Você está na página 1de 15

QUESTIONÁRIO - Processo do Trabalho - 2017.

A quem compete exercer a justiça do trabalho nas localidades em que não há


essa justiça especializada?​ Aos juízes de direito.

Nas localidades onde houver mais de um juízo de direito a competência é


determinada por qual critério? ​Entre juízes do CÍVEL, por distribuição ou pela
divisão judiciária local.
§ 1º, do art. 669/CLT

Qual a composição dos Tribunais Regionais do Trabalho?


Da 1ª e 2ª Região:
11 juízes togados, vitalícios;
06 juízes classistas, temporários

da 3ª e 4ª Região:
8 juízes togados, vitalícios;
4 juízes classistas temporários

da 5ª e 6ª Região:
7 juízes togados e vitalícios;
2 classistas temporários;

da 7ª e 8ª Região:
6 juízes togados e vitalícios;
2 classistas temporários

Quem nomeia os juízes dos tribunais regionais do trabalho?


O PRESIDENTE DA REPÚBLICA - Art. 670, CLT

V OU F - Nos TRT's constituído de 6 ou mais juízes togados, e menos de 11,


um deles será escolhido dentre advogados, um dentre membro do MPU junto
á Justiça do Trabalho e os demais dentre juízes do Trabalho Presidente de
Junta da respectiva região. ​VERDADEIRO
§2º do art. 670/CLT - aplica-se nos TRT's da 3ª até 8ª região

V OU F - Os TRT's da 1ª e 2ª regiões dividir-se-ão em Turmas, facultada essa


divisão aos constituídos de pelo menos 12 juízes. Cada Turma será composta
de 3 juízes togados e 2 classistas.​ VERDADEIRO - § 8º do Art. 670

Qual a composição do TST?


Art. 111-A, CF. ​O Tribunal Superior do Trabalho é formado por ​27 ministros​,
n​omeados pelo Presidente da República, após aprovação do Senado Federal​.
Contudo, essa nomeação não é feita de forma livre, pois a lei estipula alguns
critérios.
Assim, pelo menos ​1/5 das vagas existentes, devem ser distribuídas entre os
advogados com mais de 10 (dez) anos de efetiva prática profissional e ​membros
do Ministério Público do Trabalho com mais de 10 (dez) anos do efetivo exercício;
os ​demais membros são escolhidos entre os juízes dos Tribunais Regionais
do Trabalho​.

V OU F - Competência da Justiça do Trabalho. Compete a justiça do trabalho


processar e julgar as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os
entes de direito público EXTERNO e da ADM. PÚBLICA DIRETA e INDIRETA da
União, UF, DF e MUNICÍPIOS. ​VERDADEIRO

Art. 114. CF/88

Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar: (Redação dada pela Emenda


Constitucional nº 45, de 2004)
I as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito público
externo e da administração pública direta e indireta da União, dos Estados, do
Distrito Federal e dos Municípios; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de
2004)
II as ações que envolvam exercício do direito de greve; (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004)
III as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e
trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores; (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004)
IV os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data , quando o ato
questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição; (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004)
V os conflitos de competência entre órgãos com jurisdição trabalhista, ressalvado
o disposto no art. 102, I, o; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
VI as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da
relação de trabalho; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
VII as ações relativas às penalidades administrativas impostas aos empregadores
pelos órgãos de fiscalização das relações de trabalho; (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004)
VIII a execução, de ofício, das contribuições sociais previstas no art. 195, I, a , e
II, e seus acréscimos legais, decorrentes das sentenças que proferir; (Incluído
pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
IX outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, na forma da lei.
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
§ 1º - Frustrada a negociação coletiva, as partes poderão eleger árbitros.
§ 2º Recusando-se qualquer das partes à negociação coletiva ou à arbitragem, é
facultado às mesmas, de comum acordo, ajuizar dissídio coletivo de natureza
econômica, podendo a Justiça do Trabalho decidir o conflito, respeitadas as
disposições mínimas legais de proteção ao trabalho, bem como as convencionadas
anteriormente. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
§ 3º Em caso de greve em atividade essencial, com possibilidade de lesão do
interesse público, o Ministério Público do Trabalho poderá ajuizar dissídio coletivo,
competindo à Justiça do Trabalho decidir o conflito. (Redação dada pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004)

