas palavras de Paulo JESUS é exemplo supremo de
tudo que é bom e digno de imitação.

13 - NARRATIVA É UMA EXPOSIÇÃO DE FATOS , UMA NARRAÇÃO, UM CONTO OU UMA HISTÓRIA . A S NOTÍCIAS DE JORNAL , HISTÓRIA EM QUADRINHOS, ROMANCES , CONTOS E NOVELAS , SÃO , ENTRE
OUTRAS , FORMAS DE SE CONTAR UMA HISTÓRIA , OU SEJA , SÃO NARRATIVAS .
14 - I NTRODUÇÃO À H ERMENÊUTICA B ÍBLICA – COMO OUVIR A PALAVRA DE D EUS APESAR DOS RUÍDOS DE NOSSA ÉPOCA , PÁG . 67 – E DITORA H AGNOS

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.20

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
Há ainda doutrinas e ensinamentos bíblicos que têm interligações com os demais temas bíblicos.

 Por exemplo:

Qual a incubência dos bispos nas Cartas pastorais? Para se descobrir isso, o estudante terá de
consultar os evangelhos e pesquisar sobre o ensino de Jesus a respeito do serviço. Dai descobrirá que
Jesus é o modelo de serviço, constatando, assim, que a tarefa dos pastores (bispos ou presbíteros) está
intimamente ligada ao sacrifício de Cristo na cruz. Verificamos novamente as interligações entre os temas
bíblicos.

 TRABALHAR AS PRESSUPOSIÇÕES TEOLÓGICAS DOS EDITORES.


Pressuposições teológicas são verdades que um autor crê supondo que as mesmas sejam conhecidas
e aceitas pelos seus leitores.

 Por exemplo:

 DEUS  Gálatas. Paulo, aqui, não se preocupa em provar a existência de Deus nem tão pouco
provar sua transcedência, ainda que O cite cerca de 30 vezes fazendo muitas alusões ao Seu nome. Paulo
não elabora um trabalho sobre Deus como parte principal da obra, mas apresenta suas pressuposições
teológicas a respeito, porque seu objetivo primário era o de combater um erro doutrinário e não o de
instruir sobre a natureza de Deus.

Nesta questão de “pressupostos” é preciso tomar cuidado, lembrando que alusões são ocasionais e
que não devem ser tomadas como uma teologia sistemática ou dogmática que represente o pensamento
do escritor. Porém, devemos nos lembrar que às alusões de Paulo, quanto suas colocações ao ensino
obtido são verdadeiras, mas, necessariamente incompletas.

Outro cuidado que precisa ser notado é não ver no texto o que não existe; ou ainda, considerar que
ele reflete nossas pressuposições. Nisso tudo é preciso levar em conta os textos bíblicos, seu contexto e
os outros dados escriturísticos, sem, no entanto, forçá-los como uma “camisa de força” para que se
encaixe nosso modo de ver o texto.

Impor ao texto conceitos que “achamos” verdadeiros do nosso ponto de vista, é no mínimo,
“violentar o texto”.[15]

 Por exemplo:

 Tentar fazer de Paulo um “calvinista”, ou de João um “pré-milenista”, e de Lucas um


“pentecostal” é colocar o texto em uma “prensa” ou “camisa de força”.

15 - T ERMO USADO PARA DIZER QUE , TENCIONALMENTE OU INTENCIONALMENTE , APLICAMOS AO TEXTO ESTUDADO NOSSAS PRÓRIAS IDEOLOGIAS E CONCEITOS .

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.21

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
A nossa tarefa é extrair (termo exegético que exprime a ideia de tirar, extrair, arrancar, trazer para
fora) o máximo que se puder do texto em termos de pesquisa e análise, sem, contudo, acrescentar-lhe
(termo exegético que exprime a ideia de colocar, atribuir-lhe algo, injetar uma ideia particular) qualquer
ponto de vista humano ou mesmo retirar do texto o que lhe é próprio.

Tomando esses cuidados podemos assim, reunir, pelo estudo das ideias um tesouro de fé e
conhecimento espalhado em meio a tantos ensinamentos e teremos subsídios necessários com que
trabalhar não apenas com aquilo que o autor inspirado quis revelar, como também o que ele julgava já
conhecido e divulgado.

Do outro lado, mesmo que se assumam as pressuposições teológicas dos escritores, não
obrigatoriamente tem-se que aceitar suas pressuposições metodológicas. Devido às questões culturais do
pensamento do escritor, o seu raciocínio pode diferir dos nossos e isto não nos obriga assumir o que assim
ele pensa, culturalmente falando.

 Por exemplo:

  Gl. 4:21-31  Usando uma linguagem alegórica ou figurativo de uma narrativa do Antigo
Testamento, Paulo demonstra aos seus leitores que estes já estão livres do julgo da lei mosaíca. Os
versículos 22-23 recontam os fatos com respeito aos dois filhos de Abraão. Ismael foi concebido por meio
de Hagar, uma mulher escrava,[16] e de uma forma comum. Isaque, por outro lado, foi concebido através
de Sara, uma mulher livre,[17] e de acordo com a promessa. A escrava gera filhos escravos, e a livre gera
filhos livres.

Porque não precisamos guardar a lei mosaica?

 Observemos:

“Guardarão, pois, o sábado os filhos de Israel, celebrando-o


nas suas gerações como pacto perpétuo. Entre mim e os filhos de
Israel será ele um sinal para sempre; porque em seis dias fez o
Senhor o céu e a terra, e ao sétimo dia descansou, e achou
refrigério”.  Êx. 31:16

 “sábado os filhos de Israel”


 “pacto perpétuo”
 “filhos de Israel”
 “sinal para sempre”

16 - R ETRATADA POR PAULO , O APÓSTOLO , COMO SENDO FIGURA DA LEI MOSAICA . E SCRAVOS DEBAIXO DA LEI
17 - R ETRATADA POR PAULO , O APÓSTOLO , COMO SENDO FIGURA DE UMA NOVA LEI (ALIANÇA ). LIBERTOS DA ESCRAVIDÃO DA LEI.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.22

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
Os adventistas, para imporem a obrigatoriedade da guarda do Sábado, se valem de argumentos
infundados estabelecendo uma distinção entre a Lei Moral (Lei de Deus) e Lei Cerimonial (Lei de Moisés),
e, dizem que a Lei Moral ou Lei de Deus se restringe aos 10 mandamentos e continuará para sempre, e
que a Lei de Moisés ou Lei cerimonial abrange o Pentateuco escrito por Moisés e este, sim, foi abolida.
(Note que as expressões “lei moral” e “lei cerimonial” não estão mencionadas em parte alguma da Bíblia).

Será que a própria Bíblia faz distinção entre: Lei Moral (de Deus) e Lei Cerimonial (de Moisés)?

  Ne. 8:1  “e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o Livro da lei de Moisés” e “todo o
povo estava atento no livro da Lei” ( verso 3), “E leram no livro, na lei de Deus” ( verso 8), e ainda
falando do mesmo livro, diz: “E leram no livro, na lei de Deus” ( verso 18).

