Você está na página 1de 48

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração


Assim, podemos escrever:
1) NOÇÕES BÁSICAS DE: MATEMÁTICA Preço de custo + lucro = preço de venda
Preço de custo – prejuízos = preço de venda
FINANCEIRA, COMPRAS, LICITAÇÕES;
VEICULAÇÃO, CIRCULAÇÃO E ARQUIVA- Podemos expressar o lucro na forma de porcentagem de duas
MENTO DE DOCUMENTOS; REGISTRO, formas:
ADMISSÃO, MOVIMENTAÇÃO E PAGA- Lucro sobre o custo = lucro/preço de custo. 100%
MENTO DE PESSOAL, CONTRATAÇÕES; Lucro sobre a venda = lucro/preço de venda. 100%
ESTOQUE E ALMOXARIFADO; ELABORA-
ÇÃO E ACOMPANHAMENTO DE ORÇA- Observação: A mesma análise pode ser feita para o caso de
MENTO. prejuízo.

Exemplo

Uma mercadoria foi comprada por R$ 500,00 e vendida por


Porcentagem R$ 800,00.
Pede-se:
É uma fração de denominador centesimal, ou seja, é uma - o lucro obtido na transação;
fração de denominador 100. Representamos porcentagem pelo - a porcentagem de lucro sobre o preço de custo;
símbolo % e lê-se: “por cento”. - a porcentagem de lucro sobre o preço de venda.
50
Deste modo, a fração é uma porcentagem que podemos Resposta:
100
representar por 50%. Lucro = 800 – 500 = R$ 300,00
Lc = 300 = 0,60 = 60%
Forma Decimal: É comum representarmos uma porcentagem 500
na forma decimal, por exemplo, 35% na forma decimal seriam Lv =
300
= 0,375 = 37,5%
representados por 0,35. 800

75 Aumento
75% = = 0,75
100
Aumento Percentual: Consideremos um valor inicial V que
Cálculo de uma Porcentagem: Para calcularmos uma deve sofrer um aumento de p% de seu valor. Chamemos de A o
porcentagem p% de V, basta multiplicarmos a fração p por V. valor do aumento e VA o valor após o aumento. Então, A = p% de
100
p V= p .V
P% de V = .V 100
100
Exemplo 1 p
VA = V + A = V + .V
100
23 p
23% de 240 = . 240 = 55,2 VA = ( 1 + ).V
100 100
Exemplo 2 p
Em que (1 + 100 ) é o fator de aumento.
Em uma pesquisa de mercado, constatou-se que 67% de uma Desconto
amostra assistem a um certo programa de TV. Se a população é de
56.000 habitantes, quantas pessoas assistem ao tal programa? Desconto Percentual: Consideremos um valor inicial V que
67 deve sofrer um desconto de p% de seu valor. Chamemos de D o
Resolução: 67% de 56 000 = .56000 = 37520
100 valor do desconto e VD o valor após o desconto. Então, D = p% de
Resposta: 37 520 pessoas. V= p .V
100
Porcentagem que o lucro representa em relação ao preço p
de custo e em relação ao preço de venda VD = V – D = V – .V
100
p
Chamamos de lucro em uma transação comercial de compra e VD = (1 – ).V
100
venda a diferença entre o preço de venda e o preço de custo. p
Lucro = preço de venda – preço de custo Em que (1 – ) é o fator de desconto.
100
Caso essa diferença seja negativa, ela será chamada de
prejuízo.

Didatismo e Conhecimento 1
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Exemplo

Uma empresa admite um funcionário no mês de janeiro sabendo que, já em março, ele terá 40% de aumento. Se a empresa deseja que
o salário desse funcionário, a partir de março, seja R$ 3 500,00, com que salário deve admiti-lo?
Resolução: VA = 1,4 . V
3 500 = 1,4 . V
3500
V= = 2500
1,4

Resposta: R$ 2 500,00

Aumentos e Descontos Sucessivos: Consideremos um valor inicial V, e vamos considerar que ele irá sofrer dois aumentos sucessivos
de p1% e p2%. Sendo V1 o valor após o primeiro aumento, temos:
p
V1 = V . (1 + 1 )
100
Sendo V2 o valor após o segundo aumento, temos:
V2 = V1 . (1 + p2 )
100
p p
V2 = V . (1 + 1 ) . (1 + 2 )
100 100
Sendo V um valor inicial, vamos considerar que ele irá sofrer dois descontos sucessivos de p1% e p2%.

Sendo V1 o valor após o primeiro desconto, temos:


V1 = V. (1 – p1 )
100
Sendo V2 o valor após o segundo desconto, temos:
p2
V2 = V1 . (1 – )
100
V2 = V . (1 – p1 ) . (1 – p2 )
100 100
Sendo V um valor inicial, vamos considerar que ele irá sofrer um aumento de p1% e, sucessivamente, um desconto de p2%.
Sendo V1 o valor após o aumento, temos:
p
V1 = V . (1+ 1 )
100

Sendo V2 o valor após o desconto, temos:


V2 = V1 . (1 – p2 )
100
V2 = V . (1 + p1 ) . (1 – p2 )
100 100
Exemplo

(VUNESP-SP) Uma instituição bancária oferece um rendimento de 15% ao ano para depósitos feitos numa certa modalidade de
aplicação financeira. Um cliente deste banco deposita 1 000 reais nessa aplicação. Ao final de n anos, o capital que esse cliente terá em reais,
relativo a esse depósito, são:
n
 p 
Resolução: VA = 1 +  .v
 100 
n
VA = 1. 15  .1000
 100 
V = 1 000 . (1,15)n
A

VA = 1 000 . 1,15n
VA = 1 150,00n

Didatismo e Conhecimento 2
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Questões

1 - (PREF. AMPARO/SP – AGENTE ESCOLAR – CONRIO/2014) Se em um tanque de um carro for misturado 45 litros de etanol em
28 litros de gasolina, qual será o percentual aproximado de gasolina nesse tanque?
A) 38,357%
B) 38,356%
C) 38,358%
D) 38,359%

2 - (CEF / Escriturário) Uma pessoa x pode realizar uma certa tarefa em 12 horas. Outra pessoa, y, é 50% mais eficiente que x.
Nessas condições, o número de horas necessárias para que y realize essa tarefa é :
A) 4
B) 5
C) 6
D) 7
E) 8

3 - (SABESP – APRENDIZ – FCC/2012) Observe a tabela que indica o consumo mensal de uma mesma torneira da pia de uma
cozinha, aberta meia volta por um minuto, uma vez ao dia.

Em relação ao cosumo mensal da torneira alimentada pela água da rua, o da torneira alimentada pela água da caixa representa,
aproximadamente,
A) 20%
B) 26%
C) 30%
D) 35%
E) 40%

4 - (CÂMARA DE SÃO PAULO/SP – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – FCC/2014) O preço de uma mercadoria, na loja J, é de R$
50,00. O dono da loja J resolve reajustar o preço dessa mercadoria em 20%. A mesma mercadoria, na loja K, é vendida por R$ 40,00. O
dono da loja K resolve reajustar o preço dessa mercadoria de maneira a igualar o preço praticado na loja J após o reajuste de 20%. Dessa
maneira o dono da loja K deve reajustar o preço em
A) 20%.
B) 50%.
C) 10%.
D) 15%.
E) 60%.

5 - (CÂMARA DE SÃO PAULO/SP – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – FCC/2014) O preço de venda de um produto, descontado
um imposto de 16% que incide sobre esse mesmo preço, supera o preço de compra em 40%, os quais constituem o lucro líquido do ven-
dedor. Em quantos por cento, aproximadamente, o preço de venda é superior ao de compra?
A) 67%.
B) 61%.
C) 65%.
D) 63%.
E) 69%.

6 - (DPE/SP – AGENTE DE DEFENSORIA PÚBLICA – FCC/2013) Um comerciante comprou uma mercadoria por R$ 350,00.
Para estabelecer o preço de venda desse produto em sua loja, o comerciante decidiu que o valor deveria ser suficiente para dar 30% de
desconto sobre o preço de venda e ainda assim garantir lucro de 20% sobre o preço de compra. Nessas condições, o preço que o comer-
ciante deve vender essa mercadoria é igual a

Didatismo e Conhecimento 3
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
A) R$ 620,00. Quem arrematou algum dos lotes disponíveis no leilão pagou
B) R$ 580,00. 20% do lance mais 5% de comissão do leiloeiro no ato da arrema-
C) R$ 600,00. tação. Os 80% restantes foram pagos impreterivelmente até o dia
D) R$ 590,00. 11 de dezembro.
E) R$ 610,00. Fonte: http://www.ssp.se.gov.br05/12/13 (modificada).

7 - (DPE/SP – AGENTE DE DEFENSORIA PÚBLICA – Vitor arrematou um lote, pagou o combinado no ato da arre-
FCC/2013) Uma bolsa contém apenas 5 bolas brancas e 7 bolas matação e os R$28.800,00 restantes no dia 10 de dezembro. Com
pretas. Sorteando ao acaso uma bola dessa bolsa, a probabilidade base nas informações contidas no texto, calcule o valor total gasto
de que ela seja preta é por Vitor nesse leilão.
A) maior do que 55% e menor do que 60%. A) R$34.600,00
B) menor do que 50%. B) R$36.000,00
C) maior do que 65%. C) R$35.400,00
D) maior do que 50% e menor do que 55%. D) R$32.000,00
E) maior do que 60% e menor do que 65%. E) R$37.800,00

8 - PREF. JUNDIAI/SP – ELETRICISTA – MAKIYA- Respostas


MA/2013) Das 80 crianças que responderam a uma enquete refe-
rente a sua fruta favorita, 70% eram meninos. Dentre as meninas, 1 - RESPOSTA: “B”.
25% responderam que sua fruta favorita era a maçã. Sendo assim, Mistura:28+45=73
qual porcentagem representa, em relação a todas as crianças entre- 73------100%
vistadas, as meninas que têm a maçã como fruta preferida? 28------x
A) 10% X=38,356%
B) 1,5%
C) 25% 2 - RESPOSTA “C”.
D) 7,5%
E) 5%
12 horas → 100 %
9 - (PM/SE – SOLDADO 3ªCLASSE – FUNCAB/2014)
50 % de 12 horas = = 6 horas
Numa liquidação de bebidas, um atacadista fez a seguinte promo-
ção:
X = 12 horas → 100 % = total de horas trabalhado
Y = 50 % mais rápido que X.
Então, se 50% de 12 horas equivalem a 6 horas, logo Y faz o
mesmo trabalho em 6 horas.

3 - RESPOSTA: “B”.

Alexandre comprou duas embalagens nessa promoção e re-


vendeu cada unidade por R$3,50. O lucro obtido por ele com a 4 - RESPOSTA: “B”.
revenda das latas de cerveja das duas embalagens completas foi:
A) R$33,60
B) R$28,60
C) R$26,40
D) R$40,80
E) R$43,20

10 - (PM/SE – SOLDADO 3ªCLASSE – FUNCAB/2014)


Leilão de veículos apreendidos do Detran aconteceu no dia 7 de O reajuste deve ser de 50%.
dezembro.

O Departamento Estadual de Trânsito de Sergipe – Detran/


SE – realizou, no dia 7 de dezembro, sábado, às 9 horas, no Espaço
Emes, um leilão de veículos apreendidos em fiscalizações de trân-
sito. Ao todo foram leiloados 195 veículos, sendo que 183 foram
comercializados como sucatas e 12 foram vendidos como aptos
para circulação.

Didatismo e Conhecimento 4
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
5 - RESPOSTA: “A”. 10 - RESPOSTA: “E”.
Preço de venda: PV R$28.800-------80%
Preço de compra: PC x------------------100%

Note que: 1,4 = 100%+40% ou 1+0,4.Como ele superou o


preço de venda (100%) em 40% , isso significa soma aos 100%
mais 40%, logo 140%= 1,4.

PV - 0,16PV = 1,4PC
0,84PV=1,4PC
Valor total: R$36.000,00+R$1.800,00=R$37.800,00

Juros Simples

Toda vez que falamos em juros estamos nos referindo a uma


O preço de venda é 67% superior ao preço de compra. quantia em dinheiro que deve ser paga por um devedor, pela
utilização de dinheiro de um credor (aquele que empresta).
6 - RESPOSTA: “C”.
Preço de venda: PV - Os juros são representados pela letra j.
Preço de compra: 350 - O dinheiro que se deposita ou se empresta chamamos de
30% de desconto, deixa o produto com 70% do seu valor.
capital e é representado pela letra C.
Como ele queria ter um lucro de 20% sobre o preço de com-
- O tempo de depósito ou de empréstimo é representado pela
pra, devemos multiplicar por 1,2(350+0,2.350) ➜ 0,7PV = 1,2 . 350
letra t.
- A taxa de juros é a razão centesimal que incide sobre um
capital durante certo tempo. É representado pela letra i e utilizada
para calcular juros.

O preço de venda deve ser R$600,00. Chamamos de simples os juros que são somados ao capital
inicial no final da aplicação.
7 - RESPOSTA: “A”.
Ao todo tem 12 bolas, portanto a probabilidade de se tirar uma Devemos sempre relacionar taxa e tempo numa mesma
preta é: unidade:
Taxa anual --------------------- tempo em anos
Taxa mensal-------------------- tempo em meses
Taxa diária---------------------- tempo em dias

8 - RESPOSTA: “D”. Consideremos, como exemplo, o seguinte problema:


Tem que ser menina E gostar de maçã.
Meninas:100-70=30% Uma pessoa empresta a outra, a juros simples, a quantia de
R$ 3. 000,00, pelo prazo de 4 meses, à taxa de 2% ao mês. Quanto
, simplificando temos ➜P= deverá ser pago de juros?
0,075 . 100% = 7,5%.
Resolução:
9 - RESPOSTA: “A”.
- Capital aplicado (C): R$ 3.000,00
- Tempo de aplicação (t): 4 meses
- Taxa (i): 2% ou 0,02 a.m. (= ao mês)

Fazendo o cálculo, mês a mês:


- No final do 1º período (1 mês), os juros serão: 0,02 x R$
3.000,00 = R$ 60,00
- No final do 2º período (2 meses), os juros serão: R$ 60,00 +
R$ 60,00 = R$ 120,00
- No final do 3º período (3 meses), os juros serão: R$ 120,00
+ R$ 60,00 = R$ 180,00
O lucro de Alexandre foi de R$33,60. - No final do 4º período (4 meses), os juros serão: R$ 180,00
+ R$ 60,00 = R$ 240,00

Didatismo e Conhecimento 5
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Desse modo, no final da aplicação, deverão ser pagos R$
240,00 de juros.
Fazendo o cálculo, período a período:
- No final do 1º período, os juros serão: i.C
- No final do 2º período, os juros serão: i.C + i.C
- No final do 3º período, os juros serão: i.C + i.C + i.C
-----------------------------------------------------------------------
- No final do período t, os juros serão: i.C + i.C + i.C + ... + i.C Observe que o crescimento do principal segundo juros simples
é LINEAR enquanto que o crescimento segundo juros compostos
Portanto, temos: é EXPONENCIAL, e, portanto tem um crescimento muito mais
“rápido”. Isto poderia ser ilustrado graficamente da seguinte forma:
J=C.i.t

Observações:

1) A taxa i e o tempo t devem ser expressos na mesma unidade.


2) Nessa fórmula, a taxa i deve ser expressa na forma decimal.
3) Chamamos de montante (M) a soma do capital com os
juros, ou seja: Na fórmula J= C . i . t, temos quatro variáveis. Se
três delas forem valores conhecidos, podemos calcular o 4º valor.
Na prática, as empresas, órgãos governamentais e investidores
M=C+ j particulares costumam reinvestir as quantias geradas pelas aplicações
financeiras, o que justifica o emprego mais comum de juros compostos
na Economia. Na verdade, o uso de juros simples não se justifica em
Exemplo
estudos econômicos.
A que taxa esteve empregado o capital de R$ 20.000,00 para
Fórmula para o cálculo de Juros compostos
render, em 3 anos, R$ 28.800,00 de juros? (Observação: Como o
Considere o capital inicial (principal P) $1000,00 aplicado a uma
tempo está em anos devemos ter uma taxa anual.)
taxa mensal de juros compostos ( i ) de 10% (i = 10% a.m.). Vamos
calcular os montantes (principal + juros), mês a mês:
C = R$ 20.000,00 Após o 1º mês, teremos: M1 = 1000 x 1,1 = 1100 = 1000(1 + 0,1)
t = 3 anos Após o 2º mês, teremos: M2 = 1100 x 1,1 = 1210 = 1000(1 + 0,1)2
j = R$ 28.800,00 Após o 3º mês, teremos: M3 = 1210 x 1,1 = 1331 = 1000(1 + 0,1)3
i = ? (ao ano) .................................................................................................
Após o nº (enésimo) mês, sendo S o montante, teremos
j = C.i.t evidentemente: S = 1000(1 + 0,1)n
100 De uma forma genérica, teremos para um principal P, aplicado a
28 800 = 20000..i.3 uma taxa de juros compostos i durante o período n : S = P (1 + i)n onde
100 S = montante, P = principal, i = taxa de juros e n = número de períodos
28 800 = 600 . i que o principal P (capital inicial) foi aplicado.
Nota: Na fórmula acima, as unidades de tempo referentes à taxa
i = 28.800 de juros (i) e do período (n), tem de ser necessariamente iguais. Este
600 é um detalhe importantíssimo, que não pode ser esquecido! Assim,
i = 48 por exemplo, se a taxa for 2% ao mês e o período 3 anos, deveremos
considerar 2% ao mês durante 3x12=36 meses.
Resposta: 48% ao ano. Exemplos
1 – Expresse o número de períodos n de uma aplicação, em
Juros Compostos função do montante S e da taxa de aplicação i por período.
Solução:
O capital inicial (principal) pode crescer, como já sabemos, Temos S = P(1+i)n
devido aos juros, segundo duas modalidades, a saber: Logo, S/P = (1+i)n
Juros simples - ao longo do tempo, somente o principal rende Pelo que já conhecemos de logaritmos, poderemos escrever:
juros. n = log (1+ i ) (S/P) . Portanto, usando logaritmo decimal (base
Juros compostos - após cada período, os juros são incorporados 10), vem:
ao principal e passam, por sua vez, a render juros. Também log(S / P) log S − log P
conhecido como “juros sobre juros”. n= =
log(1+ i) log(1+ i)
Vamos ilustrar a diferença entre os crescimentos de um
capital através juros simples e juros compostos, com um exemplo:
Suponha que $100,00 são empregados a uma taxa de 10% a.a. (ao Temos também da expressão acima que: n.log(1 + i) = logS
ano) Teremos: – logP

Didatismo e Conhecimento 6
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Deste exemplo, dá para perceber que o estudo dos juros 4. (PREF. JUNDIAI/SP – ELETRICISTA – MAKIYA-
compostos é uma aplicação prática do estudo dos logaritmos. MA/2013) Teresa pagou uma conta no valor de R$ 400,00 com
2 – Um capital é aplicado em regime de juros compostos a uma seis dias de atraso. Por isso, foi acrescido, sobre o valor da conta,
taxa mensal de 2% (2% a.m.). Depois de quanto tempo este capital juro de 0,5% em regime simples, para cada dia de atraso. Com
estará duplicado? isso, qual foi o valor total pago por Teresa?
A) R$ 420,00.
Solução: Sabemos que S = P (1 + i)n. Quando o capital inicial B) R$ 412,00.
estiver duplicado, teremos S = 2P. C) R$ 410,00.
Substituindo, vem: 2P = P(1+0,02)n [Obs: 0,02 = 2/100 = 2%] D) R$ 415,00.
Simplificando, fica: E) R$ 422,00.
2 = 1,02n , que é uma equação exponencial simples.
Teremos então: n = log1,022 = log2 /log1,02 = 0,30103 / 0,00860 5. PM/SE – SOLDADO 3ªCLASSE – FUNCAB/2014) Po-
= 35 lícia autua 16 condutores durante blitz da Lei Seca
No dia 27 de novembro, uma equipe da Companhia de Polí-
Nota: log2 = 0,30103 e log1,02 = 0,00860; estes valores podem cia de Trânsito(CPTran) da Polícia Militar do Estado de Sergipe
ser obtidos rapidamente em máquinas calculadoras científicas.
realizou blitz da Lei Seca na Avenida Beira Mar. Durante a ação, a
Caso uma questão assim caia no vestibular, o examinador teria de
polícia autuou 16 condutores.
informar os valores dos logaritmos necessários, ou então permitir o
Segundo o capitão Fábio <achado, comandante da CPTran,
uso de calculadora na prova, o que não é comum no Brasil.
Portanto, o capital estaria duplicado após 35 meses (observe 12 pessoas foram notificadas por infrações diversas e quatro por
que a taxa de juros do problema é mensal), o que equivale a 2 anos desobediência à Lei Seca[...].
e 11 meses. O quarteto detido foi multado em R$1.910,54 cada e teve a
Resposta: 2 anos e 11 meses. Carteira Nacional de Trânsito (CNH) suspensa por um ano.
(Fonte: PM/SE 28/11/13, modificada)
Exercícios Investindo um capital inicial no valor total das quatros mulas
durante um período de dez meses, com juros de 5% ao mês, no
1. (SABESP – ANALISTA DE GESTÃO I -CONTABI- sistema de juros simples, o total de juros obtidos será:
LIDADE – FCC/2012) Renato aplicou uma quantia no regime A) R$2.768,15
de capitalização de juros simples de 1,25% ao mês. Ao final de B) R$1.595,27
um ano, sacou todo o dinheiro da aplicação, gastou metade dele C) R$3.821,08
para comprar um imóvel e aplicou o restante, por quatro meses, D) R$9.552,70
em outro fundo, que rendia juros simples de 1,5% ao mês. Ao final E) R$1.910,54
desse período, ele encerrou a aplicação, sacando um total de R$
95.082,00. A quantia inicial, em reais, aplicada por Renato no pri- 6. (CÂMARA DE CANITAR/SP – RECEPCIONISTA
meiro investimento foi de – INDEC/2013) Uma aplicação financeira rende mensalmente
A) 154.000,00 0,72%. Após 3 meses, um capital investido de R$ 14.000,00 ren-
B) 156.000,00 derá: (Considere juros compostos)
C) 158.000,00 A) R$ 267,92
D) 160.000,00 B) R$ 285,49
E) 162.000,00 C) R$300,45
D) R$304,58
2. (CÂMARA DE SÃO PAULO/SP – TÉCNICO ADMI- E)
NISTRATIVO – FCC/2014) José Luiz aplicou R$60.000,00 num 7. (CÂMARA DE CANITAR/SP – RECEPCIONISTA –
fundo de investimento, em regime de juros compostos, com taxa de
INDEC/2013) Qual a porcentagem de rendimento mensal de um
2% ao mês. Após 3 meses, o montante que José Luiz poderá sacar é
capital de R$ 5.000,00 que rende R$ 420,00 após 6 meses?
A) R$63.600,00.
(Considere juros simples)
B) R$63.672,48.
A) 2,2%
C) R$63.854,58.
D) R$62.425,00. B) 1,6%
E) R$62.400,00. C) 1,4%
D) 0,7%
3. CREA/PR – AGENTE ADMINISTRATIVO – FUNDA-
TEC/2013) Um empréstimo de R$ 50.000,00 será pago no prazo de 8. (PM/SP – OFICIAL – VUNESP/2013) Pretendendo
5 meses, com juros simples de 2,5% a.m. (ao mês). Nesse sentido, aplicar em um fundo que rende juros compostos, um investidor
o valor da dívida na data do seu vencimento será: fez uma simulação. Na simulação feita, se ele aplicar hoje R$
A) R$6.250,00. 10.000,00 e R$ 20.000,00 daqui a um ano, e não fizer nenhuma
B) R$16.250,00. retirada, o saldo daqui a dois anos será de R$ 38.400,00. Desse
C) R$42.650,00. modo, é correto afirmar que a taxa anual de juros considerada nes-
D) R$56.250,00. sa simulação foi de
E) R$62.250,00.

Didatismo e Conhecimento 7
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
A) 12%.
B) 15%.
C) 18%.
D) 20%.
E) 21%.

9. (TRT 1ª – TÉCNICO JUDICIÁRIO – ÁREA ADMINISTRATIVA – FCC/2013) Juliano possui R$ 29.000,00 aplicados em um
regime de juros compostos e deseja comprar um carro cujo preço à vista é R$30.000,00. Se nos próximos meses essa aplicação render 1% ao
mês e o preço do carro se mantiver, o número mínimo de meses necessário para que Juliano tenha em sua aplicação uma quantia suficiente
para comprar o carro é
A) 7.
B) 4.
C) 5.
D) 6.
E) 3.

10. (BANCO DO BRASIL – ESCRITURÁRIO – CESGRANRIO/2012) João tomou um empréstimo de R$900,00 a juros compostos
de 10% ao mês. Dois meses depois, João pagou R$600,00 e, um mês após esse pagamento, liquidou o empréstimo.
O valor desse último pagamento foi, em reais, aproximadamente,
A) 240,00
B) 330,00
C) 429,00
D) 489,00
E) 538,00

Respostas

1 - RESPOSTA: “B”.

Quantia inicial: C= 25.000 ; i=1,25% a.m = 0,0125 ; t= 1 ano = 12 meses


M= J+C e J= C.i.t da junção dessas duas fórmulas temos : M=C.(1+i.t),aplicando

Como ele gastou metade e a outra metade ele aplicou a uma taxa i=1,5% a.m=0,015 e t=4m e sacou após esse período R$ 95.082,00

95.082 = 0,6095C → → C= 156.000

A quantia inicial foi de R$ 156.000,00.

2 - RESPOSTA: “B”.

C=60.000 ; i = 2% a.m = 0,02 ; t = 3m

O montante a ser sacado será de R$ 63.672,48.

Didatismo e Conhecimento 8
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
3 - RESPOSTA: “D”.
J=C.i.t C = 50.000 ; i = 2,5% a.m = 0,025 ; t = 5m
J=50 000.0,025.5
J=6250
M=C+J
M=50 000+6 250=56250
O valor da dívida é R$56.250,00.

4 – RESPOSTA: “B”.

C = 400 ; t = 6 d ; i = 0,5% a.d = 0,005

O valor que ela deve pagar é R$412,00.

5 - RESPOSTA: “C”.

O juros obtido será R$3.821,08.

6 - RESPOSTA: “D”.

i = 0,72%a.m = 0,0072 ; t = 3m ; C = 14.000

Como ele quer saber os juros:


M = C+J → J = 14304,58-14000 = 304,58
A aplicação renderá R$ 304,58.

7 - RESPOSTA: “C”.
C = 5.000 ; J = 420 ; t = 6m
J=C.i.t → 420=5000.i.6

A porcentagem será de 1,4%.

Didatismo e Conhecimento 9
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
8 - RESPOSTA: “D”.
C1º ano = 10.000 ; C2º ano = 20.000

M1+M2 = 384000

Têm se uma equação do segundo grau, usa-seentão a fórmula de Bhaskara:

É correto afirmar que a taxa é de 20%

9 - RESPOSTA: “B”.

C=29.000 ; M=30.000 ; i=1%a.m = 0,01

Teremos que substituir os valores de t, portanto vamos começar dos números mais baixos:
1,013=1,0303, está próximo, mas ainda é menor
1,014=1,0406
Como t=4 passou o número que precisava(1,0344), então ele tem que aplicar no mínimo por 4 meses.

10 - RESPOSTA: “E”.

C = 900 ; i = 10% a.m=0,10 ; t = 2m ; pagou 2 meses depois R$ 600,00 e liquidou após 1 mês

Depois de dois meses João pagou R$ 600,00.


