Você está na página 1de 9

«O palácio da Ventura»

Samuel Scott, Castelo de Ludlow (1765-1769).


Sonho que sou um cavaleiro andante.
Por desertos, por sóis, por noite escura,
Entusiasmo
paladino do amor, busco anelante
O palácio encantado da Ventura!

Mas já desmaio, exausto e vacilante, Desânimo


Quebrada a espada já, rota a armadura…
E eis que súbito o avisto, fulgurante
Na sua pompa e aérea formosura!

Com grandes golpes bato à porta e brado:


Renovação
Eu sou o Vagabundo, o Deserdado…
da esperança
Abri-vos, portas d'ouro, ante meus ais!

Abrem-se as portas d’ouro, com fragor…


Mas dentro encontro só, cheio de dor,
Silêncio e escuridão — e nada mais! Desilusão
Versos 1-4 ENTUSIASMO
Plano onírico / idealização

Sonho que sou um cavaleiro andante.


Por desertos, por sóis, por noite escura,
paladino do amor, busco anelante
O palácio encantado da Ventura!

Cavaleiro:
Enumeração
dos obstáculos • Representa o triunfo
que o cavaleiro militar ou espiritual
enfrenta
• Serve geralmente
uma causa superior

Procura o bem maior:


«Ventura»

Felicidade Georges Frederick Watts, Galaaz (1888).
Versos 5-6 DESÂNIMO

Mas: conector com valor de contraste

Ideal ≠ Real

Mas já desmaio, exausto e vacilante,


Quebrada a espada já, rota a armadura…

Metáforas
do desânimo:
a busca Reticências:
não tem desalento,
resultados prostração,
desencorajamento

Joseph Paton, Galaaz (fim do século XIX).


Versos 7-12 RENOVAÇÃO DA ESPERANÇA

Palácio da Ventura: Felicidade

E eis que súbito o avisto, fulgurante


Na sua pompa e aérea formosura!
Exclamação:
Com grandes golpes bato à porta e brado: alegria, esperança
Eu sou o Vagabundo, o Deserdado… renovada, desejo
Abri-vos, portas d'ouro, ante meus ais!

Abrem-se as portas d’ouro, com fragor… Reticências:


expectativa

o Vagabundo, o Deserdado:
símbolos da errância,
da perda e do sofrimento

Imperativo:
súplica/desejo
Versos 13-14 DESILUSÃO

Mas: conector com valor de contraste


Advérbio
que enfatiza
Mas dentro encontro só, cheio de dor,
a desilusão
Silêncio e escuridão — e nada mais! 
portas d’ouro

Silêncio
e escuridão
Interior: ≠ Exterior:
silêncio fulgor,
e escuridão pompa
e formusura
Percurso do cavaleiro até ao «palácio da Ventura»:

Esperança Desilusão

Alegoria da Vida

Perspetiva pessimista
John Constable, Castelo de Hadleigh (1829).
«O palácio da Ventura»

Samuel Scott, Ludlow Castle (1765-1769).