Você está na página 1de 599

CENTRO DE TREINAMENTO

STEMAC

MÓDULO SISTEMAS SINGELOS


VOLUME II
Vol. II – Comandos Elétricos Seção

Quadro de Comando Manual...............................................01


Quadro de Comando Eletrobomba......................................02
Quadro de Comando Motobomba........................................03
Diagramas Motobomba........................................................04
Quadro de Comando ST2030..............................................05
Quadro de Comando ST2040..............................................06
Diagramas ST2030/40..........................................................07
Quadro de Comando ST2130...............................................08
Diagramas ST2130...............................................................09
1. APRESENTAÇÃO MOTOBOMBA V4

O produto Motobomba desenvolvido na versão 4 e concebido de acordo com a norma NFPA20, passa a ser
produzido em Dez/2007 e é composto por painel de motor(PM), quadro de distribuição de motor (QDM
MOTOBOMBA) e quadro de motobomba(QMB).

1.1. QUADRO DE MOTOBOMBA

1.1.1. COMPOSIÇÃO DO QMB


O quadro é composto por 2 retificadores para recarga dos bancos de baterias, tomada, régua de bornes para
interligação com QDM, controlador MRS15, alarme sonoro, mini contator para pré-aquecimento e caixa.

1.1.2. CARACTERÍSTICAS DO CONTROLADOR INTELILITE MRS15


O controlador do fabricante ComAp é um controlador com 6 entradas e 6 saídas digitais e 3 entradas
analógicas, destinado à aplicação em motobombas que atendam a Norma NPFA20.
Segue uma apresentação resumida do frontal, maiores detalhes no manual do produto.

1. MODE→ Seleção de modo de operação – avançar - (OFF -> MAN -> AUT )
2. ←MODE Seleção de modo de operação – retroceder - (AUT -> MAN ->OFF )
3. HORN RESET Desativa sirene
4. FAULT RESET Limpa lista de falhas e alarmes
5. START Partida Motobomba
6. STOP Parada Motobomba
9. PAGE Seleção de modo do display (MEASUREMENT->ADJUSTEMENT->HISTORY)
10. Seleção de set point, incremento de parâmetros e valores de set point.
11. Seleção de set point, decremento de parâmetros e valores de set point.
12. ENTER Confirmação de ajustes de set point
13. ENGINE RUNNING, Sem alarmes, led verde ligado
14. ENGINE FAILURE: Led vermelho piscando quando ocorre falhas na Motobomba. Após
pressionar FAULT RESET e a falha ainda estar presente o led permanece aceso, casa não houver
mais falhas ele desligará.
1.1.3. PRINCIPAIS FUNÇÕES DO CONTROLADOR
Em modo OFF, o controlador estará totalmente inoperante. Em modo MAN é possível partir e parar a
motobomba via teclado do controlador. Em modo AUT a motobomba somente entrará em funcionamento
através da entrada digital de Partida/parada remota-Baixa pressão d’agua.

1.2. QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO DO MOTOR

1.2.1. COMPOSIÇÃO DO QDM


O quadro é composto por 2 chaves de seleção de baterias automaticas, 2 chaves de seleção de baterias
manuais, uma chave de seleção de modo Auto/Man do sistema, réguas de bornes para interligação com
QMB, relés de partida e funcionamento e opcionalmente regulador de velocidade.

1.2.2. PRINCIPAIS FUNÇÕES DO QDM


O QDM destina-se abrigar as chaves de seleção automáticas e manuais de baterias bem como interligar a
motobomba ao QMB.
Quando a chave S3 denominda AUTO/MAN estiver posicionada em AUTO, todas as operações de
controle/operação estarão disponíveis apenas pelo controlador, inclusive a seleção de baterias.
Quando a chave S3 denominda AUTO/MAN estiver posicionada em MAN, o controlador entrará em
Emergência Manual, condição na qual ficará inoperante. Nesta condição o painel do motor (PM) estará
operante para que se possa realizar manualmente através da chave de partida do PM o acionamento da
motobomba, com uma das chaves manuais (S1 ou S2) de seleção de bateria do QDM acionada previamente.
1.3. PAINEL DO MOTOR

1.3.1. COMPOSIÇÃO DO PM
O PM é composto por 1 tacômetro, 1 termômetro, 1 manômetro, 1 chave de partida, 2 sinaleiros – 1 para
indicação de alta temperatura do motor e outro para baixa pressão do óleo.

1.3.2. PRINCIPAIS FUNÇÕES DO PM


O PM destina-se à aplicação de partida manual e supervisão local das funções básicas da motobomba.
A chave de partida e os sinaleiros estarão operantes apenas quando a chave AUTO/MAN (S3) do QDM
estiver posicionada em MAN.
1.3.3. CONTROLADOR COMAP INTELILITE MRS15

NOTAS:
(1) O capacitor será usado caso seja necessário armazenar energia para manter o relé, localizado em paralelo,
comutado quando ocorrer uma queda de tensão na alimentação (pinos 01 e 03). Esta queda poderá ter uma
duração máxima de 100ms com nível de tensão abaixo de 4Vcc. A placa deverá prever a utilização do
capacitor mesmo não sendo necessário sua utilização.
(2) O relé definirá a necessidade de utilizar o capacitor ou não. Se sua tensão mínima de retensão for menor de
2,8Vcc não havera necessidade do capacitor, caso contrário deverá ser utilizado um capacitor adequado
que garanta a retenção do relé durante as quedas de tensão.
1.3.4. SINAIS DOS CONECTORES DO MÓDULO DE CONEXÃO E/S DIGITAIS - MC-03
As entradas e saídas digitais são originárias do campo e através do Módulo de Conexão
MC-03 serão conectadas ao controlador.
O texto dos BORNEs deverão estar identificados no módulo conforme descrito na tabela
abaixo do conector 01 e 02 de maneira que permita a identificação do borne.
O texto dos TAGs deverão estar identificados na mascara de componentes da placa de
circuito impresso conforme descrito na tabela abaixo do conector 01 e 02 de maneira que
permita a identificação do sinal aplicado ao borne.

Identificação dos sinais do CONECTOR 01


T DESCRIÇÃO
BORNE A
G
Comum das entradas digitais podendo ser
1 C
Vcc ou GND
E
2 Entrada digital 0
0
E
3 Entrada digital 1
1
E
4 Entrada digital 2
2
E
5 Entrada digital 3
3
E
6 Entrada digital 4
4
E
7 Entrada digital 5
5
E
8 Entrada digital 6
6
E
9 Entrada digital 7
7

Identificação dos sinais do CONECTOR 02


T DESCRIÇÃO
BORNE A
G
V
Alimentação das Saídas Digitais e do cirtuito
10 c
interno do Controlador
c
G
11 N GND das Saídas digitais
D
S
0
12 / Saída digital 0 – Contato NF
N
F
S
0
13 Saída digital 0 – Comum do Contado
/
C
S
0
14 / Saída digital 0 – Contato NA
N
A
S
1
15 / Saída digital 1 – Contato NF
N
F
S
16 1 Saída digital 1 – Comum do Contado
/
C
S
1
17 / Saída digital 1 – Contato NA
N
A
S
2
18 / Saída digital 2 – Contato NF
N
F
S
2
19 Saída digital 2 – Comum do Contado
/
C
S
2
20 / Saída digital 2 – Contato NA
N
A
S
3
21 / Saída digital 3 – Contato NF
N
F
S
3
22 Saída digital 3 – Comum do Contado
/
C
S
3
23 / Saída digital 3 – Contato NA
N
A
S
4
24 / Saída digital 4 – Contato NF
N
F
S
4
25 Saída digital 4 – Comum do Contado
/
C
S
4
26 / Saída digital 4 – Contato NA
N
A
S
5
27 / Saída digital 5 – Contato NF
N
F
S
5
28 Saída digital 5 – Comum do Contado
/
C
S
5
29 / Saída digital 5 – Contato NA
N
A
S
6
30 / Saída digital 6 – Contato NF
N
F
S
6
31 Saída digital 6 – Comum do Contado
/
C
S
6
32 / Saída digital 6 – Contato NA
N
A
S
7
33 / Saída digital 7 – Contato NF
N
F
S
7
34 Saída digital 7 – Comum do Contado
/
C
S
7
35 / Saída digital 7 – Contato NA
N
A
1 2 3 4 5 6 7 8

A A

B B

C
PM MOTOBOMBA C

(PAINEL DE MOTOR)

D D

E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 13/02/08 PILZ PILZ HERMES LARS GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 20/11/07 LEONARDO LEONARDO HERMES ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO MARCELO ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA:

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: PM MOTOBOMBA PÁGINA:
CAPA
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 1 de 2

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
PM.00000.000.40001.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

+QDM MOTOBOMBA

A A

1.50 mm² XP4- 1


COMUM - CH PARTIDA MAN

1
S1

3 2 1 0 CHAVE PARTIDA MANUAL


4 3 2
1.50 mm² XP4- 2
FUNC - CH PARTIDA MAN

B 1.50 mm² XP4- 3


PARTIDA - CH PARTIDA MAN B

+MOTOR 1.50 mm² XP4- 6


FUNCIONAMENTO (VCC+)
1.00 mm²
B-
(+)
U (+)
1.50 mm² W
D+
~3 W
n
G
RPM
(-) PR1

1.50 mm²
G1 (-) TACÔMETRO
B+ +ORIGINAL MOTOR
1.00 mm²
ALTERNADOR 1.50 mm² XP4- 5
VCC (-)

C C
1.50 mm²

XP4
1.00 mm² 1.50 mm² XP4- 4
POLARIZADOR

+
1 1
H2O

1.50 mm²
Bar 60mm - MEC H2 H1
oil L
t -
PP1
MANOMÊTRO PT1 2 2
G 1.50 mm² XP4- 7
INDICADOR DE TEMPERATURA SINALIZAÇÃO TERMOSTATO

1.50 mm²
D 1.50 mm² XP4- 8
D
SINALIZAÇÃO PRESSOSTATO

XP4 1- COMUM - CH PARTIDA MAN.


+MOTOR 1
2
2/A7
2/B7
2- FUNC. - CH PARTIDA MAN.
3- PARTIDA - CH PARTIDA MAN.
1 2 3 3 2/B7 4- POLARIZADOR.
1 4 2/C7 5- VCC (-).
4 5 6 5 2/C7
6 2/B7 6- FUNCIONAMENTO (VCC+).
t 7 2/D7 7- SINALIZAÇÃO TERMOSTATO
7 8 9 8 2/D7 8- SINALIZAÇÃO PRESSOSTATO
B1 9 9- N.A.
10 11 12 10 10- N.A.
SENSOR DE TEMPERATURA 11 11- N.A.
INSTALADO NO MOTOR 12
12- N.A.

E PAINEL MOTOR E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 13/02/08 PILZ PILZ HERMES LARS GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 20/11/07 LEONARDO LEONARDO HERMES ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO MARCELO ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA:

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: PDM MOTOBOMBA PÁGINA:
DIAGRAMA ELÉTRICO/CONECTOR PDM
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 2 de 2

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
PM.00000.000.40001.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

A A

B B

C
QDM MOTOBOMBA C

(QUADRO DISTRIBUIÇÃO DO MOTOR).

D D

E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 13/02/08 PILZ PILZ HERMES LARS GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 20/11/07 LEONARDO LEONARDO HERMES ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO MARCELO ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA: S/E

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QDM MOTOBOMBA PADRÃO PÁGINA:
CAPA
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 1 de 5

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QDM.00000.000.40003.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

XS1 XS2 XS3 XS4 XS48


1- POLARIZADOR. 1- RESISTÊNCIA PRÉ-AQ. 1- TERMOSTATO PRÉ-AQ. 1- COMUM - CH PARTIDA MAN. 1- PICK-UP (-).
1 1 4/A1 1 4/D1 1 3/C1 1 3/D3
2 2- VCC (+). 2 2- POLARIZADOR 2 4/D1 2- TERMOSTATO PRÉ-AQ. 2 3/B1 2- FUNC. - CH PARTIDA MAN. 2 3/D3 2- PICK-UP (+).
3 2 1 3 3/A1 3- CAN H. 3 2 1 3 4/A1 3- RESISTÊNCIA PRÉ-AQ. 3 2 1 3 3- POLARIZADOR. 3 2 1 3 3/B1 3- PARTIDA - CH PARTIDA MAN. 3 2 1 3 3/D3 3- VCC (-).
4 3/A1 4- ALTERNADOR. 4 4/B1 4- RESISTÊNCIA PRÉ-AQ(2ª). 4 4- NÍVEL DE COMBUSTÍVEL. 4 4- POLARIZADOR. 4 3/D3 4- VCC (+).
6 5 4 5 3/C1 5- VCC (-). 6 5 4 5 4/B1 5- RESISTÊNCIA PRÉ-AQ(2ª). 6 5 4 5 5- COMUM N. DE COMBUSTÍVEL. 6 5 4 5 3/C1 5- VCC (-). 6 5 4 5 3/D3 5- ATUADOR (+).
6 3/A1 6- CAN L. 6 4/B1 6- SENSOR DE TEMP. 6 3/D1 6- PICK-UP (BLINDAGEM). 6 3/B1 6- FUNCIONAMENTO (VCC+). 6 3/D3 6- ATUADOR (-) .
A 7 3/B1 7 4/B1 7 3/C1 7 4/C1 7
9 8 7 8 3/A1 7- FUNCIONAMENTO/IGNIÇÃO.
9 8 7 8 4/C1 7- SENSOR DE TEMP.
9 8 7 8 3/C1 7- PICK-UP.
9 8 7 8 4/A1 7- N.A.
9 8 7 8 7- N.A. A
9 8- PARTIDA. 9 4/C1 8- SENSOR DE TEMP.(BLINDAGEM) 9 3/D1 8- PICK-UP. 9 8- N.A. 9 8- N.A.
10 9- N.A. 10 4/C1 9- TERMOSTATO DE CORTE 10 3/D1 9- ATUADOR . 10 9- N.A. 10 9- N.A.
12 11 10 11 4/A1 10- N.A. 12 11 10 11 4/C1 10- PICK-UP DUPLO 12 11 10 11 3/D1 10- ATUADOR . 12 11 10 11 10- N.A. 12 11 10 11 10- N.A.
12 11- PRESSOSTATO. 12 4/C1 11- PICK-UP DUPLO 12 11- ATUADOR (BLINDAGEM). 12 11- N.A. 12 11- N.A.
12- N.A. 12- PICK-UP (BLINDAGEM) DUPLO 12- N. DE COMBUSTÍVEL (BLIND). 12- N.A. 12- N.A.
COMANDO MOTOR OPCIONAIS MOTOR OPCIONAIS MOTOR PAINEL MOTOR REG. VELOCIDADE

B B

C C

POSTE

QA3 - 10A

QA2 - 10A

QA1 - 32A

39 - 38 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²


37 - 26 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
25 - 24 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
23 - 22 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
21 - 20 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
19 - 18 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
17 - 16 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
15 - 13 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
11 - 8 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
7 - 6 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
5 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO

D D
4 - 3 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
2B - 2A - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
2 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO
XV1 - BORNE DIODO 4mm²
1 - BORNE 1,5mm²
X102 - POSTE

E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 13/02/08 PILZ PILZ HERMES LARS GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 20/11/07 LEONARDO LEONARDO HERMES ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO MARCELO ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA: S/E

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QDM MOTOBOMBA PADRÃO PÁGINA:
ARQUITETURA DOS MÓDULOS E CONECTORES
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 2 de 5

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QDM.00000.000.40003.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

+GMG +QMB
X102
3 - XS1 W3 AWG 24 VM 3
CAN HIGH
6 - XS1 W3 AWG 24 PT 6
CAN LOW
4

PE
**NC**
A A

87

30
8 - XS1 4.00 mm² 4.00 mm²
PARTIDA
X102 R1 XV1

KA1

3/B5
4 - XS1 1.50 mm² 1 1 2
ALTERNADOR
12VCC 180R / 24VCC 560R

2
5W 5%

87
XD1 1

30
7 - XS1 2.50 mm² 2.50 mm²
FUNCIONAMENTO
2

87A
6 - XS4 2.50 mm²
X102
FUNCIONAMENTO
2

KA2

3/B6
1.50 mm² 1.50 mm² 4.00 mm²
2 5/B2
VCC(+) BAT. A
86 86
B KA1 KA2 B
RELÉ PARTIDA RELÉ FUNC.
85 85

1.50 mm² 1.50 mm²


X102 X2
2 - XS4 1.50 mm² 7 1.50 mm² 7
FUNC - CH PARTIDA MAN FUNCIONAMENTO
3 - XS4 1.50 mm² 8 1.50 mm² 8
PARTIDA - CH PARTIDA MAN PARTIDA
1 - XS4 1.50 mm² 39 1.50 mm² 39
COMUM - CH PARTIDA MAN EMERGÊNCIA MANUAL

VCC(-)
5/B4
VCC(-)
5/C4
C C
X102
5 - XS4 1.50 mm² 5 X2
VCC (-)
5 - XS1 4.00 mm² 5 4.00 mm² 5
VCC (-) VCC (-)
7 - XS3 1.50 mm²
PICK-UP
8 - XS3 1.50 mm²
PICK-UP
9 - XS3 2.50 mm²
ATUADOR
10 - XS3 2.50 mm²
ATUADOR
2.50 mm²

2.50 mm²
6 - XS3 1.00 mm²
PICK-UP (BLIND)
11 - XS3 1.00 mm²
ATUADOR (BLIND)
6 - XS48

5 - XS48

2 - XS48

1 - XS48

4 - XS48

3 - XS48

D D

OPCIONAL REV

E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 13/02/08 PILZ PILZ HERMES LARS GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 20/11/07 LEONARDO LEONARDO HERMES ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO MARCELO ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA: S/E

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QDM MOTOBOMBA PADRÃO PÁGINA:
DIAGRAMA ELÉTRICO DO QDM
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 3 de 5

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QDM.00000.000.40003.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

+GMG +QMB
X102 X2

11 - XS1 1.50 mm² 11 1.50 mm² 11


PRESSOSTATO DE CORTE
8 - XS4 1.50 mm²
A SINALIZAÇÃO PRESSOSTATO
A
1 - XS2 2.50 mm² 13 2.50 mm² 13
RESISTÊNCIA PRÉ-AQ

3 - XS2 2.50 mm² 15 2.50 mm² 15


RESISTÊNCIA PRÉ-AQ

4 - XS2 2.50 mm² 16 2.50 mm² 16


RESISTÊNCIA PRÉ-AQ(2ª)

B 17 17 B
5 - XS2 2.50 mm² 2.50 mm²
RESISTÊNCIA PRÉ-AQ(2ª)

6 - XS2 W1 AWG 24 VM 18 W1 AWG 24 VM 18


SENSOR DE TEMP(+)
7 - XS2 W1 AWG 24 PT 19 W1 AWG 24 PT 19
SENSOR DE TEMP(-)
20 20

PE

PE

PE
8 - XS2
SENSOR DE TEMP(BLIND)

9 - XS2 1.50 mm² 21 1.50 mm² 21


TERMOSTATO DE CORTE
7 - XS4 1.50 mm²
C SINALIZAÇÃO TERMOSTATO C
10 - XS2 W2 AWG 24 PT 22 W2 AWG 24 PT 22
PICK-UP DUPLO
11 - XS2 W2 AWG 24 VM 23 W2 AWG 24 VM 23
PICK-UP DUPLO
24 24

PE

PE

PE
12 - XS2
PICK-UP DUPLO(BLIND)

1 - XS3 1.50 mm² 25 1.50 mm²


25
TERMOSTATO PRÉ-AQ

26
2 - XS3 1.50 mm² 1.50 mm²
26
D TERMOSTATO PRÉ-AQ D

E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 13/02/08 PILZ PILZ HERMES LARS GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 20/11/07 LEONARDO LEONARDO HERMES ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO MARCELO ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA: S/E

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QDM MOTOBOMBA PADRÃO PÁGINA:
SINAIS QDM
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 4 de 5

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QDM.00000.000.40003.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

A A

+QMB X2 2A 37 38 2B

2.50 mm²

2.50 mm²
1.50 mm²

1.50 mm²
X102 2A 37 38 2B

3/C7

2.50 mm²

2.50 mm²
VCC(-)

B B
0 1 21 13 31 43
S3
3/B7 VCC(+) BAT. A
CHAVE AUTO/MAN
22 14 32 44

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²
2 2 2
QA1 QA3 VCC(-) QA2
10A 32A 3/C7 10A
1 1 1

CHAVE SEL. BANCO 1 CHAVE SEL. BANCO 2


31A 2 2 31A
C C
KM1 S1 S2 KM2

86 31 CHAVE SEL. BANCO MAN 1 1 CHAVE SEL. BANCO MAN 2 1 86 31

+ORIGINAL DO MOTOR
30

MP1
D M D
50

1 + 2 1 +
GB1 MOTOR DE PARTIDA GB2
5/F1 - BANCO DE BATERIAS 1 5/F1 31 5/F1 - BANCO DE BATERIAS 2

E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 13/02/08 PILZ PILZ HERMES LARS GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
BANCOS DE BATERIAS DEPENDEM DA TENSÃO DOS MOTORES APLICADOS, 01 PF 20/11/07 LEONARDO LEONARDO HERMES ÁLVARO GARCIA
PF - PARA FABRICAÇÃO
1 SE FOR 12VCC SERÁ UMA BATERIA POR BANCO, SE FOR 24VCC SERÃO DUAS BATERIAS POR BANCO. CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
5/D6 00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO MARCELO ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO
5/D2
REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS
DESCONSIDERAR A LIGAÇÃO DAS BATERIAS INDICADAS NO PROJETO DO MOTOR E CONSIDERAR
2 A LIGAÇÃO INDICADA NO CAMPO 'ORIGINAL DO MOTOR' DESTE PROJETO. CLIENTE: PADRÃO ESCALA: S/E

F 5/D4 OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QDM MOTOBOMBA PADRÃO PÁGINA:
DIAGRAMA ELÉTRICO SELEÇÃO DE BATERIAS
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 5 de 5

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QDM.00000.000.40003.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

A A

B B

C
QMB C

(QUADRO DE MOTOBOMBA)

D D

E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 19/12/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 22/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA:

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QUADRO DE MOTOBOMBA PÁGINA:
CAPA
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 1 de 7

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QMB.MRS15.000.40001.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

VCC(+) BAT. A

VCC(+) BAT. B

VCC (-)
A A
+QDM X102 2A 2B X102 5

2.50 mm²

2.50 mm²

4.00 mm²
X2 2A 2A 2.50 mm²
VCC(+) BAT. A
5/D4
1.50 mm² VCC(+) BAT. A
4/B2
X2 2B 2B 2.50 mm²
VCC(+) BAT. B 5/D4
B B

1.50 mm²

1.50 mm²
1.50 mm² VCC(+) BAT. B
4/B3

2 2
XV1 XV2

1 1

1.50 mm²

1.50 mm²
X2 2 2
6/C1
C VCC(+) C

VCC(-)
6/A1
X2 5 1.50 mm² VCC(-)
4/C8
5 2.50 mm²
VCC(-)
5/D4
5 2.50 mm²
VCC(-)
5/D4

1.50 mm²

1.50 mm²
D D
+ -
3/A2 3/B2

IL MRS15
VCC (+)

VCC (-)

E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 19/12/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 22/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA:

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QUADRO DE MOTOBOMBA PÁGINA:
ALIMENTAÇÃO DOS MÓDULOS
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 2 de 7

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QMB.MRS15.000.40001.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

A ETP1 A
BARRA DE TERRA
AUC1
670.040.0001 5/C4 E1
CONTROLADOR 5/C5 E2
COMAP iL-MRS 15 DCU
4/D8 E3
2/D4 + VCC (+)
4/B2 E4

ALIM. 8-36VCC
D+ E5
5/C7 E6
2/D4 - VCC (-)
E7
4/D3 5/B7 E8

ENTRADAS ANALÓGICAS
COM COMUM

E9
4/D1 AI1 MEDIÇÃO TEMPERATURA
B E10 B
4/D2 AI2 MEDIÇÃO BATERIA 1

4/D3 AI3 MEDIÇÃO BATERIA 2

4/D4 RPM GND RPM (-)

RPM
4/D4 RPM IN RPM (+)

BO1 PARTIDA BANCO 1


6/A3
BO1 COMUM PARTIDA 1 POSTE

KA4 - 2 REV

BO2 PARTIDA BANCO 2


SAÍDAS DIGITAIS

6/A4 KA3 - 2 REV

C BO2 COMUM PARTIDA 2 C


KA2 - 2 REV
6/A5 BO3 SOL FUNCIONAMENTO

KA1 - 2 REV
6/A7 BO4 DEFEITO GERAL
5 - BORNE 2-NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO
4 - BORNE 2-NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO
6/A6 BO5 ALARME SONORO 3 - BORNE 2-NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO
2 - BORNE 2-NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO
1 - BORNE 2-NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO
6/A7 BO6 PARTIDA X2A - POSTE

QA2 - 16A
4/D4 BI1 TERMOSTATO

4/D5 BI2 EMERGÊNCIA MANUAL


ENTRADAS DIGITAIS

QA1 - 10A

4/D6 BI3 DEFEITO RETIFICADORES


39 - 38 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
37 - 26 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
D 4/D6 BI4 PRESSOSTATO
25 - 24 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm² D
23 - 22 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
21 - 20 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
19 - 18 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
4/D7 BI5 SPRINKLER
17 - 16 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
15 - 13 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
11 - 8 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
4/D7 BI6 PARTIDA/PARADA REMOTA
7 - 5 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm²
5 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO
EXT. MODULO/CAN

5 - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO


H CAN H
2 - BORNE 2-NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITATO
2B - BORNE 2-NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO
2A - BORNE 2 NÍVEIS 0.08...4.0mm² CURTO CIRCUITADO
COM CAN COM
XR4 - BORNE TG + PCO (R= 1,8 kOHMS)
XR3 - BORNE TG + PCO (R= 27 kOHMS)
XR2 - BORNE TG + PCO (R= 1,8 kOHMS)
L CAN L
XR1 - BORNE TG + PCO (R= 27 kOHMS)
XV2 - BORNE DIODO 4mm²

XV1 - BORNE DIODO 4mm²


RS232

DB9 MACHO COMUNICAÇÃO SERIAL


X2 - POSTE

E E
ATERRAM.

4/D3 TERRA RPM TERRA RPM

4/D8 TERRA GERAL TERRA GERAL

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 19/12/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 22/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA:

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QUADRO DE MOTOBOMBA PÁGINA:
ARQUITETURA DOS MÓDULOS
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 3 de 7

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QMB.MRS15.000.40001.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

SENSOR TEMP(BLIND)

BX PRESSÃO D'AGUA
SENSOR TEMP (+)

SENSOR TEMP (-)

EMERG. MANUAL
PICK-UP (BLIND)

PRESSOSTATO
TERMOSTATO
P

PICK-UP

PICK-UP
A A

+QDM X102 18 19 20 24 22 23 21 39 11 +CLIENTE

2/B8

2/B8
1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²
AWG 24

AWG 24
VCC(+) BAT. B
VCC(+) BAT. A
18 19 20 24 22 23 21 39 11 X2A 4 X2A 5
1.50 mm²

1.50 mm²

1.00 mm²
B B

R = 27 kOHMS

R = 27 kOHMS
E4

XR3
XR1
3/A4

1
2

2
VCC(-)
2/C8
R = 1,8 kOHMS

R = 1,8 kOHMS
1.50 mm²

1.50 mm²
XR2

XR4
C C
1

1
2

1.50 mm²

1.50 mm²
NF NA NF NA

UR1 UR2
5/B5 C 5/B6 C

VM
PT
1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.00 mm²
AWG 24

AWG 24
E3
ETP1

W1

W1
3/A4
D D

AI1 AI2 AI3 COM T.RPM RPM.GND RPM.IN BI1 BI2 BI3 BI4 BI5 BI6 T.GERAL
3/B2 3/B2 3/B2 3/B2 3/E2 3/B2 3/C2 3/D2 3/D2 3/D2 3/D2 3/D2 3/D2 3/E2

ENTRADAS
IL-MRS 15 DCU AUC1
MEDIÇÃO BATERIA 1

RPM (-)
COMUM

TERRA RPM

RPM (+)

DEFEITO RETIFICADORES
TERMOSTATO

PRESSOSTATO
MEDIÇÃO BATERIA 2

EMERGÊNCIA MANUAL

TERRA GERAL
SPRINKLER
MEDIÇÃO TEMPERATURA

PARTIDA/PARADA REMOTA
E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 19/12/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 22/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA:

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QUADRO DE MOTOBOMBA PÁGINA:
ENTRADAS ANALÓGICAS E DIGITAIS
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 4 de 7

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QMB.MRS15.000.40001.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

X2A +CLIENTE
4.00 mm² 4.00 mm²
1 4.00 mm²

1
2
4.00 mm² 4.00 mm²
2 4.00 mm² 1

3
A 5/F1 A

16...32A
2.50 mm²
3 2.50 mm²

4.00 mm²

4.00 mm²
QA2

1
2
E8

3
3/B4

QA1
ETP1

10A
1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.00 mm²

1.00 mm²

1.00 mm²
B B
L N L N

L N L N
UR1 UR2
4T2 2T1 A1 4/D5 4/D6 F N T
PRÉ-AQUEC.
KM1 KM1 KM1 A2 XS56
3L2 1L1 (+) (-) (+) (-)

(+) PE (-) RETIFICADOR 1. (+) PE (-) RETIFICADOR 2. TOMADA MONOF. 2P+T 250V/15A

C E1 E2 E6 C
3/B4
ETP1 ETP1 ETP1
3/A4 3/A4
2.50 mm²

2.50 mm²

2.50 mm²

2.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

2.50 mm²
2/B8 VCC(+) BAT. A

2.50 mm²
2/C8 VCC(-)
X2 13 16 15 17 25 26

D 2/B8
2.50 mm²
D
VCC(+) BAT. B

2.50 mm²
2/C8 VCC(-)

X102 13 16 15 17 25 26
RESIST PRÉ-AQUEC

RESIST PRÉ-AQUEC

RESIST PRÉ-AQUEC

RESIST PRÉ-AQUEC

TERMOST PRÉ-AQ

TERMOST PRÉ-AQ

E +GMG E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 19/12/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 22/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO
1 ALIMENTAÇÃO AUXILIARES EM 220VCA.
REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS
5/A8
CLIENTE: PADRÃO ESCALA:

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QUADRO DE MOTOBOMBA PÁGINA:
ALIMENTAÇÃO AUXILIARES
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 5 de 7

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QMB.MRS15.000.40001.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

CONTROLADOR/SAÍDAS
IL-MRS 15 DCU 3/C2 3/C2 AUC1
3/C2 3/C2 3/D2 3/C2
BO1 BO1 BO2 BO2 BO3 BO5 BO6 BO4
A A

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²
VCC(-)
2/C8

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²
22 24 12 14 22 24
KA4
KA2 KA1
21 11 21

B 12 14 22 24 B
KA1 KA2
11 21
1.50 mm²

A2 A2 A2 A2
KA1 KA2 KA4 HA1 KA3
ACION. BANCO 1 ACION. BANCO 2 SOL FUNCIONAMENTO ALARME SONORO DEFEITO GERAL
(+) (-)

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²
A1 A1 A1 A1

VCC(+)
2/C8

C C

12 14 12 14
KA3 KA4
7 37 38 8
X2 12 11 14 12 11 14
1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²
D D
X102 7 37 38 8 NF C NA NF C NA

+QDM +CLIENTE
COMUM PARTIDA 1
PARTIDA BANCO 1

MOTOR FUNCIONANDO
COMUM PARTIDA 2
PARTIDA BANCO 2

ALARME SONORO

DEFEITO GERAL
SOL FUNCIONAMENTO
FUNCIONAMENTO

PARTIDA
E E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 19/12/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 22/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA:

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QUADRO DE MOTOBOMBA PÁGINA:
SAÍDAS DIGITAIS
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 6 de 7

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QMB.MRS15.000.40001.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
1 2 3 4 5 6 7 8

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÕES NFPA20

A A

+QDM
=QUADRO DISTRIBUIÇÃO DO MOTOR
2A 2B 5 7 8 11 13 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 37 38 39
X102

2.50 mm²

2.50 mm²

4.00 mm²

2.50 mm²

2.50 mm²

2.50 mm²

2.50 mm²
1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²
AWG 24

AWG 24
B B

2A 2B 5 7 8 11 13 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 37 38 39
X2
+QMB
=QUADRO DE MOTOBOMBA

12 14 12 14
C C
KA3 KA4
1 2 3 4 5
X2A 12 11 14 12 11 14

4.00 mm²

4.00 mm²

2.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²

1.50 mm²
1 2 3 4 5

NF C NA NF C NA
D D

ATERRAMENTO DO PAINEL
220Vca - 500W (F+F/ F+N)
ALIMENTAÇÃO AUXILIAR

(CORRENTE COMUTAÇÃO 6A)

(CORRENTE COMUTAÇÃO 6A)


P

MOTOR FUNCIONANDO
DEFEITO GERAL
BX PRESSÃO D'AGUA
E +FORNECIMENTO DO CLIENTE +FORNECIMENTO DO CLIENTE (OPCIONAL) E

PA - PARA APROVAÇÃO
02 PF 19/12/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA AP - ALTERAÇÃO DE PROJETO
PF - PARA FABRICAÇÃO
01 PF 22/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CF - CONFORME FABRICADO
PI - PARA INSTALAÇÃO
00 PF 13/11/07 LEONARDO LEONARDO RAFAEL ÁLVARO GARCIA CI - CONFORME INSTALADO

REV. EMIS. DATA DESENHO PROJETO REVISÃO APROVAÇÃO RESP. TÉCNICO EMISSÕES PADRONIZADAS

CLIENTE: PADRÃO ESCALA:

F OBRA: PADRÃO UNIDADE: F


TÍTULO: QUADRO DE MOTOBOMBA PÁGINA:
DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÕES
FONE (CACS) - 0800 702 38 00 VERSÃO 4 7 de 7

A3
Este documento é de propriedade exclusiva da CÓDIGO STEMAC: DESENHO REFERÊNCIA:
STEMAC S/A. O uso indevido e/ou não autorizado
está previsto em lei.
QMB.MRS15.000.40001.P.0
1 2 3 4 5 6 7 8
ST2030

Especificações do Hardware

Características
Características da
da alimentação
alimentação

Tolera afundamento de 4 VCC em 1s;


Proteção de inversão VCC isolada da alimentação
externa;
Relés auxiliares externos, mantém-se operados
com até 4VCC;
Interface Serial RS232, Modbus, conector RJ45;

1
Especificações do Hardware

Características
Características da
da alimentação
alimentação

Tensão Nominal: 12Vcc

Curva de Tensão de uma bateria de 12V no momento da partida.

Especificações do Hardware

Características
Características da
da alimentação
alimentação

Tensão Nominal: 24Vcc

2
Especificações do Hardware
Entrada
Entrada Digital
Digital
Ñ Lógica negativa com um pino comum para todas as
entradas.
Ñ Tensão de isolação: 1,5kV.
Ñ Impedância de entrada: conforme IEC 1131-2 item
3.3.1.
ÑIsolação galvânica.
Ñ Freqüência máxima de entrada:
50Hz.
Ñ Duração mínima de pulso: 5ms.
Níveis
Níveis Lógicos
Lógicos

Nível lógico 0:
VENTRADA ≤ +2,4Vcc.
Nível lógico 1:
+5,6Vcc ≤ VENTRADA ≤ 36Vcc.

Especificações do Hardware

Saída
Saída Digital
Digital
ÑLógica positiva com comum conectado a entrada
de alimentação externa ao controlador;
ÑColetor aberto: VMÁX 16 ou 36VCC
ÑMáxima Corrente de saída:
100mA;
ÑSem proteção de sobrecarga
na saída;
ÑIsolação galvânica.

3
Especificações do Hardware

Entrada
Entrada analógica
analógica CA
CA de
de
tensão
tensão

ÑEntrada: Tipo senoidal;


ÑSobretensão: 517% da tensão nominal do
primário do condicionador de sinais;
ÑTransitórios: +/- 20%, TMÁX ≤ 500ms;
ÑFiltro da freqüência fundamental;
ÑMedida de Freqüência: A partir de ± 30 Vca
(atuação no corte do motor de arranque), em
substituição ao sinal de freqüência do pick-up;

Especificações do Hardware

Entrada
Entrada analógica
analógica CA
CA de
de
corrente
corrente

ÑEntrada: Tipo senoidal


ÑMedição: 3IN +10%
ÑTransitórios: 20IN, TMÁX ≤ 500ms
ÑFiltro da freqüência fundamental.

