Você está na página 1de 12

Inserir Título

Psicologia Aqui
na Engenharia
Inserir Título Aqui
de Segurança, Comunicação
e Treinamentos
A Psicologia e o Ambiente de Trabalho

Responsável pelo Conteúdo:


Prof. Ms. Bruno Ramalho Furlan

Revisão Textual:
Profa. Esp. Kelciane Campos
A Psicologia e o Ambiente de Trabalho

Nesta unidade, trabalharemos os seguintes tópicos:


• O que é Psicologia?
• História da Psicologia e a Psicologia Ocupacional
e do Trabalho
• A Psicologia do Trabalho

Fonte: iStock/Getty Images


• O Estresse Ocupacional: Dimensão Fisiológica,
Cognitiva, Emocional e Psicossocial

Objetivos
• Esta unidade visa apresentar alguns conceitos de psicologia e psicologia do trabalho e
apresentar os conceitos de estresse laboral e síndrome de burnout.

Caro(a) aluno(a),

Nesta unidade, abordaremos os conceitos de psicologia e psicologia ocupacional ou do


trabalho, apresentando um breve histórico do estudo destas áreas de conhecimento.
Também abordaremos os conceitos de estresse laboral ou ocupacional e suas
características, como é o caso da dimensão fisiológica, cognitiva, emocional e psicossocial,
que influenciam na ocorrência desse tipo de estresse. Por fim, apresentaremos o conceito
de Síndrome de Burnout e explicaremos suas características.
UNIDADE
A Psicologia e o Ambiente de Trabalho

O Que é Psicologia?
Muito se fala sobre o termo psicologia, mas muito pouco se entende sobre esse
termo. Muitas vezes quando um vendedor tenta lhe vender um produto ou um político
tenta convencer você a votar nele, dizemos que ele está usando de “psicologia” para
convencer você. Mas essa não é a psicologia utilizada pelos psicólogos, esta é chamada
de psicologia científica.

Mas, então, o que a psicologia estuda? Esta área do conhecimento tem como principal
assunto o homem e como ele se expressa, seja de maneira visível, pelo comportamento, ou
não visível, pelos sentimentos. Todas estas expressões do ser humano são representadas
pela subjetividade, que é desenvolvida a partir das vivências de cada ser humano. Dentro
da subjetividade há uma série de ideias, conhecimentos e significados que cada ser humano
tem. Assim, a subjetividade define a forma como cada indivíduo lida com as diversas
interações sociais a partir dos conhecimentos adquiridos anteriormente.

História da Psicologia e a Psicologia


Ocupacional e do Trabalho
O termo psicologia vem do grego psyché, que significa alma, e de logos, que significa
razão. Assim, este termo é denominado de “estudo da alma”. Esta é uma das definições
mais antigas para a psicologia, onde a alma era considerada como a parte imaterial em
que ficavam os sentimentos do ser humano.

Mas o berço da psicologia moderna foi a Alemanha do final do século 19, onde
foi definido o objeto de estudo da psicologia, delimitado o seu campo de estudo
(diferenciando-a de outras áreas de conhecimento), e foram formulados métodos de
pesquisa e teorias. Assim, a psicologia pode se desenvolver e se diversificar, chegando a
diversas outras áreas do conhecimento.

Uma dessas áreas a ser estudada é o ambiente de trabalho e suas atividades, pois o
trabalho dá significado à existência do ser humano a partir do que ocorre no ambiente em
que este está inserido. No trabalho, o indivíduo pode se reconhecer e interagir com o outro,
construindo e desenvolvendo ideias, internalizando conceitos e trocando conhecimentos.

Os franceses foram os primeiros a estudar sobre a psicologia do trabalho, ao buscar


entender as causas e efeitos de fadiga no ambiente de trabalho. Assim, foram instituídos
testes psicológicos para selecionar pessoas possivelmente aptas para o trabalho. No
entanto, logo a psicologia do trabalho passou a abranger novos campos de conhecimento
e começou a considerar vários outros fatores que influem no ambiente de trabalho,
como a formação do trabalhador, a atividade realizada, a existência de plano de carreira,
passou a diversificar a sua atuação, ao estudar os diversos fatores que influenciam na
saúde mental no ambiente de trabalho.

6
A Psicologia do Trabalho
A psicologia do trabalho visa estudar a forma de organização do ambiente de trabalho
e a relação do trabalhador com este ambiente, considerando a sua personalidade, a
facilidade de aprendizado do trabalhador, além da interação e as diferenças entre os
outros indivíduos presentes no ambiente de trabalho.

A psicologia do trabalho deve se preocupar com a saúde de todos os ambientes


de trabalho, considerando que a saúde mental do trabalhador influencia na saúde
organizacional. Assim, esta área do conhecimento procura entender os fenômenos
psicológicos que ocorrem nestes locais, sem deixar de pensar na produtividade e na
qualidade do trabalho.

