Você está na página 1de 20

CENTRO UNIVERSITÁRIO SANTO AGOSTINHO – UNIFSA

COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

FRANCISCA DAIANY ARAUJO LUZ


JOSÉ ROBERT FERREIRA FILHO
MATHEUS RICARDO PORTELLA RODRIGUES
RAISSA LORENA MOURA BARBOSA
VINICIUS OLIVEIRA SOUSA CUNHA

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: CLÍNICA ESPECIALIZADA EM APARELHO


DIGESTIVO E GÁSTRICO

TERESINA, PI
2018
FRANCISCA DAIANY ARAUJO LUZ
JOSÉ ROBERT FERREIRA FILHO
MATHEUS RICARDO PORTELLA RODRIGUES
RAISSA LORENA MOURA BARBOSA
VINICIUS OLIVEIRA SOUSA CUNHA

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: CLÍNICA ESPECIALIZADA EM


APARELHO DIGESTIVO E GÁSTRICO
Relatório de Pesquisa apresentado como exigência da
disciplina Gestão Ambiental Ido Curso de Engenharia de
Produção do Centro Universitário Santo Agostinho, ministrada
pelo professor Dr. Nelson Jorge Carvalho Batista,
comorequisito parcial para a obtenção de nota.

Orientador (a): Prof. Dr. Nelson Jorge Carvalho Batista

Teresina-PI
2018
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO..................................................................................................4
2. OBJETIVOS.......................................................................................................5
2.1 OBJETIVO GERAL....................................................................................5
2.2 OBJETIVO ESPECIFICO..........................................................................5
3. MATERIAL........................................................................................................6
4. METODOLOGIA...............................................................................................6
4.1 METODO DE ABORDAGEM....................................................................6
4.2 METODO TECNICO...................................................................................6
4.3 TECNICNAS DE PESQUISA......................................................................6
5. RESULTADOS....................................................................................................8
6. DISCURSÃO.......................................................................................................11
7. CONCLUSÃO....................................................................................................12
8. REFERECIAS....................................................................................................14
9. APENDICES......................................................................................................15
1. INTRODUÇÃO

A Gestão Empresarial Ambiental pode ser compreendida como o conjunto de ações


voltadas à gestão de todos os aspectos inerentes à temática ambiental de uma organização,
visando à melhoria contínua da qualidade ambiental de seus processos, produtos e serviços.
Um bom gerenciamento ambiental, além de diminuir riscos, traz ainda oportunidades, como a
redução de custos, devido ao melhor gerenciamento de recursos, eliminando desperdícios e
fortalecendo sua competitividade.
Gestão ambiental empresarial é um sistema de administração que dá um foco maior na
area de sustentabilidade. Assim, a gestão ambiental ultiliza-se do uso de metodos e praticas
administrativas que visam diminuir o máximo possivel o impacto ambiental de suas
atividades economicas nos recursos da natureza.
O nível de comprometimento das grandes organizações com a sustentabilidade ambiental não
acompanhou o grande avanço científico das últimas décadas. A revolução tecnológica facilitou o
desenvolvimento do consumismo supérfluo, o que originou um o comportamento social marcado por
desperdícios, consumismo exagerado de recursos e omissão dos efeitos causados ao meio ambiente
(SALLES et al., 2013). Uma gestão na qual a empresa toma medidas para melhorar sua situação
atual e prevenir-se para situações futuras em longo prazo. As empresas que possuem modelo
de gestão ambiental têm características particulares, peculiares e comportamento proativo e
preocupando-se com o futuro empresarial e com a sociedade.
Desta forma Sammalisto e Brorson (2008) registram que as informações podem ser
disseminadas através dos Programas de Educação Ambiental (PEA), com a finalidade de possibilitar
aos indivíduos a aquisição de conhecimentos, valores, habilidades e experiências para participar da
solução dos problemas ambientais; possibilitar a mudança de atitudes para o desenvolvimento
sustentável; e integrar diferentes saberes e vivências, pois a questão ambiental agrega variados
conhecimentos.
A gestão ambiental está envolvida na maioria das discussões atuais não só nas áreas de
estudo como também chegou à vertente econômica. Uma vez que o meio ambiente e a fonte
da matéria prima usada em qualquer área da produção de bens. E dela não vem só insumos,
mas também fontes de energias, e com escassez de recursos vem se tornando um tema
preocupante no cenário Atual.
A Legislação Ambiental é um conjunto de leis, normas e padrões que visam proteger o
meio ambiente. Ela fornece parâmetros que as organizações devem seguir, e também permite
a identificação das ações de manejo ambiental que deverão ser realizadas pelo empreendedor,
beneficiário e demais agentes envolvidos, para estar em conformidade com a legislação.
A organização dispõe de um programa de coleta hospitalar através de uma empresa
terceirizada onde resíduos do grupo A, B e E serão encaminhados, por funcionários da clinica,
para contêineres, para serem recolhidos semanalmente pela coleta de resíduos hospitalar, que
serão transportados ate a unidade de tratamento.
Este relatório de estudo trata sobre uma empresa que está a 29 anos no mercado,
localizada na cidade de Teresina-PI onde suas principais atividades trata-se do tratamento no
aparelho gástrico e intestino, envolvendo procedimentos minimamente invasivos e
procedimentos invasivos, e exames de rotina.
A empresa em questão esta apta para funcionamento onde apresenta um alvará da
vigilância sanitária, em questão do funcionamento físico verificou-se que ocorre algumas
desobediências e irregularidades que se torna obrigatória para o funcionamento da mesma.