4
Especificações do Hardware

ÑEspecificado para suportar temperaturas de 0°C


a 60°C;
Ñsistema isolado para ambientes agressivos;

Diagrama em Blocos

Alimentação
Porta
RS-
RS-232 8 -28,8 Vcc
RJ45

ENTRADAS ANALÓGICAS CA ENTRADAS DIGITAIS SAÍDAS DIGITAIS

TENSÃO DA REDE FASE “A” E0 - PRESSÃO ÓLEO S0 - COMANDO MANUAL


TENSÃO DA REDE FASE “B” E1 - TEMPERATURA ÁGUA S1 - SOLENÓIDE COMBUST.
TENSÃO DA REDE FASE “C”
E2 - DEFEITO NO RETIFICADOR S2 - CMD PARTIDA/PARADA
TENSÃO DA GMG FASE “A”
E3 - STATUS CHAVE CGR S3 - COMANDO PRÉ-AQUECIM
TENSÃO DA GMG FASE “B”
TENSÃO DA GMG FASE “C” E4 - STATUS CHAVE CRD S4 - ALARME SONORO
CORRENTE DO GMG FASE “A” E5 - EMERGÊNCIA ACIONADA S5 - CMD FECHAMENTO CGR
CORRENTE DO GMG FASE “B” E6 - PARADA MANUAL LOCAL S6 - CMD ABERTURA CRD
CORRENTE DO GMG FASE “C” E7 - ENTRADA CONFIGURÁVEL S7 - SAÍDA CONFIGURÁVEL

X4 X2
MC03
MC01

5
Módulo de conexão MC-01

Modelo
Modelo MC-01
MC-01
Ñ Os módulos conexão de sinais CA evitam a chegada
diretamente aos controladores de tensões e correntes
altas (até 600V e 5A);
Ñ conexão via DB25 Fêmea;

Aplicação
Aplicação
ÑNos controladores ST2030, ST2040 e ST2060 para
medição da tensão rede/grupo e corrente do gerador;
ÑNos controladores ST2030, ST2040, ST2060 e
ST2080 para medição de temperatura através do sensor
PT100.

Módulo de conexão MC-01

6
Módulo de conexão MC-01
Configuração da tensão de Potenciômetros de aferição
operação do sistema através de
strappers:
115Vca / 220Vca / 480Vca.

F1 F5 F4 F3 F2 F6
Rede Va Rede Vb Rede Vc GMG Va GMG Vc GMG Vb

Módulo de conexão MC-01

Características
Características

Ñ Faixas de Tensão: 115V, 220V, 380-480V de linha


(fase-fase);
ÑSeleção de Tensão: Chave interna no condicionador;
Ñ Tensão Máxima: 600VCA
Ñ Faixas de corrente: 5A.
Ñ Medição: 3IN+10%
ÑTensão nominal na entrada, máx. 0,7Vca na saída
ÑTensão máx. 3 Vca no secundário;

7
Módulo de conexão MC-03

Modelo
Modelo MC-03
MC-03

Ñ Os módulos conexão de sinais I/O digitais, têm por


finalidade fazer o interfaceamento do controlador com
as outras partes integrantes do sistema.

Aplicação
Aplicação

ÑUma unidade nos controladores ST2030 e ST2090;


ÑDuas unidade nos controladores ST2040, ST2060 e
ST2080.

Módulo de conexão MC-03

8
Módulo de conexão MC-03

VCC GND

LED’s idicadores de
operação

Módulo de conexão MC-01

Características
Características

Saídas Digitais
Relé..........................1 contato reversível por saída
Tensão Máx.Comutação..................250Vca/24Vcc
Corrente Máx. Comutação..................................6A

Entradas Digitais
Comum das entradas...........24Vcc, 12Vcc ou GND

9
Unifilar ST2030

G MC - 01
Rede

ST2030

CRD
CGR
MC - 03

Carga

Modos de operações

Modo
Modo de
de Operação
Operação
Automático
Automático

Operação em Emergência
- Falha de Rede;

Comando Externo de
Partida do GMG;

10
Modos de operações
Modo
Modo de
de Operação
Operação
Manual
Manual

Em manual a operação é
através das teclas que
possuem duas funções;

Modos de operações

Modo
Modo de
de Operação
Operação
Remoto
Remoto

Habilitado no SETUP de comunicação;


Através do comando serial “Chamada
do Modo de Operação Remoto”
quando em Modo de Operação
Automático;

Comandos
Comandos
Partida/Parada ;
Abertura/Fechamento de chaves de rede e grupo ;
Ativação de supervisão de comunicação quando habilitado no
SETUP;
Parametrização Mediante Senha;

11
Modos de operações

Modo
Modo de
de Operação
Operação
Teste
Teste

Habilitado no SETUP “Configuração


da USCA”;

Telas do display

Principal
Principal

GMG 220V 60,0Hz


GMG Funcionando

GMG 220V 60,0Hz


324kW 405kVA

GMG 220V 60,0Hz


Temp.Agua: 75°C

GMG 220V 60,0Hz


REDE 220V 60,0Hz

12
Telas do display

Menu
Menu

Medicoes
>

Alarmes/Eventos
>

Setup
>

Menu Medições

Medições
Medições

MEDICOES
Geral >

MEDICOES
REDE >

MEDICOES
GMG >

MEDICOES
Diagnosticos >

13
Menu Medições

Geral
Geral

MEDICOES G220Vab G0616Ab


Geral > G0324KW G60,0Hz

Rede
Rede

MEDICOES Va 127V 60,0Hz


REDE > Vb 127V Vc 127V

Vab 220V 60,0Hz


Vbc 220V

Vca 220V 60,0Hz

Menu Medições
GMG
GMG
MEDICOES MEDICOES DO GMG
GMG > Geral >

MEDICOES DO GMG
Tensao/Freq. >

MEDICOES DO GMG
Corrent/ Potenc. >

MEDICOES DO GMG
Energia >

MEDICOES DO GMG
Auxiliares >

MEDICOES DO GMG
Reg. Max/ Min >

14
Menu Medições GMG

Geral
Geral

MEDICOES DO GMG Vab 220V 60,0Hz


Geral > 0324KW 0405KVA

Ia0616A Ic0616A
Ib0616A

Menu Medições GMG

Tensão
Tensão //
Frequência
Frequência

MEDICOES DO GMG Va 127V 60,0Hz


Tensao/Freq. > Vb 127V Vc 127V

Vab 220V 60,0Hz


Vbc 220V

Vca 220V 60,0Hz

15
Menu Medições GMG

Corrente
Corrente //
Potência
Potência

MEDICOES DO GMG Ia 0616A Ic 0616A


Corrent/ Potenc. > Ib 0616A

0324KW
0405KVA

Energia
Energia

MEDICOES DO GMG KWh:


Energia > +0064800

Menu Medições GMG

Auxiliares
Auxiliares

MEDICOES DO GMG Num. Part. : 0012


Auxiliares > Func. 000200h

Manutencao: 250h
Tensao Bat: 26,5V

Temp. Agua: 075°C

16
Menu Medições GMG

Registros
Registros

MEDICOES DO GMG Vab 223/220V


Reg. Max/ Min > Vbc 223/220V

Vca 224/220V
Ia 0700/0010A

Ib 0690/0012A
Ic 0680/0015A

0324/0012KW
0405/0015KVA

60,0/59,9Hz

Menu Medições

Diagnósticos
Diagnósticos

MEDICOES MEDICOES DIAGNO.


Diagnosticos > EDM01: 00110000

MEDICOES DIAGNO.
SDM01: 00110000

MEDICOES DIAGNO.
Hardware OK

MEDICOES DIAGNO.
Software RUN

17
Menu Alarmes e Eventos

Alarmes
Alarmes

Código do Alarme Sinalização do estado


Grupo Alarmes Número do do alarme
Ativos > Alarme na lista

20 Ativos e Reconhecidos; Alarme 001)106 A


Nivel alto comb.
5 Classes de Falhas;

Texto do Alarme

Código do Alarme
Grupo Historico Número do Alarme
de Alarmes > no histórico Horas de funcionamento

100 Registros no Histórico;


HA 073)002 00321
GMG Hz>L2

Texto do Alarme

Menu Alarmes e Eventos

Eventos
Eventos

Código do Alarme

Número do Alarme
no histórico Horas de funcionamento

Grupo Historico HE 011)288 00021


de Eventos > Acesso Nível 2

Texto do Alarme
50 Eventos Memorizados;

18
Senhas

Telas
Telas

ID: 00000-00
Nível 1 - Engenharia
SENHA: 0000

Nível 2 - Diagnose

Nível 3 - Técnicos

Nível 4 - Técnicos

Nível 5 - Cliente

19
CENTRO DE TREINAMENTO
STEMAC

ST2030
Manual de Treinamento ST2030

ÍNDICE

APRESENTAÇÃO GERAL DO CONTROLADOR ST2030.................................................................................................... 5

1. CONTROLADOR ST2030............................................................................................................................................. 5
1.1. APRESENTAÇÃO ................................................................................................................................................ 5
1.2. CARACTERISTICAS ............................................................................................................................................ 5
1.2.1. BÁSICAS ............................................................................................................................................................................. 5
1.2.2. APLICAÇÕES...................................................................................................................................................................... 5
1.2.3. GRANDEZAS MEDIDAS ..................................................................................................................................................... 5
1.2.4. PROTEÇÕES ...................................................................................................................................................................... 5
II. HARDWARE ST2030.................................................................................................................................. 112
2. DEFINIÇÕES GERAIS.............................................................................................................................................. 112
2.1. NORMA APLICADA .......................................................................................................................................... 112
2.2. ÁREA DE ABRANGÊNCIA ............................................................................................................................... 112
2.3. CONDIÇÕES FÍSICAS E DE MEIO AMBIENTE............................................................................................... 112
2.3.1. Temperatura .................................................................................................................................................................... 112
2.3.2. Umidade Relativa ............................................................................................................................................................ 112
2.3.3. Grau de Poluição ............................................................................................................................................................. 112
2.3.4. Imunidade a Corrosão ..................................................................................................................................................... 112
2.3.5. Altitude............................................................................................................................................................................. 112
2.3.6. Exigências e Condições de Serviço Elétrico ................................................................................................................... 112
2.3.7. Condições de Ruído Elétrico ........................................................................................................................................... 112
2.3.8. Condições de Descarga Eletrostática.............................................................................................................................. 112
2.3.9. Categoria de sobretensão ............................................................................................................................................... 112
2.3.10. Grau de isolação.............................................................................................................................................................. 112
2.3.11. Exigências e Condições de Serviço Mecânico ................................................................................................................ 112
2.3.12. Vibrações......................................................................................................................................................................... 113
2.3.13. Impactos .......................................................................................................................................................................... 113
2.4. REQUISITOS PARA TRANSPORTE E ARMAZENAMENTO........................................................................... 113
2.4.1. Temperatura .................................................................................................................................................................... 113
2.4.2. Umidade Relativa ............................................................................................................................................................ 113
2.4.3. Pressão Atmosférica........................................................................................................................................................ 113
2.4.4. Queda Livre ..................................................................................................................................................................... 113

3. DESCRIÇÃO DOS SINAIS..............................................................................................ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.


3.1. ENTRADA DE ALIMENTAÇÃO ............................................................................. Erro! Indicador não definido.
3.1.1. CARACTERISTICAS DA ALIMENTAÇÃO ...........................................................................Erro! Indicador não definido.
3.1.2. CARACTERISTICAS GERAIS .............................................................................................Erro! Indicador não definido.
3.1.3. CARACTERISTICAS DA MEDIÇÃO DA ENTRADA DE ALIMENTAÇÃO ........................... Erro! Indicador não definido.
3.2. INTERFACE SERIAL RS232 ................................................................................. Erro! Indicador não definido.
3.3. ENTRADA TIPO PT100 ......................................................................................... Erro! Indicador não definido.
3.4. ENTRADA DIGITAL............................................................................................... Erro! Indicador não definido.
3.4.1. NÍVEIS LÓGICOS................................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
3.5. ENTRADA ANALÓGICA CA DE TENSÃO ............................................................ Erro! Indicador não definido.
3.6. ENTRADA ANALÓGICA CA DE CORRENTE ....................................................... Erro! Indicador não definido.
3.7. SAÍDA DIGITAL ..................................................................................................... Erro! Indicador não definido.
3.8. DISPLAY................................................................................................................ Erro! Indicador não definido.
3.9. TECLADO E PAÍNEL FRONTAL ........................................................................... Erro! Indicador não definido.
4. COMPOSIÇÃO DAS INTERFACES................................................................................ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
4.1.1. INTERFACE X1 - ENTRADA DE ALIMENTAÇÃO...............................................................Erro! Indicador não definido.
4.1.2. INTERFACE X7 - SERIAL RS232 ........................................................................................Erro! Indicador não definido.
4.1.3. INTERFACE X2 - ENTRADAS E SAÍDAS DIGITAIS ...........................................................Erro! Indicador não definido.
4.1.4. INTERFACE X4 - ENTRADAS ANALÓGICAS.....................................................................Erro! Indicador não definido.
4.1.5. INTERFACE FRONTAL ST2030 ..........................................................................................Erro! Indicador não definido.

5. DIAGRAMA EM BLOCO ........................................................................................................ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.


5.1. Painel Frontal......................................................................................................... Erro! Indicador não definido.
5.1.1. Identificação e Descrição dos LEDs .................................................................................................................................. 12
5.1.2. Identificação e Descrição das Teclas ................................................................................................................................ 13
5.1.3. Indicação do Display.......................................................................................................................................................... 16
5.2. Vista Posterior..................................................................................................................................................... 16
5.2.1. Identificação e Descrição das Conexões........................................................................................................................... 16

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 2 de108


Manual de Treinamento ST2030

III. TELAS DO CONTROLADOR ST2030......................................................................................................18


6. ESTRUTURA DAS TELAS BÁSICAS DO CONTROLADOR ST2030 .......................................................................... 18
6.1. Tela de Inicialização............................................................................................................................................ 18
6.2. Medições Básicas ............................................................................................................................................... 18
7. MENUS DE ACESSO AOS GRUPOS DE TELAS DO CONTROLADOR ST2030........................................................ 19
7.1. Menus de Acesso................................................................................................................................................ 19
IV. MEDIÇÕES DO CONTROLADOR ST2030 ...............................................................................................21
8. ESTRUTURA DAS TELAS DE MEDIÇÕES DO CONTROLADOR ST2030................................................................. 21
8.1. Medições ............................................................................................................................................................. 21
8.1.1. Medições Gerais ................................................................................................................................................................21
8.1.2. Medições de REDE ............................................................................................................................................................21
8.1.3. Medições do GMG .............................................................................................................................................................22
8.1.4. Medições de Diagnósticos .................................................................................................................................................26
V. ALARMES E EVENTOS DO CONTROLADOR ST2030 ..............................................................................28
9. ESTRUTURA DAS TELAS DE ALARMES E EVENTOS.............................................................................................. 28
9.1. Grupo de Alarmes Ativos e Reconhecidos .......................................................................................................... 28
9.1.1. Descrição dos Alarmes Ativos e Reconhecidos.................................................................................................................28
9.2. Grupo de Histórico de Alarmes ........................................................................................................................... 29
9.2.1. Descrição do Histórico de Alarmes ....................................................................................................................................29
9.3. Grupo de Histórico de Eventos............................................................................................................................ 30
9.3.1. Descrição do Histórico de Eventos ....................................................................................................................................30

10. TABELAS DE ALARMES E EVENTOS DO ST2030 ....................................................... ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
10.1. Tabela de Alarmes ................................................................................................ Erro! Indicador não definido.
10.1.1. Alarmes do GMG.................................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
10.1.2. Alarmes da REDE ................................................................................................................ Erro! Indicador não definido.
10.1.3. Alarmes da USCA ................................................................................................................ Erro! Indicador não definido.
10.1.4. Alarmes dos Dispositivos Externos ...................................................................................... Erro! Indicador não definido.
10.2. Tabela de Sinalizações Externas Configuráveis ................................................... Erro! Indicador não definido.
10.3. Tabela de Eventos ................................................................................................ Erro! Indicador não definido.
10.3.1. Eventos Dispositivos Externos ............................................................................................. Erro! Indicador não definido.
10.3.2. Eventos USCA ..................................................................................................................... Erro! Indicador não definido.
10.4. Tabela de Status ................................................................................................... Erro! Indicador não definido.
10.4.1. Status ................................................................................................................................... Erro! Indicador não definido.
VI. SETUP DO CONTROLADOR ST2030 ......................................................................................................37
11. ESTRUTURA DO SETUP ST2030 .............................................................................................................................. 37
11.1. Acesso ao SETUP do Controlador ...................................................................................................................... 37
11.2. Grupo dos Parâmetros da REDE ........................................................................................................................ 37
11.2.1. Parâmetros Nominais da REDE.........................................................................................................................................38
11.2.2. Parâmetros de Proteção da REDE ....................................................................................................................................38
11.3. Grupo dos Parâmetros do GMG............................................................................. Erro! Indicador não definido.
11.3.1. Parâmetros Nominais do GMG ............................................................................................ Erro! Indicador não definido.
11.3.2. Parâmetros de Proteção do GMG........................................................................................ Erro! Indicador não definido.
11.3.3. Parâmetros de Motor..........................................................................................................................................................56
11.4. Grupo dos Parâmetros da USCA ........................................................................... Erro! Indicador não definido.
11.4.1. Configuração Geral .............................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
11.4.2. Bloqueio do Teclado............................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
11.4.3. Falha de Chaves .................................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
11.4.4. Back Light............................................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
11.4.5. Medição Geral ...................................................................................................................... Erro! Indicador não definido.
11.4.6. Dados do Cliente.................................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
11.4.7. Configuração das Sinalizações Externas Configuráveis...................................................... Erro! Indicador não definido.
11.4.8. Entrada Digital Configurável................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
11.4.9. Saída Digital Configurável................................................................................................... Erro! Indicador não definido.
11.4.10. Configuração da Porta Serial RS232 ................................................................................... Erro! Indicador não definido.
11.4.11. Manutenção dos Históricos e Máximos / Mínimos ............................................................... Erro! Indicador não definido.
11.4.12. Calibração das Entradas Analógicas ................................................................................... Erro! Indicador não definido.
VII. TELAS DE AJUDA DO CONTROLADOR ST2030 ......................................... Erro! Indicador não definido.
12. ESTRUTURA DAS TELAS DE AJUDA .......................................................................... ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
12.1. Formato Geral da Tela de Ajuda ............................................................................ Erro! Indicador não definido.
12.2. TELAS DE AJUDA ................................................................................................. Erro! Indicador não definido.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 3 de108


Manual de Treinamento ST2030

VIII. LÓGICAS DE FUNCIONAMENTO DO CONTROLADOR ST2030................. Erro! Indicador não definido.


13. LÓGICAS DE INICIALIZAÇÃO DO CONTROLADOR .....................................................................ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.

14. LÓGICAS DE MODO DE OPERAÇÃO DO CONTROLADOR ST2030 ......................................................................................... 88


14.1. Relacionamento entre os Modos de Operação...................................................... Erro! Indicador não definido.
14.2. Modo de Operação Manual.................................................................................... Erro! Indicador não definido.
14.2.1. Seleção do Modo de Operação Manual ...............................................................................Erro! Indicador não definido.
14.2.2. Comando de Abre/Fecha da Chave de Grupo - CGR ..........................................................Erro! Indicador não definido.
14.2.3. Comando de Abre/Fecha da Chave da REDE - CRD .......................................................... Erro! Indicador não definido.
14.2.4. Ativação do GMG ................................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
14.3. Modo de Operação Automático ............................................................................. Erro! Indicador não definido.
14.3.1. Seleção do Modo de Operação Automático .........................................................................Erro! Indicador não definido.
14.3.2. Emergência – Falha de REDE.............................................................................................. Erro! Indicador não definido.
14.3.3. Retorno da REDE ................................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
14.3.4. Comando Externo de Partida do GMG.................................................................................Erro! Indicador não definido.
14.4. Modo de Operação Remoto................................................................................... Erro! Indicador não definido.
14.4.1. Seleção do Modo de Operação Remoto ..............................................................................Erro! Indicador não definido.
14.4.2. Comando de Abre/Fecha da chave de grupo - CGR............................................................ Erro! Indicador não definido.
14.4.3. Comando de Abre/Fecha da chave da REDE - CRD ........................................................... Erro! Indicador não definido.
14.4.4. Ativação do GMG ................................................................................................................. Erro! Indicador não definido.
14.4.5. Comando de Reconhecimento e Quitação de Falhas ..........................................................Erro! Indicador não definido.
14.4.6. Comando de Supervisão de Comunicação ..........................................................................Erro! Indicador não definido.
14.4.7. Configuração dos Parâmetros do SETUP ............................................................................Erro! Indicador não definido.
14.4.8. Comandos de Manutenção e Acesso aos Históricos ...........................................................Erro! Indicador não definido.
14.5. Modo de Operação Teste ...................................................................................... Erro! Indicador não definido.
14.5.1. Seleção do Modo de Operação Teste ..................................................................................Erro! Indicador não definido.
14.5.2. Ativação do GMG ................................................................................................................. Erro! Indicador não definido.

15. LÓGICA DOS ALARMES INTERNOS ........................................................................................ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.


15.1. Alarmes do Sistema............................................................................................... Erro! Indicador não definido.
16. OPERAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DOS DISPOSITIVOS EXTERNOS.............................................ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
16.1. Dispositivos Externos - Entrada Configurável ........................................................ Erro! Indicador não definido.
16.2. Dispositivos Externos - Saída Configurável ........................................................... Erro! Indicador não definido.
17. LÓGICA DE SINAIS DIVERSOS ..............................................................................................ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
17.1. Sinais ..................................................................................................................... Erro! Indicador não definido.
17.2. Lógica de Parada Manual Local............................................................................. Erro! Indicador não definido.
17.3. Lógica de Acionamento da Saída Digital – Comando Manual ............................... Erro! Indicador não definido.
18. BIBLIOGRAFIA: ...................................................................................................................ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
18.1. Responsáveis: .................................................................................................................................................. 114
18.2. Colaboradores e Revisores:.............................................................................................................................. 114
18.3. Revisões deste Manual:......................................................................................... Erro! Indicador não definido.

NÃO APAGAR ***

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 4 de108


Manual de Treinamento ST2030

I. APRESENTAÇÃO GERAL DO CONTROLADOR ST2030

1. CONTROLADOR ST2030
1.1. APRESENTAÇÃO

O controlador ST2030 vem atender o mercado das aplicações onde a exigência de lógicas elétricas não são
complexas, mas necessitam de confiabilidade e segurança para o sistema a ser supervisionado. Nestes
sistemas as facilidades de operação e controle do grupo gerador e REDE concessionária também são
indispensáveis. Desta forma a STEMAC S/A – GRUPOS GERADORES deseja ter a solução definitiva para
controle de Sistemas de Geração de Energia, incorporando ao produto toda a sua tecnologia desenvolvida ao
longo dos seus 50 anos de existência.

O controlador ST2030 é indicado para controle e proteção de grupos geradores singelos. Também tem a
capacidade de comandar as chaves de transferência.

A definição ST2030 é aplicada para identificar o projeto do controlador e como produto final receberá o nome
de ST2030 que passará a ser vinculado em folders e no próprio frontal do controlador.
1.2. CARACTERISTICAS
à Número de Partidas do Gerador
à Tempo de Funcionamento do
1.2.1. BÁSICAS
Gerador (h)
à Tecnologia digital microprocessada à Tempo para Manutenção do Gerador
à Operação a partir do painel frontal (h)
à Visualização de informações através à Tensão da Bateria do Motor (V)
de display instalado no painel frontal
à Alimentação de 12 e 24 VCC nominal 1.2.4. PROTEÇÕES
suportando transitórios à Subtensão (27) .....................................
à Saída digital para acionamento de à Sobretensão (59) ..................................
alarme sonoro externo na ocorrência
à Subfreqüência (81) ...............................
de falha
à Sobrefreqüência (81) ............................
à Comunicação Modbus – RTU para
supervisão, comando e à Sobrecarga (32)....................................
parametrização à Sobrecorrente Instantânea (50)............
à Sobrecorrente Temporizada (51)..........
1.2.2. APLICAÇÕES
à Desequilíbrio de Corrente (46) .............
à Controle e proteção do motor e do à Baixa Pressão do Óleo (63)..................
gerador
à Alta Temperatura d’água (26)...............
à Comando automático ou manual dos
à Nível da água do radiador (71) .............
circuitos de gerador e de REDE
à Sobrevelocidade (12)............................
à Utilizado somente para grupo
gerador singelo
à Supervisão, parametrização e
comando remotos

1.2.3. GRANDEZAS MEDIDAS


à Tensão de Fase do Gerador (V)
à Tensão de Linha do Gerador (V)
à Corrente de Fase do Gerador (A)
à Tensão de Fase da REDE (V)
à Tensão de Linha da REDE (V)
à Freqüência do Gerador (Hz)
à Freqüência da REDE (Hz)
à Potência Ativa do Gerador (kW)
à Potência Aparente do Gerador (kVA)
à Energia Ativa do Gerador (kWh)
à Temperatura da Água de
Arrefecimento (°C)

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 5 de108


Manual de Treinamento ST2030

2. DESCRIÇÃO DOS SINAIS


2.1. Entrada de Alimentação
2.1.1. Características da Alimentação
Nominal: 12Vcc
Limites de tensão em regime normal: 8Vcc à 15Vcc
Limites de transitórios de tensão: +4Vcc à +16Vcc.
Transitório em regime normal no momento do arranque do motor : 79% da nominal (≅9,48V).
Transitório em regime excedendo a normalidade no momento do arranque do motor : 37,5% da nominal
(≅4,5V).

Curva de Tensão de uma bateria de 12V


no momento da partida.

Nominal: 24Vcc
Limites de tensão em regime normal: 16Vcc à 30Vcc.
Limites de transitórios de tensão: +12Vcc à +36Vcc.
Transitório em regime normal no momento do arranque do motor : 79% da nominal (≅18,96V).
Transitório em regime excedendo a normalidade no momento do arranque do motor: 58,33% da nominal
(≅13,99V).

Curva de Tensão de uma bateria de 24V


no momento da partida.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 6 de108


Manual de Treinamento ST2030

2.1.2. Características Gerais


Variação do tempo máximo do transitório: 10ms <= TMÁX >= 1s.
Proteção contra inversão de polaridade ( diodo Schotick ).
Proteção por tranzorbs ligados de forma a proteger contra sobretensão diferencial e modo comum.
Ripple de entrada: 10%
Spikes: utilizar limitadores de sobretensão.
Fonte de alimentação primária: banco de baterias chumbo ácidas de arranque de motor diesel.
Controlador com Fonte Única: Faixa de operação de 8 – 30V e transitórios de 4 – 36 V
2.1.3. Características da Medição da Entrada de Alimentação
Monitoração da tensão de alimentação.
Faixa de tensão para medição: 7,5Vcc à 36Vcc.
Resolução: 10 bits
Precisão: 200mV
2.2. Interface Serial RS232

Protocolo ModBus – RTU – SLAVE.


RS232 - 8 fios (DCD, TX, RX, DSR, GND, DTR, CTS e RTS).
Características da comunicação selecionáveis em software.
Endereço do SLAVE configurável.
Velocidade de comunicação 9600 ou 19200.
Paridade Par, Impar ou Nenhuma.
Bits de dados 8.
STOP Bit 1 ou 2.
2.3. Entrada Tipo PT100

Faixa de operação do sensor: -50°C ... +400°C.


Sensor tipo: Classe A
Tensão Máxima suportada pelo Sensor: 12Vcc
Corrente Máxima suportada pelo Sensor: 1mA
Escala: 0°C a 100Ω.
Resolução: 8 bits.
Coeficiente de temperatura conforme IEC 751: 0,385 Ω/°C
Composto por 2 sinais mais 1 de compensação e malha para blindagem.
2.4. Entrada Digital

Lógica negativa (tipo Sink) com um pino comum para todas as entradas.
Tensão de isolação: 1,5kV.
Impedância de entrada: conforme IEC 1131-2 item 3.3.1.
Isolação galvânica.
Freqüência máxima de entrada: 50Hz.
Duração mínima de pulso: 5ms.

2.4.1. Níveis Lógicos


Nível lógico 0: VENTRADA ≤ +2,4Vcc.
Nível lógico 1: +5,6Vcc ≤ VENTRADA ≤ 36Vcc.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 7 de108


Manual de Treinamento ST2030

2.5. Entrada Analógica CA de Tensão

Entrada: Tipo senoidal (compatível com a saída do condicionador de sinal).


Sobretensão: 517% da tensão nominal do primário do condicionador de sinais.
Transitórios: +/- 20%, TMÁX ≤ 500ms.
Filtro da freqüência fundamental.
Medida de Freqüência: A partir de ± 30 Vca (atuação no corte do motor de arranque).
Resolução 12 bits.
2.6. Entrada Analógica CA de Corrente

Entrada: Tipo senoidal (compatível com a saída do condicionador de sinal).


Medição: 3IN +10%
Transitórios: 20IN, TMÁX ≤ 500ms
Filtro da freqüência fundamental.
Resolução 12 bits.
2.7. Saída Digital

Lógica negativa (tipo SinK) com alimentação (Vcc e GND) comum para todas as saídas.
Coletor aberto: VMÁX conforme especificado no item Erro! A origem da referência não foi encontrada.
Máxima Corrente de saída: 100mA
Sem proteção de sobrecarga na saída.
Isolação galvânica.

2.8. Display

Display de cristal líquido.


Alfa numérico.

16 caracteres x 2 linhas.
Controle do BACK-LIGHT.
2.9. Teclado e Paínel Frontal

Teclado de membrana.
Policarbonato texturizado 0,25mm

3. COMPOSIÇÃO DAS INTERFACES


3.1. Definição Geral da Interface

O termo interface descreve todos os sinais relacionados a uma conexão no controlador. Esta conexão
contempla o agrupamento dos sinais vindos de campo em um único conector facilitando assim a interligação.

Cada interface possui um código de identificação sendo este exclusivo para cada conexão. Este código
estará impresso nos conectores do controlador e devera ser de fácil identificação mesmo estando com todos
os cabos conectados.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 8 de108


Manual de Treinamento ST2030

As interfaces deverão possuir proteção contra a inversão de posicionamento com a utilização de pinos guia
ou qualquer outra solução que evite a queima do controlador devido a conexões incorretas. As interfaces
também deverão atender a montagem com cabos multivias prefabricados.

As características técnicas para cada sinal que compõem a interface estão descritas com mais detalhes no
item Erro! A origem da referência não foi encontrada. desta seção.
3.2. Composição das Interfaces do Controlador S30GT
3.2.1. Interface X1 - Entrada de Alimentação

Composição
01 ENTRADA DE ALIMENTAÇÃO
Alimentação principal do controlador.
Conexão 1 fio positivo + 1 fio negativo + 1 terra.
Conexão
Módulo ....................................................Régua de Bornes
Cabo ......................................................2x1mm² + 1,5 mm² para o Terra
3.2.2. Interface X2 - Entradas e Saídas Digitais
As entradas e saídas da interface X2 são passíveis de configuração, porém, por
definição as suas configurações iniciais devem ser conforme sinalizado abaixo.
A configuração da função da entrada e saída digital é determinada no grupo de
parâmetros da USCA no SETUP do controlador.
Composição
08 ENTRADAS DIGITAIS
E0 - Pressão de Óleo
E1 - Temperatura D’água
E2 - Defeito no Retificador
E3 - Parada Remota
E4 - Emergência Acionada
E5 - STATUS da Chave de Grupo CGR
E6 - STATUS da Chave de REDE CRD
E7 - Entrada Digital Configurável no SETUP

Conexão 8 fios de sinal + 4 fios de GNDs para acionamento das entradas digitais.

08 SAÍDAS DIGITAIS
S0 - Comando Manual
S1 - Solenóide de Combustível
S2 - Comando de Partida
S3 - Comando de Pré-aquecimento
S4 - Alarme Sonoro
S5 - Comando Fechamento da Chave de Grupo CGR
S6 - Comando Abertura da Chave de REDE CRD
S7 - Saída Digital Configurável no SETUP

Conexão 8 fios de sinal + 3 fios de GNDs para acionamento dos relés externos das saídas
digitais e 1 fio de Vcc para alimentação do circuito interno das saídas digitais.
Conexão
Módulo ....................................................MC-03
Cabo ......................................................Cabo 03
Consulte também a especificação Módulos de Conexão.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 9 de108


Manual de Treinamento ST2030

3.2.3. Interface X4 - Entradas Analógicas CA e Entrada Analógica PT100

Composição
03 ENTRADAS ANALÓGICAS CA DE TENSÃO DO GERADOR
Tensão do gerador.
Conexão 6 fios (secundário do transformador do condicionador de sinais)

03 ENTRADAS ANALÓGICAS CA DE CORRENTE DO GERADOR


Corrente do gerador.
Conexão 6 fios (secundário do transformador do condicionador de sinais)

03 ENTRADAS ANALÓGICAS CA DE TENSÃO DA REDE


Tensão da REDE.
Conexão 6 fios (secundário do transformador do condicionador de sinais)

01 ENTRADA PT100
Temperatura d’água do radiador.
Medição de temperatura d’água de arrefecimento do motor.
Faixa operacional normal de 0°C a 130°C.
Conexão 3 fios.
Conexão
Módulo .................................................... MC-01
Cabo ...................................................... Cabo 01
Consulte também a especificação Módulos de Conexão.
3.2.4. Interface X7 - Serial RS232

Composição
01 INTERFACE SERIAL RS232
Porta de supervisão , comando e configuração.
Conexão RJ45 Fêmea com blindagem conforme padrão STP.
Conexão
Módulo .................................................... Régua de Borne
Cabo ....................................................... Par Trançado – STP (Ver especificação dos
cabos de comunicação)
3.2.5. Interface Frontal S30GT

Composição
01 DISPLAY
Monitoramento, comando e configuração local do sistema.

01 TECLADO
Interface com o operador.
9 teclas com funções definidas.
Sinalização das teclas com 5 LEDs na cor verde.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 10 de108


Manual de Treinamento ST2030

4. DIAGRAMA EM BLOCO

4.1. Diagrama em Bloco do S30GT

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 11 de108


Manual de Treinamento ST2030

II. ELEMENTOS DE INDICAÇÃO E OPERAÇÃO DO S2030GT

5. ELEMENTOS DE INDICAÇÃO E OPERAÇÃO DO S2030GT


5.1. Painel Frontal

15

7
2
6 3
1 8
5 4
9 10

11 13

12 14

5.1.1. Identificação e Descrição dos LEDs

1 LED "CRD” - Chave de Transferência de REDE Cor “VERDE”


O LED 1 “CRD” quando ligado, sinaliza que a chave da REDE está conectada
(fechada).
A lógica de sinalização deste LED é negada, ou seja, quando a entrada digital “E6 -
STATUS CHAVE CRD” estiver com sinal o LED 1 “CRD” estará desligado indicando
chave de REDE aberta. Quando estiver sem sinal o LED 1 “CRD” estará ligado
indicando chave de REDE fechada.

2 LED "CGR” - Chave de Transferência de GRUPO Cor “VERDE”


O LED 2 “CGR” quando ligado, sinaliza que a chave do GMG está conectada
(fechada).
A lógica de sinalização deste LED é negada, ou seja, quando a entrada digital “E5 –
STATUS CHAVE CGR” estiver com sinal o LED 2 “CGR” estará desligado indicando
chave de GMG aberta. Quando estiver sem sinal o LED 2 “CGR” estará ligado
indicando CGR fechada.

3 LED "GMG” - STATUS do GMG Cor “VERDE”


O LED 3 “GMG” quando ligado continuamente, sinaliza que o GMG está em
funcionamento e sua supervisão esta ativa. O LED 3 “GMG” piscará durante o início
da partida até o fim do tempo de supervisão do motor. Este tempo está configurado no
grupo de parâmetros do GMG. Após este tempo, o LED 3 “GMG” permanecerá ligado
continuamente até a parada do GMG. O LED 3 “GMG” estará desligado sempre que
o GMG estiver parado.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 12 de108


Manual de Treinamento ST2030

4 LED "MANUAL” - Modo de Operação Manual Cor “VERDE”


O LED 4 “MANUAL” quando ligado continuamente sinaliza que o Modo de Operação
Manual está ativo.

As teclas 6 “ABRIR/FECHAR CRD”, 7 “ABRIR/FECHAR CGR” e 8

“PARTIR/PARAR GMG” estarão ativas para operação pelo painel frontal.

O LED 4 “MANUAL” piscando, sinaliza que o modo REMOTO está ativo.


Neste momento os comandos seriais serão aceitos.

5 LED "AUTO” - Modo de Operação Automático Cor VERDE”

O LED 5 “AUTO” quando ligado continuamente, sinaliza que o Modo de Operação


Automático está ativo.

As teclas 6 “ABRIR/FECHAR CRD”, 7 “ABRIR/FECHAR CGR” e 8


“PARTIR/PARAR GMG” estarão desativadas impedindo qualquer operação destas
teclas pelo painel frontal.

O LED 5 “AUTO” piscando, sinaliza que o comando serial de “Partida GMG em


AUTO Assumindo Carga” ou o sinal digital “Partida Remota” estarão ativos (ver
Lógicas de Funcionamento, Modo de Operação Automático, Comando Externo de
Partida do GMG).

Observação:
Os LEDs 5 “AUTO” e 4 “MANUAL” desligados, sinalizam que o modo TESTE está
ativo.
5.1.2. Identificação e Descrição das Teclas

5.1.2.1. Operação das Chaves

6 TECLA "ABRIR / FECHAR” – CRD Cor “VERDE / VERMELHA”


Somente é liberada a operação se estiver selecionado o Modo de Operação Manual
através da tecla 10 “MANUAL” indicado pelo LED 4 “MANUAL” continuamente ligado
e que a tela corrente não seja nenhuma tela de SETUP.

ABRIR Quando o LED 1 “CRD” estiver ligado e for pressionada a


tecla 6 “ABRIR/FECHAR CRD”, o controlador comandará a
abertura da chave de REDE. Quando houver comando de
fechamento e ainda houver o sinal de retorno da chave,
também será possível que seja dado o comando de abertura.
Basta dar mais um toque na tecla para efetuar o comando de
abertura e cancelar o de fechamento.

