Você está na página 1de 1

Exercício: Sujeito e Predicado ☺ Leia a tira seguinte.

Leia esta tira de Laerte:

13) Transcreva uma frase da tira acima que tenha sujeito indeterminado.
14) Suponha que a frase “...eu me mudei daqui ontem” tivesse seu sujeito substituído por
“nós”. Como ficaria a frase?
☺Leia as frases e complete a tabela.
Frase Classificação do Classificação do Classificação do
Sujeito predicado verbo
a) Um artista e um
cozinheiro fazem a sena.
1) Identifique e classifique os sujeitos do 4 º quadrinho. b) Havia fatos ocultos
2) Indique os núcleos dos sujeitos e dê a classe gramatical dessas palavras. naquela história.
3) Qual é o sujeito da oração ”A gente tem que parar...!”, do 3º quadrinho? c) Os meses passavam
4) Agora, indique o núcleo do sujeito da oração acima. muito rápido.
5) Quem é o sujeito da frase “Não consigo parar de rir!”, do 2º quadrinho? d) Necessita-se de
6) Que tipo de predicado há na frase do 4º quadrinho? funcionários.
e) Muitas pessoas cantaram
☺ Leia esta charge e faça as atividades propostas. naquela festa.
f) Falaram ao professor
sobre a prova.
g) Eles tinham feito a tarefa.
h) Ele está nervoso com a
situação
i) O estudo promove o
conhecimento.
j) Pedro chegou cansado do
serviço.
k) Os alunos e os
professores parecem
animados.
l) A lição tornou-se simples.
m) O dia está quente.
7) A palavra “apunhalado” apresenta dois sentidos no texto. Quais são? n) Choveram ameaças no
8) Quem é o sujeito da frase “Eu não sou um porco-espinho...”? jogo.
9) Qual a classificação desse sujeito?
10) Transcreva a frase transformando-a em sujeito oculto.
11) No 2º balão, os verbos “sou” e “fui” fazem parte de qual verbo?
E esse verbo é Verbo de Ligação ou Verbo Transitivo? ☺ Coloque S para Período Simples e C para Período Composto
12) Classifique o predicado da frase “Eu não sou um porco espinho...” a( ) Pouco a pouco o ferro do proprietário queimava os bichos de Fabiano.
b( ) Foi até a esquina, parou, tomou fôlego.
c( ) Depois que acontecera aquela miséria, temia passar ali.
d( ) Tomavam-lhe o gado quase de graça e ainda inventavam juro.
e( ) Não podia dizer em voz alta que aquilo.