Você está na página 1de 375
URBS - URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. EDITAL DE LICITAÇÃO 2 - CP 001/2013 CONCORRÊNCIA URBS

URBS - URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. EDITAL DE LICITAÇÃO 2 - CP 001/2013 CONCORRÊNCIA URBS Nº 001/2013 PROCESSO Nº 110/2013 – ASA/DTP SOLICITANTE: ÁREA DOS SERVIÇOS DE TÁXI OUTORGA ONEROSA DE NOVAS AUTORIZAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE TÁXI EM CURITIBA

TIPO: MELHOR TÉCNICA

REGÊNCIA: Lei Federal n° 8.666/1993, Lei Federal 8.213/1991, Lei Federal nº 9.503/97, Lei Federal 12.468/11, Lei Estadual 15.608/07, Lei Municipal nº 13.957/2012, Lei Municipal nº 14.017/2012, Decreto Municipal nº 1.959/2012 e Decreto Municipal 1.184/2013.

01. OBJETO:

Seleção de pessoas físicas para outorga onerosa de novas autorizações para prestação dos serviços de táxi no Município de Curitiba.

02. ESPECIFICAÇÕES:

Nos ANEXOS I, VI, VII e X encontram-se especificados os detalhamentos para a perfeita

execução do objeto (especificações técnicas e demais esclarecimentos).

03. CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO:

Constante no item 4 do Edital

04. DOCUMENTAÇÃO E PROPOSTA (FORMA DE APRESENTAÇÃO):

Constante nos itens 6 e 7 do Edital

05. LOCAL, DATA E HORÁRIO DE RECEBIMENTO DOS ENVELOPES:

LOCAL: Central de Protocolo e Recadastramento do Táxi ENDEREÇO: Av. Presidente Affonso Camargo, nº 330 – Rodoferroviária – bairro Jardim Botânico – Curitiba – PR

PERÍODO: 25/11/2013 a 13/12/2013

HORÁRIO: das 08h30m às 17h00

06. LOCAL, DATA E HORÁRIO DE ABERTURA DOS ENVELOPES:

LOCAL: Auditório da URBS ENDEREÇO: Av. Presidente Affonso Camargo, nº 330 – Rodoferroviária – bairro Jardim Botânico – Curitiba - PR

DATA: 16/12/2013

HORÁRIO: 09h00

07. PRAZO DA AUTORIZAÇÃO:

35 (trinta e cinco) anos, prorrogáveis por até mais 15 (quinze) anos.

URBS - URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. EDITAL DE LICITAÇÃO 2 - CP 001/2013 TÍTULO: NOVAS

URBS - URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. EDITAL DE LICITAÇÃO 2 - CP 001/2013 TÍTULO: NOVAS AUTORIZAÇÕES PARA O TÁXI

A

URBS - Urbanização de Curitiba S.A., gerenciadora e administradora dos Serviços

de

Táxi no âmbito do Município de Curitiba e responsável pela emissão do Termo de

Autorização para prestação destes serviços, em cumprimento à legislação, torna público e para conhecimento de quantos possam se interessar, que fará realizar licitação, na modalidade de CONCORRÊNCIA, do TIPO MELHOR TÉCNICA, para

outorga onerosa das novas autorizações para exploração dos serviços de táxi no Município de Curitiba, de acordo com as disposições que se seguem.

A presente licitação será processada e julgada por uma Comissão Especial de

Licitação, designada através do Ato 052/2013, publicado no Diário Oficial do Município

de

Curitiba em data de 01/10/2013.

O

aviso sobre este EDITAL foi publicado no DOE – Diário Oficial do Estado, no DOM -

Diário Oficial do Município de Curitiba e em jornal de grande circulação e seu respectivo extrato encontra-se afixado em local visível na recepção da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., sito a Av. Presidente Affonso Camargo n° 330, Jardim Botânico, nesta Capital.

O Edital e seus anexos estão disponíveis no portal da URBS na Internet no endereço www.urbs.curitiba.pr.gov.br.

Dúvidas

endereçados através do e-mail esclarecimentosedital@urbs.curitiba.pr.gov.br OU através de documento protocolado na recepção do Prédio Central da URBS –

Urbanização de Curitiba S.A.

ser

ou

esclarecimentos

a

respeito

deste

Edital

SOMENTE

poderão

Não serão fornecidos esclarecimentos ou informações via telefone ou pessoalmente e nem mesmo serão aceitas impugnações verbais.

As respostas às dúvidas e esclarecimentos serão fornecidas através de Boletins de Esclarecimento e estes Boletins serão publicados no site da URBS, no endereço www.urbs.curitiba.pr.gov.br.

A URBS – Urbanização de Curitiba S.A., através da Comissão Especial de Licitação

não irá enviar resposta por escrito para nenhum questionamento ou esclarecimento, cabendo ao interessado buscar, através do endereço eletrônico www.urbs.curitiba.pr.gov.br, as respostas e as alterações que este Edital poderá sofrer, nos Boletins de Esclarecimento, os quais serão parte integrante deste mesmo Edital.

É dever dos licitantes acompanhar todas as informações disponibilizadas através do

Portal da URBS, que deverá ser acessado no endereço eletrônico www.urbs.curitiba.pr.gov.br. Serão considerados citados todos os licitantes, a partir da disponibilização da informação no Portal da URBS, ficando os mesmos responsáveis pelo ônus decorrente da perda de informações por inobservância de quaisquer

mensagens emitidas através do Portal da URBS - Urbanização de Curitiba S.A, principalmente no que

mensagens emitidas através do Portal da URBS - Urbanização de Curitiba S.A, principalmente no que diz respeito aos Boletins de Esclarecimentos, ofícios, avisos e demais informações necessárias a participação no processo.

A presente licitação foi precedida de Audiência Pública, nos termos do art. 39, da Lei n° 8.666/1993 e suas alterações e a Ata deste evento foi publicada no Diário Oficial do Município de 07 de agosto de 2013, bem como disponibilizada, na íntegra, no site da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., no dia 12 de agosto de 2013.

1

OBJETO DA LICITAÇÃO

1.1

O objeto da presente licitação é a outorga onerosa de 750 (setecentas e cinqüenta) novas autorizações para prestação e exploração dos serviços de táxi no Município de Curitiba, com a finalidade de atender às necessidades de deslocamento da população.

1.2 O objeto será dividido em 03 (três) lotes distintos, sendo Categoria Convencional/Executivo, Categoria Compartilhado e Categoria Deficientes (profissional com deficiência física, prestador deste serviço), cabendo esclarecer que este último lote representa 4% (quatro por cento) do número total das novas autorizações licitadas, conforme determinado pela Lei Federal nº 8.213/1991.

1.2.1

As especificações da categoria Convencional/Executivo encontram-se descritas no Decreto Municipal nº 1.959/12, Capítulo II, art. 3º, incisos I e II;

1.2.2

As especificações da categoria Compartilhado encontram-se descritas no Decreto Municipal nº 1.959/12, art. 3º, inciso IV, conforme alteração constante no art. 1º do Decreto 1.184/13;

1.2.3

As especificações da categoria Deficiente encontram-se descritas no Decreto Municipal nº 1.959/12, Capítulo II, art. 3º, inciso I e II, ou seja, idênticos à categoria Convencional/Executivo, com as adaptações previstas e necessárias, conforme previsão em legislações pertinentes.

1.3

A execução do serviço descrito nos termos de autorização e de compromisso deverá assegurar a prestação adequada do transporte individual de passageiros - táxi, nos termos dos Decretos Municipais nºs 1.959/12, 1.4017/2012 e 1.184/13, e suas eventuais alterações supervenientes, da Lei Municipal nº 13957/2012, bem como quaisquer determinações emanadas pela URBS, as quais regulamentam as condições para a exploração dos Serviços de Transporte Individual de Passageiros em veículos de aluguel na Cidade de Curitiba, denominado simplesmente de Serviços de Táxi, constituindo estes os instrumentos que regerão as atividades citadas, bem como na forma do presente Edital e seus Anexos.

2

REMUNERAÇÃO, VALOR ESTIMADO E VALOR DA OUTORGA

2.1

Os serviços de táxi serão remunerados pelos usuários, mediante pagamento de tarifa.

2.1.1 As alterações do valor da tarifa serão determinadas através de ato do Poder Executivo

2.1.1 As alterações do valor da tarifa serão determinadas através de ato do Poder Executivo Municipal, precedida de proposta da URBS – Urbanização de Curitiba S.A.

2.1.2 Atualmente a tarifa se encontra fixada no Decreto Municipal nº 304/10.

2.2 Cabe ao Poder Executivo Municipal determinar a política tarifária a ser implantada nos Serviços de Transporte Individual de Passageiros – Táxi no Município de Curitiba.

2.3 O valor total estimado da concessão é de R$ 26.250.000,00 (vinte e seis milhões, duzentos e cinqüenta mil reais), assim dividido entre os lotes:

2.3.1 Para o Lote 1 – Categoria Convencional/Executivo (700 novas autorizações), o valor total estimado é de R$ 24.500.000,00 (vinte e quatro milhões e quinhentos mil reais);

2.3.2 Para o Lote 2 – Categoria Compartilhado (20 novas autorizações), o valor total estimado é de R$ 700.000,00 (setecentos mil reais);

2.3.3 Para o Lote 3 – Categoria Deficientes (30 novas autorizações), o valor total estimado é de R$ 1.050.000,00 (hum milhão e cinquenta mil reais).

2.3.4 Os valores acima estão baseados no valor total definido para pagamento da outorga das 750 (setecentas e cinquenta) novas autorizações, para o período de 35 (trinta e cinco) anos.

2.3.5 Caso não haja licitantes que apresentem propostas para o total de autorizações para a Categoria Deficientes ou, ainda, caso não haja habilitados para o total de autorizações para a Categoria Deficientes, as autorizações que restarem desertas ou frustradas serão repassadas aos interessados da Categoria Convencional/Executivo, obedecendo a ordem de classificação da Categoria Convencional/Executivo.

2.4 Pela outorga, de acordo com o previsto no Capítulo III do Decreto Municipal nº 1.959/12 e no Art. 2º do Decreto Municipal nº 1.184/13, o autorizatário deverá recolher à URBS, anualmente, a partir do ano de assinatura dos termos de autorização e de compromisso, durante toda a vigência da autorização, o valor equivalente a 500 (quinhentos) quilômetros rodados, calculados de acordo com o valor do quilômetro vigente no dia 1º de janeiro de cada ano, conforme cronograma no ANEXO II.

2.4.1 A título de informação, atualmente o valor equivalente a 500 (quinhentos) quilômetros é de R$ 1.000,00 (um mil reais).

2.4.2 O pagamento anual pela outorga poderá ser feito em parcela única ou até 02 (duas) parcelas iguais e sucessivas. 2.4.2.1 O(s) pagamento(s) deverá(ão) ser feito(s) diretamente na Tesouraria da URBS. 2.4.2.2 A opção de pagamento em parcela única ou em 2 (duas) vezes, será feita pelo Autorizatário no momento da emissão do boleto de pagamento pela Área de Táxi e Transporte Comercial. 2.4.2 O não recolhimento dos valores referentes à outorga anual no prazo assinalado no cronograma expedido pela URBS ensejará a instauração do

devido processo administrativo sancionatório e poderá implicar na extinção da autorização, objeto da presente

devido processo administrativo sancionatório e poderá implicar na extinção da autorização, objeto da presente licitação. 2.4.3 Os valores oriundos do pagamento da outorga constituirão receita da URBS - Urbanização de Curitiba. 2.4.4 O recolhimento do valor da outorga não exonera o autorizatário do pagamento dos demais valores dos preços de expedição, taxas ou outros valores previstos em Lei.

3

PRAZO DA AUTORIZAÇÃO E INÍCIO DA OPERAÇÃO

3.1

Os serviços serão autorizados pelo prazo de 35 (trinta e cinco) anos, prorrogáveis por até mais 15 (quinze) anos, contados a partir da data da assinatura do Termo de Compromisso e do Termo de Autorização, conforme descrito no Art. 14 do Decreto 1.184/13, o qual inclui o Art. 73 no Decreto Municipal nº 1.959/12.

3.1.1 Caberá ao autorizatário formalizar junto ao Autorizante a solicitação para prorrogação da vigência dos termos de autorização e de compromisso.

3.1.2 A solicitação de prorrogação elencada no subitem 3.1.1, deverá ser formalizada pelo autorizatário com no mínimo 18 (dezoito) meses de antecedência do término de vigência dos termos de autorização e de compromisso.

3.1.3

.A prorrogação deverá ser formalizada através de aditivo desde que o autorizatário mantenha as condições de habilitação previstas neste Edital e nas legislações pertinentes.

3.1.4

Em qualquer das hipóteses, compete ao Autorizante a análise dos critérios de conveniência e oportunidade para o deferimento do pedido de prorrogação do prazo.

3.1.5

Não havendo a solicitação de prorrogação no prazo estipulado a autorização estará automaticamente extinta após o término de vigência dos termos de autorização e de compromisso.

3.2

A prestação dos serviços de táxi inicia a partir da data da emissão do Certificado para Trafegar.

4

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

4.1

Poderão participar do certame somente pessoas físicas que atendam aos requisitos estabelecidos neste edital, bem como ao disposto na Lei Municipal nº 13.957/2012, no Decreto Municipal nº 1.959/2012 e no Decreto Municipal nº

1.184/13.

4.2

Será vedada a participação de proponentes:

4.2.1 Pessoa jurídica, individualmente, em consórcios, reunidas em cooperativa ou qualquer outro tipo de associação;

4.2.2 Declarados inidôneos por ato do Poder Público ou suspensos do direito de licitar ou contratar com a Administração Municipal;

4.2.3 Em processo de insolvência civil;

4.2.4 Impedidos de licitar, contratar, transacionar com a Administração Municipal e quaisquer de seus órgãos

4.2.4 Impedidos de licitar, contratar, transacionar com a Administração Municipal e quaisquer de seus órgãos descentralizados;

4.2.5 Enquadrados nas disposições contidas no art. 9º da Lei nº 8.666/1993 e alterações posteriores;

4.2.6 Dirigente, sócio, gerente, responsável técnico ou legal, membro de conselhos internos, ocupante de cargo, emprego ou função pública na Administração Municipal ou na Câmara Municipal de Curitiba.

4.2.7 Pessoa que tenha sido permissionária do serviço de táxi;

4.3

O oferecimento de proposta importa em total, irrestrita e irretratável submissão dos licitantes às condições do Edital.

4.4

O licitante somente poderá concorrer a 01 (um) dos lotes em que se divide o objeto da presente licitação. 4.4.1 O licitante que concorrer a mais de 01 (um) lote terá todas as suas propostas desclassificadas e estará impedido de participar do certame.

Nota 1:

Não será vedada a participação do interessado que estiver com o direito de dirigir suspenso ou com a Carteira Nacional de Habilitação - CNH cassada ou vencida. Entretanto, aquele que se enquadrar nestas condições, deverá estar ciente que as mesmas terão que estar devidamente regulares quando da apresentação da documentação relativa ao cadastro do condutor, conforme dispõe o item 12.2 do Edital. Caso o interessado não comprove que se encontra em situação regular perante aos requisitos em questão, o mesmo perderá o direito a ter para si adjudicado o objeto da presente licitação.