FECHAR Quando o LED 1 “CRD” e o LED 2 “ABRIR/FECHAR CGR”


estiverem desligados e for pressionada a tecla 6
“ABRIR/FECHAR CRD”, o controlador comandará o
fechamento da chave de REDE. Quando houver comando de
abertura e ainda não houver o sinal de retorno da chave,
também será possível que seja dado o comando de
fechamento. Basta dar mais um toque na tecla para efetuar o
comando de fechamento e cancelar o de abertura.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 13 de108


Manual de Treinamento ST2030

7 TECLA "ABRIR / FECHAR” – CGR Cor “VERDE / VERMELHA”


Somente é liberada a operação se estiver selecionado o Modo de Operação Manual
através da tecla 10 “MANUAL” indicado pelo LED 4 “MANUAL” continuamente ligado
e que a tela corrente não seja nenhuma tela de SETUP.
ABRIR Quando o LED 2 “CGR” estiver ligado e for pressionada a
tecla 7 “ABRIR/FECHAR CGR”, o controlador comandará a
abertura da chave do GMG. Quando houver comando de
fechamento e ainda houver o sinal de retorno da chave,
também será possível que seja dado o comando de abertura.
Basta dar mais um toque na tecla para efetuar o comando de
abertura e cancelar o de fechamento.

FECHAR Quando o LED 2 “CGR” e o LED 1 “CRD” estiverem


desligados e for pressionada a tecla 7 “ABRIR/FECHAR
CGR”, o controlador comandará o fechamento da chave do
GMG. Quando houver comando de abertura e ainda não
houver o sinal de retorno da chave, também será possível que
seja dado o comando de fechamento. Basta dar mais um toque
na tecla para efetuar o comando de fechamento e cancelar o
de abertura.

5.1.2.2. Operação do GMG

8 TECLA "PARTIR / PARAR” – GMG Cor “VERDE / VERMELHA”


Somente é liberada a operação se estiver selecionado o Modo de Operação Manual
através da tecla 10 “MANUAL” indicado pelo LED 4 “MANUAL” continuamente ligado
e que a tela corrente não seja nenhuma tela de SETUP.

PARTIR Quando o LED 3 “GMG” estiver desligado e for pressionada a


tecla 8 “PARTIR/PARAR GMG”, o controlador comandará o
procedimento de partida do GMG.

PARAR Quando o LED 3 “GMG” estiver ligado e for pressionada a


tecla 8 “PARTIR/PARAR GMG”, o controlador comandará o
procedimento de parada do GRUPO. Quando houver comando
de partida e ainda não houver o corte do motor de partida,
também será possível que seja dado o comando de parada.
Basta dar mais um toque na tecla para efetuar o comando de
parada e cancelar o de partida.
5.1.2.3. Teclas de Modos de Operação

9 TECLA "MANUAL” - Modo de Operação Manual Cor “BRANCA”


Através da tecla 9 “MANUAL” é possível selecionar o Modo de Operação Manual.
Estando selecionado o Modo de Operação Manual indicado pelo LED 4 “MANUAL”
continuamente ligado, as teclas 6 “ABRIR/FECHAR CRD”, 7 “ABRIR/FECHAR
CGR” e 8 “PARTIR/PARAR GMG” se tornam ativas, a fim de comandar as chaves
de conexões e o GMG. As operações referentes ao automatismo como operação em
emergência, entre outras, não estarão ativas.

10 TECLA "AUTO” - Modo de Operação Automático Cor “BRANCA”


Através da tecla 10 “AUTO” é possível selecionar o modo de operação automático.
Estando selecionado o Modo de Operação Automático, indicado pelo LED 5 “AUTO”
continuamente ligado, o GMG e as chaves são acionadas automaticamente conforme
suas lógicas automáticas. As operações referentes ao automatismo estarão ativas e
serão executadas conforme a necessidade do sistema.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 14 de108


Manual de Treinamento ST2030

5.1.2.4. Teclas de Operação

11 TECLA "SETA PARA CIMA” Cor “BRANCA”

Através da tecla 11 “SETA PARA CIMA” é possível navegar entre as telas


independente do modo de operação selecionado. Além da navegação entre telas é
usado também para edição de valores dos campos de SETUP do controlador.

12 TECLA "SETA PARA BAIXO” Cor “BRANCA”

Através da tecla 12 “SETA PARA BAIXO” é possível navegar entre as telas


independente do modo de operação selecionado. Além da navegação entre telas é
usado também para edição de valores dos campos de SETUP do controlador.

13 TECLA "ENTER / MENU” Cor “PRETA / BRANCA”

Através da tecla 13 “ENTER/MENU” é possível acessar os subníveis entre as telas,


validar parâmetros de entrada no SETUP e entrar no modo de edição dos campos do
SETUP independente do modo de operação selecionado.

No SETUP a tecla “ENTER/MENU” será utilizada para três formas de edição


dependendo do tipo de campo:

NUMÉRICO O deslocamento do cursor ocorrerá da esquerda para direita e


a seleção dos dígitos será através das teclas “SETA PARA
CIMA” e “SETA PARA BAIXO”. Quando pressionada a tecla
“ENTER/MENU” é confirmado o digito selecionado e deslocado
o cursor uma posição para a direita. Para validação da edição é
necessário que seja pressionado a tecla “ENTER/MENU” até o
fim do campo e para cancelar a edição pressiona-se a tecla
“RESET/ESC”.

A alteração do valor do campo terá seus limites definidos


particularmente para cada campo. O incremento e decremento
do valor possuirão correção automática caso a unidade em
edição estoure o valor do campo. Por exemplo, se o limite
máximo for 10,0 e o valor atual do campo esteja em 8,5 e for
incrementado a dezena de 0 para 1, o campo automaticamente
corrigirá o valor entrado que seria de 18,5 para 10,0 forçando o
valor para o seu limite máximo. O mesmo ocorre para o limite
mínimo.

ALFANUMÉRICO O deslocamento do cursor ocorrerá da esquerda para direita e


a seleção dos dígitos será através das teclas “SETA PARA
CIMA” e “SETA PARA BAIXO”. Quando pressionada a tecla
“ENTER/MENU” é confirmado o digito selecionado e deslocado
o cursor uma posição para a direita. Para validação da edição é
necessário que seja pressionado a tecla “ENTER/MENU” até
o fim do campo e para cancelar a edição pressiona-se a tecla
“RESET/ESC”.

LISTA A seleção das listas será através das teclas “SETA PARA
CIMA” e “SETA PARA BAIXO”. Quando pressionada a tecla
“ENTER/MENU” é confirmado o texto selecionado e para
cancelar a edição pressiona-se a tecla “RESET/ESC”.

14 TECLA "RESET / ESC” Cor “PRETA / BRANCA”

Na tela de ALARMES através da tecla 14 “RESET/ESC” é possível reconhecer os


alarmes independente do modo de operação selecionado. Para quitar os alarmes é
necessário pressioná-la por um tempo determinado observando o modo de operação
(ver seção Alarmes e Eventos do Controlador ST2030).
Quando estiver nas telas de SETUP e MEDIÇÕES a tecla 14 “RESET/ESC” permite
voltar ao nível de tela anterior e cancelar a edição.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 15 de108


Manual de Treinamento ST2030

5.1.3. Indicação do Display

15 Display LCD

16 17

18 19

O 15 “Display LCD” de 16 colunas por 2 linhas, mostra parâmetros de SETUP ,


MEDIÇÕES , ALARMES, EVENTOS, HISTÓRICOS e TELAS BÁSICAS.
5.2. Vista Posterior

5.2.1. Identificação e Descrição das Conexões


16
Conector de Alimentação
A alimentação do controlador é feita por conector plug-in.
Para maiores detalhes consulte a Entrada de Alimentação e Composição das
Interfaces – Interface X1 em seção de Hardware / Descrição dos Sinais.
Identificação dos sinais
Pino Sinal
1 Terra
2 Vcc
3 GND
17
Conector de Comunicação RJ45
Porta de comunicação RS-232 para supervisão, comando e configuração.
Para maiores detalhes consulte a Interface Serial RS232 e Composição das Interfaces
- Interface X7 em seção de Hardware / Descrição dos Sinais.
Identificação dos sinais
Pino Sinal
1 DCD
2 TX
3 RX
4 DSR
5 GND
6 DTR
7 CTS
8 RTS

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 16 de108


Manual de Treinamento ST2030

18
Conector das Entradas e Saídas Digitais – DB25 Macho
As entradas e saídas da interface X2 que correspondem a este conector são passíveis
de configuração, porém por definição suas configurações iniciais devem ser conforme
sinalizado abaixo.
As entradas e saídas digitais são originárias do Módulo de Conexão MC-03 descrito
na especificação “Módulos de Conexão”.
Identificação dos sinais
Pino Sinal Lógica Observação
1 Vcc N/A Alimentação do circuito interno
2,3,4,5 Comum N/A Comum das entradas digitais

Positiva
6 E7 – Entrada Configurável ou
Negativa

7 E6 – Status Chave CRD Negativa


Ver Entradas Digitais Configuráveis em
8 E5 – Status Chave CGR Negativa SETUP de Parâmetros da USCA.
9 E4 – Emergência Acionada Negativa Ver Dispositivos Externos – Entrada Digital,
Grupo M em Lógicas de Funcionamento.
10 E3 – Parada Remota Positiva
11 E2 – Defeito do Retificador Positiva
12 E1 – Temperatura Água Positiva
13 E0 – Pressão do Óleo Negativa
14 S0 – Comando Manual Positiva
15 S1 – Solenóide Combust. Positiva
16 S2 – Cmd Partida Positiva
17 S3 – Comando Pré-Aquecim. Positiva Ver Saídas Digitais Configuráveis em
SETUP de Parâmetros da USCA
18 S4 – Alarme Sonoro Positiva
Ver Dispositivos Externos – Saída Digital,
19 S5 – Cmd Fechamento CGR Positiva Grupo F em Lógicas de Funcionamento.
20 S6 – Cmd Abertura CRD Positiva
21 S7 – Saída Configurável Positiva
22, 23,
Comum N/A Comum das saídas digitais
24
25 Blindagem do Cabo N/A Blindagem do cabo

19
Conector das Entradas Analógicas CA e PT100 – DB25 Fêmea
As entradas analógicas das medições de tensões e correntes do GMG, tensões de
REDE e temperatura da água do motor são sinais originários do módulo de conexão
MC-01 descrito na especificação “Módulos de Conexão”.
Identificação dos sinais
Pino Sinal
1,2 Tensão Fase A da REDE
3,4 Tensão Fase B da REDE
5,6 Tensão Fase C da REDE
7,8 Tensão Fase A do GMG
9,10 Tensão Fase B do GMG
11,12 Tensão Fase C do GMG
13,14 Corrente Fase A do GMG
15,16 Corrente Fase B do GMG
17,18 Corrente Fase C do GMG
19,20,
Não Conectado
21
22 Sinal do PT100 – Negativo
23 Sinal do PT100 – Compensação
24 Sinal do PT100 – Positivo
25 Blindagem do Cabo

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 17 de108


Manual de Treinamento ST2030

III. TELAS DO CONTROLADOR ST2030

6. ESTRUTURA DAS TELAS BÁSICAS DO CONTROLADOR ST2030


As telas básicas do controlador possuem informações de tensões, potências e freqüência do GMG e da
REDE.
A navegação entre as telas é feita através das teclas “Seta para Cima” ou “Seta para Baixo”. Após 10
segundos na mesma tela basica o controlador volta para a tela com linha de auto - scroll automaticamente.

6.1. Tela de Inicialização


Tela 0.0.00.00.01 Informação da Inicialização do Controlador
ST2030 Ver.X.XX Esta tela tem por finalidade indicar que o controlador foi alimentado e entrará em
Inicializando... funcionamento.
Neste momento será informado o nome do controlador, a versão do software e o texto
indicando que o controlador está inicializando.

Esta tela será desligada quando o controlador estiver apto para entrar em
funcionamento passando imediatamente para a tela Informação do GMG com Linha
AUTO – SCROLL.
6.2. Medições Básicas
Tela 1.0.00.00.01 Informação do GMG com Linha AUTO - SCROLL
GMG 000V 00,0Hz Esta tela informa a tensão do GMG e sua freqüência instantânea. A linha inferior
AAAAAAAAAAAAAAAA mostra a situação atual do sistema conforme descrito na tabela de STATUS.

Esta tela será chamada quando:


ƒ houver operações básicas de navegação no teclado para este fim;
ƒ o controlador for inicializado;
ƒ o SETUP estiver inativo durante 3 minutos;
ƒ ocorrer um evento de quitação de falhas estando em qualquer tela com exceção
das telas de SETUP onde não será permitido eventos de reconhecimento e/ou
quitação de alarmes;
ƒ ocorrer qualquer um dos itens da tabela de STATUS, estando fora do SETUP ou
estando na tela de alarme(s) ativo(s) e nenhum dos alarmes estiver ativo ou
estando nas demais telas.

Para o campo tensão, será mostrado a tensão de linha Vab desde que a configuração
do tipo de medição configurada no SETUP da USCA seja “Trifásica” ou “Bifásica”.
Caso seja “Monofásica” o campo da tensão informará o valor da tensão de fase Va.

É aplicado uma rolagem automática para a linha de STATUS. Esta rolagem mostrará
os STATUS que estarão ativos e os demais serão suprimidos da rolagem.
O intervalo de rolagem entre as mensagens da linha de STATUS será de 1,3
segundos. A rolagem será cíclica onde, ao chegar na última mensagem ativa a
próxima será a primeira mensagem ativa da tabela.

Quando houver uma chamada da tela por algum STATUS da tabela o controlador
mostrará a mensagem de STATUS que ativou e após 3 segundos o controlador
retornará para a tela anterior que efetuou a chamada. Para os outros eventos que
chamam esta tela, não será aplicado um retorno automático permanecendo então na
tela de AUTO-SCROLL onde após o tempo de retardo, será iniciado o tempo de
intervalo de rolagem.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 18 de108


Manual de Treinamento ST2030

Podendo ser ativo mais de um STATUS ao mesmo tempo, será aplicado o retardo
de rolagem para o último STATUS ativado naquele instante

Tabela de STATUS - Textos Aplicados na Linha AUTO - SCROLL

Item Texto Mensagem Display


1 Alarme Ativo A l a r m e A t i
v o
2 GMG Partindo G M G P a r t i n
d o
3 GMG Funcionando G M G F u n c i o n a
n d o
4 GMG Resfriando G M G R e s f r i a
n d o
5 GMG Parando G M G P a r a n d
o
6 GMG Parado G M G P a r a d
o
7 GMG Indisponível G M G I n d i s p o n
i v e l
8 REDE Normal R E D E N o r m a
l
9 REDE Anormal R E D E A n o r m
a l
10 REDE Estabilizando R E D E E s t a b i l
i z .
11 Retardo na Partida R e t a r d o P a r t
i d a
12 Intervalo entre Partidas I n t e r v . P a r t
i d a s
13 Pré - Aquecimento P r e - A q u e c i m e
n t o
14 Teclado Bloqueado T e c l a d o B l o
q .
15 Modo Teste M o d o T e s t
e
16 Comando de Fechamento de CGR F e c h a m e n t o C G R
17 Comando de Fechamento de CRD F e c h a m e n t o C R D
18 Comando de Abertura de CGR A b e r t u r a C G R
19 Comando de Abertura de CRD A b e r t u r a C R D
20 Parada Remota P a r a d a R e m o t a

As mensagens do display deveram ser centradas na tela. Para as mensagens que não
tiverem o número de caracteres compativeis para centralização na tela será adotado
um deslocamento de um caracter para a esquerda.
Tela 1.0.00.00.02 Outras Informações nas Telas de Medições Básicas
GMG 000V 00,0Hz Nas próximas telas, sempre é informada a tensão do GMG e sua freqüência
0000kW 0000kVA instantânea, repetindo para as próximas telas básicas.

Tela 1.0.00.00.03 A linha inferior nas próximas telas mostram:

GMG 000V 00,0Hz Tela 1.0.00.00.02 ....................................Potência ativa e aparente do GMG.


Temp.Agua: 000°C
Tela 1.0.00.00.03 ....................................Temperatura d’água de arrefecimento do
motor.
Tela 1.0.00.00.04
Tela 1.0.00.00.04 ....................................Tensão e freqüência da REDE.
GMG 000V 00,0Hz
REDE 000V 00,0Hz

7. MENUS DE ACESSO AOS GRUPOS DE TELAS DO CONTROLADOR ST2030


Para acessar a navegação entre as telas de menu do controlador basta pressionar a tecla “ENTER/MENU”
estando em qualquer uma das telas básicas.
Ao pressionar a tecla “ENTER/MENU” em qualquer uma das telas básicas, será mostrado o menu de acesso
que possibilitara entrar nos grupos de MEDIÇÕES, ALERMES/EVENTOS e SETUP. Para retornar a tela
anterior basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.

7.1. Menus de Acesso


Tela 1.1.00.00.01 Menu de acesso as telas de Medições
Medicoes Este grupo contém as medições gerais e detalhadas do sistema.
>
Para acessar o próximo nível basta pressionar a tecla “ENTER/MENU”, abrirá a nova
tela da respectiva opção.

As telas do grupo de medições estão descritas na seção “ Medições do Controlador


ST2030”.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 19 de108


Manual de Treinamento ST2030

Tela 1.1.00.00.02 Menu de acesso as telas de Alarmes e Eventos


Alarmes/Eventos Este grupo contém as informações de alarmes, históricos e eventos do sistema.
>
Para acessar o próximo nível basta pressionar a tecla “ENTER/MENU”, abrirá a nova
tela da respectiva opção.

As telas do grupo de alarmes e eventos estão descritas na seção “Alarmes e Eventos


do Controlador ST2030”.

Tela 1.1.00.00.03 Menu de acesso as telas de SETUP


Setup Este grupo contém o SETUP do sistema.
>
Para acessar o próximo nível basta pressionar a tecla “ENTER/MENU”, abrirá a nova
tela da respectiva opção.

Caso o controlador esteja em Modo de Operação Remoto indicado pelo LED


“MANUAL”, piscando não será permitido o acesso ao grupo de SETUP.

As telas do grupo de SETUP estão descritas na seção “SETUP do Controlador


ST2030”.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 20 de108


Manual de Treinamento ST2030

IV. MEDIÇÕES DO CONTROLADOR ST2030

8. ESTRUTURA DAS TELAS DE MEDIÇÕES DO CONTROLADOR ST2030


Todas as telas de MEDIÇÕES possuem uma tela de ajuda que contém informações básicas da tela e um
número (índice da tela) que informa qual a posição atual das MEDIÇÕES que o usuário se encontra. Para
ativar a tela de ajuda basta pressionar as teclas “Seta para cima” e “Seta para baixo” simultaneamente. Será
mostrada uma tela de ajuda e após alguns segundos retornara para a tela anterior automaticamente.

A navegação entre telas é feita através das teclas “Seta para Cima” ou “Seta para Baixo”. Caso a tela atual
permita acessar um sub-item de menu basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” e para retornar a tela anterior
basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.

As máscaras de medições são aplicadas com a finalidade de padronizar todas as medições possíveis de
serem configuradas e as que sofrerem variações em sua unidade de medição. As unidades de medição são
ajustadas automaticamente conforme a configuração do SETUP for definida:

Unidades ajustadas automaticamente


O ajuste das unidades das telas de medições dependem diretamente do valor
configurado de tensão nominal e do valor do transformador de corrente (TC) aplicado.
Para o controlador ST2030 assumimos como parâmetros base o valor de tensão
nominal e de TC do GMG para definir a unidade de potência tanto do GMG quando da
REDE.
Unidades de Potências do GMG e da REDE
(Vnominal x TC) ≤ 9999 ..............................0000kW, 0000kVA
(Vnominal x TC) > 9999 ..............................00.0MW, 00.0MVA

Expoente de Potência na Tabela de Comunicação ModBus


(Vnominal x TC) ≤ 9999 ..............................0
(Vnominal x TC) > 9999 ..............................2

8.1. Medições
8.1.1. Medições Gerais

Tela 2.1.00.00.00 Menu de Acesso ao Grupo de Telas de Medições Gerais


MEDICOES Este grupo contém a tela de medições gerais do sistema.
Geral > Para acessar o próximo nível basta pressionar a tecla “ENTER/MENU”, abrirá a nova
tela da respectiva opção.

Tela 2.1.00.00.01 Medições Gerais


1111111122222222 Nesta tela poderá ser mostrado até quatro medições configuradas. Para cada campo
3333333344444444 identificado por uma seqüência de números iguais será configurado no SETUP do
controlador o código referente a leitura desejada(pág. 71). Para retornar a tela anterior
basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.
8.1.2. Medições de REDE

Tela 2.2.00.00.00 Menu de Acesso ao Grupo de Medições da REDE


MEDICOES Este grupo contém os valores medidos da REDE. Para acessar o subgrupo basta
REDE > pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a nova tela.

Medições das Tensões e Freqüência da REDE


Este subgrupo das medições da REDE contém os valores de tensão e freqüência.
Para retornar a tela anterior basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.

Quando o sistema de medição de tensão da REDE for configurado no SETUP dos


Parâmetros Nominais da REDE para “SEM NEUTRO”, as informações de tensões de
fase (Va, Vb e Vc) serão suprimidas não sendo mostrada a tela correspondente a
estas medições, deslocando a navegação para as próximas medições. Caso a

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 21 de108


Manual de Treinamento ST2030

medição seja configurada para “COM NEUTRO”, todas as medições de tensões


serão mostradas.

Será mostrado pelo controlador o grupo de telas conforme o tipo de medição


configurado no SETUP dos Parâmetros da USCA.

MONOFÁSICA Algumas tensões não serão mostradas, resultando em uma tela


especial que dependerá da configuração do SETUP. Conforme
configurado para monofásico será aplicada a tela abaixo:

COM NEUTRO SEM NEUTRO


Tela 2.2.00.00.01
Configuração MONOFÁSICA SEM
Va 000V 00,0Hz NEUTRO não será aplicada. O
SETUP do controlador validará esta
situação não permitindo
configuração.

BIFÁSICA Algumas tensões não serão mostradas, resultando em uma tela


especial que dependerá da configuração do SETUP. Conforme
configurado para bifásico serão aplicadas as telas abaixo:

COM NEUTRO SEM NEUTRO


Tela 2.2.00.00.02 Tela 2.2.00.00.03

Va 000V 00,0Hz Vab 000V 00,0Hz


Vb 000V Vab 000V

TRIFÁSICA Todas as medições serão mostradas. O controlador assumirá


as telas respectivas para o tipo de medição selecionado.
Conforme configurado para trifásico serão aplicadas as telas
abaixo.

COM NEUTRO SEM NEUTRO


Tela 2.2.00.00.04
Não possui tela especial.
Va 000V 00,0Hz
Vb 000V Vc 000V

As telas abaixo serão mostradas sempre que for sistema


trifásico independente se é com neutro ou sem neutro.
Tela 2.2.00.00.05 Tela 2.2.00.00.06

Vab 000V 00,0Hz Vca 000V 00,0Hz


Vbc 000V

8.1.3. Medições do GMG

Tela 2.3.00.00.00 Menu de Acesso as Medições do Gerador


MEDICOES Este grupo contém os valores medidos do GMG. Para acessar o subgrupo basta
GMG > pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a nova tela.

8.1.3.1. Medições Geral GMG

Tela 2.3.01.00.00 Menu de Acesso as Medições Gerais do GMG


MEDICOES DO GMG Este subgrupo das medições do GMG contém os valores de tensão, freqüência,
Geral > corrente e potência. Para acessar basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá
a nova tela.
Para retornar a tela anterior basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.

Será mostrado pelo controlador o grupo de telas conforme o tipo de medição


configurado no SETUP dos Parâmetros da USCA.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 22 de108


Manual de Treinamento ST2030

Para os valores de kW e kVA serão atribuídas as trocas de unidades conforme


definido na seção de medição em ajuste automático das unidades de potência.

MONOFÁSICA Algumas tensões não serão mostradas, resultando em uma tela


especial que dependerá da configuração do SETUP. Conforme
configurado para monofásico serão aplicadas as telas abaixo:
Tela 2.3.01.00.01 Tela 2.3.01.00.02

Va 000V 00,0Hz Va 000V 00,0Hz


0000kW 0000kVA Ia0000A

BIFÁSICA Algumas tensões não serão mostradas, resultando em uma tela


especial que dependerá da configuração do SETUP. Conforme
configurado para bifásico serão aplicadas as telas abaixo:
Tela 2.3.01.00.03 Tela 2.3.01.00.04

Vab 000V 00,0Hz Vab 000V 00,0Hz


0000kW 0000kVA Ia0000A Ib0000A

TRIFÁSICA Todas as medições serão mostradas. O controlador assumira


as telas respectivas para o tipo de medição selecionado.
Conforme configurado para trifásico serão aplicadas as telas
abaixo:
Tela 2.3.01.00.05 Tela 2.3.01.00.06

Vab 000V 00,0Hz Ia0000A Ic0000A


0000kW 0000kVA Ib0000A

8.1.3.2. Medições das Tensões e Freqüência do GMG

Tela 2.3.02.00.00 Menu de Acesso as Medições de Tensão e Freqüência do GMG


MEDICOES DO GMG Este subgrupo das medições de GMG contém os valores de tensão e freqüência. Para
Tensao/Freq. > acessar basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a nova tela.
Para retornar a tela anterior basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.

Será mostrado pelo controlador o grupo de telas conforme o tipo de medição


configurado no SETUP dos Parâmetros da USCA.

MONOFÁSICA Algumas tensões não serão mostradas, resultando em uma tela


especial que dependerá da configuração do SETUP. Conforme
configurado para monofásico será aplicada a tela abaixo:
Tela 2.3.02.00.01
Va 000V 00,0Hz

BIFÁSICA Algumas tensões não serão mostradas, resultando em uma tela


especial que dependerá da configuração do SETUP. Conforme
configurado para bifásico será aplicada a tela abaixo:
Tela 2.3.02.00.02

Va 000V 00,0Hz
Vb 000V Vab 000V

TRIFÁSICA Todas as medições serão mostradas. O controlador assumirá


as telas respectivas para o tipo de medição selecionado.
Conforme configurado para trifásico serão aplicadas às telas
abaixo:
Tela 2.3.02.00.03 Tela 2.3.02.00.04

Va 000V 00,0Hz Vab 000V 00,0Hz


Vb 000V Vc 000V Vbc 000V

Tela 2.3.02.00.05
Vca 000V 00,0Hz

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 23 de108


Manual de Treinamento ST2030

8.1.3.3. Medições de Correntes e Potências do GMG

Tela 2.3.03.00.00 Menu de Acesso as Medições de Correntes e Potências do GMG


MEDICOES DO GMG Este subgrupo das medições do GMG contém os valores de correntes e potências.
Corrent/Potenc.> Para acessar basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a nova tela.
Para retornar a tela anterior basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.

Será mostrado pelo controlador o grupo de telas conforme o tipo de medição


configurado no SETUP dos Parâmetros da USCA.

Para os valores de kW e kVA serão atribuídas as trocas de unidades conforme


definido na seção de medição em ajuste automático das unidades de potência.

MONOFÁSICA Algumas tensões não serão mostradas, resultando em uma tela


especial que dependerá da configuração do SETUP. Conforme
configurado para monofásico será aplicada à tela abaixo:
Tela 2.3.03.00.01

Ia 0000A
0000kW 0000kVA

BIFÁSICA Algumas tensões não serão mostradas, resultando em uma tela


especial que dependerá da configuração do SETUP. Conforme
configurado para bifásico serão aplicadas às telas abaixo:
Tela 2.3.03.00.02 Tela 2.3.03.00.03

Ia 0000A 0000kW
Ib 0000A 0000kVA

TRIFÁSICA Todas as medições serão mostradas. O controlador assumira


as telas respectivas para o tipo de medição selecionado.
Conforme configurado para trifásico serão aplicadas às telas
abaixo:
Tela 2.3.3.0.4 Tela 2.3.3.0.5

Ia 0000A Ic0000A 0000kW


Ib 0000A 0000kVA

8.1.3.4. Medições das Energias do GMG


Tela 2.3.04.00.00 Menu de Acesso as Medições de Energia do GMG
MEDICOES DO GMG Este subgrupo das medições de GMG contém o valor de Energia.
Energia > Para acessar basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a nova tela.
Para retornar a tela anterior basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.
Tela 2.3.04.00.01

KWh:
+0000000

8.1.3.5. Medições Auxiliares do GMG

Tela 2.3.05.00.00 Menu de Acesso as Medições Auxiliares do GMG


MEDICOES DE GMG Este subgrupo contém informações especificas do GMG. Para acessar basta
Auxiliares > pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a nova tela.
Para retornar a tela anterior basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.
Tela 2.3.05.00.01

Num.Part. : 0000 Os valores iniciais dos campos abaixo podem ser configurados no SETUP:
Func. 00000h
Num.Part. Número de Partidas do GMG
Tela 2.3.05.00.02
Funcion. Horas de Funcionamento do GMG
Manutencao: 000h
Tensao Bat:00,0V
Manutenção Horas para Chamada de Manutenção do GMG
Tela 2.3.05.00.03
Para informações de como configurar os campo listados acima consulte a seção de
Temp.Agua: 000°C SETUP no grupo de Parâmetros de Motor.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 24 de108


Manual de Treinamento ST2030

8.1.3.6. Medições dos Registros Máx / Min do GMG

Tela 2.3.06.00.00 Menu de Acesso as Medições dos Registros de Máximos e Mínimos


MEDICOES DO GMG Este subgrupo das medições do GMG contém os valores dos Registros Máximo /
Reg. Max/Min > Mínimo. Para acessar basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a nova tela.
Para retornar a tela anterior basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.

Será registrado pelo controlador os valores de máximos e mínimos das medições


contidas nas telas deste grupo.

As medições só serão registradas a partir do funcionamento do GMG e no momento


de sua parada os valores são congelados. Voltando o GMG a entrar em
funcionamento será iniciado novamente os registros de máximos e mínimos.

As medições de correntes e potências só são registradas quando o GMG estiver


conectado na carga. Quando a CGR abrir os valores serão congelados até o próximo
fechamento da CGR.

A medição de freqüência e tensões só serão registradas quando o GMG estiver pronto


para carga e no momento de sua parada os valores são congelados.

Para os valores de kW e kVA serão atribuídas às trocas de unidades conforme


definido na seção de medição em ajuste automático das unidades de potência.

Os Registros Máx / Mín podem ser inicializados, além dos eventos descritos acima,
pelo parâmetro de inicialização dos Registros Máx / Mín no SETUP de Manutenção de
Históricos e Máx / Mín. Também pode ser inicializado pelo comando serial da Tabela
de Escrita Modbus – Comandos STEMAC. Todos os Registros de Máx / Mín que estão
sendo medidos no momento serão inicializados e os que estiverem congelados não
sofrem alteração.

Medição Monofásica
Quando o tipo de medição configurado no SETUP da USCA for “Monofásica”.

Tela 2.3.06.00.01 Tela 2.3.06.00.02 Tela 2.3.06.00.03

Va 000/000V 0000/0000kW 00.0/00.0Hz


Ia 0000/0000A 0000/0000kVA

Medição Bifásica
Quando o tipo de medição configurado no SETUP da USCA for “Bifásica”.

Tela 2.3.06.00.04 Tela 2.3.06.00.05 Tela 2.3.06.00.06

Vab 000/000V Ib 0000/0000A 0000/0000kVA


Ia 0000/0000A 0000/0000kW 00.0/00.0Hz

Medição Trifásica
Quando o tipo de medição configurado no SETUP da USCA for “Trifásica”.

Tela 2.3.06.00.07 Tela 2.3.06.00.08 Tela 2.3.06.00.09

Vab 000/000V Vca 000/000V Ib 0000/0000A


Vbc 000/000V Ia 0000/0000A Ic 0000/0000A

Tela 2.3.06.00.10 Tela 2.3.06.00.11

0000/0000kW 00.0/00.0Hz
0000/0000kVA

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 25 de108


Manual de Treinamento ST2030

Medições Auxiliares
Estas medições de máximos e mínimos estão sempre sendo registradas
independentemente do modo de operação e das condições de funcionamento do
GMG.

Sempre que for pressionado a tecla RESET/ESC e estando nesta tela, serão
reinicializadas as medições de máximos e mínimos para estes valores.

Quando em modo de operação remoto poderá ser inicializado o registro pelo comando
de reset das medições auxiliares máx./mín.

Quando o parâmetro “Habilita a Proteção e Medição da Temperatura da Água do


Motor” for configurado como desligado os registros de máximos e mínimos de
temperatura da água de arrefecimento do motor permanecerão em zero.
Tela 2.3.06.00.12

Bat. 00,0/00,0V
Temp. 000/000°C

8.1.4. Medições de Diagnósticos

Tela 2.4.00.00.00 Menu de Acesso as Medições de Diagnósticos do Controlador


MEDICOES Este grupo contém os valores para diagnóstico básico do controlador possibilitando
Diagnosticos > análise inicial em instalações e caso de falhas no sistema.

Diagnóstico das Entradas Digitais Módulo 01


Tela 2.4.00.00.01 Através desta máscara é possível monitorar o estado das 8 entradas digitais do
MEDICOES DIAGNO. controlador. Seu estado reflete o acionamento direto da entrada digital, não
EDM01: 00000000 executando nenhum retardo possível ou lógica definida para a respectiva entrada.
São 8 bits que variam entre 0 e 1, onde 0 identifica que a respectiva entrada digital
não esta acionada e 1 identifica que a entrada esta acionada. As entradas são
identificadas da direita para esquerda onde a primeira, a menos significativa, é a
entrada digital E0 e a mais significativa é a entrada digital E7.

E0 - Entrada Digital Configurável no SETUP


E1 - Entrada Digital Configurável no SETUP
E2 - Entrada Digital Configurável no SETUP
E3 - Entrada Digital Configurável no SETUP
E4 - Entrada Digital Configurável no SETUP
E5 - Entrada Digital Configurável no SETUP
E6 - Entrada Digital Configurável no SETUP
E7 - Entrada Digital Configurável no SETUP
agnóstico das Saídas Digitais Módulo 01
Através desta máscara é possível monitorar o estado das 8 saídas digitais do
Tela 2.4.00.00.02 controlador. Seu estado reflete o acionamento da saída digital já com todos os seus
MEDICOES DIAGNO. retardos e lógicas de acionamento concluídos.
SDM01: 00000000 São 8 bits que variam entre 0 e 1, onde 0 identifica que a respectiva saída digital não
está acionada e 1 identifica que a saída esta acionada. As saídas são identificadas da
direita para esquerda onde a primeira, a menos significativa, é a saída digital S0 e a
mais significativa é a saída digital S7.

S0 - Saída Digital Configurável no SETUP


S1 - Saída Digital Configurável no SETUP
S2 - Saída Digital Configurável no SETUP
S3 - Saída Digital Configurável no SETUP
S4 - Saída Digital Configurável no SETUP
S5 - Saída Digital Configurável no SETUP
S6 - Saída Digital Configurável no SETUP
S7 - Saída Digital Configurável no SETUP

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 26 de108


Manual de Treinamento ST2030

Tela 2.4.00.00.03 Diagnóstico do Hardware do Controlador Verificado na Energização


MEDICOES DIAGNO. Através desta máscara é possível verificar o estado do hardware na inicialização do
Hardware LLLLL controlador.

OK Indica que as placas eletrônicas foram inicializadas e


configuradas sem falhas e estão operando sem problemas.

FALHA Existe alguma placa interna que não está funcionando


corretamente ou possui alguma falha na inicialização ou
configuração.
Tela 2.4.00.00.04 Diagnóstico de operação do Controlador
MEDICOES DIAGNO. Através desta máscara é possível verificar o estado de operação do controlador, se
Software LLLLL está rodando o software interno sem problemas.

Este diagnóstico será reiniciado sempre que o controlador for energizado e indicará o
funcionamento correto ou não do software. Após a energização do controlador o
mesmo passa a supervisionar a execução do software interno. Se não ocorrer nenhum
problema na inicialização será informado “RUN”. Caso ocorra um problema na
execução do software, o controlador se auto reiniciará e indicará “RESET”
permanecendo com esta indicação até que o controlador seja desligado.

RUN Indica que o software esta rodando sem problemas.

RESET Caso ocorra algum reset involuntário do controlador sinalizará


com esta opção.

Tela 2.4.00.00.05 Versão interna de Projeto do S30GT


Versao Através desta máscara é possível verificar a versão interna do projeto do S30GT.
0,00E000J000
As informações continas nesta tela são referentes as versões internas de software,
dados de inicialização e procedimentos de testes.

0,00 Versão do Software Aplicativo do controlador.

E000 Versão da tebela de parametrização dos parâmetros de fabrica.

J000 Versão do software aplicativo da Jiga de testes e calibração do


controlador.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 27 de108


Manual de Treinamento ST2030

V. ALARMES E EVENTOS DO CONTROLADOR ST2030

9. ESTRUTURA DAS TELAS DE ALARMES E EVENTOS


O controlador registra simultaneamente alarmes e/ou eventos em uma área de memória temporária que são
descarregados individualmente em intervalos para área principal de alarmes e/ou eventos

9.1. Grupo de Alarmes Ativos e Reconhecidos


Tela 3.1.00.00.00 Menu de Acesso a Tela de Alarmes Ativos e Reconhecidos
Grupo Alarmes Este grupo contém os alarmes ativos e reconhecidos do sistema.
Ativos > O controlador pode armazenar até 20 alarmes ativos ou reconhecidos neste grupo de
alarmes.

Para acessar o próximo nível basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela dos alarmes.
9.1.1. Descrição dos Alarmes Ativos e Reconhecidos

Tela 3.1.00.01.00 Alarmes Ativos e Reconhecidos


Alarme 000)000 A Esta tela informa os alarmes ativos e/ou reconhecidos do sistema. Contém a
AAAAAAAAAAAAAAAA informação do número localizando o alarme na fila, o código do alarme, a situação do
alarme “A” Ativo ou “R” Reconhecido e o texto do alarme.