V OU F - DA COMPETÊNCIA DA JT. Compete à JT processar e julgar as ações


que envolvam o exercício do direito de greve.​ VERDADEIRO

Art. 114, II, CF ​- as ações que envolvam exercício do direito de greve; (Incluído pela
Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

V OU F - COMPETÊNCIA DA JT

Compete processar e julgar as ações sobre representação sindical entre:

SINDICATO X SINDICATO

SINDICATO X TRABALHADORES

SINDICATO X EMPREGADORES

VERDADEIRO

Art. 114, III, CF - as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre
sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores; (Incluído pela
Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

V OU F - COMPETÊNCIA DA JT. Compete processar e julgar os mandados de


injunção, HC e HD, quando o ato questionado envolver matéria sujeita à sua
jurisdição. ​FALSO - Mandados de Segurança e não de injunção
Art. 114, IV, CF - s mandados de segurança, habeas corpus e habeas data ,
quando o ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição; (Incluído pela
Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

V OU F - COMPETÊNCIA DA JT. Compete processar e julgar os conflitos de


competência entre órgãos com jurisdição trabalhista; ações de indenização
por DANO MORAL ou PATRIMONIAL, decorrentes da relação do trabalho.
VERDADEIRO
Art. 114, V e VI, CF - V: os conflitos de competência entre órgãos com jurisdição
trabalhista, ressalvado o disposto no art. 102, I, o; (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004)
VI: as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da
relação de trabalho; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

As penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de


fiscalização das relações de trabalho enquadra-se como uma das
competências da justiça do trabalho?​ SIM
Art. 114, VII, CF - as ações relativas às penalidades administrativas impostas aos
empregadores pelos órgãos de fiscalização das relações de trabalho; (Incluído pela
Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

No caso de Greve em atividade ESSENCIAL, com possibilidade de lesão do


INTERESSE PÚBLICO, o MPT poderá ajuizar dissídio coletivo, competindo à
justiça do trabalho decidir o conflito?​ SIM
Art. 114, § 3º, CF - Em caso de greve em atividade essencial, com possibilidade de
lesão do interesse público, o Ministério Público do Trabalho poderá ajuizar dissídio
coletivo, competindo à Justiça do Trabalho decidir o conflito. (Redação dada pela
Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

A quem compete decidir sobre execução de honorários de profissional liberal?


A justiça Estadual, conforme Súmula 363/STJ

É possível a sujeição de ação envolvendo empregado público regido pela CLT,


tendo a Justiça do Trabalho competência para processar e julgar? SIM.
conforme ADI 3395. EX. Empregados do BB, CAIXA, CORREIOS

V OU F - QUANDO ENVOLVER:

CARGO COMISSIONADO - Justiça Comum


TEMPORÁRIO - Justiça Comum

Nulidade de Contrato - Justiça do Trabalho

ESTAGIÁRIO - Justiça Comum

VERDADEIRO

A qual justiça compete processar e julgar ação envolvendo:

EMPREGADO X EMPREGADOR - Justiça do Trabalho

A qual justiça compete processar e julgar ação envolvendo:

EMPREGADO X INSS - Justiça Comum Estadual. conforme Art. 109, I, CF

Parte final

Art. 109. Aos juízes federais compete processar e julgar:

I - as causas em que a União, entidade autárquica ou empresa pública federal


forem interessadas na condição de autoras, rés, assistentes ou oponentes, ​exceto
as de falência, as de acidentes de trabalho e as sujeitas à Justiça Eleitoral e à
Justiça do Trabalho​;

A qual justiça compete processar e julgar ação envolvendo:

EMPREGADOR X INSS - Justiça Federal. Conforme art. 109, I, CF - Primeira parte

Art. 109. Aos juízes federais compete processar e julgar:

I - ​as causas em que a União, entidade autárquica ou empresa pública


federal forem interessadas na condição de autoras, rés, assistentes ou
oponentes​, exceto as de falência, as de acidentes de trabalho e as sujeitas à
Justiça Eleitoral e à Justiça do Trabalho;

V OU F - A justiça do trabalho é competente para processar e julgar ações de


indenização por dano moral e material, decorrentes da relação de trabalho,
inclusive as oriundas de acidente de trabalho e doenças a ele equiparadas,
ainda que propostas pelos dependentes ou sucessores do trabalhador
falecido.​ VERDADEIRO - Conforme SÚMULA 393,TST

Súmula nº 393 do TST


RECURSO ORDINÁRIO. EFEITO DEVOLUTIVO EM PROFUNDIDADE. ART.
1.013, § 1º, DO CPC DE 2015. ART. 515, § 1º, DO CPC DE 1973. (nova redação
em decorrência do CPC de 2015) – Res. 208/2016, DEJT divulgado em 22, 25 e
26.04.2016
I - O efeito devolutivo em profundidade do recurso ordinário, que se extrai do § 1º do
art. 1.013 do CPC de 2015 (art. 515, §1º, do CPC de 1973), transfere ao Tribunal a
apreciação dos fundamentos da inicial ou da defesa, não examinados pela
sentença, ainda que não renovados em contrarrazões, desde que relativos ao
capítulo impugnado.
II - Se o processo estiver em condições, o tribunal, ao julgar o recurso ordinário,
deverá decidir desde logo o mérito da causa, nos termos do § 3º do art. 1.013 do
CPC de 2015, inclusive quando constatar a omissão da sentença no exame de um
dos pedidos.

V OU F - Compete à Justiça FEDERAL ou aos juízes com competência


delegada o julgamento das execuções fiscais de contribuições devidas pelo
EMPREGADOR ao FGTS. ​VERDADEIRO - Conforme Súmula 349/STJ
Súmula nº 349 do TST
ACORDO DE COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO EM ATIVIDADE INSALUBRE,
CELEBRADO POR ACORDO COLETIVO. VALIDADE. (cancelada) - Res.
174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e 31.05.2011
A validade de acordo coletivo ou convenção coletiva de compensação de jornada de
trabalho em atividade insalubre prescinde da inspeção prévia da autoridade
competente em matéria de higiene do trabalho (art. 7º, XIII, da CF/1988; art. 60 da
CLT).

No caso de lide entre empregado e empregador tendo por objeto a indenização


pelo não fornecimento das guias do SEGURO-DESEMPREGO, a qual justiça
cabe processar e julgar?​ JUSTIÇA DO TRABALHO.
Súmula 389, I, TST - O não fornecimento das guias ao empregado dá direito a
indenização.
Súmula nº 389 do TST
SEGURO-DESEMPREGO. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO.
DIREITO À INDENIZAÇÃO POR NÃO LIBERAÇÃO DE GUIAS (conversão das
Orientações Jurisprudenciais nºs 210 e 211 da SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20,
22 e 25.04.2005
I - Inscreve-se na competência material da Justiça do Trabalho a lide entre
empregado e empregador tendo por objeto indenização pelo não-fornecimento das
guias do seguro-desemprego. (ex-OJ nº 210 da SBDI-1 - inserida em 08.11.2000)
II - O não-fornecimento pelo empregador da guia necessária para o recebimento do
seguro-desemprego dá origem ao direito à indenização. (ex-OJ nº 211 da SBDI-1 -
inserida em 08.11.2000)
No caso de ação ajuizada por empregado em face de empregador relativas ao
cadastramento no Programa de Integração Social (PIS), a quem cabe
processar e julgar?​ A justiça do trabalho
SÚMULA 300, TST
COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO. CADASTRAMENTO NO PIS
(mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003
Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar ações ajuizadas por empregados
em face de empregadores relativas ao cadastramento no Programa de Integração
Social (PIS).

