Você está na página 1de 33

CFP – EPC

GRUPO 03
2018
1

EXERCÍCIOS PARA O PROVÃO improcedentes, remeterá os autos ao Procurador Geral


EPC GRUPO 03 - 2018 de Justiça que, uma vez insistindo no arquivamento,
o juiz não terá alternativa senão a de acatar a
manifestação.
FUNDAMENTOS DE PROCESSO PENAL
Julgue as afirmativas abaixo, marcando “C” para Certo 12.( ) Princípio da Oficiosidade e o desdobramento do
ou “E” para Errado, no que concerne aos fundamentos do princípio da legalidade, significando que a
Direito Processual Penal. autoridade policial e o Ministério Público devem agir
1.( ) Direito processual penal é o conjunto de princípios e ex officio visando a apuração dos crimes de ação
normas que disciplinam a composição das lides pública.
penais, por meio da aplicação do Direito Penal 13.( ) Caracteriza o Princípio da Oficialidade, atribuir a
subjetivo. determinados órgãos do Estado a apuração de fatos
2.( ) Direito processual penal é o conjunto de princípios e delituosos.
normas que regulam a aplicação jurisdicional do Direito
14.( ) No inquérito policial a autoridade policial, e como
Penal, bem como as atividades persecutórias da
titular da ação penal, responsável pelo oferecimento
Polícia Judiciária.
da denúncia.
3.( ) Possibilita que o Estado exerça legitimamente o seu
15.( ) Os órgãos estatais não tem poderes e atribuições
jus puniendi (poder-dever de punir) através da aplicação
para a completa apuração de um crime, dita como
do direito penal objetivo.
persecução penal.
4.( ) Os princípios representam a razão de ser das
16.( ) Configuram aspectos do Princípio do estado de
normas que permeiam qualquer ciência.
inocência: o momento da instrução processual, como
5.( ) A função punitiva do Estado deve ser dirigida presunção legal relativa de não culpabilidade,
àquele que realmente não tenha cometido uma invertendo-se o ônus da prova; o momento da
infração penal. avaliação da prova, valorando-a em favor do acusado
6.( ) A impossibilidade de leitura de documento ou a quando houver dúvida; e o curso do processo penal,
exibição de objeto que não tiver sido juntado aos autos especialmenteno queconcerne à análise da necessidade
com antecedência mínima de três dias úteis, dando-se da prisão processual.
ciência à outra parte; Inadmissibilidade das provas 17.( ) Princípio da identidade física do juiz consiste na
obtidas por meios ilícitos e Os limites para depor de vinculação do juiz aos processos cuja instrução
pessoas que, em razão de função, ofício ou profissão, tivesse iniciado, de sorte que não pode o feito ser
devam guardar segredo; Em alguns casos previstos sentenciado por outro magistrado distinto.
em lei o princípio da verdade real é excepcionado.
18.( ) De acordo com o Princípio da identidade física do
7.( ) Os órgãos incumbidos da persecução penal podem juiz aquele que teve contato direto com as provas
possuir poderes discricionários para apreciar a produzidas em juízo tem maiores condições de
conveniência ou oportunidade da instauração do alcançar a verdade real e aplicar o direito de modo justo e
processo ou do inquérito. escorreito ao caso concreto.
8.( ) A autoridade policial, nos crimes de ação pública, é 19.( ) Segundo o Princípio do in dubio pro reo ou favor
obrigada a proceder às investigações preliminares, e o rei caso haja duas interpretações se deve optar pela
órgão do Ministério Público é obrigado a apresentar que seja mais benéfica ao réu; em caso de dúvida,
a respectiva denúncia, desde que se verifique um fato deve o réu ser condenado.
aparentemente delituoso.
20.( ) São admissíveis, no processo, as provas obtidas por
9.( ) Em decorrência do princípio da legalidade ou meios ilícitos.
Obrigatoriedade/Indisponibilidade é que a
21.( ) Provas lícitas são aquelas produzidas com violação a
autoridade policial não poderá arquivar diretamente
regras de direito material, ou seja, por meio do
autos de inquérito policial.
cometimento de algum ilícito penal, civil ou
10.( ) O representante do Ministério Público poderá, ao administrativo.
seu alvedrio, promover o arquivamento do
22.( ) É licito o cumprimento de mandado de busca e
inquérito policial nem desistir da ação penal pública
apreensão sem prévia ordem judicial – fora dos casos
já proposta.
de flagrante delito e sem autorização do morador - ou
11.( ) O Ministério Público entendendo pelo cumprimento de mandado judicial de busca e
arquivamento, devem as razões nesse sentido ser apreensão a noite; interceptação telefônica sem
apresentadas ao juiz e, caso este as considere prévia autorização judicial.
2

23.( ) Para que um indivíduo possa ser condenado ou direito de punir representa um verdadeiro
absolvido legitimamente, tem-se que respeitar o devido poder/dever do Estado, pois há que se falar em uma
processo legal, pois, do contrário, o processo é mera faculdade Estatal, mas não de uma obrigação.
manifestamente nulo, podendo, inclusive, ser A apuração e o esclarecimento do fato criminoso e de
reiniciado a partir do vício (do erro ou da inobservância autoria do Estado. Para isso o legislador
deste princípio e de outros). constitucional conferiu às polícias judiciárias, civis e
24.( ) O Princípio da igualdade processual ou da paridade de federal, a competência para a investigação criminal,
armas afirma que as partes, em juízo, devem contar formalizada no inquérito policial
com as mesmas condições, oportunidades e tratamento, 34.( ) A polícia judiciária será exercida pelas autoridades
tudo de forma igualitária. policiais no território de suas respectivas
25.( ) Como regra, todo processo penal é público, salvo circunscrições e terá por fim a apuração das
algumas exceções, sendo que todas elas infrações penais e sua autoria.
fundamentadas e tendo como escopo maior também 35.( ) A fase de investigação, em regra, exercida pela
o resguardo ao interesse público, posto que todo polícia judiciária, por preceder a provocação da
direito no ordenamento jurídico é absoluto. jurisdição penal possui natureza administrativa e por
26.( ) Princípio da Publicidade tem como finalidade a esse mesmo motivo é denominada de fase pré-
transparência que o Estado deve ter, demonstrando processual.
a imparcialidade e lisura que conduz os 36.( ) O inquérito policial, procedimento específico das
procedimentos e processos. polícias judiciárias, Polícia Civil nos crimes comuns, e
27.( ) Trata-se no Princípio do Contraditório/Ampla Polícia Federal nos crimes contra a ordem política e
Defesa do direito assegurado às partes de serem social ou em detrimento de bens, serviços e
cientificadas de todos os atos e fatos havidos no curso interesses do Estado, tem por objetivo a apuração das
do processo, podendo se manifestar a respeito e infrações penais e sua autoria.
produzir provas necessárias antes de ser prolatada a 37.( ) O inquérito policial é um procedimento
sentença penal. preparatório da ação penal, de caráter administrativo,
28.( ) É essencial que o acusador formule claramente a conduzido pela polícia judiciária e voltada à colheita
narrativa da denúncia ou queixa-crime para que o réu posterior de provas para apurar a prática de uma
possa se defender de fatos objetivos e produzir provas infração penal e sua autoria.
necessárias a sua defesa sob pena de ferir gravemente o 38.( ) Tratando-se de ação penal pública, o inquérito
Princípio do Contraditório/Ampla Defesa e invalidar policial deve ser instaurado de ofício pela autoridade
todo o procedimento. policial, delegado de polícia estadual ou federal, a partir
29.( ) O contraditório e a ampla defesa são princípios do conhecimento da existência do cometimento do fato
típicos do processo acusatório, inexistindo no delituoso.
inquisitivo. 39.( ) É competência das autoridades policiais, a tarefa de
30.( ) Princípio do Duplo Grau de jurisdição: mediante a remeter, quando julgarem conveniente, todos os dados,
interposição de recursos, decorrente da necessidade provas e esclarecimentos, que houverem obtido sobre
de impossibilitar a determinados órgãos do Poder um delito, com uma exposição do caso e de suas
Judiciário a revisão de decisões proferidas por juízes circunstâncias, aos juízes competentes, a fim de
ou tribunais sujeitos a sua jurisdição. formarem a culpa.
31.( ) Princípio do Juiz Natural preceitua que ninguém 40.( ) O inquérito policial é um procedimento
será processado nem sentenciado senão pela administrativo, inquisitório e preparatório, e
autoridade policialcompetente. consiste em um conjunto de diligências realizadas pela
32.( ) Segundo Princípio do Promotor Natural não se polícia judiciária para apuração da infração penal e de
pode olvidar que quem é titular da ação penal nas ações sua autoria, presidido pela autoridade policial, o
públicas é o órgão Ministerial através do promotor de Escrivão de polícia, a fim de possibilitar que o titular da
justiça/procurador de justiça. Assim, o acusado tem o ação penal possa ingressar em juízo.
direito de saber quem o acusará, sendo defesa a 41.( ) Ao defensor deve ser assegurado, pela autoridade
nomeação de determinado promotor/procurador para policial, o amplo acesso aos autos do inquérito
atuar especialmente em determinados casos. policial.
33.( ) Com o cometimento de uma infração penal nasce 42.( ) O inquérito policial pode ser inteiramente pautado
para o Estado o direito de punir, o jus puniendi. Esse pelos valores constitucionais, sendo sigiloso apenas
3

na medida e na proporção de garantir a efetividade princípio da obrigatoriedade do inquérito policial, salvo


dasinvestigações. se a requisição for manifestamente ilegal ou não houver
43.( ) Todas as provas e elementos de informações justa causa para a deflagração da persecutio criminis
colhidos no curso das investigações devem estar em 55.( ) Instaurado o inquérito policial não há a
conformidade com os ditames constitucionais e possibilidade de ser paralisado ou arquivado por
infraconstitucionais, sob pena de invalidade e iniciativa da própria autoridade policial, devendo,
responsabilidade penal do seu executor. portanto, continuar nas investigações até o seu
encerramento, quando, então, deverá remetê-lo ao
44.( ) Todas as peças do inquérito policial serão, num só poder judiciário.
processado, reduzidas a escrito ou datilografadas e, 56.( ) O ofendido ou seu representante legal não podem
neste caso, rubricadas pela autoridade. requerer à autoridade policial a instauração de
45.( ) O delegado de polícia possui discricionariedade inquérito policial, notitia criminis de cognição
para escolher quais diligências serão realizadas e a forma mediata.
de realizá-las. 57.( ) No caso de notitia criminis de cognição mediata o
46.( ) O inquérito policial também é discricionário. delegado de polícia não está obrigado a atender o pedido,
47.( ) A autoridade assegurará no inquérito o sigilo porém, de sua decisão que indefere cabe recurso ao
necessário à elucidação do fato ou exigido pelo chefe de polícia.
interesse da sociedade. 58.( ) O inquérito policial também pode ser deflagrado
48.( ) O sigilo no inquérito necessário à elucidação do através de um auto de prisão em flagrante delito, notitia
fato não se aplicará ao juiz, ao representante do criminis de cognição coercitiva.
Ministério Público e nem tampouco ao advogado do 59.( ) Pode ser iniciado o inquérito policial através de
indiciado. denúncia oferecida por qualquer do povo, a delatio
49.( ) A autoridade competente não poderá delimitar o criminis.
acesso do advogado aos elementos de prova 60.( ) A denúncia anônima é admitida em nosso
relacionados a diligências em andamento e ainda não ordenamento jurídico, sendo apta a deflagrar
documentados nos autos, quando vislumbrar risco de procedimentos de averiguação como o inquérito
comprometimento da eficiência, da eficácia ou da policial, conforme contenham ou não elementos
finalidade das diligências. informativos idôneos suficientes para a deflagração
50.( ) É direito do defensor assistir seus clientes durante o do procedimentos investigatório.
interrogatório ou depoimento, sob pena de nulidade 61.( ) O certo é que a notitia criminis ou delatio criminis
absoluta do respectivo ato e de todos os elementos apócrifa dever ser utilizada no sentido de se levar a
investigativos e probatórios decorrentes ou efeito uma investigação preliminar, antes da
derivados, direta ou indiretamente, inclusive com a deflagração do inquérito policial propriamente dito.
possibilidade de, no curso da investigação apresentar 62.( ) Se tratando de crime de ação penal pública
razões e quesitos no inquérito policial. condicionada a representação ou privada, o delegado
51.( ) A autoridade policial não poderá manda arquivar de polícia não pode instaurar de oficio.
autos do inquérito. 63.( ) O inquérito policial tem prazo indeterminado para o
52.( ) Instauradooinquéritopolicialháapossibilidadede ser encerramento das investigações, devendo ser
paralisado ou arquivado por iniciativa da própria concluído, em regra, em 10 dias se o indiciado
autoridade policial, devendo, portanto, interromper as estiver preso, ou em 30 dias se solto.
investigações, quando, então, deverá remetê-lo ao 64.( ) Na Justiça Federal o prazo é de 15 dias estando o
poder judiciário. indiciado preso, podendo ser prorrogado por igual
53.( ) De ofício, notitia criminis de cognição imediata, período, e de 30 dias se estiver solto.
quando a autoridade policial toma conhecimento do 65.( ) Nos Crimes Contra a Economia Popular as
fato delituoso por meio de suas atividades rotineiras investigações devem ser concluídas em prazo único
e determina a instauração do inquérito policial. de 10 dias, estando o indiciado preso ou solto.
54.( ) A instauração de inquérito policial em razão de 66.( ) Após a conclusão das investigações em torno do
requisição do juiz ou do ministério público. A fato criminoso, o Escrivão de policial fará um
autoridade policial, sendo assim, toma minucioso relatório do que for apurado e enviará os
conhecimento da infração penal por meio de um autos ao juiz competente.
expediente escrito. O delegado de polícia está
67.( ) Quando o crime for de ação penal pública o juízo
obrigado a atender a requisição em respeito ao
4

remeterá o inquérito policial concluído ao ministério 77.( ) O Sistema da livre convicção ou livre
público, contudo, se se tratar de crime de ação penal convencimento motivado deu origem à expressão
privada o inquérito policial aguardará em cartório a latina testis unus, testis nullus, em que a prova
iniciativa do ofendido dentro do prazo decadencial. baseada em uma só testemunha era nula.
68.( ) Se tratando dos crimes tipificados na Lei de Drogas, 78.( ) “O juiz formará sua convicção pela livre
findos os prazos de encerramento do inquérito a apreciação da prova produzida em contraditório
autoridade policial remeterá os autos ao Poder judicial, não podendo fundamentar sua decisão
Judiciário devendo registrar sumariamente no exclusivamente nos elementos informadores
relatório final as circunstâncias do fato, justificando colhidos na investigação”.(Art. 155 do Código de
as razões que a levaram à classificação do delito, Processo Penal), fala sobre o sistema da íntima
indicando a quantidade e natureza da substância ou do convicção, sistema predominante na atual
produto apreendido, o local e as condições em que se legislação.
desenvolveu a ação criminosa, as circunstâncias da 79.( ) O Tribunal do Júri é exemplo típico do sistema
prisão, a conduta, a qualificação e os antecedentes do da íntima convicção, pois o jurado avalia as provas
agente. e julga conforme sua consciência e critério.
69.( ) A lei de drogas, estabeleceu prazos especiais 80.( ) O magistrado pode, a seu critério, admitir as
relativos aos chamados crimes de tóxicos, devendo o provas cabíveis e avaliá-las, mas deve fundamentar
inquérito policial ser encerrado em 30 dias se o suas decisões com base nas provas presentes nos
indiciado estiver preso ou 90 dias quando solto, autos. Neste sentido, o juiz não poderá se utilizar
ambos podendo ser duplicado pelo juiz mediante apenas das provas produzidas na fase do inquérito
representação do delegado de polícia. policial para fundamentar suas decisões, com
70.( ) De acordo com o jurista italiano Nicola exceção das provas cautelares, não repetíveis e
Malatesta (2003) apud Leandro Cadenas Prado antecipadas, conforme parte final do artigo 155 do
(2006, p. 3) prova é “ meio objetivo pelo qual o Código de Processo Penal.
espírito humano se apodera da verdade”. 81.( ) Nos capítulos que compõem título PROVAS do
71.( ) Guilherme de Souza Nucci apresenta dois CPP temos: a) exame de corpo de delito e das
sentidos para o termo prova um é o ato de provar e perícias em geral; b) interrogatório do acusado; c)
o outro é o resultado da ação de provar. confissão; d) declarações do ofendido;
72.( ) O ato de provar implica na demonstração da e)reconhecimento de pessoas e coisas; g) acareação;
verdade dos fatos alegados. No âmbito do processo h) documentos e, por fim, i) indícios. 13.Exame de
penal, tais fatos englobam a existência do próprio Corpo de Delito e das Perícias em geral tem
delito, a autoria e as circunstâncias que influenciam importância na medida em que há muito a confissão
na aplicação da pena. deixou de ser a rainha das provas. Do mesmo modo,
a prova testemunhal pode ser vacilante e é carregada
73.( ) A prova tem por principal finalidade a formação
de cunho essencialmente subjetivo.
da convicção do juiz, sendo este o seu destinatário.
Porém, pode se verificar outra finalidade da prova. 82.( ) O exame de corpo de delito e as perícias em geral
ganham destaque porque permitem ao julgador,
74.( ) Leandro Cadenas Prado expõe que a prova tem
apoiar seu juízo de valor acerca de um crime não
duas finalidades uma é formação da convicção do
apenas em um juízo de convicção, mas sim no juízo
juiz e a outra é a base para fundamentação das
de certeza haja vista que os laudos periciais,
decisões judiciais.
apoiados em conclusões objetivas, são considerados
75.( ) Os sistemas de apreciação das provas é dividido “testemunhas mudas que não mentem”.
em dois: sistema da prova legal, da certeza moral do
83.( ) Preceitua o art. 158 do CPP que quando a
legislador, da verdade legal, da verdade formal ou
infração deixar vestígios será indispensável o
tarifado e sistema da livre convicção, da verdade
exame de corpo de delito, direto ou indireto, não
real, do livre convencimento ou da persuasão
podendo supri-lo a confissão do acusado.
racional.
84.( ) O exame de corpo de delito indireto é o realizado
76.( ) No Sistema da prova legal o juiz está vinculado
no próprio corpo de delito e o exame de corpo de
à vontade do legislador que atribui a cada prova a
delito direto é o obtido mediante dedução ou
sua respectiva relevância. Assim, não cabe ao juiz
indução a partir de um testemunho.
decidir qual prova prevalecerá sobre outra, já que a
lei assim o fez. 85.( ) O exame de corpo de delito indireto é aceitável
desde que não seja mais possível o exame direto em
5

razão do desaparecimento dos vestígios, nos termos exclusivamente em elementos informativos