2. OBJETIVOS
2.1 OBJETIVO GERAL

Realizar visita técnica, afim de promover a avaliação do sistema de gestão ambiental de uma
clínica especializada em aparelho digestivo e gástrico onde a mesma tem atuação com
pacientes de todo Piauí e estados vizinhos.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Realizar uma visita técnica na empresa no segmento da saúde especializada em aparelho


gástrico digestivo.
Identificar problemáticas ambientais referentes ao sistema de gestão ambiental da empresa.
Discutir problemáticas ambientais, política ambiental, planejamento estratégico, análise
crítica e ergonomia.
Ao termino dessa análise, propor a implantação de melhorias.
3. MATERIAL
 Borrachas;
 Canetas;
 Câmera fotográfica;
 Caderno;
 Folhas A4;
 Gasolina;
 Lápis;
 Vales-transportes;

4. METODOLOGIA
4.1. MÉTODO DE ABORDAGEM

A abordagem realizada foi método fenomenológico que “Husserl (1859-1938)- sem se


preocupar com foco indutivo ou dedutivo, o pesquisador se ocupa em descrever direta e
objetivamente a experiência, conforme ocorreu. Nesse método, a realidade e construída, de
acordo com a interpretação do relator, não sendo, portanto, única, pois dependera da leitura do
sujeito pesquisador. E o que ocorre, por exemplo, com estudos relacionados a experiências
aplicadas a fenômenos sociais.” (BRASILEIRO; ADA; 2013 P.42 e 43).

4.2. MÉTODO TÉCNICO


Método técnico foi a pesquisa exploratória em propostas de pesquisa em que há pouco
conhecimento acumulado por parte da comunidade cientifica, ou quando não existem ou
dados suficientes para o pesquisador. Visa tornar determinado fenômeno mais familiar e
ajudar o pesquisador a construir hipóteses onde são feitos levantamentos bibliográficos,
sondagens e observações.

4.3. TÉCNICAS DE PESQUISA


O fim da presente pesquisa e coleta direta apresente pesquisa contou com uma visita técnica
realizada por alunos do 8ª período de engenharia de produção da UNIFSA onde foram
colhidas informações em uma empresa do ramo especialista em aparelho gastrointestinal em
Teresina-PI
A presente pesquisa contou com 5 alunos trabalhando em conjunto para obtenção de
informação e reprodução das mesmas no presente relatório.
5. RESULTADOS

Após vista técnica realizada na empresa constatou-se que existe uma política regular de
captação de resíduos e trabalha dentro das leis de destinação dos mesmos, onde seu programa
foi considerado satisfatório, a mesma não conta com programas sociais relacionados ao tema.
Algumas irregularidades foram visualizadas na parte de riscos ocupacionais e ambiente
físico, onde foram constatadas algumas infiltrações na estrutura arranjo físico de estoque
com layout inadequado para fácil movimentação, também salas sem um layout que facilite
as tarefas dos colaboradores onde o mesmo tem que percorrer distancias longas para
limpeza de aparelhos e transferências de pacientes, visto que essas atividades são
necessárias para o fluxo do processo. A empresa não conta com gestão de estoques nem a
padronização do arranjo com localização ou identificação. Foram listados riscos
ocupacionais graves no local:
 Uso excessivo de glutaron/steronios (desinfetante);
 Uso de lubrificantes em ambiente fechado;
 Medicamentos em ampola abertos em local contaminado;
 Local onde se coloca aparelhos em solução com tapas abertas (risco de
contaminação);
 Uso de perfuro cortante com material contaminado próximo a prateleira de
medicamentos injetáveis a serem utilizados;
 Formol próximo a seringas;
 Uso semanal de apenas uma esponja para lavagem de aparelhos
 Lavagem dos aparelhos com secreção próxima aos materiais que serão utilizados
posteriormente.

