Você está na página 1de 2

MULHERES E ALCOOLISMO: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA

WOMEN AND ALCOHOLISM: AN INTEGRATING LITERATURE REVIEW

Larissa Bezerra de Oliveira1,2,4, Gabriela Dell' Antônio Guimarães1,2,4, Geovane Borges


Fontana1,2,4, Laerson da Silva de Andrade2,3,4, Flavia Batista Portugal1,2,3,4, Marluce Mechelli
de Siqueira1,2,3,4

1. Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Vitória –


ES, Brasil.
2. Centro de Pesquisa e Estudos sobre Álcool e Outras Drogas da UFES. Vitória –ES, Brasil.
3. Departamento de Enfermagem da UFES. Vitória –ES, Brasil.
4. Programa de atenção ao Alcoolista do Hospital Universitário Antônio Cassiano de
Moraes. Vitória –ES, Brasil.
Correspondência: laersonsilva1@gmail.com

Introdução: O alcoolismo é um dos principais problemas de saúde pública no Brasil. Frente


ao consumo nocivo de álcool, a mulher está metabólica e socialmente vulnerável. Estima-se
que em 2012, 4% das mortes femininas foram atribuídas ao álcool e sabe-se que há uma
tendência de aumento do consumo de bebidas entre as mulheres, bem como o uso precoce.
Objetivo: Identificar o conhecimento produzido na área acadêmica sobre o alcoolismo
feminino no Brasil. Metodologia: Os descritores utilizados foram extraídos dos Descritores em
Ciências da Saúde: Álcool, Alcoolismo, Abstinência de Álcool, Síndrome da Dependência
Alcoólica, Transtornos Relacionados ao Uso de Álcool, Mulheres. Os critérios de inclusão
foram artigos publicados no Brasil, entre os anos de 2006-2016, nos idiomas português, inglês
ou espanhol, disponíveis na íntegra e sejam estudos primários. Serão excluídos os artigos
repetidos, monografias, teses e livros. A busca foi realizada durante março de 2017, de forma
independente por dois pesquisadores, e em caso de divergências, os mesmos recorreram a
opinião de um terceiro revisor, mediante acordo dos três revisores o artigo foi incluído para
análise. Resultados: Foram obtidos, no total 2.465 artigos, desses 2.147 foram excluídos pela
análise do título, 145 repetidos, 14 por serem de estudos de dados secundários, 9 por não
estarem disponíveis na íntegra, 69 pela análise do resumo e, após análise completa do conteúdo
57 artigos foram excluídos, restando assim 33 artigos. Sobre o delineamento dos estudos, 15
eram de abordagem qualitativa e 18 de abordagem quantitativa. Assim, mediante a análise
integral dos artigos selecionados, foram identificados os seguintes temas: 1) Uso problemático
do álcool, que se dá em decorrência ao estresse, jornada exaustiva do trabalho, dividas,
problemas afetivos; 2) Baixa adesão ao pré-natal, o alcoolismo na gravidez dificulta o acesso
aos serviços e acompanhamento na gravidez e no puerpério; 3) Violência conjugal, mulheres
alcoolistas apresentam maiores chances de se envolverem em conflitos e agressões com seus
parceiros, familiares e filhos; 4) Negligência em detectar o alcoolismo em mulheres, que
dificulta o tratamento precoce, sendo isso reflexo da ausência de profissionais e serviços
especializados; 5) Consumo social; o que é reflexo de maior poder aquisitivo das mulheres e
sua relação com o trabalho formal; 6) Comorbidades físicas, mentais e psicossociais: mulheres
são mais vulneráveis ao uso pesado do álcool; por questões fisiológicas e tendem a sofrer mais
com a reprovação social; 7) Fatores de proteção; destaca-se as reuniões entre mulheres,
religião, relação com os filhos e parceiros não alcoolistas. Considerações finais: O presente
estudo possibilitou o levantamento dos temas mais relevantes sobre alcoolismo entre mulheres.
De forma que, percebe-se que os trabalhos que trazem informações sobre a mulher alcoolista e
as repercussões causadas para a mulher em si, explorando suas subjetividades e os motivos que
as levam ao uso nocivo do álcool. Este trabalho tem o interesse de apontar que é o
desenvolvimento de dispositivos de saúde comunitária e serviços de suporte social para a
assistência a mulheres alcoolistas e o desenvolvimento de práticas assistenciais em saúde
mental que supram as necessidades especifica dessa população.
Palavras chaves: Mulheres. Alcoolismo. Saúde Mental.