  Lc. 2:22-24,39  Aqui a lei é chamada a lei de Moisés ( verso 22) e a lei do Senhor (
verso 23-24, 39). E esta lei foi um ritual de purificação, incluindo o sacrifício de animais, que foi
claramente abandonado ( Lv. 12:2-8). Daí, lei do Senhor é a mesma que lei de Moisés. Em  II
Crônicas 31:2-4, a lei de Deus incluía o sacrifício de animais, luas novas e dias festivos.

  II Cr. 34:14  “Quando se tirava o dinheiro que se havia trazido à casa do Senhor, Hilquias,
o sacerdote, achou o Livro da Lei do Senhor, dada por intermédio de Moisés.”

  Ed. 7:6  “Ele era escriba versado na lei de Moisés, dada pelo Senhor Deus de Israel; e,
segundo a boa mão do Senhor seu Deus, que estava sobre ele, o rei lhe concedeu tudo quanto lhe
pedira.”

  Ne. 10:29  “Firmemente aderiram a seus irmãos, seus nobres convieram numa
imprecação e num juramento, de que andariam na lei de Deus, e que foi dada por intermédio de
Moisés, servo de Deus; de que guardariam e cumpririam todos os mandamentos do Senhor, nosso
Deus, e os seus juízos e os seus estatutos.”

O próprio Jesus declara que a lei de Moisés é a lei de Deus.

  Mc. 7:10  “Pois Moisés disse: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser ao pai ou à
mãe, certamente morrerá”. Ora, nós sabemos por  Êx. 20:12 que se trata do quinto mandamento, e,
no entanto se diz que “Moisés disse”, descrevendo-o como sendo lei de Moisés.

  Jo. 7:19  “Não vos deu Moisés a lei? No entanto nenhum de vós cumpre a lei. Por que
procurais matar-me?”. Onde a Lei proíbe o homicídio? É óbvio, em  Êx. 20:13, dentro dos dez
mandamentos, o decálogo que é chamado por Jesus de Lei de Moisés.

  Rm. 7:7  “… pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera”, fazendo uma
citação de  Êx. 20:17. Para o apóstolo Paulo, Lei mosaica e decálogo era a mesma coisa.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.23

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
Não há distinção entre a lei de Deus e a Lei de Moisés. Era a lei de Deus porque Ele a originou, mas
era a lei de Moisés porque foi revelada através dele  Neemias 10:29. Do mesmo modo, em nenhum
lugar a Bíblia distingue lei moral de lei cerimonial, dizendo que a lei moral continua. Toda essa distinção
é uma regra feita pelo homem, que não tem a autorização de Deus  Mt. 15:9; Gl. 1:8-9; 2 Jo. 9-11.

E como pá de cal “de misericórdia”, ainda citamos alguns trechos de  At. 15:1-32. (leia todo o
contexto)

 verso 1  “Então alguns que tinham descido da Judéia ensinavam assim os irmãos: Se não vos
circuncidardes conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos”.

 verso 5  “Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que
era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés”.

 versos 20-21  “Por isso julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se
convertem a Deus. Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da fornicação,
do que é sufocado e do sangue”.

 verso 24  “Porquanto ouvimos que alguns que saíram dentre nós vos perturbaram com
palavras, e transtornaram as vossas almas, dizendo que deveis circuncidar-vos e guardar a lei, não lhes
tendo nós dado mandamento”.

O que o sábado significa para nós cristãos?

O dia do sábado era uma sombra da realidade espiritual trazida por Cristo  Cl. 2:16-17. O sábado
significa descanso e libertação do trabalho: Cristo trouxe o descanso e a libertação do pecado. Jesus é o
descanso para o qual a sombra do sábado apontava  Mt. 11:28-30. Mesmo a libertação e o descanso
que Jesus nos dá agora são apenas uma antecipação do descanso verdadeiro que os cristãos
experimentarão no céu  Hb. 4:9.

Isto, entretanto, não nos dá direito agora de alegorizar toda a Bíblia. Esta alegoria deve ser tratada e
entendida dentro do contexto histórico-cultural da própria Epístola. Esta metodologia era própria do seu
tempo e, por isso, ele a usa, uma vez que seus leitores, especialmente seus opositores, assim entendiam e
aceitavam.

Portanto, um método pertinente às condições históricas daquele tempo. Na verdade, para o estudo
das ideias é preciso, antes de qualquer coisa, entender e seguir o raciocínio dos escritores bíblicos sem
que sejamos obrigados a raciocinar como eles.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.24

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
 O GREGO E A HERMENÊUTICA SACRA
A compreensão da língua grega na interpretação de um texto bíblico é de suma importância para
uma exata transmissão daquilo que o seu autor humano queria transmitir aos seus leitores (ouvintes), para
isso, é mister que o estudante de teologia estude rigorosamente a respectiva disciplina no intuito de
familiarizar-se com essa língua, afim de chegar ao entendimento mais profundo das Sagradas Escrituras,
ao menos em o Novo Testamento, sem deixar também de estudar o hebreco. [18]

Em  I João 2:1, o apóstolo diz: “Se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai” (AL). O
verbo grego para “pecar” está no tempo do aoristo, de modo que o ato é só do momento, é transitório. O
aoristo indica aqui um ato de pecado, ao passo que o presente denotaria a condição de pecador, ou a ação
contínua ou progressiva de pecar.

De modo que João não fala de alguém se entregar à prática do pecado, mas de alguém que
‘comete um pecado’. (Compare isso com  Mt. 4:9, onde o aoristo indica que o Diabo não pediu que
Jesus lhe prestasse constante ou contínua adoração, mas que fizesse “um ato de adoração”, ou seja,
‘prostrar-se’ e adorar.)

Mas, quando se lê  I Jo. 3:6, 9, sem tomar em consideração que o verbo (em grego) aqui está no
tempo presente, João parece contradizer as palavras acima. A versão Almeida, (ARC), reza: “Qualquer
que permanece nele não peca”, e: “Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado.”

Esta forma de traduzir não transmite bem em português a ação contínua indicada pelo tempo
presente dos verbos gregos usados. Algumas das versões modernas, em vez de dizerem simplesmente
“não peca” e “não comete pecado”, destacam a ação contínua e vertem os verbos concordemente:

 “não pratica pecado”, “não está praticando o pecado”. (NM)


 “não vive pecando”, “não vive na prática de pecado”. (ALA)[19]
 “não peca habitualmente”, “não pratica pecado”. (Ph)[20]
 “não continua pecando”. (BLH)

18 - VEJA A DISCIPLINA DE NOÇÕES EM G REGO DO IETEV (www.ietev.com.br)


19 - A LMEIDA R EVISTA E A TUALIZADA .
20 - NÃO ENCONTREI NA MINHA PESQUISA A QUE TRADUÇÃO PERTENCE ESSA SIGLA .