As ações que versem sobre meio ambiente do trabalho também são de


competência da justiça do trabalho. VERDADEIRO

V OU F - A Justiça do Trabalho tem competência para julgar EQUIPARAÇÃO e


REENQUADRAMENTO de empregados, independentemente.​ FALSO
Conforme súmula 6, I, TST, somente do quadro de pessoal organizado em carreira
quando HOMOLOGADO pelo Ministério do Trabalho.
Súmula nº 6 do TST
E​QUIPARAÇÃO SALARIAL. ART. 461 DA CLT (redação do item VI alterada) –
Res. 198/2015, republicada em razão de erro material – DEJT divulgado em 12,
15 e 16.06.2015
I - Para os fins previstos no § 2º do art. 461 da CLT, só é válido o quadro de pessoal
organizado em carreira quando homologado pelo Ministério do Trabalho,
excluindo-se, apenas, dessa exigência o quadro de carreira das entidades de direito
público da administração direta, autárquica e fundacional aprovado por ato
administrativo da autoridade competente. (ex-Súmula nº 06 – alterada pela Res.
104/2000, DJ 20.12.2000)

Quanto a competência da Justiça do Trabalho, como é determinada? ​Pela


localidade onde o empregado, reclamante ou reclamado, prestar serviços ao
empregador, ainda que tenha sido contratado noutro local ou no estrangeiro. Art.
651, CLT
Art. 651 - A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento é
determinada pela localidade onde o empregado, reclamante ou reclamado, prestar
serviços ao empregador, ainda que tenha sido contratado noutro local ou no
estrangeiro. ​(Vide Constituição Federal de 1988)
§ 1º Quando for parte no dissídio agente ou viajante, é competente a Junta da
localidade onde o empregador tiver o seu domicílio, salvo se o empregado estiver
imediatamente subordinado à agência, ou filial, caso em que será competente a
Junta em cuja jurisdição estiver situada a mesma agência ou filial.
§ 1º - Quando for parte de dissídio agente ou viajante comercial, a competência
será da Junta da localidade em que a empresa tenha agência ou filial e a esta o
empregado esteja subordinado e, na falta, será competente a Junta da localização
em que o empregado tenha domicílio ou a localidade mais próxima. ​(Redação dada
pela Lei nº 9.851, de 27.10.1999)​ ​(Vide Constituição Federal de 1988)
§ 2º - A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento, estabelecida
neste artigo, estende-se aos dissídios ocorridos em agência ou filial no estrangeiro,
desde que o empregado seja brasileiro e não haja convenção internacional
dispondo em contrário. ​(Vide Constituição Federal de 1988)
§ 3º - Em se tratando de empregador que promova realização de atividades
fora do lugar do contrato de trabalho, é assegurado ao empregado apresentar
reclamação no foro da celebração do contrato ou no da prestação dos respectivos
serviços.

Qual o critério de competência quando o empregado prestar serviços


itinerante? A competência será da localidade em que a EMPRESA tenha AGÊNCIA
ou FILIAL e a esta o empregado esteja SUBORDINADO. Na sua falta, será
competente a da localização em que o empregado tenha domicílio ou da localidade
mais próxima.

Se empregado brasileiro, contratado no Brasil para prestar serviço no exterior,


como ocorre a competência para processar e julga ação trabalhista? Segundo
o §2º, do art. 651, CLT, será da justiça do trabalho brasileira, desde que não haja
convenção internacional dispondo do contrário.
§ 2º - A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento, estabelecida
neste artigo, estende-se aos dissídios ocorridos em agência ou filial no estrangeiro,
desde que o empregado seja brasileiro e não haja convenção internacional
dispondo em contrário.

Se a prestação de serviço em que o empregador seja móvel, como é o caso do


circo, como se definirá a competência? Será o FORO onde se formalizou o
contrato de trabalho ou no da prestação de serviços. §3º, art . 651, CLT
§ 3º - Em se tratando de empregador que promova realização de atividades
fora do lugar do contrato de trabalho, é assegurado ao empregado apresentar
reclamação no foro da celebração do contrato ou no da prestação dos respectivos
serviços.

