Você está na página 1de 28

1

Ministério da Educação
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 06
CEP 70040-020 Brasília-DF pibid@capbr
http://www.capes.gov.br/educacao-basica/capespibid

Governo do Estado do Rio Grande do Norte


Secretaria de Estado da Educação e da Cultura - SEEC
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE – UERN
CAMPUS AVANÇADO “PROFª. MARIA ELISA DE ALBUQUERQUE MAIA” – CAMEAM
Departamento de Educação/DE – e-mail: de_pferros@uern.br
End.: BR 405, KM 153, Arizona, 59900-000, Pau dos Ferros/RN
Autoria
Maria Irene Batista de Lima Costa
Francisca Thais Pereira Costa
Francicleide Cesário de Oliveira Fontes
José Ismaildo Dantas de oliveira
Maria Edneide de Souza Bezerra
Maria Lourena de Queiroz
Maria Lúcia Pessoa Sampaio
Maria Miraíre Pereira Silv
Coordenação Institucional do PIBID /UERN BOLSISTAS/ESTUDANTES DE PEDAGOGIA

Profa. Marcia Betania de Oliveira


Adnilsa Avelino de Freitas
Ana Larice Lopes de Lima
Coordenadores de Processos Educacionais Anieli Cristina Oliveira da Costa
Bianara da Silva Franco
Profª Silvia Maria Costa Barbosa Dessica Rocha da Silva
Emanuela da Silva Pinheiro
Secretário Fernanda Marques Fernandes
Francisca Rozangela Gurgel Campelo
Mário Sérgio Leite Francisca Rosineide Gurgel Campelo
Francisca Thaís Pereira Costa
José Ismaildo Dantas de Oliveira
Coordenação Institucional do PIBID /UERN José Jucelio da Silva
Larisse Pinheiro Guedes
Profa. Marcia Betania de Oliveira
Letícia Bezerra França
Renata Paiva de Freitas
Coordenadores de Processos Iasnaia Kadidja Tôrres Ferros
Educacionais Ildivânia Iadlaina Araujo
Profª Silvia Maria Costa Barbosa Lívia Natália Dias
Maria Aline Queiroz da Silva
Secretário Maria Edneide de Souza Bezerra
Mário Sérgio Leite Maria Eliza Nunes de Oliveira
Maria Miraíre Pereira Silva
Maria Jocelma Duarte de Lima
EQUIPE PIBID/PEDAGOGIA/DE/CAMEAM/UERN Maria Maeza de Queiros Santos
Maria Lourena de Queiroz
COORDENADORAS DE ÅREA E COLABORADORAS Maria Patrícia dos Santos
Maris Raiane Bezerra de Oliveira
Francicleide Cesário de Oliveira Fontes Maria Natalina Benício
Keutre Gláudia da Conceição Soares Bezerra Raquel Fernandes de Queiroz
Maria Lúcia Pessoa Sampaio Rafaella Pereira Chagas
Regiane Maria de Queiroz
ESCOLAS PARCEIRAS Rita de Cássia Fernandes Gadelha de Sousa
Sheilha Mikaele valeria da Costa
José Guedes Tuanni Luma da Silva
Escola Estadual João Escolástico
Escola Estadual Patronato Alfredo Fernandes WEB DESIGNER

PROFESORAS SUPERVISORAS Francisca Thais Pereira Costa

Apolonia Eieth da Costa Rego


Eloiza Milka Cardoso Dias REVISÃO ORTOGRÁFICA
Jakeline Peixoto de Queiróz
Kalina Lígia Queiroz Barros Sueilton Júnior Braz de Lima
Maria Consuelda Marques Pereira
Maria Dalvanir de Queiroz Oliveira
Maria Irene Batista de Lima Costa
Maria Leidiana Lira de Sousa Cavalcante

