Você está na página 1de 10

Mentha piperita

Dada a importância que vem assumindo essas formas terapêuticas, o


governo norte-americano estabeleceu um Centro Nacional para Medicina
Complementar e Alternativa (www.nccam.nih.gov) com o objetivo de
auxiliar o público quanto às escolhas de tratamento complementar e
alternativo. É bom recordar que, como muitos tratamentos de medicina
alternativa e complementar não foram testados por meio de ensaios clínicos
controlados, na verdade a eficácia pode refletir, em alguns casos, a
resposta-placebo elevada que ocorre nas enfermidades funcionais como a
SII.Ervas e produtos naturais. O óleo de hortelã-pimenta (Mentha piperita)
tem sido empregado com frequência, principalmente na Europa, com
melhora significativa dos sintomas da SII(20,26,27)
Em 1986, Nash et al.15 publicou resultados de um
crossover estudo duplo-cego de óleo de hortelã-pimenta contra
o uso de placebo para sintomas de IBS. Em ordem aleatória, pacientes
foram designados para tomar duas cápsulas contendo ou 0,2
ml de óleo de hortelã (Colpermin, Tillotts Laboratories) ou
296 mg de óleo de amendoim, três vezes por dia antes das refeições
para dois
semanas. Quarenta e um pacientes com IBS confirmados por métodos
clínicos ou dor abdominal como um dos principais sintomas entrou
o julgamento. Os pacientes foram convidados a classificar sua dor em
um Visual
escala analógica que varia de 0 (sem dor) a 50 (dor tão ruim
como pode ser) por dia. Além disso, foi-lhes pedido para classificar
a sua dor numa escala de 4 pontos, variando de 0 (sem dor)
a 3 (grande quantidade de dor). sintomas gerais, o tratamento
preferência, e fezes frequência foram registrados no final
de cada período de tratamento. Dor nos últimos sete dias foi
classificados em uma escala de 5 pontos, variando de 1 (piorou muito)
a 5 (melhorou muito). Trinta e três pacientes completaram o
estudo e foram incluídos na análise. Insignificante
entre os grupos foram encontradas diferenças na pontuação no
escala analógica visual e escala de dor de 4 pontos, em geral
sintomas e da dor graduada-paciente na última sete
dias. Não foram observadas diferenças entre os grupos
no que respeita à frequência das fezes (contagem de fezes semanal,
12,1
com óleo de hortelã-pimenta contra 12,4 com o uso de placebo).
Comparável
número de pacientes indicaram uma preferência por
o tratamento com óleo de hortelã-pimenta (n = 13) e o uso de placebo
(N = 11). Seis pacientes tiveram azia e 6 outros
abandonaram o estudo devido a náuseas e vómitos
associado com a utilização de óleo de hortelã-pimenta. Enquanto o
julgamento
projeto permitiu que cada paciente a receber ambos os tratamentos,
a duração foi de curta e o número de pacientes foi de
pequeno. Além disso, embora tenham sido fornecidos os valores de p,
os números utilizados para as comparações entre os grupos não eram
relatado. Os autores concluíram que, com base na anterior
estudos, óleo de hortelã-pimenta pode ser melhor para pacientes que
necessitam de
especialista em vez de tratamento generalista