Nas causa da jurisdição da Justiça do Trabalho, somente podem ser opostas,


com quais tipos de suspeição? A Exceção de suspensão ou incompetência - Art.
799, CLT
​ rt. 799 - Nas causas da jurisdição da Justiça do Trabalho, somente podem ser
A
opostas, com suspensão do feito, as exceções de suspeição ou incompetência.
(Redação dada pelo Decreto-lei nº 8.737, de 19.1.1946)
§ 1º - As demais exceções serão alegadas como matéria de defesa. ​(Redação
dada pelo Decreto-lei nº 8.737, de 19.1.1946)
§ 2º - Das decisões sobre exceções de suspeição e incompetência, salvo,
quanto a estas, se terminativas do feito, não caberá recurso, podendo, no entanto,
as partes alegá-las novamente no recurso que couber da decisão final.

V OU F - Juiz do Trabalho é competente para processar e julga dissídio


coletivo. ​FALSO - A competência é do TRT ou TST - Art. 677, CLT
Art. 677 - A competência dos ​Tribunais Regionais determina-se pela forma indicada
no art. 651 e seus parágrafos e, nos casos de dissídio coletivo, pelo local onde este
ocorrer.

Quando for dissídio coletivo de determinada UF, a competência é do TRT


respectivo. ​VERDADEIRO

Quando for dissídio coletivo em que seja competente um ou outro TRT, caberá
ao TST avocar a competência. ​VERDADEIRO

V ou F - A competência postulatória que as partes, EMPREGADO e


EMPREGADOR detém para reclamar pessoalmente perante a justiça do
trabalho, limita-se às Varas do Trabalho e TRT's. ​VERDADEIRO - Súmula nº 425
do TST
Súmula nº 425 do TST
JUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO. ALCANCE. Res. 165/2010,
DEJT divulgado em 30.04.2010 e 03 e 04.05.2010
O ​jus postulandi das partes, estabelecido no art. 791 da CLT, limita-se às Varas do
Trabalho e aos Tribunais Regionais do Trabalho, não alcançando a ação rescisória,
a ação cautelar, o mandado de segurança e os recursos de competência do
Tribunal Superior do Trabalho.

V OU F - Os procuradores da União, Estados e Municípios, quando


representando seus entes, estão dispensados da juntada de procuração e
comprovação de ato de nomeação.​VERDADEIRO Súmula 436 TST
Súmula nº 436 do TST
REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL. PROCURADOR DA UNIÃO, ESTADOS,
MUNICÍPIOS E DISTRITO FEDERAL, SUAS AUTARQUIAS E FUNDAÇÕES
PÚBLICAS. JUNTADA DE INSTRUMENTO DE MANDATO ​(conversão da
Orientação Jurisprudencial nº 52 da SBDI-I e inserção do item II à redação) -
Res. 185/2012, DEJT divulgado em 25, 26 e 27.09.2012
I - ​A União, Estados, Municípios e Distrito Federal, suas autarquias e fundações
públicas, quando representadas em juízo, ativa e passivamente, por seus
procuradores, estão dispensadas da juntada de instrumento de mandato ​e de
comprovação do ato de nomeação.
II - Para os efeitos do item anterior, é essencial que o signatário ao menos
declare-se exercente do cargo de procurador, não bastando a indicação do número
de inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil.

V ou F - O substabelecimento de mandado tácito é valido para os fins que se


destina. ​FALSO
OJ 200 TST - É inválido o substabelecimento de advogado investido de mandado
tácito
200. MANDATO TÁCITO. SUBSTABELECIMENTO INVÁLIDO (inserido
dispositivo) - DJ 20.04.2005
É inválido o substabelecimento de advogado investido de mandato tácito.