Nota 2:

Não será vedada a participação do interessado estrangeiro, todavia o mesmo terá que ter residência fixa no Brasil, bem como ter visto permanente e atender a todos os critérios elencados no Edital.

5

CADERNO DE LICITAÇÃO

5.1

O Caderno de Licitação é composto do Edital e seus anexos, a saber:

ANEXO I – Termo de Referência; ANEXO II – Cronograma de pagamento anual da outorga; ANEXO III – Modelos de declarações; ANEXO IV – Modelo de Proposta Técnica; ANEXO V – Tabela de Pontuação Técnica; ANEXO VI – Minuta do Termo de Compromisso ANEXO VII – Minuta do Termo de Autorização; ANEXO VIII – Modelo de carta de solicitação de protocolo dos documentos de habilitação e proposta técnica ANEXO IX – Modelo de Certidão para comprovação de tempo de experiência como condutor de táxi (somente para certidão(ões) emitida(s) por outros Municípios) ANEXO X – Legislações Municipais pertinentes (leis e decretos com suas alterações)

por outros Municípios) ANEXO X – Legislações Municipais pertinentes (leis e decretos com suas alterações)
6 DOCUMENTAÇÃO PARA HABILITAÇÃO – ENVELOPE Nº 01 6.1 O Envelope n° 1 deverá conter

6

DOCUMENTAÇÃO PARA HABILITAÇÃO – ENVELOPE Nº 01

6.1

O Envelope n° 1 deverá conter os seguintes documentos, indispensáveis à habilitação:

a) Cópia autenticada da Carteira de Identidade;

Observação:

No caso de estrangeiro, deverá ser apresentada a cópia autenticada do

para

Registro

Estrangeiros.

Nacional

de

Estrangeiros

ou

a

Cédula

de

Identidade

b) Cópia autenticada da Inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda – CPF;

c) Comprovante de residência original ou cópia autenticada, podendo ser:

conta de luz, água, telefone ou aviso de banco. Estes deverão estar obrigatoriamente em nome do proponente e com data não superior a 90 (noventa) dias da data do recebimento dos envelopes, qual seja,

25/11/2013;

c.1) No caso de não existir comprovante de residência em nome do proponente, o mesmo deverá apresentar declaração original de domicílio expedida por duas testemunhas, devendo ser reconhecidas as assinaturas por tabelião, conforme modelo constante do ANEXO III;

d) Atestado de Bons Antecedentes, emitido pela Secretaria de Segurança

Pública (serão considerados os atestados de antecedentes que registrem indulto, anistia, perdão judicial ou reabilitação judicial em favor do licitante);

e) Certidão negativa do registro de distribuição criminal relativamente aos

crimes de homicídio, roubo, estupro, tráfico de drogas e corrupção de

menores. Em Curitiba, na Rua XV de Novembro, 362;

f)

Certidão expedida pelo Ofício Distribuidor de Protesto do domicílio da pessoa, com data não superior a 45 (quarenta e cinco) dias da data constante no item 6.4 do Edital, qual seja, 25 de novembro de 2013, a qual não poderá apontar a existência de protesto de títulos de crédito e de documentos de dívidas. Em Curitiba, 3 º Ofício de Distribuidor de Curitiba, sito à Rua Visconde do Rio Branco, 1341 - 10º andar - Telefone: (41) 3053-

4360;

g)

Certidão conjunta de regularidade para com a Fazenda Federal, Estadual

e

Municipal do domicílio do licitante, mediante a apresentação dos seguintes

documentos:

g.1)Certidão Conjunta Negativa de Débitos Relativos aos Tributos Federais e

à Dívida Ativa da União, expedida pela unidade regional da Procuradoria da Fazenda Nacional; g.2) Certidão de Regularidade dos Tributos Estaduais, expedida pela Secretaria de Estado da Fazenda; g.3) Certidão de Regularidade dos Tributos Municipais, expedida pela Prefeitura Municipal (incluindo tributos MOBILIÁRIOS e IMOBILIÁRIOS).

NOTA 01: Em relação as comprovações requeridas junto as alíneas “d”, 6.1 do Edital, para

NOTA 01: Em relação as comprovações requeridas junto as alíneas “d”,

6.1 do Edital, para os licitantes que não forem

domiciliados em Curitiba, será necessária a apresentação da certidão de seu domicílio e do Município de Curitiba, bem como do Estado do Paraná e

do Estado do seu respectivo domicílio.

NOTA 02: A comprovação relativa à alínea “i” e subitens deverá ser feita mediante a apresentação das Certidões Negativas ou Certidão Positiva com efeito de negativa ou, ainda, certidão positiva cujos débitos estejam judicialmente garantidos ou com sua exigibilidade suspensa por decisão judicial, devendo esta situação ser comprovada por certidão de objeto e fé da(s) serventia(s) onde tramita(m) a(s) respectiva(s) ação(ões) judicial(is);

h) Declaração emitida pelo licitante de que não se encontra no exercício de

“e”,

“f”

e

“g”, do item

cargo, emprego ou função pública, na Administração Municipal ou na Câmara Municipal de Curitiba, conforme modelo constante no ANEXO III;

i) Declaração de que tomou conhecimento de todas as informações e

condições para o cumprimento das obrigações, objeto desta licitação (Vigência, Condições de Transferência, Recolhimento da Outorga e outros), conforme modelo constante no ANEXO III;

j) Declaração de que nunca foi permissionário, autorizatário e/ou concessionário do serviço de táxi, conforme modelo constante no ANEXO III.

k) Declaração de compromisso de apresentar toda a documentação exigida

para fins de cadastro de condutores, conforme descrito na Seção V do Capítulo III do Decreto Municipal nº 1959/2012, a qual trata das condições para o exercício da atividade, bem como, do Decreto Municipal nº 1184/2013 e ainda dos artigos 6 e 13 relativo a Lei Municipal nº 13957/2012, conforme modelo constante no ANEXO III.

6.2 A

documentação

exigida

nas

alíneas

“a”

e

“b”,

ou

seja,

em

cópias

autenticadas, DEVERÁ ser apresentada por qualquer processo de fotocópia autenticada.

6.3 A documentação exigida nas alíneas “g” a “k” poderão ser apresentadas no original ou por qualquer processo de fotocópia autenticada.

6.3.1 Os documentos dos licitantes que forem entregues no original, serão

retidos pela Comissão Especial de Licitação e integrarão os autos do processo licitatório, ou seja, não serão devolvidos aos proponentes.

6.4 Os documentos deverão estar com sua validade em vigor no dia 25 de novembro de 2013.

6.5 Toda e qualquer declaração deverá ser datada e assinada pelo licitante, devidamente qualificado (nome e CPF legíveis).

6.6 Os documentos que não contiverem menção expressa sobre o prazo de validade, somente serão aceitos se emitidos com data não superior a 90 (noventa) dias anteriores à data de sua expedição.

6.7 Todos os documentos referentes à habilitação deverão estar dentro do ENVELOPE Nº 01 – HABILITAÇÃO.

6.7.1 Os participantes estrangeiros ficam obrigados a apresentar toda a documentação requisitada junto ao item

6.7.1 Os participantes estrangeiros ficam obrigados a apresentar toda a documentação requisitada junto ao item 6.1 do Edital e seus subitens.

6.8

Todas as declarações dos Anexos deste Edital, a serem elaboradas pelo Licitante, deverão ser preenchidas legivelmente, com caneta ou digitadas e impressas, em qualquer das situações em papel formato A4.

6.9

Em hipótese alguma será efetuada a devolução dos documentos apresentados pelos participantes do pleito, em face de impedimento legal, considerando que os mesmos serão anexados ao competente processo licitatório.

7

PROPOSTA TÉCNICA – ENVELOPE Nº 02

7.1

A proposta técnica deverá ser apresentada de acordo com o modelo constante no ANEXO IV deste Edital e nela deverá estar expresso o prazo de validade de 90 (noventa) dias.

7.2

O ENVELOPE Nº 02 deverá conter os seguintes documentos, indispensáveis à classificação da proposta:

a) Comprovação de tempo de experiência como condutor de táxi no Município de Curitiba; por meio de apresentação de certidão original emitida pela Área de Táxi e Transporte Comercial da URBS – Urbanização de Curitiba, onde deverá constar, obrigatoriamente, o número de dias em que esteve ativamente cadastrado como condutor dos serviços de táxi;

a.1) Deverá ser considerada a data 31 de julho de 2013 como o último dia para a contagem dos dias para a comprovação do tempo de experiência

e esta informação deverá estar devidamente registrada na certidão

emitida pela Área de Táxi e Transporte Comercial;

b) Comprovação de tempo de experiência como condutor de táxi em outros Municípios, por meio de apresentação de cópia autenticada da Carteira de Trabalho ou certidão original emitida pelo órgão responsável pelos serviços de táxi do Município, conforme modelo constante no ANEXO IX, onde deverá constar, obrigatoriamente, o número de dias em que esteve ativamente cadastrado como condutor dos serviços de táxi, conforme modelo constante no ANEXO IX;

b.1) Deverá ser considerada a data 31 de julho de 2013 como o último dia para a contagem dos dias para a comprovação do tempo de experiência

e esta informação deverá estar devidamente registrada na certidão

emitida pelo órgão responsável pelos serviços de táxi do Município

respectivo, conforme modelo constante no ANEXO IX;

b.2) A referida certidão deverá, obrigatoriamente, vir em papel timbrado do órgão responsável pelos serviços de táxi no Município, datada e, ainda, com carimbo e assinatura do responsável pela informação.

c) Comprovante “Consulta Histórico de Pontuação”, com dados referentes à pontuação registrada no prontuário da

c) Comprovante “Consulta Histórico de Pontuação”, com dados referentes à pontuação registrada no prontuário da Carteira Nacional de Habilitação do licitante, no período compreendido entre 1º/Agosto/2012 a 31/Julho/2013. O comprovante em questão poderá ser emitido junto ao site do DETRAN/PR.

d) Declaração original de compromisso de apresentação do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), em nome do licitante, referente ao ano de fabricação do automóvel, conforme modelo constante no ANEXO III. A Declaração de que trata o item em questão, deverá ser referente ao veículo que será utilizado na prestação dos serviços de táxi,

Nota:

Para os proponentes que apresentarem veículo com ano de fabricação em 2013 ou superior, mas que possuir quilometragem acima de 300 (trezentos) quilômetros, deverá ser assinalado com “x” no campo “ressalva”, o qual se encontra elencado na Declaração requisitada junto à alínea “d” do item 7.2 do Edital, ou seja, a Declaração original de compromisso de apresentação do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV).

d.1) Será considerado como 0 km (zero quilômetro) o veículo apresentado com ano de fabricação igual ao ano da publicação deste Edital ou superior e que na data da primeira vistoria para a obtenção do Certificado para Trafegar, apresentar quilometragem rodada menor ou igual a 300 (trezentos) quilômetros;

7.2.1 A documentação exigida nas alíneas “a”, “b”, “c” e “d” DEVERÁ ser apresentada no original ou por qualquer processo de fotocópia autenticada.

7.2.2 Os participantes estrangeiros ficam obrigados a apresentar toda a documentação requisitada junto ao item 7.1 do Edital e seus subitens.

7.3 As propostas serão analisadas com base em critérios de:

a) experiência profissional como condutor dos serviços de táxi;

b) infrações ao Código de Trânsito Brasileiro;

c) ano de fabricação do veículo. 7.3.1 A formulação da proposta técnica pelos licitantes e os critérios de avaliação pela Comissão Especial de Licitação atenderão os parâmetros de exigências descritos nos itens 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4 e 7.3.5.

7.3.1.1Caso o licitante apresente períodos simultâneos em que esteve ativamente cadastrado como condutor dos serviços de táxi em diferentes municípios, será considerado o período em apenas 01

(um) dos Municípios, sem prejuízo do período total, respeitado o máximo de pontos para o

(um) dos Municípios, sem prejuízo do período total, respeitado o máximo de pontos para o item.

7.3.1.2No caso previsto no subitem anterior, será considerado o período ativamente cadastrado como condutor de táxi que confira maior pontuação ao licitante.

7.3.2 Experiência profissional como condutor de veículo táxi no Município

de Curitiba () – resultado gerado pela multiplicação do tempo em dias trabalhados como condutor de táxi no Município de Curitiba (DC) pela razão entre o número máximo de pontos considerados para este item (MP) e a quantidade de dias equivalentes a 30 (trinta) anos (QD), conforme fórmula abaixo. Para este item serão considerados, no máximo,

60

(sessenta) pontos.

E¹ = DC x (MP / QD)

A comprovação do número de dias trabalhados como condutor de táxi no Município de Curitiba será obtida por meio de apresentação de certidão emitida pela Área de Táxi e Transporte Comercial da URBS – Urbanização de Curitiba, onde deverá constar, obrigatoriamente, o número de dias em que esteve ativamente cadastrado como condutor dos serviços de táxi;

7.3.2.2 A tabela com a pontuação a ser obtida, após aplicação da fórmula apresentada no item 7.3.1, encontra-se no ANEXO V.

7.3.2.1

7.3.3 Experiência profissional como condutor de veículo táxi em outros Municípios () – resultado gerado pela multiplicação do tempo em dias trabalhados como condutor de táxi em outros Municípios (DO) pela razão entre o número máximo de pontos considerados para este item (MP) e a

quantidade de dias equivalentes a 30 (trinta) anos (QD) dividida por 2, conforme fórmula abaixo. Para este item serão considerados, no máximo,

60 (sessenta) pontos.

E² = DO x [MP /(QD/2)]

7.3.3.1 A comprovação do número de dias trabalhados como condutor de táxi em outros Municípios será obtida através de apresentação de cópia da Carteira de Trabalho ou por certidão emitida pelo órgão responsável pelos serviços de táxi do Município, onde deverá constar, obrigatoriamente, o número de dias em que esteve ativamente cadastrado como condutor dos serviços de táxi;

7.3.3.2 A tabela com a pontuação a ser obtida, após aplicação da fórmula apresentada no item 7.3.3 encontra-se no ANEXO V.

7.3.3.3 A documentação exigida no sub item 7.3.3.1, ou seja, em cópia, DEVERÁ ser apresentada por qualquer processo de fotocópia autenticada

7.3.4 Infrações ao Código de Trânsito Brasileiro ( P¹ )– resultado gerado pela diferença do

7.3.4 Infrações ao Código de Trânsito Brasileiro ()– resultado gerado pela diferença do total de pontos a serem obtidos neste item (PI) e os pontos no prontuário (PP) multiplicado por 1,5, conforme fórmula abaixo. Para este item serão considerados, no máximo, 30 (trinta) pontos.

