Você está na página 1de 20

Questionário Bacteriologia:

1. Os estreptococos têm características que ajudam seu isolamento e sua identificação presuntiva.
Assinale a característica que não pertence ao gênero:
a. Anaeróbios facultativos;
b. Aeróbios estritos;
c. Oxidase negativa;
d. Catalase negativa.
e. Todas as anteriores
 b. Aeróbios estritos

Questão 1:
a) Anaeróbios facultativos. Os estreptococos são anaeróbios facultativos, na verdade, algumas cepas se multiplicam
melhor em anaerobiose;
b) Aeróbios estritos. Correta;
c) Oxidase negativa. Uma propriedade que junto com a coloração de Gram, os diferencia das espécies de
Neisserias,;
d) Catalase negativa. Todos os estreptococos têm catalase negativa quando exposto ao peróxido de hidrogênio, mas
reações falso-positivas poderão ocorrer se o teste for realizado com isolados diretamente do agar sangue;
e) Todas as anteriores: colocada para aumentar o número de alternativas para cinco

2. A taxonomia dos estreptococos experimentou grandes mudanças durante os últimos 20 anos,


principalmente devido a estudos moleculares. Uma das classificações universalmente utilizadas é
a de Lancefield, que demonstrou grupos específicos de antígenos de superfícies associados aos
estreptococos beta-hemolíticos. Quando utilizamos este recurso para identificação dos
estreptococos é incorreto afirmarmos:
a. S.pyogenes é também conhecido como estreptococos beta-hemolítico do grupo A e é o
único que possue o antígeno do Grupo A;
b. S.agalactiae é a única espécie de estreptococo que tem o antígeno do Grupo B;
c. Grupo de antígenos de Lancefield tem um papel importante na identificação dos
estreptococos beta hemolíticos, mas não deve ser utilizado como único recurso;
d. A detecção de antígenos dos Grupos Lancefield é uma das provas que diferenciam o
S.pyogenes do S.agalactiae.
e. Todas as anteriores
S.pyogenes é também conhecido como estreptococos beta-hemolítico do grupo A e é o único que
 a.
possue o antígeno do Grupo A
Questão 2:
a.. S.pyogenes é também conhecido como estreptococo beta-hemolítico do grupo A e é o único que possue o antígeno do
Grupo A. É incorreto afirmar que o antígeno do Grupo A é o específico do S.pyogenes, pois outros estreptococos beta-
hemolíticos, geneticamente relacionados podem apresentar, além de outros antígenos, também o antígeno do Grupo A. São
eles: S.dysgalatie subsp. equisimilis que pode ser de origem humana e animal e S.anginosus de origem humana. Para
diferenciá-los do S.pyogenes devem ser realizadas as provas Bacitracina e PYR, cujos resultados são positivo para
S.pyogenes e negativos para os outros dois;
b.. S.agalactiae (GBS) é a única espécie de estreptococo que tem o antígeno do Grupo B. Está afirmativa está correta,
apesar de recentemente ter sido demonstrado no S.porcinus reação com alguns kits comerciais deste antígeno, embora o
extrato destas cepas geralmente não reaja com o grupo de antisoros do CDC. O GBS pode ser identificado com a acurácia
com a beta hemólise e o teste de CAMP e a reação do hipurato;
c.. O grupo de antígenos de Lancefield tem um papel importante na identificação dos estreptococos beta hemolíticos, mas
não deve ser utilizado como único recurso. A afirmativa está correta, pois geralmente vários testes fenotípicos deverão ser
associados à detecção do antígeno e alguns estreptococos poderão até apresentarem reações com mais de um antígeno;
d.. A detecção de antígenos dos Grupos Lancefield é uma das provas que diferenciam o S.pyogenes do S.agalactiae. A
afirmativa está correta, mas provas como Bacitracina, PYR e o teste de CAMP, também poderão ser utilizados para
diferenciar estes dois estreptococos beta-hemolíticos.
e. Todas as anteriores: colocada para aumentar o número de alternativas para cinco

3. Diferentes animais, incluindo mamíferos e peixes, são suscetíveis às infecções pelos


estreptococos. Mas, eles frequentemente estão presentes na microbiota de mucosas e
ocasionalmente na microbiota transitória da pele. Portanto, é incorreto afirmar que:
a. Estreptococos que apresentam fatores de virulência não fazem parte da microbiota
permanente ou transitória do ser humano;
b. S.pneumoniae pode fazer parte da microbiota da mucosa de orofaringe;
c. Existem várias formas de transmissão da infecção pelo Streptococcus spp;
d. A colonização da mucosa vaginal pelo S.agalactiae tem grande valor epidemiológico;
e. Todas as anteriores
Estreptococos que apresentam fatores de virulência não fazem parte da microbiota permanente ou
 a.
transitória do ser humano;
Questão 3:
a) Estreptococos que apresentam fatores de virulência não fazem parte da microbiota permanente ou transitória do
ser humano. A resposta está errada, pois mesmo possuindo fatores de alta virulência algumas espécies de
streptococos podem estar presentes na mucosa do hospedeiro na ausência de processos infecciosos, como
colonizantes;
b) 2. O S.pneumoniae pode fazer parte da mucosa de orofaringe. A taxa de infecções invasivas pelo S.pneumonie é
alta, mas precisamos estar atentos ao fato de que este agente pode estar presente na microbiota da mucosa da
orofaringe. A taxa de portadores assintomáticos difere consideravelmente entre as crianças e os adultos. Enquanto,
em 5% dos adultos saudáveis podemos isolar o pneumococo, nas crianças esta taxa pode variar de 30 a 70%;
c) Existem várias formas de transmissão da infecção pelo Streptococcus sp. A transmissão pode ocorrer por
diferentes rotas. O S.pyogenes e S.pneumoniae são transmitidos através de gotículas e contato direto. A
transmissão da mãe portadora para a criança durante o trabalho de parto é a principal forma do S.agalactie na
aquisição da infecção em Neonatos;
d) A colonização da mucosa vaginal pelo S.agalactie tem grande valor epidemiológico, principalmente nas gestantes.
A infecção em neonatos pode se apresentar em duas diferentes formas:
 Início precoce, caracterizada por sepsis e pneumonia nos primeiros 7 dias de vida.
 Tardio, com meningite e sepsis entre 7º dia e 3 meses.
O agente é adquirido durante trabalho de parto natural a partir da mucosa vaginal da mãe colonizada. O laboratório
precisa estar preparado para ajudar o médico a diferenciar uma colonização de uma infecção.
e) Todas as anteriores: colocada para aumentar o número de alternativas para cinco

4. Assinale a alternativa correta.


a. Teste para a detecção de antígeno urinário do S.pneumoniae não pode ser realizado em
pacientes em uso de antibióticos;
b. A detecção de antígenos dos S.agalactie e S.pneumoniae no líquor tem alta sensibilidade;
c. A adição de sulfametoxazol / trimetoprim ao meio agar sangue aumenta a recuperação do
S.pyogenes da secreção de orofaringe;
d. A característica da colônia não ajuda a diferenciar o S.pneumoniae de outros
estreptococos do grupo viridans
e. Nenhuma das anteriores
A adição de sulfametoxazol / trimetoprim ao meio agar sangue aumenta a recuperação do
 c.
S.pyogenes da secreção de orofaringe
Questão 4:
a) O teste para a detecção de antígeno urinário do S.pneumoniae não pode ser realizado em pacientes em uso de
antibióticos. Errada. A detecção de antígeno não depende da viabilidade bacteriana, sendo útil no diagnóstico
etiológico de pneumonias, mesmo em pacientes em uso de antibioticoterapia;
b) A detecção de antígenos dos S.agalactie e S.pneumoniae no líquor tem alta sensibilidade. Errada. A sensibilidade
do teste é baixa. Não devemos deixar de valorizar o esfregaço corado pelo Gram como diagnóstico presuntivo e
rápido nestes casos;
c) A adição de sulfametoxazol / trimetoprim ao meio agar sangue aumenta a recuperação do S.pyogenes da
secreção de orofaringe. Correta. Sendo o S.pyogenes resistente à associação de sulfametoxazol / trimetoprim, sua
utilização no meio de cultura é um bom recurso para eliminar os contaminantes;
d) A característica da colônia não ajuda a diferenciar o S.pneumoniae de outros estreptocos do grupo viridans.
Errada. No grupo dos alfa hemolíticos a característica da colônia ajuda a diferenciação do S.pneumoniae de outros
estreptocos do grupo viridans. Devido à produção de polissacarídeos capsulares as colônias do S.pneumoniae são
brilhantes e úmidos, às vezes são mucóides, característica deste agente.
e) Nenhuma das anteriores colocada para aumentar o número de alternativas para cinco

5. Considerando o gênero Enterococcus, assinale a afirmativa incorreta:


a. Catalase negativa, cocos que podem se apresentar isolados, aos pares ou em pequenas
cadeias;
b. Quando realizamos a coloração de Gram a partir de isolados de meio sólidos os
enterococos podem apresentar-se como cocobacilos
c. Eles são alfa hemolítico e não hemolítico;
d. 1/3 dos E.faecalis podem se apresentarem beta hemolíticos em agar sangue de carneiro.
e. Todas as anteriores
 d. 1/3 dos E.faecalis podem se apresentarem beta hemolíticos em agar sangue de carneiro.

Questão 5:
a) Catalase negativa, cocos que podem se apresentar isolados, aos pares ou em pequenas cadeias. A afirmativa está
correta, apesar de existirem relatos de catalase positiva em E.haemoperoxidus e que em colônias de E.faecalis
mantidas em agar sangue por semanas a prova poderá ser positiva;
b) Quando realizamos a coloração de Gram a partir de isolados de meios sólidos os enterococos podem apresentar-
se como cocobacilos;
c) Eles são alfa hemolítico e não hemolítico;
d) 1/3 dos E.faecalis podem se apresentarem ß hemolíticos em agar sangue de carneiro. A alternativa está errada
porque, 1/3 dos E.faecalis podem se apresentarem ß hemolíticos em agar sangue de coelho, de cavalo ou
humano, mas não em sangue de carneiro. Alguns E.durans também podem ser ß hemolíticos dependendo do
sangue utilizado no meio.
e) Todas as anteriores : colocada para aumentar o número de alternativas para cinco

 d. 1/3 dos E.faecalis podem se apresentarem beta hemolíticos em agar sangue de carneiro.

