Você está na página 1de 7

Cia Máinas • Ediã Nº 102 • An IX - Nem 2010 • ISSN - 1676-0158

Maia de caa Nssa caa


  r
  a
  v
Opções para colher 18    i
   t
   l
  u
   C
  m
Comparativo inédito apresenta as características das seis colhedoras   e
  g
  a
   t
  n
 nan
 nanci
ciáv
ávei
eiss pelo
pelo prog
progra
rama
ma Mais
Mais Alim
Alimen
ento
toss do Gove
Govern
rnoo Fede
Federa
rall   o
   M
  :
  a
  p
  a
   C

Desaes Índice

Rodando por aí  04

Mecanização em forestas 06

Avaliação harvester  10

Produção de biodiesel 14

Semeadoras 16

Comparativo de colhedoras MDA 18

Rendimento de tratores 4x2 26

Empresas - SKF 30
Colhedoras de árvores Perdas na colheita
Conheça as máquinas que trabalham nas  Aval
 Avaliaç
iação
ão com oito
oito colh
colhedor
edoras
as mostra
mostra Ficha Técnica - Polvi Turbo 500 32
operações de corte e transporte de ores-
ores- quais os fatores que mais inuenciam nas
Perdas na colheita de soja 35
tas e qual a função de cada uma  perdas
 perdas na colh
colheit
eita
a de
de soja
soja
Coluna Estatística Máquinas 38
06 35

• Editor • Circulação  Assinatura anual (11 edições*): R$ 129,90


Gilvan Quevedo Simone Lopes
Ariani Baquini C (*10 edições mensais + 1 edição conjunta em Dez/Jan)
Números atrasados: R$ 15,00
• Redação Luciane Mendes  Assinatura Internacional:
Internacional:
Cultivar
Charles Echer US$ 130,00
Carolina Simões Silveira • Expedição Grupo Cultivar de Publicações Ltda. EUROS 110,00
www.revistacultivar.com.br
Edson Krause Por falta de espaço, não publicamos as referências bibliográficas citadas
• Revisão Direção pelos autores dos artigos que integram esta edição. Os interessados po-
dem solicitá-las à redação pelo e-mail: cultivar@revistacultivar.com
cultivar@revistacultivar.com.br.br
Aline Partzsch de Almeida • Impressão: Newton Peter
Kunde Indústrias Gráficas Ltda.
• Design Gráfico e Diagramação www.revistacultivar.com.br Os artigos em Cultivar não representam nenhum consenso. Não esperamos que
todos os leitores simpatizem ou concordem com o que encontrarem aqui. Muitos
Cristiano Ceia NOSSOS TELEFONES: (53) cultivar@revistacultivar.com.br irão, fatalmente, discordar. Mas todos os colaboradores serão mantidos. Eles foram
CNPJ : 02783227/0001-86 selecionados entre os melhores do país em cada área. A creditamos que podemos fazer
• GERAL • REDAÇÃO mais pelo entendimento dos assuntos quando expomos diferentes opiniões, para que
• Comercial 3028.2000 3028.2060
Insc. Est. 093/0309480
o leitor julgue. Não aceitamos a responsabilidade por conceitos emitidos nos artigos.
Pedro Batistin • ASSINATURAS • MARKETING Aceitamos, apenas, a responsabilidade por ter dado aos autores a oportunidade de
3028.2070 3028.2065 divulgar seus conhecimentos e expressar suas opiniões.
Sedeli Feijó
roDANDo por AÍ 

Colheitadeira MDA  Consolidação


A Massey Ferguson entregou sua primeira colheitadeira adquirida com A Kepler Weber segue navegando em bons
financiamento do programa Mais Alimentos ao produtor Rogerio Ca- mares. A empresa obteve lucro líquido de
xambu, do município de Seberi (RS). A MF 32 será usada para colher R$ 6,6 milhões no terceiro trimestre deste
trigo na região noroeste gaúcha na propriedade de Caxambu e de outros ano. Trata-se
Trata-se de um incremento de 436% em
produtores parceiros no financiamento da colhedora. Ela será usada, relação ao mesmo período do ano passado. A
ainda, para colher trigo da safra atual. margem bruta cresceu de 8% para 24%. Boa
parte do resultado decorre de expressivo au-
mento nas vendas. São as três causas aponta-
das: investimentos represados no ano anterior
pela crise econômica; safra recorde observada
neste ano; retomada dos níveis de preços das
commodities agrícolas. O diretor-presidente
da Kepler Weber, Anastácio Fernandes Filho,
afirmou que “o lucro acumulado de R$ 8,1
milhões em 2010 é fruto da busca contínua
da empresa pela excelência operacional. Em
paralelo, a Companhia se posicionou para
atender à demanda crescente por armazéns de
grãos e exigências redobradas do setor agrícola
por qualidade, prazos e inovação”.  Anastácio Fernandes Filho

