Você está na página 1de 4

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA

CURSO DE DIREITO

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA

ANAÍNA CLARA DE MELO

GRASIELE DA SILVA PROCÓPIO

TURMA E

PROJETO DE PESQUISA

OS CRIMES VIRTUAIS

JOÃO PESSOA – PB

2018.1
 DELIMITAÇÃO:

O crescimento e a falta de leis específicas.

 PROBLEMÁTICA DA PESQUISA:

De que maneira a falta de legislação específica para crimes cibernéticos pode


interferir na nossa segurança em relação ao meio virtual?

 JUSTIFICATIVA:

A escolha desse tema se deu por se tratar de um assunto atual e cada vez
mais presente em nosso cotidiano, porém, ainda surgem muitas dúvidas no que
se refere as formas de resguardar nossos direitos através de qualquer crime
praticado meio virtual, bem como a quem recorrer, quem teria a competência
para processá-los e julgá-los.
A internet como uma das principais inovações dos últimos séculos, não
encontra barreiras nas leis (inclusive penais). O Direito acaba por não ser tão
efetivo a ponto de evoluir no mesmo ritmo que a sociedade virtual, em razão do
processo legislativo brasileiro ser muito lento. Fato este que explica o problema
da falta de tipificação legal dos crimes virtuais.
A internet tornou-se um canal muito utilizado pela publicidade, pois é um meio
de informação, negócios, entretenimento e interação social, concorrendo com
todos os outros meios de comunicação existentes em nosso cotidiano e com um
alcance de público infinitamente maior do que os de outros meios de
comunicação, com capacidade de ultrapassar fronteiras e atingir milhões de
pessoas ao redor do mundo.

No mesmo passo que há evolução dos recursos virtuais, as ameaças


praticadas via computador se aprimoram com o passar dos anos. A maior parte
das vítimas do delito informático é constituída de cidadãos comuns, que em geral
não compreendem corretamente o meio em que estão, nem as dificuldades ou
prejuízos que podem lhe ser imputados, por meio virtual ou por outro usuário.

São vários os tipos de infrações cometidas pela internet, entre elas destacam-
se: falsificação de dados, estelionatos eletrônicos, pornografia infantil, racismo e
xenofobia.

Temos um exemplo no Brasil de crime digital que determinou a aprovação da


Lei nº 12.737/ 2012, apelidada de Lei Carolina Dieckmann, modifica no velho
Código Penal e tipifica uma série de condutas no ambiente digital, principalmente
em relação à invasão de computadores, além de estabelecer punições
específicas.

A sociedade avançou tecnologicamente mas esse tipo de pessoa ainda anda


por aí, com as mesmas práticas (porém virtuais) mas, com a mesma eficiência
em torturar suas vítimas e com novas ferramentas, de alcance inimaginável. Não
são somente as crianças e os adolescentes que estão sujeitos a serem vítimas
de crimes na internet; mas os adultos também estão.

A legislação atual é ultrapassada, por isso a importância desse estudo está


além de mostrar que o direito apesar de estar tentando acompanhar a evolução
da sociedade parece rastejar em seu tempo, não o conseguindo por muitas
vezes.

 OBJETIVOS

OBJETIVO GERAL:
O direito está diretamente ligado as pessoas e a evolução da
sociedade, conforme as mesmas se desenvolvem o direito tem por
objetivo acompanha-las. Assim, com o avanço cibernético criou-se a
necessidade de que o Direito protegesse aqueles que são vítimas dos
crimes que passaram a ser efetuados pelo mundo virtual. Este trabalho
buscará como analisar as formas de crime virtual, a busca da autoria
desse delito, sua evolução e especificidades.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
 Apresentar a evolução histórica dos crimes virtuais bem como
os conceitos e classificações;
 Averiguar os meios que a legislação dispõe sobre o Direito
Digital perante a problemática;
 Relatar os tipos de crimes que são cometidos por meios virtuais;
 Compreender a importância do assunto para o Direito moderno.