1089-600=489

Didatismo e Conhecimento 10
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Descontos Simples e Compostos AB = N * [1-(iB * h)]
300000 = N * [1-(0.12*3 * 0.04)]
São juros recebidos (devolvidos) ou concedidos quando o 300000 = N * [1-0.4]
pagamento de um título é antecipado. O desconto é a diferença N = 500000
entre o valor nominal (S) de um título na data do seu vencimento Vc = 0.04 * N
e o seu valor atual (C) na data em que é efetuado o pagamento, Vc = 0.04 * 500000
ou seja:  Vc = 20000
D=S-C
Questão 2. O valor atual de um título cujo valor de vencimento
Os descontos são nomeados simples ou compostos em é de R$ 256.000,00, daqui a 7 meses, sendo a taxa de juros simples,
função do cálculo dos mesmos terem sido no regime de juros utilizada para o cálculo, de 4% a.m., é:
simples ou compostos, respectivamente. Os descontos (simples Resposta:
ou compostos) podem ser divididos em: N = 256000
- Desconto comercial, bancário ou por fora; n = 7 meses
- Desconto racional ou por dentro. i = 0.04 a.m.
iB = n*i = 7*0.04 = 0.28
Descontos Simples A = N / (1+iB) = 256000 / 1.28 = 200000

Por Fora (Comercial ou Bancário). O desconto é calculado Questão 3. O desconto simples comercial de um título é de
sobre o valor nominal (S) do título, utilizando-se taxa de juros R$ 860,00, a uma taxa de juros de 60% a.a.. O valor do desconto
simples simples racional do mesmo título é de R$ 781,82, mantendo-se a
Df = S.i.t taxa de juros e o tempo. Nesse as condições, o valor nominal do
rótulo é de:
É o desconto mais utilizado no sistema financeiro, para Resposta:
operações de curto prazo, com pequenas taxas. O valor a ser pago Dc = 860
(ou recebido) será o valor atual C = S - Df = S - S.i.t , ou seja Dr = 781.82
 C = S.(1- i.t)
Usando N = (Dc * Dr) / (Dc – Dr),
N = (860 * 781.82) / (860 – 781.82) = 672365.2 / 78.18 =
Por Dentro (Racional). O desconto é calculado sobre o valor
8600.22
atual (C) do título, utilizando-se taxa de juros simples
Dd = C.i.t
Questão 4. O valor atual de uma duplicata é de 5 vezes o valor
de seu desconto comercial simples. Sabendo-se que a taxa de juros
Como C não é conhecido (mas sim, S) fazemos o seguinte
adotada é de 60% a.a., o vencimento do título expresso em dias é:
cálculo: 
Resposta:
C = S - Dd ==> C = S - C.i.t  ==> C + C.i.t = S ==> C(1 +
i.t) = S i = 60% a.a. → i = 0.6 a.a.
 C = S/(1 + i.t) A = N – D (valor atual é o nominal menos o desconto)
5D = N – D → N = 6D
Este desconto é utilizado para operações de longo prazo. Note A = N * ( 1 – i*n)
que (1 - i.t) pode ser nulo, mas (1 + i.t) nunca vale zero. 5D = 6D ( 1 – 0.6 * n)
5 = 6 ( 1 – 0.6 * n)
Descontos Compostos 5 = 6 – 3.6 * n
3.6 * n = 1
O desconto (Dc) é calculado com taxa de juros compostos, n = 0.277 (anos)
considerando n período(s) antecipado(s): n = 0.277 * 365 dias
Dc = S - C n = 101.105 dias

onde, de S = C.(1 + i)n, tiramos que C = S/(1 + i)n Questão 5. Uma empresa descontou em um banco uma
duplicata de R$ 600.000,00, recebendo o líquido de 516.000,00.
Questão 1. Um banco ao descontar notas promissórias, utiliza Sabendo=se que o banco cobra uma comissão de 2% sobre o valor
o desconto comercial a uma taxa de juros simples de 12% a.m.. do título, que o regime é de juros simples comerciais. Sendo a taxa
O banco cobra, simultaneamente uma comissão de 4% sobre o de juros de 96% a.a., o prazo de desconto da operação foi de:
valor nominal da promissória. Um cliente do banco recebe R$ Resposta:
300.000,00 líquidos, ao descontar uma promissória vencível em N = 600000
três meses. O valor da comissão é de: Ab = 516000
Resposta: h = 0.02
h = 0.04 i = 0.96 a.a.
iB = 0.12 * 3 Db = Db + N*h
Ab = N * [1 - (i*n+h)]

Didatismo e Conhecimento 11
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
516000 = 600000 * [1-(0.96*n+0.02)] Dc = N * i * n
0.8533 = 1 – 0.96*n – 0.02 981 = 10900 * i * 3
0.8533 = 0.98 – 0.96*n 981 = 32700 * i
0.96 * n = 0.1267 i = 0.03 (3% a.m.)
n = 0.1319 anos ≈ 45 dias
Dr = N * i * n / (1+i*n)
Questão 6. O desconto comercial simples de um título quatro Dr = 10900 * 0.03 * 3 / (1+0.03*3)
meses antes do seu vencimento é de R$ 600,00. Considerando uma Dr = 10900 * 0.09 / 1.09
taxa de 5% a.m., obtenha o valor correspondente no caso de um Dr = 10900 * 0.09 / 1.09
desconto racional simples: Dr = 900
Resposta: outra forma de fazer a questão seria usando:
Dc = 600 N = (Dc * Dr) / (Dc – Dr)
i = 0.05 a.m. 10900 = 981 * Dr / (981-Dr)
n=4 10692900 – 10900 * Dr = 981 * Dr
11881 * Dr = 10692900
Dc = Dr * (1 + i*n) 11881 * Dr = 10692900
600 = Dr * (1 + 0.05*4) Dr = 900
Dr = 600/1.2
Dr = 500 Questão 10. Um título sofre desconto simples comercial de
R$ 1.856,00, quatro meses antes do seu vencimento a uma taxa de
Questão 7 – O desconto racional simples de uma nota desconto de 4% a.m.. Calcule o valor do desconto correspondente à
promissória, cinco meses antes do vencimento, é de R$ 800,00, mesma taxa, caso fosse um desconto simples racional:
a uma taxa de 4% a.m.. Calcule o desconto comercial simples Resposta:
correspondente, isto é, considerando o mesmo título, a mesma taxa Dc = 1856
e o mesmo prazo. n = 4 meses
Resposta: i = 0.04 a.m.
Dr = 800
i = 0.04 a.m. Dc = N * i * n
n = 5 meses Dr = N * i * n / (1+i*n)
Dr = 1856 / (1+0.04*4)
Dc = Dr * (1 + i*n) Dr = 1856 / 1.16
Dc = 800 * (1 + 0.04*5) Dr = 1600
Dc = 800 * 1.2
Dc = 960 Questão 11. Obtenha o valor hoje de um título de R$ 10.000,00
de valor nominal, vencível ao fim de três meses, a uma taxa de
Questão 8. Um título sofre um desconto comercial de R$ juros de 3% a.m., considerando um desconto racional composto e
9.810,00 três meses antes do seu vencimento a uma taxa de deconto desprezando os centavos.
simples de 3% a.m.. Indique qual seria o desconto à mesma taxa se Resposta:
o desconto fosse simples e racional. N =10000
Resposta: n = 3 meses
Dc = 9810 i = 0.03 a.m.
n = 3 meses
i = 0.03 a.m. Dcr = N * [ ((1+i)n - 1) / (1+i)n]
(1+0.03)3 = 1.092727
Dc = Dr * (1 + i*n) Dcr = 10000 * 0.092727 / 1.092727
9810 = Dr * (1 + 0.03*3) Dcr = 848.58
9810 = Dr * 1.09 Dcr = N – A
Dr = 9810/1.09 848.58 = 10000 – A
Dr = 9000 A = 10000 – 848.58
A = 10000 – 848.58
Questão 9. Um título no valor nominal de R$ 10.900,00 deve A = 9151.42
sofrer um desconto comercial simples de R$ 981,00 três meses
antes do seu vencimento. Todavia uma negociação levou a troca Questão 12. Um título foi descontado por R$ 840,00, quatro
do desconto comercial por um desconto racional simples. Calcule meses antes de seu vencimento. Calcule o desconto obtido
o novo desconto, considerando a mesma taxa de desconto mensal: considerando um desconto racional composto a uma taxa de 3% a.m.
Resposta: Resposta:
N = 10900 n = 4 meses
Dc = 981 i = 0.03 a.m.
n=3 A = 840

Didatismo e Conhecimento 12
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Dcr = N – A Questão 16. Um Commercial paper, com valor de face de US$
Dcr = N – 840 1.000.000,00 e vencimento daqui a três anos deve ser resgatado
Dcr = N * [ ((1+i)n - 1) / (1+i)n] hoje. A uma taxa de juros compostos de 10% a.a. e considerando
(1+0.03)4 = 1.12550881 o desconto racional, obtenha o valor do resgate.
(1+0.03)4 -1 = 0.12550881 Resposta:
Dcr = N * 0.12550881 / 1.12550881 N = 1000000
N * 0.12550881 / 1.12550881 = N – 840 n = 3 anos
N * 0.12550881 = 1.12550881 * N – 945.4274004 i = 0.1 a.a.
N = 945.4274004
Dcr = 945.4274004 – 840 Dcr = N * [ ((1+i)n - 1) / (1+i)n]
Dcr ≈ 105.43 (1+i)n = 1.331
(1+i)n -1 = 0.331
Questão 13. Um título sofre um desconto composto racional
Dcr = 1000000 * 0.331 / 1.331
de R$ 6.465,18 quatro meses antes do seu vencimento. Indique o
Dcr = 248,685.20
valor mais próximo do valor descontado do título, considerando que
A = N – Drc
a taxa de desconto é de 5% a.m.:
A = 1000000 – 248,685.20
Resposta:
Dcr = 6465.18 A = 751,314.80
n = 4 meses
i = 0.05 a.m. Questão 17. Uma pessoa quer descontar hoje um título de
valor nominal de R$ 11.245,54, com vencimento para daqui a 60
Dcr = N * [ ((1+i)n - 1) / (1+i)n] dias, e tem as seguintes opções:
(1+i)n = 1.21550625 I – desconto simples racional, taxa de 3% a.m.;
(1+i)n – 1 = 0.21550625 II – desconto simples comercial, taxa de 2,5% a.m.;
6465.18 = N * 0.21550625 / 1.21550625 III – desconto composto racional, taxa de 3% a.m.
N = 36465,14
Se ela escolher a opção I, a diferença entre o valor líquido
Questão 14. Um título sofre um desconto composto racional que receberá e o que receberia se escolhesse a opção:
de R$ 340,10 seis meses antes do seu vencimento. Calcule o valor Resposta:
descontado do título considerando que a taxa de desconto é de 5% N = 11245.54
a.m. (despreza os centavos): n = 60 dias = 2 meses
Resposta: I) Dc = N * i * n
Dcr = 340.10 Dc = 11245.54 * 0.025 *2
n = 6 meses Dc = 562.277
i = 0.05 a.m. A = N – Dc
Dcr = N * [ ((1+i)n - 1) / (1+i)n] A = 11245.54 – 562.277
(1+0.05)6 = 1.340095640625 A = 10683.26
(1+i)n – 1 = 0.340095640625
340.10 = N * 0.340095640625 / 1.340095640625 II) Dr = (N * i * n) / (1 + i * n)
N ≈ 1340.10 Dr = (11245.54 * 0.03 * 2) / (1 + 0.03 * 2)
Dcr = N – A
Dr = 674.7324 / 1.06
340.10 = 1340.10 – A
Dr = 636.54
A = 1000
A = N – Dc
A = 11245.54 – 636.54
Questão 15. O valor nominal de uma dívida é igual a 5 vezes o
desconto racional composto, caso a antecipação seja de dez meses. A = 10609.0
Sabendo-se que o valor atual da dívida (valor de resgate) é de R$
200.000,00, então o valor nominal da dívida, sem considerar os III) Dcr = N * [ ((1+i)n - 1) / (1+i)n]
centavos é igual a: Dcr = 11245.54 * 0.05740409
Resposta: Dcr = 645.54
N = 5 * Drc A = N – Dc
n = 10 meses A = 11245.54 – 645.54
A = 200000 A = 10600
Drc = N – A
Drc = 5 * Drc – 200000 Nenhum item tem uma resposta certa. Mas a diferença entre
4 * Drc = 200000 o valor atual da escolha II e a III é nove, então se houve um erro
Drc = 50000 na digitação da questão a resposta é a alternativa c.
Drc = N – A
50000 = N – 200000
N = 250000

Didatismo e Conhecimento 13
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Questão 18. Um título deveria sofrer um desconto comercial M =C * (1+i)n
simples de R$ 672,00, quatro meses antes do seu vencimento. M =100000 * (1+0.005)120
Todavia, uma negociação levou à troca do desconto comercial M = 181939.67
simples por um desconto racional composto. Calculo o novo A = M / (1+0.3/2)
desconto, considerando a mesma taxa de 3% a.m.. A = 158208.4
Resposta:
Dc = 672 Questão 21. Calcule o valor nominal de um título que,
n = 4 meses resgatado 1 ano e meio antes do vencimento, sofreu desconto
i = 0.03 a.m. racional composto de R$ 25000,00, a uma taxa de 30% a.a., com
capitalização semestral.
Dc = N * i * n Resposta:
672 = N * 0.03 * 4 n = 1.5 anos = 3 semestres
N = 5600 Drc = 25000
Dcr = N * [1 - (1/(1+i)n)] i = 0.3 a.a. = 0.15 a.s.
Dcr = 5600 * [1 - (1/(1+i)n)]
Dcr = N * [ ((1+i)n - 1) / (1+i)n]
(1+i)n = 1.12550881
(1+i)n = 1.520875
Dcr = 5600 * 0.12550881/1.12550881
(1+i)n -1 = 0.520875
Dcr = 624.47
25000 = N * 0.520875 / 1.520875
N = 25000 * 1.520875 / 0.520875
Questão 19. Um título é descontado por R$ 4.400,00, quatro N = 72996.16
meses antes do seu vencimento. Obtenha o valor de face do título,
considerando que foi aplicado um desconto racional composto a Descontos Racional e Comercial
uma taxa de 3% a.m. (despreze os centavos, se houver).
Resposta: Desconto é o abatimento no valor de um título de crédito que
A = 4400 pode ser: Letra de câmbio; Fatura; Duplicata; Nota promissória.
n = 4 meses Este desconto é obtido quando o mesmo é resgatado antes do
i = 0.03 a.m. vencimento do compromisso.  
O valor do título no dia do vencimento é chamado de: valor
A = N – Drc nominal e este vêm declarado no mesmo. O valor do título em uma
A + Drc = N data anterior ao vencimento da fatura é chamado de : valor atual.
Drc = N * [1 - (1/(1+i)n)] O valor atual é menor que o valor nominal
(1+i)n = 1.12550881 Desta forma, o valor atual de um título qualquer é a diferença
Drc = N * 0.12550881 / 1.12550881 entre o valor nominal (valor do título) e seu respectivo desconto.
Drc = (A + Drc) * 0.12550881 / 1.12550881 Observe:
Drc = (4400 + Drc) * 0.12550881 / 1.12550881  
Drc = (4400 + Drc) * 0.12550881 / 1.12550881 A = N – Dc ou A = N - Dr
Drc = 490.657 + Drc * 0.12550881 / 1.12550881  
Drc – Drc * 0.12550881 / 1.12550881 = 490.657 Onde: A – Valor atual
Drc * (1 – 0.12550881 / 1.12550881) = 490.657  
Drc * 0.888487048 = 490.657 Exemplos para fixação de conteúdo:
Drc = 552.23  
N = A + Drc Qual o valor atual atual (A) de um título de uma empresa no
N = 4400 + 552.23 valor de R$ 15.000,00 a 2% a.m, descontado 6 meses antes do
prazo do seu vencimento?
N = 4952.23
 
Resolvendo:
Questão 20. Antônio emprestou R$ 100.000,00 a Carlos,
 
devendo o empréstimo ser pago após 4 meses, acrescido de juros
N = 15.000
compostos calculados a uma taxa de 15% a.m., com capitalização I = 2% a.m = 24% a.a. (01 ano = 12 meses)
diária. Três meses depois Carlos decide quitar a dívida, e combina T=6
com Antônio uma taxa de desconto racional composto de 30% a.b.  
(ao bimestre), com capitalização mensal. Qual a importância paga Dc = 15000 x 24 x 6  = 2160000
por Carlos a título de quitação do empréstimo.               1200                  1200
Resposta:  
N = 100000 Dc= 1800
n = 4 meses = 120 dias A = 15000 – 1800 = 13200
i = 15% a.m. = 0.5% a.d. = 0.005 a.d. A = 13200
 

Didatismo e Conhecimento 14
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Observe algumas notações: Resolvendo:
 
D Desconto realizado sobre o título Dados do problema
 
N Valor nominal de um título N = 25000
A Valor atual de um título i = 45% a.a.
I Taxa de desconto t = 30
 
n Número de períodos para o desconto Dc = N . i . t
          36000
Assim:  
  Dc = 25000 x 45 x 30 = 33750000 = 937,50
Como já falado anteriormente, o desconto é a diferença entre                  36000              36000
o valor nominal de um título (futuro) “N” e o valor atual  “A” do  
título em questão. O valor de desconto é de R$ 937,50.
   
D=N-A Observe o valor 36000 na divisão, pois o tempo é expresso
  em dias.
Fórmula do desconto:  
  2) A que taxa    foi    calculada    o    desconto     simples de R$
Dc =  N . i . t 5.000,00 sobre um título de R$ 35.000,00, pago antecipadamente
           100 em 8 meses ?
  Resolvendo:
Tipos de desconto  
  Dados do problema
Há basicamente dois tipos de descontos:  
– Desconto comercial (por fora) N = 35000
– Desconto racional (por dentro) i=?
  t = 8 meses
Desconto comercial: Também chamado de desconto por fora, Dc = 5.000,00
comercial, ou desconto bancário (Dc), pode ser definido como  
aquele em que a taxa de desconto incide sobre o valor nominal do Dc = N . i . t
título, levando-se em conta o capital principal como valor nominal           1200
“N”. Assim, de acordo com a fórmula dada:  
  i = 1200 . Dc
Dc = N . i . t          N. t
           100  
  I = 1200 x 5000 = 6000000 = 21,43%
Onde:        35000 x 8         280000
 Dc = desconto comercial  
N = valor nominal do título dado O valor da taxa é de 21,43%
i =  taxa de desconto  
t = período de tempo na operação Observe o valor 1200 na divisão, pois o tempo é expresso em
100 = tempo considerado em anos meses.
  O desconto comercial pode ser expresso na fórmula abaixo:
Observações:   
a) Quando o período de tempo (t) for expresso no problema Dc = A . i . t
em dias, o tempo considerado na operação devera ser em dias e         100 + it
utilizado o valor de 36000.   
b) Quando o período de tempo (t) for expresso em meses, o Desconto Racional (por dentro): É chamado de desconto
tempo considerado deverá ser em meses e utilizando o valor 1200. racional o abatimento calculado com a taxa de desconto incidindo
  sobre o valor atual do título, temos então:
Exemplos para fixação de conteúdo:  
  Dr = A . i .t
1) Uma fatura foi paga com 30 dias  antes do vencimento do           100
prazo para pagamento. Calcule o valor do desconto, com uma taxa  
de 45% a.a., sabendo-se que o valor da fatura era no valor de R$
25.000,00.

Didatismo e Conhecimento 15
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
O qual: Conceito de Equivalência
 
Dr = valor do desconto racional na operação Dois ou mais capitais que se encontram em datas diferentes,
A = valor atual do título são chamados de equivalentes quando, levados para uma mesma
i = taxa de desconto data, nas mesmas condições, apresentam o mesmo VALOR nessa
t = período de tempo na operação data.
100 = tempo considerado em ano Para você entender melhor esse conceito, vamos lhe propor
  um problema. Vamos fazer de conta que você ganhou um prêmio
Como informado no desconto por fora, não se pode esquecer em dinheiro no valor de R$ 100,00, que se encontra aplicado, em
do tempo em que a taxa é considerada : um banco, à taxa de juros simples de 10% a.m. O banco lhe oferece
  três opções para retirar o dinheiro:
Ano = 100 1a) você retira R$ 100,00 hoje;
Mês = 1200 2a) você deixa o dinheiro aplicado e retira R$ 140,00 dentro
Dias = 36000 de 4 meses;
  3a) você deixa o dinheiro aplicado e retira R$ 190,00 em 9
Relembrando que: meses.
 
A = N – Dr              Substituindo  →    Dr = N . i . t Qual delas é a mais vantajosa para você?
                                                                      100 + it Para sabermos a resposta, precisamos encontrar um jeito de
  comparar os capitais R$ 100,00, R$ 140,00, e R$ 190,00, que se
Exemplo para fixação de conteúdo: encontram em datas diferentes. Vamos determinar, então, o valor
  dos três capitais numa mesma data ou seja, vamos atualizar os seus
Calcular o valor do desconto por dentro de um título de R$ valores. Escolheremos a data de hoje. A Data Comum, também
16.000,00 pago 3 meses antes do vencimento com uma taxa de chamada de Data de Comparação ou Data Focal, portanto, vai ser
24% a.a. hoje (= data zero).
Resolvendo: O capital da primeira opção (R$ 100,00) já se encontra na data
  de hoje; portanto, já se encontra atualizado.
Dados do problema Calculemos, pois, os valores atuais Va1 e Va2 dos capitais
  futuros R$ 140,00 e R$ 190,00 na data de hoje (data zero).
N = 16000 Esquematizando, a situação seria esta:
i = 24% a.a. Podemos fazer este cálculo usando desconto comercial
t = 3 meses simples ou desconto racional simples. Vamos, arbitrariamente,
  escolher a fórmula do valor atual racional simples:
Dr = N . i . t Vars = N/1 + in
       100 + it Vars1 = 140,00/(1 + 0,10 . 4) = 100,00
  Vars2 = 190,00/(1 + 0,10 . 9) = 100,00
Dr = 16000 x 24 x 3 = 1152000  = 905,66 Verificamos que os três capitais têm valores atuais idênticos
         1200 + 24 x 3       1272 na data focal considerada (data zero). Podemos, portanto, dizer
  que eles são Equivalentes: tanto faz receber R$ 100,00 hoje, ou R$
O valor do desconto é de R$ 905,66. 140,00 daqui a 4 meses ou R$ 190,00 daqui a nove meses, se a taxa
de juros for de 10% ao mês e o desconto racional simples.
Taxa de Equivalência Vejamos o que acontece se utilizarmos o critério do desconto
comercial, em vez do desconto racional, para calcular os valores
A equivalência de capitais é uma das ferramentas mais atuais dos capitais R$ 140,00 e R$ 190,00:
poderosas da matemática financeira e tem sido constantemente Vacs = N (1 – in)
pedida nas provas de concursos públicos. Vacs1 = 140 ( 1 – 0,10 . 4) = 140 (0,6) = 84
Aprendemos a calcular o Montante, em uma Data Fatura, Vacd2 = 190 (1 – 0,10 . 9) = 190 (0,1) = 19
de um capital que se encontrava na data presente. Relativo a Mudando-se a modalidade de desconto, portanto, os três
descontos, aprendemos a calcular o Valor Atual, em uma Data capitais deixam de ser equivalentes.
Presente, de um valor nominal que se encontrava em uma data E se mudarmos a data de comparação, ou data focal, para o
futura. mês 2, por exemplo, continuando a utilizar o desconto racional
Gostaríamos que você notasse que, ao calcular o montante, simples?
estávamos movendo o capital inicial a favor do eixo dos tempos Acontecerá o seguinte:
ou capitalizando-o, enquanto que, ao calcularmos o valor atual,
estávamos movendo o valor nominal (que também é um capital) O capital R$ 140,00, resgatável na data 4, será antecipado de 2
contra o eixo dos tempos ou descapitalizando-o, conforme se meses, ficando com o seguinte valor atual racional simples:
encontra ilustrado nos esquemas a seguir. Vars1 = 140,00/(1 + 0,10 . 2) = 116,67

Didatismo e Conhecimento 16
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
O capital R$ 190,00, resgatável na data 9, será antecipado de 7 Resolução:
meses, ficando com o seguinte valor atual racional simples: Inicialmente, vamos construir um diagrama de fluxo de caixa
Vars2 = 190,00/(1 + 0,10 . 7) = 111,76 utilizando os dados do problema:
A taxa de juros é anual. Entretanto, como os prazos de
Ao capital R$ 100,00 (resgatável na data zero) acrescentar-se- pagamento estão expressos em meses, vamos transformá-la em
ão dois meses de juros, conforme segue: mensal:
Vars3 = C (1 + in) = 100 (1 + 0,10 . 2) = 120 i = 18% a.a. = 1,5% a.m. = 0,015 a.m.
A modalidade de desconto é o comercial simples, mas o
No mês dois, portanto, temos que os capitais nominais R$ problema não mencionou qual a data focal a ser considerada. Em
140,00; R$ 190,00 e R$ 100,00 estarão valendo, respectivamente, casos como este, presumimos que a data focal seja a data zero.
R$ 116,67; R$ 111,76 e R$ 120,00. Na data focal 2, portanto, eles Vamos, então, calcular o total da dívida na data zero para cada
não serão mais equivalentes. um dos planos de pagamento, e igualar os resultados, pois os dois
No regime de capitalização Simples a equivalência ocorre em esquemas devem ser equivalentes para que se possa substituir um
apenas uma única data, para uma determinada taxa e modalidade pelo outro. Além disso, para transportarmos os capitais para a data
de desconto. Ao mudarmos a Data Focal, capitais que antes eram zero, utilizaremos a fórmula do valor atual do desconto comercial
equivalentes podem deixar sê-lo. É bom você saber desde já simples:
que, no regime de capitalização Composta, isto não acontece: na Vacs = N (1 – in). Obteremos a seguinte equação:
capitalização composta, para a mesma taxa, capitais equivalentes
para uma determinada data o são para qualquer outra data. 2.000 (1 – 0,015 . 6) + 3.000 (1 – 0,015 .12) = 1.000 (1 – 0,015
Podemos então concluir que: . 9) + x (1 – 0,015 . 18)
Para juros simples, a equivalência entre dois ou mais (total da dívida conforme o plano (total da dívida conforme
capitais somente se verifica para uma determinada taxa, para uma o plano Alternativo Original de pagamento, proposto, atualizado
determinada data focal e para uma determinada modalidade de para a data zero).
desconto. Calculando o conteúdo dos parênteses, temos:
2.000 (0,91) + 3.000 (0,82) = 1.000 (0,865) + x (0,73)
Podemos, agora, definir equivalência de dois capitais de uma
1.820 + 2.460 = 865 + 0,73x
mesma maneira mais rigorosa da seguinte forma:
0,73x = 1.820 + 2.460 – 865
Dois capitais C1 e C2, localizados nas datas n1 e n2, medidas a
x = 3.415/0,73 = 4.678,08
partir da mesma origem, são ditos equivalentes com relação a uma
data focal F, quando os seus respectivos valores atuais, Va1 e Va2 ,
Observe que a data focal era anterior à data de vencimento
calculados para uma determinada taxa de juros e modalidade de
de todos os capitais. Assim, calculamos o valor descontado (valor
desconto nessa data focal F, forem iguais.
atual) de cada um deles, para trazê-los à data local. Efetuamos
 A equivalência de capitais é bastante utilizada na renegociação um desconto (comercial, no caso) ou uma descapitalização
de dívidas, quando há necessidade de substituir um conjunto de (desincorporação dos juros), porque estávamos transportando os
títulos por um outro conjunto, equivalente ao original (isto porque valores para uma data passada. Mas se a data focal tivesse sido
o conceito de equivalência é aplicado não só para dois capitais, outra, por exemplo, a data 9 (vide esquema), e não a data zero, o
mas também para grupos de capitais). capital de R$ 2.000,00, que vencia na data 6, teria que sofrer uma
Às vezes um cliente faz um empréstimo num banco e capitalização (incorporação de juros) para ser transportado para
se compromete e quitá-lo segundo um determinado plano de a data 9 (data futura em relação à data 6). A atualização do valor
pagamento. Todavia, devido a contingências nos seus negócios, desse capital para a data 9, então, far-se-ia com a utilização da
ele percebe que não terá dinheiro em caixa para pagar as parcelas fórmula do montante M = C (1 + in), e não com a fórmula do valor
do financiamento nas datas convencionadas. Então, propõe ao descontado (valor atual).
gerente do banco um outro esquema de pagamento, alterando as
datas de pagamento e os respectivos valores nominais de forma Conclusão: para transportarmos um capital para uma data
que consiga honrá-los, mas de tal sorte que o novo esquema seja posterior à original, devemos capitalizá-lo; para transportarmos um
EQUIVALENTE ao plano original. capital para uma data anterior à original, devemos descapitalizá-lo.
No cálculo do novo esquema de pagamento, a visualização do
problema fica bastante facilitada com a construção de um diagrama 2. O pagamento do seguro de um carro, conforme contrato,
de fluxo de caixa no qual representa-se a dívida original na parte deve ser feito em 3 parcelas quadrimestrais de R$ 500,00. O
superior, e a proposta alternativa de pagamento na parte de baixo, segurador, para facilitar ao seu cliente, propõe-lhe o pagamento
conforme se vê nos problemas a seguir. em 4 parcelas trimestrais iguais. Utilizando-se a data focal zero, a
taxa de juros de 24% a.a. e o critério de desconto racional simples,
Exercícios Resolvidos o valor das parcelas trimestrais será, em R$:
Resolução:
1. No refinamento de uma dívida, dois títulos, um para Fazendo o diagrama dos pagamentos, temos:
6 meses e outro 12 meses, de R$ 2.000,00 e de R$ 3.000,00, i = 24% a.a. = 2% a.m. = 0,02 a.m.
respectivamente, foram substituídos por dois outros, sendo o Uma vez que o critério é de desconto racional simples, ao
primeiro de R$ 1.000,00, para 9 meses, e o segundo para 18 meses. transportarmos os valores para a data zero, teremos que utilizar a
A taxa de desconto comercial simples é de 18% a.a. O valor do fórmula do valor atual racional simples
título de 18 meses, em R$, é igual a: Vars = N/1 + in . Podemos escrever, então, que:

Didatismo e Conhecimento 17
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Total da divida conforme o plano original de pagamento, 3. observe se os prazos de vencimento dos títulos e
atualizado racionalmente para a data zero 500/1 + 0,02 . 4 + 500/1 compromissos estão na mesma unidade de medida de tempo
+ 0,02 . 8 + 500/1 + 0,02 . 12 = x/1 + 0,02 . 3 + x/1 + 0,02 . 6 + x/1 periodicidade da taxa; se não estiverem, faça as transformações
+ 0,02 . 9 + x/1 + 0,02 . 12 necessárias (ou você expressa a taxa na unidade de tempo do
Total da dívida conforme o plano alternativo proposto, atualizado prazo ou expressa o prazo na unidade de tempo da taxa – escolha a
racionalmente para a data zero 500/1,08 + 500/1,16 + 500/1,24 = transformação que torne os cálculos mais simples);
x/1,06 + x/1,12 + x/1,18 + x/1,24 4. leve todos os valores para a data escolhida para a negociação
1.297,22 = 3,49 . x (data focal), lembrando sempre que capitais exigíveis antes da data
x = 1.297,22/3,49 focal deverão ser capitalizados através da fórmula do montante M
x = 371,68 = C (1 + in), dependendo da modalidade de desconto utilizada;
5. tendo transportado todos os capitais para a data focal e
3. A aplicação de R$ 2.000,00 foi feita pelo prazo de 9 meses, com base no diagrama de fluxo de caixa que você esquematizou,
contratando-se a taxa de juros de 28% a.a. Além dessa aplicação, monte a EQUAÇÃO DE VALOR, impondo que a soma dos
existe outra de valor nominal R$ 7.000,00 com vencimento a 18 valores dos títulos (transportados para a data focal) da parte de
meses. Considerando-se a taxa de juros de 18% a.a., o critério de cima do diagrama de fluxo de caixa seja igual à soma dos valores
desconto racional e a data focal 12 meses, a soma das aplicações é, dos títulos (transportados para a data focal) da parte de baixo do
em R$: diagrama de fluxo de caixa;
6. resolva a equação de valor;
Resolução: 7. releia a PERGUNTA do problema e verifique se o valor que
Inicialmente, precisamos calcular o valor nominal da primeira você encontrou corresponde ao que o problema está pedindo (às
aplicação. Considerando n = 9 meses = 0,75 anos, temos que: vezes, devido à pressa, o candidato se perde nos cálculos, encontra
N = C (1 + in) um resultado intermediário e assinala a alternativa que o contém,
N = 2.000 (1 + 0,28 . 0,75) = 2.000 (1,21) = 2.420 colocada ali para induzi-lo em erro, quando seria necessário ainda
uma passo a mais para chegar ao resultado final correto).
Observando o diagrama de fluxo de caixa, vemos que, para
serem transportados à data doze, o título de 2.420 terá que ser Desconto e Equivalência
capitalizado de três meses, ao passo que o título de 7.000 terá que
ser descapitalizado de 6 meses. Além disso, a taxa de 18% a.a., Por fim, gostaríamos de dar uma dica para ajudá-lo a perceber
considerando-se capitalização simples, é equivalente a 1,5% a.m. = quando um problema é de desconto e quando é de equivalência.
0,015 a.m. Desta forma, podemos escrever que: Em linhas gerais, nos problemas de Desconto, alguém quer vender
2.420 (1 + 0,015 . 3) + 7.000/1 + 0,015 . 6 = x papéis (duplicatas, promissórias, letras de câmbio, etc.), enquanto
2.420 (1,045) + 7.000/1,09 = x que nos problemas de Equivalência, alguém quer financiar ou
2.528,9 + 6.422,02 = x refinanciar uma dívida.
x = 8.950,92
  Rendas Uniformes
Equação de Valor
Matéria com o mesmo objetivo da Equivalência de Capitais,
Em síntese, para que um conjunto de títulos de valores nominais mas com títulos apresentando os mesmos valores e com
N1, N2, N3 …, exigíveis nas datas n1, n2, n3 …, seja equivalente a um vencimentos consecutivos - tornando assim sua solução mais
outro conjunto de títulos Na , Nb , Nc …, exigíveis nas datas na , nb , nc rápida, através de um método alternativo.
…, basta impormos que a soma dos respectivos valores atuais Va1 , Há dois casos: o cálculo do valor atual dos pagamentos iguais
Va2 , Va3 … dos títulos do primeiro conjunto, calculados na data focal e sucessivos (que seria igual ao valor do financiamento obtido por
considerada, seja igual à soma dos valores atuais Vaa , Vab , Vac … dos uma empresa ou o valor do empréstimo contraído); e o cálculo do
títulos do segundo conjunto, calculados para essa mesma data, isto é: montante, do valor que a empresa obterá se aplicar os pagamentos
Va1 + Va2 + Va3 + … = Vaa + Vab + Vac + … dos clientes em uma data futura às datas dos pagamentos.
A equação acima é chamada de Equação de Valor.
1º Caso: Cálculo do Valor Atual
Roteiro para Resolução de Problemas de Equivalência
a) Renda Certa Postecipada (Imediata): aquela onde o primeiro
Ao começar a resolução de problemas que envolvem pagamento acontecerá em UM período após contrair o empréstimo
equivalência de capitais utilize o seguinte roteiro: ou financiamento.
1. leia o problema todo; Para calcular o valor atual dessa renda certa, a fórmula é a
2. construa, a partir do enunciado do problema, um diagrama seguinte:
de fluxo de caixa esquemático, colocando na parte de cima o plano A = P . a[n,i], onde:
original de pagamento e na parte de baixo o plano alternativo proposto, A = valor atual da renda certa;
indicando todos os valores envolvidos, as datas respectivas e as P = valor de cada pagamento da renda certa;
incógnitas a serem descobertas – esse diagrama é importante porque n = número de prestações;
permite visualizar os grupos de capitais equivalentes e estabelecer i = taxa empregada.
facilmente a equação de valor para resolução do problema;

Didatismo e Conhecimento 18
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
O fator a[n,i] é normalmente dado nas provas. Rendas Variáveis

b) Renda Certa Antecipada: aquela onde o primeiro pagamento Ativos de renda variável são aqueles cuja remuneração ou
acontecerá no ato do empréstimo ou financiamento. retorno de capital não pode ser dimensionado no momento da
aplicação, podendo variar positivamente ou negativamente, de
Para calcular o valor atual dessa renda certa, a fórmula é a acordo com as expectativas do mercado. Os mais comuns são:
seguinte: ações, fundos de renda variável (fundo de ação, multimercado e
outros), quotas ou quinhões de capital, Commodities (ouro, moeda
A = P . a[n-1,i] + P, onde: e outros) e os derivativos (contratos negociados nas Bolsas de
Valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas).
A = valor atual da renda certa; Taxa Interna de Retorno
P = valor de cada pagamento da renda certa;
n = número de prestações; A Taxa Interna de Retorno (TIR), em inglês IRR (Internal
i = taxa empregada. Rate of Return), é a taxa necessária para igualar o valor de um
investimento (valor presente) com os seus respectivos retornos
c) Renda Certa Diferida: aquela onde o primeiro pagamento futuros ou saldos de caixa. Sendo usada em análise de investimentos
acontecerá vários períodos após ser feito o empréstimo ou significa a taxa de retorno de um projeto.
financiamento. Utilizando uma calculadora financeira, encontramos para
o projeto P uma Taxa Interna de Retorno de 15% ao ano. Esse
Para calcular o valor atual dessa renda certa, a fórmula é a projeto será atrativo se a empresa tiver uma TMA menor do
seguinte: que 15% ao ano. A solução dessa equação pode ser obtida pelo
processo iterativo, ou seja “tentativa e erro”, ou diretamente com o
A = P . ( a[n+x,i] - a[x,i] ), onde: uso de calculadoras eletrônicas ou planilhas de cálculo.
A taxa interna de rentabilidade (TIR) é a taxa de atualização
A = valor atual da renda certa; do projeto que dá o VAL nulo. A TIR é a taxa que o investidor
P = valor de cada pagamento da renda certa; obtém em média em cada ano sobre os capitais que se mantêm
n = número de prestações; investidos no projeto, enquanto o investimento inicial é recuperado
x = número de prestações acrescentadas; progressivamente. A TIR é um critério que atende ao valor de
i = taxa empregada. dinheiro no tempo, valorizando os cash-flows atuais mais do
que os futuros, constitui com a VAL e o PAYBACK atualizado
2º Caso: Cálculo do Montante os três grandes critérios de avaliação de projetos. A TIR não é
adequada à seleção de projetos de investimento, a não ser quando
a) Quando o montante é calculado no momento da data do é determinada a partir do cash-flow relativo.
último pagamento:
Para calcular o valor do montante nesse caso, a fórmula é a A Taxa Interna de Retorno de um investimento pode ser:
seguinte: - Maior do que a Taxa Mínima de Atratividade: significa que o
investimento é economicamente atrativo.
M = P . s[n,i], onde: - Igual à Taxa Mínima de Atratividade: o investimento está
economicamente numa situação de indiferença.
M = valor do montante; - Menor do que a Taxa Mínima de Atratividade: o investimento
P = valor de cada pagamento da renda certa; não é economicamente atrativo pois seu retorno é superado pelo
n = número de prestações; retorno de um investimento com o mínimo de retorno.
i = taxa empregada.
Entre vários investimentos, o melhor será aquele que tiver a
O fator s[n,i] é normalmente dado nas provas. maior Taxa Interna de Retorno Matematicamente, a Taxa Interna
de Retorno é a taxa de juros que torna o valor presente das entradas
b) Quando o montante é calculado em um momento que não de caixa igual ao valor presente das saídas de caixa do projeto de
coincide com a data do último pagamento: investimento.
A TIR é a taxa de desconto que faz com que o Valor Presente
Para calcular o valor do montante nesse caso, a fórmula é a Líquido (VPL) do projeto seja zero. Um projeto é atrativo quando
seguinte: sua TIR for maior do que o custo de capital do projeto.

M = P . (s[n+x,i] - s[x,i]), onde:


M = valor do montante;
P = valor de cada pagamento da renda certa;
n = número de prestações;
x = número de prestações acrescentadas;
i = taxa empregada.

Didatismo e Conhecimento 19
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Método Apesar de uma forte preferência acadêmica pelo VPL,
pesquisas indicam que executivos preferem a TIR ao invés do VPL.
Para encontrar o valor da Taxa Interna de Retorno, calcular a Aparentemente os gerentes acham intuitivamente mais atraente
taxa que satisfaz a seguinte equação: para avaliar investimentos em taxas percentuais ao invés dos
valores monetários do VPL. Contudo, deve-se preferencialmente
utilizar mais do que uma ferramenta de análise de investimento, e
todas as alternativas devem ser consideradas em uma análise, pois
qualquer alternativa pode parecer valer a pena se for comparada
com as alternativas suficientemente ruins.
Deve-se ter em mente que o método da TIR considera que as
A TIR é obtida resolvendo a expressão em ordem a TIR e é entradas, ou seja, os vários retornos que o investimento trará, serão
geralmente comparada com a taxa de desconto. O valor do TIR é um reinvestidos a uma taxa igual a taxa de atratividade informada.
valor relativo e o seu cálculo é realizado, recorrendo a computador ou
a tabelas próprias Para se efetuar o cálculo da TIR, é analisada a série Taxa Nominal
de valores obtida da seguinte forma: 1º valor: o investimento inicial
(valor negativo) 2º valor: benefícios - custos do 1º período (valor A taxa nominal de juros relativa a uma operação financeira,
positivo) 3º valor: benefícios - custos do 2º período (valor positivo) e pode ser calculada pela expressão:
assim sucessivamente, até ao último período a considerar. O período
considerado pode ser um qualquer desde que seja regular (semana, Taxa nominal = Juros pagos / Valor nominal do empréstimo
mensal, trimestral, semestral, anual, etc.) Nota: recorrendo ao uso de
uma folha de cálculo é possível obter o valor da TIR. No caso do Assim, por exemplo, se um empréstimo de $100.000,00,
Excel, a fórmula para cálculo do TIR é IRR(gama de valores). deve ser quitado ao final de um ano, pelo valor monetário de
A TIR não deve ser usada como parâmetro em uma análise de $150.000,00, a taxa de juros nominal será dada por:
investimento porque muitas vezes os fluxos não são reinvestidor a Juros pagos = Jp = $150.000 – $100.000 = $50.000,00
uma taxa iguais a TIR efetiva. Taxa nominal = in = $50.000 / $100.000 = 0,50 = 50%
Quando a TIR calculada é superior á taxa efetiva de
reinvestimento dos fluxos de caixa intermediários, pode sugir, ás Sem dúvida, se tem um assunto que gera muita confusão
vezes de forma significativa, uma expectativa irreal de retorno anual na Matemática Financeira são os conceitos de taxa nominal,
equivalente ao do projeto de investimento. taxa efetiva e taxa equivalente. Até na esfera judicial esses
assuntos geram muitas dúvidas nos cálculos de empréstimos,
Exemplo financiamentos, consórcios  e etc.
Hoje vamos tentar esclarecer esses conceitos, que na maioria
Considerando-se que o fluxo de caixa é composto apenas de das vezes nos livros e apostilas disponíveis no mercado, não são
uma saída no período 0 de R$ 100,00 e uma entrada no período 1 de apresentados de um maneira clara.
R$120,00, onde i corresponde à taxa de juros: Temos a chamada taxa de juros nominal, quando esta não
é realmente a taxa utilizada para o cálculo dos juros (é uma taxa
“sem efeito”). A capitalização (o prazo de formação e incorporação
de juros ao capital inicial) será dada através de uma outra  taxa, 
numa unidade de tempo diferente, taxa efetiva.
 Como calcular a taxa que realmente vai ser utilizada; isto é, a
Para VPL = 0 temos i = TIR = 0.2 = 20% taxa efetiva?
Como uma ferramenta de decisão, a TIR é utilizada para avaliar                
investimentos alternativos. A alternativa de investimento com a TIR Vamos acompanhar através do exemplo:
mais elevada é normalmente a preferida; também deve se levar em Calcular o montante de um capital de R$ 1.000,00 aplicados
consideração de que colocar o investimento em um banco é sempre durante 18 meses, capitalizados mensalmente, a uma taxa de
uma alternativa. Assim, se nenhuma das alternativas de investimento 12% a.a. Explicando o que é taxa Nominal, efetiva mensal e
atingir a taxa de rendimento bancária ou a Taxa Mínima de equivalente mensal:
Atratividade (TMA), este investimento não deve ser realizado.  
Normalmente a TIR não pode ser resolvida analiticamente Respostas e soluções:
como demonstrado acima, e sim apenas através de iterações, ou seja,  
através de interpolações com diversas taxas de retorno até chegar 1) A taxa Nominal é 12% a.a; pois o capital não vai ser
àquela que apresente um VPL igual a zero; contudo as calculadoras capitalizado com a taxa anual.
financeiras e planilhas eletrônicas estão preparadas para encontrar
rapidamente este valor. 2) A taxa efetiva mensal a ser utilizada depende de duas
Um defeito crítico do método de cálculo da TIR é que múltiplos convenções: taxa proporcional mensal ou taxa equivalente mensal.
valores podem ser encontrados se o fluxo anual de caixa mudar de a) Taxa proporcional mensal (divide-se a taxa anual por 12):
sinal mais de uma vez (ir de negativo para positivo e para negativo 12%/12 = 1% a.m.
novamente, ou vice-versa) durante o período de análise. Para b) Taxa equivalente mensal (é aquela que aplicado aos R$
os casos de alteração frequente de sinal deve utilizar-se a (Taxa 1.000,00, rende os mesmos juros que a taxa anual aplicada nesse
externa de retorno - TER). mesmo capital).

Didatismo e Conhecimento 20
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Cálculo da taxa equivalente mensal: 2) Um empresa solicita um empréstimo ao Banco no regime
  de capitalização composta à base de 44% ao bimestre. A taxa
q
iq = (1 + it ) t
equivalente composta ao mês de:
−1 a) 12%
b) 20%
  c) 22%
onde: d) 24%
iq : taxa equivalente para o prazo que eu quero  
it : taxa para o prazo que eu tenho Respostas: 1) d      2) b
q : prazo que eu quero
t : prazo que eu tenho Taxa Real e Taxa Efetiva
 
  As taxas de juros são índices fundamentais no estudo da
⇒ =  (1,12)0,083333  – 1  matemática financeira. Os rendimentos financeiros são responsáveis
iq = 0,009489 a.m  ou  iq = 0,949 % a.m. pela correção de capitais investidos perante uma determinada taxa
3) Cálculo do montante pedido, utilizando a taxa efetiva mensal de juros. Não importando se a capitalização é simples ou composta,
a) pela convenção da taxa proporcional: existem três tipos de taxas: taxa nominal, taxa efetiva e taxa real.
M = c (1 + i)n No mercado financeiro, muitos negócios não são fechados em
M = 1000 (1 + 0,01) 18 = 1.000 x  1,196147 virtude da confusão gerada pelo desconhecimento do significado
M = 1.196,15 de cada um dos tipos de taxa. Vamos compreender o conceito de
  cada uma delas.
b) pela convenção da taxa equivalente:
M = c (1 + i)n Taxa Nominal: A taxa nominal é aquela em que o período de
M = 1000 (1 + 0,009489) 18 = 1.000 x  1,185296 formação e incorporação dos juros ao capital não coincide com
M = 1.185,29 aquele a que a taxa está referida. Exemplos:
  a) Uma taxa de 12% ao ano com capitalização mensal.
NOTA: Para comprovar que a taxa de 0,948% a.m é equivalente b) 5% ao trimestre com capitalização semestral.
a taxa de 12% a.a, basta calcular o montante utilizando a taxa c) 15% ao semestre com capitalização bimestral.
anual, neste caso  teremos que transformar 18 meses em anos para
fazer o cálculo, ou seja : 18: 12 = 1,5 ano. Assim: Taxa Efetiva: A taxa efetiva é aquela que o período de formação
M = c (1 + i)n e incorporação dos juros ao capital coincide com aquele a que a
M = 1000 (1 + 0,12) 1,5 = 1.000 x  1,185297 taxa está referida. Exemplos:
M = 1.185,29 a) Uma taxa de 5% ao mês com capitalização mensal.
  b) Uma taxa de 75% ao ano com capitalização anual.
Conclusões: c) Uma taxa de 11% ao trimestre com capitalização trimestral.

- A taxa nominal é 12% a.a, pois não foi aplicada no cálculo do Taxa Real: A taxa real é aquela que expurga o efeito da inflação
montante. Normalmente a taxa nominal vem sempre ao ano! no período. Dependendo dos casos, a taxa real pode assumir
- A taxa efetiva mensal, como o próprio nome diz, é aquela valores negativos. Podemos afirmar que a taxa real corresponde à
que foi utilizado para cálculo do montante. Pode ser uma taxa taxa efetiva corrigida pelo índice inflacionário do período.
proporcional mensal (1 % a.m.) ou uma taxa equivalente mensal
(0,949 % a.m.). Existe uma relação entre a taxa efetiva, a taxa real e o índice de
- Qual a taxa efetiva mensal que devemos utilizar? Em se inflação no período. Vejamos: 1+ief=(1+ir)(1+iinf)
tratando de concursos públicos a grande maioria das bancas
examinadores utilizam a convenção da taxa proporcional. Em se Onde,
tratando do mercado financeiro, utiliza-se a convenção de taxa ief→é a taxa efetiva
equivalente. ir→é a taxa real
iinf→é a taxa de inflação no período
Resolva as questões abaixo para você verificar se entendeu os
conceitos acima. Seguem alguns exemplos para compreensão do uso da fórmula.
 
1) Um banco paga juros compostos de 30% ao ano, com
capitalização semestral. Qual a taxa anual efetiva?
a) 27,75 %
b) 29,50%
c) 30 %
d) 32,25 %
e) 35 %
 

Didatismo e Conhecimento 21
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Exemplo 1. Certa aplicação financeira obteve rendimento Como a taxa real foi negativa, podemos afirmar que essa
efetivo de 6% ao ano. Sabendo que a taxa de inflação no período categoria profissional teve perdas salariais do período, uma vez
foi de 4,9%, determine o ganho real dessa aplicação. que o reajuste salarial foi abaixo do índice inflacionário do período.
Solução: A solução do problema consiste em determinar o A taxa real expurga o efeito da inflação. Um aspecto interessante
ganho real da aplicação corrigido pelo índice inflacionário do sobre as taxas reais de juros é que, elas podem ser inclusive,
período, ou seja, determinar a taxa real de juros dessa aplicação negativas. Vamos encontrar uma relação entre as taxas de juros
financeira. Temos que: nominal e real. Para isto, vamos supor que um determinado capital
P é aplicado por um período de tempo unitário, a uma certa taxa
nominal in .

O montante S1 ao final do período será dado por S1 = P(1 + in).

Consideremos agora que durante o mesmo período, a


taxa de inflação (desvalorização da moeda) foi igual a j.
O capital corrigido por esta taxa acarretaria um montante 
S2 = P (1 + j).
Aplicando a fórmula que relaciona os três índices, teremos:
A taxa real de juros, indicada por r, será aquela que aplicada ao
montante S2, produzirá o montante S1. Poderemos então escrever:
S1 = S2 (1 + r)

Substituindo S1 e S2 , vem:
P(1 + in) = (1+r). P (1 + j)

Daí então, vem que:


(1 + in) = (1+r). (1 + j), onde:
in = taxa de juros nominal
j = taxa de inflação no período
r = taxa real de juros

Observe que se a taxa de inflação for nula no período, isto é, j


Portanto, o ganho real dessa aplicação financeira foi de 1% ao ano. = 0, teremos que as taxas nominal e real são coincidentes. Veja o
exemplo a seguir:
Exemplo 2. Certa categoria profissional obteve reajuste salarial
de 7% ao ano. Sabendo que a inflação no período foi de 10%, Numa operação financeira com taxas pré-fixadas, um banco
determine o valor do reajuste real e interprete o resultado. empresta $120.000,00 para ser pago em um ano com $150.000,00.
Sendo a inflação durante o período do empréstimo igual a 10%,
Solução: Temos que pede-se calcular as taxas nominal e real deste empréstimo.