Em 1988, Lawson et al.16 publicou os resultados de sua


duplo-cego, randomizado, cruzado avaliação
óleo de hortelã-pimenta para o tratamento da IBS com revestimento
entérico.
Vinte e cinco pacientes que tiveram episódios de abdominal
dor que dura vários dias e recorrentes, pelo menos, seis vezes
por ano, distensão abdominal experiente, descrita
alívio da dor com a defecação, e tinha pequenas fezes moles
ou fezes mais frequentes associados com o início da
dor foram incluídos no estudo. Antes do estudo, os pacientes
foram instruídos a consumir 30 g de fibra (psyllium
mucilóide hidrófilo) por dia, durante duas semanas; Se a sua
sintomas não foram aliviados, os pacientes foram aleatoriamente
designado para receber uma cápsula de 0,2 ml de hortelã-pimenta
óleo ou um placebo três vezes por dia durante quatro semanas.
suplementação de fibras foi continuado durante todo o
julgamento em ambos os grupos. Os sintomas de dor abdominal,
flatulência, urgência, evacuação incompleta, e global
severidade foram medidos através de uma escala visual analógica em
a avaliação inicial, duas semanas após o início da fibra
uso de suplementos, e em vários pontos de tempo para até
oito semanas após o início do tratamento; frequência das fezes
e consistência também foram medidos. sete pacientes
retirou-se do estudo e foram excluídos do
analisa. suplementação de fibra não foi mostrado para melhorar a
pontuação média de sintomas ou avaliações globais.
Não houve diferenças significativas entre os grupos
nas principais sintomas ou escores de gravidade globais. Houve
um pequeno, mas estatisticamente significativo, aumento médio
frequência das fezes com óleo de hortelã-pimenta contra o uso de
placebo
(P <0,05). queima perianal foi relatada por 6 dos 18
pacientes tratados com óleo de hortelã-pimenta que completaram o
estudar, e azia foi relatado por um paciente; não nefastos
efeitos foram relatados por usuários do placebo. Este estudo
tinha as mesmas limitações que o estudo de Nash e cols.15; dentro
Além disso, as taxas de conformidade eram baixos (60%), e mais de um
quarto dos pacientes abandonaram. Os autores concluíram
que talvez óleo de hortelã com revestimento entérico não
conferir benefícios significativos devido a quantidades insuficientes
de droga atingir o cólon.

Carling et al.17 conduziram o único estudo publicado


de óleo de hortelã pimenta com revestimento entérico para o tratamento
de IBS
que envolveu um comparador activo. Em um estudo duplo-cego,
crossover estudo, 40 pacientes com sintomas de IBS foram
aleatoriamente designados para um dos três regimes: (1) de hortelã-
pimenta
óleo seguido por 1-hiosciamina, (2) 1-hiosciamina
seguido de óleo de hortelã-pimenta, ou (3) um placebo seguido de
1-hyoscyamine ou óleo de hortelã-pimenta. Os pacientes foram
orientados
tomar uma cápsula de óleo de hortelã-pimenta 0,2 ml ou 0,2 mg
comprimido 1-hiosciamina (ou placebo) três vezes por dia
com as refeições e, se o alívio dos sintomas não foi adequado, a
aumentar a dose para dois comprimidos ou cápsulas três vezes
diariamente. Houve um período de lavagem de uma semana entre
tratamentos. A severidade diária de cada um dos cinco sintomas de IBS
(Dor abdominal, distensão, flatulência, obstipação /
diarreia e náusea) foi classificada por doentes como variando
de 0 (assintomática) a 3 (severa); essas classificações foram
adicionados para produzir uma pontuação semanal (pontuação máxima,
105).
sucesso global do tratamento foi avaliado em doentes com
escala de 5 pontos, com escores que variam de 2 (muito melhor) para
-2 (Muito pior). As pontuações médias dos sintomas no início do estudo
e no final do tratamento foram 26,4 contra 19,5 de hortelã-pimenta
óleo (p <0,01), 27,1 contra 23,2 para 1-hiosciamina
(P = 0,26), 27,4 e 28,8 contra placebo para utilização. as pontuações
no final do tratamento não foram significativamente menores para
óleo de hortelã do que para 1-hyoscyamine (p = 0,065). Para
tratamento de sucesso global, as percentagens de doentes
melhoria relatórios foram de 57% para o óleo de hortelã-pimenta,
37% de 1-hiosciamina, e 38% para o placebo. Desfavoraveis
efeitos ocorreram em 13% dos pacientes que receberam hortelã-pimenta
óleo (boca seca, visão turva, azia), 87% dos
doentes que receberam 1-hyoscyamine (boca seca, turva
visão, constipação, azia, outro), e 7% dos pacientes
receberam placebo (boca seca, outros); a diferença entre
óleo de hortelã e 1-hyoscyamine foi significativa
(P <0,001), mas a diferença entre o óleo de hortelã-pimenta
e placebo não foi significativa (p> 0,05). O tratamento
duração foi curta, o tamanho da amostra foi pequeno, e os efeitos
adversos anticolinérgicos experimentado por maioria
dos pacientes que receberam 1-hyoscyamine pode ter comprometido
a cegueira. No entanto, os autores concluíram que
óleo de hortelã foi mais eficaz do que 1-hyoscyamine
para aliviar os sintomas da SII e foi associada com menos
efeitos adversos.