V OU F - É inválido o instrumento de mandado firmado em nome de pessoa


jurídica que não contenha, pelo menos, o nome do outorgante e do signatário
da procuração, pois estes dados constituem elementos que os individualizam.
VERDADEIRO - Súmula 456 TST
úmula nº 456 do TST
REPRESENTAÇÃO. PESSOA JURÍDICA. PROCURAÇÃO. INVALIDADE.
IDENTIFICAÇÃO DO OUTORGANTE E DE SEU REPRESENTANTE. (inseridos
os itens II e III em decorrência do CPC de 2015) - Res. 211/2016, DEJT
divulgado em 24, 25 e 26.08.2016
I - É inválido o instrumento de mandato firmado em nome de pessoa jurídica que
não contenha, pelo menos, o nome do outorgante e do signatário da procuração,
pois estes dados constituem elementosque os individualizam.
II – Verificada a irregularidade de representação da parte na instância originária, o
juiz designará prazo de 5 (cinco) dias para que seja sanado o vício. Descumprida a
determinação, extinguirá o processo, sem resolução de mérito, se a providência
couber ao reclamante, ou considerará revel o reclamado, se a providência lhe
couber (art. 76, § 1º, do CPC de 2015).
III – Caso a irregularidade de representação da parte seja constatada em fase
recursal, o relator designará prazo de 5 (cinco) dias para que seja sanado o vício.
Descumprida a determinação, o relator não conhecerá do recurso, se a providência
couber ao recorrente, ou determinará o desentranhamento das contrarrazões, se a
providência couber ao recorrido (art. 76, § 2º, do CPC de2015).
IUJ 85600-06.2007.5.15.0000​ - Red. Min. Ives Gandra Martins Filho
DEJT 19.04.2014/J-16.11.2010 - Decisão por maioria
É válido o substabelecimento sem o reconhecimento de firma? NÃO. OJ 75 do
TST
75. SUBSTABELECIMENTO SEM O RECONHECIMENTO DE FIRMA DO
SUBSTABELECENTE. INVÁLIDO (ANTERIOR À LEI Nº 8.952/94) (inserido
dispositivo) - DJ 20.04.2005
Não produz efeitos jurídicos recurso subscrito por advogado com poderes
conferidos em substabelecimento em que não consta o reconhecimento de firma do
outorgante. Entendimento aplicável antes do advento da Lei nº 8.952/94.

O MP, e os entes políticos (união, estados, municípios e DF) , são isentos de


custas na justiça do trabalho?​ VERDADEIRO - art. 790-B CLT
​Art. 790-B. A responsabilidade pelo pagamento dos honorários periciais é da parte
sucumbente na pretensão objeto da perícia, salvo se beneficiária de justiça gratuita.

O que é mandado APUD ACTA? É procuração dada nos próprios autos da causa
pelo respectivo escrivão, perante o juiz oficiante, ou lavrada em cartório, perante
duas testemunhas. Tem caráter judicial, não sendo válida extrajudicialmente.
Equipara-se à procuração por instrumento público.

Quanto a contagem de prazo na justiça do trabalho, exclue-se o dia do começo


e inclui-se o dia do término. ​VERDADEIRO - Art. 775 CLT
​Art. 775 - Os prazos estabelecidos neste Título contam-se com exclusão do dia do
começo e inclusão do dia do vencimento, e são contínuos e irreleváveis, podendo,
entretanto, ser prorrogados pelo tempo estritamente necessário pelo juiz ou tribunal,
ou em virtude de força maior, devidamente comprovada. ​(Redação dada
pelo Decreto-lei nº 8.737, de 19.1.1946)
Parágrafo único - Os prazos que se vencerem em sábado, domingo ou dia
feriado, terminarão no primeiro dia útil seguinte.

Quais os tipos de dissídios coletivos? Econômico (originário ou revisão);


Jurídico; Greve

Quais os tipos de ritos dos dissídios individuais? TRABALHISTAS e CIVIS

QUAIS OS RITOS TRABALHISTAS?


a) de Alçada;
b) Sumaríssimo;
c) Ordinário; e
d) do inquérito para apuração de falta grave

Qual o rito mais rápido na justiça do trabalho? De Alçada, também chamado


SUMÁRIO
até 2 salários-mínimos - Lei 5584/70

Qual o limite do rito SUMARÍSSIMO?​ De 2 a 40 salários-mínimos

Qual o valor do rito ordinário? ​Acima de 40 salários-mínimos

Quais os ritos civis?


Ação em consignação;
Mandados proibitórios;
MS
HC
Ação rescisória; e
Ação anulatória.

