Você está na página 1de 16

MOVIMENTOS SOCIAIS PARA

A CONQUISTA DOS DIREITOS


INFANTIS NO BRASIL
AUTORIA
Feito por Letícia dos Santos Queiroz – graduanda em Letras – Língua portuguesa
na Universidade Federal do Amazonas.
INTERNACIONALMENTE
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (em inglês: United Nations
Children's Fund - UNICEF) é um órgão das Nações Unidas que tem como objetivo
promover a defesa dos direitos das crianças, ajudar a dar resposta às suas
necessidades e contribuir para o seu desenvolvimento.
O UNICEF rege-se pela Convenção sobre os Direitos da Criança e trabalha para
que esses direitos se convertam em princípios éticos permanentes e em códigos
de conduta internacionais para as crianças.
Sua sede está localizada na cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos.
A outra sede da Unicef localiza-se na cidade de Moscovo e é lá que se fazem
grandes reuniões sobre o trabalho da Unicef pelo mundo.
DIREITOS CRIANÇAS NO BRASIL
Até 1900 – Final do Império
e início da Republica
 Santa Casa de
Misericórdia
Rodas das Santas Casas
Ensino e Trabalho
1900 a 1930 – A república

 Lutas sociais
Feitas pelo proletariado
nascente – Comitê de Defesa
Proletária

Código de menores
O futuro de crianças a mercê da
ética de juízes.
CASO CURIOSO

Em 1927 a lei proibiu a "Roda dos Expostos" e tornou os


jovens imputáveis até os 18 anos. Criou a "escola de
preservação para deliquentes" e a "escola de reforma
para o abandonado".
DIREITOS CRIANÇAS NO BRASIL
1930 a 1945 – Estado Novo
Programas assistencialistas
 Os sufrágios
 Serviço de Assistência ao Menor – SAM.

Com reforma penal, Vargas consolida mudanças na idade


penal para 14 anos, em 1932
1945 a 1964 – Redemocratização

Abertura política e organização sócia


UNICEF no Brasil – 1950
Aprofundamento das conquistas
sociais

O SAM passa a ser considerado, perante a opinião pública,


repressivo, desumanizante e conhecido como “universidade
do crime”. O início da década de 60 foi marcado, portanto,
por uma sociedade civil mais bem organizada, e um cenário
internacional polarizado pela guerra fria, em que parecia ser
necessário estar de um ou outro lado.
DIREITOS CRIANÇAS NO BRASIL
1964 a 1979 – Ditadura Militar
 A Lei que criou a Fundação
Nacional do Bem-Estar do
Menor (Lei 4.513 de 1/12/64)
 O Código de Menores de 79
(Lei 6697 de 10/10/79)
Estudos sobre a situação da
criança
Movimento feminista
associado a luta por direitos
das crianças
O Código de Menores não se dirigia à prevenção;
cuidava do conflito instalado.
Paulo Lúcio Nogueira esclarece, comentando o art.
2° – que classifica em seis categorias a “situação
irregular” –, que “se trata de situações de perigo que
poderão levar o menor a uma marginalização mais
ampla, pois o abandono material ou moral é um
passo para a criminalidade”. Contudo, não se pode
deixar de reconhecer que, em alguns casos, a
situação do menor é decorrente da própria situação
familiar, seja pelo estado de pauperismo (abandono
material), seja em virtude de riqueza (desvio de
conduta). Por mais de dez anos em vigor, o Código
de Menores procurou atender à situação da época
da forma mais condizente possível com a Lei Maior.
DIREITOS CRIANÇAS NO BRASIL
Década de 80 - Abertura Política e
nova Redemocratização
 Bases para o Estatuto
Menoristas e os estatutistas
 Assembleia Constituinte
Este artigo garantia às crianças e adolescentes os
direitos fundamentais de sobrevivência,
desenvolvimento pessoal, social, integridade física,
psicológica e moral, além de protegê-los de forma
especial, ou seja, através de dispositivos legais
diferenciados, contra negligência, maus tratos, violência,
exploração, crueldade e opressão.
Estavam lançadas, portanto,
as bases do Estatuto da
Criança e do Adolescente.

Destaca-se nesse momento o Movimento Nacional dos


Meninos e Meninas de Rua (MNMMR), que surgiu em
1985 em São Bernardo do Campo, um importante centro
sindical do país, e a Pastoral da Criança, criada em 1983,
em nome da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do
Brasil, envolvendo forte militância proveniente dos
movimentos sociais da igreja católica.
DIREITOS CRIANÇAS NO BRASIL
Década de 90 –
Consolidando a democracia
A promulgação do ECA (Lei
8.069/90) ocorreu em 13 de
Julho de 1990
“O Desfio da Implementação
do Estatuto da Criança e do
Adolescente”
Movimento Interfóruns
Ainda hoje...
Neste cenário e em defesa dos direitos das crianças
pequenininhas à uma Educação Infantil de qualidade,
o Movimento que ficou conhecido como os Fraldas
Pintadas tomaram conta do Congresso Nacional em
agosto de 2005 com uma “carrinhata” ao som do
choro de muitos bebês, que culminou com o
congestionamento dos carrinhos de bebês
especificamente na Câmara dos Deputados,
pressionando os parlamentares a incluírem a
Educação das crianças de 0 a 3 anos no Projeto de
Emenda Constitucional (PEC - 415) do FUNDEB (Fundo
de Manutenção e Desenvolvimento da Educação
Básica).
 CPI Contra exploração sexual – 2003
Lei “menino Bernardo” - 2014
CONCLUSÃO
Através do histórico da constituição da educação
infantil no Brasil vemos a importância dos
movimentos sociais rumo à consolidação desse
direito social, por meio de movimentos
independentes e instituições educativas que
contemplem o desenvolvimento das crianças nos
aspectos cognitivo, emocional, afetivo, social e
físico, não se restringindo ao amparo à maternidade
desde o texto Constitucional de 1988, que, por sua
vez, consolidou as bases legais para a
implementação de outras políticas sociais voltadas
à infância.
REFERÊNCIAS
Artigo: “Uma Breve História dos Direitos da Criança e do Adolescente no Brasil”
Por Gisella Werneck Lorenzi
http://fundacaotelefonica.org.br/promenino/trabalhoinfantil/noticia/uma-breve-
historia-dos-direitos-da-crianca-e-do-adolescente-no-brasil/
Livro: Infância e movimentos sociais / GEPEDISC - Linha Culturas Infantis,
Vários/as autores/as. - Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2015. 196 p.