Você está na página 1de 2

Noção Geral de norma Jurídica (Nader, capítulo 9, 39ª edição)

Conceito: A norma jurídica exerce o papel de ser o instrumento de definição da conduta exigida
pelo Estado. Ela esclarece ao agente como e quando agir. O Direito Positivo, em todos os sistemas,
compõe-se de normas jurídicas, que são padrões de conduta ou de organização social impostos pelo
Estado, para que seja possível a convivência dos homens em sociedade. São fórmulas de agir,
determinações que fixam as pautas do comportamento interindividual. Pelas regras jurídicas o Estado
dispõe também quanto à sua própria organização. Em síntese, norma jurídica é a conduta exigida ou o
modelo imposto de organização social.

Características:

Bilateralidade. O Direito existe sempre vinculando duas ou mais pessoas, atribuindo poder a uma parte
e impondo dever à outra. Bilateralidade significa, pois, que a norma jurídica possui dois lados: um
representado pelo direito subjetivo e outro pelo dever jurídico, de tal sorte que um não pode existir
sem o outro. Em toda relação jurídica há sempre um sujeito ativo, portador do direito subjetivo e um
sujeito passivo, que possui o dever jurídico.

Generalidade. O princípio da generalidade revela que a norma jurídica é preceito de ordem geral,
obrigatório a todos que se acham em igual situação jurídica.

Abstratividade. Visando a atingir o maior número possível de situações, a norma jurídica é abstrata,
regulando os casos dentro do seu denominador comum, ou seja, como ocorrem via de regra.

Imperatividade. Para garantir efetivamente a ordem social, o Direito se manifesta através de normas
que possuem caráter imperativo. Não fosse assim, o Direito não lograria estabelecer segurança, nem
justiça. A norma não imperativa não pode ser jurídica. O caráter imperativo da norma significa
imposição de vontade e não mero aconselhamento.

A Coercibilidade. Coercibilidade quer dizer possibilidade de uso da coação. Esta possui dois
elementos: psicológico e material. O primeiro exerce a intimidação, através das penalidades previstas
para a hipótese de violação das normas jurídicas. O elemento material é a força propriamente, que é
acionada quando o destinatário da regra não a cumpre espontaneamente.

LEI (Paulo Nader, capítulo 14)

Conceito- A lei é a forma moderna de produção do Direito Positivo. É ato do Poder Legislativo, que
estabelece normas de acordo com os interesses sociais. Não constitui, como outrora, a expressão de
uma vontade individual (L’État c’est moi), pois traduz as aspirações coletivas. Apesar de uma
elaboração intelectual que exige técnica específica, não tem por base os artifícios da razão, pois se
estrutura na realidade social. A sua fonte material é representada pelos próprios fatos e valores que a
sociedade oferece.

 A lei é espécie de norma;


 A lei é positivada através e processo legislativo;
 A lei é abstrata= ainda gerará efeitos;
 A lei possui validade, porque ela poderá não ser mais relevante no padrão da sociedade;
 A lei é genérica= para todos
 A lei é incerta e futura= não sabe se será eficaz e os seus efeitos se darão futuramente.