A indexação do RITO pelo salário-mínimo é inconstitucional? NÃO. Segundo


STF/STJ essa vinculação não afeta a qualidade de vida do trabalhador.

Nos dissídios individuais os empregados ou empregadores DEVERÃO ser


representados. ​FALSO
Poderão ser representados. ver art. 791
Art. 791 - Os empregados e os empregadores poderão reclamar pessoalmente
perante a Justiça do Trabalho e acompanhar as suas reclamações até o final.
§ 1º - Nos dissídios individuais os empregados e empregadores poderão
fazer-se representar por intermédio do sindicato, advogado, solicitador, ou
provisionado, inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil.
§ 2º - Nos dissídios coletivos é facultada aos interessados a assistência por
advogado.
§ 3​o A constituição de procurador com poderes para o foro em geral poderá
ser efetivada, mediante simples registro em ata de audiência, a requerimento verbal
do advogado interessado, com anuência da parte representada.

V ou F - A juntada de ata de audiência que conste a presença de advogado,


desde que não estivesse atuando com mandado expresso, torna dispensável a
procuração deste, visto que está demonstrada existência de mandado tácito.
VERDADEIRO - OJDI 286
286. AGRAVO DE INSTRUMENTO. TRASLADO. MANDATO TÁCITO. ATA DE
AUDIÊNCIA. CONFIGURAÇÃO (alterada - Res. 167/2010, DEJT divulgado em
30.04.2010 e 03 e 04.05.2010)
I - A juntada da ata de audiência, em que consignada a presença do advogado,
desde que não estivesse atuando com mandato expresso, torna dispensável a
procuração deste, porque demonstrada a existência de mandato tácito.
II - Configurada a existência de mandato tácito fica suprida a irregularidade
detectada no mandato expresso.

Os Estados e Municípios têm legitimidade para recorrer em nome de suas


autarquias detentoras de personalidade jurídica própria.​ FALSO
OJ 318 - devem ser apresentadas por procuradores próprios ou advogados
constituídos.
318. AUTARQUIA. FUNDAÇÃO PÚBLICA. LEGITIMIDADE PARA RECORRER.
REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL. (incluído o item II e alterada em
decorrência do CPC de 2015) - Res. 220/2017, DEJT divulgado em 21, 22 e
25.09.2017
I - Os Estados e os Municípios não têm legitimidade para recorrer em nome das
autarquias e das fundações públicas.
II – Os procuradores estaduais e municipais podem representar as respectivas
autarquias e fundações públicas em juízo somente se designados pela lei da
respectiva unidade da federação (art. 75, IV, do CPC de 2015) ou se investidos de
instrumento de mandato válido.

V OU F - É causa de irregularidade insanável a falta de data de outorga em


substabelecimentos de mandado civil, pois é condição de validade. FALSO.
por não ser condição de validade, considera a data da juntada nos autos. OJ 371
371. IRREGULARIDADE DE REPRESENTAÇÃO. SUBSTABELECIMENTO NÃO
DATADO. INAPLICABILIDADE DO ART. 654, § 1º, DO CÓDIGO CIVIL.
(atualizada em decorrência do CPC de 2015) – Res. 208/2016, DEJT divulgado
em 22, 25 e 26.04.2016
Não caracteriza a irregularidade de representação a ausência da data da outorga de
poderes, pois, no mandato judicial, ao contrário do mandato civil, não é condição de
validade do negócio jurídico. Assim, a data a ser considerada é aquela em que o
instrumento for juntado aos autos, conforme preceitua o art. 409, IV, do CPC de
2015 (art. 370, IV, do CPC de 1973).Inaplicável o art. 654, § 1º, do Código Civil.

V ou F - O juiz pode arbitrar o valor da causa na sentença, todavia cabe


recurso com pedido de revisão que fixar o valor. ​VERDADEIRO

Se a petição inicial for verbal, qual o procedimento do escrivão/secretário a


partir daí? ​Deverá reduzir a termo em 2 vias, datadas e assinadas pelo
escrivão/secretário. Este, por sua vez, remeterá uma das vias ao reclamado, para
que compareça em audiência.