do art. 167 do CPP. colhidos na investigação, exigindo-se prova
86.( ) O exame de corpo de delito poderá ser feito a produzida em contraditório judicial, sem exceção.
qualquer dia, mas não a qualquer hora. 96.( ) Contudo, dependendo do caso concreto, o
87.( ) O exame será realizado por perito oficial, ofendido uma vez dando causa a investigação
portador de diploma de curso superior ou, em sua policial ou processo judicial, imputando a alguém
ausência, por duas pessoas idôneas portadoras de crime de que sabe ser inocente poderá responder
diploma de curso superior em qualquer área e pelo crime de denunciação caluniosa.
prestarão o compromisso de bem e fielmente 97.( ) O valor probatório das declarações do ofendido
desempenhar o encargo. é absoluto, não devendo ser aceito com cautela.
88.( ) De acordo com o artigo 160 do CPP o laudo 98.( ) Judicialidade, oralidade, objetividade,
pericial é o documento que os peritos devem retrospectividade, imediação e individualidade são
elaborar descrevendo minuciosamente o que características da prova testemunhal.
examinaram e respondendo a todos os quesitos 99.( ) Depoimento infantil não é admitido como prova,
formulados pela autoridade policial e/ou judiciária. mas se menor de 12 anos será prestado
89.( ) Para garantia da idoneidade do exame do local compromisso, pois deverá ser avaliado o valor
onde houver sido praticada infração penal reza o probatório de forma relativa, portanto, servirá como
artigo 169 do CPP que a autoridade policial mero informante do juízo.
providenciará imediatamente para que não se altere 100.( ) Caso a testemunha, ao prestar depoimento, fique
o estado das coisas até a chegada dos peritos. em silêncio poderá configurar e crime de falso
90.( ) 22.O interrogatório é ato processual no qual a testemunho.
autoridade policial e/ou judiciária ouve o 101.( ) A testemunha tem o dever de relatar aquilo que
indiciado/acusado, perguntando acerca dos fatos sabe ou tomou conhecimento assumindo
que lhe são imputados. compromisso de dizer somente a verdade sobre o
91.( ) Há três posições, Quanto a natureza jurídica do que viu ou ouviu sobre os fatos.
interrogatório existe três posições: é meio de prova, 102.( ) Poderão se recusar a testemunhar o ascendente
constitui meio de defesa e é meio de prova e de ou descendente, o afim em linha reta, o cônjuge, o
defesa. irmão, o pai, a mãe ou o filho “adotivo” do acusado,
92.( ) O meio de prova e de defesa tem natureza mista, sem exceção.
pois oferece a autoridade policial e ao juiz 103.( ) O entendimento no STJ que prevalece é que o
elementos d convicção e também possibilita ao reconhecimento fotográfico ocorrido na fase de
indiciado/réu expor sua versão dos fatos, de modo a investigação não caracteriza ilicitude, servindo
exercer sua auto defesa, por isso atualmente essa como meio de prova idôneo, desde que corroborado
posição tem prevalecido. em juízo.
93.( ) O Artigo 185 do Código de Processo Penal foi 104.( ) A acareação é um ato processual que consiste
modificado pela Lei 13.257/2016, que dispõe sobre em colocar face a face duas ou mais pessoas que
políticas públicas a primeira infância, agora fizeram declarações substancialmente diferentes
estabelece, no seu §10, que do interrogatório deverá acerca de um mesmo fato relevante. Onde as
constar a informação sobre a existência de filhos, declarações, antes prestadas, são apenas ratificadas.
respectivas idades e se possuem alguma deficiência
105.( ) Indício é a circunstância conhecida e provada
e o nome e o contato de eventual responsável pelos
que, tendo relação com o fato, autorize, mediante
cuidados dos filhos, indicado pela pessoa presa.
raciocínio lógico, pelo método indutivo, concluir a
94.( ) A confissão é a aceitação pelo réu da acusação existência de outro fato, este relevante para o
que lhe é dirigida em um processo penal, ou seja, delinde das investigações ou da ação penal.
admissão por parte do acusado da veracidade da
106.( ) A busca domiciliar é aquela que visa apreender
imputação que lhe foi feita pelo acusador, total ou
coisas ou encontrar sinais que podem ser
parcialmente.
encontrados no corpo de uma pessoa ou nos
95.( ) Cumpre ainda consignar que a recente reforma pertences que esta carregue consigo, envolvendo
do CPP trouxe limitação ao livre convencimento do vestes, carteiras, bolsas, malas, valises, embrulhos
juiz na apreciação das provas, pois veda a etc, ou seja, tudo que está sob sua guarda.
fundamentação da decisão com base
107.( ) Ocorre a dispensa do mandado judicial de busca
6

pessoal nos casos previstos no art. 244, do CPP, processual destinada a possibilitar as investigações
quais sejam, busca realizada no momento da a respeito de crimes graves, durante o inquérito
detenção do acusado ou indiciado. policial.
108.( ) Conforme o art. 249, do Código de Processo 118.( ) A prisão temporária só será decretada pela
Penal, “a busca em mulher será feita por outra autoridade judiciária, porém esta, diferentemente do
mulher, se não importar retardamento ou prejuízo que ocorre com a prisão preventiva, não poderá
da diligência”. Ressalvado para evitar prejuízo ou decretar a temporária de ofício.
retardamento para a diligência, a busca pessoal em 119.( ) A decretação da prisão temporária dependerá
mulher poderá ser feita por homem, com absoluto sempre de representação da autoridade policial ou
respeito à intimidade do sexo feminino. órgão do Ministério Público.
109.( ) O veículo utilizado como casa e não como 120.( ) O prazo da prisão temporária será, via de regra,
simples meio de transporte não deverá sofrer busca 5 dias prorrogáveis por mais 5 dias em caso de
domiciliar. comprovada necessidade. Uma vez o caso
110.( ) A prisão em Flagrante, a prisão Preventiva, a envolvendo crimes hediondos, tráfico de
prisão Domiciliar e a prisão Temporária, são tipos entorpecentes, tortura ou terrorismo este prazo será
de prisão sem pena ou prisão processual. de 30 dias não prorrogáveis.
111.( ) A doutrina elenca duas espécies de prisão em 121.( ) Os pressupostos de aplicação das medidas
flagrante delito, o flagrante próprio e compulsório cautelares diversas da prisão podem ser resumidas
ou obrigatório. no binômio necessidade x adequação. Assim,
112.( ) O flagrante impróprio acontece quando o agente apenas se a medida cautelar se revelar incabível ou
é preso, logo depois de cometer a infração, com insuficiente para os fins a que se destina é que o juiz
instrumentos, armas, objetos ou papéis que faça, irá determinar, em último caso, a prisão cautelar.
presumir ser ele o autor da infração. 122.( ) Segundo Antônio Scarance Fernandes, os
113.( ) Flagrante compulsório ou obrigatório acontece pressupostos são cumulativos e a prisão temporária
quando o agente é obrigado a efetuar a prisão em só poderia ser decretada estando presentes as três
flagrante, não tendo discricionariedade sobre a situações conjuntamente, quando imprescindível
conveniência ou não de efetivá-la. para as investigações do inquérito policial; quando
o indiciado não tiver residência fixa ou não fornecer
114.( ) O menor de idade, O Presidente da República, os
elementos necessários ao esclarecimento de sua
Diplomatas Estrangeiros, o autor de acidente
identidade; houver fundadas razões para se concluir
automobilístico culposo que preste pronto e integral
que o indiciado foi autor ou partícipe dos crimes
socorro à vítima, o autor de infração penal de menor
elencados no dispositivo em questão.
potencial ofensivo, o usuário de drogas, não podem
ser presos em flagrante delito. 47.Membros do 123.( ) Comparecimento periódico ao juízo; proibição
Congresso Nacional: Senador e Deputado Federal, de acesso ou frequência a determinados lugares;
Deputados Estaduais ou Distritais, Magistrados e proibição de manter contato com determinada
membros do Ministério Público, Advogados no pessoa; proibição de ausentar-se da Comarca;
exercício da profissão só podem ser presos em 124.( ) Recolhimento domiciliar noturno e internação
flagrante delito nos crimes inafiançáveis. provisória são exemplos de medidas provisórias
115.( ) De acordo com Fernando Capez prisão elencadas no art.319 do CPP.
preventiva é a prisão processual de natureza cautelar 125.( ) A liberdade provisória é o instituto processual
decretada pelo juiz em qualquer fase da que garante ao acusado o direito de aguardar em
investigação policial ou do processo criminal, antes liberdade o transcorrer do processo até o trânsito em
do trânsito em julgado da sentença, sempre que julgado, vinculado a certas obrigações, podendo ser
estiverem preenchidos os requisitos legais e revogado a qualquer tempo.
ocorrerem os motivos autorizadores. 126.( ) A liberdade provisória é um direito público
116.( ) Crimes que envolvam violência doméstica e subjetivo que atende ao princípio do estado de
familiar contra mulher, criança, adolescente, idoso, inocência e ao devido processo legal (CF, art. 5º,
enfermo ou pessoa com deficiência, para garantir as LIV, LVII, LXVI).
medidas protetivas de urgência é uma das hipóteses 127.( ) A doutrina subdivide a liberdade provisória em
de cabimento da prisão preventiva. três espécies, a obrigatória, permitida e vedada.
117.( ) Prisão preventiva é a prisão cautelar de natureza 128.( ) A espécie de liberdade provisória conhecida
7

como permitida ocorre quando direito incondicional cabível ou na hipótese de inovação da classificação
do acusado, não podendo ser negado e não está delitiva.
sujeito a nenhuma condição. F (é quando não 139.( ) A fiança deverá ser reforçada nos termos do art.
couber prisão preventiva, podendo ser concedida 340 do CPP, quando o valor arbitrado por engano,
cumulada com medida cautelar diversa da prisão.) havendo a sua depreciação ou inovação a
129.( ) O juiz deverá conceder a liberdade provisória classificação do delito.
independente do pagamento de fiança somente no 140.( ) Nos termos do art. 344 do CPP, quando o réu for
caso de infrações que não comine pena privativa de condenado e não se apresentar para o cumprimento
liberdade ou de menor potencial ofensivo (quando a da pena ocorre o perdimento da fiança.
parte assumir o compromisso de comparecimento
GABARITO
ao Juizado Especial Criminal).
1.E 2.C 3.C 4.C 5.E
130.( ) A fiança é uma medida cautelar diversa da prisão
e como tal só pode ser imposta quando houver 6.C 7.E 8.C 9.C 10.E
necessidade e adequação (CPP, art. 282). 11.C 12.C 13.C 14.C 15.E
16.C 17.C 18.C 19.E 20.E
131.( ) A autoridade policial poderá conceder fiança nos
21.E 22.E 23.C 24.C 25.E
casos de infrações punidas com pena privativa de
26.C 27.C 28.C 29.C 30.E
liberdade máxima não superior a 3 (três) anos.
31.E 32.C 33.E 34.C 35.C
132.( ) O valor da fiança a ser arbitrada pela autoridade 36.C 37.E 38.E 39.C 40.C
policial é de 1 a 100 salários mínimos, enquanto que 41.E 42.C 43.E 44.C 45.C
nas infrações em que a pena máxima ultrapassar 4 46.C 47.C 48.C 49.C 50.E
anos será de 100 a 200 salários mínimos, neste 51.C 52.C 53.E 54.C 55.C
último caso arbitrado apenas pela autoridade
56.C 57.E 58.C 59.C 60.C
judiciária.
61.C 62.C 63.C 64.E 65.C
133.( ) São obrigações do afiançado: o comparecimento 66.C 67.E 68.C 69.C 70.C
em juízo todas as vezes que for intimado para atos 71. C 72. E 73. C 74. C 75. C
do inquérito, instrução criminal ou julgamento; não 76. E 77. C 78. E 79. E 80. C
mudar de residência sem prévia autorização da 81. C 82. E 83. C 84. C 85. C
autoridade processante nem se ausentar por mais de 86. E 87. C 88. E 89. C 90. C
8 dias de sua residência sem comunicar o lugar onde 91. C 92. C 93. C 94. C 95. C
será encontrado.
96. C 97. E 98. C 99. E 100. C
134.( ) A fiança não será concedida: aos que, no mesmo 101. E 102. C 103. C 104. E 105. C
processo, tiverem quebrado fiança; aos que tiverem 106. C 107. 108. E 109. C 110. C
infringido as obrigações; aos que cometerem crime 111. E 112. E 113. E 114. E 115. E
de racismo; aos que cometerem crimes hediondos, 116. C 117. C 118. C 119. C 120. C
tráfico, tortura e terrorismo; aos que cometerem 121. C 122. C 123. E 124. C 125. C
crimes praticados por grupos armados, civis ou 126. C 127. E 128. C 129. C 130. C
militares, contra a ordem constitucional e o Estado 131. E 132. C 133. E 134. E 135. C
Democrático; aos casos de prisão civil ou militar;
136. C 137. E 138. C 139. E 140. E
quando presentes os motivos da prisão preventiva.
141. C 142. C
135.( ) É intuitivo que nas infrações inafiançáveis, a
liberdade provisória não poderá ser acompanhada
de outras medidas cautelares previstas no art. 319 DIREITOS HUMANOS
do CPP.
Analise as proposições abaixo, acerca dos Direitos
136.( ) O juiz, verificando a situação econômica do Humanos, marcando “C” para Certo ou “E” para Errado.
preso, poderá lhe conceder liberdade provisória
independente de fiança, sujeitando-o às obrigações. 1.( ) Direitos Humanos são aqueles direitos
essenciais ... Que decorrem do reconhecimento da
137.( ) O art. 325, §1º, I do CPP reforça a dignidade de todo ser humano, sem qualquer
impossibilidade de dispensa da fiança caso a distinção...” (BENEVIDES, M.V.)
situação econômica do réu assim recomendar. 2.( ) Direito é uma palavra que vem do latim
138.( ) Não deverá haver cassação da fiança directum, cujo significado é “qualidade daquilo que
é regra”. Etimologicamente, define-se como retidão
anteriormente arbitrada mesmo quando ela não era
adequação, certo, correto.
8

3.( ) Direito trata-se da ciência que estuda as normas somente pode ser cometida por uma pessoa com a
jurídicas ou a vigência dessas normas em si. autoridade e poder conferida pelo Estado e a
4.( ) Direito é o conjunto de regras, instituições e exercê-la em seu nome.
princípios destinados a regular a vida humana, 19.( ) Quando criminosos ou terroristas ferem ou
individualmente. matam pessoas, eles cometem atos criminosos e
5.( ) Pode-se conceituar o direito internacional como: violação de Direitos Humanos.
normas que governam as relações entre os Estados. 20.( ) A razão principal dos Direitos Humanos é lidar
Compreende normas relacionadas ao com a violação inerente a qualquer ser humano.
funcionamento de instituições ou organizações 21.( ) Conforme Milton Ângelo, as principais
internacionais, porém não compreende a relação características dos DH dizem respeito a sua:
entre elas e a relação delas com o Estado e os inviolabilidade, irrenunciabilidade,
indivíduos. imprescritibilidade, inalienabilidade,
6.( ) O direito internacional, entre outros atributos, universalidade, efetividade, interdependência,
estabelece normas relativas aos direitos territoriais superfluidade.
dos Estados (com respeito aos territórios terrestre, 22.( ) Dignidade é a qualidade que define a essência da
marítimo e espacial), a proteção internacional do pessoa humana, ou ainda, o valor que confere
meio ambiente, o comércio internacional e as humanidade ao sujeito.
relações comerciais, o uso de força pelos Estados, 23.( ) A ideia de dignidade deve garantir a liberdade
os direitos humanos e o direito internacional ou a autonomia do sujeito.
humanitário, apenas. 24.( ) A dignidade é um valor incondicional,
7.( ) O Direito Internacional dos Direitos Humanos incomensurável, insubstituível e não admite
estabelece as obrigações dos governos de agirem de equivalente.
determinadas maneiras ou de se absterem de certos 25.( ) Dignidade trata-se de algo que possui uma
atos, privando os grupos e indivíduos. dimensão quantitativa e valor intrínseco.
8.( ) A Carta das Nações Unidas considera um de 26.( ) Segundo Piovesan, consagra-se dignidade da
seus objetivos fundamentais: promover e encorajar pessoa humana como verdadeiro super princípio a
o respeito aos direitos humanos para todos. orientar o Direito Internacional e o interno.
9.( ) É a competência institucional que a 27.( ) A dignidade possui enfoque teleológico,
administração pública tem para impor restrições a racionalista e contemporâneo.
certas atividades privadas ou obrigar e proibir 28.( ) O enfoque teleológico é fundamentado na
determinadas formas de utilização das coisas, tendo imagem e semelhança de Deus.
em vista o bem comum. 29.( ) O enfoque racionalista é fundamentado no
10.( ) Segundo Meirelles, o Estado cumpre sua missão movimento modernista.
de defensor e propagador dos interesses gerais, 30.( ) O enfoque contemporâneo foi idealizado por
coibindo os excessos e prevenindo as perturbações Immanuel Kant, traduzido na capacidade de viver
à ordem jurídico-social. através de regras estabelecidas por terceiros.
11.( ) O poder conferido é discricionário e jamais 31.( ) Segundo Immanuel Kant, o direito é legítimo
arbitrário. somente quando existe para garantir nossa
12.( ) Os Direitos Humanos são universais, liberdade.
inalienáveis e imprescritíveis. Derivam da 32.( ) A teoria das gerações tem como paradigma a
dignidade e do valor inerente à pessoa humana. evolução histórica dos direitos humanos na ordem
13.( ) Segundo Morais, os Direitos Humanos dizem jurídica infra estatal e nas Constituições dos
respeito à vida digna jurídico-político-psíquico- Estados contemporâneos.
econômico-físico e afetivo dos seres e de seu 33.( ) O processo de criação de direitos humanos é
habitat. contínuo e inesgotável.
14.( ) Define os Direitos Humanos como: garantias 34.( ) Os direitos humanos não são estanques ou
jurídicas universais que protegem indivíduos e incomunicáveis, mas complementares e conexos.
grupos contra ações ou omissões dos povos que 35.( ) São exemplos de direitos de 2ª geração: Direitos
atentem contra a dignidade humana. trabalhistas, à saúde educação e transporte público.
15.( ) Os Direitos Humanos fazem com que o 36.( ) Direitos à Igualdade, prestações positivas, são
indivíduo possa vivenciar plenamente sua condição considerados direitos de 1ª geração.
biológica, psicológica, econômica, social cultural e 37.( ) São direitos de 1ª geração, os direitos de
política. liberdade e políticos, prestações negativas do
16.( ) Direitos Humanos servem para proteger a Estado (obrigação de não fazer). Exemplos: Vida,
pessoa de tudo que possa negar sua condição liberdade de ir, vir e permanecer, liberdade de
humana e, ainda, para assegurar ao homem o opinião,privacidade, intimidade (direitos
exercício da liberdade, a preservação da dignidade individuais).
e a proteção de sua existência. 38.( ) São direitos de 3ª geração os direitos à
17.( ) Direitos Humanos tratam-se de direito fraternidade / solidariedade. Número
fundamental. indeterminado e interminável de indivíduos
18.( ) Segundo Ralph Crawshow, a violação de DH (direitos difusos). Exemplos: direito do
9

