Você está na página 1de 10

21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais

09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DA MATRIZ METÁLICA FE-CU-NB


OBTIDAS PELA TÉCNICA DA METALURGIA DO PÓ

H. C. P. Oliveira1; A. C. Batista2
1
Rua Aparício Caldeira, nº 61, Pinheiro,Manhuaçu/MG, CEP: 36900-000 -
hcpratamg@gmail.com
1
Centro Superior de Estudos de Manhuaçu – Manhuaçu / Minas Gerais, Brasil.
2
Universidade Federal de Ouro Preto – Ouro Preto / Minas Gerais, Brasil.

RESUMO:
O presente trabalho tem como objetivo estudar as matrizes metálicas Fe-Cu-Nb,
variando o teor de Nb de 15% a 45% em peso, a fim de se analisar a possibilidade
da substituição do cobalto pelo nióbio em matriz metálica para atuar como ligante
em ferramentas diamantadas. Os pós metálicos foram misturados e então
prensados a quente a 800°C/35MPa/3 min, ocorrendo a sinterização. Realizaram-se
nestes sinterizados ensaios de abrasão, dureza HRB, densidade e teste de
compressão diametral a fim de se avaliar as propriedades mecânicas das matrizes
metálicas. Os resultados foram satisfatórios, do ponto de vista de suas propriedades
mecânicas para o sistema metálico à base de nióbio, frente ao de cobalto.

Palavras-chave: sistema Fe-Cu-Nb, prensagem a quente, matriz metálica,


propriedades mecânicas.

INTRODUÇÃO

Algumas pesquisas vêm sendo conduzidas no mundo no sentido de reduzir o


teor de Co das ferramentas diamantadas, por ser altamente tóxico e pouco
disponível no mercado elevando os valores das ferramentas e custos, entretanto o
(1-5)
assunto ainda é pouco explorado . Geralmente, o Co é utilizado em grandes
quantidades e, nos últimos anos, grupos de pesquisa têm estudado diferentes
proporções para a liga metálica (1-2).
Por muitos anos o cobalto tem sido usado no processamento das ferramentas
diamantadas, por isso, quase a totalidade das ferramentas diamantadas comerciais
é feita utilizando como ligante o cobalto, e em grandes quantidades, pois combina
compatibilidade química com o diamante nas temperaturas de processamento, uma
adequada retenção do diamante e excelente resistência ao desgaste após
processamento ou operação de corte (3; 5-6).
(6)
De acordo com Shibuta e colaboradores , o cobalto funciona como um
ligante nas ferramentas diamantadas. O silício (Si), quando presente na composição

5511
21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais
09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

do ligante em pequenas quantidades (< 2 %peso), aumenta a adesão deste com os


cristais de diamantes, evitando a perda prematura de diamantes por destacamento.
(3)
Segundo Del Villar e colaboradores , os novos ligantes metálicos
alternativos apresentados no mercado, se tornam atrativos, desde que combinem
boa sinterabilidade com adequados valores de dureza e resistência ao desgaste,
características necessárias quando das operações de corte, especialmente rochas
ornamentais, como mármore e granito por exemplo. A Tab. 1 mostra a composição
química de duas ligas pré-ligadas Cu-Fe-Co (NEXT), processadas pela rota de
prensagem a quente (hot pressing), onde se usou pressões de 30 a 35 MPa,
temperaturas de sinterização entre 600 e 750 °C, para um tempo de 3 minutos.

Tab. 1 – Composição química (% em peso) das ligas NEXT (Cu-Fe-Co) (3).


Matriz O2 C Cu Fe Co
Ligante (%) (%) (%) (%) (%)
NEXT 100 1,07 0,039 49,5 25,2 24,1
NEXT 200 1,04 0,039 61,7 14,7 22,6