Na audiência de julgamento deverão está presentes o RECLAMANTE e


RECLAMADO, independente do comparecimento de seus representantes.
VERDADEIRO.
Exceção: nos casos de reclamatórias PLÚRIMAS ou Ações de Cumprimento.

É possível o aditamento ou emenda da ação após o SANEAMENTO? NÃO.


todavia, o professor acredita que seria possível sim, até a apresentação da defesa.

Como se conta o prazo no caso de litisconsorte? Prazo comum e simultâneo a


todos os litisconsortes.

V OU F - O prazo da fazenda Pública na Justiça do Trabalho é em quádruplo, e


no caso de Recurso é em dobro.​VERDADEIRO - Notificação: 20 dias - Recurso:
16 dias

V OU F - No processo do trabalho, a prescrição se reconhece de ofício. -


FALSO. A prescrição deve ser provocada em Preliminar

O que é prescrição intercorrente? A prescrição intercorrente está inserida no


lapso temporal que toma o processo executivo, em razão da inércia do exequente,
tendo como consequência a extinção do feito, ou seja, é aquela que ocorre durante
a EXECUÇÃO.

Segundo o STF, ocorre a prescrição intercorrente somente nas relações de


TRABALHO. ​Verdadeiro. Súmula 327
327. DANO MORAL. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO (cancelada
em decorrência da sua conversão na Súmula nº 392) - DJ 20.04.2005
Nos termos do art. 114 da CF/88, a Justiça do Trabalho é competente para dirimir
controvérsias referentes à indenização por dano moral, quando decorrente da
relação de trabalho.

Segundo o TST, se aplica a prescrição intercorrente somente com nas


relações de emprego. VERDADEIRO - Súmula 114 - É inaplicável na Justiça do
Trabalho a prescrição intercorrente.
Súmula nº 114 do TST
PRESCRIÇÃO INTERCORRENTE (mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e
21.11.2003
É inaplicável na Justiça do Trabalho a prescrição intercorrente.

A EXECUÇÃO TRABALHISTA na relação de emprego ocorre de ofício pelo juiz.


VERDADEIRO

Como é calculado o Aviso Prévio? ​30 dias, para contratos menores que 1 ano; a
partir de 1 ano, a cada ano a mais soma-se 3 dias.
O não comparecimento do Reclamado à audiência dá ensejo ao juiz considerar
a REVELIA. ​Verdadeiro

Considerada a REVELIA, pode ser entendido a confissão ficta? ​SIM.

Quanto ao intervalo entre as jornadas de trabalho, o empregador deverá


conceder pelo menos 1 hora. Se der menos, deverá indenizar a hora inteira +
adicional de no mínimo 50%.​ VERDADEIRO

O que é rescisão indireta? Se origina da falta grave praticada pelo empregador na


relação de trabalho, prevista na legislação trabalhista como justo motivo para
rompimento do vínculo empregatício por parte do empregado.

Quais as hipóteses de rescisão indireta?​ Art. 482 CLT


Art. 482 - Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo
empregador:
a) ato de improbidade;
b) incontinência de conduta ou mau procedimento;
c) negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do
empregador, e quando constituir ato de concorrência à empresa para a qual
trabalha o empregado, ou for prejudicial ao serviço;
d) condenação criminal do empregado, passada em julgado, caso não tenha
havido suspensão da execução da pena;
e) desídia no desempenho das respectivas funções;
f) embriaguez habitual ou em serviço;
g) violação de segredo da empresa;
h) ato de indisciplina ou de insubordinação;
i) abandono de emprego;
j) ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer
pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima
defesa, própria ou de outrem;
k) ato lesivo da honra ou da boa fama ou ofensas físicas praticadas contra o
empregador e superiores hierárquicos, salvo em caso de legítima defesa, própria ou
de outrem;
l) prática constante de jogos de azar.
Parágrafo único - Constitui igualmente justa causa para dispensa de
empregado a prática, devidamente comprovada em inquérito administrativo, de atos
atentatórios à segurança nacional.