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.25

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
 PALAVRAS FORA DE USO OU COM POUCO USO EM ALGUMAS TRADUÇÕES.[21]
PALAVRA TEXTO SIGNIFICADO OU SINÔNIMO
Acerbamente  Jó 13:10 Duramente
Aleivosamente  Jz. 9:23; Traiçoeiramente
 I Sm. 14:33;
 Jó 6:15;
 Sl. 78:57;
 Os. 5:7; 6:7
Apeou  Gn. 24:64; Desceu
 Js. 15:18;
 Jz. 1:14
Arrecadas  Nm. 31:50; Brincos
 Jz. 8:26;
 Ez. 16:12;
 Os. 2:13
Asseteamos  Nm. 21:30 Ferir ou matar com setas
Avilta  Is. 2:9; 5:15 Humilhar; rebaixar
Baldaquino  I Rs. 7:6; Armação forrada e com franjas,
 Jr. 43:10; sustentada por colunas, que fica acima de
 Ez. 41:25-26 um altar ou trono
Baluarte  Dt. 20:20; 1) Fortaleza [Ez. 21:22].
 Jz. 6:26; 2) Apoio; firmeza [Sl. 18:2; I Tm. 3:15].
 II Sm. 22:3;
 Sl. 18:2; 91:2;
 Ez. 26:8;
 Na. 3:8;
 I Tm. 3:15
Borracheiras  I Pd. 4:3 Bebedeiras, embriaguez
Brunida  Is. 18:2 Lustrada
Bufo  Is. 25:4; 33:11 Sopro ou Assopro
Carneou  Pv. 9:2 Matou
Chilreiam  Is. 8:19 Cochicham
Cibo  Sl. 79:2 Comida
Cinzelando  Is. 22:16 Cavando ou esculpindo (CINZELAR) –
Trabalhar com cinzel, instrumento cortante
usado pelos escultores
Comenos  I Sm. 31:1 Instante, ocasião, momento
Cominou  Sl. 78:65 Impôs, infligiu
Contumaz  Dt. 21:18 Teimoso
Decrépito  Jr. 6:11 Muito idoso
Destarte  Gn. 11:8 Assim, Deste modo
Dossel  Is. 4:5 Cobertura forrada e com franjas
Encanecido  Dt. 32:25 Envelhecido
Enlanguecem  Is. 24:4-7 Enfraquecer, Perder a força

21 - FONTE : R EVISTA “A B ÍBLIA NO B RASIL”, Nº 238 (JANEIRO A MARÇO DE 2013).

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.26

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
Envilecer  Is. 23:9 Tornar desprezível
Envilecida  Is. 16:14 Tornada desprezível
Enxárcias  Is. 33:23 Cordas (Os cabos de um navio que
seguram os mastros)
Enxovia  Êx. 12:29 Prisão escura
Esbordoaram  Mc. 12:4 Bater com um bordão em; dar bordoada
em; espancar.
Esboroa  Jó 14:18 Desmoronar
Escarmentem  Ez. 23:48 Aviso,
Exemplo (servir de aviso ou exemplo)
Esterroa  Is. 28:24 Desfazer os torrões
Estulto  Sl. 49:10; Tolo, Sem discernimento, Insensato
 Sl. 92:6; 107:17;
 Pv. 17:21, 28;
 Ec. 2:14-19;
 Ec. 10:2-3, 14;
 I Co. 3:18
Forro  Dt. 15:18 Livre
Gabarola  Jr. 50:36 Aquele que se GABA; vaidoso {RA Is 30.7}.
Gonzos  Pv. 26:14 Dobradiças, Articulações
Gusano  Jó 25:6 Verme (Molusco parecido com um verme)
Ignomínia  Gn. 34:14 Grande desonra, vergonha
Importe  Lv. 27:23 Soma total.
Preço de compra, custo. Importância.
Impropera  Tg. 1:5 Lançar em rosto; censurar
Impudente  Pv. 7:13 Sem vergonha
Irrisão, Motejo  Jó 12:4, Zombaria, escárnio.
 Dt. 28:37 Ato ou efeito de zombar de alguém.
Loquacidade frívola  I Tm. 1:6 Discussão vazia ou inútil
Malograram  Jó 17:11 Insucesso, fracasso, frustração
Mutuca (TT)***  Jr. 46:20 “moscão” Inseto parecido com a mosca,
mas maior, que se alimenta do sangue de
animais
Necedade  Pv. 1:22 Tolice, disparate (Falta de juízo)
Olvidaste  Dt. 32:18 Esqueceste
Opróbrio  Gn. 38:23, Desonra, vergonha
 Hb. 11:26
Padejarás,  Jr. 51:2; Ato ou Aquele que separa da palha os
Padejadores (TT)***  Is. 41:16 grãos, depois de DEBULHADOS, jogando-os
no ar com pás; os grãos do CEREAL caíam na
EIRA, e o vento espalhava a palha
Pasciam  I Cr. 27:29; Pastavam
 Jó 1:14
Pasmo  Dt. 28:37 Espanto, Assombro
Peçonha  Dt. 32:24, 33 Veneno

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.27

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
Pérfida  Jr. 3:6-8, 11-12 Desleal, Infiel, Traidor
Perfidamente  Is. 21:2; Deslealmente, Traiçoeiramente
 Hc. 1.13
Perfídia  Is. 33:1; Deslealdade, Infidelidade, Traição
 Jr. 3:20;
 Ez. 39:26
Pérfidos  Pv. 11:3, 6; Desleais, Infiéis, Traidores
 Pv. 13:2, 15;
 Is. 24:16;
 Sf. 3:4;
 Rm. 1:31
Perjuros  I Tm. 1:10 Juramentos falsos
Porfia  Fp. 1:15 Discussão, Briga, contenda
Porfiou  Jó 9:4 Discutiu, contendeu, competiu
Portento  Sl. 71:7; Prodígio, maravilha
 Is. 29:14
Primípara  Jr. 4:31 Mulher que tem o primeiro parto [RA].
Procelosos  Sl. 148:8 Tempestuosos
Rapaces  z. 38:13
E Que rouba, rapinante.
Que persegue a presa afincadamente:
o abutre é rapace.
Requestar  Jr. 31:22 Cortejar
Resfolgar  Êx. 15:8; Respirar, soprar
 II Sm. 22:16;
 Sl. 18:15
Sebe  Jó 1:10; Cerca viva
 Is. 5:5;
 Mq. 7:4;
 Mt. 21:33;
 Mc. 12:1
Seixo  Sl. 114:8; Pedaço de pedra
 Is. 50:7
Simulacro  Sl. 106:20 Imagem
Sobranceria  Jr. 48:29 Orgulho, altivez
Sujidades  Jd. 13 Sujeiras, imundícies
Talante  Sl. 105:22 Desejo, vontade
Trasfegadores  Jr. 48:12 Transfegar =
Despejar de uma vasilha em outra.
Vagalhões  Êx. 15:5, 8; Grandes ondas
 Sl. 93:4
Varejar  Is. 24:13 Bater com vara para fazer cair os frutos
Viandante  Jó 31:32; Viajante
 Jr. 14:8
Vileza  Sl. 12:8 Baixeza, mesquinhez
Vindita  II Co. 7:11 Castigo

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.28

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
Vitupério  Hb. 13:13 Insulto, zombaria, desonra

 CONCLUSÃO

1. LEIA, LEIA, LEIA!


O passo mais importante no estudo efetivo é a leitura do texto. Isto deverá envolver pelo menos dois
tipos de leitura: a) Leitura geral do texto da Bíblia para tornar-se cada vez mais familiar com a mensagem
da Bíblia como um todo (um plano bom e prático é ler a Bíblia inteira pelo menos uma vez por ano), e b)
Leitura mais cuidadosa de textos específicos que você estiver estudando.