Apresentação
Caro leitor, esta cartilha pedagógica foi desenvolvida por bolsistas, supervisora,
coordenadora e colaboradora do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à
Docência (PIBID), através da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino
Superior (CAPES), mediante o Subprojeto “Mediadores de leitura e de textos em
processos de (auto) formação”, do Departamento de Educação do Campus Avançado
Profa Maria Elisa de Albuquerque Maia (CAMEAM), da Universidade do Estado do
Rio Grande do Norte (UERN), em de Pau dos Ferros/RN.
Aqui, você vai conhecer estratégias de mediação de leitura desenvolvidas em
salas de aula, que podem ser adequadas do primeiro ao quinto ano do Ensino
Fundamental. O objetivo desta cartilha é divulgar as várias estratégias de contação de
histórias infantis, que podem ser utilizados na sala de aula, tanto como ferramenta
pedagógica para o processo de ensino-aprendizagem dos alunos, quanto para o incentivo
à leitura literária.
Dessa maneira, dedicamos esta cartilha a você que busca desenvolver um
ensino baseado num processo lúdico e criativo e que percebe a necessidade da leitura
em sala de aula como uma forma de tornar a aprendizagem mais prazerosa e
significativa para seu aluno.

Aprecie a leitura!
Sumário
Conhecendo o PIBID.............................................................................................08

Teatro na mediação da história “Branca de neve”.................................................09

Teatro com máscaras no conto e reconto de história: “A galinha ruiva”............11

Brincando de rabo no macaco a partir da história: “O macaco e o rabo”............13

O imagético na contação........................................................................................15

Ampliação do repertório de leitura........................................................................17

Leitura escrita e de imagens por meio da mediação e reconto de história...........19

Contando a fábula “A festa no céu" com o uso de painel......................................21

Contando a fábula “O rato e a ratoeira" com copos descartáveis...........................23

Respeito à diversidade por meio da mediação de histórias ..................................25

Criatividade e expressão artística..........................................................................27


Conhecendo o PIBID

O Programa Institucional de Bolsas de iniciação à Docência (PIBID) é ofertado


pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do
Ministério da Educação (MEC), e oferece bolsas para que alunos de licenciatura
desenvolvam atividades pedagógicas em escolas públicas, exercendo uma parceria entre
universidades e escolas da rede básica de ensino. Nesse contexto, o PIBID vem se
consolidando como uma das mais importantes iniciativas à docência, quando voltamos
nosso olhar para uma melhor formação de professores.
O programa atua com subprojetos em cada área de licenciatura. O subprojeto do
curso de licenciatura em Pedagogia, do Campus Avançado Professora Maria Elisa de
Albuquerque Maia (CAMEAM), é intitulado “Mediadores de leitura e texto em
processo de (auto) formação” e conta com 20 bolsistas que atuam juntamente com 4
supervisoras em três escolas da rede estadual de educação no município de Pau dos
Ferros- RN, cujo objetivo principal é realizar a mediação de histórias nas escolas e, por
seguinte, estimular o gosto pela leitura, formando assim, futuros leitores. Além disso,
contribui para a aprendizagem dos alunos atendidos e desempenha relevante papel na
formação docente dos bolsistas, estes que atuarão futuramente no exercício do
magistério.

8
Tema: Teatro na mediação da história “Branca de neve”
Recurso didático: Personagens da história confeccionados com copos descartáveis
Texto base: “Branca de neve” dos irmãos Grimm (2007)

Conteúdo:
 Linguagem oral e teatral por meio da interpretação dos contos de fada.

Objetivo Geral:
 Incentivar o gosto pela leitura, bem como a participação na dramatização de
contos clássicos da literatura.

Objetivos Específicos:
 Desenvolver a linguagem oral e a capacidade de expressão a partir da
participação em dramatizações;
 Promover a socialização por meio da contação da história “Branca de Neve”;
 Despertar a imaginação, auxiliando no desenvolvimento da criança.

Desenvolvimento da Atividade:
 No primeiro momento, é importante conversar com os alunos acerca da história
Branca de Neve, sobre o que eles sabem acerca da história, quais as versões que
eles conhecem e se sabem explicar do que trata o enredo. Em seguida, a
contação da história “Branca de neve”, dos irmãos Grim, pode ser realizada
utilizando o livro da história, ou oralmente, de forma espontânea. Nossa
sugestão, é que sejam confeccionados os personagens da história em copos
descartáveis;
 Em seguida, é muito importante realizar o reconto da história, em que os alunos
também podem utilizar os copos;
 No segundo momento, o mediador pode trazer a história em forma de peça
teatral, de modo que possa trabalhar com os alunos sobre o teatro e escolher as

9
crianças que interpretarão os papeis dos personagens da história. Assim, poderá
construir a casa dos sete anões e ensaiar a peça durante algumas semanas;
 No terceiro momento, os alunos poderão dramatizar a peça para sua turma e para
toda a escola.