(3)
O resultado encontrado por Del Villar e colaboradores , mostrou que foram
encontrados 97% da densidade teórica usando temperaturas tão baixas quanto 720
e 650 °C, respectivamente para NEXT 100 e NEXT 200, pois maiores teores de
cobre exigem temperaturas menores para se alcançar uma densidade satisfatória
nestes materiais. E mais, mostraram também que a dureza está entre 85 e 109 HRB
e, o NEXT 200 tem dureza maior que o NEXT 100 para temperaturas de sinterização
na faixa de 600-650 °C, o que é meramente um efeito atribuído à diferença de
densidade.
Assim sendo, o desenvolvimento de novas ligas metálicas para a adesão de
diamantes com base na introdução de nióbio (Nb), visando à substituição do Co em
ligas do sistema Fe-Cu no uso direto em ferramentas de corte do setor de rochas
ornamentais e construção civil, é de grande relevância na área científica.
Este trabalho avaliou a influência da adição de Nb, em substituição ao Co no
sistema Fe-Cu-Co, visando o uso como matriz ligante em ferramentas diamantadas,
variando o teor de Nb de 15 a 45% em peso.

5512
21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais
09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

MATERIAIS E MÉTODOS

No presente trabalho, foram estudadas as matrizes metálicas ligantes para


ferramentas diamantadas do sistema Fe-Cu-Nb variando os teores de 15 a 45%Nb
em peso, de acordo com as seguintes composições:
 28,34%Fe – 56,66%Cu – 15%Nb
 25%Fe – 50%Cu – 25%Nb
 21,67%Fe – 43,33%Cu – 35%Nb
 18,34%Fe – 36,66%Cu – 45%Nb
A sinterização dos pós metálicos foi feita por prensagem a quente (Metalurgia do
Pó), usando os parâmetros de sinterização: 35MPa / 800ºC / 3 min.
Foi calculada a densidade relativa (ρR) das matrizes metálicas de Nb a qual é a
razão entre a densidade aparente da amostra e a densidade teórica do material,
conforme mostra a Eq. (A).

(A)

O valor da dureza Rockwell B (HRB) foi obtido em um durômetro da marca


PANTEC, modelo RBS, aplicando-se uma carga de 62,5 kgf e 5 indentações por
amostra. As matrizes metálicas foram submetidas a ensaios de resistência a
abrasão (RA), onde o material para corte foi um disco de granito cinza, com
estrutura orientada, de granulometria grossa, variando de 4 a 20 mm. Este disco foi
instalado horizontalmente na mesa do Simulador Físico interfaceado com
computador tipo AMSLER modificado, microprocessado modelo AB800-E fabricado
pela Contenco, e utiliza o software Pavitest Abrasímetro 2.31, para a obtenção de
dados.
As amostras foram acopladas verticalmente ao disco de granito em um
suporte com fixador. Este suporte possui um termopar tipo K acoplado, o qual fica
em contato direto com a lateral da amostra, próximo à zona de corte. A rotação da
mesa de granito foi de 20 rpm, com uma força vertical (peso solto) sobre as
(7)
amostras de 2 kgf . Uma vez posicionada sobre o disco de granito, a amostra se
mantém fixa em uma linha de corte, onde se mede a perda de massa das amostras,

5513
21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais
09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

ao longo do tempo de ensaio. As amostras foram ensaiadas para um tempo


acumulado de 2, 6, 12 e 20 minutos.
A cada novo ensaio, as amostras foram pesadas e então após o teste de RA
foram pesadas novamente em balança digital Scaltec de precisão 0,001g, para
medir a variação de massa, Eq. (B), e averiguar a resistência à abrasão, Eq. (C):

(B)

onde: ∆M é a perda de massa (%); mi é a massa inicial e mf é a massa final.

(C)

onde RA é a resistência à abrasão (%).


Os ensaios de compressão diametral realizados nas matrizes metálicas foram
feitos em uma máquina universal de ensaios mecânicos INSTRON, modelo 5582 –
100 KN de capacidade, usando uma velocidade de 1 mm/min. Detalhes deste teste
pode ser encontrado na literatura (8).

RESULTADOS E DISCUSSÕES

A Tab. 2 mostra os valores obtidos para a densidades relativa (ρR) para cada
matriz metálica.

Tab. 2 – Densidade relativa das matrizes metálicas de Nb.


