Você está na página 1de 16

T02

Componentes
Eletrônicos
Cartilha - Primeiros Passos

T02

Universidade Estadual de Feira de Santana


PÁGINA 2 PÁGINA 31

setembro 2010

Universidade Estadual de Feira de Santana

Realização
Introdução a Hardware - T02

Componentes
Matheus Oliveira
Marli Barbosa
Murilo Barbosa
Murilo Silva
Natan Hespanhol
Rafael Falcão
Reinildo Souza
Ricardo Ferreira
Pedro Lemos

Tutor
Paulo Ricardo Rios
T02 PÁGINA 30 T02 PÁGINA 3

Anotações Índice

Introdução 4
Componentes discretos 5
Resistores 6
Potenciômetros 8
Diodos 9
LEDs 11
Displays; 13
Capacitores 15
Transistores 17
CIs - Circuitos Integrados 18
Reguladores de Tensão 20
Conversores A/D e D/A 21
FPGAs 22
Micro-controladores 24
Dispositivos auxiliares 25
Multímetro 26
Protoboard 27
Fontes 28
Bibliografia 29
PÁGINA 4 PÁGINA 29

Introdução Referências
Para um melhor entendimento dos componentes eletrônicos são necessários al- http://www.mzeditora.com.br/artigos/mic_modernos.htm
guns conhecimentos prévios sobre seu funcionamento e a forma como interagem http://www.mikroe.com/pt/product/books/picbook/capitulo1.htm
http://eletronicos.hsw.uol.com.br/microcontroladores2.htm
entre si. http://www.infopedia.pt/$potenciometro
Em eletrônica os dispositivos são basicamente divididos em três categorias: os http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20060830075704AAPUjoJ
dispositivos discretos (capacitores, diodos, resistores, transistores, entre outros), os Hardware, o Guia Definitivo Carlos E. Marimoto
auxiliares (como multímetros e protoboards) usados para testes e manipulação dos
demais dispositivos e os Cis (como por exemplo: Microcontroladores, micropro-
cessadores, FPGAs) que nada mais são do que uma associação das partes funcio-
nais dos dispositivos discretos resultando em uma peça reduzida e de menor custo.
Entre eles temos os dispositivos polarizados, os quais possuem as formas correta e
errada de serem montados, onde a corrente elétrica deve circular num único senti-
do (como por exemplo: diodos e transistores). E os dispositivos não-polarizados,
os quais não possuem um sentido definido em que a corrente elétrica possa fluir,
não havendo uma forma específica para seu uso (como por exemplo: resistores). É
importante saber que no funcionamento de tais dispositivos há um registro de
sinais. Onde temos os sinais analógicos, que variam de forma continua ao decorrer
do tempo, transmitidos de forma direta sem passar por nenhuma decodificação
mais complexa, e passível de interferências (ruídos). E os sinais digitais, que são
descontínuos, empregados geralmente em linguagem binária e menos sujeito a
falhas. Para os sistemas eletrônicos digitais a transferência e interpretação de dados
são feitas através dos níveis de tensão onde temos o zero (0) para corrente baixa e
o um (1) para corrente alta. Vale ressalvar que estes dispositivos possuem um
“datasheet” que seria um banco de dados fornecendo informações mais detalhadas
de cada componente dos subgrupos de CIs e dispositivos discretos através de um
código específico.
T02 PÁGINA 28 T02 PÁGINA 5

Fontes Dispositivos discretos


Funcionalidade Definição
Fornece uma tensão de entrada, para um determinado circuito, que podem ser Possuem um tamanho maior do que o necessário se compararmos o componente
alternadas ou continuas. inteiro a sua parte funcional (parte que realmente realiza a função )