Avaliação: Acontecerá de forma processual, levando em consideração o envolvimento


dos alunos no decorrer da atividade.

Referência da história:

GRIMM, Irmãos. Branca de Neve. Coleção Minhas Histórias, 2016. Disponível em:
<http://disneyjunior.disney.com.br/a-historia-de-branca-de-neve> Acesso em
29/04/2017.

10
Tema: Teatro com máscaras no conto e reconto de história: “A galinha ruiva”
Recurso didático: Pintura e montagem da personagem
Texto base: “A galinha ruiva” de Antônio Torrado (2015)

Conteúdos:

 Criatividade;
 Linguagem oral;
 Coordenação motora.

Objetivo Geral:

 Desenvolver a oralidade dos alunos e a capacidade de comunicação em grupo,


através da atuação na mediação de histórias infantis.

Objetivos Específicos:

 Trabalhar valores como colaboração e responsabilidade a partir da realização da


mediação da história “A galinha ruiva”, do autor Antônio Torrado;
 Explorar o vocabulário e o trabalho coletivo por meio do reconto da história;
 Desenvolver a criatividade através da pintura e montagem da galinha ruiva.

Desenvolvimento da Atividade:

 No primeiro momento, juntaremos as duas turmas de primeiro ano da escola na


biblioteca para realizarmos a mediação de leitura e explicarmos que o fato de

11
estarem as duas turmas juntas na biblioteca é o início de um projeto de
intervenção feito por nós bolsistas para atendermos as demais turmas da escola,
além da turma de primeiro ano que já atendemos. Em seguida, explicaremos que
nossa intenção é abrir a biblioteca da escola (que atualmente encontra-se fechada
no turno da manhã) para que os alunos tenham acesso às atividades de leitura
nesse espaço e que intencionamos desenvolver nossas atividades de leitura e
mediação de histórias também com as outas turmas;
 No segundo momento, realizar, por meio de teatro, a contação da história “A
galinha ruiva” do autor Antônio Torrado (2015). Para tanto, utilizaremos
máscaras dos personagens da história, o cenário da peça (painel, panela, concha
e milho), bem como a participação de alguns alunos na hora da mediação;
 O terceiro momento é de realizar o reconto, a ideia é que os demais alunos
possam participar e vivenciar os fatos acontecidos na história, para que, em
seguida, conversar com eles sobre o que entenderam da história, qual moral está
por trás dela, além de conversar, também, sobre questões relacionadas ao
trabalho em equipe, a importância de ajudar o outro e de ser uma pessoa
responsável;
 No quarto e último momento, os alunos devem retornar para a sala, onde
poderão soltar a criatividade para colorir e montar uma galinha ruiva.

Avaliação: Ocorrerá de forma processual no decorrer da aula, analisando o processo de


participação, o desempenho e a criatividade durante a realização das atividades
propostas.

Referência da história:

ALEGRIA, M. A. A galinha ruiva. Disponível


em<:https://www.google.com.br/search?q=a+galinha+ruiva&source=lnms&tbm=isch&
sa=X&ved=0ahUKEwjG762qsrTAhUCEpAKHQRDDp4Q_AUIBygC&biw=1354&bih
=595#imgdii=Ry4kKhHDYLkTfM:&imgrc=Q6UFxtrNhysahM:>. Acesso em
29/04/2017.

12
Tema: Brincando de rabo no macaco a partir da história: “O macaco e o rabo”
Recurso didático: Brincadeira “Rabo do macaco”
Texto base: “O macaco e o rabo” de Robson Santos (2001)

Conteúdos:
 História infantil;
 Brincadeira infantil.