2. PROCURE ENTENDER O CONTEXTO.


Um dos erros mais comuns no estudo e ensino da Bíblia é tirar um versículo do seu contexto para
interpretá-lo de um modo que vai contra o significado do texto e contra o amplo contexto da Bíblia como
um todo. Se você estiver estudando um capítulo, olhe primeiro o livro onde foi encontrado.

Se estiver estudando um versículo, leia pelo menos o capítulo que o envolve. Muitos erros serão
evitados pela cuidadosa consideração do contexto em cada estudo. Ajuda no entendimento da Bíblia
procurar respostas para questões simples, tais como: Quem está falando a quem? Por quê? Quando e onde
tudo isto ocorreu?

3. OBSERVE QUE TIPO DE TEXTO VOCÊ ESTA ESTUDANDO.


É uma narrativa que relata uma parte da história da Bíblia? Está o autor desenvolvendo um
argumento para explicar ou refutar alguma doutrina? É uma profecia? Contém o texto mandamentos
específicos? É uma parábola? É parte do Novo Testamento (que se aplica nos dias de hoje) ou da velha lei
(que governava os judeus do Velho Testamento)?

4. ENTENDA AS PALAVRAS QUE VOCÊ ESTÁ ESTUDANDO.


Neste ponto, aquele dicionário da Bíblia ou outra tradução pode ser muito útil.

5. PROCURE AUXÍLIO EM OUTRAS PASSAGENS.


Muitos dos mais difíceis textos da Bíblia são esclarecidos por mais simples afirmações em relatos
paralelos ou similares. A Bíblia é o seu próprio e melhor comentário! Desde que verdade nunca contradiz
verdade, é nossa responsabilidade estudar diligentemente para reconciliar as discrepâncias aparentes.

6. FAÇA ANOTAÇÕES PESSOAIS.


Muitas pessoas acham muito úteis o uso de um caderno para anotar as observações sobre o texto,
perguntas que elas querem saber, etc. Mais leituras e estudo muitas vezes responderão a dúvidas ou
questões, por isso é bom ter anotações que você possa usar para aumentar o seu conhecimento. Lembre-se
de que a Bíblia nos dá o que necessitamos, mas nem tudo o que poderíamos querer.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.29

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
MATERIAIS QUE DEVEM EXISTIR NA BIBLIOTECA PARTICULAR DE UM BOM
AMANTE DA PALAVRA DE DEUS E ESTUDANTE DE TEOLOGIA E EXEGESE.

I. TEXTOS ORIGINAIS DA BIBLIA [22]


NOVUM TESTAMENTUM GRAECE (27A E DIÇÃO), NESTLE-ALAND (EDITORES), DEUTSCHE
BIBELGESLLSCHAFT STUTTGART , STUTTGART , 1993.
BIBLIA HEBRAICA STUTTGARTENSIA (2A EDIÇÃO), DEUTSCHE BIBELGESLLSCHAFT STUTTGART , STUTTGART ,
1984.
NOVO TESTAMENTO TRILINGÜE , (LUIZ ALBERTO T. SAYÃO, ED.), EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1998.

II. TRADUÇÕES E VERSÕES BÍBLICAS


AVR = ALMEIDA, (REVISADA), DE ACORDO COM OS MELHORES TEXTOS, IBB.
ACF = ALMEIDA CORRIGIDA FIEL, DA SBT [O TEXTO GREGO NO QUAL A TRADUÇÃO DO NOVO TESTAMENTO SE
APÓIA, É O TEXTO RECEBIDO, OU SEJA , UM TEXTO INFERIOR AO USADO PELAS OUTRAS TRADUÇÕES MODERNAS ].
BLH = BÍBLIA NA LINGUAGEM DE HOJE , SBB. (1973)
BJ = BÍBLIA DE JERUSALÉM, (CATÓLICA). ED. PAULUS
TEB = TRADUÇÃO ECUMÊNICA DA BÍBLIA, EP & LOYOLA (CATÓLICA).
NVI = NOVA VERSÃO INTERNACIONAL.
VFL = VERSÃO FÁCIL DE LER (NT).
TNM - TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO DAS ESCITURAS SAGRADAS - ED. REFERÊNCIAS (1986), STV
KIT - TRADUÇÃO INTELINEAR DO REINO DAS ESCRITURAS G REGAS CRISTÃS (1969, ED. 1985), STV
MC - BIBLIA SAGRADA, MISSIONÁRIOS CAPUCHINHOS, DIFUSORA BIBLICA
KJV - VERSÃO REI JAIME (1611, IMPRESSÃO DE 1942)
AAB - THE AMPLIFIED BIBLE (1965), CASA PUBLIC. ZONDERVAN
AAT - AN AMERICAN TRANSLATION (1935, IMPRESSÃO 1951), J. M. POWIS SMITH E EDGAR J. GOODSPEED
ALA - TRADUÇÃO JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA, ED. ATUALIZADA
ACF - TRADUÇÃO JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA, ED. CORRIGIDA E FIEL
ARA - TRADUÇÃO JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA, ED. REVISTA E ATUALIZADA
ARA 2A ED . = ALMEIDA, REVISTA E ATUALIZADA, SEGUNDA EDIÇÃO, SBB. [SUBSTITUI A ARA]
ARC 2A ED = ALMEIDA, REVISTA E CORRIGIDA, SEGUNDA EDIÇÃO, SBB. [SUBSTITUI A ARC]
ACR - TRADUÇÃO JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA, ED. CORRIGIDA E REVISTA
EBR - THE EMPHASISED BIBLE (1897), JOSEPH B. ROTHERHAM
ACR - TRADUÇÃO JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA, ED. CORRIGIDA E REVISTA
EBR - THE EMPHASISED BIBLE (1897), JOSEPH B. ROTHERHAM
FIG - BÍBLIA SAGRADA (1968), PE. ANTÓNIO PEREIRA FIGUEIREDO
MSO - BÍBLIA SAGRADA, 36.ª EDIÇÃO (1980), PE. MATOS SOARES
EMD - THE EMPHATIC DIAGLOTT (1864, IMPRESSÃO 1941), BENJAMIN WILSON
ERV - ENGLISH REVISED VERSION
ASV - AMERICAN STANDART VERSION
BHS - BÍBLIA HEBRAICA DE STUTTGARTENSIA
BHK - BÍBLIA HEBRAICA DE KITTEL
H&W - N OVO TESTAMENTO HORT & WESTSCOTT (1881)
LXX - SEPTUAGINTA GREGA

22 - O S ITENS APRESENTADOS AQUI SEGUEM AS SUGESTÕES DO "A PÊNDICE II" DO LIVRO “D O T EXTO À PARÁFRASE : COMO E STUDAR A B ÍBLIA ”, DE B RYAN JAY B OST & Á LVARO CÉSAR PESTANA
(SÃO PAULO , E D. VIDA CRISTÃ , 1992) EXCETO OS INDICADOS COM UM ASTERISCO (*) QUE FORAM ACRESCIDOS PELO COMPILADOR E REVISOR DESTA OBRA .