Exemplo de um diodo:
T02 PÁGINA 6 T02 PÁGINA 27

Resistores Protoboards
Definição Definição
Os resistores são dispositivos elétricos A Protoboard é um dos equipamentos mais úteis no aprendizado do técnico em
que têm como propriedade a resistência eletrônica e consiste em uma placa didática composta de uma matriz de contatos
elétrica. Eles podem ser fixos ou variá- que permite a construção de circuitos experimentais sem a necessidade de efetuar
veis: os fixos são aqueles cuja sua resis- a solda dos componentes.
tência elétrica não pode ser modificada;
os resistores variáveis são os que possuem Funcionalidade
um eixo, o qual possibilita a alteração da Permite que seja efetuado uma série de experimentos com os mesmos componen-
sua resistência elétrica. tes inserindo ou removendo os mesmos com rapidez e segurança.
Detalhes físicos
Os resistores são feitos com material condutor de alta resistência elétrica. Entre os
vários tipos, podemos citar: resistor de fio (níquel-cromo); resistor de filme de
carbono; resistor de filme metálico, entre outros. Outro detalhe importante está na
identificação do valor da resistência elétrica de cada resistor, que está nas cores de
cada um.

Funcionalidade
A grande função dos resistores é fazer oposição a passagem da corrente elétrica
através de seu material (como por exemplo, carbono), que atua como agente limi-
tador da quantidade de corrente elétrica num circuito.

Aplicação
A Dentre as aplicações dos resistores no circuito elétrico, temos as de: Limitar a
passagem da corrente elétrica, como por exemplo, num Autorama, onde há um
dispositivo de aceleração controlado pela pessoa que está utilizando. À medida que
o acelerador é acionado a resistência diminui possibilitando a passagem da corren-
te elétrica, fazendo com que o carrinho se mova. Quando o acelerador não estiver
acionado a resistência é máxima, não possibilitando a liberação de corrente sufici-
ente para que o carrinho se desloque; Gerar calor e introduzir uma queda de ten-
são.
T02 PÁGINA 26 T02 PÁGINA 7

Multímetro Resistores
Funcionalidade Tabela de cores
O Multímetro é uma das ferramentas mais utilizadas entre os técnicos em eletrôni-
ca e eletrotécnica, destinado a medir e avaliar grandezas elétricas, são eficientes na
pesquisa de defeitos em aparelhos eletrônicos. Esse nome se da por possuir por
padrão três aparelhos de medida:
Voltímetro: Utilizado para medir tensões alternadas (AC) ou contínuas
(DC).
Amperímetro: Utilizado para medir correntes alternadas ou contínuas.
Ohmímetro: Utilizado para medir resistência ôhmica.
Utilizado em laboratórios ou em serviços de campo, na pesquisa de defeitos em
aparelhos eletro-eletrônicos devido a sua simplicidade de uso e, normalmente,
portabilidade. Pode ser usado para medição de resistência, corrente e tensão elé-
trica, entre outros opcionais que o fabricante do instrumento disponibilizar

Os resistores são compostos geralmente por três ou quatro faixas que identificam
Multímetro Digital. Multímetro Analógico. o valor de sua resistência, onde a primeira faixa representa o 1º Algarismo, a se-
gunda faixa representa o 2º algarismo, a terceira faixa indica o fator multiplicativo
e a possível quarta faixa indica a tolerância do resistor. Em casos em que a quarta
faixa não é encontrada, a tolerância é de +- 20%.
Exemplo:
1º Faixa Vermelha = 2
2º Faixa Violeta = 7
3º Faixa Marrom = 10
4º Faixa Ouro = 5%

O valor da Resistência Elétrica de qualquer elemento com essa descrição será 270
ohms, calculando com a tolerância de 5% chegamos a um valor que está entre
256,5 ohms e 283,5 ohms.
T02 PÁGINA 8 T02 PÁGINA 25

Potenciômetros Dispositivos de auxílio


Definição Definição
É um componente eletrônico que possui São dispositivos que serão bastante utilizados durante as praticas laboratoriais.
resistência elétrica ajustável. É um resistor
com três terminais, com um contato desli-
zante no centro. Se os terminais laterais
forem ligados à uma fonte de tensão,
pode-se extrair do terminal central uma
tensão variando de 0V à tensão nominal
da fonte ligada ao dispositivo.

Detalhes físicos
Pode ser fabricado com resistor de carbono, para sinais de baixa intensidade e
com resistor de fio para altas correntes.

