Você está na página 1de 70

COLÉGIO MILITAR DE SALVADOR

“Recinto Sagrado”

MANUAL DO ALUNO

Este manual contém informações importantes


para quem estuda ou tem filhos estudando no
Colégio Militar de Salvador.

- 2013 -
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …................................................................................ Fl 2)

Sumário
1. PROPOSTA PEDAGÓGICA (PP)_____________________________________ Fl 06
1.1 Objetivos da Proposta Pedagógica _________________________________ Fl 07
1.2 Fundamentos Educacionais da Proposta Pedagógica __________________ Fl 08
1.3 Implementação da Proposta Pedagógica ____________________________ Fl 09
2. AVALIAÇÃO EDUCACIONAL DO CMS __________________________________ Fl 10
2.1. Modalidades de Avaliação Educacional _______________________________________ Fl 10
2.2. As Avaliações Parciais de Recuperação (APR)________________________ Fl 10
2.3. Segunda Chamada de Provas____________________________________________ Fl 11
2.4. Procedimentos para a Segunda Chamada ________________________________ Fl 11
3. RECUPERAÇÃO DA APRENDIZAGEM______________________________ Fl 12
3.1. Absorção de Pré-requisitos __________________________________________ Fl 12
3.2. Funcionamento das Aulas de Recuperação _______________________________ Fl 13
4. CONDIÇÕES GERAIS DE APROVAÇÃO __________________________________ Fl 13
5. TRABALHO ACADÊMICO _________________________________________ Fl 13
5.1 de 6º a 9º ano do Ensino Fundamental ______________________________________ Fl 14
5.2 de 1º a 2º ano / Ensino Médio ____________________________________________ Fl 14
5.3 Ensino Médio – 3º ano ___________________________________________________ Fl 15
5.4 Frequência______________________________________________________________ Fl 16
5.5 Atrasos__________________________________________________________________ Fl 16
5.6 Saídas Antecipadas_______________________________________________ Fl 16
5.7 Faltas e Atestados________________________________________________________ Fl 17
5.8 Atribuições do Chefe e Subchefe de Turma_______________________________ Fl 17
5.8.1 Missões do Chefe de Turma______________________________________ Fl 18
5.8.2 Missões do Subchefe de turma____________________________________ Fl 18
6. ATENDIMENTO MÉDICO_________________________________________________ Fl 19
7. ATIVIDADES ESPORTIVAS_________________________________________ Fl 19
8. TRABALHOS EM DOMICÍLIO E MATERIAL ESCOLAR_________________ Fl 20
9. LIVRARIA, TRANSPORTE E CANTINA ESCOLAR___________________ Fl 20
9.1 Livrarias e Material Escolar _____________________________________________ Fl 20
9.2 Transporte Escolar_______________________________________________ Fl 20
9.3 Cantina Escolar______________________________________________ Fl 21
10. ENTRADA E SAÍDA DO COLÉGIO ___________________________________________ Fl 21
11. ASSISTÊNCIA SOCIAL ___________________________________________________ Fl 21
11.1 Pedido de Isenção da Quota Mensal Escolar ________________________ Fl 23
11.2 Doações de Uniformes ___________________________________________ Fl 23
12. APRESENTAÇÃO INDIVIDUAL DO(A) ALUNO(A)___________________ Fl 23
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …........................................................................................... Fl 3)

12.1 Cabelo _______________________________________________________________________ Fl 23


12.1.1 Cabelo Masculino___________________________________________ Fl 23
12.1.2 Cabelo Feminino _______________________________________________________ Fl 24
12.2 Adornos _____________________________________________________________________ Fl 25
12.3 Unhas e Maquiagem _________________________________________________________ Fl 26
12.4 Uniforme________________________________________________________________ Fl 26
12.4.1 Composição dos Uniformes Masculinos ________________________________ Fl 26
12.4.2 Composição dos Uniformes Femininos___________________________ Fl 30
13. CURSO DE FORMAÇÃO DE RESERVISTAS (CFR)___________________________ Fl 33
14. ORIENTAÇÕES DE SEGURANÇA DENTRO E FORA DO COLÉGIO________ Fl 33
14.1 Segurança comunicativa_________________________________________________ Fl 34
14.2 Relacionamento com a imprensa ___________________________________________________ Fl 34
14.3 Responsabilidades no uso educativo da mídia___________________________ Fl 35
15. POSTURAS DENTRO E FORA DO COLÉGIO _____________________________________ Fl 35
16. FUMO E DEMAIS DROGAS ___________________________________________________________ Fl 36
17. VEÍCULOS _______________________________________________________________________________ Fl 36
18. TELEFONE CELULAR, OBJETOS DE VALOR ETC_________________________ Fl 38
19. COMUNICAÇÃO OFICIAL ____________________________________________________________ Fl 38
19.1 Reuniões de Responsáveis e Mestres _______________________________________________ Fl 38
19.2 Circulares/Memorandos______________________________________________ Fl 38
19.3 Entrevistas/Atendimento Individual__________________________________ Fl 39
19.4 Comunicação Virtual _________________________________________________________________ Fl 39
20. PARCERIA FAMÍLIA – CMS____________________________________________________________ Fl 39
20.1 Sugestões aos responsáveis para acompanhamento no estudo domiciliar de Fl 40
seus dependentes________________________________________________________ Fl 40
20.2 Direitos dos Responsáveis ____________________________________________________ Fl 41
20.3 Compromissos dos Responsáveis______________________________________ Fl 41
21. ORIENTAÇÕES PARA O ESTUDO __________________________________________________ Fl 42
21.1 Estudar para quê? __________________________________________________________________ Fl 42
21.2 Sugestões para maior êxito nos estudos _____________________________________ Fl 42
21.3 Características necessárias ao aluno bom leitor __________________________ Fl 45
22. O REGIME DISCIPLINAR_____________________________________________ Fl 45
22.1 Disciplina__________________________________________________________ Fl 45
22.2 O Perfil do Aluno_______________________________________________ Fl 46
22.2.1 “Cola” _______________________________________________________________________ Fl 46
22.2.2 Comportamento Social __________________________________________________________ Fl 47
22.2.3 Higiene e Asseio do Colégio ____________________________________________________ Fl 48
23. COMPORTAMENTO DOS ALUNOS_____________________________________ Fl 50
23.1 Classificação _________________________________________________________ Fl 50
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 4)

23.2 Valor numérico das punições__________________________________________ Fl 50


23.3 Melhoria de comportamento ________________________________________________ Fl 51
23.4 Exclusão disciplinar_________________________________________________ Fl 51
23.5 Transgressões disciplinares _________________________________________________________ Fl 51
24. ESTÍMULOS _____________________________________________________ Fl 55
24.1 A Hierarquia ____________________________________________________ Fl 55
24.2 Recompensas _________________________________________________________________________ Fl 55
24.2.1 Aluno destaque____________________________________________________ Fl 55
24.2.2 Legião de Honra ____________________________________________________________ Fl 56
24.3 As Promoções (Organização do Batalhão Escolar)________________________ Fl 58
24.4. Normas para concessão do grau de incentivo____________________________ Fl 61
24.5. Critérios para a seleção dos alunos para o Quadro de Honra ______________ Fl 62
25. BANDA DE MÚSICA / CORAL ________________________________________________________ Fl 63
25.1 Recrutamento______________________________________________________ Fl 63
25.2 Promoção na Banda de Música________________________________________ Fl 64
27. CONCLUSÃO _______________________________________________________________________ Fl 64
28. ANEXOS _____________________________________________________________ FL66
28.1 Calendário_____________________________________________________ FL66
28.2 Cálculo de Notas ________________________________________________ FL67
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 5)

Prezados Pais, Responsáveis e Alunos,

É com muita satisfação que apresento o Manual do Aluno.

Peço-lhes que façam uma leitura cuidadosa de seu conteúdo, pois, apesar de parecer uma
simples repetição de normas e orientações feitas em anos anteriores, aborda em seu conjunto
detalhes que visam a facilitar a relação colégio- aluno-família.
Desde 1957, o Colégio Militar de Salvador se orgulha em participar da sociedade
brasileira, particularmente, da sociedade baiana. Sua história de amor à Pátria é escrita por
intermédio da formação de cidadãos baseada, principalmente, na fidelidade à tradição e aos valores
mais caros ao Exército Brasileiro.
O sucesso e a qualidade do desempenho dos alunos, dos profissionais do Corpo Docente e
dos responsáveis no processo ensino-aprendizagem dependem da atenção e do cuidado com que
serão levadas em consideração as exigências e os pormenores do procedimento do dia a dia
escolar.
A necessidade da excelente apresentação dos uniformes, a exigência da pontualidade, as
atitudes, os procedimentos com relação aos professores, aos colegas, ao patrimônio e tudo o mais,
levam à linguagem do entendimento e das responsabilidades que possibilita superar as divergências
explícitas tão prejudiciais à formação daqueles que a vida nos confiou.
Educar deve ser uma ação dinâmica, irreversível em suas conquistas. A realidade nos
obriga a rever conceitos e práticas ultrapassadas. A evolução conduz naturalmente à absorção de
novas ideias.
O maior objetivo do Colégio Militar de Salvador é a busca da qualidade do saber, do querer
e do viver em uma opção consciente e comprometida com a verdade. Propósito este que deve ser
compartilhado com a boa vontade dos que desejam formar pessoas cultas, solidárias e preparadas
para enfrentar os desafios do porvir.
O Colégio Militar de Salvador sente-se honrado em poder contar com a companhia de todos
nessa jornada de realizações e ensinamentos que, com certeza, engrandecerá o aluno, a família e a
escola.

Sejamos felizes.

Salvador BA, 20 de janeiro de 2013

CARLOS ALBERTO MANSUR – Cel


Cmt EsFCEx/CMS
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 6)

1. PROPOSTA PEDAGÓGICA (PP)

Os pais que optam pelo CMS para realizar a educação de seus filhos acreditam nos valores que
orientam a escola e desejam que seus filhos absorvam a cultura, a tradição, o modo de fazer e de
agir do Exército Brasileiro num ambiente hierarquizado e disciplinado.

A participação dos responsáveis é fundamental para o êxito da educação que objetiva à formação
autônoma de indivíduos éticos, solidários e atuantes social e politicamente. O comparecimento em
reuniões de responsáveis e mestres (RRM) é condição essencial para que o CMS possa ouvir das
famílias críticas construtivas sobre sua proposta pedagógica, visando a seu aperfeiçoamento e
modernização.

O aluno do CMS deve se destacar pela consciência que tem de sua dignidade como pessoa; por
sua postura de respeito para com os mais velhos, superiores e semelhantes; por sua conduta no
Colégio e em vias públicas; por sua solidariedade; por seu espírito patriótico e por sua participação
cívica.

O Colégio deve proporcionar ao aluno um ambiente sadio e agradável para o júbilo da desejada
simbiose, visando à construção do saber em um sentido bastante amplo por intermédio do
estabelecimento e consolidação de relações interpessoais que irão acompanhá-lo por toda sua vida.

1.1 Objetivos da Proposta Pedagógica

A ação educacional do CMS tem como objetivos gerais em sua proposta pedagógica:

a. permitir ao aluno DESENVOLVER ATITUDES E INCORPORAR VALORES


familiares, sociais e patrióticos que lhe assegurem um futuro de cidadão patriota, cônscio de seus
deveres, direitos e responsabilidades, qualquer que seja o campo profissional de sua preferência;

b. propiciar ao aluno A BUSCA E A PESQUISA CONTINUADAS DE


INFORMAÇÕES RELEVANTES;

c. desenvolver no aluno a visão crítica dos fenômenos políticos, econômicos, históricos,


sociais e científico-tecnológicas, ensinando-os, pois, a APRENDER PARA A VIDA e não mais,
simplesmente, para fazer provas;

d. preparar o aluno para REFLETIR E COMPREENDER OS FENÔMENOS e não,


meramente, memorizá-los;

e. capacitar o aluno à ABSORÇÃO DE PRÉ-REQUISITOS FUNDAMENTAIS AO


PROSSEGUIMENTO DOS ESTUDOS ACADÊMICOS e não de conhecimentos supérfluos que
se encerrem em si mesmos;
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 7)

f. estimular o aluno à SAUDÁVEL PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA, buscando o seu


desenvolvimento físico e incentivando a prática habitual do esporte; e

g. despertar VOCAÇÕES PARA A CARREIRA MILITAR.

1.2 Fundamentos Educacionais da Proposta Pedagógica

Para atingir essas metas, a proposta pedagógica do Sistema Colégio Militar do Brasil é
composta dos seguintes fundamentos educacionais:

a. oferecer ao aluno condições de acesso ao conhecimento sistemático universal,


considerando a realidade de sua vida, proporcionando uma FORMAÇÃO INTEGRAL PARA O
SEU DESENVOLVIMENTO NAS ÁREAS COGNITIVA, AFETIVA E PSICOMOTORA;

b. oferecer educação integral, em tempo integral, vigorando desde 2011 a partir do 6º ano,
continuando sua implementação até que todos os anos do Fundamental e Médio sejam
contemplados de forma progressiva;

c. capacitar o aluno à absorção de conteúdos programáticos qualitativos e de pré- requisitos


essenciais ao prosseguimento de seus estudos, com base no domínio da leitura, da escrita e das
diversas linguagens utilizadas pelo homem, permitindo-lhe ANALISAR, SINTETIZAR E
INTERPRETAR DADOS, FATOS E CÁLCULOS, para resolver situações-problema simples ou
complexas, valorizando o seu desenvolvimento pessoal;

d. utilizar procedimentos didáticos e técnicas metodológicas que conduzam o aluno a


OCUPAR O CENTRO DO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM E A CONSTRUIR
COM A MEDIAÇÃO DO PROFESSOR, O PRÓPRIO CONHECIMENTO, fruto de
abordagens seletivas, contextuais, interdisciplinares, contínuas e progressivas;

e. estimular no aluno o desenvolvimento de atitudes crítico reflexivas, espírito de


investigação, criatividade, iniciativa e respeito às diferenças individuais, conduzindo-os a
APRENDER A APRENDER e APRENDER A PENSAR;

f. conduzir o aluno a compreender o significado das áreas de estudo e das disciplinas,


enquanto participante do processo histórico da transformação da sociedade e da cultura,
desenvolvendo a sua autonomia, valorizando o conhecimento prévio, suas experiências e as relações
professor-aluno e aluno-aluno, conscientizando-os de que A APRENDIZAGEM ADQUIRIDA É
MAIS IMPORTANTE QUE A AVALIAÇÃO EDUCACIONAL DE AFERIÇÃO ESCOLAR;
e

g. desenvolver no aluno atitudes, valores e hábitos saudáveis à vida em sociedade, num


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 8)

ambiente no qual todos possam:

1) COMPREENDER E RESPEITAR OS DIREITOS E DEVERES da pessoa humana,


do cidadão patriota, da família, dos grupos sociais, do estado e da nação brasileira;

2) acessar e dominar recursos científicos relevantes que lhes permitam SITUAR-SE


CRITICAMENTE DIANTE DA REALIDADE, assumindo responsabilidades sociais;

3) preparar-se para PARTICIPAR PRODUTIVAMENTE DA SOCIEDADE, no


exercício responsável de sua futura atividade profissional; e

4) praticar a atividade física buscando o seu DESENVOLVIMENTO FÍSICO E A


CRIAÇÃO DE HÁBITOS SAUDÁVEIS PARA O CORPO, inclusive com a prática de esporte.

1.3 Implementação da Proposta Pedagógica

A aprendizagem só será significativa à medida que o discente conseguir estabelecer uma


relação não arbitrária e substantiva entre os conteúdos escolares e os conhecimentos previamente
construídos por ele, num processo de articulação dos significados.