Mercado externo
Colheitadeira MDA II Olivier Colas assumiu a vice-presi-
A New Holland vendeu em novembro sua primeira colheitadeira dência corporativa da Kepler We-
TC5070 financiada pelo programa Mais Alimentos. A colheitadeira ber. Entre seus desafios na função
foi adquirida pelos irmãos Haniel Bertholdo Kruger,
Kruger, Harlan Germano está o crescimento da empresa em
Kruger e Eliseu Anderson Kruger, de Alegria, no noroeste do Rio mercados externos. Haverá reforço
Grande do Sul. Os irmãos Kruger compraram a TC5070 cabinada na atuação na América Latina, con-
com transmissão hidrostática por R$ 290 mil, financiados em dez anos siderada boa pela companhia, e a
com juros de 2% ao ano. busca por oportunidades em países
da África, Oriente Médio e leste
europeu. Os novos negócios serão
gerados a partir de exportações do
Brasil ou de parcerias locais. Olivier
é formado pelo Institut d´Etudes
Politiques, de Paris. É francês e bra-
sileiro. Iniciou sua atuação no Brasil
em 1988, expatriado pelo Grupo
Saint-Gobain. Exerceu cargos de
diretoria em empresas como Shell
Brasil, Shell Marine Products e
Olivier Colas Coimex Trading.

50 anos
Para comemorar os 50 anos
de história, a Stara terá uma
extensa programação no início
de dezembro. Mais de 1,5
mil convidados do Brasil e
do exterior participarão de
palestras, trabalhos a cam-
Investimentos po, shows, lançamentos de
Tom Johnstone, produtos e inauguração de
CEO do Grupo
G rupo SKF
SK F, novo parque fabril. Além de
anunciou que a em- atender o mercado nacional,
presa fará no Brasil a Stara exporta para mais de
investimentos de 30 países.
R$ 13,5 milhões, na
unidade de Cajamar
(SP), para a fabrica- Nova concessionária
ção de rolamentos A Cooperativa dos Cafeicultores e Citricultores de São Paulo
de rodas automo- (Coopercitrus) inaugurou mais uma concessionária Valtra, desta
tivos HBU-2 com  vez no municí
mun icípio
pio de Monte
Mont e Azul
Azu l Paulista,
Paulis ta, onde será
ser á ofereci
ofe recido
do
ABS integrado. O aos produtores portfólio completo de serviços da AGCO. Recen-
início das operações temente, a concessionária Valtra Coopercitrus de Bebedouro, de
está previsto para São Paulo, conquistou o p rêmio Top Dealer Valtra 2009 como uma
2011. Tom Johnstone das dez melhores do Brasil.

04 Nem 2010 • www.eisac


www.eisacia.cm.
ia.cm.
 Visita Novo trator
A Semeato recebeu aproximadamente 40 alunos do Instituto Federal do Rio O coordenador do Pro-
Grande do Sul (IFRS), Campus Sertão, para uma visita técnica à fábrica de grama Mais Alimentos,
implemtnos. O treinamento foi ministrado pelo engenheiro agrônomo Edu- Francisco Hercilio Matos,
ardo Copetti, gerente de Desenvolvimento de Mercado/Produto. A parceria,  visitou a fábrica da Tramon-
destaca Copetti, permite que a escola utilize as máquinas da Semeato, de forma tini, em Venâncio Aires, no
que os alunos conheçam e trabalhem com tecnologia de ponta. Rio Grande do Sul, onde
homologou o novo trator
da empresa disponível para
financiamento pelo progra-
ma do MDA. O modelo terá
80cv, composto por 62% de
componentes nacionais. O
lançamento está previsto
para dezembro de 2010. Francisco Hercilio Matos (dir.)