Matrizes Metálicas ρR (%)
28,34%Fe - 56,66%Cu - 15%Nb 82,855
25%Fe - 50%Cu - 25%Nb 82,709
21,67%Fe - 43,33%Cu - 35%Nb 81,289
18,34%Fe - 36,66%Cu - 45%Nb 82,406

5514
21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais
09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

Em relação às amostras a base de Nb, a liga com 15 e 25%Nb apresentaram


resultados bons, atingindo um valor de 82,855 e 82,709%, respectivamente. Todas
as amostras apresentaram uma densidade relativa satisfatória, sendo a menor para
a liga com 35%Nb (81,289%) devido a maior presença de poros observado em sua
estrutura (9).
O valor inferior das ligas com 45 e 35%Nb, referente à densidade relativa,
indica a ocorrência da porosidade durante a sinterização, conforme foi observado
(9)
por Oliveira . Esta relação entre poros e densificação pode ser explicada pelo fato
de que o principal mecanismo de transporte de massa para a densificação são
basicamente limitados pela fase rica em Cu. As quantidades presentes de partículas
sólidas induzem uma alta deformação que agem aumentando a força motriz para a
densificação (3). Caso que não foi bem sucedido para estas duas ligas.
As matrizes metálicas obtidas pela prensagem a quente foram submetidas ao
teste de Dureza Rockwell B (HRB), conforme Tab. 3.

Tab. 3 – Dureza HRB das matrizes metálicas a base de Nb.


ε (±)
Matrizes Metálicas Dureza HRB
(kgf/mm2)
28,34%Fe - 56,66%Cu - 15%Nb 87,1 3,0
25%Fe - 50%Cu - 25%Nb 90,5 4,1
21,67%Fe - 43,33%Cu - 35%Nb 76,1 3,0
18,34%Fe - 36,66%Cu - 45%Nb 90,3 5,8

Observa-se uma dispersão dos valores de dureza HRB à medida que


aumenta o teor de Nb na matriz.
Variando de 15 a 25% Nb houve um acréscimo no valor de dureza, passando
de 87,1 para 90,5 HRB. Mas ao aumentar o teor de Nb para 35%, ocorre um
decréscimo no valor da dureza, 76,1 HRB, enquanto que para 45%Nb o valor
aumenta para 90,3 HRB. Este mesmo comportamento foi observado pela densidade
relativa, a qual resulta em um material mais denso, o que acarreta numa melhor
dureza.
Uma possível explicação para a variação dos valores de dureza HRB das
matrizes metálicas com Nb é devido à formação de soluções sólidas de Fe-Nb. A
liga com 15%Nb apresenta em sua estrutura uma pequena participação de solução

5515
21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais
09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

sólida FeaNbb devido à baixa porcentagem de Nb na composição da matriz metálica


e imiscibilidade do mesmo no Fe. Ao aumentar para 25%Nb, a quantidade de
solução sólida aumenta, uma vez que com o acréscimo de Nb a rede cristalina fica
saturada com átomos de Fe, sofrendo transformações de fases gerando mais
soluções sólidas (9).
A partir de 35%Nb, ocorre um decréscimo no valor da dureza, o que pode
estar relacionado à baixa densidade devido à presença de porosidade, e no caso de
45%Nb, a quantidade de poros diminui e aumenta as soluções sólidas de Fe-Nb e
CuFe (9).
As ligas estudadas neste trabalho, a base de Nb, tiveram um valor de dureza
satisfatório quando comparadas as comercias que utilizam Co como ligante. O
valores de dureza encontrados para a Cobalite HDR foi 108 HRB, a DIABASE com
dureza entre 94 e 97 HRB e para a NEXT 100 obtida a partir da literatura, 109 HRB
(1-3; 10-11)
.
Amostras sinterizadas de cada matriz metálica foram ensaiadas a fim de
verificar o desgaste, para os tempos acumulados de 2, 6, 12 e 20 minutos. Na Tab.
4. é apresentado o valor obtido da RA para cada matriz metálica, mostrando o
comportamento de cada uma em intervalos de tempo diferentes após ter sofrido
perda de massa durante o ensaio.

Tab. 4 – Resistência à Abrasão versus Tempo das matrizes metálicas.