Para atingir tais propósitos, na implementação da PP é necessário:

a. manter o envolvimento de toda comunidade escolar no exercício da ação educacional,


dentro e fora da sala de aula;

b. realizar contínua análise dos diferentes instrumentos pedagógicos que possibilitem uma
visão integrada do discente e docente, bem como, da validação de currículos, da avaliação de
desempenho de docentes e discentes, dos indicadores de qualidade dos cursos e dos instrumentos de
avaliação, visando à correção de eventuais desvios educacionais;

c. buscar intenso uso de recursos técnicos para a implementação das diversas propostas
metodológicas nos diversos campos do conhecimento dos Ensinos Fundamental e Médio;

d. planejar contínua atualização dos educadores por meio de estágios, simpósios, reuniões
de coordenação, palestras e capacitação de educadores; e

e. manter atualizado o controle do processo de avaliação das variáveis externas como:


resultados em exames seriados, em vestibulares, em concursos, em pesquisas, no IDEB, no
ENEM, nas escolas militares e em competições científicas culturais e desportivas. A proposta
pedagógica deverá estar conectada com a execução de projetos educacionais aprovados pela
DEPA e desenvolvidos nos demais Colégios Militares.

No Sistema Colégio Militar do Brasil, educar é mais importante que avaliar.


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 9)

2. AVALIAÇÃO EDUCACIONAL DO CMS

O sistema de avaliação educacional do Colégio Militar Salvador realiza análise sistemática de


dados relevantes do processo ensino-aprendizagem nas diversas atividades relacionadas com as
séries do Ensino Fundamental e Médio.

A avaliação do rendimento da aprendizagem é a elaboração de juízos de valor sobre o discente


de determinada série, quando submetido às modalidades de avaliações educacionais adotadas pelo
CMS, conforme prescrições dos R – 126, R – 69, das Normas de Planejamento e Gestão Escolar
(NPGE) e Normas Internas de Avaliação Escolar (NIAE).

2.1 Modalidades de Avaliação Educacional

São três as modalidades de avaliação educacional, com objetivos distintos e desenvolvidos em


diferentes momentos durante o processo ensino-aprendizagem:

Diagnóstica – Avaliação que tem por objetivo verificar o nível mínimo de pré-requisitos, em
uma ou mais disciplinas ou atividades, indispensáveis à continuidade dos estudos na série
pretendida, quando serão aplicados testes de avaliação antes da efetivação da matrícula, os quais
servirão de base para elaboração dos programas de recuperação da aprendizagem.

Formativa – Visa ao acompanhamento do desenvolvimento do aluno, promovendo


desempenhos mais eficientes e integrais. Tem como principais instrumentos os diversos tipos de
exercícios e testes aplicados pelo professor que poderão compor as notas das Avaliações Parciais
(AP) e a FRAD (Ficha de Registro e Acompanhamento do Discente) que serve para registro de
todas as informações relevantes sobre os discentes.

Poderá ser concedido até um ponto de grau de incentivo à participação (GIP) na média de AP
das áreas de estudo ou disciplinas, em que o aluno estiver envolvido, a título de bonificação, se o
discente participar efetivamente das atividades extraclasse, tais como: monitoria, banda de música,
coral, teatro, atletas e outras atividades a critério do Diretor de Ensino.

Somativa – Os critérios para a avaliação cognitiva somativa são definidos nos PSD (Planos de
Sequência Didática). São as provas formais - Avaliações de Estudo (AE) que poderão ser escritas,
gráficas ou mistas, realizadas individualmente, de acordo com calendário previsto no Plano
Geral de Ensino (PGE).

O Trabalho Interdisciplinar (TI), proposto aos discentes no início do ano, com etapas
intermediárias, prazos e apresentação dos trabalhos acertados pelos docentes após a formação
dos diversos grupos.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 10)

As Avaliações Parciais (AP) poderão ser aplicadas ao término de uma unidade didática
(UD) ou um conjunto de UD, a critério do coordenador da disciplina.

As Provas de Recuperação Final (PRF) serão realizadas após o término do ano letivo com data
fixada no PGE, com duração normal de 2 (duas) horas, para o aluno que não conseguir aprovação
por média com nota final igual ou superior a 5,0 (cinco). Destinam-se a avaliar os assuntos, por
disciplina, considerados pré-requisitos fundamentais para que o aluno prossiga os estudos nos anos
seguintes.

2.2 As Avaliações Parciais de Recuperação (APR)

A recuperação dos alunos será composta de uma atividade não-presencial (atividade


preparatória) e outra presencial (avaliação da recuperação).

Essas avaliações, tanto a atividade preparatória como a avaliação de recuperação, terão


valores estabelecidos pela Seção Técnica de Ensino do Colégio Militar de Salvador de acordo com
as normas vigentes.

As APRs abrangerão sempre conteúdos do bimestre anterior, ocorrerão conforme


calendário específico.

O cálculo da NOTA PERIÓDICA RECUPERADA (NPR) é feito de acordo com a fórmula


constante no anexo de cálculo de notas.

As aulas de recuperação são obrigatórias.

2.3 Segunda Chamada de Provas

Os alunos que por motivo justificado não comparecerem à Avaliação de Estudo (AE) terão
direito de fazer uma segunda chamada.

A segunda chamada será autorizada nos casos de doença comprovada por atestado médico
apresentado às Companhias de Alunos em até 48 (quarenta e oito) horas, desde que homologado
pela Seção de Saúde do CMS; para os atletas convocados pela Seção de Educação Física do CMS
por motivo de competição e também por ocasião de luto comunicado pela família. Outros casos
deverão ser submetidos à aprovação do Subdiretor de Ensino do CMS. A falta à segunda chamada
na data marcada pela Seção Técnica acarretará nota zero na prova considerada.

Não são considerados motivos para realizar segunda chamada: atraso, falta de preparação e
viagens de passeio.

Se não houver a comunicação do responsável à Companhia de Alunos, o aluno poderá ser


sancionado por falta a trabalho previsto, sem a devida justificativa, sendo-lhe atribuída a nota zero
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 11)

na atividade em questão.

Não haverá segunda chamada para trabalhos escolares que compõem a AP, pois se considera
que o professor aplicará diversas avaliações, podendo, desta forma, calcular a média.

Não haverá segunda chamada para a prova de recuperação (APR).

2.4 Procedimentos para a Segunda Chamada

O aluno que faltar à realização da AE deverá apresentar ao Comandante de Companhia suas


justificativas, dentro do prazo de 48 (quarenta e oito) horas. Findo este prazo, o Comandante de
Companhia terá 24 horas para informar ao Comandante do CA se há necessidade ou não da
aplicação de segunda chamada dentro do calendário previsto. E este informará ao Chefe da Divisão
de Ensino.

Para ter o direito de realizar a segunda chamada de AE e PRF, por motivo justificado, o aluno
deverá:

a. preencher o requerimento disponível na Companhia de Alunos (Cia Al) com a devida


justificativa. O próprio aluno pode retirar a folha de requerimento na Sargenteação da sua Cia Al,
que deverá ser preenchida e assinada pelos pais ou responsáveis;

b. pagar a taxa correspondente a 15% de QME relativa ao mês considerado, através GRU;

c. entregar o requerimento e a taxa paga na Sargenteação da Cia Al; e

d. a prova de segunda chamada será realizada em período determinado pela Subdireção de


Ensino, em horário diferente ao das aulas e segundo o calendário de provas organizado pela Seção
Técnica de Ensino.

3. RECUPERAÇÃO DA APRENDIZAGEM

A Recuperação da Aprendizagem é uma atividade diferenciada em que o aluno tem a


oportunidade de desenvolver e consolidar hábitos de trabalho, superar suas dificuldades e construir
sua própria autonomia.

3.1 Absorção de Pré-requisitos

Aulas do Apoio Pedagógico (absorção de pré-requisitos).

Aos alunos considerados inaptos e aptos com restrição na avaliação diagnóstica realizada no
ato de seu ingresso no Colégio Militar e aos discentes aprovados em conselho de classe, será
oferecido um programa intensivo de aulas de absorção de pré-requisitos realizado no Apoio
Pedagógico.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 12)

Ao término das aulas de absorção de pré-requisitos, os discentes nela empenhados poderão ser
submetidos a uma avaliação que deverá compor a nota de AP do 1º bimestre, nas disciplinas de
Português e Matemática.

O Apoio Pedagógico é uma atividade escolar oferecida obrigatoriamente pelo Colégio Militar
de Salvador. São aplicadas, em qualquer momento do ano letivo, avaliações diagnósticas aos alunos
e, caso sejam detectadas dificuldades de aprendizagem e falta de pré-requisitos, os alunos avaliados
serão inseridos na atividade de Apoio Pedagógico para que possam continuar seus estudos no
referente bimestre e nos subsequentes. Esta atividade visa à capacitação imprescindível para o
progresso escolar.

O Apoio Pedagógico programado constitui-se em atividade escolar obrigatória para o aluno,


salvo em caso de expressa solicitação contrária feita pelo responsável do mesmo, assumindo a
responsabilidade por tal ato.

A saída do aluno da atividade de apoio pedagógico não está vinculada à obtenção de nota,
mas à avaliação diagnóstica que ateste sua capacidade em prosseguir nos estudos regularmente.

3.2 Funcionamento das Aulas de Recuperação

A recuperação dos alunos será realizada de forma presencial, devendo os professores


fornecerem atividades preparatórias para prova formal. Estas atividades comporão parte do valor da
APR e o restante do valor será verificado por meio de prova formal, conforme critérios da Seção
Técnica de Ensino. A entrega das atividades obedecerá ao calendário da Divisão de Ensino.

Todas as disciplinas poderão utilizar os tempos destinados à recuperação de pré-


requisitos para desenvolver atividades visando à recuperação de conteúdos.

Os alunos de nota periódica (NP) inferior a cinco serão obrigados a realizar as atividades de
recuperação e prova formal (APR) na disciplina. Os alunos que obtiverem nota periódica (NP)
entre 5,0 (cinco) e 5,5 (cinco e meio), inclusive, poderão participar do processo de recuperação
para melhorar seu grau. Para isso, deverão fazer sua inscrição na Companhia de Alunos até 02
(dois) dias úteis após a divulgação da nota da AE do bimestre.

O Cmt do CA deverá informar à DE a relação de voluntários da APR até 04 dias úteis após
divulgação do resultado da AE do bimestre. Cabe salientar que, a nota obtida na recuperação visa
somente à aprovação no ano e não influenciará na formação do Batalhão Escolar e na concessão de
alamar.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 13)

A frequência às aulas de recuperação tem caráter obrigatório. As inscrições deverão ser feitas
pelos responsáveis interessados, que deverão assumir os compromissos de alimentação e transporte
de seus responsabilizados.

Com o intuito de haver uma maior integração do binômio família – escola, o CMS
disponibilizará salas de aula e docentes para a realização das aulas de recuperação e fará a
conferência das presenças/faltas dos alunos inscritos. O Colégio não terá a obrigação de colocar o
aluno em sala de aula. Ao responsável, caberá o compromisso de fazer com que seu
responsabilizado compareça à aula, bem como o acompanhamento de sua frequência.

Os alunos que não realizarem as atividades preparatórias não terão direito à nota referente à
respectiva atividade, mas permanecerão com o direito de realizar a APR, desde que o responsável
tenha feito sua inscrição para tal no período previsto.

4. CONDIÇÕES GERAIS DE APROVAÇÃO

Considerar-se-á habilitado para promoção ao ano seguinte o aluno que:

a. obtiver, em cada área de estudo ou disciplina, nota final (NF), no mínimo, igual ou
superior a 5,0 (cinco) ou após a Prova de Recuperação Final (PRF), o aluno que obtiver Nota
Final Recuperada (NFR) igual ou superior a 5,0 (cinco);

b. possuir a frequência mínima de setenta e cinco por cento do total das horas letivas para
aprovação, de acordo com o inciso VI do Art 24 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional
(LDBEN); e

c. após a realização da PRF, o aluno que tiver alcançado NF ou NFR igual ou superior a 4,5
(quatro e meio) em 01 (uma) área de estudo no Ensino Fundamental, ou em 02 (duas) disciplinas no
Ensino Médio, e não tiver faltado à prova de recuperação final poderá ser submetido ao Conselho de
Classe de Recuperação.

O aluno que não obtiver aproveitamento escolar suficiente em qualquer disciplina será
considerado repetente, respeitando o disposto no R–69.

5. TRABALHO ACADÊMICO

5.1 Do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental

A euforia da admissão no CMS e as transformações naturais, próprias da entrada na


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 14)

adolescência, fazem com que o aluno deste segmento busque sua autonomia e método de estudo,
aprendendo a conciliar os novos interesses com o aumento de solicitações e trabalhos.

O aluno precisa crescer em sua capacidade de gerenciar seus diferentes compromissos


escolares, de saber explicitar suas dificuldades para os professores, de trabalhar em cooperação
produtiva com os colegas. Paralelamente, precisa ter elementos de estímulo e apoio para a
descoberta de si próprio e para a descoberta do outro.

Assim como novas habilidades e recursos pessoais serão descobertos, novas dificuldades
vão aparecer. Mesmo que nessa etapa os responsáveis não sejam mais tão solicitados pelos alunos,
é preciso que a família mantenha uma atitude atenta ao delineamento da personalidade, dos
hábitos, das habilidades e das dificuldades, atuando, sobretudo na construção de valores de
referência. É importante a família manter os vínculos com o Colégio, utilizando-se da Companhia
de Alunos e da Seção Psicopedagógica.

5.2 Do 1ª ao 2ª ano do Ensino Médio

A maioria dos alunos desse segmento tem o CMS como uma extensão de sua casa. O mesmo
vale para as famílias, que devem encontrar no Colégio ecos dos valores e objetivos de formação
que desejam para seus filhos. É importante que os alunos tenham ciência de seus talentos e
interesses mais específicos, reunindo elementos para que as decisões que serão tomadas nos
próximos anos sejam vivenciadas com autonomia e segurança.

O aluno do CMS é preparado para poder superar os desafios dessa fase da adolescência. É
muito importante aprender a gerir uma quantidade maior de disciplinas, compromissos de estudo e
os conflitos éticos e pessoais pelos quais se passa entre os 14 e 17 anos em um colégio exigente. Por
outro lado, é uma idade de descobertas, de experimentação e principalmente de muita energia vital.
É importante que, tanto escola quanto família possam atuar, criando possibilidades de canalização
positiva de toda essa vontade de viver.

Nessa etapa, fatos e decisões aparentemente pequenos podem ter impacto para toda a vida.
Logo, é importante que a família e a escola estejam atentas àquilo que tange à dedicação e à
responsabilidade no tratamento das obrigações pessoais, à formação dos círculos de
relacionamento e aos padrões de conduta social e cultural.

5.3 Ensino Médio – 3º ano

O último ano do Ensino Médio é um ano especial. As exigências próprias dos diversos
concursos, principalmente a EsPCEX e exames vestibulares, a organização de estudo diferenciada e
a iminência da escolha da carreira profissional levam os alunos a um amadurecimento ainda maior.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 15)

Mais do que qualquer outra época de sua vida, o aluno estará sendo desafiado a concentrar seu
esforço e sua atenção no objetivo imediato, devendo aprender a assumir os riscos e sacrifícios
exigidos pela opção que está fazendo.

O aluno do 3º ano do Ensino Médio estará, em muitos momentos, sendo exigido em seus
limites, tendo de tomar atitudes e comportamentos que a vida não lhe permite mais adiar. Isso não
se dá sem esforço e sem que se pague um preço psicológico e, muitas vezes, físico. O sacrifício de
noites de sono, dias de lazer, momentos de convívio, contudo, é de alguma forma recompensada
pela conquista que se aproxima e pelos fortes laços que se formam com a turma em seu último ano
juntos. É um momento em que se torna fundamental encontrar apoio no Colégio e em casa para que
se crie um ambiente emocional e afetivo propício a sua vitória.

5.4 Frequência

É obrigatória a frequência aos trabalhos escolares, isto é, a todas as atividades programadas


para alunos, inclusive às representações em solenidades cívico-militares.

Sempre que houver o interesse do ensino ou da instrução do aluno, poderão ser realizadas
sessões, instruções ou atividades escolares cuja presença do aluno também será obrigatória, no
CMS ou em outro local pré-determinado, nos contraturnos, feriados, pontos facultativos ou finais
de semana.

