Você está na página 1de 3

O concursando e a gestão do tempo: 3

dicas importantes

Atualmente, o ritmo de vida está tão acelerado que parece que o tempo está “passando”
mais rápido. Inicia-se um novo ano e, “em questão de dias”, essa é a impressão,
chegamos ao meio do ano. Passa-se mais algum rápido tempo e… boom: o natal e o ano
novo se aproximam novamente.

Com o advento das redes sociais então, aí é que parece que o tempo voa mesmo!

Diante disso, mais do que nunca, exige-se uma boa gestão do tempo para que possamos
alcançar nossos objetivos.

De forma simples, podemos dizer que a gestão do tempo é a adoção de medidas


estratégicas visando ser o mais produtivo possível dentro das 24 h de que dispomos.

Para isso, precisamos aprender a ser mais seletivos acerca dos compromissos que
assumimos. Também é necessário sempre avaliar se determinada atividade que
consumirá uma boa parte do nosso tempo contribuirá ou não para o alcance das nossas
metas.

Nessa linha, podemos dizer que nossas escolhas diárias fazem toda a diferença. A todo
momento estamos fazendo escolhas, as quais impactam diretamente na forma com a
qual lidaremos com o tempo que possuímos.

Trazendo isso para a jornada na preparação para concursos públicos, temos que um dos
mais desafiadores obstáculos que o concursando precisa enfrentar é a utilização
adequada do fator TEMPO.

Com tantas tarefas a serem desempenhadas, as 24 horas do dia, em alguns casos, já não
têm sido suficientes para a finalização de tudo o que se gostaria de fazer. Essa realidade,
se não for ajustada, pode levar à fadiga e, em alguns casos, à desistência.

É importante destacar, inclusive, que, no mundo dos concursos, tenho visto mais
desistência do que propriamente a “derrota”. Embora as duas sejam situações
desagradáveis, penso que a segunda (a derrota) é menos traumática, pois houve, pelo
menos, a tentativa. Já na desistência, os sonhos são (foram) abandonados no meio do
caminho.

Para que possamos mudar (e avançar), temos de implementar medidas diferentes, hoje.
Não adianta ficar preso ao passado, nem apenas vislumbrando situações
maravilhosamente ideais do futuro.

Hoje é o dia da mudança.


Como disse Lyndon Johnson, “não temos como refazer o passado, mas o futuro está a
nossa disposição, para ganharmos ou perdermos”.

E você é o ator principal. As decisões principais dependem de você.

Nessa mudança, há algo muito importante que precisa ser implementado: saber dizer
não! Nem sempre é fácil, mas essa palavrinha “mágica”, se bem utilizada, pode evitar
uma série de frustrações, bem como de compromissos “desnecessários”, pelo menos,
durante a sua jornada em busca do seu cargo.

A ideia nuclear é priorizar o que é realmente importante e descartar (ou pelo menos
evitar) o que não contribui para a realização do sonho.

Para que você possa implementar esse processo de uma boa gestão do tempo, seguem 3
dicas simples, mas que podem fazer grande diferença se bem implementadas:

1ª – estabeleça um planejamento

Se você quer usar adequadamente seu precioso tempo, é imprescindível a organização e


o planejamento de suas rotinas diária, semanal, mensal…

Além disso, você precisa ter metas realizáveis: curto, médio e longo prazos. Veja,
quando estabelecemos metas, fica bem mais fácil coordenar as ações que nos levarão ao
cumprimento delas. Quando sabemos exatamente aonde queremos chegar, será, na
mesma proporção, bem mais simples a tomada de decisões direcionadas ao
cumprimento do que queremos.

Albert Einstein dizia que a “falta de tempo é desculpa daqueles que perdem tempo por
falta de métodos”.

2ª – estabeleça prioridades

Após a definição de metas, considerando que o nosso tempo é escasso, precisamos


estabelecer prioridades. E aqui há um princípio básico: sempre que você tiver que
escolher, por falta de tempo, entre executar uma ação A ou outra ação B, opte por
aquela que esteja mais alinhada aos seus objetivos. Ou seja, sempre escolha fazer aquilo
que vai ao encontro das metas que você pretende alcançar.

“Você jamais terá tempo para aquilo que não dá prioridade.” (Autor Desconhecido)

Atribui-se a Carlos Drummond de Andrade a frase segundo a qual “perder tempo em


aprender coisas que não interessam priva-nos de descobrir coisas interessantes”.

3ª – trabalhe com a sua realidade e use racionalmente o seu tempo

Já comentei em outro texto que, antes de eu ser servidor público, eu trabalhava em um


shopping de Brasília. Eu ficava entre 8 a 10 horas, em pé, por dia, na loja. Nesse
período, eu estava estudando para concursos. Normalmente, eu somente tinha para
estudar o período noturno, de 23 horas a 2 ou 3 da manhã (era o que tinha! Não estou
dizendo para você fazer isso, beleza!?). Como na maior parte do tempo eu estava na
loja, eu fazia pequenos resumos em pedacinhos de papel e, enquanto estava esperando
minha vez para atender a algum cliente, ali, em pé, eu ficava lendo esses resumos.
Havia um grande amigo que estudava comigo, inclusive que me incentivou a estudar
(saudoso Wilton). Nós ficávamos perguntando um para o outro acerca dos resumos
naqueles papéis. E ali, por horas, enquanto outros conversavam ou reclamavam da vida,
nós estávamos construindo nosso futuro. Felizmente, deu certo!

A partir do momento em que você “acorda” para essa realidade, você começa a perceber
que, se usar racionalmente o tempo, poderá fazer bem mais e melhor.

Na época dos meus estudos, quando eu estava em uma fila de banco, eu estava
estudando. Quando eu estava esperando minha esposa sair do trabalho dela, eu estava
estudando. Enfim, em todos os momentos, eu estava aproveitando ao máximo o tempo.
Outra coisa: às vezes, eu ia estudar em grupos, mas havia sempre aqueles que queriam
ficar mais conversando do que estudando. Eu fugia deles. Chegou uma época em que
eu percebi que deveria continuar sozinho na caminhada. Fique sempre atento!!!

É isso aí!

Sucesso na jornada!

Conte conosco.

Wellington Antunes

Interesses relacionados