Você está na página 1de 2

Gramática Descritiva

Por muito tempo se diz que nas aulas de gramática não se aprende
gramática, e não a estuda, todos somos vítimas de um sistema não eficiente, onde
não se interessar por gramática é apenas um princípio dos questionamentos. Desta
forma o autor Mário Alberto Perini graduado em Letras pela Universidade Federal de
Minas Gerais (1967), doutor pela University of Texas (1974) e atualmente professor
voluntário da Universidade Federal de Minas Gerais. Por meio de seu livro
“GRAMÁTICA DO PORTUGUÊS BRASILEIRO” nos faz pensar diferente o modo de
estudar gramática e seu uso em nossa língua materna.
O modelo aplicado atualmente contribui para a analfabetismo científica dos
estudantes, apresentando resultados sem foco em que por muitas vezes, lida com
dados fictícios, desencorajando a dúvida e o questionamento e a não justificação do
saber. O texto de Perini elabora um diálogo em nível universitário do português
falado no Brasil destinada a alunos e professores de letras, assim como a
professores de línguas de todos os níveis.
A Gramática do português brasileiro está adequada aos interesses e
necessidades do estudante brasileiro assumindo uma identidade inovadora
comparada com os estudos das gramaticas tradicionais. Trazendo uma ênfase na
sintaxe e na semântica da oração, áreas particularmente carentes, mas também são
estudadas duas outras áreas importantes a morfologia e a fonologia.
O que nos traz em voga é a possibilidade de se elaborar uma gramática da
língua falada tão rica e complexa, de forma que a torne tão interessante, quanto a da
língua padrão. Dessa forma vemos que em vez de eliminar pura e simplesmente o
estudo de gramática na escola, é preciso redefini-la em termos de formação
científica. Assim essa disciplina parte essencial do estudo da linguagem, poderá dar
sua contribuição à alfabetização científica nossa e de nossos alunos.
Dentro da proposta das gramaticas descritivas podemos lidar como a língua
não estáticas, mas a que sofre mudanças, muito do que é prescrito na gramática
normativa já não é mais usado pelos falantes de uma língua. A gramática descritiva
não tem o objetivo de apontar erros, mas sim identificar todas as formas de
expressão existentes e verificar quando e por quem são produzidas.
Finalmente analisa-se que todos os elementos descritos por Perini no texto
são discutidos com base em exemplos adquiridos por pesquisas científicas sobre o
português brasileiro falado culto, o que significa dizer que seu principal diferencial é
sem dúvida a inclusão de fenômenos linguísticos negligenciados pela gramática
normativa tradicional.
Este artigo é indicado para aqueles professores ou futuros professores que
buscam estratégias para a escolha de rumos ou caminhos ao qual quer chegar,
traçando um novo nível de vislumbre sobre o que é gramática. Aplicando estratégias
para um ganho no ensino aprendizagem. De modo a formar um desenvolvimento
crítico criativo com base na oralidade, escrita e leitura de nossos alunos.

Referência Bibliográfica:

PERINI, M. A. Gramática descritiva do português. São Paulo: Ática, 1995.


_____. Modern portuguese – a reference grammar. New Haven: Yale University
Press, 2002.
_____. Gramática do português brasileiro. São Paulo: Parábola, 2010.