Quando o aluno não puder comparecer ao CMS, seu responsável deverá comunicar o fato ao
Comandante da Cia Al no mesmo dia, ainda que por telefone. Depois de comunicada a falta, sua
justificativa deverá ser entregue na Cia Al, por escrito, pelo responsável ou pelo aluno no prazo de
03 (três) dias úteis após a ocorrência, findo o qual não será considerada para todos os efeitos,
inclusive para a realização de provas em segunda chamada. Haverá apenas uma prova de segunda
chamada para os alunos que faltarem à AE por motivo justificado.

As faltas dos alunos às atividades implicam perda de pontos e sanções disciplinares nos casos
não justificados. Para cada trabalho que o aluno não compareça ou aula que não assista
integralmente, corresponderá perda de 01 (um) ponto, quer seja justificada ou não. A justificativa da
falta libera o aluno das sanções disciplinares devidas, mas os pontos perdidos continuam lhe sendo
atribuídos.

O aluno que faltar a um dia de aula, perderá um ponto por aula.

Cada tempo de aula ou de sessão tem a duração de 45 (quarenta e cinco) minutos.

O limite máximo de faltas corresponde a 25% (vinte e cinco por cento), da carga horária.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 16)

Ultrapassando este limite, o aluno será excluído do Corpo Discente do Colégio.

A quantidade de pontos perdidos pelo aluno será divulgada, mensalmente, pelo Corpo de
Alunos.

O CMS informará ao Conselho Tutelar, ao Juizado da Infância e da Adolescência e ao


representante do Ministério Público quando o aluno atingir quantidade acima de 12,5% de faltas
constantes da grade curricular.

O Cmt Cia Al deverá orientar o monitor a retirar a falta da sua turma. Caso haja falta, o monitor
deverá entrar em contato com o responsável, informando a falta. Para isso, cada monitor deverá ter
um livro registro de ligações para documentar o dia, a hora e a pessoa que recebeu a informação.

5.5 Atrasos

A pontualidade é questão de disciplina pessoal e respeito aos compromissos. Os casos


especiais que impliquem atraso ou falta às aulas devem ser encaminhados pelos responsáveis ao
Corpo de Alunos, por intermédio da respectiva Companhia de Alunos.

Os alunos que chegarem ao colégio atrasados estarão sujeitos às sanções disciplinares previstas.

Nas atividades em sala, haverá tolerância de 5 minutos de atraso, passado este período perderá
o ponto relativo à atividade. Decorridos 10 minutos do início da atividade, o aluno será
encaminhado para a seção Psicopedagógica para as orientações cabíveis. O atraso de até 5 minutos,
desde que justificado, é tolerado e não acarreta perda de pontos e sanção disciplinar.

5.6 Saídas Antecipadas

Somente serão permitidas saídas antecipadas com a presença dos responsáveis ou com
solicitação escrita ou por telefone destes. As Companhias de Alunos emitirão papeletas de
autorização que deverão ser entregues pelos alunos ao pessoal de serviço nos portões do colégio
para atestar a permissão para saída fora do horário previsto. As saídas antecipadas só devem
ocorrer devido a sérias motivações de ordem médica ou familiar.

5.7 Faltas e Atestados

No caso de o estudante estar impossibilitado de comparecer às aulas, é necessário que o


responsável entre em contato com a respectiva Companhia de Alunos, se possível, com
antecedência. Em último caso, no mesmo dia da falta. No caso de apresentação de justificativas de
faltas, estas devem ser providenciadas pelos responsáveis e apresentadas nas Companhias de
Alunos.

Para dispensa das aulas de Educação Física e outras atividades por motivos médicos, deve ser
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 17)

providenciado um atestado junto ao médico que realizou o atendimento, que deverá ser levado pelo
aluno para homologação junto à Seção de Saúde. O aluno dispensado deverá acompanhar a
atividade física de sua modalidade com o uniforme de educação física e sua presença será
notificada. O aluno sem dispensa da Educação Física, que não apresente momentaneamente
condições de executá-la e não seja caso de dispensa médica, realizará uma atividade alternativa a
ser promovida pela Seção de Treinamento Físico.

O prazo de entrega das justificativas de faltas ao colégio e/ou às atividades físicas é de até 72
(setenta e duas) horas após a ocorrência da falta.

5.8 Atribuições do Chefe e Subchefe de Turma

5.8.1 Missões do Chefe de Turma

- S er o primeiro aluno a chegar ao local de formatura, colocando a turma em forma, por


própria iniciativa, nos horários previstos ou determinados e fazendo a chamada para apurar as
faltas, cuidando para que isso não implique atraso na apresentação da turma.

- Apresentar a turma de aula para o professor, instrutor ou monitor no início de cada aula
ou instrução militar, devendo dizer: “Al Fulano, chefe da turma ….., apresento a turma com (ou sem) faltas.”

- Apurar as faltas verificadas na turma por ocasião de aulas ou formaturas.

- Retransmitir ordens gerais aos alunos da turma, zelando pelo seu cumprimento no que
for de sua responsabilidade.

- Não permitir que sejam conduzidos para as salas de aulas objetos desnecessários.

- Cumprir prescrições particulares dos professores, relativas às aulas ou matérias.

- Quando solicitado pelo Professor, alertá-lo sobre a aproximação do término da aula.

- Diariamente, por ocasião das vistorias obrigatórias realizadas pelos monitores nas salas
de aulas de suas turmas, apresentar o responsável ou responsáveis por danos ocorridos no material
da sala de aula, como carteiras, cestos, vidros e outros na própria sala de aula.

- Dar conhecimento das presentes normas ao Subchefe de Turma, a quem cabe substituí-lo
nas eventualidades.

- Manter a disciplina na ausência do professor, instrutor ou monitor. Assinalar, na Ficha


de Observações, os alunos que se atrasarem para as aulas, instruções ou formaturas.

- No caso de aluno retirado de sala, lançar na ficha de observações e solicitar ao


professor, ao término de aula, que escreva o motivo no verso da ficha datando e assinando.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 18)

- Exigir, durante as formaturas, a mais perfeita correção de atitudes.

- Apresentar a turma ao Sgt monitor, comunicando-lhe as faltas e informando-lhe, se


possível, os motivos.

- Em caso de deslocamento da turma, fazê-lo sempre em forma, passo sem cadência,


atentando para todos os detalhes aprendidos na Ordem Unida.

– Procurar constituir-se sempre em exemplo aos seus camaradas, enquadrando-se nas


normas e regulamentos do Colégio Militar, sem descuidar dos elevados princípios de educação e
moral.

– Manter as salas limpas e arrumadas, devendo ter como auxiliar nesse encargo o
subchefe de turma.

5.8.2 Missões do Subchefe de Turma

- Substituir o Chefe de Turma na sua ausência, para o que deverá inteirar-se das atribuições
normais do cargo.

- Zelar pela manutenção da limpeza e conservação da sala de aula, fiscalizando-a no final


do turno.

- Manter sempre adequada a disposição das carteiras.

- Acionar os alunos para que se dirijam ao local de formatura matinal logo que tenham
deixado o material na sala de aula.

- Entregar aos monitores, diariamente, ao término das aulas, o material esquecido pelos
alunos.

- Entregar a papeleta de faltas, diariamente, ao Sgt monitor, cuidando para que todos os
períodos tenham sido assinados pelo professor.

- Ajudar o chefe de turma na apuração das faltas.

6. ATENDIMENTO MÉDICO

O Colégio dispõe de uma Seção de Saúde com serviço médico-odontológico e de


enfermagem que atende os alunos em casos de emergência (mal súbito e acidentes).

Os alunos que forem atendidos, em razão de mal-estar (dores em geral, estados febris, etc),
somente serão liberados com a presença do responsável, se for o caso, após contato telefônico
realizado pela Companhia de Alunos. A direção do colégio julga ser de extrema importância que o
aluno enfermo não se desloque desacompanhado do responsável legal.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 19)

Casos de consulta médica devem ser resolvidos pelos responsáveis com seus planos de
saúde próprios.

É importante manter atualizada a Ficha de Informações Médicas do Aluno, que é entregue


no ato da matrícula. Os pais devem dar especial atenção às informações sobre alergias, medicação
especial e outras particularidades de saúde do estudante, bem como informar sobre planos de saúde
a que seus filhos estejam vinculados e contatos de emergência.

Todos os alunos deverão ser aprovados nos exames médicos por ocasião da matrícula e
serão submetidos a revisões nos anos subsequentes, a fim de serem acompanhados quanto à sua
capacidade de executarem as exigências físicas do Colégio e atualizarem o prontuário médico com
os dados necessários para casos de emergência.

7. ATIVIDADES ESPORTIVAS

A Seção de Educação Física (Seção de Ensino E) oferece horários de treinamento


específico em várias modalidades, visando à formação de equipes para a participação em
competições externas.

Há também as eletivas, que são oferecidas para os alunos do turno integral.

As modalidades e horários são organizados e divulgados pela Seção de Educação Física de


acordo com a disponibilidade de professores e locais para funcionamento.

8. TRABALHOS EM DOMICÍLIO E MATERIAL ESCOLAR

Os exercícios, tarefas e deveres de casa são fundamentais como complementos do que


acontece em sala de aula. Contribuem para a fixação da aprendizagem e permitem esclarecer
dificuldades com o professor ou os colegas posteriormente.

O estudo em casa deve ser acompanhado pela família que, com apoio e motivação,
desempenha papel essencial no processo ensino-aprendizagem. É fundamental a orientação
familiar na organização e no acompanhamento do tempo destinado ao estudo, bem como na
execução dos trabalhos de pesquisa. O auxílio de familiares é bom no sentido da abertura de
possibilidades, mas nunca pela realização dos trabalhos no lugar do aluno.

O uso da Internet deve ser observado a fim de se evitar que o aluno simplesmente recorte e
cole informações sem trabalhá-las de forma criteriosa e crítica. É indispensável que o estudante
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 20)

não se limite apenas a executar procedimentos mecânicos de copiar – colar.

A não realização de trabalhos domiciliares poderá implicar sanção disciplinar.

Um problema ainda de difícil solução é o excesso de peso nas mochilas. Por isso, é
importante que o responsável faça com que seu dependente leve somente o indispensável para cada
dia de aula.

9. LIVRARIA, TRANSPORTE E CANTINA ESCOLAR

9.1 Livrarias e Material Escolar

As listas de material e livros estarão à disposição dos pais e responsáveis no ato da matrícula.
Serão divulgadas por meio da Ajudância do Corpo de Alunos, estando também disponível no
site do CMS.

O Colégio não tem compromisso com nenhuma livraria ou loja para material e uniforme
escolar, ficando a critério da família a compra no estabelecimento de sua preferência. Vale
ressaltar, no entanto, que a APM (Associação de Pais e Mestres) terá os livros para venda direta,
pelo preço da editora, aos pais que optarem por serem associados.

9.2 Transporte Escolar

O Colégio não possui transporte próprio para seus alunos nem possui convênio com
empresas, portanto, não indica e nem se responsabiliza pelos transportes escolares de terceiros,
contratados pelos responsáveis.

Com o intuito de facilitar o dia a dia dos responsáveis, o Colégio tem permitido que algumas
empresas divulguem seus serviços por ocasião da matrícula. Entretanto, os responsáveis devem
atentar criteriosamente para itens de segurança, cuidados e trato com as crianças no interior do
transporte escolhido, bem como se a viatura tem autorização para transportar crianças, se foi
realizada vistoria junto ao DETRAN e se está com a documentação em dia.

9.3 Cantina Escolar

Os serviços das cantinas são terceirizados, sendo prestados por empresas de confiança, cujos
proprietários se colocam à disposição e estão abertos às sugestões das famílias, principalmente em
relação ao atendimento às crianças do Ensino Fundamental.

O Colégio sugere que as famílias orientem seus filhos, sobretudo os menores, quanto à
qualidade e aos benefícios para a saúde na escolha dos alimentos consumidos. O consumo
excessivo de doces, balas e refrigerantes é sabidamente prejudicial.

Qualquer sugestão, crítica ou ocorrência no que tange aos serviços deverá ser comunicada
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 21)

imediatamente ao Chefe da Divisão Administrativa.

10. ENTRADA E SAÍDA DO COLÉGIO

O aluno do CMS deverá entrar sempre pelo Portão do CMS ou pelo Portão 3 da EsFCEx,
conforme horário estabelecido, devidamente uniformizado, trajando o uniforme corretamente
dentro dos padrões previstos.

O portão de entrada das Vilas Militares é exclusivo dos moradores da Vila Militar da
Pituba e Itaigara.

É expressamente proibido evadir-se do CMS pulando o muro. A entrada e saída do CMS só


poderá ser feita pelos locais para isso destinados.

O uniforme previsto para o aluno é o 3º BCM (uniforme de aula completo). O uso do abrigo
esportivo fica restrito aos dias determinados pelo colégio. O uso da cobertura (boina) será exigido
em todos os locais descobertos.

Qualquer irregularidade existente no uniforme será motivo de observação e, se for o caso,


de sanção disciplinar.

O horário normal de entrada no colégio em dias de aula é 06:40h e o de saída às 12:20h.


Nas quartas-feiras pela manhã, do 6º ao 9º ano a saída será às 12:00h e o Ensino Médio sairá às
12:45h. Nos dias de turno integral, a saída será às 16:30h.

11. ASSISTÊNCIA SOCIAL

11.1 Pedido de Isenção da Quota Mensal Escolar

A DEPA considera que todo responsável tem por obrigação proporcionar educação a seus
filhos. Porém, entende que há casos em que o responsável tem dificuldades em atender a tais
obrigações, sob pena de deixar de dar atenção às suas necessidades básicas (alimentação, saúde,
transporte, vestuário, etc.) por absoluta situação de carência.

Desta forma, considerando-se a situação social observada acima, é possível a concessão de


dispensa de QME parcial e temporária, quando a situação é devidamente comprovada por
sindicância.

Caso os responsáveis necessitem requerer isenção do valor da Quota Mensal Escolar,


seguem algumas informações para abertura do Processo de Sindicância:
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 22)

- não existe isenção total (por menor que seja o valor pago, sempre deve haver
preocupação e comprometimento dos responsáveis com a educação de seus dependentes),
podendo ser concedidos descontos de até 80% da Quota Mensal Escolar (QME).

Todos os requerentes serão submetidos a uma entrevista na Seção Psicopedagógica.

Os documentos necessários para apresentação no ato da entrevista são:

- identidade do requerente;

- certidão de nascimento dos dependentes;

- declaração de imposto de renda, ou declaração de isento (se for o caso);

- comprovante de rendimento do requerente e demais membros da família que contribuem


com a renda familiar;

- documentos médicos que comprovem doenças crônicas; e

- comprovantes (recentes) de despesas com:

• aluguel/financiamento da casa própria;

• luz;

• água;

• telefone;

• mercado;

• colégio/curso;

• gastos com farmácia (quando houver);

• outros gastos julgados cabíveis.

• transportes.

Serão feitas diligências para confirmação das informações e documentos apresentados durante
o estudo e avaliação do processo e em qualquer época do ano a fim de verificar se a condição de
necessidade permanece inalterada.

Como o CMS julga que deve haver uma busca incessante pela melhoria da qualidade de vida,
sendo condição “sine qua non” o exemplo dos responsáveis para com seus dependentes e que essa
atitude responsável contribui de maneira fundamental para a proposta pedagógica de educação
integral do cidadão comprometido com o bem-estar seu, de sua família e de toda a sociedade, fica
estabelecido que o percentual de isenção concedido terá validade apenas para o ano letivo
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 23)

considerado em sindicância.

É importante que os responsáveis tenham comprometimento com a vida escolar de seus


dependentes e não deixem de considerar que a redução nos valores das mensalidades será efetivada
tão somente após a homologação dos processos de sindicância com parecer julgado favorável,
podendo até ser retroativa. Neste caso, os valores pagos a mais serão descontados nas
mensalidades futuras.

11.2 Doações de Uniformes

O processo de doação de uniformes para alunos será gerenciado pela Seção


Psicopedagógica, em parceria com a Associação de Pais e Mestres (APM), mediante troca e
doações.

