Você está na página 1de 9

SEMIOLOGIA DO ABDOME

Delimitações do abdome:
Cranial: Delimitado pelo músculo diafragma

Inferior: Musculatura do assoalho pélvico

Lateral: Músculos serarátil e oblíquos

Anterior: Músculos retos abdominais

Posterior: Músculos quadrado lombar e psoas

Algumas denominações importantes :

Andar superior do abdome: Acima da cicatriz umbilical

Andar inferior do abdome: Abaixo da cicatriz umbilical ( região de baixo ventre) –


hipogástrio e imediações

Hemiabdome direito e esquerdo a partir da cicatriz umbilical

INSPEÇÂO ABDOMINAL:

Formas de abdome:

Abdome atípico ou normal : Pode apresentar grandes variações , porém o que mais
importante é a simetria entre seus lados.

Abdome globoso : Abdome globalmente aumentando , com predomínio nítido do


diâmetro antero-posterior , pode ocorrer na gravidez avançada , ascite , distensão por
gases , obesidade , pneumoperitonio , hepatoesplenomegalias , tumores císticos
ovarianos

Abdome em ventre de batráquio : É aquele que é notado principalmente com o


paciente em decúbito dorsal , onde predomina-se o diâmetro lateral , geralmente está
associado as fases de regressão de ascites , pois o liquido começa a exercer pressão
nas paredes laterais do abdome

Abdome Pendular ou ptótico : Ocorre em pessoas que perderam a firmeza da parede


abdominal , principalmente na sua porção inferior , onde as vísceras quando o
paciente está de pé pressionam a região inferior do abdome
Abdome em avental : Acumulo de tecido gorduroso na parede abdominal , obesidade
avançada , a parede abdominal cai sobre as coxas do paciente , mais evidente quando
está de pé.

Abdome escavado : Parede abdominal retraída , característico de pessoas muito


emagrecidas , consumidas .

Cicatriz umbilical : Geralmente tem aspecto retraído ou plano , e tem valor


prognóstico quando aparece na região algum tipo de protrusão , indicando a presença
de hérnias umbilicais ou líquido , em crianças pode infeccionar ( onfalites)

Circulação colateral : Tipo portal recanalização da veia umbilical e tributárias da veia


porta – padrão centrífugo em relação ao umbigo

Tipo cava inferior : Fluxo de sangue retrógrado para veias da parede abdominal em
direção ascendente

Pulsações abdominais : Podem ser observadas em pessoas magras , e quase sempre


refletem as pulsações da aorta abdominal

Cicatrizes da parede abdominal : Flanco direito – colescistectomia ; flanco esquerdo –


colectomia ; FID ; Apendicetomia , herniorráfia , FIE : herniorrafia ; hipogástrio :
Histerectomia , linha média : laparotomia , Lombar : Nefrectomia
Ondas peristálticas : Podem ser visíveis em indivíduos magros , porém podem indicar
uma patologia como obstruções e estenoses intestinais.

Alterações de pele : telangiectasias ( encontradas nas hepatopatias) ; equimose ; LEP ;


estrias ( localização , cor , orientação , tamanho ) ; abaulamentos e retrações (
visceromegalias , linfonodomegalias . nódulo umbilical metastático ( irmã Maria José )
Hérnias:

Possuem um saco  Este por sua vez é revestido de peritônio coberto de vestígios da
camada que ele penetrou , comunica-se com a cavidade peritoneal por meio de um
colo que pode ser largo ou estreito ; o anel da hérnia determina o tamanho do defeito
da parede.

O conteúdo de um saco pode ser intestinos , líquido , omento ou bexiga.

Pode ser redutível , estrangulada ou encarcerada , quando não é redutível é


encarcerada e pode estar acontecendo gangrena/necrose  estrangulada

AUSCULTA : Em condições normais pelo menos uma vez em cada 2 min pode se ouvir
um som . As oclusões e semi – oclusões, por exemplo, estimulam o aumento de
barulhos que podem se tornar audíveis até mesmo sem estetoscópio – neste episodio
chamamos de borborigmos e coincide com o episodio dá cólica

Se o processo não for resolvido , começa a declinar os barulhos da peristalse de forma


a manter um silencio total na ausculta – íleo funcional

A diminuição gradativa da peristalse também ocorre em síndromes perfurativas,


inflamatórias e hemorrágicas. Silencio abdominal indica comprometimento difuso do
peritônio parietal.

Ruídos peristálticos podem estar muito aumentados > 34 – peristalse de luta - fases
iniciais de uma obstrução intestinal

Colocar o estetoscópio na fossa ilíaca direita , se escutar alí , ok , porém se não


auscultar nada , começar a pesquisar nos outros quadrantes por 2 min.

Podem ser auscultados sopros sistólicos ou sistodiástólicos , zumbido venoso em


pacientes que apresentam hipertensão portal .
PALPAÇÂO:

Superficial: buscando alterações nas paredes abdominais

Profunda : buscando alterações nos órgãos abdominais

Palpação mono manual para avaliar parede e bi manual para avaliar as vísceras
abdominais.