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.30

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
LXX BAGSTER - SEPTUAGINTA GREGA
LXX THOMSON - SEPTUAGINTA GREGA
VGL OU VG - VULGATA LATINA
HCSB - HOLMAN CHRISTIAN STANDARD BIBLE
NLT - NEW LIVING TRANSLATION

III. GRAMÁTICAS DAS LÍNGUAS ORIGINAIS E DA LÍNGUA PORTUGUESA


MURACHCO, HENRIQUE - LÍNGUA GREGA: VISÃO SEMÂNTICA, LÓGICA, ORGÂNICA E FUNCIONAL, PETRÓPOLIS &
SÃO PAULO, VOZES & DISCURSO EDITORIAL , 2001.
DOBSON, JOHN H. - APRENDA O GREGO DO NOVO TESTAMENTO, CPAD, RIO DE JANEIRO, 1994.
TAYLOR , WILLIAN CAREY - INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO NOVO TESTAMENTO GREGO, JUERP, RIO DE JANEIRO,
1948. [A IBR PUBLICOU REIMPRESSÃO]
G REENLEE , J. HAROLD - GRAMÁTICA EXEGÉTICA ABREVIADA DO GREGO NEOTESTAMENTÁRIO, JUERP, RIO DE
JANEIRO, 1973.
MURACHCO, HENRIQUE - LÍNGUA GREGA: VISÃO SEMÂNTICA, LÓGICA, ORGÂNICA E FUNCIONAL, PETRÓPOLIS &
SÃO PAULO, VOZES & DISCURSO EDITORIAL , 2001.
FRIBERG, B. & FRIBERG, T. - O NOVO TESTAMENTO G REGO ANALÍTICO, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO,
1987.
MENDES, PAULO - NOÇÕES DE HEBRAICO BÍBLICO, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1981.
KERR, GUILHERME - GRAMÁTICA ELEMENTAR DA LÍNGUA HEBRAICA, JUERP, RIO DE JANEIRO, 1979 (ED.
REVISADA).
HENRIQUE G. MURACHCO - LÍNGUA GREGA: VISÃO SEMÂNTICA, LÓGICA, ORGÂNICA E FUNCIONAL , PETRÓPOLIS
& SÃO PAULO, VOZES & DISCURSO EDITORIAL, 2001.

NOTA: AJUDAS AO ESTUDO DE VOCABULÁRIO:


MITCHEL, LARRY A. - ESTUDOS DO VOCABULÁRIO DO ANTIGO TESTAMENTO, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO,
1996.
METZGER, BRUCE M. & PINTO, CARLOS OSVALDO - ESTUDOS DO VOCABULÁRIO DO NOVO TESTAMENTO,
EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1996.

IV. CONCORDÂNCIAS BÍBLICAS


CONCORDÂNCIA BÍBLICA, DA SBB. (EM PORTUGUÊS - BASEADA NA ARA)
CONCORDÂNCIA FIEL DO NOVO TESTAMENTO, (DOIS V OLUMES: VOL 1, G REGO-PORTUGUÊS; VOL 2,
PORTUGUÊS-GREGO), EDITORA FIEL, SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, 1995 E 1998.
CONCORDÂNCIA BÍBLICA EXAUSTIVA, (GILMER, JACOBS, VILELA, ED - EM PORTUGUÊS - BASEADA NA ACF)

V. SINOPSES
KAYSER , ILSON - SINOPSE DOS TRÊS PRIMEIROS EVANGELHOS, EDITORA SINODAL, SÃO LEOPOLDO, 1986.

VI. LÉXICOS
G INGRICH, F. W. & DANKER, F. W. - LÉXICO DO NOVO TESTAMENTO G REGO PORTUGUÊS, EDIÇÕES VIDA NOVA,
SÃO PAULO, 1984.
SCHÖKEL , LUIS ALONSO - DICIONÁRIO BÍBLICO HEBRAICO-PORTUGUÊS (DICCIONARIO BÍBLICO HEBREO-ESPAÑOL,
MADRID , EDITORIAL TROTTA, 1994, TRAD. IVO STORNIOLO, JOSÉ BORTOLINI), PAULUS, SÃO PAULO, 1997.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.31

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
KIRST , N. E OUTROS - DICIONÁRIO HEBRAICO-PORTUGUÊS & ARAMAICO-PORTUGUÊS, EDITORA SINODAL &
EDITORA VOZES, SÃO LEOPOLDO & PETRÓPOLIS, 1988.

VII. DICIONÁRIOS BÍBLICOS


DOUGLAS, J. D. (ED.) - O NOVO DICIONÁRIO DA BÍBLIA, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1966.
BROWN, C. (ED.) - O NOVO DICIONÁRIO INTERNACIONAL DE TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO, EDIÇÕES VIDA
NOVA, SÃO PAULO, 1981-83.
HARRIS, R. LAIRD , ARCHER JR, GLEASON L. & WALTKE , BRUCE K. (ED.S) - DICIONÁRIO INTERNACIONAL DE
TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1998.

VIII. DICIONÁRIOS DA LÍNGUA PORTUGUESA


BUARQUE DE HOLLANDA, AURÉLIO - DICIONÁRIO AURÉLIO, NOVA FRONTEIRA.
MICHAELIS: MODERNO DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA, SÃO PAULO, MELHORAMENTOS, 1998.

IX. COMENTÁRIOS BÍBLICOS


RIENECKER , FRITZ & ROGERS, CLEON - CHAVE LINGÜÍSTICA DO NOVO TESTAMENTO GREGO, EDIÇÕES VIDA
NOVA, SÃO PAULO, 1985.

RECOMENDA-SE:
1. EM PRIMEIRO LUGAR TODOS OS PUBLICADOS PELA EDITORA VIDA CRISTÃ, QUE ABRANGEM OS LIVROS DE : MC
LC JO AT (2X) RM 1CO 2CO EF FP CL 1,2TM&TT HB(2X ) TG(2X) AP.
2. RECOMENDA-SE A "SÉRIE CULTURA BÍBLICA" DAS EDIÇÕES VIDA NOVA & MUNDO CRISTÃO, EXCETO O
COMENTÁRIO DE APOCALIPSE DE G.E.L ADD .
3. RECOMENDA-SE O “NOVO COMENTÁRIO BÍBLICO CONTEMPORÂNEO” DA EDITORA VIDA, [CUIDADO COM O
FEMINISTA -CARISMÁTICO G. D. FEE EM 1&2 TM, TT ].

X. INTRODUÇÃO BÍBLICA
PENNISI, JONH LOUIS - ESBOÇO DO VELHO TESTAMENTO, IEB, SÃO PAULO (A SER REEDITADA PELA EDITORA VIDA
CRISTÃ, SÃO PAULO)
ARCHER JR, GLEASON L. - MEREÇE CONFIANÇA O ANTIGO TESTAMENTO - EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO,
1974.
CARSON, DONALD , MOO, DOUGLAS J., & MORRIS, LEON - INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO - EDIÇÕES VIDA
NOVA, SÃO PAULO, 1997.
LASOR , WILLIAN SANFORD , HUBBARD , DAVID A. & BUCH, FREDERIC W. - INTRODUÇÃO AO ANTIGO
TESTAMENTO, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1999.
HÖRSTER, GERHARD - INTRODUÇÃO E SÍNTESE DO NOVO TESTAMENTO - EDITORA EVANGÉLICA ESPERANÇA,
CURITIBA, 1996.
TENNEY , MERRILL C. - O NOVO TESTAMENTO, SUA ORIGEM E ANÁLISE , EDIÇÕES VIDA NOVA, 1960.