12. APRESENTAÇÃO INDIVIDUAL DO (A) ALUNO (A)

O acatamento às normas do CMS é obrigatório para todos os alunos e seus responsáveis


a partir da assinatura do termo de responsabilidade no ato da matrícula. Não serão aceitos
argumentos de que a discordância com quaisquer das normas vigentes justifiquem o
descumprimento destas, por ocasião de aplicação de sanções disciplinares.

A apresentação individual é um dos pontos considerados de grande importância dentro do


Sistema Colégio Militar, tendo em vista os aspectos educacionais que tentamos incutir em nossos
alunos como: higiene, boa aparência, sociabilidade, postura e marcialidade.

São recomendados aos alunos do CMS padronização, discrição e sobriedade na apresentação


individual.

O não cumprimento das normas e deveres que sempre aprendemos a preservar como
cidadão constitui transgressão disciplinar.

Ressalta-se que o aluno fardado representa a instituição Colégio Militar e, em última


instância, o Exército Brasileiro.

12.1 Cabelo

12.1.1 Cabelo Masculino

Meia cabeleira, aparada à máquina 2 na nuca e dos lados, mantendo bem nítidos o
contorno junto às orelhas e ao pescoço.

Na parte superior da cabeça, o cabelo será desbastado para harmonizar-se com o resto do
corte.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 24)

A nuca não deverá acabar em linha reta ou arredondada, mas ser desbastada com máquina
dois.
As costeletas deverão estar limitadas ao início dos lóbulos das orelhas.
Não é permitido o uso de bigode, barba ou cavanhaque.
Não são permitidos cortes fora do padrão estabelecido ou tintura no cabelo.
Serão feitas revistas, com intervalo máximo de 15 (quinze) dias, visando à fiscalização e
cumprimento das normas em vigor.
Padrão de corte do cabe los masculino

12.1.2 Cabelo Feminino

Padrão da aluna com cabelos médios ou longos usando “rabo de cavalo”.

Padrão da aluna com cabelos médios ou longos usando coque.

Padrão da aluna com cabelo curto solto.


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 25)

a. Nos dias de Formaturas Gerais e Solenidades:

- os cabelos curtos podem ser usados soltos (define-se cabelo curto como aquele que
não ultrapassar a borda superior da gola da blusa do uniforme);

- os cabelos médios e longos serão usados presos em coque, com grampos e “redinhas”
da cor dos cabelos;

- é permitido o uso do cabelo trançado (trança africana) desde que com as pontas presas
em forma de coque.

– a franja será usada quando a aluna estiver sem a cobertura (boina). Estando com
cobertura a franja será colocada para dentro da mesma.

OBSERVAÇÃO: Os cabelos podem ser tingidos uniformemente, em tonalidades


naturais e em cores discretas.

b. Dias normais de aulas e durante Sessões de Treinamento Físico:

- é permitido o uso do “rabo de cavalo” ou trança, desde que presos com elásticos da cor
dos cabelos.

12.2 Adornos

São as seguintes as restrições quanto ao uso de adornos:

a. Brincos:

- é permitido, para o segmento feminino, o uso de 01 (um) brinco em cada orelha, de


tamanho pequeno que não ultrapasse o lóbulo da orelha, sem pêndulo ou pingentes. Se for do tipo
argola, o diâmetro não deve ultrapassar 1,5 cm; e

- é proibido o uso de brincos pelo segmento masculino.

b. Colar, Cordão, Pulseira, Tornozeleira e “Piercing”: não são permitidos;

c. Aliança e Anel:

– é permitido o uso de uma aliança e de um anel discreto em cada mão;

d. Relógio de pulso:

– é permitido o uso, de qualquer modelo, desde que em cor discreta; e


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 26)

e. Prendedores e presilhas de cabelo são permitidos na cor preta ou da cor do cabelo.

12.3 Unhas e Maquiagem

As unhas podem ser tratadas e pintadas com esmalte incolor. Não é permitido o uso de
esmaltes coloridos.

Maquiagem e batom podem ser usados, desde que moderadamente, em qualquer ocasião.

12.4 Uniforme

O uniforme é um elemento formativo na vida do aluno. Não é permitida a entrada ou


permanência no colégio de estudantes sem o uniforme regulamentar. O CMS não autoriza nenhuma
variação do uniforme e não abre mão de seu uso.

Os primeiros que devem zelar pela apresentação dos uniformes são os responsáveis,
observando seus dependentes quando estes saem de casa. A prática vem demonstrando que há
necessidade de uma presença maior dos pais neste processo. A falta de participação e de comprometimento
dos responsáveis poderá levar o Corpo de Alunos a ter que adotar medidas restritivas quanto à
entrada dos alunos no colégio, convocando os responsáveis para ajudar na solução de impasses.

Cabe ressaltar que o colégio não tem convênio com lojas que vendam uniformes escolares,
porém alerta aos responsáveis para que estejam atentos para adquirirem uniformes de acordo com o
que é previsto no Regulamento de Uniformes do Exército (RUE).

12.4.1 Composição dos Uniformes Masculinos

Os uniformes masculinos do CMS que devem ser adquiridos e mantidos em muito boas
condições de uso pelos responsáveis estão descritos abaixo e obedecem às seguintes prescrições:

a. 1° Uniforme (1° CM)

1) Posse obrigatória para aluno de Colégio Militar.

2) Composição:

a) boina garança;

b) túnica branca tipo CM, em terbrim 007;

c) ponteira de gola trapezoidal, em terbrim azul 500,


com a estrela símbolo do CM, metálica;

d) divisa de ano em terbrim branco, bordada em


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 27)

dourado;

e) platina em terbrim azul 500,contornada com viés garança e reforçada com entretela;

f) camiseta meia-manga branca em malha de algodão (opcional);

g) calça garança em terbrim 315, com as duas faixas de 30 mm nas laterais, em terbrim
azul 500;

h) cinto branco de gala;

i) cinto caqui no tom padrão, com fivela dourada;

j) luva branca de suedine;

k) meia colegial preta,100% elastano; e

l) sapato preto modelo militar.

3) Uso:

a) com luvas: em solenidades e atos sociais nos quais seja exigido o 1º uniforme
básico; e

b) sem luvas: em solenidades e atos sociais nos quais seja exigido o 2º uniforme
básico.

b. 3° Uniforme ( 3° B)

1) Posse obrigatória para aluno de Colégio


Militar.

2) Composição:

a) boina garança;

b) camisa caqui meia-manga em grafil 704, com


ponteiras de gola em grafil 315, divisa de ano no mesmo
tecido da camisa, bordada em vermelho vivo;

c) calça caqui em terbrim 754, com a faixa lateral de


30mm em terbrim 315;

d) cinto caqui no tom padrão, com fivela dourada;

e) meia colegial preta, 100% elastano; e

f) sapato preto modelo militar ou coturno preto para aluno da Infantaria.


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 28)

3) Uso:

Uso em atividades diárias internas do colégio e nos deslocamentos entre o colégio e a


residência;

c. 4° Uniforme ( 4° A)

1) Posse obrigatória para aluno de Colégio Militar.

2) Composição:

a) boina garança;

b) camisa caqui meia-manga em grafil 704, com


ponteiras de gola em grafil 315;

c) divisa de ano, no mesmo tecido da camisa, bordada


em vermelho vivo;

d) calça garança em terbrim 315, com as duas faixas de


30mm nas laterais em terbrim azul 500;

e) cinto caqui no tom padrão, com fivela dourada;

f) meia colegial preta, 100% elastano; e

g) sapato preto modelo militar ou coturno preto para aluno de Infantaria.

4) Uso:

Uso em trânsito, em apresentações individuais ou coletivas, em reuniões correntes, em


passeio, em desfiles, em formaturas e em atividades estabelecidas pelo colégio.

d. 5° Uniforme ( 5° A)

1) Posse obrigatória para aluno de Colégio Militar.

2) Composição:

a) camiseta regata branca em malha de algodão;

b) calção azul-turquesa em terbrim 500, com viés garança


de 10mm nas laterais. Elástico de 15mm na cintura e cadarço para
ajuste;

c) meia branca; modelo colegial; e

d) sapato tipo tênis todo preto.


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 29)

3) Uso:

Uso em treinamento físico.

e. 5° Uniforme ( 5° B)

1) Posse obrigatória para aluno de Colégio Militar.

2) Composição:

a) calção de banho azul-marinho; em lycra;

b) sandália de borracha preta; e

c) roupão de banho branco (opcional).

3) Uso:

Uso em natação.

f. Abrigo Esportivo

Confeccionado em tactel nas cores azul-marinho,


vermelho e branco, modelo específico do CMS, devendo ter o nome do aluno bordado no lado
superior direito do casaco.

Compõem o uso do abrigo, camisa pólo, em malha de algodão, com gola na cor do
respectivo ano do aluno, tênis totalmente preto e meia branca.

Uso durante as competições internas e externas, em viagens para representação do colégio,


para frequentar o colégio fora do horário de aula ou quando autorizado.

Durante as Olimpíadas Internas será autorizado o uso de camiseta da subunidade


correspondente, com o propósito de constituir as respectivas torcidas.

É proibido seu uso para as atividades escolares normais, salvo nos dias em que seja
autorizado seu uso. Os alunos que comparecerem ao colégio vestidos com os abrigos esportivos em
dias não autorizados serão impedidos de assistir às aulas.

12.4.2 Composição dos Uniformes Femininos

Os uniformes femininos do CMS que devem ser adquiridos e mantidos em muito boas
condições de uso pelos responsáveis estão descritos abaixo e obedecem às seguintes prescrições:
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 30)

a. 1° Uniforme (1° CM)

1) Posse obrigatória para aluna de Colégio Militar.

2) Composição:

a) boina garança;

b) jaqueta branca modelo CM, em terbrim 007;

c) ponteira de gola trapezoidal, em terbrim azul 500,


com a estrela símbolo do CM , metálica;

d) platina feminina, confeccionada em terbrim garança 315 na parte inferior e terbrim


500 na parte superior, em tamanho menor para que fique um contorno de 3mm da parte garança;

e) divisa de ano e arma (p/ o Ensino Médio) em terbrim branco, bordada em dourado;

f)camiseta meia-manga branca (opcional );

g) saia garança evasé, em terbrim 315, com tecido de 150mm de largura em terbrim 500
no interior da prega macho frontal, com cós na cintura, comprimento abaixo do joelho, não podendo
estar apertada;

h) cinto caqui no tom padrão, com fivela dourada;

i) luva branca em suedine;

j) meia-calça branca, fina; e

k) sapato preto social, tipo “scarpin”, com salto de 30mm.

3) Uso:

a) com luvas: em solenidades e atos sociais nos quais seja exigido o 1º uniforme básico;
e

b) sem luvas: em solenidades e atos sociais nos quais seja exigido o 2º uniforme básico.

b. 3° Uniforme ( 3° A)

1) Posse obrigatória para aluna de Colégio Militar.

2) Composição:

a) boina garança;

b) blusa caqui meia-manga em grafil 704, com rolotê em


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 31)

torno da gola enviesada e da platina, em grafil 315, divisa de ano e arma (p/ o Ensino Médio) no
mesmo tecido da camisa, bordada em vermelho vivo;

c) saia garança evasé, em terbrim 315, com tecido de 150mm de largura em terbrim
500 no interior da prega macho frontal, com cós na cintura, comprimento abaixo do joelho, não
podendo estar apertada ;

d) cinto caqui no tom padrão, com fivela dourada;

e) meia-calça branca, fina; e

f) sapato preto social, tipo “scarpin”, com salto de 30mm.

4) Uso:

Uso em trânsito, em apresentações individuais ou coletivas, em reuniões correntes, em


passeio, em desfiles, em formaturas e em atividades estabelecidas pelo colégio.

c. 3° Uniforme ( 3° B)

1) Posse obrigatória para aluna de Colégio Militar.

2) Composição:

a) boina garança;

b) blusa caqui meia-manga em grafil 704, com rolotê em


torno da gola enviesada e da platina, em grafil 315, divisa de ano e
arma (p/ o Ensino Médio) no mesmo tecido da blusa, bordada em
vermelho vivo;

c) saia-calça ou calça caqui, em terbrim 754, com o rolotê de 3mm das laterais em
terbrim garança 315, cós na cintura, comprimento abaixo do joelho, não podendo estar apertada.

d) cinto caqui no tom padrão, com fivela dourada;

e) meia branca, tipo colegial; e

f) sapato preto de salto baixo, tipo mocassim, modelo específico de CM ou coturno


preto para as alunas da Infantaria, quando usarem a calça.

3) Uso:

Uso em atividades diárias internas do colégio e nos deslocamentos entre o colégio e a


residência.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 32)

d. 5° Uniforme ( 5° A)

1) Posse obrigatória para aluna de Colégio Militar

2) Composição:

a) camiseta regata branca, em malha de algodão, com o


nome bordado em matriz regulamentar;

b) bermuda feminina azul-marinho; em lycra, com o


comprimento no mesmo tamanho do gancho;

c) calção azul-turquesa em terbrim 500 , contornado de


viés com 10mm de largura, em terbrim garança 315;

d) bustiê azul-marinho; em lycra, com a frente forrada;

e) meia branca colegial; e

f) sapato tipo tênis todo preto.

3) Uso:

Uso em treinamento físico.

e. 5° Uniforme ( 5° B)

1) Posse obrigatória para aluna de Colégio Militar.

2) Composição:

a) maiô modelo olímpico, azul-marinho, em lycra, forrado;

b) sandália de borracha preta; e

c) roupão de banho branco (opcional).

3) Uso:Uso em natação

f. Abrigo Esportivo

Confeccionado em tactel nas cores azul-marinho, vermelho e branco, modelo específico


do CMS.

Compõem o uso do abrigo, camisa pólo, em malha de algodão, com gola na cor do
respectivo ano do aluno, tênis totalmente preto e meia branca.

Uso durante as competições internas e externas, em viagens para representação do colégio,


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 33)

para frequentar o colégio fora do horário de aula ou quando autorizado.

Quanto ao cabelo, as alunas seguirão as normas para apresentação individual, sendo


permitido o uso do cabelo preso com “rabo de cavalo”.

Durante as Olimpíadas Internas será autorizado o uso de camiseta da subunidade


correspondente, com o propósito de constituir as respectivas torcidas.

13. CURSO DE FORMAÇÃO DE RESERVISTAS (CFR)

O Colégio Militar poderá proporcionar um Curso de Formação de Reservistas (CFR) para os


alunos do sexo masculino pertencentes à classe convocada e para os voluntários maiores de
dezesseis anos de idade, conforme o Art 3° da Lei do Serviço Militar (LSM – Lei N° 4.375 de 17
de Agosto de 1964), desde que alistados em órgão do Exército - Art. 40 e 41 do Regulamento da
Lei do Serviço Militar (RLSM). Os menores de dezoito anos somente frequentarão o CFR com
autorização de seus responsáveis.

O Curso é realizado no primeiro semestre letivo, com um número mínimo de 20 (vinte) alunos,
os quais, ao final do curso, sendo aprovados receberão o certificado de reservista de 2ª categoria,
estando quites com o Serviço Militar.

As atividades do CFR são atos de serviço militar. Realizar-se-ão sem prejuízo às rotinas
escolares. Durante o desenrolar do Curso, o aluno será submetido às normas militares: Regulamento
Disciplinar do Exército, Código Penal Militar, Estatuto dos Militares, etc.

14. ORIENTAÇÕES DE SEGURANÇA DENTRO E FORA DO COLÉGIO

Por mais que nos custe, às vezes nos vemos obrigados a exigir de nossos alunos posturas e
condicionamentos de proteção e de prevenção. O colégio busca aperfeiçoar seus sistemas e normas
de segurança, porém, é importante a atenção constante de todos. Mais do que qualquer providência
tomada pelo colégio, as orientações dos pais e responsáveis são essenciais para seus filhos.