consumidor, do meio ambiente, civil. e obrigações, nos termos desta Constituição; VIII:
39.( ) São direitos de 4ª geração: engenharia genética; ninguém será privado de direitos por motivo de
proteção intergeracional. Direitos da humanidade; crença religiosa ou de convicção filosófica ou
biotecnologia ou democracia / direito dos povos. política.
Exemplos: limites bioéticos ao avanço científico, 53.( ) DUDH, Art. 3º: Todo ser humano tem direito à
direitos ligados ao acesso à informação, vida, à liberdade e à segurança pública.
democracia de alta intensidade. 54.( ) O Art. 5º da DUDH possui o texto idêntico ao
40.( ) A Carta Magna de 1988 institui o Estado Art. 5º, III da CF/88: Ninguém será submetido a
Democrático de Direito, trazendo como princípios tortura, nem a tratamento ou castigo cruel,
fundamentais a soberania, a cidadania, a dignidade desumano ou degradante.
da pessoa humana, a crença nos valores sociais do 55.( ) A DUDH enfatiza o respeito aos direitos e
trabalho e da livre iniciativa. liberdades de ordem pessoal, entre os quais estão: o
41.( ) Os objetivos fundamentais da República direito à dignidade da pessoa, a garantia contra o
Federativa do Brasil são: construir uma sociedade trabalho escravo, a tortura, a garantia de proteção
livre, justa e solidária; garantir o desenvolvimento igual perante a lei, as detenções e as penas
nacional; erradicar a pobreza e a marginalização e arbitrárias, além do direito de recorrer ao Poder
reduzir as desigualdades sociais e regionais; Judiciário contra abusos do poder.
promover o bem de todos, sem preconceitos de 56.( ) A liberdade de pensamento e de expressão e a
origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras liberdade de religião constituem pilares da DUDH.
formas de discriminação. 57.( ) Segundo a DUDH, ninguém poderá ser culpado
42.( ) A Constituição de 1988 institucionaliza a por ação ou omissão que, no momento da sua
instauração de um regime sócio-político no Brasil e prática, não constituía delito perante o direito
proporciona um avanço na consolidação legislativa nacional ou internacional.
das garantias e direitos fundamentais. 58.( ) Toda pessoa vítima de perseguição tem o direito
43.( ) Segundo a Constituição de 1988, sobre qualquer de procurar e de gozar asilo em outros países,
lei nacional, prevalecem os direitos humanos. mesmo em caso de perseguição legitimamente
44.( ) São princípios das relações internacionais, motivada por crime de direito comum ou por ato
segundo a Constituição Federal de 1988: concessão contrário aos propósitos e princípios das Nações
de asilo político, independência nacional, Unidas.
dignidade da pessoa humana, solução pacífica dos 59.( ) Embora afirme que toda pessoa tem direito à
conflitos, autodeterminação dos povos, repúdio ao nacionalidade, a DUDH reconhece o direito dos
terrorismo e ao racismo, não intervenção, igualdade governos de, arbitrariamente, privar alguém de sua
entre os Estados, defesa da paz. nacionalidade.
45.( ) A Declaração Universal dos Direitos Humanos 60.( ) A mudança de nacionalidade é direito
(DUDH) foi aprovada em 1946 na Assembleia assegurado pela DUDH.
Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). 61.( ) A DUDH não dispõe expressamente sobre o
46.( ) A DUDH defende a igualdade e a dignidade das direito ao casamento, mas assegura-o indiretamente
pessoas e reconhece que as liberdades ao proteger a família.
fundamentais e os direitos humanos devem ser 62.( ) Segundo a DUDH, toda pessoa tem direito à
aplicados a cada cidadão do planeta. liberdade de opinião e expressão. Esse direito inclui
47.( ) Os direitos humanos são essenciais a todos os a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de
seres humanos. Podem ser civis, políticos, procurar, receber e transmitir informações e ideias
econômicos, sociais, culturais e coletivos. por quaisquer meios e independentemente de
48.( ) A garantia dos direitos humanos universais é fronteira.
feita por lei, na forma de tratados e de leis 63.( ) A DUDH dispõe sobre restrições aplicadas ao
internacionais. acesso ao serviço público do país de cada
49.( ) Outros documentos já haviam sido redigidos em indivíduo.
reação a tratamentos desumanos e injustiças, por 64.( ) Todo ser humano, como membro da sociedade,
exemplo: Declaração de Direitos Inglesa e tem direito à segurança social, e a realização, pelo
Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. esforço internacional, pela cooperação nacional e
50.( ) Um comitê formado por oito países recebeu a de acordo com a organização e recursos de cada
declaração e se reuniu pela primeira vez em 1947. Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais
Foi presidido por René Cassin. A responsável pelo indispensáveis à sua dignidade e ao livre
primeiro esboço da declaração, Eleonor Roosevelt, desenvolvimento da sua personalidade.
também participou. 65.( ) A DUDH dispõe expressamente o direito a um
51.( ) DUDH Art. 1º: Todo ser humano nasce livres e padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua
iguais em dignidade e direitos. São dotados de família, saúde e bem estar, alimentação, vestuário,
razão e consciência e podem agir em relação uns habitação, cuidados médicos, serviços sociais
aos outros com espírito de fraternidade. indispensáveis, segurança em caso de desemprego,
52.( ) DUDH, em seu Art. 2º, relaciona-se à CF/88: doença, invalidez, viuvez, velhice.
Art. 5º, I: homens e mulheres são iguais em direitos 66.( ) A DUDH garante expressamente a gratuidade da
10

educação fundamental. 78.( ) A tortura pode estar presente em todos os


67.( ) O direito à participação na vida cultural da ambientes e ações tão cruéis quanto a tortura nos
comunidade são expressamente consagrados na chamados ambientes de “convivência humana”.
DUDH. 79.( ) O Protocolo de Istambul é o documento mais
68.( ) A DUDH reconhece expressamente que todos completo que subsidia os examinadores forenses
têm deveres para com a comunidade de que sobre como devem proceder para identificação,
participam. caracterização e elucidação do crime de tortura.
69.( ) Tortura é violação dos direitos humanos que 80.( ) Um dos objetivos do Protocolo de Istambul é:
atinge diretamente a pessoa humana, em sua identificação das medidas possíveis para evitar que
integridade física e moral. os fatos se repitam.
70.( ) É tudo quilo que, justificadamente, uma pessoa
possa fazer a outra, produzindo dor, pânico,
desgaste moral ou desequilíbrio psíquico, GABARITO
provocando lesão, contusão, funcionamento 1. E 2. E 3. C 4. E 5. E
anormal do corpo ou das faculdades mentais, bem 6. C 7. E 8. C 9. E 10. C
como prejuízo à moral. (ARND, 1985). 11. C 12. E 13. C 14. E 15. C
71.( ) A Convenção contra a tortura a define como:
16. C 17. C 18. C 19. E 20. E
qualquer ato pelo qual dores ou sofrimentos
agudos, físicos ou mentais são infligidos 21. E 22. C 23. E 24. C 25. E
intencionalmente a uma pessoa a fim de obter, dela 26. C 27. C 28. C 29. E 30. E
ou de terceira pessoa, informações ou confissões; 31. C 32. E 33. C 34. C 35. C
de castiga-la por ato que ela ou uma terceira pessoa 36. E 37. E 38. E 39. C 40. C
tenha cometido, ou seja suspeita de ter cometido; 41. C 42. E 43. C 44. E 45. E
de intimidar ou coagir esta pessoa ou outras 46. C 47. C 48. C 49. C 50. E
pessoas; ou por qualquer motivo baseado em 51. E 52. E 53. E 54. E 55. C
discriminação de qualquer natureza; quando tais 56. C 57. C 58. E 59. E 60. C
dores ou sofrimentos são afligidos por um 61. E 62. C 63. E 64. E 65. C
funcionário público ou outra pessoa no exercício de
66. C 67. C 68. C 69. E 70. E
funções públicas, por sua instigação, ou com seu
consentimento ou aquiescência. 71. C 72. E 73. C 74. C 75. C
72.( ) Existem três elementos fundamentais para 76. 77. E 78. C 79. C 80. E
definição de tortura: 1. A ocorrência de dores ou
sofrimentos crônicos, físicos ou psicológicos; 2. A
existência de uma intenção deliberada; 3. O fato de
tais dores ou sofrimentos serem infligidos por DIREITO CONSTITUCIONAL
funcionário público ou pessoa no exercício de
função pública, ou por sua indicação ou com seu Sobre os fundamentos do Direito Constitucional, analise
consentimento ou aquiescência. as assertivas abaixo, marcando “C” para Certo ou “E”
73.( ) O direito de não ser torturado é inderrogável. A para Errado.
proibição da tortura prevalece sob quaisquer
circunstâncias. 1.( ) O Constitucionalismo, o Direito Constitucional
74.( ) A CCT refere-se explicitamente à revisão dos e a própria Constituição nascem como fruto de um
métodos de interrogatório, à garantia de processo evolucionista e contínuo de lutas dos
investigações imediatas e imparciais, à garantia de povos diante de governos antidemocráticos.
que as declarações obtidas sob tortura não tenham 2.( ) Trata-se da busca por direitos como a liberdade,
valor probatório, ao direito de obter reparação e a fraternidade e a igualdade.
indenização. 3.( ) O conjunto de normas constitucionais surge a
75.( ) Está entre os crimes mais graves no Brasil. É partir de movimentos políticos, econômicos e
inafiançável, insuscetível de graça ou anistia, por sociais que se fortaleceram de maneira mais
ele respondendo mandantes, executores e os que, específica por volta do século XVIII, quando
podendo evita-lo, omitirem-se. questionados planos políticos, filosóficos e
76.( ) Ao tribunais nacionais gozam de plena jurídicos que deixavam o Poder concentrado nas
jurisdição sobre a matéria, independentemente do mãos de senhores soberanos e absolutos, os quais
lugar onde se produziram os fatos, da nacionalidade governavam em benefício do povo.
dos réus ou da vítima. Seus autores devem ser 4.( ) Para a compreensão histórica do
julgados onde quer que estejam e não devem constitucionalismo faz-se necessário observar
encontrar esconderijo em nenhum canto do mundo. alguns acontecimentos marcantes, dentre eles a
77.( ) A Lei 9,807/99 define o crime de tortura e a Lei Revolução Francesa, a Constituição dos Estados
9.455/97 trata da organização e manutenção de Unidos e a Declaração Universal dos Direitos do
programas especiais de proteção à vítima e à Humanos.
testemunha ameaçada.
11

5.( ) A Revolução Francesa deu-se entre 1789 a 1799 e suas normas fundamentais.
motivada por insatisfações da burguesia (na 19.( ) É com base no Direito Constitucional que
maioria comerciantes) e da própria coletividade, decorrem as demais normas, regras e características
contra os privilégios do Rei e da Igreja, que por do ordenamento jurídico de um país.
exemplo não pagavam impostos. 20.( ) Segundo Alexandre de Moraes, o Direito
6.( ) Manifestações pacíficas e armadas levaram ao Constitucional é um ramo do Direito Público,
fim do Governo absoluto, Constituição Francesa de destacado por ser fundamental à organização e
1791 e enfraquecimento da Democracia. funcionamento do Estado, à articulação dos
7.( ) A Constituição dos Estados Unidos da América, elementos primários do mesmo e ao
datada de 1787 surgiu como aspecto da estabelecimento das bases da estrutura política.
independência do País em relação ao Reino Unido – 21.( ) Ainda de acordo com Alexandre de Moraes, o
Inglaterra, fato ocorrido em 14 de julho de 1776, Direito Administrativo tem por objeto a
quando as 13 colônias americanas se declaram constituição política do Estado, no sentido amplo de
independentes e formam assim os Estados Unidos estabelecer sua estrutura, a organização de suas
da América. instituições e órgãos, o modo de aquisição e
8.( ) A independência dos Estados Unidos com limitação do poder, através, inclusive, da previsão
relação ao Reino Unido fundamentou-se no desejo de diversos direitos e garantias fundamentais.
de organização política e a maior participação 22.( ) Fruto do iluminismo e objeto de estudo do
social. Direito Constitucional a Constituição é a norma
9.( ) Os Estados Unidos ainda continuam com sua jurídica pela qual se constitui e organiza o Estado,
primeira Constituição, embora tenha recebido bem como se direcionam aspectos como direitos e
muitas emendas até hoje. deveres de governantes e governados.
10.( ) A Declaração Universal dos Direitos do Homem 23.( ) A Constituição é por assim dizer a Lei
e do Cidadão – 1789 tem importância histórica Fundamental de um Estado.
como luta contra os governos autoritários e 24.( ) Na visão de José Afonso da Silva, a Constituição
favorecimento da Democracia. consiste em um sistema de normas jurídicas,
11.( ) A Declaração Universal dos Direitos do escritas ou costumeiras, que regulam a forma do
Homem e do Cidadão foi elaborado na Inglaterra e Estado, a forma de seu governo, o modo de
cercado das influências da Revolução Industrial, aquisição e exercício do poder, o estabelecimento
tendo servido até hoje como inspiração para de seus órgãos e os limites de sua atuação.
diversos outros documentos, legislações, 25.( ) Para a doutrina, as Constituições apresentam-se
constituições e declarações como a própria em três sentidos: o sentido sociológico, o sentido
Declaração Universal dos Direitos Humanos da político e o sentido jurídico.
Organização das Nações Unidas – ONU, lançada 26.( ) No sentido sociológico, implica que a
em 1948, logo após a Segunda Guerra Mundial constituição representa essencialmente a vontade
ocorrida entre 1939 a 1945. do poder constituinte para ser legítima e válida.
12.( ) O Artigo 1º da Declaração Universal dos Direitos 27.( ) Na concepção política para ser legítima e legal
do Homem e do Cidadão apresenta: "Os homens bastaria ser oriunda de poder legal e voltar-se para
nascem e permanecem livres e iguais em direitos. os aspectos estruturantes da organização do Estado,
As distinções sociais só podem fundar-se na direitos e deveres.
utilidade comum". 28.( ) Na concepção jurídica, está fundamentada na
13.( ) Percebe-se na Declaração Universal dos visão do renomado jurista e filósofo austríaco
Direitos do Homem e do Cidadão a vontade de Konrad Hesse (nascido em 1881 e falecido em
alocar Governo e População em sintonia de direitos 1973), a constituição trata-se de regramento
e obrigações. superior sob o qual todas as demais normas devem
14.( ) O Constitucionalismo define-se como estar subordinadas e alinhadas. Neste contexto no
instrumento de controle do Poder dos Governantes topo hierárquico das normas estaria a constituição e
e Garantia dos Direitos dos cidadãos, tendo em abaixo dela todos os demais instrumentos legais.
vista uma sociedade justa e equilibrada. 29.( ) Na concepção jurídica formatou-se a chamada
15.( ) Quando estudamos o Direito é possível fazer Pirâmide de Kelsen, onde de forma clara se enxerga
uma divisão doutrinária em dois grandes campos ou a soberania da constituição perante outras normas
ramos. O Direito Privado e o Direito Público. jurídicas.
16.( ) O Direito Público volta-se de forma mais 30.( ) A concepção política da Constituição a coloca
específica para o interesse das pessoas enquanto como Lei Superior Hierarquicamente e Regra
particulares, por exemplo, o Direito Civil e o Suprema.
Direito do Trabalho. 31.( ) As constituições podem ser classificadas por
17.( ) O Direito Privado envolve interesses mais origem, forma de elaboração, ideologia,
coletivos e com alcance social, por exemplo o estabilidade, conteúdo, eficácia e muitas outras.
Direito Administrativo e o Direito Penal. 32.( ) Quanto a origem a Constituição pode ser
18.( ) O Direito Constitucional é o ramo do Direito classificada como promulgada e costumeira.
Público que volta-se para a organização do Estado 33.( ) Outorgada – Apresenta-se como imposição de
12

governo autoritário, tem na sua construção inicia uma nova ordem jurídica fundamental.
participação popular direta ou indireta. Por 48.( ) O Poder Constituinte Originário possui como
exemplo a Constituição Brasileira de 1824, também características o fato de ser limitado por não estar
conhecida como Constituição do Império. conectado a diretrizes jurídicas anteriores;
34.( ) Promulgada – Possui participação democrática autônomo, pelo fato de ser livre de qualquer vínculo
por meio de representantes legais do Povo e com normas anteriores e, finalmente é
oriundas de Assembleia Nacional Constituinte. Por incondicionado, devido a não ter estrutura
exemplo a atual Constituição Brasileira de 1988, anteriormente estabelecida para sua construção.
também conhecida como Constituição Cidadã. 49.( ) Há duas formas de expressão do Poder
35.( ) Quanto a forma a Constituição pode ser Constituinte, quais sejam, a Outorga e a
classificada como sendo escrita, não escrita ou Assembleia Nacional Constituinte. A primeira
costumeira. caracteriza-se como vimos por imposição unilateral
36.( ) Escrita – Apresenta-se consolidada em vários do agente revolucionário, por exemplo, as de
documentos legais. Possuem este tipo de Constituições Brasileiras de 1824, 1937, 1967 e
constituição por exemplo, a Argentina. 1969; a segunda, surge da vontade popular, a
37.( ) Não Escrita ou Costumeira - Apresenta-se em exemplo das Constituições Nacionais de 1891,
textos legais separados e consolidadas também 1934, 1946 e 1988.
pelos costumes, jurisprudências e convenções. O 50.( ) O Poder Constituinte Originário volta-se para a
maior exemplo é a Constituição da Inglaterra. reforma da Constituição de um Estado, ou seja,
38.( ) Quanto a estabilidade a Constituição pode ser altera a Lei Maior vigente.
classificada como rígida ou flexível. 51.( ) O Poder Constituinte Derivado possui como
39.( ) Rígida – Apresenta exigência de processo características o fato limitado e subordinado, já
legislativo simples para alteração das normas que, está vinculado pela ordem jurídica vigente,
constitucionais. ou seja, se preocupa com as regras impostas pela
40.( ) Na atual Constituição do Brasil de 1988 o artigo Constituição anterior, neste sentido também é
60 apresenta esta característica de rigidez, inclusive condicionado, já que tem forma preestabelecida
no seu parágrafo quarto aparecem aspectos que não para a sua elaboração
podem ser modificados e que constituem as 52.( ) O Poder Constituinte Derivado divide-se ainda
chamadas cláusulas pétreas. Sendo assim emendas em: Reformador e Decorrente.
que visem abolir por exemplo o voto livre ou os 53.( ) O Poder Constituinte Derivado Reformador,
direitos e garantias individuais podem prosperar. altera o texto constitucional, respeitando as
41.( ) Flexíveis – São as que podem ser modificadas limitações e princípios vigentes, por exemplo,
por mera Lei ordinária, isto é, não necessitam de podemos citar as Emendas Constitucionais.
um processo legislativo complexo para sua 54.( ) O Poder Constituinte Derivado Decorrente,
alteração. Pode-se tomar como exemplo a permite que os Estados- Membros possam se
Constituição Brasileira de 1824. organizar segundo suas próprias constituições,
42.( ) A constituição apresenta-se como instrumento desde que, estas estejam em sintonia com a
legal que estrutura o Estado e regula de forma Constituição Federal. Esta diretriz encontra-se no
ampla a convivência social. Trata-se da Norma Artigo 25 da Constituição Federal Brasileira. O
Maior do Estado. Estado do Ceará tem sua Constituição datada de
43.( ) Acontece que as leis são feitas por homens e 1989, possui 336 artigos e até o momento já sofreu
estes naturalmente evoluem, apresentam novas mais de 70 emendas.
necessidades e formas de convivência, desta 55.( ) No decorrer da história do Brasil tivemos várias
maneira, faz-se necessário que os instrumentos constituições sendo algumas ou promulgadas como
legais, inclusive a constituição possa acompanhar a de 1988 e outras outorgadas como a de 1891.
este desenvolvimento. 56.( ) A constituição de 1824 foi a primeira
44.( ) O Poder Constituinte é o poder de criar, de constituição e ficou conhecida como a Constituição
estabelecer uma nova Constituição. Ele se divide do Império. Foi estabelecida logo após a
em originário e derivado. Proclamação da Independência do Brasil, que
45.( ) Trata-se da expressão da vontade política ocorreu em 7 de setembro de 1822, devido a vários
suprema de um povo direcionada à elaboração ou acontecimentos liberais.
alteração do texto constitucional. Neste sentido 57.( ) Como característica marcante da Constituição
pode-se dizer que o Poder Reformador é a de 1891 achava-se a divisão política em quatro
manifestação soberana da suprema vontade política poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e
de um povo, social e juridicamente organizado. Moderador.
46.( ) Há doutrinariamente duas espécies de Poder 58.( ) O Poder Moderador, era superior a todos os
Constituinte o Originário e o Derivado, tendo este outros e se concentrava nas mãos do Imperador.
último as variáveis de Reformador e Decorrente.
47.( ) O Poder Constituinte Decorrente cria a
Constituição de um Estado, ou seja, estabelece
Carta Política ao novo Estado. Ele é inicial, pois
13