Mas algo que chamou muito a atenção foi à quantidade de doenças relacionados a coluna que
funcionários apresentaram com o passar dos anos trabalhando nessa organização, onde
mostraremos a seguir na tabela 1 algumas doenças encontradas nos colaboradores.
Tabela 1 – Manifestações clínicas apresentadas em funcionários (n=10) da empresa, com
faixa etária entre 25 a 58 anos em Teresina-PI.

Manifestações Clínicas Nº %
Hérnia de disco 4 40
Bursite 4 40
L.E.R. 10 100
Tendinite 3 30
Lombalgia 6 60
Espondilite Anquilosante 5 50
Cefaleia 10 100
Rinite 5 50
Pressão Alta 4 40
Fonte: Coleta Direta (2018).

A empresa tem um custo médio mensal de água de R$ 5.000 (cinco mil reais) onde seu custo
e de aproximadamente R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) anualmente. Um alto consumo onde
tanto acarreta custos, bem como consequências ao meio ambiente. Já o custo com energia
elétrica esta na casa dos R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais) mensais e com um custo
anual de aproximadamente R$ 43.000,00 (quarenta e dois mil reais) onde há sim alternativas
para melhorar nesse panorama, que serão mostradas nos resultados (veja tabela 2 );
Tabela 2 – Custos e despesas mensal e anual da empresa no segmento da saúde

Custo
médio
mensal Custo Anual

Agua 5.000 60.000

Energia 3.500 43.000

Materiais Hsps 7.000 84.000


Medicamentos 4.000 48.000

Total 19.500 234.000


Fonte: Coleta Direta (2018).

A seguir temos a representação gráfica mensal dos custos com energia elétrica onde observou-
se que a partir de junho eleva-se o consumo pelo fato de ser uma época mais quente do ano
onde chega a dobrar os custo(valores em reais) e vale ressaltar que a pequena queda em
dezembro e pelo fato do recesso de final de ano onde em dezembro só trabalham 13 dias.
Acompanhe no gráfico 1.

GRAFICO 1.

6,000

5,000

4,000

3,000
Series1
2,000

1,000

Fonte: Coleta Direta (2018).


No gráfico 2 a demonstração do custo mensal de água vale se ressaltar, que nos periodos mais
quentes do ano, há um acrescimo no consumo de agua.(em reais).
GRAFICO 2.
7,000

6,000

5,000

4,000
Series1
3,000

2,000

1,000

0
MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

Fonte: Coleta Direta (2018).

6. DISCUSSÃO

De acordo com a tabela acima observou-se que a organização conta com uma variedade de
riscos ocupacionais, onde foram feitas analises para encontrar a origem de cada um deles.
Vamos começar relatando os prováveis motivos observados:
 Hérnia de disco: é uma lesão que ocorre com mais frequência na região lombar no
local em estudo todas estão nessa região do corpo. A causa esta relacionada a o peso
excessivo carregado pelo colaborador onde os mesmos tem que transportar
equipamentos e pacientes manualmente ou em macas, e em repetitivas vezes ao longo
da jornada de 8 horas diárias.
 Bursite: é a inflamação da bolsa sinovial, uma estrutura cheia de líquido que se
localiza entre um tendão e a pele ou entre um tendão e o osso, com função de
amortecimento, e auxílio no deslizamento dos tecidos e sua nutrição. A causa
observada e a quantidade excessiva de movimentos repetitivos que são obrigados a
fazer em seus procedimentos.
 LER: Lesão por esforços repetitivos, nesse caso o fator observado foi a rotina de
digitação de exames, fichas de entrada de pacientes e alguns relatórios.
 Tendinite: inflamação que afeta os tendões, estruturas espessas e fibrosas que
funcionam como cordas ligando músculos e ossos. Sua principal causa são
sobrecargas que estão expostos em suas atividades.
 Lombalgia: dor lombar.
 Espondilite anquilosante: é uma doença inflamatória crônica, que ainda não tem cura e
que afeta as articulações do esqueleto axial, especialmente as da coluna, quadril,
joelhos e ombros. A causa da espondilite anquilosante ainda é desconhecida.
 Cefaleia: nome cientifico para a tradicional dor de cabeça, apresentada em
intensidades variadas, mas de maneira constante. Nesse caso a doença pode ter varias
causas entre elas produtos tóxicos,outras doenças e etc.
 Rinite: conhecida popularmente como alergia,a rinite alérgica é uma reação
imunológica do corpo à partículas inaladas que são consideradas estranhas.Nesse caso
as substancias como os desinfetantes em excesso encontrados ou também os
lubrificantes utilizados em local fechado.
 Pressão alta: a hipertensão arterial popularmente conhecida como pressão alta tem
como causa segundo informações dos entrevistados o extresse.

