Você está na página 1de 4

Resolução: Renan Schenatto P2 – Estruturas de Aço e Madeira – 2004 - Ruy

Viga VS 360x55 - Aço MR250

Considerando que há contenções laterais nos vínculos e nos locais onde há carga concentrada

= 69,95

ℎ = 360

= 170

= 12,7

= 8,0

= 15520 ²

= 14,89

= 1040

= 3,85

= 313605

= 29,14

= 8,0 = 15520 ² = 14,89 = 1040 = 3,85 = 313605 = 29,14 Questões:
= 8,0 = 15520 ² = 14,89 = 1040 = 3,85 = 313605 = 29,14 Questões:

Questões:

Esboce o diagrama de momentos e responda:

1. Valores dos módulos elástico e plástico?

2. ??????

3. Considerando que a viga tem tensões residuais (recomendadas por norma), qual o limite de esbeltez entre o regime plástico e o regime Inelástico para os E.L. Últimos de FLM e FLA?

4. Qual o limite de esbeltez da mesa e da alma para que o Mn seja dado pelo momento plástico?

5. Qual a máxima distância entre as contenções laterais para que a viga ainda tenha o Md dado pelo momento plástico?

6. Qual a classe da viga?

7. É possível fazer analise plástica para as condições acima?

8. Para as condições acima, há um ??? crítico para a avaliação do Mn para o estado ultimo da FLT? Se sim, qual? Se não, porque?

9. Em qual regime (plástico, inelástico, elástico) deve ser calculado o valor de Mn para cada um dos estados limites últimos (FLM, FLA, FLT)?

10. Qual o estado limite ultimo critico para as condições desta viga?

11. Há alguma possibilidade da capacidade da viga com a vinculação acima (bi-apoiada) ser aumentada sem alterar a sua seção transversal? Se sim, qual e como se obteria o máximo do aumento? Se não, porque?

12. No caso de se decidir por vincular a viga através de engastes e manter as condições acima de contenção lateral, haverá aumento da capacidade (maior Pd)? Porque?

Resolução:

1. Diagramas Momento Fletor e Cortante:

Resolução: 1. Diagramas Momento Fletor e Cortante: 2. Cálculo módulo plástico Z e módulo elástico W:

2. Cálculo módulo plástico Z e módulo elástico W:

=

2 = 862 ³

= ℎ − + 4 ℎ − 2 = 974 ³

3. Verificação Flambagem Local da Mesa (FLM):

=

1

2

= 6,69

= 0,38

=

10,88

< , çã

4. Verificação Flambagem Local da Alma (FLA):

= ℎ = 41,825

= 3,76

=

107,7

< , çã

5. Verificação Flambagem Lateral com Torção(FLT):

= 220

= = 57,15

Limite para ser Viga Curta:

= 1,76 ∙ = 194

=

= 50,4

Limite para ser Viga Longa:

= 0,7 ∙

= 0,02525

= 1,38

1 + 1 + 27 = 610

=

=

158,4

< 220 < < 57,15 < , á

6. Momento Resistente de Projeto em relação à Flambagem Local (FLA, FLM):

- Em ambas as verificações a seção foi classificada como compacta e, portanto, o momento nominal é determinado pelo limite de escoamento do aço.

= = = 243,5 .

, =

= 221,3 .

7. Momento Resistente de Projeto em relação à Flambagem Lateral com Torção (FLT):

- A viga foi classificada como Viga Intermediária e, portanto, o Momento Nominal é obtido por interpolação entre o Mr e o Mp.

= − 0,3 = 150,85 .

= 1

- Pois, no segmento do meio da viga, que tem maior solicitação em relação ao momento, o momento é uniforme. O Cb leva em conta o efeito FAVORÁVEL de o momento não ser uniforme.

=

= 237,71

, =

= 216,1 .

8. Verificação do Cortante:

= 41,825

2,46

=

70,44

< 2,46

- Portanto, esbeltez moderada da alma. Podem ser dispensados os enrijecedores, pois a flambagem por cisalhamento não é determinante sendo que a seção entra em escoamento para cargas inferiores àquelas que ocasionariam a flambagem.

9. Cortante Resistente de Projeto:

- Para seções de esbeltez moderada, o cortante resistente é dado pela seguinte relação:

10. Definição de Pd:

, = ℎ ∙ 0,6 ∙

= 393

- O momento resistente de menor valor foi aquele relacinado à Flambagem Lateral com Torção (FLT) e, portanto, em relação à resistência à flexão:

2,2 < 216,1 . = 98,2

- Em relação à resistência ao cisalhamento:

< 393

Portanto, Pd deve ser limitado à 98,2kN.m.

11. Na prova, não há indicação da existência de enrijecedores nos pontos de aplicação de cargas concentradas. Nesta situação, portanto, deveria ser também verificado o escoamento local da alma, o enrugamento da alma e a flexão local da mesa. Porém, não há subsídios para esta verificação na prova, pois é necessário o conhecimento do comprimento de apoio da carga concentrada.

Respostas Questões:

1.

Item 2 da resolução.

2.

-

3.

???

4.

O limite de esbeltez da mesa é de 10,88 e o limite de esbeltez da alma é de 107,7, conforme itens 3 e 4 da resolução.

5.

Conforme item 5 da resolução, o comprimento limite para que a viga seja considerada Viga Curta e, portanto, tenha o Md dado pelo momento plástico tem o valor de 194cm.

6.

Conforme verificado nos itens 3 e 4, a viga pode ser classificada como compacta em relação à FLM e à FLA. Conforme verificado no item 5, a viga pode ser classificada como viga curta em relação à FLT.

7.

(???) Sim, conforme os itens 3 e 4, a seção foi classificada como compacta e deve ser feita

a

análise plástica para a obtenção do momento nominal. No caso da resistência ao corte,

por se tratar de seção com esbeltez da alma moderada, a obtenção do cortante resistente

também é feita por analise plástica.

8.

9.

Para a FLM e a FLA, conforme itens 3 e 4 da resolução, o valor de Mn deve ser calculado no regime plástico. Para FLT, conforme item 5, o Mn deve ser calculado no regime

 

inelástico.

10.

O ELU crítico é dado, conforme os itens 7 e 10, pela resistência à FLT, que implica em um Md=216,1kN.m e, consequentemente, a um Pd máximo de 98,2kN.

11.

Sim, como o ELU é dado pela FLT, o aumento da contenção lateral e consequentemente

a

segmentação da viga em partes com comprimentos lb menores, conforme item 5,

aumentaria a capacidade da viga. O máximo do aumento seria obtido com a contenção lateral continua, o que tornaria desnecessária a verificação da FLT.

12.

Sim, haverá aumento do Pd, pois o engaste fornece maior rigidez à viga.