Código do Alarme

Número do Alarme na Pilha Sinalização do Estado do Alarme

Alarme 001)106 A
Nivel Alto Comb.

Texto do Alarme

Quando ocorre um alarme o controlador desloca a fila de alarmes uma posição para
baixo incluindo o novo no topo. A informação da posição do alarme na fila, indica para
o operador a posição atual do alarme que está sendo consultado no momento.

Os alarmes possíveis de serem registrados estão descritos no item 10.1 Tabela de


Alarmes.

Na ocorrência de um alarme ativo o controlador chama automaticamente esta tela de


alarmes ativos independente do modo de operação e da tela corrente e aguarda o
reconhecimento ou a quitação do alarme para liberar a navegação entre outras telas.

Será possível navegar para consultar os demais registros de alarmes após o


reconhecimento, para isso basta navegar na fila usando as teclas “SETA PARA CIMA”
ou “SETA PARA BAIXO”. Toda vez que estiver no inicio da fila a tecla “SETA PARA
CIMA” não terá aplicação e quando estiver no fim da fila a tecla “SETA PARA BAIXO”
não terá aplicação.

Quando quitado ou alarme auto-reconhecido, o controlador chama a primeira tela de


medições básicas.

Quando pressionada a tecla “RESET/ESC” (evento de reconhecimento) estando nesta


tela de alarmes e nenhum alarme ativo indicado pelo alarme sonoro desligado, é
executado um retorno para tela anterior.

Ao tentar entrar na tela de alarmes pelo teclado e, caso não exista nenhum alarme
ativo ou reconhecido será apresentada a mensagem “SEM ALARMES” centrada na
tela e os campos preenchidos com 0 ( zero ).
Alarme 000)000
SEM ALARMES

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 28 de108


Manual de Treinamento ST2030

A operação de reconhecimento e quitação dos alarmes é feita em alguns níveis:

AUTO-
RECONHECIMENTO Existem casos onde o alarme poderá sair da fila sem a
intervenção do operador, classificadas como falhas com classe
de nível 0 como por exemplo a falha de Sobretensão na REDE
– Limite 1 que após sua normalidade o alarme seria retirado da
fila automaticamente.

RECONHECIMENTO Pressionando a tecla “RESET/ESC” por um tempo


indeterminado, fará com que seja(m) reconhecido(s) o(s)
alarme(s) e desligado o alarme sonoro. Esta operação é
executada para todos os alarmes independentemente do nível
de falha e do modo de operação selecionado.

QUITAÇÃO Pressionando a tecla “RESET/ESC” por um tempo maior que 5


segundos fará com que seja(m) quitado(s) o(s) alarme(s) do
sistema diferentes de nível de falha 0. Enquanto a tecla
“RESET/ESC” estiver sendo pressionada, se houver alarmes
em condições de ativação, eles serão ativados entrando
novamente no grupo de alarmes ativos independente da tecla
de "RESET/ESC" continuar pressionada. Se a tecla
permanecer pressionada continuamente por um longo tempo,
tempo que atenda dois ciclos de quitação por exemplo, será
executada a quitação duas vezes sem a necessidade de soltar
e pressionar novamente a tecla.
Para alarmes com classe de falha 1, a operação de quitação é
aceita independente do modo de operação selecionado. Para
alarmes com classe de falha 2 e 3, esta operação é aceita
somente em Modo de Operação Manual ou Remoto e para
classe de falha 4, esta operação é aceita somente em Modo de
Operação Manual ou em Modo de Operação Remoto quando o
parâmetro Habilita Quitação Remota F4 estiver habilitado.

9.2. Grupo de Histórico de Alarmes


Tela 3.2.00.00.00 Menu de Acesso a Tela de Histórico de Alarmes Ativos, Reconhecidos e Quitados
Grupo Historico Este grupo contém o histórico de alarmes registrados pelo sistema.
de Alarmes > O controlador pode armazenar até 100 registros no histórico de alarmes. Estes
registros são efetuados no instante que o alarme foi ativo.
Para acessar o próximo nível basta pressionar a tecla “ENTER/MENU”, abrirá a nova
tela de histórico de alarmes.
9.2.1. Descrição do Histórico de Alarmes

Tela 3.2.00.01.00 Histórico de Alarmes


HA 000)000 00000 Esta tela informa os informa o histórico dos alarmes registrados pelo controlador.
AAAAAAAAAAAAAAAA Contém a informação do número localizando o alarme na fila, o código do alarme o
número de horas de funcionamento do GMG e o texto do alarme respectivamente.
Código do Alarme
Número do Alarme na Pilha
Horas de Funcionamento do GMG

HA 073)002 02321
GMG Hz>L2

Texto do Alarme

Quando ocorre um novo registro o controlador desloca a fila de alarmes uma posição
para baixo incluindo o novo no topo. Como o controlador ST2030 não possui relógio
interno, na ocorrência do alarme é registrado então o número de horas de
funcionamento do GMG. O número indicando a posição dos alarmes na fila é
atualizado para todos os alarmes existentes na fila devido à entrada do novo.

Os alarmes possíveis de serem registrados estão descritos no item 10.1 Tabela de


Alarmes.
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 29 de108
Manual de Treinamento ST2030

É possível navegar para consultar os demais registros de históricos de alarmes, desta


forma, basta navegar na fila usando as teclas “SETA PARA CIMA” ou “SETA PARA
BAIXO”. Toda vez que estiver no inicio da fila a tecla “SETA PARA CIMA” não terá
aplicação e quando estiver no fim da fila a tecla “SETA PARA BAIXO” não terá
aplicação.

Para retornar a tela anterior de menu de acessos basta pressionar a tecla


“RESET/ESC”.

Ao tentar entrar na tela de histórico de alarmes pelo teclado, caso não exista nenhum
alarme no histórico será apresentado a mensagem “SEM ALARMES” e os campos
preenchidos com 0 (zero).

HA 000)000 00000
SEM ALARMES

9.3. Grupo de Histórico de Eventos


Tela 3.3.00.00.00 Menu de Acesso a Tela de Histórico de Eventos
Grupo Historico Este grupo contém o histórico de eventos registrados pelo sistema.
de Eventos > O controlador pode armazenar até 50 registros no histórico de eventos.
Para acessar o próximo nível basta pressionar a tecla “ENTER/MENU”, abrirá a nova
tela de histórico de eventos.
9.3.1. Descrição do Histórico de Eventos

Tela 3.3.00.01.00 Histórico de Eventos


HE 000)000 00000 Esta tela informa os informa o histórico dos eventos registrados pelo controlador.
AAAAAAAAAAAAAAAA Contém a informação do número localizando o evento na fila, o código do evento o
número de horas de funcionamento do GMG e o texto do alarme respectivamente.
Código do Evento
Número do Evento na Pilha
Horas de Funcionamento do GMG

HE 011)288 00021
Acesso Nível 2

Texto do Evento

Quando ocorre um evento o controlador desloca a fila de eventos uma posição para
baixo incluindo o novo no topo. Como o controlador ST2030 não possui relógio
interno, na ocorrência do evento é registrado então o número de horas de
funcionamento do GMG. O número indicando a posição dos eventos na fila é
atualizado para todos os outros existentes na fila devido a entrada do novo.

Os eventos possíveis de serem registrados estão descritos no item 10.3 Tabela de


Eventos.

A informação da posição do evento na fila, indica para o operador a posição atual do


evento que está sendo consultado no momento.

É possível navegar para consultar os demais registros de históricos de eventos, desta


forma, basta navegar na fila usando as teclas “SETA PARA CIMA” ou “SETA PARA
BAIXO”. Toda vez que estiver no inicio da fila a tecla “SETA PARA CIMA” não terá
aplicação e quando estiver no fim da fila a tecla “SETA PARA BAIXO” não terá
aplicação.

Para retornar a tela anterior de menu de acessos basta pressionar a tecla


“RESET/ESC”.

Ao tentar entrar na tela de histórico de eventos pelo teclado, caso não exista nenhum
alarme no histórico será apresentado a mensagem “SEM EVENTOS” e os campos
preenchidos com 0 (zero).
HA 000)000 00000
SEM EVENTOS

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 30 de108


Manual de Treinamento ST2030

10. TABELAS DE ALARMES E EVENTOS DO S30GT


10.1. Tabela de Alarmes
10.1.1. Alarmes do GMG
Código Comentário Mensagem Display Classe de Falha
1 Sobrefreqüência no GMG - Limite 1 G M G H z > L 1 F0 ou F3 (SETUP)
2 Sobrefreqüência no GMG - Limite 2 G M G H z > L 2 F3
3 Subfreqüência no GMG - Limite 1 G M G H z < L 1 F0 ou F2 (SETUP)
4 Subfreqüência no GMG - Limite 2 G M G H z < L 2 F2
5 Sobretensão no GMG - Limite 1 G M G V > L 1 F0 ou F3 (SETUP)
6 Sobretensão no GMG - Limite 2 G M G V > L 2 F4
7 Subtensão no GMG – Limite 1 G M G V < L 1 F0 ou F2 (SETUP)
8 Subtensão no GMG – Limite 2 G M G V < L 2 F2
9 Baixa Tensão Bateria do Motor B x T e n s a o B a t . F1
10 Alta Tensão Bateria do Motor A l t a T e n s a o B a t . F1
11 Sobrecarga no GMG – Limite 1 G M G W > L 1 F0 ou F2 (SETUP)
12 Sobrecarga no GMG – Limite 2 G M G W > L 2 F2
13 Sobrecorrente Instantânea no GMG G M G I > I n s t a n t . F3
14 Sobrecorrente Temporizada no GMG G M G I > T e m p o r i z . F2
15 Corrente Seqüência Negativa Temporizada G M G I S e q . N . T e m p F2
GMG
16 Chamada para Manutenção do GMG M a n u t e n c a o F1
17 Falha do Sensor PT100 F a l h a n o P T 1 0 0 F1
18 Alta Temperatura da Água Limite 1 A l t T e m p A g u a L 1 F0 ou F2 (SETUP)
19 Alta Temperatura da Água Limite 2 A l t T e m p A g u a L 2 F4
20 Baixa Temperatura da Água B x T e m p . A g u a F0 ou F3 (SETUP)
21 Pressão Baixa do Óleo no GMG P r e s s . B a i x a O l e o F4
22 Emergência Acionada E m e r g e n c i a F3
23 Falha na Partida do GMG F a l h a P a r t i d a F3
24 Falha na Parada do GMG F a l h a P a r a d a F3
25 CGR não Abriu C G R n a o A b r i u F1
26 CGR não Fechou C G R n a o F e c h o u F2
27 CGR Abriu Indevidamente C G R A b r i u I n d e v F1
28 CGR Fechou Indevidamente C G R F e c h o u I n d e v F1
29 Subcarga no GMG G M G W < R e q u e r i d a F1
30 Falha no Sinal de Pressão D e f . S n l P r e s s a o F3
31 – 44 --- Reserva ---
Corrente Seqüência Negativa Tempo
45 G M G I S e q . N . D e f . F2
Definido GMG
46 Tempo Reset Sobr. Temp. GMG Acionada G M G T . R e s e t 5 1 F0
Tempo de Reset da Seqüência Negativa
47 G M G T e m p o R s t 4 6 F0
de Corrente Temporizada do GMG
48 – 55 --- Reserva ---

10.1.2. Alarmes da REDE


Código Comentário Mensagem Display Classe de Falha
56 Sobretensão na REDE – Limite 1 R E D E V > L 1 F0
57 Sobretensão na REDE – Limite 2 R E D E V > L 2 F0
58 Subtensão na REDE – Limite 1 R E D E V < L 1 F0
59 Subtensão na REDE – Limite 2 R E D E V < L 2 F0
60 Sobrefreqüência na REDE – Limite 1 R E D E H z > L 1 F0
61 Sobrefreqüência na REDE – Limite 2 R E D E H z > L 2 F0
62 Subfreqüência na REDE – Limite 1 R E D E H z < L 1 F0
63 Subfreqüência na REDE – Limite 2 R E D E H z < L 2 F0
64 CRD não Abriu C R D n a o A b r i u F2
65 CRD não Fechou C R D n a o F e c h o u F1
66 CRD Abriu Indevidamente C R D A b r i u I n d e v F1
67 CRD Fechou Indevidamente C R D F e c h o u I n d e v F1
68 – 80 --- Reserva ---

10.1.3. Alarmes da USCA


Código Comentário Mensagem Display Classe de Falha
81 Falha de Comunicação Modbus F a l h a C o m . M o d b u s F1
82 Defeito Retificador Carregador de Baterias D e f . R e t i f i c a d o r F1
83 Defeito no Controlador D e f . C o n t r o l a d o r F1
84 Falha na Aquisição F a l h a A q u i s i c a o F1
85 Falha no Histórico F a l h a H i s t o r i c o F1

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 31 de108


Manual de Treinamento ST2030

... continuação dos Alarmes da USCA.


Código Comentário Mensagem Display Classe de Falha
86 Falha na Memória F a l h a M e m o r i a F1
87 – 105 --- Reserva ---

10.1.4. Alarmes dos Dispositivos Externos


Código Comentário Mensagem Display Classe de Falha
106 Nível Alto Combustível N i v e l A l t o C o m b . F1
107 Nível Baixo Combustível N i v e l B x C o m b . F1
108 Nível Super Baixo Combustível N v l S u p B x C o m b . F4
109 Nível Anormal de Combustível N i v e l A n o r . C o m b F1
110 Trip Relé Função 46 T r i p R F 4 6 F2
111 Defeito Relé Função 46 D e f e i t o R F 4 6 F1
112 Trip Relé Função 51G T r i p R F 5 1 G F2
113 Defeito Relé Função 51G D e f e i t o R F 5 1 G F1
114 Trip Relé Função 50/51 T r i p R F 5 0 / 5 1 F2
115 Defeito Relé Função 50/51 D e f e i t o R F 5 0 / 5 1 F1
116 Disjuntor CGR Extraído D i s j . C G R E x t r a i d F3
117 Disjuntor CRD Extraído D i s j . C R D E x t r a i d F1
118 Alta Temperatura Mancal do GMG A l t a T e m p . M a n c . F4
119 Alta Temperatura Enrolamento GMG A l t a T e m p E n r o l . F4
120 Falha Fluxo Água Circuito Externo F l h F l x A g u a E x t F4
121 Falha Fluxo Água Circuito Interno F l h F l x A g u a I n t F4
122 Nível Água Tanque Expansão N v l A g u a T q E x p F4
123 Defeito Relé Térmico D e f . R e l é T e r m i c F1
124 Falha Status Contator Principal S t s C o n t . P r i n c . F2
125 Nível Água do Radiador N i v e l A g u a R a d F4
126 Nível Água do Radiador Remoto N i v e l A g u a R a d . R F4
127 Sensor Ruptura de Correia R u p t u r a C o r r e i a F4
128 Sobrevelocidade S o b r e v e l o c i d a d e F4
129 Alta Temperatura Óleo Lubrificante A l t T e m p O l e o L b F4
130 Pressão Baixa de Óleo – Externo P r e s . B x . O l e o E x t F4
131 Temp. Alta Água Arrefecimento – Externo A l t T m p A g u a E x t F4
132 Temp. Bx Água Arrefecimento- Externo B x T m p A g u a E x t F1
133 Falha no Sistema de Arrefecimento F l h S i s t . A r r e f . F4
134 Alta Temperatura do Gerador A l t a T e m p G M G F4
135 Defeito Geral do Trafo do GMG D e f e i t o n o T r a f o F4
136 Falha de REDE Externa F a l h a R E D E E x t F0
137 - 160 --- Reserva ---

Classes de Falha
As funções de supervisão estão divididas em quatro classes de falha:

(F0) Alerta Esta falha pode levar ou não a interrupção da operação. Os


alarmes relacionados a esta classe de falha geram uma
mensagem de falha que é registrada no histórico de alarmes e
não atuam a saída do alarme sonoro sendo possível o auto –
reconhecimento destes alarmes independente do modo de
operação.
A falha nível 0 só será quitada se a condição para auto –
reconhecimento for atendida. Caso a lógica que ativa o alarme
for desabilitada, o mesmo deverá ser forçado para 0 (zero)
retirando o alarme da pilha de alarmes correntes. Não será
permitida quitação desta classe de falha pela tecla “RESET”.

(F1) Alarme Esta falha pode levar ou não a interrupção da operação. Os


alarmes relacionados a esta classe de falha geram uma
mensagem de falha que é registrada no histórico de alarmes e
atuam a saída do alarme sonoro. Podem ser reconhecidos e
quitados localmente pelo painel frontal pressionando a tecla
“RESET/ESC” e/ou remotamente pelo canal serial
independente do modo de operação.

Esta classe de falha sinalizará “Falha Nível 1” em:

- Tabela de Status na seção de alarmes e eventos;


- Tabela de Leitura Modbus - Status no Anexo I.

(F2) Atuante Quando em Modo de Operação Automático esta classe de


falha comanda a abertura da CGR seguida de uma operação
de resfriamento ( ver parâmetros do motor, tempo de
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 32 de108
Manual de Treinamento ST2030

resfriamento ) e a parada do motor. Caso a CGR não abra, o


GMG não será colocado em resfriamento e não será
comandada a sua parada. Nos demais modos de operação é
comandada somente a abertura da CGR não sendo
comandado o resfriamento e nem a parada do motor. Os
alarmes relacionados a esta classe de falha geram uma
mensagem de falha que é registrada no histórico de alarmes e
atuam a saída do alarme sonoro. Podem ser reconhecidos pelo
painel frontal pressionando a tecla “RESET/ESC” ou pelo
comando serial Comando de Reconhecimento e Quitação de
Falhas não importando o modo de operação. Porém, somente
são quitados pela tecla “RESET/ESC” em modo de operação
Manual e remotamente pelo canal serial quando estiver em
modo de operação Remoto.

Esta classe de falha sinalizará “Falha Nível 2” em:

- Tabela de Status na seção de alarmes e eventos;


- Tabela de Leitura Modbus - Status no Anexo I.

(F3) Atuante Esta classe de falha leva à imediata abertura da CGR e ao


desligamento do GMG sem resfriamento independente do
modo de operação. Quando o GMG estiver em funcionamento
e a chave CGR fechada e, ocorrer esta falha, o controlador
deve aguardar a confirmação de abertura da chave para
comandar a parada do GMG. Se não houver confirmação, o
controlador deve aguardar até o final do tempo de retorno do
sinal de CGR e comandar a parada do GMG independente se a
chave abriu ou não. A lógica de falha nas chaves deve ocorrer
em paralelo não tendo qualquer relação com a lógica de
abertura / parada descrita acima. Esta lógica de falha nas
chaves deve respeitar a lógica descrita em SETUP, Falha nas
Chaves.
Os alarmes relacionados a esta classe de falha geram uma
mensagem de falha que é registrada no histórico de alarmes e
atuam a saída do alarme sonoro. Podem ser reconhecidos pelo
painel frontal pressionando a tecla “RESET/ESC” ou pelo
comando serial Comando de Reconhecimento e Quitação de
Falhas não importando o modo de operação. Porém, somente
são quitados pela tecla “RESET/ESC” em modo de operação
Manual e remotamente pelo canal serial quando estiver em
modo de operação Remoto.

Esta classe de falha sinalizará “Falha Nível 3” em:

- Tabela de Status na seção de alarmes e eventos;


- Tabela de Leitura Modbus - Status no Anexo I.

(F4) Atuante Esta classe de falha leva à imediata abertura da CGR e ao


desligamento do GMG sem resfriamento em qualquer modo de
operação. Quando o GMG estiver em funcionamento e a chave
CGR fechada e, ocorrer esta falha, o controlador deve aguardar
a confirmação de abertura da chave para comandar a parada
do GMG. Se não houver confirmação, o controlador deve
aguardar até o final do tempo de retorno do sinal de CGR e
comandar a parada do GMG independente se a chave abriu ou
não. A lógica de falha nas chaves deve ocorrer em paralelo não
tendo qualquer relação com a lógica de abertura / parada
descrita acima. Esta lógica de falha nas chaves deve respeitar
a lógica descrita em SETUP, Falha nas Chaves.
Os alarmes relacionados a esta classe de falha geram uma
mensagem de falha que é registrada no histórico de alarmes e
atuam a saída do alarme sonoro.
Podem ser reconhecidos pelo painel frontal pressionando a
tecla “RESET/ESC” ou pelo comando serial Comando de
Reconhecimento e Quitação de Falhas não importando o modo
de operação. Podem ser quitados pela tecla “RESET/ESC” em
Modo de Operação Manual. Também podem ser quitados pelo
canal serial desde que o controlador esteja em Modo de
Operação Remoto e o parâmetro Habilita Quitação Remota dos
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 33 de108
Manual de Treinamento ST2030

Alarmes com Classe de Falha 4 no SETUP da Porta Serial


RS232 esteja habilitado. Caso contrário será permitido somente
o reconhecimento em modo de operação Remoto.

Esta classe de falha sinalizará “Falha Nível 4” em:

- Tabela de Status na seção de alarmes e eventos;


- Tabela de Leitura Modbus - Status no Anexo I.

Alarme Ativo
O Status “Alarme Ativo” será acionado quando as seguintes
condições forem atendidas:

...ou Status “Falha Nível 1” ativo;


...ou Status “Falha Nível 2” ativo;
...ou Status “Falha Nível 3” ativo;
...ou Status “Falha Nível 4” ativo.

O Status “Alarme Ativo” sinalizará “Alarme Ativo” em:

- Tabela de Status na seção de alarmes ativos;


- Tabela de Leitura Modbus - Status no Anexo I;
- Tabela de STATUS – Textos aplicados na linha AUTO–
SCROLL na seção de Telas Básicas, item Medições
Básicas.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 34 de108


Manual de Treinamento ST2030

10.2. Tabela de Sinalizações Externas Configuráveis


Sinalizações Externas Configuráveis
Código Comentário Mensagem Display
161 Sinalização Externa Configurável 1 Definida no SETUP
162 – 168 --- Reserva ---

10.3. Tabela dos Status dos Dispositivos Externos do Sistema

Código Comentário
169 Status da Pressão do Óleo
170 Status da Temperatura da Água
171 Status de Defeito no Retificador
172 Status da Parada Remota
173 Status de Emergência Acionada
174 Status da CGR
175 Status da CRD
176 --- Reserva ---
177 Telecomando Modo Remoto
178 Telecomando Quitação de Falha
179 Telecomando de Partida
180 Telecomando Fecha CGR
181 Telecomando Abre CRD
182 – 192 --- Reserva ---

10.4. Tabela de Eventos

10.4.1. Eventos Dispositivos Externos

Eventos Externos das Entradas


Código Comentário Mensagem Display
193 Disjuntor CGR Inserido D i s j . C G R I n s e r i D
194 Disjuntor CRD Inserido D i s j . C R D I n s e r i d
195 Partida Remota P a r t i d a R e m o t a
196 --- Reserva ---
197 Inibição da Chave de REDE C R D I n i b i d a
198 – 224 --- Reserva ---
Eventos Externos das Saídas
Código Comentário Mensagem Display
225 Bloqueio RF 46 B l o q u e i o R F 4 6
226 Reset RF 46 R e s e t R F 4 6
227 Bloqueio RF 51G B l o q u e i o R F 5 1 G
228 Reset RF 51 G R e s e t R F 5 1 G
229 Bloqueio RF 50/51 B l o q . R F 5 0 / 5 1
230 Reset RF 50/51 R e s e t R F 5 0 / 5 1
231 Resistência de Desumidificação R e s i s t . D e s u m . G M G
232 Ventilador da Torre Não Silenciada V e n t . T o r . N a o S i l
233 Ventilador da Torre Silenciada V e n t . T o r . S i l
234 Ventilador Radiador Remoto V e n t . R a d . R e m o t o
235 Bomba Externa Acionada Motor Externo B o m b . E x t . A . M . E x t
236 Motor do Ventilador do Exaustor do Ar da Sala V e n t . E x a . A r . S a l a
237– 272 --- Reserva ---

10.4.2. Eventos USCA


Código Comentário Mensagem Display
273 Modo Manual M o d o M a n u a l
274 Modo Automático M o d o A u t o m a t i c o
275 Modo Remoto M o d o R e m o t o
276 Modo Teste M o d o T e s t e
277 GMG Partindo G M G P a r t i n d o
278 GMG Parando G M G P a r a n d o
279 REDE Anormal R E D E A n o r m a l
280 REDE Normal R E D E N o r m a l
281 CRD Fechou C R D F e c h o u
282 CRD Abriu C R D A b r i u
283 CGR Fechou C G R F e c h o u
284 CGR Abriu C G R A b r i u
285 Teclado Bloqueado T e c l a d o B l o q .
286 Teclado Desbloqueado T e c l a d o D e s b l o q .
287 Confirmação de Acesso Nível 1 A c e s s o N i v e l 1

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 35 de108


Manual de Treinamento ST2030

288 Confirmação de Acesso Nível 2 A c e s s o N i v e l 2


289 Confirmação de Acesso Nível 3 A c e s s o N i v e l 3
290 Confirmação de Acesso Nível 4 A c e s s o N i v e l 4
291 Confirmação de Acesso Nível 5 A c e s s o N i v e l 5
292 SETUP Bloqueado S E T U P B l o q u e a d o

... continuação dos Eventos da USCA.


Código Comentário Mensagem Display
293 SETUP Desbloqueado S E T U P D e s b l o q .
294 GMG Funcionando G M G F u n c i o n a n d o
295 Comando Serial GMG Assumindo Carga Ativo C m d G M G n a C a r g a
296 Supervisão de Comunicação Ativa S u p . C o m u n i c a c a o
297 Parada Remota P a r a d a R e m o t a
298 Controlador Ligado C o n t r o l . L i g a d o
299 – 336 --- Reserva ---

10.5. Tabela de Status


10.5.1. Status
Código Comentário
337 Falha Nível 0
338 Falha Nível 1
339 Falha Nível 2
340 Falha Nível 3
341 Falha Nível 4
342 Alarme Ativo
343 GMG Resfriando
344 GMG Parado
345 GMG Indisponível
346 REDE Estabilizando
347 Retardo na Partida
348 Intervalo entre Partidas
349 Pré–Aquecimento
350 – 384 --- Reserva ---

10.6. Tabela dos Comandos dos Dispositivos Externos do Sistema

Código Comentário
385 Comando Manual
386 Comando do Solenóide de Combustível
387 Comando de Partida
388 Comando de Pré-Aquecimento
389 Comando do Alarme Sonoro
390 Comando de Fechamento CGR
391 Comando de Abertura CRD
392 – 400 --- Reserva ---

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 36 de108


Manual de Treinamento ST2030

VI. SETUP DO CONTROLADOR ST2030

11. ESTRUTURA DO SETUP ST2030


11.1. Acesso ao SETUP do Controlador

Tela 4.0.00.00.01
Tela de Apresentação do SETUP
ST2030 Ao entrar no SETUP será apresentado uma tela contendo a informação do modelo do
SETUP VER.0.00
controlador seguido de sua versão.

Todas as telas de SETUP possuem uma tela de ajuda que contém informações
básicas da tela e um número (índice da tela) que informa qual a posição atual do
SETUP que o usuário se encontra. Para ativar esta tela basta pressionar as teclas
“Seta para Cima” e “Seta para Baixo” simultaneamente. Será mostrada uma tela de
ajuda e após 3 segundos retornará para a tela anterior automaticamente.

As informações que acompanham as telas, descritas nesta seção, informam a função


básica dos parâmetros, os valores máximos e mínimos para campos numéricos, lista
de opções para campos tipo listas e o nível de senha mínimo permitido para acesso.

Sempre que o usuário permanecer dentro do SETUP e nenhuma operação for


efetuada por 3 minutos será comandado o salto para tela básica com linha de auto –
scroll.
Tela 4.0.00.00.02 ID e Senha do Operador
ID: 00000-00 Ao entrar no SETUP é requerida a entrada do ID, registro de identificação do
SENHA: 0000 operador, e a senha de acesso aos grupos do SETUP.

Características
Nível de Senha Mínimo...........................5

Quando o operador entrar na tela de ID e Senha do Operador, o controlador fornecerá


o ID com dígitos 0 (zero) e um número de senha aleatório. Este número aleatório será
mostrado no campo SENHA e poderá ser usado como contra-senha para cálculo da
senha a ser comparada com a senha inserida pelo operador.

Cada operador terá um ID exclusivo. Este ID conterá as informações do número de


matrícula do funcionário STEMAC de cinco dígitos e mais dois dígitos verificadores
que validarão a matrícula e identificarão o nível do operador.

Após informado pelo usuário o ID e a senha, o controlador irá validar as informações.


Caso ocorra um erro na validação o controlador iniciará novamente o procedimento de
identificação do usuário, permanecendo na mesma tela, fornecendo um novo número
aleatório e apagando o ID do usuário.

Após a senha validada será contado um tempo de 10 minutos para cancelar a senha.
Este tempo será contado a partir da saída do usuário do SETUP e resetado sempre
que retornar para o SETUP sem ter decorrido o tempo total. O controlador permitirá o
operador passar pela tela de senha sem a necessidade de informar a senha. Caso
decorrido todo o tempo será requisitado a entrada da senha na próxima vez que o
operador tentar entrar no SETUP.

11.2. Grupo dos Parâmetros da REDE


Tela 4.1.00.00.00 Menu de Acesso do Grupo de Parâmetros da REDE
Grupo Parametros Este grupo contém os parâmetros de configuração da REDE com valores nominais de
REDE > tensão.
Para acessar o próximo nível basta pressionar a tecla “ENTER/MENU”, abrirá a nova
tela da respectiva opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................4

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 37 de108


Manual de Treinamento ST2030

11.2.1. Parâmetros Nominais da REDE

Tela 4.1.01.00.00 Menu de Acesso dos Parâmetros Nominais da REDE


Parametros Este subgrupo das configurações da REDE contém os parâmetros nominais de
Nominal da REDE> tensão, freqüência.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.1.01.00.01 Tensão Nominal CA da REDE
Tensao Nominal Através desta máscara é possível configurar o valor de tensão nominal da REDE para
CA REDE 000V operação normal.
Este valor será usado como base para cálculo de outros parâmetros como as
supervisões de tensão da REDE.

Será definido também por este parâmetro a faixa que o condicionador de sinais CA
estará configurado assumindo assim o valor do TP. Estas faixas estão definidas na
tabela abaixo.

RELAÇÃO DE COMPARADO SE
FAIXA TENSÃO SAÍDA
TRASFORMAÇÃO TENSÃO NOMINAL
0-115 Vca 164,2857 >=115V
0-220 Vca 0-0,7V 314,2857 220V>=Vn>115V
0-480 Vca 685,7142 480v>=Vn>220V
Características
Máximo ................................................... 480V
Mínimo .................................................... 115V
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.1.01.00.02 Freqüência Nominal da REDE
Frequencia Nom. Através desta máscara é possível configurar a freqüência nominal da REDE conforme
REDE LLLL o sistema local.
Este valor será usado como base para cálculo de outros parâmetros como as
supervisões de freqüência da REDE.

Características
Opções ................................................... “50Hz”, “60Hz”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.1.01.00.03 Sistema de Medição de Tensão da REDE
Medicao Tensao Através desta máscara é possível configurar a medição de tensão da REDE como
REDE LLLLLLLLLL medição sem neutro ou com neutro. Informa para o controlador o tipo de ligação
elétrica aplicada no condicionador de sinal.

COM NEUTRO Para medição com neutro são medidas e mostradas as tensões
de fase e de linha.

SEM NEUTRO Para medição sem neutro são medidas e mostradas somente
as tensões de linha.
Somente será permitido pelo controlador a configuração “SEM NEUTRO” caso o
parâmetro “Tipo de Medição” em configuração geral da USCA for diferente de
monofásico.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
11.2.2. Parâmetros de Proteção da REDE

Tela 4.1.02.00.00 Menu de Acesso dos Parâmetros de Proteção da REDE


Parametros Este subgrupo das proteções da REDE contém os parâmetros de proteções de tensão
Protecao REDE > e freqüência.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 38 de108


Manual de Treinamento ST2030

As proteções de REDE estarão sempre ativas, dependendo somente da sua


habilitação pelo SETUP.

Características
Nível de Senha Mínimo...........................4

Tela 4.1.02.01.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Operação de Emergência da REDE

Operacao de Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da operação em emergência.


Emergencia > Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................4

Tela 4.1.02.01.01 Habilita a Operação de Emergência da REDE


Operacao de Através desta máscara é possível habilitar o modo de operação de REDE em
Emergencia LLL Emergência.

LIGADO Habilita o modo em emergência da REDE. Quando em Modo


de Operação Automático e decorrido o tempo de retardo de
emergência da REDE é acionada a lógica de emergência da
REDE. Para os demais modos de operação o controlador não
supervisiona o modo em emergência.

DESLIGADO O controlador não supervisiona o modo em emergência.

Quando iniciada a contagem do tempo de retardo na partida do GMG e o sinal de


“REDE Estabilizando” acionar, a contagem do tempo de retardo na partida do GMG é
congelada. Se a REDE estiver estabilizando e voltar a ocorrer uma falha, é dado
continuidade a contagem do tempo de retardo na partida do GMG. Se confirmado o
sinal de “REDE Normal” é cancelada a contagem do tempo de retardo na partida do
GMG e o processo de partida. O congelamento do retardo para partida só ocorre para
lógica de Emergência da REDE. Caso ocorra em paralelo, um outro evento de partida
que não seja o de Emergência da REDE, como por exemplo, uma partida remota, o
congelamento é cancelado, mantendo a contagem do tempo de retardo para partida
(ver Retardo de Partida do GMG no SETUP de Parâmetros do Motor).

Caso o GMG já tenha executado o comando de partida devido à lógica de Emergência


de REDE, só será comandada sua parada após o desligamento da operação de
emergência da REDE.

Consultar a lógica de Emergência – Falha de REDE na seção das lógicas de


funcionamento para maiores detalhes.
Características
Opções....................................................“LIG “DES”
Nível de Senha Mínimo...........................4

Tela 4.1.02.01.02 Retardo para REDE Emergência


Retardo REDE Através desta máscara é possível configurar o tempo para confirmação da emergência
Emergencia 0000s da REDE em caso de falha da REDE.

Estando ligado o parâmetro “Operação Emergência” ( ver parâmetro REDE normal ) e


independente do modo de operação for sinalizado REDE normal, é iniciada a
contagem do tempo de retardo de emergência da REDE. A contagem do tempo de
retardo é cancelado sempre que for sinalizado REDE normal ou desligado o parâmetro
“Operação Emergência”. Após a confirmação deste tempo, a lógica de operação em
emergência da REDE será liberada para ser executada desde que suas condições
sejam atendidas.

O final da operação de emergência da REDE ocorre quando o sinal de “REDE Normal”


for ligado ou for desligado o parâmetro de habilitação da operação de emergência.
Características
Máximo ...................................................9999s
Mínimo ....................................................0000s
Nível de Senha Mínimo...........................4

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 39 de108


Manual de Treinamento ST2030

Tela 4.1.02.01.01 Habilita a Operação de Emergência da REDE


Operacao de Através desta máscara é possível habilitar o modo de operação de REDE em
Emergencia LLL Emergência.

LIGADO Habilita o modo em emergência da REDE. Quando em Modo


de Operação Automático e decorrido o tempo de retardo de
emergência da REDE é acionada a lógica de emergência da
REDE. Para os demais modos de operação o controlador não
supervisiona o modo em emergência.

DESLIGADO O controlador não supervisiona o modo em emergência.

Quando iniciada a contagem do tempo de retardo na partida do GMG e o sinal de


“REDE Estabilizando” acionar, a contagem do tempo de retardo na partida do GMG é
congelada. Se a REDE estiver estabilizando e voltar a ocorrer uma falha, é dado
continuidade a contagem do tempo de retardo na partida do GMG. Se confirmado o
sinal de “REDE Normal” é cancelada a contagem do tempo de retardo na partida do
GMG e o processo de partida. O congelamento do retardo para partida só ocorre para
lógica de Emergência da REDE. Caso ocorra em paralelo, um outro evento de partida
que não seja o de Emergência da REDE, como por exemplo, uma partida remota, o
congelamento é cancelado, mantendo a contagem do tempo de retardo para partida
(ver Retardo de Partida do GMG no SETUP de Parâmetros do Motor).

Caso o GMG já tenha executado o comando de partida devido a lógica de Emergência


de REDE, só será comandada sua parada após o desligamento da operação de
emergência da REDE.

Consultar a lógica de Emergência – Falha de REDE na seção das lógicas de


funcionamento para maiores detalhes.
Características
Opções ................................................... “LIG “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 4

Tela 4.1.02.01.02 Retardo para REDE Emergência


Retardo REDE Através desta máscara é possível configurar o tempo para confirmação da emergência
Emergencia 0000s da REDE em caso de falha da REDE.

Estando ligado o parâmetro “Operação Emergência” e independente do modo de


operação for sinalizado REDE anormal, é iniciada a contagem do tempo de retardo de
emergência da REDE. A contagem do tempo de retardo é cancelado sempre que for
sinalizado REDE normal ou desligado o parâmetro “Operação Emergência”. Após a
confirmação deste tempo, a lógica de operação em emergência da REDE será
liberada para ser executada desde que suas condições sejam atendidas.

O final da operação de emergência da REDE ocorre quando o sinal de “REDE Normal”


for ligado ou for desligado o parâmetro de habilitação da operação de emergência.
Características
Máximo ................................................... 9999s
Mínimo .................................................... 0000s
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.1.02.02.00 Retardo para Confirmação de REDE Normal
Retardo REDE Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para confirmação de
Normal 0000s retorno da REDE.