Em 1997, Liu et al.18 estudaram os efeitos de revestimento entérico


óleo de hortelã-pimenta como um tratamento para IBS. Neste estudo
duplo-cego
trial, 110 pacientes com sintomas de IBS foram aleatoriamente
designados para receber uma cápsula de Colpermin, contendo
187 mg de óleo de hortelã-pimenta, ou um placebo antes de 15-30
minutos
refeições (três ou quatro vezes ao dia) durante um mês. o
gravidade de sintomas de IBS oito foi avaliada pelos pacientes
em uma escala de 4 pontos (nenhuma, leve, moderada e grave),
como foi benefício global (com -1 indicando piora
dos sintomas e 2 indicando melhora acentuada).
Cinquenta e dois pacientes que receberam óleo de hortelã-pimenta e 49
placebo
destinatários completaram o estudo e foram incluídos
na análise. Por sintoma, a proporção de pacientes
que experimentou um benefício global com óleo de hortelã-pimenta
por oposição à utilização de placebo foram as seguintes: dor
abdominal, 79%
contra 43%; distensão abdominal, 83% versus 29%; tamborete
frequência, 83% versus 33%; borborygmi, 73% versus 31%;
e flatulência, 79% contra 23% (p <0,05 para todas as comparações).
Pelas mesmas cinco sintomas, pacientes recebendo
óleo de hortelã tinha melhorado significativamente as classificações
de gravidade
em relação a utilizadores de placebo. Melhorias na gravidade de
arrotos, azia e náuseas também foram relatados por
pacientes que receberam óleo de hortelã; No entanto, em relação aos
valores em usuários do placebo, as melhorias não foram significativas.
Um paciente que recebe óleo de hortelã relataram
azia e outro desenvolveu uma erupção cutânea ligeira que
desapareceram com a interrupção. A maior limitação de
este estudo foi que envolveu pacientes cujo diagnóstico IBS
não foi baseado em critérios estabelecidos. Os autores
concluíram que o óleo de hortelã-pimenta foi eficaz e bem
tolerados quando utilizados para os sintomas típicos da SII.

Em 2007, Cappello et al.19 avaliaram a eficácia do óleo de hortelã-


pimenta com revestimento entérico em pacientes com IBS di¬agnosed de
acordo com os critérios de Roma II. Cinquenta e sete pacientes foram
distribuídos aleatoriamente para receber duas cápsulas de Mintoil
(Cadigroup, Roma, Itália), cada uma contendo 225 mg de óleo de
hortelã-pimenta, ou um placebo duas vezes por dia uma hora antes das
refeições de um modo duplamente cego por quatro semanas. Os pacientes
foram acompanhados por mais quatro semanas após o tratamento. Foram
avaliados oito sintomas da SII (inchaço, dor ou desconforto abdominal,
diarreia, obstipação, sensação de evacuação incompleta, dor na
defecação, passagem de gás ou muco, e de urgência). A intensidade dos
sintomas foi avaliada em uma escala de 0-4 (0 = ausente e 4 =
insuportável), como era a frequência de sintomas (0 = ausente e 4 =
três ou mais vezes por semana), e uma pontuação total de sintomas IBS
foi calculada. Na intenção intentionto-
população mimo, 64% dos doentes tratados com hortelã
petróleo e 34% dos usuários do placebo tiveram uma redução
no total de sintomas IBS marcar em quatro semanas de ≥50%
(P <0,002). Cada sintoma foi avaliada
significativamente menor nos pacientes que receberam óleo de hortelã
em comparação com o placebo. Aos oito semanas, 50% ou maior redução
na pontuação total de sintomas IBS foram mantidas
em 46% dos pacientes que receberam óleo de hortelã-pimenta e 10% de
pacientes que receberam placebo (p <0,002). O estudo foi
adequadamente desenhado para avaliar o total de sintomas de IBS
Ponto; No entanto, uma avaliação dos eventos adversos não foi
realizada. Os investigadores concluíram que a utilização de
óleo de hortelã durante quatro semanas reduziu os sintomas abdominais
em pacientes com IBS.