GABARITO 8.( ) Conhecimento dos fatos refere-se a coleta de


dados e informações arrecadadas através da
1. V 2. V 3. F 4. F 5. V
investigação como: número de suspeitos, nível de
6. F 7. V 8. V 9. F 10. V periculosidade, tipo de armamento, estrutura do
11. F 12. V 13. V 14. V 15. V local a ser vistoriado, etc.
16. F 17. F 18. V 19. V 20. V 9.( ) O processo de planejamento é a organização
21. F 22. F 23. V 24. V 25. V executiva formal das ações, fundamentadas no
26. F 27. V 28. F 29. V 30. F conjunto de informações básicas de inteligência
31. V 32. F 33. F 34. V 35. V direcionadas para a implementação da missão, mas
36. F 37. V 38. V 39. F 40. F é importante esclarecer que para se obter êxito em
41. V 42. V 43. V 44. V 45. F uma ação policial não é preciso que haja um
46. V 47. F 48. F 49. V 50. F planejamento.
10.( ) São exemplos de componentes de um plano
51. V 52. V 53. V 54. V 55. F
operacional: Autoridade de quem emana a ordem
56. V 57. F 58. V operacional, Dossiê de informações, Análise de
riscos, finalidade e fundamento, missão,
viabilidade de execução, recursos (físicos,
PLANEJAMENTO E TÉCNICAS financeiros e humanos), tempo definido para a
OPERACIONAIS execução da missão, resultado esperado e análise
No que tange ao planejamento operacional, julgue os posterior do fracasso ou do sucesso.
itens a seguir, marcando “C” para Certo ou “E” para 11.( ) Para que o policial utilize algemas deverá
Errado. avaliar as seguintes circunstâncias: a
periculosidade do preso, o seu estado emocional,
1.( ) A versatilidade, percepção, raciocínio rápido, e sinais de desequilíbrio mental causado por doença
o tirocínio são características intrínsecas ao bom ou substância entorpecente, a sua compleição
operador de segurança pública. física, a existência de número insuficiente de
2.( ) Plano Operacional é a descrição das normas e policiais e até o local onde se realiza a diligência
procedimentos que a equipe desempenhará. Para (possibilidade de fuga ou resgate).
que estas sejam coerentes com o ambiente de 12.( ) A comunicação é de suma importância para o
trabalho é necessário realizar um treinamento desenvolvimento do trabalho policial, mas a mesma
específico para que o policial esteja completamente não deve ser feita pelo rádio comunicador HT
integrado com o seu ambiente. porque pode levantar suspeita durante a
3.( ) O treinamento e a formação da equipe não são investigação.
tão importantes para a eficácia da ação policial. De 13.( ) Os coletes de segurança modernos são divididos
forma que apesar de não existir esse treinamento e em duas categorias: coletes de segurança rígidos e
formação, ainda assim, o policial consegue obter coletes de segurança macios. O colete de segurança
uma investigação criminal apurada, uma ação rígido, feito com placas de cerâmicas ou metálicas
policial sem risco, sem possibilidade de lesão. grossas, funciona basicamente da mesma maneira
4.( ) A Policia Civil do Ceará (PC/CE) em seu que as armaduras de ferro, é rígida o suficiente para
organograma, possui uma Unidade Tático que uma bala ou outra arma seja desviada ou
Operacional – UTO, estando integrada á Divisão absorvida.
Antissequestro – DAS, onde sua atuação consiste 14.( ) Existe uma grande variedade de coletes de
principalmente no resgate de reféns em cativeiro, segurança disponíveis hoje em dia, sendo divididos
instrução e apoio as outas unidades da PCCE, bem em níveis que são I, II-A, II, III-A, III e IV. Assim,
como outras missões definidas pelo Delegado a categoria I de colete de segurança oferece o maior
Geral. nível de proteção e a categoria IV o menor nível de
5.( ) A ação policial de risco é aquela em que o proteção.
policial infringe um ato legal, não sendo necessário 15.( ) Características das armas curtas: portabilidade,
que o mesmo tenha os devidos cuidados com ele e leveza, fácil dissimulação e polivalência de
nem com terceiros. ambientes de utilização. Já as armas longas
6.( ) A intervenção policial, devidamente realizada, possuem maior precisão, maior capacidade de fogo
resguarda-se de qualquer reprimenda legal, em e potência e maior poder de intimidação.
consequência das causas de exclusão de 16.( ) São princípios da abordagem: Observação,
antijuridicidade (Legítima defesa, estrito Planejamento, Segurança, Surpresa, dentre outro.
cumprimento do dever legal, estado de necessidade, 17.( ) Sobre o princípios da Segurança podemos dizer
exercício legal do direito). que o mesmo tem como maior objetivo identificar
7.( ) Com vistas à obtenção de um resultado o fato em andamento, compreender o delito, suas
favorável em uma ação policial, torna-se fontes grau de risco.
imprescindível o planejamento como observância, 18.( ) São procedimentos na abordagem:
principalmente, em três fatores: o conhecimento Planejamento Mental, Plano de Ação e Execução.
sensível do fato, a estratégia e o uso da técnica. 19.( ) Plano de ação é a forma individual em que cada
14

policial programa a ação, mentalmente, analisando


a melhor maneira para a execução da técnica.
20.( ) Uma das regras de segurança em uma ISOLAMENTO, PRESERVAÇÃO E
abordagem é que o policial sozinho deverá sempre LEVANTAMENTO DE DADOS EM LOCAL DE
solicitar apoio, mas no caso de não haver tempo, CRIME
este apoio será dispensado, e o policial utilizara as
técnicas necessárias para dominar a situação. Julgue os itens abaixo, marcando “C” para Certo ou “E”
21.( ) As buscas poderão ser pessoais ou para Errado, a respeito do Isolamento, da Preservação e
domicialiares, com o objetivo de se procurar do Levantamento de dados em local de crime.
descobrir ou investigar alguém ou determinado
objeto. 1.( ) Investigação criminal pode ser conceituada
22.( ) Existem basicamente quatros tipos de posições como sendo o conjunto de procedimentos, deveres
para que se proceda uma busca pessoal que são: e atividades desenvolvidas pelos agentes da
Com o abordado de pé com apoio, de pé sem apoio, Segurança Pública com o intuito de esclarecer um
de joelhos e deitado. fato delituoso ou criminoso.
23.( ) Revista rápida e aquela efetuada após uma 2.( ) A investigação criminal constitui-se num ato
prisão ou quando o objeto a ser encontrado seja continuo, dividido em três fases: o policiamento
muito pequeno, deve-se enfatizar bolsos, bainhas repressivo, os procedimentos técnicos–
de calças, golas de camisas, bonés, meias e investigativos e a perícia criminal.
calçados, entre outros. 3.( ) Local de crime pode ser definido como “toda
24.( ) Quando ao termo, FUNDADAS SUSPEITAS, área onde tenha ocorrido um fato, delituoso ou não
esclarecemos que se trata de poder vinculado do e que, portanto, venha a exigir providências
agente. policiais”.
25.( ) Na busca pessoal quando o policial encontra 4.( ) A preservação do local do crime tem por
uma arma ou objeto mesmo deverá continuar com objetivos: a perpetuação da cena do crime; a coleta
o restante da revista, outra arma ou objeto ainda de vestígios eou evidências; o estudo da dinâmica
podem estar escondidos. dos fatos; evitar a colocação ou plantação de
26.( ) Todo policial deve se lembrar que a busca vestígios; dar subsídios para a elucidação do fato e
pessoal na posição, de joelhos ou deitada, só deverá sua autoria.
utilizada em casos excepcionais, como por exemplo 5.( ) A preservação do local de crime não interfere na
delinquente em fuga, foragido, criminoso perícia criminal, quanto às circunstâncias e autoria
conhecido e perigoso, entre outros. do delito e a respectiva ação penal, logo os
27.( ) Há de se ressaltar que no Brasil, nem sempre esclarecimentos de um delito não estão
houve regulamentação pelo uso de algemas, sendo relacionados ao nível de preservação a que foi
a sumula vinculante N° 11, pioneira no assunto. submetido o local.
28.( ) Se decidir usar algemas, faça-o de modo 6.( ) Reconstituição Visual do Crime se define como
correto, procurando obter todas as vantagens desta uma minuciosa busca e registro de provas
técnica, mas cuidado para não ferir alguém encontradas nas cenas de crime, as quais serão
desnecessariamente. depuradas no próprio local ou nos laboratórios
29.( ) Na condução de um preso em um viatura sem especializados, devido a celeridade e necessidade
gaiola o detido jamais deverá ir sentado atrás do de uma investigação mais rápida e apurada.
banco do motorista e deverá sempre ser 7.( ) A eficiência na preservação e isolamento do
acompanhado por outro policial. local de crime, evita que vestígios se deteriorem ou
30.( ) Sobre a tomada de ambiente existem técnicas se percam, por ações de pessoas estranhas aos
que melhor se adéquam ao serviço policial de acontecimentos delituosos.
rotina, como a “Quick Peek” (Varredura) e a 8.( ) O primeiro passo para uma investigação policial
“Israeli Sweep” (Olhada Rápida). bem sucedida, é a preservação e isolamento do
local do crime. Seguido de um trabalho de perícia
criminal com suportes capazes de apresentar laudos
técnico-científicos contundentes, para o aumento
da taxa de fatos delituosos.
GABARITO 9.( ) A cadeia de custódia contribui para manter e
1. C 2. C 3. E 4. C 5. E documentar a história cronológica da evidência.
6. C 7. C 8. C 9. E 10. C Inclui a sequência de posse, desde a coleta até o
11. C 12. E 13. C 14. E 15. C armazenamento.
16. C 17. E 18. C 19. E 20. E 10.( ) Na área forense, todas as amostras são recebidas
como vestígios. São analisadas e o seu resultado é
21. E 22. V 23. E 24. E 25. C
apresentado na forma de laudo para ser utilizado na
26. C 27. E 28. C 29. C 30. E persecução penal.
11.( ) As amostras devem ser manuseadas de forma
cautelosa, para tentar evitar futuras alegações de
15

adulteração ou má conduta que possam 25.( ) Os locais do crime externos são aqueles quando
comprometer as decisões judiciais do caso em o crime ocorre em ambiente aberto, não limitado
questão. por edificações, como estradas, matagal, beira de
12.( ) A cadeia de custódia, por Lei, inicia-se logo rios e outros.
após o conhecimento do fato criminoso. 26.( ) Os locais do crime externos são subdivididos:
13.( ) Ao tomar conhecimento da prática da infração Área Mediata Externa e Área Imediata Externa.
penal, a autoridade policial deverá: dirigir-se ao Onde área mediata externa consiste no local
local e apreender os objetos que tiverem relação propriamente dito, onde ocorreu o crime, e área
com o fato, e repassá-los aos peritos criminais; imediata externa são as áreas de acesso para onde
14.( ) O primeiro policial a chegar ao local, após ocorreu o crime.
verificar a existência da ocorrência, deve isolar o 27.( ) Os locais relacionados são aqueles locais que
local do crime, até a chegada da autoridade policial, apresentam relações com um único fato delituoso.
acompanhada dos peritos criminais, que realizarão Esses locais de crimes são de interesse puramente
a perícia. teórico, porém auxiliam quanto à situação exige
15.( ) O ato de preservar local de crime é bem mais determinar a dinâmica do fato ocorrido.
amplo e abrangente. Podendo ser conceituado 28.( ) Locais idôneos são aqueles locais de crime que
como o ato de reconstituir rigorosamente o estado são reconstruídos nas mesmas condições que foram
em que o criminoso o deixou, até a chegada da deixados pelo seu autor envolvido, sem alteração
autoridade policial competente para tomar do estado das coisas, após a prática da infração
conhecimento do fato. penal, até a chegada dos peritos.
16.( ) Os obstáculos que o policial militar encontra no 29.( ) Locais violados são aqueles em que após a
local de crime são vários, mas é necessário ter em prática de uma infração penal e antes da chegada e
mente o que deve ser preservado e, ainda, como assunção dos peritos no local, eles apresentam-se
deve ser preservado. O principal a ser preservado alterados, quer nas posições originais dos vestígios,
são os vestígios. A importância dos vestígios está quer na subtração ou acréscimos destes, modificado
restrita ao que ele representa. de qualquer forma o estado das coisas.
17.( ) A importância dos vestígios não está restrita ao 30.( ) Corpo de Delito, do ponto de vista técnico-
que ele representa. São de fundamental pericial, entende-se como “qualquer coisa material
importância, também, as posições em que se relacionada a um crime passível de um exame
encontram e sua relação com outros vestígios. pericial”.
18.( ) Na idade média, quando ocorria um crime, se 31.( ) Vestígio define-se como “sinal que homem ou
recorria a intervenção das revelações por adivinhos, animal deixa no lugar onde passa; rastro, pegada,
ou então voltava-se as atenções para a prova sinal”. Os vestígios constituem-se, pois, em
testemunhal, que na época era considerada a rainha qualquer marca, objeto ou sinal sensível que possa
das provas, ou a própria confissão dos acusados. ter relação com o autor, vítima e o fato investigado.
19.( ) Local de crime é a porção do espaço 32.( ) No âmbito da Criminalística, uma evidência é o
compreendida num raio que, tendo por origem o vestígio que se mostrar diretamente relacionado
ponto no qual é constatado o fato, se entenda de com o delito investigado, independente da análise
modo a abranger todos os lugares em que, aparente, pericial. As evidências são, portanto, os vestígios
necessária ou presumivelmente, hajam sido ainda não depurados pelos peritos.
praticados, pelo criminoso, ou criminosos, os atos 33.( ) Considera-se indício a circunstância conhecida e
materiais, preliminares ou posteriores, à provada que, tendo relação com o fato, autorize, por
consumação do delito, e com este diretamente dedução, concluir-se a existência de outra ou outras
relacionado. circunstâncias.
20.( ) Os locais do crime podem ser classificados em: 34.( ) O vestígio verdadeiro é uma depuração total dos
Internos; Abertos; Relacionados; Preservados e elementos encontrados no local do crime, pois
Violados. somente o são aqueles que sejam produtos direto
21.( ) Os locais do crime fechados são caracterizados das ações do cometimento do delito em si.
quando o fato ocorreu em um ambiente fechado, 35.( ) O vestígio ilusório é todo elemento encontrado
circunscrito por paredes ou outras formas de no local do crime que não esteja relacionado às
fechamento como residências, interiores de ações dos atores da infração, mas que a sua
veículos. produção ocorreu de maneira intencional.
22.( ) Os locais fechados dividem-se em Área Mediata 36.( ) Por vestígio forjado entendemos todo elemento
Interna e Área Imediata Externa. encontrado no local do crime, cujo autor teve a
23.( ) Área Imediata Interna são consideradas as vias intenção de produzi-lo, com o objetivo de modificar
de acesso ao ambiente onde ocorrer o fato o conjunto dos elementos originais produzidos
delituoso, como corredores, os ambientes ao redor pelos atores da infração.
do cômodo, os jardins e demais área vizinhas. 37.( ) Vestígios transitórios são todos aqueles que em
24.( ) Área Imediata Interna consiste no espaço físico pouco tempo se deformam ou se inutilizam.
onde ocorreu o fato delituoso, como um quarto ou 38.( ) Vestígios permanentes são todos aqueles que
outro cômodo qualquer. permanecem por certo tempo, mas com alterações
16

em sua constituição. identificar e colher elementos comprobatórios da


39.( ) Indícios são as circunstancias conhecidas e existência de um crime e sua autoria
aprovadas, que tendo relação com o fato, autoriza 2.( ) A intuição é a visão indireta de alguma coisa, o
por indução, concluir-se pela existência de outras conhecimento de algo independentemente de
circunstâncias, isto é, são elementos materiais que raciocínio lógico, que não pode ser confundido com
apontam diretamente uma pessoa, que pode ser a palpite.
autora de um fato criminoso. 3.( ) As linhas de investigação devem ser seguidas,
40.( ) Indício manifesto ou escrito é aquele que é podendo o investigador descartar aquelas que vão
conhecido pelo público, parte da própria natureza de encontro a lógica e aos fatos apurados.
do fato delituoso, exemplo: bilhete. 4.( ) A previsão dos passos a ser dado na investigação
41.( ) Indício próximo é aquele que tem relação direta possibilita maiores oportunidade de se obter os
com o autor do fato, por exemplo: cédula de resultados desejados.
identidade e documentos outros encontrados no 5.( ) Ao investigar um crime, o policial dever estar
local da ocorrência, presumivelmente caídos atento ao local e ao fato criminoso, qualquer objeto
quando da luta corporal ou da prática do crime. encontrado pode ser usado para desvendar o caso.
42.( ) Indício distante é aquele que não tendo relação 6.( ) Ao chegar no local de crime, mesmo havendo
direta com o fato delituoso, é aceito nas indagações pessoas que estejam precisando de socorro médico,
ou investigações que serão procedidas, para o policial não deve tocar e nem remover objetos.
eliminar possíveis infratores. 7.( ) No local de crime o policial deve conduzir o
43.( ) 43 O exame em local de morte violenta, depoimento das testemunhas, esse depoimento tem
normalmente, é um dos mais ricos em quantidade muita valia e ajuda a descoberta da verdade.
de detalhes. Para se realizar um bom exame os 8.( ) Na cena do crime o policial deve lembrar seus
profissionais de segurança devem ter em mente três passos, o seu deslocamento no local deve ser o mais
pressupostos básicos: a paciência, a perseverança e extenso possível.
a descrição em todos os momentos. 9.( ) A investigação poderá continuar noutro local
44.( ) A cena de um crime deve ser documentada com que não seja o da cena do crime.
anotações escritas, fotografias, vídeos e desenhos. 10.( ) Quanto mais tempo se gasta para iniciar
Quanto à fotografia, esta auxilia sob dois aspectos. determinada investigação, mais se perde em termo
O primeiro é de visualizar posteriormente as de informações valiosas, que em muitos casos,
condições exatas do local. O segundo aspecto é o poderão ser essenciais para o resultado final da
da importância da fotografia constar como investigação.
ilustração em todos os laudos, para servir de 11.( ) A polícia deve divulgar como vai proceder suas
instrumento de condenação do autor do fato. diligências visando não contrapor ao princípio da
45.( ) O desenho criminalístico é uma ferramenta publicidade.
indispensável para o perito, uma vez que ajuda na 12.( ) O modus operandi em si não serve como prova
sua tarefa tanto de examinar um local de crime, condenatória, o criminoso não será condenado pelo
como também de interpretar e demonstrar os dados modus operandi.
contidos nos laudos. 13.( ) A interceptação de telefones fixos ou móveis
somente deve ser usada quando não existir outros
GABARITO meios que possibilitem a descoberta de crimes ou
organizações criminosas.
14.( ) O Art. 5º da Lei 9.296/96, além de exigir a
1. C 2. E 3. E 4. C 5. E motivação da decisão que determina a
6. E 7. C 8. E 9. E 10. E interceptação telefônica, estabelece o prazo de 30
11. C 12. C 13. E 14. C 15. E dias para a colheita de provas.
16. E 17. C 18. C 19. C 20. C 15.( ) Quanto ao procedimento da interceptação
21. C 22. E 23. C 24. C 25. C telefônica, todas as conversas interceptadas
26. E 27. C 28. E 29. C 30. C necessitam obrigatoriamente de serem transcritas.
31. C 32. E 33. E 34. C 35. E 16.( ) A prova decorrente de interceptação telefônica
não amparada em lei é manifestadamente ilícita e
36. C 37. C 38. E 39. C 40. E
danosa a investigação policial, ao indiciado e à
41. E 42. E 43. E 44. E 45. C sociedade.
17.( ) A interceptação somente pode ser motivada com
base em crime grave, punível pelo menos com pena
de reclusão.
INVESTIGAÇÃO POLICIAL 18.( ) Na investigação compartimentada o comando é
único, no entanto, determinados policiais somente
Julgue os itens abaixo, marcando “C” para Certo ou “E” tem conhecimento de algumas tarefas realizadas no
para Errado, no que tange à investigação policial. procedimento investigatório.
19.( ) Nos casos de crimes interligados o ideal é que a
1.( ) O objetivo primordial da investigação criminal é investigação seja coordenada por várias equipes.
17