P¹ = PI – (PP x 1,5)

PONTOS DO

PONTOS NO PRONTUÁRIO (PP)

PP x 1,5

PONTUAÇÃO OBTIDA [PI -

ITEM (PI)

(PPx1,5)]

30

0

0

30

30

1

1,5

28,5

30

2

3

27

30

3

4,5

25,5

30

4

6

24

30

5

7,5

22,5

30

6

9

21

30

7

10,5

19,5

30

8

12

18

30

9

13,5

16,5

30

10

15

15

30

11

16,5

13,5

30

12

18

12

30

13

19,5

10,5

30

14

21

9

30

15

22,5

7,5

30

16

24

6

30

17

25,5

4,5

30

18

27

3

30

19

28,5

1,5

30

20

30

0

7.3.5 Ano de Fabricação do Veículo () – a pontuação deste item será obtida através da Declaração de compromisso de apresentação do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), em nome do licitante, referente ao ano de fabricação do automóvel, conforme modelo constante no ANEXO III. Neste caso, do veículo a ser utilizado para a prestação dos serviços de táxi, conforme tabela abaixo. Para este item, serão considerados, no máximo, 10 (dez) pontos.

ANO DE FABRICAÇÃO

PONTUAÇÃO OBTIDA

2013 ou superior, até 300 km

10

2013 ou superior, acima de 300 km

9

2012 8 2011 6 2010 4 2009 2 Nota: No caso do táxi executivo aplica-se

2012

8

2011

6

2010

4

2009

2

Nota:

No caso do táxi executivo aplica-se a tabela acima, considerando os anos de fabricação de 2011, 2012 e 2013 ou superior, seguindo-se o mesmo critério de pontuação.

7.3.5.1 Será considerado como 0 km (zero quilômetro) o veículo apresentado com ano de fabricação 2013 ou superior e que na data da primeira vistoria para a obtenção do Certificado para Trafegar, apresentar quilometragem rodada menor ou igual a 300 (trezentos) quilômetros.

7.3.5.2 O veículo ofertado na proposta do licitante e, portanto, a ser disponibilizado para fins de prestação dos serviços de táxi, deverá ser de propriedade do interessado em participar do processo. Neste caso, não poderá ser o mesmo objeto de financiamento através de arrendamento mercantil (leasing), podendo ser serão aceitos veículos financiados na condição de alienação fiduciária.

7.4 As certidões e os documentos que darão suporte à pontuação dos licitantes deverão, obrigatoriamente, estar contidos no envelope da proposta técnica para que a Comissão Especial de Licitação efetue a devida conferência.

7.5 A Nota Técnica (NT) será atribuída pela soma da pontuação obtida em cada um dos critérios anteriormente previstos, (7.3.2 a 7.3.5) limitada ao máximo de 100 (cem) pontos.

NT = NE + NP + NA

Onde:

NT = Nota Total

NE = Nota da Experiência como condutor de táxi

NP = Nota de Infrações ao Código de Trânsito Brasileiro

NA = Nota do Ano de fabricação do veículo

7.6 Todos os documentos referentes à proposta técnica deverão estar dentro do ENVELOPE Nº 02 – PROPOSTA TÉCNICA.

8 DA ENTREGA DOS ENVELOPES Nº 01 e 02

8.1 Os envelopes nºs 1 e 2, contendo, respectivamente, os documentos de Habilitação e Proposta Técnica deverão ser entregues, fechados, indevassáveis e rubricados pelo licitante no fecho, através de protocolo, com carta de encaminhamento, conforme modelo constante no ANEXO VIII, no local, dias e horários estabelecidos no preâmbulo deste Edital.

8.2 Os envelopes deverão conter, respectivamente, em suas partes externas e frontais, em caracteres destacados,

8.2

Os envelopes deverão conter, respectivamente, em suas partes externas e frontais, em caracteres destacados, os seguintes dizeres:

ENVELOPE Nº 1 – DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO URBS – URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Concorrência URBS nº 001/2013– ASA/DTP Concessão das novas autorizações de Táxi DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO

 

(Nome do licitante)

ENVELOPE Nº 2 – PROPOSTA TÉCNICA URBS – URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Concorrência URBS nº 001/2013 – ASA/DTP Concessão das novas autorizações de Táxi PROPOSTA TÉCNICA – LOTE Nº XX

 

(Nome do licitante)

8.3

O interessado deverá obter, às suas expensas, sob sua própria responsabilidade, todas as informações complementares e verificações que entender necessárias à elaboração de sua proposta.

9.0

A Comissão de Licitação considerará que as propostas foram elaboradas com

total e perfeito conhecimento das determinações e informações constantes deste Edital, sendo vedado ao licitante propor ou postular quaisquer modificações nas condições de sua proposta, sob alegação de insuficiência de dados e/ou informações sobre o objeto desta Licitação, não podendo também, posteriormente, sob o mesmo fundamento, alegar prejuízo ou reivindicar benefício, devendo, em caso de dúvidas, solicitar previamente à Comissão

Especial de

Licitação,

através

do

e.mail

esclarecimentosedital@urbs.curitiba.pr.gov.br ou por escrito através de documento protocolado no Prédio Central da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., as informações necessárias à elaboração de sua Proposta.

9.1

Após a entrega dos envelopes não será aceita a substituição ou anexação de documentos por parte dos licitantes.

9.2

Não serão aceitas propostas técnicas e/ou habilitações enviadas pelos Correios, somente entregue via protocolo.

10

PROCEDIMENTOS DE JULGAMENTO DA LICITAÇÃO

 

10.1

Sessão de Abertura

10.1.1 Na sessão de abertura dos envelopes os participantes poderão se fazer representar por meio de procuração ou de carta de credenciamento específica. 10.1.1.1 Procurações deverão ser apresentadas com firma reconhecida do licitante, em original ou fotocópia autenticada, devidamente

deverão ser apresentadas com firma reconhecida do licitante, em original ou fotocópia autenticada , devidamente
acompanhada da fotocópia autenticada do documento de identidade do licitante e do representante; 10.1.1.2 Cartas

acompanhada da fotocópia autenticada do documento de identidade do licitante e do representante;

10.1.1.2 Cartas de credenciamento deverão ser apresentadas no original, com firma reconhecida, do licitante, em original ou fotocópia autenticada, devidamente acompanhada da fotocópia autenticada do documento de identidade do licitante e do representante.

10.1.2 As originais ou cópias autenticadas das procurações e das cartas credenciais, bem como dos documentos, serão retidos pela Comissão de Licitação e juntados ao Processo Administrativo.

10.1.3 Durante os trabalhos só será permitida a manifestação de 01 (hum) representante por licitante (procurador ou credenciado), que constará em ata, cabendo recurso quanto aos seus efeitos, não sendo permitidas refutações orais.

10.1.4 Antes da abertura dos envelopes, será realizado o credenciamento dos interessados, conforme previsto neste Edital.

10.2 Abertura dos Envelopes de Proposta Técnica

10.2.1 No início da Sessão de Abertura dos envelopes, os documentos de credenciamento retidos serão rubricados, obrigatoriamente, pelos membros da Comissão de Licitação e pelos licitantes presentes.

10.2.2 Iniciada a sessão destinada à abertura do Envelope n° 2 – Documentos de Proposta Técnica, os licitantes não mais poderão desistir de sua proposta.

10.2.3 Abertos os envelopes nº 2, os documentos serão rubricados pelos membros da Comissão Especial de Licitação e pelos representantes dos licitantes presentes.

10.2.4 A Comissão Especial de Licitação examinará, na própria sessão ou em sessão reservada, a documentação apresentada, decidirá sobre a classificação ou desclassificação das propostas técnicas, atribuirá às classificadas a Nota Técnica – NT, nos termos definidos no item 7 deste Edital e dará ciência aos interessados da decisão e de sua motivação na própria sessão ou após realização de sessão reservada, através do Diário Oficial do Município, informando o prazo para a interposição de recursos.

10.2.5 O conteúdo dos envelopes abertos será juntado aos autos do Processo Administrativo correspondente, sendo que os envelopes nº 1 serão encerrados em outro(s) invólucro(s), devidamente rubricado(s) pela Comissão Especial de Licitação e pelos licitantes presentes, permanecendo sob custódia da Comissão até a abertura em outro ato público.

10.2.6 Serão desclassificados os participantes que não atenderem às condições previstas no item 7 e subitens deste Edital e aqueles que apresentarem documentação incompleta ou com borrões, rasuras, entrelinhas ou

cancelamentos, emendas, ressalvas ou omissões, que, a critério da Comissão, comprometam seu conteúdo. A simples

cancelamentos, emendas, ressalvas ou omissões, que, a critério da Comissão, comprometam seu conteúdo.

A simples irregularidade formal, que não afete o conteúdo ou a idoneidade das propostas, a juízo da Comissão Julgadora, não implicará na desclassificação da licitante.

10.2.6.2 Se todas as propostas forem desclassificadas, a Administração, a seu critério, fixará o prazo de 8 (oito) dias úteis para apresentação de novas propostas, escoimadas das causas que motivaram o ato, consoante art. 48, § 3º, da Lei nº 8.666/1993, e suas alterações posteriores.

10.2.7 Ocorrendo desistência expressa de recursos por todos os representantes legais ou credenciados, a Comissão Especial de Licitação constará em ata da sessão e designará data para a abertura do Envelope nº 1 – DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO dos participantes classificados.

10.2.8 Decididos os recursos ou transcorrido o prazo sem interposição dos mesmos, a Comissão Especial de Licitação designará, através de publicação no Diário Oficial do Município de Curitiba, dia e hora de prosseguimento da sessão para abertura dos envelopes nº1.

10.2.9 Os Envelopes nº 1, pertencentes aos licitantes desclassificados nos termos do item 10.2.6 permanecerão sob custódia da Comissão de Licitação até o final do processo licitatório, quando então serão devolvidos aos interessados que vierem buscá-los na Área de Táxi e Transporte Comercial no prazo de 15 (quinze) dias a partir da data da homologação final do certame.

10.2.6.1

10.3 Classificação das Propostas Técnicas

10.3.1 A classificação das propostas será efetuada em função da maior Nota Final – NF – obtida para cada lote.

será

10.3.2.1 A

Nota

Final

(NF)

de

cada

licitante,

em

cada

lote,

determinada pela seguinte equação de pontuação:

NF = NE + NP + NA

onde:

NF= Nota Final;

NE= Nota de experiência como condutor de táxi

NP = Nota de infrações ao Código de Trânsito Brasileiro

NA = Nota do ano de fabricação do veículo

10.3.2 A

decrescente das Notas Finais obtidas pelos licitantes, para cada lote.

10.3.3 Verificada a igualdade entre duas ou mais Notas Finais a Comissão Julgadora procederá ao desempate, por sorteio, em ato público.

ordem

Comissão

Especial

de

Licitação

elaborará

listagem

em

10.4 Abertura dos Envelopes de Habilitação

10.4.1 Abertos os envelopes nº 1, dos classificados do 1º ao 750º, os documentos serão

10.4.1 Abertos os envelopes nº 1, dos classificados do 1º ao 750º, os documentos serão rubricados pelos membros da Comissão Especial de Licitação e pelos representantes dos licitantes presentes.

10.4.2 A Comissão Especial de Licitação examinará, na própria sessão ou em sessão reservada, a documentação apresentada, decidirá sobre a habilitação ou inabilitação dos licitantes, dará ciência aos interessados da decisão e de sua motivação na própria sessão ou após realização de sessão reservada, através do Diário Oficial do Município, informando o prazo para a interposição de recursos.

10.4.2.1 Serão inabilitados os licitantes em desacordo com os critérios estabelecidos no item 6 e seus subitens deste Edital.

10.4.2.2 Serão igualmente inabilitados os licitantes cuja documentação esteja em desacordo com a legislação vigente, bem como as que contenham borrões, rasuras, ressalvas ou omissões que, a critério da Comissão, comprometam seu conteúdo.

10.4.2.3 A simples irregularidade formal, que não afete o conteúdo ou a idoneidade dos documentos, a juízo da Comissão Julgadora, não implicará na inabilitação do licitante.

10.4.3 Decididos os recursos ou transcorrido o prazo sem interposição dos mesmos, a Comissão Especial de Licitação publicará a listagem dos habilitados e inabilitados no Diário Oficial do Município de Curitiba e também comunicará para a realização de nova sessão para abertura dos envelopes de habilitação, no caso de haver autorizações remanescentes, advindas de inabilitações.

10.4.4 O procedimento previsto no item 10.4.3 será realizado até que não restem autorizações ou que não haja mais licitantes classificados.

10.4.5 Nas hipóteses de desclassificação, inabilitação, desistência dos convocados para assinatura dos Termos de Compromisso e de Autorização, poderão ser convocados outros licitantes classificados até que se complete a quantidade total de novas autorizações deste certame.

10.4.6 Se todos os proponentes forem inabilitados, a critério da Administração, poderá ser concedido prazo para que os licitantes apresentarem nova documentação, escoimadas das causas que motivaram o ato, consoante art. 48, § 3º, da Lei n.º 8.666/1993 e alterações posteriores.

10.5 Homologação e Adjudicação

10.5.1 Efetuada a classificação e a habilitação dos proponentes, a Comissão fará publicar resultado parcial ou final no Diário Oficial do Município.

10.5.2 O Presidente da Comissão de Licitação encaminhará o processo administrativo ou o resultado parcial à Autoridade Competente para, a seu critério, efetuar a homologação parcial ou final do procedimento licitatório e adjudicação parcial ou final do objeto aos licitantes classificados e habilitados pela ordem de classificação, com a oportuna convocação

dos adjudicatários para subscreverem os termos de compromisso e de autorização respectivos. 10.5.3 Decorrido o

dos adjudicatários para subscreverem os termos de compromisso e de autorização respectivos.

10.5.3 Decorrido o prazo de validade da proposta, previsto no item 7.1 deste instrumento, sem convocação para a contratação, ficam os licitantes liberados dos compromissos assumidos.

10.6 Das sessões públicas realizadas, lavrar-se-ão atas circunstanciadas, que serão assinadas pelos membros da Comissão e pelos representantes legais ou credenciados presentes.

10.6.1 Das sessões reservadas serão lavradas atas circunstanciadas, que serão assinadas pelos Membros da Comissão de Licitação.

10.7

As dúvidas que surgirem durante as sessões serão resolvidas pela Comissão de Licitação, na presença das participantes, ou ainda relegadas para ulterior deliberação, a juízo do Presidente da Comissão, devendo o fato constar de ata, em ambos os casos.

10.8

É facultado à Comissão de Licitação ou à autoridade superior, em qualquer fase da licitação, promover diligência destinada a esclarecer ou complementar a instrução do processo, vedada a inclusão posterior de documentos que deveriam ter sido apresentados pelos licitantes.

10.9

O Presidente da URBS – Urbanização de Curitiba S.A. se reserva o direito de não homologar ou revogar o presente processo parcial ou integralmente, por razões de interesse público decorrente de fato superveniente, devidamente comprovado e mediante fundamentação escrita.

11

RECURSOS

11.1

Serão admitidos recursos administrativos na forma do disposto no artigo 109 da

Lei nº 8.666/1993. 11.2 Eventuais recursos serão dirigidos à autoridade superior, por intermédio da Comissão Especial de Licitação, na forma e nos prazos previstos pelas disposições legais e deverão ser protocolados na URBS - Urbanização de Curitiba S.A., na Av. Presidente Affonso Camargo n° 330, Jardim Botânico, nesta Capital, nos dias úteis, no horário das 08:30h às 18:00h, visando sua juntada ao processo de licitação.