De uma forma geral, pedimos que pais e alunos observem o seguinte:

• evitar trazer muito dinheiro ou objetos de valor para o colégio;

• no caso dos alunos que vêm para o colégio desacompanhados de adultos, sempre que
possível, o façam em grupo;

• imediatamente relatar ao Cmt Cia Al qualquer evento que considerar anormal dentro e fora
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 34)

do colégio;

• não sair ou entrar no colégio acompanhado de pessoas desconhecidas;

• não aceitar nada de pessoas desconhecidas;

• sempre informar em casa sobre as mudanças no horário de entrada ou saída;

• evitar aguardar pela condução ou pelo início das aulas do lado de fora do portão do colégio;

• não afastar-se do portão do colégio por quaisquer motivos;

• na eventualidade de qualquer movimento estranho, acidente ou outro tipo de transtorno nas


imediações do colégio, esperar dentro do mesmo, aguardando orientação ou normalização da
situação; e

• cuidado redobrado ao atravessar a rua em frente ao colégio, nos horários de entrada e saída.
Deve-se prestar atenção aos carros, motos e bicicletas, que muitas vezes trafegam na contramão.

14.1 Segurança comunicativa

Colégio e família devem estar especialmente atentos às questões de segurança comunicativa.


Certos cuidados e medidas preventivas, que descrevemos a seguir, podem evitar muitos danos e/ou
constrangimentos aos familiares, alunos e profissionais do Corpo Docente.

14.2 Relacionamento com a imprensa

A imagem visual, a voz e a opinião de um indivíduo ou instituição são um direito do


indivíduo ou instituição, estando os veículos de imprensa obrigados a pedir autorização
formalmente do seu uso em suas publicações. No caso de menores de idade, a autorização somente
pode ser dada pelos responsáveis e, no caso de uma exposição mais explícita, pelo Juizado de
Menores.

Como nem sempre este procedimento é seguido pelos veículos de comunicação, o Exército
Brasileiro criou normas de trabalho para repórteres e jornalistas em suas dependências, que são
coordenadas pelo Centro de Comunicação Social do Exército. O colégio, no seu material de
comunicação institucional interna e externa, se obriga a estas normas.

No entanto, o CMS não tem poder de ação fora de suas dependências, onde, eventualmente,
os alunos são assediados por fotógrafos, repórteres e cinegrafistas. Muitas vezes, os temas são
abordados de forma imprópria ou superficial, expondo o aluno a situações potencialmente
constrangedoras.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 35)

Por essa razão, por zelo e, principalmente por se tratar de um direito, o CMS procura atuar
junto aos veículos de imprensa por meio de sua Seção de Comunicação Social, e ao mesmo
tempo, orientar pais e alunos para exercerem sua cidadania de forma crítica e incondicional.

14.3 Responsabilidades no uso educativo da mídia

O computador e o vídeo estão plenamente integrados ao modo de ensinar do CMS, e os


alunos dispõem de laboratórios de informática e de acesso permanente à Internet. Os alunos, em
geral, são “internautas” muito habilidosos, mas devem ser orientados para aplicar este conhecimento
de forma inteligente e respeitosa, preservando a si mesmos, a seus familiares, a seus colegas e ao
colégio. O mesmo vale para os vídeos produzidos espontaneamente por eles ou para trabalhos da
escola.

Um exemplo de uso irresponsável da Internet é substituir sites originais por textos e fotos
ofensivos aos seus colegas. Ridicularizar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou decoro, está
definido como crime de injúria no art. 140 do Código Penal. E a punição é detenção de 1 a 6 meses
ou multa. Já a pena para difamação é detenção de 3 meses a 1 ano e multa. E, para quem é menor de
idade, a responsabilidade é transferida aos pais.

O acesso a sites impróprios também constitui uma grave transgressão às normas de


convivência e ao Regimento Escolar, passível de sanção.

Cuidados especiais devem ser dispensados aos “Blogs” e “Fotologs” de uso tão comum entre
os mais novos. Os responsáveis devem orientar os alunos para os riscos de uma exposição
desnecessária que pode causar constrangimentos e danos à própria imagem do aluno, de seus
colegas, de sua família, dos profissionais do Corpo Docente e do CMS.

15. POSTURAS DENTRO E FORA DO COLÉGIO

As condutas exibidas pelos alunos do colégio espelham o tipo de educação que recebem em
casa e na escola. O jovem deve saber que sobre si há expectativas positivas e que o respeito e a
atenção aos demais estabelecem todos os limites e regras. Não se impõe sobre o aluno apenas uma
disciplina rígida e autoritária, mas se procura cultivar um ambiente de liberdade responsável e de
compromisso com o bem comum.

Os atos e as condutas que contrariem esses princípios destoam nitidamente do projeto educativo.
Os alunos devem ser sempre chamados a refletir, comprometendo-se com atitudes mais
responsáveis. Errar é humano, mas num ambiente educativo, errar deve ser oportunidade para
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 36)

amadurecer e crescer.

Quanto às condutas dentro e fora da escola, é preciso considerar, enfim, que o aluno que usa o
tradicional uniforme do Colégio Militar de Salvador carrega consigo a imagem da Instituição e
dos valores que seus pais e educadores nele depositam. Por isso, os atos impróprios realizados fora
do colégio com o uniforme de aluno do CMS serão considerados ofensivos ao colégio e aos seus
integrantes, estando sujeitos aos procedimentos disciplinares cabíveis e previstos no Regimento
Interno dos Colégios Militares.

Com a finalidade de evitar desvios que maculem a educação integral dos alunos, pedimos aos
responsáveis que:

- identifiquem todo o material individual de seu responsabilizado;

- observem com atenção e devolvam ao colégio o material levado para casa por engano;

- alertem seus dependentes que é proibido, no interior do colégio, arrecadar dinheiro, passar
rifas, promover coletas ou vendas de qualquer produto, sem a devida autorização da direção.
Sempre que a iniciativa partir da escola, os responsáveis serão avisados;

- evitem, ao máximo, que os alunos venham para o colégio com joias e objetos de valor; e

- verifiquem se seus dependentes saem de casa devidamente uniformizados.

16. FUMO E DEMAIS DROGAS

De acordo com a lei nº 9.294, de 15 de julho de 1996, é proibido fumar nas dependências do
colégio, inclusive, adultos.

O CMS também está especialmente comprometido com ações educativas de combate e


prevenção às drogas, às doenças sexualmente transmissíveis (DST) e a “AIDS”. Por isso, é
importante uma atitude esclarecida e positiva de educadores e familiares, compartilhando
informações, preocupações e parcerias nas ações e esclarecimentos. Em nossa sociedade, é fato que
os jovens estão preocupantemente expostos ao contato com as drogas e com as DST, exigindo dos
responsáveis e educadores não só uma atitude sensível e vigilante, mas, sobretudo, colocar-se à
disposição e ao lado do jovem, dialogar e prestar-lhe auxílio quando necessário.

17. VEÍCULOS

a. Entrada de Veículos
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 37)

A fim de atender a apelos de responsáveis por nossos alunos, e visando a maior segurança, o
colégio adota medidas para controlar o acesso e o trânsito de veículos no interior de nossa Escola.

Entre essas medidas, inclui-se o cadastramento dos veículos. Para tal, há necessidade da
apresentação da carteira de habilitação e do RENAVAM do veículo, bem como o pagamento de
GRU para aquisição do selo. No caso de renovação de cadastramento (mesmo veículo), é necessário
o pagamento de nova de GRU para aquisição de novo selo.

O cadastro ou sua renovação devem ser feitos na Seção de Comunicação Social do Colégio
Militar de salvador.

Não será permitida a entrada de veículos sem o devido selo pelo portão do Colégio Militar a
partir do fim do mês de fevereiro, assim como, também não será permitida a entrada de veículos
com selo do ano anterior pelo portão do Colégio Militar. Veículos com selos desatualizados
somente poderão entrar pelo portão da EsFCEx, onde serão identificados, permanecendo no
estacionamento destinado aos visitantes, localizado junto àquele portão.

O horário limite para entrada de veículos no interior do colégio é até às 06:41h, tendo em
vista não atrapalhar o início da formatura diária e assegurar a segurança, uma vez que há grande
fluxo de alunos em nossas pistas.

Durante todo o tempo em que o veículo estiver no interior de nossa Escola, o selo deverá estar
colado no canto inferior esquerdo do vidro dianteiro.

b. Estacionamento

O CMS tem a particularidade de ser um colégio de Ensino Fundamental e Médio, ao mesmo


tempo em que é uma organização militar do Exército Brasileiro.

Durante os dias normais de expediente, devido à capacidade do estacionamento e,


principalmente, à manutenção da segurança física dos alunos, - seja por um número menor de
pessoas estranhas, seja pela diminuição do tráfego de veículos no interior do colégio -, só é
permitido o uso do estacionamento do CMS pelo Corpo Docente e o da EsFCEx pelos militares da
Organização Militar. Em nenhum dos dois espaços é possível o uso do estacionamento pelos
familiares de alunos e demais visitantes. Estes deverão utilizar o estacionamento destinado aos
visitantes quando não estiverem trazendo ou apanhando os seus filhos.

Em datas e/ou eventos especiais, quando não houver atividades de ensino, serão alocadas
outras áreas a fim de permitir o estacionamento dos veículos de participantes/convidados, sempre
dentro da capacidade admitida.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 38)

18. TELEFONE CELULAR, OBJETOS DE VALOR ETC

O colégio não se responsabiliza por celulares, objetos de valor ou que despertem a curiosidade,
interesse ou até cobiça de terceiros. Por isso, cada um deve cuidar de sua mochila e de seu
material.

Não é permitido o uso de aparelhos de som pessoais (“walkmans”, “discmans”, MP3 ou


similares). A utilização desses aparelhos, assim como de celulares, principalmente durante as aulas,
resultará no recolhimento do aparelho, o qual será devolvido somente aos responsáveis. Alunos e
professores deverão manter seus aparelhos pessoais de comunicação desligados ou no modo
silencioso durante as aulas.

Durante as atividades de Educação Física, as mochilas devem ser guardadas nas respectivas salas
de aulas; nas atividades na Biblioteca, as mesmas deverão ser guardadas no local apropriado.

O aluno que der por falta de qualquer item de seu material escolar ou objeto pessoal deve
informar imediatamente ao Comandante de sua Companhia de Alunos, a quem compete tomar
todas as providências administrativas cabíveis e possíveis.

19. COMUNICAÇÃO OFICIAL

A comunicação oficial entre a Comunidade Escolar e as famílias é feita por meio de quatro
instrumentos:

19.1 Reuniões de Responsáveis e Mestres

As reuniões entre a comunidade escolar e a família é o momento de maior integração, onde


são discutidos aspectos pedagógicos (metodologia, disciplina) pertinentes ao desenvolvimento do
educando.

Também são momentos propícios para esclarecimentos de dúvidas, sugestões, críticas dos
responsáveis, contribuindo para a melhoria do processo ensino-aprendizagem e bem como
fortalecer esta parceria Escola X Família.

Vale ressaltar que ao comparecimento dos responsáveis nessas reuniões poderá ser atribuído
grau de incentivo aos seus dependentes.

19.2 Circulares/Memorandos

O memorando é um dos meios utilizados pelo colégio para contatar as famílias. É através
deste que transmitimos informações, solicitamos a presença do responsável na escola, dentre
outros, tornando os pais participantes ativos do processo educacional de seu filho.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 39)

19.3 Entrevistas/Atendimento Individual

O atendimento individual pode ser previamente agendado, sempre que necessário, pelo
responsável ou pela comunidade escolar, por telefone e/ou e-mail. Em especial, os casos de
emergência serão atendidos oportunamente.

19.4 Comunicação Virtual

Com objetivo de agilizar procedimentos administrativos, que venham a facilitar o dia a dia,
o CMS disponibiliza no site ( www.cms.ensino.eb.br), o SigaWeb e o Ambiente Virtual de
Aprendizagem (AVA), com informações sobre o desempenho escolar do seu filho, como:
Proposta Pedagógica, histórico escolar, missão do colégio, legislação, corpo de alunos, secretaria,
PSD (Plano de Sequência Didática) antigos PLAEST e PLADIS, boletins escolares, agenda do
aluno, dentre outros itens importantes.

Desta forma, o colégio, fazendo o uso das ferramentas tecnológicas modernas, busca
proporcionar conforto, agilidade e segurança nas informações obtidas pela família.

20. PARCERIA FAMÍLIA – CMS

Destacamos, a seguir, algumas sugestões básicas que poderão nortear a atividade da família
junto ao seu filho no processo educacional:

a. conheça o Colégio Militar de Salvador e as diretrizes que orientam sua ação educacional,
a fim de que seja estabelecido um relacionamento efetivo FAMÍLIA-ESCOLA-ALUNO, baseado
em perfeita identidade de princípios e comunhão de interesses. Elas estão disponíveis no Corpo de
Alunos, na Divisão de Ensino e/ou no site do CMS (www.cms.ensino.eb.br);

b. lembre-se de que a ação educacional empreendida pelo colégio complementa a educação


familiar;

c. compareça às reuniões convocadas pelo colégio, oportunidade de conhecer seus integrantes,


especialmente aqueles que mantêm contato mais estreito com os alunos: os professores, orientadores
educacionais, os comandantes de companhia de alunos e os monitores. Esta também é a ocasião de
tomar conhecimento da vida escolar do aluno, colhendo informações detalhadas, recebendo ou
consultando documentos relativos ao desempenho intelectual e ao perfil disciplinar;

d. sempre que julgar necessário, entre em contato com a Seção Psicopedagógica


(TELEFONE: 71 3205-8856) para esclarecer alguma dificuldade ou solicitar informações que se
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 40)

fizerem necessárias. Esta seção o encaminhará para quem possa interessar;

e. colabore com o colégio na formação de hábitos e atitudes salutares em nossos alunos no


que se refere à pontualidade, assiduidade, apresentação individual, boas maneiras e respeito aos
superiores hierárquicos, às normas e às convenções sociais;

f. esforce-se para adaptar seu filho ao regime disciplinar. As dificuldades encontradas poderão
ser superadas em conjunto com os setores especializados do colégio com paciência, naturalidade,
persistência e transparência;

g. acompanhe e estimule o progresso escolar do aluno, buscando estar presente em qualquer


dificuldade para ajudá-lo com empenho e compreensão, sempre que convocado ou quando
necessário;

h. apoie iniciativas ou campanhas realizadas no colégio, pois estaremos desenvolvendo


valores;

i. participe da Associação de Pais Mestres, entidade que presta significativo apoio à ação
educacional realizada pelo CMS; e

j. acompanhe o processo ensino aprendizagem consultando o boletim “on line” no site do


CMS.

20.1 Sugestões aos Responsáveis para Acompanhamento no Estudo Domiciliar de Seus


Dependentes

a. Demonstre interesse pelas atividades de estudo de seu dependente. Procure tirar-lhe as


dúvidas, estimulando-o a pesquisar.

b. O interesse pode ser demonstrado também através das visitas agendadas ao colégio para
conversar com os professores, monitores, Comandante da Companhia de Alunos (Cmt Cia Al) e
demais educadores, através da Seção Psicopedagógica.

c. Estimule seu filho sempre que ele demonstrar interesse em saber algo.

d. Procure fazer do horário de estudo de seu filho um momento agradável. Evite repreendê-lo,
exceto em caso necessário.

e. Estabeleça, junto com seu filho, um horário para suas atividades, não esquecendo de incluir
tempo para o lazer, pois este é necessário ao desenvolvimento sadio.

f. Oriente seu filho a utilizar dicionários, enciclopédias, Atlas e a escolher bons livros para
leitura.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 41)

g. Direcione suas orientações mais para a necessidade de se aprender e menos para as notas.
O que importa é que seu dependente estude e aprenda.

h. Demonstre confiança na capacidade de seu filho. Faça elogios e críticas construtivas, e ele
será mais confiante.

i. Escolha um lugar apropriado para o estudo. Um lugar que seja arejado, tranquilo e bem
agradável, onde seja possível concentrar todo o material de estudo e nada possibilite o desvio da
atenção.

j. Tranquilize seu dependente quanto às avaliações. Um aluno pressionado raramente faz uma
atividade com segurança, e isso influirá em seu desempenho. Incentive-o a estudar diariamente.
Não exija notas. Se ele aprender, elas virão naturalmente.

k. Aconselhe seu filho a não deixar o local de estudos, a não ser em caso de necessidade.

l. Se os pais não leem diariamente, o filho também dará pouca importância ao estudo. Adote
ou intensifique bons hábitos de leitura.