Teremos que a taxa nominal será igual a:


in = (150.000 – 120.000)/120.000 = 30.000/120.000 = 0,25 =
25%

Portanto in = 25%
Aplicando a fórmula, teremos:
Como a taxa de inflação no período é igual a j = 10% = 0,10,
substituindo na fórmula anterior, vem:
(1 + in) = (1+r). (1 + j)
(1 + 0,25) = (1 + r).(1 + 0,10)
1,25 = (1 + r).1,10
1 + r = 1,25/1,10 = 1,1364

Portanto, r = 1,1364 – 1 = 0,1364 = 13,64%

Se a taxa de inflação no período fosse igual a 30%, teríamos


para a taxa real de juros:
(1 + 0,25) = (1 + r).(1 + 0,30)
1,25 = (1 + r).1,30
1 + r = 1,25/1,30 = 0,9615

Didatismo e Conhecimento 22
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Portanto, r = 0,9615 – 1 = -,0385 = -3,85% e, portanto teríamos a. Material Permanente é aquele que, em razão de seu uso
uma taxa real de juros negativa. corrente, não perde a sua identidade física e/ou tem durabilidade
superior a dois anos.
Agora resolva este: $100.000,00 foi emprestado para ser Se um material for adquirido como permanente e ficar com-
quitado por $150.000,00 ao final de um ano. Se a inflação no provado que possui custo de controle superior ao seu benefício,
período foi de 20%, qual a taxa real do empréstimo? deve ser controlado de forma simplificada, por meio de relação-
carga, que mede apenas aspectos qualitativos e quantitativos, não
Resposta: 25% havendo necessidade de controle por meio de número patrimonial.
No entanto, esses bens deverão estar registrados contabilmente no
Estoque patrimônio da entidade.
Isso deve ao fato de obedecer ao Princípio da Economicidade
A gestão eficiente do fluxo de bens e serviços do ponto de previsto no
origem ao ponto de consumo requer de maneira sequencial, o pla- Art. 70 da CF/88 que se traduz na relação custo-benefício. Ou
nejamento, a programação e o controle de um conjunto de ativida- seja, os controles devem ser simplificados quando se apresentam
des que reúnem: insumos básicos (matérias-primas); materiais em como meramente formais ou cujo custo seja evidentemente supe-
processamento; materiais acabados; serviços e informações dispo- rior ao risco.
b. Material de Consumo é aquele que, em razão de seu uso
níveis. Como resultado da administração destas atividades gera-
corrente, perde normalmente sua identidade física e/ou tem sua
se o movimento de bens e serviços aos clientes (cidadão/usuário),
utilização limitada a dois anos. Deve atender a pelo menos um dos
havendo como decorrência a geração das chamadas utilidades de
critérios a seguir:
tempo e/ou de lugar, que por sua vez são fatores fundamentais para
- Critério de Durabilidade: se em uso normal perde ou tem
as funções logísticas. Para a administração pública, tanto recursos
reduzidas as suas condições de funcionamento no prazo máximo
quanto o público-alvo organizacional estão espalhados em áreas
de dois anos;
de distintos tamanhos, além da diversidade sócio cultural dos re-
- Critério de Fragilidade: se sua estrutura for quebradiça, de-
sidentes locais. Esse é o problema que a logística têm a missão de
formável ou danificável, caracterizando sua irrecuperabilidade e
resolver. Ou seja, diminuir o hiato entre o resultado do processo perda de sua identidade ou funcionalidade;
de transformação da organização e a demanda, de modo que os - Critério de Perecibilidade: se está sujeito a modificações quí-
consumidores (cidadão-cliente/sociedade/usuário) tenham bens e micas ou físicas, ou se deteriora ou perde sua característica pelo
serviços quando e onde quiserem, na condição que desejarem, e uso normal;
com o menor custo. - Critério de Incorporabilidade: se está destinado à incorpora-
Na organização pública, a missão do gestor é estabelecer o ção a outro bem, e não pode ser retirado sem prejuízo das carac-
nível de atividades logísticas necessário para atender ao público- terísticas físicas e funcionais do principal. Pode ser utilizado para
-alvo organizacional no tempo certo, no local certo e nas condições a constituição de novos bens, melhoria ou adições complemen-
e formas desejadas, de forma economicamente eficaz, eficiente e tares de bens em utilização (sendo classificado como 4.4.90.30),
efetiva no uso dos recursos públicos. ou para a reposição de peças para manutenção do seu uso normal
que contenham a mesma configuração (sendo classificado como
As áreas da logística 3.3.90.30);
- Critério de Transformabilidade: se foi adquirido para fim de
A logística realiza a integração da administração de materiais transformação.
(suprimentos) com a logística organizacional, com a distribuição Se um material de consumo for considerado como de uso
física e/ou prestação de serviços, e com as atividades relativas ao duradouro, devido à durabilidade, quantidade utilizada ou valor
retorno/descarte de materiais. relevante, deve ser controlado por meio de relação-carga e incor-
Logística de entrada (administração de materiais/logística de porado ao patrimônio da entidade.
suprimentos)
É o conjunto de operações associadas ao fluxo de materiais Logística organizacional (operacional)
e informações necessários ao modelo de transformação da orga- É a integração das atividades de um sistema organizacional,
nização. em função do seu modelo de transformação, desde o planejamento
Para a organização pública, têm-se os seguintes entendimen- e obtenção dos insumos necessários, passando pelo processo pro-
tos sobre Material e Serviços com seus respectivos embasamento dutivo até a distribuição para o consumidor (intermediário/final),
legal. atendendo as necessidades do público-alvo a custos reduzidos,
No campo da Ciência Contábil o termo MATERIAL com- com qualidade e uso adequado de recursos. O instrumento legal
preende todos os itens contabilizáveis que participam diretamente de criação da instituição pública e seu regimento interno norteiam
ou indiretamente na constituição do bem/serviço de uma organi- essas atividades na organização.
zação.
Na gestão pública, temos a classificação de Material por natu- Logística de saída (distribuição física do bem/prestação do
reza de despesa em Material Permanente e Material de Consumo, serviço)
discorrendo os seguintes conceitos: É o conjunto de operações associadas à transferência do resul-
tado objeto de uma transação desde o local de origem até o local
designado no destino e no fluxo de informação associado, devendo

Didatismo e Conhecimento 23
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
garantir que chegue ao destino nas condições desejadas, oportuna- Art. 6º, que os serviços continuados que podem ser contratos
mente e com uso maximizado dos recursos disponíveis. A missão por terceiros são aqueles que apoiam a realização de atividades
da organização constante no dispositivo de sua criação e as atri- essenciais ao cumprimento da missão institucional do órgão ou
buições funcionais inerentes ao cargo desempenhado orientam os entidade. Essas atividades materiais acessórias, instrumentais ou
gestores públicos na execução dessas operações. complementares aos assuntos que constituem área de competência
legal do órgão ou entidade poderão ser objeto de execução indireta
Logística Reversa: (
Para o autor PIRES, duas premissas básicas impõem a ne- Art. 1º do Decreto 2.271/97).
cessidade de gestão da logística reversa: a agregação de valor e a É interessante observar os seguintes conceitos relativos à lo-
responsabilidade pela sucata e/ou lixo industrial. A agregação de gística:
valor, considerando o aumento do comércio global, está relacio- - Função logística é a reunião, sob uma única designação, de
nada à importância na gestão dos recipientes (pallets, containers, um conjunto de atividades logísticas afins, correlatas ou de mesma
etc.) e das embalagens, envolvendo processos logísticos comple- natureza.
xos e estando sujeitos a restrições legais e sanitárias, dentre outras. - Atividade logística é um conjunto de tarefas afins, reunidas
A responsabilidade pela sucata e/ou lixo industrial diz respeito à segundo critérios de relacionamento, interdependência ou de si-
gestão dos materiais após o término de suas vidas úteis, passando a milaridade.
vigorar cada vez mais a regra de que “quem produz é o responsável - Tarefa logística é um trabalho específico e limitado no tem-
pelo produto após a sua vida útil”. po, que agrupa passos, atos ou movimentos interligados segundo
Para a organização pública, essa preocupação e/ou exigência uma determinada sequência e visando à obtenção de um resultado
sócioambiental pode ser observada na INSTRUÇÃO NORMATI- definido.
VA Nº 205, DE 08 DE ABRIL DE 1988 expressa no item 1. Ma-
terial que: “a designação genérica de equipamentos, componentes, As funções logísticas primárias (o ciclo crítico)
sobressalentes, acessórios, veículos em geral, matérias-primas e O conceito de logística identifica aquelas funções ou ativi-
outros itens empregados ou passíveis de emprego nas atividades dades que são de importância primária para atingir os objetivos
logísticos de custo e nível de serviço. Estas atividades-chave são:
das organizações públicas federais, independente de qualquer fa-
Transporte, Manutenção de Estoques, Processamento de Pedidos.
tor, bem como, aquele oriundo de demolição ou desmontagem,
Constituem o “ciclo crítico de atividades logísticas”.
aparas, acondicionamentos, embalagens e resíduos economica-
O resultado final é prover o cidadão (cliente final) quando e
mente aproveitáveis (grifo meu)”, dando importância à logística
onde necessitar, com a melhor alocação de recursos (menor custo).
reversa nas organizações públicas com o objetivo de racionalizar
a. A função logística primária de transportes
com minimização de custos o uso de material através de técnicas
Para a maioria das organizações, o transporte é a atividade
modernas que atualizam e enriquecem essa gestão com as desejá-
logística mais importante simplesmente porque ela absorve, em
veis condições de operacionalidade, no emprego do material nas
média, de um a dois terços dos custos logísticos. É uma atividade
diversas atividades. essencial, pois nenhuma instituição pode operar sem providenciar
a movimentação de seu produto (bem/serviço) de alguma forma.
As funções logísticas Implica na utilização dos modais de transporte para se movimen-
As atividades administrativas a serem geridas, em qualquer tar bens. Este movimento é realizado pelos modais de transporte:
organização, podem incluir todo ou parte do seguinte: transportes, aeroviário, dutoviário, ferroviário, hidroviário; rodoviário, inter-
manutenção de estoques, processamento de pedidos, compras (ob- modalidade e multimodalidade. Os transportes adicionam valor de
tenção), armazenagem, manuseio de materiais, embalagem, padrões “lugar” ao produto.
de serviços e programação do processo de produtivo. b. A função logística primária de manutenção de estoques
Devido à característica sistêmica da logística, as atividades ad- Para se atingir um grau razoável de disponibilidade de bens, é
ministrativas organizacionais passam a ser abordadas de forma di- necessário manter estoques, que agem como “amortecedores” en-
ferente da tradicional distinção em atividades fim e atividades meio. tre a disponibilidade e a necessidade (oferta e demanda). O estoque
Essa nova abordagem vem sendo provocada pela necessida- agrega valor de “tempo”.
de das organizações em direcionar seus esforços para o foco do Na administração pública, a Instrução Normativa Nr. 205, de
seu negócio, terceirizando aquelas atividades que são economica- 08 de Abril de 1988, da Secretaria de Administração Pública da
mente melhor desempenhadas por outras organizações que as tem Presidência da República (SEDAP/PR), trata do assunto no item
como produto do seu trabalho e que, consequentemente, passam a DA AQUISIÇÃO:
serem parceiros no negócio da empresa. Um exemplo clássico é o - “As compras de material, para reposição de estoques e/ou para
da indústria automotiva, formando uma cadeia produtiva. atender necessidade específica de qualquer unidade, deverão, em
Para a organização pública não está sendo diferente. Hoje se princípio, ser efetuadas através do Departamento de Administração,
tem, por exemplo, serviços como segurança, manutenção e limpe- ou de unidade com atribuições equivalentes ou ainda, pelas corres-
za realizados por terceiros e que até pouco tempo eram realizados pondentes repartições que, no território nacional, sejam projeções
pela organização com um quadro próprio de servidores. Como a dos órgãos setoriais ou seccionais, (delegacias, distritos, etc.)”.
prática administrativa na organização pública precisa de uma base Uma questão importante é saber qual o nível de estoque mais
jurídica, a Instrução Normativa Nº 02 de 30 de Abril de 2008 dis- adequado para a organização. Para isso, crescem em importância
põe sobre regras e diretrizes para a contratação de serviços, conti- para a gestão de estoques as variáveis “quantidade” e “tempo”.
nuados ou não, definindo, em seu Essas variáveis compõem os chamados fatores de ressuprimento.

Didatismo e Conhecimento 24
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
POZO expressa que uma das técnicas utilizadas para a avalia- Estoque Máximo (EM)
ção dos níveis de estoques é o enfoque da dimensão do “lote eco- É a maior quantidade de material admissível em estoque, sufi-
nômico” para a manutenção de níveis de estoques satisfatórios e ciente para o consumo em certo período, devendo-se considerar a
que é denominado de “sistema máximo-mínimo”. O funcionamen- área de armazenagem, disponibilidade financeira, imobilização de
to do sistema consiste na necessidade nas seguintes informações recursos, intervalo e tempo de aquisição, perecimento, obsoletis-
básicas para cada material: mo, etc. Obtém-se somando ao Estoque Mínimo (Em) o produto
- Estoque mínimo ou de segurança que se deseja manter do Consumo Médio Mensal (c) pelo Intervalo de Aquisição (I) (IN
(EMin/ESeg); 205/88).
- O momento em que nova quantidade de material deve ser
adquirida, o Ponto do Pedido (PP); Quantidade a Ressuprir (Q)
- O tempo necessário para repor o material (TR); É o número de unidades a adquirir para recompor o Estoque
- A quantidade de material que deve ser adquirida, ou seja, o Máximo. Obtém-se multiplicando o Consumo Médio Mensal (c)
Lote de Compra ou Ressuprimento (LC); e pelo Intervalo de Aquisição (I) (IN 205/88).
- Quando o material é recebido e aceito pela organização, tem- No item SANEAMENTO DE MATERIAL, a IN 205/88 ex-
se o estoque máximo (EMax). pressa que essa atividade visa a otimização física dos materiais
A IN 205/88, no item RENOVAÇÃO DE ESTOQUE, empre- em estoque ou em uso decorrente da simplificação de variedades,
ga essas variáveis quando expressa que o acompanhamento dos reutilização, recuperação e movimentação daqueles considerados
níveis de estoque e as decisões de “quando” e “quanto” comprar ociosos ou recuperáveis, bem como a alienação dos antieconômi-
deverão ocorrer em função da aplicação de fatores de ressupri- cos e irrecuperáveis”; “Os estoques devem ser objeto de constantes
mento e suas respectivas fórmulas constantes no dispositivo legal Revisões e Análises. Essas atividades são responsáveis pela iden-
e aplicáveis à gerência de estoques. Os fatores de ressuprimento tificação dos itens ativos e inativos”.
são: Tempo de Aquisição, Intervalo de Aquisição, Ponto de Pedi- c. A função logística primária de processamento de pedidos
do, Consumo Médio Mensal, Estoque Mínimo, Estoque Máximo e É a atividade que inicializa a movimentação de bens e a pres-
Quantidade a Ressuprir. Como pode-se inferir esses fatores cons- tação de serviços. Sua importância deriva do tempo necessário
tituem o sistema máximo-mínimo com o enfoque da dimensão do para levar bens e serviços aos consumidores.
lote econômico para a manutenção de níveis de estoques satisfa- Para a organização pública, o início dessa atividade pode ser
tórios. considerado por ocasião do levantamento das necessidades organi-
zacionais, no ano vigente, a serem incluídas na previsão orçamen-
Tempo de Aquisição (T) tária para o exercício financeiro do ano seguinte. Após a liberação
Conforme consta no item RENOVAÇÃO DE ESTOQUE, da orçamentária no início do ano em exercício é que as instituições
IN 205/88, é entendido como o período decorrido entre a emissão podem começar a realizar seus processos de licitações e contratos.
do pedido de compra e o recebimento do material no Almoxarifado Essa consideração visa esclarecer uma prática bastante co-
(relativo, sempre, à unidade mês). mum nas organizações públicas quanto à solicitação de material
Intervalo de Aquisição (I) feita pelas áreas demandantes. É comum o entendimento equivo-
Compreende o período entre duas aquisições normais e suces- cado de que o pedido de material feito pela área demandante é
sivas (IN 205/88). para efetuar a compra, ou seja, um “pedido de compra”. O pedido
realizado é para “fornecimento” através de uma requisição ou ta-
Ponto de Pedido (Pp) bela de provisão (IN 205/88). A definição do “quanto comprar”
É o nível de estoque que, ao ser atingido, determina imediata já deve ter sido realizada por ocasião do processo de previsão do
emissão de um pedido de compra, visando completar o Estoque orçamento no ano anterior, e a consequente liberação orçamentária
Máximo. Obtém-se somando ao Estoque Mínimo (Em) o produto no ano vigente para a decisão dos gestores em relação ao “quando
do Consumo Médio Mensal (c) pelo Tempo de Aquisição (T) (IN comprar”, com os ajustes, se for o caso, na definição do “quanto
205/88). comprar”. Esse esclarecimento é importante pois visa valorizar o
planejamento na instituição.
Consumo Médio Mensal (c) É importante destacar que a descrição do material para o Pedi-
É a média aritmética do consumo nos últimos 12 meses (IN do de Compra deverá ser elaborada através do método Descritivo,
205/88). que identifica com clareza o item através da enumeração de suas
características físicas, mecânicas, de acabamento e de desempe-
Estoque Mínimo (Em) nho, possibilitando sua perfeita caracterização para a boa orien-
É a menor quantidade de material a ser mantida em estoque tação do processo licitatório e deverá ser utilizada com absoluta
capaz de atender a um consumo superior ao estimado para certo prioridade, sempre que possível. E pelo método Referencial, que
período ou para atender a demanda normal em caso de entrega da identifica indiretamente o item, através do nome do material, alia-
nova aquisição. Obtém-se multiplicando o Consumo Médio Men- do ao seu símbolo ou número de referência estabelecido pelo fa-
sal (c) por uma fração (f) do tempo de aquisição (T) que deve, em bricante, não representando necessariamente preferência de marca
princípio, variar de 0,25 de T a 0,50 de T (IN 205/88). Essa fração (IN 205/88).
(f) do Tempo de Aquisição (T) é o chamado fator de risco que As necessidades de uma organização pública são atendidas
a organização está disposta a assumir com relação à ocorrência por BENS contratados por meio de atividades de COMPRAS, por
de falta de estoque. É básico para o adequado estabelecimento do SERVIÇOS que são contratados para a sua PRESTAÇÃO, e por
Ponto de Pedido (Pp). OBRAS que são contratadas para a sua EXECUÇÃO.

Didatismo e Conhecimento 25
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Esses contratos são oriundos de um procedimento adminis- e altura das pilhas, de modo a não afetar sua qualidade pelo efeito
trativo formal chamado de LICITAÇÃO, em que o órgão público da pressão decorrente, o arejamento (distância de 70 cm aproxi-
convoca, por meio de condições estabelecidas em ato próprio (edi- madamente do teto e de 50 cm aproximadamente das paredes)”.
tal/convite) as empresas interessadas. Tem por objetivos a obser- c. A função logística de apoio de embalagem de proteção
vância do princípio constitucional da ISONOMIA e a seleção da Destina-se a movimentar bens sem danificá-los. No governo,
PROPOSTA MAIS VANTAJOSA para a administração pública. a IN 205/88, disponível no sítio eletrônico do “comprasnet”, apre-
senta, no item ARMAZENAGEM, as atividades a serem realiza-
As funções logísticas de apoio das pelo gestor público nesta função logística: “os materiais devem
Apoiam as atividades primárias: Armazenagem, Manuseio de ser conservados nas embalagens originais e somente abertos quan-
Materiais, Embalagem de Proteção, Obtenção, Programação de do houver necessidade de fornecimento parcelado, ou por ocasião
Produtos e Manutenção de Informação. da utilização”; “a arrumação dos materiais deve ser feita de modo
a. A função logística de apoio de armazenagem a manter voltada para o lado de acesso ao local de armazenagem
Uma questão básica do gerenciamento logístico nas organiza- a face da embalagem (ou etiqueta) contendo a marcação do item,
ções públicas é como estruturar sistemas de distribuição/prestação permitindo a fácil e rápida leitura de identificação e das demais
capazes de atender, otimizando a aplicação de recursos, o cida- informações registradas”.
dão-cliente geograficamente disperso das fontes de distribuição/ d. A função logística de apoio de obtenção
prestação de um bem/serviço, oferecendo níveis de serviço cada A função obtenção é também tratada como suprimentos e
vez mais altos em termos de disponibilidade de estoque e tempo aquisição. Independente do termo usado é basicamente uma fun-
de atendimento. ção de compras. O termo “compras”, para o órgão ou entidade pú-
A Instrução Normativa Nr. 205, de 08 de Abril de 1988, trata blica, deve ser entendido como toda aquisição remunerada de bens
do assunto no item RECEBIMENTO E ACEITAÇÃO de materiais para o fornecimento de uma só vez ou parceladamente (
para as entidades públicas. Expressa que o recebimento é o ato Art. 6º da Lei 8.666/93).
pelo qual o material encomendado é entregue ao órgão público Segundo BALLOU a “obtenção ou aquisição” refere-se àque-
no local previamente designado, não implicando em aceitação. las atividades que ocorrem entre a organização e os seus forne-
cedores e, geralmente, dá a impressão de tratar-se de “compras”.
Transfere apenas a responsabilidade pela guarda e conservação do
Para o autor existem três variáveis-chave no processo de forneci-
material, do fornecedor ao órgão recebedor. Ocorrerá nos almo-
mento para a organização: o preço, a qualidade e a disponibilidade
xarifados, salvo quando o mesmo não possa ou não deva ali ser
ou entrega do produto. É a atividade que deixa o BEM disponível
estocado ou recebido, caso em que a entrega se fará nos locais de-
para o sistema produtivo organizacional. Devem-se considerar as
signados. Qualquer que seja o local de recebimento, o registro de
seguintes decisões: quantidades a serem obtidas; programação de
entrada do material será sempre no almoxarifado. O recebimento,
compras; localização de fornecedores e a forma física das merca-
rotineiramente, nos órgãos sistêmicos, decorrerá de: compra, ces-
dorias:
são, doação, permuta, transferência, produção interna. As quantidades a serem obtidas envolvem decisões sobre “o
No item ARMAZENAGEM expressa que essa atividade com- que deve ser comprado” de fontes externas e sobre “o que pode
preende a guarda, localização, segurança e preservação do material ser produzido” pela empresa. Por sua vez, as quantidades a serem
adquirido, a fim de suprir adequadamente as necessidades opera- compradas devem ser abordadas pelo total a ser comprado e pelo
cionais das unidades integrantes da estrutura do órgão ou entidade. tamanho do lote individual de entrega e/ou de compra.
b. A função logística de apoio de manuseio de materiais A programação de compras envolve os aspectos de volume
Diz respeito à movimentação do bem no local de estocagem. e da frequência das compras. A determinação do “tempo certo” é
São atividades: de seleção do equipamento de movimentação e ba- uma questão-chave.
lanceamento da carga de trabalho. A localização de fornecedores envolve a “variável distância”
No setor público, pode-se inferir que essa função logística está que implica no tempo para a entrega do suprimento. Fontes próxi-
caracterizada na Instrução Normativa Nr. 205/88, no item ARMA- mas têm vantagens, pois a entrega pode ser mais rápida e há menor
ZENAGEM, onde se verifica: “os materiais devem ser estocados risco de interrupções no transporte.
de modo a possibilitar uma fácil inspeção e um rápido inventário”; A forma física das mercadorias influencia o fluxo de materiais
“os materiais que possuem grande movimentação devem ser esto- entre o fornecedor e o comprador, sendo essencial para a eficiência
cados em lugar de fácil acesso e próximo das áreas de expedição e da movimentação no que se refere ao uso de equipamentos ade-
o material que possui pequena movimentação deve ser estocado na quados para a movimentação, à conversão de um para outro tipo de
parte mais afastada das áreas de expedição”; “os materiais jamais acondicionamento da mercadoria, ao volume e/ou peso do material
devem ser estocados em contato direto com o piso. É preciso utili- e no modal de transporte mais apropriado.
zar corretamente os acessórios de estocagem para os proteger”; “a Ainda segundo BALLOU, a “aquisição ou obtenção” é vista
arrumação dos materiais não deve prejudicar o acesso as partes de como uma extensão da programação do processo produtivo orga-
emergência, aos extintores de incêndio ou à circulação de pessoal nizacional, pois é onde são geradas as informações de QUANDO
especializado para combater a incêndio (Corpo de Bombeiros)”; e QUANTO “comprar” (grifo meu).
“os materiais da mesma classe devem ser concentrados em locais Para a organização pública, podemos observar a necessidade
adjacentes, a fim de facilitar a movimentação e inventário”; “os dessas informações na IN 205/88 em seu item RENOVAÇÃO DE
materiais pesados e/ou volumosos devem ser estocados nas partes ESTOQUE onde expressa que o acompanhamento dos níveis de
inferiores das estantes e porta-estrados, eliminando-se os riscos de estoque e as decisões de QUANDO e QUANTO “comprar” (grifo
acidentes ou avarias e facilitando a movimentação”; e “quando o meu) deverá ocorrer em função da aplicação de fórmulas constan-
material tiver que ser empilhado, deve-se atentar para a segurança tes na referida Instrução Normativa.

Didatismo e Conhecimento 26
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Ainda na IN 205/88, pode ser encontrado no item DA REQUI- Pelo exposto, pode-se verificar que aplicar a técnica logísti-
SIÇÃO E DISTRIBUIÇÃO: “A guia de remessa de material (ou ca nas atividades administrativas de uma organização pública é
nota de transferência), além de outros dados informativos julga- estabelecer uma relação entre os dispositivos legais e normativos
dos necessários, deverá conter: descrição padronizada do material; vigentes para o setor público com os conceitos e procedimentos
quantidade; unidade de medida; preços (unitário e total); número logísticos aplicáveis às atividades funcionais do gestor público e
de volumes; peso; acondicionamento e embalagem; e grau de fra- aos processos administrativos de sua instituição com vistas: a uma
gilidade ou perecibilidade do material”. convergência aos padrões internacionais de logística aplicados a
No setor público, pode-se considerar a aplicação do concei- uma organização (pública ou privada); a adoção de procedimentos
to de AQUISIÇÃO ou OBTENÇÃO na IN 205/88 no item DA e práticas que permitam o reconhecimento, a mensuração, a ava-
AQUISIÇÃO onde descreve que as “compras” de material, para liação e a evidenciação das funções logísticas nas atividades admi-
reposição de estoques e/ou para atender necessidade específica de nistrativas públicas; a configuração de um sistema logístico no âm-
qualquer unidade, deverão, em princípio, ser efetuadas através do bito da organização, valendo-se dos instrumentos administrativos
Departamento de Administração, ou de unidade com atribuições existentes; e a caracterização e a consolidação das informações de
equivalentes ou ainda, pelas correspondentes repartições que, no natureza logística constantes nos sistemas estruturadores do go-
território nacional, sejam projeções dos órgãos setoriais ou sec- verno e nos dispositivos legais e normativos para a administração
cionais. pública.
e. A função logística de apoio de programação do produto
Não diz respeito à programação detalhada da produção, exe- Custos Logisticos
cutada diariamente pelos programadores de produção. Lida com a Muitas pessoas que estudam e trabalham com logística às ve-
distribuição de bens e/ ou prestação de serviço. Trata do fluxo de zes tem dificuldade em definir o que é a logística, e o que compõe
saída. o processo logístico. Quando se está em uma empresa, é essencial
Nas organizações públicas, a missão institucional estabelece saber para onde o dinheiro está indo (ou por onde está saindo!),
o produto organizacional e o seu regimento interno regula as ati- e compreender quais são os componentes dos custos logísticos é
vidades administrativas a serem desenvolvidas para a consecução essencial nessa área.
de metas e objetivos estabelecidos para atender as necessidades do A função mais conhecida da logística são os transportes, e
público-alvo organizacional, caracterizando essa função logística. eles representam o maior percentual dos custos logísticos para a
f. A função logística de apoio de manutenção de informação maioria das empresas. Considerando que a matriz de transporte
Segundo, CHOPRA e MEINDL, a informação é crucial para o brasileira, que utiliza fundamentalmente o transporte rodoviário
desempenho das funções logísticas em qualquer organização por- mesmo para longas distâncias, faz com que os custos de trans-
que disponibiliza fatos e dados para o gestor agrupá-los e analisá- portes sejam muito elevados, o que influencia o custo final dos
-los a fim de tomar decisões administrativas organizacionais. produtos e a competitividade de nossas empresas. Assim, o custo
Como toda organização integra uma ou várias cadeias de su- de transporte é composto por custos fixos e variáveis. Os fixos
primentos a informação se torna ainda mais importante porque incluem depreciação da frota, salários, manutenção. Os variáveis
permite que a gerência tome decisões sobre um amplo escopo que incluem: combustíveis, pneus, lubrificantes, dentre outros. Caso
abrange interação de funções e interação com outras instituições, o transporte seja terceirizado, então todo o custo é pago na forma
sendo influenciada por fatores do ambiente externo à organização, de frete.
tais como: econômico, político-legal, sócio cultural, tecnológico, Outro fator importante na composição dos custos logísticos
fisiográfico e ecológico. são os estoques. Se o transporte é rápido e frequente, então pode-
Para realizar a integração das funções logísticas, o gestor pú- mos manter níveis de estoques baixos, mas pagaremos caro pelo
blico deve se valer de informações, além daquelas sobre os obje- transporte. Por outro lado, se os lotes são grandes (grandes volu-
tivos da análise dos fatores ambientais, as relativas ao fornecedor, mes, pouca frequência), então o estoque médio será alto e custo de
às funções logísticas críticas (transporte, manutenção de estoque estocagem será elevado. O custo do estoque é composto por diver-
e processamento de pedidos) e as funções logísticas de apoio sos elementos: (1) o próprio valor do estoque que poderia estar in-
(armazenagem, manuseio de materiais, embalagem de proteção, vestido rendendo juros e pela oportunidade do capital; (2) manter
obtenção, programação de produto) cujo resultado será o estabe- o estoque também custa dinheiro: seguros, obsolescência, perdas e
lecimento do nível de serviço desejado, possível e adequado às outros riscos associados; (3) durante a operação de transportes, um
características do público-alvo organizacional. A necessidade de pouco do estoque fica indisponível dentro dos caminhões – assim,
informação sobre essas áreas agrega valor às atividades adminis- o estoque em trânsito também compõe este custo; (4) finalmente,
trativas organizacionais, permitindo melhor coordenação entre os caso os estoques não sejam bem gerenciados, a empresa terá uma
envolvidos no negócio público, configurando uma engrenagem falta de produtos, e este custo é difícil de ser mensurado.
logística. O local onde é feita a armazenagem também compõe o custo
Enfim, para a organização pública, a importância da Logística logístico. Assim, o custo com armazenagem envolve impostos, luz,
está no fato de que ela permite administrar o fluxo dos bens/servi- conservação (ou aluguel caso o armazém seja alugado); para manu-
ços de onde eles são transformados para o local certo de consumo, sear os produtos são necessários equipamentos de movimentação e
na forma desejada, no tempo certo e com o emprego adequado dos armazenagem, além de salários (e encargos) dos funcionários.
recursos públicos disponíveis, proporcionando o nível de serviço Um pouco menores, mas também importantes de serem consi-
desejado pela sociedade. Um sistema logístico eficiente permite derados, estão os custos do pedido: custos relacionados ao material
uma região geográfica explorar suas vantagens inerentes pela es- utilizado (papel, materiais de escritório, computadores), custos de
pecialização de seus esforços produtivos naqueles produtos que ela pessoal (salários e encargos) e os custos indiretos (luz, telefone,
tem vantagens e pela exportação desses produtos às outras regiões. dentre outros).