11.2.1 A Comissão Especial de Licitação, após a interposição do recurso, poderá reconsiderar sua decisão fundamentadamente, no prazo de 5 (cinco) dias úteis ou encaminhá-lo à decisão superior, acompanhado das informações necessárias.

11.3 Aos recursos previstos neste Edital serão atribuídos efeito suspensivo.

12 DO CADASTRO DE CONDUTORES

12.1 Os licitantes classificados para os objetos da presente licitação, serão convocados para, no prazo de até 30 (trinta) dias, contados da data do recebimento da convocação, apresentar toda a documentação exigida para o cadastramento, conforme descrito na Seção V do Capítulo III – DAS CONDIÇÕES PARA O EXERCÍCIO DA ATIVIDADE, do Decreto Municipal nº 1.959/12, do Decreto

Municipal nº 1.184/13 e ainda, dos artigos 6 e 13 relativos a Lei Municipal nº

Municipal nº 1.184/13 e ainda, dos artigos 6 e 13 relativos a Lei Municipal nº

13957/2012.

12.2 Caso a documentação para o cadastro não tenha sido aprovada na primeira apresentação, o licitante terá o prazo de até 15 (quinze) dias, contados da comunicação do fato ao interessado, para regularizar a mesma e apresentar para nova análise na Área de Táxi e Transporte Comercial da URBS – Urbanização de Curitiba S.A.

12.3 Não será deferido o cadastro do licitante que esteja com o direito de dirigir suspenso ou com a Carteira Nacional de Habilitação – CNH cassada ou vencida, considerando o prazo especificado nos itens 12.1 e 12.2 do Edital.

12.4 Cada licitante terá direito a somente 01 (uma) reapresentação de documentos para o cadastramento;

12.5 Caso o licitante não tenha sua documentação aprovada para o cadastro ou não tenha apresentado a mesma dentro do prazo especificado, o mesmo perderá o direito a ter para si adjudicado o objeto da presente licitação.

12.6 Na ocorrência das situações apontadas no item 12.5 ou em havendo a desistência dos convocados, poderão ser convocados outros licitantes classificados até que se complete a quantidade total de novas autorizações deste certame.

12.7 Todos os documentos necessários a efetivação do cadastro do condutor, deverão ser apresentados em original ou por qualquer processo de fotocópia autenticada

12.8 A documentação entregue em original será retida pela Administração e integrará os autos do processo licitatório, ou seja, não serão devolvidos aos licitantes.

12.9 Quando da disponibilização dos documentos para fins de cadastro do condutor, deverão os mesmos estar com sua validade em vigor.

12.10 Os documentos que não contiverem menção expressa sobre o prazo de validade, somente serão aceitos se emitidos com data não superior a 90 (noventa) dias anteriores à data de sua expedição.

13

DA AUTORIZAÇÃO

13.1

A Autorização será outorgada em caráter personalíssimo, inalienável, impenhorável e incomunicável, mediante o recolhimento da outorga anual, equivalente a 500 (quinhentos) quilômetros rodados, que deverá ser paga anualmente, conforme cronograma constante no ANEXO II, sendo a primeira parcela vencível no ano de 2014.

13.1.1 O não pagamento dos valores referentes à outorga anual no prazo assinalado no cronograma expedido pela URBS ensejará a instauração do devido processo administrativo sancionatório e poderá implicar na extinção da autorização, objeto da presente licitação.

13.2

É vedada a venda ou o arrendamento da autorização, sob pena de extinção da mesma, sem prejuízo das demais medidas previstas na legislação vigente e neste Edital.

13.2.1 Fica vedada a transferência da autorização, salvo nas hipóteses previstas na legislação vigente. 13.3

13.2.1Fica vedada a transferência da autorização, salvo nas hipóteses previstas na legislação vigente.

13.3 O Autorizatário que, na execução do serviço, deixar de atender os requisitos contidos no Termo de Compromisso, no Termo de Autorização, no edital de licitação e seus Anexos, bem como na legislação vigente, poderá ter sua autorização extinta.

13.4 O Autorizatário que for punido nos termos dispostos no item anterior não fará jus

a qualquer tipo de indenização.

13.5 As autorizações serão válidas pelo período de 35 (trinta e cinco) anos, prorrogáveis por até mais 15 (quinze) anos, contados a partir da data da assinatura do Termo de Compromisso e do Termo de Autorização, desde que cumpridas as exigências da Lei Municipal n° 13.957/12, do Decreto Municipal n° 1.959/12, do Decreto Municipal nº 1.184/13, deste Edital com seus Anexos e demais legislações pertinentes em vigor.

13.6 Os adjudicatários serão convocados para, no prazo de 15 (quinze) dias, da data do recebimento da convocação, firmar os termos de compromisso e de autorização respectivos, nos termos das minutas constantes dos ANEXOS VI e

VII.

13.6.1 O prazo estabelecido no item 13.6 deste instrumento poderá ser prorrogado por igual período, quando solicitado por escrito pelo adjudicatário, durante seu transcurso e desde que ocorra motivo justificado e aceito pela Autorizante.

13.7

No caso do último dia dos prazos referidos nos itens 13.6 e 13.6.1, se encerrar em dia em que não há expediente administrativo na URBS, deverá ser considerado, como data de encerramento do prazo, o primeiro dia útil imediatamente posterior.

13.8

A

prestação do serviço inicia-se a partir da emissão do Certificado para Trafegar.

13.9

A não assinatura do Termo de Compromisso e do Termo de Autorização nos prazos estipulados neste Edital implicará na perda do direito da Autorização.

13.10 A atividade dos autorizatários do serviço, delegado por meio desta Concorrência Pública, está submetida ao Código de Trânsito Brasileiro, ao Regulamento dos Serviços de Táxi de Curitiba, bem como às legislações pertinentes e às determinações da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., sujeitando-se, em caso de infração, às punições nelas previstas.

13.11 O Termo de Compromisso e o Termo de Autorização decorrentes da presente licitação serão celebrados entre a URBS – Urbanização de Curitiba S.A. e o adjudicatário, sendo regidos pelas cláusulas e condições estabelecidas nas minutas constantes nos ANEXOS VI e VII, bem como estará subordinado às normas das Leis Federais n°s 8.666/93, Lei Federal 8.213/1991, Lei Federal nº 9.503/97, Lei Federal 12.468/11, Lei Federal 8.213/91, Lei Estadual 15.608/07, Lei Municipal nº 13.957/2012, Lei Municipal nº 14.017/2012, Decreto Municipal nº 1.959/2012 e Decreto Municipal nº 1.184/13, além da Lei Orgânica do Município de Curitiba e demais normas atinentes à prestação dos serviços de táxi.

13.12 A omissão ou recusa do licitante classificado em cumprir quaisquer dos atos e

obrigações referentes ao procedimento de contratação, oriundo desta licitação,

caracteriza o descumprimento total da obrigação assumida, implicando a sua desclassificação, sendo convocado o

caracteriza o descumprimento total da obrigação assumida, implicando a sua desclassificação, sendo convocado o próximo licitante, obedecida a ordem de classificação final e até completar o número de novas autorizações previstas neste certame, dentro do prazo de validade desta licitação.

13.13 Sem prejuízo das disposições previstas em Lei e outras definidas nas minutas dos Termos de Compromisso e de Autorização, conforme ANEXOS VI e VII, obriga-se o autorizatário a:

13.13.1 assegurar a boa qualidade e adequação do serviço a ser prestado;

13.13.2 assumir inteira responsabilidade civil, penal, trabalhista, tributária e/ou administrativa por danos e prejuízos que causar a si, a terceiros e/ou ao Município, pelo descumprimento, omissões ou desvios no cumprimento do objeto desta licitação.

13.14 Caso o adjudicatário não compareça ou se recuse a assinar o Termo de

Compromisso e o Termo de Autorização, proceder-se-á na forma do § 2º do art. 64 da Lei nº 8.666/1993.

13.15 O presente Edital e seus anexos, bem como a proposta do Autorizatário, farão parte integrante do Termo de Compromisso e do Termo de Autorização, independentemente da transcrição.

13.16 Nas hipóteses de desclassificação, inabilitação ou desistência dos convocados,

poderão ser convocados outros licitantes classificados até que se complete a

quantidade total de novas autorizações deste certame.

14 CONDIÇÕES DOS TERMOS

14.1 As obrigações e responsabilidades dos Autorizatários, assim como as penalidades contratuais e condições de execução do objeto contratado encontram-se definidas e especificadas na Lei Municipal n° 13.957/12, 14.017/12, no Decreto Municipal n° 1.959/12, no Decreto Municipal nº 1.184/13, no Edital e seus Anexos, nas determinações da URBS e demais legislações pertinentes.

14.2 Durante a vigência da Autorização, também constituem direitos e obrigações do

Autorizatário:

1) estar inscrito no Cadastro Municipal de Condutores de Táxi como Taxista Autônomo;

2) possuir habilitação para conduzir veículo automotor nas categorias B, C, D ou E, com a observação Exerce Atividade Remunerada (E.A.R.);

3) ter curso de relações humanas, direção defensiva, primeiros socorros, mecânica e elétrica básica de veículos, promovido por entidade reconhecida pela URBS;

4) ter licença específica emitida pela URBS para exercer a profissão;

5) possuir inscrição como segurado do Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS;

6) certidão negativa de registro de distribuição criminal relativamente aos crimes de homicídio, roubo, estupro, tráfico de drogas e corrupção de menores;

7) certidão de condutor expedida pelo DETRAN;

8) apresentar veículo com fabricação não superior a 5(cinco) anos contados do primeiro registro do

8) apresentar veículo com fabricação não superior a 5(cinco) anos contados do primeiro registro do veículo (CRLV);

9) apresentar veículo com dimensão mínima de conforto de 1.800mm;

10) apresentar veículo com ar condicionado;

11) apresentar veículo com air bag duplo;

12) apresentar o veículo em estado impecável de conservação e higiene;

13) desde que autorizado pela URBS e solicitado pelo Autorizatário, este poderá transferir a autorização após 36 (trinta e seis) meses contados da data da assinatura do Termo de Compromisso;

14) somente transferir a autorização 01 (uma) única vez, após o prazo previsto no item anterior;

15) utilizar veículo licenciado pela URBS – Urbanização de Curitiba S.A. para os serviços de táxi;

16) garantir que o serviço seja prestado, obrigatoriamente, nos dias e horários de movimento intenso (horários de pico);

17) utilizar Condutor/Colaborador inscrito no cadastro de condutores da URBS – Urbanização de Curitiba S.A.

18) ter, no máximo, 2 (dois) profissionais inscritos na categoria Condutor/Colaborador;

18.1) fica expressamente vedado ao Autorizatário permitir que os Condutores/ Colaboradores atuem como Colaboradores de mais de 01 (um) Autorizatário;

19) cadastrar como seu eventual substituto, com motivo justificado e por período determinado, outro profissional além dos dois já previstos;

20) na renovação da Licença Cadastral devem ser apresentados os documentos exigidos dentro do prazo de validade;

21) apresentar veículo em bom estado de conservação e funcionamento, aprovado em vistoria realizada pela URBS – Urbanização de Curitiba S.A.;

22) apresentar veículo com pintura padronizada de cor laranja, com uma faixa xadrez em quadrados de 6 cm, laranja e preta, contínua, de 42 cm de largura, medida a partir do batente da porta dianteira, pintada verticalmente nas suas laterais ou conforme determinações da URBS – Urbanização de Curitiba S.A.;

23) apresentar veículo equipado com taxímetro automatizado na transição da Bandeira 1 para a Bandeira 2 e vice versa, com acumulador estatístico, em modelo homologado e aprovado pelo INMETRO, devidamente aferido e lacrado pela autoridade competente;

24) apresentar veículo equipado com impressora acoplada ao taxímetro que expresse a identificação do veículo e do condutor, valor da corrida, data e horário, quilometragem percorrida, bandeira correspondente à tarifa aplicada e valor expresso da taxa de retorno, quando houver;

25) apresentar veículo equipado com processo biométrico para liberação do taxímetro pelo condutor que estiver operando o táxi;

26) apresentar veículo com caixa luminosa com a palavra “TÁXI”, sobre o teto, dotada de

26) apresentar veículo com caixa luminosa com a palavra “TÁXI”, sobre o teto, dotada de dispositivo que apague sua luz interna automaticamente, quando do acionamento do taxímetro;

27) apresentar veículo com dispositivo, no taxímetro, que indique a situação “livre” ou “em atendimento”, externamente, para fins de fiscalização;

28) apresentar veículo com luz de freio elevada (brake light), na parte inferior interna (vidro traseiro);

29) apresentar veículo com sistema de posicionamento global (Global Positioning System – GPS);

30) conter nos locais indicados pela URBS – Urbanização de Curitiba S.A.:

30.1) a identificação do proprietário e do condutor;

30.2) o dístico “É PROIBIDO FUMAR” acompanhado da indicação da lei que veicula a proibição;

30.3) o número de registro pintado nas portas dianteiras e parte traseira;

30.4) a inscrição “CURITIBA” pintada nas laterais acima do xadrez e na parte traseira do veículo;

30.5) identificação externa da empresa proprietária, através de siglas e símbolos previamente aprovados;

30.6) Certificado para Trafegar em pleno vigor;

30.7) informativo definido pela URBS;

31) apresentar o veículo para as vistorias periódicas;

32) acudir à convocação da URBS – Urbanização de Curitiba S.A. para apresentação do veículo no local determinado, a qualquer tempo, para vistoria ;

33) apresentar Laudo de Inspeção Técnica emitida por organismo devidamente credenciado pelo órgão competente quando for cadastrar veículo que não seja 0 (zero) km;

de

fabricação;

34.1) na substituição de veículo, o veículo substituto deverá estar com menos de 3 (três) anos de fabricação;

34.2) para a categoria executivo o prazo do item 34 é de 3 (três) anos de fabricação;

35) retirar o veículo de circulação, atendendo determinação da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., quando o mesmo não apresentar as condições estabelecidas no Decreto Municipal nº 1.959/12;

36) apresentar o veículo que for substituído para vistoria descaracterizado (sem xadrez, número, taxímetro e demais itens), além da mudança de categoria (aluguel para particular) junto ao DETRAN, antes da entrada do outro veículo que o substituirá;

34)

substituir,

obrigatoriamente,

o

veículo

quando

completar 5

(cinco)

anos

37) estacionar o veículo táxi somente nos pontos estabelecidos, observando a categoria de cada ponto,

37) estacionar o veículo táxi somente nos pontos estabelecidos, observando a categoria de cada ponto, conforme determinado pela URBS – Urbanização de Curitiba S.A.;

38) cobrar do usuário as tarifas máximas fixadas por ato do Chefe do Poder Executivo Municipal;

38.1) o condutor poderá, a seu critério, praticar desconto ou tarifas promocionais;

39) cobrar, a seu critério, juntamente com a tarifa, valor equivalente a 1 (um) quilômetro rodado na bandeira 1, nos casos previstos nas alíneas “a” e “b” do Parágrafo Primeiro do Art. 25 do Decreto Municipal 1.959/12;

40) acrescer, a seu critério, o valor máximo de 30% (trinta por cento), a título de custo de retorno, nas corridas que ultrapassarem os limites do Município de Curitiba, com origem neste;