Merat et al.20 realizou o estudo mais longo publicado


do tratamento IBS com óleo de hortelã-pimenta com revestimento
entérico.
Noventa pacientes que preencheram os critérios de Roma II para IBS
foram
aleatoriamente designados para receber uma cápsula de Colpermin
(187 mg [2 mL] de óleo de hortelã pimenta) ou um placebo três
vezes ao dia 30 minutos antes das refeições em um duplo-cego
forma de oito semanas. Foram utilizados três questionários:
um questionário pesquisador abordando 10 sintomas da SII,
um questionário paciente abordando 6 os sintomas da SII,
eo 36-Item Short Form Health Survey (SF-36)
para a qualidade de vida. O endpoint primário foi a ausência
de dor ou desconforto abdominal sobre o pesquisador
questionário, no qual pacientes teve sintomas em
numa escala de 0 (indicando sem sintomas) a 3 (indicando
sintomas graves). Sessenta pacientes completaram o estudo
e foram incluídos na análise. Na semana 8, 42,5% de
pacientes que receberam óleo de hortelã-pimenta e 22,2% dos doentes
receberam o placebo estavam livres de dor abdominal ou
desconforto (p <0,001). Sem significativa do grupo entre
foram detectadas diferenças em outros sintomas da SII avaliadas
com o questionário pesquisador ou nos 6 IBS
sintomas avaliada usando o questionário paciente.
No SF-36, as pontuações de resumo para os dois grupos eram
não significativamente diferente; No entanto, em relação ao placebo
usuários, pacientes que receberam óleo de hortelã teve significativa
melhorias nos seguintes domínios: dor física, gerais
limitações de saúde, funcionamento social e do papel devido a
problemas emocionais. Os eventos adversos mais comuns
foram azia, dor de cabeça e tonturas; frequências de eventos
não foram significativamente diferentes nos dois grupos. este
estudo foi limitado pelo uso de pesquisador unvalidated e
questionários dos pacientes e uma alta taxa de desistência (quase
30%). Apesar destas limitações, os autores concluíram
que o óleo de hortelã-pimenta foi segura e eficaz no alívio
dor abdominal e desconforto em pacientes com IBS.

O julgamento mais recentemente publicada de óleo de hortelã-pimenta


para
IBS foi conduzido por Alam et al.21 Setenta e quatro pacientes
que preencheram os critérios de Roma II para IBS foram aleatoriamente
para receber uma cápsula contendo 2 ml de óleo de hortelã-pimenta ou
placebo três vezes por dia 30 minutos antes das refeições
durante seis semanas, de forma duplo-cego. A eficácia foi
avaliada utilizando um sistema de pontuação de sintomas individuais
e uma IBS instrumento de qualidade de vida validado. No
grupo óleo de menta, a média ± S.D. pontuações para abdominal
dor na linha de base, seis semanas, oito semanas e (duas semanas
após o término do tratamento) foram 6,70 ± 1,96, 4,94 ± 1,30,
e 6,09 ± 1,93, respectivamente; no grupo do placebo, a
significa ± S.D. pontuações foram 6,67 ± 1,79, 6,15 ± 1,24 e 6,38
± 1,60, respectivamente; a diferença entre grupos na
seis semanas foi significativa (p> 0,001). outros sintomas
(Freqüência de evacuações, consistência das fezes e flatulência) e
qualidade de vida não melhorou significativamente com o uso
de óleo de hortelã-pimenta. Não houve efeitos adversos importantes
ocorreram.
Os autores concluíram que o óleo de hortelã-pimenta foi
só é eficaz no alívio da dor abdominal em pacientes
com diarreia predominante IBS. Este julgamento teve muitos
fraquezas. Os critérios de inclusão não especificou que
os pacientes devem ter IBS com diarréia, a formulação
de óleo de hortelã-pimenta não foi descrito, a dose de hortelã-pimenta
óleo foi maior do que as doses utilizadas em outros estudos
resumidos aqui, e o sistema de pontuação foi sintoma
Não explicou