XI. TEOLOGIA BÍBLICA


OLBRICHT , THOMAS H. - ELE AMA PARA SEMPRE - A MENSAGEM DO VELHO TESTAMENTO, EDITORA VIDA
CRISTÃ, SÃO PAULO, 1986.
WHARTON, EDWARD C. - REDENÇÃO, EDITORA VIDA CRISTÃ, SÃO PAULO, 1978.
G ILPATRICK, TESTON - A MISSÃO DE DEUS, EDITORA VIDA CRISTÃ, SÃO PAULO, 1983.
HOUSE , H. WAYNE - TEOLOGIA CRISTÃ EM QUADROS, EDITORA VIDA, SÃO PAULO, 1999.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.32

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE

XII. TEMPOS BÍBLICOS


DANIEL-ROPS, HENRY - A VIDA DIÁRIA NOS TEMPOS DE JESUS, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1983.
PACKER , J.I. & TENNEY , M.C. & WHITE JR, W. - VIDA COTIDIANA NOS TEMPOS BÍBLICOS, EDITORA VIDA, SÃO
PAULO, 1984.
PACKER , J.I. & TENNEY , M.C. & WHITE JR, W. - O MUNDO DO ANTIGO TESTAMENTO, EDITORA VIDA, SÃO
PAULO, 1988.
PACKER , J.I. & TENNEY , M.C. & WHITE JR, W. - O MUNDO DO NOVO TESTAMENTO, EDITORA VIDA, SP, 1988.
CONNOLLY , PETER - A VIDA NO TEMPO DE JESUS DE NAZARÉ , EDITORIAL VERBO, LISBOA/SÃO PAULO, 1988

XIII. GEOGRAFIA, HISTÓRIA E ARQUEOLOGIA BÍBLICA


DOWLEY , TIM - ATLAS VIDA NOVA DA BÍBLIA E DA HISTÓRIA DO CRISTIANISMO, ED VIDA NOVA, SP, 1998.
MONEY , NETTA KEMP DE - GEOGRAFIA HISTÓRICA DO MUNDO BÍBLICO, EDITORA VIDA, SÃO PAULO, 1977.
G ALBIATI, ENRICO RODOLFO & ALETTI, ALDO - ATLAS HISTÓRICO DA BÍBLIA E DO ANTIGO ORIENTE , EDITORA
VOZES, PETRÓPOLIS, 1991. (LIBERAL )
VÁRIOS - ATLAS DA BÍBLIA, EDIÇÕES PAULINAS, SÃO PAULO, 1986.
VÁRIOS - GUIA DE LEITURA AOS MAPAS DA BÍBLIA, EDIÇÕES PAULINAS, SÃO PAULO, 1987.
DOWLEY , TIM - PEQUENO ATLAS BÍBLICO, EDITORA MUNDO CRISTÃO, SÃO PAULO, 1992.
SCHULTZ , SAMUEL J. - A HISTÓRIA DE ISRAEL, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1977.
UNGER, MERRIL F. - ARQUEOLOGIA DO VELHO TESTAMENTO, IMPRENSA BATISTA REGULAR, SÃO PAULO, 1980.
MILLARD , ALLAN - DESCOBERTAS DOS TEMPOS BÍBLICOS, EDITORA VIDA, SÃO PAULO, 1999.
(*) HISTÓRIA DOS HEBREUS, JOSEFO, FLÁVIO - CPAD, RIO DE JANEIRO, 1990 [DESDE 1992 EM UM VOLUME ]

XIV. HISTÓRIA DA BÍBLIA


BITTENCOURT , B. P. - O NOVO TESTAMENTO - CÂNON, LÍNGUA E TEXTO, ASTE, SÃO PAULO, 1965.
BRUCE , F. F. - MERECE CONFIANÇA O NOVO TESTAMENTO?, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1965.
PAROSCHI, WILSON - CRÍTICA TEXTUAL DO NOVO TESTAMENTO, ED. VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1993.
CONFORT , PHILIP WESLEY (ED.) - A ORIGEM DA BÍBLIA, CPAD, RIO DE JANEIRO, 1998.
G EISLER, NORMAN & NIX, WILLIAN, INTRODUÇÃO BÍBLICA, EDITORA VIDA, SÃO PAULO, 1997

XV. HISTORIA DA IGREJA E DAS DOUTRINAS


EUSÉBIO DE CESARÉIA - HISTÓRIA ECLESIÁSTICA, ED. NOVO SÉCULO, SÃO PAULO, 1999
(*) WALKER, WILLISTON - HISTÓRIA DA IGREJA CRISTÃ, VOLS. 1 E 2 ASTE, SÃO PAULO, 1967.
[A EDITORA JUERP EDITOU OS DOIS VOLUMES JUNTOS]
BETTENSON , H. - DOCUMENTOS DA IGREJA CRISTÃ, ASTE, SÃO PAULO, 1967 [HÁ UMA NOVA EDIÇÃO].
ELWELL, W. A. - ENCICLOPÉDIA HISTÓRICO-TEOLÓGICA DA IGREJA CRISTÃ, EDIÇÕES VIDA NOVA, 1988-90.
KELLY , J. N. D. - DOUTRINAS CENTRAIS DA FÉ CRISTÃ: ORIGEM E DESENVOLVIMENTO, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO
PAULO, 1993.
LANE , TONY - PENSAMENTO CRISTÃO (VOLUMES 1 E 2), ABBA PRESS, SÃO PAULO, 1999.

XVI. LIVROS SOBRE EXEGESE E HERMENÊUTICA


(*) E. LUND E P.C NELSON - HERMENÊUTICA - REGRAS DE I NTERPRETAÇÃO DAS SAGRADAS ESCRITURAS –
EDITORA VIDA 1968, MIAMI, FLORIDA 33167 – E.U.A.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.33

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
BOST , BRYAN JAY & PESTANA, ÁLVARO CÉSAR - DO TEXTO À PARÁFRASE : COMO ESTUDAR A BÍBLIA, EDITORA
VIDA CRISTÃ, SÃO PAULO, 1992.
FEE , GORDON D. & STUART , DOUGLAS - ENTENDES O QUE LÊS? UM GUIA PARA ENTENDER A BÍBLIA COM O
AUXILIO DA EXEGESE E DA HERMENÊUTICA , EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1984.
BERKHOF, LOUIS - PRINCÍPIOS DE INTERPRETAÇÃO BÍBLICA, JUERP, RIO DE JANEIRO, 1981
TENNEY , MERRIL C. - GÁLATAS, ESCRITURA DA LIBERDADE CRISTÃ, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1967.
(*) HENRY A. VIRKLER - HERMENÊUTICA AVANÇADA, PRINCÍPIOS E PROCESSOS DE INTERPRETAÇÃO BÍBLICA,
EDITORA VIDA, SÃO PAULO, 2001
(*) ROBERT H. STEIN - GUIA BÁSICO PARA A INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA, CPAD, RIO DE JANEIRO, 1995
(*) ESDRAS COSTA BENTO - HERMENÊUTICA FÁCIL E DESCOMPLICADA , CPAD, RIO DE JANEIRO, 2003
(*) DAVID S. DOCKERY - HERMENÊUTICA CONTEMPORÂNEA Á LUZ DA IGREJA PRIMITIVA , ED. VIDA, 2001, SP
(*) RICK WARREN – 12 MANEIRAS DE ESTUDAR A BÍBLIA SOZINHO, EDITORA VIDA, 2001
(*) KEVIN VANHOOZER – HÁ UM SIGNIFICADO NESTE TEXTO? ED. VIDA ACADÊMICA, 2005