41) não exceder, a indicação do taxímetro, ao valor 20% (vinte por cento) maior que o valor da bandeirada inicial nas corridas solicitadas por via telefônica, no local de embarque do passageiro;

42) expedir recibo de comprovante de cobrança;

43) informar ao passageiro todos os valores descritos a serem cobrados, conforme previstos no Art. 25 do Decreto Municipal 1.959/12, antes do início da corrida (bandeirada e outros valores, se cobrados);

44) obedecer os horários de prática de utilização da Bandeira 2, conforme previsto no Art. 26 do Decreto Municipal 1.959/12;

44.1) utilizar a Bandeira 1, obrigatoriamente, fora dos horários previstos no caput do Art. 26, salvo prévia, expressa e escrita autorização da URBS – Urbanização S.A. ou disposição legal em sentido contrário;

45) utilizar taxímetro nos moldes descritos na Lei Municipal nº 13.957/12 e no Decreto Municipal nº 1.959/12;

46) portar Licença de Condutor do tipo crachá;

47) atender aos clientes com presteza e polidez;

48) trajar-se adequadamente para a função;

49) manter o veículo em boas condições de funcionamento e higiene;

50) manter em dia a documentação do veículo, conforme exigência das autoridades competentes;

51) não fumar e não permitir que fumem no interior do veículo;

52) manter a documentação de habilitação regular, válida e sem suspensão, conforme previsto na Lei Federal nº 9.503/97;

53) utilizar veículo dotado de 5 (cinco) portas;

54) utilizar veículo contendo cores e símbolos padronizados pela URBS;

55) utilizar veículo dotado de taxímetro aprovado pelo Instituto Nacional de Metrologia – INMETRO, com

55) utilizar veículo dotado de taxímetro aprovado pelo Instituto Nacional de Metrologia – INMETRO, com características para operação do serviço de táxi no Município de Curitiba;

56) utilizar veículo contendo requisitos e condições estabelecidos na regulamentação;

57) utilizar veículo aprovado em vistoria prévia, a ser realizada pela URBS, renovável obrigatoriamente a cada 6 (seis) meses;

58) utilizar plaquetas de identificação do veículo fixadas no painel e porta traseira, em Braile;

59) preencher todos os requisitos constantes no art. 6º da Lei Municipal 13.957/12;

60) ser proprietário do veículo a ser utilizado na prestação do serviço;

61) comprovar regularidade perante o fisco municipal, estadual e federal;

62) comprovar regularidade perante a Previdência Social;

63) exigir do(s) passageiro(s) do táxi a utilização do cinto de segurança, conforme previsto no art. 65 da Lei Federal nº 9.503/97;

64) cumprir fielmente e na melhor forma os direitos e obrigações previstos na Lei Municipal nº 13.957/12 e Decreto Municipal nº 1.959/12 e respectivas alterações, nas legislações federais, estaduais e municipais pertinentes, bem como nas determinações emanadas da URBS;

65) cumprir com as suas responsabilidades previstas nos Termos de Compromisso e Autorização;

66) cumprir as normas do Código de Trânsito Brasileiro;

67) apresentar o veículo nas condições previstas neste Edital e em conformidade com sua proposta técnica, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias, contados a partir da assinatura dos Termos de Compromisso e Autorização, prorrogáveis por igual período, para obtenção do Certificado para Trafegar;

67.1) a não apresentação do veículo no prazo e condições estabelecidos na alínea anterior importará na extinção de pleno direito da Autorização, independentemente de notificação de qualquer natureza e de decisão que a declare;

68) constatado que o veículo apresentado encontra-se fora das exigências previstas no Edital, será concedido prazo de 15 (quinze) dias úteis para que sane as irregularidades, sob pena de extinção de pleno direito da Autorização, independentemente de notificação de qualquer natureza e de decisão que a declare;

69) ter seu veículo aprovado em vistoria, sob pena de extinção da Autorização;

70) cumprir com todos os requisitos para exercer a atividade de taxista e necessários à outorga da Autorização;

71) manter, durante toda a vigência da Autorização, em compatibilidade com as obrigações por ele assumidas, todas as condições de habilitação e qualificação exigidas neste Edital e na legislação pertinente;

72) manter as características fixadas para o veículo;

73) dar a adequada manutenção ao veículo e seus equipamentos, de molde que os mesmos

73) dar a adequada manutenção ao veículo e seus equipamentos, de molde que os mesmos estejam sempre em perfeitas condições de conservação e funcionamento, controlando o seu uso e vistoriando-os permanentemente;

74) apresentar periodicamente e sempre que for exigido, o veículo para vistoria técnica, comprometendo-se a sanar as irregularidades no prazo assinalado;

75) providenciar para que o veículo porte o conjunto de equipamentos exigidos;

76) controlar e fazer com que no veículo estejam todos os documentos determinados e nos locais indicados;

taxímetro,

equipamentos;

78) apresentar o veículo em perfeita condição de conforto, segurança e higiene;

79) cumprir rigorosamente as determinações da URBS – Urbanização de Curitiba S.A.;

80) fornecer dados estatísticos e quaisquer elementos que forem solicitados para fins de controle e fiscalização;

81) não ceder ou transferir, seja a que título for, a Autorização Outorgada ou o “Certificado para Trafegar” do veículo, salvo, nos casos de transferência, quando autorizados pela URBS;

82) não confiar a direção do veículo a quem não esteja inscrito no Cadastro de Condutores ou a condutor suspenso, com registro cadastral cassado ou a condutor registrado em nome de outro Autorizatário;

83) controlar e fazer com que seus colaboradores cumpram rigorosamente as disposições do Decreto 1.959/12 e do Decreto Municipal nº 1.184/13, bem como as determinações da URBS – Urbanização de Curitiba S.A.;

84) não paralisar os serviços de táxi no Município de Curitiba;

agentes

85)

administrativos;

86) trajar-se adequadamente ou dentro dos padrões porventura estabelecidos;

87) acatar e cumprir todas as determinações dos agentes de fiscalização e dos agentes administrativos;

88) receber passageiros no seu veículo e transportá-los com taxímetro operando;

89) conduzir o veículo ao destino solicitado pelo passageiro, fazendo o percurso menos prolongado possível;

90) cobrar o valor exato da corrida, conforme indicação do taxímetro, salvo os valores descritos no § 1º e § 3º do art. 25 do decreto Municipal nº 1.959/12;

91) manter a inviolabilidade do taxímetro, dos aparelhos registradores e outros equipamentos;

92) portar todos os documentos exigidos, tanto os de natureza pessoal quanto aos relativos ao veículo e ao serviço;

outros

77)

zelar

pela

inviolabilidade

do

aparelhos

registradores

e

tratar

com

urbanidade

e

polidez

os

passageiros,

o

público

e

os

93) não ingerir bebida alcoólica em serviço ou quando estiver próximo do momento de iniciá-lo;

93) não ingerir bebida alcoólica em serviço ou quando estiver próximo do momento de iniciá-lo;

94) abster-se de lavar o veículo no ponto ou logradouros públicos;

95) não se ausentar do veículo quando este estiver estacionado no ponto;

96) não efetuar serviços de lotação sem estar autorizado pela URBS – Urbanização de Curitiba S.A.;

97) não confiar a direção do veículo a terceiros não autorizados;

98) não encobrir o taxímetro ou aparelho registrador, mesmo que parcialmente e ainda não esteja o referido em funcionamento;

99) cumprir rigorosamente as normas prescritas no Decreto Municipal 1.959/12 e nos demais atos administrativos expedidos;

100) ser solidariamente responsável pelas penalidades e pelo pagamento das multas aplicadas ao condutor;

101) apresentar impugnação por escrito, perante a URBS – Urbanização de Curitiba S.A. no prazo máximo de 7 (sete) dias úteis, quanto às penalidades imputadas;

102) corrigir a falta que deu origem à penalidade imputada;

103) recolher os valores referentes aos preços de expedição, conforme previsto no Capítulo IX do Decreto Municipal nº 1.959/12;

104) pagar as multas impostas, das quais não caibam mais impugnação ou recurso administrativo;

garantir que o tempo mínimo de operação do veículo táxi não seja inferior a 12

(doze) horas;

106) para atendimento ao disposto no item 105, o autorizatário poderá se valer da faculdade de condutor/colaborador, conforme termos do Art. 15, § 1º do Decreto Municipal 1.959/12.

15 DA VISTORIA

15.1 Constatado o atendimento de todos os requisitos referentes ao cadastramento do condutor e tendo sido efetuada a assinatura do Termo de Compromisso e do Termo de Autorização, será expedida convocação para apresentação do veículo para vistoria, o qual deverá ser apresentado pelo autorizatário no prazo de até 60 (sessenta) dias, contados da data do recebimento da convocação. O prazo poderá ser prorrogado por igual período, para vistoria, nas condições declaradas, conforme a Proposta Técnica apresentada.

15.2 ITENS OBRIGATÓRIOS A SEREM VERIFICADOS NA VISTORIA:

105)

Nota:

Os itens abaixo relacionados são de caráter obrigatório e devem estar em conformidade com a legislação que disciplina a matéria.

Acabamentos internos e externos;

Adesivos e informativos obrigatórios e/ ou permitidos; Assentos; Assoalho; Bateria; Borrachas; Buzina; Caixa luminosa;

Adesivos e informativos obrigatórios e/ ou permitidos; Assentos; Assoalho; Bateria; Borrachas; Buzina; Caixa luminosa; Carroçaria; Certificado de verificação do taxímetro (IPEM); Chassi; Chave de rodas; Cintos de segurança; CNH; Componentes de vedação; Cores e símbolos padronizados pela URBS; CRLV; Dísticos; Emissões de gazes; Encosto de cabeça; Escapamentos; Esguicho de água para o limpador; Espelhos retrovisores internos e externos; Estofamentos; Estrutura veicular; Extintor de incêndio; Faróis; GPS; Grades; Impressora; Janelas; Lacre da placa; Lacre do taxímetro; Lacres estruturais; Lanternas; Lataria; LCC – Licença Cadastral de Condutor; LED do taxímetro; Limpador de pára-brisa; Limpeza interna e externa, Luzes internas e externas; Macaco; Maçanetas e acionadores; Número de identificação do veículo; Odores no interior do veículo; Paleta interna de proteção contra o sol; Para choque dianteiro e traseiro; Pára-brisa dianteiro e demais vidros; Pedais de serviço;

Pintura; Placas; Plaquetas em braile; Pneus; Portas; Rodas e calotas; Roda sobressalente compreendendo o aro

Pintura; Placas; Plaquetas em braile; Pneus; Portas; Rodas e calotas; Roda sobressalente compreendendo o aro e pneu (pneu socorro); Ruídos; Sistema de alimentação de combustível e reservatórios; Sistema de Biometria para acionamento do taxímetro; Sistema de direção e suspensão; Sistema de ignição; Sistema de partida; Sistema de ventilação; Sistemas de freios; Tapeçaria; Taxímetro; Travas; Trem motriz (motor, caixa de câmbio, diferencial, juntas homocenéticas); Triangulo de segurança; Trincos; Velocímetro (odômetro); Xadrez.

TODOS OS ITENS QUE TRATAM O CÓDIGO DE TRANSITO BRASILEIRO, RESOLUÇÕES DO CONTRAN, DENATRAN, INMETRO; DETRAN, URBS e PMC.

ITENS VERIFICADOS NA VISTORIA QUANDO EXISTENTE

Nota:

Os itens abaixo relacionados não são de caráter obrigatório. Entretanto, em se constatada a existência destes no veículo, os mesmos serão objetos de vistoria e deverão estar em conformidade com a legislação que disciplina a matéria.

Air Bag; Ar condicionado Engate para reboque (opcional); Laudo oficial de inspeção veicular fornecido por órgão creditado pelo INMETRO (nos casos exigidos, conforme regulamento); Películas de proteção solar; Plotagem; Pneu reserva fixado externamente; Publicidade; Calhas de porta; Vidros elétricos; Sistema ABS;

15.3 Havendo reprovação do veículo na vistoria, o convocado terá o prazo de 15 (quinze)

15.3 Havendo reprovação do veículo na vistoria, o convocado terá o prazo de 15 (quinze) dias úteis, contados do recebimento da comunicação do fato, para sanar as irregularidades apontadas. Neste caso, os prazos de que trata o item 15.1 do Edital, não serão concedidos para fins de reapresentação do veículo para vistoria.

15.3.1 Cada autorizatário terá direito a somente 01 (uma) reapresentação de

veículo para a vistoria.

15.3.2 Caso o veículo seja reprovado na segunda vistoria, o autorizatário terá sua

autorização extinta.

16

DA FORMA DE REMUNERAÇÃO

16.1

A remuneração dos Autorizatários será feita pelos usuários, mediante pagamento de tarifa.

16.1.1 A tarifa que servirá para a remuneração dos Autorizatários, será definida, através de ato do Poder Executivo Municipal, precedida de proposta da URBS – Urbanização de Curitiba S.A.

16.2

A tarifa será alterada mediante ato do Poder Executivo Municipal.

17

PENALIDADES

17.1

A recusa do autorizatário em assinar os Termos de Compromisso e de Autorização, bem como a não apresentação do veículo para a vistoria, sem justificativa aceita pela Autorizante, dentro dos prazos estabelecidos, implicará na imposição de multa equivalente a 1.750 km (um mil, setecentos e cinqüenta quilômetros) rodados, acrescida de juros de mora na forma da lei.

17.1.1A título de informação, atualmente este valor representa o montante de R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais), que corresponde a 10 % (dez por cento) do valor total da outorga pelo período de 35 (trinta e cinco) anos.

17.2 licitantes estarão sujeitos às sanções penais previstas na Seção III do Capítulo

Os

IV

da Lei nº 8.666/1993 e alterações posteriores, bem como às demais

penalidades previstas no presente Edital.

17.3 A inexecução contratual decorrente do descumprimento das obrigações assumidas, sem justificativa aceite por parte da Autorizante, acarretará ao Autorizatário as seguintes penalidades:

17.3.1 No caso de não cumprimento do prazo para início da prestação dos serviços, multa diária equivalente a 60 km (sessenta quilômetros) rodados, até o limite de 30 (trinta) dias de atraso. 17.3.1.1 Atualmente este valor representa o montante de R$ 120,00 (cento e vinte reais). 17.3.2 No caso do atraso previsto no item anterior ser superior a 30 (trinta) dias, o Autorizatário estará sujeito à extinção da autorização, salvo motivo de caso fortuito ou força maior, devidamente comprovado e aceito pela Autorizante.

17.4 As penalidades relativas à prestação de serviço serão aplicadas de acordo com o estabelecido na Lei Municipal n° 13.957/2012, no Decreto Municipal n° 1.959/2012 e no Decreto Municipal nº 1.184/13.

17.5 O não recolhimento do valor referente à outorga anual no prazo assinalado no cronograma

17.5

O não recolhimento do valor referente à outorga anual no prazo assinalado no cronograma expedido pela URBS – Urbanização de Curitiba S.A. ensejará a instauração do devido processo administrativo sancionatório e poderá implicar na extinção da autorização para exploração do Serviço de Táxi, conforme previsto no Decreto Municipal 1.959/12 e no Decreto Municipal 1.184/13.