Após o auto-reconhecimento das falhas da REDE com TRIP é iniciada a contagem do


tempo de retardo de REDE normal e acionado o sinal de “REDE Estabilizando”. No
término deste tempo é acionado o sinal de “REDE Normal” e desligado o sinal de
“REDE Estabilizando”.

Caso ocorra uma falha da REDE com TRIP no momento da contagem do tempo de
retardo de REDE normal, a contagem do tempo é cancelada permanecendo desligado
o sinal de “REDE Normal” indicando “REDE Anormal”.

O tempo de retardo de REDE normal é iniciado sempre que as falhas de REDE saírem
do sistema.
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 40 de108
Manual de Treinamento ST2030

Quando as proteções de tensão e freqüência estejam desligadas, o controlador deverá


considerar internamente o estado da REDE como normal para fins de lógica e não
sinalizará o estado da REDE no display e nem via ModBus. Não será indicado pelo
controlador o estado da REDE nesta condição não mostrando REDE Normal e nem
Anormal.

Na inicialização do controlador, estando as proteções da REDE desligadas não será


considerado o tempo de REDE Estabilizando. As sinalizações REDE Estabilizando,
REDE Normal e REDE Anormal estarão sempre desligadas.

Os comandos da chave de rede permanecem com sua operação normal como se a


rede estivesse sempre normal. Caso a tensão da REDE não exista o controlador
interpretara como REDE Normal permitindo comandar o fechamento da chave e atuar
os alarmes de chave normalmente.

O sinal de “REDE Normal” ligado sinalizará “REDE Normal” em:

- Tabela de STATUS – Textos Aplicados na Linha AUTO – SCROLL na seção de


Telas Básicas, item Medições Básicas.
- Eventos USCA na seção de Alarmes e Eventos.
- Tabela de Leitura ModBus - Eventos no Anexo I.

O sinal de “REDE Normal” desligado sinalizará “REDE Anormal” em:

- Tabela de STATUS – Textos Aplicados na Linha AUTO – SCROLL na seção de


Telas Básicas, item Medições Básicas.
- Eventos USCA na seção de Alarmes e Eventos.
- Tabela de Leitura ModBus - Eventos no Anexo I.

O sinal “REDE Estabilizando” sinaliza “REDE Estabilizando” em:

- Tabela de STATUS – Textos Aplicados na Linha AUTO – SCROLL na seção de


Telas Básicas, item Medições Básicas.
- Tabela de Status na seção de Alarmes e Eventos.
- Tabela de Leitura ModBus - Status no Anexo I.

Características
Máximo ...................................................9999s
Mínimo ....................................................0000s
Nível de Senha Mínimo...........................4

Gráfico de Estado

REDE 1 Falha de V e/ou


V e/ou Hz Hz de REDE
0
ALARME C/ 1 Retardo Proteção Alarme V e/ou Hz
TRIP de V e/ou Hz de REDE
0
REDE 1 Retardo REDE REDE
Emergência Emergência Emergência
0
REDE 1 REDE REDE Retardo REDE REDE
Normal Normal Anormal Normal Normal
0

11.2.2.1. Proteção da REDE por Subtensão ( Função ANSI 27 ) e Sobretensão ( Função ANSI 59 )

Tela 4.1.02.03.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção de Tensão da REDE


Protecao Tensao Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da proteção por subtensão e
da REDE > sobretensão da REDE.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.1.02.03.01 Habilita Proteção de Tensão da REDE
Centro deProtecao Tensao
Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 41 de108
da REDE LLL
Manual de Treinamento ST2030

Através desta máscara é possível habilitar a proteção de tensão da REDE.

LIGA Habilita a proteção de tensão da REDE. Está proteção atua


conforme os percentuais de tensão alta e baixa configurado
nos limites 1 e 2.

DESLIGA Desabilita a proteção de tensão da REDE. Não será


supervisionada a tensão da REDE e será forçado a quitação
dos alarmes de tensão da REDE caso os mesmos estejam
ativos.
Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.1.02.03.02 Tensão Alta da REDE Limite 1
Tensao Alta REDE Através desta máscara é possível configurar o percentual de tensão alta limite 01 da
Limite 1 000% REDE referente ao valor de tensão nominal informado nos parâmetros nominais da
REDE.
Características
Máximo ................................................... 120%
Mínimo .................................................... 101%
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 57
Tela 4.1.02.03.03 Retardo para Tensão Alta da REDE Limite 1
Ret. Tensao Alta Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para atuação da
REDE Lim1 00,00s proteção de tensão alta limite 01 da REDE.
Características
Máximo ................................................... 99,99s
Mínimo .................................................... 00,00s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3

Tela 4.1.02.03.04 Tensão Alta da REDE Limite 1 – Atuação


Tensao Alta REDE Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Limite 1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar (Trip).
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de sobretensão limite 1 como falha de classe


nível 0, não abrindo a chave de REDE. É considerado como um
aviso e não uma falha.

TRIP Configura a falha de sobretensão limite 1 como falha de classe


nível 0, comandando a abertura da chave de REDE conforme
descrito nas lógicas de funcionamento do controlador.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções ................................................... “ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.1.02.03.05 Tensão Alta da REDE Limite 2
Tensao Alta REDE Através desta máscara é possível configurar o percentual de tensão alta limite 2 da
Limite 2 000% REDE referente ao valor de tensão nominal informado nos parâmetros nominais da
REDE.
Características
Máximo ................................................... 120%
Mínimo .................................................... 101%
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 58
Tela 4.1.02.03.06 Retardo para Tensão Alta da REDE Limite 2
Ret. Tensao Alta Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para atuação da
REDE Lim2 00,00s proteção de tensão alta limite 02 da REDE.
Características

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 42 de108


Manual de Treinamento ST2030

Máximo ...................................................99,99s
Mínimo ....................................................00,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.1.02.03.07 Tensão Baixa da REDE Limite 1
Tensao Baixa Através desta máscara é possível configurar o percentual de tensão baixa limite 01 da
REDE Lim. 1 00% REDE referente ao valor de tensão nominal informado nos parâmetros nominais da
REDE.
Características
Máximo ...................................................99%
Mínimo ....................................................80%
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................59
Tela 4.1.02.03.08 Retardo para Tensão Baixa da REDE Limite 1
Ret.Tensao Baixa Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para atuação da
REDE Lim1 00,00s proteção de tensão baixa limite 01 da REDE.
Características
Máximo ...................................................99,99s
Mínimo ....................................................00,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.1.02.03.09 Tensão Baixa da REDE Limite 1 – Atuação
Tensao Bx REDE Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Lim.1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar (Trip).
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de subtensão limite 1 como falha de classe


nível 0, não abrindo a chave de REDE. É considerado como um
aviso e não uma falha.

TRIP Configura a falha de subtensão limite 1 como falha de classe


nível 0, comandando a abertura da chave de REDE conforme
descrito nas lógicas de funcionamento do controlador.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções....................................................“ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.1.02.03.10 Tensão Baixa da REDE Limite 2
Tensao Baixa Através desta máscara é possível configurar o percentual de tensão baixa limite 02 da
REDE Lim. 2 00% REDE referente ao valor de tensão nominal informado nos parâmetros nominais da
REDE.
Características
Máximo ...................................................99%
Mínimo ....................................................80%
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................60
Tela 4.1.02.03.11 Retardo para Tensão Baixa da REDE Limite 2
Ret.Tensao Baixa Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para atuação da
REDE Lim2 00,00s proteção de tensão baixa limite 02 da REDE.
Características
Máximo ...................................................99,99s
Mínimo ....................................................00,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.2.2.2. Proteção da REDE por Subfreqüência e Sobrefreqüência ( Função ANSI 81 )

Tela 4.1.02.04.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção de Freqüência da REDE


Prot. Frequencia Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da proteção por subfreqüência
REDE > e sobrefreqüência da REDE.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 43 de108
Manual de Treinamento ST2030

Nível de Senha Mínimo .......................... 3


Tela 4.1.02.04.01 Habilita Proteção de Freqüência da REDE
Prot. Frequencia Através desta máscara é possível habilitar a proteção de freqüência da REDE.
REDE LLL
LIGA Habilita a proteção de freqüência da REDE. Está proteção
atua conforme os percentuais de sobrefreqüência e
subfreqüência configurados nos limites 1 e 2.

DESLIGA Desabilita a proteção de freqüência da REDE. Não será


supervisionado a freqüência da REDE e será forçado a
quitação dos alarmes de freqüência da REDE caso os
mesmos estejam ativos.
Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.1.02.04.02 Sobrefreqüência da REDE Limite 1
Sobrefreq. REDE Através desta máscara é possível configurar a proteção de sobrefreqüência limite 01
Limite 1 00,00Hz da REDE.
Características
Máximo ................................................... 99,99Hz
Mínimo .................................................... 50,00Hz
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 61
Tela 4.1.02.04.03 Retardo para Sobrefreqüência da REDE Limite 1
Ret. Sobrefreq. Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de sobrefreqüência
REDE Lim.1 0,00s limite 01 da REDE.
Características
Máximo ................................................... 9,99s
Mínimo .................................................... 0,00s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.1.02.04.04 Sobrefreqüência da REDE Limite 1 – Atuação
Sobrefreq. REDE Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Limite 1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar.
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de sobrefreqüência limite 1 como falha de


classe nível 0, não abrindo a chave de REDE. É considerado
como um aviso e não uma falha.

TRIP Configura a falha de sobrefreqüência limite 1 como falha de


classe nível 0, comandando a abertura da chave de REDE
conforme descrito nas lógicas de funcionamento do
controlador.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções ................................................... “ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.1.02.04.05 Sobrefreqüência da REDE Limite 2
Sobrefreq. REDE Através desta máscara é possível configurar a proteção de sobrefreqüência limite 02
Limite 2 00,00Hz da REDE.
Características
Máximo ................................................... 99,99Hz
Mínimo .................................................... 50,00Hz
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 62
Tela 4.1.02.04.06 Retardo para Sobrefreqüência da REDE Limite 2
Ret. Sobrefreq. Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de sobrefreqüência
REDE Lim.2 0,00s limite 02 da REDE.
Características

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 44 de108


Manual de Treinamento ST2030

Máximo ...................................................9,99s
Mínimo ....................................................0,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.1.02.04.07 Subfreqüência da REDE Limite 1
Subfreq. REDE Através desta máscara é possível configurar a proteção de subfreqüência limite 01 da
Limite 1 00,00Hz REDE.
Características
Máximo ...................................................60,00Hz
Mínimo ....................................................40,00Hz
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................63
Tela 4.1.02.04.08 Retardo para Subfreqüência da REDE Limite 1
Ret. Subfreq. Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de subfreqüência
REDE Lim.1 0,00s limite 01 da REDE.
Características
Máximo ...................................................9,99s
Mínimo ....................................................0,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.1.02.04.09 Subfreqüência da REDE Limite 1 - Atuação
Subfreq. REDE Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Limite 1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar.
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de subfreqüência limite 1 como falha de


classe nível 0, não abrindo a chave de REDE. É considerado
como um aviso e não uma falha.

TRIP Configura a falha de subfreqüência limite 1 como falha de


classe nível 0, comandando a abertura da chave de REDE.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções....................................................“ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.1.02.04.10 Subfreqüência da REDE Limite 2
Subfreq. REDE Através desta máscara é possível configurar a proteção de subfreqüência limite 02 da
Limite 2 00,00Hz REDE.
Características
Máximo ...................................................60,00Hz
Mínimo ....................................................40,00Hz
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................64
Tela 4.1.02.04.11 Retardo para Subfreqüência da REDE Limite 2
Ret. Subfreq. Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de subfreqüência
REDE Lim.2 0,00s limite 02 da REDE.
Características
Máximo ...................................................9,99s
Mínimo ....................................................0,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.3. Grupo dos Parâmetros do GMG
Tela 4.2.00.00.00 Menu de Acesso ao Grupo de Parâmetros do GMG
Grupo Parametros Este grupo contém os parâmetros de configuração do GMG como valores nominais de
GMG > tensão, freqüência, potência, valores de proteções e supervisões.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................4
11.3.1. Parâmetros Nominais do GMG
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 45 de108
Manual de Treinamento ST2030

Tela 4.2.01.00.00
Menu de Acesso aos Parâmetros Nominais do GMG
Este subgrupo das configurações do GMG contém os parâmetros nominais de tensão,
Parametros
Nominais GMG > freqüência, corrente e potência.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.

As proteções por sobretensão, sobrefreqüência, sobrecarga e sobrecorrente estarão


sempre sendo supervisionadas desde que estejam habilitadas no SETUP não
dependendo mais da ativação do sinal GMG Funcionando.

As proteções por subtensão e subfreqüência do GMG serão ativas sempre que um


dos valores supervisionado das proteções ultrapassar o valor limite 2 configurado e as
mesmas estejam habilitadas no SETUP. Caso o valor supervisionado não ultrapasse o
valor configurado, as proteções serão ativas assim que for concluído o retardo para
supervisão do GMG.

Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.2.01.00.01 Tensão Nominal CA do GMG
Tensao Nominal Através desta máscara é possível configurar o valor de tensão nominal do GMG para
CA GMG 000V operação normal.
Este valor será usado como base para cálculo de outros parâmetros como as
supervisões de tensão do GMG.

Será definido também por este parâmetro a faixa que o condicionador de sinais CA
estará configurado assumindo assim o valor do TP. Estas faixas estão definidas na
tabela abaixo.

FAIXA TENSÃO RELAÇÃO DE COMPARADO SE


SAÍDA
TRASFORMAÇÃO TENSÃO NOMINAL
0-115 Vca 164,2857 >=115V
0-220 Vca 0-0,7V 314,2857 220V>=Vn>115V
0-480 Vca 685,7142 480v>=Vn>220V

Características
Máximo ................................................... 480V
Mínimo .................................................... 115V
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.2.01.00.02 Freqüência Nominal do GMG
Frequencia Através desta máscara é possível configurar a freqüência nominal do GMG conforme
Nominal GMG LLLL o sistema do gerador.

Caso a freqüência do GMG seja maior ou menor que a nominal conforme os limites 1
e 2 configurados no SETUP de Proteção de Freqüência do GMG será verificado o
tempo de confirmação é após atuado trip e/ ou alarme.
Características
Opções ................................................... “50Hz”, “60Hz”
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.2.01.00.03 Corrente Nominal do GMG
Corrente Nominal Através desta máscara é possível configurar a corrente nominal do GMG.
GMG 0000A
Características
Máximo ................................................... 3000A
Mínimo .................................................... 0000A
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.2.01.00.04 Corrente do Primário do TC do GMG
Corrente Primar. Através desta máscara é possível configurar o valor de corrente do primário do
TC GMG 0000/5A transformador de corrente (TC) do GMG usado para estabelecer a relação de
transformação para medição de corrente.
Características
Máximo ................................................... 3000/5A
Mínimo .................................................... 0005/5A
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 46 de108
Manual de Treinamento ST2030

Nível de Senha Mínimo...........................2


Tela 4.2.01.00.05 Potência Nominal do GMG
Potencia Nominal Através desta máscara é possível configurar a potência nominal ativa do GMG.
GMG 0000kW Características
Máximo ...................................................9999kW
Mínimo ....................................................0000kW
Nível de Senha Mínimo...........................2
Tela 4.2.01.00.06 Tensão Nominal CC da Bateria do Motor
Tensao Nom. CC Através desta máscara é possível configurar a tensão nominal da bateria do motor.
Bat. Motor LLL
Características
Opções....................................................“12V”, “24V”.
Nível de Senha Mínimo...........................2
Tela 4.2.01.00.07 Retardo para Falha no Contator Principal
Falha Contator Através desta máscara é possível configurar o retardo para acionamento da falha de
Principal 00,0s contator principal.
Este retardo iniciara após atendido as condições abaixo:

...ou Ventilador Torre Não Silenciada acionado através de alguma Saída


Configurável;
...ou Ventilador Torre Silenciada acionado através de alguma Saída Configurável;
...ou Ventilador Radiador Remoto acionado através de alguma Saída Configurável;
...ou Bomba Externa Acionada Motor Elétrico acionado através de alguma Saída
Configurável;
...ou Ventilador para Exaustão do Ar da Sala acionado através de alguma Saída
Configurável;
...e Entrada Digital Configurada com a Falha no Contator Principal e acionada;

Caso a condição acima descrita não seja atendida será cancelado a contagem deste
tempo.

Características
Máximo ...................................................99,0s
Mínimo ....................................................00,0s
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.3.2. Parâmetros de Proteção do GMG

Tela 4.2.02.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção do GMG


Parametros Este subgrupo das proteções do GMG contém os parâmetros de proteções de tensão,
Protecao GMG > corrente, freqüência, sobrecarga, entre outros.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.

As proteções por sobretensão, sobrefreqüência, sobrecarga e sobrecorrente estarão


sempre sendo supervisionadas desde que estejam habilitadas no SETUP não
dependendo mais da ativação do sinal GMG Funcionando.

As proteções por subtensão e subfreqüência do GMG serão ativas sempre que um


dos valores supervisionado das proteções ultrapassar o valor limite 2 configurado e as
mesmas estejam habilitadas no SETUP. Caso o valor supervisionado não ultrapasse o
valor configurado, as proteções serão ativas assim que for concluído o retardo para
supervisão do GMG.

Características
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.3.2.1. Proteção do GMG por Subtensão ( Função ANSI 27 ) e Sobretensão ( Função ANSI 59 )

Tela 4.2.02.01.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção de Tensão do GMG


Protecao de Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da proteção por subtensão e
Tensao GMG > sobretensão do GMG.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 47 de108


Manual de Treinamento ST2030

Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.01.01 Habilita Proteção de Tensão do GMG
Protecao de Através desta máscara é possível habilitar a proteção de tensão do GMG.
Tensao GMG LLL
LIGA Habilita a proteção de tensão do GMG. Está proteção atua
conforme os percentuais de tensão alta e baixa configurado
nos limites 1 e 2.

DESLIGA Desabilita a proteção de tensão do GMG. Não será


supervisionada a tensão do GMG.
Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.01.02 Tensão Alta do GMG Limite 1
Tensao Alta GMG Através desta máscara é possível configurar o percentual de tensão alta limite 01 do
Limite 1 000% GMG referente ao valor de tensão nominal informado nos parâmetros nominais do
GMG.
Características
Máximo ................................................... 120%
Mínimo .................................................... 101%
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 5
Tela 4.2.02.01.03 Retardo para Tensão Alta do GMG Limite 1
Ret. Tensao Alta Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para atuação da
GMG Lim.1 00,00s proteção de tensão alta limite 01 do GMG.
Características
Máximo ................................................... 99,99s
Mínimo .................................................... 00,00s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3

Tela 4.2.02.01.04 Tensão Alta do GMG Limite 1 - Atuação


Tensao Alta GMG Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Limite 1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar.
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de sobretensão limite 1 como falha de classe


nível 0. É considerado como um aviso e não uma falha.

TRIP Configura a falha de sobretensão limite 1 como falha de classe


nível 3.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções ................................................... “ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.01.05 Tensão Alta do GMG Limite 2
Tensao Alta GMG Através desta máscara é possível configurar o percentual de tensão alta limite 02 do
Limite 2 000% GMG referente ao valor de tensão nominal informado nos parâmetros nominais do
GMG.
Características
Máximo ................................................... 120%
Mínimo .................................................... 101%
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 6
Tela 4.2.02.01.06 Retardo para Tensão Alta do GMG Limite 2
Ret. Tensao Alta Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para atuação da
GMG Lim.2 00,00s proteção de tensão alta limite 02 do GMG.
Características
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 48 de108
Manual de Treinamento ST2030

Máximo ...................................................15,00s
Mínimo ....................................................00,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.01.07 Tensão Baixa do GMG Limite 1
Tensao Baixa GMG Através desta máscara é possível configurar o percentual de tensão baixa limite 01 do
Limite 1 00% GMG referente ao valor de tensão nominal informado nos parâmetros nominais do
GMG.
Características
Máximo ...................................................99%
Mínimo ....................................................80%
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................7
Tela 4.2.02.01.08 Retardo para Tensão Baixa do GMG Limite 1
Ret.Tensao Baixa Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para atuação da
GMG Lim.1 00,00s proteção de tensão baixa limite 01 do GMG.
Características
Máximo ...................................................15,00s
Mínimo ....................................................00,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.01.09 Tensão Baixa do GMG Limite 1 - Atuação
Tensao Baixa GMG Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Limite 1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar.
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de subtensão limite 1 como falha de classe


nível 0. É considerado como um aviso e não uma falha.

TRIP Configura a falha de subtensão limite 1 como falha de classe


nível 2.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções....................................................“ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.01.10 Tensão Baixa do GMG Limite 2
Tensao Baixa GMG Através desta máscara é possível configurar o percentual de tensão baixa limite 02 do
Limite 2 00% GMG referente ao valor de tensão nominal informado nos parâmetros nominais do
GMG.
Características
Máximo ...................................................99%
Mínimo ....................................................80%
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................8
Tela 4.2.02.01.11 Retardo para Tensão Baixa do GMG Limite 2
Ret.Tensao Baixa Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para atuação da
GMG Lim.2 00,00s proteção de tensão baixa limite 02 do GMG.
Características
Máximo ...................................................15,00s
Mínimo ....................................................00,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.3.2.2. Proteção do GMG por Subfreqüência e Sobrefreqüência ( Função ANSI 81 )

Tela 4.2.02.02.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção de Freqüência do GMG


Prot. Frequencia Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da proteção por subfreqüência
GMG > e sobrefreqüência do GMG.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................3

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 49 de108


Manual de Treinamento ST2030

Tela 4.2.02.02.01 Habilita a Proteção de Freqüência do GMG

Prot. Frequencia Através desta máscara é possível habilitar a proteção de Freqüência do GMG.
GMG LLL
LIGA Habilita a proteção de freqüência do GMG. Esta proteção
atua conforme os percentuais de sobrefreqüência e
subfreqüência configurados nos limites 1 e 2.

DESLIGA Desabilita a proteção de freqüência do GMG. Não será


supervisionada a freqüência do GMG.
Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.02.02 Sobrefreqüência do GMG Limite 1
Sobrefreq. GMG Através desta máscara é possível configurar a proteção de sobrefreqüência limite 01
Limite 1 00,00Hz do GMG.
Características
Máximo ................................................... 99,99Hz
Mínimo .................................................... 50,00Hz
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 1
Tela 4.2.02.02.03 Retardo para Sobrefreqüência do GMG Limite 1
Ret. Sobrefreq. Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de sobrefreqüência
GMG Lim.1 0,00s limite 01 do GMG.
Características
Máximo ................................................... 9,99s
Mínimo .................................................... 0,00s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.02.04 Sobrefreqüência do GMG Limite 1 - Atuação
Sobrefreq. GMG Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Limite 1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar.
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de sobrefreqüência limite 1 como falha de


classe nível 0. É considerado como um aviso e não uma falha.

TRIP Configura a falha de sobrefreqüência limite 1 como falha de


classe nível 3.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções ................................................... “ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.02.05 Sobrefreqüência do GMG Limite 2
Sobrefreq. GMG Através desta máscara é possível configurar a proteção de sobrefreqüência limite 02
Limite 2 00,00Hz do GMG.
Características
Máximo ................................................... 99,99Hz
Mínimo .................................................... 50,00Hz
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 2
Tela 4.2.02.02.06 Retardo para Sobrefreqüência do GMG Limite 2
Ret. Sobrefreq. Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de sobrefreqüência
GMG Lim.2 0,00s limite 02 do GMG.
Características
Máximo ................................................... 9,99s
Mínimo .................................................... 0,00s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.02.07 Subfreqüência do GMG Limite 1
Subfreq. GMG
Limite 1 00,00Hz
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 50 de108
Manual de Treinamento ST2030

Através desta máscara é possível configurar a proteção de subfreqüência limite 01 do


GMG.
Características
Máximo ...................................................60,00Hz
Mínimo ....................................................00,00Hz
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................3
Tela 4.2.02.02.08 Retardo para Subfreqüência do GMG Limite 1
Ret. Subfreq. Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de subfreqüência
GMG Lim.1 0,00s limite 01 do GMG.
Características
Tela 4.2.02.03.00
Máximo ...................................................9,99s
Prot. Sobrecarga Mínimo ....................................................0,00s
GMG > Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.02.09 Subfreqüência do GMG Limite 1 - Atuação
Subfreq. GMG Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Limite 1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar.
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de subfreqüência limite 1 como falha de


classe nível 0. É considerado como um aviso e não uma falha.

TRIP Configura a falha de subfreqüência limite 1 como falha de


classe nível 2.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções....................................................“ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.02.10 Subfreqüência do GMG Limite 2
Subfreq. GMG Através desta máscara é possível configurar a proteção de subfreqüência limite 02 do
Limite 2 00,00Hz GMG.
Características
Máximo ...................................................60,00Hz
Mínimo ....................................................00,00Hz
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................4
Tela 4.2.02.02.11 Retardo para Subfreqüência do GMG Limite 2
Ret. Subfreq. Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de subfreqüência
GMG Lim.2 0,00s limite 02 do GMG.
Características
Máximo ...................................................9,99s
Mínimo ....................................................0,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.3.2.3. Proteção do GMG por Sobrecarga ( Função ANSI 32 )

Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção por Sobrecarga


Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da proteção por sobrecarga do
GMG.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.03.01 Habilita Proteção por Sobrecarga do GMG
Prot. Sobrecarga Através desta máscara é possível habilitar a proteção de sobrecarga do GMG.
GMG LLL
LIGA Habilita a proteção de sobrecarga do GMG. Está proteção
atua conforme os percentuais de sobrecarga configurado
nos limites 1 e 2.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 51 de108


Manual de Treinamento ST2030

DESLIGA Desabilita a proteção de sobrecarga do GMG. Não será


supervisionada a sobrecarga do GMG.
Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.03.02 Sobrecarga do GMG Limite 1
Sobrecarga GMG Através desta máscara é possível configurar a proteção de sobrecarga limite 01 do
Limite 1 000% GMG em percentual referente a potência nominal configurada.
Características
Máximo ................................................... 110%
Mínimo .................................................... 101%
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 11
Tela 4.2.02.03.03 Retardo para Sobrecarga do GMG Limite 1
Ret. Sobrecarga Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de sobrecarga
GMG Lim.1 000s limite 01 do GMG.
Tela 4.2.02.04.00 Características

Subcarga do GMG Máximo ................................................... 999s


> Mínimo .................................................... 000s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.03.04 Sobrecarga do GMG Limite 1 - Atuação
Sobrecarga GMG Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Limite 1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar.
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de sobrecarga limite 1 como falha de classe


nível 0. É considerado como um aviso e não uma falha.

TRIP Configura a falha de sobrecarga limite 1 como falha de classe


nível 2.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções ................................................... “ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.03.05 Sobrecarga do GMG Limite 2
Sobrecarga GMG Através desta máscara é possível configurar a proteção de sobrecarga limite 02 do
Limite 2 000% GMG em percentual referente a potência nominal configurada.
Características
Máximo ................................................... 150%
Mínimo .................................................... 101%
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 12
Tela 4.2.02.03.06 Retardo para Sobrecarga do GMG Limite 2
Ret. Sobrecarga Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de sobrecarga
GMG Lim.2 000s limite 02 do GMG.
Características
Máximo ................................................... 999s
Mínimo .................................................... 000s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
11.3.2.4. Proteção do GMG por Subcarga ( Função ANSI 37 )

Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção por Subcarga


Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da proteção por subcarga do
GMG.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 52 de108
Manual de Treinamento ST2030

Nível de Senha Mínimo...........................3


Tela 4.2.02.04.01 Habilita Proteção por Subcarga do GMG
Subcarga do GMG Através desta máscara é possível habilitar a proteção de subcarga do GMG.
LLL
LIGA Habilita a proteção de subcarga do GMG. Está proteção atua
conforme o percentual de subcarga configurado no SETUP.

DESLIGA Desabilita a proteção de subcarga do GMG. Não será


supervisionada a subcarga do GMG.
Características
Opções....................................................“LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.04.02 Subcarga do GMG kW Mínimo
Subcarga do GMG Através desta máscara é possível configurar o limite de kW para proteção de subcarga
kW Minimo 00% do GMG em percentual referente a potência nominal configurada.
Características
Máximo ...................................................99%
Mínimo ....................................................00%
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................29
Tela 4.2.02.04.03 Subcarga do GMG Retardo
Subcarga do GMG Através desta máscara é possível configurar o retardo da proteção de subcarga do
Retardo 000min GMG.

Quando for confirmado GMG funcionando será iniciado o tempo de retardo para
ativação do alarme. Sempre que o GMG parar será cancelada a contagem deste
tempo. O tempo de retardo também é cancelado sempre que a potência lida for maior
que a soma dos parâmetros de potência mínima mais o histerese. O tempo de retardo
começará uma nova contagem sempre que a potência lida for menor que o parâmetro
de potência mínima.

Características
Máximo ...................................................999min
Mínimo ....................................................000min
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.04.04 Subcarga do GMG Histerese
Subcarga do GMG Através desta máscara é possível configurar o histerese para proteção de subcarga do
Histerese 00% GMG em percentual referente a potência nominal configurada.
Características
Máximo ...................................................99%
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 53 de108
Manual de Treinamento ST2030

Mínimo .................................................... 00%


Nível de Senha Mínimo .......................... 3

11.3.2.5. Proteção do GMG por Sobrecorrente Instantânea ( Função ANSI 50 )

Tela 4.2.02.05.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção por Sobrecorrente Instantânea
Sobrecorrente CA Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da proteção por sobrecorrente
GMG Inst. > instantânea do GMG.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.05.01 Habilita Proteção por Sobrecorrente CA Instantânea
Sobrecorrente CA Através desta máscara é possível habilitar a proteção de sobrecorrente CA
GMG Inst. LLL instantânea do GMG.

LIGA Habilita a proteção de sobrecorrente CA instantânea do GMG.


Está proteção atua conforme os parâmetros configurados no
controlador.

DESLIGA Desabilita a proteção de sobrecorrente CA instantânea do


GMG.

Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 13
Tela 4.2.02.05.02 Sobrecorrente CA Instantânea Atuação
Sobrecorrente CA Através desta máscara é possível definir o valor de atuação desta proteção.
Atuacao 0,00In
Características
Máximo ................................................... 3.00
Mínimo .................................................... 1.00
Nível de Senha Mínimo .......................... 3

11.3.2.6. Proteção do GMG por Sobrecorrente Temporizada ( Função ANSI 51 )

Tela 4.2.02.06.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção por Sobrecorrente Temporizada
Sobrecorrente CA Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da proteção por sobrecorrente
GMG Temp. > temporizada do GMG.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.06.01
Habilita Proteção por Sobrecorrente CA Temporizada
Sobrecorrente CA Através desta máscara é possível habilitar a proteção de sobrecorrente CA
GMG Temp. LLL
temporizada do GMG.

LIGA Habilita a proteção de sobrecorrente CA temporizada do GMG.


Está proteção atua conforme os parâmetros configurados no
SETUP.

DESLIGA Desabilita a proteção de sobrecorrente CA temporizada do


GMG.

Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 14
Tela 4.2.02.06.02 Seleciona Tipo de Curvas de Proteção
Tipo de Curva
LLLLLLLLLLLLLLLL
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 54 de108
Manual de Treinamento ST2030

Através desta máscara é possível habilitar o tipo de curva de proteção que será
utilizada no gerador.

Comentário Mensagem Display


ANSI Inversa ANSI Inversa
ANSI Muito Inversa ANSI M. Inversa
ANSI Extremamente Inversa ANSI E. Inversa
IEC Pouco Inversa IEC P. Inversa
IEC Normalmente Inversa IEC N. Inversa
IEC Muito Inversa IEC M. Inversa
IEC Extremamente Inversa IEC E. Inversa

Características
Opções....................................................“ANSI Inversa”, “ANSI M. Inversa”, “ANSI E.
Inversa”, “IEC P. Inversa”, “IEC N. Inversa”, “IEC M.
Inversa”, “IEC E. Inversa”
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.06.03 Atuação Início da Curva
Atuacao Inicio Através desta máscara é possível configurar o início da curva para atuação da
da Curva 0,00In proteção de sobrecorrente temporizada.

Características
Máximo ...................................................3,00
Mínimo ....................................................1,00
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.06.04 Fator de Multiplicação N
Fator Multip. N Através desta máscara é possível configurar o fator de multiplicação (este parâmetro
00,00 ficará a critério da STEMAC) .

Características
Máximo ...................................................99,99
Mínimo ....................................................00,01
Nível de Senha Mínimo...........................3
Retardo para Reset
Tela 4.2.02.06.05
Através desta máscara é possível configurar o retardo para reset da função ANSI 51.
Retardo para
Reset 00,00s Sempre que o tempo de reset for maior que 0 (zero) e menor que 100% o alarme da
sobrecorrente temporizada estará ativo.

Para maiores detalhes ver especificação “Funções de Proteção”.


Características
Máximo ...................................................99,99s
Mínimo ....................................................00,00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.3.2.7. Proteção do GMG por Corrente Seqüência Negativa ( Função ANSI 46 )

Tela 4.2.02.07.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção por Corrente Seqüência Negativa
Corrente Sequen. Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da proteção por Corrente
Negativa GMG > Seqüência Negativa do GMG.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.02.07.01 Habilita Proteção por Corrente Seqüência Negativa do GMG
Corrente Sequen. Através desta máscara é possível habilitar a proteção de Corrente Seqüência Negativa
Negativa GMG LLL do GMG.

LIGA Habilita a proteção de Corrente Seqüência Negativa do


GMG. Está proteção atua conforme os parâmetros que
definem a curva configurada no SETUP.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 55 de108


Manual de Treinamento ST2030

DESLIGA Desabilita a proteção de Corrente Seqüência Negativa do


GMG. Não será supervisionado a proteção de Corrente
Seqüência Negativa do GMG.
Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.07.02 Início da Curva
Inicio da Curva Através desta máscara é possível configurar o parâmetro de início da curva.
0,00 Características
Máximo ................................................... 0,30
Mínimo .................................................... 0,04
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.07.03 Fim da Curva
Fim da Curva Através desta máscara é possível configurar o parâmetro de fim da curva.
0,00 Características
Máximo ................................................... 0,30
Mínimo .................................................... 0,04
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.07.04 Parâmetro K
Parametro K Através desta máscara é possível configurar o parâmetro K.
00
Características
Máximo ................................................... 99
Mínimo .................................................... 10
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.07.05 Fator de Multiplicação N
Fator Multip. N Através desta máscara é possível configurar o fator de multiplicação da curva.
0,0 Características
Máximo ................................................... 9,9
Mínimo .................................................... 0,1
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.07.06 Retardo para Reset
Retardo para Através desta máscara é possível configurar o retardo para reset desta proteção.
Reset 00s Características
Máximo ................................................... 99s
Mínimo .................................................... 00s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.02.07.07 Atuação Tempo Definido
Atuacao Tempo Através desta máscara é possível configurar o parâmetro de atuação tempo definido.
Definido 0,00s Características
Máximo ................................................... 9,99
Mínimo .................................................... 0,00
Nível de Senha Mínimo .......................... 3

11.3.3. Parâmetros de Motor

Tela 4.2.03.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros do Motor


Parametros Motor Este subgrupo contém os parâmetros referentes a configuração do motor como tempo
GMG > de motor parando, retardo de baixa pressão, atuação do pré-aquecimento, número de
tentativas de partidas entre outros.
Para acessar este grupo de parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que
abrirá a nova tela contendo o primeiro parâmetro do grupo em questão.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.2.03.00.01 Horas para Manutenção do GMG
Horas Manutencao
GMG 000h
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 56 de108
Manual de Treinamento ST2030

Através desta máscara é possível estabelecer um intervalo de tempo para chamada


de manutenção do GMG.

Quando o contador de horas para manutenção que está localizado no grupo de


medições auxiliares do GMG chegar a 0 (zero) será emitido um alarme indicando
manutenção do GMG. Este alarme ao ser ativado, o controlador atribuíra para a
medição de horas de manutenção o valor configurado no SETUP iniciando um novo
decremento de horas para uma próxima manutenção.
Características
Máximo ...................................................999h
Mínimo ....................................................000h
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................16
Tela 4.2.03.00.02 Horas para Manutenção do GMG - Atualiza
Horas Manutencao Caso a manutenção deva ocorrer antes do período planejado será possível reiniciar o
GMG Atualiza LLL contador decrescente de horas para manutenção. Para reiniciar o contador o usuário
deverá confirmar a atualização das horas para manutenção selecionando a opção
“SIM” da tela respectiva. Ao confirmar, o controlador atribuirá para a medição das
horas de manutenção o valor configurado no SETUP.

SIM Sempre que confirmada esta opção será atribuído à tela de


medições o valor configurado no SETUP. Após confirmação o
valor da opção volta para “NÃO” permitindo uma nova
atualização.
NÃO Estado normal do comando de atualização das horas de
manutenção.
Características
Opções....................................................“SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo...........................4

Tela 4.2.03.00.03 Tempo de Funcionamento do GMG


Tempo Funcion. Através desta máscara é possível informar para o controlador o número de horas de
GMG 00000h funcionamento já utilizadas pelo GMG. Esta configuração possibilita o registro das
horas de funcionamento em instalações onde o GMG já possua um número qualquer
de horas de funcionamento.

Para atualizar as horas de funcionamento do GMG basta entrar com o novo número
de horas de funcionamento do GMG e pressionar a tecla “ENTER/MENU” que
automaticamente o controlador atribuirá o novo valor na tela de medição.

Quando o contador de horas chegar a 500001, será reiniciado em 0 (zero) permitindo


a contagem sem interrupção das horas de funcionamento do GMG.