Palpação superficial :

Sensibilidade : Palpar de leve a parede abdominal – pode haver hiperestesia cutânea


em casos de dor

Pontos dolorosos : São pontos da parede abdominal que tem a particularidade de se


tornarem hipersensíveis quando há comprometimento de órgãos a eles associados :

Ponto epigástrico : úlcera péptica em atividade e gastrites .

Ponto cístico : sinal de Murphy

Ponto apendicular : Ponto de Mcburney – sinal de Blumberg

Pontos ureterais : Migração de cálculo – cólicas nefríticas – borda lateral do músculo


reto – abdominal. Na altura do umbigo e na altura da crista ilíaca anterior superior –
palpação deve ser feito com as polpas digitais e com as duas mãos fazendo a
compressão da parede abdominal .

OBS : dor referida da colecistite – ombro esquerdo

Dor do infarto agudo – Epigástrio

Dor pleurítica – flancos .

Resistencia da parede abdominal :

Contratura involuntária X voluntária  para diferenciar converse com o paciente ,


peça-o para respirar fundo e flexionar as pernas para distraí-lo e conseguir ver o
estado de tensão da parede abdominal.

Contratura involuntária  Defesa da parede abdominal – reflexo víscero-motor que


origina com a inflamação do peritônio – abdome em tábua
Contratura pode ser intra abdominal (ascites , massas e distensão ) ou muscular

Continuidade da parede abdominal  Separação dos músculos reto-abdominais


podendo inserir algumas polpas digitais nesse local, mais frequente acima da cicatriz
umbilical

Hérnias  Soluções de continuidade por onde penetram uma ou mais estruturas


intra-abdominais na parede , mais comum em regiões inguinais , umbilical , linha alba ,
linha semi-lunar e femoral . Pode pedir ao paciente para realizar Valsalva ou tossir para
de uma forma aumentar a visibilidade há hérnia.

Espessura da parede

Edema de parede

PALPAÇAO PROFUNDA :

Massas intra-abdominais

Sensibilidade

Líquido dentro de víscera oca atônica ou hipotônica  gargarejo e vascolejo ( dar uns
tapas no estomago e no ceco para voltar liquido nas mãos )

Gargarejo  Comum no ceco  Diarréias  líquido na víscera

Vasculejo  Comum no estômago.

Palpação do Fígado  importante para encontrar a borda inferior do fígado ,


geralmente na altura da 12ªcostela .

Método de Mathieu : posicionar-se a direita do paciente , virando de costas pare ele ,


colocar a mão em garra com os dedos fletidos e começar a palpar desde a região da
cicatriz umbilical e ir subindo até a região subcostal para tentar alcançar a borda
anterior do fígado

Manobra de lemos torres : Expiração – entrar com a mão na fossa ilíaca direita e na
inspiração elevar a mão para ir ao encontro da borda inferior do fígado.

Ao encontrar o fígado avaliar consistência , superfície , borda inferior , sensibildiade

FIGADO NORMAL: Parede lisa , superifice lisa , com pouca dor a palpação , possui
borda fina .
Graduação das hepatomegalias : Dois dedos trasnversos desde o rebordo no final da
inspiração  Pequenas hepatomegalias

4 dedos  médias hepatomegalias

Mais de 4 dedos chegando até o quadrante inferior  Grandes hepatomegalias

Borda hepática : pode ser normal , cortante ( + final – quando há dminuição deste ) e
romba – Quando há aumento deste.

Superficie : Lisa ou nodular , os nódulos podem ser difusos , multiplos como na cirrose
, podem ser esparsos como na metástase e podem ser unicos no cancer primitivo de
fígado.

Dor  Condições que deslocam agudamente a cápsula de glisson – então cirrose e


esquistossomose tendem a não ser dolorosos .

HEPATOMEGALIAS  Causas mais comuns : ICD , Cirrose hepática , colestase ,


esquistossomose , hepatite , esteatose , neoplasias e linfomas .

PALPAÇÂO DO BAÇO : Não é uma víscera palpável , para se tornar papável tende a
aumentar cerca de 3 X o seu tamanho normal . esplenomegalias podem abaular a
região dos flancos esqeurdos.

Posição de Shuster  posição intermediaria entre o decubito lateral direito e decubito


dorsal  estende a perna direita e flexiona a perna esquerda e poe o braço esqeurdo
por traz da cabeça
Esplenomegalias : Baços aumentados podem ser percutidos , portanto deve-se realizar
a percussão do espaço de truabe

Qualquer que seja a etiologia da esplenomegalia ele levará a alterações no hemograma


como anemia , trombocitopenia e leucopenia.

Esta ação do baço sobre os componentes do sangue recebe o nome de


hiperesplenismo que pode ser seletivo ou global para o tipo de célula.

Grandes esplenomegalias  Hipertensão portal , esquistossomose , cirrose hepática ,


leucemia mieloide crônica e leishmaniose.

Massas no hipocôndrio esquerdo: RIM OU BAÇO OU ADRENAL OU TOMORES DESSES


LOCAIS , TUMORES DE FLEXURA ESPLENICA , para diferenciar observa-se o ciclo
respiratório – os rins são praticamente fixos com a respiração , não tem mobilidade , já
tumores e o baço podem se mobilizar ( OS : baço tem 3 chanfraduras)

Você também pode gostar