20.( ) Na investigação compartimentada o comando é 35.( ) A Recognição visuográfica retrata todo


único. No entanto, determinados policiais somente levantamento do crime: dados da vítima, autor,
tem conhecimento de algumas tarefas realizadas no testemunhas, instrumento do crime, características
procedimento investigatório. do suspeito, comportamento, bem como local, hora,
21.( ) O sigilo bancário é um direito considerado dia do fato.
absoluto e inviolável podendo ser desvendado 36.( ) Durante o reconhecimento de pessoa, é
(quebrado) apenas por ato de investigação policial. obrigatória a presença de outras pessoas, ao lado do
22.( ) Por não ser um direito absoluto, a autoridade suspeito para que a vítima possa identificar o
policial pode autorizar a quebra do sigilo bancário mesmo.
para a apuração de ocorrência de qualquer ilícito. 37.( ) O reconhecimento por fotografia deve ser
23.( ) A quebra de sigilo bancário é fundamental para utilizado apenas quando não é possível o
a investigação criminal nos crimes financeiros e de reconhecimento pessoal. Esse tipo de prova pode
lavagem de dinheiro fundamentar a decisão condenatória quando
24.( ) O servidor público que utilizar ou viabilizar a analisada isoladamente.
utilização de qualquer informação obtida em 38.( ) Havendo excesso ou abuso da autoridade no
decorrência da quebra de sigilo bancário não decorrer de uma investigação policial, tornará o ato
responde pelos danos decorrentes. A entidade ilícito, porém não poderá ensejar reparação, uma
pública é responsabilizada objetivamente pelos vez que foi necessário para a elucidação do fato.
danos causados por seus servidores. 39.( ) O policial civil responde civil, penal e
25.( ) A infiltração é um procedimento de investigação administrativamente pelo exercício irregular de
policial e tem por objetivo o desvendamento de suas atribuições ficando sujeito, isoladamente, às
crimes praticados por organizações criminosas. respectivas cominações.
26.( ) A infiltração de agentes não está condicionada à 40.( ) A responsabilidade civil do policial civil
autorização judicial. Podendo ser utilizada somente decorre, apenas, de procedimentos dolosos que
quando não houver outro meio de desvendar a ação importem em prejuízo à Fazenda Pública.
criminosa de grupos organizados 41.( ) A responsabilidade civil do estado possibilita o
27.( ) As provas obtidas mediante tortura não são direito de regresso contra o policial responsável nos
admitidas. Já as provas obtidas através de casos de dolo ou culpa, mas exclui o direito da
microfones simulados para captar conversas vítima de demandar diretamente contra o policial
íntimas e o diário pessoal onde as pessoas registram que teria agido culposamente.
os acontecimentos mais importantes do dia-a-dia 42.( ) Ação controlada é o procedimento mediante o
são consideradas provas lícitas. qual se permite que o envio, presumível ou
28.( ) É desnecessário o mandado de busca e confirmado, de mercadorias ou drogas ilícitas,
apreensão para os crimes permanentes, sendo lícito descoberto pela atividade de inteligência policial,
à autoridade policial ingressar no interior do saia, transite ou ingresse no território de um ou mais
domicílio a qualquer hora do dia ou da noite para países, sem o conhecimento e a supervisão das
fazer cessar a prática criminosa. autoridades competentes, a fim de possibilitar o
29.( ) O crime de falso testemunho é de natureza descobrimento e a identificação de pessoas
formal e se consuma no momento em que a pessoa, envolvidas com a organização criminosa.
durante o processo judicial ou inquérito policial, faz
afirmação falsa, nega ou cala a verdade. GABARITO
Efetivando, apenas quando o depoimento desleal
influir na decisão final da causa. 1. C 2. E 3. C 4. C 5. C
30.( ) Não é facultado á testemunha ficar em silêncio, 6. E 7. E 8. E 9. C 10. C
configurando, dessa forma, o crime de falso 11. E 12. C 13. C 14. E 15. E
testemunho 16. C 17. C 18. C 19. E 20. C
31.( ) O exame de corpo de delito é dispensável para 21. E 22. E 23. C 24. E 25. C
comprovar a materialidade dos crimes que deixam 26. E 27. E 28. C 29. E 30. C
vestígios, uma vez que a prova testemunhal supre 31. E 32. C 33. E 34. C 35. C
essa comprovação
36. E 37. E 38. E 39. E 40. E
32.( ) Corpo de delito indireto é a prova da
materialidade de um crime por meio, geralmente, 41. E 42. E
de testemunhas.
33.( ) A denúncia anônima, como forma de elucidar as
investigações policiais é prova ilícita, apesar de ser
uma prática fomentada pelas instituições públicas.
34.( ) A delação premiada tem por objetivo a
descoberta e desconstituição de grandes
organizações criminosas, sendo imprescindível o
segredo de justiça para que se garanta a segurança
do delator.
18

13.( ) O Planejamento das operações de inteligência é


composto por um Estudo de Situação e um Plano
de Operações de ISP além da previsão de ações
INTELIGÊNCIA EM SEGURANÇA PÚBLICA
alternativas.
14.( ) Medidas de Controle é o conjunto de
Analise as afirmativas abaixo e marque “C” para Certo procedimentos que tem por objetivo zelar por
ou “E” para Errado. aspectos da operação em curso, fundamentalmente
pela segurança e eficácia, inclusive por seu
1.( ) No julgamento da fonte (pessoas, organizações equilíbrio.
ou documentos), busca-se seu grau de idoneidade, 15.( ) Medidas de Coordenação é o conjunto de
idoneidade, verificando verificando-se três procedimentos que tem por meta promover a
aspectos aspectos: Autenticidade, Confiança e colaboração de distintos órgãos e evitar que haja
Competência. interferências externas à Operação de ISP.
2.( ) No julgamento do conteúdo, buscando a
atribuição do grau de veracidade, devem ser
verificados três aspectos: Coerência,
Compatibilidade e Semelhança. GABARITO
3.( ) São documentos de circulação externa entre os
1. V 2. V 3. V 4. V 5. V
órgãos de inteligência: Relatório de Inteligência
6. F 7. F 8. V 9. V 10. F
(Relint), Pedido de Busca (PB), Relatório Técnico
(RT), Comunicado e Sumário. 11. V 12. V 13. V 14. V 15. V
4.( ) São documentos de circulação interna intra
órgãos de inteligência: Relatório Interno (RI),
Ordem de Busca (OB) e Relatório de Busca (RB).
5.( ) Contra inteligência (CI) é o ramo da atividade de LEGISLAÇÃO DA CONTROLADORIA GERAL
ISP que se destina proteger a atividade de DE DISCIPLINA DOS ÓRGÃOS DE SEGURANÇA
Inteligência e a instituição a que pertence, mediante PÚBLICA E SISTEMA PENITENCIÁRIO
a produção de conhecimento e implementação de
ações voltadas a salvaguarda de dados e Analise as afirmativas abaixo e marque “C” para Certo
conhecimentos sigilosos, além da identificação e ou “E” para Errado.
neutralização das ações adversas de qualquer
natureza. 1.( ) Os valores institucionais que regem a Controladoria
6.( ) Dentre os conceitos básicos da Contra Geral de Disciplina são: o respeito à dignidade da pessoa
Inteligência está a Responsabilidade, que é a perda humana, a ética, o compromisso social, o
da segurança de dados ou conhecimentos, compromisso institucional e a garantia ao devido
provocada por fatores humanos, naturais e processo legal.
acidentais. 2.( ) A pena de suspensão será aplicada até 30 (trinta) dias
7.( ) A Segurança de Ativa é o conjunto de normas, nas transgressões de primeiro grau ou na reincidência de
medidas e procedimentos de caráter eminentemente falta já punida com repreensão, e de 30 (trinta) a 90
defensivo, destinado a garantir o funcionamento da (noventa) dias nas transgressões de segundo grau.
instituição, de modo a prevenir e obstruir as ações 3.( ) Na hipótese da prática de transgressão disciplinar de
adversas de qualquer natureza. terceiro grau, a sanção cabível é a demissão. De outra
8.( ) A Segurança Orgânica caracteriza-se pelo forma, a demissão a bem do serviço público ocorrerá no
conjunto de medidas integradas e planejadas, caso de transgressão disciplinar de quarto grau e nos
destinadas a proteger os ativos institucionais. casos de transgressão disciplinar de terceiro grau
9.( ) Operações de Inteligência é o exercício de uma quando a gravidade do caso justifique tal medida, a
ou mais Ações e Técnicas Operacionais, critério da autoridade julgadora.
executadas para obtenção de dados negados de 4.( ) Apreciar em grau de recurso, os processos cuja
difícil acesso e/ou para neutralizar ações adversas decisão final tenha sido proferida pelo Controlador
que exigem, pelas dificuldades e/ou riscos Geral de Disciplina é uma atribuição do Grupo Tático
iminentes, um planejamento minucioso, um esforço de Atividade Correicional – GTAC.
concentrado, e o emprego de pessoal, técnicas e 5.( ) Nas ausências e impedimentos do Controlador Geral
material especializado. de Disciplina, o seu substituto imediato será o
10.( ) Os procedimentos de Ações de Busca são Controlador Geral Adjunto de Disciplina, exercente de
apenas: reconhecimento, vigilância e recrutamento cargo de provimento em comissão, de livre nomeação e
operacional. exoneração pelo Governo do Estado, escolhido
11.( ) Existem dois tipos básicos de Operações de também dentre Bacharéis em Direito.
Inteligência: as exploratórias e as sistemáticas. 6.( ) Na condição de condutor maior da CGD, o
12.( ) O Planejamento das operações de inteligência é Controlador Geral de Disciplina, é detentor de algumas
a formulação lógica e sistemática de ação ou ações atribuições, como: Assessorar o Secretário de
que se pretende realizar, incluindo detalhamento e Segurança nos assuntos de sua competência.
cronologia de desencadeamento. 7.( ) A Controladoria-Geral de Disciplina dos Órgãos de
19

Segurança Pública e Sistema Penitenciário – CGD, tem de uma Delegacia Especializada de natureza peculiar,
como atribuição institucional, dentre outras: Acessar uma vez que faz parte da estrutura organizacional da
quaisquer banco de dados funcionais dos integrantes da Delegacia Geral da Polícia Civil, no entanto, o seu
Secretaria de Segurança Pública e de Defesa Social e funcionamento, direção, missão, encontra-se
da Secretaria de Justiça e Cidadania. vinculado à Controladoria Geral de Disciplina dos
8.( ) Diante da grande demanda de processos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário
disciplinares e da necessidade de emprestar uma maior (CGD), para exercer as funções de polícia judiciária,
eficiência na fiscalização dos atos praticados pelos quanto à apuração das infrações penais e realizando as
agentes da Segurança Pública, como já se mencionou Investigações relativas aos delitos que tenham
alhures, o Governo do Estado do Ceará decidiu pela repercussão funcional ou que sejam praticados em
criação de um órgão externo de controle disciplinar, no razão da função ou possam caracterizar desvios de
caso, a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de conduta atinentes aos policiais civis, militares,
Segurança Pública e Sistema Penitenciário – CGD - por bombeiros militares e agentes penitenciários e
meio inclusão do artigo 180-A na Constituição outras necessárias ao cumprimento da sua
Estadual finalidade, exceto aquelas tipicamente de natureza
9.( ) Com a criação da Controladoria-Geral de militar.
Disciplina decorrente da Emenda Constitucional nº 18.( ) A Controladoria-Geral de Disciplina dos Órgãos de
70, de 18 de janeiro de 2011, foi extinta a Segurança Pública e Sistema Penitenciário – CGD, tem
Corregedoria Geral dos Órgãos de Segurança como atribuição institucional, dentre outras: Ter acesso
Pública e Defesa Social que era vinculada a estrutura a qualquer banco de dados de caráter público do Poder
organizacional da Secretaria de Segurança Pública e Executivo e aos locais que guardem pertinência com
Defesa Social. suas atribuições.
10.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de TERCEIRO 19.( ) Extingue-se punibilidade pela prescrição: de falta
grau. Provocar movimento de paralisação total ou sujeita à pena de repreensão, em 02 (dois) anos; de falta
parcial do serviço policial ou qualquer outro sujeita à pena de suspensão, em 04 (quatro) anos; da falta
serviço, ou dele participar fora dos casos previstos sujeita à pena de demissão ou de demissão a bem do
em lei serviço público, ou de cassação de aposentadoria ou
11.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de TERCEIRO disponibilidade, em 06 (seis) anos; da falta prevista em
grau. Procedimento irregular de natureza grave OU lei como infração penal, no mesmo prazo em que se
Insubordinação grave extinguem a punibilidade desta, pela prescrição, desde
12.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de SEGUNDO que não inferior a 06 (seis) anos. São, por sua vez,
GRAU. Lançar, sob qualquer hipótese, em registro, imprescritíveis o ilícito de abandono de cargo e a
arquivo, papel ou qualquer expediente oficial, dado respectiva sanção, enquanto perdurar o abandono.
errôneo, incompleto ou que possa induzir a erro, bem 20.( ) Conforme disposto no § 1°c/c § 8° do art. 18 da Lei
como neles inserir anotação indevida. Complementar n° 98/2011 o afastamento preventivo,
13.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de SEGUNDO enquanto ato discricionário, sem caráter punitivo,
GRAU. Exibir desnecessariamente arma, distintivo ou poderá ser decretado atendendo à sugestão
algema; fundamentada do Secretário da Segurança Pública e
14.( ) Concluídos os processos realizados pelos Defesa Social e do Secretário de Justiça e Cidadania, do
conselhos/comissões, estes remeterão o processo com Controlador Geral Adjunto, dos Coordenadores de
relatório decisivo ao Controlador Geral de Disciplina, o Disciplina Militar e Civil e dos Presidentes de
qual acatará a decisão e desta caberá recurso, em regra, Comissão.
sem efeito suspensivo, dirigido ao Conselho de 21.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de SEGUNDO
Disciplina e Correição, no prazo de 10 (dez) dias, GRAU. Deixar de reassumir o exercício, sem motivo
conforme previsto no art. 30 da Lei Complementar n° justo, ao final de afastamento regular ou, ainda, depois
98/2011. de saber que o mesmo foi interrompido por ordem
15.( ) O período de afastamento das funções será superior;
computado, para todos os efeitos legais, como de 22.( ) Os Conselhos Militares Permanentes de
efetivo exercício, salvo para fins de promoção, seja por Justificação, dirigido a apuração dos desvios de conduta
merecimento ou por antiguidade. Contudo, na hipótese dos oficiais e dos desvios de conduta das praças são
de decisão de mérito favorável ao servidor o tempo de compostos, cada um, por 03 (três) oficiais, militares
suspensão será computado retroativamente para fim de e/ou bombeiros militares estaduais, ou militares das
promoção por merecimento e antiguidade. forças armadas, dos quais, um deverá ser oficial
16.( ) Na forma do art. 18 da Lei Complementar n° 98/2011, superior, recaindo sobre o mais antigo a presidência
ao Governador do Estado, ao Secretário de Segurança da comissão/conselho, enquanto o outro atuará como
Pública e ao Controlador Geral competem afastar interrogante, o último como relator e escrivão.
preventivamente das funções os servidores integrantes 23.( ) A Controladoria Geral de Disciplina em vista das
do grupo de atividade de polícia judiciária, policiais especificidades legais a que estão submetidos os
militares, bombeiros militares e agentes servidores de cada órgão alcançados pela Lei
penitenciários. Complementar n° 98/2011, separou em duas
17.( ) A Delegacia de Assuntos Internos – D.A.I., trata-se Coordenações (Civil e Militar) a tarefa para organizar a
20