20.2 Direitos dos Responsáveis

a. Saber da situação do aluno sob sua responsabilidade no que diz respeito à aprendizagem, à
disciplina e à perda de pontos por falta às atividades escolares.

b. Solicitar transferência, trancamento de matrícula ou desligamento do aluno sob sua


responsabilidade.

c. Integrar a Associação de Pais e Mestres.

20.3 Compromissos dos Responsáveis

a. Estar presente no ato da matrícula e assinar o termo de compromisso.

b. Realizar o pagamento das contribuições nos prazos previstos.

c. Manter completo, e em condições de uso, o fardamento do aluno.

d. Prestar assistência ao aluno em suas atividades escolares, férias e em caso de doença


contagiosa.

e. Prover meios para que seu responsabilizado compareça às atividades do CMS.

e. Comparecer ao CMS sempre que sentir necessidade ou for solicitado.

f. Assinar, obrigatoriamente, e devolver os documentos escolares, bem como a


correspondência que lhe for dirigida pelo Comandante do CMS, pelo Subdiretor de Ensino, pelo Chefe
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 42)

da Divisão de Ensino, pelo Comandante do Corpo de Alunos ou pelo Chefe da Seção


Psicopedagógica, e restituí-las ao colégio por intermédio de seu dependente no prazo máximo de 48
(quarenta e oito) horas.

g. Indicar um substituto eventual em caso de afastamento da cidade.

h. Integrar-se ao esforço do CMS em sua missão educacional.

i. Manter sempre o endereço, o e-mail e o telefone atualizados junto ao CMS.

j. Conhecer as normas disciplinares que regulam a conduta do aluno, a fim de evitar


dissabores em face de ocorrências contrárias à disciplina.

21. ORIENTAÇÕES PARA O ESTUDO

21.1 Estudar para quê?

a. Diz o pequeno dicionário de Aurélio Buarque de Holanda: Estudar é “aplicar a inteligência


para aprender; é aplicar o espírito à memória e à inteligência”.

b. Estudar não é um fim.

c. Estudar é um meio pelo qual aprendemos, ou seja, compreendemos as relações dos


elementos que existem à nossa volta para podermos dominá-los. DESDE QUE O HOMEM
SURGIU NO PLANETA TERRA, VEM LUTANDO PARA COMPREENDER E CONVIVER
COM A NATUREZA.

d. Basicamente, tudo o que se aprende gira em torno da relação dos homens com a
NATUREZA e os homens entre si.

e. APRENDER é compreender, memorizar e transpor o conhecimento para outras situações.


Mas, principalmente, COMPREENDER. Quem não compreende, sente maior dificuldade em
aprender.

21.2 Sugestões para maior êxito nos estudos

a. Utilização do livro-texto

Adquira o livro-texto adotado. Nele terá a sequência lógica dos assuntos, na mesma
linguagem do professor. A maior das vantagens que lhe trará o livro didático adotado será permitir
maior atenção ao desenvolvimento das aulas ministradas, sem a preocupação de ter que fazer
anotações de todo o assunto, o que significa perda de tempo.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 43)

b. Anotações em sala de Aula

1) Procure manter sempre em dia um caderno próprio para cada área de estudo ou
disciplina que estudar. Esse trabalho será sempre feito em casa. Durante as aulas faça apenas
anotações gerais no rascunho.

2) Anote as suas dúvidas sobre o assunto dado em aula. Com maior tempo, em casa, faça a
sua pesquisa para descobrir por si mesmo. Isso sedimenta o seu aprendizado. No entanto, se não
entendeu ainda, procure o professor. Não se acanhe em fazer perguntas durante a aula, mesmo que
lhe pareçam por demais infantis.

3) Faça suas anotações de aula e refaça, se necessário, em casa.

c. Preparação física e psicológica

1) Cuide sempre de seu estado físico, que é uma das condições mais importantes para o
bom estudo.

2) Habitue-se a uma alimentação mais natural. Ela é a base da saúde física e mental.

3) Descanse. Se necessário, durma um pouco antes de começar a estudar, observando


sempre o horário em que você produz mais intelectualmente.

4) Jamais lance mão de pílulas, chás e soluções semelhantes para vencer o sono, forçando
a ordem natural das coisas. Estude conscientemente antes e descanse na véspera.

d. Organização

1) O local do estudo

(a) O local deve ser arejado, claro e tranquilo. Você deve ter uma mesa onde escrever e
uma cadeira com encosto para sentar-se. Procure estudar sempre no mesmo local.

(b) Reúna neste local todo o seu material de estudo.

2) O horário(a) O horário de estudo deve ser respeitado. Você tem que estabelecer um
período para estudar e cumprir com esse período, fazendo pequenos intervalos.

(b) Não estude mais que 2 (duas) horas seguidas, nem 4 (quatro) horas sem intervalo. O
cansaço anulará seu rendimento. Uma boa medida será estudar 1 (uma) hora e descansar 15
(quinze) minutos.

3) O plano de estudo

(a) O plano de estudo deve ser feito para cada dia, privilegiando os assuntos dados em
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 44)

aula e preparando com antecedência os da próxima.

(b) Termine uma tarefa antes de começar outra.

e. Estude com acerto

1) Separe seu material para o dia seguinte.

2) Estude diariamente as matérias ministradas em aula. Dedique um tempo diário ao


estudo domiciliar do assunto dado naquele dia, mesmo que seja para uma simples leitura. Faça os
exercícios do livro-texto e mais os que puder de outros livros, especialmente na área das ciências
exatas.

3) Não deixe acumular matéria de várias disciplinas. Faça um planejamento de estudo


distribuindo mais ou menos o tempo para cada matéria, de forma que, no dia anterior à prova, não
necessite mais estudar. O estudo na véspera de prova gera ansiedade, cansaço, insegurança e
nervosismo no momento de sua realização.

4) Leia com atenção, sublinhando as ideias mais importantes. Você pode usar um
marcador de texto (Lumicolor) para isso.

5) Faça um resumo do que você lê.

6) Não tente memorizar o texto com as mesmas palavras com que foi escrito. Coloque, no
resumo, as suas palavras.

7) Use o dicionário quando tiver dúvida sobre o significado de uma palavra ou ortografia.
Ler sem compreender é perder tempo.

8) Realize seu estudo com a intenção de aprender a raciocinar melhor. Raciocina melhor
aquele que possui mais informações.

9) Dedique a maior parte de seu tempo e atenção para os pontos fracos de seu
conhecimento sobre a matéria.

10) Aplique maior atenção e exercite mais os temas que o professor, ou você mesmo,
identificou como mais importantes.

11) Quando sentir que a matéria não está “entrando” em sua cabeça, pare e descanse
antes de recomeçar. Não perca tempo insistindo.

12) Estudar para a prova é fazer revisão. Revise seus apontamentos, seus livros, suas
apostilas, seus exercícios, etc. Uma boa forma de se fazer revisão é reler os títulos procurando
lembrar e dizer tudo sobre o assunto. Outra maneira é procurar criar questões que você acha que
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 45)

podem cair na prova.

13) Intensifique seus estudos, seguindo as orientações de provas.

21.3 Características necessárias ao aluno bom leitor

a. Concentração nas ideias.

b. Amplo campo visual.

c. Ler com o corpo na posição correta e com intervalo para descanso.

d. Ler com o livro na distância e com iluminação adequadas.

e. Ler silenciosamente.

f. Ler sentado; e não ler quando estiver cansado.

g. Variar a velocidade de leitura de acordo com o assunto.

h. Procurar saber qual tipo de livro que vai ler, antes de começar a leitura.

i. Pensar sobre o que espera do livro.

j. Fazer um resumo do livro.

k. Não ler em veículos em movimento.

l. Procurar o ritmo adequado à leitura do livro.

m. Esporadicamente calcular a velocidade em que está lendo.

n. Ter em mente que o objetivo é tirar proveito da leitura.

o. Ler bons livros.

p. Ler no silêncio.

q. Ler com atenção e com calma.

r. Examinar o prefácio, o índice e a orelha do livro.

s. Procurar no dicionário o significado das palavras que desconhece.

22. O REGIME DISCIPLINAR

22.1 Disciplina

A disciplina é condição de sucesso, tanto na vida civil como militar. Quando se lê na


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 46)

Bandeira Nacional a palavra ORDEM, compreende-se, em seu sentido mais amplo, a existência de
leis que organizam a vida do cidadão brasileiro sob a forma de uma “disciplina geral” da qual todos
devem participar.

A disciplina deve ser consciente. O aluno obedecerá hoje às normas do CMS e amanhã às
leis do País, porque é responsável. A razão para ser disciplinado jamais deverá ser o medo, a
presença de um superior ou de testemunha indesejada, mas a convicção de realizar o bem, o correto.

Lembre-se de que ser disciplinado no CMS é continuar a respeitar as normas de boa


educação que o aluno traz de casa.

22.2 O Perfil do Aluno

Caracteriza o perfil do aluno do Colégio Militar:

- ter boa apresentação individual;

- apresentar boa educação doméstica;

- aceitar as normas e regras exigidas pelo colégio;

- cumprir, adequadamente, com as instruções;

- cumprir, da melhor maneira possível, com hábitos de estudo para favorecer a


aprendizagem;

- cultivar o hábito de estudo diário;

- conhecer e respeitar hierarquicamente seus superiores; e

- participar, efetivamente, das atividades extraclasse.

Será apresentada uma série de orientações que constituem a essência do comportamento do


aluno do CMS e que bem traduz o perfil desejado.

22.2.1 “Cola” (Cópia feita clandestinamente nos exames escritos ou em outros


trabalhos)

Dentro de você há um juiz: sua consciência. É um juiz terrível, porque é correto e sabe
de tudo, nada perdoa e de nada se esquece, por toda a vida.

Ressalta-se que o aluno fardado representa a instituição Colégio Militar e, em última


instância, o Exército Brasileiro.

Psicólogos dizem que é a imagem do Homem de Bem que cada um de nós gostaria de
ser.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 47)

Quando você cola (se você é “esperto”, sempre poderá burlar a vigilância), o fato não
termina com a prova. O seu juiz, por toda a vida, lhe dirá que você não é perseverante, não é capaz
de vencer desafios em uma luta honrosa.

“Cola” é furto intelectual. No momento em que você admite a cola, tem consciência de
sua incapacidade de lutar honestamente. Fica clara a imagem de só conseguir vitória por meio da
fraude, da burla, da desonestidade.

O tipo de cola não importa, ele é o comprovante de um alicerce fictício que vai sendo
construído de mãos dadas com a insegurança. O aluno que precisa desse artifício, compete
desonestamente com os demais.

Uma prova deve servir para mostrar sua capacidade de retenção dos conteúdos
ensinados, sua participação em sala de aula, se o método de estudo está adequado ou não; até o seu
caráter é colocado à prova.

Qual é o seu ideal de vida? Você se destina a uma escola de formação de oficiais? Ou a
sua inclinação é curar doentes, construir edifícios, ministrar aulas? Qualquer que seja, exige de
você uma formação intelectual muito sólida, que só poderá ser adquirida por quem, pelo esforço
pessoal, dominar as múltiplas provas e exames.

Você quer conquistar competência ou “arrancar” um título? Aceite um conselho: ouça


sempre sua consciência, seu juiz. Seja seu próprio fiscal. Quem “cola” não engana a ninguém. Está
se iludindo, submergindo na luta pela vida, onde a salvação é tanto menos provável quanto mais a
escamoteação for prolongada.

Ninguém escapa do juiz que se mencionou acima. No máximo, sua decisão de ser
honesto pode ser menosprezada pelos adeptos da desmoralização, da desobediência às normas e às
leis, do desrespeito à autoridade e da corrupção.

Aqueles para os quais a voz da consciência não tem alcance, já naufragaram na


existência. Perdidos já se acham, esperanças não lhes restam.

Além do mais, sempre é bom lembrar que a utilização pelo aluno de meios ilícitos ou
fraudulentos para a resolução de trabalhos escolares é considerada falta eliminatória pelo
Regimento Interno dos Colégios Militares, podendo levar à exclusão disciplinar.

22.2.2 Comportamento Social

A atitude do homem com o próximo e suas relações sociais são reguladas por
convenções. Algumas devem sua origem a motivos religiosos, outras procedem do desejo de
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 48)

salvaguardar o bom entendimento entre os homens. Se, em aparência, elas só interessam à


apresentação exterior, muitas vezes, ajudam também a observar as leis essenciais da moral.

No caso do Colégio Militar, torna-se necessário não esquecer a responsabilidade de


quem veste seu uniforme. Lembre-se de que nele está representado todo um passado de glórias e
tradições. É preciso que o presente coloque-se à altura desse passado, para merecer do futuro a
mesma atenção e o mesmo respeito.

A seguir, enumeram-se algumas normas de comportamento social. Lembre-se de que,


vestindo uniforme do Colégio Militar, você representa a si mesmo e uma instituição secular de
respeito:

- respeite as senhoras como se fossem suas próprias mães;

- ofereça seu lugar, em quaisquer circunstâncias, às grávidas e aos idosos;

- não se esqueça de bater à porta sempre antes de entrar em um recinto;

- nunca se sente à beira da calçada, nem encoste-se a muros ou postes, estando


fardado;

- não ande com seu uniforme desarrumado ou desfalcado de peças;

- cumprimente a todos com o máximo de educação. Bom dia, boa tarde, boa noite,
por favor, por gentileza, desculpe-me e com licença são expressões civilizadas e amenas que
despertam agrado às pessoas;

- tape a boca quando bocejar;

- use o lenço ao espirrar.

- não “avance o sinal” quando quiser falar com outra pessoa, em especial se ela for do
sexo oposto;

- respeite as filas;

- espere os superiores ou os mais velhos estenderem-lhe a mão para depois


cumprimentá-los. A iniciativa de estender a mão não deve ser sua;

- estando à mesa, coma com moderação e devagar. Não coloque os cotovelos sobre a
mesa, nem faça ruídos ao comer. Não discuta à mesa, fale baixo;- evite palitar os dentes na presença
de terceiros. Se for absolutamente necessário, faça-o com discrição; e

- ceda a parte interna dos passeios e calçadas.


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 49)

22.2.3 Higiene e Asseio do Colégio

Para que os diferentes pavilhões que formam o conjunto do colégio apresentem-se


sempre em boas condições de higiene e asseio, é indispensável a colaboração de todos.

Este procedimento, que confirma a boa educação trazida de casa pelo aluno, resultará
em melhor apresentação do colégio, em qualquer momento. Suas instalações estarão sempre em
condições de serem frequentadas por alunos e visitantes, ainda que de forma inesperada.

As salas de aula devem merecer dos alunos especial cuidado para que, durante sua
utilização, sejam mantidos todos os preceitos de higiene e asseio.

O aluno deverá ocupar sua carteira e sentar-se em posição cômoda, respeitosa e de


atenção ao professor, instrutor ou monitor.

Observe as recomendações abaixo:

- conservar as janelas abertas para obter melhor arejamento;

- não lançar ao chão papéis usados ou outros detritos que possam prejudicar o
asseio, devendo colocá-los nas cestas para isso existentes;

- não colocar os pés sobre as carteiras ou bancos para não sujá-los nem estragá-los.
Não sentar-se sobre as carteiras. Essas atitudes constituem-se indicativos de falta de educação e de
zelo pelo patrimônio do CMS; e

- não riscar ou sujar paredes, janelas/portas prejudica a limpeza e higiene da sala e


revela falta de educação.

Coerente com a proposta pedagógica da educação integral do cidadão, o CMS não abre
mão de atribuir aos alunos o dever de deixarem as salas de aula no mesmo estado de limpeza que as
encontraram ao chegarem ao colégio. Entende-se por mesmo estado de limpeza, as salas de aula
sem papéis ou outros objetos jogados no chão e fora das latas de lixo. As carteiras devem estar
alinhadas.

Cabe ressaltar, que a limpeza pesada dos sanitários e e a manutenção é realizada por
pessoal de limpeza contratado.

