Você está na página 1de 3

institutogamaliel.com http://www.institutogamaliel.

com/portaldateologia/a-gratidao/teologia

A Gratidão

Uma mulher passou anos da vida trabalhando, lavando as roupas de sua família à mão. Já tinha visto outras
pessoas usando suas máquinas de lavar, mas ela simplesmente não tinha condições de comprar uma. O marido
dela queria lhe dar uma máquina como presente, mas ganhava pouco. Ele começou a poupar dinheiro e, depois
de muito sacrifício, conseguiu comprar uma máquina nova que facilitaria muito a vida de sua mulher amada. Foi
entregue na casa deles e colocada, com todo cuidado, no lugar preparado. A mulher colocou detergente, encheu
a máquina com água e pôs as primeiras roupas para lavar. Quando a máquina começou a girar, ela ficou
admirada, olhando para o presente que jamais esperava receber. Agradeceu ao marido dezenas de vezes. Para
mostrar a sua gratidão, ela caprichava na cozinha e sempre lavava as roupas do marido antes das dos outros
membros da família.

Algumas amigas foram visitá-la. Ela as levou à lavanderia, e sorria o tempo todo enquanto mostrava-lhes a sua
nova máquina. Cada amiga ouvia a história do amor do marido dela e do sacrifício que ele fez para lhe dar esse
presente tão especial. Ela cuidava bem da máquina, sempre a mantendo limpa e em boas condições para o
próximo uso. Cada vez que a usava, ela lembrava da generosidade e sacrifício do seu marido. Ela sentia sincera
e profunda gratidão no coração.

Qualquer pessoa educada sabe que deve agradecer quando recebe um presente. A verdadeira gratidão se reflete,
também, de outras maneiras. Falamos para outras pessoas; cuidamos bem do presente recebido; procuramos
agradar à pessoa que se mostrou generosa para conosco; etc.

A gratidão faz parte da vida do servo de Deus. Devemos mostrar a gratidão para com outros homens, mas o foco
deste artigo é a nossa gratidão para com Deus.

Por que ser gratos a Deus?


As respostas a essa pergunta são mais numerosas do que as estrelas no céu. Deus nos deu vida, e preparou um
mundo especial para nos agradar. Ele é a fonte das nossas necessidades diárias. Mas, o discípulo de Cristo
sente gratidão por outras razões, além das bênçãos materias. Considere alguns dos motivos da gratidão do servo
de Deus:
Deus nos dá alimentos e as necessidades da vida (Mateus 6:11,30-34;João 6:11; 1 Timóteo 4:3-4).

Somos abençoados com famílias (Rute 4:12-14; Salmo 127:3; Provérbios 31:10,29-30).
A presença e o bem-estar/segurança de pessoas queridas (Atos 28:15; Efésios 1:16; 1 Tessalonicenses 1:2).

A proteção divina e as vitórias nesta vida (Êxodo 15:1-2; Esdras 8:31).

Devemos orar e agradecer por todos os homens (1 Timóteo 2:1).

Motivos espirituais/celestes/eternos:

Deus enviou a luz para os homens na pessoa de Jesus Cristo (Lucas 1:78; 2:38).

A salvação pela graça em Jesus (Romanos 7:25; 1 Coríntios 1:4; Colossenses 1:12).

O Senhor revelou a sua palavra de maneira que a podemos entender (Lucas 10:21).

Ele nos deu a Ceia do Senhor para lembrar a morte de Jesus (Mateus 26:26-29; 1 Coríntios 11:23-27).

A fé e fidelidade de irmãos espirituais (Romanos 1:8; 6:17; 1 Tessalonicenses 2:13; 3:9; 2 Tessalonicenses 1:3;
2:13; 2 Timóteo 1:3; Filemom 4).

Temos, em Cristo, a vitória sobre a morte (1 Coríntios 15:57).

Nossos irmãos oram e se preocupam conosco (2 Coríntios 1:11; 8:16; 9:11-15).

Deus nos usa, como seus servos, para divulgar a sua palavra (2 Coríntios 2:14).

Deus Todo-Poderoso reina sobre todos (Apocalipse 4:9; 7:12; 11:7).

Temos esses e muitos outros motivos para ser gratos a Deus. Resumindo, devemos lembrar que Deus é a fonte
de todas as coisas boas que recebemos (Tiago 1:17). Ele nos ama e mostra o seu amor em tudo que faz para
conosco. Devemos viver constantemente agradecidos ao Senhor.

Como mostrar a nossa gratidão a Deus?


A mulher que ganhou a máquina de lavar falou para o marido, expressando a sua gratidão. Ela fez coisas para lhe
agradar. Também, falou para outras pessoas sobre a bondade do homem que a amava. Como servos de Deus,
devemos mostrar gratidão das mesmas maneiras:

Expressemos a nossa gratidão a Deus em palavras.


Orações freqüentemente incluem palavras de gratidão. Paulo disse: “Antes de tudo, pois, exorto que se use a
prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens” (1 Timóteo 2:1). Ações
de graças fazem parte da comunicação essencial do servo ao Senhor. Devemos enfatizar oração em nossas
vidas, orando “sem cessar” e dando graças “em tudo” (1 Tessalonicenses 5:17-18). Como pessoas radicadas e
edificadas em Cristo, vamos crescer em ações de graças (Colossenses 2:7). Percebemos em tais trechos que a
oração não é meramente um ritual ou obrigação de falar certas palavras de rotina. É uma parte fundamental da
vida do servo de Deus (Colossenses 4:2).