O limite de 5 casas para armazenamento do número de horas de funcionamento foi


definido com base no tempo de garantia do GMG que é estimado em 2 anos. Como o
GMG poderá trabalhar 720hs por mês o contador de horas registrara durante 2 anos
sem virar o contador.

Características
Máximo ...................................................50000h
Mínimo ....................................................00000h
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.03.00.04 Energia Ativa do GMG
Energia Ativa do Através desta máscara é possível informar para o controlador a energia ativa
GMG +0000000kWh acumulada do GMG. Esta configuração possibilita o registro da energia em instalações
onde o GMG utilizado já tenha gerado um número qualquer de energia.

Para atualizar a energia do GMG basta entrar com o novo número de energia e
pressionar a tecla “ENTER/MENU” que automaticamente o controlador atribuirá o
novo valor na tela de medição.

Quando o contador de energia ativa chegar a 10000000, será reiniciado em 0 (zero)


permitindo a contagem sem interrupção do acumulador de energia ativa do GMG.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 57 de108


Manual de Treinamento ST2030

O limite de 7 casas para armazenamento de energia ativa acumulada é determinado


pela potência padrão de um GMG de 1500kW rodando num periodo estimado de 330
horas por ano durante 20 anos.

Características
Máximo ................................................... 9999999h
Mínimo .................................................... 0000000h
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.03.00.05 Número de Partidas do GMG
Numero Partidas Através desta máscara é possível informar para o controlador o número de partidas já
GMG 0000 efetuadas pelo GMG. Esta configuração possibilita o registro das partidas em
instalações onde o GMG utilizado já possua um número qualquer de partidas do
motor.

Para atualizar o número de partidas do GMG basta entrar com o novo número de
partidas e pressionar a tecla “ENTER/MENU” que automaticamente o controlador
atribuirá o novo valor na tela de medição.

Para cada comando de partida é incrementado o contador de número de partidas


localizado no grupo de medições auxiliares do GMG.
Características
Máximo ................................................... 9999
Mínimo .................................................... 0000
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.03.00.06 Lógica do Solenóide
Logica Solenoide Através desta máscara é possível configurar o tipo de solenóide aplicado no
LLLLLLLLLLLLL procedimento de partida e funcionamento do GMG.
Existem dois tipos de configurações possíveis para o solenóide:

Funcionamento O solenóide de funcionamento é operado no instante inicial de


cada procedimento de partida liberando a passagem do
combustível para o motor permanecendo atuado até o
momento da parada do GMG. No intervalo entre partidas o
solenóide de funcionamento permanece desoperada até
houver uma outra intenção de partida. Para o desligamento do
GMG o solenóide de funcionamento é desoperado
estrangulando a passagem do combustível para o motor.

Parada O solenóide de parada é operado no instante da parada do


GMG ou no intervalo entre partida e permanece operado até o
final do tempo de motor parando ou tempo de intervalo entre
partida. Após este tempo o solenóide desopera permanecendo
assim até uma próxima parada.
Características
Opções ................................................... “Funcionamento”, “Parada”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.03.00.07 Número de Tentativas de Partidas
Num. Tentativas Através desta máscara é possível configurar o número de tentativas de partidas
de Partidas 0 permitidas no mesmo ciclo sem falha. Caso a partida do GMG não ocorra dentro do
número de tentativas de partidas configurado é gerado um alarme de falha na partida
do GMG com classe de falha nível 3. Esta lógica é válida somente para o modo de
operação automático, sendo para os demais, o acionamento da falha ocorre no
término da primeira tentativa.

A contagem ocorre a cada inicio de partida do mesmo ciclo e é reinicializada quando o


procedimento de partida for cancelado ou concluído com sucesso.
Características
Máximo ................................................... 9
Mínimo .................................................... 1
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 23
Tela 4.2.03.00.08 Retardo de Partida do GMG
Retardo de
Partida GMG 000s
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 58 de108
Manual de Treinamento ST2030

Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo antes do início do


procedimento de partida do GMG. Este retardo é aplicado nos sistemas onde exista a
necessidade de acionamentos externos antes do inicio do procedimento de partida.
Quando comandada a partida, antes de iniciar o procedimento de partida é iniciada a
contagem do retardo de partida do GMG e acionado o sinal “Retardo na Partida”. No
término deste tempo é liberado o procedimento de partida e desligado o sinal de
“Retardo na Partida”.

A contagem do retardo de partida será cancelado sempre que for cancelado o


comando de partida, com exceção da lógica de emergência da REDE que congelará
esta contagem em função do Status “REDE Estabilizando” (ver Retardo para
Confirmação de REDE Normal no SETUP de Parâmetros de Proteção da REDE).

O sinal de “Retardo de Partida do GMG” ligado sinalizará “Retardo Partida” em:

- Tabela de STATUS – Textos aplicados na linha AUTO-SCROLL na seção telas


básicas, item medições básicas;
- Tabela de STATUS na seção alarmes e eventos;
- Tabela de Leitura Modbus - Status no ANEXO I.
Características
Máximo ...................................................999s
Mínimo ....................................................000s
Nível de Senha Mínimo...........................4
Tela 4.2.03.00.09 Tempo de Motor Parando
Tempo de Motor Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para uma nova
Parando 00s partida assegurando que o GMG esteja devidamente parado evitando que o motor de
partida entre com o GMG ainda em rotação. Nenhum comando de partida é aceito
enquanto este tempo não estiver concluído.

Para os comandos de parada do GMG ocorridos enquanto o corte do motor de partida


por pressão do óleo ou freqüência não foi atuado, não será permitida a contagem do
tempo de motor parando.

No primeiro instante quando o controlador é alimentado este tempo é ativado


impedindo uma partida do GMG na inicialização do sistema.

O sinal de “GMG Parando”, sinalizará “GMG Parando” em:

- Tabela de STATUS – Textos aplicados na linha AUTO-SCROLL na seção telas


básicas, item medições básicas;
- Tabela de Eventos na seção alarmes e eventos;
- Tabela de Leitura Modbus – Eventos no ANEXO I.

Características
Máximo ...................................................99s
Mínimo ....................................................10s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.03.00.10 Tempo de Intervalo entre Partidas
Tempo Intervalo Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo entre as partidas do
Entre Part. 000s mesmo ciclo.

Quando o relé de partida é acionado, o tempo de acionamento do motor de partida é


iniciado e caso a partida do motor não tenha sucesso após o fim do tempo de
acionamento do motor de partida por causa da freqüência gerada não estar acima do
nível configurado no parâmetro de corte do motor de partida por freqüência é iniciada
a contagem do “Tempo de Intervalo entre Partidas” e acionado o sinal de “Intervalo
entre Partidas”. Terminado este tempo, é iniciada uma nova tentativa. Isto ocorre até o
fim do número de tentativas de partidas configurado no grupo de parâmetros do motor.

Gráfico de Estado – Tempo de Intervalo entre Partidas

Comando de 1
Partida
0

Comando de 1
Func.
0
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 59 de108
E0-Pressão 1
do Óleo
0
Manual de Treinamento ST2030

Hz SETUP

Tempo 1
Atuação
Motor Part. 0

Tempo 1
Intervalo
Entre Part. 0

Esta lógica é válida somente para modo de operação automático, sendo para os
demais, o acionamento da falha no término da primeira tentativa de partida.

O sinal de “Tempo de Intervalo entre Partidas” ligado sinalizará “Interv. Partidas” em:

- Tabela de STATUS – Textos aplicados na linha AUTO-SCROLL na seção telas


básicas, item medições básicas;
- Tabela de STATUS na seção alarmes e eventos;
- Tabela de Leitura Modbus - Status no ANEXO I.
Características
Máximo ................................................... 999s
Mínimo .................................................... 000s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3

Tela 4.2.03.00.11 Retardo para Supervisão do GMG

Ret. Supervisao Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para que o motor seja
GMG 00s supervisionado. Este tempo garante que antes de habilitar as supervisões de falhas
decorrentes o GMG esteja pronto para carga.
O GMG só será supervisionado após a conclusão deste tempo.

O retardo para supervisão é iniciado após o corte do motor de partida. Caso ocorra
uma retentativa de partida é cancelada contagem deste tempo ocorrendo uma nova
contagem na próxima tentativa de partida.

No momento da partida o LED de indicação GMG fica piscando até o término do


tempo de supervisão. Após o término deste tempo o LED de indicação GMG fica
continuamente ligado até o momento da parada onde o mesmo será desligado.
Características
Máximo ................................................... 99s
Mínimo .................................................... 00s
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.03.00.12 Retardo para Confirmação de GMG Funcionando
Ret. Confirmacao Através desta máscara é possível configurar o retardo para confirmação do GMG
GMG Func. 00,0s Funcionando que define o retardo de acionamento de alguns alarmes e sinais que
dependem da condição do GMG Funcionando.
Estes alarmes e sinais estão descritos no item Dispositivos Externos - Entrada
Configurável da seção de lógicas de funcionamento.

Este retardo iniciara após atendido as condições abaixo:

...e GMG em funcionamento sinalizado pela mensagem no display


“GMG Funcionando”

Caso a condição acima descrita não seja atendida será cancelado a contagem deste
tempo.
Características

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 60 de108


Manual de Treinamento ST2030

Máximo ...................................................99,0s
Mínimo ....................................................00,0s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.03.00.13 Tempo de Resfriamento
Tempo Através desta máscara é possível configurar o tempo de resfriamento do GMG.
Resfriamen. 000s Em um procedimento de parada normal ou por uma parada por falha de classe nível 2
é efetuado, com a chave CGR aberta a operação de resfriamento do GMG.
Após este tempo é comandada a parada do GMG.

Caso o GMG seja requisitado para assumir a carga e o tempo de resfriamento esteja
em andamento, o mesmo é cancelado e o GMG inicia o procedimento de fechamento
da CGR.

A operação de resfriamento só é acionada se o controlador no momento do comando


de resfriamento estiver operando em modo automático e se a CGR esteve fechada por
no mínimo 10 segundos neste ciclo. Em modo manual a partida e parada é efetuada
manualmente pelo teclado sem acionamento do tempo de resfriamento.
Características
Máximo ...................................................999s
Mínimo ....................................................000s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.03.00.14 Tempo de Atuação do Motor de Partida
Tempo de Atuacao Através desta máscara é possível configurar o tempo de atuação do motor de partida.
Motor Part. 00s Caso o GMG não tenha recebido as informações descritas abaixo até o término do
tempo, será comandada a parada do motor de partida e se estiver em Modo de
Operação Automático será iniciada uma nova tentativa de partida conforme os
parâmetros configurados de intervalo e número de partidas.

Haverá corte do motor de partida antes de esgotar o tempo de atuação quando:

...ou O GMG atingir o valor de freqüência configurado no parâmetro corte do motor


de partida por freqüência;
...ou For retirado o sinal digital de pressão de óleo e decorrido todo o tempo de
retardo da entrada digital que a função esta configurada. Quando houver o
corte por pressão e a freqüência gerada não atingir o valor configurado no
parâmetro corte do motor de partida por pressão, o tempo de atuação do
motor de partida permanece incrementando para dar continuidade a lógica de
Intervalo de Partidas.

Gráfico de Estado - Partida Normal


Corte por Pressão Corte por Freqüência
Comando de 1
Partida
0

Comando de 1
Func.
0

E0-Pressão 1
do Óleo
0

Hz SETUP

Alarme de 1
Bx Pressão 0

Ret. Entrada Dig. Retardo de Baixa


Configuravel Pressão
Características
Máximo ...................................................30s
Mínimo ....................................................02s
Nível de Senha Mínimo...........................3

Tela 4.2.03.00.15 Corte do Motor de Partida por Freqüência


Corte Motor Part
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 61 de108
por Freq. 00,0Hz
Manual de Treinamento ST2030

Através desta máscara é possível configurar o valor da freqüência do GMG para corte
do motor de partida.

Quando a freqüência gerada atingir o nível configurado será comandado o corte do


motor de partida. Veja também o parâmetro de corte do motor de partida por pressão.
Características
Máximo ................................................... 40.0Hz
Mínimo .................................................... 00.0Hz
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.2.03.00.16 Retardo de Baixa Pressão
Retardo de Baixa Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo de baixa pressão do
Pressao 00s óleo. Pode ocorrer este defeito através da confirmação do sinal digital proveniente do
pressostato de óleo. Este defeito será supervisionado durante o período que se inicia
quando a freqüência gerada atingir o nível configurado no parâmetro de corte do motor
de partida por freqüência até o inicio do tempo de motor parando.

Se existir o sinal de pressão após o corte do motor de partida será iniciado o tempo de
retardo de baixa pressão que após o seu término será atuado o alarme de baixa
pressão de óleo. Se durante a contagem do tempo o sinal de pressão for retirado será
cancelada a contagem do tempo não acionando o alarme.

O alarme de baixa pressão de óleo é supervisionado independente do modo de


operação selecionado.

Gráfico de Estado – Alarme de Baixa Pressão Durante o Funcionamento

Habilita Supervisão do Alarme


de Bx Pressão

Comando de 1
Partida
0

Comando de 1
Func.
0

E0-Pressão 1
do Óleo
0

Hz SETUP

Alarme de 1
Bx Pressão
0

Ret. Entrada Dig. Retardo de Baixa


Configuravel Pressão

Gráfico de Estado - Alarme de Baixa Pressão Durante a Partida

Comando de 1 Corte por Tempo de Atuação Interv.entre Corte por


Partida Freqüência do Motor de Part. Partidas Freqüência
0

Comando de 1
Func.
0

Pressão 1
do Óleo
0

Hz SETUP

Alarme de 1 Reconhecimento
Bx Pressão 0 do Alarme

Retardo de Baixa Retardo de Baixa


Pressão Pressão
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 62 de108
Manual de Treinamento ST2030

Características
Máximo ...................................................10s
Mínimo ....................................................00s
Nível de Senha Mínimo...........................2
Código do Alarme ...................................21

11.3.3.1. Medição e Proteção da Temperatura da Água de Arrefecimento do Motor

Tela 4.2.03.01.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Medição e Proteção da Temp. da Água
Med. Temperatura Este subgrupo contém os parâmetros de configuração de medição e proteção da
Agua > temperatura da água de arrefecimento do motor.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.03.01.01 Habilita a Medição e Proteção de Temperatura da Água do Motor
Med. Temperatura Através desta máscara é possível habilitar ou não a proteção e medição de
Agua LLL temperatura da água de arrefecimento do motor.

LIGA Passa a ser supervisionada e medida a temperatura da água


do motor conforme os parâmetros configurados neste grupo
independente do modo de operação selecionado e das
falhas ativas. O valor medido será mostrado na tela de
medições auxiliares do GMG e na tela de medições básicas.

DESLIGA Não é supervisionado e nem medido o valor de temperatura


da água do gerador sendo atribuído zero a tela de medições
auxiliares do GMG, a tela de medição de temperatura nas
telas básicas e aos registros de máximos e mínimos.
Características
Opções....................................................“LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.03.01.02 Baixa Temperatura da Água de Arrefecimento do Motor
Baixa Temp. Agua Através desta máscara é possível configurar o limite mínimo de temperatura para o
Motor 00°C acionamento da falha de baixa temperatura da água. Atua no sistema como um
alarme de baixa temperatura.

É importante diferenciar o defeito de baixa temperatura da falha no PT100.


A falha no PT100 é identificada pelo hardware do controlador. Quando a impedância
for infinita (rompimento de fio ou sem sensor conectado) e curto do cabo, o controlador
deve entender como temperatura 0°C.
A baixa temperatura não atua caso exista indicação de falha no PT100, já se existir a
falha de baixa temperatura, poderá ocorrer a falha do sensor de PT100.
Características
Máximo ...................................................99°C
Mínimo ....................................................10°C
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................20
Código do Alarme ...................................17
Tela 4.2.03.01.03 Retardo para Baixa Temperatura da Água de Arrefecimento do Motor
Ret. Baixa Temp. Através desta máscara é possível configurar o retardo para confirmação da falha baixa
Agua Motor 00s temperatura da água.
Características
Máximo ...................................................99s
Mínimo ....................................................00s
Nível de Senha Mínimo...........................3

Tela 4.2.03.01.04 Baixa Temperatura da Água de Arrefecimento do Motor - Atuação


Baixa Temp. Agua
Motor LLLLLL
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 63 de108
Manual de Treinamento ST2030

Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar (Trip).
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de baixa temperatura da água como falha de


classe nível 0. É considerado como um aviso como uma falha.

TRIP Configura a falha de baixa temperatura como falha de classe


nível 3.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções ................................................... “ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.03.01.05 Habilita Conexão do GMG com Baixa Temperatura
Hab. Conexao GMG Através desta máscara é possível habilitar a conexão do GMG a carga quando a água
c/ Bx. Temp. LLL de arrefecimento do motor estiver em baixa temperatura.

Quando o parâmetro “Hab. Conexao GMG c/ Bx. Temp.” estiver desligado, e o alarme
de baixa temperatura estiver ativo (somente quando configurado como classe de falha
0), e o GMG funcionando, será mantido o seu funcionamento sem permitir o
fechamento da Chave CGR. Com o GMG em funcionamento a temperatura aumentara
gradualmente. Quando o alarme de baixa temperatura sair será liberado a conexão do
GMG na carga.

Caso o alarme de baixa temperatura estando configurado como F0 ocorra após a


conexão do GMG na carga, a lógica de hablitação de conexão do GMG c/ baixa
temperatura será ignorada porque o GMG já estava conectado na carga
caracterizando um problema na medição de temperatura porque a temperatura do
GMG tendera sempre a subir quando em carga impossibilitando de ocorrer uma falha
de baixa temperatura.

Será sinalizado pelo LED do GMG que o gerador esta aguardando o aumento da
temperatura para conectar na carga. Esta sinalização manterá o LED piscando mesmo
após o tempo de supervisão do GMG até que seja atendida a condição satisfatória de
temperatura.

Quando o parâmetro “Hab. Conexao GMG c/ Bx. Temp.” estiver ligado o GMG assume
a carga independente do alarme de baixa temperatura (somente quando configurado
como classe de falha 0). A sinalização do LED do GMG não é alterada.

Está lógica atuará somente no modo de operação automático. Para os demais modos
de operação esta lógica não terá nenhuma ação sobre o comando de fechamento da
CGR onde a conexão do GMG na carga não será afetada.

Se o parâmetro de Medição de Temperatura da Água estiver desligado a função de


conexão com baixa temperatura será ignorada.

Na condição do GMG estar aguardando a temperatura aumentar e for trocado o modo


de operação automático para qualquer outro, será cancelado esta lógica de conexão
com baixa temperatura e também o comando de fechamento da CGR forçando
operador, ou o sistema remoto, a comandar o fechamento da CGR.

Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.03.01.06 Alta Temperatura ( Função ANSI 26 )da Água de Arrefecimento do Motor Limite 1
Alta Temp. Agua Através desta máscara é possível configurar o limite máximo de temperatura para
Limite 1 000°C acionamento da falha alta temperatura da água limite 1. Atua no sistema como um pré
– alarme de alta temperatura.
Características
Máximo ................................................... 120°C
Mínimo .................................................... 085°C
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Código do Alarme ................................... 18

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 64 de108


Manual de Treinamento ST2030

Retardo Alta Temperatura da Água de Arrefecimento do Motor Limite 1


Tela 4.2.03.01.07
Através desta máscara é possível configurar o retardo para confirmação da falha alta
Ret. Alta Temp.
temperatura da água limite 1.
Agua Lim. 1 00s
Características
Máximo ...................................................99s
Mínimo ....................................................00s
Nível de Senha Mínimo...........................3

Tela 4.2.03.01.08 Alta Temperatura da Água de Arrefecimento do Motor Limite 1 - Atuação


Alta Temp. Agua Através desta máscara é possível configurar o tipo de atuação no sistema que poderá
Limite 1 LLLLLL somente alarmar ou comandar a abertura da chave quando a proteção atuar (Trip).
Existem dois tipos de configurações possíveis para atuação:

ALERTA Configura a falha de alta temperatura da água limite 1 como


falha de classe nível 0. É considerado como um aviso como
uma falha.

TRIP Configura a falha de alta temperatura da água limite 1 como


falha de classe nível 2.

Consulte a tabela de alarmes na seção de alarmes e eventos do controlador.


Características
Opções....................................................“ALERTA”, “TRIP”.
Nível de Senha Mínimo...........................3

Tela 4.2.03.01.09 Alta Temperatura (Função ANSI 26) da Água de Arrefecimento do Motor Limite 2
Alta Temp. Agua Através desta máscara é possível configurar o limite máximo de temperatura para
Limite 2 000°C acionamento da falha alta temperatura da água limite 2 com classe de falha nível 3.
Características
Máximo ...................................................120°C
Mínimo ....................................................85°C
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................19
Tela 4.2.03.01.10 Retardo Alta Temperatura da Água de Arrefecimento do Motor Limite 2
Ret. Alta Temp. Através desta máscara é possível configurar o retardo para confirmação da falha alta
Agua Lim. 2 00s temperatura da água limite 2.

Características
Máximo ...................................................99s
Mínimo ....................................................00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................19
Tela 4.2.03.01.11 Atuação do Pré–Aquecimento
Pre-Aquecimento Através desta máscara é possível configurar a temperatura limite para acionamento do
Atuacao 00°C sinal de Pré–Aquecimento.

A atuação do sinal de Pré–Aquecimento ocorre se as seguintes condições forem


atendidas:

...e Temperatura da água de arrefecimento do motor menor que o valor


configurado neste parâmetro;
...e GMG parado.

Este sinal acionará uma resistência de pré–aquecimento que atuará diretamente na


água de arrefecimento do motor, desta forma, provocando o aumento da temperatura
da mesma.

Caso ocorra falha no PT100, o pré-aquecimento deverá estar sempre ligado, a menos
que o motor não esteja parado.
Características

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 65 de108


Manual de Treinamento ST2030

Máximo ................................................... 60°C


Mínimo .................................................... 01°C
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.03.01.12 Histerese do Pré–Aquecimento
Pre-Aquecimento Através desta máscara é possível configurar o histerese da temperatura para
Histerese 00°C desligamento do sinal de Pré–Aquecimento.

O desligamento do sinal de Pré–Aquecimento ocorre se a condição abaixo for


atendida:

...e Temperatura da água de arrefecimento do motor maior ou igual a soma da


atuação e do histerese configurado;

O Gráfico abaixo ilustra o acionamento e o desligamento do pré – aquecimento por


temperatura em função do tempo.

O sinal de “Pré-Aquecimento” ligado sinalizará “Pré–Aquecimento” em:

- Tabela de STATUS – Textos Aplicados na Linha AUTO – SCROLL na seção de


telas básicas, item medições básicas.
- STATUS na seção de alarmes e eventos.
- Tabela de leitura ModBus - STATUS no Anexo I.

Características
Máximo ................................................... 20°C
Mínimo .................................................... 05°C
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
11.3.3.2. Proteção da Tensão da Bateria do Motor

Tela 4.2.03.02.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Proteção da Tensão da Bateria do Motor
Protecao Tensao Este subgrupo contém os parâmetros de configuração de proteção da tensão da
Bat. Motor > bateria do motor.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.2.03.02.01 Habilita a Proteção de Tensão da Bateria do Motor
Protecao Tensao Através desta máscara é possível habilitar ou não a proteção da tensão da bateria do
Bat. Motor LLL motor.

LIGA Passa a ser executada a proteção da tensão da bateria do


motor conforme os parâmetros configurados neste grupo
independente do modo de operação selecionado e das
falhas ativas. O valor medido será mostrado na tela de
medições auxiliares do GMG.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 66 de108


Manual de Treinamento ST2030

DESLIGA Não será executada a proteção da tensão da bateria do


motor. O valor medido será mostrado na tela de medições
auxiliares do GMG.
Características
Opções....................................................“LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.03.02.02 Sobretensão de Bateria do Motor
Sobretensao Bat. Através desta máscara é possível configurar a supervisão de sobretensão de bateria
Motor 000% informando o percentual da tensão de bateria nominal configurada no grupo de
parâmetros nominais do GMG.

Caso a tensão de bateria seja maior que este limite é iniciada a contagem do tempo
de retardo para ativação do alarme de sobretensão de bateria com classe de falha
nível 1. Se a tensão for menor que o valor especificado, o tempo de retardo é
reiniciado.
Características
Máximo ...................................................150%
Mínimo ....................................................101%
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................10
Tela 4.2.03.02.03 Retardo para Sobretensão de Bateria do Motor
Ret. Sobretensao Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para confirmação de
Bat. Motor 00s sobretensão de bateria.
Características
Máximo ...................................................99s
Mínimo ....................................................00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.2.03.02.04 Subtensão de Bateria do Motor
Subtensao Bat. Através desta máscara é possível configurar a supervisão de subtensão de bateria
Motor 00% informando o percentual da tensão de bateria nominal configurada no grupo de
parâmetros nominais do GMG.

Caso a tensão de bateria seja menor que este limite é iniciada a contagem do tempo
de retardo para ativação do alarme de subtensão de bateria com classe de falha nível
1. Se a tensão for maior que o valor especificado o tempo de retardo é reiniciado.
Características
Máximo ...................................................99%
Mínimo ....................................................00%
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................9
Tela 4.2.03.02.05 Retardo da Subtensão de Bateria do Motor
Ret. Subtensao Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para confirmação de
Bat. Motor 00s subtensão de bateria.
Características
Máximo ...................................................99s
Mínimo ....................................................00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.4. Grupo dos Parâmetros da USCA
Tela 4.3.00.00.00 Menu de Acesso dos Parâmetros da USCA
Grupo Parametros Este grupo contém os parâmetros de configuração da USCA.
USCA > Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................5
11.4.1. Configuração Geral

Tela 4.3.01.00.00 Menu de Acesso dos Parâmetros de Configuração da USCA


Configuracao da
USCA >
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 67 de108
Manual de Treinamento ST2030

Este grupo contém os parâmetros de configuração, como níveis de senha, controle


automático de back light, energia, programação da entrada e saída digital,
configuração de medição e histórico de medições entre outros.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 5
Tela 4.3.01.00.01 Tipo de Medição
Tipo de Medicao Através desta máscara é possível configurar o tipo de medição do sistema.
LLLLLLLLLL
MONOFÁSICO Será medida apenas uma fase da REDE e do GMG, onde
suas proteções estarão referenciadas somente a fase A do
sistema.

BIFÁSICO Serão medidas apenas duas fases da REDE e do GMG,


onde suas proteções estarão referenciadas somente a fase
A e B do sistema.

TRIFÁSICO Sistema de medição e proteção completo.

Características
Opções ................................................... “MONOFASICO”, “BIFASICO” e
“TRIFASICO”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.01.00.02 Seleção do Modo de Operação
Selecao Modo de Através desta máscara é possível selecionar o Modo de Operação que será ativado.
Operacao LLLLLL Para qualquer das opções selecionadas será validado conforme o relacionamento dos
modos de operação descrito nas lógicas de funcionamento.

Caso a seleção do modo não seja valido o controlador cancelara o modo selecionado
e retornará para o anterior. Este parâmetro não é configurado e nem supervisionado
pelo canal serial.

Se o controlador estiver com o parâmetro "Telecomando Modo Remoto" habilitado


Não é possível alterar o modo de operação entre Auto e Remoto, pois o controlador
respeitará o status da entrada digital. Se o controlador estiver em modo de operação
Manual ou Teste. É possível colocar em Automático ou Remoto, de acordo com a
lógica do "telecomando Modo Remoto", se estiver em "0" é possível colocar apenas
em modo Automático. Se estiver em "1" é possível colocar apenas em modo Remoto.

MANUAL Seleciona o Modo de Operação Manual. Executa a mesma


função que o botão “MANUAL”. Para maiores detalhes sobre o
modo de operação manual, consulte a seção de lógicas de
funcionamento.

AUTO Seleciona o Modo de Operação Automático. Executa a mesma


função que o botão “AUTO”. Para maiores detalhes sobre o
modo de operação automático, consulte a seção de lógicas de
funcionamento.

REMOTO Este modo permite que seja aceito comandos e parametrização


através do canal serial. Para supervisão, não é necessário que
o Modo de Operação Remoto seja selecionado. Para maiores
detalhes sobre o modo de operação remoto, consulte a seção
de lógicas de funcionamento.

TESTE Este modo quando selecionado parte o GMG colocando-o em


funcionamento para eventuais testes sem carga. Para maiores
detalhes consulte lógicas de funcionamento.

O sinal de “Modo Teste” ligado sinalizará “Modo Teste” em:


- Tabela de STATUS – Textos Aplicados na Linha AUTO–
SCROLL na seção de telas básicas, item medições
básicas.
- Eventos USCA na seção de alarmes e eventos.
- Tabela de Leitura ModBus - Eventos no Anexo I.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 68 de108


Manual de Treinamento ST2030

Características
Opções.................................................... “MANUAL” , “AUTO”, “REMOTO”, “TESTE”
Nível de Senha Mínimo...........................5
Tela 4.3.01.00.03 Retardo do Defeito no Retificador – Entrada Digital
Retardo Defeito Através desta máscara é possível configurar o retardo para confirmação da Entrada
Retificador 00s Digital de defeito no retificador.
A alimentação do retificador é proveniente da barra de carga. O sinal de defeito só
será considerado quando a chave CRD estiver fechada e a REDE normalizada ou
quando a chave CGR estiver fechada e o GMG em condições normais de
funcionamento. Estando uma destas duas condições satisfeitas e a entrada digital
configurada com a função de Defeito no Retificador estiver acionada é contado o
tempo de retardo de Defeito no Retificador, configurado no SETUP Geral da USCA e
no término deste tempo é acionada a falha Defeito no Retificador.
Quando não atendidas as condições, o controlador deve desconsiderar o sinal de
defeito cancelando a contagem do tempo.
Características
Máximo ...................................................99s
Mínimo ....................................................00s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Código do Alarme ...................................82
Tela 4.3.01.00.04 Tempo de Retardo para Comutação
Tempo de Retardo Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para comutação das
Comutacao 00,0s chaves de REDE – CRD e GMG – CGR. Após uma abertura de qualquer uma das
chaves, só será permitido o fechamento após o tempo de retardo para comutação
independente da chave que abriu e da que fechou.
Características
Máximo ...................................................99,9s
Mínimo ....................................................01,0s
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.3.01.00.05 Desabilita Comando da Chave de REDE
Desabilita Através desta máscara é possível desabilitar o comando da chave de REDE CRD.
Comando CRD LLL
Estando ligado este parâmetro o controlador desabilitará a tecla “Abrir/Fechar CRD”
do painel frontal e todas as condições onde as lógicas dependeriam do sinal de
comando de fechamento ou abertura da CRD. Também será desabilitado os alarmes
de chave respectivos a REDE (abriu/fechou indevidamente, não abriu/fechou). O
status da chave de REDE não sofre influência pelo parâmetro em questão, tendo sua
sinalização normal indicada no LED da CRD assim podendo manter o intertravamento
por software dos comandos da chave CGR com a CRD.

Sempre que este comando estiver habilitado, permanecerá acionado o comandado de


abertura da chave de CRD.

Se a CRD estiver fechada, não é possível fechar a chave de grupo pois o controlador
continua com o intertravamento se a chave de grupo fechar indevidamente o
controlador não comandará a abertura da CRD. Pois os comandos da CRD estão
desabilitados. Uma vez que esta lógica for habilitada, é necessário que exista uma
lógica externa para proteção das chaves.

Se a chave de grupo estiver fechada e a CRD fechar, não será comandado a abertura
da CGR, pois não existe falha de "CRD fechou indevidamente" para comandar a
abertura da outra chave.

A configuração de TRIP para os alarmes de REDE dependerá da configuração do


parâmetro de desabilitação do comando da chave de REDE. Quando desabilitado o
comando da CRD deverá ser desconsiderado o comando de abertura da chave. A
configuração TRIP fica para que o alarme de REDE gerado seja classificado como
alarme de TRIP, característica necessária por exemplo na lógica de emergência da
REDE.

O parâmetro de “GMG indisponível REDE assume carga LLL” é desconsiderado


quando a condição do parâmetro de desabilita o comando da chave de Rede estiver
ligado ocorrendo somente o TRIP da CGR se necessário.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 69 de108


Manual de Treinamento ST2030

Esta lógica atua em qualquer modo de operação. Ao desligar este parâmetro a lógica
do controlador é liberada para atuar os comandos da REDE normalmente conforme o
modo de operação selecionado.

Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.01.00.06 Desabilita Comando da Chave do GMG
Desabilita Através desta máscara é possível desabilitar o comando da chave do GMG.
Comando CGR LLL
Estando ligado este parâmetro o controlador desabilitará a tecla “Abrir/Fechar CGR”
do painel frontal e todas as condições onde as lógicas dependeriam do sinal de
comando de fechamento ou abertura da CGR. Também será desabilitado os alarmes
de chave (abriu/fechou indevidamente, não abriu/fechou). O status da chave do GMG
não sofre influência pelo parâmetro em questão, tendo sua sinalização normal
indicada no LED da CGR assim podendo manter o intertravamento por software dos
comandos da chave CGR com a CRD.

Sempre que este comando estiver habilitado, permanecerá acionado o comandado de


abertura da chave de CGR.

Se a CGR estiver fechada, não é possível fechar a chave de Rede pois o controlador
continua com o intertravamento se a chave de Rede fechar indevidamente o
controlador não comandará a abertura da CGR. Pois os comandos da CGR estão
desabilitados. Uma vez que esta lógica for habilitada, é necessário que exista uma
lógica externa para proteção das chaves.

Se a chave de Rede estiver fechada e a CGR fechar, não será comandado a abertura
da CRD, pois não existe falha de "CGR fechou indevidamente" para comandar a
abertura da outra chave.

Se o comando da CGR estiver inibida, os alarmes de GMG que acionam o TRIP não
influenciam na abertura da chave, mas poderão comandar a parada do GMG
conforme o tipo de alarme, Alarmes com classe falha 2, o controlador só coloca o
GMG em resfriamento se sair o status de chave fechada. Se for alarme com classe de
falha 3 ou 4, o controlador comanda a parada do GMG mesmo com a chave fechada.

Se o controlador estiver em modo de operação manual, em funcionamento com a


chave fechada e for comandada a parada do motor, o controlador memoriza o
comando e mantém o motor em funcionamento até que a chave de grupo abra.

Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.01.00.07 GMG Indisponível, REDE Assume Carga
GMG Indisp REDE Através desta máscara é possível habilitar que a carga seja devolvida para REDE
Assume Carga LLL caso o GMG estiver com falha e/ou haja sinal na entrada com a função Parada
Remota.

Este parâmetro tem importância em caso de haver algum destes eventos em Modo de
Operação Automático: Partida Remota via entrada digital, Partida do GMG em AUTO
Assumindo Carga via canal serial ou Parada Remota.

Quando o parâmetro GMG Indisponível REDE Assume Carga estiver habilitado,


deverá ser executada a seguinte lógica:
Quando ocorrer um defeito no GMG (F2, F3 ou F4) ou for acionada a entrada
configurada para Parada Remota e o controlador estiver em Modo de Operação
Automático, será comandado o fechamento da chave de REDE caso a mesma
encontra-se em condições normais. Em Modo de Operação Manual o comando fica a
critério do operador pelo teclado do controlador.
Quando este parâmetro estiver desabilitado, deverá ser executada a seguinte lógica:
Quando ocorrer um defeito no GMG (F2, F3 ou F4) ou for acionada a entrada
configurada para Parada Remota e estiver em Modo de Operação Automático, não
será comandado o fechamento da chave de REDE caso a mesma encontra-se em
condições normais e se a chave de REDE estiver fechada deverá ser comandada sua

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 70 de108


Manual de Treinamento ST2030

abertura. Em Modo de Operação Manual o comando fica a critério do operador pelo


teclado do controlador.

Para maiores detalhes consultar Lógicas de Funcionamento, Transferência de Carga


do GMG para REDE Quando GMG com Defeito.
Características
Opções....................................................“SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo...........................1
Tela 4.3.01.00.08 Habilita Senhas Avançadas
Habilita Senhas Através desta máscara é possível habilitar o sistema de senhas avançadas do SETUP
Avancadas LLL (ver em SETUP, Acesso ao SETUP do Controlador).

SIM As senhas de nível 2 e 3 serão calculadas e necessitam da


informação do ID. As senhas de nível 4 e 5 serão comparadas
com o valor configurado no SETUP. O controlador exigirá o ID
do operador podendo também exigir a senha para desbloqueio
do SETUP quando necessário.

NÃO O acesso ao SETUP com nível de senha 1 será sempre


calculado independente do modo de operação selecionado. O
acesso com nível 2, 3, 4 e 5 será feito comparando as senhas
com os valores configurados no SETUP. Será exigido o campo
ID do operador com o valor 0 (zero) para os níveis de acesso
diferentes do nível 1 e não será exigida senha para
desbloqueio do SETUP.
Características
Opções....................................................“SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo...........................1
Tela 4.3.01.00.09 Senha Nível 03
Senha Nivel 03 Através desta máscara é possível configurar a senha nível 03 Este parâmetro só
0000 poderá ser utilizado enquanto o parâmetro Habilita Senhas Avançadas estiver
desabilitado.
Características
Máximo ...................................................9999
Mínimo ....................................................0000
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.3.01.00.10 Senha Nível 04
Senha Nivel 04 Através desta máscara é possível configurar a senha nível 04.
0000
Características
Máximo ...................................................9999
Mínimo ....................................................0000
Nível de Senha Mínimo...........................4
Tela 4.3.01.00.11 Senha Nível 05

Senha Nivel 05 Através desta máscara é possível configurar a senha nível 05.
0000 Características
Máximo ...................................................9999
Mínimo ....................................................0000
Nível de Senha Mínimo...........................5
11.4.2. Bloqueio do Teclado

Tela 4.3.02.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Bloqueio do Teclado


Bloqueio Teclado Este subgrupo contém os parâmetros de configuração de bloqueio do teclado.
> Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................4
Tela 4.3.02.00.01 Habilita Bloqueio do Teclado
Habil. Bloqueio Através desta máscara é possível habilitar o Bloqueio do Teclado do controlador.
Teclado LLL

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 71 de108


Manual de Treinamento ST2030

O sinal “Bloqueio do Teclado” bloqueia as seguintes teclas:

- "ABRIR / FECHAR” – CRD;


- "ABRIR / FECHAR” – CGR;
- "PARTIR / PARAR” – GMG.

