Você está na página 1de 1

Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP

Discentes:Bruna Carolini Barbosa e Monique Susan Morara


Lavisio
Professora: Bruna C. Barbosa

Resumo:

Nas décadas de 80 e 90 novas propostas chegaram das


Universidades aos professores da educação básica, inclusive,
com o surgimento dos Parâmetros Curriculares Nacionais, que
trouxeram, de modo inovador, o ensino por meio das
sequências didáticas (doravante SDs) que, posteriormente,
foram reproduzidas em diretrizes de vários estados. Com a forte
influência dos estudos genebrinos (DOLZ; NOVERRAZ;
SCHNEWLY, 2004) e sua disseminação em documentos oficiais
norteadores, o dispositivo SD têm sido amplamente explorado
em sala de aula pelos professores de Língua Portuguesa para o
trabalho sistematizado com os gêneros.
Além de várias publicações acadêmicas endereçadas aos
professores, uma das maiores publicações nacionais
especializada na área de Educação, a revista Nova Escola, tem
proposto materiais didáticos por meio de sequências,
publicados mensalmente para várias disciplinas. Este trabalho
tem como objetivo verificar a ressignificação do conceito de SD
por uma professora de Língua Portuguesa e, para a análise,
partimos do conceito cunhado pelos estudos genebrinos para,
posteriormente, compará-lo à utilização dos conceitos pela
revista, a fim de investigar os dialógicos teórico metodológicos
presentes em um material didático elaborado pela professora.

Referências

DOLZ.; NOVERRAZ, M.; SCHNEWLY, B. Sequências didáticas


para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In
DOLZ,;SCHNEWLY, B. Gêneros orais e escritos na escola.