Você está na página 1de 3

Dinâmica demográfica- Portugal e Moçambique

Foi-me proposto a realização de um estudo de caso tendo como suporte vários


documentos.

Tendo em conta os mesmo, bem como a consulta de alguns endereços na internet


foi-me possível realizar pequena análise de ambos dos países, sendo que apesar de
ambos estarem ligados pela história e pela língua apresentam comportamentos e
desafios demográficos bastante distintos.
Impactes sociais, económicos e demográficos do envelhecimento da
população portuguesa;

As tendências atuais são caracterizadas pelo aumento da esperança média, redução


da mortalidade infantil, queda acentuada da fecundidade e consequentemente o
envelhecimento da população, esta última tem impactes na sociedade como:

 Dificuldade crescente em manter sustentáveis os sistemas de saúde e de


segurança social, face aos desequilíbrios que tendem a gerar-se entre a
população ativa e o número de reformados;
 Descida dos níveis de consumo, visto que a população idosa tem tendência
para ser menos consumista;
 Perda de vitalidade demográfica, com expressão em taxas de natalidade
muito baixas;
 Menor mobilidade demográfica e profissional por parte dos ativos mais
idosos;
 Incapacidade de renovação de gerações;
Para inverter estas tendências é necessário agir tomando algumas
medidas como por exemplo:

 Haver um incentivo à natalidade, recorrendo a políticas natalistas;


 Diversificação das propostas de percursos escolares mais vocacionadas para
o mercado de trabalho;
 Promover a imigração de índole económica
 Aposta na qualificação profissional;
Características demográficas da população moçambicana:

A população moçambicana é predominantemente jovem, verifica-se uma


progressiva diminuição da taxa de natalidade atingindo em 2005-2010 de
cerca de 42 permilagem, contudo ainda são valores bastante elevados Em
termos de taxa de mortalidade também tende a diminuir devido
principalmente ás diversas formas para combater as doenças sexuais,
atingindo valores de 16 permilagem no período de 2005-2010.

Por outro lado a esperança média de vida devido à falta de condições


sanitárias, falta de assistência médica e a uma alimentação precária e a
carência leva a que esta ronde os 54 anos.
O papel da mulher na diminuição do crescimento da população
moçambicana;
A elevada taxa de natalidade e o elevado índice sintético de fecundidade em
moçambique é em parte justificável pela baixa posição social que a mulher ocupa,
as limitações de oportunidades a nível social e económico, o uso de métodos
contracetivos pode torná-la alvo de violência física e psicológica, o casamento
precoce resulta em gravidezes numerosas e precoces e a dependência das mulheres
financeiramente.

A mulher apresenta , então, um papel fundamental para a diminuição do


crescimento acelerado e de certa forma descontrolado da população, pois esta se for
valorizada de forma igualitária ao homem, instruída e financeiramente
sustentável, se tiver direitos e passar a ser vista como um ser capaz, não apenas
para tomar conta dos filhos e da casa, se tiver direito a um acompanhamento
médico, ao planeamento familiar, uso de contracetivos e o direito à opção de escolha
irá consequentemente levar ao adiamento do casamento e do primeiro filho pondo
em primeiro lugar a sua formação académica e profissional.

Assim a valorização e instrução da mulher é importante para a diminuição do


crescimento da população bem como para diminuição da taxa de mortalidade
infantil, reforçando deste modo o carácter jovem e qualificado da estrutura etária.
Os impactes demográficos e socioeconómicos da SIDA, em Moçambique;

A SIDA é uma das principais doenças que mais mata em Moçambique sendo assim
urgente combate-la ou tentar reduzir o número de pessoas infetadas, pois esta tem
inúmeros impactos negativos para o país, como por exemplo:

 Diminuição da expectativa de vida, sendo que esta já é bastante baixa em


relação dos países do norte;
 Concentração da doença principalmente na população em idade ativa;
 Condicionamento do desenvolvimento devido aos seus efeitos serem sobre a
mão de obra, diminuindo os índices de poupança, segurança nacional e
coesão social;
 Afeta consequentemente os investimentos na educação e saúde devido à
diminuição da poupança e do capital gerado;
Medidas a tomar para combater a pobreza e a mortalidade infantil em
Moçambique:

A pobreza e a mortalidade infantil são dois fatores importantes de combater ou


tentar diminuir de modo a criar um níveis estáveis m termos de
desenvolvimento humano, para isso é necessário:

 Apoio estrangeiro, com profissionais qualificados em diferentes áreas


para fazer trabalho comunitário no terreno;
 Vacinação gratuita aos bebés;
 Criação de infraestruturas com melhores condições, com acesso ao
saneamento, a luz, água potável, bem como a criação de bairros sociais
gratuitos;
 Apoio às famílias mais carenciadas, através de bens alimentares, apoio
financeiro, etc.
 Criação de emprego e valorização do trabalho agrícola;
 Promoção da educação e gratuitidade dos manuais e do material
escolar;
Trabalho realizado por: Jéssica Lopes N°12 12°D

Você também pode gostar