Tempo Resistência à Abrasão (%)


(min) 15%Nb 25%Nb 35%Nb 45%Nb
2 1,237 7,537 1,595 1,132
6 0,541 1,739 0,662 0,480
12 0,404 1,077 0,449 0,271
20 0,386 1,005 0,431 0,185

Pode-se observar que, independente dos valores de RA, todas as matrizes


metálicas apresentam o mesmo comportamento durante todo o ensaio. Inicialmente
houve um decréscimo no valor de RA, provavelmente devido à camada de óxidos
formada durante a sinterização. Depois de 6 minutos, os valores de RA tendem a
serem próximos até atingir os 20 minutos. Isto mostra que, apesar de uma

5516
21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais
09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

concentração de Nb ter se destacado mais em relação às outras, todas as matrizes


depois de 6 minutos de trabalho de corte não perdem massa o suficiente para
diminuir a qualidade de corte da mesma.
As matrizes metálicas conduzidas ao teste de abrasão para determinar quais
composições são mais resistentes ao desgaste revelou que a liga com 25%Nb é a
que apresentou melhor resultado. Entretanto as ligas com 15, 35 e 45% de Nb
podem, supostamente, também serem usadas em ferramentas de corte, apesar de
terem uma RA inferior, pois apresentaram um bom comportamento durante os
testes.
Pode-se verificar que o comportamento da dureza para as matrizes de Nb
nem sempre segue a mesma linha para o teste de RA, em que a matriz com 25%Nb
possui melhor resultado acompanhada pela matriz com 35, 15 e 45%Nb, o que
indica uma mudança nas propriedades destas matrizes com a variação de Nb, pois
este auxilia na formação de solução sólida de Fe-Nb e consequentemente interfere
no valor de dureza.
As Propriedades Mecânicas, como tensão de escoamento (σe), resistência à
compressão (σm) e módulo de elasticidade (E), provenientes do ensaio de
compressão, são apresentados na Tab. 5.

Tab. 5 – Propriedades Mecânicas para as matrizes metálicas sinterizadas.


Matriz Metálica σe (MPa) σm (MPa) E (GPa)
15%Nb 63,599 253,208 44,025
25%Nb 59,586 172,007 33,260
35%Nb 36,947 95,378 24,784
45%Nb 53,078 105,693 30,0199

Pode-se ver que a resistência dos materiais de se deformarem plasticamente


aumenta na medida em que a densidade aumenta. Como a matriz metálica com
35%Nb foi a que apresentou uma maior concentração de poros em sua estrutura,
sua densidade em relação às demais foi inferior, obtendo esta matriz os piores
resultados mecânicos.
A matriz metálica com 15%Nb foi a que apresentou melhor resultado para σ e
e σm, 63,599 MPa e 253,208 MPa respectivamente, e maior E (44,025 GPa).

5517
21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais
09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

Isso pode estar relacionado com o fato desta matriz, apesar de ter maior
quantidade de cobre, possuir em sua estrutura uma fase sólida Fe (CCC). É por isso
que se observa um maior valor de E, revelando uma rigidez maior deste material
quando comprimido.
As propriedades mecânicas da matriz com 35%Nb foram as mais baixas,
mostrando um menor valor de E (24,784 GPa), maior deformação elástica e
ductilidade, logo menores valores de σe, σm (36,947 MPa e 95,378 MPa
respectivamente). Estes baixos valores podem estar relacionados à presença de
porosidade, fazendo com que as soluções sólidas de Fe-Nb não interfiram
significamente em suas propriedades como nas demais matrizes.
Para as matrizes com 25%Nb e 45%Nb, os valores de σ e, σm e E
apresentaram próximos, podendo dizer que o comportamento de ambos, ou seja, a
resposta do material quando solicitado mecanicamente, são boas.

CONCLUSÕES

1. Os valores de dureza HRB e densidade relativa revelaram o mesmo


comportamento, apresentando melhor resultado para a matriz com 25%Nb
comparativamente com as demais, indicando efetivação durante a sinterização
por prensagem a quente.
2. A matriz metálica Fe – Cu – 25%Nb apresentou resistência a abrasão superior
às demais matrizes, indicando menor desgaste da matriz e melhor desempenho
durante corte.
3. Conclui-se que a matriz metálica 25%Fe – 50%Cu – 25%Nb apresentou
resultados satisfatórios e superiores, do ponto de vista abrasivo.
4. Nota-se que, para as matrizes metálicas a base de Nb, a matriz com 25%Nb e
45%Nb, as quais apresentaram valores próximos e maiores de dureza, em
relação ao ensaio de RA, a matriz com 25%Nb apresentou o melhor resultado
enquanto que a matriz com 45%Nb mostrou-se inferior.
5. A matriz metálica com 25%Nb apresentou uma relação de dureza, resistência à
abrasão e tensão de escoamento superior às demais matrizes e resultados
comparáveis com as ligas a base se cobalto, especificamente NEXT 100,
podendo ser esta viável na fabricação de compósitos diamantados.

