Você está na página 1de 12

Engenharia Ambiental

Ementa

 Política ambiental e seus instrumentos.


ANÁLISE DE IMPACTO Aspectos legais e institucionais. Tramitação
AMBIENTAL: ESTUDO DE CASO dos estudos de impacto ambiental. Estudos
de caso de estudos de impactos ambientais:
EIA-RIMAs.

Prof. Ronalton Machado

Objetivos da disciplina Metodologia


 Desenvolver a habilidade de analisar criticamente  Aulas teóricas e práticas de análise de
e sintetizar os estudos de impactos ambientais e estudos de impacto ambiental e elaboração
seus relatórios de impactos ambientais, nas
de um diagnóstico ambiental de um
diversas áreas.
empreendimento.
 Aprender sobre a política ambiental nos níveis
municipal, estadual e federal. Relacionar os
aspectos legais e institucionais com os estudos de
impactos ambientais analisados. Desenvolver a
capacidade de planejar e executar um estudo de
impacto ambiental.
CONTEÚDO (Tópicos e respectivas bibliografias)
CONTEÚDO (Tópicos e respectivas bibliografias)
4. Prática
4.1 Planejamento de um estudo de impacto ambiental
1. Introdução/Revisão 4.1.1 Levantamento bibliográfico
2. Impactos ambientais 4.1.2 Planejamento dos estudos de impactos ambientais
2.1 Impacto ambiental e causas 4.1.3 Estimativa de custos
2.2 Estudo de impacto ambiental e suas finalidades 4.1.4 Elaboração do projeto
2.3 Tipos de estudos de impacto ambiental 4.2 Elaboração de relatório
2.3.1 Análise ambiental preliminar 4.3 Apresentação oral de relatório
2.3.2 RAP - Relatório Ambiental Preliminar 4.4 Leitura e análise de estudos de impacto ambiental
2.3.3 EIA - RIMA - Estudo e Impacto Ambiental e Relatório de 4.4.1 Diagnóstico ambiental
Impacto Ambiental 4.4.1.1 Elaboração de projeto de diagnóstico ambiental
3. Leitura e discussão de textos sobre previsão de impacto apresentação oral
ambiental 4.4.2 Análise de Relatório Ambiental Preliminar – RAP
4.5 Tramitação dos estudos de impacto ambiental
4.6 Análise de EIA – RIMAs.

BIBLIOGRAFIA
CRITÉRIOS E MÉTODOS DE AVALIAÇÃO
 HAMMES, Valeria Sucena et al. 2002. Julgar, percepção do impacto ambiental.
Brasilia, Embrapa.  Provas Escritas (teóricas), Prova Substitutiva, outras provas e trabalhos)A
avaliação semestral será feita através de:
 IBAMA . 1997 . Avaliação de impacto ambiental. Brasília, Instituto Brasileiro do
meio Ambiente, 132p.  - 02 provas escritas.

 Tauk-Tornisielo, Sâmia Maria. 1995. Analise ambiental. São Paulo : Fundação  - trabalhos com apresentação escrita e oral. Os trabalhos deverão contemplar a
Salim Farah Maluf: T.A. Queiroz, 381p. apresentação de relatório escrito e seminário sobre os estudos de impactos
ambientais analisados e elaborados pelos alunos.
 AB’SABER, A. N. & MÜLLER-PLANTEBERG, C. (1994). Previsão de Impactos: o
estudo de impacto ambiental no leste, oeste e sul. Experiências no Brasil, na  A média semestral será a média aritmética das avaliações.
Rússia e na Alemanha. São Paulo, EDUSP, 569 p.

 RIMA – Rodoanel Mario Covas, Trechos Norte, Leste e Sul.

 EIA-RIMA – Projeto de integração do Rio São Francisco com bacias hidrográficas


do nordeste setentrional.

 RIMA – Ampliação da BELGO

 RIMA – Condomínio Alphaville


Introdução

Métodos de  ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL:

avaliação de • Identificar e avaliar os prováveis impactos de uma


atividade ou empreendimento com elevado
impactos ambientais potencial de degradação ambiental durante as
revisão fases de projeto (planejamento, construção,
operação e, quando for o caso, desativação).

Como valorar aquilo que não tem valor?

ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL- EIA


(conteúdo mínimo) MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL

• Descrição de projeto e suas alternativas, nas etapas de


planejamento, construção, operação e, quando for o  São instrumentos utilizados para coletar, analisar,
caso, desativação; avaliar, comparar e organizar informações
• Delimitação e diagnóstico ambiental da área de qualitativas e quantitativas sobre os impactos
influência (meio físico, o meio biótico e o meio socioeconômico); ambientais originados de uma determinada
• A análise dos impactos ambientais do projeto; atividade modificadora do meio ambiente, em que
• Comparação das alternativas e a previsão de situação são consideradas, também as técnicas que
ambiental futura, nos casos de adoção de cada uma das
definiram a forma e o conteúdo das informações a
alternativas, inclusive no caso de não se executar o
projeto; serem repassadas as setores envolvidos. (Silva,
• Identificação das medidas mitigadoras e do programa de 1994).
monitoramento dos impactos;
• A preparação do relatório de impacto ambiental – RIMA.
MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL
MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL

 São divididos em:


É importante afirmar que não há, dentre os
 Econômicos – impactos podem ser avaliados
em unidades monetárias, métodos de AIA conhecidos, aquele que se
 Quantitativos – impactos são avaliados em aplique a todo e qualquer estudo de impacto
qualquer unidade que não a monetária, ambiental. Nem poderia haver, por conta da
 Qualitativos – quando os impactos podem ser variedade de sistemas ambientais e das diversas
avaliados por caracterizações como “muito, naturezas dos empreendimentos e seus impactos
pouco, nada”, “a longo, médio e curto prazo”,
potenciais. Da apreciação de todos os métodos
“significativo ou insignificante”, ou por meio de
escalas ou pesos que permite a hierarquização conhecidos, pode-se inferir que seus princípios
dos mesmos. auxiliam a uma ou outra tarefa do estudo.

MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL


(síntese dos principais métodos) (síntese dos principais métodos)

 Metodologia espontânea (ad hoc)  Metodologia de listagem (check-list)


• Este método consiste em reuniões de um grupo de • As listagens de controle apresentam uma relação dos impactos
mais relevantes de um empreendimento, podendo associá-los às
especialistas, com formações variadas, escolhidos de
características ambientais afetadas e às ações que os provocam
acordo com o tipo de projeto a ser analisado. A
nas fases de implantação e operação.
avaliação é realizada, numa abordagem inicial, sobre os
• Essas listagens podem constar de uma simples relação de
principais impactos do empreendimento. Pode ser
impactos, como também atribuir pontos aos mesmos, de forma a
considerado como um método indicado para a análise
indicar sua magnitude, ou ainda, fazer uma comparação entre
prévia dos impactos prováveis de um projeto, sendo útil diversas alternativas para um empreendimento. As listagens
na definição da melhor alternativa a ser adotada. podem ser apresentadas também sob a forma de um
questionário.
•Lista de Controle Simples:
 Metodologia de listagem (check-list) •Avaliação de impacto ambiental devido a projeto de usina termelétrica

Há diversos tipos de listas:

 Listas Simples:

 os impactos são enumerados de modo simples e avaliados


qualitativamente,
 apresentam limitações, pois não possibilitam associações dos
impactos com as atividades que as geraram e nem identificação
de impactos secundários.

Fonte: Rodrigues,1998

•Lista de Controle Descritiva:


 Metodologia de listagem (check-list) •Avaliação de impacto ambiental devido a projeto de usina termelétrica

 Listas Descritivas:
 Possibilitam a
designação de valores
 são mais detalhadas do que as simples, pois permitem
numéricos ou
reconhecer as fontes geradoras de impacto. hierarquizastes para cada
fator ambiental –
 Não fornecem informações sobre a importância dos impactos e
comparação entre
não estabelecem diretrizes objetivas para tomada de decisão. alternativas.