Didatismo e Conhecimento 27
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Gestão de estoque Alguns critérios de avaliação de estoques:
Um dos itens mais importantes do Ativo de uma empresa co- - Método PEPS (primeiro que entra, primeiro que sai), do in-
mercial é o estoque. Essa importância advém não só de sua alta glês, FIFO (first-in, first-out), ou seja, os primeiros artigos a entra-
participação percentual no total do Ativo, mas também do fato rem no estoque, serão aqueles que sairão em primeiro lugar, deste
de ser a partir dele que se determina o custo das mercadorias ou modo o custo da matéria-prima deve ser considerado pelo valor
produtos vendidos. O estoque representa o custo das mercadorias de compra desses primeiros artigos. O estoque apresenta uma re-
possuídas por uma empresa numa data especifica. Ou seja, é uma lação forte com o custo de reposição, pois esse estoque representa
os preços pagos recentemente, adotar este método, faz com que
conta que registra os bens adquiridos para serem revendidos ou
haja oscilação dos preços sobre os resultados, pois as saídas são
transformados.
confrontadas com os custos mais antigos, sendo esta uma das prin-
O tipo de estoque que uma empresa possui, depende do seu cipais razões pelas quais alguns se mostram contrários a este mé-
objetivo social: se for uma empresa que comercializa produtos, ela todo. As vantagens o desse método consistem no controle preciso
compra e vende os mesmos produtos e seu estoque é constituído dos materiais, pois são ordenados em uma base contínua de acordo
de mercadorias. Assim sendo, a venda de estoques gera receita de com sua entrada, o que é importante, quando se trata de produtos
vendas, custo de mercadorias ou produtos vendidos e estoque final. sujeitos a mudança de qualidade, decomposição, deterioração etc.;
O termo Custo de Mercadorias entende-se que é o preço pago pela o resultado obtido revela o custo real dos artigos específicos utili-
mercadoria, acrescido de outras despesas para movimentação do zados nas saídas; os artigos utilizados são retirados do estoque e
estoque, deduzido os impostos recuperáveis e o valor de mercado. a baixa dos mesmos é dada de uma maneira sistemática e lógica.
O princípio básico é que o custo das mercadorias adquiridas - Método UEPS (último a entrar, primeiro a sair), do inglês
deve compreender todos os gastos que a empresa realiza para ad- LIFO (last-in first-out) é um método de avaliar estoque bastante
quiri-las e colocá-las em condições de serem vendidas. Para uma discutido. O custo do estoque é obtido como se as unidades mais
empresa que compra e vende mercadorias, tais custos incluem o recentes adicionadas ao estoque (últimas a entrar) fossem as pri-
meiras unidades vendidas (saídas). Pressupõe-se, deste modo, que
preço de compra e os gastos com transporte, recepção, inspeção e
o estoque final consiste nas unidades mais antigas e é avaliado ao
colocação nas prateleiras, além de custos administrativos associa- custo das mesmas. Segue-se que, de acordo com o método UEPS,
dos ao controle dos estoques. (STICKNEY, 2001, P.340). Diante o custo dos artigos vendidos (saídas) tende a refletir no custo dos
da existência do custo das mercadorias e do valor de mercado, sur- artigos comprados mais recentemente (comprados ou produzidos).
ge a necessidade de escolher o menor valor para avaliar o estoque. Também permite reduzir os lucros líquidos expostos. As vantagens
O problema para se chegar a essa conclusão, prende-se ao fato da de utilização deste método consistem na apuração correta de seus
empresa ter em estoque o mesmo produto adquirido em datas dis- custos correntes; o estoque é avaliado em termos do nível de preço
tintas, com custos unitários diferentes. da época em que o UEPS foi introduzido; é uma forma de se cus-
Se a empresa conseguir identificar qual unidade foi vendida tear os artigos consumidos de uma maneira realista e sistemática;
e quais unidades ficaram em estoque no final do período, a men- em períodos de alta de preços, os preços maiores das compras mais
suração do custo das mercadorias vendidas e do estoque final não recentes, são ajustados mais rapidamente às produções, reduzindo
apresenta problemas. A semelhança física entre unidades de alguns o lucro. No entanto, não é aceito pela legislação brasileira.
produtos, entretanto, cria dificuldades para a identificação de quais - Custo Médio é o método utilizado nas empresas brasilei-
ras para atendimento à legislação fiscal. Empresas multinacionais
unidades foram vendidas e quais ficaram em estoque. Mesmo
com operações no Brasil frequentemente têm de avaliar o estoque
quando avanços na tecnologia permitem que a empresa acompa-
segundo o método da matriz, e também segundo o custo médio
nhe cada item de seu estoque, ela pode preferir não fazê-lo, dados para atendimento à legislação brasileira. Esse método permite que
os custos envolvidos. (STICKNEY, 2001, p.339). Desta forma, as empresas realizem um controle permanente de seus estoques, e
surge a dúvida sobre qual preço unitário deve ser atribuído a tais que a cada aquisição, o seu preço médio dos produtos seja atuali-
estoques na data do balanço. Favaro et al. (1997, p.219), destaca zado, pelo método do custo médio ponderado.
que: “o importante é que de acordo com os princípios contábeis Geralmente as empresas que não possuem uma boa política de
(do custo original como base de valor), deve se trabalhar com os estocagem e vivem um dilema: quanto a empresa deve estocar para
valores de aquisição (entradas) das mercadorias, o que pode variar que seus interesses e os dos seus clientes sejam atendidos de forma
é o critério adotado para sua valoração”. Considerando esse pon- satisfatória? A esse respeito, o Planejamento é um dos principais
to de vista são varias as possibilidades de atribuição desse valor. instrumentos para o estabelecimento de uma política de estocagem
Qualquer um dos métodos de valoração dos estoques, quando uti- eficiente. Pois, o departamento de vendas deseja um estoque eleva-
lizados nas mesmas condições de quantidades e preços, manterá a do para atender melhor o cliente e a área de produção prefere tam-
situação real das empresas nas mesmas igualdades, com a mesma bém trabalhar com uma maior margem de segurança de estoque.
Em contrapartida, o departamento financeiro quer estoques
quantidade de estoque, porém segundo Favaro et al. (1997, p.253),
reduzidos para diminuir o capital investido e melhorar seu fluxo
os resultados são influenciados pelos diferentes critérios de valo- de caixa. Segundo Erasmo (2006), planejar esta atividade é fun-
ração de seus estoques, que provocam diferença no custo das mer- damental, porque de um bom planejamento virão, por exemplo,
cadorias vendidas interferindo assim na obtenção do lucro bruto na uma menor necessidade de capital de giro e uma margem de lucro
Demonstração de Resultado do Exercício. Isso quer dizer que os maior”. Por esse motivo, os empresários devem estar atentos aos
resultados obtidos são diferentes, em consequência dos critérios de objetivos da empresa para definir as quantidades corretas de cada
atribuição de custos utilizados, embora todos tenham como base o mercadoria que deve estar no estoque em um determinado período
mesmo custo de aquisição. de tempo, para que a empresa não sofra nenhum prejuízo.

Didatismo e Conhecimento 28
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
E, já que o alto custo do dinheiro não permite imobilizar gran- Durante muito tempo esse departamento era o responsável
des quantias em estoque e que manter uma empresa com uma boa por toda a parte burocrática dos funcionários, como a admissão e
variedade de produtos exige uma imobilização elevada de capital demissão de funcionários, cálculo de salários e também pelo as-
de giro, ele deve saber exatamente o equilíbrio entre a quantidade pecto comportamental, como relações interpessoais, treinamento
de compras suficiente para um determinado período de vendas e a de equipes, entre outras.
variedade de artigos para que os clientes tenham opção de escolha. No entanto, a rotina administrativa de um Departamento Pes-
Para que isso aconteça, é importante que o empresário levante pe- soal vai muito além disso. Seu trabalho está diretamente ligado a
riodicamente a média mensal de compras para compará-las com as questões legais e tributárias, que requerem atenção redobrada. Do
vendas e, com isso, saber se o investimento em mercadorias está contrário, a empresa pode ficar em apuros.
tendo o retorno desejado. Dentre as principais atividades executadas por esses profis-
O ato de comprar deve ser sempre precedido de um bom pla- sionais temos:
nejamento. A compra de mercadorias envolve a colocação do pe-
dido, o recebimento e a inspeção das mercadorias encomendadas Recrutamento
e o registro da compra. Rigorosamente, o comprador de uma mer- O trabalho do Departamento Pessoal começa por aqui. Quan-
cadoria somente deveria registrar a compra quando a propriedade do há a abertura de uma vaga e, consequentemente, a necessidade
legal da mercadoria adquirida passasse do vendedor para o com- de contratar novos profissionais, os funcionários desta área são
prador. Caracterizar quando isso acontece envolve tecnicalidades acionados.
legais associadas ao contrato entre as duas partes. E para que isso São eles os responsáveis por fazer o mapeamento de cargos
aconteça, é de grande importância a elaboração de uma previsão juntamente com o setor que necessita de mais pessoas, definindo o
de compras. Nas empresas comerciais, essa previsão é complicada, perfil exato para cada vaga e buscando formas de divulgá-la.
pois o numero de mercadorias comercializadas é muito grande. As
empresas preferem vender tanto quanto possível, com um numero Admissão
mínimo de capital empatado em estoque. Por isso, a previsão deve Selecionado o candidato, o departamento assume outra tare-
ser elaborada pelos diversos setores funcionais da empresa, obser- fa: a contratação. Para que ela seja possível, é preciso que sejam
vando-se as características e peculiaridades do mercado fornece- recolhidos todos os documentos necessários do novo funcionário.
dor e do comportamento das vendas (STICKNEY, 2001). É nesta etapa, também, que são feitos os registros dos benefí-
É aconselhável que sejam feitas previsões individuais para cios do colaborador, tais como plano de saúde, vale-alimentação e
cada setor ou departamento e reuni-las posteriormente em uma só, vale-transporte.
facilitando o planejamento das compras. Depois de preparada a
previsão de compras, esta deve ser ajustada ás condições finan- Treinamento, acompanhamento e supervisão
ceiras da empresa. Isso deve ser feito em reunião com os encarre- Passada a fase inicial, é hora de o profissional do departamen-
gados de compras, os encarregados de vendas e os encarregados to fazer a integração do novo colaborador com a equipe, além de
pelo controle financeiro para que se encontre um equilíbrio entre apresentar sua função. Para isso, ele deve passar por treinamentos,
os setores. sendo acompanhado e supervisionado de perto.
A empresa que não faz a previsão de compras encontra difi- No entanto, não são apenas os novatos que requerem atenção
culdades para manter seus estoques de forma equilibrada. Acabam da equipe de recursos humanos. Para que a empresa tenha me-
comprando mercadorias de acordo com as necessidades surgidas lhores resultados, é preciso que todos os funcionários passem por
correndo o risco de não ter produtos em épocas que o volume de treinamentos e acompanhamentos constantes.
vendas cresce. Perdendo dessa forma, oportunidade de aumentar
suas vendas, perdendo clientes e, consequentemente, diminuído o Compensação de pessoal
lucro da empresa. E não tendo a previsão correta de compras, ele Rotina de extrema importância no departamento pessoal, ela
pode comprar um volume inadequado de mercadorias aumentando nada mais é que o controle de frequência dos profissionais da em-
o custo de manutenção dos estoques. Para Stickney (2001, p.362): presa. Sim, essa função também faz parte da rotina administrativa
“Manter estoques – ou como também se diz, carregar estoques - do setor.
gera custos”. Isso ocorre, porque quanto maior a quantidade de São eles os responsáveis, também, por calcular os salários,
mercadorias estocadas, maior será o espaço físico necessário para impostos, dissídios, benefícios e outros adicionais. Por isso a im-
guardá-las, maior o número de funcionários necessários e maiores portância de sempre estar atualizado com relação à legislação e às
os gastos para controle do estoque. Além disso, o mesmo autor leis trabalhistas.
destaca que pelo menos uma pequena quantidade de mercadorias
precisa ser mantida em estoque para satisfazer às necessidades dos Desligamento
clientes à medida que elas apareçam. Além de serem responsáveis por quem entra na empresa, esses
profissionais também cuidam de quem sai. Quando há algum desli-
Rotinas de pessoal gamento, seja uma demissão por justa causa ou um acordo entre as
O Departamento Pessoal é um dos departamentos respon- partes, é responsabilidade deste setor colocar em prática os pontos
sáveis pela eficácia da gestão de uma organização, afinal, são os estabelecidos por lei.
profissionais desse departamento que se responsabilizam pela ma- Por isso, o Departamento Pessoal se encarrega de calcular va-
nutenção do quadro de colaboradores, gerindo as informações e lores, estabelecer o aviso prévio, fazer o termo de rescisão, escre-
desenvolvendo as rotinas referentes a administração desses pro- ver a guia de seguro-desemprego e acompanhar o profissional que
fissionais. está se desligando da empresa.

Didatismo e Conhecimento 29
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
No entanto, apesar de esse departamento ser o responsável por Esta função pode ser dividida em quatro categorias:
representar a empresa perante o colaborador, os vários órgãos da Obter mercadorias e serviços na quantidade e com qualidade
Justiça do Trabalho e os sindicatos, não confunda sua função. Ele necessárias.
não efetua pagamentos, mas prepara as documentações necessá- Obter mercadorias e serviços ao menos custo.
rias para que o departamento financeiro possa efetuá-los. Garantir o melhor serviço possível e pronta entrega por parte
Vale lembrar que, com o surgimento do conceito Gestão de do fornecedor
Pessoas, as tarefas se dividiram, compete às Rotinas de Pessoal a
Desenvolver e manter boas relações com fornecedores.
parte burocrática, enquanto que os aspectos comportamentais fi-
Para alcançar tais objetivos, devem ser desempenhadas certas
cam a cargo dos responsáveis pela área de Gestão de Pessoas, que
atua em parceria com o D.P, alinhando as necessidades da organi- funções básicas:
zação como um todo, harmonizando direitos e deveres, de forma Tempo e lugar (especificações de compra).
que todos trabalhem mais felizes e, no final, o resultado para a Fonte certa (fornecedores).
empresa se apresente em forma de lucro e para o funcionário em Negociar condições de compra.
valorização. Administrar pedido de compra.
Fontes (CARVALHO, Irene Mello. Introdução à Psicologia Diante ao exposto, tais argumentos servirão para dar continui-
das Relações Humanas; CHIAVENATO, Idalberto. Administração dade ao ciclo produtivo, tendo em vista que dentro desta pasta, os
de empresas / Heidy Ruth de Oliveira - Brasil da Caliper Estraté- critérios adotados deverão ser de suma importância para a admi-
gias Humanas / VIEIRA, Sebastiana Batista. Técnicas de Arquivo nistração em si na busca de aumento de lucros dentro menor custo
e Controle de Documento/SCHELLEMBERG, T.R. Arquivos Mo- possível.
dernos: Princípios e Técnicas / DUBRIN, Andrew J.. Princípios
da Administração. Tradução Roberto Minadeo/ NASSAR, Paulo. CICLO DE COMPRAS
Obtendo resultados com Relações Públicas / Expedição de corres-
São todas as partes que se fazem necessárias para dar anda-
pondência: por Tânia Leão e Tânia Carneiro (tecnicasecretariado.
wikispaces.com)/www.uol.com.br / http://katyabarros.blogspot. mento ao processo de aquisição de materiais, sejam eles para com-
com.br/ www.casadaconsultoria.com.br – por Andrea Alexandre pras de recursos materiais, quanto recursos patrimoniais.
dos Santos/ Karl Albrecht/Pires e Grisson/ Lelia K. Siqueira/Ch- Este ciclo pode ser melhor observado conforme o diagrama
ristian Barbosa/Eliana Maria Leger/Carlos Henrique Silveira/Ro- abaixo:
simeire de Oliveira Silvério Garrett/ GONÇALVES, Janice. Como
classificar e ordenar documentos de arquivo/Câmara Técnica de ESPECIFICAÇÕES DA COMPRA
Documentos Eletrônicos-CONARQ/ http://www.ambito-juridico. Muitas dúvidas pairam na hora de efetuar uma compra, embo-
com.br- Luisa Helena Cardoso Chaves/Nícolas Müller/Prof. Galba ra pareça, não é uma tarefa muito fácil. A decisão de comprar deve
Ribeiro Di Mambro//Valéria Lins ser considerada de que forma o produto será utilizado, com que
frequência e quanto estará disposto a pagar.
Rotinas de compras Na compra de um item ou serviço de um fornecedor, vários
Compras na Administração Pública fatores estão incluídos, devem ser considerados quando as especi-
A gestão de compras assume papel verdadeiramente estraté-
ficações estão sendo desenvolvidas, podem ser divididos em três
gico nos negócios de hoje em face do volume de recursos, princi-
palmente financeiros, quebra-se então uma visão preconceituosa categorias:
de que era uma atividade burocrática e repetitiva, um centro de Exigências de quantidade.
despesas e não um centro de lucros. Exigências de preço.
A função é muito mais ampla e, se realizada com eficiência, Exigências funcionais.
envolve todos os departamentos da empresa. Obter o material cer-
to, nas quantidades certas, com a entrega correta (tempo e lugar), EXIGÊNCIAS DE QUANTIDADE
da fonte correta e no preço certo são todas as funções de compras. A demanda de mercado é quem vai determinar a quantidade
O departamento de compras tem a responsabilidade principal necessária a ser adquirida, sendo que influenciará o modo como o
de localizar fontes adequadas de suprimentos e de negociar preços. produto será utilizado. A quantidade adquirida terá influência di-
O insumo vindo de outros departamentos é necessário para a busca reta no custo da produção do bem, se em pequena escala ocorrerá
e a avaliação das fontes de suprimento, auxiliando também o de- um preço mínimo, se em grande escala, deverá ser projetado para
partamento de compras na negociação dos preços. Comprar, nesse tirar proveito das economias de escala, satisfazendo assim às ne-
sentido amplo, é responsabilidade de todos.
cessidades funcionais a um preço melhor.
Segundo Arnold “essa função é responsável pelo estabeleci-
mento do fluxo dos materiais na firma, pelo segmento junto ao
fornecedor, e pela agilização da entrega.”. EXIGÊNCIAS DE PREÇO
A função compras é vista hoje como uma parte do processo Representa o valor econômico em que o comprador atribui ao
de logística das empresas, ou seja, parte integrante da cadeia de item, quanto se está disposto a pagar, o qual tem relevância com
suprimentos (suplly chain). a demanda de mercado. Na situação de um item ser vendido a um
Sua influência é de caráter direto nos processos produtivos em preço baixo, o fabricante não esta disposto a pagar um preço muito
uma empresa, os prazos devem ser cumpridos de maneira rígida pelo item.
tanto na entrada como na saída de insumos, pois poderão gerar Segundo Arnold (1999, p 212) “O valor econômico atribuído
sérios problemas dentro do ciclo, em especial nos departamentos ao item deve relacionar-se com a utilização do item e com seu
de produção e vendas. preço antecipado de venda.”

Didatismo e Conhecimento 30
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
EXIGÊNCIAS FUNCIONAIS
Relacionam-se com a forma final utilizada do item e seu desempenho esperado, é a exigência mais importante, pois governa todas as
categorias. Embora sejam mais difíceis de serem definidas, seu sucesso depende da forma em que satisfazer a necessidade real do item,
sendo esta necessidade tendo seus aspectos estéticos e práticos (como serão utilizados, ocasiões em que será utilizado, cor, estilo, etc.).
Funcionabilidade e qualidade
As características funcionais de um item estão intimamente ligadas a qualidade do produto, a qual gira em torno da satisfação das ne-
cessidades do usuário.
Para alcançar a tão almeja qualidade, o planejamento é o principal fundamento para se obter os resultados esperados, para isto utiliza-se
o projeto do produto, a forma de produção e a utilização do produto. Estudos mercadológicos contribuem para delimitar, o desempenho, a
aparência, o preço e o volume de vendas esperado.
A funcionabilidade do produto esta ligada ao desempenho do produto junto ao consumidor final, o qual ditará o tipo de qualidade.

SELEÇÃO DE FORNECEDORES
A busca para produzir um produto de melhor qualidade e que esteja apto a concorrer no mercado, faz-se necessário ter bons fornecedo-
res, que atendam a necessidade da empresa seja em qualidade da matéria oferecida, bem como prazo de entrega satisfatório e preço acessível.
O departamento de compras tem a função primordial de aferir junto ao mercado de fornecimento de materiais, quais são as melhores
opções, para tal, são utilizados critérios que exerçam reflexo direto na produção (baixo custo e qualidade). Assim, o responsável, ou respon-
sáveis, pela pasta compra, podem utilizar de fontes que melhor se adaptam ao produto que se deseja produzir.
Tais fontes podem ser chamadas de: única, múltipla e simples.
Fonte única - fornecedor que atenda de forma exclusiva devido ao tipo de produto patenteado, especificações técnicas, matéria-prima,
localização.
Fonte múltipla – são utilizados mais de um fornecedor, este tipo de fonte oferece concorrência que ocasionam preços mais acessíveis
ou melhores serviços.
Fonte simples – esta é uma decisão mais elaborada, sendo planejada pela organização com o intuito de selecionar um fornecedor para
um item quanto existem vários fornecedores, ou seja, visa a criação de uma parceria à longo prazo.

ESCOLHA DE FORNECEDORES
Levando em consideração de que o departamento de compras busca em sua função preço e qualidade junto aos seus fornecedores, os
mesmo devem atender a especificações técnicas que dêem suporte ao que a empresa almeja para confeccionar seus produtos.
Quando da realização de uma possível compra, deve se levar em consideração se o seu fornecedor tem uma estrutura adequada para
atender a solicitação, para isto a habilidade técnica para produzir ou fornecer a matéria-prima ou item deve ser questionada.
A capacidade de produção e confiabilidade com relação aos produtos que sejam necessários deve ser cuidadosamente vistos pelo
comprador, pois a produção do fornecedor deve satisfazer as especificações do produto, com baixo índice de defeitos e com controle de
qualidade e quantidade exigidas, sendo assim desta forma cria-se um vínculo de confiabilidade, cita-se ainda a escolha quando se escolhe
um fornecedor, o mesmo deve ser reputado e sólido monetariamente, isto para que o fornecimento seja devidamente garantido dentro dos
prazos firmados.
Outras características que devem ser lavadas em consideração são os serviços pôs-venda (sistema de suporte), a localização do for-
necedor (preferencialmente próximo do comprador), sempre levar em consideração a redução de tempo de entrega a fim de evitar falta de
matéria-prima ou itens.
Podemos citar um exemplo que reflete todas as especificações que foram citadas para este grande e complexo sistema, que seriam as
grandes montadoras de veículos automotores, seus fornecedores em sua grande maioria circundam ou estão a uma distância relativamente
pequena da área de produção.

IDENTIFICAÇÃO E SELEÇÃO DO(S) FORNECEDOR (ES)


Inicialmente para efetuar a seleção de seus fornecedores, o departamento de compras deve identificar através de catálogos, revistas es-
pecializadas, lista telefônica especializada ou até mesmo de informação obtida junto ao pessoal de vendas, quais fornecedores se enquadram
no perfil do produto a ser produzido. Para tal recomenda-se a utilização de um método de classificação e exclusão de possíveis fornecedores.
Nesta ferramenta de classificação, são atribuídos pontos de peso para cada característica que devam fazer parte do controle de compras,
conforme a tabela abaixo.
Fator Peso Pontuação de Fornecedor Classificação de fornecedor
Fornecedores A B C D A B C D
Função 10 8 10 6 6 80 100 60 60
Custo 8 3 5 9 10 24 40 72 80
Serviço 8 9 4 5 7 72 32 40 56
Assistência Técnica 5 7 9 4 2 35 45 20 10
Termos de Crédito 2 4 3 6 8 8 6 12 16
Total (classificação dos fornecedores) 219 223 204 222

Didatismo e Conhecimento 31
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
O método de classificação é uma tentativa de quantificar coisas Não é somente com seus próprios meios, ou por intermédio de
que não podem ser quantificadas naturalmente. Ele procura aplicar suas entidades ou órgãos, que a Administração Pública, gestora dos
valores com base em julgamento subjetivo. Ele não é um método per- interesses da coletividade, realiza as suas atividades. Usualmente ne-
feito, mas leva a empresa compradora a considerar a importância de cessita contratar terceiros, e o faz, seja para aquisição, execução de ser-
vários fatores. viços, locação de bens, seja para a concessão e permissão de serviços
Diante do exposto, a identificação e seleção de fornecedores, de- públicos, entre outros.
vem ser apreciadas de forma a ficar o mais próximo possível de um A licitação por sua vez, possui como objeto a seleção da proposta
grau de confiabilidade, onde possa satisfazer a necessidade da em- mais vantajosa para a Administração Pública.
presa, para tal, os métodos acima descritos, são apenas uma peque- A escolha dos que serão contratados pela Administração Pública
na parcela, de como deve se proceder nesta seleção, outros métodos não pode decorrer de critérios pessoais do administrador ou de ajustes
desenvolvidos pela empresa ou adaptados a ela poderão ser usados, entre interessados. A escolha dos que serão contratados decorrerá do
desde que sejam confiáveis. procedimento denominado licitação, de obrigatoriedade imposta por
regra constitucional, à luz do art. 37, inciso XXI:
CONTROLE DE COMPRAS E ESTOQUE XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as obras,
O gerenciamento das informações é o instrumento eficiente e efi- serviços, compras e alienações serão contratados mediante processo de
caz que fundamenta o processo decisivo da empresa. Sem controles e, licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os con-
consequentemente, sem informações gerenciais, torna-se impraticá- correntes, com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento,
vel decidir acertadamente e, no tempo necessário. A administração de mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos da lei, o qual
estoques tem o objetivo de permitir que a empresa consiga produzir e somente permitirá as exigências de qualificação técnica e econômica
comercializar seus produtos de forma eficiente e com a menor utiliza- indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações. (Regula-
ção do capital de giro. mento)
O planejamento de estoques é uma atividade de importância fun- A obrigatoriedade de licitar alcança a Administração Pública di-
damental e deverá ser integrado tanto com produção como também reta e indireta, inclusive as entidades empresariais (art. 173, § 1.º, inc.
com as vendas, de modo a otimizar os volumes os das compras. Para III, da CF). As empresas públicas e as sociedades de economia mista,
tal devem ser seguidos alguns requisitos imprescindíveis para esta ati- como dita aquela regra constitucional, podem possuir estatuto próprio,
vidade: mas, para que possam contratar, também devem promover o certame
Mantenha constantemente atualizado o custo de cada produto; licitatório.
Determine o período de compra e o tamanho de lote de cada pro-
duto para cada fornecedor. Isto irá otimizar o planejamento dos esto- Art. 173. Ressalvados os casos previstos nesta Constituição, a ex-
ques e, consequentemente, as compras; ploração direta de atividade econômica pelo Estado só será permitida
Estabeleça políticas de cobertura (estoque de segurança, mínimo quando necessária aos imperativos da segurança nacional ou a relevan-
e máximo) para cada produto, dependendo do fator mais crítico para te interesse coletivo, conforme definidos em lei.
cada item; § 1º A lei estabelecerá o estatuto jurídico da empresa pública, da
Mantenha os controles para reduzir estoques ultrapassados/arcai- sociedade de economia mista e de suas subsidiárias que explorem ati-
cos; vidade econômica de produção ou comercialização de bens ou de pres-
Efetue o planejamento constante das necessidades de estoques tação de serviços, dispondo sobre:
baseadas em previsões de vendas. A integração dos estoques com as III - licitação e contratação de obras, serviços, compras e aliena-
finanças permite uma melhor gestão do fluxo de caixa; ções, observados os princípios da administração pública;
Mantenha controle permanente sobre a disponibilidade do esto- O Poder Público não pode ter a liberdade que possuem os par-
que para suprir as faltas rapidamente; ticulares para contratar. Ele deve sempre se nortear por dois valores
Determine o custo de falta de cada produto e compare com o seu distintos:
custo de estocagem; Isonomia: O administrador público deve tratar igualmente os ad-
Fique alerta para evitar estoques dormentes; ministrados;
Mantenha controle rigoroso do estoque físico com os lançamen- Probidade: O Poder Público deve sempre escolher a melhor alter-
tos diários; nativa para os interesses públicos.
Realize inventários físicos periódicos para conferi-lo com os da- Rotinas administrativas e de escritório.
dos do controle de estoques; Quando falamos em rotinas administrativas e de escritório, esta-
Mantenha os estoques em local estratégico; mos nos referindo às funções realizadas dentro da empresa que fun-
Mantenha os itens fisicamente ordenados em prateleiras e devi- cionam como suporte para a gestão, sendo que esta ultima envolve a
damente classificados e identificados por etiquetas; função comercial, a função técnica, financeira e pessoal.
Evite almoxarifados abertos; Portanto, ao abordar essa função, é necessário distinguir atividades
Mantenha separação física entre a recepção e o almoxarifado; administrativas das atividades gerenciais, pois as atividades gerenciais
Estabeleça uma codificação dos materiais para maior facilidade constitui um processo que originará as atividades administrativas, ou
de consulta; seja, é para apoio gerencial que existem as atividades administrativas.
Mantenha sistemas de informações integrados para acesso e con- Entre elas podemos citar:
sulta imediata da quantidade disponível de cada material em estoque. Controlar a entrega e a saída de materiais;
Licitações e Contratos Controlar assiduidade dos funcionários;
A licitação está prevista na lei 8.666/93 que regulamenta o art. 37, Inteirar dos serviços dos departamentos da empresa visando
inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações orientar e facilitar a função de dados, documentos e outras solicita-
e contratos da Administração Pública. ções dos superiores;