Objetivo geral:
 Proporcionar a realização de uma brincadeira a partir da história “O macaco e o
rabo” de Robson Santos (2001).

Objetivos específicos:
 Incentivar o gosto pela leitura;
 Promover a interação e a cooperação;
 Desenvolver a lateralidade, audição e a atenção.

Desenvolvimento da atividade:
 1º momento: Realização de uma breve apresentação da história, falando do
título, o nome do autor, ilustrador e perguntar se os alunos já a conhecem, etc;
 2º momento: o mediador deverá contar a história, utilizando quadros de papelão
com a imagem dos personagens da mesma. Além disso, incentivar para que seja
feito o reconto pelos alunos;

13
 3º momento: Por fim, brincar da brincadeira: “Rabo no macaco”, uma adaptação
da brincadeira “Rabo no burro”, que funciona da seguinte maneira: Um macaco
sem o rabo feito de Eva fica pregado no quadro. Um aluno com os olhos
vendados e segurando o rabo do macaco deve dar alguns rodopios. Com a ajuda
dos colegas deverá pregar o rabo no macaco no local certo.

Avaliação: Ocorrerá de forma contínua, observando o envolvimento e a participação


dos alunos durante o desenvolvimento da atividade.

Referência da história:

SANTOS, R. O macaco e o rabo. Disponível


em<:http://educacaoinfantilummundoadescobrir.blogspot.com.br/2011/04/o-macaco-e-
o-rabo-adaptacao-de-robson.html>. Acesso em: 29/04/2017.

14
Tema: O imagético na contação
Recurso didático: “TV” apenas com imagens
Texto base: “Príncipe Cinderelo” (COLE, 2000)

Conteúdos: Adaptação da história infantil “Cinderela”.

Objetivo: Apreciar a história “Príncipe Cinderelo” de forma lúdica, a partir de uma


“TV” apenas com imagens.

Objetivos Específicos:

 Relacionar a história do “Príncipe Cinderelo” ao conto da “Cinderela”;


 Interpretar a história a partir do texto adaptado do livro “Príncipe Cinderelo”.

Desenvolvimento da atividade:
 No primeiro momento, realizamos um levantamento prévio sobre a história
“Príncipe Ciderelo”, questionando se eles já conhecem a história ou sabem de
alguma com o nome parecido, aproveitando o momento para falar/relembrar da
história clássica de Cinderela, questionando também o que acham que o título
sugere, quais personagem eles acreditam que a história deve ter levando em
consideração o título, o que acham que vai acontecer nessa história, etc.
 No segundo momento, fizemos a contação da história usando uma “TV” com
imagens, onde a medida que os alunos iam rodando a manivela, novas imagens
iam aparecendo e nós íamos contando a história;

15
 No terceiro momento, após a contação, fizemos uma roda de conversa sobre a
história, ressaltando o que eles entenderam do mesmo, o que puderam aprender,
quais as diferenças entre a história da Cinderela e o Ciderelo, quais as
semelhanças, etc.

Avaliação: A avaliação acontecerá a partir do acompanhamento dos alunos durante a


aula: na releitura da história de Cinderela, bem como na conversa, quando comparam a
história de Cinderelo ao conto de Cinderela, observando as respostas dos alunos às
questões levantadas, como interpretaram o texto adaptado, etc.

Referência:

COLE, Babette. Príncipe Cinderelo. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

16
Tema: Ampliação do repertório de leitura
Recurso didático: Teatro de Sombras
Texto base: “O domador de monstros” (MACHADO, 2007)

Conteúdos:
 Teatro das sombras;
 Expressão e compreensão de sentimentos como o medo;
 Lateralidade.

Objetivo Geral: Conhecer a história “O domador de monstros a partir do teatro de


sombras.

Objetivos Específicos:
 Aprender a lidar com os medos a partir das reflexões acerca da história “O
Domador de Monstros” de Ana Maria Machado;
 Expressar opiniões e sentimentos por meio da linguagem oral;
 Aprimorar o fazer artístico;
 Aprender sobre lateralidade de forma lúdica.