7. CONCLUSÃO

A gestão ambiental no geral vem evoluindo bastante não só no brasil, mais como no
mundo como um todo, porem, não deve só partir de gestores a responsabilidade não, mais sim
de todos os envolvidos, gestores, supervisores, colaboradores e consumidores.
Neste relatorio abordamos uma analise da gestão ambiental de uma empresa de Teresina
especializada na prestação de serviços em tratamentos gastrointestinais onde concluímos que
são necessários alguns ajustes e melhorias para que se tenha plenitude sobre o serviço
prestado e na saúde física e mental dos colaboradores.
Como foi visto acima, o consumo de energia está alto, onde pode sim encontrar se opções
para diminuir esses custos como troca das lâmpadas fluorescentes e incandescentes por
lâmpadas de led:
O LED é uma tecnologia que supera a iluminação convencional. Trata-se de um chip emissor
de luz que também é chamado de "SOLID STATE LIGHTING". A substituição das lâmpadas
pelos "LEDS" pode resultar numa economia que varia de 50% a 80%, dependendo da
utilização, com a vantagem de ser um aparelho com duração de 15 anos sem manutenção. Seu
raio luminoso é livre de UV e de calor e seu tamanho compacto proporciona maior
flexibilidade nos projetos. Troca de equipamentos por equipamentos selo de economia A,
pois observou-se que muitos dos equipamentos eram antigos(2 frigobar, 2 televisores,
microondas, 8 computadores e 6 notebooks viciados, 14 ar-condicionados) atenção especial
aos ar-condicionados.
Eletrodomésticos eficiente – Selo Procel A .O selo procel tem por objetivo orientar o
consumidor no ato da compra, indicando os produtos que apresentam os melhores níveis de
eficiência energética dentro de cada categoria. Também objetiva estimular a fabricação e a
comercialização de produtos mais eficientes, contribuindo para o desenvolvimento
tecnológico e a redução de impactos ambientais.
Sensor de movimento, para áreas que a iluminação que não seja necessário ficar sempre
ligados. Conscientização para economia de material.
Já na área ergonomica, como houve sim incidentes provocados pela falta de
ergononomia, uma sugestão seria a implantação do PPRA e PCMSO.
O PPRA ou Programa de Prevenção de Riscos Ambientes trata-se de uma legislação federal
que pretende estabelecer uma metodologia de ação para garantia da preservação da saúde e
integridade dos trabalhadores diante de riscos oferecidos do ambiente de trabalho.
Esses riscos podem ser agentes físicos, químicos e biológicos existentes nos locais de trabalho
que podem causar danos à saúde dos funcionários.

Outro programa que visa colaborar para um ambiente de trabalho mais saudável para todos é
o PCMSO ou Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, que visa identificar
antecipadamente qualquer desvio que possa comprometer a saúde dos trabalhadores,
monitorando-os através de exames laboratoriais.