Os pátios, escadarias, corredores e locais de recreação constituem áreas de uso comum e


finalidades diversas. Observe algumas recomendações:

- conserve a limpeza, não lançando papéis ou outros objetos/detritos ao chão;

- procure divertir-se sem promover algazarras;


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 50)

- transite educadamente, obedecendo às boas normas de civilidade e cortesia;

- mantenha-se sempre corretamente uniformizado;

- gesticule de forma moderada, evitando ferir princípios de moral, disciplina, ordem e


bons costumes. Seja discreto; e

- use, na prática desportiva, os uniformes previstos.

23. COMPORTAMENTO DOS ALUNOS

23.1 Classificação

O comportamento dos alunos é classificado por grau numérico, de acordo com o seguinte
critério:

Grau 10 ....................EXCEPCIONAL

Grau 9 a 9,99 ............ÓTIMO

Grau 6 a 8,99 ............BOM

Grau 5 a 5,99 ............REGULAR

Grau 3 a 4,99 ............INSUFICIENTE

Grau 0 a 2,99 ............MAU

O grau de comportamento se estenderá por todo o curso e, em cada ano, sua avaliação
abrangerá todo o ano letivo.

O aluno, ao ser matriculado no colégio, será classificado no comportamento BOM, com grau
numérico 8,0 (oito).

O aluno, transferido de um CM para outro, será classificado de acordo com o grau de


comportamento que tinha no CM de origem.

Ao ser rematriculado, o aluno será classificado com o grau de comportamento que tinha
anteriormente.

As alterações disciplinares acompanharão, obrigatoriamente, os alunos, quando transferidos


de um para outro CM.

23.2 Valor Numérico das Punições

As punições, a seguir discriminadas, recebem determinados valores numéricos, de acordo


com a tabela abaixo, que deverão ser computados no cálculo da classificação do comportamento:
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 51)

- Advertência ..............................................................................0,00

- Repreensão ...............................................................................0,30

- Atividade de ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL estudo .........0,50

- Retirado do colégio (por dia) ...................................................0,50

23.3 Melhoria de Comportamento

Constituem fatores de melhoria de comportamento e recebem valores que irão influir no


cômputo do grau do comportamento, conforme a tabela abaixo:

- Elogio coletivo em Boletim Interno ........................................ 0,10

- Elogio individual em Boletim Interno .................................... 0,30

- Aluno aprovado ....................................................................... 0,50

- Aluno aprovado com recuperação ........................................... 0,20

Decorridos 03 (três) meses consecutivos, inclusive no período de férias escolares, sem que o
aluno tenha sofrido qualquer punição, será computado 0,01 ponto por dia que exceder a este prazo,
até atingir o comportamento EXCEPCIONAL (grau 10).

23.4 Exclusão Disciplinar

Constituem causas de exclusão disciplinar do aluno e consequentemente desligamento,


cometimento de falta eliminatória e/ou ingresso do aluno no mau comportamento (grau < 3,0),
após reunião e decisão do Conselho de Ensino do CMS.

23.5 Transgressões Disciplinares

As faltas disciplinares, suas classificações, as circunstâncias que influem em seu julgamento e


as medidas disciplinares que são aplicadas pelo Corpo de Alunos estão relacionadas nas Normas
Reguladoras do Regime Disciplinar (NRRD), que constam no Anexo E do RICM.

a. A relação a seguir apresenta as principais faltas disciplinares:

1) faltar à verdade;

2) utilizar-se do anonimato;

3) comportar-se de maneira inadequada, desrespeitando ou desafiando pessoas,


descumprindo normas vigentes ou normas de boa educação;

4) deixar de comparecer ou chegar atrasado às atividades programadas ou delas


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 52)

ausentar-se sem autorização;

5) portar-se de modo inconveniente nas atividades escolares, nas instruções ou em


formaturas, perturbando o desenvolvimento dessas atividades;

6) simular doença para esquivar-se ao atendimento de obrigações e atividades


escolares;

7) deixar de comunicar ao superior a execução de tarefa dele recebida;

8) retardar ou para isso contribuir, sem justo motivo, a execução de qualquer tarefa;

9) representar o colégio ou por ele tomar compromisso, sem estar para isso autorizado;

10) portar objetos que ameacem a segurança individual e/ou da coletividade;

11) causar danos físicos e/ou materiais de qualquer natureza;

12) portar, usar ou distribuir drogas lícitas ou ilícitas nas dependências do colégio; ou
fora dele;

13) ter em seu poder, introduzir, ler ou distribuir, dentro do colégio, cartazes, jornais
ou publicações, de cunho político-partidário ou que atentem contra a disciplina ou a moral;

14) propor ou aceitar transação pecuniária de qualquer natureza no interior do


colégio;

15) praticar jogos de azar e outros proibidos pela legislação em vigor, assim como
aqueles atentatórios e/ou inadequados ao ambiente educativo;

16) esquivar-se a satisfazer compromissos de ordem moral ou pecuniária que houver


assumido;

17) frequentar lugares incompatíveis com o decoro da sociedade e de sua situação de


aluno;

18) apresentar-se com uniforme diferente do que foi previamente estabelecido;

19) trocar de uniforme em locais não apropriados;

20) ter pouco cuidado com o asseio próprio ou coletivo e com sua apresentação
individual;

21) deixar de usar ou usar de maneira irregular, peças de uniforme prevista no RUE/
CM ou nas normas vigentes;

22) deixar material ou dependência sob sua responsabilidade, desarrumada ou com má


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 53)

apresentação, ou para tal contribuir;

23) retirar ou tentar retirar de qualquer dependência do colégio, material, viatura ou


animal, ou mesmo deles servir-se sem ordem do responsável ou proprietário;

24) deixar de apresentar material, documento ou trabalhos escolares de sua


responsabilidade, nas atividades escolares ou quando solicitado, em dia e em ordem;

25) deixar de devolver à subunidade, dentro do prazo estipulado, qualquer documento,


devidamente visado pelo pai ou responsável;

26) utilizar de processos fraudulentos na realização de provas e trabalhos escolares, bem


como a adulteração de documentação;

27) entrar no colégio ou dele sair, não estando para isso autorizado, bem como entrar
ou sair por locais e vias não permitidos;

28) ir a qualquer dependência do colégio sem autorização, bem como nela penetrar
sem permissão ou ordem da autoridade que nela estiver presente;

29) deixar de cumprir o prescrito nos regulamentos, normas e orientações, ou contribuir


par tal;

30) deixar de acatar ordens e instrução emanadas de autoridades civis que não colidam
com o regime disciplinar do colégio, particularmente se emanadas do Juizado da Infância e da
Adolescência;

31) apresentar partes ou recursos sem seguir as normas e preceitos regulamentares,


em termos desrespeitosos, com argumentos falsos ou de má fé, ou mesmo sem justa causa ou
razão;

32) participar de greves ou outros movimentos reivindicatórios; e

33) destruir ou danificar, deliberadamente, com requintes de vandalismo, instalações,


equipamentos e/ou material pertencente ao colégio militar ou a terceiros.

b. Logo, para não colidir com o regime disciplinar do Colégio Militar, os alunos devem se
comportar de maneira que suas atitudes não os levem a:

1) desrespeitar as convenções sociais ou portar-se sem compostura em lugar público;

2) ofender a moral e os bons costumes, dentro e fora do colégio;

3) dirigir-se, referir-se ou responder a superior de modo desrespeitoso ou desatencioso;


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 54)

4) deixar de cortar o cabelo dentro dos prazos estabelecidos e nos moldes regulamentares
determinados pelo Escalão Superior;

5) deixar de usar a boina e a etiqueta de identificação na maneira correta;

6) namorar em dependência do colégio ou fora dele, quando fardado;

7) faltar aos trabalhos escolares ou a qualquer atividade programada sem motivo


justificado;

8) deixar de portar o material escolar previsto para a aula;

9) espalhar boatos ou falsas notícias;

10) promover ou tomar parte em greve, ou qualquer movimento contrário às normas


estabelecidas;

11) proferir palavras de baixo calão, incompatíveis com as normas de boa educação, ou
grafá-las em qualquer lugar;

12) dar trote, sob qualquer pretexto;

13) danificar ou extraviar objetos dos colegas;

14) ter em seu poder bebida alcoólica ou comparecer ao colégio ou a qualquer


atividade escolar ou mesmo estar em via pública, quando uniformizado, em estado de embriagues,
ou fazer uso de entorpecente ou alucinógenos;

15) falsificar a assinatura ou rubrica em qualquer documento;

16) deixar de prestar o cumprimento regulamentar a superior hierárquico do Exército,


Marinha, Aeronáutica, Forças Auxiliares, assim como deixar de cumprimentar professores civis;

17) fumar em dependência do colégio ou em via pública quando uniformizado;

18) esquivar-se às punições disciplinares que lhes forem impostas;

19) não zelar devidamente, danificar ou extraviar, por negligência ou desobediência às


regras ou normas do colégio, material da fazenda nacional que esteja ou não sob sua
responsabilidade direta;

20) comparecer, uniformizado, às manifestações ou reuniões de caráter político-


partidário ou que atentem contra a disciplina e/ou a moral;

21) ofender, provocar ou desafiar superiores, colegas e funcionários do colégio com atos
ou palavras;
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 55)

22) travar disputa, rixa ou luta corporal; e

23) praticar o bullying, seja de que espécie for.

A vida em sociedade é regida de maneira que todos os cidadãos tenham direitos e deveres.
Lembrem-se de que “os seus direitos terminam onde começam os do outro”.

24. ESTÍMULOS

24.1 A Hierarquia

O Colégio Militar, como estabelecimento de ensino (EE) subordinado ao Sistema de Ensino


Exército Brasileiro, tem seu alicerce, também, na hierarquia militar.

Para efeito de hierarquia, os alunos das séries mais adiantadas têm precedência sobre os de
séries mais atrasadas, em todas as circunstâncias. No âmbito do Batalhão Escolar, haverá
precedência de postos e graduações (oficiais alunos, subtenentes, sargentos e cabos).

24.2 Recompensas

Aos alunos, em geral, podem ser atribuídas as seguintes recompensas: integrar a Legião de
Honra; ser “aluno-destaque”; receber prêmios e medalhas; elogio em Boletim Interno; Inscrição no
Quadro de Honra (“Pantheon”); e promoções no quadro de hierarquia escolar.

24.2.1 Aluno-destaque

a. Alamar

Honraria concedida aos alunos destaque (exceto 6º e 7º Ano do EF) que conseguirem
média maior ou igual a 8,0 (oito virgula zero) em todas as áreas de estudo ou disciplinas de seu ano,
no trimestre considerado e estarem, no mínimo, no comportamento “Bom”, tornando-se exemplos
para seus pares.

O(a) aluno(a) que obtiver a referida distinção, não a perderá durante o trimestre em
que conquistou o direito de usá-la.

Os alamares serão entregues em formatura geral, sendo os responsáveis pelos discentes


premiados convidados para fazerem suas entregas, realçando o valor da conquista alcançada.

b. Monitoria

É atividade de ensino exercida por alunos-destaque, voluntários, autorizados pelos


seus responsáveis, sendo destinada a ajudar os alunos com baixo rendimento nas provas do
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 56)

trimestre.

Os alunos-monitores prestarão seus apoios em aulas de recuperação e em atividades


semelhantes.

c. Tutoria

A tutoria tem por objetivo estimular a iniciação nas relações humanas dentro da escola e
promover a cooperação entre os professores e alunos, além de contribuir para a melhoria da
qualidade de ensino. Busca dinamizar as ações didático-pedagógicas e educativas por meio de
envolvimento dos alunos na operacionalização destas ações no cotidiano da escola. Visa, também,
a contribuir para o avanço dos alunos na construção de novos conhecimentos; desenvolver uma
mudança de comportamento quanto aos hábitos de estudo; construir habilidades através da
valorização do conhecimento do aluno. Favorecer o oferecimento de atividades de reforço escolar
ao aluno com a finalidade de superar problemas de repetência escolar e falta de motivação.
Os tutores serão escolhidos em conjunto com o apoio pedagógico e os professores
responsáveis pelas disciplinas, levando-se em conta: a maturidade intelectual, disponibilidade
horária e conduta perante os colegas, corpo docente e o colégio.

A função do tutor é Colaborar com o professor no desempenho das atividades de estudo;


auxiliar os alunos na realização de trabalhos, sempre que compatível com seu grau de conhecimento
e experiência; cooperar no atendimento e orientação aos alunos, visando a sua adaptação e maior
integração à escola; colaborar com a integração entre os alunos e o professor da disciplina. No
horário escolhido, o aluno tutor deverá estar disponível para orientar os colegas na execução de
trabalhos e auxiliá-los nas dúvidas.
É vedado ao aluno corrigir trabalhos ou provas, bem como incitar a caça de gaivotas.
O aluno tutor receberá ao final de seu exercício, um certificado como comprovação das
horas dedicadas ao desenvolvimento da atividade.

24.2.2 Legião de Honra

a. Finalidade

A Legião de Honra do Colégio Militar tem por finalidade incentivar os alunos ao


cultivo e à prática de sadios princípios de lealdade, de honestidade, de iniciativa, de nobreza de
atitude, de disciplina consciente, de camaradagem, de estudo e amor à cultura, segundo os
valores, os costumes e as tradições do Exército Brasileiro.

Todos os seus membros praticam o Código de Honra.


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 57)

b. Admissão

Ingressarão na Legião de Honra todos os alunos que forem julgados aptos por conduta
exemplar.

A admissão na Legião como legionário será feita da seguinte forma:

- os Comandantes de Companhia indicarão, à Assembléia Geral, uma lista dos alunos


que satisfaçam às condições de ingresso;

- os propostos deverão estar cursando o CMS desde o início do ano letivo;

- todos os indicados, verificados os pré-requisitos e outras informações, deverão ter


seus nomes aprovados por maioria absoluta dos presentes à Assembléia Geral;

- essa indicação será feita na 2ª quinzena de outubro e a Assembléia Geral realizada


na 1ª quinzena de novembro, devendo a homologação, em Boletim Interno, ocorrer somente após a
emissão das NF dos alunos; e

- a admissão dos novos legionários será realizada na solenidade de início do ano


letivo seguinte.

O procedimento de julgamento fica assim determinado:

- deverá ser convocada uma Assembleia Geral especialmente para decidir sobre a
admissão de novos legionários;

- a relação de alunos propostos deve ser do conhecimento dos legionários, 48


(quarenta e oito) horas antes da Assembleia Geral; e

- a análise do aluno deve estar embasada nos parâmetros preconizados no Código de


Honra do Colégio Militar.

São condições indispensáveis para o aluno ser proposto:

- estar no comportamento “Excepcional”; e

- ter obtido NF superior a 6,0 (seis).

c. Exclusão

O legionário é excluído, quando:

- passar afastado do colégio por mais de 6 (seis) meses ou trancar matrícula;

- obtiver nota final inferior a 6,0 (seis vírgula zero) em alguma disciplina; e
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 58)

- tiver grau de comportamento inferior a 9,0 (nove vírgula zero).

d. Código de Honra – Atributos

- Lealdade e Honestidade.

- Iniciativa e Nobreza de Atitude.

- Disciplina e Camaradagem.

- Dedicação aos Estudos e Amor à Cultura.

- Respeito às Normas do colégio.

24.3 As Promoções (Organização do Batalhão Escolar)

A promoção nos diversos graus de hierarquia escolar constitui recompensa pela aplicação nos
estudos e pelo correto procedimento dos alunos e representa estímulo à formação integral do aluno
e à carreira militar. As graduações e postos da hierarquia escolar vão de cabo-aluno a coronel-
aluno.

As promoções são efetuadas na solenidade de início do ano letivo e têm validade até o início
do ano letivo seguinte. O efetivo a ser promovido será equivalente a 10% (dez por cento) do efetivo
de alunos existentes no CM.

Podem concorrer às promoções os alunos que, no ano considerado, satisfaçam as condições


abaixo:

- Estejam no comportamento “Excepcional” ou “Ótimo”;

- Não tenham atingido o limite de pontos perdidos em frequência escolar; e

- Obtenham Médias Globais no ano, no mínimo, igual a 7,0 (sete vírgula zero).