Ações de graças são um aspecto do louvor a Deus, e representam uma oferta feita a ele. No Velho Testamento,
ações de graças freqüentemente são citadas em relação à adoração musical (Neemias 12:46; Salmo 69:30;
100:4; etc.). Sob o Novo Testamento, louvamos a Deus com salmos, hinos e cânticos espirituais, com gratidão em
nossos corações (Colossenses 3:16; veja Efésios 5:19-20). Na antiga aliança, ações de graças são mencionadas
várias vezes quando se fala das ofertas e dos sacrifícios feitos pelo povo judeu (2 Crônicas 33:16; Salmo 107:22;
Jeremias 33:11). Na aliança de Cristo, mostramos a gratidão em nossos sacrifícios e ofertas (2 Coríntios 9:11-12).

Pensando dessa forma ajudará o nosso louvor. Ao invés de oferecer adoração egoísta, do estilo e da maneira que
nos agrada, louvaremos ao Senhor da maneira que ele pede. Bandas de rock ou hinos acompanhados por
instrumentos musicais podem agradar ao homem, mas o Senhor, na Nova Aliança, pediu louvor que vem do
coração, oferecido com a voz e os lábios do adorador que serve em espírito e em verdade (leia João 4:24; 1
Coríntios 14:15; Efésios 5:19; Colossenses 3:16; Hebreus 13:15).

Quando louvamos a Deus para mostrar a nossa gratidão, vamos levantar as nossas vozes em adoração sincera.
Vamos cantar louvores a Deus porque ele merece a honra. Pensemos no signficado de cada palavra que
cantamos, porque queremos adorar em espírito e em verdade.

Mostremos nossa gratidão fazendo coisas para agradar a Deus.


A nossa obediência a Deus reflete a gratidão de pessoas resgatadas pelo sacrifício de Jesus. Paulo frisa bem
esse fato na sua carta a Tito. Leia e pondere a mensagem de Tito 2:11 – 3:8. Este trecho destaca a necessidade
da santidade nas nossas vidas: “…educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas,
vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente…” (2:12). Paulo descreve os seguidores de Cristo
como “um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras” (2:14). Fala sobre a obediência a Deus em termos
práticos: “Lembra-lhes que se sujeitem aos que governam, às autoridades; sejam obedientes, estejam prontos
para toda boa obra, não difamem a ninguém; nem sejam altercadores, mas cordatos, dando provas de toda
cortesia, para com todos os homens” (3:1-2). Devemos perceber que Paulo não está ditando regras ou impondo a
sua própria vontade sobre os homens. Ele descreve a conduta de pessoas realmente convertidas a Cristo,
pessoas dedicadas a Deus e determinadas a fazer a vontade dele.

O mesmo texto mostra os motivos por trás desta transformação no caráter e no procedimento do discípulo do
Senhor. Naturalmente sentimos gratidão, porque: (a) Deus mostrou a sua bondade para nos salvar:”Porquanto a
graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens” (2:11); “Quando, porém, se manifestou a benignidade
de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com todos… segundo sua misericórdia, ele nos salvou…” (3:4-5); “…
justificados por graça…” (3:7); (b) Temos esperança em Cristo: “…aguardando a bendita esperança e a
manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus” (2:13); “…a esperança da vida eterna”
(3:7); (c) Jesus se sacrificou por nós: “o qual a si mesmo se deu por nós” (2:14); (d) Ele nos purificou para ser seu
povo especial: “…e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras” (2:14); (e)
Recebemos a renovação do Espírito Santo: “ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito
Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo” (3:5-6); (f) Ele nos fez herdeiros de
Deus: “…nos tornemos seus herdeiros” (3:7).

Uma vez que Deus fez tudo isso, quem não mostraria sua gratidão na obediência? “…para que os que têm crido
em Deus sejam solícitos na prática de boas obras” (3:8).

Falemos a outras pessoas sobre a bondade de Deus.


Davi reconheceu o valor da sua salvação e pediu o privilégio de poder falar para outras pessoas: “Então,
ensinarei aos transgressores os teus caminhos” (Salmo 51:13); Paulo valorizou a sua salvação e deu importância
à evangelização de outros: “…pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho”
(1 Coríntios 9:16). Paulo entendeu que a divulgação do evangelho continuaria de uma geração para outra: “E o
que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também
idôneos para instruir a outros” (2 Timóteo 2:2). Uma vez que entendemos o significado da salvação em Cristo,
falaremos aos outros. Pedro e João disseram: “…pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e
ouvimos” (Atos 4:20).

Mostremos a nossa gratidão


Cada cristão foi resgatado pelo amor de Deus manifestado na cruz de Cristo. A nossa gratidão nos motivará a
adorar a Deus, viver por ele, e divulgar a boa nova para todos ao nosso redor. Ele merece isso, e muito mais!

Autor: Dennis Allan