6. O laboratório de microbiologia clínico tem um papel fundamental no controle da disseminação do


VRE, portanto deverá estar preparado para exercer seu papel com qualidade e segurança. Em
relação à vigilância do VRE é incorreto afirmar:
a. Triagem do Portador fecal é feita BHIA com 6 micrograma/mL de vancomicina;
b. Culturas de vigilância para a detecção de pacientes colonizados deverão ser feitas em
áreas de risco, pacientes em internação prolongada e paciente novo em UTI vindo de
outros hospitais;
c. É fundamental aguardar a identificação e confirmação do VRE antes da comunicação à
CCIH;
d. Existe diferença na prevalência do VRE entre os grandes hospitais.
e. Todas as anteriores
 c. É fundamental aguardar a identificação e confirmação do VRE antes da comunicação à CCIH;

Questão 6:
a) Triagem do Portador fecal é feita BHIA com 6 micrograma/mL de vancomicina. Correto, inclusive amostra de fezes
ou swab retal são as de escolha para culturas de vigilância do VRE;
b) Culturas de vigilância para a detecção de pacientes colonizados deverão ser feitas em áreas de risco, pacientes
em internação prolongada e paciente novo em UTI vindo de outros hospitais;
c) .É fundamental aguardar a identificação e confirmação do VRE antes da comunicação à CCIH. Errada. O
laboratório deve informar imediatamente quando há suspeita do enterococos ser um VRE para que medidas de
controle sejam instaladas, até o resultado confirmatório;
d) Existe diferença na prevalência do VRE entre os grandes hospitais. Correto. Cada hospital deverá conhecer a sua
prevalência.
e) Todas as anteriores : colocada para aumentar o número de alternativas para cinco

7. Os estafilococos são bactérias de grande relevância clínica e epidemiológica, tanto nas infecções
hospitalares quanto nas comunitárias. Em relação aos MRSA é incorreto afirmar.
a. S.aureus pode sobreviver por meses em amostras clínicas, mesmo quando já estão secas;
b. indivíduo pode ser colonizado por S.aureus, principalmente na pele e mucosa vaginal e
ocasionalmente na mucosa das narinas;
c. A resistência à Meticilina é devido à presença da PBP 2a, mediada pelo gene mec A e
confere aos estafilococos resistência aos β lactâmicos;
d. A resistência à Meticilina é realizada através do teste de sensibilidade aos antimicrobianos,
detecção de PBP 2a ou detecção do gene Meca
e. Todas as anteriores
indivíduo pode ser colonizado por S.aureus, principalmente na pele e mucosa vaginal e
 b
ocasionalmente na mucosa das narinas;
Questão 7:
a) O S.aureus pode sobreviver por meses em amostras clínicas, mesmo quando já estão secas. Correto. Este é um
fator que dificulta o trabalho da CCIH;
b) O indivíduo pode ser colonizado por S.aureus, principalmente na pele e mucosa vaginal e ocasionalmente na
mucosa das narinas. Errado. A colonização se estabelece principalmente nas narinas, sendo o local preconizado
para a coleta de amostras para cultura de vigilância;
c) A resistência à Meticilina é devido à presença da PBP 2a, mediada pelo gene mec A e confere aos estafilococos
resistência aos ß lactâmicos;
d) A resistência à Meticilina é realizada através do teste de sensibilidade aos antimicrobianos, detecção de PBP 2a ou
detecção do gene mecA..
e) Todas as anteriores : colocada para aumentar o número de alternativas para cinco
8. A forma mais simples para a identificação do S.aureus é a prova da coagulase que pode ser
realizada em tubo ou em lâmina. Considerando o teste, assinale a alternativa correta:
a. A maioria das cepas de S.aureus possue o fator aglutinante na superfície da membrana
celular, que reage com o fibrinogênio do soro;
b. Teste de coagulase em tubo detecta apenas a presença do “clumping factor”;
c. Teste em lâmina é apenas presuntivo, se for negativo deverá ser realizada confirmação
com o teste em tubo;
d. Mesmo sendo um S.aureus, a coagulação do plasma não ocorre se inativado pelo EDTA,
obtendo-se um resultado falso negativo;
e. Nenhuma das anteriores
Teste em lâmina é apenas presuntivo, se for negativo deverá ser realizada confirmação com o teste
 c.
em tubo;
Questão 8:
a) A maioria das cepas de S.aureus, possue o fator aglutinante na superfície da membrana celular, que reage com o
fibrinogênio do soro. Errada, porque o fator aglutinante ou “clumping factor” fica na parede celular, que reage com
o fibrinogênio presente no plasma;
b) O teste de coagulase em tubo detecta apenas a presença do “clumping factor”. Errada, pois o teste em tubo
detecta a presença da coagulase livre e também a ligada;
c) O teste em lâmina é apenas presuntivo, se for negativo deverá ser realizada confirmação com o teste em tubo.
Correta;
d) Mesmo sendo um S.aureus, a coagulação do plasma não ocorre se inativado pelo EDTA, obtendo-se um resultado
falso negativo. Errada, pois é a heparina que inibe a formação do coágulo.
e) Nenhuma das anteriores colocada para aumentar o número de alternativas para cinco

9. Assinale a afirmativa incorreta:


a. É bem documentada a importância clínica do Staphylococcus saprophyticus como
patógeno urinário, principalmente em mulheres jovens;
b. S.saprophyticus é resistente à novabiocina, prova que o diferencia de outros estafilococos
coagulase negativos de importância clínica;
c. S.saprophyticus podem ser responsáveis por bacteremias nas infecções urinárias,
possibilitando assim seu isolamento em hemoculturas;
d. As provas de DNAse, PYR e Uréia são utilizadas para diferenciar o S.saprophyticus do
S.epidermidis;
e. Nenhuma das anteriores
As provas de DNAse, PYR e Uréia são utilizadas para diferenciar o S.saprophyticus do
 d.
S.epidermidis;
Questão 9:
a) É bem documentada a importância clínica do Staphylococcus saprophyticus como patógeno urinário,
principalmente em mulheres jovens;
b) O S.saprophyticus é resistente à novabiocina, prova que o diferencia de outros estafilococos coagulase negativos
de importância clínica;
c) O S.saprophyticus podem ser responsáveis por bacteremias nas infecções urinárias, possibilitando assim seu
isolamento em hemoculturas. Correta, pois a bacteremia pode ser uma complicação da infecção urinária por este
agente;
d) As provas de DNAse, PYR e Uréia são utilizadas para diferenciar o S.saprophyticus do S.epidermidis. Errada, pois
os dois agentes são similares frente à estas provas, isto é, os dois têm resultados das provas: negativa, negativa e
positiva, respectivamente
e) Nenhuma das anteriores colocada para aumentar o número de alternativas para cinco

Como o questionário é educativo, a abordagem foi feita no sentido de chamar a atenção para problemas diários, portanto de
ordem prática, de um Laboratório de Microbiologia. Como o objetivo era estimular a busca de atualizações ou sedimentação
de conhecimento, as alternativas corretas não foram colocadas de forma muito evidente, a fim de estimulá-los à pesquisa.
Mas, diante dos dados estatísticos apresentados chegamos à conclusão que muitos responderam mesmo sem estarem
seguros da alternativa, apesar do questionário ter sido baseado nas referências e até mesmo em textos básico

Texto Introdutório:
O gênero Streptococcus, assim como outras bactérias, tem experimentado mudanças na taxonomia nos últimos 20 anos.
Estas mudanças são resultados da aplicação de técnicas de biologia moleculares como experimentos de reassociação do
DNA-DNA, sequenciamento do gene 16S rRNA e outras técnicas que ajudam delinear diferenças no gênero e nas espécies
bacterianas. Até 1984 eram listados 7 gêneros de cocos gram-positivos aeróbios facultativos (CGP): Aerococcus,
Leuconostoc, Micrococcus, Pediococcus, Staphylococcus, Streptococcus e Stomatococcus. Até o presente são 17 generos
de CGP. Em 1986, o gênero Streptococcus foi dividido em 3 gêneros: Enterococcus, Lactococcus e Streptococcus. No
gênero Streptococcus foram incluídos 6 novos gêneros Abiotrophia, Granulicatella, Dolosicoccus, Facklamia, Globicatella e
Ignavigranum. Para facilitar a atividade dos microbiologistas clínicos os estreptococos são agrupados pelas características
fenotípicas, em hemolíticos e não hemolíticos, apesar destes grupos fenotípicos não necessariamente correlacionarem aos
grupos apresentados na árvore filogenética.
O S.pneumoniae é o patógeno respiratório mais prevalente nas pneumonias comunitária, também a maior causa de
meningites, tornando-se responsável pela alta morbidade e mortalidade em crianças e adultos. Ele pode colonizar a mucosa
do trato respiratório, principalmente nas crianças. É de grande relevância o fato de o pneumococo apresentar resistência
intermediária e alta à penicilina, sendo que no Brasil chega a 27,6%.
O primeiro enterococo resistente à vancomicina (VRE) foi reportado no final dos anos 80, aproximadamente 30 anos após a
introdução da Vancomicina, e rapidamente se tornou um importante patógeno responsável por infecções hospitalares.
Sendo cada vez mais prevalentes em várias regiões do mundo, chegando a ser responsável por > 20% das infecções por
este agente. Há muitos genes envolvidos na aquisição desta resistência. Três fenótipos de resistência à vancomicina estão
bem estabelecidos, são os VanA, VanB e VanC, mas outros são descritos VanD, VanE, e VanG. Alguns enterococos, como
E.gallinarum e E.casseliflavus, que têm resistência intermediária à vancomicina conhecida como fenótipo VanC, raramente
causam infecções humanas, por este motivo, o isolamento destes VREs não tem a mesma importância epidemiológica que
a detecção desta resistência nos E.faecalis e E.faecium. O Enterococcus spp. tem merecido maior atenção porque, além da
resistência à vancomicina tem apresentado resistência a múltiplos antimicrobianos, o que em grande parte explica sua
prevalência nas infecções hospitalares. A mais comum entre estas infecções é a do trato urinário, seguida pela infecção
cirúrgica e bacteremias.