Funcionalidade
É utilizado também para controlar o nível de um sinal de corrente alternada, por
exemplo em um controle de volume ou tonalidade em um rádio ou aparelho de
televisão.

Aplicação
Permite variar a intensidade de corrente que circula num dado circuito por varia-
ção da sua resistência total .

Tipos
Rotativo (comum), deslizante e multivoltas (indicado para ajustes precisos). Alguns
apresentam uma chave conjugada que serve para ligar e desligar o aparelho eletrô-
nico.
T02 PÁGINA 24 T02 PÁGINA 9

Micro-controladores Diodos
Definição Definição
O micro-controlador é um CI (circuito O díodo é um componente eletrônico
integrado) que contém um microproces- fundamental que tem como característica
sador e todos os dispositivos necessários mais importante, permitir que a corrente
para seu funcionamento. Programado circule apenas num sentido.
para funções definidas, apresenta baixo
Quando o díodo está polarizado direta-
consumo de energia, além de ter o custo
mente, conduz e permite circular a cor-
e tamanho reduzidos.
rente. Se estiver polarizado inversamente
não permite circular corrente.

Detalhes físicos
Os micro-controladores são constituídos geralmente de um processador, de me- Detalhes físicos
mória ROM , memória RAM, uma porta paralela, de conversores D/A e A/D ,
Um díodo é um dispositivo constituído por uma junção de dois materiais semi-
de uma porta serial e de um temporizador, Além de outros recursos que podem
condutores (em geral silício ou gerânio dopados), um do tipo P(ânodo) e o outro
mudar de acordo com a finalidade do mesmo
do tipo N(cátodo), ou de um material semicondutor e de um metal. Para saber a
Funcionalidade polaridade do díodo, nele existe uma marca que indica a extremidade correspon-
dente ao cátodo.
Para que o controlador possa entender os dados recebidos é necessário um con-
versor A/D que converta sinais analógicos em digitais. O programa, que toma as Funcionalidade
decisões e controla as saídas, fica armazenado na memória ROM e troca dados
O diodo só conduz corrente elétrica quando a tensão do anodo for maior que a do
com a Unidade de Processamento (CPU) através do bus (grupo de 8, 16 ou mais
catodo, portanto eles podem funcionar como chave interruptora. Quando a tensão
fios), apos ter sido realizada a tarefa definida pelo programa os resultados podem
do ânodo é maior que a do cátodo, o díodo funciona como chave ligada. Quando
ser exibidos por um display, mas somente depois de convertidos por um conver-
a tensão do ânodo é menor que a do cátodo, o díodo não conduz corrente e funci-
sor D/A.
ona como chave desligada..
Aplicação
Em geral são utilizados para realização tarefas simples de controle que não neces-
sitam de muita capacidade de processamento ( por serem computadores pequenos
e de baixo custo). É utilizado assim em diversos tipos de produtos eletrônicos
como o controle remoto, a máquina de lavar, o forno de micro-ondas e vários
outros..
T02 PÁGINA 10 T02 PÁGINA 23

Diodos FPGAs
Aplicação Tipos
Encontraremos em fontes de alimentação, estabilizadores, circuitos de proteção, RAM Estática: Tem como vantagem a possibilidade de ser rapidamente configu-
etc. Os Díodos podem ser usados, como por exemplo, para proteger os rádios e rada, porém exige hardware externo auxiliar que deve ser montado junto com os
os computadores de eventuais ligações incorretas a uma bateria ou a um gerador blocos lógicos.
de tensão. Um dispositivo que utiliza pilhas normalmente contém um diodo que o
Transistores de Passagem: Composta por uma grande concentração de transis-
protege se você inserir as pilhas ao contrário. O diodo simplesmente bloqueia
tores.
qualquer corrente que tente deixar a pilha se ela estiver ao contrário; isso protege
os sensíveis componentes eletrônicos no dispositivo.. EPROM/EEPROM: Sua principal vantagem é permitir a reprogramação sem
que se precise armazenar a configuração externa.
Tipos
Zener, LED, fotodiodo, varistor, Schottky, diodos de corrente constante, diodos
de recuperação em degrau , diodos de retaguarda , diodo de tunelamento, entre
outros.
T02 PÁGINA 22 T02 PÁGINA 11