Cumprimos todos os objetivos que tínhamos propostos, e o presente trabalho foi


importante para o nosso aprofundamento nesse tema porque nos permitiu conhecer melhor a
área alem de aperfeiçoar nossas competências de investigação.
8. REFERÊNCIAS
BELL, Judith. Projeto de pesquisa: guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e
ciências sociais. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BOOTH, Wayne C.; COLOMB, Gregory; WILLIAMS, Joseph. A arte da pesquisa. São
Paulo: Martins Fontes, 2008.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo : Atlas, 2010.
9. APÊNDICE
APÊNDICE A

A empresa tem licenciamento Ambiental?

sim 1
não 0

O sistema de gestão ambiental e eficiente ou precisa melhorar?

Eficiente
Já aconteceu algum descumprimento de leis ambientais?

Sim 0
Não 1

Se sim teve alguma consequência financeira?

Sim 0
Não 1

A empresa esta a quanto tempo no mercado?

29 anos
Qual a legislação envolvida na empresa no âmbito ambiental ?

Não tem
Existe algum sistema de educação ou plano ambiental na organização?

Sim 1
Não 0

resposta anterior se sim qual?

Plano de gerenciamento de resíduos do serviço de saúde.


Existe algum programa de responsabilidade social?

Sim 0
Não 1

Quais os resíduos produzidos pela organização? Como ocorre o descarte ?

O descarte através de uma emrpresa de gerenciamento de residuos particular.


Qual o custo de energia elétrica mensal e anual?

R$ 3.500,00, porém varia no verão


Qual o custo com água mensal e anual?

R$ 5.000,00
Como a empresa funciona, quais os seus processos ?

É uma empresa clínica medica, como consultas e exames


Colaboradores usam EPI'S?1 resposta

Sim 1
Não 0

Quais EPI'S?

Luvas máscaras, gorros para os pés, jaleco e avental


Existe mapa de risco?

Sim 0
Não 1

Quais os riscos ocupacionais ?

Não possui

Existe frequência de acidentes?


Sim 0
Não 1

Há possibilidade de inalação de substâncias câncerigenas?


Sim 1
Não 0

Qual o histórico de doenças na empresa?

Hérnia de disco, bursite, LER, tendinite, problemas relacionados à coluna cervical, dores
constantes de cabeça
Tem perfurocortante?

Sim 1
Não 0

A empresa conta com quantos colaboradores?

10 Colaboradores
Existe gestão de estoque?
Sim 0
Não 1

Qual o fluxo de materiais dentro da empresa?

Intenso, materiais hospitalar descartáveis


Quais os utensílios de maior rotatividade?1 resposta

Equipamentos médicos-vídeos endoscópicos e aparelho de ultrassom

Tem estoque de segurança?


Sim 0
Não 1
Tem alguma ferramenta que mensure estoque ou materiais?

sim 0
não 1
Existe rastreamento dos materiais (guardar localizado) ?
Sim 0
Não 1

Qual a politica organizacional da empresa?

Se baseia compromentimento com a empresa através de um grupo onde cada um tem uma
colaboração e comprometimento pelo serviço ao qual é realizado para que traga qualidade
eficácia para a empresa.
10. ANEXOS
ANEXO A – Representação gráfica de contagem de produtos presentes na empresa A -
Grupo de controle I.
Referencias

Para maiores explicações sobre como elaborar um projeto de pesquisa, sugerimos a


consulta das seguintes obras:

Deve ser elaborada uma lista final das referências bibliográficas utilizadas no projeto de
pesquisa, incluindo somente as obras citadas.

A lista deve ser apresentada em ordem alfabética, sem numeração, iniciando pelo autor.
Entre as linhas de uma mesma referência, o espaçamento é simples e, entre uma referência e
outra, o espaçamento é duplo (podendo-se fazê-lo clicando duas vezes a tecla “enter”).
Demais orientações sobre como elaborar uma referência, podem ser encontradas na NBR
6023/2002 da Associação Brasileira de Normas Técnicas, disponível em versão comentada no
site. Ver em:

http://www.abnt.org.br/

ANEXOS
Anexos são textos ou documentos não elaborados pelo autor. A identificação é feita
por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Veja o exemplo
abaixo:

• INTRODUÇÃO...........................................................................................................1
• OBJETIVOS .................................................................................................................
2.1Objetivo Geral .............................................................................................................
2.1Objetivos Específicos ..................................................................................................
• MATERIAL..................................................................................................................
• METODOLOGIA.........................................................................................................
4.1 Método de Abordagem................................................................................................
4.2 4.2 Técnicas de Pesquisa
• RESULTADOS
• DISCUSSÃO
• CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS
APÊNDICES
ANEXOS