XVII. LIVROS SOBRE COMUNICAÇÃO E MINISTÉRIO


NORTH, STAFFORD - PREGAÇÃO, HOMEM E MÉTODO, EDITORA VIDA CRISTÃ, SÃO PAULO, (1982).
ROBINSON , HADDON W. - A PREGAÇÃO BÍBLICA: O DESENVOLVIMENTO E A ENTREGA DE SERMÕES EXPOSITIVOS,
EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO PAULO, 1983.
LIEFELD , WALTER L. - EXPOSIÇÃO DO NOVO TESTAMENTO - DO TEXTO AO SERMÃO, EDIÇÕES VIDA NOVA, SÃO
PAULO, 1985.
BOST , BRYAN JAY - O OBREIRO APROVADO: O MINISTÉRIO DO SERVO BOM E FIEL, ED. VIDA CRISTÃ, S.P, 1998.

XVIII. REVISTAS E PERIÓDICOS


REVISTA EDIFICAÇÃO - PROJETO ALCANCE , EDITOR: RANDAL MATHENY , SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, SP [REVISTA
MENSAL]
(*) REVISTA ATOS DA WORLD MAP – EDITORES: FRANK & WENDY PARRISH.
MULHER CRISTÃ - EDITORA VIDA CRISTÃ, SÃO PAULO, SP [REVISTA TRIMESTRAL]

XIX. PROGRAMAS PARA COMPUTADOR


BÍBLIA ON LINE 2.01 CD-ROM DA SBB (2000)

BAIXE AQUI  EDITOR DE SERMÕES – PROGRAMA QUE AUXILIA NA CONFECÇÃO ESTRUTURAL DE UM


SERMÃO.[23]

“E leram no livro, na lei de Deus; e declarando, e explicando o sentido, faziam que, lendo, se
entendesse.”
 Ne. 8.8

“E correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías, e disse: Entendes tu o que lês? E ele disse:
Como poderei entender, se alguém não me ensinar?”
 At. 8:30-31

Faça conosco o seu curso teológico. Acesse o site: www.ietev.com.br

23 - E STA APOSTILA FOI ELABORADA A PARTIR DOS SEGUINTES LIVROS : “H ERMENÊUTICA - R EGRAS DE I NTERPRETAÇÃO DAS SAGRADAS E SCRITURAS ” DE E.LUND E P.C NELSON, E DITORA VIDA ,
“I NTRODUÇÃO À H ERMENÊUTICA BÍBLICA ” - DE W ALTER C. K AISER , JR . E M OISÉS SILVA , “DO T EXTO À PARÁFRASE : COMO E STUDAR A B ÍBLIA ” - DE B RYAN JAY . B OST & Á LVARO CÉSAR PESTANA ,
E DITORA VIDA CRISTÃ “LENDO A B ÍBLIA COM O CORAÇÃO E A M ENTE ”, - DE T REMPER LONGMAN III DA E DITORA CULTURA CRISTÃ , DENTRE OUTROS CUJA REFERÊNCIAS ESTÃO NAS NOTAS DE RODAPÉS.

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.34

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
CURRICULUM ECLESIÁSTICO, FORMAÇÃO PSICANALÍTICA E TEOLÓGICA
FORMAÇÃO TEOLÓGICA E FILIAÇÃO:
 CAPELÃO PELA ESCOLA INTERNACIONAL DE MINISTÉRIOS – ESTEM BRASIL, MG.
 CAPELÃO PELA FACULDADE DE TEOLOGIA SEPHER ELOAH – FATESE, DF.
 BÁSICA EM TEOLOGIA – STPLM – BRASÍLIA, DF.
 MÉDIO E BACHAREL EM TEOLOGIA BÍBLICA PELO ITCEU – BA.
 BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO ECLESIÁSTICA – FATEFINA (EAD).
.BACHAREL EM TEOLOGIA PASTORAL – PELA FACULDADE DE TEOLOGIA EL SHADAI.
.CURSO DE ESCATOLOGIA BÍBLICA PELA CPAD.
 BACHAREL EM MISSIOLOGIA – SEMINÁRIO INTERDENOMINACIONAL TEOLÓGICA KERIGMA DIDACHÉ
.JUIZ DE PAZ ECLESIÁSTICO – PELA FILEMOM ESCOLA SUPERIOR DE TEOLOGIA.
.PÓS-GRADUANDO EM PSICANÁLISE CLÍNICA PELA FACULDADE DE TEOLOGIA EL SHADAI.
.PÓS-GRADUANDO EM CAPELANIA CRISTÃ – PELA FACULDADE DE TEOLOGIA EL SHADAI.
 PÓS-GRADUANDO EM TEOLOGIA – PELO INSTITUTO DE TEOLOGIA LOGOS.
 LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO – PELO INSTITUTO DE TEOLOGIA LOGOS.
 CAPACITAÇÃO MISSIONÁRIA – AMME EVANGELIZAR – POÇOS DE CALDAS – MG, 2005.
 CURSOU OS 38 ESTUDOS DO INSTITUTO BÍBLICO BERÉIA – RJ.
 TEOLOGIA EM CLÍNICA PASTORAL – ESCOLA DE TEOLOGIA RHEMA – ESTER
 TEOLOGIA EM CLÍNICA PASTORAL PELA THEOLOGIA ONLINE OPEN UNIVERSITY.
 INTRODUÇÃO À MISSÕES – ESCOLA DE TEOLOGIA RHEMA – ESTER.
 INTRODUÇÃO Á FORMAÇÃO PASTORAL – ESCOLA DE TEOLOGIA RHEMA – ESTER.
 CURSO DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE OBREIROS – CFCO – ASSEMBLÉIA DE DEUS – BA.
 CAPACITAÇÃO PASTORAL PELA SEPAL, IGREJA BATISTA PENIEL – BA.
 MEMBRO DA ORDEM DE TEÓLOGOS E PASTORES DO BRASIL – OTPB, 2010/14.
 MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO BRASIL – CPB, 2010/14.
.FILIADO AO CFJE – CONSELHO FEDERAL DE JUÍZES ECLESIÁSTICOS BRASIL – 2013/14.
 2º VICE-PRESIDENTE DO CONSELHO DE TEÓLOGOS DE VITÓRIA DA CONQUISTA – CTVC. – 2013/15
EXPERIÊNCIA COM RÁDIO:
 APRESENTADOR DO PROGRAMA NOVAS DE ALEGRIA – RÁDIO CLUBE DE CONQUISTA – AM.
 APRESENTADOR DO PROGRAMA NOVAS DE ALEGRIA – RÁDIO MELODIA CONQUISTA – 87,9 FM.
PARTICIPA COMO DEBATEDOR
 RÁDIO MELODIA CONQUISTA – 87,9 FM.
PALESTRANTE NOS SEGUINTES ASSUNTOS:
 RELACIONAMENTOS – NAMORO, NOIVADO, CASAMENTO E SEXUALIDADE Á LUZ DA BÍBLIA.
 GUERRA ESPIRITUAL – “O CORAÇÃO DO HOMEM”, O CAMPO DE BATALHA ONDE TUDO COMEÇA.
CARGOS, FUNÇÕES E ATIVIDADES DESEMPENHADAS:
 FUNDADOR DO DEPMAD - DEPARTAMENTO DE MISSÕES DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS – BA.
 PROFESSOR DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL – ASSEMBLÉIA DE DEUS – 1997 A 2010 – BA.
.PROFESSOR DO INSTITUTO TEOLÓGICO NO CENTRO EVANGELÍSTICO URBANO – ITCEU, 2005/08.
 PROFESSOR DO INSTITUTO TEOLÓGICO QUADRANGULAR – ITQ, – 2012/14 – BA.
 PROFESSOR DA ESCOLA TEOLÓGICA EL SHADDAI – ETES, ASSEMBLÉIA DE DEUS – 2010 – BA.
.SECRETÁRIO E PROFESSOR DA EXTENSÃO DA ESCOLA TEOLÓGICA DO MINISTÉRIO DE SANTO AMARO –
ETEMISA, ASSEMBLÉIA DE DEUS – 2010 – BA.
 PROFESSOR DA ESCOLA DE PREGADORES AVIVAMENTO PLENO – EPAV, – 2015/17 – BA.
 PROFESSOR DA FORMAÇÃO TEOLÓGICA BRASILEIRA – FATEB, ASSEMBLÉIA DE DEUS – 2016/17 – BA.
.DIRETOR PRESIDENTE DO IETEV – INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA.
QUEM SOU EU MESMO? NINGUÉM!!! APENAS SERVO E NADA MAIS...
www.ietev.com.br
matriculas_ietev@yahoo.com.br
institutodeteologiaevangelica@gmail.com
(77) [OI] 98827-7591 / [CLARO] 98102-4395 / [TIM] 99120-7074