Didatismo e Conhecimento 32
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Atuar como responsável fiscalizador pela manutenção da or- previamente, convoca interessados na apresentação de propostas, a
dem nos ambientes; fim de selecionar a que se revele mais conveniente em função de
Operar equipamentos diversos, tais como: e-mail, fax, compu- parâmetros antecipadamente estabelecidos e divulgados. Esta exi-
tadores, reprodutoras de cópias, projetor multimídia; gência encontra fundamento na Constituição Federal, no seu artigo
Realizar e atender chamadas telefônicas; 37 inciso XXI.
Emitir notas fiscais e recibos Este procedimento visa garantir duplo objetivo:
Auxiliar no pagamento dos funcionários; De um, lado proporcionar às entidades governamentais possibi-
Realizar depósitos dos salários lidade de realizarem o negócio mais vantajoso;
A organização é muito importante nos serviços de apoio admi- De outro, assegurar aos administrados ensejo de disputarem
nistrativo, por isso, atentemos para os procedimentos executados pelo entre si a participação nos negócios que as pessoas administrativas
profissional de apoio administrativo para uma melhor estruturação das entendam de realizar com os particulares.
atividades que pretende realizar. A palavra organização tem um sen- a) Quem Está Obrigado A Licitar
tido de preparação, de planejamento de uma atividade de acordo com União, Estados, Municípios, Distrito Federal, Territórios e au-
um método de trabalho. Mas organização também significa, a forma tarquias estão obrigados a licitar, em obediência às pertinentes leis
como os dados e documentos são arrumados, guardados, dispostos. E de licitação, o que é ponto incontroverso. O problema que se põe é
isso é muito importante para que eles não se percam, podendo ser re- saber se as sociedades de economia mista e empresas públicas tam-
cuperados rapidamente sempre que forem necessários. Como se pode bém se sujeitam ao dever de licitar.
constatar, organização é uma espécie de ferramenta utilizada para rea- b) Inexigibilidade De Licitação
lizar as tarefas desejadas e alcançar os objetivos estabelecidos. E a A obrigatoriedade somente não se aplica em determinados ca-
relação entre organização e ferramenta é muito forte. A organização é sos descritos a seguir conforme decreto-lei Nº 200 de 25 de fevereiro
necessária em qualquer uma de nossas atividades, tanto em casa como de 1967:
no trabalho. Não é de estranhar, portanto, que as empresas, desde as
suas origens, tenham procurado organizar, arrumar, colocar os dados Art. 126. As compras, obras e serviços efetuar-se-ão com estrita
e as informações nos devidos lugares. observância do princípio da licitação.
Rotina administrativa é formada por vários processos que acon- § 1.0. A licitação só será dispensada nos casos previstos nesta
tecem de forma sistemática e que requerem conhecimento técnico, lei.
científico e domínio de tecnologias. § 2.0. É dispensável a licitação:
Conhecimento técnico - é o conhecimento adquirido sobre de- Nos casos de guerra, grave perturbação da ordem ou calamida-
terminada coisa, bem específica. Esse conhecimento geralmente não de pública;
é adquirido em nenhuma instituição, apenas se tem com os anos de Quando sua realização comprometer a segurança nacional, a
experiência. juízo do Presidente da República;
Conhecimento científico - conhecimento adquirido academica- Quando não acudirem interessados à licitação anterior, manti-
mente ou através do que se estudou na escola, cursos etc. das, neste caso, as condições preestabelecidas;
Domínio de tecnologias – está relacionado ao uso de computado- Na aquisição de materiais, equipamentos ou gêneros que só
res, tablets, celulares, smartphones, internet etc. podem ser fornecidos por produtor, empresa ou representante co-
Uma técnica administrativa bastante usada é a construção de or- mercial exclusivos, bem como na contratação de serviços com pro-
ganogramas, que identificam os departamentos da empresa e os níveis fissionais ou firmas de notória especialização;
de hierarquia. Na aquisição de obras de arte e objetos históricos;
Hierarquia é uma ordem baseada na divisão em níveis de poder Quando a operação envolver concessionário de serviço público
ou importância, de forma que um nível inferior é sempre subordinado ou, exclusivamente, pessoas de direito público interno ou entidades
a um nível superior. sujeitas ao seu controle majoritário;
A qualidade nos processos administrativos requer métodos, téc- Na aquisição ou arrendamento de imóveis destinados ao Ser-
nicas, normas e até inovações. viço Público;
Os métodos são utilizados para que as ações nos processos sejam Nos casos de emergência, caracterizada a urgência de atendi-
realizadas e atinjam os objetivos propostos. mento de situação que possa ocasionar prejuízos ou comprometer a
Já os objetivos nos processos deve ser sempre o valor agregado e segurança de pessoas, obras, bens ou equipamentos;
por isso, exige-se qualidade total em todos os processos, para isso faz- Nas compras ou execução de obras e serviços de pequeno vulto,
se necessário a implantação de metodologias e ferramentas da quali- entendidos como tal os que envolverem importância inferior a cinco
dade para que as organizações atinjam objetivos, conquiste o cliente e vezes, no caso de compras e serviços, e a cinquenta vezes, no caso
se torne competitiva mesmo em longo prazo. de obras, o valor do maior salário mínimo mensal.
Para isso, temos algumas ferramentas da qualidade que são de c) Princípios De Licitação
simples aplicação, mas rendem até uma certificação ISO, se forem A Lei Nº.8-666, de 21 de junho de 1993, dispõe no artigo 3º que
implantadas com sucesso. as licitações serão processadas e julgadas na conformidade com os
Cadastro e licitações. seguintes princípios: da legalidade, da impessoalidade, da morali-
LICITAÇÕES dade, da igualdade, da publicidade, da probidade administrativa, da
Para o setor público o instrumento utilizado para compras é a vinculação ao instrumento convocatório, do julgamento objetivo e
licitação, como forma de dar transparência à compra pública. dos que lhe são correlatos.
Licitação é o procedimento administrativo pelo qual uma pes- Além dos princípios arrolados na Lei 8.666/93, Hely Lopes
soa governamental pretendendo alienar, adquirir ou locar bens, Meirelles acrescenta outros como sigilo na apresentação das pro-
realizar obras ou serviços, segundo condições por ela estipuladas postas: adjudicação compulsória e procedimento formal.

Didatismo e Conhecimento 33
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
d) Modalidades Da Licitação Para Compras e outros Serviços: até o valor de 10% do limite
Cinco são as modalidades de licitação previstas na lei - art. 22 previsto no caso da modalidade convite (R$ 8.000,00), desde que
(O § 8’ veda a criação de outras modalidades licitatórias ou sua com- não se refiram a parcelas de um mesmo serviço ou compra de maior
binação): vulto que possa ser realizada de uma só vez.
Concorrência - é a modalidade de licitação própria para contra-
tos de grande valor, em que se admite a participação de quaisquer h) Prazos Para Publicação Do Edital
interessados, cadastrados ou não, que satisfaçam as condições do edi- O prazo mínimo que deverá mediar entre a última publicação
tal, convocados com a antecedência mínima prevista na lei, com ampla do edital resumido ou da expedição do convite e o recebimento das
publicidade pelo órgão oficial e pela imprensa particular; propostas será:
Tomada de preços - é a licitação realizada entre interessados pre- De quarenta e cinco dias para:
viamente registrados, observada a necessária habilitação, convocados - Concurso;
com a antecedência mínima prevista na lei, por aviso publicado na im- - Concorrência: do tipo “melhor técnica” ou “técnica e preço”,
prensa oficial e em jornal particular, contendo as informações essenciais
ou execução por empreitada integral;
da licitação e o local onde pode ser obtido o edital. A nova lei aproximou
De trinta dias para:
a tomada de preços da concorrência, exigindo a publicação do aviso e
- Concorrência, nos casos não especificados acima;
permitindo o cadastramento até o terceiro dia anterior à data do recebi-
- Tomada de preços, quando a licitação for do tipo “melhor téc-
mento das propostas;
Convite - é a modalidade de licitação mais simples, destinada às nica” ou “técnica e preço”;
contratações de pequeno valor, consistindo na solicitação escrita a pelo De quinze dias para:
menos três interessados do ramo, registrados ou não, para que apresen- - Tomada de preços, nos casos não especificados acima;
tem suas propostas no prazo mínimo de cinco dias úteis. O convite não - Leilão;
exige publicação, porque é feito diretamente aos escolhidos pela Admi- De cinco dias úteis para:
nistração através de carta-convite. - Convite.
A lei nova, porém, determina que cópia do instrumento convoca- i) Procedimento Da Licitação
tório seja afixada em local apropriado, estendendo-se automaticamente Apesar dos atos que compõem o procedimento terem, cada
aos demais cadastrados da mesma categoria, desde que manifestem seu um, finalidade específica, eles têm um objetivo comum: a seleção
interesse até vinte e quatro horas antes da apresentação das propostas; da melhor proposta. Este ato derradeiro do procedimento é um ato
Concurso - é a modalidade de licitação destinada à escolha de tra- unilateral que se inclui dentro do próprio certame, diferentemente do
balho técnico ou artístico, predominantemente de criação intelectual. contrato, que é externo ao procedimento.
Normalmente, há atribuição de prêmio aos classificados, mas a lei ad- “O procedimento da licitação será iniciado com a abertura de
mite também a oferta de remuneração; processo administrativo, devidamente autuado, protocolado e nume-
Leilão - é espécie de licitação utilizável na venda de bens móveis e rado, contendo a autorização respectiva, a indicação sucinta de seu
semoventes e, em casos especiais, também de imóveis. objeto e do recurso próprio para a despesa, e ao qual serão juntados
e) Publicação Dos Editais oportunamente.”
Os editais de concorrência, tomada de preços, concurso e leilão Da Requisição de Compra deverá constar obrigatoriamente:
deverão ser publicados com antecedência, no mínimo, por uma vez no Justificativa do pedido, endossada pelo titular do órgão;
Diário Oficial da União, no Diário Oficial do Estado, ou em jornal de Especificação adequada do produto a ser adquirido;
grande circulação no Estado e também, se houver, em jornal de circula- Indicação do recurso próprio a ser onerado, devidamente con-
ção no Município, dependendo da estância da licitação. firmado pela Seção de Contabilidade da unidade requisitante;
f) Limites Das Licitações Atendimento ao princípio de padronização, sempre que possí-
O artigo 23 define 3 modalidades de Licitação em função dos tipos
vel for;
de serviços solicitados, tendo em vista o valor estimado da contrata-
Indicação dos fatores a serem considerados e expressamente
ção. Estes limites foram recentemente alterados pelo Decreto n. 9.618,
declarados no Edital, para fins de julgamento das propostas.
publicado no Diário Oficial da União em 28/05/98 com os seguintes
Segundo Hely Lopes Meirelles, esta é a fase interna da licitação
valores:
Para Obras e Serviços de Engenharia: à qual se segue a fase externa, que se desenvolve através dos seguin-
Convite: valores de até R$ 150.000,00 tes atos, nesta ordem:
Tomada de Preços: valores de R$ 150.000,00 a R$ 1.500.000,00; 1. Edital ou convite de convocação dos interessados;
Concorrência: valores acima de R$ 1.500.000,00. 2. Recebimento da documentação e propostas;
Para Compras e Serviços não referidos no tópico anterior: 3. Habilitação dos licitantes;
Convite: valores de até R$ 80.000,00 4. Julgamento das propostas (classificação)
Tomada de Preços: valores de R$ 80.000,00 a R$ 650.000,00; 5. Adjudicação e homologação.
Concorrência. : valores acima de R$ 650.000,00. A modalidade em que todas as fases da licitação se encontram
g) Dispensa de Licitação claramente definidas é a concorrência.
O Artigo 24 define que a Licitação é dispensável nos seguintes casos: 1 - Edital
Para obras e Serviços de Engenharia: até o valor de 10% do limite “É o instrumento pelo qual a Administração leva ao conheci-
previsto no caso da modalidade Convite (R$ 15.000,00), desde que mento público a abertura de concorrência, de tomada de preços, de
não se refiram a parcelas de uma mesma obra ou serviço ou ainda concurso e de leilão, fixa as condições de sua realização e convoca
para obras e serviços da mesma natureza e no mesmo local que pos- os interessados para a apresentação de suas propostas. Como lei in-
sam ser realizadas conjunta e concomitantemente; terna da licitação, vincula a Administração e os participantes.

Didatismo e Conhecimento 34
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Funções do edital Não se pode aceitar proposta que apresente preços unitários
Segundo a lição de Celso Antônio Bandeira de Mello, o edital: simbólicos, irrisórios ou de valor zero, ainda que o instrumento con-
Dá publicidade à licitação; vocatório não tenha estabelecido limites mínimos (v. § 3’ do art. 44
Identifica o objeto licitado e delimita o universo das propostas; da Lei 8.666/93).
Circunscreve o universo dos proponentes; j) Conclusão
Estabelece os critérios para análise e avaliação dos proponentes e O processo de compras públicas se assemelha em quase sua
das propostas; totalidade ao do sistema privado, sendo assim, todas as técnicas de
Regula atos e termos processuais do procedimento; compras devem ser observadas e sempre que possível aplicadas, se-
Fixa cláusulas do futuro contrato. guindo o que foi visto neste trabalho.
2 - Habilitação O fator diferencial para compras públicas é o uso do instrumento
A habilitação, por vezes denominada “qualificação”, é a fase do para a efetivação da compra:
procedimento em que se analisa a aptidão dos licitantes. Entende-se por a licitação, que consiste geralmente de um processo longo e ex-
aptidão a qualificação indispensável para que sua proposta possa ser ob- tremamente burocrático com grande quantidade de documentação.
jeto de consideração, sendo que o licitante pode ser habilitado ou não Sua utilização pode se r explicada pela preocupação de se garantir a
pelo órgão competente. ética no que se trata ao uso do dinheiro público.
Obs: Na modalidade de licitação chamada “convite” inexiste a fase A licitação visa evitar fraudes e vícios do sistema, por isso é um
de habilitação. Ela é presumida; é feita a priori pelo próprio órgão lici- processo rígido com pouca flexibilidade o que dificulta o desenvol-
tante que escolhe e convoca aqueles que julga capacitados a participar vimento de inovações.
do certame, admitindo, também, eventual interessado, não convidado, Estes fatores vêm a reforçar os argumentos para que geralmente
mas cadastrado. se compre em grandes quantidades (gerando aumento no custo final
3 - Classificação da mercadoria). Na verdade o que realmente deve-se fazer é tomar
“É o ato pelo qual as propostas admitidas são ordenadas em função a licitação como a restrição do sistema e, por este motivo, deve-se
das vantagens que oferecem, na conformidade dos critérios de avaliação concentrar esforços e subordinar as outras atividades à restrição para
estabelecidos no edital”. (Celso A. Bandeira de Mello) se otimizar ao máximo o processo, possibilitando a redução dos esto-
Após se confrontar as ofertas, classificam-se as propostas e escolhe- ques. Umas das atividades com enorme relevância neste sentido é a
se o vencedor , a partir das vantagens que oferecem, na conformidade de planejar rigorosamente a aquisição dos materiais para que o esto-
dos critérios de avaliação estabelecidos no edital a quem deverá ser adju- que dos mesmos não termine antes da adjudicação de um novo lote.
dicado o objeto da licitação.” Certamente este método não deve ser adotado pelas empresas
A classificação se divide em duas fases: privadas, pois já está garantido o controle do emprego do dinheiro
Na primeira, ocorre a abertura dos envelopes “proposta” entregues pelo dono do capital, gozando então do benefício de utilizar proces-
pelos participantes do certame. sos mais flexíveis e eficientes, proporcionando menores custos e me-
Os envelopes são abertos em ato público, previamente designado, lhores resultados à empresa.
do qual se lavrará ata circunstanciada; Administração Financeira
Na segunda, há o julgamento das propostas, que deve ser objetivo e Uma das principais funções da administração financeira é pro-
em conformidade com os tipos de licitação. porcionar o máximo de rentabilidade em relação ao investimento fei-
Critérios de classificação to em uma organização, ou seja, utilizando-se de ferramentas e dados
Existem quatro tipos básicos de licitação (4 critérios básicos para que permitam uma melhor gestão de recursos que, em grande parte
avaliação das propostas): das vezes, são escassos.
Licitação de menor preço - é a mais comum. O critério do menor Falar em administração financeira é falar de uma série de prin-
preço é , sem dúvida, o mais objetivo. É usual na contratação de obras cípios econômicos e financeiros que permitem maximizar valores
singelas, de serviços que dispensam especialização, na compra de mate- investidos, gerando riqueza que pode ser percebida pelo lucro obtido
riais ou gêneros padronizados; ou pelo patrimônio acumulado.
Licitação de melhor técnica - esse critério privilegia a qualidade do Trabalhar com conceitos como Perspectiva de longo prazo, Va-
bem, obra ou serviço propostos em função da necessidade administrativa lor do dinheiro no tempo, Retorno do capital próprio, Risco compa-
a ser preenchida. O que a Administração pretende é a obra, o serviço, o tível com o retorno, Política de dividendos são inerentes à função
material mais eficiente, ma is durável, mais adequado aos objetivos a do gestor financeiro, para isso, dois princípios básicos se tornam
serem atingidos; indispensáveis: o emprego das informações contábeis, onde através
Licitação de técnica e preço - neste tipo de licitação, combinam-se dessas é possível avaliar a real situação econômica da organização e
os dois fatores: técnica e preço. Esse critério pode consistir em que a a partir daí verificar e avaliar decisões anteriores que foram tomadas,
técnica e preço sejam avaliados separadamente, de modo a que, após permite também alterar o rumo quando constata-se algo que não se
selecionar as propostas que vierem a alcançar certo índice de qualidade enquadre ao que era desejado e para isso novas decisões precisam ser
ou de técnica, o preço será o fator de decisão. Pode-se, ainda atribuir tomadas e também analisar e desenvolver planos operacionais e de
pesos, ou seja, ponderação aos resultados da parte técnica e ponderação investimentos em relação aos objetivos apontados. O segundo prin-
ao preço, que serão considerados em conjunto; cipio é o conhecimento das áreas de decisões financeiras, que podem
Licitação de maior lance ou oferta - nos casos de alienação de bens ser decisões de investimento, decisões de financiamento e por ultimo,
ou concessão de direito real de uso (art. 45 § 1’ da Lei 8.666/93). decisões relativas à destinação do lucro.
As propostas que estiverem de acordo com o edital serão classifi- O gestor financeiro enfatiza o fluxo de caixa, de forma que al-
cadas na ordem de preferência, na escolha conforme o tipo de licitação. cance a solvência da organização, através de fluxo de caixa que supra
Aquelas que não se apresentarem em conformidade com o instrumen- as obrigações e ao mesmo tempo adquira ativos que permitam o
to convocatório serão desclassificadas. cumprimento dos objetivos, isso através do regime de caixa.

Didatismo e Conhecimento 35
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Quanto á estrutura organizacional mais indicada para o setor Certidão - modalidade de documento oficial emanado de auto-
financeiro, ressaltamos que não há uma modelo padrão, é necessário ridade pública fornecida ao interessado atestando fatos verificados
que cada organização busque a estrutura que melhor se encaixe em de acordo com registros em livros, processos ou documentos das re-
seu cenário, no entanto, alguns princípios de organização são impre- partições públicas.
terivelmente aplicáveis, independentemente do caso ou da estrutura Circular - modalidade de comunicação oficial multidirecional,
adotada, entre eles, uma linha objetiva, clara e transparente de au- ou seja, vários destinatários, escrita muitas vezes por ofício, carta ou
toridade e responsabilidades, permitindo uma autonomia de ação e memorando, sendo identificadas como ofício-circular, carta-circular
funcionamento. Via de regra, o setor financeiro atua em conjunto e ou memorando-circular.
em conformidade com funções consideradas mais importantes para Decreto - atos administrativos expedido por um dos três pode-
a organização, tais como, planejamento, orçamento, custos, tesou- res, competência exclusiva do Chefes do Executivo, Legislativo ou
raria, contabilidade, controle e avaliação, todavia, isso não elimina Judiciário, destinados a prover situações gerais ou individuais, abs-
a atenção a fatores como porte da organização, recursos que essa tratamente previstas, de modo expresso ou implícito na lei. Quando
dispõe, controles, cultura organizacional, enfim, temos aqui uma pelo Executivo, é assinado pelo Presidente da República, Governa-
estrutura complexa que requer o máximo de atenção e controle por dores dos Estados ou Prefeitos. Quando pelo Legislativo, está su-
parte dos gestores financeiros. jeito à promulgação do Presidente do Senado Federal na regulação
Outros dois conceitos muito importantes para destacarmos ao de matérias de competência exclusiva Congresso Nacional. Se pelo
falarmos de ADM financeira é a liquidez e a rentabilidade. Por liqui- Judiciário, pelos magistrados e juízes no caso das sentenças judiciais.
dez entendemos a capacidade da empresa em honrar seus compro- Decreto-Lei - norma administrativa com efeito de lei, expedido
missos, sejam eles de curto, médio ou longo prazo, dentro dos ven- pelo poder executivo quando o legislativo estiver com poder suspen-
cimentos previstos e ainda contar com uma reserva para possíveis so.
ocorrências eventuais. Não conseguir honrar esses compromissos Despachos - modalidade de comunicação oficial de autoridades
pode levar uma organização à sua derrocada, ou seja, a sua falência, sobre assuntos de competência, submetidos a sua apreciação em au-
por isso que manter a liquidez é de longe a maior preocupação do tos ou papéis administrativos.
gestor financeiro, pois é ela que permite a continuidade e a perma- Edital  - modalidade de documento de acesso público de ordem
nência da organização no mercado. oficial. Exemplo: edital de um concurso público contém todas as re-
Já a rentabilidade é o resultado positivo alcançado pela orga- gras e normativos do certame.
nização frente ao que nessa foi investido, ou seja, toda organização Exposição de Motivos - modalidade de comunicação oficial em
se orienta para obtenção de lucros, quanto maior for o êxito nessa que o Vice-Presidente da República, Ministros de Estados ou dirigen-
obtenção, maior a rentabilidade alcançada. Logo, quando falamos tes de órgãos se dirige ao Presidente da República, expondo fatos que
em rentabilidade, estamos falando em uma ferramenta que permite justifiquem necessidades de medidas ou providências para a solução
medir e avaliar os lucros da organização em relação ao seu nível de de problemas. Por exemplo, proposição de projeto de ato normativo,
vendas, ativos ou volume de capital investido pelos acionistas. medidas ou comunicação de determinado assunto.
Enfim, após esses conceitos podemos concluir que a liquidez Lei - norma ou conjunto de normas jurídicas, emanada pelas
está diretamente relacionada com todo o processo e atividades de autoridades competentes, com efeito de obrigatoriedade onde se cria,
caixa, ao ponto que a rentabilidade esta relacionada com a geração extingue ou modifica direito.
de lucros e seu direcionamento. Memorando - modalidade de comunicação oficial interna entre
unidades administrativas de um órgão. Possui agilidade em sua tra-
mitação e simplicidade em procedimentos burocráticos.
2) ATAS. 3) OFÍCIOS. 4) MEMORANDOS. 5) Mensagem - modalidade de comunicação oficial trocada entre
os Chefes dos Três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário).
CARTAS. 6) CERTIDÕES. 7) ATESTADOS. 8)
Notas - modalidade de comunicação oficial entre o Ministério
DECLARAÇÕES. 9) PROCURAÇÃO. 12) RE- das Relações Exteriores e as Representações Diplomáticas.
QUERIMENTO. 13) CIRCULARES. Ofício  - modalidade de comunicação oficial trocada entre au-
toridades.
Ordem de Serviço - modalidade de documento oficial autori-
zando a execução de algum serviço por órgãos públicos subordina-
Espécies de Documentos dos ou servidores dos mesmos.
Portaria - ato administrativo expedido por autoridade pública
Ata - modalidade de documento oficial em que um resumo é por meio do qual instruções são dadas para a execução de um serviço,
feito em um livro específico, sobre os fatos mais importantes ocorri- uma lei, regulamento, nomeação, demissão ou medida disciplinar.
dos em uma assembleia, reunião ou sessão. Regimento - conjunto de princípios ou normas que estabelecem
Atestado - modalidade de documento oficial em que uma pes- o funcionamento interno de um órgão público ou repartição.
soa atesta algo em favor de outra, firmado veracidade acerca de al- Regulamento - conjunto de normas ou regras estabelecidas de
gum fato. forma organizada para a execução de uma lei.
Aviso - modalidade de comunicação oficial expedida exclusi- Relatório  - modalidade de comunicação oficial contendo um
vamente por Ministros de Estados para autoridades da mesma hie- conjunto de informações expondo o desenvolvimento de algum ser-
rarquia. viço à autoridades superiores.
Carta - modalidade de comunicação oficial de órgãos públicos Requerimento  - modalidade de comunicação oficial em que
para outrem em situações não-cerimoniosas. Tem sido substituída solicitações ou pedidos são feitos a órgãos públicos ou autoridades
pelo Ofício. competentes.