FPGAs LEDs
Definição Definição
FPGAs (Field Programmable Gate Ar- LED é a sigla em inglês para Light Emit-
ray ) são chips compostos por um enorme ting Diode(Diodo Emissor de Luz).O
número de chaves programáveis, que LED é um diodo semicondutor (junção P
podem ser configurados para simular o -N) que quando energizado emite luz
comportamento de qualquer outro circui- visível. A luz é monocromática e é produ-
to. Uma valorosa característica deste chip zida pelas interações energéticas do elé-
é o fato dele poder ser programado pelo tron.
próprio usuário .

Detalhes físicos
Detalhes físicos Materiais semicondutores constituintes: Fosfoarsenieto de gálio (vermelho), fosfo-
Um FPGA é um circuito integrado. reto de gálio (verde/amarelo) e arsenieto de gálio (infravermelho). O cátodo é a
ponta mais curta e deve ter um corte no lado da cápsula do LED.
Funcionalidade
O FPGA possuí pequenos “espaços” chamados: blocos lógicos. Nesses blocos Funcionalidade
lógicos o usuário programa as funções desejadas para que ele opere. Com as devi- Ao ser aplicada uma tensão que polariza diretamente o led ocorre que muitos ele-
das funções definidas, um FPGA pode ter inúmeras aplicações e funções diferen- tros não têm a energia suficiente para passarem da banda de valência à banda de
tes. condução, ficando na zona interdita ou proibida. Como não podem permanecer
nessa zona voltam à banda de valência tendo para esse efeito de perder energia, o
Aplicação que fazem emitindo luz (fotões).
Um único FPGA pode simular não apenas um processador simples, mas também
outros circuitos de apoio e assim por diante. Os modelos recentes incluem inclusi- Aplicação
ve uma pequena quantidade de memória RAM e circuitos de apoio, de forma que Os leds são utilizado como elementos indicadores em calculadoras, aparelhos de
você pode ter um sistema completo usando apenas um chip FPGA previamente medida, indicadores numéricos de receptores de rádio, etc. O display de sete seg-
programado. mentos é constituído por díodos emissores de luz, tantos quantos os segmentos
do display.
T02 PÁGINA 12 T02 PÁGINA 21

LEDs Conversores A/D e D/A


Tipos Definição
Os LEDs são classificados de acordo com a cor (vermelho, laranja, amarelo, ver- É um dispositivo de conversão de sinal
de, etc), com o formato (cilíndrico, quadrado, retangular, triangular, ou outro for- analógico em digital e digital em analógi-
mato) e com o tamanho (3 ou 5 mm). co.
- Bicolores: Constituídos internamente por dois led em antiparalelo.
- Tricolores: Constituído internamente por dois led (verde e vermelho) ligados Detalhes físicos
com o cátodo comum.
Os Conversores são feitos normalmente
- Intermitentes: Têm internamente um mini circuito integrado que provoca a osci- de uma combinação de componentes eletrônicos, formando um circuito, por isso
lação do led. sua a aparência normalmente é de um CI(circuito integrado).
E também existem LEDs especiais, como: LEDs infravermelhos e os LEDs de
Funcionalidade
alto brilho que possuem um revestimento interno de silicone funcionando como
lentes para concentrar bastante a luz emitida pela cápsula. Para captar sinais físicos externos, usamos os Conversores A/D (entrada de sinal),
para transformar dados digitais em sinais físicos usamos Conversores D/A(saída
de sinal), assim os conversores servem para fazer uma interface entre o mundo
real e o sistema digital .