5518
21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais
09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

AGRADECIMENTOS

A primeira autora agradece a CAPES pela realização deste trabalho.

REFERÊNCIAS

1. Clark, I.E.; Kamphuis, B. 2002, Cobalite HDR – A New Prealloyed Matrix


Powder for Diamond Construction Tools. Industrial Diamond Review. n.3.
p.177-182.

2. Weber, G.; Weiss, C. 2005, Diamix – A Family of Bonds Based on Diabase,


v.21. Industrial Diamond Review. n.2. p. 28-32.

3. Del Villar, M.; Muro, P.; Sánchez, J.M.; Iturriza, I.; Castro, F. 2001, Consolidation
of diamond tools using Cu-Co-Fe based alloys as metallic binders. Powder
Metallurgy. n.1. v.44. p. 82-90.

4. Oliveira, L.J.; Filgueira, M. 2007, Aplicação de ligas de Fe-Cu-SiC como matriz


ligante em ferramentas diamantadas. Revista Brasileira de Aplicações de
Vácuo. n.1, v.26. p.15-20.

5. Oliveira, L.J.; Bobrovnitchii, G.S.; Filgueira, M. 2007, Processing and


Characterization of Impregnated Diamond Cutting Tools Using a Ferrous
Metal Matrix. International Journal Refractory Metals and Hard Materials. v.25.
p.328-335.

6. Shibuta, D.; et al. (1983) Recovery of Diamond from Diamond Tool Scrap.
Mitsubishi Metal Corporation. Japanese Patent.

7. Oliveira, L.J. 2005, Processamento e Caracterização do Sistema Fe-Cu-


Diamante Para Uso em Pérolas de Fios Diamantados. Dissertação (Mestrado
em Ciência e Engenharia de Materiais) – Campos dos Goytacazes – RJ,
Universidade Estadual do Norte Fluminense - UENF, 122p

8. Jonsén, P.; Häggblad, H.A.; Sommer, K. 2007, Tensile strength and fracture
energy of pressed metal powder by diametral compression test. Powder
Technology. n.176. p. 148-155.

5519
21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais
09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

9. Oliveira, H.C.P. 2010. Influência de Adições de Nióbio no Sistema Ferro-


Cobre para Atuar como Matriz Ligante em Ferramentas Diamantadas. Tese
(Doutorado em Ciência e Engenharia de Materiais) – Campos dos Goytacazes –
RJ, Universidade Estadual do Norte Fluminense. UENF, 232p.

10. Eurotungstene. 2005, Keen – a new concept in prealloyed powders. Industrial


Diamond Review. v.3, p. 45-47.

11. Kamphuis, B.; Serneels, B. 2004, Cobalt and nickel free bond powder for
diamond tools: Cobalite CNF. Industrial Diamond Review. n.1. p. 26-32.

ANALYSIS OF MECHANICAL PROPERTIES OF METALLIC MATRIX FE-CU-NB


OBTAINED BY THE TECHNIQUE OF POWDER METALLURGY

ABSTRACT

The present work aims to study the metal matrix Fe-Cu-Nb, Nb content varying from
15% to 45% by weight, in order to examine the possibility of substitution the cobalt by
niobium in metal matrix to act as a binder in diamond tools. The metallic powders
were mixed and then hot-pressed at 800 ° C / 35MPa / 3 min, sintering occurs. Were
held in these sintered abrasion test, HRB hardness, density and diametral
compression test in order to evaluate the mechanical properties of the metal matrix.
The results were satisfactory from the point of view of their mechanical properties to
metallic niobium-based system, compared to cobalt.

Keywords: system Fe-Cu-Nb, hot pressing, metallic matrix, mechanical properties.

5520

Interesses relacionados