Didatismo e Conhecimento 36
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Portaria Não se há de confundir, porém, a discricionariedade admi-
Definição e Objeto nistrativa, atinente ao exercício do poder regulamentar, com dele-
É o instrumento pelo qual Ministros ou outras autoridades ex- gação disfarçada de poder, Na discricionariedade, a lei estabelece
pedem instruções sobre a organização e funcionamento de serviço e previamente o direito ou dever, a obrigação ou a restrição, fixando
praticam outros atos de sua competência. os requisitos de seu surgimento e os elementos de identificação dos
Forma e Estrutura destinatários. Na delegação, ao revés, não se identificam, na norma
Tal como os atos legislativos, a portaria contém preâmbulo e regulamentada, o direito, a obrigação ou a limitação. Estes são esta-
corpo. São válidas, pois, as considerações expendidas no item 11.3. belecidos apenas no regulamento.
Forma e Estrutura.
Exemplo de Portaria: Decretos Autônomos
“Portaria no5 , de 7 de fevereiro de 2002. Com a Emenda Constitucional no 32, de 11 de setembro de
2001, introduziu-se no ordenamento pátrio ato normativo conhecido
Aprova o Regimento Interno do doutrinariamente como decreto autônomo, i. é., decreto que decorre
Conselho Nacional de Arquivos - diretamente da Constituição, possuindo efeitos análogos ao de uma
CONARQ. lei ordinária.
Tal espécie normativa, contudo, limita-se às hipóteses de or-
ganização e funcionamento da administração federal, quando não
O CHEFE DA CASA CIVIL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚ- implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos
BLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 9o do Decreto públicos,  e de extinção de funções ou cargos públicos, quando
no 4.073, de 3 de janeiro de 2002, vago (art. 84, VI, da Constituição).
RESOLVE: Forma e Estrutura
Art. 1o  Fica aprovado, na forma do Anexo, o Regimento Inter- Tal como as leis, os decretos compõem-se de dois elementos:
no do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ. a ordem legislativa (preâmbulo e fecho) e a matéria legislada (texto
Art. 2o  Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. ou corpo da lei).
Assinale-se que somente são numerados os decretos que con-
PEDRO PARENTE” têm regras jurídicas de caráter geral e abstrato.
Os decretos que contenham regras de caráter singular não são
Decreto numerados, mas contêm ementa, exceto os relativos a nomeação ou
Definição a designação para cargo público, os quais não serão numerados nem
Decretos são atos administrativos da competência exclusiva conterão ementa.
do Chefe do Executivo, destinados a prover situações gerais ou in- Todos os decretos serão referendados pelo Ministro compe-
dividuais, abstratamente previstas, de modo expresso ou implícito, tente.
na lei. . Esta é a definição clássica, a qual, no entanto, é inaplicável Exemplo de Decreto:
aos decretos autônomos, tratados adiante. “DECRETO No 4.298, DE 11 DE JULHO DE 2002.    
 
Decretos Singulares Dispõe sobre a atuação dos órgãos e
Os decretos podem conter regras singulares ou concretas (v. g., entidades da Administração Pública Federal
decretos de nomeação, de aposentadoria, de abertura de crédito, de durante o processo de transição governamental.  
desapropriação, de cessão de uso de imóvel, de indulto de perda de
nacionalidade, etc.).
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que
lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea “a”, da Constituição,
Decretos Regulamentares
D E C R E TA:
Os decretos regulamentares são atos normativos subordinados Art. 1o  Transição governamental é o processo que objetiva
ou secundários. propiciar condições para que o candidato eleito para o cargo de
A diferença entre a lei e o regulamento, no Direito brasileiro, Presidente da República possa receber de seu antecessor todos os
não se limita à origem ou à supremacia daquela sobre este. A dis- dados e informações necessários à implementação do programa do
tinção substancial reside no fato de que a lei inova originariamente novo governo, desde a data de sua posse.
o ordenamento jurídico, enquanto o regulamento não o altera, mas Parágrafo único. Caberá ao Chefe da Casa Civil da Presidên-
fixa, tão-somente, as “regras orgânicas e processuais destinadas a cia da República a coordenação dos trabalhos vinculados à transi-
pôr em execução os princípios institucionais estabelecidos por lei, ção governamental.
ou para desenvolver os preceitos constantes da lei, expressos ou Art. 2o  O processo de transição governamental tem início seis
implícitos, dentro da órbita por ela circunscrita, isto é, as diretrizes, meses antes da data da posse do novo Presidente da República e
em pormenor, por ela determinadas”. com ela se encerra.
Não se pode negar que, como observa Celso Antônio Bandeira Art. 3o O candidato eleito para o cargo de Presidente da Re-
de Mello, a generalidade e o caráter abstrato da lei permitem parti- pública poderá indicar equipe de transição, a qual terá acesso às
cularizações gradativas quando não têm como fim a especificidade informações relativas às contas públicas, aos programas e aos pro-
de situações insuscetíveis de redução a um padrão qualquer.Disso jetos do Governo Federal.
resulta, não raras vezes, margem de discrição administrativa a ser Parágrafo único. A indicação a que se refere este artigo será
exercida na aplicação da lei. feita por meio de ofício ao Presidente da República.

Didatismo e Conhecimento 37
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Art. 4o Os pedidos de acesso às informações de que trata o art. 3o, e) texto: nos casos em que não for de mero encaminhamento de
qualquer que seja a sua natureza, deverão ser formulados por escrito e documentos, o expediente deve conter a seguinte estrutura:
encaminhados ao Secretário-Executivo da Casa Civil da Presidência – introdução, que se confunde com o parágrafo de abertura, na
da República, a quem competirá requisitar dos órgãos e entidades da qual é apresentado o assunto que motiva a comunicação. Evite o uso
Administração Pública Federal os dados solicitados pela equipe de das formas: “Tenho a honra de”, “Tenho o prazer de”, “Cumpre-me
transição, observadas as condições estabelecidas no Decreto no 4.199, informar que”, empregue a forma direta;
de 16 de abril de 2002. – desenvolvimento, no qual o assunto é detalhado; se o texto
Art. 5o Os Secretários-Executivos dos Ministérios deverão en- contiver mais de uma idéia sobre o assunto, elas devem ser tratadas
caminhar ao Secretário-Executivo da Casa Civil da Presidência da em parágrafos distintos, o que confere maior clareza à exposição;
República as informações de que trata o art. 4o, as quais serão conso- – conclusão, em que é reafirmada ou simplesmente reapresen-
lidadas pela coordenação do processo de transição. tada a posição recomendada sobre o assunto.
Art. 6o Sem prejuízo do disposto nos arts. 1o a 5o, o Secretário- Os parágrafos do texto devem ser numerados, exceto nos casos
-Executivo da Casa Civil solicitará aos Secretários-Executivos dos em que estes estejam organizados em itens ou títulos e subtítulos.
Ministérios informações circunstanciadas sobre: Já quando se tratar de mero encaminhamento de documentos a
I - programas realizados e em execução relativos ao período do estrutura é a seguinte:
mandato do Presidente da República; – introdução: deve iniciar com referência ao expediente que
II - assuntos que demandarão ação ou decisão da administração solicitou o encaminhamento. Se a remessa do documento não tiver
nos cem primeiros dias do novo governo; sido solicitada, deve iniciar com a informação do motivo da comuni-
III - projetos que aguardam implementação ou que tenham sido cação, que é encaminhar, indicando a seguir os dados completos do
interrompidos; e documento encaminhado (tipo, data, origem ou signatário, e assunto
IV - glossário de projetos, termos técnicos e siglas utilizadas pela de que trata), e a razão pela qual está sendo encaminhado, segundo
Administração Pública Federal. a seguinte fórmula:
Art. 7o O Chefe da Casa Civil expedirá normas complementares “Em resposta ao Aviso nº 12, de 1º de fevereiro de 1991, en-
para execução do disposto no art. 5o. caminho, anexa, cópia do Ofício nº 34, de 3 de abril de 1990, do
Art. 8o As reuniões de servidores com integrantes da equipe de
Departamento Geral de Administração, que trata da requisição do
transição devem ser objeto de agendamento e registro sumário em
servidor Fulano de Tal.”
atas que indiquem os participantes, os assuntos tratados, as informa-
ou
ções solicitadas e o cronograma de atendimento das demandas apre-
“Encaminho, para exame e pronunciamento, a anexa cópia do
sentadas.
telegrama no 12, de 1o de fevereiro de 1991, do Presidente da Con-
Art. 9o Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.
federação Nacional de Agricultura, a respeito de projeto de moder-
Brasília, 11 de julho de 2002; 181o da Independência e 114o da
nização de técnicas agrícolas na região Nordeste.”
República.
– desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer
FERNANDO HENRIQUE CARDOSO algum comentário a respeito do documento que encaminha, poderá
Silvano Gianni” acrescentar parágrafos de desenvolvimento; em caso contrário, não
há parágrafos de desenvolvimento em aviso ou ofício de mero en-
O Padrão Ofício caminhamento.
Há três tipos de expedientes que se diferenciam antes pela finali- f) fecho (v. 2.2. Fechos para Comunicações);
dade do que pela forma: o ofício, o aviso e o memorando. Com o fito g) assinatura do autor da comunicação; e
de uniformizá-los, pode-se adotar uma diagramação única, que siga o h)  identificação do signatário  (v.  2.3. Identificação do Sig-
que chamamos de padrão ofício. As peculiaridades de cada um serão natário).
tratadas adiante; por ora busquemos as suas semelhanças.
Forma de diagramação
Partes do documento no Padrão Ofício Os documentos do Padrão Ofício devem obedecer à seguinte
O aviso, o ofício e o memorando devem conter as seguintes partes: forma de apresentação:
a) tipo e número do expediente, seguido da sigla do órgão que a) deve ser utilizada fonte do tipo Times New Roman de corpo
o expede: 12 no texto em geral, 11 nas citações, e 10 nas notas de rodapé;
Exemplos: b) para símbolos não existentes na fonte Times New Roman po-
Mem. 123/2002-MF Aviso 123/2002-SG Of. 123/2002-MME der-se-á utilizar as fontes Symbol e Wingdings;
b) local e data em que foi assinado, por extenso, com alinhamento c) é obrigatória constar a partir da segunda página o número
à direita: da página;
Exemplo: d) os ofícios, memorandos e anexos destes poderão ser impres-
Brasília, 15 de março de 1991. sos em ambas as faces do papel. Neste caso, as margens esquerda
c) assunto: resumo do teor do documento e direta terão as distâncias invertidas nas páginas pares (“margem
Exemplos: espelho”);
Assunto: Produtividade do órgão em 2002. e) o início de cada parágrafo do texto deve ter 2,5 cm de distân-
Assunto: Necessidade de aquisição de novos computadores. cia da margem esquerda;
d) destinatário: o nome e o cargo da pessoa a quem é dirigida f) o campo destinado à margem lateral esquerda terá, no míni-
a comunicação. No caso do ofício deve ser incluído também o en- mo, 3,0 cm de largura;
dereço. g) o campo destinado à margem lateral direita terá 1,5 cm;

Didatismo e Conhecimento 38
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
h) deve ser utilizado espaçamento simples entre as linhas e de Declaração: é mais um gênero textual que comumente circunda
6 pontos após cada parágrafo, ou, se o editor de texto utilizado não em nosso cotidiano. Sua finalidade restringe-se à veracidade pres-
comportar tal recurso, de uma linha em branco; tada por alguma informação a fim de que se possa comprovar algo.
i) não deve haver abuso no uso de negrito, itálico, sublinhado, Procuração: é um instrumento formal e legal através do qual
letras maiúsculas, sombreado, sombra, relevo, bordas ou qualquer uma pessoa autoriza outra a agir em seu nome, ou seja, é uma forma-
outra forma de formatação que afete a elegância e a sobriedade do lidade jurídica que possibilita a outorga de poderes de uma pessoa
documento; (outorgante) à outra (outorgado). Por exemplo, a outorga de poderes
j) a impressão dos textos deve ser feita na cor preta em papel para o uso de conta bancária, para a realização de matrícula universi-
branco. A impressão colorida deve ser usada apenas para gráficos e tária, para a realização de contratos, para se casar, para participação
ilustrações; em assembleias condominiais, etc. É a formalidade mais usada para
l) todos os tipos de documentos do Padrão Ofício devem ser a realização de mandato (negócio celebrado exatamente quando al-
impressos em papel de tamanho A-4, ou seja, 29,7 x 21,0 cm; guém recebe poderes de outro para realizar atos no interesse deste).
m) deve ser utilizado, preferencialmente, o formato de arqui-
vo Rich Text nos documentos de texto;
n) dentro do possível, todos os documentos elaborados devem
ter o arquivo de texto preservado para consulta posterior ou aprovei- 10) RECEBIMENTO E REMESSA DE COR-
tamento de trechos para casos análogos; RESPONDÊNCIA OFICIAL.
o) para facilitar a localização, os nomes dos arquivos devem ser
formados da seguinte maneira:
tipo do documento + número do documento + palavras-chaves
do conteúdo
Ex.: “Of. 123 - relatório produtividade ano 2002” Redação Oficial é a maneira pela qual o poder público redige
atos normativos e comunicações. Desse modo, a finalidade princi-
ARQUIVO pal da Redação Oficial é comunicar com impessoalidade e clareza
para que a mensagem ali transmitida seja compreendida por todos
Em arquivologia, arquivo é um conjunto de documentos cria- os cidadãos. Em resumo, a Redação Oficial deve ser: clara, concisa,
dos ou recebidos por uma organização, firma ou indivíduo, que os impessoal, formal e padronizada. Pode-se dizer que redação oficial
mantém ordenadamente como fonte de informação para a execução é a maneira pela qual o Poder Público redige atos normativos e co-
de suas atividades. Os documentos preservados pelo arquivo podem municações.
ser de vários tipos e em vários suportes. As entidades mantenedoras A redação oficial deve caracterizar-se pela impessoalidade, uso
de arquivos podem ser públicas (Federal, Estadual Distrital, Muni- do padrão culto de linguagem, clareza, concisão, formalidade e uni-
cipal), institucionais, comerciais e pessoais. formidade. Fundamentalmente esses atributos decorrem da Cons-
No Brasil, a política de arquivos públicos e privados é geren- tituição, que dispõe, no artigo 37: “A administração pública direta,
ciada pelo Conselho Nacional de Arquivos (Conarq), órgão ligado indireta ou fundacional, de qualquer dos Poderes da União, dos Es-
ao Arquivo Nacional. tados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios
de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência
Finalidade (...)”. Sendo a publicidade e a impessoalidade princípios fundamen-
• Servir a administração: Fornecem informações e docu- tais de toda administração pública, claro está que devem igualmente
mentos necessários ao desenvolvimento das atividades, facilitam nortear a elaboração dos atos e comunicações oficiais.
o acesso aos documentos, preservam a documentação da empresa, Não se concebe que um ato normativo de qualquer natureza
possibilitam o controle da produção de documentos e colocam à seja redigido de forma obscura, que dificulte ou impossibilite sua
disposição dos usuários documentos que fornecem informações de compreensão. A transparência do sentido dos atos normativos,
caráter probatório ou simplesmente informativo. bem como sua inteligibilidade, são requisitos do próprio Estado de
• Servir à História: Fornecem informações e/ou documentos
Direito: é inaceitável que um texto legal não seja entendido pelos
para reconstituir ou escrever a história política, social ou econômica
cidadãos. A publicidade implica, pois, necessariamente, clareza e
de uma nação. Também servem de memória de uma empresa e cons-
concisão.
tituem uma importante fonte de pesquisa.
Funções do Arquivo
• Recolher e ordenar todos os documentos que circulam na A Impessoalidade
empresa; A finalidade da língua é comunicar, quer pela fala, quer pela
• Avaliar e selecionar os documentos, tendo em vista sua escrita. Para que haja comunicação, são necessários: a) alguém que
preservação ou eliminação; comunique, b) algo a ser comunicado, e c) alguém que receba essa
• Garantir o fluxo dos pedidos de documentos provenientes comunicação. No caso da redação oficial, quem comunica é sempre
dos diversos órgãos da empresa; o Serviço Público (este ou aquele Ministério, Secretaria, Departa-
• Arquivar os documentos, visando a preservação da infor- mento, Divisão, Serviço, Seção); o que se comunica é sempre algum
mação; assunto relativo às atribuições do órgão que comunica; o destinatá-
• Conservar e assegurar a integridade dos documentos, evi- rio dessa comunicação ou é o público, o conjunto dos cidadãos, ou
tando danos que possam ocasionar a sua perda; outro órgão público, do Executivo ou dos outros Poderes da União.
• Executar as funções específicas conforme a organização e Percebe-se, assim, que o tratamento impessoal que deve ser
administração da instituição. dado aos assuntos que constam das comunicações oficiais decorre:

Didatismo e Conhecimento 39
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
a) da ausência de impressões individuais de quem comunica: conjunto dos usuários do idioma. É importante ressaltar que a obri-
embora se trate, por exemplo, de um expediente assinado por Chefe gatoriedade do uso do padrão culto na redação oficial decorre do
de determinada Seção, é sempre em nome do Serviço Público que é fato de que ele está acima das diferenças lexicais, morfológicas ou
feita a comunicação. Obtém-se, assim, uma desejável padronização, sintáticas regionais, dos modismos vocabulares, das idiossincrasias
que permite que comunicações elaboradas em diferentes setores da linguísticas, permitindo, por essa razão, que se atinja a pretendida
Administração guardem entre si certa uniformidade; compreensão por todos os cidadãos.
b) da impessoalidade de quem recebe a comunicação, com Lembre-se que o padrão culto nada tem contra a simplicidade
duas possibilidades: ela pode ser dirigida a um cidadão, sempre de expressão, desde que não seja confundida com pobreza de ex-
concebido como público, ou a outro órgão público. Nos dois casos, pressão. De nenhuma forma o uso do padrão culto implica emprego
temos um destinatário concebido de forma homogênea e impessoal; de linguagem rebuscada, nem dos contorcionismos sintáticos e figu-
c) do caráter impessoal do próprio assunto tratado: se o univer- ras de linguagem próprios da língua literária.
so temático das comunicações oficiais se restringe a questões que Pode-se concluir, então, que não existe propriamente um “pa-
dizem respeito ao interesse público, é natural que não cabe qualquer drão oficial de linguagem”; o que há é o uso do padrão culto nos atos
tom particular ou pessoal. e comunicações oficiais. É claro que haverá preferência pelo uso de
Desta forma, não há lugar na redação oficial para impressões determinadas expressões, ou será obedecida certa tradição no em-
pessoais, como as que, por exemplo, constam de uma carta a um prego das formas sintáticas, mas isso não implica, necessariamente,
amigo, ou de um artigo assinado de jornal, ou mesmo de um texto que se consagre a utilização de uma forma de linguagem burocrá-
literário. A redação oficial deve ser isenta da interferência da indivi- tica. O jargão burocrático, como todo jargão, deve ser evitado, pois
dualidade que a elabora. terá sempre sua compreensão limitada.
A concisão, a clareza, a objetividade e a formalidade de que A linguagem técnica deve ser empregada apenas em situações
nos valemos para elaborar os expedientes oficiais contribuem, ainda, que a exijam, sendo de evitar o seu uso indiscriminado. Certos re-
para que seja alcançada a necessária impessoalidade. buscamentos acadêmicos, e mesmo o vocabulário próprio a determi-
A Linguagem dos Atos e Comunicações Oficiais nada área, são de difícil entendimento por quem não esteja com eles
A necessidade de empregar determinado nível de linguagem familiarizado. Deve-se ter o cuidado, portanto, de explicitá-los em
nos atos e expedientes oficiais decorre, de um lado, do próprio cará-
comunicações encaminhadas a outros órgãos da administração e em
ter público desses atos e comunicações; de outro, de sua finalidade.
expedientes dirigidos aos cidadãos.
Os atos oficiais, aqui entendidos como atos de caráter normativo,
Outras questões sobre a linguagem, como o emprego de neolo-
ou estabelecem regras para a conduta dos cidadãos, ou regulam o
gismo e estrangeirismo, são tratadas em detalhe em 9.3. Semântica.
funcionamento dos órgãos públicos, o que só é alcançado se em sua
elaboração for empregada a linguagem adequada. O mesmo se dá
Formalidade e Padronização
com os expedientes oficiais, cuja finalidade precípua é a de informar
As comunicações oficiais devem ser sempre formais, isto é,
com clareza e objetividade.
obedecem a certas regras de forma: além das já mencionadas exi-
As comunicações que partem dos órgãos públicos federais de-
vem ser compreendidas por todo e qualquer cidadão brasileiro. Para gências de impessoalidade e uso do padrão culto de linguagem, é
atingir esse objetivo, há que evitar o uso de uma linguagem restrita imperativo, ainda, certa formalidade de tratamento. Não se trata so-
a determinados grupos. Não há dúvida que um texto marcado por mente da eterna dúvida quanto ao correto emprego deste ou daquele
expressões de circulação restrita, como a gíria, os regionalismos pronome de tratamento para uma autoridade de certo nível (v. a esse
vocabulares ou o jargão técnico, tem sua compreensão dificultada. respeito 2.1.3. Emprego dos Pronomes de Tratamento); mais do que
Ressalte-se que há necessariamente uma distância entre a lín- isso, a formalidade diz respeito à polidez, à civilidade no próprio
gua falada e a escrita. Aquela é extremamente dinâmica, reflete de enfoque dado ao assunto do qual cuida a comunicação.
forma imediata qualquer alteração de costumes, e pode eventual- A formalidade de tratamento vincula-se, também, à necessária
mente contar com outros elementos que auxiliem a sua compreen- uniformidade das comunicações. Ora, se a administração federal é
são, como os gestos, a entoação, etc., para mencionar apenas alguns una, é natural que as comunicações que expede sigam um mesmo
dos fatores responsáveis por essa distância. Já a língua escrita incor- padrão. O estabelecimento desse padrão, uma das metas deste Ma-
pora mais lentamente as transformações, tem maior vocação para a nual, exige que se atente para todas as características da redação
permanência, e vale-se apenas de si mesma para comunicar. oficial e que se cuide, ainda, da apresentação dos textos.
A língua escrita, como a falada, compreende diferentes níveis, A clareza datilográfica, o uso de papéis uniformes para o texto
de acordo com o uso que dela se faça. Por exemplo, em uma carta a definitivo e a correta diagramação do texto são indispensáveis para
um amigo, podemos nos valer de determinado padrão de linguagem a padronização, que acaba por evitar excessos linguísticos que nada
que incorpore expressões extremamente pessoais ou coloquiais; em acrescentam ao texto.
um parecer jurídico, não se há de estranhar a presença do vocabulá-
rio técnico correspondente. Nos dois casos, há um padrão de lingua- Concisão e Clareza
gem que atende ao uso que se faz da língua, a finalidade com que a A concisão é antes uma qualidade do que uma característica do
empregamos. texto oficial. Conciso é o texto que consegue transmitir um máximo
O mesmo ocorre com os textos oficiais: por seu caráter impes- de informações com um mínimo de palavras. Para que se redija com
soal, por sua finalidade de informar com o máximo de clareza e con- essa qualidade, é fundamental que se tenha, além de conhecimento
cisão, eles requerem o uso do padrão culto da língua. Há consenso do assunto sobre o qual se escreve, o necessário tempo para revisar o
de que o padrão culto é aquele em que a) se observam as regras texto depois de pronto. É nessa releitura que muitas vezes se perce-
da gramática formal, e b) se emprega um vocabulário comum ao bem eventuais redundâncias ou repetições desnecessárias de ideias.

Didatismo e Conhecimento 40
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
O esforço de sermos concisos atende basicamente ao princí- “Outro modo de tratamento indireto consistiu em fingir que se
pio de economia linguística, à mencionada fórmula de empregar o dirigia a palavra a um atributo ou qualidade eminente da pessoa de
mínimo de palavras para informar o máximo. Não se deve de forma categoria superior, e não a ela própria. Assim aproximavam-se os
alguma entendê-la como economia de pensamento, isto é, não se devem vassalos de seu rei com o tratamento devossa mercê,vossa senho-
eliminar passagens substanciais do texto no afã de reduzi-lo em tama- ria(...); assim usou-se o tratamento ducal devossa excelênciae ado-
nho. Trata-se exclusivamente de cortar palavras inúteis, redundâncias, taram-se na hierarquia eclesiásticavossa reverência,vossa paternida-
passagens que nada acrescentem ao que já foi dito. de,vossa eminência,vossa santidade.”
Procure perceber certa hierarquia de ideias que existe em todo tex- A partir do final do século XVI, esse modo de tratamento indi-
to de alguma complexidade: ideias fundamentais e ideias secundárias. reto já estava em voga também para os ocupantes de certos cargos
Estas últimas podem esclarecer o sentido daquelas, detalhá-las, exem- públicos.Vossa mercêevoluiu paravosmecê, e depois para o colo-
plificá-las; mas existem também ideias secundárias que não acrescen- quialvocê. E o pronomevós, com o tempo, caiu em desuso. É dessa
tam informação alguma ao texto, nem têm maior relação com as funda- tradição que provém o atual emprego de pronomes de tratamento
mentais, podendo, por isso, ser dispensadas. indireto como forma de dirigirmo-nos às autoridades civis, militares
A clareza deve ser a qualidade básica de todo texto oficial, confor- e eclesiásticas.
me já sublinhado na introdução deste capítulo. Pode-se definir como
claro aquele texto que possibilita imediata compreensão pelo leitor. No Concordância com os Pronomes de Tratamento
entanto a clareza não é algo que se atinja por si só: ela depende estrita- Os pronomes de tratamento (ou desegunda pessoa indireta)
mente das demais características da redação oficial. Para ela concorrem: apresentam certas peculiaridades quanto à concordância verbal, no-
a) a impessoalidade, que evita a duplicidade de interpretações que minal e pronominal. Embora se refiram à segunda pessoa gramatical
poderia decorrer de um tratamento personalista dado ao texto; (à pessoa com quem se fala, ou a quem se dirige a comunicação),
b) o uso do padrão culto de linguagem, em princípio, de entendi- levam a concordância para aterceira pessoa. É que o verbo concorda
mento geral e por definição avesso a vocábulos de circulação restrita, com o substantivo que integra a locução como seu núcleo sintático:
como a gíria e o jargão; “VossaSenhoria nomearáo substituto»; «VossaExcelência conheceo
c) a formalidade e a padronização, que possibilitam a imprescindí- assunto».
vel uniformidade dos textos; Da mesma forma, os pronomes possessivos referidos a prono-
d) a concisão, que faz desaparecer do texto os excessos linguísticos mes de tratamento são sempre os da terceira pessoa: “VossaSenho-
que nada lhe acrescentam. rianomearáseusubstituto» (e não «Vossa...vosso...”).
É pela correta observação dessas características que se redige com Já quanto aos adjetivos referidos a esses pronomes, o gênero
clareza. Contribuirá, ainda, a indispensável releitura de todo texto re- gramatical deve coincidir com o sexo da pessoa a que se refere, e
digido. A ocorrência, em textos oficiais, de trechos obscuros e de erros não com o substantivo que compõe a locução. Assim, se nosso inter-
gramaticais provém principalmente da falta da releitura que torna pos- locutor for homem, o correto é “Vossa Excelência está atarefado”,
sível sua correção. “Vossa Senhoria deve estar satisfeito”; se for mulher, “Vossa Exce-
Na revisão de um expediente, deve-se avaliar, ainda, se ele será de lência está atarefada”, “Vossa Senhoria deve estar satisfeita”.
fácil compreensão por seu destinatário. O que nos parece óbvio pode
ser desconhecido por terceiros. O domínio que adquirimos sobre certos Emprego dos Pronomes de Tratamento
assuntos em decorrência de nossa experiência profissional muitas vezes Como visto, o emprego dos pronomes de tratamento obedece a
faz com que os tomemos como de conhecimento geral, o que nem sem- secular tradição. São de uso consagrado:
pre é verdade. Explicite, desenvolva, esclareça, precise os termos técni- Vossa Excelência, para as seguintes autoridades:
cos, o significado das siglas e abreviações e os conceitos específicos que a) do Poder Executivo;
não possam ser dispensados. Presidente da República;
A revisão atenta exige, necessariamente, tempo. A pressa com que Vice-Presidente da República;
são elaboradas certas comunicações quase sempre compromete sua cla- Ministros de Estado;
reza. Não se deve proceder à redação de um texto que não seja seguida Governadores e Vice-Governadores de Estado e do Distrito Fe-
por sua revisão. deral;
A redação das comunicações oficiais deve, antes de tudo, seguir Oficiais-Generais das Forças Armadas;
os preceitos explicitados no Capítulo I,Aspectos Gerais da Redação Embaixadores;
Oficial. Além disso, há características específicas de cada tipo de expe- Secretários-Executivos de Ministérios e demais ocupantes de
diente, que serão tratadas em detalhe neste capítulo. Antes de passarmos cargos de natureza especial;
à sua análise, vejamos outros aspectos comuns a quase todas as modali- Secretários de Estado dos Governos Estaduais;
dades de comunicação oficial: o emprego dos pronomes de tratamento, Prefeitos Municipais.
a forma dos fechos e a identificação do signatário. b) do Poder Legislativo:
Pronomes de Tratamento - Breve História dos Pronomes de Tra- Deputados Federais e Senadores;
tamento Ministro do Tribunal de Contas da União;
O uso de pronomes e locuções pronominais de tratamento tem lar- Deputados Estaduais e Distritais;
ga tradição na língua portuguesa. De acordo com Said Ali, após serem Conselheiros dos Tribunais de Contas Estaduais;
incorporados ao português os pronomes latinostuevos, “como tratamen- Presidentes das Câmaras Legislativas Municipais.
to direto da pessoa ou pessoas a quem se dirigia a palavra”, passou-se c) do Poder Judiciário:
a empregar, como expediente linguístico de distinção e de respeito, a Ministros dos Tribunais Superiores;
segunda pessoa do plural no tratamento de pessoas de hierarquia Membros de Tribunais;
superior. Prossegue o autor: Juízes;