Cinco estudos relatou resultados do tratamento em termos de


melhoria na pain.7,8,35-37 abdominal A análise conjunta
para a população ITT incluiu 357 pacientes . o
agrupada RR mostrou um benefício estatisticamente significativa para
óleo de hortelã-pimenta em relação ao placebo para a melhoria em
dor abdominal (Fig. 3). Cinquenta e sete por cento das pacientes
recebendo óleo de hortelã teve uma melhoria na
dor abdominal em comparação com 27 % dos doentes tratados com placebo
(RR 2,14 ; 95% CI , 1,64-2,79 ) . O número de pacientes que
precisava de ser tratada com óleo de hortelã-pimenta para versus
placebo
induzem uma melhoria da dor abdominal em um paciente
a 2 a 8 semanas foi 4. heterogeneidade n estatisticamente
significativa
foi detectada para esta comparação ( W2 = 2,55, df = 4,
P = 0,64 , I2 = 0 %

Alam et al9 dor abdominal relatado como um contínuo


resultado. Após 6 semanas de terapia, foi de dor abdominal
melhorou significativamente (média ± SD ) no óleo de hortelã-pimenta
grupo ( 4,94 ± 1,30 ) em comparação com o grupo placebo
(6,09 ± 1,93 ; P <0,001).
foram relatados eventos adversos poucos . dois estudos
não relataram events.6,37 adversos Os eventos adversos que foram
relatados nos estudos controlados com placebo foram leves e
de natureza transitória . Os eventos adversos foram: azia,
8,34-36 boca seca, 8 eructação , gosto 8 hortelã-pimenta, 35
cheiro de menta , 7 erupção cutânea, 36 tonturas, 8 dor de cabeça, 8
aumentou
apetite, 8 e um sensation.7 perianal frio

Estes resultados são semelhantes aos encontrados em


os anteriores meta-análises , o que sugeria um possível benefício
com treatment.4,5,38,39 óleo de hortelã
Três estudos na revisão Pittler e Ernst4 e
meta-análise foram criticados por não definir qualquer
critérios de inclusão para pacientes com IBS.7,19,20 Além disso,
apenas 1 dos 8 estudos incluídos na Pittler e Ernst4
avaliação utilizados critérios de inclusão validados (por exemplo,
Manning ) .21
Lawson et al21 não encontrou um benefício para o óleo de hortelã-
pimenta.
No entanto , este estudo foi metodologicamente falho porque
Foi realizado um estudo cross-over que não incluem um washout
período e foi excluído da presente meta- análise.
Vários estudos incluídos nesta meta- análise utilizados validado
critério de inclusão.