Desenvolvimento da atividade:
 No primeiro momento, fizemos um levantamento prévio sobre a história “O
Domador de Monstros” de Ana Maria Machado, questionando se eles conhecem a
história, o que acham que vai acontecer nessa história, etc.

17
 No segundo momento, realizamos a contação da história “O Domador de
Monstros” de Ana Maria Machado por meio da técnica do teatro com sombras;
 No terceiro momento, após a contação da história, fizemos uma roda de
conversa sobre a história, ressaltando o que eles entenderam da mesma, o que puderam
aprender, se eles têm medo de dormir sozinhos, o que eles acham que podem fazer para
superar esse medo, etc.
 No quarto momento, os alunos receberam uma folha sem pauta e outra com
partes de rostos de monstros, cada um deles pintou a mão com tinta guache as partes
que gostaria de colocar no rosto dos seus respectivos monstros. Depois fizeram o
restante do corpo do mostro na folha sem pauta e recortaram e colaram as partes que
haviam pintado (nariz, boca, olhos, etc.) ao seu critério;
 No quinto momento, brincamos de colocar o olho do monstro, onde cada aluno
escolheu um olho e foi vendado para tentar acertar o olho escolhido no local certo.

Avaliação: A avaliação será contínua, através da observação da criança no desempenho


de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

Referência:

MACHADO, Ana Maria. O domador de monstros. Rio de Janeiro: FTH, 2007.

18
Tema: Leitura escrita e de imagens por meio da mediação e reconto de história
Recurso didático: Imagens e trecho da história coladas em papelão.
Texto base: “Pipoca, o peixinho encrenqueiro.” (autor desconhecido)

Conteúdo:
 Leitura escrita;
 Leitura de imagens;
 Oralidade.

Objetivo:
 Incentivar o reconto de histórias por meio da leitura escrita ou de imagens.

Específicos:
 Icentivar a leitura escrita
 Icentivar a leitura de imagens
 Desenvolver a oralidade por meio do reconto

Desenvolvimento da atividade:

 No primeiro momento, desenvolvemos um levantamento prévio com os alunos a


respeito da história “Pipoca, o peixinho encrenqueiro”, indagando se eles já

19
conheciam a história, já ouviram história com personagens parecidos ou se já
tinham ideia do que iria tratar a história. Aproveitando o momento para indagar
também o que eles esperam de um “peixinho encreiqueiro”;
 No segundo momento, fizemos a contação da história usando imagens e trecho da
história correspondente à imagem, ambos colados em papelão, onde a medida que
a história ia sendo contada era produzido a sequencia da mesma por meio das
imagens e trechos.
 No terceiro momento, tivemos o reconto da história onde os alunos puderam fazer
o uso das imagens e trechos colados em papelão.
 No quarto momento, após a contação e reconto, fizemos uma roda de conversa
sobre a história, ressaltando o que eles entenderam da mesma,

Avaliação: A avaliação será contínua, através da observação das crianças no


desenvolvimento da contação e reconto, como também, na roda de conversa.

Referência:

Pipoca, o peixinho encrenqueiro. Disponível em:


<http://tiamary2010.blogspot.com.br/2010/04/pipoca-o-peixinho-
encrenqueiro.html> Acesso em 30 de abril de 2017.

20
Tema: Contando a fábula “A festa no céu" com o uso de painél.
Recurso didático: Painel e personagens impressos.
Texto base: “A festa no céu"de Ângela Lago.

Conteúdo:
 Interpretação de história;
 Oralidade;
 Gênero fábula

Objetivo Geral:
 Proporcionar o contato com os gêneros literários por meio do trabalho com a
contação de histórias.

Objetivos Específicos:
 Incentivar os alunos a despertarem o gosto pela leitura;
 Desenvolver a oralidade;
 Contato com o gênero literário fábula

Desenvolvimento da Atividade:
 Acolhida e organização da turma em círculo para uma melhor interação;
 Fazer algumas perguntas aos alunos sobre o que eles acham que será retratado
na história, se será de animais, de aventura, de terror, contos de fada, cordel, etc.
A fim de aumentar a curiosidade dos mesmos.

