Você está na página 1de 3

Antes dos filósofos, os fenômenos eram explicados por meio dos mitos.

Assim, por exemplo, para explicar os relâmpagos, dizia-se que estes eram
arremessados pelo deus Zeus, do alto do Monte Olimpo.
O nascimento da Filosofia foi um marco na história de uma série de
pensadores brilhantes que influenciaram e continuam a influenciar o mundo. A
Filosofia impulsiona a razão, a lógica, a investigação científica, a matemática, a
teologia e a política, entre outras áreas. Nas suas origens, não havia uma clara
distinção a Filosofia e a Ciência. No período da Grécia arcaica, a principal
preocupação dos filósofos era a de encontrar o elemento primário da vida, a
partir do qual o mundo e o homem teriam surgido.
Ao contrário da maioria dos outros povos da Antiguidade, que se limitavam
a buscar compreender o mundo por meio de mitos e deuses, os gregos, com seu
espírito especulativo e crítico, objetivavam explicar, de maneira racional, a
natureza e o homem. Os gregos substituíram o mito pela cosmologia filosófica.
A cosmologia filosófica busca respostas para a estrutura, a origem e a
composição do mundo. Na formação da Filosofia grega, predominavam as
questões cosmológicas.
Segundo a tradição clássica da filosofia ocidental, o primeiro teórico a
formular um pensamento mais sistemático fundado em bases racionais foi o
grego Tales (cerca de 625 a.C. – 558 a.C.). Sendo o fundador dessa nova forma
de pensar, ele é considerado o primeiro filósofo de que se tem notícia,
inaugurando a linhagem filosófica dos pré-socráticos (filósofos que vieram antes
de Sócrates).
Nascido na cidade de Mileto, uma colônia grega na região da Jônia (atual
Turquia), Tales foi matemático, astrônomo e negociante. Herdeiro de
conhecimentos ainda mais antigos — como a matemática egípcia e a astronomia
babilônica — Tales era tido em sua cidade como um sábio, mas também como
um homem prático: conta-se que, utilizando suas habilidades, soube prosperar
como um hábil mercador.
Tales inaugurou na filosofia a corrente dos pensadores “físicos”: filósofos
que buscavam entender e explicar a origem da physis — palavra grega traduzida
como natureza, mas cujo significado engloba também a ideia de origem,
movimento e transformação de todas as coisas. Segundo Tales, a origem de
todas as coisas estava no elemento água: quando densa, transformaria-se em
terra; quando aquecida, viraria vapor que, ao se resfriar, retornaria ao estado
líquido, garantindo assim a continuidade do ciclo. Nesse eterno movimento, aos
poucos, novas formas de vida e evolução iriam se desenvolvendo, originando
todas as coisas existentes.
Lançando um olhar crítico, tornam-se evidentes as brechas neste
raciocínio. Por exemplo, o que dá início a este movimento e o que o mantém?
Como um único elemento, a água, poderia se transformar em outra coisa? Essas
falhas, que aos olhos científicos de hoje são evidentes, eram vistas de outra
forma na época. Vale lembrar que no momento em que as ideias de Tales foram
criadas, os pensamentos racional e filosófico ainda eram bastante povoados por
elementos mágicos e mitológicos. Portanto, para um grego antigo, a ideia de que
uma coisa simples como a água pudesse se transformar em outra coisa não era
absurda. O grande mérito de Tales, na verdade, não foi a sua explicação
aquática da realidade: foi o fato de que, pela primeira vez na história, o homem
buscava uma explicação totalmente racional para o seu mundo, deixando de lado
a interferência dos deuses.
Tales pode ser tido também como o pai da filosofia unitarista — que busca
a explicação de todas as coisas a partir de um único princípio (no caso dele, a
água) — e que teria seu maior expoente na figura de Heráclito de Éfeso. A partir
de sua teoria, diversos filósofos pré-socráticos buscaram seus próprios
caminhos para explicar a physis. Tales, Anaximandro e Anaxímenes formaram
o trio da chamada Escola de Mileto e ficaram conhecidos como os physiologoi
(estudiosos da physis). Era o início da filosofia e do esforço humano em
compreender o espetáculo da existência a partir da racionalidade.
Além disso, Tales desenvolveu uma série de conhecimentos práticos,
especialmente no campo da Matemática. Muitos o consideram o "primeiro
matemático". Acredita-se que Tales trouxe a disciplina do Egito para a Grécia.
Ele fez algumas descobertas importantes para a Matemática, inclusive na
Geometria Plana, como o Teorema de Tales. Diz-se que Tales, homem de
negócios e importante matemático grego, foi convidado para descobrir a altura
da pirâmide Quéops, no Egito. Diante disso, surgiu o “Teorema de Tales” donde
as retas paralelas e transversais formam segmentos proporcionais.
Duas curiosidades sobre ele é:
1. É considerado um dos “Sete Sábios da Grécia Antiga”, junto com Bias
de Priene, Quílon de Esparta, Cleóbulo de Lindus, Periandro de
Corinto, Pítaco de Mitilene e Sólon de Atenas.
2. O filósofo grego Aristóteles (384 a.C.-322 a.C.) aponta Tales de Mileto
como o primeiro filósofo da humanidade.
Além da famosa sentença “Conhece-te a ti mesmo”, algum pensador de sua
época atribuíram a Tales as seguintes outras:
 A água é o princípio de todas as coisas.
 O ser mais antigo é Deus, porque não foi gerado.
 Todas as coisas estão cheias de deuses.
 A coisa mais bela é o mundo, porque é obra divina.
 A pedra magnética (ímã) tem poder porque move o ferro.
 O maior é o espaço porque dentro dele cabe tudo.
 O mais veloz é o intelecto porque passa através de tudo.
 A mais forte é a necessidade porque tudo domina.
 O mais sábio é o tempo porque tudo revela.
Tales foi contemporâneo de Anaximandro e professor de Anaxímenes os
outros dois primeiros filósofos da história da cultura ocidental.
Trabalho
De
Filosofia
Douglas Oliveira Santos

Você também pode gostar