Fonte: Rodrigues,1998
•Lista de Controle Comparativas:
 Metodologia de listagem (check-list)
 comparação entre alternativas de projeto – menor nº de vezes as magnitudes > LI

 Listas Comparativas:

 são estimadas magnitudes para os impactos ambientais pela


adoção de valores representativos para a área analisada que são
comparados com “os valores limites de interesse” (fixado para
cada fator)

•Lista de Controle Escalar:


 Metodologia de listagem (check-list)
Ex.: quatro alternativas de construção de uma rodovia

 Listagens de Controle Escalar:

 possibilita a designação de valores numéricos para cada fator


ambiental,
 Permite comparações e classificações entre impactos –
parâmetros estejam padronizados,
 São alocados pesos relativos ao impacto avaliado para cada
aspecto analisado.
 Utiliza especialistas para a determinação da magnitude do
impacto e aceita a participação de comunidade afetada.
Pesos: 0 - nenhum 1 – pequeno 2 – médio 3 – grande impacto

A comparação entre alternativas pode ser realizada com o uso de algum técnica de
avaliação empregando análise multicritério.
•Lista de Controle Ponderáveis :
 Metodologia de listagem (check-list)

 Listagens de Controle Ponderáveis:

 Estrutura-se numa árvore com quatro fatores ambientais, 78


parâmetros e um sistema de ponderação,
 Para cada parâmetro é necessário estimar o seu impacto
ambiental,
 São atribuídos pesos a estes, originando índices de qualidade
ambiental,
 Método de Battelle é a listagem ponderável mais conhecida,
 Permite a comparação entre alternativas de um mesmo projeto, e
por ter sido elaborado para operar quantitativamente, fornece
bons resultados na caracterização ambiental e previsão de
impactos.

 Matrizes de interações
 As matrizes de impactos permitem associar as ações de um
empreendimento às características ambientais de sua área de influência,
através de uma listagem bidimensional,

 Em um dos eixos, são relacionados as características do ambiente e no


outro as ações do projeto, em suas diversas fases. Na quadrícula de
intersecção dos dois eixos, são assinalados os impactos ambientais que
devem ocorrer, de acordo com o tipo (positivo, negativo), duração
(permanente, temporário), intensidade (forte, fraco, médio), etc..

 Uma das matrizes mais difundidas nacional e internacionalmente foi a


Matriz de Leopold. Ela consta de uma lista de 100 ações que se cruzam
com 88 componentes ambientais.

 As entradas da matriz (linhas e colunas) têm sido modificadas por


diferentes profissionais especializados em EIA, para adaptar este
método a outras tipos de atividades e empreendimentos.
Metodologia
 Redes de interação (Networks)

 As redes de interação permitem estabelecer relações do tipo


causa-efeito, retratando, a partir do impacto inicial, o conjunto de
ações que o desencadearam direta ou indiretamente.
 Neste método, são utilizados diagramas, gráficos ou
fluxogramas, mostrando a cadeia de modificações que ocorrem,
 identificar alguma interação entre ação impactante c/ algum fator ambiental,
ou seja, os impactos diretos e indiretos que podem resultar de
 traça-se uma diagonal nesta célula,
um empreendimento,
 anotar a magnitude do impacto (1 a 10), na metade superior da célula - benéfica ou adversa,
 anotar na parte inferir a importância do impacto (1 a 10),  Podendo ser usado para mostrar o relacionamento dos impactos
 os dois valores atribuídos a cada célula são multiplicados, de primeira, segunda e terceira ordens (sua principal vantagem),
 a soma de cada coluna da matriz determina um índice parcial que adicionados entre si geram
um índice global.
 Não é recomendado para grandes projetos, ou quando estes
apresentam muitas alternativas.
Este índice permite análise de alternativas indicando a mais favorável.

Parte de uma rede de interação


•Redes de interação para a ação de desmatamento na
abertura de caminhos de serviço,
em obras de construção de
estradas. Fogliatti, 2004
Ex.: Rede de interação
 Superposição de Mapas (Overley Mapping)

 Este método consiste na elaboração de vários mapas de uma mesma


área, cada um destacando um fator ambiental. Através da superposição
dos mapas, pode-se identificar os impactos mais significativos.
 A superposição de cartas tem sido utilizada no planejamento territorial,
na realização de diagnósticos ambientais e na definição de locais
adequados para a implantação de determinados empreendimentos
(estradas de rodagem, linhas de transmissão, dutos).

Estudos Ambientais
 Este tipo de atividade está se tornando mais fácil pela utilização
Complementares e ferramentas informáticas do tipo SIG (Sistemas de Informações
atualização do EIA/RIMA
Geográficas).
da Usina Termelétrica
Jacui, 2000

 Restrições: limitação na quantificação dos impactos, fatores ambientais


que não podem ser representados em mapas e a difícil integração dos
impactos socioeconômicos.