Aplicação
Os conversores podem ser aplicados, por exemplo, em circuitos de controles co-
mo em um sistema de controle de temperatura, para realização de testes onde o
sinal analógico é captado e em seguida os dados (digitais) são analisados no com-
putador, ou algum outro dispositivo.
Como exemplo pode-se citar a criação de um equipamento que controlasse a tem-
peratura de um ambiente, onde um Conversor A/D seria usado para obter o dado
da temperatura em bits, que seriam analisados por um sistema digital, além de que
o valor da temperatura (digital) poderia ser dado
em um display, e para saída (analógica) seria usado
um Conversor D/A, a saída poderia ser usada em
um controlador que ajustaria a temperatura.
T02 PÁGINA 20 T02 PÁGINA 13

Reguladores de tensão Displays


Definição Definição
O regulador de tensão mantém a tensão É um componente eletrônico que possui resistência elétrica ajustável. É um resis-
de saída constante (estabilizada) mesmo tor com três terminais, com um contato deslizante no centro. Se os terminais late-
havendo variações na tensão de entrada rais forem ligados à uma fonte de tensão, pode-se extrair do terminal central uma
ou na corrente de saída. tensão variando de 0V à tensão nominal da fonte ligada ao dispositivo.
Os 8 LEDs contidos no display podem estar dispostos nas configurações de âno-
do comum ou de cátodo comum. Nos displays de cátodo comum, o cátodo co-
Detalhes físicos mum deve ser ligado à massa e para que os leds acendam, é preciso aplicar uma
Os reguladores de tensão podem ser implementados com componentes discretos tensão positiva aos respectivos ânodos (1 lógico ). Os displays de ânodo comum
ou podem ser obtidos na forma de circuito integrado (C I ). Os reguladores de apresentam o ânodo comum ligado a +5V e acendem quando se aplica um nível
tensão na forma de C.Is são mais precisos e tornam o circuito mais compacto pois lógico zero aos cátodos respectivos.
ocupam menor espaço.

Funcionalidade
Sua função principal é manter a tensão produzida pelo gerador/alternador dentro
dos limites exigidos pela bateria e pelo sistema elétrico que esta alimentando.

Aplicação
Uma fonte ATX fornece tensões de 12V, 5V e 3.3V, sendo que a maioria dos
componentes num PC atual utilizam tensões mais baixas, como os 1.5 ou 0.8V das
placas AGP, 1.8V dos pentes de memória DDR2 assim por diante. Os reguladores
são os responsáveis por reduzir e estabilizar as tensões fornecidas pela fonte aos
níveis corretos para os diversos componentes.

Outros formatos
T02 PÁGINA 14 T02 PÁGINA 19

Displays CIs
O display de sete segmentos, é formado por sete leds, dispostos em forma de oito. Famílias Lógicas
Quando necessita-se acender o número “3”, liga-se os leds correspondentes ao
digito “3”, por exemplo, os segmentos a, b, c, d, g. TTL (lógica transistor-transistor): Utiliza transistores bipolares ,sua tensão de
alimentação é 5 vcc e seu encapsulamento é DIP.O prefixo 74 era usado em suas
primeiras series comerciais e o prefixo 54 indica series militares e indisponíveis
comercialmente porem a maioria das peças recentes de serie 74 são fabricadas em
tecnologia CMOS. São mais rápidos porem possuem maior consumo.

CMOS (Complementary metal-oxide –semicondutor ) : A família CMOS usa tran-


sistores unipolares MOSFET de canal N e canal P como elemento principal no
circuito sua tensão de alimentação pode estar na faixa de +3 a +18V.São mais
simples de menor custo e consumo.
T02 PÁGINA 18 T02 PÁGINA 15