O gênero Staphylococcus tem grande relevância clínica e epidemiológica principalmente nas infecções hospitalares. O
papel do S.aureus como patógeno nestas infecções está muito bem documentada, assim como sua responsabilidade pela
alta morbidade e mortalidade. Em 1975, o S.aureus Meticilina Resistente (MRSA) surgiu como um grande problema clínico e
epidemiológico nos hospitais. Sua incidência está aumentando significativamente, sendo que em 1995 foi responsável por
22% das infecções e atualmente chegado a 63%, dependendo o hospital. Hoje o problema relacionado ao MRSA se
apresenta mais complexo, pois ele não está restrito aos hospitais e são descritos como responsáveis por infecções graves
na comunidade, são os CA-MRSA.

10. Toda informação diagnóstica do Laboratório de Microbiologia Clínica é influenciada pela qualidade
da amostra recebida. Conseqüentemente, a coleta e o transporte mal feitos proporcionam
dificuldades no isolamento do microrganismo responsável pelo processo infeccioso e acarretam
maiores índices de recuperação de contaminantes, induzindo ao tratamento inadequado.
Considerando a importância da fase pré-analítica do exame microbiológico é correto afirmar:
a. Os meios de Stuart e de Amies são meios de transportes adequados para bactérias
aeróbias e anaeróbias estritas, respectivamente;
b. Os meios de transportes são meios que permitem proliferação bacteriana na amostra
clínica;
c. Amostras de líquor devem ser coletadas em tubo estéril e encaminhadas ao laboratório à
temperatura ambiente o mais rápido possível;
d. Conhecimento da história natural e fisiopatologia dos processos infecciosos não é
importante na determinação do período ótimo para a coleta da amostra clínica
encaminhada para o exame microbiológico;
e. Nenhuma das anteriores:
Amostras de líquor devem ser coletadas em tubo estéril e encaminhadas ao laboratório à
 c.
temperatura ambiente o mais rápido possível;

11. A microscopia é o método mais freqüentemente utilizado para a detecção de microrganismos


diretamente de amostras clínicas ou isolados em cultura e auxilia na sua caracterização
morfotintorial. Há uma variedade de técnicas de colorações para a avaliação microscópica do
microrganismo. Assinale a alternativa correta:
a. A seqüência da coloração de Gram é: cristal de violeta, lavar com água, lugol, lavar com
água, descoloração com solução de álcool-ácido, lavar com água, fucsina diluída 1/10,
lavar com água e secar;
b. A seqüência da coloração de Ziehl-Neelsen é: preparar o esfregaço, secar, cobrir o
esfregaço com lugol, aquecer a lâmina até a emissão de vapores, lavar com água, cobrir o
esfregaço com solução de álcool-ácido, lavar com água, cobrir com azul de metileno, lavar
com água e deixar secar;
c. A utilização do esfregaço corado pelo método de Ziehl-Neelsen direta de amostra clínica
tem sensibilidade maior que a cultura na detecção de micobactéria;
d. Ao preparar um esfregaço para a coloração de Gram de uma amostra de urina de jato
médio deve-se homogeneizar o material e preparar a lâmina, quando a amostra de urina
for de 1º jato deve ser feita a centrifugação a 1.500 rpm/5 min do material, desprezar o
sobrenadante e preparar a lâmina do sedimento.
e. Nenhuma das anteriores:
Ao preparar um esfregaço para a coloração de Gram de uma amostra de urina de jato médio deve-
se homogeneizar o material e preparar a lâmina, quando a amostra de urina for de 1º jato deve ser
 d.
feita a centrifugação a 1.500 rpm/5 min do material, desprezar o sobrenadante e preparar a lâmina
do sedimento.

12. A pesquisa para a detecção de micobactéria na urina é um exame útil no diagnóstico da


tuberculose renal, para isto recomenda-se:
a. Amostra de urina colhida do 1º jato, pela manhã;
b. Todo o volume da primeira urina da manhã, em dias consecutivos ou alternados;
c. Colhida do jato médio, a qualquer hora do dia;
d. Amostra de urina de 24 horas.
e. Nenhuma das anteriores
 b. Todo o volume da primeira urina da manhã, em dias consecutivos ou alternados

13. A tuberculose é um grande problema de saúde pública. Cerca de um 1/3 da população mundial é
infectada pela M.tuberculosis, há 8,8 milhões de casos novos por ano e 1,5 milhão de mortes
relacionadas com a doença por ano. O Brasil ocupa o 15º lugar entre o 22 países responsáveis
por 80% do total de caso de tuberculose no mundo. É incorreto afirmar?
a. A centrifugação de amostra clínica para a recuperação de micobactéria a 2000g durante
15 min tem uma sensibilidade muito boa;
b. As características morfotintoriais da M.tuberculosis são fundamentais no diagnóstico
laboratorial da tuberculose;
c. A sensibilidade da baciloscopia no diagnóstico da tuberculose no paciente com HIV, na
grande maioria dos casos, é baixa;
d. É preconizado que a liberação do resultado da baciloscopia seja feito dentro de 4 horas
após o recebimento da amostra de serviços de urgência/ emergência e em até 24 horas de
serviços ambulatoriais;
e. Todas as anteriores
A centrifugação de amostra clínica para a recuperação de micobactéria a 2000g durante 15 min tem
 a
uma sensibilidade muito boa;

14. A baciloscopia é de grande utilidade no diagnóstico da tuberculose, pois seu valor preditivo
positivo é alto, principalmente levando-se em consideração a população em geral. A coloração de
Ziehl-Neelsen é uma das mais utilizada para a realização deste exame. Em relação à baciloscopia
é correto afirmar:
a. Esta coloração é específica para a detecção de micobactérias;
b. Como causa de erros na leitura das lâminas podemos citar: contaminação da água por
micobactérias saprófitas, limpeza inadequada da objetiva após leitura de um esfregaço
positivo, manuseio inadequado da amostra;
c. A sensibilidade do método é alta, chegando a 95%;
d. A Nocardia spp, o Rodococcus spp e o Leuconostoc spp. também são bacilos álcool
resistentes;
e. Todas as Anteriores
Como causa de erros na leitura das lâminas podemos citar: contaminação da água por
 b micobactérias saprófitas, limpeza inadequada da objetiva após leitura de um esfregaço positivo,
manuseio inadequado da amostra;

15. Os pseudomonas pertencentes ao grupo fluorescente são P.aeruginosa, P. fluorescens e P.putida.


Qual a prova que diferencia a P.aeruginosa das demais?
a. Oxidase;
b. Motilidade;
c. Crescimento a 42ºC;
d. Pioverdina.
e. Fermerntação de glicose
 c Crescimento a 42ºC;

16. Hoje, o isolamento de bactérias não fermentadoras são consideradas de grande relevância
clínica, sendo as P.aeruginosa, Acinetobacter spp., S.maltophilia e Burkholderia do complexo
cepacia as mais prevalentes, principalmente em pacientes imunocomprometidos. Em relação a
estas bactérias é correto afirmar:
a. Laboratório de microbiologia não tem recurso para detecção de fenotípica de cepa de
P.aeruginosa produtora de metalo-beta-lactamase
b. Único método padronizado para a avaliação da suscetibilidade aos antimicrobianos da
S.maltophilia e da Burkholderia do complexo cepacia é a detecção da concentração
inibitória mínima;
c. A produção de metalo-beta-lactamase pela P.aeruginosa lhe confere resistência às
cefalosporinas e carbapenens;
d. Quando há detecção de uma S.maltophilia resistente à sulfametoxazol/trimetoprim não há
necessidade de confirmação do resultado;
e. Nenhuma das anteriores
A produção de metalo-beta-lactamase pela P.aeruginosa lhe confere resistência
 c
às cefalosporinas e carbapenens;

17. Assinale a alternativa incorreta:


a. A ESBL é uma enzima mediada por genes plasmidiais, não induzíveis, capazes de
hidrolizar a cadeia oximino-beta-lactâmica presente na estrutura química da droga;
b. Há padronização pelo CLSI para a detecção fenotípica de ESBL em cepas de E.coli,
K.pneumoniae, K.oxytoca, e em Proteus mirabilis isolado de sítios estéries;
c. CLSI de 2007 apresenta padronizações para triagem de detecção de cepas produtoras de
ESBL com cefopodoxima, ceftazidima, ceftriaxona, azteronam e cefotaxima e a
interpretação dos halos de todos os substratos é a mesma para E.coli, K.pneumoniae,
K.oxytoca e Proteus mirabilis;
d. A ampicilina e a amoxacilina são fortes indutores de AmpC para a maioria da espécies,
mas são fracos indutores para Citrobacter freundii e Providencia spp.;
e. Todas as anteriores
CLSI de 2007 apresenta padronizações para triagem de detecção de cepas

produtoras de ESBL com cefopodoxima, ceftazidima, ceftriaxona, azteronam e
c
cefotaxima e a interpretação dos halos de todos os substratos é a mesma para
E.coli, K.pneumoniae, K.oxytoca e Proteus mirabilis

18. O profissional de um laboratório de microbiologia tem que saber da existência de pistas para
identificação presuntiva de um isolado de uma enterobactéria. Não podemos esquecer que estes
dados não significam uma identificação final, mas ajudam a tornar o resultado da identificação
mais rápido, menos trabalhoso, e quase sempre menos oneroso. Assinale a afirmativa que
devemos considerar como um diagnóstico presuntivo de um isolado de uma enterobactéria.
a. Geralmente as enterobactérias recuperadas em ágar sangue de carneiro produzem
colônias puntiformes e às vezes mucóides;
b. A hemólise em ágar sangue sempre ajuda a identificação das enterobactérias;
c. Colônias que em ágar MacConkey aparecem rosa escuro e com brilho verde metálico em
ágar Eosin Methilene Blue (EMB) indicam que o isolado é capaz de formar ácido de
lactose;
d. Células cuja coloração de Gram mostre bacilos gram negativo, cocobacilos ou cocos
isolados gram positivos.
e. Células cuja coloração de Gram mostre bacilos gram negativo, cocobacilos ou cocos
agrupados gram positivos
Colônias que em ágar MacConkey aparecem rosa escuro e com brilho verde metálico em ágar
 c
Eosin Methilene Blue (EMB) indicam que o isolado é capaz de formar ácido de lactose;
Questão 18:
A afirmativa que deve ser considerada como um diagnóstico presuntivo de um isolado de uma enterobactéria é a opção
número c, pois a fermentação da lactose diferencia algumas espécies de enterobactérias.
Opção a - errada, pois as enterobactérias quando isoladas em ágar sangue de carneiros geralmente se apresentam
grandes, secas ou mucóides. Inclusive as mucóides sugerem bactérias produtoras de cápsulas, por ex. a Klebsiella
pneumoniae.
Opção b - errada. A hemólise é variável e vaga.
Opção d- errada.

19. Com poucas exceções, todas as enterobactérias demonstram as características que são
utilizadas para otimizar sua identificação. Assinale a alternativa correta:

a. Fermenta a glicose, citocromo oxidase positiva e reduz o nitrato a nitrito;


b. Fermenta a glicose, citocromo oxidase negativa e não reduz o nitrato a nitrito;
c. Fermenta a glicose, citocromo oxidase positiva e não reduz o nitrato a nitrito;
d. Fermenta a glicose, citocromo oxidase negativa e reduz o nitrato a nitrito;
e. Fermenta a lactose, citocromo oxidase negativa e não reduz o nitrato a nitrito.
 d Fermenta a glicose, citocromo oxidase negativa e reduz o nitrato a nitrito.

Questão 19: A alternativa correta é a opção número d.

20. As bactérias da família Enterobacteriacea são freqüentemente isoladas em espécimes clínicos e


algumas são consideradas enteropatogênicas por causarem preferencialmente infecções
gastrointestinais. São consideradas enteropatógenos as bactérias relacionadas na alternativa:
a. Salmonella spp., Salmonella typhi, Klebsiella pneumoniae, E.coli;
b. Salmonella typhi, outras Salmonellas, Shigella spp, Enterobacter spp;
c. E.coli, Salmonella typhi, outras Salmonellas, Shigella spp;
d. Salmonella typhi, outras Salmonellas, Shigella spp., Yersinia enterocolitica e vários
sorotipos de Escherichia coli.
e. Nenhuma das anteriores

Salmonella typhi, outras Salmonellas, Shigella spp., Yersinia enterocolitica e vários sorotipos de
 d
Escherichia coli..

Questão 20: São consideradas enteropatógenos as bactérias relacionadas na alternativa d; Chamando a atenção para
E.coli em crianças < de 2 anos.
Opção a - errada. A Klebsiella pneumoniae pode fazer parte da microbiota intestinal, e vários sorotipos de E.coli são
considerados enteropatógenos, mas não todos.
Opção b- errada. O gênero Enterobacter não é considerado um enteropatógeno.
Opção c- errada. A E.coli faz parte da microbiota intestinal do ser humano, apesar de vários sorotipos serem considerados
enteropatógenos principalmente em crianças < de 2 anos.

21. A identificação dos bacilos gram negativos não fermentadores é um grande desafio para o
laboratório de microbiologia, pois acrescido à dificuldade na identificação, há um aumento na
prevalência destes agentes em infecções hospitalares e resistência aos antimicrobianos. Em
relação à Pseudomonas aeruginosa é correto afirmar:
a. Pacientes submetidos à ventilação mecânica ou neutropênicos são de alto risco para
aquisição de pneumonias pela P.aeruginosa;
b. A recuperação de P.aeruginosa do trato respiratório de um paciente com ventilação
mecânica é indicativo de uma infecção verdadeira por este agente;
c. A cultura de fezes em pacientes com câncer neutropênicos com objetivo de isolamento de
P.aeruginosa, não tem valor relevante;
d. A P.aeruginosa é sempre oxidase positiva;
e. A P.aeruginosa é sempre oxidase negativa
Pacientes submetidos à ventilação mecânica ou neutropênicos são de alto risco para aquisição de
 a
pneumonias pela P.aeruginosa;
Questão 21:
Em relação à Pseudomonas aeruginosa, é correto afirmar que pacientes submetidos à ventilação mecânica ou
neutropênicos são de alto risco para a sua aquisição, portanto a opção correta é a de alternativa “a”.
Opção b - errada. Esta afirmativa não é verdadeira, por isto, o isolado de P.aeruginosa em amostras respiratórias de
pacientes em ventilação mecânica precisa ser cuidadosamente avaliado.
Opção c errada, pois estes pacientes geralmente são submetidos à terapêutica com vários antibióticos, e podem sofrer
alterações na microbiota intestinal, permitindo sua colonização por P.aeruginosa, tornando-o um reservatório. Estes
pacientes têm o risco aumentado para desenvolver uma septicemia por este agente.
Opção d- errada. Noventa e nove por cento dos isolados de P.aeruginosa são oxidase positiva, mas tem relatos de variantes
que não apresentam atividade da oxidase. O propósito desta alternativa, que está errada devido à palavra sempre, foi
chamar a atenção para a possibilidade de ocorrer o isolamento de uma P.aeruginosa oxidase negativa, apesar de em 99%
dos isolados a prova da oxidase ser positiva. A prova é rotineiramente utilizada no laboratório de microbiologia, mas não
podemos esquecer as exceções, como este caso. O objetivo principal foi enfatizar a necessidade de uma avaliação
cuidadosa da morfologia da colônia, da coloração e às vezes do odor da cultura para que estes isolados não sejam
erroneamente identificados. Outro exemplo atípico é a produção de Sulfito de Hidrogênio (H2S) pela E.coli, que cujo teste é
positivo em 1% dos casos. São isolados raros, mas possíveis de surgirem na rotina microbiológica.
Opção e- errada. Mesmo motivo da opção anterior.

22. A área física do Laboratório de Microbiologia deve sempre ser planejada de acordo com os
microrganismos que serão manipulados no local. Portanto, é correto afirmar que:
a. São estabelecidos 7 níveis de segurança recomendados para agentes infecciosos;
b. O nível de segurança 3 envolve atividades que apresentam risco moderado para os
colaboradores do laboratório e para o meio ambiente;
c. O nível 3 estabelece que além do uso de EPI, todas amostras clínicas ou agentes
infecciosos sejam processados em cabine de segurança biológica;
d. O nível de segurança 4 exige o cumprimento das boas práticas e um controle moderado
da circulação de pessoas no setor;
e. Nenhuma das anteriores
O nível 3 estabelece que além do uso de EPI, todas amostras clínicas ou agentes infecciosos
 c
sejam processados em cabine de segurança biológica;

Questão 22: A opção correta é a nº c.


 Opção a: ERRADA. Pois existem 4 níveis de segurança levando em consideração o agente infeccioso que será
manipulado.
 Opção b: ERRADA. Esta descrição corresponde ao nível de segurança 2. O nível 3 é para manipulação de
amostras possíveis de terem microrganismos que apresentam risco infeccioso elevado e potencialmente letais.
Ex. Mycobacterium tuberculosis.
 Opção c: CORRETA. Além disto, o acesso ao laboratório deve ser controlado.
 Opção d: ERRADA. O acesso ao laboratório deve ser rigorosamente controlado, tanto na entrada como na
saída, além de ser restrito a pessoas autorizadas.
23. Assinale a alternativa correta:
a. A RDC 306 publicada no Diário Oficial da União no dia 07 de dezembro de 2004 dispõe
sobre o Regulamento Técnico para funcionamento de Laboratórios Clínicos;
b. A RDC 302 publicada no Diário Oficial da União no dia 14 de outubro de 2005 dispõe
sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde;
c. A Portaria GC-2, publicada no dia 03 de março de 2006, é de âmbito nacional e
regulamenta as Diretrizes para retaguarda laboratorial em tuberculose;
d. Resíduos gerados pelas culturas e estoques de microrganismos são classificados na RDC
306 no Grupo A1, e não podem deixar a unidade geradora sem tratamento prévio.
e. Todas as anteriores
Resíduos gerados pelas culturas e estoques de microrganismos são classificados na RDC 306 no
 d
Grupo A1, e não podem deixar a unidade geradora sem tratamento prévio
Questão 23: A opção correta é a nº d.
Opção a: ERRADA. Esta Resolução da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária
(RDC 306 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2004) dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento
de resíduos de serviços de saúde.
Opção b: ERRADA. Esta resolução dispõe sobre Regulamento Técnico para funcionamento de
Laboratórios Clínicos.
Opção c: ERRADA. Sua publicação é do Estado de São Paulo. É importante saber que existem
regulações de âmbito Nacional, Estadual e Municipal e devemos estar atentos a todas elas.
Opção d CORRETA. Está descrito no sub-item 5.1 deste Regulamento.

24. O gestor de um Laboratório de Microbiologia é obrigado a conhecer as leis e normas específicas e


estas devem ser rigorosamente seguidas para que o laboratório possa estar em conformidade
com as exigências legais estabelecidas pelos órgãos fiscalizadores competentes. Assinale a
alternativa incorreta.
a. A Portaria GC-2, publicada no dia 03 de março de 2006, publicada pelo DOU estabelece
que o tempo de liberação de uma baciloscopia de pacientes atendidos em emergência é
de 24 horas;
b. A IATA estabelece as codificações para cada material e também o tipo de embalagem
específica, assim como seu modo de manuseio;
c. A norma da IATA determina que as substâncias infecciosas tanto para humanos como para
animais devem ser rotuladas com o Nº 2814;
d. Em março de 2007 a Organização Panamericana da Saúde publicou uma síntese das
regulamentações para o transporte de substâncias infecciosas.
e. A IATA é um dos órgãos que regulamenta o transporte de materiais entre os diferentes
países
A Portaria GC-2, publicada no dia 03 de março de 2006, publicada pelo DOU estabelece que o
 a
tempo de liberação de uma baciloscopia de pacientes atendidos em emergência é de 24 horas;
Questão 24 : A opção incorreta é a nº a.
Opção a: ERRADA. Ela estabelece que o tempo para liberação para paciente em urgência/emergência é de 4
horas, e de 24 horas para os atendidos em serviços ambulatoriais.
Opção b CORRETA. IATA ou ATAI é a International Air Transport Association que dispõe sobre regulações
sobre o transporte de materiais perigosos.
Opções c e d: CORRETAS.

25. A manutenção da limpeza de toda área física do laboratório é fundamental na rotina do


Laboratório de Microbiologia. Assinale a alternativa cuja definição está correta

a. Esterilização é o processo que elimina qualquer tipo de microrganismo, mas não


elimina esporos;
b. Descontaminação é o procedimento que reduz ou elimina a contaminação microbiana
de maneira a assegurar menor risco de transmissão de infecção;
c. Desinfecção é o processo que visa destruir ou inativar irreversivelmente vírus,
protozoários, bactérias, fungos e esporos;
d. Anti-séptico é um germicida usado em superfície inanimada.
e. Todas as anteriores
Descontaminação é o procedimento que reduz ou elimina a contaminação microbiana de maneira a
 b
assegurar menor risco de transmissão de infecção;
Questão 25: A opção correta é a nº b.
Opção a: ERRADA. A esterilização elimina qualquer vírus, protozoários, bactérias, micobactérias, fungos e
inclusive esporos.
Opção b: CORRETA.
Opção c: ERRADA. A desinfecção destrói ou inativa vírus, protozoários, bactérias, micobactérias e/ou fungos,
mas não necessariamente esporos.
Opção d: ERRADA. O germicida é a substância que mata microrganismos patogênicos ou não-patogênicos
usada em superfícies inanimadas, e o anti-séptico é um germicida usado na pele ou mucosa.

26. A cabine de segurança biológica é um equipamento de proteção coletiva e existem 3 classes de


cabine. Assinale a alternativa correta:
a. Classe I - é uma cabine cujo fluxo de ar ocorre de fora para dentro, sem recirculação do ar.
Ela oferece proteção ao profissional e ao ambiente, mas não ao produto;
b. Classe II - oferece proteção ao profissional, ao ambiente e ao produto, mas não há
recirculação de ar;
c. Classe III - é uma cabine hermeticamente fechada, mas não é impermeável aos gases;
d. Classe III - é a mais utilizada nos Laboratórios de Microbiologia.
e. nenhuma das anteriores:
Classe I - é uma cabine cujo fluxo de ar ocorre de fora para dentro, sem recirculação do ar. Ela
 a
oferece proteção ao profissional e ao ambiente, mas não ao produto;
Questão 26 : A opção correta é a nº a.
Opção a CORRETA.
Opção b: ERRADA. Ela oferece proteção ao profissional, ao ambiente e ao produto, mas há recirculação de ar.
Existem diversos tipos de cabine na classe II, os mais comuns são os denominados tipos A, B1, B2 e B3.
Opção c ERRADA. Ela é hermeticamente fechada, mas é impermeável aos gases. Esta é a que oferece o mais alto
grau de proteção ao operador e ambiente, pois o ar passa por um filtro HEPA e sai por um exaustor com 2 filtros
HEPA.
Opção d: ERRADA. O uso deve ser correto, portanto relacionado com a atividade. Esta cabine é designada para
laboratório que trabalha com agentes microbiológicos classificados no nível de segurança 4.

27. Assinale a alternativa incorreta:


a. Ao receber a amostra biológica, o laboratório deve verificar se a amostra está devidamente
identificada;
b. A coleta com 'swab' deve ser evitada quando outra metodologia de coleta puder ser
utilizada;
c. O laboratório deve recomendar o transporte de ponta de cateter em meio de transporte ou
em meio de cultura líquido;
d. O encaminhamento de aspirado gástrico para o exame microbiológico deve ser
desencorajado, ele deve ser apenas para micobactérias.
e. O transporte de ponta de cateter deve ser realizado em tubo seco e estéril;
O laboratório deve recomendar o transporte de ponta de cateter em meio de transporte ou em meio
 c
de cultura líquido;
Questão 27: A opção incorreta é a nº c.
Opção a: CORRETA. Toda amostra biológica deverá sempre estar devidamente identificada.
Opções b e d: CORRETAS.
Opção c: ERRADA. A ponta de cateter deve ser transportada em tubo cônico estéril seco, e deve ser
semeado dentro de 1 hora.

28. Assinale a afirmativa correta:


a. A coloração de Gram é utilizada para classificar as bactérias com base na morfologia, mas
não pode ser utilizada para um diagnóstico presuntivo;
b. A coloração de hematoxilina é utilizada apenas para detecção de fungos em amostras
clínicas
c. A microscopia de campo escuro é utilizada apenas na detecção de espiroquetas em
diferentes amostras clínicas;
d. A coloração de Ziel-Neelsen não é específica para micobactérias.
e. nenhuma das anteriores
 d A coloração de Ziel-Neelsen não é específica para micobactérias

Questão 28: A opção correta é a nº d.


Opção a: ERRADA. É utilizada para classificar as bactérias com base na morfologia, mas serve também
para um diagnóstico presuntivo. Exemplo: detecção de Diplococos gram negativos no líquor sugere que o
agente responsável pela meningite é o meningococo ou N. meningitides.
Opção b ERRADA. É também utilizada para detecção de cisto de protozoários, inclusões e trofozoitas.
Opção c: ERRADA. É utilizada também na identificação de bactérias através da motilidade, principalmente
nas bactérias não fermentadoras de glicose.
Opção d: CORRETA. Outros microrganismos podem apresentar propriedade álcool-ácido resistente, como
Norcardia spp e Rodococcus spp.

29. Um dos procedimentos mais importantes para dirigir as atividades diárias de um Laboratório de
Microbiologia é um manual atualizado de procedimentos ou procedimento operacional padrão
(POP). Portanto, em relação ao controle de qualidade de equipamentos é correto estabelecer em
POPs específicos Equipamentos / Procedimentos / Intervalo / Limite de Tolerância:
a. Refrigeradores / Registro de temperatura / Semanal / 2ºC a 8ºC;
b. Congeladores / Registro de temperatura / Mensal / -8ºC a -20ºC ou - 60ºC a -75ºC;
c. Estufas / Registro de Umidade / Diário ou contínuo / 38,5ºC ± 1ºC;
d. Autoclaves / Teste com tiras de esporos (Bacillus stearothermophilus) / Ao menos
semanalmente / O não crescimento de esporos indica corrida estéril;
e. Nenhuma das anteriores
Autoclaves / Teste com tiras de esporos (Bacillus stearothermophilus) / Ao menos semanalmente /
 d
O não crescimento de esporos indica corrida estéril
Questão 29: A opção correta é a nº d
Opções a e b ERRADAS. O controle deve ser diário ou contínuo.
Opção c: ERRADA. O controle deve ser de temperatura e esta é de 35,5ºC ± 1ºC.
Opção d: CORRETA.
30. Os microrganismos empregados para o controle de qualidade devem ser mantidos no laboratório
por meio de subcultivos de isolados recuperados como parte do trabalho de rotina ou
microrganismo de referência como os da ATCC. Assinale a recomendação incorreta.
a. Cada bateria de meios deve ser controlada com os quesitos mais exigentes para o
crescimento ou para a produção de atividade bioquímica;
b. Cada tubo de cultura, placa de meio e reagente deve ter uma etiqueta que identifique
claramente o conteúdo e as datas de preparo e vencimento, não sendo necessário o
controle da esterilidade a cada lote de tubos e placas preparadas;
c. Os meios preparados devem ser visualmente avaliados para sinais de deterioração como
descoloração, turvação, mudança de cor e desidratação antes de sua utilização;
d. Todos os discos para susceptibilidade antimicrobiana devem estar avaliados ao menos
uma vez por semana com microrganismo padrão de qualidade, de sensibilidade conhecida
como E. coli (ATCC 25922), S. aureus (ATCC 25923), S. fecalis (ATCC 29212) e P.
Aeruginosa (ATCC 27853).
e. Todos os lotes de meios utilizados devem ser submetidos ao processo de controle de
esterilidade
Cada tubo de cultura, placa de meio e reagente deve ter uma etiqueta que identifique claramente o
 b conteúdo e as datas de preparo e vencimento, não sendo necessário o controle da esterilidade a
cada lote de tubos e placas preparadas
Questão 30 A opção incorreta é a nº b.
Opções a e c: CORRETAS.
Opção b: ERRADA. O controle de esterilidade deve ser realizado a cada bateria de meio preparado e
documentado o resultado encontrado.
Opção d CORRETO, ou a cada troca de lote de discos

31. São consideradas bactérias fastidiosas, assinale a alternativa correta:


a. Bordetella pertussis, P.aeruginosa, Haemophilus spp. e Legionella spp;
b. Stenotrophomonas maltophilia, Brucella spp., Haemophilus spp. e Legionella spp;
c. Bordetella pertussis, Brucella spp., Haemophilus spp. e complexo Burkholderia cepacia;
d. Bordetella pertussis, Brucella spp., Haemophilus spp. e Legionella spp;
e. Todas as anteriores

 d Bordetella pertussis, Brucella spp., Haemophilus spp. e Legionella spp;

Questão 31: A opção correta é a nº d.


Opção a, b e c ERRADAS. As P. aeruginosa, Stenotrophomonas maltophilia e complexo Burkholderia
cepacia são bactérias não fastidiosas porque são pouco exigentes, apesar de serem oportunistas.
Opção d: CORRETA.

32. Assinale a alternativa incorreta.


a. É importante correlacionar a bacterioscopia com achados de cultura e dados do paciente,
como quadro agudo, portador, etc. Em casos de abuso sexual é fundamental o isolamento
e identificação completa, considerando que neisserias saprófitas ou mesmo Acinetobacter
spp. podem ser diagnosticados erroneamente como N. gonorrhoeae;
b. N. gonorrhoeae não é sensível a variações de temperatura;
c. A identificação das espécies de neisseria baseia-se na utilização de açúcares: glicose,
maltose, lactose, sacarose e frutose. Como as neisserias utilizam carboidratos por via
oxidativa, a base Ágar Cistina Tripticase (CTA) adicionada de 1% de cada um dos
açúcares e com indicador vermelho de fenol tem sido utilizado. No entanto, reações
duvidosas podem ocorrer, por falha na detecção da acidez produzida pela bacteria,
dificultando a identificação;
d. Moraxella (Branhamella) catarrhalis é um potencial patógeno de vias aéreas,
principalmente em crianças e adultos jovens. Causa com maior freqüência otite, sinusite e
pneumonia. Mais raramente pode causar endocardite e meningite. Cerca de 80% das
cepas são produtoras de beta-lactamase, e são detectadas através do teste do Nitrocefin
(cefalosporina cromogênica);
e. As alternativas a, c e d estão corretas
 b N. gonorrhoeae não é sensível a variações de temperatura;

Questão 32: A opção incorreta é a nº b.


Opções a c e d: CORRETAS.
Opção b: ERRADA. Ela é sensível à variação de temperaturas acima de 37ºC ou abaixo de 35ºC, de modo
que a amostra não pode ser refrigerada

33. A fase pré-analítica do exame microbiológico bem feita, é fundamental para a qualidade do exame
e vários itens fazem parte dela. Quais os itens que fazem parte desta fase?
a. Pedido médico, coleta da amostra clínica e interpretação do resultado;
b. Pedido médico, coleta da amostra clínica e transporte da amostra clínica;
c. Pedido médico, coleta da amostra clínica e processamento da amostra clínica;
d. Pedido médico, coleta da amostra clínica e liberação do laudo
e. Coleta, transporte, processamento e liberação do laudo
 b N. gonorrhoeae não é sensível a variações de temperatura;

Questão 33: A opção correta é a nº b


Opção a INCORRETA. A interpretação do resultado pode fazer parte tanto da fase analítica (analista)
quanto da pós-analítica (médico).
Opção c: INCORRETA. O processamento faz parte da fase analítica.
Opção d: INCORRETA. A liberação do laudo faz parte da fase pós-analítica.

34. Assinale a alternativa correta:


a. A hipótese diagnóstica não interfere no exame microbiológico;
b. A requisição do exame não é crítica para um exame adequado;
c. A requisição deve estar com identificação clara do paciente;
d. Os dados epidemiológicos são irrelevantes para um exame adequado
e. Nenhuma das anteriores
 c A requisição deve estar com identificação clara do paciente;

Questão 34 A opção correta é a nº c


Opção a: INCORRETA. Uma hipótese mal elaborada pode gerar uma solicitação de exames errada ou
inadequada, além de gerar informações erradas ou incompletas, prejudicando diretamente o exame.
Opção b INCORRETA. A requisição do exame microbiológico é crítica, pois é ela que orienta a amostra e o
sítio de coleta adequado, define a escolha do processamento da amostra, principalmente quando há a
hipótese de agentes específicos.
Opção c CORRETA. Apesar de óbvia, a identificação é essencial, mas nem sempre é adequada, o que
gera dificuldades de acesso ao resultado, tanto pelo paciente como pelo médico.
Opção d: INCORRETA. Os dados epidemiológicos são relevantes. Exemplo: isolamento do complexo
Burkholderia cepacia em amostras respiratórias de pacientes com fibrose cística.

35. Assinale a alternativa incorreta sobre os conceitos gerais para a coleta e o transporte de
amostras clínicas:
a. O momento da coleta de exame depende da fisiopatologia da infecção;
b. O uso de anti-sépticos na coleta de urina para a cultura, pode induzir resultados falso-
positivos;
c. A coleta deve ser feita no verdadeiro local da infecção;
d. O ideal é coletar a amostra clínica antes da antibioticoterapia.
e. Na impossibilidade de se coletar a amostra clínica antes da antibioticoterapia, deve-se
informar na requisição o nome do antibiótico utilizado.
 b O uso de anti-sépticos na coleta de urina para a cultura, pode induzir resultados falso-positivos;

Questão 35 A opção incorreta é a nº b


Opção a CORRETA. No início da salmonelose, por exemplo, a melhor amostra clínica é o sangue. Após
duas semanas é melhor coletar fezes.
Opção b INCORRETA. O anti-séptico pode diminuir as contagens bacterianas, portanto, pode gerar
resultados falso-negativos, podendo causar irritação de mucosa. Seu uso na coleta de urina é discutido.
Opção c CORRETA. Este conceito nos orienta a evitar a contaminação da amostra. Por exemplo, se a
hipótese é uma bacteremia, devemos coletar sangue para a cultura sem contaminação com a microbiota
da pele. Há exceções. Por exemplo: coletar urina para a detecção de antígeno de S.pneumoniae ou
Legionella para diagnóstico de pneumonia por estes agentes.
Opção d CORRETA.
36. Quanto aos meios de transportes é correto afirmar que:
a. Meio de Stuart é um meio de cultura que permite o transporte e manutenção de
diferentes espécies bacterianas;
b. Meio de transporte de Amies diferencia-se do meio de Stuart por não possuir
tioglicolato na sua composição;
c. O carvão utilizado nos meios de transporte inibe o crescimento de bactérias
contaminantes presentes na amostra;
d. O swab de algodão comum é contra-indicado na coleta de secreções;
e. Nenhuma das anteriores
 d O swab de algodão comum é contra-indicado na coleta de secreções;

Questão 36: A opção correta é a nº 4


Opção 1: INCORRETA. O meio de Stuart é um meio de transporte e não de cultura, pois é isento de
nutrientes.
Opção 2: INCORRETA. Os dois meios possuem tioglicolato. Amies modificou o meio de transporte de
Stuart substituindo glicerofosfato por um tampão fosfato inorgânico e adicionando carvão ao meio.
Opção 3: INCORRETA. O carvão ajuda a neutralizar materiais que são tóxicos para patógenos sensíveis
como Neisseria gonorrhoeae.
Opção 4: CORRETA. Os ácidos graxos presentes no algodão inativam alguns microrganismos, impedindo
seu crescimento em meios de cultura, por exemplo, o Gonococo.

37. No diagnóstico de infecção urinária, as recomendações para a coleta, conservação e transporte


de amostra de urina para cultura devem ser rigorosamente seguidas. Assinale a alternativa
incorreta:
a. A urina de criança obtida com saco coletor é a que tem maior taxa de contaminação e
resultados falso-positivos;
b. Quando for utilizado o saco coletor para obter a urina de criança, ele deverá ser
trocado a cada 30 minutos;
c. A anti-sepsia recomendada é com água e sabão;
d. A primeira urina da manhã colhida através do jato médio é a única amostra aceitável
para cultura;
e. A anti-sepsia é importante para evitar a contaminação e os resultados falso-positivos
 d A primeira urina da manhã colhida através do jato médio é a única amostra aceitável para cultura;

Questão 37: A opção incorreta é a nº d


Opção b: CORRETA. A troca deve ser feita após nova anti-sepsia.
Opção d: INCORRETA. Esta amostra é a preferível. Quando isto não for possível, é necessário que haja
maior tempo entre a coleta e a última micção.

38. Assinale a alternativa correta:


a. A anti-sepsia para a coleta de urina para a cultura deve ser feita com anti-séptico;
b. Quando não for possível a coleta da primeira urina da manhã para a cultura, o tempo
entre a coleta e a última micção deve ser de 2 horas;
c. A urina deve ser semeada em até 4 horas quando conservadas em temperatura
ambiente;
d. Quando a semeadura imediata da urina não for possível, a amostra pode ser
conservada sob refrigeração por até 72 horas;
e. Todas as anteriores
Quando não for possível a coleta da primeira urina da manhã para a cultura, o tempo entre a coleta
 b
e a última micção deve ser de 2 horas;

Questão 38: A opção correta é a nº b


Opção a: INCORRETA. O uso de anti-séptico é discutido, pois pode causar irritação local e diminuição da
contagem de colônias.
Opção c INCORRETA. Deve ser semeada dentro de 2 horas.
Opção d INCORRETA. Deve ser refrigerada por um período não superior a 24 horas.

39. Cuidados com a coleta de amostras clínicas para o diagnóstico de infecção de pele e tecido
subcutâneo são fundamentais. Portanto, é incorreto afirmar que:
a. Biopsia de tecido deve ser enviada ao laboratório em tubo com formalina para manter
a umidade;
b. Secreção de lesão de pele quando aberta deve ser coletada após lavagem da lesão
com salina;
c. Quando a lesão subcutânea é fechada, a coleta da amostra deve ser feita por punção
após anti-sepsia do local com álcool 70%;
d. Na Fasciíte Necrotizante a amostra clínica preferencial é a biopsia e deve ser
encaminhada ao laboratório em condições de anaerobiose
e. As alternativas b, c e d estão corretas
 a Biopsia de tecido deve ser enviada ao laboratório em tubo com formalina para manter a umidade;

Questão 39: A opção incorreta é a nº a


Opção a INCORRETA. Deve ser enviada em salina, pois a formalina é utilizada para exame histológico.
Opção b: CORRETA. Este procedimento diminui a recuperação de contaminantes.
Opção c: CORRETA. Este é p procedimento adequado
Opção d: CORRETA. Nesta infecção há associação de agentes anaeróbios.
Opção e: CORRETA. Conforme confimado anteriormente as alternativas b, c e d estão corretas e portanto
esta também está correta.

40. Nas infecções relacionadas à mordedura é correto afirmar que:


a. Raramente é polimicrobiana;
b. A cultura do local de mordedura recente está indicada e tem aplicação clínica;
c. A melhor amostra para cultura é geralmente o pus aspirado da superfície da ferida;
d. A melhor amostra para cultura é geralmente o pus aspirado da profundidade da ferida;
e. Nenhuma das anteriores
 d A melhor amostra para cultura é geralmente o pus aspirado da profundidade da ferida;

Questão 40: A opção correta é a nº d


Opção a INCORRETA. Geralmente é polimicrobiana com associação de agentes anaeróbios.
Opção d CORRETA. Na infecção pós mordedura geralmente há associação de agentes anaeróbios.

41. Assinale a alternativa correta sobre o diagnóstico das síndromes infecciosas intestinais:
a. O Cary Blair é o meio de transporte de fezes adequado para isolamento de Shigella;
b. As fezes nunca devem ser enviadas ao laboratório in natura;
c. No diagnóstico de colite pseudomembranosa é ideal o isolamento do Clostridium
difficile;
d. Para a pesquisa de toxina do Clostridium difficile as fezes devem estar sem
conservantes, e a estabilidade é de 2 dias, entre 2 e 8°C
e. Todas as anteriores
Para a pesquisa de toxina do Clostridium difficile as fezes devem estar sem conservantes, e a
 d
estabilidade é de 2 dias, entre 2 e 8°C
Questão 41: A opção correta é a nº d
Opção a: INCORRETA. É indicado para a maioria dos patógenos intestinais, exceto a Shigella.
Opção b INCORRETA. Se enviada in natura, as fezes devem ser semeadas dentro de 2 horas.
Opção c: INCORRETA. O padrão ouro é a pesquisa da toxina do Clostridium difficile.

42. O líquido cefaloraquidiano (LCR) é a amostra clínica de escolha para o diagnóstico das
meningites. As amostras geralmente são colhidas em três tubos estéreis, marcados com 1, 2 e 3,
na ordem em que são obtidos. Assinale a alternativa correta em relação aos cuidados que devem
ser tomados, para que o resultado seja útil no tratamento do paciente
a. O tubo 1 é usado para contagem celular, o tubo 2 é usado para a microbiologia e o
tubo 3 é usado para análises bioquímicas e sorológicas;
b. O volume adequado da amostra de LCR é de 1 a 2mL para gram e cultura de aeróbios,
2mL para exame direto e cultura para fungos, e mínimo de 5mL para micobactérias;
c. O LCR deverá ser coletado em tubo estéril e transportado para o laboratório em até 2
horas, em temperatura ambiente. Se não for possível cumprir o tempo, a amostra
deverá ser refrigerada no máximo em até 24 horas;
d. As características da amostra não interferem no seu processamento
e. Todas as anteriores
O volume adequado da amostra de LCR é de 1 a 2mL para gram e cultura de aeróbios, 2mL para
 b
exame direto e cultura para fungos, e mínimo de 5mL para micobactérias
Questão 42: A opção correta é a nº b
Opção a: INCORRETA. O tubo 1 é para provas bioquímicas e sorológicas, e o tubo 3 para
citologia por apresentar menor probabilidade de conter células introduzidas acidentalmente pelo
procedimento de punção.
Opção c: INCORRETA. A amostra deverá ser processada o mais rápido possível. Não se deve
esquecer que é um exame de extrema urgência e a amostra não pode ser refrigerada, porque
bactérias fastidiosas que são mais prevalentes nas meningites, são sensíveis à baixas
temperaturas.
Opção d: INCORRETA. É recomendado que se o LCR estiver turvo ou com o volume maior ou
igual a 1mL, não se deve centrifugar a amostra ao processá-la.

43. Assinale a alternativa correta:


a. Amostra de abscesso cerebral deve ser coletada por punção e encaminhada ao
laboratório em temperatura ambiente e atmosfera de aerobiose;
b. Deve-se utilizar swab tratado com carvão na coleta de amostras para Clamídia;
c. Shigella spp, Neisseria gonorrhoeae, Neisseria meningitidis, Haemophilus influenzae,
Streptococcus pneumoniae e anaeróbios são bactérias especialmente sensíveis às
condições ambientais;
d. A urina é uma amostra útil no diagnóstico de tuberculose extrapulmonar. Deve ser a
primeira urina da manhã, coletada do jato médio em frasco estéril de boca larga, após
higiene íntima com água e sabão neutro.
e. Nenhuma das anteriores;
Shigella spp, Neisseria gonorrhoeae, Neisseria meningitidis, Haemophilus influenzae,
 c Streptococcus pneumoniae e anaeróbios são bactérias especialmente sensíveis às condições
ambientais;
Questão 43: A opção correta é a nº c
Opção a: INCORRETA. Os microrganismos patogênicos variam muito dependendo das circunstâncias
clínicas, mas as culturas podem ser mistas, incluindo agentes anaeróbios, por isso a atmosfera deverá
manter condições de anaerobiose.
Opção b: INCORRETA. O carvão deixa resíduos que interferem na qualidade da amostra. Se for utilizado
swab tratado com carvão na coleta de amostra para a cultura do Gonococo, a coleta da amostra deve ser
feita antes para clamídia.
Opção d: INCORRETA. Deve ser coletada toda a primeira urina da manhã em frasco estéril, de boca larga,
após higiene íntima com água e sabão neutro, com volume mínimo de 40mL.

44. O laboratório de microbiologia tem um papel fundamental no diagnóstico das infecções de


corrente sanguínea. A hemocultura é a chave do diagnóstico e deve ser realizada sob ótimas
condições para aumentar as chances de detectar a bactéria ou o fungo responsável pela infecção.
Uma fase pré-analítica deste exame, executada adequadamente é essencial. Assinale a
alternativa incorreta:
a. A coleta de hemocultura de pacientes em uso de antibioticoterapia deve ser
monitorada, sendo feita antes da próxima dose de antibiótico;
b. O estado clínico do paciente é que determina o intervalo entre as coletas;
c. Em pacientes estáveis, é indicado um intervalo de 30 a 60 minutos ou mais entre as
amostras;
d. A coleta de 20mL em punção venosa, cujo sangue foi distribuído em dois frascos, é
considerada como coleta de duas amostras para a hemocultura;
e. É de responsabilidade do diretor do Laboratório Clínico orientar corretamente a equipe
de enfermagem para a coleta de hemoculturas.
A coleta de 20mL em punção venosa, cujo sangue foi distribuído em dois frascos, é considerada
 d
como coleta de duas amostras para a hemocultura;
Questão 44 A opção incorreta é a nº d
Opção a: CORRETA. A hemocultura deverá ser coletada no vale da terapia, isto é, antes a próxima dose
de antibiótico, onde há a menor concentração do mesmo.
Opção b: CORRETA. Podemos citar como exemplo um paciente grave, que chega no pronto socorro com
suspeita de endocardite aguda. Deve-se coletar duas amostras de sangue no mesmo momento, sempre
em punções diferentes.
Opção c: CORRETA. Para aumentar a chance de recuperação de agentes infecciosos em bacteremias
intermitentes.
Opção d: INCORRETA. Duas amostras de sangue para hemocultura ocorre quando estas são coletadas
em punções diferentes, e neste caso, foi coletada uma punção com volume de 20mL.
Opção e: CORRETA a orientação da equipe de enfermagem para coleta é uma das funções do diretor do
Laboratório

45. O laboratório de microbiologia tem um papel muito importante na vigilância epidemiológica


hospitalar. Assinale a alternativa incorreta sobre culturas de vigilância:
a. Os sítios de coleta sugeridos para a vigilância da colonização de pacientes por
Acinetobacter spp, são: pele (testa, axilas, região inguinal, fossa ante cubital, perineal)
faringe e local de acesso vascular;
b. Para a detecção de portadores de Salmonella deve ser coletada amostra de
nasofaringe;
c. As amostras de escolhas para a pesquisa de portadores de Enterococcus resistentes à
vancomicina são swab retal e fezes;
d. Portadores de S.aureus devem ser detectados principalmente em pacientes em diálise
peritoneal, e a amostra clínica de escolha é a secreção nasal
e. Para a detecção de portadores de Salmonella deve ser coletada amostra de fezes;
 b Para a detecção de portadores de Salmonella deve ser coletada amostra de nasofaringe;;

Questão 45: A opção incorreta é a nº b


Opção a: CORRETA. As culturas de ambiente devem ser coletadas apenas em surtos e com objetivos
bem definidos.
Opção b INCORRETA. Devido a colonização em vesícula biliar e colédoco, as fezes são as melhores
amostras para a detecção de portadores de Salmonella.
Opção c: CORRETA. - VRE
Opção d: CORRETA.- MRSA
Opção D: CORRETA.- Resposta acima.

46. Assinale a afirmativa correta quanto à coleta de hemocultura:


a. É obrigatório limpar a tampa de borracha do frasco com algodão embebido em álcool
70% antes da inoculação do sangue;
b. Após a coleta do sangue deve ser trocada a agulha para inoculação do sangue no
frasco;
c. Quando são coletados um frasco para aeróbio e um para anaeróbio, o sangue deve
ser inoculado primeiro no frasco aeróbio e depois no anaeróbio;
d. Os frascos pediátricos têm a mesma concentração do anticoagulante SPS que os
frascos de adultos;
e. Nenhuma das anteriores
É obrigatório limpar a tampa de borracha do frasco com algodão embebido em álcool 70% antes da
 a
inoculação do sangue;
Questão 46 A opção correta é a nº a
Opção a: CORRETA. Esta regra vale para hemoculturas, assim como para qualquer amostra que deve ser
inoculada em frascos para o transporte.
Opção b: INCORRETA. A troca de agulha não é recomendada pelo risco de acidente de punção do
profissional sem agregar custo benefício na troca.
Opção c: INCORRETA. Deve ser inoculado primeiro o frasco para anaeróbio, diminuindo o risco de
exposição da amostra à atmosfera ambiente.
Opção d INCORRETA. A concentração do anticoagulante SPS é menor no frasco pediátrico, por isso
suportam mais o crescimento de bactérias como a Neisseria spp.

47. Assinale a alternativa correta:


a. O swab com amostra de orofaringe quando for permanecer por um período superior a
2 horas para o processamento, se colocado em geladeira, não precisa de meio de
transporte;
b. Quando há suspeita de portador de meningococo, é recomendado que a amostra de
nasofaringe seja coletada e enviada em meio de transporte para o laboratório;
c. A cultura de amostras do trato respiratório (exemplo: aspirado traqueal, lavado
broncoalveolar e escovado) para o diagnóstico de pneumonias bacterianas, devem ser
encaminhadas imediatamente ao laboratório;
d. Amostras de aspirador traqueal podem ser utilizadas para o diagnóstico de
pneumonias em pacientes entubados, e é coletada da cânula do ventilador
e. Nenhuma das anteriores
A cultura de amostras do trato respiratório (exemplo: aspirado traqueal, lavado broncoalveolar e
 c escovado) para o diagnóstico de pneumonias bacterianas, devem ser encaminhadas
imediatamente ao laboratório
Questão 47: A opção correta é a nº c
Opção a: INCORRETA. Neste caso é recomendado o uso de meio de transporte. Assim, a amostra pode
ficar até 24 horas em temperatura ambiente.
Opção b: INCORRETA. Ela deve ser coletada e semeada imediatamente em meios especiais.
Opção c: CORRETA. Como as amostras respiratórias geralmente possuem contaminantes do trato
respiratório alto e as culturas são quantitativas para o isolamento e quantificação de colônias adequados, a
amostra deve ser semeada no prazo de 1 a 2 horas.
Opção d INCORRETA. A secreção traqueal deve ser coletada com cateter protegido, para diminuir a
contaminação da amostra.

48. A bacteriúria assintomática é um diagnóstico no qual o exame microbiológico é essencial, assim


como os dados clínicos. Assinale a opção que contém uma definição incorreta:
a. Em mulheres que não utilizam sonda vesical de demora, bacteriúria assintomática é
definida por duas culturas de amostras de jato médio de urina, coletadas em dias
distintos, positivas para a mesma espécie bacteriana, em contagem maior ou igual a
105 UFC/mL, na ausência de sintomatologia de ITU;
b. Em homens o critério mais aceito é de uma única cultura de amostra de jato médio,
positiva para enterobactéria, em contagem maior ou igual a 10 5 UFC/mL, na ausência
de sintomatologia de ITU;
c. Quando a amostra é coletada com cateter uretral, um único resultado positivo com
contagem maior ou igual a 102 UFC/mL é suficiente para o diagnóstico de bacteriúria
assintomática;
d. Para a caracterização de bacteriúria assintomática é essencial que o paciente não
tenha piúria;
e. Bacteriúria assintomática é a ocorrência de cultura positiva para a espécie bacteriana,
em contagem maior ou igual a 105 UFC/mL, na ausência de sintomatologia de ITU;
 d Para a caracterização de bacteriúria assintomática é essencial que o paciente não tenha piúria;

49. Um clínico liga para o laboratório, reclamando que o resultado da cultura de urina de jato médio está
incorreto, pois a paciente está sintomática, há piúria - 350.000 leucócitos/mL (> 100 leucócitos por campo
em aumento de 400X) e a cultura foi negativa após 48 horas de incubação. Uma segunda cultura, realizada
em outro laboratório 48 horas após a primeira coleta, foi positiva para E. coli, em contagem de 100.000
UFC/mL. Conversando com o clínico e revendo os procedimentos do setor de Bacteriologia você obtém as
seguintes informações:
 A paciente é uma mulher de 25 anos, sexualmente ativa, sem outro fator predisponente para ITUs.
 A coleta da amostra foi realizada no mesmo dia do início dos sintomas.
 As culturas de urina são semeadas com alças de 1ul em meio cromogênico.
Considerando que não houve erros na fase pré-analítica, assinale a explicação correta:
a. A cepa de E. coli que causou a ITU nesta paciente é nutricionalmente exigente;
b. A segunda cultura positiva é uma contaminação de coleta e é mais provável que a
paciente tenha Chlamydia trachomatis;
c. A situação descrita é biologicamente impossível e nunca ocorre na prática clínica;
d. As ITUs ocorrem usualmente por via ascendente; portanto quando a cultura é coletada
precocemente em relação ao início dos sintomas, a contagem bacteriana pode ser
inferior a 103 UFC/mL, limite de detecção do método utilizado, uma vez que a amostra
analisada foi de jato médio. À medida que a doença progride há proliferação
bacteriana, o que explica a segunda cultura positiva;
e. O primeiro laboratório errou
As ITUs ocorrem usualmente por via ascendente; portanto quando a cultura é coletada
precocemente em relação ao início dos sintomas, a contagem bacteriana pode ser inferior a 103
 d UFC/mL, limite de detecção do método utilizado, uma vez que a amostra analisada foi de jato
médio. À medida que a doença progride há proliferação bacteriana, o que explica a segunda cultura
positiva;

50. Um clínico solicita o auxílio do laboratório para discutir o resultado de um paciente do sexo
masculino, 25 anos, assintomático, que fez um exame de urina de rotina para admissão em novo
emprego. O exame do jato médio de urina (sumário, tipo 1, EAS) evidenciou leucocitúria (50.000
leucócitos/mL), sem outras alterações. Em face deste resultado o clínico solicitou uma cultura de
jato médio, que foi negativa. Qual a melhor orientação a ser dada ao clínico?
a. Repetir a cultura do jato médio;
b. Pesquisar litíase (cálculo) urinária;
c. Pesquisar tuberculose urinária;
d. Coletar o primeiro jato de urina e pesquisar agentes de infecções sexualmente
transmissíveis, particularmente Chlamydia trachomatis
e. Indicar outro laboratório ao paciente


Coletar o primeiro jato de urina e pesquisar agentes de infecções sexualmente
d
transmissíveis, particularmente Chlamydia trachomatis;

O Gestor de um Laboratório de Microbiologia Clínica deve ter o conhecimento da necessidade do cumprimento


das leis e normas para o funcionamento de laboratórios e postos de coleta de amostras clínicas. Portanto, o
plano de gestão deverá estabelecer a implantação dos serviços e processos de acordo com resoluções,
portarias e normas que regem os serviços de saúde, que podem ser conferidas a nível Nacional, Estadual ou
Municipal.
O laboratório clínico não pode exercer suas funções sem o Alvará Sanitário, documento expedido pelo órgão
Sanitário competente Estadual, Municipal ou do Distrito Federal, que libera o funcionamento dos
estabelecimentos que exerçam atividades sob regime de vigilância sanitária. Este documento só será fornecido
após avaliação de documentos, instalações e processos da instituição requerente.
No Laboratório de Microbiologia é rotineira a manipulação de amostras biológicas e/ou culturas com agentes
infectantes, sendo de responsabilidade da direção do laboratório dispor de condições adequadas de segurança
para eliminar ou reduzir a exposição dos colaboradores e do meio ambiente ao perigo potencial dos diversos
agentes infecciosos.
Baseado em normas de biossegurança o laboratório deve desenvolver seu próprio manual de segurança
incluindo regras de segurança química, biológica e física, prevenção de incêndio, uso de equipamentos de
proteção individual (EPI) e coletiva (EPC), risco elétrico, limpeza e desinfecção de áreas e equipamentos,
especificando riscos e procedimentos básicos para minimizar ou eliminar estes riscos. Todos os colaboradores
deverão tomar conhecimentos das normas estabelecidas através de capacitações.
É de grande importância também o conhecimento de algumas bactérias isoladas com menor freqüência, pois
com a maior sobrevida de pacientes imunologicamente comprometidos os agentes oportunistas poderão em
algum momento se tornarem patógenos importantes, e o Laboratório de Microbiologia tem que estar atento e
preparado para estes evento.
A eficiência dos processos analíticos de um laboratório de microbiologia, depende da coleta e do transporte das
amostras clínicas, por isto, o laboratório deverá estar muito atento à qualidade da fase pré-analítica do exame
microbiológico. Quando esta fase do exame não é prioridade, o laboratório pouco contribui no cuidado ao
paciente. Portanto, todos os profissionais envolvidos na assistência ao paciente deverão ter conhecimento
crítico da importância da qualidade da amostra clínica para uma boa acurácia do exame.
É responsabilidade do laboratório promover a completa e segura informação sobre a adequada solicitação do
exame, coleta e transporte da amostra clínica, em forma de fácil compreensão de todos. A informação deve ser
completa, orientando sobre a seleção da amostra e sítio de coleta, da coleta propriamente dita, as condições
para o transporte adequado, a aceitabilidade e a rejeição da amostra clínica.
A fase pré-analítica do exame microbiológico é a chave fundamental para um bom resultado, que afeta
diretamente os cuidados e a resposta terapêutica do paciente. Além da influência nas decisões terapêuticas,
afeta também o controle e prevenção de infecções relacionadas à assistência à saúde, nos custos e claramente
na eficiência do laboratório. Por estas razões, todo laboratório deve desenvolver e promover um relevante
policiamento desta fase do exame microbiológico.
Os profissionais do laboratório de microbiologia devem ter consciência de que a qualidade do exame
microbiológico depende da qualidade da amostra clínica recebida.

Questionário Bacteriologia -
Rodada Ago/2008
Tema: PONTOS IMPORTANTES: LEGISLAÇÃO/NORMAS PARA GESTÃO DE UM
LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA CLÍNICA - COLETA DE AMOSTRAS CLÍNICAS

Questionário Bacteriologia -
Rodada Ago/2009
Tema: PROMOÇÃO DE QUALIDADE NA FASE PRÉ-ANALÍTICA DO EXAME
MICROBIOLÓGICO

Questionário Bacteriologia -
Rodada Fev/2010

Tema: INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO

Você também pode gostar