Você está na página 1de 10

Maratona da 14 Semana da Arquitetura 2010 – Contemporâneidades – PUC Minas

Projeto Escritório de Integração - EI


MEMORIAL CONCEITUAL

O projeto do novo espaço que abrigará o Escritório de Integração (E.I) do curso de Arquitetura e
Urbanismo da PUC Minas se norteia pelos três pontos do currículo: Tecnologia, inclusão e
sustentabilidade. Esses aspectos são abarcados através da seleção de sistemas construtivos de fácil
aplicação e que permitem o ensino da técnica, ou seja, que são adequados à autoconstrução,
associados à ideia de experimentação, sendo estes, fundamentos das práticas do E.I.
Para marcar esse caráter de experimentação do Canteiro em Obras, as técnicas de superadobe e
bambu foram eleitas para compor esse projeto, pois tratam-se de sistemas construtivos alternativos
com alto potencial, mas que são pouco difundidos.
Já a escolha por alvenaria estrutural aconteceu por ser um sistema racionalizado (modulação dos
blocos), que consegue conciliar os sistemas elétricos e hidráulicos sem maiores desperdícios.
A volumetria foi concebida de modo a
tirar partido do potencial plástico dos sistemas
estruturais escolhidos.
A parede mais sinuosa é feita a partir
da técnica de superadobe, as paredes hidráulicas
e ortogonais de alvenaria estrutural e a fachada
principal e a cobertura de bambu. Para a
adequação de todas essas técnicas construtivas é
proposta a fundação radier.
Potencial educativo-formador

Além disso, todos os sistemas utilizados


para a estruturação desse espaço são
de baixo custo e podem se associar com
o Canteiro em Obras (C.O) e a Escola de
Formação de Mão-de obra, pois concilia
o ensino das técnicas nesse espaço,
reverberando na qualificação de mão-
de-obra do trabalhador e aumentando
o conhecimento prático do estudante
de arquitetura.
Programa arquitetônico
Já que o E.I é um espaço dinâmico no qual múltiplas tarefas são realizadas, o espaço interno foi concebido
segundo a lógica da flexibilidade e da multiplicidade.
O primeiro pavimento abriga o coração do escritório, onde estão dispostas amplas estantes com os
materiais bibliográficos, amostras e catálogos e acervo técnicos; área administrativa próxima aos acessos
(entrada e saída); sala de reuniões que consegue abrigar pequenas à médias conferências com
possibilidade de serem realizadas apresentações com data-show; estações de trabalho (computadores e
pranchetas); apoio para pequenas refeições; banheiros e vestiários para utilização tanto dos funcionários
do E.I, quanto para os alunos da Escola de Formação de Mão-de-Obra. Quando solicitado esse espaço pode
se transformar em uma ampla área de exposições.
O projeto possui um mezanino com mais estações de trabalho, possibilitando uma área de concentração e
silêncio para o desenvolvimento dos projetos, além de uma vista panorâmica para o Canteiro em Obras, já
que esses dois espaços devem estar integrados.
Possui pé-direito duplo o que favorece na iluminaçao e ventilação, já que a vedação é vazada e é possível a
expansão do espaço com a ampliação do mezanino e da varanda e também da formação de uma nova
sacada voltada para nordeste.
Plantas com layout

Plantas das fiadas de alvenaria estrutural – modulação com família de múltiplos de 15


Cortes, planta de cobertura e perspectiva
A implantação consistiu em adequar o E.I na área mais estratégica, ou seja, a área possui um acesso
fácil tanto ao C.O quanto à entrada do prédio 47, afirmando o caráter de ligação entre esses espaços.
Local escolhido possibilita a menor movimentação de terra ao terreno, para que o espaço já
consolidado do C.O continue a existir. De maneira a não interferir na estética da edificação, o projeto
tenta dialogar com o prédio 47, sendo implantado na cota mais baixa do terreno, fazendo com que
somente sua cobertura seja visualizada na área externa do Campus.
O projeto de paisagismo realizado em estudo prévio foi considerado na proposta, mas com algumas
modificações que permitiram a melhor apropriação do espaço.
Implantação

Perpectiva interna- área de reuniões,administrativa e de desenvolvimento de projetos


Sistema hidráulico interno aos
blocos de alvenaria. Calhas
dimensionadas de forma a recolher
a água da chuva para futuro
reaproveitamento da mesma em
jardins.

O objetivo desse projeto não é somente proporcionar um ambiente que abrigue o núcleo do
E.I, mas também de refletir os conceitos vinculados à esse espaço, através da experimentação
e ensino dessas propostas de técnicas alternativas que são vinculadas à autoconstrução.
Sendo assim, esse projeto é uma alternativa para se conseguir conciliar as premissas de
sustentabilidade, inclusão e tecnologia, pois somente com a compreensão da espacialidade e
do manejo construtivo propiciado pela prática, é que é possível a melhoria da produção dos
espaços urbanos, para que de fato busquem a sustentabilidade.

Interesses relacionados