Didatismo e Conhecimento 41
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Auditores da Justiça Militar. Eminentíssimo Senhor Cardeal, ou
O vocativo a ser empregado em comunicações dirigidas aos Eminentíssimo e Reverendíssimo Senhor Cardeal, (...)
Chefes de Poder é Excelentíssimo Senhor, seguido do cargo respec- Vossa Excelência Reverendíssimaé usado em comunicações
tivo: dirigidas a Arcebispos e Bispos;Vossa ReverendíssimaouVossa Se-
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, nhoria Reverendíssimapara Monsenhores, Cônegos e superiores re-
Excelentíssimo Senhor Presidente do Congresso Nacional, ligiosos.Vossa Reverênciaé empregado para sacerdotes, clérigos e
Excelentíssimo Senhor Presidente do Supremo Tribunal Federal. demais religiosos.
As demais autoridades serão tratadas com o vocativo Senhor, se- Resumo:
guido do cargo respectivo: Impessoalidade
Senhor Senador, Evite marcas de impressões pessoais do tipo “na minha opinião”
Senhor Juiz, ou “e aí, como é que vai?”
Senhor Ministro, Concisão
Senhor Governador, Seja conciso. Redija um texto capaz de transmitir um máximo de
No envelope, o endereçamento das comunicações dirigidas às informações com um mínimo de palavras. Para isso, tenha domínio do
autoridades tratadas porVossa Excelência, terá a seguinte forma: assunto.
Pronomes de tratamento
A Sua Excelência Use corretamente os pronomes de tratamento. Ao escrever uma co-
A Sua Excelência o A Sua Excelência o municação a um Ministro do Tribunal Superior, por exemplo, use Vossa
o Senhor
Senhor Senhor Excelência ao longo do texto.
Fulano de Tal
Fulano de Tal Senador Fulano Expressões artificiais
Juiz de Direito da
Ministro de Estado de Tal Não confunda respeito e impessoalidade com o uso de expressões
10aVara Cível
da Justiça Senado Federal artificiais que estão em desuso como “Venho por meio desta”, “Tenho
Rua ABC, no123
70.064-900 – 70.165-900 – a honra de” ou “Cumpre-me informar que”. Tais expressões devem dar
01.010-000 – São
Brasília. DF Brasília. DF lugar à forma direta, à objetividade.
Paulo. SP
Fechos
Em comunicações oficiais, está abolido o uso do tratamentodig- Os fechos dos textos oficiais devem saudar o destinatário, além
níssimo(DD), às autoridades arroladas na lista anterior. A dignidade é de fechar o texto. O documento deve levar assinatura e identificação
pressuposto para que se ocupe qualquer cargo público, sendo desne- do signatário. Há dois fechos diferentes para todas as modalidades do
cessária sua repetida evocação. texto oficial:
Vossa Senhoriaé empregado para as demais autoridades e para Respeitosamente, (para autoridades superiores, inclusive o Presi-
particulares. O vocativo adequado é: dente da República);
Senhor Fulano de Tal, (...) Atenciosamente (para autoridades de mesma hierarquia ou de hie-
No envelope, deve constar do endereçamento: rarquia inferior)
Ao Senhor
Fulano de Tal
Rua ABC, no123
70.123 – Curitiba. PR
11) HIERARQUIA. IMPOSTOS E TAXAS
Como se depreende do exemplo acima fica dispensado o empre-
go do superlativoilustríssimopara as autoridades que recebem o tra-
tamento deVossa Senhoriae para particulares. É suficiente o uso do
pronome de tratamentoSenhor. . HIERARQUIA
Acrescente-se quedoutornão é forma de tratamento, e sim título Hierarquia é a distribuição ordenada dos poderes com subordina-
acadêmico. Evite usá-lo indiscriminadamente. Como regra geral, em- ção sucessiva de uns aos outros. Trata-se de uma série contínua de graus
pregue-o apenas em comunicações dirigidas a pessoas que tenham tal em ordem crescente ou decrescente, podendo-se estabelecer tanto uma
grau por terem concluído curso universitário de doutorado. É costume hierarquia social, uma hierarquia urbana, militar, eclesiástica etc.
designar pordoutoros bacharéis, especialmente os bacharéis em Direi- É uma ordenação de autoridades que estabelece os níveis de poder
to e em Medicina.Nos demais casos, o tratamento Senhor confere a e importância, de modo que a posição inferior é sempre subordinada às
desejada formalidade às comunicações. posições superiores.
Mencionemos, ainda, a formaVossa Magnificência, empregada A hierarquia empresarial é representada pelos diferentes níveis de
por força da tradição, em comunicações dirigidas a reitores de univer- comando encontrados dentro de uma organização. Apesar de possuírem
sidade. Corresponde-lhe o vocativo: autonomia, estão em parte, interligados entre si. É geralmente estabele-
Magnífico Reitor, (...) cida obedecendo a três diferentes áreas: estratégica, tática e operacional.
Os pronomes de tratamento para religiosos, de acordo com a hie- A área estratégica, ocupada por presidentes, diretores e demais ges-
rarquia eclesiástica, são: tores da alta cúpula, decidem as políticas e as diretrizes da empresa. A
Vossa Santidade, em comunicações dirigidas ao Papa. O vocativo área tática, ocupada por gerentes e chefes de seções, é responsável pelas
correspondente é: ações do cotidiano da empresa, como também pela motivação dentro
Santíssimo Padre, (...) de cada setor. Por fim a operacional, ocupada por chefes de equipe e
Vossa EminênciaouVossa Eminência Reverendíssima, em co- supervisores, responsáveis pela execução e realização das atividades
municações aos Cardeais. Corresponde-lhe o vocativo: de produção.

Didatismo e Conhecimento 42
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
IMPOSTOS E TAXAS QUALIDADE
O conceito de qualidade é amplo e suscita várias interpretações.
Taxa As mais expressivas se referem, por um lado, à definição de quali-
Taxa é um valor que se paga em contrapartida á um serviço. No dade como busca da satisfação do cliente, e, por outro, à busca da
meio público pode se atribuir aos serviços públicos prestados pelo excelência para todas as atividades de um processo.
estado aos contribuintes. Exemplos de taxa são a taxa de lixo urbano, Na mesma vertente, a qualidade é também considerada como
a taxa de confecção do transporte, taxa de emissão de documentos, fator de transformação no modo como a organização se relaciona
entre outras já conhecidas por todos. com seus clientes, agregando valor aos serviços a ele destinados.
Em face dessa diversidade de significados, cabe às organiza-
Imposto
ções identificar os atributos ou indicadores de qualidade dos seus
Imposto é basicamente um tributo determinado por imposição
produtos e serviços do ponto de vista dos seus usuários. Entre estes,
por um estado aos seus contribuintes. Nem sempre o imposto signi-
fica contraprestação de um serviço por parte do estado, contudo os podem ser destacados a eficiência, a eficácia, a ética profissional, a
impostos são taxados sobre bens, serviços ou renda como no caso do agilidade no atendimento, entre outros.
Imposto de Renda. Não pagar um imposto pode acarretar penaliza- No Brasil, a questão da qualidade na área pública vem sendo
ções econômicas, civis e penais. abordada pelo Programa de Qualidade no Serviço Público que tem
por objetivos elevar o padrão dos serviços prestados e tornar o cida-
Tarifa dão mais exigente em relação a esses serviços. Para tanto, o Progra-
Tarifa é um valor que pode ser cobrado contra prestação de um ma visa a transformação das organizações e entidades públicas no
serviço. Tanto empresas públicas como privadas usam as tarifas para sentido de valorizar a qualidade na prestação de serviços ao público,
definir o valor dos seus serviços. As tarifas bancarias por exemplo retirando o foco dos processos burocráticos.
são um dos tipos comumente usados no nosso cotidiano. Significam O programa estabelece que o cidadão como principal foco de
uma remuneração sobre o serviço que o usuário esta recebendo. atenção de qualquer órgão público federal. Define padrões de qua-
lidade do atendimento e prevê a avaliação de satisfação do usuário
Diferenças entre taxa e tarifa versus imposto por todos os órgãos e entidades da Administração Pública Federal
A diferença entre imposto e tarifa se encontra principalmente direta, indireta e fundacional que atendem diretamente ao cidadão.
no seu conceito e categorização. Enquanto o imposto significa um Nesse sentido considera-se que o serviço público deve ter as
tributo que impõe uma obrigação de pagamento e impõe penalidades seguintes características:
em caso que o usuário não cumpra. A tarifa e taxa são remunerações
• Adequado: realizado na forma prevista em lei devendo aten-
que o usuário pode optar por usar ou não o serviço.
der ao interesse público;
Se compararmos taxas e tarifas com impostos pode perceber que
no caso dos impostos o contribuinte paga e não recebe nada em troca • Eficiente: alcança o melhor resultado com menor consumo
imediatamente. O imposto não é retribuído diretamente a quem paga, de recursos;
nem na mesma proporção, ou seja, é um tributo de caráter unilateral. • Seguro: não coloca em risco a vida, a saúde, a segurança, o
Já a taxa e tarifa é um tributo de caráter bilateral, a pessoa paga e patrimônio ou os direitos materiais e imateriais do cidadão-usuário;
recebe em troca uma contra prestação. • Contínuo: oferecido sem risco de interrupção, sendo obriga-
tório o planejamento e a adoção de medidas de prevenção para evitar
a descontinuidade.
14) ATENDIMENTO AO PÚBLICO. Usuários/ Clientes
Existem dois tipos de usuários ou clientes de uma organização:
•externos - recebem serviços ou produtos na sua versão final.
•internos –fazem parte da organização, de seus setores, grupos
ATENDIMENTO E QUALIDADE e atividades.
A globalização, os desafios do desenvolvimento tecnológico e Para identificar esses tipos de usuários, as pessoas da organiza-
cultural e a competição entre as organizações trazem como consequ- ção devem responder o seguinte:
ência o interesse pela qualidade de seus produtos e serviços. • Com que pessoas mantenho contato enquanto trabalho?
Esse interesse não se restringe às empresas privadas e se esten- • Quem recebe o resultado do meu trabalho?
de, também, ao setor público.
• Qual o nível de satisfação das pessoas que dependem do re-
Assim, vemos que
sultado dos serviços executados por mim?
• Os empresários buscam aperfeiçoar o desempenho em suas
áreas de atuação (produtos ou serviços) e o relacionamento com os
seus clientes. Princípios para o bom atendimento na gestão da qualidade
• O setor público enfrenta os desafios de melhorar a qualidade 1. Foco no Cliente. Nas empresas privadas, a importância dada
de seus serviços, aumentar a satisfação dos usuários e instituir um a esse princípio se deve principalmente ao fato de que o sucesso
atendimento de excelência ao público. da venda (lucro financeiro) depende da satisfação do cliente com a
Os clientes e usuários das organizações públicas e privadas tam- qualidade do produto e também com o tratamento recebido e com o
bém se mostram mais exigentes na escolha de serviços e produtos resultado da própria negociação.
de melhor qualidade. Assim, a relação com estes clientes e usuários No setor público, este princípio se relaciona sobretudo aos con-
passa ser um novo foco de preocupação e demanda esforços para sua ceitos de cidadania, participação, transparência e controle social.
melhoria.

Didatismo e Conhecimento 43
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Para cumprir este princípio é necessário ter atenção com dois seja, a mensagem do processo de comunicação. Ao mesmo tempo,
aspectos: para que a comunicação ocorra, não basta transmitir ou receber bem
• verificar se o que é estabelecido como qualidade atende a as mensagens. É preciso, sobretudo, que haja troca de entendimen-
todos os usuários, inclusive aos mais exigentes; tos. Para tanto, as palavras são importantes, mas também o são as
• fazer bem feito o serviço e, depois, checar os passos necessá- emoções, as ideias, as informações não-verbais.
rios para a sua execução.
Deve se lembrar que tais atitudes levam em conta tanto o aten- Comunicação verbal e não verbal
dimento do usuário quanto as atividades e rotinas que envolvem o A comunicação verbal realiza-se oralmente ou por meio da
serviço. escrita. São exemplos de comunicações orais: ordens, pedidos, de-
bates, discussões, tanto face-a-face quanto por telefone, rádio, tele-
2. O serviço ou produto deve atender a uma real necessidade visão ou outro meio eletrônico. Cartas, jornais, impressos, revistas,
do usuário. Este princípio se relaciona à dimensão da validade, isto cartazes, entre outros, fazem parte das comunicações escritas.
é, o serviço ou produto deve ser exatamente como o usuário espera, A comunicação não-verbal realiza-se por meio de gestos e ex-
deseja ou necessita que ele seja. pressões faciais e corporais que podem reforçar ou contradizer o que
está sendo dito. Cruzar os braços e as pernas, por exemplo, é um
3. Manutenção da qualidade. O padrão de qualidade mantido ao gesto que pode ser interpretado como posição de defesa.
longo do tempo é que leva à conquista da confiabilidade.
A atuação com base nesses princípios deve ser orientada por Colocar a mão no queixo, coçar a cabeça ou espreguiçar-se na
algumas ações que imprimem qualidade ao atendimento, tais como: cadeira podem indicar falta de interesse no que a outra pessoa tem
• identificar as necessidades dos usuários; a dizer.
• cuidar da comunicação (verbal e escrita); Também são gestos interpretados como forma de demonstrar
• evitar informações conflitantes; desinteresse durante a comunicação: ajeitar papéis que se encontrem
• atenuar a burocracia; sobre a mesa, guardar papéis na gaveta, responder perguntas com
• cumprir prazos e horários; irritação ou deixar de respondê-las.
• desenvolver produtos e/ou serviços de qualidade; A linguagem é um código utilizado pelos indivíduos para pro-
• divulgar os diferenciais da organização; cessar pensamentos, ideias e diálogos interiores, ou comunicar-se
• imprimir qualidade à relação atendente/usuário; com outros. A linguagem pode ser representada por uma língua ou
• fazer uso da empatia; pela não-verbalização.
É importante observar que algumas palavras assumem diferen-
• analisar as reclamações;
tes significados para cada pessoa.
• acatar as boas sugestões.
Palavras como amor, solidariedade, fraternidade, igualdade, en-
tre outras, servem de rótulos para experiências universais, mas têm
Essas ações estão relacionadas a indicadores que podem ser
significados particulares para cada indivíduo. A realidade subjetiva
percebidos e avaliados de forma positiva pelos usuários, entre eles:
de cada pessoa é formada pelo seu sistema de valores, pelas suas
competência, presteza, cortesia, paciência, respeito.
crenças, pelos seus objetivos pessoais e pela sua visão de mundo.
Por outro lado, arrogância, desonestidade, impaciência, desres-
Daí a importância de checarmos a linguagem utilizada no processo
peito, imposição de normas ou exibição de poder tornam o atendente de comunicação e adaptarmos nossa mensagem ao vocabulário, aos
intolerável, na percepção dos usuários. No conjunto dessas ações interesses e às necessidades da pessoa a quem transmitimos alguma
deve ainda ser ressaltada a empatia como um fator crucial para a informação.
excelência no atendimento ao público. A utilização adequada dessa
ferramenta no momento em que as pessoas estão interagindo é fun- Barreiras e ruídos
damental. No bom atendimento é importante a utilização de frases No atendimento é preciso cuidado para evitar ruídos na comu-
como “Bom-dia”, “Boa-tarde”, “Sente-se por favor”, ou “Aguarde nicação, ou seja, é necessário reconhecer os elementos que podem
um instante, por favor”, que, ditas com suavidade e cordialidade, complicar ou impedir o perfeito entendimento das mensagens. Às
podem levar o usuário a perceber o tratamento diferenciado que al- vezes, uma pessoa fala e a outra não entende exatamente o que foi
gumas organizações já conseguem oferecer ao seu público-alvo. dito. Ou, então, tendo em vista a subjetividade presente na mensa-
gem, muitas vezes, o emissor tem uma compreensão diferente da
PROCESSO DE COMUNICAÇÃO que foi captada pelo receptor.
São elementos do processo de comunicação: Além dessas dificuldades, existem outras que interferem no
• emissor – o que emite ou envia a mensagem processo de comunicação, entre elas, as barreiras tecnológicas, psi-
• receptor – o que recebe a mensagem cológicas e de linguagem. Essas barreiras são verdadeiros ruídos na
• mensagem – 0 que se quer comunicar comunicação.
• canal – o meio de comunicação pelo qual se transmite a men- As barreiras tecnológicas resultam de defeitos ou interferências
sagem dos canais de comunicação. São de natureza material, ou seja, resul-
• ruídos –tudo aquilo que pode atrapalhar a comunicação . tam de problemas técnicos, como o do telefone com ruído.
As barreiras de linguagem podem ocorrer em razão das gírias,
O processo de comunicação é o centro de todas as atividades regionalismos, dificuldades de verbalização, dificuldades ao escre-
humanas. No entanto, além de usar palavras corretas e adequadas ver, gagueira, entre outros. As barreiras psicológicas provêm das
ao contexto, o emissor deve transmitir à outra pessoa, o receptor, in- diferenças individuais e podem ter origem em aspectos do compor-
formações, ideias, percepções, intenções, desejos e sentimentos, ou tamento humano, tais como:

Didatismo e Conhecimento 44
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
• seletividade: o emissor só ouve o que é do seu interesse ou o te, indicar o e-mail ou o número do fax do responsável procurado.
que coincida com a sua opinião; A pessoa que ligou deve ter a garantia de que alguém confirmará a
• egocentrismo: o emissor ou o receptor não aceita o ponto de recepção do pedido ou chamada;
vista do outro ou corta a palavra do outro, demonstrando resistência • não negar informações: nenhuma informação deve ser nega-
para ouvir; da, mas há que se identificar o interlocutor antes de a fornecer, para
• timidez: a inibição de uma pessoa em relação a outra pode confirmar a seriedade da chamada. Nessa situação, é adequada a
causar gagueira ou voz baixa, quase inaudível; seguinte frase: Vamos anotar esses dados e depois entraremos em
• preconceito: a percepção indevida das diferenças sociocultu- contato com o senhor.
rais, raciais, religiosas, hierárquicas, entre outras; • não apressar a chamada: é importante dar tempo ao tempo,
• descaso: indiferença às necessidades do outro. ouvir calmamente o que o cliente/usuário tem a dizer e mostrar que
o diálogo está sendo acompanhado com atenção, dando feedback,
ATENDIMENTO TELEFÔNICO mas não interrompendo o raciocínio do interlocutor;
Na comunicação telefônica, é fundamental que o interlocutor se • sorrir: um simples sorriso reflete-se na voz e demonstra que o
sinta acolhido e respeitado, sobretudo porque se trata da utilização atendente é uma pessoa amável, solícita e interessada;
de um canal de comunicação a distância. É preciso, portanto, que o • ser sincero: qualquer falta de sinceridade pode ser catastrófica:
processo de comunicação ocorra da melhor maneira possível para as más palavras difundem-se mais rapidamente do que as boas;
ambas as partes (emissor e receptor) e que as mensagens sejam sem- • manter o cliente informado: como, nessa forma de comunica-
pre acolhidas e contextualizadas, de modo que todos possam receber ção, não se estabelece o contato visual, é necessário que o atendente,
bom atendimento ao telefone. se tiver mesmo que desviar a atenção do telefone durante alguns
Alguns autores estabelecem as seguintes recomendações para o segundos, peça licença para interromper o diálogo e, depois, peça
atendimento telefônico: desculpa pela demora. Essa atitude é importante porque poucos se-
• não deixar o cliente esperando por um tempo muito longo. É gundos podem parecer uma eternidade para quem está do outro lado
melhor explicar o motivo de não poder atendê-lo e retornar a ligação da linha;
em seguida; • ter as informações à mão: um atendente deve conservar a in-
• o cliente não deve ser interrompido, e o funcionário tem de se formação importante perto de si e ter sempre à mão as informações
empenhar em explicar corretamente produtos e serviços; mais significativas de seu setor. Isso permite aumentar a rapidez de
• atender às necessidades do cliente; se ele desejar algo que o
resposta e demonstra o profissionalismo do atendente;
atendente não possa fornecer, é importante oferecer alternativas;
• estabelecer os encaminhamentos para a pessoa que liga: quem
• agir com cortesia. Cumprimentar com um “bom-dia” ou “boa-
atende a chamada deve definir quando é que a pessoa deve voltar
-tarde”, dizer o nome e o nome da empresa ou instituição são atitudes
a ligar (dia e hora) ou quando é que a empresa ou instituição vai
que tornam a conversa mais pessoal. Perguntar o nome do cliente e
retornar a chamada.
tratá-lo pelo nome transmitem a ideia de que ele é importante para a
Todas estas recomendações envolvem as seguintes atitudes no
empresa ou instituição. O atendente deve também esperar que o seu
atendimento telefônico:
interlocutor desligue o telefone. Isso garante que ele não interrompa
o usuário ou o cliente. Se ele quiser complementar alguma questão, • receptividade - demonstrar paciência e disposição para servir,
terá tempo de retomar a conversa. como, por exemplo, responder às dúvidas mais comuns dos usuários
No atendimento telefônico, a linguagem é o fator principal como se as estivesse respondendo pela primeira vez. Da mesma for-
para garantir a qualidade da comunicação. Portanto, é preciso que o ma é necessário evitar que interlocutor espere por respostas;
atendente saiba ouvir o interlocutor e responda a suas demandas de • atenção – ouvir o interlocutor, evitando interrupções, dizer
maneira cordial, simples, clara e objetiva. O uso correto da língua palavras como “compreendo”, “entendo” e, se necessário, anotar a
portuguesa e a qualidade da dicção também são fatores importantes mensagem do interlocutor);
para assegurar uma boa comunicação telefônica. É fundamental que • empatia - para personalizar o atendimento, pode-se pronun-
o atendente transmita a seu interlocutor segurança, compromisso e ciar o nome do usuário algumas vezes, mas, nunca, expressões como
credibilidade. “meu bem”, “meu querido, entre outras);
Além das recomendações anteriores, são citados, a seguir, pro- • concentração – sobretudo no que diz o interlocutor (evitar
cedimentos para a excelência no atendimento telefônico: distrair-se com outras pessoas, colegas ou situações, desviando-se
• identificar e utilizar o nome do interlocutor: ninguém gosta do tema da conversa, bem como evitar comer ou beber enquanto
de falar com um interlocutor desconhecido, por isso, o atendente da se fala);
chamada deve identificar-se assim que atender ao telefone. Por outro • comportamento ético na conversação – o que envolve tam-
lado, deve perguntar com quem está falando e passar a tratar o in- bém evitar promessas que não poderão ser cumpridas.
terlocutor pelo nome. Esse toque pessoal faz com que o interlocutor
se sinta importante; ATENDIMENTO PRESENCIAL
• assumir a responsabilidade pela resposta: a pessoa que atende Nessa modalidade de atendimento devem ser incorporados al-
ao telefone deve considerar o assunto como seu, ou seja, compro- guns princípios relativos ao atendimento telefônico, além de outros
meter-se e, assim, garantir ao interlocutor uma resposta rápida. Por específicos a serem abordados a seguir.
exemplo: não deve dizer “Não sei”, mas “Vou imediatamente saber” Por se tratar de uma modalidade de comunicação de grande im-
ou “Daremos uma resposta logo que seja possível”. Se não for mes- pacto junto ao usuário, o atendente deve sempre demonstrar simpa-
mo possível dar uma resposta ao assunto, o atendente deverá apre- tia, competência e profissionalismo e ter atenção com as expressões
sentar formas alternativas para o fazer, como: fornecer o número do do rosto, da voz, dos gestos, do vocabulário e de aparência. E da
telefone direto de alguém capaz de resolver o problema rapidamen- mesma forma, considerar os seguintes princípios.

Didatismo e Conhecimento 45
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS / Auxiliar em Administração
Princípios para a qualidade ao atendimento presencial: O tratamento é a maneira como o funcionário se dirige ao clien-
te e interage com ele, orientando-o, conquistando sua simpatia. Está
• Competência - O usuário espera que cada pessoa que o atenda relacionada a:
detenha informações detalhadas sobre o funcionamento da organi- • presteza – demonstração do desejo de servir, valorizando
zação e do setor que ele procurou. prontamente a solicitação do usuário;
• Legitimidade - O usuário deve ser atendido com ética, respei- • cortesia – manifestação de respeito ao usuário e de cordiali-
to, imparcialidade, sem discriminações, com justiça e colaboração. dade;
• Disponibilidade - O atendente representa, para o usuário, a • flexibilidade – capacidade de lidar com situações não-pre-
imagem da organização. Assim, deve haver empenho para que o vistas.
usuário não se sinta abandonado, desamparado, sem assistência. O
atendimento deve ocorrer de forma personalizada, atingindo-se a sa-
tisfação do cliente.
• Flexibilidade - O atendente deve procurar identificar clara-
mente as necessidades do usuário e esforçar-se para ajudá-lo, orien-
tá-lo, conduzi-lo a quem possa ajudá-lo adequadamente.

Para que o cliente ou usuário possa se sentir bem atendido, exis-


tem, também, algumas estratégias verbais, não-verbais e ambientais.

Estratégias verbais
• Reconhecer, o mais breve possível, a presença das pessoas;
• pedir desculpas se houver demora no atendimento;
• se possível, tratar o usuário pelo nome;
• Demonstrar que quer identificar e entender as necessidades
do usuário;
• Escutar atentamente, analisar bem a informação, apresentar
questões;
Estratégias não-verbais
• Olhar para a pessoa diretamente e demonstrar atenção;
• Prender a atenção do receptor;
• Não escrever enquanto estiver falando com o usuário;
• Prestar atenção à comunicação não-verbal;

Estratégias ambientais
• Manter o ambiente de trabalho organizado e limpo;
• Assegurar acomodações adequadas para o usuário;
• Evitar pilhas de papel, processos e documentos desorganiza-
dos sobre a mesa.

Atendimento e tratamento
O atendimento está diretamente relacionado aos negócios de
uma organização, suas finalidades, produtos e serviços, de acordo
com suas normas e regras. O atendimento estabelece, dessa forma,
uma relação entre o atendente, a organização e o cliente.
A qualidade do atendimento, de modo geral, é determinada por
indicadores percebidos pelo próprio usuário relativamente a:
• competência – recursos humanos capacitados e recursos tec-
nológicos adequados;
• confiabilidade – cumprimento de prazos e horários estabele-
cidos previamente;
• credibilidade – honestidade no serviço proposto;
• segurança – sigilo das informações pessoais;
• facilidade de acesso – tanto aos serviços como ao pessoal de
contato;
• comunicação – clareza nas instruções de utilização dos ser-
viços.

Didatismo e Conhecimento 46