21
 Sequentemente desenvolver a contação da história “A Festa no Céu” com a
amostra de personagens confeccionados com papel cartão e também com o
auxílio de um painel representado o cenário em que a história se passava;
 Após a contação, promover o reconto que deverá ser realizado pelos alunos;
 Por fim, promover interrogações aos alunos sobre o que se passou na história
dando ênfase nos personagens que são animais para que assim possa introduzir o
gênero fábula.

Avaliação:

 A avaliação ocorreu de forma contínua ao desenvolvimento das atividades,


tendo um olhar significativo para o comportamento dos alunos durante a
contação, como também no momento do reconto. Por fim, foi avaliado a
percepção que os mesmos tiveram da história.

Referência:

LAGO, Angela. A festa no céu. Disponível em:


<http://lendcontfab.blogspot.com.br/2013/04/a-festa-no-ceu.html.> Acessado em:
30/04/2017.

22
Tema: Contando a fábula “O rato e a ratoeira" com copos descartáveis.
Recurso didático: Copos descartáveis e personagens impressos e colados.
Texto base: “O rato e a ratoeira " (autor desconhecido)

Conteúdo:

 Interpretação da moral da história;

 Gênero fábula.

Objetivo Geral:

 Desenvolver a interpretação de atitudes positivas e negativas, assim como,


diferenciá-las, de acordo com a moral da fábula “O rato e a ratoeira”.

Objetivos Específicos:

 Incentivar a interpretação da moral da fábula contada;


 Desenvolver a oralidade por meio do reconto;
 Contato com o gênero literário fábula;
 Incentivar o gosto pela leitura literária.

Desenvolvimento da Atividade:

 Acolhida e organização da turma em círculo para uma melhor interação;


 Promover o contato dos alunos com a história que será contada, explicando que
a mesma se trata de uma fábula e que essa traz uma moral para um melhor
convívio em sala de aula.

23
 Desenvolver a contação da fábula “O rato e a ratoeira” com a amostra de
personagens impressos e colados em copos descartáveis.
 Após a contação, foi desenvolvido o reconto que deverá ser realizado pelos
alunos também com o auxílio dos copos representando os personagens.
 Por fim, promover interrogações aos alunos sobre o que se passou na história
dando ênfase na sua moral que retrata o valor de ajudar o próximo no nosso dia-
a-dia.

Avaliação: A avaliação será contínua, através da observação das crianças no


desenvolvimento da contação e também do reconto.

Referência:

O rato e a ratoeira. Disponível em: http://www.contioutra.com/o-rato-e-a-ratoeira-


uma-fabula-de-esopo/ Acesso em 30 de abril de 2017.

24
Tema: Respeito à diversidade por meio da mediação de histórias
Recurso didático: mediação usando imagens da história impressas
Texto base: “Elmer, o elefante Xadrez” de David McKee (1998)

Conteúdos:

 Leitura;
 Oralidade;
 Conhecimentos geométricos;
 Noção de tamanho e espaço;
 Respeito a diversidade;
 Reconhecimento das cores.

Objetivo Geral:

 Promover momento de leitura deleite, afim de incentivar o gosto pela leitura e o


desenvolvimento da oralidade atráves do reconto de histórias.

Objetivos Específicos:

 Estimular o gosto pela leitura;


 Desenvolver a oralidade;
 Propiciar o desenvolvimento de atividades lúdicas, assim como, desenvolver a
criatividade e o trabalho em grupo.