Antes
......
Sobreposição dos
mapas utilizando-
se de mesa de luz

Mapas temáticos
elaborados em
folhas
transparentes
Ex.: Superposição de Mapas Transformação de mapas temáticos em informações numéricas:
1= Mata; 2= Cerrado; 3= maior ou igual a 20%; 4= menor que 20%
 Admita a existência dos seguintes mapas temáticos (todos na mesma
5= Latossolo e 6= Litossolo.
escala e com o mesmo padrão de detalhamento) de uma área em que
se pretende implantar um empreendimento:
Maior ou igual a 20% Li La
M C
Menor ou igual a 20% La
Maior ou igual a 20% Li La
M C
Mapa de vegetação Mapa de declividade Mapa de solos
Menor que 20% La
Assim temos:
Mapa de vegetação Mapa de declividade Mapa de solos

Sendo: 11112222 33333333 66665555


M= Mata; 11112222 33333333 66665555
11112222 44444444 55555555
C= Cerrado;
11112222 44444444 55555555
Li= Litossolo (solos rasos);
La= Latossolo (solos profundos). Mapa de vegetação Mapa de declividade Mapa de solos

Alternativa de localização com o objetivo de se minimizar o custo de


implantação do empreendimento e os impactos ambientais:
Para cada tipo de ocupação...

1º alternativa: Cerrado + menor que 20% + Latossolo SOBREPOSIÇÃO


IDENTIFICAÇÃO
IDENTIFICAÇÃO DE
DE SOBREPOSIÇÃO UTILIZANDO
UTILIZANDO CRITÉRIOS
CRITÉRIOS DE
DE
2º alternativa: Cerrado + maior ou igual a 20% + Latossolo FATORES
FATORES DE
DE INTERESSE
INTERESSE PONDERAÇÃO
PONDERAÇÃO
3º alternativa: Mata + menor que 20% + Latossolo
Solos
Solos

Assim, são os respectivos mapas de aptidão/restrição da área: Relevo


Relevo

NNNNNNNN NNNNAAAA NNNNNNNN Hidrografia


Hidrografia
NNNNNNNN NNNNAAAA NNNNNNNN
NNNNAAAA NNNNNNNN AAAANNNN Geologia
Geologia
NNNNAAAA NNNNNNNN AAAANNNN
Infra-estrutura
Infra-estrutura
1º alternativa 2º alternativa 3º alternativa
Sendo: Uso
Uso ee ocupação
ocupação
N = não apto, pois pelo menos uma restrição não foi atendida;
A = apto, pois todas as restrições foram atendidas.
Ex.: Superposição de Mapas
 Restrições:
• limitação na quantificação dos impactos,
• fatores ambientais que não podem ser representados em mapas, e
• a difícil integração dos impactos socioeconômicos.

 vantagens:
• visualização espacial dos fatores ambientais e a extensão dos
impactos,
• O poder de síntese,
• Facilidade de comparação de alternativas,
• Possibilidade de utilização em grandes projetos.

Simulações da dispersão de
 Modelos de simulação Ex.: Modelos de simulação
poluentes atmosféricos de uma
usina de Açúcar e Álcool

 Os modelos matemáticos são utilizados para simular o comportamento


de determinado sistema ambiental, após uma ou mais modificações
provocadas no mesmo. Eles são capazes de processar variáveis
qualitativas e quantitativas e incorporar medidas de magnitude e
importância de impactos ambientais.
 É um método que pode apresentar bons resultados para a previsão em
determinadas situações específicas, tais como, a autodepuração de um
recurso hídrico, a dispersão de poluentes atmosféricos, entre outras.

 Algumas vezes, a aplicação de modelos se torna difícil devido à grande


quantidade e variedade de parâmetros físicos, biológicos e sócio-
econômicos envolvidos.
 Sistemas Especialistas

 São programas cujo objetivo é resolver um problema de modo que sua


solução seja idêntica àquela gerada por especialistas.
 O sistema armazena as informações necessárias para a avaliação em
uma base de conhecimento que é acessada por meio de linguagem de
programação,
 É um método ainda em estudo e exige recursos humanos capacitados
para sua utilização.

 Considerações

 A evolução tecnológica dos últimos anos possibilitou o


desenvolvimento de diversos métodos para a avaliação
ambiental de projetos com potencial poluidor,

 Entretanto, não existe um método padrão para avaliação de


todos os projetos, devendo ser utilizado o mais adequado
as características do caso em estudo ou a combinação
deles.

Você também pode gostar