17.6

As penalidades previstas no Edital só serão aplicadas após regular processo administrativo, no qual seja assegurado aos litigantes o contraditório e a ampla defesa nos termos do art. 5º, LV da Constituição Federal.

18

DA EXTINÇÃO DA AUTORIZAÇÃO

18.1

Extingue-se a autorização por:

18.1.1 Advento do termo final da autorização

18.1.2 Rescisão / cassação

18.1.3 Revogação por interesse público

18.1.4 Anulação

18.1.5 Envolvimento, comprovadamente, do autorizatário com prática do turismo

sexual, da prostituição infanto-juvenil e do comércio de drogas ilícitas

18.1.6 Decisão criminal ou cível por sonegação de tributos, inclusive contribuições sociais, transitada em julgado

19

DISPOSIÇÕES GERAIS E FINAIS

19.1

A URBS – Urbanização de Curitiba S.A. reserva a si o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, por despacho motivado, adiar, revogar por razões de conveniência e oportunidade, ou anular, no caso de vícios, a presente licitação.

19.2

Eventuais impugnações ao presente Instrumento deverão ser dirigidas ao Presidente da Comissão Especial de Licitação, na forma e nos prazos previstos pelas disposições legais e deverão ser protocolados na URBS - Urbanização de Curitiba S.A., na Av. Presidente Affonso Camargo, n° 330, Bloco Central, Jardim Botânico, nesta Capital, nos dias úteis, no horário das 08:30h às 18:00h.

19.2.1

Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar o presente edital, nos termos do art. 41, § 1° da Lei n° 8.666/1993, devendo protocolar o pedido até 5 (cinco) dias úteis antes da data fixada para a abertura dos envelopes de proposta técnica.

19.2.3

Decairá do direito de solicitar esclarecimentos, providências ou impugnar

 

presente Edital o licitante que não o fizer até o segundo dia útil que anteceder a abertura dos envelopes de proposta técnica, o que caracterizará a aceitação de todos os seus termos e condições.

o

 

19.2.4

A

impugnação feita tempestivamente não impedirá o licitante de participar

 

do procedimento licitatório.

19.3

Dúvidas ou esclarecimentos a respeito deste Edital SOMENTE poderão ser obtidos através do e-mail esclarecimentosedital@urbs.curitiba.pr.gov.br ou

através de documento protocolado no Prédio Central da URBS – Urbanização de Curitiba S.A. ,

através de documento protocolado no Prédio Central da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., no prazo previsto no item anterior.

19.3.1 Não serão fornecidos esclarecimentos ou informações via telefone ou pessoalmente e nem mesmo serão aceitas impugnações verbais.

19.3.2 As respostas às dúvidas e esclarecimentos serão fornecidas através de Boletins de Esclarecimento e estes Boletins serão publicados no site da URBS, no endereço www.urbs.curitiba.pr.gov.br.

19.4

As normas disciplinadoras desta licitação serão interpretadas em favor da ampliação da disputa, respeitada a igualdade de oportunidade entre os licitantes

desde que não comprometam o interesse público, a finalidade e a segurança da contratação.

e

19.5

Das sessões públicas de processamento da Concorrência serão lavradas atas circunstanciadas, a serem assinadas pela Comissão e pelos licitantes presentes.

19.6

As recusas ou as impossibilidades de assinaturas devem ser registradas expressamente na própria ata.

19.7

Os demais atos pertinentes a esta licitação, passíveis de divulgação e determinados pela Lei 8.666/93, serão publicados no Diário Oficial do Município de Curitiba e no site da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., através do endereço eletrônico www.urbs.curitiba.pr.gov.br.

19.8

A

proponente que vier a causar impedimentos ao normal e legal andamento da

presente licitação, além das sanções legais previstas, será responsabilizada civilmente pelos danos e prejuízos causados à entidade licitadora, derivados da não conclusão do processo licitatório, bem como do objeto pretendido.

Curitiba, 02 de outubro de 2013.

ROBERTO GREGORIO DA SILVA JUNIOR

Presidente

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I

TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Este Termo de Referência tem como objetivo apresentar as principais

ANEXO I

TERMO DE REFERÊNCIA

Este Termo de Referência tem como objetivo apresentar as principais diretrizes para a elaboração do Edital de Concorrência Pública para outorga das novas autorizações do Serviço de Táxi no Município de Curitiba, bem como propiciar aos proponentes uma visão geral dos serviços indispensáveis à formulação da proposta.

As diretrizes para elaboração do Edital e seus Anexos da licitação supramencionada, principalmente do Termo de Compromisso e Termo de Autorização, deverão obedecer aos ditames constantes na Lei Municipal 13.957/2012, na Lei Municipal 14.017/2012, no Decreto 1.959/2012, no Decreto Municipal 1.184/13 e demais legislações correlatas.

1 DESCRIÇÃO GERAL E HISTÓRICO DOS SERVIÇOS DE TÁXI NO MUNICÍPIO DE CURITIBA

1.1 Compete à URBS - Urbanização de Curitiba S.A., através de sua estrutura organizacional, o gerenciamento e a administração dos Serviços de Táxi no âmbito do Município de Curitiba.

1.1.1 No exercício desses poderes, compete à URBS dispor sobre a execução e autorizar, disciplinar, supervisionar e fiscalizar os serviços mencionados, bem como, aplicar as penalidades cabíveis na hipótese de descumprimento dos preceitos estabelecidos na Lei Municipal n.º 13.957/2012 e demais legislações correlatas, no regulamento dos Serviços (Decreto Municipal nº 1.959/2012 e/ou Decreto Municipal nº 1.184/13) ou no presente edital.

1.2 Sem prejuízo de outras atribuições previstas na lei e demais regulamentos, compete à URBS:

a) a elaboração de planos e estudos relacionados aos serviços de táxi, inclusive sobre tarifas e dimensionamento da frota;

b) a elaboração de normas diretivas e operacionais para a regulamentação desta lei, submetendo- os à aprovação do Chefe do Poder Executivo;

c) a realização do processo de seleção para a outorga das autorizações, elaboração de editais e fiscalização do cumprimento das normas estabelecidas neste Edital, nas leis municipais 13.957/2012 e 14.017/2012 e demais legislações correlatas, em regulamentos ou decretos;

d) a emissão do Termo de Autorização e Termo de Compromisso para a prestação do serviço de táxi aos interessados, após regular processo de seleção;

e) a fiscalização dos serviços de táxi no Município de Curitiba;

f) a aplicação das penalidades previstas neste Edital, na lei municipal 13.957/2012, demais legislações correlatas, em regulamentos ou decretos, inclusive a cassação da autorização.

1.3 Conforme Decreto Municipal 1.959/12 e Decreto Municipal 1.184/13, o Serviço de Táxi é composto por 4 (quatro) categorias:

a) Táxi Convencional;

b) Táxi Executivo;

c) Táxi Especial - Adaptado;

d) Táxi Especial - Compartilhado.

1.3.1 O Táxi Convencional destina-se ao atendimento da demanda da população em geral e é qualificado pela utilização de um veículo caracterizado.

1.3.2 O Táxi Executivo destina-se a atender as exigências de clientes que optarem por deslocamento em veículo não caracterizado em situações especiais de negócios, eventos ou turismo, além do público em geral.

1.3.3 O Táxi Especial - Adaptado destina-se a atender às exigências de deslocamentos de pessoas com deficiência e/ou com mobilidade reduzida (permanente ou temporária).

1.3.4 O Táxi Especial - Compartilhado destina-se a atender prioritariamente as exigências de deslocamentos de pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida (permanente ou

temporária), de forma a atender ao disposto na Lei Municipal nº 13.957/2012, no Decreto Municipal

temporária), de forma a atender ao disposto na Lei Municipal nº 13.957/2012, no Decreto Municipal nº 1.959/2012, no Decreto Municipal nº 1.184/13, nas normas da ABNT NBR 14022 e NBR 9050.

1.3.4.1 O Táxi Especial – Compartilhado poderá, em caráter excepcional, executar o Serviço de Táxi Convencional nos momentos em que não houver usuários com deficiência ou mobilidade reduzida a serem transportados. Em todas as demais hipóteses os usuários com deficiência ou mobilidade reduzida deverão contar com integral preferência no atendimento.

1.3.4.2 A autorização concedida para o serviço de táxi especial – compartilhado não poderá se converter em autorização de serviço de táxi convencional ou executivo e vice-versa, não gerando, entretanto, a nenhuma delas, exclusividade na prestação do serviço.

1.3.4.3 Para a prestação do Serviço de Táxi Especial – Compartilhado, o autorizatário deverá apresentar o projeto do veículo a ser adaptado, cuja capacidade máxima original não seja superior a 7 (sete) passageiros, devidamente atestado por responsável técnico regularmente inscrito no CREA, do qual conste a planta do veículo, tudo em estrita conformidade com as normas da ABNT, em especial com a temática de acessibilidade NBR 14022 e NBR 9050 e suas atualizações, do qual conste no mínimo:

a) especificação da rampa ou plataforma;

b) altura, largura e comprimento mínimo do local onde ficará a cadeira;

c) número de assentos do veículo, incluindo, pelo menos o do motorista, o espaço do

cadeirante e do acompanhamento deste;

d) capacidade máxima de peso que a rampa ou plataforma suportam;

e) caracterização do Táxi Convencional que contenha nas laterais e parte traseira do

veículo o símbolo internacional de acesso conforme NBR 14022; f) os autorizatários do Serviço de Táxi Especial – Compartilhado deverão participar, além do curso previsto no inciso II do artigo 6º da Lei Municipal 13.957/12, de curso específico sobre transporte de pessoas deficientes e/ou com mobilidade reduzida que inclua treinamento de operacionalização dos equipamentos a ser ministrado por entidade especializada; g) o limite de autorizações para o Serviço de Táxi Especial – Compartilhado será determinado conforme estudos de demanda, podendo a URBS – Urbanização de Curitiba S.A. expedir, no processo de que trata o artigo 12 da Lei Municipal nº 13.957/12, 20 (vinte) autorizações compreendidas dentre aquelas mencionadas no artigo 68 do presente Regulamento.

1.4 Atualmente o serviço de táxi em Curitiba é composto por uma frota de 2.252 (dois mil duzentos e cinqüenta e dois) veículos dos quais 2.227 (dois mil duzentos e vinte e sete) são convencionais, 21 (vinte e um) são executivos e 4 (quatro) são adaptados.

1.5 Todos os veículos de táxi podem usufruir da infra-estrutura dos 336 (trezentos e trinta e seis) pontos de estacionamento na cidade.

1.6 A vida média da frota de táxis em Curitiba é de 3,12 (três vírgula doze) anos, considerando a regulamentação anterior que autorizava um período máximo de permanência no Sistema de 10 (dez) anos.

1.6.1 O Decreto Municipal nº 1.959 de 26 de dezembro de 2012 alterou a vida útil para 5 (cinco) anos.

1.7 Existem 7 (sete) centrais de radio táxi autorizadas a operar no âmbito do Município de Curitiba, as quais possuem em torno de 1.463 (um mil quatrocentos e sessenta e três) associados, o que representa cerca de 65% (sessenta e cinco por cento) da frota.

2 DIAGNÓSTICO DO SISTEMA PARA ESTUDO DO AUMENTO DA FROTA

2.1 O estudo para aumento da frota de veículos dos serviços de táxi em Curitiba abordou, em seu caráter técnico, dentre outros aspectos, a real demanda desvinculada das situações atípicas e das efemeridades.

2.2 O serviço de táxi possui expressiva demanda em momentos de chuva, horários de pico

2.2 O serviço de táxi possui expressiva demanda em momentos de chuva, horários de pico e retorno de feriados, em especial na Rodoferroviária. Esse movimento acima da média, porém, não se percebe em outros horários e situações regulares, quando é possível observar, inclusive, táxis ocupando vagas nos pontos da cidade.

2.3 O Município de Curitiba possui uma das maiores frotas de veículo do país que é de 0,75 (zero vírgula setenta e cinco) veículos por habitante conforme denota a tabela seguinte:

CIDADE

VEÍCULOS/HABITANTE

CURITIBA

0,75

SÃO PAULO

0,53

BELO HORIZONTE

0,48

PORTO ALEGRE

0,46

BRASÍLIA

0,42

RIO DE JANEIRO

0,31

RECIFE

0,28

FORTALEZA

0,25

MANAUS

0,22

SALVADOR

0,19

BELEM

0,17

Fonte: www.ibge.gov.br

2.4 No que se refere ao aspecto tarifário, o Município de Curitiba encontra-se em um nível intermediário conforme demonstra o comparativo discriminado nas tabelas que seguem:

CIDADE

BANDEIRADA INICIAL

RIO DE JANEIRO

4,30

BELEM

4,15

SÃO PAULO

4,10

GOIANA

4,00

CURITIBA

4,00

RECIFE

3,50

SALVADOR

3,45

FLORIANÓPOLIS

3,40

BELO HORIZAONTE

3,40

PORTO ALEGRE

3,36

BRASÍLIA

3,30

CIDADE

PREÇO POR QUILÔMETRO

BELÉM

3,00

SÂO PAULO

2,50

GOIANIA

2,30

BELO HORIZONTE

2,10

CURITIBA

2,00

FLORIANÓPOLIS

1,81

BRASÍLIA

1,80

PORTO ALEGRE

1,76

SALVADOR

1,70

RECIFE

1,70

RIO DE JANEIRO

1,40

CIDADE

TOTAL DE VEÍCULOS

SÃO PAULO

32.611

RIO DE JANEIRO

32.000

SALVADOR

7.272

BELO HORIZONTE

5.981

BELÉM 5.000 PORTO ALEGRE 3.925 BRASÍLIA 3.400 RECIFE 3.125 CURITIBA 2.252 GOIANIA

BELÉM

5.000

PORTO ALEGRE

3.925

BRASÍLIA

3.400

RECIFE

3.125

CURITIBA

2.252

GOIANIA

1.231

FLORIANÓPOLIS

258

CIDADE

HABITANTES/TÁXI

FLORIANÓPOLIS

1632

GOIANA

1058

CURITIBA

776

BRASÍLIA

754

RECIFE

492

BELO HORIZONTE

397

SALVADOR

368

PORTO ALEGRE

359

SÃO PAULO

345

BELÉM

278

RIO DE JANEIRO

198

Fonte: www.economia.ig.com.br

2.5 O serviço de táxi é a principal alternativa de transporte individual na cidade e atende a uma variada gama de usuários, com suas necessidades específicas.

2.5.1 Observa-se na rotina de fiscalização que existem nichos de atendimento aos quais os taxistas aderem conforme suas preferências (ex.: Rodoferroviária, supermercados, hospitais, condomínios comerciais, centro de convenções, bares e restaurantes, etc.).