O grau de promoção, com aproximação até milésimo, a partir do 6° ano do Ensino


Fundamental, é expresso pela média aritmética ponderada das seguintes notas:

- nota global do ano com peso 6 (seis);

- grau de comportamento com peso 3 (três); e

- nota de conceito do Comandante do CA com peso 1 (um).

A classificação para as promoções é apreciada dentro de cada ano.

Em caso de empate, são utilizados os seguintes critérios, de acordo com a sequência abaixo:

- maior nota global no ano;


(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 59)

- maior grau de comportamento;

- maior nota de conceito do Comandante do CA;

- maior posto ou graduação anterior; e

- maior idade.

Os alunos transferidos de outros Colégios Militares, já graduados, permanecem investidos


em seus postos ou graduações até o início do ano letivo seguinte.

As promoções no 6º ano do Ensino Fundamental serão procedidas com base na Nota Final do
exame de escolaridade do Concurso de Admissão.

Os alunos investidos nos graus de hierarquia escolar perdem essa hierarquia, quando:

- por faltas disciplinares, ingressarem no comportamento “Bom”.

- por falta disciplinar grave, a critério do Comandante do colégio, forem julgados


incompatíveis com a condição de alunos graduados. A perda da honraria será considerada como
critério de desempate, no caso de nova promoção do aluno.

Organização do Batalhão Escolar:

- 3º ano do ensino médio - composição

QUANTIDADE GRADUAÇÃO FUNÇÃO


01 (um) Coronel-Aluno Cmt Batalhão Escolar
01 (um) Tenente Coronel- SCmt Batalhão Escolar
Aluno
01 (um) por Cia Al Major-Aluno Cmt Cia Al
04 (quatro) Major-Aluno Estado Maior e Porta
Bandeira
01 (um) Major-Aluno Cmt do 3º ano
01 (um) Capitão-Aluno Porta-estandarte
03 (três) 1º Tenente-Aluno Oficiais Subalternos
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 60)

- 2º ano do ensino médio – composição

QUANTIDADE GRADUAÇÃO FUNÇÃO


01 (um) Major-Aluno Cmt do 2º ano
02 (dois) Capitão-Aluno Cmt Cia Al
4% do efetivo 1º Tenente-Aluno Oficial Subalterno
6% do efetivo 2º Tenente-Aluno Oficial Subalterno

- 1º ano do ensino médio – composição

QUANTIDADE GRADUAÇÃO FUNÇÃO


01 (um) Capitão-Aluno Cmt do 1º ano
1% do efetivo 1º Tenente-Aluno Oficial Subalterno
1% do efetivo 2º Tenente-Aluno Oficial Subalterno
1% do efetivo Aspirante-Aluno Oficial Subalterno
3% do efetivo Subtenente-Aluno Praça Auxiliar
4% do efetivo 1º Sargento-Aluno Praça Auxiliar

- 9º ano do Ensino Fundamental – composição

QUANTIDADE GRADUAÇÃO FUNÇÃO


01 (um) 1º Tenente-Aluno Cmt da 9º ano
1% do efetivo 2º Tenente-Aluno Oficial Subalterno
2% do efetivo Aspirante-Aluno Oficial Subalterno
1% do efetivo Subtenente-Aluno Praça Auxiliar
2% do efetivo 1º Sargento-Aluno Praça Auxiliar
4% do efetivo 2º Sargento-Aluno Praça Auxiliar
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 61)

- 8º ano do Ensino Fundamental – composição

QUANTIDADE GRADUAÇÃO FUNÇÃO


01 (um) 2º Tenente-Aluno Cmt da 8º ano
1% do efetivo Aspirante-Aluno Oficial Subalterno
1% do efetivo Subtenente-Aluno Praça Auxiliar
2% do efetivo 1º Sargento-Aluno Praça Auxiliar
3% do efetivo 2º Sargento-Aluno Praça Auxiliar
3% do efetivo 3º Sargento-Aluno Praça Auxiliar

- 7º ano do Ensino Fundamental - composição

QUANTIDADE GRADUAÇÃO FUNÇÃO


01 (um) Aspirante-Aluno Cmt da 7º ano
1% do efetivo Subtenente-Aluno Praça Auxiliar
1% do efetivo 1º Sargento-Aluno Praça Auxiliar
2% do efetivo 2º Sargento-Aluno Praça Auxiliar
3% do efetivo 3º Sargento-Aluno Praça Auxiliar
3% do efetivo Cabo-Aluno Praça Auxiliar

- 6º ano do Ensino Fundamental - composição

QUANTIDADE GRADUAÇÃO FUNÇÃO


1º colocado no Cabo-Aluno Cmt da 6º ano
concurso

24.4 Normas para concessão do grau de incentivo

1. O grau de incentivo tem por finalidade estimular a participação dos alunos em atividades
extraclasse, que contribuam para a formação integral (afetiva, psicomotora e cognitiva) dos alunos
do Colégio Militar de Salvador.
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 62)

2. Será concedido grau de incentivo aos alunos que participem de alguma das atividades dos
Clubes, Grêmios das Armas e Serviço, Sociedade Recreativa Literária ou de Associações de alunos
do CMS, desde que desenvolvidas fora do turno de aulas.

3. Somente atividades desenvolvidas fora do turno de aulas farão jus ao grau de incentivo,
sendo este calculado da forma abaixo.

a. Atividades que possuem reuniões semanais regulares:

1) o grau de incentivo deverá se basear em frequência e participação do aluno nas


atividades; e

2) quando houver competição ou apresentação (atividades externas), a presença dos


alunos será obrigatória. Aqueles que faltarem sem justificativa ficarão sem o grau de incentivo no
bimestre considerado.

b. Atividades desenvolvidas sem caráter regular:

1 ) para cada frequência do aluno será atribuído 0,1 (um) ponto, sendo concedido no
máximo 0,5 (meio) ponto.

4. A presença dos pais nas Reuniões de Pais e Mestres podem ser consideradas para a
concessão do grau de incentivo

5. Caso o aluno realize mais de um tipo de atividade que conceda grau de incentivo, deverá
ser considerado somente o de maior valor.

6. O grau de incentivo será concedido ao aluno nas disciplinas em que este possuir NP igual
ou superior a cinco.

7. O CA/CMS fará a inserção dos graus de incentivo no sistema de controle de notas do


colégio até o fim do período de realização de AE, e a publicação destes em BI será feita até o fim da
semana seguinte ao período de AE.

8. Os graus de incentivo só poderão ser divulgados por meio dos aditamentos ao boletim
interno. Os orientadores das diversas atividades não deverão divulgar a proposta dos graus de
incentivo para os alunos, conforme exemplo abaixo:

Nr Qdt de Frequência
Atividade Turma Nome Nota
Al Eventos do Al
Natação 801 1000 AAAAAAA 15 0,5
Natação 601 3000 BBBBBBB 10 08 0,4
Natação 602 5000 CCCCCCC 10 00 0,0
Natação 603 2000 DDDDDDD 08 08 0,5
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 63)

Grêmio de
201 7000 EEEEEEE 05 05 0,5
Comunicações
Grêmio da
701 6000 FFFFFFF 02 02 0,2
Intendência
Grêmio da Infantaria 301 4000 GGGGGGG 03 01 0,1
Sociedade Recreativa
102 8000 HHHHHHH 07 03 0,3
Literária

24.5. Critérios para a seleção dos alunos para o Quadro de Honra

1) Não ter sido escolhido como destaque no bimestre imediatamente anterior.

2) O Comandante de Companhia deverá coordenar o processo de escolha dos alunos no


âmbito da sua subunidade.

3) O Comandante de Companhia e cada um dos monitores da série deverão apresentar as suas


propostas de escolha dos alunos, considerando os aspectos cognitivo, psicomotor e comportamental.

4) Quando considerar o aspecto cognitivo, os avaliadores deverão observar para que não
sejam indicados alunos com nota parcial inferior a cinco no bimestre considerado.

5) Ao julgar o aspecto psicomotor, os avaliadores deverão considerar que o aluno indicado


não pode ter menos que 80% (oitenta por cento) de participação nas atividades de Educação Física,
Instrução Militar e, inclusive, nas formaturas gerais;

6) Com relação ao aspecto do comportamento, os avaliadores não deverão indicar alunos que
tenham menos que sete no comportamento registrado no último ABI que anteceder à avaliação.

7) A fim de padronizar o processo de escolha, deverá ser obtida uma média por aluno da
seguinte forma: atribuir o grau de 5 a 10, sem casas decimais, para o aspecto psicomotor, somar a
este grau a média das notas parciais do bimestre considerado, adicionar a esta soma a nota do
comportamento registrado no último ABI que anteceder à avaliação acima, e dividir o total por três.

8) Confrontados os graus, serão selecionados os alunos com maior somatório de pontos.

9) Serão definidos oito alunos de cada série do ensino médio e nove de cada série do Ensino
Fundamental, as companhias deverão participar, por escrito, ao Comandante do Corpo de Alunos os
dados dos seus respectivos alunos.

25. BANDA DE MÚSICA E CORAL

25.1 Recrutamento
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 64)

Deve ser respeitado o critério de voluntariado, dando-se prioridade aos alunos do Ensino
Fundamental, no caso de aprendizes.

Os voluntários serão submetidos, no início do ano letivo, a testes específicos e, quando


aprovados, frequentarão um estágio de, no máximo, 90 (noventa) dias. Serão aproveitados os
alunos que tiverem revelado progresso, disposição e gosto pela atividade.

Os pais ou responsáveis deverão apresentar autorização por escrito para esses alunos
pertencerem ao efetivo da Banda de Música.

25.2 Promoção na Banda de Música

1) As promoções ocorrerão na mesma data que as promoções do Batalhão Escolar.

2) A graduação conferida ao aluno terá validade durante a sua permanência na Banda.

3) As promoções necessárias para preenchimento de claros ocorrerão entre os alunos que


satisfaçam às condições das presentes normas e à aprovação em testes teóricos e práticos,
preparados pelo militar Regente da Banda.

4) O aluno só poderá ser promovido na sequência dos postos ou graduações, e quando


houver vaga na graduação.

5) O aluno só poderá concorrer à promoção após 01 (um) ano de efetivo serviço na Banda.

6) Só poderá ser promovido o aluno com comportamento “BOM”, e que tenha sido
aprovado no ano letivo anterior.

27. CONCLUSÃO

As orientações apresentadas neste manual buscam oferecer condições para o sucesso do aluno
em sua vida escolar, de modo a obter-se a desejada integração dos esforços de todas as partes
envolvidas no processo ensino-aprendizagem.

Prezados responsáveis, compartilhando da vivência de que a família (no sentido amplo da


palavra) é a principal formadora do caráter e colaboradora indispensável e atuante na obra
educacional, bem como de que, sem a parceria colégio - família, dificilmente poderemos obter
soluções adequadas às necessidades e aspirações do jovem na atualidade, conclamo-os a unirmos
forças a fim de que o processo educacional contribua para o desenvolvimento harmonioso da
personalidade do(a) aluno(a).

O Colégio Militar de Salvador estará sempre de portas abertas a todos(as) os(as) senhores(as)
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 65)

para sugestões que visem ao aprimoramento do Ensino e do bem-estar dos nossos alunos.
Participem sempre de maneira compromissada com a educação de valores, procurando reforçar
aquilo que é ensinado e cobrado aos alunos pelo colégio.

Vivenciamos um confronto entre Ética dos Interesses x Ética dos Valores. Nos dias atuais, a
ética dos interesses está influenciando muito negativamente a sociedade como um todo. Precisamos
nos esforçar em conjunto para que, apesar das derrotas aparentes em várias batalhas, a grande
vencedora dessa guerra seja a Ética dos Valores. Portanto, contamos e precisamos do apoio
familiar.

Caro(a) aluno(a), você é a razão de ser do Colégio Militar de Salvador. Por isso, o melhor da
atividade pedagógica do CMS visa à sua formação integral. Serão colocadas à sua disposição
condições favoráveis ao seu desenvolvimento intelectual, afetivo e psicomotor, na certeza de
fortalecer seu senso de iniciativa, responsabilidade, vigor físico, saudável convívio em grupo,
culto à disciplina, capacidade de resolução de problemas cotidianos simples e complexos, bem
como tantos outros aspectos indispensáveis ao seu êxito na vida militar ou civil.

Uma atitude positiva de sua parte será constantemente almejada, objetivando que você seja
capaz de conhecer, sentir e agir através de um processo de autoavaliação consciente, seja no
ambiente escolar ou fora dele.

Todos nós, integrantes do CMS, sentimo-nos orgulhosos por tê-lo em nosso convívio. Conte
com nosso apoio. Afinal, todos queremos e tudo faremos para que o Colégio Militar de Salvador
seja para você o que foi e é para milhares de cidadãos brasileiros:

ZUM ZARAVALHO!

CARLOS ALBERTO MANSUR – Cel Art

Cmt EsFCEx/CMS
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 66)

28. ANEXOS
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 67)

28.1 – Calendário
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 68)

28.2 – Cálculo de Notas

28.2.1 – Cálculo da Nota Periódica (NP)

a. Área de estudo ou disciplina com carga anual de até trinta horas:

No 1º semestre No 2º semestre
NP1 = AP1 + AE1 NP2 = AP2 + AE2

2 2

b. Área de estudo ou disciplina com carga horária anual superior a 30 (trinta) horas:

No 1º bimestre No 2º bimestre
NP1 = AP1 + AE1 NP2 = AP2 + AE2

2 2

No 3º bimestre
NP3 = AP3 + AE3 ou NP3 = (AP3 + TI/2 )+ AE3

2 3

No 4º bimestre
NP4 = AP4 + AE4

c. Cálculo da disciplina de Inglês

No 1º bimestre No 2º bimestre
NP1 = AP1 + AE1 NP2 = AP2 + AE3

2 2
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador …............................................................................................ Fl 69)

No 3º bimestre

NP3 = AP3 + AE3 ou NP3 = (AP3 + TI) /2 +AE3

2 3

No 4º bimestre
NP4 = AP4 + AE4

2
Obs: Composição das avaliações de Inglês

Composição do grau das AP


Speaking Peso 4
Listening Peso 3
Tasks Peso 3

Composição do grau das AE


Reading Peso 5
Writing Peso 5

28.2.2 – Cálculo da Nota Final (NF) – Aprovação por média

a. Área de estudo ou disciplina com carga horária anual até 30 (trinta) horas

Nota Final
NF = NP1 + NP2 ≥ 5,0 (cinco)

b. Área de estudo ou disciplina com carga horária anual superior a 30 (trinta) horas

Nota Final
NF = NP1 + NP2 + NP3 + NP4 ≥ 5,0 (cinco)

4
(Manual do Aluno do Colégio Militar de Salvador ….......................................................................................... Fl 70)

28.2.3 – Cálculo das Notas de Recuperação (NF)

a. Ao término do período de recuperação do 1º, 2º e 3º bimestres, os alunos em recuperação


serão submetidos a uma Avaliação Parcial de Recuperação (APR)

Nota Parcial de Recuperação


NPR = NP + APR

b. No 4º bimestre a Nota Final Recuperada será obtida através da seguinte fórmula:

Nota Final Recuperada


NFR = NF + PRF ≥ 5,0 (cinco)

28.2.4 – Cálculo da Nota Global do Ano (NGA)

Média aritmética das Notas Finais (NF) das áreas de estudo ou disciplinas, no ano escolar
considerado.

Para o cálculo da NGA dos alunos que participaram da recuperação realizada, ao longo dos
bimestres, deve ser utilizada a NP ou NPR alcançada no bimestre.

28.2.5 – Cálculo da Média Final das Áreas de Estudo ou Disciplinas (MF)

Média aritmética das Notas Finais (NF) da área de estudo ou disciplina, nos diferentes anos
escolares da modalidade de ensino.

28.2.6 – Cálculo da Média Global do Curso (MGC)

Média aritmética das notas globais dos anos escolares da modalidade de ensino (NGS).