O Estresse Ocupacional: Dimensão Fisiológica,


Cognitiva, Emocional e Psicossocial
O estresse ocupacional ou laboral é o estresse gerado pela interação do indivíduo
com o ambiente de trabalho, este pode ser influenciado pela organização das condições
de trabalho da empresa na qual o trabalhador está inserido, pela atividade realizada pelo
trabalhador e por fatores próprios do trabalhador, como características pessoais, fatores
culturais, suas necessidades, experiências e sua percepção de mundo.

Para um melhor estudo desses fatores que possibilitam a ocorrência do estresse


ocupacional, estes são agrupados em dimensões com características semelhantes, que são:
»» Dimensão Fisiológica: está relacionada com fatores relacionados às condições físicas
do trabalhador (se ele tem ou está com alguma doença e se pratica exercícios físicos).
Nesse caso, a prática de exercícios regulares é um fator que diminui o estresse;

»» Dimensão Cognitiva: trata do processamento de informações feito pelo traba-


lhador e sua resposta a estas reações, que podem se traduzir na resposta a um
problema ou no aprendizado propriamente dito;

»» Dimensão Emocional: trata-se da autoestima do indivíduo, sua personalidade, e


se relaciona com a motivação do trabalhador para a execução de suas atividades;

»» Dimensão Psicossocial: trata da interação e da comunicação do trabalhador


no ambiente de trabalho. Dependendo do ambiente, este pode ser um fator que
aumente ou diminua o estresse.

7
7
UNIDADE
A Psicologia e o Ambiente de Trabalho

Burnout e Estresse Ocupacional


Uma das consequências do estresse ocupacional é o burnout ou Síndrome de burnout.

Embora sendo erroneamente apontado como um sinônimo de estresse ocupacional,


o burnout pode ser considerado como aquele que foi causado pelo contínuo não
tratamento e mitigação das condições de estresse laboral, sendo considerado uma
resposta a um estresse crônico desse tipo.

Esta síndrome causa um esgotamento diverso, que, de modo geral, interfere na vida
profissional do trabalhador e também em sua vida pessoal. De acordo com o Anexo I do
Decreto nº. 3.048, de 6 de maio de 1999, que aprova o Regulamento da Previdência
Social, o burnout, por ser uma forte alteração das faculdades mentais, pode causar
um afastamento ou até aposentadoria por invalidez, gerando custos para a empresa
contratante com encargos trabalhistas e com a substituição dos funcionários. Assim, a
psicologia do trabalho tem a sua importância ao procurar evitar esses casos.

8
Material Complementar
Indicações para saber mais sobre os assuntos abordados nesta Unidade:

 Livros
Estresse
Como atividade de aprofundamento desta unidade, recomendamos que você leia ainda o
capítulo 3 da Parte I (páginas 115 a 136) do Livro Estresse, de autoria de Maria Auxiliadora
de Almeida Cunha Arantes e Maria José Femenias Vieira, disponível na Biblioteca Virtual
Universitária. Este capítulo fala sobre a Síndrome de Burnout e é um interessante material
para um melhor conhecimento dessa síndrome.

Burnout - quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador


Outra leutura que vale a pena ser feita sobre o assunto é a do livro Burnout - quando
o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador, organizado por Ana Maria T. Benevides
Ferreira. Recomenda-se a leitura do capítulo 1 (páginas 13 a 20), que apresenta um
aprofundamento sobre os conceitos de estresse ocupacional.
Neste mesmo livro, recomenda-se também a leitura do Capitulo 2 (páginas 13 a 91), que
explica mais detalhadamente a síndrome, mostrando um histórico do estudo desta síndrome
e apresentando suas características de maneira mais detalhada.

 Vídeos
Síndrome de Burnout – previna-se
https://youtu.be/DnHN4Vm9_L4

9
9
UNIDADE
A Psicologia e o Ambiente de Trabalho

Referências
ABREU, K. L. et al. Estresse ocupacional e síndrome de burnout no exercício
profissional da psicologia. Psicologia: ciência e profissão, vol. 22, nº. 2, Brasília,
2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid
=S1414-98932002000200004>. Acesso em: 29 de setembro de 2016.

ARANTES, M. A.; ALMEIDA C.; VIEIRA, M. J. F. Estresse. 3 ed. São Paulo: Casa do
Psicólogo, 2010.

BENEVIDES-PEREIRA, A. M. T. (Org.). Burnout: quando o trabalho ameaça o bem-


-estar do trabalhador. 4 ed.. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

BOCK, A. M B. et al. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. São Paulo:


Saraiva. 2001.

PACHECO, P. Síndrome de burnout – previna-se. Disponível em: <https://www.


youtube.com/watch?v=DnHN4Vm9_L4>. Acesso em: 02 dez. 2016.

MIRANDA, A. B. P. O que é a psicologia do trabalho? 2013. Disponível em: <https://


psicologado.com/track/acc_click.php?ccid=6>. Acesso em: 02 dez. 2016.

REIS, A. L. P. P. Estresse e fatores psicossociais. Psicol. cienc. prof., vol. 30, nº. 4, Brasília,
dez. 2010. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932010000400004>.
Acesso em: 02 dez. 2016.

10