2.5.2 Devemos considerar que desde o último aumento de frota da Cidade, ocorrido no ano de 1975, as opções de deslocamento cresceram consideravelmente. O Transporte Coletivo da Cidade passou a atender a população com muito mais eficiência oferecendo opções diferenciadas como, por exemplo, as linhas inter bairros, circular centro, aeroporto, inter hospitais e a integração da rede entre outras. A frota de veículos particulares passou a ser de 0,75 (zero vírgula setenta e cinco) veículos por habitante, o Transporte Escolar teve crescimento de oferta, houve a regulamentação do serviço de transporte por fretamento e todos esses modais são exemplos de opções de deslocamentos que interferem diretamente na demanda pelo serviço de táxi.

2.5.3 Através dos dados operacionais como taxa de ocupação, bandeiradas, frações entre outros, é possível desenhar um perfil de atendimento aos usuários, pois a atividade possui significativa variação no plano de trabalho dos taxistas. O condutor associado às centrais de radio táxi tem uma taxa de rodagem ocupada com passageiro maior em relação ao condutor que não é associado às centrais e necessita captar passageiros em vias e pontos de táxi. Estes aspectos determinam também o nível de ocupação das vagas nos pontos, que em geral são mais altos no anel central e próximo de pontos de grande convergência de pessoas (supermercados, shopping centers, etc.).

2.5.4 Como citado, a racionalização da quilometragem ocupada é muito maior nas Associações de Central de Rádio Táxi. Nestas Associações percebe-se um alto índice de chamadas não atendidas, o que demonstra a necessidade de se agregar mais veículos para disponibilizar ao cliente destas Centrais, onde está o gargalo do serviço. Os 35% (trinta e cinco por cento) de veículos que não possuem o serviço auxiliar de Rádio Táxi fazem diminuir a média de bandeiradas da frota, considerando não só a quilometragem percorrida mas também o tempo em que o taxímetro opera com o dispositivo de tempo (hora parada), ou seja, o táxi está ocupado.

2.5.5 O aumento na frota de veículos trará impactos nos diversos aspectos da atividade, ofertando

2.5.5 O aumento na frota de veículos trará impactos nos diversos aspectos da atividade, ofertando serviços em horários cujo atendimento é insuficiente, porém proporcionará mais veículos em momentos de menor procura, o que cria um contingente de veículos a ser agregado nos pontos da cidade. O aumento na circulação de veículos com a conseqüente necessidade de espaço físico para sua acomodação implica em estudo viário, levando-se em conta o plano diretor da cidade.

2.5.6 Há uma expectativa no meio dos condutores de táxi de Curitiba, quanto ao aumento do número de veículos na frota e conseqüente oportunidade destes em tornarem-se autorizatários. O processo de outorga de novas autorizações proporcionará uma abertura para que antigos profissionais ingressem no sistema como autorizatários, sendo importante que estes estejam preparados para um nível de profissionalização crescente que o mercado exige, não só decorrente do evento da Copa do Mundo, como pelo perfil dos usuários do sistema, que exigem serviços com agilidade, honestidade e urbanidade, acima inclusive do fator preço (baseado em protocolos do sistema 156).

2.5.7 A frota de veículos vem se modernizando com o passar dos anos, percebidos principalmente pela obrigatoriedade de veículos com 04 (quatro) portas, adoção de taxímetros automatizados, identificação biométrica do condutor em toda a frota, aprovação de veículos com maior capacidade de lotação [7 (sete) passageiros] e realização de vistorias veiculares de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro e Resoluções do CONTRAN. Alguns outros avanços podem ser agregados ao processo de aumento da frota agilizando o processo já existente de melhorias progressivas, criando novos valores aos serviços prestados.

2.5.8 Para atenuar a deficiência das Centrais de Chamada de Táxi, que hoje conta com uma média de 210 (duzentos e dez) veículos cada, o número mínimo de veículos a ser acrescentado em cada uma delas deverá ser de 70 (setenta). Porém, nem todos os novos autorizatários se filiarão a uma dessas Centrais e em razão desta possível não filiação devemos considerar que continue os mesmos 65% (sessenta e cinco por cento) de veículos vinculados às Centrais.

2.6 Considerando as questões acima abordadas, o objeto da licitação deverá ser a outorga de 750 (setecentas e cinqüenta) novas autorizações do Serviço de Táxi do Município de Curitiba.

3 CATEGORIAS

3.1 No presente processo licitatório deverão ser contemplados 03 (três) lotes, com categorias distintas, conforme especificado no Decreto Municipal nº 1.959/12 e no Decreto Municipal nº 1.184/13, bem como na Lei Federal 8.213/91:

3.1.1 Categoria Convencional/Executivo - 700 (setecentas) novas autorizações;

3.1.2 Categoria Deficiente - 30 (trinta) novas autorizações;

3.1.3 Categoria Especial Compartilhado - 20 (vinte) novas autorizações.

3.2 Conforme determinado no Capítulo II, Inciso III, alínea “k”, do Decreto 1.959/2012, não há limites para emissão de autorização para a Categoria Adaptado e, por esta razão, esta categoria não será contemplada no processo licitatório.

4 OUTORGA

4.1 Será outorgada autorização à pessoa física motorista profissional autônomo que tenha atendido a todas as exigências do artigo 6º da Lei Municipal nº 13.957/12 e demais legislações correlatas, bem como seja proprietário de veículo nas condições estabelecidas na referida lei e seus regulamentos, conforme Decreto Municipal 1.959/12 e Decreto Municipal 1.184/13 e eventuais alterações.

4.2 Pela outorga da autorização, a pessoa física motorista profissional autônomo deverá pagar anualmente, em

4.2 Pela outorga da autorização, a pessoa física motorista profissional autônomo deverá pagar anualmente, em 1 (uma) única vez ou em até 2 (duas) parcelas, o valor equivalente a 500 (quinhentos) quilômetros rodados, calculados de acordo com o valor do quilômetro vigente no dia 1º de janeiro de cada ano, conforme Decreto Municipal 1.959/12 e Decreto Municipal 1.184/13.

4.2.1 Atualmente este valor representa R$ 1.000,00 (um mil reais).

4.2 O pagamento anual da outorga não isenta o Autorizatário do pagamento dos demais valores dos preços de expedição, taxas ou outros previstos em lei.

4.3 Os valores devidos pela outorga dos serviços serão exigíveis a partir do ano de 2014.

5 REMUNERAÇÃO POR TARIFA

5.1 Os serviços de táxi serão remunerados pelos usuários, mediante pagamento de tarifa, conforme decretado pelo Poder Executivo Municipal.

5.2 O cálculo da tarifa é baseado em planilha de custos, levando-se em conta quilometragem média rodada por dia, percurso médio anual, média do número de viagens e frações e taxa de ocupação, bem como todos os itens que geram custo ao desempenho do serviço.

5.3 O Autorizatário poderá praticar desconto ou tarifas promocionais, conforme previsto no Capítulo IV do Decreto Municipal 1.959/2012.

5.4 As descrições e especificações da tarifa encontram-se no Capítulo IV do Decreto Municipal nº 1.959/12 e suas alterações.

6 AUTORIZAÇÃO E LICENÇA PARA VEÍCULOS

6.1

A Autorização deverá ser outorgada em caráter personalíssimo, inalienável, impenhorável e incomunicável.

6.2

A execução dos serviços de táxi fica condicionada à emissão do Termo de Compromisso e do Termo de Autorização, bem como do Certificado para Trafegar, sendo todas as emissões a cargo da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., conforme previsto no Capítulo III, Seção I do Decreto Municipal nº 1.959/12 e alterações do Decreto 1.184/13.

6.3

A não assinatura dos Termos de Compromisso e/ou de Autorização, bem como a não apresentação do veículo para a vistoria, sem justificativa aceita pela Autorizante, dentro dos prazos estabelecidos, implicará na imposição de multa equivalente a 1.750 km (um mil, setecentos e cinqüenta quilômetros) rodados, acrescida de juros de mora na forma da lei, sem prejuízo das demais penalidades cabíveis aplicáveis ao caso.

6.3.1 Atualmente este valor representa o montante de R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais), que corresponde a 10 % (dez por cento) do valor total da outorga pelo período de 35 (trinta e cinco) anos.

7 TRANSFERÊNCIA

7.1 É possibilitada a transferência da autorização, uma única vez, após o período de 36 (trinta e seis) meses da emissão do Termo de Compromisso e do Termo de Autorização ou quando ocorrer o falecimento do autorizatário, conforme condições previstas no Capítulo III, Seção III do Decreto Municipal 1.959/12 e suas alterações.

7.2 Nas hipóteses de transferência legalmente previstas, o beneficiário receberá a autorização pelo prazo de vigência remanescente.

8 OPERAÇÃO 8.1 O autorizatário, obrigatoriamente, deverá iniciar a operação dos serviços de táxi a

8 OPERAÇÃO

8.1 O autorizatário, obrigatoriamente, deverá iniciar a operação dos serviços de táxi a partir da emissão do Certificado para Trafegar.

8.1.1 O não cumprimento ao estabelecido no item anterior acarretará aplicação de penalidade equivalente a 60 km (sessenta quilômetros) rodados por dia.

8.1.1.1 Atualmente este valor representa o montante de R$ 120,00 (cento e vinte reais).

8.1.2 Após o período de 30 (trinta) dias, deverá ser extinta a autorização.

8.2 Os veículos a serem utilizados nos Serviços de Táxi, deverão ser licenciados como tal pela URBS.

8.3 A direção dos veículos Táxi só poderá se dar por pessoas portadoras da Licença de Condutor, devidamente inscritas no Cadastro de Condutores da Área de Táxi e Transporte Comercial da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., para um veículo específico.

8.4 O autorizatário deverá prestar o serviço de táxi em pelo menos 30% (trinta por cento) do tempo de sua operação, conforme previsto no Decreto Municipal 1.959/12 e Decreto Municipal 1.184/13.

8.4.1O Autorizatário poderá cadastrar colaboradores para os demais períodos, conforme condições previstas no Capítulo III, Seção II do Decreto Municipal 1.959/12.

8.5 A URBS poderá estabelecer escalas que deverão ser obrigatoriamente cumpridas por todos os autorizatários de forma a manter o serviço normal e ininterrupto, inclusive nos períodos noturnos e aos sábados, domingos e feriados, os quais poderão contemplar entre 70% (setenta por cento) e 100% (cem por cento) da frota.

8.6 Independente desta escala, a frota deverá operar com 100% (cem por cento) da capacidade nos dias e horários de movimento intenso (horários de pico).

8.7 Nos serviços de táxi, consideram-se horários de pico os intervalos compreendidos entre 05h00 às 09h00 e 17h00 às 20h00 na segunda-feira, 07h00 às 09h00 e 17h00 às 20h00 de terça a quinta-feira e 07h00 às 09h00 e 17h00 às 21h30 na sexta-feira.

8.8 O tempo mínimo de operação do veículo táxi não poderá ser inferior a 12 (doze) horas diárias, conforme Decreto Municipal 1.959/12 e Decreto Municipal 1.184/13.

9 CARACTERÍSTICAS DOS VEÍCULOS

9.1 Os veículos especificamente destinados ao Transporte Individual de Passageiros - Táxi deverão portar o “Certificado para Trafegar” emitido pela URBS, obedecendo as especificidades de cada categoria, bem como satisfazer, além das exigências do CTB e legislações correlatas, as determinações constantes na Lei Municipal nº 13.957/12, no Decreto Municipal 1.959/12 e no Decreto 1.184/12.

9.2 O veículo deverá possuir taxímetro automatizado, impressora acoplada, processo biométrico para liberação de início de cada corrida pelo condutor, entre outros requisitos exigidos na Seção VI do Capítulo III e demais Capítulos do Decreto Municipal nº 1.959/12 e do Decreto Municipal 1.184/13.

9.3 Para obtenção do "Certificado para Trafegar" o veículo especificamente destinado ao Transporte Individual de Passageiros - Táxi da Categoria Convencional deverá ter fabricação não superior a 5 (cinco) anos, conforme Decreto Municipal 1.959/2012 e Decreto Municipal 1.184/2013.

9.4 Para obtenção do "Certificado para Trafegar" o veículo especificamente destinado ao Transporte Individual

9.4 Para obtenção do "Certificado para Trafegar" o veículo especificamente destinado ao Transporte Individual de Passageiros - Táxi da Categoria Executivo deverá ter fabricação não superior a 3 (três) anos, conforme Decreto Municipal 1.959/2012 e Decreto Municipal 1.184/2013.

10 PONTOS DE ESTACIONAMENTO

10.1 Os Pontos de Estacionamento são locais pré-estabelecidos, sinalizados e oficializados pela URBS destinados ao estacionamento dos veículos táxi.

10.1.1 O estacionamento de veículos táxi só poderá ocorrer nos Pontos de Estacionamento estabelecidos, devendo-se para tanto, observar a respectiva categoria.

10.1.2 Os Pontos de Estacionamento são divididos em 3 (três) categorias:

a) Ponto Livre;

b) Ponto Semi-Privativo;

c) Ponto Provisório.

10.1.2.1 Entende-se por Ponto Livre, aquele em que se permite o estacionamento de qualquer Táxi.

10.1.2.2 Entende-se por Ponto Semi-Privativo, aquele que pode ser utilizado por qualquer táxi, desde que o número de carros estacionados no local seja inferior a 20% do número de táxis licenciados para o ponto.

10.1.2.3 Entende-se por Ponto Provisório aquele criado pela URBS para atender necessidades ocasionais e de duração limitada.

10.1.3 Atualmente existem no Município de Curitiba 185 (cento e oitenta e cinco) pontos livres, 151 (cento e cinqüenta e um) semi-privativos e 0 (zero) pontos provisórios.

10.1.4 Os 336 (trezentos e trinta e seis) pontos de estacionamento têm capacidade para comportar o estacionamento de 77% (setenta e sete por cento) da frota.

11 DEVERES,

OBRIGAÇÕES

CONDUTORES

E

RESPONSABILIDADES

DOS

AUTORIZATÁRIOS

E

DOS

11.1 Os deveres, obrigações e responsabilidades dos Autorizatários e dos condutores, encontram-se definidos e especificados no Capítulo V do Decreto Municipal n° 1.959/12 e do Decreto Municipal

1.184/13.

12 FISCALIZAÇÃO

12.1

A

fiscalização será exercida por agentes credenciados pela URBS – Urbanização de Curitiba S.A.,

nos termos definidos no Capítulo VI do Decreto Municipal nº 1.959/12 e do Decreto Municipal

 

1.184/13.

12.2

Além dos agentes credenciados pela URBS – Urbanização de Curitiba S.A. os serviços de táxi também estão sujeitos à fiscalização dos órgãos competentes nas demais questões que envolvem

prestação deste serviço, seja no âmbito municipal, estadual, distrital ou federal, referentes ao veículo, ao condutor e/ou aos equipamentos.

a

13 INFRAÇÕES E PENALIDADES NA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS DE TÁXI

13.1 As infrações e penalidades, bem como os procedimentos para aplicação destas em caso de cometimento de irregularidade por parte do Autorizatário e/ou colaborador, assim como as impugnações e recursos cabíveis estão descritas neste edital, nos Capítulo VII e VIII do Decreto Municipal nº 1.959/12 e do Decreto Municipal 1.184/13, na Lei Municipal,13.957/12 e eventuais alterações.