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.35

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO
HERMENÊUTICA – DO TEXTO AO CONTEXTO À PARÁFRASE
APRESENTAÇÃO

ATENÇÃO: Algumas matérias que aparecem com o mesmo nome em cursos diferentes (BÁSICO, MÉDIO
E BACHARELADO EM TEOLOGIA), poderão corresponder aos mesmos assuntos, com ou sem
significativas alterações de conteúdo. O aluno que fizer conosco o curso teológico desde o básico,
estará automaticamente dispensado das matérias repetidas, obtendo a nota correspondente a tal
matéria do curso anterior.

ESTA APOSTILA INTEGRA O GRUPO DAS 50 DISCIPLINAS DO CURSO LIVRE BACHARELADO EM TEOLOGIA DO
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA NOS MÓDULOS POR EXTENSÃO, CORRESPONDÊNCIA E DIGITAL
DISTANCE LEARNING (EAD).

O IETEV - INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA TEM POR OBJETIVO, OFERECER FORMAÇÃO
BÁSICA, MÉDIO, BACHAREL, E OUTROS CURSOS EM TEOLOGIA AOS EVANGÉLICOS, PRINCIPALMENTE ÀQUELES QUE NÃO
PODEM, POR MOTIVOS DIVERSOS, FREQÜENTAR UM CURSO REGULAR DE TEOLOGIA. AS APOSTILAS DESTE CURSO SÃO
ELABORADAS COM PROFUNDA BASE BÍBLICA, SENDO PESQUISADAS DIVERSAS OBRAS SELECIONADAS DE TEÓLOGOS
RENOMADOS E DE GRANDE ACEITAÇÃO PELO PÚBLICO EVANGÉLICA, SEMINÁRIOS E FACULDADES DE TEOLOGIA.

O
CURSO DE BACHARELADO EM PSICOLOGIA PASTORAL TEM A DURAÇÃO DE 50 MESES E ABRANGE AS SEGUINTES
MATÉRIAS TEOLÓGICAS: (O ALUNO PODE FAZER ATÉ 3 MÓDULOS AO MÊS NO CASO EAD) THEOLOGIA - OPEN UNIVERSITY .

01 - ACONSELHAMENTO PSICOLÓGICO A DEPENDENTES QUÍMICOS 26 - NEUROSES E PSICOSES CONFLITOS


02 - ACONSELHAMENTO DE IDOSOS 27 - PSICANÁLISE E RELIGIÃO
03 - ACONSELHAMENTO PASTORAL 28 - PSICANÁLISE SOCIAL
04 - ACONSELHAMENTO PSICOLÓGICO E PSICOTERAPIA 29 - PSICANÁLISE INTUITIVA
05 - ANTROPOLOGIA CULTURAL 30 - PSICANÁLISE QUÂNTICA
06 - ANTROPOLOGIA DAS RELIGIÕES 31 - PSICOGÊNESE DA RELIGIÃO
07 - ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA 32 - PSICOLOGIA CRISTÃ
08 - ANTROPOLOGIA GERAL 33 - PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO
09 - ANTROPOLOGIA MISSIONÁRIA 34 - PSICOLOGIA E RELIGIÃO
10 - ANTROPOLOGIA 35 - PSICOLOGIA GERAL
11 - AS SETE ESCOLAS DA PSICANALISE 36 - PSICOLOGIA PASTORAL
12 - DIDÁTICA DO ENSINO SUPERIOR 37 - PSICOPATOLOGIA
13 - EPISTEMOLOGIA 38 - PSICOPEDAGOGIA
14 - ÉTICA CRISTÃ MINISTERIAL 39 - SOCIOLOGIA DA RELIGIÃO
15 - FENOMENOLOGIA DA RELIGIÃO 40 - TEOLOGIA CONTEMPORÂNEA
16 - FENOMENOLOGIA 41 - TEOLOGIA MORAL
17 - FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO 42 - TEOLOGIA PASTORAL
18 - FILOSOFIA DA RELIGIÃO 43 - TEORIA DO ACONSELHAMENTO
19 - FREUD E A FILOSOFIA 44 - TEORIA E CLINICA PSICANALITICA DE SIGMUND FREUD
20 - FUNDAMENTOS DA PSICANALISE DE FREUD A LACAN 45 - TEORIA PSICANALITICA DE MELAINE KLEIN
21 - HISTORIA DO MOVIMENTO PSICANALITICO 46 - TEORIA PSICANALÍTICA FREUDIANA
22 - HISTORIA DO PSICODIAGNOSTICO 47 - TEOTERAPIA
23 - METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA 48 - TERAPIA JUNGUIANA
24 - NEUROLOGIA 49 - TERAPIA LACANIANA
25 - NEUROSES E PSICOSES 50 - TOXICOLOGIA GERAL

IETEV
INSTITUTO EDUCACIONAL DE TEOLOGIA EVANGÉLICA BACHARELADO - p.36

PREPARANDO OS SANTOS PARA


“PREPARANDO OS SANTOS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO”
O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO