Você está na página 1de 6

1 INTRODUÇÃO

A educação ambiental, ligada à sustentabilidade, tornou-se um tema de grande


importância nos dias atuais. Esta educação é influenciada por questões biológicas,
econômicas, políticas e culturais.

O tratamento de efluentes, principalmente industriais e domésticos está ligado à


definição de sustentabilidade. A disposição de efluentes de forma inadequada no
ambiente pode favorecer a contaminação do sólido e da água, que por sua vez causa
efeitos na área agrícola, animais e na biota em geral, o que justifica a necessidade de
tratamento.

Nas estações de tratamento de esgoto faz-se cada vez mais uso de métodos
respirométricos para a determinação das características de biodegradabilidade dos
afluentes e da atividade biológica do sistema. A respirometria é a medida e interpretação
da taxa de consumo de oxigênio biológico sob condições experimentais bem definidas.
Como o consumo de oxigênio está diretamente associado ao crescimento da biomassa e
à remoção do substrato, a respirometria é uma técnica útil para monitoramento,
modelagem e controle do processo de lodo ativado.

Esta prática tem como intuito determinar a atividade específica de bactérias


nitrificantes presentes em lodo proveniente do LTBR (Laboratório de Tratamento
Biológico de Resíduos) por respirometria a fim de determinar as velocidades de consumo
de oxigênio dissolvido e específica de consumo de oxigênio e a partir disso e da
concentração de N- e NH4+ determinam-se os parâmetros QO2máx, Ks mais adequados
para a definição do modelo de Monod. Além disso pode-se calcular ainda a velocidade
específica de consumo de substrato.

2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Os componentes nos processos de tratamento de águas residuais podem ser


convenientemente categorizados como físicos, químicos e bioquímicos. Uma
compreensão completa dos princípios que governam seus comportamentos é um pré-
requisito para o desenho de processos bem-sucedidos.

O processo biológico é utilizado quando existe carga orgânica impossível de ser


removida por processo físico-químico. Em geral podemos classificar os processos como
aeróbicos, anaeróbicos e mistos. Como as concentrações de biomassa ou substrato são
difíceis de medir, as reações biológicas aeróbias podem ser estudadas através de métodos
respirométricos, monitorando a taxa de consumo de oxigênio instantâneo e conhecendo
o rendimento do crescimento da biomassa. De fato, a respirometria é a medida e
interpretação do consumo biológico de oxigênio sob condições experimentais bem
definidas [1].

Na respiração aeróbia, a absorção do oxigênio atmosférico se dá em duas fases:


na degradação do substrato e na respiração endógena. A velocidade de respiração ou
consumo de oxigênio pela degradação do substrato pode ser expressa pela Equação:

𝑟𝑂 = 𝑄𝑂2 𝑋 (1)

Onde 𝑟𝑂 é a velocidade de respiração, 𝑄𝑂2 é a velocidade específica de respiração


em mgO2/gcel.h e 𝑋 é a concentração de células em g.cel/L

Em um sistema em batelada tem-se o seguinte balanço de oxigênio:


𝑑𝐶
= 𝐾𝑙𝑎(𝐶𝑠 − 𝐶) − 𝑄𝑂2 𝑋 (2)
𝑑𝑡

Onde dC/dt é a variação da concentração de oxigênio dissolvido no líquido, K𝑙𝑎


é o coeficiente volumétrico de transferência de oxigênio, Cs é a concentração de oxigênio
dissolvido no meio em equilíbrio e C é a concentração de oxigênio dissolvido no meio. O
termo 𝐾𝑙𝑎(𝐶𝑠 − 𝐶) é referente à transferência de oxigênio, ou seja, quando elimina-se a
aeração a equação 2 fica:
𝑑𝐶
= −𝑄𝑂2 𝑋 (3)
𝑑𝑡

Integrando a equação 3 temos:

𝐶 = 𝐶0 − 𝑄𝑂2 𝑋𝑡 (4)

A partir desta relação linear é possível plotar um gráfico de C em função de t,


como mostra a figura 1.
Figura 1: Relação entre o oxigênio dissolvido (OD) e o tempo(t).

Interrupção
da aeração

Oxigênio Dissolvido (mg


tg 
 =dC=QO2X

dt

Tempo
(min)
Como o consumo de oxigênio ocorre em duas partes (endógena e degradação), é
necessário fazer uma distinção entre as duas quedas:

Figura 2: Efeito sobre a concentração de oxigênio dissolvido, após adição ao


lodo ativado de uma limitada quantidade de substrato [2]

Em condições endógenas a respiração do lodo comporta uma contínua utilização


do oxigênio a uma velocidade aproximadamente constante e de modesta relevância: isto
é demonstrado pela inclinação uniforme da reta a-b-c, vista na Figura 2. Acrescentando-
se no instante b uma pequena quantidade de substrato provoca-se um momentâneo
incremento na velocidade de absorção do oxigênio, representado pela distância b-d.
Somente quando o substrato foi totalmente degradado, a situação no interior do sistema
retorna às condições endógenas iniciais, assumindo após o ponto d, uma inclinação
similar àquela original (distância d-e). No instante d, o valor da concentração de oxigênio
presente é inferior àquela que seria encontrada sem o acréscimo do substrato. A diferença,
isto é, a distância d-f, representa a demanda de oxigênio em um breve tempo devido à
utilização do substrato pelos microorganismos. Assim QO2X encontrado deve ter que ser
reduzido do valor encontrado para a queda da endógena [3].

Bactérias nitrificantes incluem apenas uma pequena parte do substrato amônia na


nova biomassa, enquanto a maior parte do substrato é oxidada para produção de energia.
Essas bactérias autotróficas usam dióxido de carbono dissolvido como fonte de carbono
para nova biomassa. Em comparação com a biomassa heterotrófica, os nitrificadores
precisam de mais oxigênio para seu crescimento. A nitrificação ocorre em duas etapas: a
oxidação da amônia em nitrito e a oxidação do nitrito em nitrato [4].

 NH4 + → NO2 - → NO3 –


 Oxidação do íon amônio: NH4 + + (3/2)O2 →NO2 - + H2O + 2H+
 Oxidação do nitrito: NO2 - + (1/2)O2 → NO3 –
 Reação global: NH4 + + 2O2 → NO3 - + 2H+ + H2O

A Equação estequiométrica final em termos de de crescimento celular para o


processo de nitrificação [5]:

NH4 + + 1,86 O2 + HCO3 - →0,02 C5H7NO2 + 0,98 NO3 - + 1,88 H2CO3 + 1,04
H2O

Monod propôs uma equação hiperbólica de natureza empírica, similar à de


Michaelis-Menten em cinética enzimática, que descreve o crescimento de culturas de
bactérias como função da concentração de um substrato limitante. Atualmente, é o
modelo comumente utilizado para determinação da taxa de biodegradação de
contaminantes em águas subterrâneas.

A equação cinética de Monod é bastante utilizada para modelagem de nitrificação


e desnitrificação em lodos ativados. Para a nitrificação, a equação se encontra na seguinte
forma:
𝑆
𝜇 = 𝜇 ′ 𝐾 +𝑆 (5)
𝑠

Onde 𝜇 é a taxa de crescimento específico de micro-organismos nitrificantes em


h-1, 𝜇′ é a taxa máxima de crescimento específico de micro-organismos em h-1, 𝐾𝑠 é o
coeficiente de meia-saturação ou meia-velocidade em g/L e 𝑆 é a concentração de amônia
em g/L.
Através da equação de Monod, torna-se possível a determinação do crescimento
específico de micro-organismos de nitrificação e desnitrificação, sendo possível o
acompanhamento da eficiência do sistema através deste parâmetro [6].
3 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1 SPANJERS, H.; VANROLLEGHEM, P.A.; OLSSON, G.; DOLD, P.; Respirometry


in control of activated sludge processes - Principles; IAWQ Scientific and Technical
Report no. 7, IAWQ; 1998.

2 ANDREOTTOLA, G., FOLADORI, P., FERRARI, M., ZIGLIO, G., Respirometria


applicata alla depurazione delle acque: principi e metodi. Collana scientifico-
divulgativa Monographia, n. 3. Dipartimento di Ingegneria Civile ed Ambientale,
Università degli Studi di Trento. 156p. 2002.)

3 SOARES, H. M.Tratamento de Efluentes. Apostila do Curso de Graduação em


Engenharia Química e em Engenharia de Alimentos. 2007.

4 VANROLLEGHEM, P. A., Principles of Respirometry in Activated Sludge


Wastewater Treatment. Disponível em: <https://modeleau.fsg.ulaval.ca/fileadmin/
modeleau/documents/Publications/pvr402.pdf>. Acesso em: 27 abril. 2018.

5 HENZE, M.; HARREMOES, M.; COUR JANSEN, P.; ARVIN, E. Wastewater


treatment: biological and chemical processes. Alemanha: Springer, 1997.

6 Cinética Aplicada a Lodos Ativados. Disponível em: <


https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/15510/15510_5.PDF>. Acesso em: 27 abril. 2018.