13.2 As condutas passíveis de punição, bem como a respectiva penalidade, estão descritas nos anexos

13.2 As condutas passíveis de punição, bem como a respectiva penalidade, estão descritas nos anexos I ao VI do Decreto Municipal nº 1.959/12 e alterações trazidas pelo Decreto 1.184/13 e eventuais alterações.

ANEXO II

PLANILHA DE PAGAMENTO DA OUTORGA

ANEXO II CRONOGRAMA DE PAGAMENTO DA OUTORGA Cronograma de recolhimento anual do valor da outorga

ANEXO II

CRONOGRAMA DE PAGAMENTO DA OUTORGA

Cronograma de recolhimento anual do valor da outorga de autorização para exploração do Serviço de Táxi, conforme número de registro do veículo:

 

MÊS DE

 

NÚMERO DE REGISTRO DOS VEÍCULOS

VENCIMENTO

MESES DE VENCIMENTO PARCELADO

COTA ÚNICA

01 AO 600

JANEIRO

JANEIRO E FEVEREIRO

   

FEVEREIRO E

601 AO 1200

FEVEREIRO

MARÇO

1201

AO 1800

MARÇO

MARÇO E

ABRIL

   

ABRIL E

1801

AO 2400

ABRIL

MAIO

   

MAIO E

2400 EM DIANTE

MAIO

JUNHO

O

vencimento da cota única ou das parcelas se dará sempre no dia 30 de cada mês e no último dia útil

do

mês de fevereiro.

A opção de pagamento em parcela única ou em 2 (duas) vezes, será feita pelo Autorizatário no momento

da

emissão do boleto de pagamento pela Área de Táxi e Transporte Comercial.

O

não pagamento dos valores referentes à outorga ensejará a extinção da autorização, objeto da

presente licitação.

ANEXO III MODELOS DE DECLARAÇÕES

ANEXO III

MODELOS DE DECLARAÇÕES

MODELO DE DECLARAÇÃO DE DOMICÍLIO

MODELO DE DECLARAÇÃO DE DOMICÍLIO

MODELO DE: DECLARAÇÃO DE DOMÍCILIO A signatária, para fins de participação na Concorrência URBS Nº.

MODELO DE:

DECLARAÇÃO DE DOMÍCILIO

A signatária, para fins de participação na Concorrência URBS Nº. 001/2013, declara sob as penas da lei que é residente e domiciliada na Rua/Av.

, Bairro

,

na cidade de

E, por ser a expressão fiel da verdade, firma a presente em conjunto com duas testemunhas.

Curitiba,

de

de 2013.

(nome do licitante/assinatura)

(nome/CPF da primeira testemunha/assinatura)

(nome/CPF da segunda testemunha/assinatura)

NOTA: A presente declaração de domicílio deve ser firmada por duas testemunhas, devendo ser reconhecidas as suas assinaturas por tabelião.

MODELO DE DECLARAÇÃO DE COMPROMISSO DE APRESENTAR TODA A DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA FINS DE CADASTRO

MODELO DE DECLARAÇÃO DE COMPROMISSO DE APRESENTAR TODA A DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA FINS DE CADASTRO DE CONDUTORES, CONFORME DESCRITO NA SEÇÃO V DO CAPÍTULO III DO DECRETO MUNICIPAL 1959/2012, DO DECRETO MUNICIPAL 1184/2013 E AINDA, DOS ARTIGOS 6 E 13 DA LEI MUNICIPAL 13957/2012

MODELO DE: DECLARAÇÃO DE COMPROMISSO DE APRESENTAR TODA A DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA FINS DE CADASTRO

MODELO DE:

DECLARAÇÃO DE COMPROMISSO DE APRESENTAR TODA A DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA FINS DE CADASTRO DE CONDUTORES, CONFORME DESCRITO NA SEÇÃO V DO CAPÍTULO III DO DECRETO MUNICIPAL 1959/2012, DO DECRETO MUNICIPAL 1184/2013 E AINDA, DOS ARTIGOS 6 E 13 DA LEI MUNICIPAL 13957/2012

Eu,

, DECLARO para fins de atendimento ao Decreto Municipal 1959/2012, a Lei Municipal 13957/2012 e ao Decreto 1184/2013, que tenho ciência da obrigatoriedade de apresentar toda a documentação necessária para fins de cadastro de condutor, no momento em que for convocado pela URBS e dentro dos prazos por ela estipulados. Declaro ainda, que estou ciente que a não disponibilização da documentação dentro do prazo concedido ou da não aprovação destes para fins cadastro, levará a perda do direito de ter adjudicado para mim o objeto relativo a presente licitação.

sob nº

inscrito no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF portador da Cédula de Identidade sob nº

,

,

Curitiba,

de

de 2013.

Nome/assinatura/CPF do licitante

MODELO DE DECLARAÇÃO DE QUE O LICITANTE NÃO SE ENCONTRA NO EXERCÍCIO DE CARGO, EMPREGO

MODELO DE DECLARAÇÃO DE QUE O LICITANTE NÃO SE ENCONTRA NO EXERCÍCIO DE CARGO, EMPREGO OU FUNÇÃO PÚBLICA, NA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL OU NA CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA.

MODELO DE: MODELO DE DECLARAÇÃO DE QUE O LICITANTE NÃO SE ENCONTRA NO EXERCÍCIO DE

MODELO DE:

MODELO DE DECLARAÇÃO DE QUE O LICITANTE NÃO SE ENCONTRA NO EXERCÍCIO DE CARGO, EMPREGO OU FUNÇÃO PÚBLICA, NA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL OU NA CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA.

inscrito no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF sob portador da Cédula de Identidade sob nº

, DECLARO que, não me encontro no exercício de cargo, emprego ou função pública, na

Administração Municipal ou na Câmara Municipal de Curitiba.

Eu,

,

,

Curitiba,

de

de 2013.

Nome/Assinatura/CPF do licitante

MODELO DE DECLARAÇÃO QUE TOMOU CONHECIMENTO DE TODAS AS INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES PARA O CUMPRIMENTO

MODELO DE DECLARAÇÃO QUE TOMOU CONHECIMENTO DE TODAS AS INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES PARA O CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES, OBJETO DESTA LICITAÇÃO (VIGÊNCIA, CONDIÇÕES DE TRANSFERÊNCIA, RECOLHIMENTO DA OUTORGA E OUTROS)

MODELO DE: DECLARAÇÃO QUE TOMOU CONHECIMENTO DE TODAS AS INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES PARA O CUMPRIMENTO

MODELO DE:

DECLARAÇÃO QUE TOMOU CONHECIMENTO DE TODAS AS INFORMAÇÕES E CONDIÇÕES PARA O CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES, OBJETO DESTA LICITAÇÃO (VIGÊNCIA, CONDIÇÕES DE TRANSFERÊNCIA, RECOLHIMENTO DA OUTORGA)

Eu,

, DECLARO que tenho conhecimento de todas as informações e condições para o cumprimento das obrigações, objeto deste Edital, especialmente que estou ciente do prazo de outorga, do valor e da forma de recolhimento anual da mesma, das condições de transferência e, através desta, assumo a responsabilidade pela formulação da proposta e correta prestação dos serviços.

inscrito no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF sob portador da Cédula de Identidade sob nº

,

,

Curitiba,

de

de 2013.

Nome/Assinatura/CPF do licitante

MODELO DE DECLARAÇÃO DE COMPROMISSO DE APRESENTAR O CERTIFICADO DE REGISTRO E LICENCIAMENTO DO VEÍCULO

MODELO DE DECLARAÇÃO DE COMPROMISSO DE APRESENTAR O CERTIFICADO DE REGISTRO E LICENCIAMENTO DO VEÍCULO - CRLV

MODELO DE: DECLARAÇÃO DE COMPROMISSO DE APRESENTAR O CERTIFICADO DE REGISTRO E LICENCIAMENTO DO VEÍCULO

MODELO DE:

DECLARAÇÃO DE COMPROMISSO DE APRESENTAR O CERTIFICADO DE REGISTRO E LICENCIAMENTO DO VEÍCULO - CRLV

Eu, Físicas – CPF sob nº

, inscrito no Cadastro de Pessoas

, portador da Cédula de Identidade sob nº

, comprometo-me a apresentar o CRLV do veículo, com ano de

fabricação

, em meu nome no prazo determinado por este Edital.

Ressalva: o veículo discriminado em minha proposta não se enquadra na condição de veículo zero quilômetro, uma vez que possui ano de fabricação em 2013 ou superior e tem quilometragem acima de 300 (trezentos quilômetros). ( )

Curitiba,

de

de 2013.

Nome/Assinatura/CPF do licitante

MODELO DE DECLARAÇÃO DE NÃO SER E NUNCA TER SIDO PERMISSIONÁRIO, AUTORIZATÁRIO E/OU CONCESSIONÁRIO DO

MODELO DE DECLARAÇÃO DE NÃO SER E NUNCA TER SIDO PERMISSIONÁRIO, AUTORIZATÁRIO E/OU CONCESSIONÁRIO DO SERVIÇO DE TÁXI

MODELO DE: MODELO DE DECLARAÇÃO DE NÃO SER E NUNCA TER SIDO PERMISSIONÁRIO, AUTORIZATÁRIO E/OU

MODELO DE:

MODELO DE DECLARAÇÃO DE NÃO SER E NUNCA TER SIDO PERMISSIONÁRIO, AUTORIZATÁRIO E/OU CONCESSIONÁRIO DO SERVIÇO DE TÁXI

, inscrito no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF sob nº

, para fins de atendimento a Lei 13.957/2012 e Decreto 1.959/2012, que não sou e nunca fui permissionário, autorizatário e/ou concessionário do serviço de táxi.

DECLARO

Eu,

portador da Cédula de Identidade RG sob nº

,

Curitiba,

de

de 2013.

Nome/assinatura/CPF do licitante

ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA TÉCNICA

ANEXO IV

MODELO DE PROPOSTA TÉCNICA

FICHA PROPOSTA TÉCNICA CONCORRÊNCIA URBS Nº 001/2013 01 DADOS PESSOAIS Nome: CPF nº: Endereço: Telefone:

FICHA PROPOSTA TÉCNICA

CONCORRÊNCIA URBS Nº 001/2013

01 DADOS PESSOAIS

Nome:

CPF nº:

Endereço:

Telefone:

Email (opcional):

Lote que deseja concorrer:

02 DOCUMENTOS

a) Comprovação de tempo de experiência:

( ) cópia da carteira de trabalho

( ) certidão emitida pela Área de Táxi e Transporte Comercial da URBS – Urbanização de Curitiba

(

) certidão emitida pelo órgão responsável pelos serviços de táxi de outro Município.

b)

Comprovação de pontuação na carteira nacional de habilitação

(

) Comprovante “Consulta Histórico de Pontuação”, com dados referentes à pontuação registrada no prontuário da Carteira Nacional de Habilitação do licitante, no período compreendido entre 1º/Agosto/2012 a 31/Julho/2013.

c)

Declaração

(

) Declaração de compromisso de apresentação do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), em nome do licitante, referente ao ano de fabricação do automóvel a ser utilizado para a prestação dos serviços de táxi.

DATA DE VALIDADE DA PROPOSTA: 90 (NOVENTA) DIAS CONTADOS DA DATA DA SESSÃO DE ABERTURA DOS ENVELOPES DE PROPOSTA TÉCNICA.

/

/

data

assinatura

ANEXO V TABELA DE PONTUAÇÃO TÉCNICA

ANEXO V

TABELA DE PONTUAÇÃO TÉCNICA

PONTUAÇÃO TÉCNICA TEMPO DE SERVIÇO EM DIAS TRABALHADOS   PONTOS EM PONTOS EM TEMPO EM

PONTUAÇÃO TÉCNICA TEMPO DE SERVIÇO EM DIAS TRABALHADOS

 

PONTOS EM

PONTOS EM

TEMPO EM DIAS

OUTROS

CURITIBA

MUNICÍPIOS

10950 ou mais

60

30

10949

59,89103

29,89077

10948

59,88556

29,88804

10947

59,88009

29,88531

10946

59,87462

29,88258

10945

59,86915

29,87985

10944

59,86368

29,87712

10943

59,85821

29,87439

10942

59,85274

29,87166

10941

59,84727

29,86893

10940

59,8418

29,8662

10939

59,83633

29,86347

10938

59,83086

29,86074

10937

59,82539

29,85801

10936

59,81992

29,85528

10935

59,81445

29,85255

10934

59,80898

29,84982

10933

59,80351

29,84709

10932

59,79804

29,84436

10931

59,79257

29,84163

10930

59,7871

29,8389

10929

59,78163

29,83617

10928

59,77616

29,83344

10927

59,77069

29,83071

10926

59,76522

29,82798

10925

59,75975

29,82525

10924

59,75428

29,82252

10923

59,74881

29,81979

10922

59,74334

29,81706

10921

59,73787

29,81433

10920

59,7324

29,8116

10919

59,72693

29,80887

10918

59,72146

29,80614

10917

59,71599

29,80341

10916

59,71052

29,80068

10915

59,70505

29,79795

PONTUAÇÃO TÉCNICA TEMPO DE SERVIÇO EM DIAS TRABALHADOS 10914 59,69958 29,79522 10913 59,69411 29,79249

PONTUAÇÃO TÉCNICA TEMPO DE SERVIÇO EM DIAS TRABALHADOS

10914

59,69958

29,79522

10913

59,69411

29,79249

10912

59,68864

29,78976

10911

59,68317

29,78703

10910

59,6777

29,7843

10909

59,67223

29,78157

10908

59,66676

29,77884

10907

59,66129

29,77611

10906

59,65582

29,77338

10905

59,65035

29,77065

10904

59,64488

29,76792

10903

59,63941

29,76519

10902

59,63394

29,76246

10901

59,62847

29,75973

10900

59,623

29,757

10899

59,61753

29,75427

10898

59,61206

29,75154

10897

59,60659

29,74881

10896

59,60112

29,74608

10895

59,59565

29,74335

10894

59,59018

29,74062

10893

59,58471

29,73789

10892

59,57924

29,73516

10891

59,57377

29,73243

10890

59,5683

29,7297

10889

59,56283

29,72697

10888

59,55736

29,72424

10887

59,55189

29,72151

10886

59,54642

29,71878

10885

59,54095

29,71605

10884

59,53548

29,71332

10883

59,53001

29,71059

10882

59,52454

29,70786

10881

59,51907

29,70513

10880

59,5136

29,7024

10879

59,50813

29,69967

10878

59,50266

29,69694

10877

59,49719

29,69421

10876

59,49172

29,69148

10875

59,48625

29,68875

PONTUAÇÃO TÉCNICA TEMPO DE SERVIÇO EM DIAS TRABALHADOS 10874 59,48078 29,68602 10873 59,47531 29,68329

PONTUAÇÃO TÉCNICA TEMPO DE SERVIÇO EM DIAS TRABALHADOS

10874

59,48078

29,68602

10873

59,47531

29,68329

10872

59,46984

29,68056

10871

59,46437

29,67783

10870

59,4589

29,6751

10869

59,45343

29,67237

10868

59,44796

29,66964

10867

59,44249

29,66691

10866

59,43702

29,66418

10865

59,43155

29,66145

10864

59,42608

29,65872

10863

59,42061