Você está na página 1de 4

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) JUIZ (A) DE DIREITO DA VARA

DE FAMÍLIA DA COMARCA DE XXXXXXXXXX/SP

FULANA, brasileira, nascida em XXX de XXXX de XXX,


PROFISSÃO, portadora da cédula de identidade RG nº XXXXXXXXX e do
CPF/MF sob o nº XXXXXXXXXXX, filha de XXXXXXXXXXX, com
endereço na Rua XXXXXXXXXXXX, nº XXX, Bairro XXXXXXXXX, CEP.
XXXXXXX-XXX, nesta cidade de XXXXXXX – Estado de XXXXXXXX -
(sem endereço eletrônico), por seu advogado que esta subscreve, com
respectivo mandato em anexo, vem, com as reverências de praxe deferidas
à Vossa Excelência propor a presente

AÇÃO DE CONVERSÃO DE SEPARAÇÃO JUDICIAL EM


DIVÓRCIO em face de:

XXXXXXXXXXXX, brasileiro, filho de XXXXXXX e de


XXXXXXXXXX, residente e domiciliado na Rua XXXXXXXX, nº XX, Bairro
XXXXX, CEP. XXXXXXXX-XX, na cidade de XXXXXXXXX – Estado de
XXXXXX – (sem endereço eletrônico sabido).

Com base no art. 731 do Código de Processo Civil, consoante as


asserções fáticas e jurídicas a seguir minudenciadas:

I. DA JUSTIÇA GRATUITA

Sendo certo que a Requerente não possui condições de arcar com os


ônus processuais, sem prejuízo do seu sustento e de sua família, requer se
digne Vossa Excelência de deferir-lhe os benefícios da Justiça Gratuita,
por força do art. 98 e ss do Código de Processo Civil/2015.
Insta ressaltar que entender de outra forma seria impedir os mais
humildes de ter acesso à Justiça, garantia maior dos cidadãos no Estado
Democrático de Direito.

Segue anexo declaração neste sentido.


II – DOS FATOS

A Requerente casou com o requerido, sob o regime de comunhão


universal de bens, na data de XXXXXX, conforme Certidão de Casamento
anexo, e que, após certo tempo, buscou o judiciário para solicitar sua
separação e posterior divórcio, sendo que fora feito a Ação de Separação
Judicial datada em XXXXXXX, e que seu ex cônjuge aceitou sem oposição,
transitada em julgado, onde a requerente voltou a usar o nome de solteira,
conforme mandado averbado em XXXXXX na referida certidão.

Desde então, acreditava que sua separação e divórcio teriam se


concretizado, contudo, ao procurar pelo Cartório em busca de cópia de seu
divórcio, foi comunicada pelo Tabelião que a mesma ainda estava casada,
pois não houve a conversão da Separação Judicial em Divórcio. Surpresa
com tal informação recebida do funcionário do cartório, busca o judiciário
para através desta ação resolver tal situação.

III – DA FUNDAMENTAÇÃO JURÍDICA

Preconiza o art. 731 do Código de Processo Civil acerca da


viabilidade jurídica do divórcio consensual, senão vejamos:

“Art. 731: A homologação do divórcio ou da


separação consensuais, observados os requisitos
legais, poderá ser requerida em petição assinada
por ambos os cônjuges, da qual constarão:
I – As disposições relativas à descrição e à
partilha dos bens comuns;
II – As disposições relativas à pensão alimentícia
entre os cônjuges;
III – O acordo relativo à guarda dos filhos
incapazes e ao regime de visitas; e
IV – O valor da contribuição para criar e educar
os filhos”.

Nos termos do art. 226, § 6º da Carta Cidadã, cuja redação


decorrente de Emenda Constitucional nº. 66/2010 dispõem sobre a
dissolubilidade do casamento civil pelo divórcio, suprimindo o requisito de
prévia separação judicial por mais de 01 (um) ano ou de comprovada
separação de fato por mais de 02 (dois) anos, manifestam-se a Vossa
Excelência a intenção inequívoca de divorciar-se, dentro das seguintes
condições:

a) Sobre a Partilha de Bens, declara a requerente que inexistem bens a


partilhar, pois não possuíam nenhum bem antes ou durante a constância do
casamento;

b) Declara ainda a requerente, que dispensa pensão alimentícia em relação


ao seu ex marido;

c) A requerente declara que não possui filhos (as) menores de idade para
fins de pensão;

d) Por fim, declara a requerente que já faz uso do nome de solteira.

IV – DO PEDIDO

Diante do exposto, a requerente requer a Vossa Excelência:

1) A Concessão à Requerente o benefício da Justiça Gratuita, em face


da mesma não ter condições econômicas e/ou financeiras,
honorários advocatícios, sem prejuízo próprio ou de sua família, em
conformidade com a declaração de pobreza anexada nos autos, por
força do art. 98 do Código de Processo Civil.

2) A citação do ex cônjuge, XXXXXXXXXXXX, no endereço constante


na exordial, a fim de que possa vir assinar o referido divórcio.

3) PROCEDÊNCIA DO PEDIDO E A HOMOLOGAÇÃO DO DIVÓRCIO


do casal nas condições expostas nesta Exordial.

4) Requer, ainda, em caso de não ser encontrado o cônjuge


XXXXXXXXX XXXXXXXX no referido endereço, que seja
concedida tutela antecipada visando a homologação do divórcio.
5) Pede, por fim, que, após o trânsito em julgado da sentença
homologatória, seja expedido mandado para a averbação respectiva
no Cartório do Registro Civil das Pessoas Naturais, a fim de que
produza todos os jurídicos e legais efeitos.

Protesta pela produção de todos os meios de prova admitidos,


notadamente pelos documentos que instruem o presente pedido.

Dá-se à causa o valor de R$: 100,00 (cem reais).

Termos em que

Pede deferimento.

Cidade, dia mês de ano.

ADVOGADO
OAB/UF XXX.XXX