Setenta e dois pacientes (idade média de 40,7 anos , 75%


do sexo feminino, 77,8 % de brancos ) foram randomizados para PO ( n =
35) ou
placebo (n = 37 ) . Ao fim de 4 semanas , PO foi associada com um
redução de 40 % no TISS da linha de base (alteração média
-1,16 , SD ± 0,807 ) , superior ao decréscimo de 24,3%
( Mudança de -0,70 , SD ± 0,737 dizer) observada com placebo
( P = 0,0246 ) . A diminuição do TISS de 19,6 % (média
alterar -0,55 , DP ± 0,613 ) no grupo de PO em 24 horas foi
também significativamente maior do que o placebo ( -10,3 %, média
alterar -0.27 , SD ± 0,342 ) (P = 0,0092 ) . Na conclusão do
julgamento,
pacientes no grupo PO experimentaram maior
melhoria em múltiplos gastrointestinal indivíduo
sintomas, bem como em sintomas graves ou insuportáveis ,
em comparação com o placebo . PO foi bem tolerado com poucos
eventos adversos.
Conclusões Uma formulação PO romance projetados para sustentado
liberação no intestino delgado é um seguro, eficaz
tratamento capaz de proporcionar alívio rápido de IBS
sintomas .
O sistema de entrega de
PO utilizado neste estudo consiste
uma microesfera triplo - revestido
formulação com sustentada
liberação de PO na pequena
intestino. A tecnologia de SST é
implementado por conversão do
PO em uma matriz de estado sólido com
celulose microcristalina como um
núcleo esférico .
Foi realizado um
estudo controlado por placebo, duplo-cego randomizado em 90
pacientes ambulatoriais com IBS . Assuntos tomou uma cápsula de
entericcoated ,
óleo de hortelã de libertação retardada ( Colpermin ) ou
placebo três vezes por dia durante 8 semanas . Visitamos pacientes
após a primeira, quarta e oitava semanas e avaliou sua
sintomas e qualidade de vida. O número de sujeitos livres
da dor abdominal ou desconforto alterado de 0 a semana
0 a 14 na semana 8 no grupo Colpermin e de 0 a 6 em
controles (P \ 0,001). A gravidade da dor abdominal foi
também reduzida significativamente no grupo como Colpermin
em relação aos controles . Além disso , Colpermin significativamente
melhorou a qualidade de vida . Não houve significativa
reação adversa. Colpermin é eficaz e seguro como um
agente terapêutico em pacientes com IBS sofrendo
dor ou desconforto abdominal .

Recentemente, uma formulação de óleo de hortelã-pimenta nova ( IBgard


,
IM HealthScience , LLC ) foi desenvolvida , que consiste
de uma cápsula contendo microsferas de libertação sustentada
óleo de hortelã ultra- purificado .

óleo de hortelã foi significativamente mais eficaz do que


placebo em múltiplos pontos. Vinte e quatro horas após a
primeira dose, os pacientes no braço de óleo de hortelã relatou um
redução de 18,8% no TISS da linha de base, em comparação
com uma redução de 9,8% relatado por pacientes no grupo placebo
armar-se diferença estatisticamente significativa de quase o dobro
a taxa de melhoria global dos sintomas (P = 0,0092).
Olhando para os sintomas individuais em 24 horas, não havia
uma tendência para uma maior melhora com óleo de hortelã-pimenta
vs placebo em todos os oito dos sintomas da SII primárias que sejam
medido pelo TISS. Esta diferença atingiu significância estatística
na categoria de dor ou desconforto abdominal,
com os pacientes relatando uma redução de 21% do valor basal vs um
redução de 10% com placebo (P <.05). Os pacientes no hortelã-pimenta
braço petróleo também teve uma redução significativamente maior na
intensidade de urgência evacuação às 24 horas, em comparação
com os pacientes no braço do placebo (25% vs 6%; P = 0,0374).
Ao fim de 4 semanas, havia uma maior separação na
redução dos sintomas da SII individuais entre hortelã-pimenta
óleo e placebo, e várias destas diferenças eram
estatisticamente significativa. O objectivo primário do estudo,
redução do TISS às 4 semanas, foi significativamente maior
com óleo de hortelã-pimenta vs placebo (40% vs 25%, P = 0,0246).
Estes achados sugerem que a diferença entre hortelã-pimenta
óleo e placebo aumentou de cerca de 10%
às 24 horas a cerca de 15% em 4 semanas. Deveria
também notar-se que a taxa de resposta de 25% observado com
placebo neste estudo é típico de taxas de resposta relatados
com placebo em outros estudos GI funcionais.

Brooks Cash, MD
Gastroenterology & Hepatology Volume 11, Issue 9 September 2015 631