25
Desenvolvimento da Atividade:

 No primeiro momento: Acolhida e organização da turma em círculo para uma


melhor interação;
 No segundo momento: será o levantamento prévio com os alunos, questionando-
os se gostam de ler, se alguém costuma ler para eles e se eles conheciam a
história que seria apresentada, no caso, a de “Elmer, o elefante Xadrez” de
David McKee; o que acham que vai acontecer na história, os possíveis
personagens que poderão aparecer;
 No terceiro momento: realização da mediação usando imagens da história
impressas, a fim de “prender” a atenção dos alunos, em seguida o reconto se as
crianças desejarem fazer, bem como discutir a importância de nos aceitarmos do
jeito que somos, ressaltando que cada pessoa é única;
 No quarto momento: divisão da turma em cinco grupos para a realização da
atividade proposta;
 No quinto momento: realização da atividade de colagem em forma de quebra
cabeça, onde a mesma terá finalidade de formar um elefante colorido e em forma
de xadrez, assim como o personagem principal, ao mesmo tempo que permitirá
trabalhar as formas geométricas e a noção de espaço/tamanho, pois cada espaço
exigirá um tamanho adequado do EVA a ser cortado. Assim, as crianças
receberão papéis coloridos, cola e tesouras;
 No sexto momento: socialização e exposição das atividades realizadas, onde terá
a votação da equipe que melhor realizou a atividade;
 No sétimo momento: imprimir imagens do elefante colorido e fazer as peças do
quebra cabeça para as crianças montar.

Avaliação: A avaliação se dará de forma processual, através do desenvolvimento,


participação, interação, o trabalho em equipe e a criatividade durante as atividades
propostas.

Referência da história:

MCKEE, David. Elmer, o elefante xadrez. São Paulo, 1998. Disponível em:
<https://pt.slideshare.net/lamparina/elmer-o-elefante-xadrez> Acesso em 22/04/2017.

26
Tema: Criatividade e expressão artística

Recurso didático: Imagens da história, atividade impressa, pedaços de EVA coloridos,


tesouras e cola.
Texto base: “O lobo e os sete cabritinhos” dos Irmãos Grimm (2007)

Conteúdos:

 Leitura;
 Linguagem oral;
 Desenvoltura artística.

Objetivo Geral:

 Estimular a criança a participar de forma ativa e direita do processo de


mediação, contribuindo para o desenvolvimento da linguagem oral, autonomia e
desenvoltura artística da criança.

Objetivos Específicos:

 Estimular o gosto pela leitura;


 Instigar nos alunos o interesse do processo de mediação da história, possibiltando
uma maior interação, entusiasmo e atenção em ouvi-lá;
 Valorizar desenvolvimento da linguagem oral, autonomia e desenvoltura artística
da criança.
Desenvolvimento da Atividade:

 No primeiro momento: Acolhida e organização da turma;


 No segundo momento: Explorar os conhecimentos prévios das crianças,
perguntando se estas já conhecem a história “O lobo e os sete cabritinhos” dos

27
Irmãos Grimm? O que elas acham que vai acontecer com o lobo? Se ele ia
continuar sendo mal? Ou não poderia ser um lobo bom?
 No terceiro momento: A mediação da história com a participação de algumas
crianças. Desse modo, estas utilizarão as máscaras que representarão os
personagens: a mamãe cabra, os 7 cabritinhos e professor fará o papel do lobo,
utilizando além da máscara, a roupa (se tiver), como se o próprio lobo tivesse
contando para as crianças o que aconteceu com ele na referida história; e uma
caixinha de costura;
 No quarto momento: Ao término da contação, questionaremos sobre o que eles
acharam, se alguém acertou alguma coisa sobre o que ia acontecer com o lobo,
se gostaram ou não do que aconteceu e se dariam um final diferente para ele, e
principalmente reforçar a importância de obedecer sempre aos nossos pais;
 No quinto momento: Realização de uma atividade de produção de um
cabritinho, onde as crianças terão que preencher seu corpo com algodão, cujo
objetivo é estimular a criatividade das crianças;
 No sexto momento: exposição no mural da sala. Imprima a imagem de um lobo
e coloque ao lado das atividades

Avaliação: A avaliação ocorrerá de forma contínua no decorrer das atividades


propostas, considerando todo o processo de construção do conhecimento pelos alunos, a
participação e o envolvimento, analisando se participaram ativamente das atividades
propostas.

Referência da história:

GRIMM, Irmãos. O lobo e os sete cabritinhos. Editora Todo Livro, 2007. Disponível
em: <http://algumashistoriasinfantis.blogspot.com.br/2013/03/os-sete-cabritinhos.html>
Acesso em 2004/2017.

REFERÊNCIA PRINCIPAL:

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO_DE/CAMEAM/UERN. Subprojeto


Mediadores de leitura e de textos em processos de (auto)formação.
UERN: CAPES, 2013.

28
29