Exposição
A SKF montou uma mini-exposição de produtos e serviços durante o anúncio
oficial, em São Paulo, do lançamento do Client Needs Analysis - Lubricaton
Prêmio Management (CNA-LM), que oferece aos usuários melhorias nos processos de
A Série de tratores MF 7100 lubrificação de seus ativos. Hilário Sinkoc, gerente de engenharia, explicou o fun-
foi agraciada com o Prêmio cionamento e esclareceu dúvidas a respeito dos produtos e serviços expostos.
Bornacini 2010, promovido
pela Associação dos Profis-
sionais em Design do Rio
Grande do Sul (Apdesign).
O prêmio foi entregue no
dia 5 de novembro. O de-
sign do projeto foi desenvol-
 vido pela Dom Design.
MECANIzAço
Divulgação

Colhedoras
de árvores

Desde os primeiros passos da


mecanização orestal no Brasil,
na década de 1960, a colheita
 orestal passou por diversas fases.
Com o avanço da mecanização
mecanização ee
difusão de novas tecnologias, as
máquinas de colheita continuam a
ser aprimoradas e estão se tornando
cada vez mais produtivas e ecientes

A té o final da década de 60, o setor indiretos (Silva e Valverde, 1997). Ocupa o tratores agrícolas autocarregáveis e os tratores
florestal era pouco expressivo dentro sétimo lugar entre os países com os maiores florestais arrastadores (skidders).
da economia brasileira, quando a plantios florestais, com povoamentos florestais
seguras de abastecimento. No entanto, com a o território nacional.
Na década de 80, vieram os tratores
indústria era incipiente e não possuía fontes comerciais distribuídos em praticamente todo florestais derrubadores-amontoadores ( feller-
 bunchers), montados em triciclos e as grades
criação da política governamental de incentivo A colheita de florestas plantadas é uma ati- desgalhadoras. Com a abertura das importações
fiscal, no final da década de 60, que incentivou a  vidade relativamente recente no Brasil. As má- em 1994, o aumento no custo da mão de obra,
implantação de florestas de rápido crescimento, quinas são, em sua maioria, adaptadas de outras a necessidade de executar o trabalho de forma
o setor tomou novo impulso. ou importadas. É uma atividade responsável por mais econômica, de se ter maior eficiência e
A concessão dos benefícios fiscais, associada representar, em alguns casos, mais de 50% do diminuição dos custos de produção, muitas
aos investimentos privados, propiciou ao setor custo total da madeira posta na indústria, daí empresas iniciaram a mecanização da colheita
florestal um crescimento significativo na área sua relevância para o setor florestal. de forma mais intensiva.
reflorestada. Na década de 90, o setor florestal A evolução da mecanização florestal
atingiu um considerável nível de produtividade HISTÓRICO NO BRASIL trouxe progressos para a colheita de madeira,
dos plantios, proporcionando a formação de No início das atividades de colheita de flo- tais como: máquinas com design ergonômico;
mão de obra especializada e o desenvolvimento restas plantadas no Brasil, o corte era realizado motosserras mais leves e com menos vibração
de novas tecnologias e máquinas. basicamente por machados e motosserras, com e ruído; máquinas com cabeçote de corte e
Atualmente, o setor florestal é de grande atividades de extração manuais. A moderniza- acumulador ( feller-buncher ); e máquinas com
interesse econômico para o Brasil, mantendo ção das operações de colheita florestal iniciou-se cabeçote de corte, acumulador e processador
cerca de seis milhões de hectares de florestas na década de 70, quando a indústria nacional ( harvester ), que deixam a madeira pronta para
plantadas e três milhões de hectares de florestas começou a produzir maquinário de portes leve e o carregamento.
nativas com plano de manejo, além de participar médio. Neste período, surgiram as motosserras O cenário atual da colheita é formado de
com 5% na formação do Produto Interno Bruto profissionais, os tratores agrícolas adaptados três divisões (Lima e Leite, 2008): as grandes
(PIB) e criar milhares de empregos diretos e com pinça hidráulica traseira (míni skidder ), os empresas, que dispõem de máquinas leves,

06 Nem 2010 • www.eisacia.cm.