realização dos procedimentos administrativos GRAU. Utilizar para fins particulares, qualquer que seja
disciplinares (PAD, CJ, CD, Sindicâncias), conforme o pretexto, material pertencente ao Estado OU Fazer uso
visto em seu organograma. indevido de bem ou valor que lhe chegue as mãos, em
24.( ) Controladoria Geral de Disciplina - CGD é um decorrência da função, ou não entregá-lo, com a
órgão, com autonomia administrativa e financeira, brevidade possível, a quem de direito.
vinculado à Secretaria de Segurança Pública e Defesa 34.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de TERCEIRO
Social - SSPDS e à Secretaria de Justiça e Cidadania do grau. Deixar de encaminhar ao órgão competente, para
Estado do Ceará – SEJUS. tratamento ou inspeção médica, subordinado que
25.( ) A autoridade que aplicar a pena de suspensão apresentar sintomas de intoxicação habitual por
poderá convertê-la, após seu início, em multa de 50% qualquer substância que determine dependência
(cinquenta por cento) dos vencimentos correspondentes física ou psíquica, ou de comunicar tal fato, se
ao período de punição, sendo obrigado ao policial civil, incompetente, à autoridade que o for
neste caso, permanecer em serviço. 35.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de TERCEIRO
26.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de SEGUNDO grau. Revelar dolosamente segredo de que tenha
GRAU. Tratar superior hierárquico, subordinado, ou conhecimento em razão de cargo ou função, com
colega, sem o devido respeito ou deferência OU faltar prejuízo para o Estado ou para particular
à verdade no exercício de suas funções. 36.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de
27.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de TERCEIRO PRIMEIRO GRAU. A Autoridade Policial que
GRAU. Simular doença para esquivar-se ao cumprimento transferir a responsabilidade ao Escrivão da elaboração
de obrigação, faltar ou chegar atrasado ao serviço ou do relatório do inquérito, bem como não fazer as devidas
plantão para o qual estiver escalado, ou abandoná-lo, inquirições.
ou deixar de comunicar com antecedência à 37.( ) Na condição de condutor maior da CGD, o
autoridade policial a que estiver subordinado a Controlador Geral de Disciplina, é detentor de algumas
impossibilidade de comparecer à repartição, salvo atribuições, como: Processar as sindicâncias e
por motivo justo ou apresentar-se ao trabalho processos administrativos disciplinares civis e militares
alcoolizado ou sob efeito de substância que avocados e aplicar quaisquer penalidades.
determine dependência física ou psíquica. 38.( ) O dirigente maior da CGD é denominado pela Lei
28.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de TERCEIRO de Controlador Geral de Disciplina, cargo em
GRAU. Deixar de reassumir o exercício, sem motivo comissão, subordinado ao Secretário de Segurança do
justo, ao final de afastamento regular ou, ainda, depois Estado, de livre nomeação e exoneração pelo
de saber que o mesmo foi interrompido por ordem Governador do Estado, escolhidos dentre profissionais
superior; bacharéis em Direito, de conduta ilibada, sem vínculo
29.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de PRIMEIRO funcional com os órgãos que compõem a Secretaria da
GRAU. Permutar horário de serviço ou execução de Segurança Pública e Defesa Social e da Secretaria de
tarefa com expressa permissão da autoridade Justiça e Cidadania.
competente. 39.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de SEGUNDO
30.( ) A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos GRAU. Protelar injustificadamente expediente que lhe
de Segurança Pública e Sistema Penitenciário, além seja encaminhado, negligenciar na execução de
de substituir e ampliar as funções anteriormente ordem legítima e interceder maliciosamente em favor
desempenhada pela extinta Corregedoria-Geral dos de parte.
Órgãos de Segurança Pública e Defesa Social, unidade 40.( ) As Comissões Civis Permanentes de Processos
orgânica subordinada a Secretaria da Segurança Disciplinares serão compostas por 03 (três) membros,
Pública e Defesa Social, incorporou às suas que serão indicados pelo governador do estado, dentre
atribuições de controle disciplinar e correicional Delegados de Polícia ou Servidores Públicos Estáveis,
também do sistema penitenciário, vinculado à sendo constituído de 01 (um) presidente, 01 (um)
Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do secretário e 01 (um) membro.
Ceará. 41.( ) Na condição de condutor maior da CGD, o
31.( ) A CGD diante de sua característica autônoma é Controlador Geral de Disciplina, é detentor de algumas
detentora de uma estrutura administrativa própria atribuições, como: O controle, o acompanhamento, a
que, por sua vez, é definida no Decreto Estadual nº investigação, a auditoria, o processamento e a
30.608, de 22 de julho de 2011, onde se estabelece a punição disciplinar; Dirigir, definir, planejar,
sua estrutura organizacional, a distribuição e a controlar, orientar e estabelecer as políticas, as
denominação dos cargos de direção superior e de diretrizes e as normas de organização interna e as
direção e assessoramento. atividades desenvolvidas pelo órgão.
32.( ) Apurar condutas atribuídas a servidores, civis, 42.( ) A Controladoria-Geral de Disciplina dos Órgãos de
militares e bombeiros militares, inclusive, a observância Segurança Pública e Sistema Penitenciário – CGD, tem
dos aspectos relativos a jornada de trabalho, área de como atribuição institucional, dentre outras: Orientar
atuação, apresentação pessoal, postura e compostura, na aplicação e acompanhamento do cumprimento de
bem como a legalidade de suas ações, é uma atribuição punições disciplinares.
do Grupo Tático de Atividade Correicional – GTAC. 43.( ) Ficou, a CGD responsável, em regra, pelo tratamento
33.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de SEGUNDO da apuração da responsabilidade disciplinar e aplicar as
21

sanções cabíveis aos militares da Polícia Militar, inicial é de até 600 dias (sessenta dias), contudo
militares do Corpo de Bombeiro Militar, membros das poderá se prorrogado, uma única vez, por igual
carreiras de Polícia Judiciária e os membros da período.
carreira de Segurança Penitenciária. 56.( ) Será, cassada a aposentadoria ou disponibilidade
44.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de QUARTO quando o aposentado ou disponível praticar, no
grau. Praticar ofensa física contra funcionário, servidor, exercício funcional, transgressões disciplinares de
particular ou preso, salvo se em legítima defesa OU terceiro e quarto graus.
causar dano doloso ao patrimônio público.
45.( ) Ressalte-se a obrigatoriedade de instauração de
Processo Administrativo Disciplinar (P.A.D.) quando a GABARITO
infração disciplinar, por sua natureza, possa determinar 1. C 2. C 3. C 4. E 5. C
a pena de demissão ou de demissão a bem do serviço 6. E 7. C 8. E 9. C 10. E
público ou cassação da aposentadoria ou 11. C 12. E 13. E 14. E 15. C
disponibilidade.
16. E 17. C 18. C 19. C 20. C
46.( ) A Controladoria-Geral de Disciplina dos Órgãos de
Segurança Pública e Sistema Penitenciário – CGD, tem 21. E 22. E 23. C 24. E 25. E
como atribuição institucional, dentre outras: Exercer as 26. V 27. E 28. E 29. E 30. C
funções de orientação, controle, acompanhamento, 31. C 32. C 33. C 34. E 35. E
investigação, auditoria, processamento e punição 36. C 37. E 38. E 39. C 40. E
disciplinares. 41. C 42. E 43. C 44. E 45. C
47.( ) A Controladoria-Geral de Disciplina dos Órgãos de 46. C 47. C 48. E 49. E 50. C
Segurança Pública e Sistema Penitenciário – CGD, tem 51. C 52. E 53. E 54. E 55. E
como atribuição institucional, dentre outras: Auxiliar os 56. C 57. 58. 59. 60.
órgãos estaduais nas atividades de investigação social
dos candidatos aprovados em concurso público.
48.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de TERCEIRO
GRAU. Manter relações de amizade ou exibir-se em
público com pessoas de notórios e desabonados FUNDAMENTOS DE DIREITO PENAL
antecedentes criminais ou policiais, salvo por motivo
relevante ou de serviço. Analise as afirmativas a seguir e julgue-as, marcando “C”
49.( ) Estão sujeitos ao controle da CGD, os militares da para Certo ou “E” para Errado, em relação aos
Polícia Militar, militares do Corpo de Bombeiros fundamentos de Direito Penal.
Militar, membros das carreiras de Polícia Judiciária,
membros da carreira de Segurança Penitenciária e
demais funcionários públicos estaduais do estado do 1.( ) Num Estado Democrático de Direito, o
Ceará. ordenamento jurídico admite que os titulares dos
50.( ) Na condição de condutor maior da CGD, o poderes os exerçam sem limites.
Controlador Geral de Disciplina, é detentor de algumas 2.( ) O jus persequendi determina que o Estado tem o
atribuições, como: Convocar quaisquer servidores dever de trilhar os caminhos previamente
estaduais para prestarem informações e estabelecido pelo ordenamento jurídico.
esclarecimentos. 3.( ) A persecução penal é composta por cinco fases:
51.( ) Das decisões definitivas do Controlador ou das Cominação legal; Instrução Preliminar; Instrução
decisões do Conselho de Disciplina e Correição, em Criminal; Execução Penal; Reabilitação.
grau de recurso, somente poderá discordar o 4.( ) O Inquérito Policial materializa o dispensável
Governador do Estado. lastro probatório à persecução penal.
52.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de PRIMEIRO 5.( ) A tipicidade é a perfeita correspondência entre o
GRAU. Não ser leal às Instituições, não proceder na vida fato real e o fato descrito hipoteticamente, no
pública ou particular de modo a dignificar a função preceito primário da lei penal.
policial e não residir na sede do município onde 6.( ) Para a configuração do tipo, imprescindível
exerça sua função, ou dela ausentar-se sem a existência de todos os elementos objetivos,
devida autorização. subjetivos e normativos.
53.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de TERCEIRO 7.( ) Elementos objetivos são aqueles puramente
grau. Atribuir-se ou permitir que se atribua a pessoa descritivos identificados.
estranha à repartição, fora dos casos previstos em 8.( ) Elementos subjetivos são os elementos
lei, o desempenho de cargos policiais. característicos do agente, de sua consciência e
54.( ) Trata-se de transgressão disciplinar de TERCEIRO vontade.
grau. Exercer mesmo nas horas de folga, qualquer outro 9.( ) Elementos normativos são os termos ou
cargo, função ou emprego, exceto atividade relativa expressões que só adquirem sentido a partir de um
ao ensino ou à difusão cultural. juízo de valor das normas legais.
55.( ) O afastamento preventivo pode perdurar, no 10.( ) Há tipicidade direta quando o tipo penal não
máximo, por até 120 (cento e vinte dias). Sua duração contém todos os elementos que o compões.
22

11.( ) Na tipicidade indireta se faz necessário à pessoas jurídicas, de acordo com a legislação
tipicidade que se complete o tipo penal com outras normativa do Exército.
normas contida na parte geral, 5.( ) Uso restrito é a designação dada aos produtos
12.( ) No homicídio o elemento subjetivo é o dolo, a controlados pelo Exército que só podem ser
vontade livre e consciente de praticar o verbo do utilizados pelas Forças Armadas ou, autorizadas pelo
tipo. Exército, algumas Instituições de Segurança, pessoas
13.( ) A conduta de matar com a intensidade especifica
jurídicas habilitadas e pessoas físicas não habilitadas.
de exterminar grupo é genocídio.
6.( ) Ferrolho é o mecanismo que segura a cápsula da
14.( ) A violência física ou moral que causar dor física
ou moral, independente da finalidade é tortura. munição, fora da câmara, movendo-se para frente e
15.( ) No âmbito da unidade doméstica é necessário o para trás de modo a permitir que as outras etapas do
vínculo familiar para que ocorra o ilícito. funcionamento ocorram. É também a parte interior
16.( ) No âmbito da família para que se caracterize da culatra, que recebe todo o impacto gerado pela
violência domestica não importa onde o crime combustão da carga do cartucho no momento do
aconteça. disparo.
17.( ) Na violência doméstica é necessário que o 7.( ) O Mecanismo de Disparo é constituído pelo
agressor conviva com a ofendida, independente de gatilho, pelo cão percutor (na percussão direta), ou
coabitação. pelo cão e pelo percutor (na indireta), e, ainda, pelas
18.( ) Nos casos de violência onde a mulher for vítima, travas de segurança.
se aplica a Lei Maria da Penha. 8.( ) A Ação Simples exige que o atirador para efetuar
19.( ) Crime de Lesão Corporal Culposa e leve são de
o primeiro disparo, engatilhe manualmente, puxando
ação penal pública condicionada.
o cão para trás. Após o primeiro disparo, com a ação
20.( ) Nos crimes comuns a retratação pode ocorrer até
antes do oferecimento da denúncia, nos crimes da dos gases sobre o ferrolho que o movimentam
Lei Maria da Penha não cabe retratação. criando um ciclo para a extração e alimentação da
arma, o cão é naturalmente armado sem a
necessidade de outra operação manual.
GABARITO
9.( ) Uma pistola em ação dupla, o primeiro disparo
1. F 2. V 3. V 4. F 5. V pode ser efetuado após um longo puxar de gatilho,
6. V 7. V 8. F 9. V 10. F sendo necessário o engatilhamento manual do cão.
11. V 12. V 13. V 14. F 15. F Os disparos seguintes são efetuados como na pistola
16. V 17. V 18. F 19. F 20. F de ação simples, com o cão sendo naturalmente
desarmado pelo movimento do ferrolho após o
disparo.
10.( ) O calibre de uma munição é a medida padrão do
ARMAS E MUNIÇÕES LETAIS E MENOS LETAIS seu projétil. Hoje em dia, essa medida corresponde à
E EQUIPAMENTOS bitola ou diâmetro do projétil, o qual coincide,
normalmente, com o diâmetro interno da alma da
Analise as assertivas abaixo, marcando “C” para Certo ou arma de fogo que o utiliza.
“E” para Errado, no que tange às armas e munições letais 11.( ) O cartucho de munição possui os seguintes
e menos letais e equipamentos. componentes, comuns a todos os tipos: o projétil, o
estojo, a carga de projeção ou a pólvora e a espoleta.
1.( ) Arma portátil é a arma cujo peso e dimensões 12.( ) Projéteis podem ser divididos em três partes: a)
permitem que seja transportada por um único ponta: parte superior do projétil que, quase sempre,
homem, mas não conduzida em um coldre, fica exposta; b) corpo: cilíndrico, geralmente,
exigindo, em situações normais, ambas as mãos contém canaletas, destinadas a receber graxa ou a
para a realização eficiente do disparo. aumentar a fixação do projétil ao estojo; c) base:
2.( ) Arma de porte é arma de fogo de dimensões e parte inferior do projétil. Fica presa no estojo e está
peso reduzidos, que pode ser portada por um sujeita à ação dos gases resultantes da queima da
indivíduo em um coldre e disparada, comodamente, pólvora.
com somente uma das mãos pelo atirador. 13.( ) Estojo é o componente de união mecânica do
3.( ) Arma semi-automática é arma que realiza, cartucho. O estojo possibilita que todos os
automaticamente, todas as operações de componentes necessários ao disparo fiquem unidos
funcionamento com exceção do disparo, o qual, em uma única peça, o que facilita o manejo da arma
para ocorrer, requer, a cada disparo, um novo e acelera o processo de carregamento.
acionamento do gatilho. 14.( ) Classifica-se estojo, quanto à forma do seu corpo
4.( ) Uso permitido é a designação dada aos produtos em: Cilíndrico (o estojo mantém seu diâmetro por
controlados pelo Exército, cuja utilização é toda sua extensão), Cônico (o estojo tem diâmetro
permitida a pessoas físicas em geral, exceto a
23

por parte do agressor contra a vida de alguém,


estrangulamento - gargalo). inclusive a sua.
15.( ) Para se ter um bom resultado na prática de tiro é 29.( ) Não é legítimo o uso de arma de fogo: I - contra
necessário ter o olho, o entalho da alça, a massa de pessoa em fuga que esteja desarmada ou que não
mira e o alvo em uma mesma linha imaginária, represente risco imediato de morte ou de lesão aos
conhecida linha de visada. agentes de segurança pública ou a terceiros; e II -
contra veículo que desrespeite bloqueio policial em
16.( ) Podemos dizer que a massa dentro da alça via pública, exceto quando o ato represente risco de
chama-se “massa desenquadrada”, devendo-se ter morte ou lesão aos agentes de segurança pública ou a
esta posição em cada processo de pontaria. terceiros.
17.( ) A visada, concentra-se no alinhamento perfeito 30.( ) De acordo com o disposto no art. 2º da Lei
da massa e da alça de mira, sobretudo, deverão ser 13.060/2014, a utilização dos instrumentos de
ajustadas no centro do objetivo no qual iremos menor potencial ofensivo deve obedecer aos
atingir. princípios da “legalidade, necessidade,
18.( ) Componentes da visada é o somatório, de razoabilidade e proporcionalidade.”
alinharemse seu olho, a alça de mira, a massa de 31.( ) As armas TASER emitem impulsos elétricos
mira, e o alvo a ser atingido. com a mesma forma de onda das ondas cerebrais.
19.( ) Linha de Mira é a linha imaginária que une o 32.( ) O cartucho TASER deve sempre permanecer
olho do atirador à massa de mira, passando pela alça. dentro da arma e, mesmo assim, apontado para um
20.( ) Na pane definida como Nega, a arma não dispara local seguro.
isso ocorre devido o problema com a munição, 33.( ) O Ortoclorobenzalmalononitrilo é um agente
espoleta picotada ou carregador solto. químico irritante lacrimogêneo para emprego em
21.( ) Na pane definida como Chaminé ou Torre, por operações de combate à criminalidade e controle de
um problema qualquer a ação dos gases não teve distúrbios. Foi desenvolvido para uso em áreas
força suficiente para expelir a cápsula abertas. Exige do agente da lei, treinamento
completamente e ela fica voltada para cima na janela específico para aplicação, descontaminação e
de ejeção. primeiros socorros.
22.( ) Na pane definida como Embuchamento, a 34.( ) Projéteis Encamisados: também chamados de
cápsula se posiciona horizontalmente na janela de jaquetados, são constituídos de dois núcleos
ejeção. (normalmente de chumbo), coberto por uma capa
23.( ) Na pane definida como Dupla Alimentação ou externa (ou jaqueta, geralmente de cobre/níquel,
Duplo Carregamento, A cápsula estufa dentro da teflon, nylon ou ainda alumínio).
arma. 35.( ) Arma de repetição é arma em que o atirador, após
24.( ) Conceitua-se como Armas Menos Que Letais, a realização de cada disparo, decorrente da sua ação
armas especificamente projetadas e empregadas para sobre o gatilho, necessita empregar sua força física
incapacitar pessoal ou material, ao mesmo tempo em sobre um componente do mecanismo desta para
que minimizam mortes, ferimentos permanentes no concretizar as operações prévias e necessárias ao
pessoal, danos indesejáveis à propriedade e disparo seguinte, tornando-a pronta para realizá-lo.
comprometimento do meio-ambiente.
25.( ) As Armas Menos Que Letais se voltam GABARITO
prioritariamente à preservação da vida, o que se não
se coaduna com o perfil de policia servidora que é 1. C 2. C 3. C 4. E 5. E
uma exigência e uma imposição do mundo 6. E 7. C 8. C 9. E 10. C
contemporâneo. 11. C 12. C 13. C 14. C 15. C
26.( ) Um dos objetivos deste tipo de armamento é o de 16. E 17. C 18. C 19. C 20. C
alcançar um alto nível de conflitos, aconcelhando as 21. C 22. E 23. E 24. C 25. E
armas mais letais. 26. E 27. E 28. C 29. C 30. C
27.( ) De acordo com a Lei 13.060, de 22 de dezembro 31. C 32. E 33. C 34. E 35. C
de 2014, os órgãos de segurança pública deverão
priorizar a utilização dos instrumentos de menor
potencial ofensivo, ainda que o seu uso coloque em
risco a integridade física ou psíquica dos policiais.
28.( ) O policial, ao fazer uso de arma de fogo, sempre
deverá agir em defesa da sociedade e fundamentado
na legalidade, necessidade, razoabilidade e
proporcionalidade, com o firme propósito de tentar
neutralizar uma ação violenta e injusta, já em curso,
24