As demais teclas não sofrem bloqueio podendo ser usadas normalmente pelo
operador.

Se o teclado do controlador estiver bloqueado e for pressionada alguma tecla da lista


acima, será mostrada a tela de ID e Senha do Operador. O controlador ficará
aguardando que seja informado algum ID e senha corretos independentemente do
nível de acesso. Após a confirmação da senha, será mostrada a tela de medições
básicas com a linha AUTO-SCROLL e desligado o bloqueio do teclado até que o
tempo de retardo para bloqueio do teclado se esgote.

O sinal de “Bloqueio do Teclado” sinalizará “Teclado Bloq.” em:

- Tabela de STATUS – Textos Aplicados na Linha AUTO – SCROLL na seção de


Telas Básicas, item Medições Básicas;
- Eventos USCA na seção de Alarmes e Eventos;
- Tabela de Leitura ModBus - Eventos no Anexo I.
Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.3.02.00.02 Retardo para Bloqueio do Teclado
Ret. p/ Bloqueio Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para bloqueio do
Teclado 000min teclado. Sempre que este tempo se esgotar, serão bloqueadas as teclas de comando
do controlador.

Características
Máximo ................................................... 999min
Mínimo .................................................... 001min
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
11.4.3. Falha de Chaves

Tela 4.3.03.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Falha de Chaves


Falha de Chaves Este subgrupo contém os parâmetros de configuração de falha de chaves.
> Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.03.00.01 Habilita Falha de Chaves
Falha de Chaves Através desta máscara é possível habilitar a função de falha de chaves. Este grupo
LLL contém os parâmetros de configuração relativos a falha de chaves.

Caso a habilitação de falha de chaves esteja desligada. Não será executada a lógica
de retentativas de fechamento/abertura da chave sendo ignorado o tempo de retorno
do sinal da chave e o número de retentativas ficando retido o comando de
fechamento/abertura da chave e mantendo o comando independente do retorno do
sinal da chave sem executar as falhas de “Não Abriu” ou “Não Fechou”. As falhas de
“Abriu indevidamente” e “Fechou indevidamente” continuam com sua lógica atual.

Estando o controlador em Modo de Operação Automático e ocorrer a falha CRD Não


Fechou, deverá ser comandada a partida do GMG seguida de sua conexão na carga,
desde que o parâmetro Habilita Operação em Emergência da REDE esteja ligado,
desta forma, permanecendo até que a falha seja quitada. Após a quitação da falha
CRD Não Fechou, o GMG retorna a carga para a REDE desde que não exista nenhum
evento que mantenha o GMG funcionando.
Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 2

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 72 de108


Manual de Treinamento ST2030

Tempo de Retorno do Sinal da Chave


Tela 4.3.03.00.02
Através desta máscara é possível configurar o tempo limite para retorno do sinal
Tempo Retorno
(status) da chave.
Snl Chave 0,00s
Quando o controlador comandar o fechamento ou abertura da chave CRD ou CGR, é
iniciada a contagem do tempo de retorno do status da respectiva chave.

Quando o status de retorno de CRD ou CGR passar a indicar que a chave abriu ou
fechou e não tenha sido dado comando para que isso ocorresse, será acionada a
falha de fechou ou abriu indevidamente quando em modo de operação diferente de
automático.
Se isso ocorrer em Modo de Operação Automático, o controlador comandará
tentativas para abrir quando a falha for fechou indevidamente ou para fechar quando a
falha for abriu indevidamente conforme o parâmetro “Número Máximo de Tentativas”
configurado no SETUP. Se mesmo assim a chave não voltar, será acionada a falha no
fechamento ou abertura da chave correspondente.

As falhas de abriu/fechou indevidamente atuam conforme a lógica dos estados das


chaves ignorando o parâmetro de tempo de retorno do sinal da chave.
No caso da falha de abriu indevidamente, deve ser monitorada a tensão do GMG ou
da REDE correspondente a chave que ocasionou a falha, tendo em vista que as
chaves poderão ser tipo contator e poderão abrir por falta de tensão em sua bobina.
Logo deverá ser verificado antes do acionamento da falha de abriu indevidamente se a
chave não abriu por baixa tensão, condição que não será ativo o alarme. Esta
verificação poderá ocasionar um atraso na ativação do alarme em torno de no máximo
um segundo devido aos tempos de conversão do sinal CA o que não é problema para
os alarmes de abertura/fechamento indevido.
Características
Máximo ...................................................9,99s
Mínimo ....................................................0,00s
Nível de Senha Mínimo...........................2
Tela 4.3.03.00.03 Número Máximo de Tentativas

Numero Maximo Através desta máscara é possível configurar o número máximo de tentativas de
Tentativas 0 fechamento e abertura da chave. Esta configuração só é executada em Modo de
Operação Automático.

Quando for comandado o fechamento ou a abertura da chave CRD ou CGR, e o


STATUS da respectiva chave não retornar dentro do tempo configurado, será
cancelado o comando e iniciado o tempo de intervalo entre tentativas. Este tempo é
fixo em 3 segundos. Quando ocorrer o término do tempo de intervalo, é comandada
uma nova tentativa. Este ciclo de tentativas se repete até o número máximo de
tentativas configurado. Se o número de tentativas chegar ao limite máximo e o
controlador não obtiver sucesso nesta última, a falha no fechamento ou abertura da
respectiva chave será acionada. Quando acionada a falha de fechamento ou abertura
da respectiva chave, será cancelado o comando em questão mantendo o comando
anterior.

Toda vez que uma chave (CRD ou CGR) for desconectada sem o comando do
controlador, deverá ser verificado antes da tentativa de fechamento se a chave não
abriu por falta de tensão. Para isso, deverá ser levado em consideração o tempo de
amostragem máximo que o controlador leva para atualizar os valores de tensão e
freqüência e o tempo de retardo para comutação.
O controlador só poderá retentar o fechamento da chave se estiver dentro da faixa de
Limite 2 de tensão e freqüência e se o tempo de comutação for concluído garantindo
que as tensões e freqüências estarão atualizadas.

Características
Máximo ...................................................9
Mínimo ....................................................1
Nível de Senha Mínimo...........................2

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 73 de108


Manual de Treinamento ST2030

11.4.4. Back Light

Tela 4.3.04.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros do Back Light


Ctrl Automatico Este subgrupo contém os parâmetros de configuração do back light.
Back Light > Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.3.04.00.01 Habilita Controle Automático do Back Light
Ctrl Automatico Através desta máscara é possível habilitar o controle automático do back light. Este
Back Light LLL grupo contém os parâmetros de configuração do controle automático do back light.

LIGA Com o controle habilitado o back light será ativado após o


acionamento de qualquer alarme ou se qualquer tecla do
frontal for pressionada.

DESLIGA Com o controle desabilitado o back light não será ativo em


nenhuma situação.
Características
Opções ................................................... “LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.3.04.00.02 Retardo para Desligamento do Back Light
Ret. Deslig. do Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo de desligamento do
Back Light 000s back light.
Características
Máximo ................................................... 999s
Mínimo .................................................... 1
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
11.4.5. Medição Geral

Tela 4.3.05.00.00 Menu de Acesso das Configurações da Medição Geral


Configura Este subgrupo configura quais das medições serão visualizadas na tela principal.
Medicao Geral > Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.3.05.00.01 Código das Medições Gerais
Cod. Med. Geral Através desta máscara é possível configurar o código da informação do campo a ser
Campo 01 00 visualizado na tela de medições gerais.
Tela 4.3.05.00.02 Global

Cod. Med. Geral Código Máscara Descrição Observação


Campo 02 00 0 Nenhum preenchimento do campo, todos os
caracteres em branco
Tela 4.3.05.00.03

Cod. Med. Geral Medições da REDE


Campo 03 00
Código Máscara Descrição Observação
Tela 4.3.05.00.04 1 000Vab Tensão de Linha AB da REDE
2 000Vbc Tensão de Linha BC da REDE
Cod. Med. Geral 3 000Vca Tensão de Linha CA da REDE
Campo 04 00 4 000Va Tensão da Fase A da REDE
5 000Vb Tensão da Fase B da REDE
6 000Vc Tensão da Fase C da REDE
7 00.0Hz Freqüência da REDE
8 - 20 ???????? --- Reservas ---

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 74 de108


Manual de Treinamento ST2030

Medições do GMG
Código Máscara Descrição Observação
21 000Vab Tensão de Linha AB do GMG
22 000Vbc Tensão de Linha BC do GMG
23 000Vca Tensão de Linha CA do GMG
24 000Va Tensão da Fase A do GMG
25 000Vb Tensão da Fase B do GMG
26 000Vc Tensão da Fase C do GMG
27 0000Aa Corrente da Fase A do GMG
28 0000Ab Corrente da Fase B do GMG
29 0000Ac Corrente da Fase C do GMG
30 0000kW Potência Ativa do GMG Veja ajuste da unidade em
31 0000kVA Potência Aparente do GMG Medições do Controlador.
32 00.0Hz Freqüência do GMG
33 00.0Vcc Tensão da Bateria do motor
Temperatura d’água de arrefecimento do
34 000°C
motor
35 – 40 ???????? --- Reservas ---
Características
Máximo ...................................................40
Mínimo ....................................................00
Nível de Senha Mínimo...........................4
11.4.6. Dados do Cliente

Tela 4.3.06.00.00 Menu de Acesso aos Dados do Cliente


Dados do Cliente Este grupo contém os parâmetros de configuração relativos ao nome e código do
> cliente.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.3.06.00.01 Nome do Cliente
Nome do Cliente Através desta máscara é possível configurar o nome do cliente.
AAAAAAAAAAAAAAAA
Características
Opções....................................................“A...16x...A”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.3.06.00.02 Código do Cliente
Codigo Cliente Através desta máscara é possível configurar o código do cliente.
AAAAAAAAAAAAAAAA Características
Opções....................................................“A...16x...A”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.4.7. Sinalização Externa Configurável

Tela 4.3.07.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros da Sinalização Externa Configurável


Sinal Externo Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da sinalização externa
Configuravel > configurável.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.

Neste subgrupo poderá ser personalizado um sinal que atuará no sistema conforme os
parâmetros configurados. Este sinal poderá ser atribuído a uma entrada digital
configurável através do seu código especificado na tabela de configuração da entrada.
Quando a entrada é acionada ou não, conforme o parâmetro tipo de lógica é
executada a atuação deste sinal externo.

Características
Nível de Senha Mínimo...........................3

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 75 de108


Manual de Treinamento ST2030

11.4.7.1. Configuração da Sinalização Externa Configurável

Tela 4.3.07.00.01 Parâmetros da Sinalização Externa Configurável


Snl 01 Nivel LL Através desta máscara é possível configurar a ação a ser executada e o texto a ser
AAAAAAAAAAAAAAAA mostrado quando acionada a sinalização externa configurável.

Para voltar ao menu anterior basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.

Campos Variáveis
LL Para maiores informações sobre os níveis de falha, consulte
em indicadores de operação a descrição de cada classe de
falha.

A...A Neste campo deve ser inserida a mensagem da sinalização


externa
Características do Campo LL
Opções ................................................... “F0” “F1”, “F2”, “F3”, “F4”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Características do Campo A...A
Opções ................................................... “A...16x...A”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3

11.4.8. Entrada Digital Configurável

Tela 4.3.08.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros das Entradas Digitais Configuráveis
Entrada Digital Este subgrupo contém os parâmetros de configuração das entradas digitais
Configuravel > configuráveis.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
11.4.8.1. Configuração das Entradas Digitais Configuráveis

Tela 4.3.08.00.01 Parâmetros da Entrada Digital Configurável


Ent. Digital 01 Através desta máscara é possível habilitar e configurar as entradas digitais.
LLL FS000 R00,0s
Para navegar entre as outras entradas digitais basta usar as teclas “SETA PARA
Tela 4.3.08.00.02
CIMA” ou “SETA PARA BAIXO”. Para voltar ao menu anterior basta pressionar a tecla
Ent. Digital 02 “RESET/ESC”.
LLL FS000 R00,0s Campos Variáveis
Tela 4.3.08.00.03 LLL Este campo serve para habilitar a respectiva entrada digital.
Ent. Digital 03
LLL FS000 R00,0s S Através desta máscara é possível configurar o tipo de lógica
para ativação da sinalização externa configurável. Quando este
Tela 4.3.08.00.04 parâmetro estiver configurado para lógica positiva (“ “), a
função será acionada quando a entrada digital receber o sinal e
Ent. Digital 04 permanecer neste estado até estourar o tempo de retardo.
LLL FS000 R00,0s
Quando este parâmetro estiver configurado para lógica
negativa (“-“), a função será acionada quando o sinal for
Tela 4.3.08.00.05 retirado da entrada digital e permanecer neste estado até
estourar o tempo de retardo.
Ent. Digital 05
LLL FS000 R00,0s “000” Através desta máscara é possível configurar a função padrão
Tela 4.3.08.00.06
que a entrada digital configurável assumirá. Os códigos de
Ent. Digital 06 função estão descritos na seção Alarmes e Eventos e as
LLL FS000 R00,0s lógicas de acionamento na seção Lógicas de Funcionamento –
Operação de Funcionamento da Entrada e Saída configurável.
Tela 4.3.08.00.07
“00,0s” Através desta máscara é possível configurar o retardo da
Ent. Digital 07 ativação da entrada digital configurável.
LLL FS000 R00,0s

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 76 de108


Manual de Treinamento ST2030

Características do Campo LLL


Tela 4.3.08.00.08 Opções....................................................“LIG”, “DES”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
Ent. Digital 08
LLL FS000 R00,0s Características do Campo S
Opções....................................................“ ”, “-”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
Características do Campo 000
Máximo ...................................................224
Mínimo ....................................................106
Nível de Senha Mínimo...........................3
Características do Campo 00,0
Máximo ...................................................99,9s
Mínimo ....................................................00,0s
Nível de Senha Mínimo...........................3

11.4.9. Saída Digital Configurável

Tela 4.3.09.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros das Saídas Digitais Configuráveis
Saida Digital Este subgrupo contém os parâmetros de configuração das saídas digitais
Configuravel > configuráveis.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................3
11.4.9.1. Configuração das Saídas Digitais Configuráveis

Tela 4.3.09.00.01 Parâmetro da Saída Digital Configurável


Saida Digital 01 Através desta máscara é possível habilitar e configurar as saídas digitais.
LLL F000 R00,0s
Para navegar entre as outras saídas digitais basta usar as teclas “SETA PARA CIMA”
Tela 4.3.09.00.02
ou “SETA PARA BAIXO”. Para voltar ao menu anterior basta pressionar a tecla
Saida Digital 02 “RESET/ESC”.
LLL F000 R00,0s
Tela 4.3.09.00.03
Campos Variáveis
LLL Este campo serve para habilitar a saída digital
Saida Digital 03
LLL F000 R00,0s
“F000” Através desta máscara é possível configurar a função padrão
Tela 4.3.09.00.04 que a saída digital assumirá. Os códigos de função estão
descritos na seção Alarmes e Eventos e as lógicas de
Saida Digital 04 acionamento na seção Lógicas de Funcionamento – Operação
LLL F000 R00,0s de Funcionamento das Entrada e Saída configuráveis.
Tela 4.3.09.00.05
“R00,0s” Através desta máscara é possível configurar o retardo de
Saida Digital 05 ativação da saída digital.
LLL F000 R00,0s
Tela 4.3.09.00.06 Características do Campo LLL
Opções....................................................“LIG”, “DES”.
Saida Digital 06
LLL F000 R00,0s Nível de Senha Mínimo...........................3
Características do Campo F000
Tela 4.3.09.00.07
Máximo ...................................................400
Saida Digital 07 Mínimo ....................................................001
LLL F000 R00,0s Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.3.09.00.08 Características do Campo R00,0s

Saida Digital 08 Máximo ...................................................99,9s


LLL F000 R00,0s Mínimo ....................................................00,0s
Nível de Senha Mínimo...........................3

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 77 de108


Manual de Treinamento ST2030

11.4.10. Configuração da Porta Serial RS232

Tela 4.3.10.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros da Porta Serial RS232


Porta Serial Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da porta serial RS232.
RS232 > Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.3.10.00.01 Habilita Porta Serial RS232
Habilita Porta Através desta máscara é possível habilitar ou não a porta serial RS232 para
Serial RS232 LLL supervisão, comando e parametrização do controlador através do protocolo Modbus –
RTU SLAVE.
Neste grupo de parâmetros também é possível configurar as características da
comunicação serial e configurar as lógicas de controle aplicadas ao canal serial.

SIM Habilita a porta serial podendo ser supervisionado, comandado


e parametrizado o controlador através do protocolo Modbus –
RTU. Só é possível comandos e parametrização em Modo de
Operação Remoto. A supervisão é permitida em qualquer modo
de operação.

NÃO Desabilita a porta serial não sendo possível a supervisão,


comando e parametrização do controlador. Neste momento o
controlador assume o protocolo do fornecedor que possibilita
atualização de FIRMWARES quando necessário. Todas as
demais configurações dos parâmetros deste grupo serão
ignoradas.

Consulte a tabela de comunicação no anexo I – Tabela de Comunicação Modbus.


Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.3.10.00.02 Habilita Quitação Remota de Alarmes com Classe de Falha 4
Hab. Quitação Através desta máscara é possível habilitar a quitação dos alarmes com classe de falha
Remota F4 LLL nível 4 via canal serial pelo comando “Reconhecimento dos Alarmes e Quitação
Seletiva” na Tabela de Escrita Modbus – Comandos Cliente. Este tipo de quitação é
possível somente em Modo de Operação Remoto.

Se a quitação remota dos alarmes com classe de falha 4 não estiver habilitada, os
alarmes poderão somente ser reconhecidos em Modo de Operação Remoto (ver
maiores informações sobre reconhecimento e quitação em Tabela de Alarmes, tópico
Classe de Falha).
Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.3.10.00.03 Endereço do Slave
Endereço Slave Através desta máscara é possível configurar o endereço SLAVE para o protocolo
000 Modbus – RTU.
Características
Máximo ................................................... 255
Mínimo .................................................... 001
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.3.10.00.04 Velocidade de Comunicação
Velocidade de Através desta máscara é possível configurar a velocidade de comunicação do canal
Comunic.00000bps serial.
Características
Opções ................................................... “9600”, “19200”.
Nível de Senha Mínimo .......................... 3
Tela 4.3.10.00.05 Paridade
Paridade Através desta máscara é possível configurar o bit de paridade do canal serial.
LLLLLLL
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 78 de108
Manual de Treinamento ST2030

Características
Opções....................................................“Par”, “Impar”, “Nenhuma”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.3.10.00.06 Bit de Parada
Bit de Parada Através desta máscara é possível configurar o número de bits de parada do canal
0 serial.
Características
Opções....................................................“1”, “2”.
Nível de Senha Mínimo...........................3
Tela 4.3.10.00.07 Habilita Controle de Fluxo por Hardware
Hab. Controle de Através desta máscara é possível habilitar o controle de fluxo por hardware do canal
Fluxo LLL serial, ou seja, habilitar os pinos de controle.

Quando este parâmetro estiver desligado será permitida a comunicação a três fios,
TX, RX e GND.
Características
Opções....................................................“SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo 3
11.4.10.1. Modem Porta Serial RS232

Tela 4.3.10.01.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Configuração do Modem Porta Serial RS232
Modem Porta Este subgrupo contém os parâmetros de configuração da porta para uso de modem
Local > externo padrão.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................2
Tela 4.3.10.01.01 Habilita Modem para Porta Serial RS232
Habilita Modem Através desta máscara é possível habilitar o uso de modem externo padrão, que
Porta Local LLL poderá ser configurado e comandado para efetuar discagens conforme configurado
neste grupo.
Características
Opções....................................................“SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo...........................2
Tela 4.3.10.01.02 Habilita Discagem por Falha Ativa
Habilita Discag. Através desta máscara é possível habilitar a discagem automática em caso de falha.
por Falha LLL
Ao ligar o controlador será ligado automaticamente o registro ModBus 4x0001 Bit8
Discagem Reconhecida que será desligado na ocorrência de qualquer alarme
independente do modo de operação.

Isto iniciará o procedimento de discagem que finalizará no final das tentativas de


conexão especificada ou por uma conexão completada com sucesso que possibilitará
o supervisório ligar o bit Discagem Reconhecida, independente do modo de operação,
fazendo com que o controlador não volte a discar mesmo que os alarmes anteriores
permaneçam ativos ou reconhecidos. Caso exista algum alarme ativo ou reconhecido
e o supervisório não ligar o bit, quando houver uma desconexão o controlador iniciará
o procedimento de discagem pois o supervisório não ligou o bit de discagem
reconhecida.

Quando ocorrer uma falha, o controlador inicia a tentativa de discagem enviando a


STRING de inicialização para o modem e, logo após, enviando o comando de
discagem com o número configurado. Após o modem executar a discagem, é iniciada
a contagem do tempo de espera de conexão.

Caso o tempo de espera seja ultrapassado e o controlador não tenha recebido o sinal
do modem de sucesso na conexão (CARRIER ON), é iniciado uma nova tentativa de
discagem. Estas tentativas de discagens ocorrem até ultrapassar o número de
tentativas configuradas. Se o número de tentativas de discagem ultrapassar sem
sucesso na conexão, o controlador cancela o processo de discagem e ativa a falha de

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 79 de108


Manual de Treinamento ST2030

comunicação ModBus. Será reiniciado um novo processo de discagem quando ocorrer


uma nova falha
desde que exista um modem conectado em sua serial que é indicado pelo pino DSR
do Modem e o bit Discagem Reconhecida esteja desligado. A variação do pino DSR
indica que o modem foi ligado ou desligado ou que o cabo foi conectado ou
desconectado.

Caso o controlador receba o sinal do modem de sucesso na conexão (CARRIER ON)


antes do término do tempo de espera de conexão, é ignorado as contagens do tempo
e das tentativas de conexão e liberado a comunicação Modbus – RTU. Enquanto
conectado, não é executado nenhum comando de discagem quando ocorrer novas
falhas ou variações no sinal DSR do Modem.

Se o controlador não tiver sucesso nas discagens indicado pela mensagem de falha
de comunicação ModBus e o sinal de DSR do Modem variar, o controlador inicia um
novo processo de discagem pois a origem da falha nas discagens pode ter ocorrido
por um problema externo que se restabeleceu. Este problema pode ser um problema
de cabo ou do próprio modem. Caso o controlador não tenha sucesso neste ciclo de
discagem o controlador não ativará um novo alarme de comunicação ModBus pois o
mesmo já estará ativo ou reconhecido.
Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.10.01.03 String de Inicialização
String Inicializ Através desta máscara é possível configurar a STRING de inicialização do modem
AAAAAAAAAAAAAAAA respeitando os comandos AT básicos.

Esta STRING é enviada para o modem toda vez que ocorrer uma falha e ele não
estiver conectado ou tentando uma nova conexão.
Características
Opções ................................................... “A...16x...A”
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.10.01.04 Número do Telefone
Numero Discagem Através desta máscara é possível configurar o número a ser discado podendo incluir
AAAAAAAAAAAAAAAA comandos AT de pausa para chamada de linha externa como por exemplo em centrais
telefônicas.

Também poderá ser parametrizado antes do número qualquer comando padrão AT


contudo tem como principal utilização especificar os comandos de tom (letra T) ou de
pulso (letra P). Isto é possível porque antes destes comandos e do número de
discagem, o controlador ao executar a discagem, anexa o comando ATD. É possível
não especificar o tipo de discagem, desta forma, ficando este parâmetro a cargo da
configuração do modem utilizado.

Este comando é enviado para o modem logo após o envio com sucesso da STRING
de inicialização do modem.
Características
Opções ................................................... “A...16x...A”
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.10.01.05 Número de Tentativas
Numero de Através desta máscara é possível configurar o número de tentativas máxima de
Tentativas 0000 discagem.
Características
Máximo ................................................... 9999
Mínimo .................................................... 0001
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.10.01.06 Tempo de Espera para Conexão
Tempo de Espera Através desta máscara é possível configurar o tempo máximo de espera para a
de Conexao 000s confirmação de conexão efetuada com sucesso.
Características
Máximo ................................................... 180s
Mínimo .................................................... 020s

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 80 de108


Manual de Treinamento ST2030

Nível de Senha Mínimo...........................2


11.4.10.2. Falha de Comunicação ModBus

Tela 4.3.10.02.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Configuração de Falha de Comunicação


Modbus
Falha de
Comunicacao > Este subgrupo contém os parâmetros de configuração de falha de comunicação
modbus.
Para acessar os parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a
nova tela da opção.
Características
Nível de Senha Mínimo...........................2
Tela 4.3.10.02.01 Habilita Falha de Comunicação ModBus
Falha de Através desta máscara é possível habilitar a supervisão da comunicação serial.
Comunicacao LLL Quando este parâmetro estiver ligado e o controlador estiver em Modo de Operação
Remoto ou Automático, passa a ser considerado o comando de ativação de
supervisão de comunicação escrito pelo canal serial.
Este comando serial de supervisão de comunicação quando ligado, monitora o tempo
máximo de silêncio aceito na linha que é tempo de retardo para falha de comunicação.
Caso a linha fique em silêncio durante um tempo maior que o configurado no tempo de
retardo e o comando de supervisão esteja ligado, o controlador ativará a falha de
comunicação. Se o comando serial de supervisão estiver desligado, é ignorada a
supervisão de comunicação.

Esta falha é ativada quando o sinal de habilitação de supervisão de comunicação


estiver ligado. Veja comandos na tabela de supervisão.
Se o sinal se habilitação não estiver ligado, não será gerada a falha de comunicação
mesmo estando o parâmetro de falha de comunicação ligado.
Se o parâmetro de falha de comunicação estiver desligado será ignorado o sinal de
habilitação de supervisão de comunicação.

A falha de comunicação será supervisionada somente em Modo de Operação


Automático e Remoto dependendo da configuração deste parâmetro e do comando de
supervisão de comunicação ativo.
Características
Opções....................................................“LIG”, “DES”
Nível de Senha Mínimo...........................2
Código do Alarme ...................................81
Tela 4.3.10.02.02 Retardo de Falha de Comunicação ModBus
Retardo Falha Através desta máscara é possível configurar o tempo de retardo para ativação da falha
Comunicacao 000s de comunicação.
Características
Máximo ...................................................999s
Mínimo ....................................................001s
Nível de Senha Mínimo...........................2
Tela 4.3.10.02.03 Ação Caso Falha de Comunicação ModBus
Acao Caso Falha Através desta máscara é possível selecionar a ação que o controlador tomará no caso
Comunic. LLLLLL de falha de comunicação.
Esta ação só é considerada caso o controlador esteja com o modo de operação
selecionado diferente de manual.

AUTO Esta lógica só é valida se o parâmetro "Telecomando Modo


Remoto" não estiver configurado em nenhuma entrada digital.
Situação em que a USCA assume o controle em caso de falha
de comunicação cancelando todos os comandos remotos e
quando em modo de operação remoto assume o modo de
operação automático. No caso de outros modos de
comunicação o modo de operação permanece o mesmo.

MANTÉM Situação em que o controlador assume o estado do último


comando remoto mantendo o modo de operação.
Características
Opções....................................................“AUTO”, “MANTEM”.
Nível de Senha Mínimo...........................2
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 81 de108
Manual de Treinamento ST2030

11.4.11. Manutenção dos Históricos e Máximos / Mínimos

Tela 4.3.11.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Manutenção dos Históricos e Máx / Mín
Manutencao HST e Este subgrupo contém os comandos para manutenção do histórico de alarmes,
Max / Min > histórico de eventos e registros de máximos e mínimos das medições.
Para acessar o este grupo de parâmetros basta pressionar a tecla “ENTER/MENU”
que abrirá a nova tela contendo o primeiro parâmetro do grupo em questão.
Características
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.11.00.01 Apaga Histórico de Alarmes
Apaga Historico Através desta máscara é possível limpar todos os registros do histórico de alarmes.
de Alarmes LLL Toda vez que este grupo for acessado, os parâmetros assumem a configuração
padrão “NÃO” forçando o operador a selecionar a opção “SIM” e confirmar com a
tecla “ENTER/MENU” caso queira apagar os registros do histórico de alarmes.

SIM Selecionando está opção e confirmando com a tecla


“ENTER/MENU”, os registros de histórico de alarmes do
GMG serão apagados tendo o valor inicial igual a zero.

NÃO Cancelada a inicialização dos registros do histórico de


alarmes. O cancelamento pode ser feito confirmando esta
opção ou pressionando a tecla “RESET/ESC”. Este
cancelamento não terá efeito caso a opção “SIM” já tenha
sido confirmada.
Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo .......................... 2

Tela 4.3.11.00.02 Apaga Histórico de Eventos


Apaga Historico Através desta máscara é possível limpar todos os registros do histórico de eventos.
de Eventos LLL Toda vez que este grupo for acessado, os parâmetros assumem a configuração
padrão “NÃO” forçando o operador a selecionar a opção “NÃO” e confirmar com a
tecla “ENTER/MENU” caso queira apagar o histórico de eventos.

SIM Selecionando está opção e confirmando com a tecla


“ENTER/MENU”, os registros do histórico de eventos serão
apagados tendo o valor inicial igual a zero.

NÃO Cancelada a inicialização dos registros do histórico de


eventos. O cancelamento pode ser feito confirmando esta
opção ou pressionando a tecla “RESET/ESC”. Este
cancelamento não terá efeito caso a opção “SIM” já tenha
sido confirmada.
Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
Tela 4.3.11.00.03 Inicializa Medições Máximas e Mínimas
Inicializa Med. Através desta máscara é possível inicializar os registros de máximos e mínimos que
Max / Min LLL estão sendo verificados no momento. Os registros que estão congelados não sofrem
alteração.
Características
Opções ................................................... “SIM”, “NAO”
Nível de Senha Mínimo .......................... 2
11.4.12. Calibração das Entradas Analógicas

Tela 4.3.12.00.00 Menu de Acesso aos Parâmetros de Calibração das Entradas Analógicas
Calibracao das Através desta máscara é possível acessar as máscaras de configuração para
Entradas Anal. > calibração das entradas analógicas. Para acessar este grupo de parâmetros basta
pressionar a tecla “ENTER/MENU” que abrirá a nova tela contendo o primeiro
parâmetro do Grupo em questão.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 82 de108


Manual de Treinamento ST2030

Estando na tela de calibração, será mostrado o valor atual da medição em questão,


que será atualizado conforme a variação do valor medido. Ao ser pressionada a tecla
“ENTER/MENU” colocará o campo em edição, congelando o valor, desta forma,
perdendo a relação direta com o valor medido. Este valor congelado será utilizado
como referência inicial para edição do valor a ser calibrado.

Estando o campo em edição, o operador incrementará ou decrementará o valor


conforme a edição para campos numéricos. Ao confirmar a edição o controlador
calculará o fator de correção e aplicará o mesmo na relação de transformação do sinal
analógico medido. Após a confirmação será permitida a navegação para a próxima
tela ou tela anterior.

O ajuste máximo permitido será de +/-5,0% com referência ao fator de multiplicação


para correção do erro na medição que poderá refletir um erro máximo de 5% na
medição. Caso seja ultrapassado este percentual, o campo permanecerá em edição,
podendo ser cancelado pressionando a tecla “RESET/ESC”.

A calibração se dá com referência as tensões fase-neutro onde o fator de correção é


aplicado na etapa de aquisição de dado (conversor A/D) refletindo a calibração tanto
para fase-neutro quanto para fase-fase independente do tipo de ligação (estrela ou
triângulo) com exceção da configuração monofásica, onde a calibração é feita com
referência somente na fase a.

Poderá ser calibrado também através do canal serial onde será informado o índice que
se deseja calibrar e o valor a ser calibrado. Para maiores detalhes consulte o Anexo I
– Comunicação ModBus.

Características
Nível de Senha Mínimo...........................4
Calibra Tensão da REDE
Através desta máscara é possível calibrar a tensão de REDE e tem como objetivo
evitar medições erradas causadas por falta de precisão dos módulos de conexão e do
próprio controlador.

A calibração da tensão da REDE será efetuada em relação ao tipo de medição


selecionada no SETUP. As telas de calibração serão aplicadas da seguinte forma:

MONOFÁSICA BIFÁSICA TRIFÁSICA


BIFÁSICA TRIFÁSICA
TRIFÁSICA

Tela 4.3.12.00.01 Tela 4.3.12.00.02 Tela 4.3.12.00.03

Calibra Tensao Calibra Tensao Calibra Tensao


REDE Va 000V REDE Vb 000V REDE Vc 000V

Configuração MONOFÁSICA SEM NEUTRO a tela correspondente não será aplicada.


O SETUP do controlador validará esta situação não permitindo configuração.

Características
Máximo ...................................................999V
Mínimo ....................................................000V
Nível de Senha Mínimo...........................4
Calibra Tensão do GMG
Através desta máscara é possível calibrar a tensão do GMG e tem como objetivo
evitar medições erradas causadas por falta de precisão dos módulos de conexão e do
próprio controlador.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 83 de108


Manual de Treinamento ST2030

A calibração da tensão do GMG será efetuada em relação ao tipo de medição


selecionada no SETUP. As telas de calibração serão aplicadas da seguinte forma:

MONOFÁSICA BIFÁSICA TRIFÁSICA


BIFÁSICA TRIFÁSICA
TRIFÁSICA

Tela 4.3.12.00.04 Tela 4.3.12.00.05 Tela 4.3.12.00.06

Calibra Tensao Calibra Tensao Calibra Tensao


GMG Va 000V GMG Vb 000V GMG Vc 000V

Características
Máximo ................................................... 999V
Mínimo .................................................... 000V
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Calibra Corrente do GMG
Através desta máscara é possível calibrar a corrente do GMG e tem como objetivo
evitar medições erradas causadas por falta de precisão dos módulos de conexão e do
próprio controlador.

A calibração da corrente do GMG será efetuada em relação ao tipo de medição


selecionada no SETUP. As telas de calibração serão aplicadas da seguinte forma:

MONOFÁSICA BIFÁSICA TRIFÁSICA


BIFÁSICA TRIFÁSICA
TRIFÁSICA

Tela 4.3.12.00.07 Tela 4.3.12.00.08 Tela 4.3.12.00.09

Calibra Corrente Calibra Corrente Calibra Corrente


GMG Ia 0000A GMG Ib 0000A GMG Ic 0000A

Características
Máximo ................................................... 9999A
Mínimo .................................................... 0000A
Nível de Senha Mínimo .......................... 4
Tela 4.3.12.00.10 Calibra Temperatura da Água
Calibra Temp. Através desta máscara é possível calibrar a temperatura da água de arrefecimento e
Agua 000ºC tem como objetivo evitar medições erradas causadas por falta de precisão do sensor
PT100 e do próprio controlador.
Características
Máximo ................................................... 999ºC
Mínimo .................................................... 000ºC
Nível de Senha Mínimo .......................... 4

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 84 de108


Manual de Treinamento ST2030

VII. ESPECIFICAÇÃO DAS TELAS DE AJUDA DO CONTROLADOR S30GT

12. ESPECIFICAÇÃO DAS TELAS DE AJUDA


12.1. Formato Geral da Tela de Ajuda
Tela 5.0.00.00.01 Formato Geral da Tela de Ajuda
XX.XX.XX.XX.XX As telas de ajuda seguem o padrão conforme o exemplo ao lado. Contém a
AAAAAAAAAAAAAAAA informação do número da tela corrente que originou a chamada da ajuda e uma
descrição resumida.

Nesta especificação foi adotada a nomenclatura “X” para indicar que a respectiva tela
de ajuda é igual para todas as outras telas que pertencerem ao grupo de código em
questão.

Para acessar as telas de ajuda basta pressionar as teclas “SETA PARA CIMA” e
“SETA PARA BAIXO” simultaneamente. Será mostrada a tela de ajuda
correspondente e após 3 segundos retornará automaticamente para a tela anterior.
Caso seja necessário retornar antes do tempo basta pressionar a tecla “RESET/ESC”.

As mensagens do display deverão ser centradas na tela. Para as mensagens que não
tiverem o número de caracteres compatíveis para centralização na tela será adotado
um deslocamento de um caracter para a esquerda.
12.2. Telas de Ajuda

1.0.00.00.XX 1.1.00.00.XX 2.X.00.00.00 2.1.00.00.01


Telas Basicas Menus de Acessos Menu Medicoes Medicoes Gerais

2.2.XX.XX.XX 2.3.XX.XX.XX 2.4.XX.XX.XX 3.X.00.00.00


Medicoes de REDE Medicoes do GMG Medicoes Diagno. Menu ALM e EVT

3.1.XX.XX.XX 3.2.XX.XX.XX 3.3.XX.XX.XX 4.0.00.00.01


Lista ALM Ativos Lista HST ALM Lista HST EVT SETUP VER.X,XX

4.0.00.00.02 4.0.00.00.03 4.1.00.00.00 4.1.01.XX.XX


ID/Senha Usuario Desbloq. SETUP SETUP Menu REDE SETUP Nom. REDE

4.1.02.XX.XX 4.2.00.00.00 4.2.01.XX.XX 4.2.02.XX.XX


SETUP Prot. REDE SETUP Menu GMG SETUP Nom. GMG SETUP Prot.GMG

4.2.03.XX.XX 4.3.XX.XX.XX
SETUP do Motor SETUP USCA

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 85 de108


Manual de Treinamento ST2030

VIII. LÓGICAS DE FUNCIONAMENTO DO CONTROLADOR S30GT

13. LÓGICAS DE INICIALIZAÇÃO DO CONTROLADOR


O controlador deverá seguir alguns conceitos conforme os estados possíveis de seu
funcionamento.