CIs Capacitores
Definição Definição
Os CIs (circuitos integrados) também conheci- Dispositivo capaz de receber e armazenar
dos como “chip” são associações das partes uma determinada carga elétrica em seus
funcionais de resistores , transistores e capacito- terminais por certo intervalo de tempo.
res e outros dispositivos discretos feitas sobre
uma única peça de um material semicondutor,
geralmente o silício. Divididos em dois tipos Detalhes físicos
Monolítico; todos os componentes são produzidos sobre uma única peça de silí-
cio e Híbridos; vários chips são colocados em um mesmo invólucro e propria- Formado por duas placas condutoras
mente conectados entre si . separadas por um material dielétrico sendo cada placa ligada a terminais de cone-
xão com outros componentes do circuito elétrico.
Os capacitores possuem um sistema de identificação externo semelhante aos resis-
Detalhes físicos tores e no caso dos capacitores de maior potência pode vir escrito em seu próprio
encapsulamento. Capacitores polarizados possuem um sinal (+) ou (-) em seus
Possuem uma marca (north marc) em seu encapsulamento que pode ser um chan-
terminais ou uma barra vertical ou ponto marcando o terminal positivo .
fro, um pequeno ponto ou uma cava que serve pra identificar o primeiro pino e a
partir dele todos os pinos são encontrados em ordem crescente e em sentido anti- Funcionalidade
horário. Os encapsulamentos mais comuns são os Dip (Dual inline package) ou
PLCC (plastic leaded chip carrier ). Devido ao fato de que as placas do capacitor são separadas por um dielétrico ,que
não permite passagem de corrente, quando o mesmo é submetido a uma tensão
Funcionalidade cada placa acumula uma carga igual e oposta (a carga armazenada em um capacitor
é sempre zero) que se mantem por não haver contato entre as placas e é geralmen-
A função dos CIs varia com o seu tipo e esta associada com operações lógicas.
te medida em unidades de micro ou picofarad (mF ou pF). Quando é necessária a
Aplicação liberação dessa energia armazenada as placas são curto-circuitadas e a corrente flui
pelo circuito suprindo suas necessidades .
A depender do tipo pode ser usado como o processador de um computador ou
para fins de teste tendo como exemplo o FPGA visando sempre o baixo custo ,
eficiência e tamanho, porem nem sempre é possível incluir todos os dispositivos
necessários em um CI pois devido ao seu tamanho reduzido ele suporta correntes
mais limitadas logo ele é utilizado geralmente em associação com outros dispositi-
vos discretos .
T02 PÁGINA 16 T02 PÁGINA 17

Capacitores Transistores
Aplicação Definição
Pode funcionar como um regulador e estabilizador de corrente por exemplo um Dispositivo eletrônico de três terminais
determinado componente esta consumindo uma quantidade de energia relativa- cuja resistência é uma função do nível de
mente baixa e por motivos de funcionamento passa bruscamente a exigir uma corrente ou tensão aplicada em um dos
quantidade maior de energia e ate que essa necessidade seja suprida pela fonte o seus terminais .
capacitor é que fornece essa energia. É usado em flashes de maquinas fotográficas,
televisores e fontes de alimentação.
Detalhes físicos
Tipos (mais comuns)
Os materiais utilizados na fabricação do transistor são principalmente o Silício (Si),
Monolítico: Capacitores de pequeno porte , não polarizados e eficien-
o Germânio (Ge) e o Gálio (Ga).
tes para uso quando são exigidas baixas capacitâncias (0.1mF ou menos)
alem de seu baixo custo. Ex:Cerâmica : Seu dielétrico é composto de Funcionalidade
cerâmica, é colocado nos dois lados dele uma pequena camada de prata.
sua capacitância varia de acordo com a temperatura. Dependendo do fim a que se destina, pode funcionar como:
Amplificador de corrente;

Eletrolítico: Geralmente são mais eficientes acumulando mais carga em Amplificador de sinal;
um menor espaço do que outros capacitores. Aplicáveis para valores Chave eletrônica;
grandes (1.0mF ou maiores) sendo os mais baratos para grandes capaci-
tâncias. normalmente são polarizados. Ex: Eletrolítico de alumínio: for- Aplicação
mato semelhante ao de uma lata. É formado por uma folha de alumínio,seu dielé- Os maiores beneficiados com a invenção dos transistores foram os processadores,
trico é composto por óxido de alumínio e um eletrólito que é colocado num papel que hoje contam com bilhões de transistores ligados entre si, formando circuitos
poroso e outra folha de alumínio. capazes de fazer cálculos simples ou extremamente complexos, como a posição do
mouse na tela até o volume de partículas de fumaça em um jogo .

Tântalo: Usam eletrodos de tântalo e são sempre polarizados. São meno-


res e mais precisos que os eletrolíticos e de bom uso para grandes capaci-
tâncias , porem, mais caros.