13.( ) Desaparecimento é o meio natural de extinção do


ato.
FUNDAMENTOS DE DIREITO 14.( ) Cumprimento dos Efeitos pode ser subjetivo ou
ADMINISTRATIVO objetivo. Cumprimento dos Efeitos subjetivo
ocorre com o desaparecimento do sujeito que se
Acerca dos fundamentos do Direito beneficiou do ato (ex. morte em caso de
Administrativo,analise as assertivas abaixo, nomeação). Na forma objetiva, ocorre com a
marcando “C” para Certo ou “E” para Errado. extinção do objeto (ex. terreno de marinha é
engolido pelas águas, extinguindo a enfiteuse
1.( ) Atos Normativos são atos administrativos existente sobre este terreno).
internos, destinados aos servidores públicos, com 15.( ) São formas de extinção dos atos administrativos
o intuito de veicular determinação concernente ao por retirada pelo poder público: anulação,
adequado desempenho de suas funções. revogação, cassação, caducidade, e contraposição.
2.( ) Uma das funções do Ato Normativo é 16.( ) Anulação é a supressão de ato válido, mas que se
possibilitar a fiel execução das leis que tornou inoportuno ou inconveniente.
regulamentam e uniformizam a atuação e os 17.( ) A Anulação de ato que contenha vício insanável
procedimentos dentro da administração pública, é obrigatória, contudo, a anulação de ato com vício
como, por exemplo, decretos regulamentares, as sanável e que não acarrete lesão ao interesse
instruções normativas etc. público nem prejuízo a terceiros é discricionária,
3.( ) O Ato Normativo assemelha-se a lei pelo fato de podendo ser anulado ou convalidado.
poder inovar no ordenamento jurídico, criando 18.( ) A Anulação somente pode ser feita pela
para os administrados direitos e obrigações que administração pública.
estejam previamente previstas em lei. 19.( ) Os efeitos da anulação são ex nunc , ou seja, não
4.( ) Atos Ordinários são aqueles editados em retroagem à origem do ato.
situações cuja lei exige que o particular obtenha 20.( ) Revogação é a retirada, do mundo jurídico, do
prévia autorização da administração para realizar ato administrativo eivado de vício referente à sua
determinada atividade ou exercer direito. legalidade ou legitimidade, cujos efeitos são ex
5.( ) Atos Ordinários fundamentam-se no poder tunc.
hierárquico e somente vinculam os subordinados 21.( ) A Revogação só é cabível aos atos vinculados,
à autoridade que expediu o ato. por tratar-se de controle de legalidade.
6.( ) Os Atos Ordinários não devem observância aos 22.( ) A Revogação produz efeitos ex tunc, ou seja,
Atos Normativos, por serem hierarquicamente retroagem e não respeitam os direitos adquiridos.
superiores a eles. 23.( ) A revogação é ato privativo do Poder Judiciário
7.( ) Atos Negociais são aqueles que contêm que analisa o mérito do ato que está sendo
determinações gerais e abstratas, possuem revogado.
conteúdo análogo ao das leis. 24.( ) São exemplos de atos insuscetíveis de
8.( ) Nos Atos Negociais há que se observar a revogação: os atos que integram um procedimento
imperatividade, a coercitividade e a administrativo; os atos consumados, que já
executoriedade, uma vez que, os Atos Negociais exauriram seus efeitos; os atos administrativos que
são considerados contratos que representam a geraram direitos adquiridos, gravados por garantia
manifestação unilateral da administração pública. constitucional; os atos administrativos vinculados,
9.( ) Atos Enunciativos são aqueles que contêm pois não comportam juízo de oportunidade e
apenas um juízo de valor, é meramente opinativa, conveniência; os meros atos administrativos.
não produzem efeitos jurídicos. 25.( ) Cassação é o meio de extinção do ato
10.( ) Atos Enunciativos são aqueles de conteúdo administrativo que ocorre quando o administrado
declaratório, não contendo manifestações de deixa de cumprir requisitos necessários para a
vontade da administração pública, tais como as continuação do ato e de seus efeitos.
certidões e os atestados. 26.( ) Caducidade é a retirada do ato administrativo por
11.( ) Atos Punitivos são aqueles que contêm uma ter sobrevindo norma posterior que torna
sanção imposta pela Administração àqueles que incompatível a manutenção do ato.
infringirem disposições legais. Encontrando 27.( ) Contraposição é a retirada do ato administrativo
fundamento no Poder Disciplina e no Poder de pela edição de outro ato jurídico, expedido com
Polícia. base em competência diferente e com efeitos
12.( ) São formas de extinção dos atos administrativos: incompatíveis, inibindo assim a continuidade da
cumprimento dos efeitos, desaparecimento, sua eficácia.
renúncia, e retirada pelo poder público. 28.( ) Convalidação é o ato jurídico pelo qual se corrige
vício sanável existente em ato, segundo critérios de
25

oportunidade e conveniência da administração 43.( ) As funções de confiança são exercidas


pública, ressalte-se que se trata de ato vinculado. exclusivamente por servidores ocupantes de cargo
29.( ) Agente público é toda pessoa que exerça função efetivo
pública, de forma permanente e remunerada. 44.( ) O direito de greve será exercido nos termos e nos
30.( ) Os agentes públicos são divididos, de acordo limites definidos em lei complementar.
com Hely Lopes, em cinco grupos: agentes 45.( ) A proibição de acumular cargos não se estende
políticos, agentes administrativos, agentes às empresas públicas e sociedade de economia
honoríficos, agentes delegados e agentes mista, tendo em vista estas serem pessoas jurídicas
credenciados. de direito privado.
31.( ) Agente Político é o particular que executa 46.( ) A administração fazendária e seus servidores
serviços específicos em razão de sua condição fiscais terão, dentro de suas áreas de competência e
cívica. Não possuem vinculo profissional com a jurisdição, precedência sobre os demais setores
administração pública, embora sejam considerados administrativos, na forma da lei.
servidores públicos para fins penais. 47.( ) As funções de confiança e os cargos em
32.( ) Os agentes políticos caracterizam-se por terem comissão destinam-se apenas às atribuições de
sua competência estabelecida pela Constituição direção, chefia e assessoramento.
Federal. Os referidos agentes possuem 48.( ) Os Agentes Administrativos são também
prerrogativas hauridas diretamente da Constituição chamados de servidores em sentido estrito por
Federal, que são garantias inerentes ao cargo e alguns autores.
justificam-se pela necessidade de liberdades para o 49.( ) Os Agentes Administrativos são aqueles que
regular exercício de suas funções. exercem atividade pública de natureza profissional
33.( ) Os agentes políticos são investidos em seus e remunerada.
cargos por meio de eleição, nomeação ou 50.( ) Os Agentes Administrativos sujeitam-se à
designação e pela ausência de hierarquia, hierarquia funcional e ao regime jurídico
sujeitando-se, tão somente, às regras estabelecido pelo ente federado ao qual pertencem.
constitucionais, salvo os auxiliares imediatos dos 51.( ) Os Agentes Administrativos são subdivididos
Chefes do Executivo. em: servidor público e empregado público.
34.( ) O Processo Administrativo é o conjunto de atos 52.( ) Os servidores públicos submetem-se ao regime
coordenados e interdependentes necessários a jurídico contratual. São titulares de cargos públicos
produzir uma decisão final a respeito de alguma de provimento efetivo e de provimento em
função ou atividade administrativa. comissão.
35.( ) Entre os princípios do processo administrativo 53.( ) O empregado público é regido pela CLT e são
estão: Legalidade, Motivação, Imoralidade, Ampla ocupantes de empregos públicos.
Defesa e Contraditório. 54.( ) Além dos servidores públicos e os empregados
36.( ) Eficiência e a Busca do Interesse Público são públicos, existem os agentes temporários; esses são
exemplos de princípios do Processo contratados por determinado período de tempo
Administrativo. com intuito de atender interesse público.
37.( ) O conjunto de medidas jurídicas e materiais 55.( ) Os agentes honoríficos são particulares que
praticadas independente de ordem e cronologia, executam serviços específicos em razão de sua
necessárias ao registro dos atos da Administração condição cívica. Possuem vínculo profissional com
Pública integram o conceito de Processo a Administração Pública e por isso são
Administrativo. considerados servidores públicos para fins penais.
38.( ) A sequência da documentação e das providências 56.( ) 5Os agentes honoríficos, geralmente, trabalham
necessárias para a obtenção de determinado ato sem remuneração.
final é um dos conceitos de Procedimento 57.( ) Os agentes delegados são aqueles incumbidos de
Administrativo. representar a Administração Pública em
39.( ) Cargo Público são unidades de competência que determinados atos, mediante remuneração.
prescindem de criação por lei. 58.( ) Esses são exemplos de agentes delegados: os
40.( ) A Constituição Federal prevê a necessidade de concessionários e permissionários do serviço
concurso público para provimento de cargos público.
públicos, empregos públicos e funções públicas. 59.( ) O Processo Administrativo Disciplinar objetiva
41.( ) O acesso aos cargos públicos por estrangeiros é verificar a apuração de transgressão de natureza
vedado pela Constituição Federal. média e grave.
42.( ) O prazo de validade do concurso público será de 60.( ) O Processo Administrativo Disciplinar pode
dois anos, prorrogável uma vez por igual período. impor ao servidor a aplicação das penalidades de
suspensão por mais de 45 dias, demissão, cassação
26

de aposentadoria e disponibilidade e destituição de 4.( ) Mesmo por meio da análise das bases de dados
cargo em comissão. agregados, não foi possível, estabelecer relações
61.( ) A sindicância é a única forma de apurar as entre várias categorias de dados e informações
infrações administrativas. criminais, determinando padrões e tendências
62.( ) A comissão criada para dirigir o processo humanamente impossíveis de serem detectados
disciplinar pode ser constituída por qualquer manualmente.
servidor. 5.( ) Análise Criminal, de forma geral no Brasil, é um
63.( ) As fases que compreendem o processo termo bastante utilizado nas atividades de polícia.
disciplinar são a Instauração, a Defesa, o Relatório 6.( ) A Análise Criminal não se resume na
e a Decisão. apresentação de números absolutos de violência e
64.( ) Nos processos de natureza punitiva, ainda há criminalidade de uma determinada região para o
uma fase de defesa entre as fases da Instrução e do conhecimento das autoridades ou gestores.
Relatório. 7.( ) Análise Criminal é a mesma Estatística, uma vez
65.( ) O processo sumário tem um procedimento mais que: Análise Criminal utiliza os recursos
simples e célere. oferecidos pela estatística e constitui uma
66.( ) O processo sumário apura ilícitos metodologia voltada para a compreensão do
administrativos de gravidade média. fenômeno da criminalidade, com vistas a
67.( ) A Sindicância pode resultar na instauração de um articulação de esforços devidamente distribuídos
Processo Administrativo Disciplinar. e aplicados, no sentido de favorecer a tomada de
decisões de forma eficaz, para a sua redução e
GABARITO controle.
8.( ) A Análise Criminal objetiva subsidiar o
1. E 2. C 3. E 4. E 5. C planejamento estratégico e tático/operacional, a
6. E 7. E 8. E 9. C 10. C investigação criminal, e a pronta resposta dos
11. C 12. C 13. E 14. E 15. C demais órgãos vinculados à segurança pública no
16. E 17. C 18. E 19. E 20. E combate à criminalidade.
21. E 22. E 23. E 24. C 25. C - Outro conceito de Análise Criminal nos diz
26. C 27. C 28. E 29. E 30. C que:
31. E 32. C 33. C 34. C 35. E 9.( ) “A Análise Criminal é um conjunto de processos
36. C 37. E 38. C 39. E 40. E sistemáticos direcionados para o provimento de
41. E 42. E 43. C 44. E 45. E informação oportuna e pertinente sobre os
46. C 47. C 48. E 49. C 50. C padrões de crime e suas correlações de tendências
51. E 52. E 53. C 54. C 55. E de modo a apoiar as áreas operacional e
56. C 57. E 58. C 59. E 60. E administrativa no planejamento e distribuição de
61. E 62. E 63. E 64. C 65. C recursos para a prevenção e repressão de
66. E 67. C atividades criminais, auxiliando o processo
investigativo e aumentando o número de prisões
e esclarecimento de casos”.
Análise criminal estratégica (ACE): Trata da
ANÁLISE CRIMINAL atividade de produção do conhecimento voltado
para o estudo dos fenômenos e suas influências
no longo prazo. Focos principais: Interação com
Julgue os itens abaixo, marcando “C” para Certo ou
outras secretarias na construção de ações de
“E” para Errado, sobre Análise Criminal. segurança pública; Formulação do plano
orçamentário ;
1.( ) A Análise Criminal é, genericamente, a coleta e 10.( ) Entre outros. Seu principal objetivo é trabalhar
análise de informação pertinente ao fenômeno da identificação das tendências da criminalidade.
criminalidade. 11.( ) Análise Criminal Tática (ACT): Trata da
2.( ) As informações providas pelo analista são atividade de produção do conhecimento voltada
utilizadas para o dimensionamento e para o estudo dos fenômenos e suas influências no
posicionamento de recursos, bem como para a médio prazo. Essa vertente estuda o fenômeno
realização de ações gerais de gestão em relação ao criminal visando fornecer subsídios para os
patrulhamento e investigação policial, bem como operadores de segurança pública que atuam
para suporte às decisões estratégicas da diretamente “nas ruas”. Nesse sentido, o
organização. conhecimento é utilizado pelas polícias ostensivas
3.( ) A moderna prática da Análise Criminal está hoje e investigativas. Seu principal objetivo é trabalhar
fundamentada no uso intensivo da Tecnologia da na identificação de padrões das atividades
Informação e Comunicação (TIC). criminais.
27

12.( ) Análise Criminal Administrativa (ACA): Trata- 24.( ) Série geográfica também chamada de territoriais,
se da atividade de produção do conhecimento voltada espaciais ou de localização:
para o público alvo, ou seja, sua atividade assemelha Identifica-se pelo caráter do fator local.
a de um editor chefe. Foca o fornecimento de 25.( ) Série Específica também chamada de categoria
informações sumarizadas para seus diversos públicos ou por categoria: Identifica-se pelo caráter variável
– cidadãos, gestores públicos, instituições públicas, do fator fenômeno.
organismos internacionais, organizações não- 26.( ) Uma vez que os dados foram coletados, muitas
governamentais, etc.; seu principal objetivo é vezes o conjunto de valores é extenso e
trabalhar as estatísticas criminais de forma descritiva. desorganizado e seu exame requer atenção, pois há
13.( ) Os relatórios de Análise Criminal atualmente são risco de perdemos a visão global do fenômeno
produzidos pela Assessoria de Análise e Estatística analisado. Para tanto não devemos reunir os valores
Criminal da Secretaria de Segurança pública e em tabelas, gráficos ou mapas, pois isso deixaria os
Defesa Social. Todavia, esses relatórios começaram dados ainda mais complexos.
a ser produzidos somente no ano de 2010, quando da 27.( ) Um dos objetivos da construção de tabelas é
criação da Central de Estatística e Análise Criminal sistematizar os valores que uma ou mais variáveis
da SSPDS. podem assumir, para que tenhamos uma visão global
14.( ) Antes da Análise Criminal, realizava-se apenas o de sua variação.
levantamento estatístico descritivo pelos órgãos de 28.( ) A construção de gráficos atende as mesmas
segurança pública. finalidades da construção das tabelas, representar os
15.( ) A Análise Criminal abrange as Delegacias de resultados de forma simples, clara e verdadeira. A
Polícia Especializadas e as Delegacias disposição dos elementos é idêntica à das tabelas.
Circunscricionais. 29.( ) A operacionalização da Análise Criminal
16.( ) Análise criminal não pode envolve números, envolve a formulação de um quadro de compreensão
pesquisas de campo, entrevistas, observação de sobre o problema analisado, buscando identificar
comportamentos, e outros dados importantes para a suas causas. Esse quadro é responsável por criar os
definição de padrões de atividades criminosas e subsídios necessários para o processo de tomada de
correlação de tendência. decisão quanto às estratégias adotadas para
17.( ) Os relatórios de análise criminal são produzidos solucionar o problema.
pela Assessoria de Análise Estatística e Criminal da 30.( ) Um trabalho de Análise Criminal pode ser usado
SSPDS (AAESC). à abordagem a ecológica, que é a tentativa de se fazer
18.( ) As informações da Análise Criminal são um mapeamento para visualizar a distribuição
repassadas por meio de solicitações ou por meio de espacial de um determinado fenômeno.
reuniões semanais, quinzenais e mensais na SSPDS. 31.( ) Teoria das Atividades Rotineiras, é aquela na
19.( ) As estatísticas criminais têm como objetivo qual o cálculo racional do agente ofensor, possui três
levantamento de dados e/ou informações elementos básicos: ofensor motivado, alvo
relacionadas ao cometimento de delitos específicos, disponível e ausência de guardião.
em um determinado período em uma determinada 32.( ) Na escolha racional Felson (1997) argumenta
área, a fim de se obter correlações para elaboração de que: a vítima tem um papel importante na
análises para servir de orientação aos gestores quanto determinação da circunstância do crime e que a
ao planejamento, execução e redirecionamento das identificação dos fatores ambientais facilitam a ação
ações do sistema de segurança pública. criminosa, sendo a vulnerabilidade da vítima
20.( ) Estatística descritiva: são técnicas analíticas determinada principalmente pela vigilância capaz de
utilizadas para resumir e apresentar os dados de uma conter o crime.
pesquisa, visando descrevê-las. 33.( ) A teoria dos Lugares Desviantes, diz que, só as
21.( ) Séries estatísticas Constitui uma coleção de características das populações não conseguem, por si
dados estatísticos referidos a uma mesma ordem de só, explicar a variação das taxas de crime entre as
classificação, ou seja, uma sequência de números que diferentes regiões, sendo necessário levar em conta
se refere a certa variável. as condições físicas delas.
22.( ) Séries estatísticas são compostas por: época – 34.( ) Segundo Stark (1987), esses cinco aspectos não
fator temporal ou cronológico que se refere ao podem caracterizam as áreas urbanas como lugares
fenômeno analisado; local – fator espacial ou desviantes: densidade demográfica; pobreza; mistura
geográfico onde o fenômeno acontece; e fenômeno – do tipo de utilização da área urbana; variação na
espécie do fator que é descrito. composição da vizinhança e a degradação da área
23.( ) Série temporal também chamada de cronológica, urbana. Sendo que a conjugação desses fatores leva a
histórica, evolutiva ou marcha: Identifica-se pelo quatro processos sociais diferentes: cinismo moral
caráter variável do fator cronológico. entre residentes de uma mesma área; aumento nas
28