Estados Possíveis do Controlador

NA ENERGIZAÇÃO Significa que o controlador foi alimentado e entrará em


funcionamento. É assumido o Modo de Operação Manual.
Suas saídas e entradas voltam em estado normal, nível 0
(zero) não copiando nenhum sinal anterior de funcionamento. É
registrado nos eventos a sinalização de controlador ligado.
Estando as proteções de tensão e freqüência de REDE
desligadas não será considerado o tempo de REDE
Estabilizando na energização.

Sem REDE e CRD aberta.

V/F 1
0
Conf. Retorno 1
REDE
0
Alarme 1
0
Status CRD 1
0

Cmd Abert. 1
CRD
0
Controlador 1
Ligado
0
REDE Normal 1
0
Falha de 1
Chave Lógica da Chave
0

Tempo de
Indefinição

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 86 de108


Manual de Treinamento ST2030

Sem REDE e CRD fechada

V/F 1
0
Conf. Retorno 1
REDE
0
Alarme 1
0
Status CRD 1
0

Cmd Abert. 1
CRD
0
Controlador 1
Ligado
0
REDE Normal 1
0
Falha de 1
Chave
0

Com REDE e CRD aberta.

V/F 1
0
Conf. Retorno 1
REDE
0
Alarme 1
0
Status CRD 1
0

Cmd Abert. 1
CRD
0
Controlador 1
Ligado
0
REDE Normal 1
0
Falha de 1
Chave
0

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 87 de108


Manual de Treinamento ST2030

Com REDE e CRD fechada.

V/F 1
0
Conf. Retorno 1
REDE
0
Alarme 1
0
Status CRD 1
0

Cmd Abert. 1
CRD
0
Controlador 1
Ligado
0
REDE Normal 1
0
Falha de 1
Chave
0

RESET Significa que ocorreu alguma inconsistência em software


(watchdog) e/ou hardware provocando um reset do controlador.
Este reset forçará o controlador a inicializar, voltando em Modo
de Operação Manual sinalizando o alarme de defeito no
controlador. Suas saídas e entradas voltam em estado normal,
nível 0 (zero) não copiando nenhum sinal anterior de
funcionamento.

OPERAÇÃO Significa que o controlador já foi alimentado e já está em


funcionamento. Neste momento o sinal de funcionamento do
motor poderá ser copiado mesmo estando o controlador sem o
comando de funcionamento. Sempre que existir tensão e
freqüência na entrada de medição do controlador referente ao
GMG e os níveis de tensão e freqüência estiverem dentro da
faixa de limite 2 configurado nas proteções, será considerado
pelo controlador que o GMG entrou em funcionamento. Neste
momento o controlador assume que foi executada uma partida
do GMG e passa a valer a lógica de partida definida no
controlador. Também é copiado o comando da chaves de
REDE e GMG.

14. Lógicas de Modo de Operação do Controlador ST2030


Para descrever as lógicas de funcionamento para cada Modo de Operação, as
condições foram caracterizadas em dois tipos, que são sempre utilizados antes de
cada condição.

...e Significa que a condição é essencial para satisfazer a


operação.

15. ...ou Significa que a operação se satisfaz quando uma ou outra condição deste
tipo é atendida.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 88 de108


Manual de Treinamento ST2030

LÓGICAS DE MODO DE OPERAÇÃO DO CONTROLADOR S30GT


Para descrever as lógicas de funcionamento para cada Modo de Operação, as
condições foram caracterizadas em dois tipos, que são sempre utilizados antes de
cada condição.

...e Significa que a condição é essencial para satisfazer a


operação.
...ou Significa que a operação se satisfaz quando uma ou outra
condição deste tipo é atendida.
15.1. Relacionamento entre os Modos de Operação

Ligado

TECLADO, SETUP

TECLADO, SETUP Manual


Automático
SETUP
Se GMG Parado
SETUP
TECLADO, SERIAL, Se GMG Parado
SETUP, SETUP - Ação em TECLADO,
SERIAL ou Caso de Falha de SETUP, Confirm.
ENTRADA Comunicação em Retardo REDE
DIGITAL AUTO e Falha ou Normal, Confirm.
ENTRADA DIGITAL, Retardo Emerg.
Remoto de REDE

TECLADO, SETUP
Teste
SETUP

SETUP

TECLADO

15.2. Modo de Operação Manual

Quando selecionado para o Modo de Operação Manual, o sistema passa a ser


comandado pelo operador que torna-se responsável pelo acionamento do GMG e
comando das chaves de conexão.
15.2.1. Seleção do Modo de Operação Manual
O controlador é passado para o Modo de Operação Manual nas seguintes operações:

...ou Ao ligar o controlador.


...ou Na atuação da tecla “MANUAL”;
...ou Na chamada do modo de operação Manual pelo SETUP do controlador ( ver
parâmetros da USCA, Seleção do Modo de Operação);

15.2.2. Comando de Abre/Fecha da Chave de Grupo - CGR


A chave do GMG pode executar as operações de fechamento e abertura.
FECHAMENTO
O fechamento ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...e Modo de Operação Manual ativo;


...e GMG em funcionamento;
...e Sem comando de fechamento da CRD;
...e Chave CRD aberta sinalizada pelo LED “CRD” desligado;
...e Sem alarme de “CGR Não Fechou”;
...e Sem alarme de “CRD Não Abriu”;
...e Comando de fechamento de CGR acionado pela tecla “ABRIR/FECHAR -
CGR” pressionada.

Após condições acima atendidas é ligada a saída com a função Comando de


Fechamento CGR que através dessa saída é comandado o fechamento da mesma.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 89 de108


Manual de Treinamento ST2030

Quando a CGR fechar é sinalizado para o controlador o STATUS da chave. Se esse


STATUS não confirmar o fechamento durante o tempo de confirmação configurado no
SETUP, será acionado o alarme CGR Não Fechou.
Características
Código do Alarme ................................... 26

ABERTURA
A abertura ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...ou Falha ativa de classe nível 2, 3 e/ou 4;


...ou GMG em Funcionamento e tecla “PARTIR/PARAR - GMG” pressionada
quando em Modo de Operação Manual ativo;
...e Sem alarme de “CGR Não Abriu”;
...ou Comando de abertura de CGR acionado pela Tecla “ABRIR/FECHAR - CGR”
pressionada;
...ou Comando de parada do GMG.

Após as condições atendidas é desligada a saída com a função Comando de


Fechamento CGR que através dessa saída é comandada a abertura da mesma.

Quando a CGR abrir é sinalizado para o controlador o STATUS da chave e se esse


STATUS não confirmar a abertura durante o tempo de confirmação configurado no
SETUP, será acionado o alarme CGR Não Abriu.
Características
Código do Alarme ................................... 25

Quando em Modo de Operação Manual o acionamento da tecla “ABRIR/FECHAR -


CGR” é com lógica flip-flop. O comando de abertura é resetado pelo comando de
fechamento e vice-versa, não importando o STATUS de CGR.
15.2.3. Comando de Abre/Fecha da Chave da REDE - CRD
A chave da REDE pode executar as operações de fechamento e abertura.
FECHAMENTO
O fechamento ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...e Modo de Operação Manual ativo;


...e REDE Normal;
...e Sem comando de fechamento da CGR;
...e Chave CGR aberta sinalizada pelo LED “CGR” desligado;
...e Sem alarme de “CRD Não Fechou”;
...e Sem alarme de “CGR Não Abriu”;
...e Comando de fechamento de CRD acionado pela tecla “ABRIR/FECHAR -
CRD” pressionada.

Após condições atendidas é desligada a saída com a função Comando de Abertura


CRD que através dessa saída é comandado o fechamento da mesma. Quando a CRD
fechar é sinalizado para o controlador o STATUS da chave. Se esse STATUS não
confirmar o fechamento durante o tempo de confirmação configurado no SETUP, será
acionado o alarme CRD Não Fechou.
Características
Código do Alarme ................................... 65

ABERTURA
A abertura ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...e Sem alarme de “CRD Não Abriu”;


...ou Comando de abertura de CRD acionado pela tecla “ABRIR/FECHAR - CRD”
pressionada quando em Modo de Operação Manual ativo;
...ou REDE Anormal.

Após as condições atendidas é ligada a saída com a função Comando de Abertura


CRD que através dessa saída é comandada a abertura da mesma.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 90 de108


Manual de Treinamento ST2030

Quando a CRD abrir é sinalizado para o controlador o STATUS da chave e se esse


STATUS não confirmar a abertura durante o tempo de confirmação configurado no
SETUP, será acionado o alarme CRD Não Abriu.
Características
Código do Alarme ...................................64

Quando em Modo de Operação Manual o acionamento da tecla “ABRIR/FECHAR -


CRD” é com lógica flip-flop. O comando de abertura é resetado pelo comando de
fechamento e vice-versa, não importando o STATUS de CRD.

15.2.4. Ativação do GMG


A ativação do GMG pode executar as operações de partida e parada.
PARTIDA
A partida ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...e Modo de Operação Manual ativo;


...e GMG parado sinalizado pelo LED “GMG” Desligado;
...e Nenhuma falha nível 2, 3 e/ou 4 ativa ou reconhecida;
...e Comando de partida acionado pela tecla “PARTIR/PARAR - GMG”
pressionada;
...e GMG não em tempo de motor parando;
...e Sem sinal na entrada com a função Parada Remota;
...e Com sinal na entrada com a função Pressão do Óleo.

Após as condições atendidas é comandada a partida do GMG. O procedimento de


partida será executado conforme configurado no SETUP de motor.
PARADA
A parada ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...ou Quando em Modo de Operação Manual, Falha nível 3 e/ou 4 ativa ou


reconhecida e confirmação da abertura de CGR;
...ou Quando em Modo de Operação Manual, Falha nível 3 e/ou 4 ativa ou
reconhecida, sem confirmação da abertura de CGR e ao término do tempo de
retorno do sinal de CGR;
...ou Comando de parada acionado pela tecla “PARTIR/PARAR - GMG”
pressionada quando em Modo de Operação Manual ativo e sem alarme CGR
não Abriu;
...ou Com sinal na entrada com a função Parada Remota e já decorrido o tempo de
retardo.

Após as condições atendidas é comandada a parada do GMG. O procedimento de


parada será executado conforme configurado no SETUP de motor.

Quando em Modo de Operação Manual o acionamento da tecla “PARTIR/PARAR -


GMG” é com lógica flip-flop. O comando de partida é resetado pelo comando de
parada, não importando o STATUS de GMG.
15.3. Modo de Operação Automático

Quando selecionado para o Modo de Operação Automático, o sistema passa a ser


comandado e supervisionado pelo controlador S30GT podendo ocorrer as operações
de Emergência – Falha de REDE, Retorno da REDE e Comando Externo de Partida
do GMG.
15.3.1. Seleção do Modo de Operação Automático
...se O parâmetro "Telecomando Modo Remoto" não estiver configurado em
nenhuma entrada digital. O controlador é passado para o Modo de Operação
Automático nas seguintes condições:
...ou Na atuação da tecla “AUTO”.
...ou Na chamada do modo de operação Automático pelo SETUP do controlador (
ver parâmetros da USCA, Seleção do Modo de Operação);
...ou Retirada do comando “Chamada do Modo de Operação Remoto” via canal
serial;
...ou Alarme “Falha de Comunicação Modbus” ativo ou reconhecido se SETUP
“Ação Caso Falha de Comunicação Modbus” em AUTO.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 91 de108


Manual de Treinamento ST2030

...ou Quando em Modo de Operação Teste e houver confirmado o Retardo de


Emergência da REDE.

...se Estiver com o parâmetro "Telecomando Modo Remoto" configurado em


alguma entrada digital. O controlador é passado para o Modo de Operação
Automático nas seguintes condições:
...ou Retirado o sinal da entrada digital configurada para "Telecomando Modo
Remoto".
...ou Quando em Modo de Operação Teste e houver confirmado o Retardo de
Emergência da REDE e lógica do "Telecomando Modo Remoto" em "0".

15.3.2. Emergência – Falha de REDE


A Emergência – Falha REDE atua quando as seguintes condições forem atendidas:

...e Modo de Operação Automático ativo;


...e SETUP “Operação em Emergência” habilitado;
...e Retardo para Emergência da REDE concluído;
...e Sem falha nível 2, 3 e/ou 4 ativa ou reconhecida.

Após as condições acima atendidas é iniciada a seqüência abaixo.

- Comanda a partida do GMG;


- Confirmação de chave de REDE – CRD aberta;
- Confirmação de tempo de comutação;
- Comanda o fechamento da chave de Grupo – CGR;
- Confirmação de chave de Grupo – CGR fechada.
15.3.3. Retorno da REDE
A operação de Retorno da REDE é iniciada quando as condições abaixo forem
atendidas.

...e Modo de Operação Automático ativo;


...e Sinal de “REDE Normal” acionado.

Após as condições acima atendidas é iniciado o processo de transferência de carga


do GMG para a REDE.

- Comando de abertura da chave de Grupo – CGR;


- Confirmação de chave de Grupo – CGR aberta;
- Confirmação de tempo de comutação;
- Comanda o fechamento da chave de REDE – CRD;
- Confirmação de chave de REDE – CRD fechada;
- Resfriamento do GMG;
- Comando de parada do GMG;
- Parada do GMG.
15.3.4. Comando Externo de Partida do GMG
O comando externo de partida do GMG pode comandar partida e parada do GMG,
bem como a comutação das chaves CRD e CGR.

Quando for ativado o comando “Partida do GMG em AUTO Assumindo Carga”, e o


controlador for passado para um modo de operação diferente de automático, este
comando deverá ser desligado, portanto, quando o controlador for passado para Modo
de Operação Automático novamente, será necessário uma nova escrita para ativar
este comando.

PARTIDA
A partida ocorre se as condições abaixo forem atendidas:

...e Modo de Operação Automático ativo;


...e Nenhuma falha nível 2, 3 e/ou 4 ativa ou reconhecida;
...ou Sinal em alguma Entrada Configurável quando esta estiver configurada para
Partida Remota;
...ou Comando “Partida do GMG em AUTO Assumindo Carga” via comunicação
serial;
...e GMG não em tempo de motor parando;
...e Com sinal na entrada com a função Pressão do Óleo;
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 92 de108
Manual de Treinamento ST2030

...e Sem sinal na entrada com a função Parada Remota.

Após as condições atendidas, é comandado a partida do GMG seguido da


transferência de carga da REDE para o GMG.

- Comanda a partida do GMG;


- Comanda abertura de chave de REDE – CRD ;
- Confirmação de chave de REDE – CRD aberta;
- Confirmação de tempo de comutação;
- Comanda o fechamento da chave de Grupo – CGR;
- Confirmação de chave de Grupo – CGR fechada.

PARADA
A parada ocorre se alguma das seguintes condições forem atendidas:

...ou Falha nível 3 e/ou 4 ativa ou reconhecida e falha 2 respeitando o tempo de


resfriamento;
...ou Sem sinal em alguma Entrada Configurável quando configurada para Partida
Remota quando em Modo de Operação Automático;
...ou Retirada do comando serial “Partida do GMG em AUTO Assumindo Carga”
quando em Modo de Operação Automático e sem alarme CGR não Abriu;
...ou Com sinal na entrada com a função Parada Remota e já decorrido o tempo de
retardo.

Segue a seqüência de operações, caso a parada não seja por falha nível 3 e/ou 4 ou
por haver sinal na entrada com a função Parada Remota.

- Comando de abertura da chave de grupo – CGR;


- Confirmação de chave de grupo – CGR aberta;
- Confirmação de tempo de comutação;
- Comanda o fechamento da chave de REDE – CRD;
- Confirmação de chave de REDE – CRD fechada;
- Resfriamento do GMG se a parada for causada por falha nível 2;
- Comando de parada do GMG;
- Parada do GMG.
15.4. Modo de Operação Remoto

Quando selecionado para o Modo de Operação Remoto, o sistema passa a ser


supervisionado e comandado via supervisório ou comandado via entrada digital
telecomandada através de um operador que executará comandos de partida/parada,
abertura/fechamento de chaves de REDE e Grupo, Quitação de falhas e ativação de
supervisão de comunicação quando habilitado no SETUP de comunicação.

No controlador enquanto estiver em Modo de Operação Remoto as teclas de comando


estarão desabilitadas.

Quando o controlador estiver em Modo de Operação Remoto, este, estará operando


conforme os acionamentos dos comandos via canal serial ou entrada digital
telecomandada.

Caso seja habilitado o Modo Remoto pela entrada digital e pela Serial no mesmo
momento, a entrada digital "Telecomando Modo Remoto" tem prioridade sobre os
comandos do "Modo de Operação Remoto via Serial", exceto o comando de quitação
de falhas, neste caso ambas tem a mesma prioridade.
15.4.1. Seleção do Modo de Operação Remoto
...se O parâmetro "Telecomando Modo Remoto" não estiver configurado em
nenhuma entrada digital. O Controlador é passado para o Modo de Operação
Remoto nas seguintes operações:
...ou Na chamada do Modo de Operação Remoto pelo SETUP do controlador ( ver
parâmetros da USCA, Seleção do Modo de Operação);
...ou Através do comando serial “Chamada do Modo de Operação Remoto” quando
o controlador estiver em Modo de Operação Automático.

...se Se estiver com o parâmetro "Telecomando Modo Remoto" configurado em


alguma entrada digital. O Controlador é passado para o Modo de Operação
Remoto nas seguintes operações:
Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 93 de108
Manual de Treinamento ST2030

...ou Através da entrada Digital "Telecomando Modo Remoto" quando o controlador


estiver em Modo de Operação Automático.
...ou Se em manual ou teste e lógica " Telecomando Modo Remoto" em "1", na
chamada do Modo de Operação Remoto pelo SETUP do controlador ( ver
parâmetros da USCA, Seleção do Modo de Operação);

...se O parâmetro "Telecomando Modo Remoto" não estiver configurado em


nenhuma entrada digital., o Controlador é retirado do Modo de Operação
Remoto nas seguintes operações:
...ou Na atuação da tecla “MANUAL”;
...ou Na atuação da tecla “AUTO”;
...ou Na retirada do comando “Chamada do Modo de Operação Remoto” via canal
serial sendo selecionado automaticamente o Modo de Operação Automático;
...ou Alarme “Falha de Comunicação Modbus” ativo ou reconhecido se SETUP
“Ação Caso Falha de Comunicação Modbus” em AUTO sendo selecionado
automaticamente o Modo de Operação Automático.

...se O controlador for colocado em modo Remoto através da Entrada Digital "
Telecomando Modo Remoto", o Controlador é retirado do Modo de Operação
Remoto somente nas seguintes operações:
...ou Na retirada do sinal de “Telecomando Modo Remoto” via Entrada Digital,
sendo selecionado automaticamente o Modo de Operação Automático;
...ou Pressionando a tecla manual no frontal do controlador.

O comando “Chamada do Modo de Operação Remoto” somente pode ser acionado


em Modo de Operação Remoto ou Automático.

Os telecomandos só influenciam na lógica do controlador se a entrada de


"Telecomando Modo Remoto" estiver ativa, exceto a entrada de quitação de falha, ver
(Comando de Reconhecimento e Quitação de Falhas).
15.4.2. Lógica de LOGIN
Para que seja efetuado o LOGIN em Modo de Operação Remoto é necessário enviar
para o controlador as informações de senha e ID. No momento que a senha e o ID
forem validados, o controlador fornecerá uma contra-senha que será utilizada para o
cálculo para a obtenção da senha. Ver lógicas de cálculo de senhas e de senhas
prefixadas em SETUP.

Para que as senhas possam ser calculadas pelo operador, são fornecidos os
seguintes dados:

Tabela de Leitura Modbus - Medição Tempo de Funcionamento do GMG,


Número de Partidas do GMG e Hora
Próxima Manutenção do GMG;

Tabela de Leitura Modbus - Controle Contra Senha para Acesso a Escrita e


Versão do Controlador.

Na entrada desta senha pelo usuário, é realizado o LOGIN remoto e diferentemente


do LOGIN em outros modos de operação, o mesmo nunca espirará por tempo de
inatividade.
Sempre que for efetuado um LOGIN remoto, o mesmo é fechado quando o controlador
for passado para um modo de operação diferente de remoto.

Em caso de erro de ID e/ou senha de operador, o controlador retorna bits da Tabela


de Leitura Modbus - Controle, “ID de Usuário Inválido” e/ou “Senha Inválida”.

Independentemente do modo de operação e da origem do LOGIN quando este estiver


aberto, o mesmo deverá ser fechado quando for informada uma matrícula e um ID,
estando estes corretos ou não.

Quando o controlador estiver em Modo de Operação Remoto, não deve ser permitido
efetuar o LOGIN local, desta forma permitindo apenas que o usuário acesse a tela de
ID e senhas, porém não podendo efetuar a edição. A edição só será liberada quando o
usuário passar o controlador para algum modo de operação diferente de remoto.

Quando o LOGIN for aberto localmente e o usuário estiver no SETUP e for passado
para Modo de Operação Remoto, o controlador deverá forçar a navegação para fora

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 94 de108


Manual de Treinamento ST2030

do SETUP mostrando a tela básica com a linha AUTO-SCROLL. Se algum parâmetro


estiver em edição, o mesmo deverá ser cancelado.

15.4.3. Comando de Abre/Fecha da chave de grupo - CGR


A chave do GMG pode executar as operações de fechamento e abertura.
FECHAMENTO
O fechamento ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...e Modo de Operação Remoto ativo;


...e GMG em funcionamento;
...e Sem comando de fechamento da CRD;
...e Chave CRD aberta sinalizada pelo LED “CRD” desligado;
...e Sem alarme de “CGR Não Fechou”;
...e Sem alarme de “CRD Não Abriu”;
...ou Comando de fechamento de CGR acionado pelo comando “Acionamento de
CGR” via canal serial.
...ou Comando de fechamento de CGR acionado pela entrada Digital de
"telecomando Abre/Fecha CGR.

Após condições acima atendidas é ligada a saída com a função Comando de


Fechamento CGR, que através dessa saída é comandado o fechamento da mesma.

Quando a CGR fechar é sinalizado para o controlador o STATUS da chave. Se esse


STATUS não confirmar o fechamento durante o tempo de confirmação configurado no
SETUP, será acionado o alarme CGR Não Fechou.
Características
Código do Alarme ...................................26

ABERTURA
...se Comando Remoto ativo via Comunicação Serial
A abertura ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...ou Falha ativa de classe nível 2, 3 e/ou 4;


...ou GMG em Funcionamento e acionado o comando parada do GMG através do
comando “Partida GMG” via canal serial quando Modo de Operação Remoto
ativo;
...e Sem alarme de “CGR Não Abriu”;
...ou Comando de abertura de CGR acionado pelo comando “Acionamento CGR”
via canal serial;
...ou Comando de parada do GMG.

...se Comando Remoto ativo via Telecomando


A abertura ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...ou Falha ativa de classe nível 2, 3 e/ou 4;


...e Sem alarme de “CGR Não Abriu”;
...ou Comando de abertura de CGR acionado pelo "Telecomando Abre/Fecha CGR”
via Entrada Digital;

Após as condições atendidas é desligada a saída com a função Comando de


Fechamento CGR que através dessa saída é comandada a abertura da mesma.

Quando a CGR abrir é sinalizado para o controlador o STATUS da chave e se esse


STATUS não confirmar a abertura durante o tempo de confirmação configurado no
SETUP, será acionado o alarme CGR Não Abriu.
Características
Código do Alarme ...................................25

O comando da CGR somente pode ser acionado em Modo de Operação Remoto.

Lógica via Serial:


Quando em Modo de Operação Remoto o comando “Acionamento CGR” é com lógica
flip-flop. O comando de abertura é resetado pelo comando de fechamento e vice-
versa, não importando o STATUS de CGR.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 95 de108


Manual de Treinamento ST2030

Não será necessário efetuar a escrita do valor 0 (zero) no bit de comando para
efetuar um novo comando pois o controlador, após receber o comando,
automaticamente irá resetar o bit de comando, desta forma, permitindo um novo
comando.

Lógica via Telecomando:


Quando em Modo de Operação Remoto o Telecomando da CGR é feito por nível. De
acordo com a configuração da entrada digital.
15.4.4. Comando de Abre/Fecha da chave da REDE - CRD
A chave da REDE pode executar as operações de fechamento e abertura.
FECHAMENTO
O fechamento ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...e Modo de Operação Remoto ativo;


...e REDE Normal;
...e Sem comando de fechamento da CGR;
...e Chave CGR aberta sinalizada pelo LED “CGR” desligado;
...e Sem alarme de “CRD Não Fechou”;
...e Sem alarme de “CGR Não Abriu”;
...ou Comando de fechamento de CRD acionado pelo comando “Acionamento
CRD” via canal serial.
...ou Comando de fechamento de CRD acionado pela entrada Digital de
"telecomando Abre/Fecha CRD.

Após condições atendidas é desligada a saída com a função Comando de Abertura


CRD que através dessa saída é comandado o fechamento da mesma. Quando a CRD
fechar é sinalizado para o controlador o STATUS da chave. Se esse STATUS não
confirmar o fechamento durante o tempo de confirmação configurado no SETUP, será
acionado o alarme CRD Não Fechou.
Características
Código do Alarme ................................... 65
ABERTURA
A abertura ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...e Sem alarme de “CRD Não Abriu”;


...ou Comando de abertura de CRD acionado pelo comando “Acionamento CRD”
via canal serial quando em Modo de Operação Remoto ativo;
...ou Comando de abertura de CRD acionado pela entrada Digital de "telecomando
Abre/Fecha CRD.
...ou REDE Anormal.

Após as condições atendidas é ligada a saída com a função Comando de Abertura


CRD que através dessa saída é comandada a abertura da mesma. Quando a CRD
abrir é sinalizado para o controlador o STATUS da chave e se esse STATUS não
confirmar a abertura durante o tempo de confirmação configurado no SETUP, será
acionado o alarme CRD Não Abriu.
Características
Código do Alarme ................................... 64

O comando da CRD somente pode ser acionado em Modo de Operação Remoto.

Lógica via Serial:


Quando em Modo de Operação Remoto o acionamento do comando “Acionamento
CRD” é com lógica flip-flop. O comando de abertura é resetado pelo comando de
fechamento e vice-versa, não importando o STATUS de CRD.

Não será necessário efetuar a escrita do valor 0 (zero) no bit de comando para
efetuar um novo comando pois o controlador após receber o comando
automaticamente irá resetar o bit de comando permitindo um novo comando.

Lógica via Telecomando:


Quando em Modo de Operação Remoto o Telecomando da CRD é feito por nível. De
acordo com a configuração da entrada digital.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 96 de108


Manual de Treinamento ST2030

15.4.5. Ativação do GMG


A ativação do GMG pode executar as operações de partida e parada.
PARTIDA
A partida ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...e Modo de Operação Remoto ativo;


...e GMG parado sinalizado pelo LED “GMG” Desligado;
...e Nenhuma falha nível 2, 3 e/ou 4 ativa ou reconhecida;
...ou Comando de partida acionado pelo comando “Partida do GMG” via canal
serial;
...ou Comando de partida acionado pelo "Telecomando Partida/Parada" via entrada
digital;
...e GMG não em tempo de motor parando;
...e Com sinal na entrada com função Pressão do Óleo;
...e Sem sinal na entrada com a função Parada Remota.

Após as condições atendidas é comandada a partida do GMG. O procedimento de


partida será executado conforme configurado no SETUP de motor.

PARADA
A parada ocorre se as seguintes condições forem atendidas:

...ou Quando em Modo de Operação Remoto, Falha nível 3 e/ou 4 ativa ou


reconhecida e confirmação da abertura de CGR;
...ou Quando em Modo de Operação Remoto, Falha nível 3 e/ou 4 ativa ou
reconhecida, sem confirmação da abertura de CGR e ao término do tempo de
retorno do sinal de CGR;
...ou Comando de parada acionado pelo comando “Partida do GMG” via canal serial
quando em Modo de Operação Remoto ativo e sem alarme CGR não Abriu;
...ou Comando de parada acionado pelo "Telecomando Partida/Parada" quando em
Modo de Operação Remoto ativo e sem alarme CGR não Abriu;
...ou Com sinal na entrada com a função Parada Remota e já decorrido o tempo de
retardo.

Após as condições atendidas é comandada a parada do GMG. O procedimento de


parada será executado conforme configurado no SETUP de motor.

O comando “Partida do GMG” somente pode ser acionado em Modo de Operação


Remoto.

Lógica via serial:


Quando em Modo de Operação Remoto o acionamento do comando “Partida do
GMG” via canal serial é com lógica flip-flop. O comando de partida é resetado pelo
comando de parada, não importando o STATUS do GMG.

Não será necessário efetuar a escrita do valor 0 (zero) no bit de comando para
efetuar um novo comando pois o controlador após receber o comando
automaticamente irá resetar o bit de comando permitindo um novo comando.

Lógica via Telecomando:


Quando em Modo de Operação Remoto o Telecomando Partida/Parada é feito por
nível. De acordo com a configuração da entrada digital.

15.4.6. Comando de Reconhecimento e Quitação de Falhas


Lógica via Serial:
O comando de reconhecimento e quitação será acionado com o comando
“Reconhecimento dos Alarmes e Quitação Seletiva” via canal serial.

A quitação de falhas é executada assim que for escrito 1 (um) no bit de comando
respectivo. Em Modo de Operação Remoto haverá reconhecimento e quitação dos
alarmes com classe de falha 1, 2 e 3. Os alarmes com classe de falha 4 podem ou não
ser quitados via canal serial dependendo se este procedimento está ou não habilitado
no SETUP (ver parâmetro Habilita Quitação Remota dos Alarmes com Classe de
Falha 4 no SETUP da Porta Serial RS232).

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 97 de108


Manual de Treinamento ST2030

Nos demais Modos de Operação, haverá reconhecimento e quitação dos alarmes com
classe de falha 1 e somente reconhecimento para os alarmes com classe de falha 2, 3
e 4.

Não será necessário efetuar a escrita do valor 0 (zero) no bit de comando para
efetuar um novo comando pois o controlador após receber o comando
automaticamente irá resetar o bit de comando permitindo um novo comando.

Lógica via Telecomando:


Quando em Modo de Operação Remoto o Telecomando Quitação de Falha é feito por
nível. De acordo com a configuração da entrada digital.
Em Modo de Operação Remoto haverá reconhecimento e quitação dos alarmes com
classe de falha 1, 2 e 3. Os alarmes com classe de falha 4 não podem ser quitados via
Telecomando.

Nos demais Modos de Operação, haverá reconhecimento e quitação dos alarmes com
classe de falha 1 e somente reconhecimento para os alarmes com classe de falha 2, 3
e 4.

A quitação das falhas deve ser feito com um pulso na entrada digital configurada como
"Telecomando Quitação de Falha" se manter o sinal fixo na entrada não quitará novos
alarmes.
15.4.7. Comando de Supervisão de Comunicação
O comando “Habilita Supervisão de Comunicação” via canal serial habilita ao
controlador a supervisão de comunicação através da atividade da linha. Esta
supervisão depende diretamente da configuração feita no SETUP de Comunicação.

A situação atual de supervisão de comunicação pode ser monitorada se está ativa ou


não pela sinalização existente na Tabela de Eventos “Sup. Comunicação”.

Por o comando “Habilita Supervisão de Comunicação” via canal serial possuir lógica
flip-flop, o evento “Sup. Comunicação” é ativado com o primeiro pulso, desligado com
o segundo e assim sucessivamente. Este evento reflete na Tabela de Leitura Modbus
- Eventos“ Supervisão de Comunicação Ativa”.

O comando “Habilita Supervisão de Comunicação” somente pode ser acionado em


Modo de Operação Remoto ou Automático.

Não será necessário efetuar a escrita do valor 0 (zero) no bit de comando para
efetuar um novo comando pois o controlador após receber o comando
automaticamente irá resetar o bit de comando permitindo um novo comando.

Veja também a lógica de atuação de falha de comunicação em SETUP, parâmetros da


USCA, Falha de Comunicação.
15.4.8. Configuração dos Parâmetros do SETUP
O SETUP do controlador pode ser configurado pelo canal serial seguindo a mesma
filosofia de ID e senhas para acesso local ao SETUP ( ver SETUP, Acesso ao SETUP
). O SETUP da Tabela Modbus é dividido em dois grupos, CLIENTE e STEMAC.

Para o grupo CLIENTE a senha para acesso é definida como senha de nível 5. Esta
senha permite somente acesso a leitura e a escrita na área deste grupo.

Para o grupo STEMAC as senhas para acesso são definidas como senhas de níveis
menores que 5. Estas senhas permitem acesso a leitura e a escrita nos dois grupos.

Para se obter um acesso ao SETUP via canal serial as seguintes condições devem
ser satisfeitas:

...e Modo de Operação Remoto ativo;


...ou Informação de ID e senha válidos para acesso nível 5;
...ou Informação de ID e senha válidos para acessos de níveis menores que 5;
...e Informação de senha de Desbloqueio do S30GT se acesso nível menor que 5
e SETUP bloqueado ( ver SETUP, Acesso ao SETUP ).

Em caso de erro de ID e/ou senha de operador, o controlador retorna bits da Tabela


de Leitura Modbus - Controle, “ID de Usuário Inválido” e/ou “Senha Inválida”.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 98 de108


Manual de Treinamento ST2030

Quando o LOGIN é aberto em REMOTO o mesmo deverá ser fechado quando sair de
REMOTO.

Para que as senhas possam ser calculadas pelo operador, são fornecidos os
seguintes dados:

Tabela de Leitura Modbus - Medição Tempo de Funcionamento do GMG,


Número de Partidas do GMG e Hora
Próxima Manutenção do GMG;

Tabela de Leitura Modbus - Controle Contra Senha para Acesso a Escrita e


Versão do Controlador.

15.4.9. Comandos de Manutenção e Acesso aos Históricos


Quando em Modo de Operação Remoto as áreas de Histórico de Alarmes e Histórico
de Eventos poderão ser apagadas respectivamente pelos seguintes comandos na
Tabela de Escrita ModBus - Comandos STEMAC:

- Apaga Histórico de Alarmes;


- Apaga Histórico de Eventos.

Em qualquer Modo de Operação é possível acessar o Histórico de Alarmes e Histórico


de Eventos via canal serial. O operador deve informar ao controlador o índice que
identifica a posição do alarme ou evento em seu respectivo histórico através do
comando “Posição de Leitura Histórico de Alarmes” ou “Posição de Leitura Histórico
de Eventos” na Tabela de Escrita Modbus Comandos CLIENTE. Para Histórico de
Alarmes o índice pode variar de 1 a 100 e para Histórico de Eventos de 1 a 50.

Indicada a posição no Histórico de Alarmes ou Histórico de Eventos, o controlador


retorna os dados código do alarme ou evento e tempo de funcionamento do GMG no
alarme ou evento na Tabela de Leitura Modbus - Histórico de Alarmes ou na Tabela
de Leitura Modbus - Eventos respectivamente.

Histórico de Alarmes “Código do Alarme”, “Alarme Tempo (low)” e “Alarme Tempo


(high)”.

Histórico de Eventos “Código do Evento”, “Evento Tempo (low)” e “Evento Tempo


(high)”.

Centro de Treinamento Stemac Manual de Treinamento ST2030 Rev 3 Página 99 de108


Manual de Treinamento ST2030

16. LÓGICA DOS ALARMES INTERNOS


16.1. Alarmes do Sistema
Emergência Acionada
Operação:
A retirada do sinal na entrada digital de Emergência Acionada, dá origem ao
procedimento abaixo, sem nenhuma influência nas operações de REDE, desta forma,
permanecendo normais os comandos e supervisões conforme o modo de operação.

- Classe de falha – F4 (Descrita na Seção Alarmes).

O sinal emergência acionada sinalizará “Emergência” em:

- Alarmes do GMG na seção de Alarmes e Eventos;


- Tabela de Leitura Modbus - Alarmes no Anexo I.

Toda vez que a entrada selecionada for ativada deverá ser registrada no Histórico de
Alarmes.
Características
Código do Alarme ................................... 22
Falha na Parada
Operação:
Após retirado o comando de funcionamento e decorrido o tempo de parada do GMG,
se o sinal de pressão do óleo não for para zero ou a freqüência for maior do que zero
(0Hz) será executado o seguinte procedimento:

- Classe de falha – F3 (Descrita na Seção Alarmes).

Toda vez que a entrada selecionada for ativada deverá ser registrada no Histórico de
Alarmes.
Características
Código do Alarme ................................... 24
Falha no Sinal de Pressão
Operação:
A Falha no Sinal de Pressão atua sempre que for retirado o sinal digital de pressão do
óleo (pressão normal) e estiver ativo o sinal “GMG Parado” e for concluído o tempo de
retardo fixo de 1 minuto após as condições anteriores atendidas.
A contagem do tempo de retardo será reiniciada sempre que for colocado o sinal
digital de pressão de óleo (sem pressão) e o sinal “GMG Parado” estiver desligado.

- Classe de falha – F3 (Descrita na Seção Alarmes).

Toda vez que o alarme for ativado será registr