oportunidades de crime; aumento na motivação para 45.( ) População flutuante e pendular não traz
a ação desviante e diminuição no controle social. problema para a Análise de Dados.
35.( ) A teoria da Desorganização Social – Segundo
Shaw e Mckay (1942) propõem que existem três GABARITO
principais fatores estruturais relacionados com a
criminalidade: baixo status sócio-econômico;
heterogeneidade étnica e mobilidade residencial. 1. C 2. C 3. C 4. E 5. E
36.( ) Métodos de abordagem dos fenômenos sociais 6. C 7. E 8. C 9. C 10. C
podem ser utilizados para a elaboração de 11. C 12. C 13. C 14. C 15. E
diagnósticos da segurança pública e monitoramento 16. E 17. C 18. C 19. C 20. C
de resultados das ações e políticas. Cabe destacar que 21. C 22. C 23. C 24. C 25. C
um método não exclui outro. Muitas vezes é preciso 26. E 27. C 28. C 29. C 30. C
combiná-los, pois cada um possui vantagens e 31. C 32. C 33. C 34. E 35. C
limitações; a combinação possibilita que completem. 36. C 37. C 38. C 39. C 40. E
37.( ) Observar o comportamento que ocorre 41. C 42. C 43. C 44. E 45. E
naturalmente no âmbito real seria técnica de
abordagem. Já, a Análise de conteúdo seria o estudo
de caso e análise de dados secundários, sendo essa CRIMINOLOGIA
técnica de análise.
38.( ) Criar situações artificiais e observar o Analise as assertivas abaixo, sobre Criminologia
comportamento antes das tarefas definidas para as Aplicada, e julgue-as, marcando “C” para Certo ou “E”
situações seria técnica de abordagem, já, Avaliação para Errado.
de impacto (laboratórios), seria sua técnica de
análise. 1.( ) Em sentido estrito (Stricto senso) a criminologia
39.( ) Perguntar às pessoas sobre o que fazem estuda o crime, enquanto que em sentido amplo (Lato
(fizeram) e pensam (pensaram), seria técnica de sensu) abrange a pena imposta ao delinquente e os
abordagem, já, Survey (questionário) e estudo de problemas de prevenção do delito através de medidas
caso, seria sua técnica de análise. não punitivas, o que engloba uma
40.( ) Análise de conteúdo: Alguns tópicos de pesquisa multidisciplinariedade.
são suscetíveis de documentos, como romances, 2.( ) Criminologia cuida tanto de Políticas Criminais
poemas, publicações governamentais, músicas, Públicas, quanto Sociais, o que são também
boletins de ocorrências, etc. As informações trazidas abrangidas diretamente pelo Direito Penal.
pelos documentos são sistematizadas buscando a 3.( ) A criminologia é uma ciência empiríca, pois
existência de semelhanças. Assim este método não
forma-se pelo diálogo de uma série de ciências.
apresenta desvantagens.
4.( ) A criminologia é uma interdisciplinar, pois se
41.( ) Análise de dados secundários seria dados já
baseia na experiência da observação, nos fatos e na
coletados e compilados anteriormente.
42.( ) Túlio Kahn Elenca como problemas comuns de prática.
análise de dados, isso por que leva a interpretações 5.( ) Por ser uma ciência multipartidarista a
imprecisas das estatísticas de segurança pública: criminologia tem vários objetos de estudo em
Sazonalidade: A passagem do tempo não é linear. O diversas searas.
problema da unidade de análise: Trata-se do 6.( ) Os principais elementos de estudo da
fenômeno da concentração espacial do crime. criminologia são: crime, criminoso, vítima e controle
Cálculos de porcentagens e taxas com bases muito social.
pequenas: Quanto maior a base, menores as 7.( ) Em relação ao elemento controle social podemos
oscilações percentuais. citar como agente formal de controle a: Polícia,
43.( ) Tomar dados de notificação de crimes como se Justiça, MP e Agente Penitenciário.
fossem o universo dos crimes também causa 8.( ) Atualmente os estudos em criminologia têm
problema a análise de dados uma vez que é possível como finalidade, entre outros aspectos, determinar a
que o aumento da estatística de determinado crime
etiologia do crime, analisar a personalidade e
esteja refletindo apenas um aumento de
conduta do criminoso para que se possa puni-lo de
“notificação”.
“forma justa”, saber quais as causas determinantes do
44.( ) Cada instituição usa uma fonte e tem uma
metodologia própria de coleta e análise dos dados. fenômeno criminógeno, auxiliar na prevenção da
Mesmo assim, os dados não conterão diferenças, pois criminalidade; além de permitir a reinserção do
as instituições utilizam os mesmos fatos. delinquente à sua comunidade de origem.
29

9.( ) Sob o ponto de vista de sua evolução científica, 18.( ) As Teorias Do Processo Social pressupõem que
destacam-se na Criminologia duas escolas: a qualquer indivíduo, independente de sua classe
ESCOLA CLÁSSICA e a ESCOLA POSITIVA. A social, pode, em algum momento de sua vida, se
Clássica tem como principal representante Cesare tornar um criminoso, apesar de considerar que os que
Lombroso e a Positiva o principal representante era se encontram em classes sociais mais desfavoráveis,
Marquês de Beccaria. por apresentarem maiores carências, acabam se
10.( ) A CRIMINOLOGIA como ciência tornou-se tornando mais propensos ao cometimento de delitos.
famosa a partir de CESARE LOMBROSO, precursor 19.( ) Uma das funções principais da criminologia é
da Escola Positiva, fundador da Antropologia estabelecer uma relação estreita entre três disciplinas
Criminal, que pesquisava o crime de forma consideradas fundamentais: a psicopatologia, o
Naturalista, priorizando o estudo do criminoso, tendo direito penal e a ciência político-criminal.
como tese principal a figura do “DELIQUENTE 20.( ) De acordo com a Teoria Ecológica, há forte
NATO”, ou do “SER ATÁVICO”. influência do ambiente para o cometimento dos
11.( ) Para a ESCOLA CLÁSSICA, então, crimes. Ou seja, não só características pessoais dos
influenciada pelo pensamento Iluminista, o crime era agentes influiriam, mas também o meio em que os
cometido, pelo livre arbítrio do homem, pois partia mesmos estão inseridos. A desorganização e má
do princípio de que todos os homens são iguais e integração conduzem o indivíduo ao crime e à
livres para responder por seus atos. delinquência.
12.( ) Baseada nessas ideias positivistas, a ESCOLA GABARITO
POSITIVA surge para entender o motivo pelo qual o
homem se torna criminoso e quais os fatores que
1. C 2. E 3. E 4. E 5. C
motivam o crime, sendo o delito visto como fato
6. C 7. C 8. C 9. F 10. C
histórico e real, que atinge bens jurídicos tutelados
11. C 12. C 13. C 14. C 15. C
pela sociedade. 16. C 17. C 18. C 19. C 20. C
13.( ) A partir da Antropologia Criminal, desenvolveu-
se a Sociologia Criminal, encabeçada pelo sociólogo
FERRI, que passou a substituir o determinismo
biológico pelo determinismo social, valendo-se dos SISTEMAS DE SEGURANÇA PÚBLICA
métodos empírico e estatístico. Percebeu a
criminalidade focada no indivíduo
(Microcriminalidade) ou em pequenos grupos sociais Acerca do Sistema de Segurança Pública no Brasil,
onde ele está inserido (Macrocriminalidade). julgue os itens abaixo, marcando “C” para Certo ou “E”
14.( ) Na etiologia criminal são considerados fatores para Errado.
endógenos causas internas relacionadas ao
1.( ) A Segurança Pública é uma atividade pertinente
organismo, à Biologia e à Genética (Caracteres
aos órgãos estatais, privados e à comunidade como
Positivos e Negativos), existentes no criminoso.
um todo, realizada com o fito de proteger a
15.( ) Na etiologia criminal são considerados causas
cidadania, prevenindo e controlando manifestações
exógenas as externas ao indivíduo, mas que
da criminalidade e da violência, efetivas ou
poderiam influenciar em seu comportamento. Podem
potenciais, garantindo o exercício pleno da cidadania
ser FÍSICAS & SOCIAIS, como o Meio Ambiente,
nos limites da lei.
Clima e Região Geográfica/ Desigualdades e
2.( ) No campo da Segurança Pública a segurança
Injustiças Sociais.
objetiva é mensurada pelos índices de crimes
16.( ) Relacionado as Teorias Criminológicas. Teorias
registrados (Estatísticas criminais) e a segurança
Multifatoriais como o próprio termo indica,
subjetiva pela sensação de segurança (Percepção
identificam múltiplos fatores e circunstâncias para o
social).
cometimento do crime, não apenas uma causa em si,
3.( ) A Defesa Social inclui, entre outras atividades, a
necessitando de uma investigação plurifatorial.
prestação de serviços de segurança pública e de
17.( ) Segundo a Teoria do Conflito de base não
defesa civil.
marxista, a justiça penal seria viciada por fazer parte
4.( ) Conceitua-se como “Policiamento de Ciclo
da estrutura conflitual baseada nos grupos que detêm
Completo”: o modelo de Polícia na qual a mesma
o poder, não sendo apta a resolver pacificamente tais
instituição policial faz o trabalho de prevenção e
conflitos, sem se importar em estar em sociedade
investigação.
capitalista ou socialista.
30

5.( ) Conforme o Art.142 da CF/88: As Forças 14.( ) O Sistema de Segurança Pública do Brasil é
Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e formado, basicamente, por instituições Federais de
pela Aeronáutica, são instituições nacionais atribuições específicas e instituições Estaduais de
permanentes e regulares, organizadas com base na atribuição geral (Ostensiva e Judiciária).
hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema 15.( ) Conforme o artigo 144 da CF/88: A segurança
do Ministro da Defesa. pública, dever do Estado, direito e responsabilidade
6.( ) As Forças Armadas integram em sentido estrito de todos, é exercida para a preservação da ordem
o Sistema de Segurança Pública e são responsáveis pública e da incolumidade das pessoas e do
inicialmente pela defesa da Pátria, garantia dos patrimônio, através dos seguintes órgãos:
poderes constitucionais (Legislativo, Executivo, I - polícia federal;
Judiciário) e também pela garantia do respeito às leis II - polícia rodoviária federal;
e a manutenção da ordem. III - polícia ferroviária federal;
IV - polícias civis;
7.( ) As Forças Armadas possuem papel
V - guardas municipais;
imprescindível de forma muito particular no que VI - polícias militares e corpos de bombeiros militares.
tange a segurança de fronteiras, o combate ao tráfico 16.( ) O Ministério da Justiça apresenta como missão a
de drogas, o contrabando e o descaminho. garantia e promoção da cidadania, da justiça e da
8.( ) O modelo adotado no Brasil, não obstante as Segurança Pública tudo por meio de ação exclusiva
críticas que recebe, possui do ponto de vista de do Estado.
garantias e proteção a dignidade da pessoa humana, 17.( ) São exemplos de atribuições do SENASP:
uma estrutura fortalecida, pois, permite um certo assessoramento ao Ministro da Justiça na definição,
controle entre as instituições e ao mesmo tempo uma implementação e acompanhamento da Política
colaboração mútua. Nacional de Segurança Pública e dos Programas
9.( ) Conforme o artigo 144 da CF/88: A Segurança Federais de Prevenção Social e Controle da
Pública, dever do Estado, direito e responsabilidade Violência e Criminalidade.
de todos, é exercida para a preservação da ordem 18.( ) A Polícia Federal possui representações em
pública e da incolumidade das pessoas, da defesa todos os Estados e atua fortemente na repressão ao
civil e do patrimônio. trafico, contrabando e descaminho internacional e
10.( ) A Polícia Federal, instituída por lei como órgão estadual de drogas e armas.
permanente, organizado e mantido pela União e 19.( ) A missão da PRF é garantir segurança com
estruturado em carreira, destinada dentre outras cidadania nas rodovias federais e nas áreas de
atribuições apurar infrações penais contra a ordem interesse da União.
política e social ou em detrimento de bens, serviços 20.( ) ingresso na carreira dar-se para o Cargo de
e interesses da União ou de suas Entidades Policial Rodoviário Federal padrão I da Terceira
Autárquicas, Empresas Públicas e Sociedade de Classe.
Economia Mista, assim como outras infrações cuja 21.( ) Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social
prática tenha repercussão interestadual ou do Estado do Ceará possui 4 unidades vinculadas
internacional e exija repressão uniforme, segundo se quais sejam: Polícia Civil; Perícia Forense; Polícia
dispuser em lei. Militar; Corpo de Bombeiros Militar.
11.( ) As polícias civis, dirigidas por delegados de 22.( ) Destaca-se que na carreira militar a partir de
polícia de carreira, incumbem, ressalvada a segundo-tenente, o nome dado a sua função e
competência da União, as funções de polícia denominado graduação, para os demais é posto.
judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as 23.( ) O Corpo de Bombeiros Militar também é
militares. responsável pelas ações de Defesa Civil do Estado
12.( ) As polícias militares, as polícias civis e os do Ceará.
corpos de bombeiros militares, são forças auxiliares 24.( ) A PEFOCE com sua separação da Polícia Civil,
e reserva do Exército, subordinam-se, juntamente, não obteve gerência administrativa, financeira e
aos Governadores dos Estados, do Distrito Federal e patrimonial
dos Territórios. 25.( ) A PEFOCE apresenta como valores
13.( ) A polícia rodoviária federal, órgão permanente, institucionais dentre outros a cidadania, a legalidade,
organizado e mantido pela União e estruturado em o compromisso social, a ética, a responsabilidade, a
carreira, destina-se, na forma da lei, ao hierarquia, a eficiência, a disciplina, a hierarquia e o
patrulhamento ostensivo das rodovias federais. espírito de cooperação.
31

26.( ) A Academia Estadual de Segurança Pública do 3.( ) Os meios alternativos ou consensuais de


Ceará (AESP|CE) né um órgão vinculado à resoluções de conflitos são contrários ou
Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do antagônicos ao Poder Judiciário.
Estado do Ceará (SSPDS/CE) 4.( ) A mediação, a negociação, a conciliação e a
27.( ) Dentre os seus valores da AESP/CE acham-se: arbitragem são meios alternativos de solução de
compromisso com a efetivação dos Direitos conflitos.
Humanos; respeito a cidadania; ética; transparência; 5.( ) Na arbitragem necessita a sentença arbitral seja
hierarquia e disciplina e compromisso homologada judicialmente.
organizacional. 6.( ) Na arbitragem o árbitro ou árbitros não serão de
28.( ) A Polícia Civil do Ceará apresenta livre escolha das partes litigantes;
institucionalmente a Missão de promover a apuração
7.( ) É obrigatório o curso de habilitação de
das infrações penais, inclusive as militares, em
arbitragem para figurar como árbitro.
defesa da ordem pública e da incolumidade das
pessoas e do patrimônio. 8.( ) O mecanismo consensual ou alternativo
denominado de negociação ocorre no âmbito dos
29.( ) A Polícia Civil do Ceará tem uma importante
conflitos empresariais, caracterizando-se
missão de auxiliar a Justiça Criminal e o Ministério
basicamente pela inexistência de um terceiro,
Público, fornecendo informações necessárias à
sendo que o conflito é resolvido pelas próprias
instrução e julgamento dos processos criminais e partes envolvidas.
realizando diligências requisitadas;
9.( ) A negociação é o meio de solução de conflitos
30.( ) O Delegado é o chefe por natureza da Polícia
em que as pessoas conversam e encontram um
Civil, é ele quem dirige os trabalhos da Delegacia e
acordo com a necessidade da participação de uma
preside os atos de Polícia Judiciária. terceira pessoa como ocorre na mediação.
31.( ) Os escrivães além dos trabalhos de cartório
10.( ) A negociação pode ser informal, ou seja, as
também estão aptos e prontos, assim como os
pessoas conversam , chegam a um acordo e não
delegados e inspetores para atender as necessidades
assinam qualquer documento;
operacionais que envolvem a atividade policial.
11.( ) A conciliação é uma forma de resolução do
conflito através da intervenção direta de uma
GABARITO
terceira pessoa, denominado comumente de
conciliador, o qual apontará soluções para a
1. E 2. C 3. C 4. C 5. E
controvérsia, depois de ouvir as partes litigantes.
6. E 7. E 8. E 9. E 10. E
11. C 12. R 13. C 14. C 15. R 12.( ) Para a conciliação ter força de título executivo, é
16. E 17. C 18. C 19. C 20. C indispensável que seja objeto de homologação
21. E 22. E 23. C 24. E 25. C judicial, ou seja, que a Justiça confirme o acordo
26. E 27. C 28. E 29. C 30. C porventura celebrado.
31. C 13.( ) Na mediação, o mediador será parte ativa na
resolução da disputa, ao tentar demonstrar o melhor
às partes na sua solução, ao contrário da
conciliação, em que o conciliador terá como um dos
seus objetivos primordiais, a pacificação do conflito
MEDIAÇÃO DE CONFLITOS social através da facilitação do diálogo até então
inexistente.
Julgue os itens abaixo, marcando “C” para Certo ou “E” 14.( ) A mediação representa assim um mecanismo de
para Errado, no que tange à mediação e conflitos. solução de conflitos utilizado pelas próprias partes
que, movidas pelo diálogo, encontram uma
alternativa ponderada, eficaz e satisfatória.
1.( ) A negação, guerra e gerência são situações que
15.( ) São exemplos de Princípios da Mediação de
pode acontecer em um conflito.
Conflitos: confidencialidade, oralidade e a
2.( ) Na negação o indivíduo não aceita a existência formalidade.
do conflito entendendo que a situação está dentro
16.( ) A mediação, por suas características, possui
da normalidade e que ele está absolutamente
como objetivos a solução e a prevenção de
correto, ou seja, tudo está harmônico e não precisa
controvérsias, a inclusão e a paz social.
de qualquer mudança.
17.( ) Um bom mediador deverá ser detentor das
seguintes características: empatia; paciência;
32

inteligência; criatividade; confiabilidade;


humildade; objetividade; habilidade na
comunicação e imparcialidade em relação ao
processo e ao resultado.
18.( ) Poderá atuar como mediador extrajudicial a
pessoa capaz, graduada há pelo menos dois anos em
curso de ensino superior de instituição reconhecida
pelo Ministério da Educação e que tenha obtido
capacitação em escola ou instituição de formação de
mediadores, reconhecida pela Escola Nacional de
Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados;
19.( ) Na pré-mediação o mediador realiza uma
conversa separadamente com cada envolvido para
que tenha conhecimento do conflito do ponto de
vista deles.
20.( ) São Modelos de Mediação, segundo a Secretaria
Nacional de Segurança Pública (SENASP): Modelo
Tradicional-Linear (Harvard), Modelo
Transformativo (Bush e Folger) Modelo Circular-
Narrativo (Sara Cobb)
21.( ) São técnicas utilizadas na concretização da
mediação de conflitos: a escuta ativa, a observação
das expressões, perguntas abertas, anotações, a
gravação e a filmagem.
22.( ) São espécies de Mediação quanto à metodologia:
técnica e comunitária;
23.( ) Na Mediação de Conflitos não abrange o
universo penal.
GABARITO

1. C 2. C 3. E 4. C 5. E
6. E 7. E 8. C 9. E 10. C
11. C 12. C 13. E 14. C 15. E
16. C 17. C 18. E 19. C 20. C
21. C 22. C 23. E